Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA DIVULGA PATRIMÓNIO MUSICAL

Exposição divulga património musical de Cabreiros e Passos S. Julião

O Município de Braga inaugura no próximo dia 27 de Janeiro, às 15h30, no Centro Cultural de Cabreiros, a exposição ‘O Património Musical de Cabreiros e Passos S. Julião’ que se realiza no âmbito do projecto ‘Património Musical do Concelho de Braga’.

CARTAZ CABREIROS.jpg

A exposição, de entrada livre, dará destaque à iconografia musical das freguesias e ao seu património musical imaterial. A história das tradições e actividades musicais serão também apresentadas.

De seguida terá lugar um concerto pelo Ensemble de Sopros de Jovens Músicos e por cantadores e cantadeiras do Rancho Folclórico de Cabreiros.

O projecto Património Musical do Concelho de Braga teve início em 2016 com a criação de uma rede de exposições e concertos nas freguesias do concelho. Trata-se de um projecto que abarca investigação musicológica e etnomusicológica e concretiza-se através de uma parceria entre o Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Braga e a Associação Cultural Suonart, coordenado pela professora Elisa Lessa, Professora Associada na Universidade do Minho.

Conhecer e valorizar, preservar e fruir o património musical das freguesias do Concelho, valorizar o potencial cultural e humano de cada uma das freguesias e promover a educação cultural, estética e humanística das populações são os objectivos deste projecto.

GRUPO FOLCLÓRICO DA UNIVERSIDADE DO MINHO EVOCA "MEMÓRIAS D'ALDEIA"

Museu Pio XII recebe exposição «Memórias d’aldeia»

Grupo Folclórico da Universidade do Minho promove mais um dos 25 momentos de comemoração dos seus 25 anos.

IMG_4736.jpg

Na reta final das comemorações dos 25 anos do Grupo Folclórico da Universidade do Minho, no próximo sábado, dia 26 de janeiro, será inaugurada a exposição “Memórias d’aldeia”, pelas 17h30min, no Museu Pio XII, em Braga, através de uma visita guiada gratuita.

Esta exposição pretende retratar e reavivar tradições d’outrora como a romaria, a casa minhota ou os cenários do trabalho rural.

A exposição “Memórias d’aldeia” estará patente de 26 de janeiro a 9 de fevereiro, de terça a domingo, no horário 9h30min-12h30min e 14h30min-18h. A entrada tem um custo de 2 € (1 € para grupos).

As comemorações dos 25 anos do Grupo Folclórico da Universidade do Minho terminam no dia 10 de fevereiro, pelas 16h, no Espaço VITA, com o espetáculo “À moda do Minho”.

P’lo GFUM,

Catarina Cubo

IMG_4806.jpg

Cartaz Exp-01.png

BARCELOS MOSTRA LOUÇA TRADICIONAL

Barcelos é considerada como um dos mais importantes núcleos de olaria em Portugal, em virtude da existência abundante de barro na região, havendo registos de produção olárica desde a Idade Média.

50048249_2361875887178470_3578152467071762432_n.jpg

“Louça Tradicional de Barcelos, Velhos Saberes, Novas Formas” pela Cerâmica João Coelho Silva é o nome da exposição que abre ao público sábado, 19 de janeiro, às 11h00, na Torre Medieval.

A mostra, organizada pela Câmara Municipal de Barcelos, visa retratar todo o trabalho de uma vida dedicada ao barro pela família de João Coelho Silva, no domínio da louça regional de Barcelos.

Apareça, a entrada é livre!

MONÇÃO RECEBE EXPOSIÇÃO DE DESIGN DE VIDRO “BELO E SOPRANO”

A sala de exposições do Cine Teatro João Verde recebe, entre 19 de janeiro e 23 de fevereiro, a exposição de design de vidro “Belo e Soprano”, da autoria de Joana Silva, com curadoria de Patricia Oliveira. A inauguração realiza-se no dia 19 de janeiro, sábado, pelas 17h00.

exposição.png

“Belo e Soprano” assume-se como um encontro informal entre artistas, designers, viticultores e empreendedores, partindo do vidro enquanto matéria de possibilidade de partilha entre todos. No caso de Monção, pensá-lo construtivamente com a finalidade de conceber uma roupagem criativa ao Alvarinho.

