Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

"MEMÓRIAS DA DEVESA" FAZEM A HISTÓRIA EM FAMALICÃO

O Parque da Devesa lança hoje, neste Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, o seu novo projeto intitulado “Memórias da Devesa”, com o objetivo de salvaguardar o passado e o legado daquele espaço que sofreu profundas alterações com a construção do parque, valorizando as suas memórias, as vivências de quem lá morou, trabalhou ou utilizou para o seu lazer, etc.

memorias-devesa_1.jpg

Para isso, desafia todas as pessoas que detenham em sua posse fotografias, documentos, artigos, objetos, sobre aquele lugar, sobre as famílias que lá habitaram, as casas, sobre factos e acontecimentos relacionados com o espaço. Será reunido espólio material, mas também imaterial através de testemunho oral.

De resto, pretende-se com este projeto construir um arquivo de memória on line “Memórias da Devesa”, acessível a todos; estimulando e apoiando trabalhos de investigação; mantendo vivo o legado da “Devesa” e produzindo conhecimento histórico.

Para além deste trabalho, será desenvolvido paralelamente um levantamento de informação já conhecida e, eventualmente, já sistematizada, nomeadamente através da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco (Fundo Local), Arquivo Municipal, Gestão Urbanística do município, entre outros.

Trata-se, por isso, de um projeto aberto no tempo, sendo que, em qualquer altura, se poderá fazer a incorporação e atualização de informação.

FAMALICÃO MOSTRA LAÇO CONTRA OS MAUS TRATOS NA INFÂNCIA

Laço simbólico sensibiliza contra os maus tratos na infância

Cerca de 20 viaturas das forças de segurança e socorro de Famalicão uniram-se, esta terça-feira, no Parque de Estacionamento do Citeve formando um laço simbólico, no âmbito do mês internacional da prevenção dos maus tratos na infância. Estiveram presentes as viaturas da GNR, PSP, Bombeiros, Policia Municipal e ACES.

1fafafafaf.jpg

Este ano, o mote da campanha é “serei o que me deres… que seja amor” e tem como objetivo sensibilizar toda a população para esta problemática dos maus tratos e a necessidade de todos estarem atentos e conscientes.

BALCÃO ÚNICO DE FAMALICÃO ATENDE NA SEGUNDA-FEIRA

Balcão Único com atendimento ao público na segunda-feira de Páscoa

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão informa que, em virtude da tolerância de ponto concedida pelo presidente da autarquia para a segunda-feira de Páscoa, os serviços municipais estarão encerrados a 22 de abril.

Exceção para o Balcão Único de Atendimento, que nesse dia garantirá o habitual atendimento aos munícipes, funcionando no seu horário regular, entre as 09h00 e as 18h00

FAMALICÃO EXPÕE ARTE CERÂMICA

A arte da cerâmica da Fundação Castro Alves em exposição exclusiva nos Paços do Concelho. Exposição “Agnus Dei” foi inaugurada hoje e vai estar patente até dia 24 de maio

Oito peças únicas, produzidas minuciosamente com a chancela de qualidade da Escola de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves, compõem a exposição “Agnus Dei”, inaugurada esta quinta-feira, 18 de abril, nos Paços do Concelho de Vila Nova de Famalicão.

DSC_3462.jpg

O tempo pascal dá o mote para esta nova mostra da escola e museu da freguesia de Bairro, que vai estar patente no átrio do edifício principal da Câmara Municipal até dia 24 de maio.

“Natividade”, “Esplendor do Nascimento”, “O amor de Deus que se fez criança”, “Sagrada Família”, “Última Ceia”, “Crucificação”, “Deposição de Cristo no Túmulo” e “Ressurreição”, assim se chamam as oito peças de cerâmica, moldadas em barro, expostas nesta exposição de natureza religiosa.

Uma coleção heterogénea e única que pretende divulgar o património de arte sacra em cerâmica desenvolvido em Vila Nova de Famalicão pela Escola de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves.

DSC_3479.jpg

A Fundação Castro Alves explica ainda que esta exposição, que pode ser visitada gratuitamente de segunda a quinta, entre as 09h00 e as 18h00, e à sexta-feira, das 09h00 às 12h00, se insere “no âmbito da sua política de promoção e descentralização cultural”.

“É uma pequena amostra da enorme riqueza e qualidade da arte da Fundação Castro Alves e uma nova razão para que venham até aos Paços do Concelho desfrutar deste magnífico espaço”, referiu hoje o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na cerimónia de inauguração.

