Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO: ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DAS LAMEIRAS QUER DEIXAR "MARC@S" NA COMUNIDADE

Instituição venceu quarta edição do concurso “Programar em Rede”, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

“Marc@as, Intervenção pela Arte & Cultura - Pela Coesão Comunitária” é o título do novo projeto da Associação de Moradores das Lameiras (AML) que venceu a edição deste ano do concurso “Programar em Rede”, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão com o objetivo de colocar vários agentes culturais do concelho a trabalharem em rede no sentido de cativarem os famalicenses e atraírem turistas ao concelho.

Em 2017, a grande vencedora foi _A Casa ao Lado_ com o projeto _Traço_.JPG

O projeto promovido em parceria com a Academia Contemporânea do Espetáculo de Famalicão – ACE, com a empresa Arga Tintas, A Casa ao Lado e os pelouros do Desenvolvimento Integrado e da Cultura da Câmara Municipal tem como objetivo trabalhar a coesão comunitária, através da arte e da cultura, envolvendo todas as Comissões Sociais Interfreguesias do concelho numa dinâmica de “provocação positiva” da comunidade, espelhando para o exterior valores, causas ou projetos que cada CSIF tem vindo a trabalhar. O projeto “Marc@as” irá envolver os vários agentes culturais do concelho na concretização deste projeto que se diferencia pela inovação e criatividade, pela capacidade de articulação de meios, pela mobilização de público e pela sua descentralização.

Através da arte e da cultura pretende-se assim promover a reflexão e introspeção em cada cidadão sobre as diferentes mensagens que serão transmitidas através da arte, seja uma pintura mural, uma escultura ou até mesmo de uma curta-metragem.

A Associação de Moradores das Lameiras irá agora receber uma verba que poderá chegar aos dez mil euros para concretizar, em 2020, este projeto cultural e artístico.

A AML foi a grande vencedora do projeto municipal, tendo arrecadado 12 votos, em 19 possíveis. Em segundo lugar, ficou a PASEC-Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais, com o projeto “Cenários ADN”, com sete votos. A votação decorreu durante o no último Conselho Municipal da Cultura.

Recorde-se que a iniciativa “Programar em Rede” arrancou em 2016, com a Fundação Cupertino de Miranda a arrecadar o prémio com o projeto cultural "Museus Ilustrados em Rede". Em 2017, a grande vencedora foi “A Casa ao Lado” com o projeto de arte urbana intitulado “Traço”. Em 2018, o projeto da Associação Dar As Mãos foi o eleito com a poesia a invadir a cidade.

VILA NOVA DE FAMALICÃO VAI TER UM HOTEL ASSISTENCIAL

Roteiro da Inovação revela características únicas de novo empreendimento hoteleiro no concelho, sexta-feira, 13 de dezembro, na Casa das Artes

Não é apenas mais um Hotel que vai nascer em Vila Nova de Famalicão. O Campus de Fiães Assited Living Hotel é um empreendimento hoteleiro inovador que vai nascer na freguesia de Gondifelos adicionando ao conforto do alojamento a vertente assistencial especializada em áreas como a enfermagem, fisioterapia, psicologia entre outras especialidades médica.

hotel campus fiaes.jpg

As características únicas deste novo equipamento, que vai começar a ser construído em 2020 mediante um investimento global de três milhões de euros, com financiamento aprovado pela Turismo de Portugal, vão ser conhecidas  na próxima sexta-feira, 13 de dezembro, pelas 10h30, no Café-Concerto da Casa das Artes, no âmbito do roteiro pela Inovação de Vila Nova de Famalicão, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.  

A construção será desenvolvida num terreno localizado em Gondifelos com uma área aproximada de 33000 m2. O Campus de Fiães, Saúde & Bem-Estar será um empreendimento constituído por um edifico principal com cerca de 2000 m2 e por 10 casas modulares autónomas, implementadas numa zona verde circundantes ao edifício principal, totalmente equipadas e integradas no conceito sustentável desenvolvido pela arquitetura e engenharias.

SERRALVES MOSTRA ÂNGELO DE SOUSA A PARTIR DA CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO

“Ângelo de Sousa: Quase tudo o que sou capaz” para ver até dia 29 de fevereiro

A presença da obra de Ângelo de Sousa (1938-2011) na Casa das Artes de Famalicão está estampada nos corredores deste espaço cultural. A par das figuras decorativas que cedeu à Casa das Artes, os famalicenses podem agora apreciar uma nova coleção de obras da autoria do artista, considerado um dos mais importantes da segunda metade do Século XX em Portugal.

DSC_1897 (1).jpg

Até ao dia 29 de fevereiro, a Fundação de Serralves apresenta no principal espaço cultural de Famalicão a exposição “Ângelo de Sousa: Quase tudo o que sou capaz”, com um conjunto de obras, de vários períodos da sua carreira, de pintura, escultura e desenho que “pretendem sublinhar os paralelismos entre meios artísticos na obra do artista e a importância da contaminação entre aquelas disciplinas para a evolução da sua prática artística”.

