Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ENSINO SUPERIOR EM FAMALICÃO DISPONIBILIZA VAGAS

Ensino Superior em Famalicão: Últimas vagas disponíveis

Abertas candidaturas para segunda fase de Cursos  Técnicos Superiores Profissionais e Cursos de Especialização Tecnológica em Famalicão.

CIEES - Centro de Investigação, Inovação e Ens

Estão abertas as segunda fase de candidaturas para os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) e Cursos de Especialização Tecnológica (CET) para o ano letivo 2020/2021. As entidades formadoras instaladas em Vila Nova de Famalicão disponibilizam as últimas vagas distribuídas por dezanove cursos CTeSP e seis cursos CET, quer em regime laboral, quer pós-laboral. As inscrições devem ser efetuadas junto de cada uma das entidades formadoras ou então através do Centro Qualifica de Famalicão http://www.famalicaoeducativo.pt/_centro_qualifica_apresentacao

Todo este volume de formação disponibilizado em território famalicense será ministrado pelas entidades: Citeve – Centro Tecnológico Das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (www.citeve.pt); Cenfim – Centro De Formação Profissional de Indústria Metalúrgica e Metalomecânica (www.cenfim.pt); CESPU (www.cespu.pt); Instituto Politécnico do Cávado e Ave – Polo de Vila Nova de Famalicão (www.ipca.pt); e Instituto Politécnico de Bragança – Polo de Vila Nova de Famalicão (www.ipb.pt).

Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTsEP) ministrados em Famalicão:

Os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) são formações de ensino superior.

Gerontologia, Bem-Estar e Termalismo, Manutenção e Controlo de Equipamentos Biomédicos, Bioanálise e Controlo, Secretariado Clínico, Estética, Cosmética e Bem-Estar, Tecnologia Alimentar, Gestão Ambiental, Design de Moda, Eletrónica, Automação e Comando, Energia, Telecomunicações e Domótica, Sistemas Eletrónicos e Computadores, Apoio à Gestão, Exportação e Logística, Comércio Eletrónico, Desenvolvimento Web e Multimédia, Gestão financeira e contabilística, Manutenção industrial e Redes e segurança informática  são os CTeSP oferecidos pela Cespu, IPB e IPCA.

As condições de ingresso obrigam os candidatos a serem titulares de um curso secundário ou de habilitação legalmente equivalente; que tenha sido aprovado nas provas especialmente adequadas para maiores de 23 anos; titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de técnico superior profissional; titulares de um grau de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.

A duração do CTeSP tem 120 créditos e a duração de quatro semestres (2 anos), sendo o último em contexto de trabalho. A frequência destes cursos tem associado o pagamento de uma propina, ainda que os formandos se possam candidatar a uma bolsa de ação social.

Cursos de Especialização Tecnológica:

Os Cursos de Especialização Tecnológica (CET) são formações pós-secundárias não superiores que visam conferir uma qualificação profissional de nível 5 do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ).

Gestão da Produção para a Indústria metalúrgica e metalomecânica, Tecnologia Mecânica, Tecnologia Mecatrónica, Industrialização de produto moda, Comércio Moda e Processos de Coloração e Acabamentos Têxteis são os Cursos de Especialização Tecnológica oferecidos pelo Cenfim e pelo Citeve.

Para terem acesso aos CET, os candidatos têm de cumprir com as seguintes condições: serem titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente; serem estudantes que tenham obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10º e 11.º e tendo estado inscritos no 12º ano, de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente, não o tenham concluído; serem titulares de uma qualificação profissional de nível 4; serem titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional. Os estudantes que não sejam titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente têm de realizar, caso sejam selecionados, um plano de formação adicional.

Os CET têm a duração aproximada de um ano e meio (18 meses) a que corresponde entre 60 e 90 unidades de crédito. A frequência destes cursos é gratuita e tem direito a bolsa de formação e transporte.

Para mais informações consulte no Portal da Educação, o Booklet com esta oferta formativa

https://issuu.com/municipiodefamalicao/docs/livro_cursos_ctesp_cet2020_v0505_c

FAMALICÃO: LANDIM REQUALIFICA LARGO CENTRAL DA FREGUESIA

A primeira fase da requalificação do Largo Dr. Fonseca Monteiro, em Landim, está praticamente concluída. A obra contou com um apoio municipal na ordem dos 50 mil euros e vem dar uma nova vida a este espaço central da freguesia que serve de apoio para a realização de vários eventos, como é o caso da festa anual da Senhora das Candeias.

AFS_3497.jpg

O espaço foi um dos vários locais visitados pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, na visita que efetuou na passada quinta-feira, dia 24, à freguesia.

“Este é um espaço muito frequentado pelos landinenses e um dos mais centrais da freguesia, daí a importância desta obra que vem trazer melhores condições para todos aqueles que utilizam este largo como ponto de convívio e lazer”, referiu a propósito o edil famalicense, que nesta tarde de trabalho no terreno se fez acompanhar pelo vereador das Freguesias, Mário Passos, e pelo Presidente da Junta de Freguesia, Avelino Silva.

A segunda fase da requalificação do Largo Dr. Fonseca Monteiro ainda não tem data prevista de arranque, mas de acordo com Avelino Silva a intervenção passará pela construção de um edifício com um bar e uma pequena biblioteca, “ganhando assim um novo e aprazível espaço de lazer que até aqui Landim não tinha”, disse.

Paulo Cunha viu ainda de perto o trabalho de requalificação efetuado na rede viária da freguesia, nomeadamente na Rua de Sande, na Travessa da Tapada, na Rua Joaquim Teixeira de Melo e na Avenida do Pinheiro Torto.

Sobre os planos e anseios da freguesia de Landim para o futuro, o Presidente da Junta de Freguesia apontou como prioritária a construção da Casa Mortuária e de um novo parque de lazer.