Recorde-se que a Fundação Castro Alves foi fundada em 1991 pela mão do Comendador Manuel Maria Castro Alves (1935-1998), como sequência natural e enquadramento jurídico para a meritória obra educativa, artística e cultural, iniciada em 1971 através da criação do então Centro de Arte e Cultura Popular de S. Pedro de Bairro. Em 1979 o Comendador Castro Alves aumenta as valências do centro, com a criação da Escola de Cerâmica Artística, que teve como grandes impulsionadores, os Pintores Júlio Resende e Francisco Laranjo, numa fase intermédia o oleiro Fernando Sousa e posteriormente o Arquiteto Fernando Lanhas, que frutificou o Museu de Cerâmica Artística.

A Escola de Cerâmica Artística, permitiu formar artesãos que pelos seus trabalhos e qualidade artística permitiram que em 1987 fosse edificado o Museu de Cerâmica Artística. O Museu tem em exposição permanente coleções constituídas por dois núcleos, um de olaria e outro de esculturas de cerâmica, o que representa um espólio de 1336 peças distribuídas por três salas com uma área total de 400m2.

Na atualidade a Fundação Castro Alves tem como valências âncora o Museu de Cerâmica Artística, a Escola Oficina de Cerâmica Artística e a Escola de Música que se encontra sob a direção pedagógica do CCM, e tem consolidado as suas respostas ao nível do Serviço Educativo e Social e da Programação Cultural.

DSC_3489.jpg

FAMALICÃO AJUDA FAMILIAS CARENCIADAS NO PAGAMENTO DAS RENDAS DE CASA

Cerca de 250 famílias famalicenses recebem apoio municipal para pagar as rendas. Câmara de Famalicão investe quase 252 mil euros no programa “Casa Feliz – Apoio à Renda”

O programa municipal “Casa Feliz – Apoio à Renda” promovido pela autarquia de Vila Nova de Famalicão vai apoiar, ao longo de um ano, perto de 250 famílias do concelho nas suas despesas com a habitação. São famílias que por diversos motivos estão numa situação de carência económica, e que precisam de apoio para cumprir os seus compromissos com as rendas das suas habitações e evitar despejos por falta de pagamento.

AFS_8281.jpg

A proposta para a atribuição dos apoios foi aprovada esta quinta-feira, em reunião do executivo municipal e prevê um investimento municipal de quase 252 mil euros.

“Passamos de 199 famílias, em 2018, para 248 famílias, num envelope financeiro na ordem dos 200 mil euros para 252 mil euros”, adiantou o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, aos jornalistas no final da reunião.

Os apoios são divididos em três escalões A, B e C, correspondendo a 100 euros, 75 euros e 50 euros mensais. Com o escalão A foram beneficiadas 114 famílias, com o Escalão B 115 e com o Escalão C 19 famílias.

Para o autarca, este aumento de beneficiários “simboliza duas coisas”, por um lado mostra que a medida está a ser cada vez mais conhecida da comunidade e as pessoas estão informadas. “As famílias conhecem os apoios que a Câmara Municipal concede porque fazemos a informação chegar a toda a gente, quando criamos uma medida social, queremos que as pessoas beneficiem dela”, explica. Por outro lado, “há uma tendência nacional, que tem levado a um aumento do valor das rendas, o que tem provocado que mais pessoas procurem ajuda”.

Desde 2013, a autarquia já investiu mais de 800 mil euros com os apoios à renda. Sendo que o investimento municipal tem vindo sempre a subir, tendo iniciado com 55.500 euros em 2013, beneficiando 51 candidatos, chegou aos 127 mil euros em 2016 distribuídos por 121 famílias, e atinge este ano os 252 mil euros no apoio a 248 agregados.

Para Paulo Cunha, este é um investimento social importante e indiscutível. “A área social é uma área onde o orçamento não está previamente definido, a câmara municipal concede aos munícipes uma retaguarda social e a questão da habitação é absolutamente essencial”.

O autarca sublinhou ainda que a relação de proximidade e convivência com a comunidade permite às autarquias perceber quais são as suas principais necessidades. “A nossa sensibilidade social não é aferida com base naquilo que são as folhas de Excel que evidenciam as curvas económicas, que o PIB está a crescer ou que há mais exportações ou que o salário médio subiu, porque a vida das pessoas não se faz por médias nem por estatísticas, faz-se do ponto de vista real. E se é verdade, que em média o nível de vida das famílias está melhor, também é verdade que há muitas famílias que estão tão mal ou pior do que estavam há sete ou oito anos.”

Refira-se que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão criou em 2005, o programa Casa Feliz com apoio às obras, onde as famílias que mais precisam têm direito a uma ajuda financeira que pode chegar aos 5 mil euros, para reabilitar as suas casas, proporcionando as condições mínimas de bem-estar. Neste âmbito, já foram beneficiadas muitas centenas de famílias.

