Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO ESTÁ NA LINHA DA FRENTE DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DIRIGIDAS ÀS FAMÍLIAS

Autarquia mantém estatuto de Autarquia Mais Familiarmente Responsável pelo 10º ano consecutivo.

O Município de Vila Nova de Famalicão recebeu, ontem à tarde, pelo décimo ano consecutivo, a bandeira de ‘Autarquia + Familiarmente Responsável 2022’, numa cerimónia que aconteceu no auditório da Fundação para os Estudos e Formação nas Autarquias Locais (FEFAL), em Coimbra. A Câmara Municipal fez-se representar pela Vereadora da Família, Sofia Fernandes, numa sessão em que também foi atribuído o diploma de formalização da pertença de Famalicão à Rede Europeia de Municípios Amigos das Famílias.

IMG_5606.jpg

“É mais uma prova inequívoca de que Famalicão é, sem dúvida, o Lugar da Família” afirma o Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, acrescentando que se trata “do reconhecimento do valor e do sucesso das políticas municipais de apoio aos agregados familiares famalicenses”.

Quanto à pertença à Rede Europeia de Municípios Amigos das Famílias, o edil realça que esta cooperação com municípios de outros cantos da Europa, “permite-nos obter outras realidades, outros dados, outras experiências, que nos capacitam a ser um território cada vez mais atento e eficaz na intervenção pública”. “Somos exigentes, queremos aprender com os melhores e também dar a conhecer o que de melhor se faz em Famalicão” refere o edil.

A Vereadora da Família também não escondeu a sua enorme satisfação por Famalicão receber as distinções. “Dentro e fora de portas, o nosso município afirma-se como um município amigo das famílias, o que muito nos orgulha e incentiva a continuar a trabalhar em prol dos famalicenses, implementando cada vez melhores políticas públicas” afirma Sofia Fernandes.

De referir que a distinção de ‘Autarquia + Familiarmente Responsável’ pelo Observatório dos Municípios Familiarmente Responsáveis, uma iniciativa da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social. Para além de Famalicão, também foram distinguidos com a bandeira mais 94 municípios portugueses.

Recorde-se que a Câmara Municipal tem previsto, para este ano, um pacote de mais de 16 milhões de euros, que inclui medidas de coesão social que vão ao encontro das necessidades das famílias carenciadas do concelho. A redução da taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), o pagamento das inscrições federativas e respetivos seguros aos jovens atletas do concelho, bem como a existência de um quarto escalão de apoio social municipal na educação, são alguns exemplos de políticas de apoio adotadas pela autarquia.

IMG_1285.JPG

FAMALICÃO: EMPRESA DE PERFIS METÁLICOS VEM PARA FAMALICÃO E CRIA 11 POSTOS DE TRABALHO “ALTAMENTO QUALIFICADOS”

Nova unidade industrial da Steeltrax será construída em Vilarinho das Cambas e envolve um investimento superior a 7 milhões de euros

A Steeltrax, empresa que se dedica à fabricação de estruturas e perfis metálicos especificamente direcionados ao mercado das energias renováveis, vai instala-se em Vila Nova de Famalicão, mais precisamente na freguesia de Vilarinho das Cambas. A nova unidade, com cerca de 6000 m2 e um investimento superior a 7 milhões de euros, será também a nova sede social da empresa, até agora a laborar no concelho da Póvoa do Varzim. A obra tem o prazo de execução de um ano, sendo que a Steeltrax prevê iniciar a produção em Famalicão já em março do próximo ano.

DSC_5225.JPG

A construção da nova unidade na Zona Industrial Terra Negra III prevê a criação de 11 novos postos de trabalho “altamente qualificados”, para dar resposta à pretensão da empresa de “apostar fortemente na investigação e desenvolvimento (I&D), assim como na relação de proximidade com universidades e institutos de investigação científica, para potenciar o conhecimento e desenvolvimento de produto”.

A mudança para Vila Nova de Famalicão justifica-se, ainda, pela capacidade que a nova unidade dará ao nível do aumento da produção, de melhoria da logística, pelos acessos privilegiados para as vias de comunicação à exportação - critério cada vez mais valorizado por quem busca, além da qualidade, uma maior capacidade de cumprimento de prazos de entrega.

De referir que a instalação desta empresa no concelho famalicense vai contar com o apoio da Câmara Municipal, através do programa Made 2IN, que apoia a captação e fixação de empresas no concelho, com redução das taxas de licenciamento e de construção.

“A dimensão do Created IN Famalicão também é materializada com a atração de empresas com este perfil de abertura para a investigação e desenvolvimento de novos produtos, para o nosso território. Daí a manifestação de interesse municipal deste investimento” refere o Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos.

Recorde-se que na Reunião de Câmara de ontem, 26 de janeiro, foi aprovada a abertura do período de candidaturas ao Programa Municipal de Apoio Financeiro a Bolsas de Investigação, uma medida única, no âmbito municipal, de promoção da inovação empresarial por via do desenvolvimento de atividades de Investigação e Inovação (I&I) e a sua transferência para a indústria do concelho, que prevê a atribuição de cinco prémios a bolsas de investigação no valor de 5.000€ cada uma.