A mostra foi inaugurada esta terça-feira, dia 10 de dezembro, com a presença do vereador da Cultura do município, Leonel Rocha, e da presidente do Conselho de Administração da Fundação de Serralves, Ana Pinho.

“Serralves tem várias obras de Ângelo de Sousa na sua coleção e mostrar o seu trabalho na Casa das Artes é uma forma dos visitantes voltarem a encontrar-se com as suas obras e perceberem o seu contexto”, referiu Ana Pinho. 

“Esta exposição é uma feliz combinação das obras da nossa coleção que complementam as obras que estão em permanência na Casa das Artes instaladas pelo próprio Ângelo de Sousa”, acrescentou ainda.

O responsável pelo pelouro da Cultura da Câmara de Famalicão, Leonel Rocha, realçou a aposta do município na criação de novos públicos nas mais diversas áreas artísticas, nomeadamente nas artes plásticas, enaltecendo nesse sentido a importância de parcerias estabelecidas com instituições como Serralves.

Refira-se que Ângelo de Sousa nasceu, em 1938, na cidade de Lourenço Marques, atual Maputo, Moçambique. O artista faleceu na sua casa no Porto, a 29 de março de 2011, com 73 anos de idade.

É considerado uma das figuras mais influentes da arte portuguesa da segunda metade do século XX e é um dos artistas melhor representados na Coleção de Serralves, com trabalhos realizados entre os anos 1961 e 2002, e que abarcam todos os meios artísticos a que ele se dedicou ao longo da sua prolífica carreira: desenho, pintura, escultura, instalação, filme e fotografia.

Recorde-se ainda que com a celebração do acordo de adesão do município de Vila Nova de Famalicão ao Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves, em 2016, iniciou-se uma relação de cooperação entre estas duas instituições, baseada num projeto integrativo de promoção e divulgação cultural e ambiental.

A entrada na exposição é livre.

DSC_1847.jpg

DSC_1861.jpg

FAMALICÃO DEBATE ARQUEOLOGIA

Casa do Território com ciclo de conferências sobre a arqueologia de Famalicão

A Casa do Território, em Vila Nova de Famalicão, acolhe esta sexta-feira, dia 13 de dezembro, a primeira conferência do ciclo “Arqueologia de Famalicão: Património arqueológico e questões de identidade”, promovido pela Câmara Municipal no âmbito do programa de atividades da exposição “6 Mil – das origens a Famalicão”, patente neste espaço até janeiro de 2020.

Ciclo de conferências decorre no âmbito da exposição '6 Mil – das origens a Famalicão'.jpg

A iniciativa decorrerá a partir das 18h00 e contará com as intervenções de Armando Coelho, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), sobre “As origens do povoamento e a organização primordial do território”, e de Rui Morais, também docente da FLUP, com o tema “Nas margens de Bracara Augusta: A cidade e o campo”.

Refletir sobre alguns aspetos fundamentais da singularidade do território concelhio de Vila Nova de Famalicão, observando os antecedentes pré-históricos que assinalam as origens do seu povoamento, e enaltecer a importância dos museus de arqueologia para o entendimento das questões de identidade nacional, regional e local, são alguns dos objetivos deste ciclo de conferências.

A entrada na conferência é livre e gratuita.

Recorde-se que a exposição “6 Mil - das origens a Famalicão”, patente na Casa do Território, convida a uma viagem pela história do território de Vila Nova de Famalicão, retratando a evolução do território desde os primeiros vestígios da presença humana até à Idade Média.

FAMALICÃO EVOCA JÚLIO BRANDÃO

Exposição dedicada a Júlio Brandão está patente na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco de Vila Nova de Famalicão tem patente até 4 de janeiro a exposição dedicada a “Júlio Brandão: Recordações dum velho poeta|150 anos do nascimento”. A mostra está inserida no programa comemorativo dos 150 anos do nascimento de Júlio Brandão, que o município está a assinalar. Júlio Brandão, ilustre poeta, cronista, crítico literário, crítico de arte, publicista, dramaturgo, jornalista, professor e museólogo, nasceu a 9 de agosto de 1869, na rua de Santo António, no coração da cidade famalicense.

Exposição Júlio Brandão.jpg

Entre as várias homenagens à memória de Júlio Brandão, promovidas e apoiadas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, a título póstumo, destacam-se a atribuição do seu nome a uma escola do centro da cidade, a Escola Básica Júlio Brandão; a homenagem promovida em 1950 pela Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, com a instalação de uma glorieta em granito e bronze no topo norte do Parque 1º de Maio, e as comemorações do centenário do seu nascimento, através do denominado “Ciclo Comemorativo do 1º Centenário do nascimento do Escritor e Poeta Júlio Brandão, em agosto de 1969.

Entre outras mais recentes, enquadradas agora nas comemorações dos 150 anos sobre o seu nascimento, destacam-se a colocação de uma placa identificativa na rua onde nasceu, a Rua de Santo António, e uma intervenção artística comemorativa no mural da fachada da escola de que é patrono, a Escola Básica Júlio Brandão.

Refira-se que na inauguração da exposição que decorreu no passado sábado, a Biblioteca Municipal lançou a edição comemorativa fac-similada da obra poética da autoria de Júlio Brandão “O Livro de Aglaïs”.