Em 2012, o programa Casa Feliz foi alargado com o apoio à renda. Aqui o objetivo é, precisamente, apoiar as famílias famalicenses que se encontrem a viver em habitações arrendadas e que, de uma forma temporária e inesperada, se vejam sem condições financeiras para cumprirem os contratos celebrados com os seus senhorios.

FAMALICÃO REALIZA "MARATONA DA BIBLIOTECA"

Famalicão assinala Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor com uma Maratona da Biblioteca. Iniciativa decorre em vários espaços do concelho de 23 a 28 de abril

No fim de semana de 27 e 28 de abril, a Praceta Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão, recebe uma Feira do Livro de Banda Desenhada que promete fazer as delícias dos amantes das histórias aos quadradinhos.

DSC_5920.JPG

A iniciativa é um dos destaques da Maratona da Biblioteca, iniciativa que a Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco vai promover de 23 a 28 de abril, em vários espaços do concelho, para comemorar o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor que se assinala no dia 23 deste mês.

No dia de arranque da iniciativa, a Biblioteca Municipal recebe, às 10h15 e às 14h30, uma oficina criativa intitulada “Almoço Literário”, e no polo de Joane da Biblioteca há “Dois dedos de conversa com…Andreia Varela” com a apresentação do livro “O grande e ruim GRAOU”.

No dia 24, para além das várias iniciativas destinadas ao público escolar, os polos de Riba de Ave e Ribeirão recebem, às 21h00, uma tertúlia literária sob o tema “Abril, Livros Mil”.  

Na sexta-feira, dia 26, destaque para uma ação formativa que decorrerá às 14h00 no polo da biblioteca de Riba de Ave sobre pesquisa no catálogo bibliográfico do fundo documental da Biblioteca Municipal.

Para além da Feira do Livro de Banda Desenhada, a Praceta Cupertino de Miranda recebe ainda, no dia 27, pelas 10h30, uma sessão de contos com Cláudia Pinheiro, narradora itinerante que dinamiza sessões de contos para crianças com recursos narrativos em tecido, executados por si. Nas suas sessões apresenta canções, histórias e lengalengas que despertam o gosto pela leitura, pela música e que cultivam o valor do respeito pela natureza e pelas diferenças humanas.

Já no dia 28, às 10h30, a praça recebe a atividade “Histórias para Sonhar”, uma narração teatralizada de um encontro entre duas histórias de Sophia de Mello Breyner  - “A fada Oriana na floresta da menina do mar”.

Recorde-se que o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor foi instituído pela UNESCO, em 1996, para homenagear o aniversário da morte dos escritores Shakespeare e Cervantes, reconhecidos dramaturgos que escreveram histórias imortais como “Romeu e Julieta” e “D. Quixote de la Mancha”.

Programa completo disponível para consulta em www.bibliotecacamilocastelobranco.org.

IMG_0657 (1).jpeg

FAMALICÃO LANÇA PRÉMIO DE ARQUITECTURA

Câmara lança segunda edição do Prémio de Arquitetura Januário Godinho

Depois da edição de estreia em 2017, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão lança este ano a segunda edição do Prémio de Arquitetura Januário Godinho, voltando assim a galardoar a melhor reabilitação de edifício no concelho.

A reabilitação do Palácio da Igreja Velha foi a obra vencedora da primeira edição do prémio (1).jpg

De periodicidade bianual, o Prémio Januário Godinho tem um valor pecuniário de 7 mil euros, cabendo 2 mil euros ao promotor da obra e 5 mil à equipa projetista.  

O prazo de entrega das candidaturas ao prémio decorre até 11 de junho e apenas serão admitidas a concurso as obras concluídas entre 2017 e 2018.

Podem apresentar candidatura todas as entidades privadas que tenham promovido obras de reabilitação em qualquer edifício localizado nas áreas de reabilitação urbana do concelho ou, no caso das restantes áreas do território famalicense, em edifícios com idade igual ou superior a 30 anos.

Promover a salvaguarda e valorização do património edificado, bem como valorizar e promover a divulgação do trabalho desenvolvido por projetistas e construtores são os principais objetivos do Prémio de Arquitetura Januário Godinho.  

A reabilitação do Palácio da Igreja Velha, em Vermoim, foi a obra vencedora da primeira edição do prémio.

Mais informações em www.vilanovadefamalicao.org/_premio_januario_godinho

FAMALICÃO PROMOVE PRÉMIO DE HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA

Inscrições para o Prémio de História Contemporânea decorrem até 5 de julho

O Prémio Victor Sá de História Contemporânea, promovido pelo Conselho Cultural da Universidade do Minho com o apoio, entre outros, do Município de Famalicão, tem inscrições abertas até 5 de julho.

