Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARTISTA PEDRO CHORÃO EXPÕE A SUA ARTE NA GALERIA MUNICIPAL DE FAMALICÃO

DSC_4989.JPG

Exposição de Pedro Chorão está patente até dia 18 de maio, com entrada livre

“Superfícies” é o nome da mais recente exposição patente na galeria municipal Ala da Frente, da autoria de Pedro Chorão. O trabalho do conceituado artista conimbricense pode ser apreciado até dia 18 de maio, no espaço cultural famalicense. A entrada é livre.

Quem entrar na galeria municipal encontra uma seleção de pinturas e obras fotográficas de Pedro Chorão, realizadas ao abrigo de uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian nos anos 1987/88/89, na Região do Alentejo, “obras que resultam de um percurso muito minucioso e atento onde cada detalhe, cada fragmento, cada pormenor de luz, cada textura se tornou propósito de atenção e resultou numa fotografia. Estas imagens detêm uma composição lúcida e uma perceção diferenciada”, como refere o curador da galeria de arte contemporânea, António Gonçalves, no texto de apresentação.

Segundo o curador da galeria famalicense, Pedro Chorão “tem desenvolvido um percurso de trabalho amplo e feito de uma sensibilidade muito apurada que resulta em obras portadoras de um sentido estético cuidado e de aprimorada sabedoria”, algo que está, agora, vertido em “Superfícies”.

Refira-se que Pedro Chorão nasceu em Coimbra, em 1945, tendo estudado em Liverpool e em Paris, e tornando-se mestre em Pintura pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Desde 1972, o artista já realizou mais de 150 exposições, em Portugal e no estrangeiro, e no seu currículo constam prémios nacionais (III Exposição de Belas Artes, Fundação Gulbenkian, 1987; Bicentenário do Ministério das Finanças, 1988; Bienal de Lagos, 1990) e internacionais (AICA - Association Internationalle des Critiques d'Art). O trabalho do artista conimbricense está representado nas principais coleções e museus nacionais de Lisboa e do Porto.

A exposição “Superfícies”, de Pedro Chorão, pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h30, e aos fins-de-semana, das 14h30 às 17h30, na galeria municipal Ala da Frente, situada no edifício do Museu Bernardino Machado, em Famalicão.

Para mais informações, consulte: www.famalicao.pt/galeria-municipal-ala-da-frente .

DSC_4977.JPG

DSC_4978.JPG

GUIMARÃES EXPÕE CAMÉLIAS

XI Exposição de Camélias de Guimarães

O Município de Guimarães, em parceria com o Laboratório da Paisagem, a Associação Portuguesa das Camélias /ICS – Portugal e o Paço dos Duques - Museus e Monumentos de Portugal, promove a XI Exposição de Camélias de Guimarães, a realizar nos próximos dias 24 e 25 de fevereiro.

Esta exposição pretende divulgar e valorizar o património natural constituído pelas camélias, pelo que é uma oportunidade para descobrir um pouco mais sobre esta espécie, também conhecida por “rosa japónica” ou “japoneira”, e que é considerada por muitos como a flor mais admirável dos nossos jardins.

425340221_719611293695082_9136643632982794552_n.jpg

BRAGA: EXPOSIÇÃO ASSINALA 25 ANOS E PROJECTA FUTURO DA AGERE

CMB14022024SERGIOFREITAS30222375.jpg

Por estes dias, quem passar pela Rua Francisco Sanches, depara-se com uma exposição que assinala os 25 anos da AGERE ao serviço da comunidade Bracarense. A mostra representa uma homenagem à trajectória da empresa municipal e ao seu compromisso contínuo com a gestão ambiental e o bem-estar da cidade.

Desde a sua fundação, em 1999, a AGERE tem sido um pilar fundamental no fornecimento de serviços essenciais relacionados à água, efluentes e resíduos em Braga. Durante os últimos 25 anos, a empresa tem desempenhado um papel vital na preservação dos recursos hídricos, na implementação de práticas sustentáveis de gestão de resíduos e na promoção da consciência ambiental na região.

A exposição oferece uma visão abrangente da história, das realizações e dos desafios da AGERE ao longo de suas duas décadas e meia de existência, destacando as várias iniciativas e marcos importantes que moldaram o percurso da empresa e influenciaram positivamente a comunidade de Braga. A mostra faz um resumo do percurso da empresa, que investiu 136 milhões de euros para se tornar numa referência do sector tanto a nível nacional, como internacional, tendo recolhido mais de 1,5 milhões de toneladas de resíduos urbanos.