Em formato de conversa aberta, o objetivo é apresentar conhecimentos entre o vinho Alvarinho, o design e a tecnologia no setor vidreiro, potenciando ideias e conceitos que permitam avanços e encontros profícuos de valor acrescentado para todos.

PATRÍCIA CARVALHO EXPÕE CERÂMICA EM BARCELOS

image2.jpeg

image3.jpeg

image4.jpeg

Patricia Carvalho

*1983

Nasceu e cresceu na Alemanha , mas passei todos os Verões da minha infância, em Portugal. Em adulta, fiquei com as memórias dum país folclórico e colorido, das minhas tias e a avó sentadas à mesa a bordar toalhas por encomenda. Foi na Alemanha, através dessas memórias e das saudades desses tempos, que criei a minha própria linguagem artística.

Em 2012 decidiu emigrar para Portugal para aprender cerâmica, crochet e bordar, para aplicar estes conhecimentos na minha prática artística.

Tento sempre cativar o espírito que me rodeia. A riqueza estética do Porto e a cultura folclórica da zona do Minho, tem um impacto na criação das peças que mostro nesta exposição.

Vila do Conde 2018

Particia Carvalho, nascida em 1983 Friburgo Alemanha, vive e trabalha em Vila do Conde Portugal.

-2005-2009 Freie Kunstakademie (Diploma de Belas Artes) Mannheim / Alemanha

-2012 Curso de Cerâmica - Centro de Arte e Comunicação Visual (AR.CO) Lisboa / Portugal

-2012 Curso básico de cerâmica - Atelier 110 cores Porto / Portugal
-2016 - 2017 Curso de crochê - Riera Alta Porto / Portugal
-2017 Curso Bordado de Guimarães- Oficina Guimarães / Portugal
-2018 Rendas de Bilros-Museu de Rendas de Bilros Vila do Conde / Portugal

-2015-2018 Oficinas várias de cozer com forno à lenha em Portugal e no Japão

Prémios:

-2008  2. premio "Clip award" festival internacional de filmes de baixo e nenhum budjet Mannheim / Alemanha

-2009 sellection "Goldener Hirsch" festival de curtas metragens, Karlstorbahnhof Heidelberg / Alemanha

Exposições:

-2009 IDS- Instituto de língua alemã Mannheim / Alemanha

-2018 Parallax artfair Londres / Inglaterra

-2018 Exposição “Surfaces” festival de arte Venezia / Itália

-2018 Exposição Casa das Artes Porto / Portugal

-2018 Exposição galeria Metamorfose Porto / Portugal 

-2019 Exposição Casa da Cultura Trofa

Residências:

- 2015 internacional design pool-Vista Alegre Atlantis (Grupo Visabeira) Ilhavo / Portugal

-2015 / 2016/ 2017 / 2018 residência artística Cerdeira / Portugal

image1cris.jpeg

image3cris.jpeg

image4cris.jpeg

image5cris.jpeg

image6cris.jpeg

‘RETROSPETIVA 2018’ INAUGURA SÁBADO EM CAMINHA... E SEGUE PARA VILA PRAIA DE ÂNCORA

Anuário de pintura dá a conhecer o trabalho de 20 artistas na Galeria de Arte Caminhense

A Galeria de Arte Caminhense inicia o ano com o anuário de pintura ‘Retrospetiva 2018’. Esta mostra reúne as obras cedidas ao Município pelos artistas que escolheram a Galeria de Arte Caminhense para expor o seu trabalho durante o ano de 2018. A exposição inaugura sábado, dia 19 de janeiro, e permanecerá aberta ao público até 24 de fevereiro.