Considerado o principal galardão nacional para jovens investigadores da área, o Prémio Victor Sá tem como principal objetivo incentivar a produção de trabalhos no âmbito da História Contemporânea de Portugal a jovens investigadores cuja idade não ultrapasse os 35 anos, e um valor pecuniário de 3500 euros.

As candidaturas devem ser entregues sob registo postal ou contra recibo de apresentação no Conselho Cultural da Universidade do Minho, no Largo do Paço, em Braga.

Recorde-se que o Doutor Victor de Sá (1921-2004), antigo Professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, doou à Universidade do Minho um conjunto significativo de documentos de natureza histórica, política e literária, resultante da sua atividade de investigação e intervenção pública, textos memorialísticos ainda inéditos bem como os direitos de autor relativos às obras que constituem a sua vasta bibliografia. Essa documentação encontra-se depositada na Biblioteca Pública de Braga, onde está a ser objeto de tratamento, de modo a permitir a sua rentabilização científica e a continuidade dos trabalhos do Prof. Victor de Sá.

Mais informações em www.uminho.pt.

FAMALICÃO PROMOVE PRÉMIO DE ENSAIO EDUARDO PRADO COELHO

Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho com candidaturas abertas

Decorre até ao dia 15 de maio, o prazo para apresentação das candidaturas ao Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores, com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho com candidaturas abertas.jpg

Com o valor monetário de 7500 euros, o prémio destina-se a galardoar anualmente uma obra de ensaio literário, em português e de autor português, publicada em livro, em primeira edição, no ano anterior ao da sua entrega.

Assim, os concorrentes com livros publicados em 2018 devem enviar cinco exemplares, até à data limite, para a Associação Portuguesa de Escritores, sita na Rua de São Domingos à Lapa, 17, 1200-832 Lisboa.

Refira-se que o Prémio já consagrou vários autores, desde 2010, como Vítor Aguiar e Silva, Manuel Gusmão, João Barrento, Rosa Maria Martelo, José Gil, Manuel Frias Martins, José Carlos Seabra Pereira, Isabel Cristina Rodrigues e Helder Macedo.

O regulamento pode ser consultado no portal oficial da Biblioteca Municipal de Famalicão, em www.bibliotecacamilocastelobranco.org.

FAMALICÃO CONTA HSTÓRIAS DO CINEMA

Dias 10 e 11 de maio, na Casa das Artes: Close-UP abre Episódio 3.3 a pensar na nova temporada

TextoNos dias 10 e 11 de maio, a terceira e última réplica do terceiro episódio do Close-Up (Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão) já tem no horizonte a nova temporada que irá vir à tela da Casa das Artes em outubro.

Sobre Tudo Sobre Nada.jpg

Nesta, o enquadramento promove o cruzamento e o encontro de vários públicos, com três propostas: percurso diarístico por locais e emoções de Dídio Pestana em “Sobre Tudo Sobre Nada”, um portal no tempo de aventura e fantasia em “Mirai”, numa sessão para famílias e o fecho das Histórias do Cinema do gigante Mizoguchi, que foi olhado desde outubro, com “A Mulher de Quem se Fala”.

10.Mai – 21h30 (PA) – SOBRE TUDO SOBRE NADA de Dídio Pestana – comentado por Tânia Leão;

11.Mai – 15h00 (PA) – MIRAI de Mamoru Hosoda;

11.Mai – 17h30 (PA) – A MULHER DE QUEM SE FALA de Kenji Mizoguchi.

Bilheteira Sessão para Famílias

Geral: 2 euros

Cartão quadrilátero, estudantes, seniores, associados de cineclubes: 1 euro

Bilheteira Sessões

Geral: 2 euros | Cartão quadrilátero: 1 euro | Entrada livre: estudantes, seniores, associados de cineclubes

Mais Informações em www.casadasartes.org | https://closeup.pt/blog/post/trespontotres/

Mirai (1).jpg

A Mulher de Quem Se Fala (1).jpg

FAMALICÃO SERVE ROJÕES À MODA DO MINHO

Festas de Maio trazem “Dias à Mesa” com Rojões e muita animação. Fim-de-semana gastronómico decorre de 10 a 12 de maio

Um dos restaurantes mais antigos de Vila Nova de Famalicão, a Casa Pêga que já conta mais de 60 anos, vai associar-se à iniciativa gastronómica “Dias à Mesa”, promovida pelo município famalicense durante a Festa de Maio – Flores e Trocas, que decorre nos dias 8 e de 10 a 12 de maio.

DSC_5732.JPG

Os Rojões são a proposta para este fim-de-semana que promete atrair muitos turistas ao território, conjugando os melhores paladares com uma agenda cultural diversificada e animada, proporcionando uma experiência completa dos sentidos. Este é, aliás, o principal objetivo dos “Dias à Mesa”, que arrancou no Carnaval, com o cozido à portuguesa.

