Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUSEU MUNICIPAL DE ESPOSENDE APRESENTA EXPOSIÇÃO E CATÁLOGO “OS MENDANHAS”

No Dia Internacional dos Museus, que se assinala hoje, 18 de maio, sob o lema “O Poder dos Museus”, o Museu Municipal de Esposende abriu portas à exposição “Os Mendanhas”, que reúne trabalhos de Pintura, Escultura e Desenho da autoria dos reconhecidos artistas de Forjães, António (pai), Nuno e Vânia Mendanha (filhos).

_DSC7214.JPG

A exposição é acompanhada de um catálogo, que retrata o vasto trabalho dos Mendanha e que se estende também à Vitralística, aos murais em azulejo e à conceção de troféus e medalhas, como notou o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira. Afirmou, por isso, o “enorme privilégio” em dar a conhecer esta família, “portadora de um grande percurso e de um legado no mundo das artes”. O autarca expressou o afeto e admiração que nutre pelos artistas, seus conterrâneos, e sublinhou a humildade que os caracteriza como traço distintivo da sua personalidade.

Esta exposição e catálogo decorrem da aposta cultural do Município, uma “estratégia que visa o fomento e a afirmação de uma maior cultura artística no concelho”, vincou Benjamim Pereira, notando que Esposende é dos municípios do país que tem o privilégio de oferecer aos seus estudantes a área de Artes no Ensino Secundário e, neste contexto, referiu que é intenção do Município avançar com a criação de uma Escola de Artes na Escola Secundária Henrique Medina.

Nesta estratégia cultural insere-se, de resto, a arte de rua, materializada através da instalação de um conjunto de obras de arte, tanto em Esposende, como noutras freguesias do concelho. “Somos certamente um concelho que respira cada vez mais arte e cultura”, afirmou Benjamim Pereira, recordando o recente investimento na requalificação da Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura e na aquisição da Casa Manuel de Boaventura, a que se soma o investimento na adaptação do antigo posto da GNR de Esposende para acolher o Arquivo Municipal e que em breve estará em funcionamento. O autarca notou ainda que, apesar da pandemia, a dinâmica cultural não esmoreceu e ganha agora novo folego.

Concluiu a sua intervenção agradecendo aos colaboradores do Município todo o empenho que dedicam no exercício das suas funções, dirigindo uma palavra especial aos colaboradores do Museu e ao arquiteto João Neiva, comissário da exposição e autor do catálogo “Os Mendanhas”, e convidou o público a desfrutar deste acontecimento cultural.

Com a humildade que carateriza a família, António Mendanha, em nome de todos, agradeceu ao Município a oportunidade de dar a conhecer o trabalho dos Mendanha, considerando esta exposição e catálogo um “pequeno contributo”. Confidenciou, a propósito, que a arte tem continuidade assegurada na família, uma vez que a neta Matilde, com apenas seis anos, se afigura como uma promissora artista, tendo, inclusive, colaborado/participado já em alguns trabalhos. António Mendanha exortou os presentes e toda a comunidade a usufruir da arte que agora está disponível no Museu Municipal e expressa no catálogo.

Na qualidade de comissário da exposição e autor do catálogo, João Neiva fez a apresentação dos artistas e deu nota da “obra colossal” dos Mendanha, “assumindo quase sempre a figura humana como um aspeto central dos seus trabalhos, dominando-a de uma forma soberba e à qual lhe aplicam uma grande expressividade”.

Só no concelho de Esposende, os Mendanha conceberam dez esculturas nos últimos vinte anos, tendo também obras espalhadas por outros municípios como Barcelos, Viana do Castelo, Famalicão e Amadora, bem como na Ilha da Madeira e países como o Brasil, Espanha e França. “Para além do figurativo (o mundo físico e racional), as obras dos Mendanha mostram também aquilo que não se vê com os olhos, estabelecendo uma relação estreita com o observador e levando-o a sentir emoções e sentimentos que irão despoletar reflexões de grande profundidade”, realçou João Neiva.

_DSC7033.JPG

_DSC7122.JPG

_DSC7130.JPG

_DSC7179.JPG

_DSC7204.JPG

_DSC7016.JPG

BARCELOS EXPÕE CARROS DE COMPETIÇÃO

A ACIB organiza uma grande exposição de carros no centro da cidade com a presença do Campeão Porsche GT3 CUP, Jorge Areia, e de dezenas de carros clássicos e de competição.

expo2.png

Esta exposição é complementada com uma área de animação onde decorrerão atividades e concertos.

Os jovens formandos e os formadores das estruturas de formação profissional da ACIB apresentarão trabalhos, simulações nas áreas da Mecânica Automóvel e eletricidade, mostrando à Comunidade as suas qualificações.

