Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FORT COLLINS REPLICA SOFÁ AMARELO DE FAMALICÃO

A cidade norte-americana de Fort Collins, no Colorado, inspirou-se no sofá amarelo da cidadania de Vila Nova de Famalicão, uma das marcas do Festival Famalicão Visão’25, para mobilizar a sua comunidade e envolvê-la no debate do Plano para as Alterações Climáticas. Os responsáveis replicaram o exemplo de Famalicão convidando os munícipes a deixarem as suas ideias escritas na lousa.

harm lib transport and solar.jpg

Refira-se que Vila Nova de Famalicão e Fort Collins têm vindo a desenvolver um trabalho de parceria e cooperação no âmbito do Programa Internacional de Cooperação Urbana, da Comissão Europeia, onde se inclui essencialmente a troca de conhecimento e experiências para a sustentabilidade do território.

CSU OCF Recycling Infrastructure.jpg

OCF Pete (Clean Air).jpg

FAMALICÃO ADERE À ALIANÇA ODS PORTUGAL

Município integra rede nacional para a implementação em Portugal dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

O Município de Vila Nova de Famalicão é o mais recente membro da Aliança para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em Portugal, uma rede criada em 2016 pela Global Compact Network com o objetivo de criar parcerias para a implementação em Portugal dos dezassete ODS aprovados em setembro de 2015 pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

DSC_8088.jpg

A adesão do município famalicense foi oficializada no passado dia 21 de janeiro, no decorrer da conferência comemorativa do 4.º aniversário desta plataforma nacional, que hoje congrega mais de 130 organizações entre organismos públicos, autarquias, empresas e associações empresariais, fundações, universidades e ONG’s.

Na carta de compromisso assinada pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha assume a vontade da autarquia famalicense em continuar a trabalhar ativamente para a “realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, em cooperação com as nossas partes interessadas, com as entidades do sistema das Nações Unidas em Portugal e com a comunidade internacional, de acordo com as nossas opções estratégicas, possibilidades e prioridades operacionais”.

Com a adesão a esta plataforma, o município de Vila Nova de Famalicão coloca-se na primeira linha das boas práticas internacionais de desenvolvimento sustentável.

Recorde-se que os 17 ODS representam as prioridades globais para a Agenda 2030 assinada por mais de 190 países. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definem as prioridades e aspirações globais para 2030 e requerem uma ação à escala mundial de governos, empresas e sociedade civil para erradicar a pobreza e criar uma vida com dignidade e oportunidades para todos, dentro dos limites do planeta. Com base nesta agenda mundial, composta por 17 objetivos e 169 metas, estão previstas ações mundiais nas áreas de erradicação de pobreza, segurança alimentar, agricultura, saúde, educação, igualdade de género, redução das desigualdades, energia, água e saneamento, padrões sustentáveis de produção e de consumo, entre outras.

SINÇÃES TERRACE É A NOVA ATRAÇÃO NO CENTRO DE FAMALICÃO

Edifício de 24 apartamentos é sucesso de vendas

O Edifício Sinçães Terrace ainda não começou a ser construído, mas já é o centro das atenções no mercado imobiliário de Vila Nova de Famalicão, com mais de 50% das frações vendidas em poucos dias. E não faltam motivos de interesse que diferenciam o projeto desenvolvido pela construtora Adopthouse e comercializado em exclusivo pela agência MEDIUM Imobiliária.

Sinçães Terrace _ imagem virtual1.jpg

Mais do que os seus 24 apartamentos de tipologia T1, T2 e T3, o Edifício Sinçães Terrace – que começa a ser erguido já no próximo mês de maio, de modo a ser habitado a partir de finais de 2021 –, oferece a excelência da sua localização.

De facto, os futuros moradores do Sinçães Terrace terão à sua volta o Parque de Sinçães e equipamentos culturais de referência em Vila Nova de Famalicão como a Casa das Artes e a Biblioteca Municipal, tendo, também, a dois passos de casa, o Parque da Cidade, hipermercados, farmácias e todas as comodidades de quem vive no centro da cidade.

“Além da excelência do local, o Sinçães Terrace é marcado pela arquitetura contemporânea, de linhas modernas e com excelentes varandas, com um rácio qualidade-preço bastante atrativo”, afirma Pedro Fernandes, diretor comercial da MEDIUM, agência responsável pela comercialização do imóvel, que dispõe de um protocolo financeiro com um banco para garantir condições especiais de financiamento.

Os 24 apartamentos vão dispor de equipamento de ar condicionado, estores elétricos, caixilharias em alumínio com vidros duplos e rutura térmica, cozinhas mobiladas e equipadas com eletrodomésticos da marca Balay, aspiração robotizada, entre outros.

“Não temos dúvidas que a localização do Sinçães Terrace, entre dois espaços culturais e dois parques verdes de referência em Famalicão, transformará a vida quotidiana dos seus moradores num luxo que não está ao alcance de todos”, acrescenta Pedro Fernandes, muito satisfeito com o andamento das vendas. As transações já realizadas confirmam: em poucos dias, já foram vendidos mais de 50% das frações.

Sinçães Tarrace _ imagem virtual2.jpg

FAMALICÃO APOIA FAMÍLIAS CARENCIADAS

Famalicão apoia famílias com redução excecional das tarifas de água, saneamento e resíduos. Autarquia dispensa receita de cerca de 65 mil euros anuais

Perto de 350 famílias do concelho de Vila Nova de Famalicão beneficiam atualmente de uma redução excecional das tarifas municipais de água, saneamento e resíduos sólidos, o que leva a autarquia a dispensar uma receita anual de cerca de 65 mil euros.

Departamento de Ambiente.jpg

A medida social de caráter excecional abrange famílias que vivem em situação de carência económica e é atribuída por um período único de um ano, podendo estas situações ser revistas e/ou revogadas no caso de alteração dos pressupostos.

