Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO REABILITA CASA DAS ARTES

 

Casa das Artes de Famalicão prepara regresso de férias mais bonita e funcional. Reabilitação dos espaços interiores e exteriores está em curso

Enquanto que uma parte significativa da população está a gozar férias, a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão está a sofrer uma reabilitação dos seus espaços para oferecer ao seu público a qualidade e o conforto que merece. Vai ficar mais bonita, mais eficiente e funcional! A Casa das Artes está a ser completamente pintada e vai surgir com uma cara rejuvenescida e preparada para cruzar a celebração de duas décadas de intensa atividade.

083A6457.JPG

Habitualmente, a Casa das Artes encontra-se encerrada em agosto, mas este ano, calmaria é o que não existe naquele espaço.  São dias de azáfama!

Os atores, os músicos ou bailarinos que preparam os seus espetáculos deram lugar a um grupo de técnicos, pintores e engenheiros que se mobilizam para executar a empreitada.

Os trabalhos são acompanhados de perto pelo diretor da Casa das Artes para que os trabalhos possam correr de forma célere e sem interrupções.

Parte do pessoal técnico da Casa das Artes dá apoio à execução dos trabalhos, orientando abordagens e resguardando os materiais mais sensíveis.

Tudo em prol de uma maior qualidade e conforto para todos os que fazem da Casa das Artes um elemento vivo da Cultura em Vila Nova de Famalicão, na região e no país.

O interior deste teatro municipal está transformado num estaleiro de obras. Não se trata apenas de uma operação cosmética. Para além das necessárias pinturas, vários materiais serão substituídos, com especial incidência para a alcatifa que se estende pela maioria dos espaços frequentados por público e profissionais das artes.

Os camarins também vão apresentar-se rejuvenescidos e com melhores condições para acolher os artistas.

Neste momento, o palco do grande auditório carrega, provisoriamente, as quase 500 cadeiras que o público habitualmente ocupa nos espetáculos, para possibilitar a colocação da nova alcatifa e limpeza do sistema de ventilação/climatização.

Paralelamente à renovação do interior, a Casa das Artes tem em curso também uma profunda intervenção na melhoria da eficiência energética. Neste domínio estão a ser intervencionados os equipamentos de climatização e a substituição da iluminação, bem como a pintura exterior do edifício.

Por isso, em setembro, a reabertura da Casa das Artes vai apresentar um espaço renovado e com condições melhoradas. Um novo capítulo será escrito neste equipamento cultural de referência e que está reservado já como o seu lugar nas artes e no espetáculo.

083A6475.JPG

083A6433.JPG

083A6447.JPG

FAMALICÃO HOMENAGEIA BEATRIZ BATARDA

Ymotion 2019 vai homenagear a atriz Beatriz Batarda

Homenagem na gala final do Festival de Cinema Jovem de Famalicão, no dia 9 de novembro, às 21h30, no Centro de Estudos Camilianos

Beatriz Batarda2.jpg

A atriz portuguesa Beatriz Batarda, que em 2018 completou 25 anos de carreira, vai ser homenageada na gala final do Ymotion - Festival de Cinema Jovem de Famalicão, marcada para o dia 9 de novembro, no auditório do Centro de Estudos Camilianos, em Vila Nova de Famalicão.

“Este ano o Ymotion presta homenagem à mais premiada atriz portuguesa da sua geração, Beatriz Batarda. Estrela de obras como “Sangue de Meu Sangue”, “Alice” ou “Comboio Noturno para Lisboa”, a atriz é também a fundadora do grupo teatral Arena. Mais do que uma atriz, Beatriz Batarda é a luz de um certo cinema português”, refere a propósito Rui Pedro Tendinha, crítico de cinema e comissário do festival de curtas metragens promovido pelo pelouro da Juventude da Câmara Municipal de Famalicão.

Desde o seu arranque, em 2015, o Ymotion homenageou já António Pedro Vasconcelos, Joaquim de Almeida, Rita Blanco e Lúcia Moniz.

O festival, que vai atribuir 2500 euros à melhor curta-metragem a concurso e que já posicionou Vila Nova de Famalicão como a capital do cinema jovem em Portugal, vai já na sua quinta edição e tem atualmente as candidaturas abertas, com a submissão de filmes a decorrer até ao dia 6 de outubro.

Dirigido aos jovens entre os 12 e os 35 anos, o Ymotion assume-se cada vez mais como uma verdadeira plataforma de incentivo ao novo cinema nacional. Para além da vertente competitiva, tem ainda associada uma série de iniciativas, tais como workshops, palestras e mostras de cinema.

Este ano, o Festival de Cinema Jovem de Famalicão vai além-fronteiras e estabelece um intercâmbio com o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo - um dos maiores festivais dedicados ao formato curta-metragem no mundo – com a exibição, em novembro, dos filmes que compuseram a edição deste ano do festival brasileiro.

Com exceção para o argumentista Tiago R. Santos e o jornalista Tiago Fernando Alves, a quinta edição do Ymotion conta com novos nomes no painel de jurados: a atriz Soraia Chaves, o professor, ilustrador e animador digital Pedro Mota Teixeira, o humorista Nuno Markl, o jornalista Vitor Moura e a realizadora Inês Sá Frias.   

Recorde-se que serão atribuídos os seguintes prémios: “Grande Prémio Joaquim de Almeida”, no valor de 2500 euros; “Prémio Escolas Secundárias” e “Prémio Melhor Documentário”, no valor de 750 euros, “Prémio Melhor Curta de Animação”, no valor de 600 euros, “Prémio do Público”, no valor de 350 euros; e prémios para “Melhor Elenco”, “Melhor Direção de Fotografia” e “Melhor Argumento”, no valor de 250 euros.

Mais informações sobre o Ymotion em www.ymotion.org 

FAMALICÃO ACOLHE FESTIVAL DE MÚSICA CELTA

Festival de música celta realiza-se nos dias 23 e 24 de agosto, em Arnoso Santa Eulália.