FAMALICÃO APRESENTA OBRA DE BERNARDINO MACHADO

Novo volume da obra política de Bernardino Machado é apresentado sexta-feira

O Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, vai lançar na próxima sexta-feira, 13 de dezembro, pelas 18h00 o tomo VII (2ª Parte) da Obra Politica de Bernardino Machado. A iniciativa tem entrada livre e gratuita e todos os presentes irão receber a oferta do livro.

Obra de Bernardino Machado.jpg

Este volume da Obra Politica de Bernardino Machado mostra um dos períodos menos conhecidos do seu percurso politico, ou seja, o que decorre entre 1921 e 1926. Durante esse período, Bernardino Machado chefiou, durante alguns meses, um Governo trans-partidário (que foi derrubado em Maio de 1921, através de um golpe militar) e exerceu o seu segundo e último mandato presidencial (1925-1926), interrompido pelo Golpe Militar do 28 de maio de 1926 que o conduziu a um segundo, doloroso e longo exílio político (1927-1940). Este é, certamente, um dos mais interessantes volumes da sua Obra Politica.

Apresentação:

Prof. Doutor Norberto Cunha – Coordenador Científico do Museu Bernardino Machado

Local: Sala Júlio Machado Vaz, Museu Bernardino Machado

Data: 13 de dezembro, 6ª feira

Horário: 18h

PAI NATAL ESTÁ EM FAMALICÃO NA CABANA SOLIDÁRIA

Pai Natal instala-se na Cabana Solidária para receber prendas

A chuva que caiu neste domingo não impediu que o Pai Natal chegasse até Vila Nova de Famalicão, onde vai ficar até ao dia 24 de dezembro, num sítio que os famalicenses conhecem bem: a Cabana Solidária, montada na Praça 9 de Abril.

image62579.jpeg

É aqui que o Pai Natal e os seus duendes se vão instalar, não para dar, mas sim para receber os presentes solidários dos famalicenses, que voltam a ser desafiados pela Câmara Municipal, através do pelouro da Família, a doarem géneros alimentares e de higiene que depois serão distribuídos pelas famílias carenciadas do concelho, através da Loja Social de Famalicão.

Até ao dia 24 são várias as instituições e escolas do concelho que vão passar pela Cabana Solidária para entregar presentes, mas também para animar o espaço com a dinamização de espetáculos de música e teatro.

É o caso, por exemplo, da Escola Básica Conde S. Cosme, no dia 13, da Escola de Teatro ACE, no dia 16, da Escola Básica de Quintão, de Arnoso de Santa Eulália, no dia 17, e da Didáxis e do Centro Social de Requião, ambos no dia 18.

Recorde-se que a Cabana Solidária está aberta todos os dias até 24 de dezembro, entre as 10h00 e as 12h30 e as 14h30 e as 18h00.

A Cabana Solidária é uma das muitas atrações da época natalícia em Vila Nova de Famalicão, a juntar ao Mercado de Natal, à Pista de Gelo, ao Circo de Papel, ao espetáculo multimédia, entre outras.

Mais informações e programa completo em www.famalicao.pt/_natal_2019 

image62567.jpeg

FAMALICÃO: CENTRO COLIBRI INTEGROU PROJETO CREATIVE VILLAGE

O CENTRO COLIBRI, um projeto fundado por Dânia Miranda, integrou o projeto Creative Village, promovido pela Associação Famílias, tendo o apoio versado essencialmente na elaboração do plano de negócios e no desenho da estratégia de marketing.

Centro Colibri.jpg

O CENTRO COLIBRI dedica-se à prestação de serviços especializados e personalizados para adultos e seniores. O objetivo dos serviços prestados é conferir um maior grau de funcionalidade, autonomia e, subsequentemente, qualidade de vida, aos seus destinatários. Assim sendo, o CENTRO COLIBRI tem como missão primordial a promoção do envelhecimento saudável e ativo, bem como o favorecimento da participação da pessoa na sociedade.

O CENTRO COLIBRI disponibiliza quatro serviços: Programas Terapêuticos (Os programas terapêuticos dirigem-se a situações especificas do envelhecimento e podem ser desenvolvidos de forma individual, de um modo personalizado, ou em grupo, com sessões pré-definidas); Consultas Especializadas (Psicologia Clínica, Nutrição e Avaliação Neuropsicológica), Terapias Complementares (Reiki, Shiatsu e Naturopatia) e Loja de Ajudas Técnicas e Produtos de Apoio.

A realização de protocolos e parcerias deixa transparecer a dimensão do Centro, bem como o reconhecimento do mesmo por parte de entidades prestigiadas e de renome nacional, nomeadamente do Automóvel Clube de Portugal (ACP), da Associação Nacional de Esclerose Múltipla (ANEM), do Sindicato de Professores da Zona Norte (SPZN) e dos Serviços Sociais da GNR.