Todos os meses, o executivo municipal aprova, em reunião de câmara, inúmeros pedidos de redução excecional da tarifa ambiental. Os pedidos são requeridos pelos próprios munícipes junto da Divisão de Ambiente e Serviços Urbanos, que depois comprova a carência económica das famílias junto da Divisão de Solidariedade Social.

“É mais uma medida de grande alcance social, que apoia as famílias quando elas mais precisam da nossa ajuda”, refere a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, assinalado outras medidas sociais como o por exemplo o “apoio à renda, entre outras”.

“São apoios fundamentais em certos momentos difíceis, que ajudam muitas vezes uma família a reerguer-se e a recuperar o equilíbrio financeiro”, acrescenta.

Refira-se que a tabela municipal prevê já uma tarifa social, com valores mais reduzidos para famílias em situação económica desfavorável, assim como uma tarifa familiar para agregados com quatro ou mais pessoas.

FAMALICÃO CRIA HOTÉIS PARA INSECTOS

Hortas Urbanas de Famalicão criam hotéis para abrigar e proteger insetos

As hortas urbanas de Vila Nova de Famalicão, que estão instaladas no Parque da Devesa, estão a criar condições para acolher e proteger os insetos que habitam nas hortas e que ajudam a controlar as pragas agrícolas e florestais, como é o caso das joaninhas, crisopas e vespas parasitas.

DSC_5329.jpg

Para isso, estão a ser construídos vários abrigos, também apelidados de hotéis para insetos em áreas urbanas, que têm como objetivo criar condições para que os insetos se mantenham por perto exercendo as suas funções para o bom equilíbrio biológico.

A sociedade está cada vez mais informada e sensível para o problema do desaparecimento dos insetos, em geral, e são várias as estratégias para tentar travar esta tendência, como a criação de corredores verdes que atravessam as cidades, a restauração de habitats silvestres que envolvem os campos agrícolas, a redução do uso de pesticidas, entre outras.

Uma das estratégias que está em crescimento é, precisamente, a instalação dos abrigos de insetos, criando condições para que se mantenham perto das hortas mesmo nos períodos que não estão ativos e precisam de ter condições para reproduzir-se e invernar.

CARNAVAL EM FAMALICÃO NÃO ESCOLHE IDADES!

Em Famalicão o Carnaval não tem idade

Apesar de ter participado “por carolice”, a fatiota de Cruella de Vil valeu à famalicense Flor Araújo o prémio de “Melhor Fantasia” do Carnaval Sénior, iniciativa que todos os anos antecipa a grande noite de Carnaval que se vive em Vila Nova de Famalicão.

image62993.jpeg

A professora aposentada esteve entre as cerca de 800 pessoas que esta segunda-feira à tarde participaram no desfile promovido pela autarquia famalicense.

Criatividade, convívio e animação não faltaram, numa tarde de muita festa onde mais uma vez ficou comprovado que em Famalicão o Carnaval é vivido dos 8 aos 80 e sempre com muita folia.  

Quem nunca perde esta festa é o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. “É bom ver os nossos maiores tão contagiados pelo espírito carnavalesco e é bom perceber que aqui em Famalicão todos se envolvem nesta festa tão transversal e espontânea. Quando se olha para eles ninguém adivinha as suas idades”, disse o edil.

De resto, refira-se ainda que o prémio “O Mais Folião” foi para o grupo das Piscinas de Oliveira São Mateus. Os seniores do Centro de Convívio de Famalicão arrecadaram o prémio de “Melhor Grupo”, enquanto que o grupo do Lar S. João de Deus/Jorge Reis foi galardoado com o prémio de “Melhor Tema”.

Recorde-se que os festejos carnavalescos em Famalicão arrancaram na passada sexta-feira, dia 21, com o desfile de quase 3500 crianças pelas ruas da cidade. Depois da grande festa desta segunda-feira à noite, o Carnaval de Famalicão encerra esta terça-feira com a tradição ancestral da “Queima do Galheiro”, na freguesia de Fradelos.

Fotorreportagem das várias iniciativas do Carnaval de Famalicão em http://bancodeimagens.famalicao.pt/.

image62966 (1).jpeg

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO ESCLARECE INSTALAÇÃO DE ANTENA DE TELECOMUNICAÇÕES JUNTO À EB 2/3 D. MARIA II

Instalação de Antena de Telecomunicações junto à EB 2/3 D. Maria II

Na sequência da instalação de uma antena de telecomunicações em terreno da Santa Casa da Misericórdia confrontante com a Escola Básica 2/3 D. Maria II, na freguesia de Gavião, em Vila Nova de Famalicão, a Câmara Municipal vem publicamente prestar os seguintes esclarecimentos:

1 – A Construção da Antena de Telecomunicações foi autorizada com atribuição de alvará emitido no dia 6 de agosto de 2019 na sequência da análise técnica do Departamento de Ordenamento e Gestão Urbanística que decretou a conformidade do processo com a legislação em vigor.

2 – Os «órgãos da Administração Pública devem atuar em obediência à lei e ao direito, dentro dos limites dos poderes que lhes forem conferidos e em conformidade com os respetivos fins» (n.º 1, do artigo 3.º do Código do Procedimento Administrativo), como tal desde que observados e atestados todos os requisitos legalmente estabelecidos sobre esta matéria, não pode a autoridade municipal impedir a instalação deste tipo de infraestrutura de suporte de estação de radiocomunicações e respetivos acessórios, inclusivamente junto de uma zona escolar.

3 – Na sequência de uma reunião realizada no início de dezembro de 2019 com a direção da escola e a direção da associação de pais, e considerando as dúvidas aí apresentadas acerca da conformidade do equipamento com normas relativas à proteção da saúde humana, o Presidente da Câmara Municipal decidiu, para cabal clarificação do processo, pedir parecer à Direção Geral de Saúde e à Administração Regional de Saúde do Norte, o que fez.