DSC_5230.JPG

CÂMARA DE FAMALICÃO LANÇA PROGRAMA INOVADOR DE APOIO FINANCEIRO A BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

Programa dirigido a investigadores/bolseiros com projetos em curso atribui prémios de 5.000 euros. Candidaturas abrem a 1 de fevereiro.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou, esta quinta-feira, a abertura do período de candidaturas ao Programa Municipal de Apoio Financeiro a Bolsas de Investigação, uma medida única, no âmbito municipal, de promoção da inovação empresarial por via do desenvolvimento de atividades de Investigação e Inovação (I&I) e a sua transferência para a indústria do concelho. O programa prevê a atribuição de cinco prémios a bolsas de investigação no valor de 5.000€ cada uma.

Roteiro_Created_In.jpg

Dirigido a investigadores e bolseiros com projetos de investigação em curso, aprovados por instituições oficiais, nacionais ou internacionais, o período de receção de candidaturas arranca a 1 de fevereiro e decorre até dia 30 de abril, através do site Famalicão MadeIN, em www.famalicaomadein.pt, onde vai estar o formulário de candidatura, bem como informação regulamentar sobre o programa.

“Tomamos como uma das principais prioridades a aposta num concelho criador, onde prolifera a inovação e são criadas condições para o desenvolvimento, através da investigação (…) para isso temos que reter e atrair talento e é esse um dos grandes objetivos desta iniciativa” refere o Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, lembrando tratar-se  “de uma medida que vai ao encontro do compromisso assumido com os famalicenses de criar um programa de bolsas de inovação, por forma a potenciar a competitividade económica do nosso concelho”.

Refira-se que esta medida vem no seguimento da implementação da estratégia municipal ‘do MadeIN ao CreatedIN’, que inclui o novo eixo de ação: MadeInovar. Esta nova abordagem do Famalicão MadeIn tem como objetivo a criação e o desenvolvimento de valor, procurando atrair empresas de base tecnológica, incentivar a transição – digital e climática -, promover a ciência, conhecimento e tecnologia, aproximar as entidades do Sistema de Investigação e Inovação (ENESII) e as empresas do território, assim como criar, atrair e reter talento e fomentar a coesão e o bem-estar social.

FAMALICÃO: DigitalReskiling É NOVA OPORTUNIDADE DE QUALIFICAÇÃO PARA 20 FORMANDOS

Programa para colmatar recursos e aumentar empregabilidade

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, em colaboração com o Instituto de Emprego e Formação Profissional e o Cesae Digital - Centro para o Desenvolvimento de Competências Digitais, assinalou esta quarta-feira, 25 de janeiro, o início do DigitalReskilling, um programa de requalificação profissional nas áreas emergentes das tecnologias digitais e business intelligence, com 20 formandos com qualificação de 12.ºano ou superior, mas em situação de desemprego, e que buscam aqui uma nova oportunidade de carreira.

AFS_6954.jpg

“É um programa que resulta de uma auscultação prévia das necessidades das empresas, que são parceiras do processo, e uma oportunidade para estas pessoas que, apesar das qualificações, não encontraram nas suas áreas de formação oportunidades profissionais”, começou por apontar Augusto Lima, vereador da Educação e Ciência do Município de Famalicão.

“O desenvolvimento de novas tecnologias, de programação digital e tratamento de dados, é hoje fundamental para as empresas do concelho, que incorporam cada vez mais tenologia, investigação e desenvolvimento no que produzem. Este programa requalifica pessoas e responde a esta necessidade”, acrescentou.

O curso tem a duração de 950 horas, com a formação teórica a realizar-se na Casa da Juventude e a restante (cerca de 450 horas) feita em contexto de trabalho, em empresas parceiras como a Salsa, TMG, Vieira de Castro, VLB Group, Primor, CMW Foundries, entre outras.

A formatação deste programa, pelo enquadramento e envolvimento de diferentes agentes (Município, IEFP e universo empresarial) é exemplar e deve ser replicado, uma ideia assinalada por Carla Vale, Diretora Regional do Instituto de Emprego e Formação Profissional. “As respostas devem ser dadas conforme as necessidades e está aqui uma grande oportunidade para integrar estes ativos no mercado de trabalho, com uma perspetiva de carreira”, disse.

O programa é o cumprir também das políticas municipais de promoção da qualificação e aprendizagem ao longo da vida, criando e alargando oportunidades de qualificação que vão de encontro ao mercado de trabalho, medida também enquadrada no Ano Europeu das Competências (European Year of Skills), para impulsionar a competitividade, a participação e o talento.

FAMALICÃO LANÇA OFERTA PÚBLICA DE AQUISIÇÃO DE 79 IMÓVEIS

No âmbito do Programa de Apoio ao Acesso à Habitação – 1.º Direito

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai lançar um procedimento de Oferta Pública de Aquisição, no valor de 10.5 milhões de euros, para a compra de 79 imóveis destinados a arrendamento no âmbito do Programa 1.º Direito.

DSC_0281.jpg

Com esta proposta, que estará em análise na reunião do executivo de amanhã, quinta-feira, 26 de janeiro, a autarquia liderada por Mário Passos agiliza assim o arranque da execução do Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, celebrado em parceria com o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) e que, no total, canaliza 62 milhões para a melhoria das condições de habitabilidade de mais de 800 agregados familiares do concelho.

A Oferta Pública lançada pela autarquia famalicense prevê assim a aquisição de 9 fogos habitacionais já edificados (4 de tipologia T2 e 5 de tipologia T3), em boas condições de conservação e prontos a habitar, sem necessidade prévia de realização de obras de reabilitação, e de 70 fogos a construir ou em construção (8 habitações T1, 21 de tipologia T2, 35 T3 e 6 de tipologia T4). Todos os fogos serão destinados aos beneficiários do Programa 1.º Direito/Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Para o presidente da Câmara Municipal, a habitação é atualmente um dos grandes desafios do concelho e do país. “Este é um problema estrutural que merece uma resposta sólida e forte da nossa parte e esta Oferta Pública de Aquisição é um pequeno grande passo que estamos a dar nesse sentido. O nosso parque habitacional é insuficiente para a procura, o valor do arrendamento e de compra é muito alto e nós sabemos que isto tem sido um entrave para muitas pessoas, sobretudo para os jovens que não conseguem concretizar os seus projetos de vida”, disse Mário Passos.