“Braga tem uma situação relativamente inédita, uma vez que tem todas as valências integradas numa única estrutura, apenas complementada pela Braval. Isso é um privilégio para o Município que permite concretizar o objectivo de garantirmos um nível de excelência no desempenho e no serviço, como tem sido frequentemente reconhecido pela ERSAR com melhores índices de desempenho a nível nacional”, referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a inauguração da exposição, que decorreu esta Quarta-feira, dia 14 de Fevereiro.

Lembrando que os tarifários praticados pela AGERE são “dos mais competitivos a nível nacional”, o Autarca destacou a eficiente gestão da empresa “que permite a viabilidade para investimentos cruciais” como a nova ETAR, o novo Centro de Recolha Intermunicipal ou o sistema de recolha de bio resíduos.

Por seu turno, Rui Morais, presidente do Conselho de Administração da AGERE, explicou que esta exposição pretende tornar acessível “a grandeza dos números” do que foi a actividade da empresa durante estes 25 anos. “Esta exposição percorre todo o caminho da AGERE e projecta o futuro da empresa. Destaco ainda o trabalho realizado na última década, fundamentalmente ao nível da eficiência da empresa, que se reflecte na redução tarifária para os munícipes e na melhoria das condições laborais para os nossos colaboradores”, salientou.

A redução da água não facturada, a renovação da frota, a actividade do Centro de Recolha Oficial (CRO) - que proporcionou a adopção de 10.183 animais -, fazem parte dos dados desta exposição, representando o percurso de investimentos, estratégias e resultados da AGERE.

Além disso, a exposição é também uma oportunidade para a AGERE reconhecer e agradecer a todos os seus colaboradores, parceiros e clientes que contribuíram para o sucesso e a sustentabilidade de suas operações ao longo dos 25 anos de actividade.

CMB14022024SERGIOFREITAS30222382.jpg

CMB14022024SERGIOFREITAS30222384.jpg

CMB14022024SERGIOFREITAS30222389.jpg

CMB14022024SERGIOFREITAS30222394.jpg

CMB14022024SERGIOFREITAS30222396.jpg

EXPOSIÇÃO “PIGMENTO CALEIDOSCÓPICO” TRAZ CORES E FORMAS VIBRANTES AOS PAÇOS DO CONCELHO DE PONTE DA BARCA

422008883_381665724612815_4864813385321390018_n.jpg

Ontem à tarde, nos Paços do Concelho de Ponte da Barca, teve lugar a inauguração da exposição de pintura "Pigmento Caleidoscópico", da artista monçanense, Mafalda de Castro – Malouca.

A coleção, uma verdadeira viagem visual de formas e cores, é fruto de dois anos de dedicação e paixão, e foi descrita pela própria como representativa do seu estado de inquietude e um mergulho profundo na diversidade do mundo que a rodeia.

Mafalda de Castro traz ao público de Ponte da Barca o seu talento na arte de pintar que começou por mandalas, evoluindo depois para quadros, máscaras, ténis, estando também expresso em rótulos de garrafas de vinho, numa parceira que estabeleceu com a adega Cortinha Velha, da freguesia Cambeses, Monção, de onde é natural.

O evento de inauguração contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Augusto Marinho, e das vereadoras Rosa Maria Arezes e Diana Sequeira, que não pouparam elogios à qualidade e à relevância cultural da exposição.

"Pigmento Caleidoscópico" permanecerá em exibição até o início do próximo mês de Março, permitindo que todos os interessados tenham a oportunidade de a visitar.

421984486_381664901279564_6572783331947720859_n.jpg

422009892_381664691279585_3012030624057242821_n.jpg

422080551_381666261279428_4515407956535463357_n.jpg

424579908_381666021279452_3343540987411258209_n.jpg

424583185_381664961279558_2051526486186208113_n.jpg

424611193_381664294612958_1743212851022086459_n.jpg

424621296_381665787946142_1925434886306684476_n.jpg

424672530_381664911279563_872380117685968734_n.jpg

CASA DO TERRITÓRIO EXPÕE TESOUROS ARQUEOLÓGICOS DE FAMALICÃO

AFS_0363.jpg

Inauguração da exposição “10 Anos de Tesouros” aconteceu esta quinta-feira

Uma década de tesouros arqueológicos do concelho de Vila Nova de Famalicão encontram-se expostos na Casa do Território, no Parque da Devesa desde esta quinta-feira, dia 8 de fevereiro, numa mostra que retrata a evolução dos objetos e materiais utilizados pela população entre o IV milénio A.C. e o século XII.