Ao longo do ano, contam-se oito fins-de-semana gastronómicos sempre associados a eventos culturais e desportivos do município.

Para além da Casa Pêga, participam ainda nesta edição outros conceituados restaurantes, como a Colina do Ave, Fondue, O Tosco, O Prato, Outeirinho, Porta Enxerto, Sara Cozinha Regional e Torres. Os turistas que participarem na iniciativa usufruem de um desconto de 10 por cento no período correspondente nas casas de alojamento aderentes.

“Famalicão tem todas as condições para proporcionar uma estadia enriquecedora do ponto de vista cultural e gastronómico aos visitantes que nos procuram por esta altura do ano”, adianta o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, salientando que “Os Dias à Mesa” são um “projeto turístico com dimensão horizontal, que junta a gastronomia com outros atrativos, chamando até Vila Nova de Famalicão mais visitantes e com maior permanência”.

Tipicamente minhoto, os rojões são um prato confecionado com ingredientes diversos, que se associam às Festas de Maio, pela sua tradição e culturalidade. Enquanto a a Feira das Trocas se destaca pelas exposições de gado bovino, o mercado de produtos típicos da região e tabernas populares, a festa da flor é marcada pela batalha das flores, uma tradição secular que embeleza e perfuma toda a cidade. A animação essa é garantia com espetáculos e atividades culturais e musicais.

Programação dos Dias à Mesa disponível em https://www.famalicao.pt/_dias_a_mesa

FAMALICÃO TEM LOJA DE ROUPA QUE TAMBÉM FAZ A BARBA

Lord Jack & Friends, uma loja de roupa que é também barbearia e ateliê para estilistas

A Lord Jack & Friends é uma loja de vestuário masculino e acessórios, uma barbearia vintage e um ateliê para jovens estilistas. Um espaço novo e diferenciador, pensado e gerido pela designer Marta Vieira Pinto, para visitar no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão.

AFS_6040.jpg

Aqui, peças de autor, clássicas ou ousadas, são expostas a potenciais compradores e misturam-se com o serviço de corte de cabelos e barbas, bem ao estilo do que se pode ver em Londres. É também aqui que os estilistas em início de carreira podem desenvolver as suas coleções.

Marta Vieira Pinto, 33 anos, sempre se dedicou à moda, mas decidiu especializar-se em desenhar peças exclusivas para homens. “Inspiro-me muito no street style e sempre tive um gosto especial em criar peças para os homens. Acredito que eles dão mais valor aos modelos exclusivos e de qualidade”, explica.

Nos cabides há blazers, camisas, calças, coletes e acessórios - na sua maioria em edições limitadas -, com padrões clássicos ou pouco discretos.

A Lord Jack & Friends é, nas palavras da designer famalicense, uma loja para “homens ousados, que têm um gosto arrojado e estão atentos aos pormenores”. “A moda não é simplesmente vestir. É deixar transparecer a identidade de cada um. A nossa mais-valia é criar peças para o cliente usar aquilo que mais gosta, por isso, permitimos que ele escolha os tecidos do interior e do exterior de um blazer, o bordado das calças ou o pin das lapelas, por exemplo”, conta.

Os pins de lapela são feitos com diferentes materiais, cores e tipos de alfinete. Certo dia, um cliente pediu a Marta para criar algo parecido com uma peça que viu durante uma viagem ao estrangeiro. A novidade pegou e transformou-se num dos acessórios mais populares da loja.

A Lord Jack & Friends é um projeto empresarial apoiado pelo Famalicão Made IN. Marta Vieira Pinto encontrou na equipa do Gabinete de Apoio ao Empreendedor da Câmara Municipal o contributo conhecedor para desenvolver a sua ideia de negócio.

AFS_6010.jpg

AFS_6021.jpg

AFS_6036.jpg

FAMALICÃO: RUSGA DE JOANE VENDE TREMOÇOS E ROSQUILHAS

Tradição Joanense - Quinta Feira Santa. Venda de Rosquinhas e Tremoços

Valorizando a identidade cultural e local da Vila de Joane, de Vila Nova de Famalicão, Grupo Etnográfico Rusga de Joane, leverá a efeito a tradicional venda de Rosquinhas e Tremoços, na Quinta Feira Santa, 18-ABR. Este que é um costume exclusivamente joanense, vivenciado somente neste dia (Quinta Feira Santa).

received_2224745241110647.jpeg

Este mercado tradicional acontecerá durante o dia, mais precisamente, entre as 7h30 e as 18h, no Largo 3 de Julho (antigo Campo da Feira), na Vila de Joane

5ª FEIRA SANTA - VENDA DE ROSQUINHAS E TREMOÇOS:

Breve nota: Tratando-se de uma tradição exclusiva da Vila de Joane, que remonta às primeiras décadas do século XX, na 5ª Feira Santa as mini rosquinhas (conforme fotografia do cartaz) e os tremoços eram presença obrigatória nas casas dos Joanenses. Ao longo destes anos, várias foram as pessoas que montavam as suas bancas neste dia, no Largo 3 de Julho (antigo Campo da Feira), na última década sentiu-se a diminuição desta prática cultural. 