De acordo com o edital, para efeitos de determinação do preço a pagar pela aquisição dos fogos propostos, o Município considerará o produto das respetivas áreas brutas previstas pelo último valor mediano das vendas por metro quadrado de alojamentos familiares novos, por concelho, divulgado pelo INE.

Podem apresentar propostas de venda de fogos as pessoas singulares ou coletivas, de direito público ou privado. As propostas poderão ser apresentadas no portal online do município, em www.famalicao.pt, e o prazo para a sua apresentação termina às 17h00 do 30.º dia a contar da publicação do edital.

Recorde-se que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão tem 62 milhões de euros para investir durante seis anos na melhoria do parque habitacional do concelho, no âmbito do acordo de colaboração celebrado em outubro passado com o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) para a execução do 1.º Direito. O acordo assinado vai permitir melhorar as condições de habitabilidade de mais de 800 agregados familiares do concelho. O apoio permitirá financiar, a 100%, soluções de habitação para 817 agregados do concelho, correspondentes a 2947 pessoas, que não têm capacidade financeira para suportar o custo do acesso a uma habitação adequada e que estão já sinalizadas no diagnóstico da Estratégia Local de Habitação como potenciais candidatos ao 1.º Direito.

FAMALICÃO: A CIMENTEIRA DO LOURO INVENTA BETÃO DE ÚLTIMA GERAÇÃO

Empresa familiar começou pelo fabrico de salgadeiras e é agora referência mundial

A Cimenteira do Louro vai instalar em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, a nova unidade de produção do Slimcrete Wall, revestimento de betão leve, flexível, ultrafino e mais económico, que serve para revestir paredes e melhorar o processo de construção de todo o tipo de edifícios.

AFS_6721.jpg

Depois de quatro anos de investigação, o produto foi apresentado nas feiras de materiais de construção no último trimestre de 2022 e vai entrar em produção, garantindo uma solução “com múltiplas aplicações, com destaque para os processos de reabilitação a que estamos a assistir nas grandes cidades, que permitem economizar cerca de 60% em matérias-primas, transporte e mão de obra” começou por enumerar Dinis da Silva, CEO da empresa, na apresentação desta nova solução no âmbito do roteiro Famalicão Created IN.

“Este é um mercado em permanente evolução e nós procuramos apresentar qualidade, design, performance e resistência, em diversos materiais e soluções. E é para corresponder a esta exigência que investimos em investigação e desenvolvimento de produtos, como este que estamos a apresentar ao mercado, que além das caraterísticas únicas é ainda um produto amigo do ambiente, fabricado com tecnologias produtivas com reduzidas emissões de CO2”, explicou. 

A história empresarial d'A Cimenteira do Louro é também a história de uma empresa familiar, iniciada pelo patriarca Manuel Leitão da Silva, que começou por produzir artefactos em cimento - as salgadeiras, bebedouros para animais, os tradicionais tanques de lavar roupa - e se transformou numa referência na produção de pavimentos e revestimentos, presente em infraestruturas, edifícios, obras públicas ou projetos de arquitetura em mais de 80 países. Em 2022 a empresa teve um volume de negócios a rondar os 23 milhões de euros.

O presidente da Câmara de Famalicão, Mário Passos, parabenizou A Cimenteira do Louro pelos 48 anos, celebrados precisamente esta terça-feira, 24 de janeiro, salientando a capacidade de adaptação da empresa às dinâmicas do mercado. “Famalicão é um território de criação, inovação, investigação e desenvolvimento tecnológico e A Cimenteira do Louro representa muito isto, patente neste novo produto, que é mais um de tantos outros que nos foram aqui apresentados e que fazem da marca referência mundial. A sua internacionalização gera valor acrescentado nas suas dinâmicas, para os seus trabalhadores e para o seu crescimento”.

Com o início da produção do Slimcrete Wall, A Cimenteira do Louro prevê criar 12 novos postos de trabalho, a juntar aos 150 trabalhadores que já emprega nas unidade do Louro e Lousado.

AFS_6787.jpg

FAMALICÃO: REVESTIMENTO DE BETÃO LEVE E FLEXÍVEL D’A CIMENTEIRA DO LOURO PROMETE REVOLUCIONAR SETOR DA CONSTRUÇÃO

Roteiro Famalicão Created IN comemora amanhã os 48 anos da empresa famalicense

Nasceu vocacionada para a produção de pavimentos e revestimentos em betão, numa pequena unidade de produção no Louro, em Vila Nova de Famalicão, e hoje tem produtos espalhados por todo o mundo, em obras arquitetónicas de referência. Mas A Cimenteira do Louro não se ficou pela produção e é hoje uma marca pioneira no desenvolvimento de novos produtos, soluções e materiais para os diferentes setores da Construção.

AFS_9016.jpg

A última patente da marca promete, de resto, revolucionar o setor: um revestimento de betão leve, flexível, ultrafino e mais económico, para revestir paredes e melhorar o processo de construção de todo o tipo de edifícios.