A mostra “10 Anos de Tesouros” vai ficar patente até dia 30 de abril de 2024, com entrada livre.

A exposição é constituída por 139 objetos recolhidos em escavações ou em superfície ao longo dos inúmeros trabalhos arqueológicos desenvolvidos no concelho famalicense.

Ao visitar esta mostra, entre muitos outros materiais, os visitantes vão deparar-se com uma chave de uma casa romana, uma foice encontrada no Castro das Ermidas, alfinetes do I milénio A.C, tachas de sandálias romanas e contas de colar vindas do Mediterrâneo.

O horário de visita coincide com o de funcionamento da Casa do Território: terça a quinta, das 09h30 às 13h e das 14h às 17h30, e sábados, domingos e feriados, das 14h30 às 17h30.

A acompanhar a exposição, haverá um programa de atividades dirigido a todos os públicos, que abrange desde oficinas e visitas guiadas a lançamento de catálogo e atividades especificas para as escolas.

A exposição “10 Anos de Tesouros” surge no seguimento da atividade “Arqueologia Destaca…”, uma dinâmica mensal desenvolvida pelo gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, que dá a conhecer, mensalmente, um achado arqueológico na Casa do Território.

Para mais informações, consulte a página www.famalicao.pt/10-anos-de-tesouros.

AFS_0376.jpg

AFS_0426.jpg

BARCELOS: EXPOSIÇÃO “QUEM ÉS TU?”, DO TEATRO D. MARIA II, ABRE HOJE AO PÚBLICO

Na sequência da nota que enviamos sobre a Exposição Quem és tu?, do Teatro D. Maria II, relembramos que a inauguração acontece hoje, às 18hna Galeria Municipal de Arte.

Da programação da exposição Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, fazem ainda parte visitas guiadas - hoje, às  18H30, e dia 2 de março, às 15h,  na Galeria Municipal de Arte e Theatro Gil Vicente -; uma oficina para famílias, no dia 17 de fevereiro, às 10h30, com coordenação de Vera Santos; e um debate, a 2 de março, às 17h, sobre as relações entre a memória do teatro e do país, moderado por Tiago Bartolomeu Costa, comissário da exposição, e organizado em colaboração com a Comissão para as Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

Exposição.jpg

A inauguração na Galeria Municipal de Arte e Theatro Gil Vicente acontece hoje, sexta-feira, dia 9 de fevereiro, às 18h00

Depois de ter percorrido 8 concelhos de Portugal continental e ilhas, desde março de 2023, a exposição Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, com curadoria de Tiago Bartolomeu Costa, apresenta-se em Barcelos, na Galeria Municipal de Arte e Theatro Gil Vicente, de 9 de fevereiro a 2 de março.

Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, organizada pelo Teatro Nacional D. Maria II, e desenvolvida em parceria com a Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril e o Museu Nacional do Teatro e da Dança, estabelece ligações entre a prática artística e o seu contexto político e social, acompanhando a história do Teatro ao longo de quase 100 anos, desde 1929 até à atualidade.

A concessão do Teatro Nacional D. Maria II à Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro acompanhou 45 dos 48 anos da ditadura do Estado Novo. Nesse período, o teatro português desenvolveu-se, afirmou-se e definiu-se na relação com o regime. Recuperando a relação da companhia Rey Colaço-Robles Monteiro com o território nacional, esta exposição pensa as relações entre os espetáculos apresentados e as diferentes camadas de representação (do país, da sociedade, do teatro e dos regimes políticos), potenciando a perceção pública de uma certa ideia de (e para o) teatro nacional, tanto enquanto edifício, como na sua missão.

A partir de materiais documentais – figurinos e trajes, fotografias, registos sonoros e audiovisuais, programas, objetos de cena, imprensa –, produz-se um comentário crítico à história social e política que o país construiu, observando a permeabilidade e a resistência do teatro a essas realidades.