Desta forma, a Rusga de Joane, vem pelo 4º ano consecutivo, reforçar a dinamização desta tradição tão joanense, colocando uma banca de venda de Rosquinhas e Tremoços na 5ª feira Santa (18-ABR), numa tentativa de preserver a tradição, levá-la às gerações mais novas e reafirmá-la junto das gerações mais velhas, que tão bem conhecem este costume exclusivo da Vila de Joane.

CRIANÇAS DE FAMALICÃO INAUGURAM ESCOLAS CONDE S. COSME E DE RIBA DE AVE NO TERCEIRO PERÍODO

Escolas de Famalicão beneficiaram de obras profundas de requalificação e ampliação

O terceiro período vai começar em festa nas escolas básicas do 1.º ciclo de Conde S. Cosme e de Riba de Ave, em Vila Nova de Famalicão. Cerca de 400 crianças vão inaugurar as “novas” escolas depois de obras profundas de reabilitação e ampliação.

Escola Conde S. Cosme.JPG

Os portões da Escola Conde S. Cosme, também conhecida como Sede n.º 1, localizada na cidade, vão abrir-se a seguir à Páscoa e vão dar a conhecer uma escola totalmente remodelada e modernizada. Com um investimento superior a 800 mil euros, a intervenção implicou a ampliação do edifício, com construção de refeitório, biblioteca, sala de professores e recreio coberto. Foram ainda executados arranjos exteriores, com a construção de um campo desportivo com relva sintética.

Em Riba de Ave, as obras implicaram um investimento superior a 500 mil euros e para além da reabilitação total do edifício, a ampliação implicou a criação de mais duas salas, passando para oito, foi ainda construída uma sala de apoio, biblioteca, sala de professores e recreio coberto. Os arranjos exteriores contemplaram também um espaço desportivo com relva sintética. Os dois projetos foram cofinanciados pelo NORTE 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

As escolas receberam já a visita dos alunos que se mostraram muito entusiasmados com os edifícios e salas de aula, mas principalmente com os espaços exteriores e desportivos.

Ambos os edifícios fazem parte do plano centenário, isto é do conjunto de escolas construídas durante o regime salazarista. “Com estas obras, estamos a manter viva a história da educação em Portugal, reabilitando os edifícios criando escolas amplas, modernas e de grande qualidade que privilegiam a entrada de luz natural e com grandes espaços de recreio. São edifícios com todas as condições educativas para que o ensino cumpra as suas funções”, afirmou a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

“Com estas duas escolas reabilitadas, o Parque Escolar de Vila Nova de Famalicão dá um enorme salto em termos de qualidade e excelência de condições”, acrescentou o autarca, adiantando que a câmara municipal está já a preparar um conjunto de intervenções em outras escolas do concelho.

Em causa, estão as obras de ampliação e requalificação das Escolas Básicas de Arnoso Santa Eulália, Avidos e Mões, esta última com uma intervenção profunda. Serão ainda reabilitadas as escolas de Vilarinho das Cambas e da Estalagem, em Vermoim. 

Entretanto “outras obras poderão surgir, porque a qualidade do parque escolar é sempre um trabalho inacabado. Há sempre melhoramentos a fazer e intervenções necessárias”, salientou Paulo Cunha.

Escola de Riba de Ave.jpg

FAMALICÃO: MAIS E MELHOR EMPREGO COM O NOVO REGULAMENTO MADE 2IN

Número de postos de trabalho criados é agora mais valorizado que o volume do investimento para a classificação de iniciativa empresarial de interesse municipal

A aposta na qualidade do emprego é o grande destaque do novo Regulamento dos Projetos de Investimento de Interesse Municipal, publicado esta terça-feira, 9 de abril, em Diário da República, depois de aprovado pelo Executivo e Assembleia municipais.

AFS_0048.jpg

O regulamento criado pela Câmara Municipal de Famalicão para apoio a iniciativas empresariais de interesse municipal – designadas por Projetos Made 2IN - tem novos critérios de classificação. Se até aqui o volume do investimento a realizar era o critério com maior peso, agora o número de postos de trabalho líquido a criar passa a ser o critério mais valorizado, valendo 40% da classificação, ao invés dos anteriores 20%.