AFS_3559.jpg

AFS_3488.jpg

FAMALICÃO: ESCOLA BÁSICA DE VILARINHO DAS CAMBAS ESTÁ "COMO NOVA"

Paulo Cunha visitou espaço, na passada sexta-feira

A Escola Básica do 1.º Ciclo de Vilarinho das Cambas é uma das cerca de três dezenas de escolas do concelho de Vila Nova de Famalicão que beneficiaram recentemente de obras de melhoramento. Ao todo, no último ano, o município investiu quase dois milhões de euros na reabilitação e modernização do parque escolar. Em concurso público, a autarquia tem neste momento cerca de dez obras com um investimento previsto superior a seis milhões de euros.

image64544.jpeg

Paulo Cunha visitou, na passada sexta-feira, a Escola Básica de Vilarinho das Cambas e testemunhou a alegria e satisfação dos mais novos e de toda a comunidade escolar.

Para o presidente da Câmara Municipal, Vila Nova de Famalicão pode orgulhar-se da qualidade do seu parque escolar. “Em Vilarinho das Cambas temos agora uma escola completamente renovada, com novas comodidades, mais conforto e sobretudo com melhores condições para um ensino de excelência”, afirmou o autarca.

Muito satisfeita estava também a diretora do agrupamento de escolas de Ribeirão, Elsa Carneiro que salientou “a qualidade do espaço para exercer o projeto educativo”.

As obras na escola do 1.º ciclo, foram nos últimos anos um dos grandes desejos da presidente de Junta, Judite Costa, que disse estar agora “muito feliz”. “A escola ganhou um espaço exterior magnifico, modernizou-se com as novas tecnologias, temos novos equipamento e mobiliário, o que contribuiu para que haja sucesso educativo.”

Refira-se que a obra implicou um investimento municipal de quase meio milhão de euros, com a reabilitação total do edifício, assim como melhoramento dos espaços exteriores, com a criação do campo de jogos, entre outros.

image64538.jpeg

FAMALICÃO: COMPANHIA DE DANÇA OLGA RORIZ COMEMORA 25 ANOS NA CASA DAS ARTES

"Seis Meses Depois", em Famalicão, a 03 de outubro

A mais destacada companhia de dança portuguesa, com um trabalho de criação regular, traz à Casa das Artes de Famalicão, dia 03 de outubro, às 21h30, a sua mais recente coreografia: “Seis Meses Depois”. Trata-se de um espetáculo em que o teatro municipal famalicense é coprodutor e um dos parceiros nacionais da companhia que está a comemorar 25 anos de atividade.

SEIS MESES DEPOIS - OLGA RORIZ.jpg

Depois da sua estreia, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II, a criação de Olga Roriz ruma até Vila Nova de Famalicão, espetáculo único a norte do rio Douro agendado até à data.

Depois da reflexão expressa em “Autópsia”, coreografia estreada em novembro de 2019, sobre o impacto negativo que o ser humano tem vindo a causar ao planeta, “Seis meses depois” parte para a essência da Humanidade que perdura em cada um de nós, apesar de a sociedade nos consumir, formatar e massificar.

A coreografia procurar vivenciar um imaginário emocional num futuro datado: 2307; e num planeta identificado como “Terra 3”. Neste contexto, algo humanos, semideuses ou heróis, imaginamos a nossa existência em sete personagens ao acaso.

As personagens da nova coreografia – Zhora Fuji, Naoki 21, Dawnswir, Gael Bera Falin, Kepler 354, Priscilla Noir e Human Cat – habitam a cidade de Tannhauser.

"Caminhamos de intemporalidade em intemporalidade, num espaço celestial entre telas de cinema. A resiliência dos corpos de mãos dadas recupera os lugares ao longe, num presente que se escapa por entre os pés. Seis meses depois, uma entropia paira em todas as partículas. Tudo congelado! Já morremos, ou iremos morrer. Seremos breves como o primeiro sopro que engolimos à nascença", descreve Olga Roriz, num texto sobre a peça.

Esta criação tem direção de Olga Roriz e, como intérpretes, André de Campos, Beatriz Dias, Bruno Alves, Catarina Câmara, Francisco Rolo, Marta Lobato Faria, Yonel Serrano. A banda sonora e o vídeo são de João Rapozo, a seleção musical, de Olga Roriz e João Rapozo, a cenografia e figurinos são de Olga Roriz e Ana Vaz, o desenho de luz, de Cristina Piedade, a assistência de cenografia, de Daniela Cardante e, a assistência de figurinos e adereços, de Ana Sales.

FAMALICÃO: EXPOSIÇÕES ESTÃO DE REGRESSO À ALA DA FRENTE

Ala da Frente mostra “Lusco Fusco” de Jorge Martins. Exposição vai estar patente na galeria de arte contemporânea até ao dia 15 de janeiro

Até 15 de janeiro, os visitantes da galeria municipal de arte contemporânea vão poder conhecer de perto o trabalho do português Jorge Martins e a sua mais recente exposição - “Lusco Fusco”.

AFS_2117.jpg

Uma seleção de desenhos que “alicia a nossa curiosidade para indagar resoluções, desvendar sentidos e esperar que este espaço de lusco fusco seja de intenso estímulo para a contemplação”, refere a propósito o curador do espaço cultural, António Gonçalves.

“Jorge Martins tem essa aptidão de perscrutar o desenho para dele nos expor desafios de exploração das formas, das possibilidades de compreensão e aprofundamento de sensibilidades”, acrescenta.

Refira-se que a exposição foi inaugurada no passado dia 12 de setembro, com a presença do autor, para quem o desenho tem sido uma vigorosa prática de trabalho e pensamento ao longo do seu já extenso percurso.

A singularidade da obra do pintor é de resto um dos aspetos salientados pelo curador da Ala da Frente no texto de apresentação da nova exposição.