BARCELOS ACOLHE EXPOSIÇÃO “QUEM ÉS TU?” DO TEATRO NACIONAL D. MARIA II

A inauguração na Galeria Municipal de Arte e Theatro Gil Vicente acontece já na próxima sexta-feira, dia 9 de fevereiro, às 18h00

Depois de ter percorrido 8 concelhos de Portugal continental e ilhas, desde março de 2023, a exposição Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, com curadoria de Tiago Bartolomeu Costa, apresenta-se em Barcelos, na Galeria Municipal de Arte e Theatro Gil Vicente, de 9 de fevereiro a 2 de março.

Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, organizada pelo Teatro Nacional D. Maria II, e desenvolvida em parceria com a Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril e o Museu Nacional do Teatro e da Dança, estabelece ligações entre a prática artística e o seu contexto político e social, acompanhando a história do Teatro ao longo de quase 100 anos, desde 1929 até à atualidade.

A concessão do Teatro Nacional D. Maria II à Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro acompanhou 45 dos 48 anos da ditadura do Estado Novo. Nesse período, o teatro português desenvolveu-se, afirmou-se e definiu-se na relação com o regime. Recuperando a relação da companhia Rey Colaço-Robles Monteiro com o território nacional, esta exposição pensa as relações entre os espetáculos apresentados e as diferentes camadas de representação (do país, da sociedade, do teatro e dos regimes políticos), potenciando a perceção pública de uma certa ideia de (e para o) teatro nacional, tanto enquanto edifício, como na sua missão.

A partir de materiais documentais – figurinos e trajes, fotografias, registos sonoros e audiovisuais, programas, objetos de cena, imprensa –, produz-se um comentário crítico à história social e política que o país construiu, observando a permeabilidade e a resistência do teatro a essas realidades.

inauguração da exposição terá lugar na Galeria Municipal de Arte, na próxima sexta-feira, dia 9 de fevereiro, às 18h00, seguida de uma visita guiada com o curador, Tiago Bartolomeu Costa, e logo depois no Theatro Gil Vicente. Da programação da exposição Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, fazem ainda parte visitas guiadas - dia 9 de fevereiro, às  18H30, e dia 2 de março, às 15h,  na Galeria Municipal de Arte e Theatro Gil Vicente -, uma oficina para famílias, no dia 17 de fevereiro, às 10h30, com coordenação de Vera Santos, e um debate, a 2 de março, às 17h, sobre as relações entre a memória do teatro e do país, moderado por Tiago Bartolomeu Costa, comissário da exposição, e organizado em colaboração com a Comissão para as Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

Zoo Story e Laboratório Zoo Story

O Theatro Gil Vicente recebe a peça Zoo Story, no dia 9 de fevereiro, em duas sessões: às 10h30, destinada ao público escolar e, às 21h30, para o público em geral.

O argumento é baseado numa peça de Edward Albee que Marco Paiva pega e transcreve para língua gestual portuguesa.

A partir da peça Zoo Story e da sua proposta de encenação, Marco Paiva coordena este laboratório de teatro, composto por ações de sensibilização junto dos mais novos e conversas com o público depois de cada sessão do espetáculo. “Podemos entrar?” destina-se a alunos do 3.º ciclo e acontece no dia 8 de fevereiro nas escolas do concelho; e “Conversas depois de um espetáculo para preparar o futuro”, no dia 9, logo após a peça de teatro.

SOBRE O TEATRO NACIONAL D. MARIA II

Fundado em 1846, o Teatro Nacional D. Maria II, E.P.E. é uma instituição central no panorama teatral português, comprometida com a sua missão de serviço público, que integra a promoção da democracia cultural e a realização do potencial cultural do nosso país e das suas pessoas. O TNDM II produz, coproduz e acolhe, por ano, cerca de 50 espetáculos e centenas de outras atividades, num total superior a 700 sessões, para mais de 100.000 espectadores. Procura ativamente envolver cada vez mais pessoas na sua programação, através de múltiplas iniciativas desenhadas para todos os tipos de públicos, com particular atenção a crianças e jovens e pessoas com necessidades específicas. Trabalha em prol da valorização da criação nacional e das classes profissionais artísticas e técnicas que a suportam, com equipa permanente de cerca de 90 pessoas, colaborando com centenas de artistas e outros profissionais da cultura. Apresenta os seus espetáculos nas suas salas no Rossio, em Lisboa, e em digressão nacional e internacional.