Sons da Celtibéria invadem Famalicão no próximo fim-de-semana

No fim-de-semana de 23 e 24 de agosto, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão convida todos os famalicenses a entrarem numa viagem pela musica celta, com a sétima edição dos Sons da Celtibéria.

Óscar Ibáñez & Tribo.jpg

O festival vai ter lugar no Largo do Mosteiro de Arnoso Santa Eulália e todas as iniciativas têm entrada livre.

O grande destaque vai para a atuação do conhecido gaiteiro e flautista de Pontevedra, Oscar Ibañez, na noite do dia 24, num concerto que promete transmitir a alegria contagiante da música galega e o talento dos músicos que habitualmente o acompanham – a banda Tribo.

A abertura do evento, no dia 23, estará ao cargo do Grupo Zés P’reiras Os Delaenses, às 18h00. Seguem-se as exibições do grupo famalicense Pedra D’Água, às 21h30, e da Banda Marcial de Arnoso, às 22h30.

No dia seguinte, sábado, dia 24, para além do concerto de Óscar Ibañez, o dia vai também ficar marcado pelas atuações do Grupo de Concertinas Monte Santo André, de Arnoso Santa Eulália, às 20h30, e pelo concerto dos Gaiteiros da Ponte Velha, de Santo Tirso, às 21h30.

Durante os dois dias do festival decorrerá ainda no recinto uma mostra de produtos da terra e artífices, com o melhor do artesanato e da gastronomia local. 

Recorde-se que a iniciativa “Sons da Celtibéria” nasceu em 2013 com o objetivo de promover a fruição e um novo olhar sobre a música tradicional do país e da região então denominada Celtibéria.

A organização do evento conta com o apoio da União de Freguesias de Arnoso Santa Maria, Arnoso Santa Eulália e Sezures.

FAMALICÃO: CEBOLAS FAZEM FESTA EM GONDIFELOS

Evento realiza-se a 24 e 25 de agosto

É uma das maiores e mais antigas feiras das cebolas de Portugal e um marco na história da freguesia de Gondifelos. O evento que decorre no fim-de-semana de 24 e 25 de agosto, no Parque de Campismo da freguesia cumpre a tradição ancestral da Feira das Cebolas.

DSC_5226.jpg

São dois dias de festa, onde as cebolas são rainhas, com a presença de mais de uma dezena de vendedores e produtores.

Para além da Feira propriamente dita, há ainda o concurso gastronómico “A Cebola é Rainha”, a noite de DJ’s com “Cebolinhas Ai, Ai”, a oficina das Cebolas e o desfile de crianças com cabos de cebolas, entre outras atividades.

Incluído na Mostra Comunitária, o evento conta inúmeras iniciativas populares como jogos tradicionais, uma gincana de tratores e uma mostra de talentos. Há ainda tempo para as iniciativas desportivas com os trails e as caminhadas. Para domingo, estão ainda agendadas uma peça de teatro e a tarde dedicada ao folclore.

Refira-se que a Feira das Cebolas em tempos foi o ponto de encontro dos agricultores e produtores de cebolas do concelho para comercializar o produto e estabelecer os preços a praticar nesse ano.

DSC_5199.jpg

DSC_5172.jpg

FAMALICÃO: REQUIÃO REALIZA FEIRA DA COMPRA E VENDA DE ARTESANATO E PRODUTOS DA TERRA

Feira da Compra e Venda animou fim de semana em Requião

Realizou-se este domingo, 11 de agosto, mais uma edição da Feira da Compra e Venda de Requião. Desde 2011, que o evento reúne, por esta altura, muitas centenas de pessoas que chegam a Requião para vender e para comprar os produtos da terra e o artesanato genuíno da região.

DSC_0118.jpg

Mais do que uma feira é um encontro, onde toda a gente se conhece, com a população da freguesia e do concelho, mas também muitos emigrantes que se encontram a passar férias na região.

Quem também não faltou á festa foi o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que conhece bem este evento.

A Feira de Compra e Venda de Requião é mesmo considerada a “mãe” das Mostras Associativas que todas as semanas animam as várias freguesias do concelho de Famalicão, tendo em conta que foi o primeiro evento do género a realizar-se.

Ao longo do evento, cerca de 80 expositores apresentaram os seus melhores produtos, numa feira que ficou também marcada pela música, pela boa disposição e pelos petiscos da região.

DSC_0143.jpg

DSC_0800.jpg

ENSINO SUPERIOR PÚBLICO MUITO PROCURADO EM FAMALICÃO

Polo de Ensino Superior, Investigação e Inovação instalado nas antigas instalações da Didáxis de S. Cosme já tem mais de 200 alunos inscritos

A poucas semanas de abrir portas, o novo Polo de Ensino Superior, Investigação e Inovação regista uma procura assinalável de candidatos à frequência dos Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) que vão ser ministrados nas instalações da Didáxis de Vale S. Cosme, no concelho de Vila Nova de Famalicão.

Didaxis S.Cosme (1) (1).JPG

A primeira fase de candidaturas terminou com uma procura assinalável e com cursos totalmente preenchidos. No entanto continuam até dia 16 de agosto as candidaturas para os estudantes portadores de deficiências e para os estudantes internacionais e, em setembro, abrirá uma segunda fase para apresentação de novas candidaturas.

Esta procura vem justificar a aposta da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão em criar este Polo de Ensino Superior, Investigação e Inovação, nas antigas instalações escolares da Didáxis de Vale S. Cosme, e aí desenvolver o ensino superior público, a incubação de empresas e empreendedorismo, a investigação e inovação.

O Polo de Ensino Superior, Investigação e Inovação arranca, assim, em setembro com o ensino superior público do Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA) com mais de 200 estudantes, e, até ao final do ano, com um laboratório de investigação e conhecimento da Universidade do Minho, na área da Biologia Alimentar (com 30 investigadores a realizarem os seus doutoramentos).

O IPCA acaba de criar a Escola Técnica Superior Profissional (ETeSP), nova unidade orgânica, cujo primeiro ano de atividade se inicia no próximo ano letivo 2019/2020 em Barcelos, Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão.