“Há um explorar constante das possibilidades que materiais tão simples como a grafite, o carvão, a sanguínea, tinta da china lhe conferem, para através deles nos demonstrar e revelar formas e universos muito singulares”.

Nascido em 1940, em Lisboa, Jorge Martins frequentou os cursos de Arquitetura e Pintura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Expõe regularmente desde 1958. A sua primeira exposição individual data de 1960.

Em 1961, parte para Paris onde viveu e trabalhou até 1991. Esta estada é interrompida entre 1975 e 1976, período em que se instalou em Nova Iorque. Regressou definitivamente a Portugal em 1991, onde vive e trabalha.

A exposição tem entrada livre e poderá ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h30 e aos fins-de-semana das 14h30 às 17h30. A galeria de arte contemporânea Ala da Frente fica localizada no Palacete Barão da Trovisqueira, na Rua Adriano Pinto Basto.

AFS_2128.jpg

CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO ASSINALA DIA MUNDIAL DA MÚSICA COM ESTREIA MUNDIAL

Projeto inspira-se na Mensagem de Fernando Pessoa

A Casa das Artes de Famalicão assinala com uma ESTREIA MUNDIAL, no dia 1 de outubro, às 21h30, as comemorações do Dia Mundial da Música. Em palco estará o projeto Borealis Ensemble: Este Som de o Mar Praiar.

1 out.jpg

O Borealis Ensemble, constituído por Sara Braga Simões (soprano), António Carrilho (flautas de bisel), Catherine Strynckx (violoncelo) e Helena Marinho (piano), contou para este projeto com o apoio da Direção-Geral das Artes, Universidade de Aveiro, e INET-md.

“Este som de o mar praiar”, verso retirado da Mensagem (1934) de Fernando Pessoa, evoca os sons de um mar inatingível ou utópico, remetendo para uma dimensão essencial da identidade portuguesa, a sua complexa relação com o mar. A temática tem sido explorada na cultura portuguesa extensivamente, desde as artes plásticas à música. No campo da música erudita, este fascínio pelo mar está representado em obras que lhe fazem referência através do título ou da poesia cantada. O projeto “Este som de o mar praiar” pretende revisitar precisamente essa ligação entre o mar e a composição/interpretação, promovendo a criação de novos repertórios e apresentando obras do património musical português relacionadas com a temática.

Percorrendo um leque diverso de obras de câmara de compositores e compositoras portugueses em torno de três temas – Brasão, Mar Português, Encoberto (tal como as três partes da Mensagem) – o concerto relata a história da nossa ligação ao mar, destacando-se a estreia mundial de novas criações de Isabel Soveral, Nuno da Rocha, e Hugo Vasco Reis, encomendadas para este projeto.

A entrada custa 4 euros ou 2 euros para estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e seniores

ICOM PROMOVE ENCONTROS DE OUTONO EM FAMALICÃO

Iniciativa decorre a 1 e 2 de outubro na Casa de Camilo, em Seide

O Conselho Internacional de Museus (ICOM) vai promover em Vila Nova de Famalicão, nos próximos dias 1 e 2 de outubro, a iniciativa Encontros de Outono 2020, sob o tema “Um Novo Olhar sobre as Coleções. Documentar e Conservar”. O evento vai decorrer na Casa de Camilo – Centro de Estudos, em Seide. As inscrições podem ser realizadas por email através do info@icom-portugal.org, com indicação da modalidade de assistência (presencial ou digital) e, no caso dos membros do ICOM, o respetivo número.

Centro de Estudos Camilianos (2).JPG

O ICOM, criado em 1946, é a organização mundial dos museus e dos profissionais de museus dedicando-se à promoção e proteção do património natural e cultural, presente e futuro, material e imaterial. Decidiu dedicar estes Encontros de Outono a aspetos constantes, mas frequentemente menos visíveis: a história custodial dos objetos e as estratégias de conservação continuada. A história custodial remete para a constituição das coleções. O modo como muitos acervos foram sendo constituídos tem vindo a ser estudado e considera-se importante, à luz do Código Deontológico do ICOM e da necessidade de conhecer e divulgar circunstância e ações, aprofundar percursos e estratégias de divulgação e comunicação.

O programa arranca pelas 9h30, com as presenças da presidente da ICOM Portugal, Maria de Jesus Monge, e do diretor da Casa de Camilo, José Manuel Oliveira.

Ao longo dos dois dias serão realizados três painéis de debate, com diversos convidados. Serão ainda realizadas visitas guiadas à Casa Museu de Camilo, à Casa do Território e ao Museu da Guerra Colonial.

Mais informações em https://icom-portugal.org/

CÂMARA DE FAMALICÃO VAI ABRIR CONCURSOS PARA ESPAÇOS DA NOVA PRAÇA - MERCADO DE FAMALICÃO

Concurso vai decorrer na Plataforma de Contratação Eletrónica anoGov depois da publicação em Diário da República

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou hoje em reunião de Câmara a abertura dos concursos públicos para a concessão dos espaços comerciais do novo Mercado Municipal que vai abrir ao público no início do próximo ano na sequência da reabilitação do antigo e histórico mercado da cidade.

AFS_1836.jpg

Serão abertos cinco concursos públicos para os espaços que se encontram disponíveis na sequência da ampliação das instalações e da não renovação de concessões por parte de anteriores comerciantes.  Nomeadamente, uma loja exterior, um restaurante, cinco espaços de restauração, quatro espaços de talho e outros negócios e seis espaços de bancas  (4 duplos e 2 individuais).

O procedimento adotado é o de concurso público por prévia qualificação, que corresponde ao procedimento de contratação pública que compreende duas fases essenciais, qualificação e adjudicação, através das quais se qualificam os candidatos  que preenchem os requisitos mínimos de sustentabilidade financeira, na primeira fase, sendo que os candidatos admitidos poderão, na segunda fase, apresentar as propostas de negócio.