Em 2023 iniciou um projeto inédito de coesão territorial através da arte teatral, a Odisseia Nacional, que, em parceria com mais de 90 municípios de todo o continente e ilhas, promove centenas de atividades, entre espetáculos (Programa Peças), projetos de participação (Programa Atos), atividades para todos os níveis de ensino (Programa Frutos), ações de formação para profissionais da cultura (Programa Nexos), eventos de pensamento (Programa Cenários) e uma exposição itinerante. A Odisseia Nacional conta com a participação de dezenas de estruturas artísticas, de profissionais e de múltiplos parceiros públicos, privados e do terceiro setor, de todo o país.

Exposição.jpg

BRAGA: GRUPO FOLCLÓRICO DA UNIVERSIDADE DO MINHO EXPÕE”RETALHOS DO MINHO: RITOS & RITUAIS”

𝐸𝑥𝑝𝑜𝑠𝑖𝑐̧𝑎̃𝑜 "𝐑𝐞𝐭𝐚𝐥𝐡𝐨𝐬 𝐝𝐨 𝐌𝐢𝐧𝐡𝐨: 𝐑𝐢𝐭𝐨𝐬 & 𝐑𝐢𝐭𝐮𝐚𝐢𝐬"

De 3 a 11 de fevereiro na Galeria do Paço, em Braga!

A comemoração do nosso 30º aniversário continua em força com o projeto "Voltas da Tradição"

Inauguração: 3 de fevereiro às 15H

420126561_884465217013508_767262491979657335_n.jpg

EXPOSIÇÃO DE PINTURA 'PONTE DE LIMA PITORESCA E MONUMENTAL' DE AMÉRICO CARNEIRO EM EXIBIÇÃO NA BIBLIOTECA MUNICIPAL

O Município de Ponte de Lima vai acolher de 2 de fevereiro a 6 de abril de 2024 uma sublime exposição de pintura do artista Américo Carneiro, na Biblioteca Municipal.

Baseada na coleção particular de Américo Carneiro e numa simbiose perfeita de aguarelas e desenhos, realizados entre os anos de 1987 e os primeiros anos deste nosso século, estarão patentes nesta exposição um conjunto de obras inéditas, que, desde há vários anos, muitos concidadãos têm mostrado curiosidade em conhecer.

Toda a mostra se foca em temas do Pitoresco e Monumental de Ponte de Lima e integra um conjunto de trabalhos sobre Ponte de Lima no presente e no passado através de exímias reconstituições – bem apoiadas – de um período tão caracteristicamente limiano que permitem viagens no tempo e no espaço e fornecem pistas de leituras várias e de interpretações certamente enriquecedoras para a comunidade.

Com esta exposição confirma-se que as obras de arte não se esgotam nos "ateliers" ou em circuitos académicos mais ou menos fechados, mas sim no convívio e no domínio público, ou seja, na fruição social plena das criações artísticas e literárias generosamente partilhadas pelo autor.

A inauguração da exposição terá lugar no dia 2 de fevereiro, pelas 18h00.

Fica o convite para uma viagem no tempo e no espaço pela mão de Américo Carneiro.

americocarneiro_exposicao_cartaz_web_1_1024_800.png

PÓVOA DE LANHOSO: EXPOSIÇÃO DE TRIBUTO A RAMOS COSTA ANTECEDE ABERTURA DO CONTE

Foi inaugurada, no passado sábado, a exposição sobre Manuel Ramos Costa, em cerimónia que contou com presença do Presidente da Câmara Municipal, Frederico Castro, da Vereadora Fátima Moreira e dos Vereadores Paulo Gago e Ricardo Alves, bem como do Presidente da Assembleia Municipal, António Queirós.

Exposição de tributo a Ramos Costa antecede abertura do CONTE.jpg

Em representação da Federação Portuguesa de Teatro esteve o seu Presidente, Valdemar Mota e, da Fundação Inatel, esteve Rui Sérgio Mateus, Coordenador do Núcleo de Atividades Culturais.