O evento decorre no centro da cidade, Campo da Feira, entre as 11 horas do dia 20 e as 17 do dia 21.

A ACIB tem a decorrer ações de formação profissional com equivalência ao 12º ano e que envolvem cerca de 400 jovens.

expo3.png

ESTAÇÃO VIANA E PSP INAUGURAM EXPOSIÇÃO “ROSTOS COM VOZ”

Patente até 31 de maio, esta mostra quer sensibilizar a comunidade para a problemática de todo o tipo de violência exercida contra as mulheres.

EVS_Rostos com Voz.jpg

O Estação Viana Shopping e o Comando Distrital da PSP de Viana do Castelo uniram-se para alertar a comunidade para a problemática de todo o tipo de violência exercida contra as mulheres e a necessidade de políticas globais que denunciem e erradiquem este flagelo. O movimento de sensibilização reflete-se numa exposição, “Rostos com Voz”, patente até 31 de maio, no Piso 1 do centro comercial.

Esta mostra inclui 20 painéis com rostos de mulheres que aceitaram dar voz a esta causa, representando muitas outras que são vítimas de violência — seja ela tanto física, sexual, psicológica, económica ou social. A apresentadora Catarina Furtado e a atriz Marta Meltro são alguns dos nomes conhecidos que participam nesta ação.

A exposição “Rostos com Voz” pretende, também, relembrar que este problema não se limita à violência doméstica, englobando também todas as formas de assédio sexual, a perseguição, a mutilação genital feminina ou o próprio casamento forçado.

Para José Duarte Glória, diretor do Estação Viana Shopping, “esta exposição mostra que um centro comercial pode ser muito mais do que um local de compra, servindo de veículo para alertar para temas tão relevantes como o da violência nas suas mais variadas formas. O Estação Viana Shopping quer continuar a apoiar a comunidade e que esteja esteja informada de como proceder numa situação de violência.”

“A violência de género tornou-se um questão global, que afeta essencialmente mulheres. Trata-se de um problema social presente no nosso país e que se manifesta nas mais diversas formas genital feminina ou o próprio casamento forçado. Desta forma, a Polícia de Segurança Pública presta especial reconhecimento e agradecimento a todas as mulheres que aceitaram dar “voz” a esta causa, o que seguramente contribuirá para dar voz a muitas mais mulheres que são vítimas de violência”, refere o Comando Distrital da PSP de Viana do Castelo.

Esta iniciativa foi iniciada, em 2021, pelas Equipas de Proximidade e Apoio à Vítima e Programa Escola Segura do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, com o apoio das freguesias de Campo de Ourique, Estrela, Ajuda, Alcântara e Belém.

Data: 16 a 31 de maio

Local: Viana do Castelo, Estação Viana Shopping, Piso 1

Entrada: livre

EVS_RostosComVoz 1.jpg

EVS_RostosComVoz 2.jpg

EVS_RostosComVoz 3.jpg

CERVEIRA PROMOVE EXPOSIÇÃO DE MEIOS DOS AGENTES DE PROTEÇÃO CIVIL

17 de maio, 9h30-12h30

Iniciativa assinala criação do Clube de Proteção Civil da ETAP. Para além da exposição, da programação constam um simulacro de evacuação e sessões de sensibilização e esclarecimento.

Amanhã, 17 de maio, a partir das 9h30, realiza-se em Vila Nova de Cerveira uma exposição de meios dos Agentes de Proteção Civil, que atuam no Município. A iniciativa, organizada pela ETAP - Escola Profissional e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e da ANEPC - Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, insere-se na proposta da Escola Profissional para a criação do Clube de Proteção Civil, integrando o programa de sensibilização pública da ANEPC.

A manhã vai iniciar com a receção dos Agentes de Proteção Civil no parque de estacionamento junto à ETAP, onde decorrerá a exposição de meios, seguindo-se um simulacro de evacuação do edifício da Escola Profissional. Para as 10h30, está agendada uma ação de sensibilização/capacitação para o uso de extintores para os alunos do Clube de Proteção Civil, à qual se segue uma sessão de esclarecimento no edifício do Município aberta a todos os alunos. A desmobilização de meios está agendada para as 12h30. A exposição pode ser visitada pela comunidade em geral.   

O Clube de Proteção Civil da ETAP surge da consciência de que educar para a segurança é educar para a prevenção, colocando o aluno na posição de ator. Desta forma, para além de disponível para aceitar informação, passa a ser um agente ativo na obtenção da mesma através da pesquisa e da participação. A Escola, para além de espaço dinâmico de transmissão de saberes, constitui um fator de integração na sociedade e vetor de formação de cidadãos, intervenientes e responsáveis e é nesse contexto que se inscreve a educação para a segurança e para a prevenção de riscos como elemento fundamental na construção de uma cultura de segurança, ao desenvolver competências no âmbito da prevenção e autoproteção. Estas competências contribuem para a adoção de atitudes e comportamentos responsáveis e adequados, face a acidentes graves ou catástrofes que as populações possam vir a enfrentar, contribuindo assim para a construção de comunidades mais resilientes.