Os concursos públicos decorrem na Plataforma Elétronica de Contratação Pública anoGov a partir da data de publicação em Diário da República, o que deverá acontecer nos próximos dias. Os interessados têm obrigatoriamente que estar registados na referida  plataforma e seguir os precedimentos habituais da contratação pública.

Com a renonovação do Mercado Municipal vai  surgir um espaço central em Vila Nova de Famalicão, renovado, coletivo e moldável, assente na multifuncionalidade e convivialidade, diferenciador e sustentável, articulando espaços de trocas, de encontros, de partilha de saberes, sabores e tradições. Será a verdadeira Praça do concelho como o foi ao longo dos seus 68 anos de história.

Com um custo total de quatro milhões de euros, a intervenção conta com verbas aprovadas no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), assinado entre a autarquia e o Programa Operacional Norte 2020, que garantiram um cofinanciamento FEDER de 3,1 milhões de euros.

“O que estamos aqui a construir é um novo conceito de Mercado Municipal”, adiantou Paulo Cunha aquando o lançamento da obra  sublinhando que “para além da reabilitação física do espaço, com esta intervenção vamos promover novas vivências culturais e urbanas, assentes num estilo de vida mais saudável, com mais qualidade e modernidade.

AFS_1834.jpg

FAMALICÃO LANÇA NOVA FRENTE DE OBRAS DE SANEAMENTO

Executivo municipal lançou, esta quinta-feira, últimas obras do pacote de investimento de 3 milhões anunciado em julho

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão fechou hoje o pacote de investimento de quase três milhões de euros apresentado em julho para a ampliação da rede de saneamento básico, com a abertura do concurso público para a última frente de obras nas freguesias de Castelões, Mogege, Vermoim, Requião e Landim e ainda nas Uniões de Freguesia de Esmeriz e Cabeçudos, de Carreira e Bente e de Ruivães e Novais.

DSC_1638.JPG

As empreitadas lançadas na reunião de câmara desta quinta-feira, 24 de setembro, incidem sobre o vale do Pele. A intervenção prevista para as freguesias de Castelões, Mogege, Vermoim e Requião e Esmeriz e Cabeçudos abrange uma extensão de 6,8 quilómetros e a construção de 266 ramais domiciliários e implica um investimento municipal na ordem dos 470 mil euros.

Já a empreitada lançada hoje para a freguesia de Landim e para as Uniões de Freguesia de Carreira e Bente e de Ruivães e Novais abrange uma extensão de 5,7 quilómetros e a construção de 196 ramais domiciliários e implica um investimento municipal na ordem dos 400 mil euros.

Recorde-se que nas últimas reuniões do executivo municipal já tinham sido lançadas as obras no vale do Pelhe, na União de Freguesias de Vale S. Cosme, Telhado e Portela, numa extensão de 7,2 quilómetros e com a construção de 115 ramais domiciliários, num investimento de cerca de 524 mil euros. Foi também lançada a obra no vale do Rio Este, nas Uniões de Freguesias de Mouquim, Lemenhe e Jesufrei e de Gondifelos, Cavalões e Outiz e na freguesia do Louro, numa extensão de 8 quilómetros, com a construção de 240 ramais domiciliários, num investimento de cerca de 576 mil euros.

As primeiras intervenções anunciadas no âmbito deste novo ciclo de investimento abrangeram as freguesias de Fradelos e Vilarinho das Cambas, numa extensão de 5,3 quilómetros e a construção de 185 ramais domiciliários, num investimento de mais de 350 mil euros, e a União das Freguesias de Arnoso Santa Maria e Arnoso Santa Eulália e a freguesia de Nine, numa extensão de 7,1 quilómetros e a construção de 224 ramais domiciliários, num nvestimento de cerca de 500 mil euros.

Recorde-se que, no total, esta nova frente de obra vai servir quase quatro mil habitantes ao longo de cerca de 42 quilómetros de rede. Com esta intervenção a cobertura da rede de saneamento no concelho irá passar de 83,4 por cento para 88,7 por cento.

MAIS DE 50 FAMÍLIAS DE FAMALICÃO JÁ RECEBERAM APOIO EXTRAORDINÁRIO ÀS RENDAS

Medida da Câmara Municipal  insere-se no plano de reação à situação epidérmica e de intervenção social e económica

Até ao momento, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão já apoiou 53 famílias do concelho, que sofreram perda de rendimentos por força da pandemia, nas suas despesas com as rendas da habitação. Ao todo, o investimento municipal ronda para já cerca de sete mil euros.

DSC_1759.JPG

As candidaturas aos apoios continuam abertas, podendo ser apresentadas online através do link https://rendas.famalicao.pt/, enviando os documentos solicitados, que comprovem a situação sócio económica.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, o apoio extraordinário às rendas são “uma medida inovadora e pioneira que abrange quem não vive em casa própria, quem não tem crédito bancário, mas quem vive numa casa arrendada e que vai ter dificuldades devido a esta pandemia em cumprir com as suas obrigações com a habitação”, acrescentando que “quem tiver perda de rendimento por força desta circunstância pode candidatar-se a este apoio”.

Recorde-se que esta medida social foi ainda recentemente apontada pela ONU e pela OCDE como um exemplo internacional de boas práticas na introdução de medidas consideradas inovadoras e recomendadas para resposta à covid -19 em áreas urbanas.

O apoio às rendas é atribuído mensalmente e tem que ser requerido todos os meses, tramitando nos serviços sociais da Câmara Municipal. Assim, a medida destina-se aos agregados familiares que estejam a passar por dificuldades económicas, devido nomeadamente a uma situação de desemprego, a uma situação de lay-off, aqueles que tenham sofrido uma redução negociada de salário, redução de salário por baixa médica (doentes portadores do vírus), redução de salário por permanência em casa para apoio a descendentes, cônjuge, ascendestes ou outros dependentes, entre outras.