NOVA REDE DE TRANSPORTES AVANÇA NA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO

Área Metropolitana do Porto dá luz verde à criação de rede de transportes entre Famalicão, Santo Tirso e Trofa. Nova rede de transportes intermunicipal tem luz verde para avançar

A Área Metropolitana do Porto (AMP) aprovou na última sexta-feira,  por unanimidade, o memorando de entendimento sobre as linhas intermunicipais que atravessam concelhos de Famalicão, Santo Tirso e Trofa e que possibilita a constituição de uma rede de transportes entre os três municípios. A CIM do Ave já havia dado luz verde à pretensão dos três municípios que avançaram para a criação da MobiAve.

DSC_2321.JPG

A Associação de Municípios MobiAve vai gerir a rede de transportes públicos rodoviários dos concelhos de Santo Tirso, Vila Nova de Famalicão e Trofa, dando corpo a um projeto que começou a ganhar forma em 2017 e cujos responsáveis autárquicos acreditam que vai contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população, contribuindo para o aumento da utilização dos transportes públicos em detrimento de viatura própria.

A nova rede de transportes públicos intermunicipal, que será gerida pela MobiAve, foi alvo de um estudo de planeamento sobre a mobilidade de passageiros na área territorial dos três concelhos, tendo em vista a organização de futuras concessões de serviço público de transporte à população, que terá uma população estimada em cerca de 250 mil habitantes para servir.

O Presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, participou como observador convidado na reunião da AMP e agradeceu o voto de confiança, sublinhando que o projeto em causa vai representar uma melhoria das condições de acessibilidades para os habitantes não só daqueles três municípios, como também dos que diariamente se descolam para aquele território por motivos profissionais.

DSC_2344.JPG

FAMALICÃO INAUGURA REABILITAÇÃO DE ESCOLA EM RIBA DE AVE

Paulo Cunha e Susana Pereira inauguraram obra emblemática para a Vila. Escola do 1.º Ciclo de Riba de Ave renasce com excelentes condições de conforto e modernidade

A recuperação da escola básica de Riba de Ave não foi um processo fácil, nem tão pouco unânime. O edifício, de plano centenário, que se encontrava em avançado estado de degradação foi totalmente reabilitado e ampliado, através de um investimento superior a 500 mil euros, tendo sido cofinanciado pelo NORTE 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

image62597 (1).jpeg

“Aquilo que para muitos seria impossível e para outros não passava de um sonho está concretizado e à vista de todos”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, este sábado, na inauguração das obras de reabilitação da escola, que contou com a participação das crianças e de toda a comunidade educativa.

A persistência dos responsáveis e a força da vontade política na execução da obra foram, de resto, as ideias mais vincadas na cerimónia que contou ainda com as presenças da presidente de Junta de Riba de Ave, Susana Pereira, e do diretor do Agrupamento de Escolas de Pedome, Fernando Lopes.

Paulo Cunha admitiu que a concretização desta obra foi “um processo difícil”, mas muito importante para o sucesso educativo desta comunidade. “Trata-se de uma resposta que surge em contraciclo marcado pelo desaparecimento de outros estabelecimentos de ensino em Riba d’Ave. Temos uma escola mais capaz e que está lotadíssima, o que significa que a comunidade merece e precisa desta escola”, salientou o autarca.

Por outro lado, Paulo Cunha mostrou-se satisfeito pelo facto do projeto ter conseguido respeitar o tempo e a história da escola em termos arquitetónicos. “Fizemos uma escola nova, mas não destruímos a antiga”.

Em relação às grandes intervenções no parque escolar concelhio, o autarca famalicense reconhece que  especialmente ao nível do ensino básico, “estão a terminar”, garantindo, no entanto, que a autarquia vai proceder a partir de agora a uma “manutenção muito atenta, muito diligente, para que as escolas não voltem ao estado em que estavam há uns anos”.

Também Susana Pereira sublinhou a importância que esta escola tem para a vila de Riba de Ave, sobretudo numa altura em que a localidade viu esvaziar muitas ofertas educativas. “Felizmente o nosso presidente reconheceu isso e atendeu aos nossos pedidos”, diz.

O diretor do Agrupamento de Pedome, ao qual a escola pertence, referiu que esta obra nasceu da “vontade política” de restituir a dignidade a uma escola que estava condenada a fechar.

Refira-se que a escola que beneficiou de uma profunda remodelação abriu portas no terceiro período do ano letivo 2018/2019. Com um investimento superior a 500 mil euros, as obras implicaram uma ampliação com a criação de mais duas salas, passando para oito. Foi ainda construída uma sala de apoio, biblioteca, sala de professores e recreio coberto. Os arranjos exteriores contemplaram também um espaço desportivo com relva sintética.

image62591 (1).jpeg

RIBA DE AVE RECLAMA ENSINO PÚBLICO SECUNDÁRIO

 

A presidente da Junta de Freguesia de Riba de Ave aproveitou a cerimónia para voltar a reivindicar a necessidade da vila ter oferta de ensino público até ao 12.ºano.