PROGRAMA

09h30 - Receção dos Agentes de Proteção Civil

10h00 – Simulacro – Evacuação do edifício da ETAP

10h30 – Sensibilização/capacitação para o uso de extintores para os alunos do Clube de Proteção Civil

11h00 – Sessão de esclarecimento no edifício do Município

12h30 – Desmobilização de meios

VIANA DO CASTELO PRESENTE EM BILBAU NA EXPOVACACIONES

Viana do Castelo apresenta-se, a partir de amanhã e até domingo, na EXPOVACACIONES – Tendências & Experiências, em Bilbau, onde se prevê a presença de cerca de 85 mil visitantes. Esta feira é uma plataforma promocional privilegiada, sobretudo nas comunidades do País Basco e Cantábria, e uma referência na promoção turística a nível ibérico direcionada para um público-alvo que pretende planear as suas férias de Verão, constituindo um emissor turístico externo de proximidade muito importante, estratégico para o nosso destino turístico.

Capturarexpocidades.JPG

A EXPOVACACIONES é, por isso, uma feira onde se apresentam tendências e experiências associadas ao turismo, gastronomia e lazer, abrangendo ainda outras temáticas como o caravanismo e o golfe. A participação do Município de Viana do Castelo, em stand integrado com a TPNP - Turismo Porto e Norte de Portugal, pretende reforçar a divulgação do município, das suas potencialidades e dos seus agentes do setor turístico.

Recorde-se que, este ano, o Município de Viana do Castelo retomou a presença estratégica em Feiras de Turismo, estando previsto, para o presente ano, ainda a participação na Expocidades – Mostra de Turismo das Cidades do Eixo Atlântico (Ferrol), na FIA – Feira Internacional de Artesanato (Lisboa) e no XANTAR – Salão Internacional de Turismo Gastronómico (Ourense).

Nestes certames, o Município de Viana do Castelo integra representações com a Entidade Regional de Turismo Porto e Norte, o Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular e o Consórcio Minho IN, mas também estará presente em alguns certames com stand próprio.

A pandemia fez aumentar a procura dos turistas pelo contacto com a natureza, a realização de atividades ao ar livre, destinos menos massificados e com cultura tradicional, dando preferência a locais de proximidade e em ambiente controlado, estando a segurança e a higiene no centro das decisões de escolha de destino de férias. Como Viana do Castelo reúne condições para dar resposta a este novo perfil de turista, estas participações revestem-se de enorme importância para a promoção e divulgação deste destino.

CERVEIRA RECORDA “OLHARES SOBRE A EMIGRAÇÃO CERVEIRENSE” NOS SÉCULOS XIX E XX

Conferência está agendada para o dia 7 de maio, às 15h30, seguida da inauguração de exposição temática

A presente temática vai ser abordada em três vertentes: numa conferência com uma perspetiva histórica e emotiva dada pelo Prof. Doutor Henrique Rodrigues, e uma análise interpretativa protagonizada por quatro jovens estudantes, além de uma exposição documental, fotográfica e de material utilizado na época.

Pelo vasto histórico de emigração registado no concelho, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira decidiu avançar com uma iniciativa que suscitasse uma reflexão sobre a importância e impacto desse fenómeno na comunidade cerveirense, relembrando os movimentos migratórios portugueses, particularmente a emigração para o Brasil no século XIX e nas primeiras décadas do século XX, e para os países europeus, nomeadamente para França, na segunda metade do século XX. No dia 7 de maio, às 15h30, a Biblioteca Municipal acolhe a conferência “Olhares sobre a Emigração Cerveirense” nos séculos XIX e XX, à qual se seguirá, pelas 16h30, a inauguração de uma exposição temática sobre o mesmo enquadramento no Arquivo Municipal.

A Conferência tem como orador o Prof. Doutor Henrique Rodrigues, cuja participação vai incidir nas mobilidades e escritas da emigração oitocentista “Minha esposa do meu coração” e contará, ainda, com a intervenção de um grupo de quatro jovens estudantes da Escola Secundária de Vila Nova de Cerveira - Ema Lameira, João Oliveira, Sónia Fariñas e Tiago Cabodeira – que, sob orientação da Profª Emília Lagido, vão apresentar o tema “«Ei-los que partem» - do Brasil à Europa, visando a emigração comparativa dos cerveirenses entre os finais do século XIX e os anos 60 do século XX”. Após o encerramento desta conferência, a Câmara Municipal vai proceder à inauguração de uma exposição temática, patente no Arquivo Municipal até ao dia 28 de setembro, e que pode ser visitada de forma livre ou mediante a marcação de visitas guiadas, no período normal de funcionamento daquele equipamento público.