Para participar nesta homenagem, a Contacto - Companhia de Teatro Água Corrente de Ovar, da qual Ramos Costa foi um dos fundadores, fez-se representar pelo seu Presidente, Miguel Duarte e por vários elementos que dela fazem parte.  

O momento da abertura contou com uma performance de Tiago Guimarães, dos serviços da cultura do Município, que declamou alguns poemas do vasto repertório de Ramos Costa.

A Câmara Municipal decidiu celebrar, a título póstumo, este autor e ator tão marcante do teatro amador e figura maior desta arte, aproveitando a oportunidade tão adequada que foi a do primeiro espetáculo da XIX edição do Concurso Nacional de Teatro (CONTE) Ruy de Carvalho.

Com uma ligação muito estreita ao CONTE, Ramos Costa veio à Póvoa de Lanhoso, ao longo dos 19 anos em que se realizou este certame, em representação de várias companhias, tendo arrecadado grande número de galardões, que contribuíram para o extenso palmarés que alcançou ao longo da sua carreira.

Foram sete os prémios que conquistou na categoria de Melhor Encenação no Concurso Nacional de Teatro em representação de várias Companhias, sendo o encenador com mais distinções neste certame até à presente data.

A mostra, que vai estar patente na galeria de Exposições do Theatro Club inclui alguns objetos pessoais do artista, e pode ser apreciada até ao dia 2 de março, de segunda à sexta-feira, entre as 9h00 e as 12h30 e as 14h00 e as 18h00 e, em dias de espetáculo, a partir das 21h00.

A abertura da exposição decorreu às 21h00, antecedendo a subida ao palco do primeiro dos 9 espetáculos a concurso, nesta edição do XIX Concurso Nacional de Teatro (CONTE) Ruy de Carvalho. A primeira peça a submeter-se à apreciação do júri foi “Hábitos de Bebida”, uma comédia apresentada pelo Grupo Gólgota Associação, de Santa Maria da Feira.

Nos próximos 4 fins-de-semana, nas noites de sexta-feira e sábado irão subir ao palco mais oito companhias de teatro, estando a cerimónia de encerramento marcada para dia 2 de Março, data em que serão conhecidos os/as vencedores/as desta edição.

O CONTE Ruy de Carvalho é promovido pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e pela Federação Portuguesa de Teatro, em parceria com a Fundação INATEL.

BRAGA: POSTO DE TURISMO DO SAMEIRO INAUGURA EXPOSIÇÃO “DESCALÇOS, COM CHAMA, EM DIREÇÃO AO AMOR”

O Posto do Turismo do Sameiro, em Braga, inaugura, no dia 25 de fevereiro, a exposição “Descalços, com chama, em direção ao amor”, com obras da artista Margarida Costa, centradas na figura do farricoco, “um dos grandes símbolos da Semana Santa em Braga”.

A mostra possibilita aos visitantes experienciarem três momentos, sendo o primeiro deles focado nos farricocos, “com fogaréu e com matracas, de pés descalços”, informa uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

“O apelo é à penitência, à conversão, ao arrependimento dos pecados. Tudo em clima de humildade. Em vez dos altaneiros sinos, orgulhosos da sua elevação, as matracas convocam os fiéis para a conversão, mas ao nível térreo, dum jeito menos garboso, mais pobre e contido”, informa o comunicado.

A “redenção operada por Cristo, através da cruz”, vai estar em destaque no segundo painel.

O cenário é de “tudo em clima de oferta, o jardim do Éden de novo a florir, o Paraíso reerguido como projeto de novo possível”.

“O amor entre Deus e os homens e destes uns com os outros recuperado. A alegria e a amizade a poderem reinar sobre a terra”, realça o Santuário do Sameiro.

O terceiro momento é dedicado à ressurreição, “na feliz certeza do terceiro dia, do túmulo vazio, da vida nova, do novo ciclo vital, do pão ázimo, do cordeiro sem mancha, da pedra rolada”.

Nesta fim de experiência, “o sol parece despontar”, com “a fé, a esperança e o amor” a quererem tornar-se “flores viçosas no coração do redimidos”.

A exposição tem como autora Margarida Costa que nasceu em Braga e licenciou-se em pintura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, tendo feito um percurso pelo vitral, tapeçaria, pintura e fotografia, dedicando-se sobretudo à cerâmica.