4 – Nessa mesma reunião, o Presidente da Câmara Municipal assumiu junto da Sra Diretora da escola e do presidente da associação de pais que atuaria em conformidade com os mesmos pareceres e que enquanto os mesmos não fossem rececionados, a antena não seria ligada.

5 – No dia 13 de dezembro de 2019, a Direção Geral de Saúde, através de ofício DGS/DSAO/8966, comunicou à Câmara Municipal que “o assunto…foi reencaminhado para a Senhora Delegada de Saúde Regional do Norte e Diretora do Departamento de Saúde Pública da Administração Regional do Norte, a fim de ser emitido o parecer solicitado.”

6 – No dia 31 de janeiro de 2020 a Diretora do Departamento de Saúde Pública da Administração Regional do Norte emitiu, através de e-mail, parecer à direção da Escola e à Câmara Municipal com o seguinte conteúdo:

“Na sequência da Vossa exposição em baixo, sobre os eventuais riscos para a saúde, associados à exposição aos campos eletromagnéticos resultantes da emissão de uma estação de radiocomunicações, enviada com conhecimento à Direção-Geral da Saúde e de que foi dado conhecimento ao Departamento de Saúde Pública da Administração Regional de Saúde do Norte, I.P., permitimo-nos informar V. Exa. do seguinte:

  • A intensidade do campo eletromagnético radiado por uma antena diminui, rapidamente, com a distância (tipicamente com o inverso desta). Isto significa que a densidade de potência associada ao campo eletromagnético se reduz de um fator de 4 sempre que se duplica a distância em relação à antena. Embora no caso atual não tenha sido referida qual a distância entre a estação base (habitualmente designada como “antena”) e a escola, é admissível que os valores no interior da escola sejam inferiores aos valores medidos no exterior, face ao efeito de atenuação da radiação provocado pelas paredes da escola;
  • Os vários estudos epidemiológicos realizados até ao momento têm apresentado resultados que, de forma consistente, concluem pela ausência de perigo para a saúde das populações residentes nas proximidades de infraestruturas similares, desde que sejam cumpridos os níveis de referência constantes do International Commission on Non-Ionizing Radiation Protection (ICNIRP), os quais foram adotados para a União Europeia através da Recomendação do Conselho n.º 1999/519/CE e adotados em Portugal através da Portaria n.º 1421/2004, de 23 de novembro;
  • De notar que a própria Organização Mundial de Saúde (OMS) refere que as exposições a radiofrequências com origem em estações base em locais acessíveis ao público (incluindo escolas e hospitais) são habitualmente milhares de vezes inferiores aos níveis de referência internacionais. Por este motivo, a OMS, tendo em consideração os muito reduzidos níveis de exposição e os resultados de inúmeros trabalhos de investigação realizados, concluiu que não existe evidência científica convincente da existência de efeitos adversos na saúde causados por radiações de radiofrequência emitidas por estações base (“antenas”) e por redes sem fio.

Do atrás exposto, pode concluir-se que, face aos conhecimentos científicos atuais e aos resultados de inúmeros estudos epidemiológicos desenvolvidos até ao momento, não existe perigo para a saúde das populações (incluindo subgrupos com maior vulnerabilidade, como idosos, grávidas e crianças) que habitam ou trabalham na proximidade de infraestruturas de suporte de estações de radiocomunicações, desde que sejam cumpridos os níveis de referência constantes da Recomendação do Conselho n.º 1999/519/CE, adotados em Portugal através da Portaria nº 1421/2004, de 23 de novembro e que aquelas infraestruturas cumpram o previsto no Regulamento n.º 256/2009, de 23 de junho (regras relativas à identificação e sinalização de estações de radiocomunicações).

Compete à Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) a fiscalização dos níveis da Portaria n.º 1421/2004, de 23 de novembro, a fim de verificar se a instalação e o funcionamento das estações de radiocomunicações obedecem às condições aplicáveis. Até ao final do ano de 2019, aquela entidade havia recebido 2007 solicitações relacionadas com radiações não-ionizantes, para análise de situações concretas, tendo sido terminados 2004 processos (que envolveram a análise de 253 estabelecimentos de ensino), muitos dos quais na sequência de medições no local. De acordo com a ANACOM, todos os resultados apurados apontavam para valores, pelo menos, 50 vezes inferiores aos níveis de referência de densidade de potência fixados na Portaria n.º 1421/2004, de 23 de novembro. Verificou-se ainda a existência de 65 situações que não garantiam à partida o patamar 50 vezes inferior sendo, contudo, garantido, em todas elas, o cumprimento dos níveis de referência.” 

7 – Recebido o parecer da Administração Regional de Saúde do Norte, o Presidente da Câmara Municipal solicitou parecer aos serviços jurídicos do município que, tendo em conta esse mesmo parecer, consideraram que a instalação da referida antena está em conformidade com a Lei e que o equipamento deve ser autorizado.

8 – Munido dessa informação, o Presidente da Câmara Municipal, em cumprimento do compromisso assumido, reuniu com a direção do agrupamento e a associação de pais, estando presente também o Sr. vereador da Educação e o Delegado Regional de Educação do Norte, no dia 19 de fevereiro de 2020. Nessa reunião, o presidente da Câmara transmitiu o ato administrativo que iria praticar no dia seguinte de, em conformidade com o que a Lei lhe impõe, confirmar a autorização da referida antena.

9 – Na manhã de hoje, 21 de fevereiro de 2020, o Presidente da Câmara Municipal recebeu um grupo de alunos da escola a quem expôs as razões legais que impõem a tomada de decisão da autarquia.  

10 – Em face do tudo o expendido, reproduz-se a conclusão o despacho do Presidente da Câmara de hoje, 21 de fevereiro de 2020:

“Conclusão

  1. a)    Em face de tudo exposto e atendendo o parecer jurídico de 14 de fevereiro de 2020, propõe-se que o despacho de 20 de maio de 2019 se mantenha, ficando a eficácia desse ato condicionada às conclusões das monitorizações a realizar pela ANACOM, antes e depois da ligação da antena de telecomunicações.”