“Olhares sobre a Emigração Cerveirense” nos séculos XIX e XX apresenta os dois fenómenos emigratórios para o Brasil e para França, através de alguns documentos da época, como passaportes individuais e coletivos, requerimentos, bilhetes de vapor e processos de emigração de vários cerveirenses, de registos fotográficos de emigrantes e das suas famílias, entre outros materiais que recordam as memórias dos emigrantes, como por exemplo máquinas fotográficas ou malas de viagem. Há, ainda, algumas histórias de cerveirenses que, graças à fortuna alcançada com a emigração, não esqueceram as origens e tornaram-se beneméritos ao dotar as suas freguesias com melhoramento de grande vulto, de distribuir quantias monetárias e agasalhos pelos mais pobres e mesmo de apoiar as crianças na aprendizagem escolar.

Entre alguns dos dados investigados e expostos pelo Arquivo Municipal, sabe-se por exemplo que, em ambos os períodos, as freguesias do concelho com o maior número de emigrantes, sobretudo de homens solteiros, foram Vila Nova de Cerveira, Sopo e Covas, maioritariamente lavradores e pedreiros. O destino é que foi diferente, entre 1837 e 1900 foi o Brasil, e já entre 1953 e 1977, a França foi o destino de emigração eleição pelos portugueses.

Com o apoio do Município de Fafe e do Museu das Migrações, esta exposição é complementada com um conjunto de fotografias da autoria do reconhecido Gérald Bloncourt, o fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa em França, nos anos 60 e 70, tendo ficado célebre por um trabalho publicado no Journal Le Monde, de 25 de Abril de 1964, intitulado “Quase 100 mil trabalhadores portugueses instalaram-se nas ‘favelas’ de Paris”.

BREVE ENQUADRAMENTO DOS DOIS FENÓMENOS EMIGRATÓRIOS EXPOSTOS

A emigração apresenta-se como um dos comportamentos mais marcantes da sociedade portuguesa, especialmente a partir da segunda metade do século XVIII, com o «rush mineiro» no Brasil. Mas foi no século XIX que a emigração para o território americano registou um volume quantitativo mais expressivo. Ao longo de um século, o Brasil materializou o sonho de Eldorado, fascinando centenas de milhares de portugueses, na maioria homens, quase sempre jovens e alguns ainda crianças, oriundos sobretudo do Entre Douro e Minho.

As dificuldades nos transportes transoceânicos resultantes da 1ª Guerra Mundial, o impacto da Grande Depressão em 1929 e o eclodir da 2ª Guerra Mundial, acrescidas da imposição de entraves à entrada de novos emigrantes, quebraram a corrente migratória para o ‘Novo Mundo’, em detrimento da emigração intraeuropeia, a partir do decénio de 1950-1960. Para muitos portugueses, França foi o destino migratório por excelência, resultante do processo de reconstrução gaulês do pós-guerra que, em parte, seria suportado por um enorme contingente de mão de obra portuguesa pouco qualificada, que encontraria nos setores da construção civil e de obras públicas da região de Paris o seu principal sustento.

Cartaz - Olhares sobre a emigração Cerveirense.j

CÂMARA DE VIZELA RENOVA PROTOCOLO COM EXPOURENSE

A Câmara Municipal e a Expourense vão assinar a renovação do protocolo de colaboração, no próximo dia 4 de maio, pelas 11.30h, no edifício-sede o Município.

Xantarourens.JPG

De relembrar que este protocolo, assinado em 2018, estabelece a parceria entre o Município de Vizela e a Expourense, no sentido de intensificar o potencial turístico de Vizela, através da presença em diversas feiras relacionadas com o turismo.

Assim, a Câmara Municipal considera de enorme importância continuar a promoção das atividades e eventos do Concelho na Galiza, nomeadamente nas feiras XANTAR e TERMATALIA, num casamento perfeito entre gastronomia e Termas, atendendo à história termal e à riqueza gastronómica de Vizela, que merecem ser devidamente valorizadas.

Com a renovação deste protocolo, a Câmara Municipal pretende potenciar dinâmicas de reforço que permitam a consolidação da nova imagem e identidade do Concelho de Vizela, como destino turístico privilegiado, experienciando os segredos de um vale recheado de saberes, sabores, prazeres e tradições caraterísticas.

De destacar que a renovação deste protocolo enquadra-se numa das medidas do Plano Municipal de Turismo que visa desenvolver esforços no sentido de criar parcerias com novas entidades, públicas ou privadas, que permitam exponenciar o potencial turístico de Vizela, através da divulgação eficaz, em todo o território nacional e, sempre que possível, internacionalmente, da agenda turística de Vizela.