A artista investigou a arte popular e publicou “O traje regional de Viana do Castelo”, “A Pirotecnia do Alto Minho”; foi coordenadora e coautora do livro “Adoro Conhecer Braga”, no 150ºaniversário da Associação Empresarial de Braga.

Margarida Costa tem trabalhado na divulgação artística e cultural da cidade de Braga, que se reflete nas peças de autor, peças de merchandising em parceria com o Tesouro-Museu da Sé de Braga.

Além disso, expôs a mostra “Lixo de Luxo”, em Barcelos, que consistia em trabalhos realizados a partir de moldes usados na indústria cerâmica local, entretanto desativadas.

“Com base na obra de Fernando Pessoa tem realizado peças em cerâmica expostas ao público no Porto, Lisboa e Famalicão”, adianta a nota.

A partir de 25 de fevereiro, às 15h45 (hora da inauguração), e até 15 de abril, a artista expõe a exposição “Descalços, com chama, em direção ao amor”, com o farricoco como figura central.

Na origem pagã, os farricocos eram um grupo de mascarados que percorria as ruas, anunciando a passagem dos condenados e relatando os crimes que cometiam, avança o portal da Semana Santa em Braga.

Segundo a história, já “cristianizados”, em tempos antigos conforme a mentalidade de então, os farricocos percorriam as ruas a chamar os pecadores públicos à reintegração na Igreja, depois de arrependidos e perdoados.

LJ / Agência Ecclesia

dedscalcos-com-chama.jpg

VIANA DO CASTELO: EXPOSIÇÃO “RETROSPEXTIVA” APRESENTA OBRA GRÁFICA DE GÉMEO LUÍS

GCI_1128.jpg

Foi inaugurada, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, a exposição “Retroexpetativa”, obra gráfica editada em livros, revistas, jornais e objetos da autoria de Gémeo Luís. O Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Manuel Vitorino, marcou presença na inauguração da mostra que fica patente até 30 de junho na biblioteca vianense.

A exposição fica, assim, disponível para ser apreciada pela comunidade vianense e, sobretudo, pelos mais interessados pelas artes (incluindo os professores e alunos).

Gémeo Luís, pseudónimo do artista Luís Mendonça, é um dos grandes autores a juntar-se à galeria dos convidados. Ao ilustrador e design brilhante, acrescenta-se a sua atividade enquanto professor empenhado no exercício criativo de ensinar os seus alunos da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, sobrando-lhe ainda energia para a difícil tarefa de editor.

A sua obra é amplamente conhecida e premiada em Portugal e no estrangeiro, e tem ilustrado autores consagrados e novos autores. Tem trabalho publicado em diversas editoras, jornais e revistas de referência. Desenvolve ilustração na diversidade de meios, materiais, escalas e contextos.

É membro do ID+ Instituto de Investigação em Design Media e Cultura e da ELOS – Associação Galego – Portuguesa de Investigação em Literatura Infantil e Juvenil da Universidade de Santiago de Compostela.

Com atividade multifacetada e premiada, desenvolve trabalho multidisciplinar nos domínios do Design de Comunicação, Design de Produto, Design Social, Empreendedorismo, Ilustração, Cenografia, Arquitetura, Museografia ou Escultura.

Da curadoria à edição, da escultura público ao produto industrial, das oficinas tradicionais à tecnologia contemporânea, desenvolve projetos marcados pela transversalidade.

Colabora regularmente com instituições culturais, bibliotecas, escolas, museus, na realização de palestras e workshops. Está representado em coleções públicas e privadas, dentro e fora do país.

Iniciado em 2013, de forma ininterrupta este projeto de exposição de obra gráfica na Biblioteca Municipal tem-se mantido ativo e bem vivo graças à sua recetividade e ao acolhimento da comunidade e de muitos que visitam a biblioteca vianense expressamente para estas exposições.

GCI_1123.jpg

GCI_1131.jpg

GCI_1133.jpg

GCI_1135.jpg

GCI_1137.jpg

GCI_1146.jpg

BRAGA: GRUPO FOLCLÓRICO DA UNIVERSIDADE DO MINHO EXPÕE”RETALHOS DO MINHO: RITOS & RITUAIS”

𝐸𝑥𝑝𝑜𝑠𝑖𝑐̧𝑎̃𝑜 "𝐑𝐞𝐭𝐚𝐥𝐡𝐨𝐬 𝐝𝐨 𝐌𝐢𝐧𝐡𝐨: 𝐑𝐢𝐭𝐨𝐬 & 𝐑𝐢𝐭𝐮𝐚𝐢𝐬"

De 3 a 11 de fevereiro na Galeria do Paço, em Braga!