 

Vila Nova de Famalicão, 21 de fevereiro de 2020

SENIORES ANTECIPAM A GRANDE NOITE DO CARNAVAL EM FAMALICÃO

Carnaval Sénior realiza-se na próxima segunda-feira, dia 24, a partir das 14h00, no Pavilhão Municipal de Famalicão

Na próxima segunda-feira, dia 24 de fevereiro, enquanto a grande noite de Carnaval não chega, os seniores famalicenses vão fazendo a festa no já tradicional “Carnaval Sénior”.

image60104famcarn.jpeg

A iniciativa está marcada para as 14h00, no Pavilhão Municipal de Famalicão, e vai contar com a folia e criatividade de cerca de 800 seniores provenientes de várias instituições sociais do concelho de Vila Nova de Famalicão.

O presidente da autarquia, Paulo Cunha, é presença confirmada na iniciativa a partir das 15h30.

Refira-se ainda que aos participantes serão depois entregues os prémios de “Melhor Fantasia”, “O Mais Folião”, “Melhor Grupo” e “Melhor Tema”.

FAMALICÃO COM PORTA DE ENTRADA NA ILHA DO PRÍNCIPE

Memorando de cooperação assinado hoje por Paulo Cunha e José Cardoso Cassandra

O presidente do Governo Regional do Príncipe disse hoje que o município de Vila Nova de Famalicão é “o parceiro certo” para o sucesso da estratégia de desenvolvimento da ilha.

image62912.jpeg

José Cardoso Cassandra foi esta quinta-feira, 20 de fevereiro, recebido no salão nobre dos Paços do Concelho pelo presidente da autarquia famalicense, Paulo Cunha, numa cerimónia marcada pela assinatura de um memorando de cooperação que vai favorecer a criação de uma estreita colaboração entre as diferentes instituições de Famalicão e da Região Autónoma do Príncipe, sobretudo nos domínios da educação e formação, economia e empreendedorismo, cultura e sustentabilidade ambiental.

“Temos uma visão muito clara do nosso processo de desenvolvimento, assente na sustentabilidade e na conservação da biodiversidade, e olhamos para a experiência de Famalicão para nos ajudar a fazer esse caminho”, referiu hoje o presidente do Governo Regional do Príncipe, de visita a Famalicão até amanhã, sexta-feira, no âmbito da Agenda Urbana para a Internacionalização do Município.

Do programa previsto destaca-se a visita da comitiva ao departamento municipal Famalicão Made In, ao Citeve, Centro Tecnológico da Indústria Têxtil e ao CeNTI - Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes; ao CIIES - Centro de Investigação e Inovação para o Ensino Superior e reunião com Vereador da Educação, Leonel Rocha, e às empresas Riopele e Vieira de Castro. O encontro culmina com uma visita à Casa de Camilo – Museu.

Na receção desta manhã, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão enalteceu a posição geoestratégica da Ilha do Príncipe, como “uma porta de entrada do setor empresarial famalicense no continente africano”.

Paulo Cunha apontou ainda a dimensão da sustentabilidade como uma das grandes marcas da Região Autónoma do Príncipe. “Um território que é Reserva Mundial da Biosfera da UNESCO e que tem um patamar interessante de desenvolvimento é um ‘case-study’ da forma como podemos compatibilizar o desenvolvimento económico com a proteção do ambiente. Queremos evoluir também a esse nível e esta cooperação dá-nos condições únicas para isso”, referiu.  

José Cardoso Cassandra deixou ainda uma palavra aos empresários do concelho. “Queremos apostar nas pequenas indústrias de transformação para valorizarmos ainda mais os nossos produtos, como o cacau, a pimenta, a baunilha, a banana e o abacaxi. Famalicão pode-nos ajudar bastante nesta matéria e queremos contar com os empresários do concelho para olharem para o nosso mercado como um mercado com forte potencial”, disse.  

Refira-se que este encontro insere-se na Estratégia de Diplomacia Urbana de Famalicão, que tem em vista o aprofundamento de relações de cooperação institucional, económica, cultural e social com cidades e regiões, gerando parcerias profícuas entre empresas, centros de investigação, universidades e escolas, e outras instituições. Nesse sentido, Famalicão tem vindo a desenvolver contactos de cooperação com outras cidades e regiões internacionais, como é o caso da Ilha do Príncipe, a segunda maior ilha do República Democrática de São Tomé e Príncipe, verificando-se a vontade conjunta de formalização de um acordo de geminação que permita uma cooperação institucional potenciadora de novas e estimulantes oportunidades para as respetivas comunidades.

Recorde-se que Vila Nova de Famalicão é, desde 2013, geminado com a Câmara Distrital de Lobata de S. Tomé e Príncipe.

image62915.jpeg

FAMALICÃO RECEBE PRESIDENTE DO GOVERNO REGIONAL DO PRÍNCIPE

Paulo Cunha recebe presidente do Governo Regional do Príncipe, José Cardoso Cassandra, nos Paços do Concelho. Sessão de receção realiza-se amanhã, quinta-feira, dia 20 de fevereiro, pelas 10h00

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, convida os órgãos de comunicação social para a cerimónia de receção oficial ao presidente do Governo Regional do Príncipe José Cardoso Cassandra, que vai realizar-se amanhã, quinta-feira, 20 de fevereiro, pelas 10h00, no salão nobre dos Paços do Concelho.

60076904_2743725732335549_4657890241510637568_o.jpg

O encontro que se insere no âmbito da Agenda Urbana para a Internacionalização do Município integra também o Secretário da Educação, Higino Pereira Santiago, e irá decorrer até sexta-feira dia 21.