BARCELOS EXPÕE OURO E PRATA NA REAL IRMANDADE DO SENHOR BOM JESUS DA CRUZ

Exposição na Sala Gótica dos Paços do Concelho

Abre amanhã às 16h00, na Sala Gótica dos Paços do Concelho, a exposição “Ouro e Prata na Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz”, que revela um espólio único, pertencente ao Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz, e delicadamente cuidado pela Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz.

cruzesbarcel.JPG

Esta exposição permite fazer uma viagem pela história, com mais de 500 anos. Começa com o milagre da Santa Cruz, ocorrido em 1504, onde há relatos que João Pires (Sapateiro na vila) teria encontrado no chão uma cruz negra, próximo do Campo da Feira. O milagre foi notícia e começou uma grande devoção. O local onde apareceu a cruz terá sido protegido com uma estrutura que viria a ser aumentada com a chegada de uma imagem do Senhor Bom Jesus da Cruz, em 1505, vinda da Flandres. Esta peça nunca sai do templo, por isso não está aqui, pois reza a lenda que, se alguém a tirar, ela aumenta tanto que não consegue voltar a entrar no templo.

No século XVII, há registo de muitos donativos para se fazer um templo maior, um dos principais beneméritos foi Inácio da Silva Medela, (1ª tela em exposição), que nasceu em Barcelos, mas foi para o Brasil onde se tornou um homem de negócios abastado. Não só doou verbas avultadas para o Templo como também financiou imagens (como a Pietá que iremos ver), instituiu o coro, financiou a Custódia…

As obras no novo Templo terão começado em 1705 e, daí para a frente, foi sendo enriquecido.

Obviamente que o templo perdura até hoje, com o espólio magnífico que agora se mostra, porque desde cedo vários barcelenses assumiram o papel de cuidadores e perpetuadores da devoção ao Senhor Bom Jesus. Este grupo começou por chamar-se Confraria da Santa Vera Cruz, depois Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz e mais tarde Real Irmandade. A palavra Real é acrescentada quando a Irmandade convida para o cargo de juiz perpétuo o Rei.

Um dos juízes da Real Irmandade, que terá aceitado vir a Barcelos conhecer o templo e a sua devoção, foi o príncipe consorte D. Fernando II, 2º marido da Rainha D. Maria II, em exposição.

Seguem-se na exposição as vestes; primeiro a opa que o Provedor usa nas procissões, com a sua vara de prata. Destaque para o emblema da irmandade bordado a fio de ouro. Depois uma casula, das muitas que existem no espólio, também ela bordada a fio de ouro.

Segue um apontamento com escultura barroca, o Santo Inácio de Loiola que estaria no coro financiado pelo Inácio da Silva Medela (daí dizer-se que a imagem “Inácio” é uma homenagem ao benemérito); N.ª Sr.ª da Conceição e uma Virgem Mártir Relicário.

Andor do Senhor dos Passos integralmente restaurado

O conjunto mais emblemático da exposição é o andor com o Senhor dos Passos. A imagem foi feita em Roma, por Giuseppe Berardi, em 1875, e foi restaurada agora. Também o andor foi restaurado. Especial atenção para os resguardos do andor, restaurado pelas Carmelitas do Mosteiro de Bande (Carmelitas do Carmelo do Porto), que conseguiram substituir o pano de fundo colocando-lhe as aplicações originais, feitas com fio de prata e ouro. Um trabalho de excelência.

Segue-se um percurso como se estivéssemos na Quaresma. A Pietá - uma escultura magnífica do século XVIII, que podemos encontrar normalmente no altar-mor do Templo. O toro de madeira em que foi esculpida foi enviado do Brasil por Inácio da Silva Medela.

O esquife com o Cristo Morto também usado na procissão. São duas peças magníficas.

Em 1734, fez-se a encomenda de uma custódia para o Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz, financiada por Inácio da Silva Medela. A autoria é do mestre ourives António Ferreira que trabalhou a peça de ourivesaria em prata cinzelada, dourando a esfera e a lúnula.

Seguem-se várias peças de ourivesaria usadas nas cerimónias litúrgicas. (Tem as legendas e funções na parede do lado direito).

Conclui-se este ciclo da Paixão com Cristo Ressuscitado, uma imagem do século XVIII.

A visita à exposição termina com a peça do Santo Lenho. Uma cruz de prata que será das mais antigas que existem no Senhor da Cruz. (Santo Lenho significa que é um relicário onde está um pedaço original da Cruz de Cristo).

O milagre de 1504 ainda hoje se comemora, aliás, está a ser comemorado, com a Festa das Cruzes.