A criação desta Escola permitirá implementar uma estratégia de focalização e agregação dos estudantes que frequentam este tipo de oferta formativa especializada de nível superior num projeto educativo diferenciador, mas agregador, em que existe uma identidade própria e fins específicos de especial atenção aos estudantes; à qualidade da formação e à realização pessoal e profissional dos diplomados e das suas famílias.

Recorde-se que, em Vila Nova de Famalicão, para o próximo ano letivo (2019/2020), vão funcionar os Cursos Técnicos Superiores Profissionais de Apoio à Gestão; Comércio Eletrónico; Design de Moda; Exportação e Logística; Eletrónica, Automação e Comando; Energia, Telecomunicações e Domótica; Sistemas Eletrónicos e Computadores; e Tecnologia Alimentar.

FAMALICÃO EVOCA JÚLIO BRANDÃO

Arrancaram as comemorações dos 150 anos do nascimento de Júlio Brandão. Programa evocativo decorre até 2020

Arrancaram, esta sexta-feira, as comemorações dos 150 anos do nascimento do poeta famalicense Júlio Brandão, com o descerrar uma placa comemorativa na rua de Santo António, precisamente a rua onde o poeta nasceu. De seguida foi depositada uma coroa de flores na glorieta dedicada a Júlio Brandão, na rotunda 1.º de Maio.

DSC_3116.jpg

As comemorações dedicadas ao poeta, cronista, comentador literário, dramaturgo, professor e jornalista famalicense, que se distinguiu pelo contributo que deu ao panorama literário nacional, prolongam-se até 2020 com um conjunto diversificado de iniciativas culturais.

Esta manhã, Paulo Cunha falou de Júlio Brandão como “uma personalidade que deixou uma marca na história de Famalicão, mas também na cultura nacional”. “Esta homenagem é um contributo do município para perpetuar a memória deste homem entre nós”.

Também o professor Agostinho Fernandes, enquanto presidente da Comissão executiva das comemorações, salientou o “papel importante de Júlio Brandão na cultura nacional”. “Foi um homem das letras excecional no seu tempo, que se destacou com a obra “O Livro de Aglaïs””.

Júlio de Sousa Brandão nasceu a 9 de agosto de 1869, num prédio (já demolido) da rua de Santo António, no coração da cidade famalicense. Em 1874, com 5 anos de idade, Júlio Brandão foi morar para o Porto com a sua família, embora nunca tenha perdido a ligação à sua terra natal. No Porto lecionou na Escola Infante D. Henrique e ocupou o cargo de diretor do Museu Municipal do Porto. Foi sócio correspondente da Academia de Ciências de Lisboa, da Academia Nacional das Belas Artes, do Instituto de Coimbra e da Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto. Pertenceu ao grupo dos "Nefelibatas", tal como Raul Brandão, com quem colaborou noutros projetos literários.

Da sua obra vasta, destaca-se “O Livro de Aglaïs”, uma obra poética que inclui uma carta-prefácio de Guerra Junqueiro. Alguns dos seus escritos encontram-se dispersos por diversas publicações periódicas portuenses e famalicenses, como as prestigiadas revistas “A Águia”, órgão do movimento de ação sociocultural autodenominado Renascença Portuguesa, e “Atlântida”. Dirigiu ainda, em parceria com Álvaro de Castelões, “A Revista Internacional: O Soneto neo-latino”, uma publicação periódica que contou com a colaboração de poetas nacionais e internacionais.

A passagem dos 150 anos sobre a data do nascimento de Júlio Brandão será comemorada pelo município de Vila Nova de Famalicão com um vasto programa evocativo que se concretizará por meio de diversas iniciativas de cariz cultural que pretendem valorizar a memória desta ilustre figura famalicense.

Depois do descerramento da placa evocativa, prevê-se ainda para este ano, a concretização de uma intervenção artística mural na Escola Básica Júlio Brandão e a execução de uma exposição sobre a “Vida e Obra de Júlio Brandão”, que ficará patente na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, assim como, o lançamento de uma edição fac-similada da obra poética “O livro de Aglaïs” da autoria de Júlio Brandão. Para 2020, fica a realização de uma conferência nacional comemorativa e evocativa dos 150 anos do nascimento de Júlio Brandão e o lançamento do catálogo da exposição sobre “Vida e Obra de Júlio Brandão”.

Júlio Brandão faleceu no dia 9 de abril de 1947, na sua casa do Porto, situada na Praça Mouzinho de Albuquerque, nº 121 e foi sepultado em jazigo particular no cemitério de Agramonte, no Porto.

Entre as várias homenagens à memória de Júlio Brandão, promovidas e apoiadas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, a título póstumo, destacam-se a atribuição do seu nome a uma escola do centro da cidade, a Escola Básica Júlio Brandão; a homenagem promovida em 1950, pela Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, com a instalação de uma glorieta em granito e bronze, no Parque 1º de Maio, Vila Nova de Famalicão; as comemorações do centenário do seu nascimento, promovidas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através do denominado “Ciclo Comemorativo do 1º Centenário do nascimento do Escritor e Poeta Júlio Brandão, em agosto de 1969, entre outras.

DSC_3144.jpg

FAMALICÃO CRESCE NA ÁREA EMPRESARIAL

Geração Made IN já ultrapassou a meia centena de empresas

São conhecidas como empresas Geração Made IN e no total são já 53, fruto dos 15 novos projetos empresariais que acabam de integrar este lote de novas ideias de negócio que nasceram com o apoio do Famalicão Made IN e são acompanhadas pelo seu Gabinete de Apoio ao Empreendedor.

Restaurante Na Boca.jpg

A startup tecnológica IOTech – alvo de recente interesse por parte da Riopele, que adquiriu 10% do seu capital –, o restaurante vegetariano Na Boca e as unidades de alojamento local Casa das Cortinhas e Wake Up são alguns desses novos projetos empresariais que contam com o contributo conhecedor do Famalicão Made IN, materializado através da oferta de um conjunto alargado de serviços, que vão desde o desenvolvimento da ideia de negócio até à participação em programa de aceleração de startups, passando pelo apoio na elaboração de candidaturas a financiamento, consultoria e acompanhamento da gestão operacional do negócio, entre outros.