Paulo Cunha e Susana Pereira inauguraram obra emblemática para a Vila

Escola do 1.º Ciclo de Riba de Ave renasce com excelentes condições de conforto e modernidade

A recuperação da escola básica de Riba de Ave não foi um processo fácil, nem tão pouco unânime. O edifício, de plano centenário, que se encontrava em avançado estado de degradação foi totalmente reabilitado e ampliado, através de um investimento superior a 500 mil euros, tendo sido cofinanciado pelo NORTE 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

“Aquilo que para muitos seria impossível e para outros não passava de um sonho está concretizado e à vista de todos”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, este sábado, na inauguração das obras de reabilitação da escola, que contou com a participação das crianças e de toda a comunidade educativa.

A persistência dos responsáveis e a força da vontade política na execução da obra foram, de resto, as ideias mais vincadas na cerimónia que contou ainda com as presenças da presidente de Junta de Riba de Ave, Susana Pereira, e do diretor do Agrupamento de Escolas de Pedome, Fernando Lopes.

Paulo Cunha admitiu que a concretização desta obra foi “um processo difícil”, mas muito importante para o sucesso educativo desta comunidade. “Trata-se de uma resposta que surge em contraciclo marcado pelo desaparecimento de outros estabelecimentos de ensino em Riba d’Ave. Temos uma escola mais capaz e que está lotadíssima, o que significa que a comunidade merece e precisa desta escola”, salientou o autarca.

Por outro lado, Paulo Cunha mostrou-se satisfeito pelo facto do projeto ter conseguido respeitar o tempo e a história da escola em termos arquitetónicos. “Fizemos uma escola nova, mas não destruímos a antiga”.

Em relação às grandes intervenções no parque escolar concelhio, o autarca famalicense reconhece que  especialmente ao nível do ensino básico, “estão a terminar”, garantindo, no entanto, que a autarquia vai proceder a partir de agora a uma “manutenção muito atenta, muito diligente, para que as escolas não voltem ao estado em que estavam há uns anos”.

Também Susana Pereira sublinhou a importância que esta escola tem para a vila de Riba de Ave, sobretudo numa altura em que a localidade viu esvaziar muitas ofertas educativas. “Felizmente o nosso presidente reconheceu isso e atendeu aos nossos pedidos”, diz.

O diretor do Agrupamento de Pedome, ao qual a escola pertence, referiu que esta obra nasceu da “vontade política” de restituir a dignidade a uma escola que estava condenada a fechar.

Refira-se que a escola que beneficiou de uma profunda remodelação abriu portas no terceiro período do ano letivo 2018/2019. Com um investimento superior a 500 mil euros, as obras implicaram uma ampliação com a criação de mais duas salas, passando para oito. Foi ainda construída uma sala de apoio, biblioteca, sala de professores e recreio coberto. Os arranjos exteriores contemplaram também um espaço desportivo com relva sintética.

A autarca recordou que Riba de Ave perdeu recentemente duas escolas, o Externato Delfim Ferreira e a Didáxis, devido ao fim dos contratos de associação que mantinham com a tutela pelo que a vila não dispõe atualmente de uma oferta pública ao nível do ensino secundário. “É a minha próxima luta. Já não discutimos os contratos de associação, mas a necessidade de termos a escolaridade obrigatória até ao 12.º ano que é premente”, afirmou Susana Pereira, acrescentando que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão tem trabalhado nesse sentido com a direção do Agrupamento de Escolas de Pedome, as juntas de freguesias vizinhas, como coma tutela. “Agora que temos uma escola do 1.º ciclo digna, gostávamos que o ensino continuasse até ao 12.º ano como aconteceu durante décadas”, continuou a presidente da junta, acrescentando que tudo está dependente “da vontade política”.

Paulo Cunha foi de encontro à reivindicação de Susana Pereira e deixou também a garantia de que a câmara municipal tem deixado junto do Ministério da Educação o compromisso de cooperar e ajudar a criar condições para que a oferta ao nível do ensino secundário seja uma realidade.

“Espero que tanto quanto a câmara municipal e a junta de freguesia, o Ministério da Educação e o governo no seu todo queira criar condições para que Riba de Ave volte a ter a preponderância que teve e que é merecida ao nível dos seus ciclos obrigatórios até ao ensino secundário”, disse Paulo Cunha.

image62609.jpeg

CLÍNICA OLDCARE EM FAMALICÃO ENSINA A CONSTRUIR ENFEITES DE NATAL

Workshop gratuito no sábado, dia 14, em Famalicão

A clínica Oldcare – Saúde e Bem-Estar promove no próximo sábado, dia 14, um workshop gratuito para ensinar as pessoas a fazer enfeites para decorar a casa neste Natal. A atividade será realizada nas instalações da Oldcare, na Rua de Ernesto de Carvalho, em Vila Nova de Famalicão.

Clínica Oldcare _ Rua Ernesto Carvalho _ VNF (1).jpg

O convite é aberto a toda a comunidade e a pessoas de todas as idades. “O objetivo é unir as famílias em torno das comemorações de uma quadra festiva de grande significado para todos”, explica a Susana Dias, diretora geral da clínica Oldcare, salientando que as festas de Natal e de fim de ano são familiares por excelência. Assim, com esta iniciativa, a Oldcare assumer o papel de ponte para encontros intergeracionais.