Galeria de Arte Caminhense.jpg

A exposição Retrospetiva dá a conhecer, no início de cada ano, a atividade da Galeria de Arte Caminhense, espaço cedido a vários artistas para exporem a sua obra. Para além de divulgar o trabalho de cada um dos artistas, esta exposição pretende ainda aproximar os públicos das artes plásticas.

O anuário de pintura é composto pelo trabalho de 20 artistas que em 2018 expuseramna Galeria de Arte Caminhense. Esta coletiva reúne trabalhos de Nelly Rodriguez Sánchez, Charo Trigo, Mário Rebelo de Sousa, Conception Quadrado, Lucie Esteve, Cachi, Rego Meira, Puskas, Vitor Carneiro, Maria Rosário Pedro, Dacha, David Lopes, Santarelli, Maria Cândida Enes, Maria Mondim Pereira, Célia Rebelo Silva, João Barros, Márcia Babosa, Rosa Calisto e Joana Rita Nogueira Rodrigues.

Depois de Caminha a exposição ruma a Vila Praia de Âncora. Na Galeria Guntilanis, em Vila Praia de Âncora, abre no dia 2 de abril onde ficará até dia 28.

Galeria de Arte Caminhense2.JPG

TERESA RICCA INAUGUROU HOJE EM BRAGA EXPOSIÇÃO DE PINTURA E FOTOGRAFIA SUBORDINADA AO TEMA “A PEDRA DAS MINHAS RAÍZES”

Teve hoje lugar no Palácio do Raio, em Braga, a cerimónia de inauguração da exposição da artista Teresa Ricca contou com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Braga, do Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Braga, e do respectivo Presidente da Mesa da Assembleia Geral desta instituição.

49241549_593901981039734_7164297902641119232_n.jpg

De acordo com a artista, esta exposição de pintura e fotografia apresentou “detalhes da minha cidade, da cidade que me viu nascer, da cidade que me formou, da cidade que vejo mudada dia após dia, mas que ainda conserva muito do meu mundo. Trabalhos em que misturo o real fotografado com a pintura das minhas emoções.”

A vida de Teresa Ricca começou em Braga nos anos sessenta. A formação artística, pouco depois, no curso de “Desenho têxtil e arte dos tecidos” na Escola Carlos Amarante. A actividade criativa tornou-se imperiosa e leva-a, eleger as tintas e os pincéis, e mais tarde a máquina fotográfica, como canais privilegiados para o seu trabalho. A dominante comum a todo o seu percurso está na constante procura de formas e recursos técnicos.

Durante muitos anos, o seu trabalho fechava-se em espaços particulares, mas desde 2009 com o primeiro convite para integrar a bienal d’ArtVez que se tem apresentado de forma regular em espaços públicos, quer por participar em iniciativas colectivas quer com exposições individuais tanto de pintura como de fotografia.

49828850_245136086378724_1748965061512134656_n.jpg

Apoiando a sua mais recente obra nos espaços saudosos da infância – mas sempre presentes na vivência da cidade bimilenar – Teresa Ricca quer partilhar com o público a “Pedra das minhas raízes”, título que dá o mote à exposição.

Solicitadora por formação, a primeira incursão artística foi com o curso de “Desenho têxtil e arte dos tecidos”, na Escola Carlos Amarante. A actividade criativa tornou-se imperiosa e levou-a a eleger as tintas e os pincéis, e mais tarde a máquina fotográfica, como canais privilegiados para o seu trabalho. A dominante comum a todo o seu percurso está na constante procura de formas e recursos técnicos multidisciplinares.

Durante muitos anos, o seu trabalho fechava-se em espaços particulares, mas desde 2009 que se tem apresentado de forma regular em espaços públicos, quer por participar em iniciativas colectivas quer com exposições individuais (tanto de pintura como de fotografia).