“São pequenas empresas lideradas por jovens empresários, talentosos e entusiasmados, que muito nos orgulham”, disse Augusto Lima, Vereador da Economia Empreendedorismo e Inovação, na recente sessão de entrega de certificados de reconhecimento às 53 empresas da Geração Made IN. O autarca lembrou que “foi a necessidade de uma estrutura que contribuísse para a valorização e promoção de novos e pequenos projetos empresariais, bem como para a atração de projetos de valor acrescentado para a indústria, que motivou a criação do Famalicão Made IN”.

O trabalho estratégico que realiza junto de empreendedores, empresários e investidores, pelo contributo de uma equipa experiente e qualificada, confere ao Gabinete de Apoio ao Empreendedor um papel crucial na estratégia global do Famalicão Made IN, reconheceu o Vereador, revelando que, desde que foi inaugurado, em outubro de 2014, o gabinete já recebeu 868 ideias de negócio, estando neste momento a acompanhar 285 e, destas, 93 evoluíram para empresas.

“Estes números refletem a dinâmica do concelho e um trabalho importante e credível do Famalicão Made IN também na vertente de incubação, um dos seus três eixos de atuação”, sublinhou, concluindo que este é um projeto que ganha cada vez mais pertinência e demonstra uma capacidade, mais robusta que que nunca, para dar resposta às solicitações apresentadas. “O Famalicão Made IN continua com todas as portas abertas para ajudar estes projetos a integrarem-se nesta dinâmica”.

Empresas Geração Made IN

Continuidade: 2BNATUR, A Camionete, Another Life, Bag4Days, Bike Shower, Burnoutline, CRH Sónia Teixeira, Clínica do Operário, Centro Colibri, Dermashop - Saúde e Beleza, EatTasty, Elicastro Photografhy, Engraxat, Enigmind - Real Life Games, Escritório de Sabores, Estima't - Centro de Desenvolvimento e Intervenção Social, FitDance - Escola de Dança, Haus Groppe, KT Kortex Technologies, Lord Jack & Friends, Maison Decor, Marupiu Pâtisserie, Mimos D'Aldeia, Nalmok Consulting, Oldcare, Pão-de-ló Burguês, Pluma Barber Shop, Poreto - Men's Accessories, Comer e Beber - O Guia de Restaurantes em Portugal, PowerME - unlimited you, Prestige Health, ProgramArt, Rissolândia, Sim Bombons - Chocolates Artesanais, Swonkie, Twenty Fit, WestMister, Yogan Vegan.

Novas: IOTech, AS - Lean Financial & Business Consulting, Bohemian State, Casa das Cortinhas, Cindinha Bulk Store, Cornucópia Doces & Salgados, DéliFit, El Vagabundo Street Food & Wine Bar, Fernando Vale – Design, Fusilli, Massa & Café, Multiclic - Cooperativa Terapêutica de Intervenção Psico-Social, Na Boca - Cozinha Saudável, Saniterra International, SEGI - Engineering Consulting, Wake Up Famalicão.

IOTech.jpg

FAMALICÃO APOIA REGRESSO DOS EMIGRANTES

Gabinete de Apoio ao Emigrante presta informações sobre o programa Regressar

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através do seu Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE), está a prestar informações e eventuais esclarecimentos no que diz respeito às candidaturas ao programa nacional Regressar.

O programa Regressar arrancou no final do mês de julho com a abertura das candidaturas a todos os emigrantes que saíram do país até dezembro de 2015 e que pretendem regressar.

O Programa envolve todas as áreas governativas e inclui medidas concretas como um regime fiscal mais favorável para quem regressa, apoio financeiro para os emigrantes ou familiares de emigrantes que venham trabalhar para Portugal e uma linha de crédito para apoiar o investimento empresarial e a criação de novos negócios em território nacional.

Toda a informação sobre o Programa Regressar está disponível em www.programaregressar.gov.pt

FAMALICÃO RECEBE CONCERTO DE GUITARRA CLÁSSICA DE FRANCESCO LUCIANI

Italiano Francesco Luciani em concerto no Museu Bernardino Machado

O Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, acolhe no dia 16 de agosto (sexta-feira), um concerto de guitarra clássica com o músico italiano Francesco Luciani.

Francesco Luciani.jpg

A atuação, intitulada “Música para circum-navegar o mundo” está marcada para as 21h30 e é de entrada livre.

Natural da Itália, Francesco Luciani é músico, compositor, formador e professor. A sua carreira de concertista divide-se entre a Europa, África e a América Latina. Toca como solista, com orquestras e em agrupamentos de música de câmara. Tem vários livros, e-books e discos editados. Lecionou em diversas escolas e conservatórios de música. Realiza masterclasses e cursos de aperfeiçoamento de guitarra clássica. Atualmente é professor nas escolas portuguesas e italianas. É formador acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e certificado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional.

FAMALICÃO REALIZA FEIRA DE ARTESANATO E GASTRONOMIA

Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão realiza-se de 30 de agosto a 8 de setembro e conta com perto de uma centena de artesãos, produtores, tasquinhas e restaurantes e espetáculos musicais diários.

Todos os anos, no final do mês de agosto, perto de uma centena de artesãos e produtores de todo o país rumam até Vila Nova de Famalicão onde, durante uma semana, apresentam e criam peças e produtos únicos a partir das mais diversas matérias-primas.

O trabalho ao vivo dos artesãos é um dos pontos fortes do certame.jpeg

Este ano não será exceção e já se contam os dias para a 36.ª edição da Feira de Artesanato e Gastronomia, que decorre de 30 de agosto a 8 de setembro, no recinto do antigo campo da feira do município famalicense.