No workshop, a equipa da Oldcare irá partilhar técnicas simples e fáceis de fazer para construir, com as próprias mãos, adornos para a quadra natalícia: minipinheiros, velas aromáticas, enfeites para o pinheiro, etc.

Os materiais utilizados serão, preferencialmente, reaproveitados e reutilizáveis, colocando em prática conceitos importantes para a preservação do meio ambiente como a sustentabilidade e a reciclagem, evitando o consumismo e o desperdício.

A participação no workshop é gratuita e necessita de inscrição prévia. Para mais informações, deve contactar a Oldcare – Saúde e Bem-Estar através do telemóvel 919 394 371 ou do e-mail famalicao@oldcare.pt.

PSD DE FAMALICÃO CRIOU ROTINA DE REFLEXÃO E DEBATE SEMANAL

Iniciativa que arrancou em outubro tem atraído a comunidade para a reflexão e para o debate

Desde outubro que as segundas-feiras são dias de debate e reflexão na sede do Partido Social Democrata de Vila Nova de Famalicão, reunindo todas as semanas, entre as 21h00 e as 22h00, várias dezenas de pessoas em torno de um tema atual e pertinente.

PHOTO-2019-11-25-21-18-37.jpg

Ao todo, realizaram-se já nove tertúlias da iniciativa “Segundas na Sede” onde foram abordados temas tão diversos como a saúde; a degradação dos serviços públicos; o marketing, os salários, a violência, entre muitos outros. “É já uma rotina que dá o arranque à semana de trabalho, que envolve e mobiliza os cidadãos para comunidade e para a participação cívica”, refere a propósito o presidente da Comissão Política Concelhia, Paulo Cunha, que traça um balanço “muito positivo da iniciativa que tem conseguido conquistar várias franjas da sociedade famalicense”.

A iniciativa tem envolvido as quatro secções do PSD local (ASD – Autarcas Social Democratas, JSD – Juventude Social Democrata, MSD – Mulheres Social Democratas, e TSD – Trabalhadores Social Democratas), na organização alternada dos debates.

A Prevenção da Violência dá o mote para a conversa desta segunda-feira, 9 de dezembro, com a presença da coordenadora da Associação Projeto Gritar, Drª Susana Vilarinho. Depois, o Segundas na Sede regressa no dia 13 de janeiro de 2020, depois de uma pausa natalícia, com novos temas e novos contributos.

“No partido Social Democrata, estamos habituados a preparar os embates eleitorais de uma forma positiva, construtiva e através da força das nossas ideias. Queremos ouvir ao máximo a nossa comunidade, para continuarmos a sermos o partido com melhores condições para governar Vila Nova de Famalicão”, adianta ainda Paulo Cunha.

Segundas na Sede.jpg

PAULO CUNHA INAUGURA OBRAS DA ESCOLA DO 1º CICLO DE RIBA DE AVE

Sessão decorre amanhã, sábado, 7 de dezembro, pelas 10h45

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, inaugura amanhã, sábado, 7 de dezembro, pelas 10h45, as obras de requalificação da Escola do 1.º ciclo de Riba de Ave.

A escola que beneficiou de uma profunda remodelação abriu portas no terceiro período do ano letivo 2018/2019. Com um investimento superior a 500 mil euros, as obras implicaram uma ampliação com a criação de mais duas salas, passando para oito. Foi ainda construída uma sala de apoio, biblioteca, sala de professores e recreio coberto. Os arranjos exteriores contemplaram também um espaço desportivo com relva sintética.

O projeto foi cofinanciado pelo NORTE 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

COROS COMUNITÁRIOS ANIMAM NATAL EM FAMALICÃO

Concertos decorrem todos os domingos até 5 de janeiro, no Mercado de Natal

Até 5 de janeiro, os coros de Natal vão fazer-se ouvir em Vila Nova de Famalicão, levando magia e emoção ao centro da cidade com dez concertos verdadeiramente extraordinários. A iniciativa “Comunidades (en) Coro” decorre no Mercado de Natal, localizado na Praça D. Maria II e envolve no total perto de meio milhar de participantes, divididos em dez grupos representativos de cada uma das Comissões Sociais Inter-Freguesias do concelho.

AFS_8855.jpg

A iniciativa que arrancou no domingo dia 1 de dezembro, decorre todos os domingos até 5 de janeiro com dois concertos, pelas 16h00 e pelas 17h00. Na última semana, irá realizar-se uma atuação conjunta reunindo todos os participantes num enorme Coro Famalicão Comunitário.

Os coros são constituídos por pessoas das diversas freguesias que foram desafiadas a cantar através do programa Famalicão Comunitário promovido pela Câmara Municipal de Famalicão. Os vários grupos estão a ser orientados por pessoas do próprio território, sendo que o Coro Famalicão Comunitário será dirigido pelo maestro Keith Horsfall.

Keith Horsfall é um músico e professor, envolvido na educação artística há mais de 30 anos. Apresenta uma vasta experiência como coordenador de um serviço regional de música, em Dudley, Inglaterra, como dirigente de uma equipa de artes da comunidade e de um centro de artes regional. É o atual presidente do Conselho de Artes de Dudley e também de uma estação de rádio comunitária.