Desde 2017 é membro da Direcção da Cooperativa Artistas de Gaia e responsável pelo Polo de Braga da 3ª Bienal Internacional de arte de Gaia.

Presentemente, a imaginativa e polivalente artista bracarense frequenta a licenciatura de Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas, no Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Destarte, será uma honra contar com a presença dos V/ profissionais, no dia 12 Janeiro, às 15h00, permitindo que o Palácio do Raio partilhe com o mundo as cores e as imagens da cidade Augusta.

Percurso da artista plástica Teresa Ricca

2018 – Artista convidada para o Instantes – Festival Internacional de Fotografia de Avintes. Participação em exposição individual com o título “HÁ MUITO MAR, EM TERRA”.

2018 – Artista convidada para o projecto/revista anual PELÍKULA – Exposição/lançamento - no Teatro Nery - Matosinhos.

2018 - Participação na Exposição coletiva de fotografia “Para lá do muro há vida” – Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa - Braga

2018 – Participação na Exposição coletiva “Biblioteca” – Artistas de Gaia – Biblioteca Municipal de Vila Nova de Gaia

2018 – Participação na exposição de artes plásticas da “Divesexcity” - Galeria Geraldes da Silva, Porto

2018 - Exposição individual de pintura "Mulheres com história(s)" - Casa Museu de Monção / Universidade do Minho

2018 - Participação por convite na 16ª edição "ARTIS" - Casa das Artes – Seia

2018 - Participação por convite com quatro trabalhos na colectiva 30x30, Galeria Geraldes da Silva, Porto

2018 - Participação na colectiva de fotografia "modos de ver" – Porto

2017 - Artista convidada para a Bienal “d’Art Vez”

2017 - Participação na colectiva de solidariedade por Pedrogão Grande - Casa do Desenho / Fundação Júlio Resende – Gondomar

2017 - Exposição dos sócios da Cooperativa Artistas de Gaia - Biblioteca Municipal de Vila Nova de Gaia

2017 – Artista selecionada na ART-MAP moving curatorial project – Braga

2017 – Artista selecionada na 1ª Lethes Art – Ponte de Lima

2017 – Artista selecionada na 2ª Bienal de Gaia – Vila Nova de Gaia

Trabalhos expostos na exposição/concurso e nos pólos de Vila Nova de Cerveira, Barcelos e Figueira da Foz

2017 – Distinguida com Menção Honrosa no IX Concurso de Fotografia “Semana Santa, Braga”.

2017 – Artista convidada para integrar a exposição colectiva (fotografia) “O Douro não é um rio” – Quinta do Ervedal – Mezão Frio

2017 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

- Maio/Junho na Casa Museu de Monção / Universidade do Minho

2017 – Artista seleccionada para o projecto/revista anual PELÍKULA – Exposição/lançamento - Ordem dos médicos – Porto

2017 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

- Março/Abril no Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim

2017 – Participação na exposição colectiva 30x30. Galeria Geraldes da Silva – Porto

2016 - Participação na ART-MAP moving curatorial project, Ponte de Lima

2016 - Participação na exposição colectiva "Arte na Galeria" Organização da Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa, Galeria Vieira Portuense, Porto

2016 - Participação na exposição colectiva "Arte na Raia", organização da galeria Vieira Portuense, EcoMuseu de Montalegre.

2016 - Participação no "6º Salão Internacional de Arte em Pequeno Formato - 20x20" , organização da AAAGP, Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz.

2016 - Participação na exposição colectiva "VISITANDO SETÚBAL", organização da AAAGP na Galeria Artiset, Setúbal

2016 – Distinguida com medalha de prata no Prémio Mário Silva, Centro de Artes e Espectáculo, Figueira da Foz.

2016 – Participação na exposição colectiva "I Solidarte" inaugurada a 29 de Abril na Casa das Artes, Porto.

2016 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

- Março na Casa das Artes, Porto.

- Junho a Outubro, no Museu Abade, Baçal, Bragança.