São dez dias de encontros e reencontros com as tradições, usos e costumes mais ancestrais de Portugal, num espaço que “é uma verdadeira montra da riqueza do nosso património ou não estivessem aqui representados o artesanato e a gastronomia de todo o país - do norte ao sul de Portugal”, explica o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na mensagem de apresentação do evento.

O trabalho ao vivo dos artesãos volta a ser um dos pontos fortes do certame, mas animação é coisa que também não vai faltar. De acordo com o autarca, a Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão “é também um palco de excelência para os talentos locais e nacionais”, com espetáculos musicais diários para todos os gostos.

À semelhança da edição anterior, a Feira de Artesanato e Gastronomia deste ano volta a dedicar uma noite à juventude com um concerto do rapper Jimmy P, no dia 5 de setembro, quinta-feira.

Pelo palco do evento vão passar mais de duas dezenas de artistas. Destaque para a presença já habitual dos ranchos folclóricos e grupos etnográficos do concelho, para as concertinas e cantares ao desafio e para os grupos de música popular, com as atuações, entre outros, dos Pedra D’Água, no dia 7, e Terceira Dimensão, no dia 2 de setembro. A música de câmara vai também subir ao palco da Feira, com um concerto da primeira edição da JOF – Jovem Orquestra de Famalicão, no dia 7 de setembro.

Destaque ainda para o concerto do grupo The Goodies Jazz Gang, no dia 31 de agosto, e de Sandy Kilpatrick & The Origins Band, no dia 4, quarta-feira.

Recorde-se que a entrada na Feira é livre.

Mais informações em www.famalicao.pt.  

Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão 2019

Data: 30 de agosto a 08 de setembro de 2019

Entrada Gratuita

Horários:

Artesanato e Produtos locais:

Segunda a Quinta | 18h às 24h

Sexta | 18h às 01h

Sábado | 14h às 01h

Domingo | 14h às 24h

Restaurantes

Segunda a Quinta | 12h às 15h; 19h às 24h

Sexta | 12h às 15h; 19h às 01h

Sábado | 12h às 01h

Domingo | 12h às 24h

(Domingo, 8 de setembro, encerra às 22h30)

PROGRAMA

Dia 30 de Agosto (Sexta-feira)

18h00 – Abertura do Recinto

21h30 – GALANDUM GALUNDAINA

23h00 – Exibição dos finalistas do concurso nacional de bandas “ROCK NA DEVESA”

Dia 31 de Agosto (Sábado)

15h30 - RANCHO FOLCLÓRICO SANTA MARINHA DE LOUSADO

           - RANCHO FOLCLÓRICO DIVINO SALVADOR DE DELÃES

21h30 – Grupo QUATRO CLAVES

22h30 – THE GOODIES JAZZ GANG

Dia 1 de Setembro (Domingo)

15h00 – GRUPO MUSICAL D’AMIZADE

16h00 – CONJUNTO TÍPICO FRANCISCO DE SOUSA

17h00 – Grupo de Percussão “LEND A HAND”

21h30 – Espetáculo “AMOR (IM)POSSÍVEL” – ACADEMIA GINDANÇA

Dia 2 de Setembro (segunda-feira)

21h30 – Grupo TERCEIRA DIMENSÃO

Dia 3 de Setembro (terça-feira)

21h30 – Conjunto A.M. - ALVORADA MUSICAL

Dia 4 de Setembro (quarta-feira)

21h30 – SANDY KILPATRICK & THE ORIGINS BAND

Dia 5 de Setembro (quinta-feira)

21h30 - Jimmy P. & Convidados

Dia 6 de Setembro (sexta-feira)

21h30 –  FOLC D’AVE 

22h30 – ORQUESTRA SINFÓNICA DO AVE 

Dia 7 de Setembro (Sábado)

17h00 – Grupo de CAVAQUINHOS DO LIBERDADE FUTEBOL CLUBE

21h30 – CONCERTO SINFÓNICO “JOF – JOVEM ORQUESTRA DE FAMALICÃO”         

22h30 – PEDRA D’AGUA

Dia 8 de Setembro (Domingo)

15h00 – ASSOCIAÇÃO DE TOCADORES E CANTADORES AO DESAFIO FAMALICENSE

16h00  - GRUPO ETNOGRÁFICO DE S.TIAGO DA CRUZ

            - GRUPO ETNOGRÁFICO RUSGA DE JOANE

18h00 – Concerto pela BANDA MARCIAL DE ARNOSO SANTA MARIA

Feira realiza-se no recinto do antigo campo da feira.jpg

VERÃO EM FAMALICÃO TRAZ MÚSICA PARA A PRAÇA… E VERÃO!

Fim-de-semana com concertos gratuitos na Praça D. Maria II

A acordeonista Celina da Piedade é uma das artistas convidadas da edição deste ano da iniciativa “Verão em Famalicão”, que esta sexta e sábado, dias 9 e 10 de agosto, promete animar as noites de uma das praças mais movimentadas de Vila Nova de Famalicão - a Praça D. Maria II.

Celina da Piedade.jpg

Os concertos começam na sexta-feira, dia 9, com as atuações da banda Fulltrack e a música popular de Maria do Sameiro. Para sábado estão agendadas as atuações de Patrícia Costa e de Celina da Piedade, que encerra a edição deste ano da iniciativa promovida pela Câmara Municipal.

FullTrack (Banda) 2.jpg

O arranque do evento, na sexta, estará então a cargo dos Fulltrack. Apesar da juventude da banda, contam já com uma vasta experiência de palco, que resultou na gravação do primeiro álbum a ser lançado ainda antes do final deste ano. Com um estilo irreverente e mais direcionado para as produções dos anos 70, os FullTrack compilam um variado leque de géneros musicais, tendo como principais influências o Hard Rock e o Rock Clássico, passando pelo Blues, Funk até ao Metal e Rock Alternativo.