Os ensaios decorrem até às datas dos concertos e são abertos a todos os que gostam de cantar.

Programa

1 de Dezembro

15h30 – CSIF Bairro, Carreira Bente, Delães, Ruivães, Novais

16h00 – CSIF de Vale D’ Este - Arnoso Sª Maria, Sª Eulália, Sezures, Lemenhe, Mouquim, Jesufrei, Nine

8 de Dezembro

16h00 – CSIF de Fradelos, Ribeirão, Vilarinho das Cambas

17h00 – CSIF de Castelões, Oliveira Sª Maria, Oliveira S. Mateus, Pedome e Riba d’Ave

15 de Dezembro

16h00 – CSIF de Avidos, Lagoa, Landim e Seide

17h00 - CSIF de Gondifelos, Cavalões, Outiz, Louro

22 de Dezembro

16h00 – CSIF LEC - Lousado, Esmeriz e Cabeçudos

17h00 – CSIF De Vale do Pelhe - Cruz, Requião, Vale S. Cosme, Telhado, Portela e Vale S. Martinho

29 de Dezembro

16h00 – CSIF da Área Urbana - Antas, Abade Vermoim, Brufe, Famalicão, Calendário e Gavião

17h00 – CSIF de Joane, Mogege, Pousada de Saramagos e Vermoim

5 de Janeiro

16h00 – Atuação CORO FAMALICÃO COMUNITÁRIO

AFS_8856.jpg

MUSEU DA INDÚSTRIA TÊXTIL LANÇA COLEÇÃO MONOGRÁFICA "ARQUEOLOGIA INDUSTRIAL"

Conferência com visita realiza-se no próximo dia 14 de dezembro, pelas 14h30. A participação é gratuita

Depois do sucesso das últimas conferências do ciclo “Percursos e memórias da indústria na Bacia do Ave”, promovido pelo Museu da Indústria Têxtil, que tem levado os participantes a percorrer alguns dos marcos históricos do cluster têxtil da região, a iniciativa chega ao fim no próximo dia 14 de dezembro a partir das 14h30.

Museu Indústria Têxtil.jpg

A conferência arranca, no Museu da Indústria Têxtil, com a apresentação da coleção monográfica “Arqueologia Industrial”, a cargo do professor Lopes Cordeiro.  Fundada em 1987 como publicação periódica, é agora lançada, em 2019, no formato de livro, constituindo uma coleção monográfica nas áreas da arqueologia, património e museologia industrial, procurando acompanhar o desenvolvimento destas áreas no país e no estrangeiro.

A sua edição é da responsabilidade do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave/Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e da APPI – Associação Portuguesa para o Património Industrial, representante em Portugal do TICCIH – The International Committee for the Conservation of the Industrial Heritage, sendo publicada pelas Edições Humus.

Segue-se o debate “O Contributo da Revista de Guimarães para a mudança do paradigma industrial local”, com Paulo Ramos Nogueira, da Universidade de Coimbra.

A iniciativa termina com uma visita à exposição temporária “Industria Têxtil de Guimarães: do sistema antigo ao advento das máquinas”, no Arquivo Municipal Alfredo Pimenta, em Guimarães. Os participantes são convidados a visitar a exposição, num autocarro disponibilizado gratuitamente. O regresso ao Museu acontece pelas 18h00.

A participação é gratuita, sendo que as inscrições e informações devem ser solicitadas junto do Museu da Indústria Têxtil ou através do email geral@museudaindustriatextil.org

Refira-se que estas conferências estão certificadas como Ação de Curta Duração para os professores pelo que as inscrições decorrem através de formulário online disponível em https://bit.ly/2mU3p92

Contactos:

Tel.: 252 313 986

geral@museudaindustriatextil.org

Programa

14 dezembro ‘19

14h30 Apresentação da coleção monográfica

Arqueologia Industrial

Professor Doutor J. M. Lopes Cordeiro

15h00 Conferência “O contributo da Revista de Guimarães para a mudança do paradigma industrial local”

Paula Ramos Nogueira

Universidade de Coimbra, Instituto de Investigação Interdisciplinar, Centro de Física

Local Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave

16h30 Visita à exposição temporária “Indústria Têxtil da Guimarães: do sistema antigo ao advento das máquinas” (Arquivo Municipal Alfredo Pimenta, Guimarães)

17h15 Regresso ao Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave

18h00 Encerramento

BOLETIM MUNICIPAL DE FAMALICÃO JÁ ESTÁ A SER DISTRIBUÍDO

Edição conta com uma separata dedicada à edição de 2019 dos Selos Visão’25

As iniciativas e investimentos que têm vindo a ser desenvolvidos pela autarquia famalicense na área da proteção e defesa dos animais é o tema de destaque da nova edição do Boletim Municipal de Famalicão que começou a ser distribuído gratuitamente esta semana no concelho e que está disponível para consulta através das várias plataformas de comunicação do município.