2016 – Artista selecionada para a representação da “d’Art Vez” na vila do Soajo

2016 – Participação na exposição/venda solidária “A Arte pelo Tiaguinho”, Fundação Escultor José Rodrigues, Porto.

2015 – Artista convidada para a Bienal “d’Art Vez”.

2015 – Exposição individual “PERSONAGENS” (pintura sobre xisto)

(https://sites.google.com/site/personagensdeteresaricca/)
- Setembro/Outubro no Museu D. Diogo de Sousa, Braga.

- Novembro/Dezembro na Fundação Dionísio Pinheiro, Águeda.

2015- Participação no “5º salão internacional de arte em pequeno formato 20x20” organizado pela Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa, integrando o grupo de artistas representados pela Olga Santos Galeria – Figueira da Foz

2015 – Participação no “Vera World Fine Art Festival” integrando o grupo de artistas representados pela Olga Santos Galeria- Cordoaria Nacional, Lisboa.

2015 - Artista convidada para a exposição colectiva “Água e Fontes Naturais” – Agosto, Termas da Curia, Anadia.

2015 – Artista convidada para integrar a Exposição Colectiva de fotografia “Olhar a Arquitectura” – Galeria Olga Santos, Porto.

2015 – Distinguida com Menção Honrosa no Concurso de Fotografia “Semana Santa, Braga”.
2014 – Artista convidada para integrar o projecto “Porto on the roof”. Exposição colectiva de fotografia na Galeria Diagonal – Vila Nova de Gaia.

2013 – Exposição individual de Pintura “Emoções a óleo”, na Galeria do Restaurante Vindouro – Lamego.

2013 – Artista convidada para a Bienal “d’art Vez”.

2012 – Integrou o projecto “Braga on the roof”. Exposição colectiva na Galeria do Hotel Turismo / Mercure – Braga.

2011 – Participação na Exposição colectiva de fotografia “Movimento”, na galeria Queiroza / Bar Vintage - Arcos de Valdevez.

2011 – Exposição individual de Fotografia “Para além dos limites” na galeria da Junta de Freguesia da Sé – Braga.

2011 – Artista convidada para a Bienal “d’art Vez”.

2009 – Artista convidada para a Bienal “d’art Vez” (ainda sob o nome Maria Teresa Silva).

49900053_1212411388913707_923021362769952768_n.jpg

49938702_648854185590461_6258013640876621824_n.jpg

EXPOSIÇÃO ‘DA BATALHA DE LA LYS AO ARMISTÍCIO’ JÁ RECEBEU MAIS DE MEIO MILHAR DE VISITANTES

Patente no Museu Municipal de Caminha até ao final deste mês de janeiro

O Museu Municipal de Caminha tem patente ao público, até ao dia 31 de janeiro, a exposição “Da Batalha de La Lys ao Armistício - Os Caminhenses na Grande Guerra”, que destaca e homenageia os soldados caminhenses que participaram na Grande Guerra. Esta exposição já foi visitada por mais de meio milhar de pessoas.

Exposição homenagem caminhenses na grande Guerra.jpg

A exposição “Da Batalha de La Lys ao Armistício - Os Caminhenses na Grande Guerra” é composta por três núcleos.  O primeiro dá enfoque à Batalha de La Lys; o segundo, dá a conhecer os caminhenses na Grande Guerra, onde se podem ver os rostos e percurso de vida dos cerca de 150 homens que combateram na Primeira Grande Guerra e, por último, existe um núcleo dedicado a Sidónio Pais, um Presidente da República natural de Caminha. Esta mostra está a ser um sucesso, uma vez que o número de visitantes já ultrapassa o meio milhar.

Recorde-se que esta exposição fez parte das comemorações “Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais” promovidas pela Câmara Municipal de Caminha em parceria com o Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, com o objetivo de assinalar dois factos históricos: o Armistício e o assassinato de Sidónio Pais.