O apoio a conceder pretende evitar que a despesa financeira do agregado familiar com o pagamento da renda para habitação própria e permanente, após o início da pandemia, seja superior a metade da remuneração do mesmo agregado. Isto é, o montante será atribuído para ajudar a diminuir a taxa de esforço das famílias estando excluídos os agregados cuja taxa de esforço, após a perda de rendimentos, seja inferior a 50% do rendimento bruto mensal. A referência para calculo será o vencimento do mês de fevereiro de 2020 e a medida aplicar-se-á a todo o tipo de rendimentos – trabalhadores por conta de outrem e profissionais liberais.

Refira-se que a medida, com caráter pontual e extraordinário, foi anunciada aos famalicenses pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, integrando o plano de reação à situação epidérmica e de intervenção social e económica.

HABITAR FAMALICÃO REÚNE APOIOS À HABITAÇÃO DO CONCELHO E DO PAÍS

Plataforma está disponível em www.famalicao.pt/habitar-famalicao

Habitar Famalicão é uma nova plataforma online que reúne toda a informação sobre os programas de apoio à habitação existentes a nível nacional e municipal. Alojada no portal oficial da autarquia disponível em www.famalicao.pt/habitar-famalicao, a plataforma reencaminha o utilizador de acordo com as suas necessidades para o apoio indicado.

DSC_9207.jpg

Assim, para além dos programas municipais da Casa Feliz que inclui apoio à renda e apoio a obras, e habitação municipal, a plataforma dá também acesso aos programas estatais de Arrendamento Acessível; Reabilitar para Arrendar e Porta 65 - Arrendamento Jovem.

Existem ainda apoios específicos no âmbito da Covid 19, nomeadamente para famílias que viram os seus rendimentos diminuir em consequência da pandemia.

Procurando melhorar as respostas habitacionais do município, a plataforma permite ainda uma participação ativa dos munícipes através da resposta de inquéritos que serão tidos em conta na estratégia local para a habitação.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, esta plataforma “funciona como uma espécie de guia completo sobre os apoios à habitação no concelho e no país. Todos os cidadãos têm direito a uma habitação condigna e através deste portal estamos a facilitar esse acesso”.

Habitar Famalicão é uma iniciativa dinamizada pelo município de Vila Nova de Famalicão em parceria com a Relatos Quotidianos-Associação que, em articulação com a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, irá contribuir para facilitar o acesso dos famalicenses a uma habitação condigna e a custo justo.

A iniciativa terá duas funções diferentes; por um lado, prestar apoio técnico a inquilinos e proprietários, por outro, facilitar o contacto entre o tecido social e a equipa de planeamento que vai desenvolver uma Estratégia Local de Habitação para o Município e um Programa Estratégico de Reabilitação Urbana para Riba d’Ave e Oliveira de São Mateus.

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO RENOVA PISOS DE BASQUETEBOL E TÉNIS DO PARQUE DA JUVENTUDE

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão está a reparar o pavimento dos campos de Basquetebol e de Ténis do Parque da Juventude, continuando assim a aposta na requalificação das infraestruturas desportivas existentes no espaço.

AFS_3362.jpg

A intervenção implica um investimento municipal na ordem dos 17 mil euros e deverá estar concluída, previsivelmente, ainda durante o mês de outubro.

A reparação do piso do campo de Basquetebol implica a instalação de uma superfície sintética versátil, confortável, antiderrapante, dúctil e de elevada resistência à abrasão e aos agentes atmosféricos.

Já no campo de Ténis está prevista a colocação de um novo piso sintético concebido especialmente para a prática da modalidade.

Construído em 1997, o Parque da Juventude é um espaço central da cidade famalicense que está localizado nas imediações do parque escolar e desportivo da cidade. Marcadamente urbano, o parque é composto por um relvado extenso e zona arborizada. Para além das valências desportivas e de lazer, os cafés e as esplanadas à volta do parque reforçam a sua vocação jovem.

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO ASSUME PROJETO PARA A REQUALIFICAÇÃO DA ESCOLA PADRE BENJAMIM SALGADO

Município celebrou acordo de cooperação técnica com o Ministério da Educação

Está dado o primeiro passo para a requalificação da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, de Joane, em Famalicão. A novidade foi tornada pública esta terça-feira, durante uma visita de trabalho do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, à escola da vila de Joane, onde anunciou a assinatura de um acordo de cooperação técnica com o Ministério da Educação que vai possibilitar o arranque do projeto de requalificação desta escola secundária.

AFS_3302.jpg

De acordo com o autarca, “este acordo de cooperação permite iniciar de imediato um trabalho com a escola e com os agentes educativos para que se construa um projeto de intervenção que lhe devolva as condições que todas as escolas devem ter, sabendo que ao longo dos anos esta escola não foi sendo contemplada em várias oportunidades de intervenção.”

O protocolo de cooperação já foi celebrado e autarquia irá começar em breve a desenvolver o projeto de intervenção, em colaboração com a escola e os agentes educativos.

Segundo o documento, compete ao município assegurar a elaboração dos projetos de arquitetura e das especialidades para a modernização do edifício e dos arranjos exteriores. Compete ainda ao município apresentar a candidatura para garantir o financiamento da empreitada. Aprovada a candidatura o município deverá assegurar a posição de dono da obra.

Para Paulo Cunha, “a perspetiva que temos é que está a chegar uma oportunidade e temos que estar preparados e devemos ter tudo pronto para que a obra tenha a intervenção que permita modernizá-la, adaptá-la aos novos contextos educativos, que traga as comodidades que são necessárias para que quem a frequente, quer ao nível dos alunos ou do corpo docente, seja bem-sucedido. Não queremos que esta escola fique de fora do comboio do desenvolvimento”, afirmou.