Maria do Sameiro 2.jpg

Maria do Sameiro encerra os concertos de sexta-feira. Com mais de 30 anos de carreira, a versatilidade da cantora e compositora está espelhada nas suas interpretações, que vão desde o fado, ao folclore, às marchas e à música popular. Corre-lhe nas veias uma mistura de sangue tripeiro e minhoto que lhe confere características de uma dinâmica contagiante, transpondo para os espetáculos a energia dos arraiais e romarias, voltando sempre ao seu primeiro amor musical: o fado. Conta com 9 álbuns editados, com destaque para o seu último trabalho discográfico “De alma e coração”.

A fadista Patrícia Costa abre os concertos no sábado. Nasceu em Guimarães, mas foi em Famalicão que viveu e cresceu. Patrícia Costa tem pisado os maiores palcos e teatros de Portugal e além-fronteiras e é, desde 2009, residente na Casa de Fado “O Fado”, no Porto. Foi referenciada pela revista Time Out em 2017, como uma das 10 artistas para o público seguir. Desde 2015 que é docente do curso “Fado: Interpretação e Repertório”, na Academia de Música Valentim de Carvalho, no Porto, e mestranda em Musicologia na Universidade de Aveiro, onde desenvolve investigação relacionada com o Fado. Transporta para o palco o fado e a música tradicional portuguesa. Tem dois álbuns editados - “Um cantar velado e lento” e o seu mais recente disco “Fados”.

Celina de Piedade encerra então a iniciativa. Quem já a viu em concerto reconhece-lhe o imenso carisma. Tem levado o seu acordeão e a sua voz até aos mais diferentes contextos, algures entre as formas e cores tradicionais, em viagens pelas memórias da música de raiz portuguesa e um sentir mais moderno e universalista. Desenha uma música cheia de alma e de personalidade, que, em palco, ganha com a sua formidável presença.

Refira-se que os concertos começam às 21h30 e têm entrada livre.

Patricia Costa 1.jpg

FAMALICÃO ASSINALA 150º ANIVERSÁRIO DO NASCIMENTO DE JÚLIO BRANDÃO

Programa evocativo arranca sexta-feira, 9 de agosto, pelas 9h30

Na próxima sexta-feira, 9 de agosto, passam exatamente 150 anos sobre a data do nascimento de Júlio Brandão, o poeta, cronista, comentador literário, dramaturgo, professor e jornalista famalicense, que se distinguiu pelo contributo que deu ao panorama literário nacional.

Júlio Brandão.png

Nesse dia, pelas 9h30, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, vai descerrar uma placa comemorativa do nascimento de Júlio Brandão, localizada na rua de Santo António, precisamente a rua onde poeta nasceu. De seguida será depositada uma coroa de flores na glorieta dedicada a Júlio Brandão, na rotunda 1.º de Maio.

Júlio de Sousa Brandão nasceu a 9 de agosto de 1869, num prédio (já demolido) da rua de Santo António, no coração da cidade famalicense. Em 1874, com 5 anos de idade, Júlio Brandão foi morar para o Porto com a sua família, embora nunca tenha perdido a ligação à sua terra natal. No Porto lecionou na Escola Infante D. Henrique e ocupou o cargo de diretor do Museu Municipal do Porto. Foi sócio correspondente da Academia de Ciências de Lisboa, da Academia Nacional das Belas Artes, do Instituto de Coimbra e da Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto. Pertenceu ao grupo dos "Nefelibatas", tal como Raul Brandão, com quem colaborou noutros projetos literários.

Da sua obra vasta, destaca-se “O Livro de Aglaïs”, uma obra poética que inclui uma carta-prefácio de Guerra Junqueiro. Alguns dos seus escritos encontram-se dispersos por diversas publicações periódicas portuenses e famalicenses, como as prestigiadas revistas “A Águia”, órgão do movimento de ação sociocultural autodenominado Renascença Portuguesa, e “Atlântida”. Dirigiu ainda, em parceria com Álvaro de Castelões, “A Revista Internacional: O Soneto neo-latino”, uma publicação periódica que contou com a colaboração de poetas nacionais e internacionais.

A passagem dos 150 anos sobre a data do nascimento de Júlio Brandão será comemorada pelo município de Vila Nova de Famalicão com um vasto programa evocativo que se concretizará por meio de diversas iniciativas de cariz cultural que pretendem valorizar a memória desta ilustre figura famalicense.

Depois do descerramento da placa evocativa, prevê-se ainda para este ano, a concretização de uma intervenção artística mural na Escola Básica Júlio Brandão e a execução de uma exposição sobre a “Vida e Obra de Júlio Brandão”, que ficará patente na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, assim como, o lançamento de uma edição fac-similada da obra poética “O livro de Aglaïs” da autoria de Júlio Brandão. Para 2020, fica a realização de uma conferência nacional comemorativa e evocativa dos 150 anos do nascimento de Júlio Brandão e o lançamento do catálogo da exposição sobre “Vida e Obra de Júlio Brandão”.

Júlio Brandão faleceu no dia 9 de abril de 1947, na sua casa do Porto, situada na Praça Mouzinho de Albuquerque, nº 121 e foi sepultado em jazigo particular no cemitério de Agramonte, no Porto.

Entre as várias homenagens à memória de Júlio Brandão, promovidas e apoiadas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, a título póstumo, destacam-se a atribuição do seu nome a uma escola do centro da cidade, a Escola Básica Júlio Brandão; a homenagem promovida em 1950, pela Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, com a instalação de uma glorieta em granito e bronze, no Parque 1º de Maio, Vila Nova de Famalicão; as comemorações do centenário do seu nascimento, promovidas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através do denominado “Ciclo Comemorativo do 1º Centenário do nascimento do Escritor e Poeta Júlio Brandão, em agosto de 1969, entre outras.

Rua de Santo António.jpg

FAMALICÃO CALÇA-FERROS

Festival Calça Ferros decorre este fim-de-semana com Plutónio, Mc Zuka e Supa Squad. De 9 a 11 de agosto, no parque de lazer Calça-Ferros, em Pedome

Plutónio, Mc Zuka e Supa Squad são alguns dos nomes que, este fim-de-semana, vão subir ao palco principal do festival Calça-Ferros, que se realiza de 9 a 11 de agosto no parque de lazer Calça-Ferros, na freguesia de Pedome, em Famalicão.