Patente até ao final do mês, a exposição “Da Batalha de La Lys ao Armistício - Os Caminhenses na Grande Guerra” pode ser visitada de terça-feira a domingo, das 10H00 às 13H00  e das 14H00 às 18H00. A entrada é gratuita.

CASA MUSEU DE MONÇÃO EXPÕE SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE PORTUGAL NA GRANDE GUERRA

Exposição A participação dos soldados portugueses na 1ª Grande Guerra (1914-1918)

A Casa Museu de Monção/Universidade do Minho em colaboração com a Liga de Combatentes - Núcleo de Monção e o Município de Monção promove novamente a exposição intitulada - A participação dos soldados portugueses na 1ª Grande Guerra (1914-1918).

Vitrina.JPG

Nesta exposição é possível observar um acervo gentilmente cedido pelo Dr. Manuel Albino Penteado Neiva, que foi usado por soldados portugueses que integraram o Corpo Expedicionário Português (CEP) e mais propriamente a designada “Brigada do Minho”, composto por objetos originais tais como capacetes e invólucros de armas designados como a “arte das trincheiras”, espadas, revolveres, máscara anti gás, o telefone usado nas trincheiras, mapas, objetos do quotidiano como o cantil, o prato de marmita, o garfo e a colher, moedas e notas da época, condecorações, bibliografia essencial da Grande Guerra, entre outras.

Nesta exposição pode observar-se documentação original da mobilização dos jovens portugueses para a Grande Guerra, relatos de La Lys e da vida nos campos de prisioneiros, a vida nas trincheiras, as designadas "cartas da saudade" escritas pelos jovens portugueses, elementos relativos às devoções e crenças no período da Guerra, os postais e textos e memórias dos combatentes.

Trata-se de uma iniciativa conjunta desta Unidade Cultural da Universidade do Minho, a Casa Museu de Monção e conta com a colaboração do Dr. Manuel Penteado Neiva (cedência espólio), do Núcleo de Combatentes - Núcleo de Monção e do Município de Monção.

A Exposição pode ser visitada na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção até ao próximo dia 15 de fevereiro.

TERESA RICCA EXPÕE EM BRAGA PINTURA COM FOTOGRAFIA

48406608_1965068273801423_4309259027310706688_n

"A PEDRA DAS MINHAS RAÍZES"

Exposição de Pintura/Fotografia

Detalhes da minha cidade, da cidade que me viu nascer, da cidade que me formou, da cidade que vejo mudada dia após dia, mas que ainda conserva muito do meu mundo.

Trabalhos em que misturo o real fotografado com a pintura das minhas emoções.

Inauguração 12 de Janeiro de 2019, no PALÁCIO DO RAIO, em Braga.

ORLANDO POMPEU INAUGURA EM GUIMARÃES EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÕES ORIGINAIS

O mestre-pintor Orlando Pompeu inaugurou hoje em Guimarães, na Galeria G.40 do Hotel Mestre de Avis, uma unidade hoteleira no centro daquela cidade minhota integrada no território classificado pela UNESCO, uma exposição de ilustrações originais do livro “À Espera” de Benedita Stingl.

dav

A contar da esquerda, o mestre-pintor Orlando Pompeu, na inauguração da nova exposição em Guimarães, acompanhado da escritora Benedita Stingl, e do historiador Daniel Bastos, curador do artista plástico no espaço lusófono

 

A inauguração da exposição de um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai, Japão e Canadá, é resultado de uma recente parceria entre o mestre-pintor e a escritora Benedita Stingl, que com o livro “À Espera”, comemora 25 anos de carreira literária, 25 anos traduzidos em 40 títulos dirigidos para um público variado, seja ele adulto ou infanto-juvenil.

Refira-se que a exposição, constituída por obras cujo registo cromático se pauta pela espontaneidade e traço expressionista, estará patente ao público durante a quadra natalícia, no período normal de funcionamento da unidade hoteleira.