Do programa previsto destaca-se a visita da comitiva ao departamento municipal Famalicão Made In, ao Citeve, Centro Tecnológico da Indústria Têxtil e ao CeNTI - Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes; ao CIIES - Centro de Investigação e Inovação para o Ensino Superior e reunião com Vereador da Educação, Leonel Rocha, e às empresas Riopele e Vieira de Castro. O encontro culmina com uma visita à Casa de Camilo – Museu.

Refira-se que o encontro insere-se na Estratégia de Diplomacia Urbana de Famalicão, que tem em vista o aprofundamento de relações de cooperação institucional, económica, cultural e social com cidades e regiões, gerando parcerias profícuas entre empresas, centros de investigação, universidades e escolas, e outras instituições. Nesse sentido, tem vindo a desenvolver contactos de cooperação com outras cidades e regiões internacionais, como é o caso da Ilha do Príncipe, a segunda maior ilha do República Democrática de São Tomé e Príncipe, verificando-se a vontade conjunta de formalização de um acordo de geminação que permita uma cooperação institucional, especialmente nos domínios económico, educativo, social, cultural e ambiental, potenciadora de novas e estimulantes oportunidades para as respetivas comunidades.

Recorde-se que Vila Nova de Famalicão é, desde 2013, geminado com a Câmara Distrital de Lobata de S. Tomé e Príncipe.

QUEIMA DO GALHEIRO DE FRADELOS EM FAMALICÃO É ATRAÇÃO TURÍSTICA DO MINHO

Depois do Carnaval vai tudo ‘pro’ galheiro. Tradição cumpre-se na noite de terça-feira de Carnaval, antes da quarta-feira de cinzas

A tradição ancestral da “Queima do Galheiro” na freguesia de Fradelos, em Vila Nova de Famalicão, foi reconhecida como uma ação turística do Minho, no âmbito do programa Minho Inovação. A iniciativa popular, que surge como uma tradição pagã identitária local, consistindo essencialmente na queima de um enorme pilha de mato e silvas em redor de um tronco de pinheiro - galheiro -  assinalando inícios e fins de ciclos religiosos e das colheitas, tem atraído cada vez mais turistas e curiosos a Fradelos.

DSC_5222fafamal (1).jpg

A "Queima do Galheiro na aldeia de Fradelos – Vila Nova de Famalicão" é agora um projeto do Município de Vila Nova de Famalicão em concertação com a Associação Juvenil  Koklus e outras entidades locais, que pretendem elevar esta festividade popular que ocorre anualmente no Carnaval. Com este projeto pretende-se assim, por um lado registar documentalmente o evento neste primeiro ano e devolvê-lo como evento de dinamização e valorização na edição seguinte. Pretende-se ainda potenciar uma nova vivência da iniciativa, através de criações artísticas que tragam um novo olhar sobre este património intangível.

Para além de uma divulgação mais abrangente e criativa do projeto, a ação contará com um espetáculo performativo de artes de rua, protagonizado pelo INAC (Instituto Nacional de Artes Circenses)e por uma criação cine-documental e musical para apresentar no Carnaval de 2021. O programa de animação conta ainda com um desfile de Carnaval.

No que diz respeitos às Queimas, participam, este ano, os lugares de Quinta/Sapugal e da Povoação. Ao longo do dia, e nos dias anteriores, a população sai à rua amontoando os restos das sementeiras, os galhos velhos das árvores e o silvado, no topo coloca-se um boneco a quem se chama entrudo e pega-se fogo. Os galheiros chegam a atingir os 15 metros de altura. A Queima do Galheiro assinala, assim, o final das festividades carnavalescas e o início da quaresma pascal.

Refira-se que a iniciativa Minho Inovação é dinamizada pelas Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave, no âmbito do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos, Estratégia de Eficiência Coletiva, cofinanciada pelo Norte 2020, através do FEDER.

No total a “Queima do Galheiro na aldeia de Fradelos” implica um investimento total de 30.752 euros, contando com um financiamento de 23. 439 euros. O projeto decorre desde outubro de 2019 até março de 2021.

Noutros tempos, a queima repetia-se em diversos lugares da freguesia, quase num despique, para ver quem queimava o maior "Galheiro". Hoje são menos os participantes, mas a alma da tradição mantém-se viva.

DSC_5222fafamal (2).jpg

DSC_5222fafamal (3).jpg

FAMALICENSES REFLECTEM SOBRE A DEMOCRACIA

Democracy Has Been Detected”: O grito de uma geração que nunca teve de lutar pela democracia

No dia 20 de fevereiro, próxima quinta-feira, às 15h00, realiza-se na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão um ensaio aberto de “Democracy Has Been Detected”.

image001famalicensefamal.png

Trata-se de mais uma coprodução da Casa das Artes de Famalicão, FITEI, Teatro Municipal São Luiz, levada a cena pelo Momento – Artistas Independentes e que estreia no dia 21, com sessões nos dias 22 e 23 de fevereiro.

“Democracy Has Been Detected” é uma proposta de leitura histórica, social e política da sociedade atual e da que imaginamos no futuro, com os olhos e ouvidos no passado. Ecoando em tempos de inverdade e ineficácia, o espetáculo assume-se como um grito de uma geração, tanto para fora como para dentro de si própria, um apelo à vivência plena da democracia, não a tomando como garantida ou assunto de outros.

Da janela pop-up do antivírus Avast que contém a mensagem “Threat has been Detected”, surge o título. A democracia como um vírus-ameaça foi, então, o ponto de partida. Esta ligação com a tecnologia – elemento que nos é, cada vez mais, lançado aos sentidos a uma velocidade alucinante – também foi um ponto que não quisemos evitar. Por fim, esta geração pós-25-de-Abrilpós-queda-do-Muro-de-Berlimque nunca teve de lutar por esta democracia, olhou para trás e confirmou o caráter cíclico que carateriza a nossa história. Daí, surgiu uma questão: então o que nos espera?