Plutónio atua no primeiro dia do Calça Ferros.jpg

Os sons do hip-hop, do rap, do reggae, do dancehall e do afro-beat voltam a marcar esta edição do festival, que promete atrair milhares de visitantes em três dias de festa e convívio que contam com as margens do Rio Ave como pano de fundo.

Plutónio sobe ao palco do Calça-Ferros no primeiro dia do festival, no dia 9, sexta-feira, assim como os Last Chance e Rosamate. A sua sonoridade equilibra-se entre o Rap, o RnB e o Afro-Trap. Desde 2016 com a Bridgetown e depois do seu álbum “Preto e Vermelho” tem vindo a lançar hit atrás de hit, tornando-o um dos artistas mais requisitados do momento.

No segundo dia, sábado, dia 10, o Calça Ferros recebe a sonoridade de Cálculo, MC Zuka e Supa Squad.

O brasileiro MC Zuka mudou-se para Portugal em 2002 e foi aqui que começou a dar os seus primeiros passos no Rap e no Hip-Hop. Em 2018, participou no festival Rock In Rio Lisboa. Além de músico, MC Zuka também perpetua o seu nome como “writer” a escrever para outros artistas, como por exemplo o hit single “Faz Gostoso”, interpretado por Blaya. Sobe ao palco principal no dia 10, antecipando a atuação dos Supa Squad, a dupla composta por Mr. Marley e Zacky Man. "Tudo Nosso" ou "Avé Maria" são os originais mais conhecidos de Supa Squad atingindo mais de 10 milhões de visualizações no Youtube.

O último dia do festival é dedicado às famílias. À semelhança das edições anteriores não faltarão os já habituais espaços de exposição de artesanato e de associações que irão proporcionar aos visitantes um maior conhecimento da realidade cultural e artística local. Na perspetiva de um festival familiar e amigo do ambiente não faltará também animação para os visitantes mais jovens bem como atividades preventivas e educativas sobre a temática do meio ambiente.

Referência ainda para o palco “novas oportunidades” onde irão passar talentos ainda desconhecidos do grande público e em franco crescimento. Os DJ’s terão também o seu espaço e prometem animação.

O espaço para a restauração assumirá, nesta edição, uma nova localização, dimensão e programação.

Apesar de ser já a 4.ª edição, esta será a primeira vez que a organização do festival será da responsabilidade da GRACAFE – Grupo Recreativo Amigos de Calça Ferros, com produção de “Paulo Ferrão – Produções” e com os apoios da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e da Junta de Freguesia de Pedome.

O bilhete diário custa 5 euros, enquanto o passe geral para 9 e 10 de agosto tem um custo de 8 euros. No dia da família, a 11 de agosto, o festival tem entrada livre.

Mais informações no site oficial do festival, em  www.festivalcalcaferros.com

FAMALICÃO: VALE SÃO MARTINHO GANHA NOVO ESPAÇO PARA A COMUNIDADE

A comunidade de Vale São Martinho assinalou no passado sábado, 3 de agosto, o Dia da Freguesia e a sessão solene comemorativa da data trouxe ainda mais motivos de festa com o anúncio e apresentação do projeto de requalificação da zona envolvente da igreja.

Paulo Cunha participou nas comemorações do Dia da Freguesia de Vale São Martinho.JPG

Trata-se de “um novo espaço de bem-estar para a comunidade, um novo palco que vem dar uma nova centralidade a Vale São Martinho”, disse o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no decorrer da cerimónia.

A proposta apresentada reúne um conjunto de infraestruturas e acessibilidades que permitem tanto a requalificação do espaço envolvente da igreja, como a sua ligação com os espaços exteriores do Centro Paroquial, através da criação de uma nova via paralela à Avenida Padre José Ferreira Correia e de um parque de estacionamento, com aproximadamente 40 lugares, conseguindo assim uma harmonização e ligação do espaço público daquele local.  

Com este arranjo urbanístico, explicou Paulo Cunha, “vamos dar uma imagem de conjunto e valorizar estas duas unidades – Igreja e Centro Paroquial - que queremos que sejam os elementos fortes deste projeto”.

O autarca lembrou que este projeto é ainda “um esboço” e que a Câmara Municipal está disponível para ouvir sugestões e outras propostas para que o resultado final seja o ideal para a comunidade de Vale São Martinho.

O Presidente da Junta de Freguesia, Manuel Oliveira, lembrou que esta intervenção estava no topo das prioridades do executivo da Junta e agradeceu o apoio da autarquia, sem o qual a concretização desta intervenção não seria possível.

A sessão solene do Dia da Freguesia de Vale São Martinho ficou ainda marcada pela homenagem a vários cidadãos, nomeadamente aos bombeiros voluntários naturais da freguesia, e pela homenagem póstuma a Augusto Correia da Silva, presidente da Assembleia de Freguesia.

FAMALICÃO INICIA PROCESSO DE REVISÃO DO PDM

Munícipes têm até 26 de agosto para deixar sugestões ou recomendações

Arranca esta segunda-feira, dia 5, e decorre até 26 de agosto o período de participação pública para a formulação de sugestões e apresentação de informações sobre quaisquer questões que possam ser consideradas no âmbito da 2.ª revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) de Vila Nova de Famalicão.

Mapa do Concelho.jpg

A decisão desta segunda revisão foi tomada em reunião ordinária do executivo municipal e decorre da necessidade de adequar o PDM às alterações verificadas no quadro legislativo do ordenamento do território, com a publicação da Lei de Bases Gerais da Política Pública de Solos, de Ordenamento do Território e de Urbanismo e do Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial (RJIGT).

Trata-se, por isso, de uma revisão atípica e simplificada, motivada por esta obrigação legal. No fundo, trata-se de uma adaptação do PDM em vigor, que tem procedimentos mais simples e céleres, mas que merece a atenção e acompanhamento dos munícipes.