A comemoração do nosso 30º aniversário continua em força com o projeto "Voltas da Tradição"

Inauguração: 3 de fevereiro às 15H

420126561_884465217013508_767262491979657335_n.jpg

PONTE DE BARCA: MaLouCa VAI EXPOR “PIGMENTO CALEIDOSCÓPIO” NOS PAÇOS DO CONCELHO

O Município de Ponte da Barca inaugura, no dia 10 de fevereiro, às 16h, nos Paços do Concelho, a Exposição de pintura "Pigmento Caleidoscópico", da autoria de  MAfalda LOUrenço de Castro, aka MaLouCa.

“A inquietude é um estado de espírito difícil de dissociar do ato criativo, nela se inscrevem a dúvida, o medo, a ansiedade ou o atrevimento e a loucura. A obra de MaLouCa, é reveladora de uma mente irrequieta que tem na experimentação um território fértil, apta a buscar o desconhecido e a construir o novo a partir de uma expressividade que vai beber à vivência comum ou a uma mitologia ancestral povoada de narrativas misteriosas.

Nas pinturas de MaLouCa, o sonho e a imaginação imiscuem-se em formas de libertação da mente cuja experiência toca o humano, o pessoal e o cultural, mas que têm no inconsciente a sua génese. O percurso suis generis desta autora, relativamente recente, mas com uma progressão bastante evidente, pauta-se pelo compromisso que mantém entre o desenho e a pintura enquanto forma de expressão, para além de uma obsessão pela utilização de suportes inusitados, que revelam um posicionamento de ousadia dentro dos cânones convencionais do mundo da arte. As curvas fluidas, as linhas de interseção e as cores, completam um mapeamento de inquietações que povoam o seu íntimo."

Ricardo de Campos

_DSF9473.jpg

FAMALICÃO EXPÕE "FÉ DE BARRO"

Exposição «Fé de Barro» | Até 6 de Abril, no MUSEU PIO XII.

Exposição relativa à coleção de todos os padroeiros venerados nos altares das 54 paróquias do Arciprestado de Famalicão, esta mostra resulta de uma parceria entre o Arciprestado de Famalicão e a Fundação Castro Alves e foi apresentada, primeiramente, no Museu de Arte Sacra da Capela da Lapa, em Famalicão, entre 31 de Outubro de 2022 a 30 de Junho de 2023.

417410553_778926397609046_6826469373141347399_n.jpg

BARCELOS: EXPOSIÇÃO CULTURA NA COMUNIDADE LOCAL – 25 DE ABRIL NA VIDA DE…”

inauguração.jpg

Está patente na Biblioteca Municipal de Barcelos a exposição “Cultura na Comunidade Local. 25 de Abril na vida de…”. Trata-se de uma mostra que resulta de um trabalho dos alunos da Licenciatura Design Audiovisual, do IPCA - Escola Superior de Design, no âmbito do Projeto 50+10.

Inaugurada sexta-feira pela vereadora da Educação, Mariana Carvalho, a exposição vai ficar aberta ao público até 24 de fevereiro.

Segundo se pode ler no texto que enquadra a exposição, “a cultura de uma região corresponde a um conjunto muito variado de atividades, lugares, objetos e pessoas. Constitui-se em presença de quem a vive. É com este mote que os alunos da Licenciatura em Design Audiovisual vão à descoberta do concelho de Barcelos, identificando as instituições através do testemunho das pessoas que as constituem.

Como este ano se comemoram os 50 anos da Revolução dos Cravos, os alunos procuraram registar a experiência individual do que significa hoje em dia e do que foi o 25 de Abril para alguém que é agente ativo na sociedade barcelense. Da Proteção Civil à Indústria Local, do Associativismo ao Património e à História, das festas tradicionais à riqueza natural do estuário do Rio Cávado, foram produzidos registos visuais que constituem um exercício de aprendizagem para alunos e de reflexão para o público, representando um início auspicioso para estes jovens estudantes na área do Design Audiovisual."

inauguração1.jpeg

inauguração2.jpeg