Com as alterações propostas, passa também a valorizar-se a celebração de contratos de trabalho por tempo indeterminado – quando antes não era feita qualquer distinção entre contratos com e sem termo – e as empresas que melhorem a sua massa salarial anual total.

Refira-se que o novo Regulamento Made 2IN introduz também alterações nos benefícios fiscais concedidos aos empresários. A redução do valor das taxas das operações urbanísticas podem ir agora até aos 100%, contra o máximo de 50% previsto no anterior regulamento.

Os benefícios fiscais dependem da classificação que vier a ser conferida aos novos projetos empresariais, e podem traduzir-se também na isenção total ou parcial do IMI e do IMT em projetos com investimento igual ou superior a três milhões de euros e na atribuição de um gestor de projeto indicado pelo município, para acompanhamento dos procedimentos administrativos e para apoio no levantamento de espaços disponíveis para implementação do projeto.

Recorde-se que o Regulamento Made 2IN está em vigor desde outubro de 2014 e até agora foram aprovados 56 projetos empresariais de interesse municipal que representaram um investimento global de 180 milhões de euros, a que ficaram associados 1157 novos postos de trabalho.

Mais informações e a lista completa dos investimentos classificados em Famalicão de Interesse Municipal em www.famalicaomadein.pt

AFS_9635.JPG

FAMALICÃO CONTA HISTÓRIA DE ARMANDO BACELAR NO ANO DO SEU CENTENÁRIO

Iniciativa insere-se nas comemorações do 25 de abril

Vila Nova de Famalicão vai contar a história de Armando Bacelar, o advogado, político antifascista, ministro, crítico literário e poeta que se notabilizou a nível nacional como líder da Oposição Democrática à ditadura do Estado Novo, conjugando a sua ação política com a dinamização cultural e literária.

Comício comemorativo do 31 de Janeiro, em 1974, no Porto. Foto Sérgio Valente.jpg

É já no próximo dia 24 de abril, pelas 17h30, no Arquivo Municipal Alberto Sampaio, em mais uma sessão do ciclo de conferências “Conta-me a História”, que o município de Famalicão tem vindo a promover à volta da sua história e das suas figuras mais proeminentes.

Inserida no âmbito das comemorações do 25 de Abril, a mesa redonda conta com a participação das filhas de Armando Bacelar, Eva e Manuela Bacelar. Estarão ainda presentes a investigadora Filipa Sousa Lopes, que irá abordar a faceta de “político”, Joaquim Loureiro irá falar sobre o “advogado”, será ainda lido um texto de Amadeu Gonçalves que aborda a caraterística de “crítico literário e teórico do Neorealismo” de Armando Bacelar e estará ainda presente Artur Lopes. A conferência será moderada pelo historiador Artur Sá da Costa.

Com esta iniciativa dá-se início também às Comemorações do Centenário desta figura cimeira do concelho de Vila Nova de Famalicão. Armando Bacelar nasceu em 1919 e faleceu em 1998. O programa comemorativo estende-se, assim, por várias iniciativas que irão abordar a sua plurifacetada personalidade e as suas múltiplas atividades. Entre outras iniciativas destaca-se a inauguração de uma exposição bibliográfica, com base no seu espólio e biblioteca doado à Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, um colóquio sobre as várias facetas da sua personalidade e as múltiplas atividades onde se envolveu e a edição da Coletânea de poesia “Eu e Tu Só”, uma obra inédita da sua autoria que foi também oferecida à Biblioteca Municipal. Prevê-se ainda a edição dos Ensaios Literários organizados por Amadeu Gonçalves “Pre/textos: Armando Bacelar teórico do neorrealismo?” e uma sessão solene a decorrer a 25 de Setembro (dia do aniversário).

Armando Bacelar participou em todos os combates políticos relevantes no pós-guerra até à Revolução do 25 de Abril de 1974. Ainda estudante na Academia de Coimbra colaborou com os escritores Fernando Namora, José Gomes Ferreira, João José Cochofel, Joaquim Namorado na criação da revista Vértice e no lançamento do Novo Cancioneiro, donde emerge o Movimento literário e artístico do neorrealismo. A advocacia que exerceu desde 1944 com o escritório em Famalicão foi também um instrumento de luta política na defesa dos presos políticos nos tribunais plenários. Foi ministro dos Assuntos Sociais no I Governo Constitucional. Em 1996 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Em 1992 apresentou nas II Jornadas de História Local uma comunicação onde divulgou as suas memórias, num texto publicado no Boletim Cultural de Famalicão “Memórias de Tempos Idos”. Por essa altura doou ao município de V.N. de Famalicão a sua biblioteca pessoal (2605 livros) e o seu espólio (611 unidades), os quais estão no Fundo Local da Biblioteca Municipal. Doou também uma coletânea de poesia “Eu e Tu Só”, onde seleciona a poesia dispersa que publicou, expressando em carta a vontade de a publicar, o que nunca aconteceu.