BRAGA: GRUPO FOLCLÓRICO DR. GONÇALO SAMPAIO EXPÕE E VENDE LENÇOS TRADICIONAIS NO MUSEU DO TRAJE

O Paço da Vila estará no Museu do Traje a participar numa iniciativa organizada e promovida pelo Grupo Folclórico Dr Gonçalo Sampaio proporcionando aos Grupos de Folclore e visitantes a oportunidade de adquirirem lenços de qualidade e representativos etnograficamente.

Datas:

Sábado, 7 de Maio : Manhã - 10h às 13h e Tarde - 15h às 19h;

Domingo, 8 de Maio: Manhã - 10h às 13h e Tarde - 15h às 17h.

278905110_2291685607655529_5963362874764375355_n.j

BARCELOS: EXPOSIÇÕES PARA VER E APRECIAR DURANTE A FESTA DAS CRUZES

Com o início da Festa das Cruzes agendado para esta semana, não faltarão motivos para visitar Barcelos e apreciar a beleza da nossa cultura e tradição. A par das festividades, há um conjunto de exposições que poderá visitar e através delas conhecer um pouco de nós.

Ouro e Prata.jpg

Começando pela história, o Município de Barcelos e a Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz decidiram comemorar de forma especial este regresso às festas presenciais com a realização de uma exposição dedicada a parte do espólio do templo do Senhor da Cruz. “Ouro e Prata na Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz” é o tema da exposição que abre ao público no dia 29 de abril, às 16h00, na Sala Gótica dos Paços do Concelho, e estará patente até ao dia 29 de maio de 2022.

Juntando arte e religiosidade, a exposição itinerante “Camiños. O camiño e as artes” é inaugurada no dia 2 de maio, às 17h30, na Galeria Municipal de Arte, e é uma homenagem à arte no Caminho de Santiago. Conta com trabalhos de 36 artistas, desde esculturas, poesia, obras musicais, dança, fotografia, pintura, ilustração e artesanato. O Caminho de Santiago foi e continua a ser um espaço propício ao desenvolvimento das artes, um verdadeiro expoente de cultura. Esta mostra pode ser visitada até 18 de junho.

A exposição de ilustração “Raimundo Canta Barcelos” de Joana Luísa Matos e Susana Lima pode ser visitada a partir do dia 28 de abril até 31 de maio, na Biblioteca Municipal, e pertence a uma coleção que, em verso, faz uma viagem pela história de Barcelos, constituindo-se como um recurso educativo de destaque, ao apresentar-se como uma ferramenta facilitadora da promoção da leitura e cuja exploração permite conhecer melhor a cultura do nosso concelho. A visita permite ainda usufruir de um jogo interativo, onde um pequeno Robot vai explorar as histórias contadas pelo Raimundo, e de sessões de contos contadas por Rui Ramos, nos dias 11 e 23 de maio.

Já disponível ao público está a exposição “O mundo colorido de Mina Gallos”, na Torre Medieval de Barcelos, desde o dia 23 de abril, e poderá ser visitada até 5 de junho. A mostra apresenta uma vasta coleção de peças que se diferenciam pela cor e alegria, criatividade e imaginação. As peças ostentam a etiqueta de Figurado de Barcelos certificado, conferindo-lhe uma mais-valia que garante a qualidade e autenticidade.

VIEIRA DO MINHO: CASA DA CULTURA ACOLHE EXPOSIÇÃO DE PINTURA DE FRANCO CHARAIS

No âmbito das comemorações do 48 aniversário da Revolução dos Cravos, a Casa da Cultura apresenta, ao público a Exposição de Pintura de Franco Charais.

20220425_120157.jpg

Manuel Franco Charais foi um dos militares que participaram ativamente na revolução de 25 de Abril de 1974.

Membro do Conselho da Revolução e comandante da região militar centro nos tempos do chamado PREC - Processo Revolucionário Em Curso, os anos "quentes" pós 25 de Abril – foi o convidado de honra do Município de Vieira do Minho para as comemorações do 25 abril.

As pinturas de Franco Charais, cujo espólio ultrapassa os 700 trabalhos, estão expostas na galeria I da Casa da Cultura e têm por base as pinturas rupestre, que depois o artista modela e recria tendo por base a sua perspetiva. E como não poderia deixar de ser, para além, das inúmeras telas expostas, Franco Charais expões alguns exemplares alusivos ao 25 de abril.