Para o diretor do Agrupamento, Alfredo Mendes, “esta obra é uma necessidade e um desejo de toda a comunidade educativa. Trata-se de um edifício de 1983, sem condições principalmente em termos térmicos, nem infraestruturas para a população de estudantes”. Segundo o professor “é necessário criar espaços modernos e adaptados à realidade tecnológica atual, mas também criar espaços exteriores cobertos que facilite a circulação”.

O edifício que pertence ao parque escolar do Ministério da Educação, conta já com 37 anos, nunca tendo beneficiado de qualquer obra de melhoramento. Atualmente, a escola conta com 1400 alunos que frequentam o 3.º ciclo e ensino secundário. Ao assumir a intervenção, o município possibilita assim, a concretização de uma necessidade que já leva alguns anos.

Refira-se que ainda recentemente a autarquia de Famalicão apresentou o projeto para a requalificação e modernização da EB de Ribeirão, uma obra que irá decorrer exatamente nas mesmas condições que a Escola Secundária Padre Benjamim Salgado.

Recorde-se que esta escola esteve recentemente em destaque no ranking nacional das escolas, apresentando-se como uma das 20 melhores escolas públicas, obtendo a melhor média do distrito de Braga.

AFS_3303.jpg

CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO ESTREIA "TALVEZ UM DIA"

"TALVEZ UM DIA" estreia esta sexta-feira na Casa das Artes

A Casa das Artes de Famalicão acolhe, esta sexta-feira, dia 25 de setembro, às 21h30, a estreia de "TALVEZ UM DIA", uma nova coprodução com a companhia Fértil Cultural e com o Teatro Diogo Bernardes, que esteve prevista para assinalar o Dia Mundial do Teatro 2020, mas que acabou por ser adiada dada a atual pandemia Covid-19.

DSC08480.JPG

O espetáculo, cujo ingresso custa 8 euros ou 4 euros para estudantes, portadores do Cartão Quadrilátero Cultural e seniores, repete no sábado, dia 26, à mesma hora.

"TALVEZ UM DIA" é uma criação de Rui Alves Leitão e apresenta um exercício que pretende explorar o conceito de esperança infinita, um padrão muito típico na sociedade oriental. Talvez Um Dia alguma coisa aconteça.

Assente numa linguagem poética, esta composição teatral pretende ser um espetáculo sensorial, emocional e de uma reflexão da existência humana. Sem que se chegue a nenhuma conclusão ou sem pretender qualquer alusão à moral, "Talvez Um Dia" pretende apenas um momento de questionamento mútuo entre o ator e o espetador. Remete para a ilusão de que tudo se resolverá por si, desresponsabilizando-nos dos nossos atos enquanto nos acudimos numa esperança infinita, invisível e incongruente. O problema está na culpa, que ninguém a quer.

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Texto e encenação Rui Alves Leitão

Interpretação Neusa Fangueiro e Tanya Ruivo

Cenografia Carlos Neves

Figurinos Filipa Carolina

Desenho de Luz Paulo Neto

Produção Executiva Ana de Sousa Vieira

Técnico César Cardoso

Fotografia Margarida Ribeiro

Vídeo Rúben Marques

Parceiro institucional República Portuguesa – Ministério da Cultura

Coprodução Fértil Cultural, Casa das Artes de Famalicão e Teatro Diogo Bernardes

Apoio Município de Famalicão, Município de Ponte de Lima, ENIF

Revista "Sigilo Público"

Para além desta estreia, é também dia 25 de setembro que a Fértil Cultural lança no campo editorial a revista "Sigilo Público". Depois do espetáculo, esta nova publicação é apresentada no Pequeno Auditório da Casa das Artes. Trata-se de uma edição que pretende ser um espaço de partilha de ideias e práticas artísticas, culturais e educacionais aliadas à arte, que almeja ocupar um lugar entre as escassas edições deste género.

DSC08475.JPG

FAMALICÃO TRAZ O CINEMA À CIDADE

CLOSE-UP aborda temática: Cinema na Cidade. Quinta edição decorre entre 10 e 17 de outubro na Casa das Artes de Famalicão

O pandemónio da presente pandemia afeta as relações sociais em todas áreas geográficas e demografias, mas é nos grandes aglomerados populacionais, nas urbes, que o medo é gerador de perplexidades e onde se revelam as mais díspares reações ao confronto ou convívio com um vírus que já mudou a nossa forma de viver.

close_up_2020_evento.jpg

A Cidade sempre se revelou um ecossistema onde florescem múltiplas temáticas que o Cinema trata e projeta no ecrã. É esta relação do Cinema/Cidade que o 5.º Episódio do Close-Up - Observatório de Cinema de Famalicão quer explorar assumindo como mote: Cinema na Cidade. Assim, esta quinta edição projeta-se orientada pelas relações do Cinema com a Cidade, no habitual encontro entre ficção e documentário, produção contemporânea e história do cinema.

O Close-Up, que decorre entre 10 e 17 de outubro, tem programadas 30 sessões em sala.

Os naturais destaques vão para a exibição de dois filmes-concerto, por Cristina Branco (The River de Frank Borzage) e Black Bombaim & Luís Fernandes (A Idade de Ouro de Buñuel), sendo este uma estreia.

Destaca-se ainda um programa dedicado à filmografia de Pedro Filipe Marques, incluindo uma carta branca ao realizador.

Outro dos destaques do programa de 2020 vai para um panorama em volta do mote desta edição – Cinema na Cidade – que inclui filmes de Wenders, João Pedro Rodrigues & Rui Guerra da Mata, Fellini e Alain Tanner, entre outros;

Atente-se ainda para as histórias do cinema do período mexicano de Luís Buñuel.

Tal como é habitual, a comunidade escolar tem preparado um conjunto de sessões que assinala, também, a passagem dos 75 anos do fim da Segunda Guerra Mundial.