O Slimcrete Wall é resultado de quatro anos de investigação e desenvolvimento de produto e, por comparação com outros produtos de betão, permite a uma construtora economizar cerca de 60% em matérias-primas, transporte e mão de obra. O produto é também amigo do ambiente porque é fabricado com tecnologias produtivas com reduzidas emissões de CO2.

A Cimenteira do Louro comemora esta terça feira, 24 de janeiro, precisamente 48 anos, uma história que tem sido feita de um crescimento notável, sendo marca de referência do setor pelo saber técnico, a que aliou investigação e inovação no desenvolvimento de produtos, que se caraterizam pelo design inovador, qualidade, performance e resistência, em diversos materiais e soluções para a construção.

Este carater inovador é razão para a visita do presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Mário Passos, esta terça-feira, 24 de janeiro, pelas 11h15, no âmbito do roteiro Famalicão Created IN, com visita à unidade de produção de Lousado (Rua da Indústria, 41), onde está instalado o showroom da empresa.

AFS_8895.jpg

FAMALICÃO: PAN INSISTE EM OBTER ESCLARECIMENTOS SOBRE A CENTRAL FOTOVOLTAICA DE OUTIZ

A Comissão Política Concelhia do PAN Famalicão questionou as Juntas de Freguesia de Brufe, Calendário, Vilarinho das Cambas, assim como a União de Freguesias Gondifelos, Cavalões e Outiz.

No seguimento de várias diligências junto da Câmara Municipal, e tendo esta recusado, até ao momento, o acesso aos documentos administrativos relativos ao processo do projeto da central fotovoltaica de Gemunde, o PAN Famalicão solicitou informações, às Juntas de Freguesia envolventes à zona da instalação da central fotovoltaica que levou, como defende o partido, a um dos maiores atentados ambientais do concelho, com o abate de quase 300 sobreiros e a ocupação de zona de agrícola.

Entre as demais informações pretendidas, algumas das questões colocadas pelo partido às Juntas de Freguesia passaram pelo esclarecimento acerca da data de notificação sobre a instalação da central, por parte da Câmara Municipal às mesmas, e ainda, se foi realizada alguma sessão de esclarecimento à população e os seus resultados,  e qual o parecer das Juntas em relação a este projeto. 

Defendemos que a transparência deve ser um dos princípios basilares da administração pública, e por isso, consideramos fundamental esclarecer todo este processo junto dos representantes locais.” refere Sandra Pimenta.

Como é do conhecimento público, o PAN Famalicão tem levado a cabo várias diligências no sentido de obter informação sobre a instalação da central fotovoltaica em Gemunde, Outiz não tendo, até à data, obtido qualquer tipo de resposta por parte da Câmara Municipal “a única informação que é pública é o pedido da empresa requerente que deu entrada junto dos serviços municipais em final de 2020, pelo que se constata uma falta de transparência relativa a este projeto, onde a resposta ao pedido de acesso ao processo administrativo do projeto está a ser mais demorada que o próprio licenciamento.” conclui a porta-voz. 

Paralelamente, importa ao partido obter um cabal esclarecimento sobre quantos projetos para a instalação de centrais fotovoltaicas ou centros eletroprodutores deram entrada nos serviços municipais, assim como quais os locais previstos para a instalação dos mesmos e as áreas correspondentes, pelo que o partido solicitou, novamente, estas informações à Câmara Municipal.

FAMALICÃO RECONDUZIDO NA COORDENAÇÃO DA REDE DAS CIDADES EDUCADORAS

Reconhecimento dos parceiros aconteceu no encontro nacional  realizado em Valongo

O Município de Vila Nova de Famalicão foi reeleito para a Comissão de Coordenação da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras, órgão que integra ainda representantes dos Municípios de Lisboa, Torres Vedras, Águeda, Lagoa, Santo Tirso e Valongo. A Comissão foi eleita pelos 52 municípios que participaram no Encontro Nacional realizado esta sexta-feira, 20 de janeiro, no Fórum Cultural de Ermesinde, em Valongo.

Membros da Nova Comissão Coordenadora da RTPCE.jpeg

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Mário Passos, salienta que a eleição “é motivo de satisfação e de responsabilidade”, certo de que este papel é reflexo “do trabalho que tem sido desenvolvido na educação, uma sementeira onde germinam cidadãos do futuro, e do compromisso que Famalicão assume com políticas municipais amplas, que privilegiam o princípio da diferenciação e da não discriminação, na implementação de uma educação inclusiva de qualidade, e ao longo da vida. É exemplo o investimento municipal que assegura, desde o ensino pré-escolar, o conhecimento e o fomento da capacidade de inovação, que se reflete na veia empreendedora deste concelho”.

Augusto Lima, Vereador da Educação e Ciência, apresentou os argumentos do concelho para continuar a trabalhar na coordenação do projeto nos próximos dois anos. “Orgulhamo-nos de ser uma Cidade Educadora e à semelhança do que fazemos desde 2019, aquando da primeira eleição, neste mandato vamos continuar a trabalhar para criar sinergias, estabelecer pontes e sedimentar o trabalho em rede neste fórum, envolvendo e partilhando saberes, para construir um futuro melhor para todos” afirmou.

O conceito de ‘Cidade Educadora’ é um modelo de gestão e desenvolvimento que atravessa toda a administração municipal, não se resumindo ao âmbito escolar, e que envolve toda a comunidade e os seus agentes.

Refira-se que o Município de Vila Nova de Famalicão aderiu em 2010 à Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE), passando a integrar também a Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras, organismos que promovem a troca e a partilha de experiências no âmbito da educação, em toda a sua abrangência, e que entendem a cidade como um espaço de oferta de importantes elementos para uma formação integral do indivíduo.