Propomos uma resposta que promete encher o público de questões. Não pretendemos tomar lados político-partidários ou muito menos sugerir se é positiva ou negativa esta relação com a tecnologia. Propomos este país inventado, centrado na capital - Vila Cheia – em que a diferença em relação ao nosso universo pode estar só no avanço tenológico da inteligência artificial (A.I.). Caberá a cada membro da plateia, como se de um cidadão de Vila Cheia se tratasse, acompanhar este ciclo e moldar a sua opinião – e, já agora, porque não questionar o seu próprio universo?

Ficha Técnica e Artística

Criação Diogo Freitas e Filipe Gouveia

Dramaturgia Filipe Gouveia

Interpretação Ana Lídia Pereira, Daniel Silva, Diogo Freitas, Gabriela Leão e Joana Martins

Interpretação e Composição Musical Paulo Pires

Desenho de Luz Pedro Abreu

Desenho de Som e Sonoplastia Rafael Maia e Bernardo Bourbon

Cenografia Maria Manada

Figurinos Matilde Ramos

Produção Executiva Inês Simões Pereira

Acompanhamento Fotográfico Simão Do Vale Africano

Coprodução Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, FITEI - Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, São Luiz Teatro Municipal

Residências Artísticas 23 Milhas - Ílhavo, Centro Cultural Vila Flor / Centro de Criação de Candoso e Junta de Freguesia de Joane e Armazém 22

Apoio Teatro Nacional São João, Câmara Municipal de Lisboa e Polo Cultural das Gaivotas Boavista

Produção Momento - Artistas Independentes

Projeto financiado pelo programa de Apoio à Criação da Direção Geral das Artes - Ministério da Cultura

Duração 1h45 s/ Intervalo

Classificação Etária M12

FAMALICENSES ADEREM À FATURA ELETRÓNICA

Famalicão quer reforçar adesão dos munícipes à fatura eletrónica para poupar o ambiente. Adesão pode ser feita através do portal em www.famalicao.pt

As vantagens da adesão à fatura eletrónica são imensas. É um processo simples e rápido, confidencial e seguro, que permite poupar o ambiente através de uma redução significativa do consumo de papel, e poupar recursos. Apesar de tudo isso, em Vila Nova de Famalicão, a adesão à fatura eletrónica para os serviços municipais de água, saneamento e resíduos ainda é de apenas 6,2 por cento. Em 56.760 contratos existentes, apenas 3.498 utilizadores recebem atualmente a sua fatura por email.

AFS_1362.JPG

“Tem havido nos últimos anos, uma evolução positiva e substancial, no entanto, ainda estamos aquém daquilo que queremos para o nosso concelho”, afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha. “Estamos empenhados em reduzir, de forma significativa, o consumo de papel em várias áreas do municipio e do concelho, e temos procurado sensibilizar todos os cidadãos para uma atitude mais amiga do ambiente e é aqui que entra a necessidade de uma maior adesão à fatura eletrónica”.

Os munícipes interessados em aderir ao serviço só têm que aceder ao portal do município em www.famalicao.pt  e fazer o seu registo. A partir daí, as vantagens são muitas, pois para além de pouparem o ambiente, os utilizadores poupam também tempo. Passam a receber comodamente no seu e-mail as faturas em formato PDF, podendo aceder-lhes de uma forma imediata e muito mais prática. Desta forma, as faturas estão sempre acessíveis e podem ser consultadas em qualquer momento e em qualquer lugar. Além disso, a fatura eletrónica tem a mesma validade fiscal e legal que a fatura tradicional em papel e por ser um documento certificado, é totalmente seguro e confidencial.

Refira-se que esta medida insere-se no âmbito da política de modernização administrativa encetada pelo município, que tem como objetivo conseguir uma maior qualidade no atendimento ao munícipe. Destaque ainda para a política ambiental e de responsabilidade social desenvolvida pelo municipio, baseada na promoção dos objetivos de desenvolvimento sustentável difundidos pela ONU, nomeadamente no que diz respeito às cidades e comunidades sustentáveis.

FAMALICÃO REVELA O TALENTO DO TEATRO AMADOR

14.º Festival de Teatro Amador Terras de Camilo arranca este sábado com mais de uma dezena de peças

De 22 de fevereiro a 23 de maio, Vila Nova de Famalicão volta a dar palco ao talento dos grupos de teatro amador nacionais. A décima quarta edição do Festival de Teatro Amador Terras de Camilo arranca já neste sábado e nos próximos dois meses vai apresentar ao público famalicense mais de uma dezena de propostas teatrais gratuitas.

Festival de Teatro Amador_Pedro Zimann (2).JPG

A iniciativa, organizada pelo município famalicense e pelo Grutaca – Grupo de Teatro Amador Camiliano, volta a contar com a participação de companhias oriundas de todo o país.

É o caso, por exemplo, na Nova Comédia Bracarense, de Braga, que este sábado, dia 22, protagoniza a primeira sessão do festival com a apresentação da peça “A Comédia da Marmita”, no Centro de Estudos Camilianos, às 21h30.

Na semana seguinte, no dia 29, o Teatro Experimental Flaviense, de Chaves, traz até Famalicão o espetáculo “O Bailado Russo” que une duas hilariantes peças de Anton Tchekhov: “O Urso” e “Um pedido de casamento”.

Durante o mês de março, o Festival de Teatro Amador Terras de Camilo apresenta quatro peças e uma oficina de teatro. No dia 7, o Grupo de Teatro Gólgota, de Esmoriz, apresenta “Hábitos de Bebida”, e no dia 22, o Grupo de Teatro Renascer, também de Esmoriz, apresenta “O mundo da criança”. No dia 27 de março, Dia Mundial do Teatro, há a apresentação do espetáculo “Beatriz e o Peixe-Palhaço” para os mais pequenos e uma oficina de teatro sobre colocação de voz. A programação do festival durante o mês de março encerra com a apresentação da peça “A importância de ser Ernesto”, de Oscar Wilde, pelo Grupo Dramático e Recreativo da Retorta, de Valongo.