AFS_9833.JPG

A temática tem estado na primeira linha da governação autárquica municipal e é, por isso, o foco principal desta nova edição da publicação, que dá também “bom exemplo do investimento público sem precedentes que está a acontecer em Vila Nova de Famalicão”, explica o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na nota de abertura do boletim, referindo-se às páginas dedicadas ao novo mercado municipal, ao projeto de recuperação do Teatro Narciso Ferreira, às obras na via ciclo-pedonal e a todos os investimentos que o município tem aplicado nas freguesias.

Refira-se que o Boletim Municipal é um dos meios de comunicação utilizados pela autarquia para manter os famalicenses informados sobre as várias dinâmicas que acontecem diariamente no território. Economia, mobilidade, educação, cultura, património, juventude, ambiente, ação social e saúde são alguns dos temas que merecem abordagem ao longo das 60 páginas da publicação.

À semelhança das duas últimas edições, este boletim conta também com um suplemento especial desta vez dedicado aos projetos vencedores dos Selos Famalicão Visão’25, entregues no Dia do Concelho. Ao longo das 20 páginas desta separata são apresentados, de forma sucinta, os 28 projetos distinguidos na edição deste ano da iniciativa, nas quatro categorias: Famalicão Made IN, B-Smart Famalicão, Famalicão Força V E Famalicão Comunitário.

O Boletim Municipal tem uma tiragem de 25 mil exemplares e é distribuído gratuitamente, de forma não endereçada, no território concelhio. Quem não o receber em casa, pode facilmente levantar um exemplar nos diversos organismos municipais dispersos pelas freguesias do concelho e inclusivamente nas próprias Juntas de Freguesia.

Outra opção de leitura é através do formato digital, disponível para consulta e download a partir do portal do município em www.famalicao.pt

EMPRESAS DE FAMALICÃO APROVEITAM INCENTIVOS FINANCEIROS DO PORTUGAL 2020

340 milhões do Portugal 2020 para as empresas famalicenses

As empresas famalicenses têm sabido aproveitar de forma positiva os incentivos financeiros do Portugal 2020. 340 milhões de euros é o montante de investimento elegível dos projetos de empresas de Vila Nova de Famalicão já aprovados pelos programas operacionais que mobilizam os fundos europeus e estruturais para o período 2014-2020.

foto(1)famalicaofamal.JPG

O Compete 2020 (Programa Operacional de Competitividade e Internacionalização) e o Norte 2020 (Programa Operacional Regional do Norte) deram luz verde, até ao momento, a 380 novos projetos de empresas do concelho que se candidataram a verbas comunitárias do Portugal 2020, gerido pelo Governo.

Por partes: o Compete 2020 aprovou 115 projetos (243,2 milhões de euros de investimento) e o Norte 2020 deferiu 265 projetos (95,6 milhões de euros). E são estes 380 projetos empresariais que representam um investimento global elegível de 340 milhões de euros.

A atribuição dos incentivos financeiros europeus potenciou o desenvolvimento de projetos em domínios como a competitividade e internacionalização, a inclusão social e emprego, o capital humano e a sustentabilidade e eficiência no uso de recursos.

Este é assim mais um indicador que revela a determinação das empresas famalicenses em crescer, reforçando a sua competitividade e criando novos postos de trabalho em Vila Nova de Famalicão.

EXPENSIVE SOUL COMEMORAM 20 ANOS NA CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO

Sábado, 21h30, Grande Auditório

É já sábado, dia 07 de dezembro, às 21h30, que o palco do Grande Auditório da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão está reservado para o talento expressivo de New Max e Demo, as caras do mesmo projeto musical: Expensive Soul que acaba de completar 20 anos de longevidade.

ExpensiveSoul.jpg

Desde o já longínquo B.I., o primeiro álbum da banda, editado em 2004, é chegada a hora de Demo e New Max pretenderem dar início a um novo capítulo na sua vida enquanto Expensive Soul.

Talentosos, arrojados e resilientes, foram desbravando o território até fazerem de Portugal a verdadeira Soul Nation. Expensive Soul é hoje uma das grandes bandas nacionais, com uma sonoridade única em Portugal, que tem conquistado gerações, inúmeros prémios (entre os quais, 2 Globos de Ouro, melhor música em 2011 e melhor grupo em 2013), airplay nas rádios e lugares cimeiros nas tabelas de vendas.

Depois do sucesso de “Limbo”, o primeiro tema de avanço do tão aguardado novo álbum dos Expensive Soul, New Max e Demo estão de volta com um novo single «Amar é que é preciso» que promete continuar a seduzir gerações e a conquistar airplay nas rádios de norte a sul do país. O seu novo disco «A Arte das Musas» encontra-se já disponível em todas as plataformas digitais.

Muitos são os que se recordam e colecionam a discografia desta banda, iniciada em 2004 com «B.I.», seguindo-se «Alma Cara» em 2006, «Utopia» em 2010, a singular «Symphonic Experience» em 2012, «Sonhador» em 2014, o álbum «Ao Vivo Nos Coliseus» em 2016, e o mais recente «A Arte das Musas» em 2019.

Este sábado, o espetáculo terá cerca de 90 minutos e o ingresso custa 20 euros. Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural pagam 10 euros