As duas sessões para famílias contam com a mais recente produção da Pixar – “‘Bora Lá” – e uma produção japonesa da Studio Ponoc – “Mary e a Flor da Feiticeira”.

Reitera-se o privilégio do espectador do CLOSE-UP, de participar nas sessões comentadas que se estendem por todo o programa, com a presença de realizadores, críticos e programadores.

Bilheteira Sessões

Geral: 2 euros | Cartão quadrilátero: 1 euro | Entrada livre: estudantes, seniores, associados de cineclubes.

Bilheteira Filmes-concerto (Black Bombaim & Luís Fernandes / Cristina Branco)

Geral: 6 euros | Cartão quadrilátero, estudantes, seniores, associados de cineclubes: 3 euros

Bilheteira Sessões para Famílias

Geral: 2 euros | Cartão quadrilátero, estudantes, seniores, associados de cineclubes: 1 euro

Café Kiarostami (Foyer e Café-concerto): entrada livre

Toda a informação em www.closeup.pt www.casadasartes.org

a cidade branca.jpg

Black Bombaim & Luís Fernandes.jpg

FAMALICÃO ATRIBUIU SELOS VISÃO'25 A 34 PROJETOS INSPIRADORES

Entrega dos Selos acontece na próxima segunda-feira, 28 de setembro, na cerimónia comemorativa do Dia do Concelho

Trinta e quatro projetos promovidos no seio da comunidade famalicense vão ser distinguidos com o selo “Famalicão Visão’25” pela forma como têm contribuído para a valorização e afirmação do concelho de Vila Nova de Famalicão.

DSC_4797.jpg

A atribuição dos Selos Famalicão Visão’25 acontece pelo quinto ano consecutivo na próxima segunda-feira, dia 28 de setembro, na sessão solene comemorativa do 185.º aniversário do Dia do Concelho. A cerimónia decorrerá pelas 18h00, no adro da igreja de Vilarinho das Cambas, é de acesso restrito devido às limitações impostas pela pandemia da Covid-19 e será transmitida online, através do Facebook do Município de Famalicão, em www.facebook.com/municipiodevnfamalicao

<http://www.facebook.com/municipiodevnfamalicao> .

Este foi, de resto, o ano em que se registaram mais candidaturas – mais de meia centena - à  niciativa promovida anualmente pela autarquia liderada por Paulo Cunha.

Os projetos são integrados em quatro categorias. A categoria Famalicão Made IN abrange os projetos empreendedores que potenciam a incorporação ecnológica e a aplicação de soluções de futuro, desenvolvendo uma economia baseada no conhecimento e na inovação e que aumentam a competitividade e internacionalização. A categoria B -Smart Famalicão irá reconhecer os projetos que promovam uma economia mais eficiente na utilização dos recursos. A categoria Força V – Famalicão Voluntário inclui os projetos que reforçam o capital social presente nas práticas de intervenção e animação comunitária e impulsionam novos ambientes de participação e envolvimento ativo. Por fim, na categoria Famalicão Comunitário serão reconhecidos os projetos que promovam a corresponsabilização dos cidadãos e que se distingam enquanto rojetos coletivos, de cooperação e colaboração entre atores públicos e privados e potenciadores dos valores do futuro.

Alguns dos projetos premiados este ano surgiram e destacaram-se no âmbito do contexto pandémico. Ao todo serão entregues 8 selos na categoria “Famalicão Made IN”, 6 selos na categoria “B -Smart Famalicão”, 8 selos “Força V – Famalicão Voluntário” e 12 selos na categoria “Famalicão Comunitário”.

Recorde-se que a atribuição dos Selos Famalicão Visão’25 acontece pelo quinto ano consecutivo, tendo sido já reconhecidos mais de setenta projetos.

No fundo, o selo representa um prémio que identifica e reconhece as boas práticas com impactos positivos no território, na economia e na sociedade, que sejam inovadoras e inspiradoras, que expressem os valores e reforcem a identidade famalicense.

FAMALICÃO: II CICLO DE CONFERÊNCIAS DO MUSEU DA INDÚSTRIA TÊXTIL ARRANCA SÁBADO

Iniciativa está limitada a 25 participantes. As inscrições são gratuitas e obrigatórias e devem ser realizadas através do email: geral@museudaindustriatextil.org

No próximo sábado, 26 de setembro, arranca o II Ciclo de Conferências “Percursos e memórias da indústria na Bacia do Ave. Ciclo de conferências com visita guiada”. Depois do sucesso da primeira edição, a iniciativa está de regresso adaptando-se ao Plano de Contingência Municipal, limitando a participação nos eventos a 25 participantes. As inscrições são gratuitas e obrigatórias e devem ser realizadas através do email: geral@museudaindustriatextil.org.

Capturaraveind.PNG

A primeira conferência é dedicada ao tema “A importância dos rios para a atividade industrial em Vila Nova de Famalicão: um contributo histórico geográfico a partir dos trabalhos dos serviços hidráulicos” e tem como convidado Francisco Silva Costa, do Departamento de Geografia da Universidade do Minho. A conferência decorre pelas 15h00, na Central Hidroelétrica de Santa Rita, em Fafe.

No dia 21 de novembro, pelas 15h00, acontece a segunda conferência, com visita a Riba de Ave. Guilherme Pozzer da Universidade do Minho abordará o tema “A indústria da Memória: análise da construção simbólica da Sampaio, Ferreira e Companhia como património industrial de Riba de Ave”.

A última conferência, realiza-se a 12 de dezembro, também pelas 15h00, com a visita ao Hotelar Têxtil, instalada na antiga Fábrica de Fiação e Tecidos do Rio Vizela, em Negrelos, Vila das Aves. O coordenador cientifico do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, José Manuel Lopes Cordeiro abordará o tema “A evolução societária da Fábrica de Fiação e Tecidos do Rio Vizela no 175.º aniversário da sua fundação (1845-2020)”.