FAMALICÃO QUER AFIRMAR-SE COMO MARCA TURÍSTICA

Tomada de Posse do Conselho Municipal do Turismo aconteceu ontem, na Casa da Juventude

 “Famalicão tem todas as condições para dar o salto e transformar-se numa marca turística de referência.” A afirmação é do Presidente da Câmara Municipal e um dos membros do Conselho Municipal do Turismo de Vila Nova de Famalicão que tomou posse esta quarta-feira, 17 de janeiro, na Casa da Juventude, e que é constituído por representantes de diversos serviços municipais e parceiros locais e institucionais, ligados ao turismo.

Conselho Municipal de Turismo20230118_0020.jpg

“O turismo promove e prestigia o concelho, e isso contribui para a competitividade territorial” realçou Mário Passos. “Temos que canalizar esforços e aproveitar potencialidades no sentido do de promover Famalicão como destino turístico de relevo (…) isso apenas é possível com a ajuda e os contributos da força motriz no âmbito do turismo”, acrescentou, referindo-se aos membros do Conselho.

Ao longo da reunião houve uma profícua troca de impressões entre os parceiros presentes, entre os quais se incluem representantes do Turismo do Porto e Norte de Portugal (Entidade Regional), da Comunidade Intermunicipal do Ave (CIM do Ave), da Associação Comercial e Industrial de Famalicão (ACIF), da Associação de Restaurantes de Famalicão (AR Famalicão), entre outros, com vista a avaliação do panorama turístico local e análise das potencialidades.

O Conselho Municipal do Turismo voltará a reunir-se em meados de setembro, sendo que, durante este intervalo, serão criados grupos de trabalho com vista a conceção de planos de ação para o desenvolvimento turístico de Famalicão.

FAMALICÃO: AGÊNCIA ERASMUS+ VEIO CONHECER AS BOAS PRÁTICAS DAS ESCOLAS FAMALICENSES

A Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação, com responsabilidades na gestão do Programa em Portugal, esteve ontem, 17 de janeiro, em Famalicão, fazendo-se representar por uma comitiva liderada pela diretora da Agência Nacional, Cristina Perdigão. Após a receção nos Paços do Concelho, da parte da manhã, pelo Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, seguiu-se uma reunião de trabalho tendo em vista fazer um ponto de situação local e nacional do programa e das prioridades europeias, e partilhar as oportunidades do programa na área da educação e formação, com a presença dos vereadores da Educação e da Juventude, respetivamente, Augusto Lima e Luísa Azevedo.

rececao_erasmusmais_20230117.jpg

Refira-se que a visita também teve como objetivo conhecer as melhores práticas das escolas do concelho nestes projetos europeus, bem como capacitar professores e membros das escolas para a utilização deste programa comunitário nos seus âmbitos de atuação.

As Escolas Secundárias Camilo Castelo Branco e D. Sancho I serviram de amostra do trabalho que as escolas do concelho já realizam na dinamização do Programa Erasmus+, e a Casa do Território, no Parque da Devesa, acolheu uma sessão de informação e capacitação, com participantes de todos os agrupamentos de escolas do concelho, onde foram apresentadas as principais novidades e prioridades para 2023, nomeado de ‘Ano Europeu das Competências’ pela Comissão Europeia, com foco no ensino profissional e na educação de adultos enquanto áreas de relevo para estratégias futuras.

Só este ano letivo, 2022/2023, foram implementados 52 projetos no âmbito do programa Erasmus+ por escolas famalicenses - públicas e de ensino profissional -, que envolveram um total de 5561 alunos, essencialmente do 3.º ciclo e do ensino secundário, e 605 docentes em ações de mobilidade e ações realizadas nos próprios estabelecimentos de ensino, bem como candidaturas e participação em projetos de âmbito europeu.

FAMALICÃO: “A QUESTÃO SOCIAL DA I REPÚBICA” É O TEMA DO CICLO DE CONFERÊNCIAS DO MUSEU BENARDINO MACHADO

Conferências decorrem de janeiro a outubro de 2023. A entrada é livre.

‘A Questão Social da I República (1910-1926)’ é o tema da edição deste ano do Ciclo de Conferências do Museu Bernardino Machado que decorre de janeiro a outubro de 2023. São nove, os encontros mensais com entrada livre que acontecem sempre à sexta-feira, pelas 19h00, no Arquivo Municipal Alberto Sampaio e no Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão.

ciclo_conf_mbm_2022.jpg

De acordo com o coordenador científico do Museu Bernardino Machado, Norberto Cunha, a temática deste ano do Ciclo de Conferências é inspirada na “atual aceleração das desigualdades sociais, do encarecimento das subsistências e da carência das mais elementares para um número cada vez maior de cidadãos”, potenciada pela “acuidade inesperada decorrente da Guerra entre a Ucrânia e a Rússia e as suas calamitosas e dolorosas consequências internacionais, especialmente nos planos migratório e na escassez alimentar mundial”.

O Professor Catedrático da Universidade do Minho, atualmente aposentado, recorda que esta questão “não é de hoje, mas, historicamente, recorrente (agudizada pelos conflitos armados de grande dimensão e pelas guerras civis) sendo as soluções alcançadas, em geral, débeis e de compromisso”“São essas soluções débeis e de compromisso que, no passado, têm sido alcançadas para resolver ou estancar a questão social que serão o alvo privilegiado do nosso Ciclo de Conferências de 2023”, acrescenta.