Segundo a Lei de Bases dos Solos, estes só poderão ser ou rústicos ou urbanos, deixando de haver os solos urbanizáveis, que geralmente correspondem a terrenos expectantes. Agora o solo urbano corresponde ao que está total ou parcialmente urbanizado ou edificado. Por sua vez o solo rústico corresponde àquele que, pela sua reconhecida aptidão, se destine, nomeadamente ao aproveitamento agrícola, pecuário, florestal, à conservação e valorização de recursos naturais, à exploração de recursos geológicos ou de recursos energéticos, assim como o que se destina a espaços naturais, culturais, de turismo e recreio (preâmbulo do Decreto Regulamentar n.º 15/2015, de 19 de agosto).

Esta revisão vai permitir ainda o aperfeiçoamento de algumas normas, a correção das incongruências detetadas e a adequação à evolução, das condições ambientais, económicas, sociais e culturais, identificadas no Relatório de Avaliação do Ordenamento do Território, e nos Termos de Referência, disponíveis para consulta na página eletrónica do Município em www.famalicao.pt, e no Balcão Único de Atendimento, localizado na Praça Álvaro Marques, Vila Nova de Famalicão.

Convictos que os objetivos estratégicos e o modelo territorial preconizados pelo PDM em vigor continuam válidos e pertinentes, não se pretende que a revisão que agora se inicia seja um momento de alteração da linha estratégica do município, ou que seja uma revisão crítica global, mas antes uma oportunidade para tornar o plano mais ajustado à realidade territorial do município.

O período de participação tem a duração de 15 dias úteis com início no dia seguinte à publicação no Diário da República do Aviso n.º 12403/2019 de 2 de agosto, decorrendo, portanto, de 5 de agosto a 26 de agosto de 2019.

Os interessados poderão formular sugestões, apresentar observações ou informações, em qualquer momento do processo da 2.ª revisão do PDM de Vila Nova de Famalicão, através do site oficial do município, do correio eletrónico camaramunicipal@famalicao.pt, por via postal ou por entrega pessoal no Balcão Único de Atendimento.

Refira-se que o PDM de Vila Nova de Famalicão está no quarto ano da sua vigência, tendo a primeira revisão ocorrido em 2015. De acordo com os últimos dados disponíveis, 59,1 por cento do território de Vila Nova de Famalicão é solo rural e 36,4 por cento é solo urbano, sendo que existe uma percentagem de 4,6 por cento de solo urbanizável.

VINHOS D. SANCHO QUEREM POVOAR AS MESAS DA RÚSSIA

A Frutivinhos vai fazer embarcar, na próxima semana, rumo à antiga terra dos czares, as primeiras de um total de 18 mil garrafas da marca de vinho com o nome do segundo rei de Portugal.

image61565.jpeg

Em honra do “Rei Povoador”, que há 814 anos atribuiu o foral a Vila Nova de Famalicão, a cooperativa agrícola famalicense batizou a gama de vinhos que comercializa, três verdes e três espumantes (branco, tinto e rosé), a partir das uvas de 40 a 50 produtores locais do concelho, com o nome de D. Sancho I.

Com uma produção anual próxima dos 400 mil litros de vinho, a Frutivinhos, quase a fazer 60 anos de existência e cuja base exportadora se limitava até agora ao mercado da saudade e a Inglaterra, vai iniciar um novo capítulo na sua história, partindo à conquista da Rússia. “O vinho é bom”, garante Alberto Carvalho, presidente desta cooperativa agrícola, confiante nesta nova fase de afirmação internacional do D. Sancho I, que leva consigo também a marca de Vila Nova de Famalicão.

E foi "com os olhos postos no mundo” que a Frutivinhos apresentou esta quarta-feira, 31 de julho, o novo rótulo da marca vocacionado para a exportação, numa sessão inserida no Roteiro Pela Inovação, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

“São vinhos muito bons e com enorme potencial para serem apreciados no mundo inteiro”, declarou o autarca. Palavras em evidente contexto de simpatia, mas que não deixam de expressar o entusiasmo com que Paulo Cunha olha para a qualidade dos vinhos verdes produzidos em Famalicão. “O que o concelho – e a Frutivinhos, em particular – tem hoje para oferecer são vinhos jovens, frescos e leves, que evidenciam a variedade e qualidade das castas autóctones e que espelham a riqueza do nosso território no setor dos vinhos”.

image61553.jpeg

image61556.jpeg

VINHO VERDE DE FAMALICÃO D. SANCHO JÁ CHEGA À RÚSSIA

Famalicão apresentou novo rótulo para a exportação pela Frutivinhos, nos Serviços Educativos do Parque da Devesa.

O vinho D. Sancho I, assim batizado em honra do Rei Povoador que há 814 anos atribuiu o foral a Vila Nova de Famalicão, vai chegar à Rússia. A Frutivinhos - Cooperativa Agrícola de V.N. Famalicão, que comercializa a marca, envia na próxima semana o primeiro de dez contentores com cerca de 18 mil garrafas cada para a terra dos czares. Com esta encomenda, a Frutivinhos inicia um novo capitulo da sua história, alargando a sua base exportadora que até agora se cingia ao mercado da saudade e a Inglaterra.

DSC_6042 (1).JPG

É com os olhos postos no mundo que a cooperativa apresentou na passada quarta-feira, 31 de julho, nos Serviços Educativos no Parque da Devesa, o novo rótulo da marca vocacionado para a exportação, no âmbito do Roteiro pela Inovação de Vila Nova de Famalicão, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

A Frutivinhos produz anualmente entre 350 a 400 mil litros de vinho, dividido por seis referências: três verdes e três espumantes (branco, tinto e rosé), a partir das uvas de 40 a 50 produtores locais do concelho. “O vinho é bom”, diz Alberto Carvalho, presidente da Frutinhos, confiante nesta nova fase de afirmação internacional do D. Sancho I, que leva consigo também a marca de Vila Nova de Famalicão.