De salientar, ainda que Franco Charais tem mostrado a sua arte um pouco por  todos os cantos do Mundo. Desde 1995, tem participado em exposições individuais, e tem mostrando os seus trabalhos nas galerias municipais de Albufeira, Aveiro, Beja, Carvoeiro, Coimbra, Évora, Faro, Lisboa (Padrão dos Descobrimentos, Cervejaria da Trindade, Museu Militar, Associação 25ABRIL), Lagos, Loulé, Parede, Portalegre, Portimão, Porto (Ateneu Comercial, Galeria da CRUARB, Livraria LELLO), Guimarães, Setúbal, Santo Tirso, Sesimbra, Sintra, Silves, Vila Real, Vilamoura, Viena (Áustria), Boston (USA), Bona (Alemanha) e coletivas na Sociedade Nacional das Belas Artes, na ANAP, Palos de La Fronteira, Valência ( Espanha ), Lourdes e Angoulême (França), Japão ( Okinawa) e Barcelona (V Salão Internacional de Artistas Contemporâneos Independentes). Está representado em coleções particulares portuguesas e estrangeiras e nas coleções dos municípios portugueses atrás referidos. Pintor convidado de honra no 1º Salão de Artes Plásticas de Angoulême em França ( 2001).

Não perca esta excelente oportunidade, visite a exposição de Pintura de Franco Charais no horário da Casa da Cultura de Vieira do Minho.

MUSEU MUNICIPAL DE CAMINHA EXPÕE “SANTOS DA CASA, COMPANHEIROS DE VIAGEM”

A exposição "Santos da Casa, Companheiros de Viagem", com as imagens dos Santos venerados nas aldeias e vilas do concelho de Caminha foi hoje de manhã inaugurada e está aberta ao público, no Museu Municipal de Caminha. Pode ser visitada de segunda-feira a sábado, no horário: 9h30-13h00/14h00-17h30.

A organização é da Câmara Municipal de Caminha e Paróquias do Arciprestado de Caminha

São 41 imagens de Santos, habitualmente dispersas pelos templos e pelas várias paróquias do concelho de Caminha. A mostra está patente até 31 de maio.

3M1A7674.jpg

3M1A7713.jpg

3M1A7736.jpg

3M1A7615.jpg

3M1A7628.jpg

3M1A7652.jpg

3M1A7653.jpg

3M1A7664.jpg

BARCELOS: PINTORA E CERAMISTA MINA GALLOS EXPÕE FIGURADO NA TORRE MEDIEVAL

Já abriu ao público, na Torre Medieval de Barcelos, a exposição “O mundo colorido de Mina Gallos”. A mostra apresenta uma vasta coleção de peças que se diferenciam pela cor e alegria, criatividade e imaginação. As peças ostentam a etiqueta de Figurado de Barcelos certificado, conferindo-lhe uma mais-valia que garante a qualidade e autenticidade.

86467705_2889175774505349_7019887981024509952_n.jp

Felismina Silva é uma artesã de grande capacidade artística e criativa que engrandece a comunidade artesanal de Barcelos, confirmando assim, mais uma vez, que Barcelos é um concelho criativo e com um sentido artístico singular, justificando a distinção de “Cidade Criativa da UNESCO” e “Capital do Artesanato” em Portugal.

Natural da freguesia de Tamel S. Veríssimo, Felismina Faria da Silva decidiu por opção própria, após terminar o 5.º ano de escolaridade, com apenas 11 anos de idade,  ir trabalhar numa empresa cerâmica, a Galante, cerâmica que se dedicava à produção de figurado de molde. Nesta empresa, teve como funções o fabrico de peças e, posteriormente, a pintura. Mais tarde, ainda na juventude, muda-se para a Cerâmica Magrou, onde desenvolve atividades semelhantes às que desenvolvia anteriormente.

Aos 17 anos, a convite de Francisco da Costa Pinto (atual marido), foi trabalhar para uma empresa de porcelanas, a primeira a instalar-se no concelho de Barcelos. Faz carreira nesta empresa.

Em 2015, após o falecimento da mãe, a sua vida sofre uma reviravolta. Felismina, como forma de vencer a perda da mãe, decide pela primeira vez pintar um Galo de Barcelos e publica-o nas redes sociais. Este galo recolhe muita simpatia e gera encomendas. Este momento serviu de motivação para assumir uma identidade própria e um caminho no artesanato barcelense.

Felismina, habituada à delicadeza e à perfeição das porcelanas, considerava o figurado tradicional demasiado tosco para o seu gosto, mas depressa se apaixonou pelo ofício, tão enraizado no território e na identidade das gentes de Barcelos. A artesã compreendeu que o valor do artesanato não se cinge apenas ao resultado final, mas também às “estórias” e sentimentos de quem criou as peças. É uma arte com forte componente simbólica.