A iniciativa, que conta com a participação de investigadores e académicos especialistas na temática, arranca a 27 de janeiro, precisamente com uma sessão protagonizada por Norberto Cunha, que vai abordar ‘A questão social na I República: uma síntese’, no Arquivo Municipal Alberto Sampaio.

Já nas restantes sessões serão abordados assuntos como: ‘A questão social nos programas dos partidos republicanos’; ‘A questão social na imprensa satírica entre a Monarquia e a República’; ‘A questão social no anarquismo português’; ‘A questão social no Partido Socialista (1910-1926)’; ‘As aspirações sociais do sindicalismo revolucionário (1906-1933)’ (23 de junho); ‘A questão social no Governo da Esquerda Democrática’; ‘As greves na I Republica (1910-1926)’; e, por último, ‘A legislação laboral e social na I República’.

Os primeiros quatro encontros vão decorrer no Arquivo Municipal, sendo que, a partir de maio, as sessões passam para o Museu Bernardino Machado, que, até abril, acolhe a exposição temporária ‘Abraço vivamente a sua ideia. Bernardino Machado e José Leite de Vasconcelos e os Museus de Portugal’ que ocupa a totalidade do piso térreo.

O programa completo está disponível no site do Museu Bernardino Machado em http://www.bernardinomachado.org/.

Cartaz_CicloConf_MBM2023.jpg

PS DE FAMALICÃO REALIZA FÓRUM EM PROL DA POLÍTICA DE PROXIMIDADE

Eleitos socialistas promovem debate e prestam contas do trabalho realizado

O Partido Socialista de Vila Nova de Famalicão irá realizar no dia 28 de janeiro o fórum “Ouvir para agir: PS presta contas”. A iniciativa decorre a partir das 17h no auditório da Associação Teatro em Construção, na vila de Joane.

PS de Famalicão ouve os famalicenses 2.JPG

“Queremos ouvir as pessoas, debater ideias e procurar soluções. A construção de um futuro melhor é um trabalho coletivo”, explica Eduardo Oliveira, presidente do PS de Vila Nova de Famalicão.

O fórum tem como objetivo prestar contas a toda sociedade civil do trabalho desenvolvido pelos eleitos socialistas. “Acreditamos na política de proximidade, por isso, consideramos importante debater com a comunidade sobre o trabalho que está a ser feito ao longo dos mandatos dos deputados municipais, dos vereadores, dos membros das assembleias de freguesia e do deputado à Assembleia da República”, destaca Eduardo Oliveira.

O presidente do PS de Vila Nova de Famalicão salienta que “a participação ativa da comunidade é fundamental para o êxito do nosso trabalho e para o desenvolvimento do nosso território”.

O Presidente do PS de Vila Nova de Famalicão Eduardo Oliveira refere ainda que "é importante a participação de todos na vida política do concelho".

Cartaz OUVIR PARA AGIR PS-Famalicão presta contas.jpeg

CapturarPSFAMAL (1).JPG

FAMALICÃO ESTÁ PRONTO PARA O FUTURO

Mário Passos apresentou novo Plano Estratégico do concelho para o período 2022-2030

A sustentabilidade é o conceito central e transversal do novo Plano Estratégico de Vila Nova de Famalicão. A estratégia que vai nortear a ação autárquica até 2030 foi apresentada na passada sexta-feira, 13 de janeiro, pelo presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, que fala num documento estruturante que responde “às exigências contemporâneas para a qualidade de vida das gerações atuais e, simultaneamente, das gerações futuras de Famalicão”.

Famalicão está pronto para o futuro (1).jpg

O documento foi apresentado no decorrer da conferência “Famalicão.30 – Estratégia de Desenvolvimento de Vila Nova de Famalicão para o período 2022-2030” que decorreu no Centro de Estudos Camilianos, numa organização conjunta do jornal ECO e da autarquia famalicense.  

“Ser uma comunidade tecno-industrial conectada, num território verde multifuncional” é assim a visão da estratégia Famalicão.30 que define como missão tornar Vila Nova de Famalicão numa comunidade cada vez mais coesa, aberta, diversa, humanizada e resiliente. Uma comunidade tecno-Industrial, cada vez mais competitiva e circular e envolvida nos processos de transição digital e verde. Um território verde, multifuncional, conectado interna e internacionalmente, infraestruturado para a comunicação e ação digital, valorizador da sustentabilidade, da proximidade e habitabilidade do território.

A estratégia municipal para o período 2022-2030 aponta ainda para o posicionamento e desenvolvimento de um território sustentável do ponto de vista social, ambiental e económico, pilares descritos como essenciais para o presente e futuro do concelho, para a coesão social, qualidade de vida e crescimento do território.

“Objetivos que assumimos com coragem e determinação”, acrescenta Mário Passos, para quem este novo plano estratégico “não é uma receita mágica”, mas sim “uma visão coletiva do futuro que queremos construir”. “As direções que aqui apontamos não são fruto de um desenho a regra e esquadro. São resultado daquilo que Famalicão quer para o seu futuro, resultado da expectativa, da leitura e da interpretação dos anseios dos famalicenses”, disse.

O novo Plano Estratégico de Vila Nova de Famalicão, que Mário Passos classificou também como “dinâmico, ágil, e permanentemente suscetível de novas atualizações”, define dois programas farol, transversais a todas as áreas. Um com incidência na questão climática, que estará presente em todas as ações municipais, com medidas concretas tendo em vista a neutralidade carbónica; e um outro com incidência na questão demográfica.