Refira-se que a iniciativa “Conta-me a História” insere-se no plano maior “25 de abril – Memória e Futuro”, que arrancou em 2015 com a criação da “Biblioteca Digital – Fundo Local da Oposição Democrática”, que disponibiliza online através do site da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco documentos exclusivos das lutas pela liberdade no concelho e no país.

Arquivo Municipal 064.jpg

FAMALICÃO MELHORA CONDIÇÕES NO GRUPO DESPORTIVO DE CAVALÕES

Grupo Desportivo de Cavalões ganha novo sintético e iluminação LED

A pouca visibilidade nos treinos e jogos do Grupo Desportivo de Cavalões já não é problema para os mais de 100 atletas do clube. A iluminação LED chegou ao Complexo Desportivo Amândio Oliveira Carvalho, que esta terça-feira, dia 9, recebeu a visita do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

AFS_5866.jpg

A substituição da iluminação contou com o apoio da Câmara Municipal, mas esta não foi a única melhoria efetuada recentemente no recinto do Grupo Desportivo de Cavalões.

No segundo campo do clube foi colocada relva sintética, relva essa que foi cedida pela autarquia depois de retirada do segundo campo do Estádio Municipal.

Satisfeito com as novas condições do recinto, o presidente do clube, Laurentino Ferreira, espera agora que o número de atletas a praticar a modalidade aumente.

Paulo Cunha não duvida que este complexo desportivo serve agora melhor a comunidade. O edil apontou a união de esforços entre o clube, a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal como fator fundamental para a concretização destas melhorias.

“É bom perceber que complexos desportivos como este vão melhorando as suas condições para que cada vez mais jovens possam praticar desporto”, disse o autarca.

Refira-se que, no total, as duas intervenções contaram com um apoio municipal de 34 mil euros.

AFS_5812.jpg

AFS_5793 (1).jpg

FAMALICÃO: ENGRAXAT ABRE LOJA PRÓPRIA E QUER CHEGAR A TODO O PAÍS

A Engraxat acaba de abrir uma loja própria, em Vila Nova de Famalicão, sinal da sua vitalidade e vontade de crescer. Alexandre Marques, 25 anos, o engraxador dos tempos modernos, como é já apelidado, é o rosto da marca.

AFS_5713.jpg

A Engraxat é um bom exemplo da reinvenção de uma arte antiga que, de quase condenada ao desaparecimento, surge agora rejuvenescida por ideias novas que a projetam para um futuro risonho.

O conceito é idêntico ao de engraxador de rua. De forma original, propõe dar uma nova vida às sapatilhas que, com o uso, perdem o seu encanto. Apenas não existe aquele momento de espera durante a limpeza. “Os clientes deixam as sapatilhas aqui na loja ou nos locais parceiros que fazem também recolha. Depois de dois ou três dias, recebem uma mensagem indicando que a limpeza está concluída, podendo levantar as sapatilhas na loja ou nesses locais”, explica Alexandre. 

Toda a ideia da Engraxat surge graças à sua experiência como funcionário em lojas de desporto, em que muitas vezes era confrontado pelos clientes com a pertinente questão “como devo limpar as minhas sapatilhas?”.

Recorrendo às informações que foi adquirindo - e respeitando um legado familiar, já que o seu avô era engraxador -, Alexandre começou a estruturar o plano de negócios da Engraxat em setembro de 2016, com o apoio da equipa do Gabinete de Apoio ao Empreendedor do Famalicão Made IN, lançando-o ao público em março de 2017.

Engraxando todos os tipos de sapatilhas, dando especial atenção às camurças, que requerem mais cuidado, Alexandre introduziu na Engraxat dois métodos de limpeza: a limpeza clássica, relativa apenas ao exterior da sapatilha e a limpeza profunda, que inclui limpeza exterior, interior, serviço de fragrância e desodorização.

A evolução natural do negócio tornou-se inevitável: “Comecei com as parcerias, agora abri a loja física em Famalicão (Rua Alberto Sampaio, 43, Loja 3) e vou também trabalhar com uma transportadora a nível nacional para recolher as sapatilhas em qualquer ponto do país, sem a pessoa sair de casa, com um preço de apenas 8 euros, ida e volta”, revela Alexandre. 

As expectativas são as melhores. “Tenciono fazer com que a Engraxat cresça cada vez mais, com passos sustentáveis”, remata.

AFS_5689.jpg

AFS_5698.jpg

AFS_5707.jpg