279015311_5596816450351048_5287202992648278166_n.j

278845533_5596821720350521_778994003872194552_n.jp

279111137_5596818227017537_1276710684638621948_n.j

279000626_5596818230350870_1030816510172171720_n.j

278917292_5596818160350877_2984204779987729587_n.j

278888593_5596818093684217_7826292311333209585_n.j

278882388_5596818117017548_8347699536451443600_n.j

278872200_5596818260350867_8757571490763519838_n.j

278857361_5596818433684183_2788304116496957063_n.j

278869746_5596819980350695_1089504855394630955_n.j

VIEIRA DO MINHO INAUGURA EXPOSIÇÃO “OLHARES SOBRE O PASSADO DE VIEIRA DO MINHO”

O presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, António Cardoso, inaugurou ontem a Exposição Etnográfica “Olhares Sobre o Passado de Vieira do Minho”, patente na Casa da Cultura de Vieira do Minho - Casa de Lamas.

278799576_2390025951139222_828971968208516915_n.jp

Esta exposição traz a este espaço um acervo etnográfico relacionado com o quotidiano do mundo rural, desde o trabalho agrícola às lides domésticas, que só foi possível reunir graças à generosidade de particulares.

A exposição vai estar patente na galeria II da Casa da Cultura e o visitante pode apreciar um espólio utensílios e ferramentas outrora utilizados pelas povoações vieirenses, tais como carro de bois, capa de burel, mantas de lã, dobadeira, tear, instrumentos musicais, potes, salgadeira, masseira, louceiro, chocalho, cestos das vindimas, peneira, pá da broa, arado, semeador, enxada, pipo, dorna, entre outras alfaias e objetos da vida camponesa.

A exposição vai estar patente ao público até finais de setembro de 2022.

278793479_2390024941139323_5764397814265818261_n.j

278874065_2390025481139269_2816428524624338863_n.j

278455976_2390025597805924_9123123532353421193_n.j

279000425_2390025831139234_5020176733102575074_n.j

278740649_2390025851139232_5208976326587126175_n.j

278978078_2390025884472562_2865719854192435239_n.j

278662613_2390025927805891_6552628821250814221_n.j

ARCOS DE VALDEVEZ EXPÕE COLECTIVA DE ARTES

Colectivo Circol`Artes expõe na Casa do Castelo em Sistelo patente ao público de 7 de maio a 7 de junho

Circol`Artes é um grupo de amigos Artistas, Pintores, Escultores, Fotógrafos, e Artesãos que surgiram em 2017. Praticantes de diferentes linguagens artísticas, como o Surrealismo, Cubismo, Abstração Pictórica, Figurativismo e Fotografia. Este coletivo é composto por elementos que vão desde a Galiza até ao Porto.

Fazem parte deste coletivo Américo Pacheco, António Candeias, Elisa Queiroz, Giovanni Dondi, Gira-Gil Ramos, Jorge Lima, Mafalda de Castro, Manto, Martinho Lima, Mutes, Olga Bernard, Orlando Almeida, Alua, Sameiro Sequeira e Valérie Fernandes.

A 7 de Maio pelas 15:00 horas vão inaugurar uma exposição (Circol`Artes 4) na Casa do Castelo (Viscondes) em Sistelo, onde durante a inauguração, vários pintores estarão a criar numa intervenção Artística ao vivo, acompanhados à viola num momento musical pelo Sérgio Castro, vocalista dos Trabalhadores do Comércio.

A exposição estará patente ao público durante 1 mês, sendo possível visitá-la durante o horário de funcionamento da Casa do Castelo.

exposiçao circol - mutes.jpg

CASA DE LAMAS INAUGURA EXPOSIÇÃO ETNOGRÁFICA “OLHARES SOBRE O PASSADO DE VIEIRA DO MINHO”

A Casa de Lamas, inaugura, sexta-feira, dia 22 de abril, a Exposição de Etnográfica“Olhares Sobre o Passado de Vieira do Minho”, promovida pelo Município de Vieira do Minho.

etnoviminho.jpg

A exposição que abre portas ao público pelas, 17h00 do dia 22 de abril, tem por objetivo dar a conhecer os costumes e vivências de Vieira do Minho e homenagear os artesãos do concelho, que ainda hoje mantêm vivas as tradições de outros tempos.

A exposição que vai estar patente, na galeria II, da Casa de Lamas, até ao próximo mês de setembro, traz a este espaço cultural um acervo etnográfico relacionado com o quotidiano do mundo rural, desde o trabalho agrícola às lides domésticas, e que, só foi possível reunir graças à generosidade de particulares do concelho.

Aqui, o visitante pode observar utensílios e ferramentas, objetos musicais, alfaias agrícolas e outros objetos da vida campestre.

De salientar ainda, que a exposição etnográfica, vai estar patente, na Casa de Lamas, de segunda a sábado, no seguinte horário: segunda a sexta-feiras das 9h00 às13h00 e das 14h00 às 17h30, e aos sábados das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h00.