A sua operacionalização é estruturada por cinco agendas: Famalicão Integrador; Famalicão Qualificado; Famalicão Dinâmico, Famalicão Ecológico e Famalicão Participativo.

Recorde-se que a estratégia Famalicão.30 respeita os compromissos eleitorais assumidos por Mário Passos e alinha a estratégia municipal com as prioridades e recursos das estratégias internacionais e nacionais, nomeadamente os “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS” e o ciclo em curso de programação europeia, nomeadamente o PT 2030 e o PRR. A sua conceção e estruturação recorreu a um amplo processo de consulta, envolvimento e participação pública que decorreu de 26 de março a 30 de abril de 2022, no âmbito do programa “Os Dias de Famalicão.30”, com o contributo de cerca de mil famalicenses.

O documento final está disponível para consulta em https://www.famalicao.pt/famalicao-30.

Famalicão está pronto para o futuro (2).jpg

Famalicão está pronto para o futuro (3).jpg

FAMALICÃO: PAN APRESENTA SUGESTÕES PARA O PLANO MUNICIPAL DA JUVENTUDE

A Comissão Política Concelhia de Famalicão enviou as suas sugestões para o “Plano Municipal da Juventude de Famalicão”, referentes ao período de auscultação pública, promovido pelo Município e pela Casa da Juventude de Famalicão.

A participação em iniciativas de auscultação pública, ou de consulta pública, é de extrema relevância, especialmente porque as mesmas referem-se a assuntos que ditam a forma como o nosso Concelho se organiza e a forma como as temáticas se concretizam no terreno.” refere Sandra Pimenta, acrescentando “aconselhamos todas as pessoas a aproveitar as raras oportunidades que têm para participar na atividade política no concelho.” 

Da informação disponibilizada, salientamos a importância do mesmo proceder à auscultação de associações juvenis, das escolas do concelho e entidades públicas e privadas, contudo, o partido considera que não é claro quem são estas entidades privadas, assim como o universo de escolas e de alunos que foi auscultado foi muito reduzido. Paralelamente, desconhece-se se foi divulgado nas Juntas de Freguesia esta iniciativa e de que forma se incentivou a participação dos jovens.

Um dos pontos fundamentais, e que este Plano não refere, diz respeito às questões LGBTI, “lamentavelmente, uma vez mais esta comunidade foi colocada de parte”. Neste sentido o partido propôs quer a realização de campanhas de esclarecimento às famílias sobre as questões LGBTI, quer ações de sensibilização sobre os diversos tipos de discriminação, na busca de prevenir e erradicar o preconceito e a violência contra crianças e jovens LGBTI.

O partido apresentou propostas no sentido de garantir uma maior participação dos jovens na discussão das políticas locais, mas também que exista um forte reforço do investimento na reabilitação e construção de habitação pública para arrendamento acessível jovem, capaz de competir com a oferta privada. 

A promoção do empreendedorismo verde, a promoção de uma alimentação saudável, ou a questão da acessibilidade e da mobilidade suave, não foram esquecidas pelo partido.

Paralelamente, foi sugerido a promoção de concursos literários, design, musicais, ilustração e implementação de ideias jovens na arquitetura do concelho, assim como o incentivo ao envolvimento jovem no desenvolvimento de projetos que promovam uma estreita relação entre escolas e CROA.

“Temos alguma curiosidade em saber como é que este executivo vai dar resposta a um dos objetivos a que se propôs, “aumentar o número de espaços verdes e agrícolas”. Considerando a destruição ambiental massiva a que temos assistido no concelho, só mesmo um ato de magia para solucionar o problema.” finaliza a porta-voz.

FAMALICÃO: MÁRIO PASSOS SUGERE AO PRIMEIRO-MINISTRO UM “NOVO PARADIGMA PARA AS ESCOLAS PROFISSIONAIS”

António Costa esteve na Riopele, em Famalicão,  no âmbito do roteiro PRR

O Presidente da Câmara Municipal de VIla Nova de Famalicão defendeu hoje a necessidade de criação de uma nova geração de escolas profissionais, que ajustes os conteúdos e as práticas educativas, às exigências contemporâneas das empresas.

DSC_6116.jpg

A ideia foi parttilhada com o Promeiro Ministro de Portugal, António Costa, durante uma visita à empresa Riopele, no âmbito do denominada "Roteiro PRR", com a qual se pretende verificar no terreno projetos já em marcha em todo o território nacional.

António Costa, concordou com o autarca e referiu os cerca de 300 centros novos tecnológicos que estão a ser criados nas Escolas Profissionais por via do PRR já como uma resposta a essa exigência.

A escolha da Riopele para esta jornada de trabalaho teve a ver com o facto de esta ser uma das empresas aderentes ao projeto Lusitano, inserido na Agenda Mobilizadora para a Inovação Empresarial da Indústria Têxtil e do Vestuário de Portugal, liderado pela Nau Verde, e que pretende acelerar a transformação estrutural da ITV nacional através da aposta na investigação e desenvolvimento de novas soluções baseadas em fibras naturais e/ou recicladas, na produção de fio reciclado/natural, mas também na procura de soluções energéticas e de gestão de recursos para sector.

No caso concreto da Riopele a empresa quer ser até 2027 uma das primeiras empresas do setor a nível europeu operacionalmente neutra em carbono,  através de um investimento de 35 milhões de euros que tem vindo a fazer na transição digital e sustentabilidade e te, como meta, entre outras, chegar aos 100% de aproveitamento dos resíduos têxteis via reciclagem, pretendendo que 80% dos produtos comercializados possuam componentes de sustentabilidade.