O Festival de Teatro Amador Terras de Camilo prossegue em abril, com a apresentação, no dia 4, do espetáculo “Meu Marido que Deus haja”, pelo Teatro Olimpo, de Leiria. Dia 5, o Grupo de Teatro Balugas, de Barcelos, apresenta a peça “Pão Nosso”. Dia 18, o Teatro Amador do Círculo Católico de Operários, de Vila do Conde, apresenta “Os maridos da viúva” e no dia 19 de abril chega a vez do Grupo de Teatro do Centro Cultural Lordelense, de Vila Real, subir ao palco do Centro de Estudos Camilianos com a apresentação de “O Sherlock”.

A iniciativa termina em maio com a peça “Maldição de Mãe”, do Greculeme - Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe, no dia 2; o espetáculo “Romeu e Julieta”, do Grupo de Teatro Casca de Nós, de Ermesinde, no dia 16; e “Entre a Flauta e a Viola”, de Camilo Castelo Branco, pela mão do Grutaca, no dia 23.

Refira-se que todos os espetáculos têm entrada livre, sujeita à lotação da sala.

Mais informações sobre o festival em www.famalicao.pt.

XIV FESTIVAL DE TEATRO AMADOR TERRAS DE CAMILO

22 de Fevereiro

Inauguração da Exposição “Máscaras e Caretos” (2.ª edição) | 16h00

Casa da Junta da União de Freguesias de Seide

 

Nova Comédia Bracarense 

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

"A Comédia da Marmita" de Plauto

 

29 de Fevereiro

Teatro Experimental Flaviense

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

“Bailado Russo” de Anton Tchechov

 

7 de Março

Grupo de Teatro Gólgota

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

“Hábitos de Bebida”, de Tom Smith

 

22 de Março

Grupo de Teatro Renascer

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 16h00

“O mundo da criança”, de Felipe Silva

 

27 de Março

10h00 | Teatro para a infância – “Beatriz e o Peixe-Palhaço”

Centro Social e Paroquial de Seide S. Miguel

21h30 | Oficina de Teatro: “A Colocação de Voz”

Auditório do Centro Social e Paroquial de Seide S. Miguel

 

28 de Março

Grupo Dramático e Recreativo da Retorta

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

“A importância de ser Ernesto”, de Oscar Wilde

 

4 de Abril

Teatro Olimpo

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

"Meu Marido que Deus Haja", de André Brun

 

5 de Abril

Grupo de Teatro Balugas

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 16h00

“Pão Nosso”, de Cândido Sobreiro

 

18 de Abril

TACCO, Teatro Amador do Círculo Católico de Operários

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

“Os Maridos da Viúva”, de Francisco Ribeiro e Henrique Santana

 

19 de Abril

Grupo de Teatro do Centro Cultural Lordelense |Vila Real

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 16h00

"O Sherlock", de Chagas Roquette e Álvaro Lima

 

2 de Maio

Greculeme, Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

“Maldição de Mãe”, de Isabel de Oliveira Martins

 

16 de Maio

Grupo de Teatro “Casca de Nós”, da AACE - Associação Académica e Cultural de Ermesinde

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

“Romeu & Julieta”, de William Shakespeare

 

23 de Maio

Grutaca, Grupo de Teatro Amador Camiliano

Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

“Entre a Flauta e a Viola”, de Camilo Castelo Branco

Festival de Teatro Amador_Pedro Zimann (1).JPG

DESFILE INFANTIL DÁ O PONTAPÉ DE SAÍDA PARA A FOLIA DO CARNAVAL EM FAMALICÃO

Iniciativa com cerca de 3500 participantes realiza-se sexta-feira, pelas 14h30, nas ruas da cidade

Quase 3500 crianças, cerca de 40 instituições educativas e mais de duas horas de pura fantasia, ternura e alegria. É isso mesmo que se espera do desfile de Carnaval infantil de Vila Nova de Famalicão, que sai para a rua na próxima sexta-feira, 21 de fevereiro, a partir das 14h30.

DSC_8691.jpg

A iniciativa que tem ganho, nos últimos anos, novos protagonistas, com mais participantes e muito público é já uma tradição no concelho, marcando o arranque dos festejos carnavalescos. Se S. Pedro cumprir a previsão meteorológica vai estar uma tarde fantástica, perfeita para um desfile cheio de cor, criatividade e magia.

A iniciativa está marcada para as 14h30 na rua Adriano Pinto Basto, seguindo depois pela rua de Santo António, Praça 9 de Abril, rua Júlio Araújo, Avenida 25 de abril (faixa no sentido Parque 1.º de Maio) culminando no Parque 1.º de Maio.

As festividades carnavalescas continuam no sábado com a abertura da exposição “Máscaras e Caretos”, na Junta da União das Freguesias de Seide, a partir das 16h00. No domingo, destaque para os desfiles de Carnaval em Arnoso Santa Eulália e Ribeirão, ambos com inicio marcado para as 14h30.

Na segunda-feira à tarde, pelas 14h00, é a vez de os seniores mostrarem o que valem no Pavilhão Municipal. Alegria, convívio, boa-disposição e muita brincadeira marcam habitualmente o Carnaval Sénior.

À noite, o programa já é sobejamente conhecido. Sem hora, nem lugar marcado, mas com a garantia que a festa será de arromba. A animação fica a cargo dos milhares de foliões que serão acompanhados pelo Terceira Dimensão. Destaque ainda para o Desfile e Concurso de Mascarados.

Na terça-feira, ainda há forças para os foliões desfilarem em Fradelos, a partir das 14h30. O Carnaval só termina com a “Queima dos Galheiros”, pelas 20h30, em Fradelos, uma tradição antiga que atrai cada vez mais gente.