FAMALICÃO INVESTE NO ENSINO

Câmara de Famalicão investe cerca de 140 mil euros na oferta das fichas de trabalho. Oferta abrange um universo de mais de 3500 crianças do primeiro ciclo

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão investiu, neste ano letivo de 2020/2021, cerca 140 mil euros na oferta das fichas de trabalho a todas as crianças do concelho que frequentam o 1.º ciclo do ensino básico. A medida representa a aposta do munícipio na gratuitidade e igualdade da educação.

AFS_3010.jpg

No seguimento do progressivo empréstimo dos manuais escolares realizado pelo Ministério da Educação, o município de Vila Nova de Famalicão – pioneiro na oferta dos livros escolares ao 1º ciclo em 2002 – oferece agora os cadernos de atividades, mais conhecidos como fichas de trabalho, a todos os alunos do 1.º ciclo, permitindo que todas as crianças comecem o ano letivo em pé de igualdade.

Isso mesmo foi referido esta sexta-feira, pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, durante uma visita simbólica que efetuou ao Centro Escolar de Antas. Acompanhado pelo diretor do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, Carlos Teixeira e pelo vereador da Educação Leonel Rocha, o autarca salientou que “o municipio quer que as crianças tenham desde o primeiro dia de aulas as ferramentas que são necessárias para serem bem sucedidas”. E acrescentou: “A chegada à escola foi, este ano, diferente dos outros anos, mas nós queremos que com a oferta destas fichas dar um sinal às famílias, de que estamos aqui para ajudar e para as libertar deste encargo financeiro”.

Para Carlos Teixeira “esta medida representa um regresso aquilo que já existe em Famalicão há muitos anos e a que já estamos habituados primeiro com a oferta dos manuais e agora com as fichas de trabalho. Neste regresso à escola, ao fim de quase seis meses, com esta medida, as crianças e as famílias percebem que, na medida do possível, a escola continua e vai continuar a dar-lhes todas as condições para a sua aprendizagem”.

AFS_2998.jpg

AFS_2980.jpg

VILA NOVA DE FAMALICÃO REGISTA PERTURBAÇÃO NO SERVIÇO DE TRANSPORTES ESCOLARES

No processo de preparação do ano letivo 2020/2021, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão procedeu, como habitual, à articulação do serviço de transporte público de passageiros com os Agrupamentos de Escola e as empresas do setor que operam no concelho e possuem licença de concessão.

DSC_5496.JPG

O processo foi ajustado, em termos de horários e de percursos, para dar cabal resposta às necessidades dos alunos e das famílias, no pressuposto do cumprimento da universalidade da gratuitidade dos passes escolares que se verifica em Famalicão, com a autarquia a assumir, como no ano anterior, a totalidade do pagamento dos passes a todos os alunos do concelho, desde o ensino básico até ao 12.º ano. Uma medida que abrange cerca de 5 mil alunos famalicenses num investimento total de 1,9 milhões de euros por ano.

Contudo, no primeiro dia do ano letivo, a Câmara Municipal e a comunidade escolar foram confrontadas com o incumprimento por parte da empresa de transportes ARRIVA de percursos e horários articulados, sem que esta tenha dado conhecimento ao município e às escolas de eventuais alterações. A situação originou graves constrangimentos no serviço prestado, tendo prejudicado alunos e famílias de Famalicão.

Perante esta inadmissível situação, a Câmara Municipal exigiu de imediato explicações à empresa, tendo recebido, hoje, sexta-feira, 18 de setembro, o reconhecimento do incumprimento por parte desta e a garantia da imediata normalização do serviço prestado.

A Câmara Municipal vai estar muito atenta a esta situação e não vai deixar de utilizar todos os meios ao seu alcance para que o serviço de transporte público rodoviário decorra com a normalidade habitual e da forma que foi articulado entre empresas, escolas e autarquia. A regularidade do serviço é uma exigência absoluta da Câmara Municipal para com as empresas responsáveis. Por isso, o Município não deixará de pedir responsabilidades à empresa pela grave situação provocada no primeiro dia de aulas.

FAMALICÃO ASSOCIA-SE ÀS JORNADAS EUROPEIAS DO PATRIMÓNIO

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai associar-se às Jornadas Europeias do Património 2020, que decorrem nos dias 25, 26 e 27 de setembro e que este ano estão subordinadas ao tema Património e Educação.

No dia 25, ficará patente através do portal www.famalicaoid.org, a exposição “A minha escola tem história” dedicada aos edifícios escolares de instrução primária do concelho, com destaque para os que foram construídos no âmbito do "Plano dos Centenários". A mostra será constituída por material documental, fotográfico e gráfico sobre cada escola.

Ainda no dia 25, irá decorrer entre as 10h00 e as 15h00, visitas orientadas à Casa-Museu Soledade Malvar.

No dia 26, ficará disponível online a exposição “Tempo, Espaço e Ser”, também através do portal www.famalicaoid.org, permitindo ao visitante a realização de uma visita virtual através da leitura dos painéis, dos registos fotográficos dos objetos, da visualização dos documentários, entre outros elementos expostos.

Entretanto, entre 25 e 27 de setembro, através do facebook da Rede de Museus de Famalicão, em https://www.facebook.com/rededemuseusdevilanovadefamalicao, o município preparou um desafio para que, em família, se divirtam na companhia de todos os museus de Famalicão e coleções visitáveis, através da iniciativa “Pensar fora da Caixa”.

Refira-se que as Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia que envolve mais de 50 países, no âmbito da sensibilização dos povos europeus para a importância da salvaguarda do Património. Neste sentido, cada país elabora anualmente um programa de atividades a nível nacional acessível ao público gratuitamente