“A trajetória da Riopele evidencia bem o que se está a passar em Vila Nova de Famalicão ao nível de um novo paradigma industrial. Um paradigma gerado a partir de redes de colaboração, de investigação e de inovação”, refere Mário Passos dizendo que a marca Famalicão Created In é cada vez mais uma realidade no território.

DSC_6163.jpg

MATERNIDADE DE FAMALICÃO NÃO FECHA

Presidentes das Câmaras de Santo Tirso, Famalicão e Trofa regozijam-se com garantia deixada  pelo  diretor do SNS

Os Presidentes das Câmaras Municipais de Santo Tirso, Famalicão e Trofa, Alberto Costa, Mário Passos e Sérgio Humberto, respetivamente, regozijam-se publicamente pela decisão do Governo de não encerramento da maternidade do Centro Hospitalar do Médio Ave que serve os três municípios e que está instalada em Famalicão.

hospital (1).jpg

A decisão dada a conhecer hoje pelo diretor do SNS, Fernando Araújo,  defende os superiores interesses públicos da região e é essencial para a competitividade, inclusivamente demográfica, de um território que é dos mais produtores e exportadores do país.

“Depois da reunião com o Sr. Ministro da Saúde, que tivemos em outubro passado, ficámos descansados com o conhecimento que o Sr. Ministro demonstrou ter sobre a importância desta maternidade e sobre a excelência do trabalho lá desenvolvido. Esta decisão confirma a propriedade desse sentimento e não esperávamos outro desfecho que não este”, referiram os Presidentes da Câmara, Mário Passos, Alberto Costa e Sérgio Humberto

Recorde-se que o encerramento da maternidade do Centro Hospitalar do Médio Ave era uma das possibilidades adiantadas pelo estudo da Comissão de Acompanhamento de Resposta às Urgências de Ginecologia/Obstetrícia.

O Centro Hospitalar do Médio Ave está inserido numa região de grande força e vitalidade económica e social, servindo cerca de 250 mil habitantes. A administração tem sede em Santo Tirso, gerindo o Hospital Conde de São Bento, em Santo Tirso, e o Hospital S. João de Deus, em Famalicão. Em 2022 o Centro Hospitalar do Médio Ave registou um total de 1174 nascimentos, um acréscimo de 17% em comparação a 2021.

Os três Presidente de Câmara, que desevnvoveram um ação concertada na defesa da manutenção da maternidade, que permitiu ganhar força política e sensibilizar o poder central para o erro que seria o encerramento da maternidade de famalicão, reforçam o seu contentamento com a decisão e reafirmam o seu compromisso “em contribuir para manter e elevar a qualidade dos serviços prestados no Centro Hospitalar do Médio Ave.”

AS MÁSCARAS ESTÃO DE VOLTA A FAMALICÃO

Cidade já prepara a grande noite de Carnaval

As máscaras estão de volta a Vila Nova de Famalicão que já prepara aquela que é a noite mais divertida e longa do ano – a noite de Carnaval. O pico da diversão já tem data e hora marcada: na noite do dia 20 de fevereiro, a cidade volta a encher-se com a boa disposição, alegria, criatividade e loucura das milhares de pessoas que escolhem Vila Nova de Famalicão para viver esta noite de folia.

AFS_0909.jpg

O regresso à tão desejada normalidade, depois de dois anos marcados pela pandemia e pelo distanciamento social que ditou a não realização do Carnaval em 2021 e 2022, deu o mote para a campanha de comunicação do Carnaval de Famalicão 2023, preparada pela Câmara Municipal e que anuncia o tão desejado e feliz regresso das máscaras - “As máscaras estão de volta” -, mas desta vez das máscaras e fantasias carnavalescas.

Este ano, para além do palco principal instalado na Rua Luís Barroso, a autarquia vai também instalar outros dois espaços com animação a seu cargo: na Praça 9 de Abril e nas traseiras da Fundação Cupertino de Miranda, na Praça D. Maria II. Outra novidade é a existência de uma nova praça da alimentação, na Praceta Cupertino de Miranda, a par da já existente na Rua Padre Benjamim Salgado.

Este ano repete-se a aposta na sustentabilidade ambiental e na consciencialização da comunidade para a necessidade de redução do consumo de plástico, com a utilização de copos de plástico reutilizáveis em todos os estabelecimentos aderentes.

Recorde-se que o Carnaval de Famalicão começou nos anos 80. Desde aí que não para de crescer e é já um fenómeno nacional. Famílias inteiras, grupos de amigos, equipas mais ou menos organizadas invadem a cidade, num movimento contagiante de alegria e muita folia. Os bares e cafés abrem as portas e juntam-se à festa com os seus DJs a oferecerem música aos foliões, madrugada dentro. Uma mega festa coletiva onde todos se divertem e onde a única regra é mesmo vir fantasiado.

Para que ninguém falte à festa, a Câmara Municipal vai mais uma vez apostar num vasto plano de mobilidade, assegurando a participação em segurança dos milhares de foliões.

Do programa de animação faz ainda parte um desfile e concurso de mascarados. A alegrar a noite estará ainda a Banda Myllenium. Para além da noite de Carnaval, a Câmara Municipal aposta também numa descentralização da animação carnavalesca em várias freguesias do concelho.

Programa do Carnaval de Famalicão 2023 disponível para consulta em www.famalicao.pt.

325362919_873473763800469_6947683022391625248_n.jpg