DSC_8792.jpg

DSC_9223.jpg

FAMALICÃO: DUNE BLEUE LANÇA MEIA A PARTIR DE PLÁSTICOS RECOLHIDOS NO MAR

A Dune Bleue está a adotar a sustentabilidade pela inovação, tendo acabado de lançar uma meia fabricada a partir de plásticos dos oceanos.

image62897.jpeg

O novo produto resulta de uma parceria com o projeto Seaqual, que procede à recolha no mar de detritos de plástico, desde linhas de pesca a garrafas e outras embalagens, e os transforma em fio reciclado. E é este fio reciclado que depois a Dune Bleue usa para produzir a nova meia que, de acordo com Ricardo Faria, CEO da empresa, “está a surpreender pela positiva com a qualidade”. 

O caráter inovador do projeto levou o Presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, a visitar a empresa, em Cavalões, na passada sexta-feira, 14 de fevereiro, no âmbito do Roteiro pela Inovação.

Esta é a mais recente das apostas da Dune Bleue para se tornar progressivamente mais sustentável. Mas, recordou Ricardo Faria, “o tema da sustentabilidade tem acompanhado as coleções anteriores”, que já integravam algodão e lã reciclados na composição das peúgas.

“Estamos num contexto europeu de economia circular e o que está aqui a acontecer é um sinal inequívoco de que é possível introduzir essa circularidade na cadeia produtiva. Mas é também importante que o consumidor dê um sinal de adesão a este tipo de compra, influenciando o que é produzido”, sublinhou Paulo Cunha.

O autarca destacou ainda que a Dune Bleue é um exemplo de que é possível criar e desenvolver projetos em conjunto e ser competitivo. “Estamos perante um sinal de maturidade do setor empresarial do concelho de Famalicão. Não é por caso que somos a Cidade Têxtil de Portugal”, vincou.

Presente no mercado desde 2005, a Dune Bleue dedica-se à criação, desenvolvimento e comercialização de peúgas, reunindo um conjunto de onze segmentos. Desde a primeira hora que o desafio da empresa é acrescentar valor técnico a um produto simples como uma meia, preparando-o para um mercado específico. Meias para a Casa Real Inglesa, militares, hospitalares e de segurança para trabalho são alguns dos produtos que desenvolve e que são comercializados para todo o mundo com marca própria e em parceria com outras marcas.

Com um volume de negócios próximo dos dois milhões de euros, a empresa regista uma taxa de exportação que atinge os 98%. Sem produção dentro de portas, recorre a parceiros nacionais para fabricar os artigos e emprega nove pessoas.

De há dois anos para cá a Dune Bleue tem vindo a apostar no mercado norte-americano. Foi precisamente de uma recente deslocação aos Estados Unidos que surgiu o próximo desafio: incorporar fio de cannabis em meias para fins terapêuticos.

image62900.jpeg

image62906.jpeg

BIBLIOTECA CAMILO CASTELO BRANCO EM FAMALICÃO ACOLHEU CONCURSO NACIONAL DE LEITURA

Eliminatória concelhia realizou-se a 10 de fevereiro

Estão apurados os alunos que representarão o concelho de Vila Nova de Famalicão na Fase Intermunicipal do Concurso Nacional de Leitura, uma iniciativa lançada pelo Plano Nacional de Leitura, pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas e pela Rede de Bibliotecas Escolares, em articulação com as autarquias e os agrupamentos de escolas.

Biblioteca (1)fafamicao.jpg

Foi no dia 10 de fevereiro, na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, que se realizou a eliminatória concelhia deste concurso, onde participaram os 42 alunos apurados no 1.º momento, designado de “Prova nas Escolas”, em representação dos diferentes níveis de ensino dos Agrupamentos de Escolas de Vila Nova de Famalicão.

Os alunos participantes nesta fase do concurso foram sujeitos à realização de uma prova escrita, eliminatória, sobre as obras que estavam a concurso e, posteriormente, a uma prova oral que compreendia uma prova de leitura expressiva e uma prova de argumentação.

No final da realização de todas estas eliminatórias, o júri da prova, José Moreira da Silva, António Pires e Hilário Pereira, na presença do vereador da Educação e Conhecimento, Leonel Rocha, e do patrocinador dos prémios, António Melo, em representação da Livraria e Papelaria Fontenova, anunciou o nome dos 12 alunos vencedores, 4 por cada ciclo, que seguirão à fase seguinte do Concurso Nacional de Leitura, a Fase Intermunicipal. Os alunos do ensino secundário inscritos na presente edição do concurso, por serem em número reduzido, não participam na Fase Municipal e, por essa razão, avançam diretamente da Fase Escolar para a Fase Intermunicipal.

Os alunos vencedores do 1º CEB foram: Maria Miranda Afonso (Agrupamento de Escolas de Gondifelos), Oceana Vicente Gonçalves (Agrupamento de Escolas D. Maria II), Eduardo da Costa Ferreira (Agrupamento de Escolas de Padre Benjamim Salgado) e Matilde Vilarinho Silva (Agrupamento de Escolas de Padre Benjamim Salgado); do 2º CEB: Leonor Peniche Sousa (Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco), Ana Leonor Mendes de Castro (Agrupamento de Escolas de Pedome), Clara Pereira Marques (Agrupamento de Escolas de Pedome) e Rita Rodrigues (Agrupamento de Escolas de Ribeirão); do 3º CEB: Bruna Lorena Costa (Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco), Tatiana Sofia Pinto Pereira (Agrupamento de Escolas de Gondifelos), Cláudia Isabel Silva (Agrupamento de Escolas D. Maria II) e Beatriz Araújo Aguiar (Agrupamento de Escolas de Gondifelos).

Estes alunos participarão na Fase Intermunicipal do concurso, que realizar-se-á, este ano, em Vizela, no dia 23 de abril.