Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

EPATV DIVULGA ARTE POPULAR COM TRABALHOS DE OITO ARTESÃOS

A Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV) acolhe, nas suas instalações em Vila Verde, uma Exposição de arte com peças de oito artesãos que podem ser apreciadas entre 26 e 30 deste mês de Outubro — anunciou hoje o Director geral. A mostra é inaugurada segunda-feira, dia 26, às 14 horas, com a presença do colecionador e proprietário das obras de arte.

EPATV exposição.jpg

De acordo com João Luís Nogueira, esta exposição comprova que a EPATV está a “cumprir o seu papel enquanto escola, dignificar a cultura popular, uma vez que, ao longo destes cinco dias, são efetuadas visitas guiadas para as turmas da Escola. Promover a cultura popular é tarefa que o Grupo Amar Terra Verde, a que me orgulho de presidir, sempre assumiu com gosto e dignifica a nossa missão”.

Durante cinco dias, os 700 alunos da EPATV são convidados pelo vimaranense Miguel Sul a apreciar peças que “pertencem ao imaginário popular e foram concebidas ou herdadas por diferentes artesãos”. Algumas resultam de concepções e posterior encomenda de Miguel do Sul que totalizam 66 obras.

Nesta exposição estão representados os artesãos António Ramalho, Irmãos Mistério, Irmãos Baraça, João Ferreira, Júlia Côta, Helena Silva, Conceição Sapateiro e Milena de Salsas.

A coleção e exposição só foram possíveis com o apoio e mecenato de pessoas como António Moura, Manuel Sampaio da Veiga, João Luís Nogueira e Arnaldo Sousa. 

João Luís Nogueira destaca que, “nos planos de atividades anuais, nas publicações que editamos, no apoio que prestamos às iniciativas culturais de outras entidades está sempre presente a convicção de que este é um fator constituinte da nossa própria identidade e do projeto que corporizamos”.

“Nunca o fizemos por pose, por moda, por oportunismo de circunstância, mas por acreditarmos que é na dimensão cultural que se revela o verdadeiro rosto de um povo e de uma comunidade e por não poderem as escolas – sob pena de desvirtuarem o seu papel educativo de transmissão dos laços que cimentam a vida coletiva – demitir-se de tão nobre como necessária responsabilidade” — acrescenta o Director Geral do Grupo Amar Terra Verde.

De facto, sublinha, “a cultura popular – tantas vezes quase pueril na sua simplicidade e singularidade – espelha formas de ver e interpretar o mundo guardadas com carinho ao longo de sucessivas gerações num papel de resistência ao genocídio cultural da massificação que não pode deixar de ser enaltecido”.

Além disso, a cultura popular “espelha a dignidade de um povo, a sua originalidade, os traços profundos que definem a sua forma de ser e estar perante a vida”.

Para o Diretor Geral da EPATV, esta exposição traduz a necessidade de “fazermos a parte que nos cabe e de valorizarmos perante a nossa comunidade educativa uma forma de expressão artística tantas vezes injustamente desvalorizada”.

CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO ACOLHE NOVA EXPOSIÇÃO DE SERRALVES

Obra de Jorge Pinheiro em destaque durante 112 dias

A Casa das Artes de Famalicão inaugura no dia 04 de novembro a exposição “Jorge Pinheiro – da coleção de Serralves em Famalicão”. Esta exposição vai estar patente no foyer do teatro municipal até 24 de fevereiro de 2021 e é a segunda exposição que Serralves traz à Casa das Artes em menos de um ano. A inauguração da exposição está agendada para as 17h30, do dia 04 de novembro, e a entrada é livre. O acesso à Casa das Artes é atualmente condicionado ao cumprimento da lei e das regras impostas pelas autoridades de saúde.

torre_babel_jorge_pinheiro.jpg

Jorge Pinheiro é reconhecido como um dos nomes mais influentes do contexto artístico português da segunda metade do século XX, é o único sobrevivente do célebre Grupo dos Quatro Vintes, formado com Ângelo de Sousa, Armando Alves e José Rodrigues.

Ao longo de uma carreira de mais de 50 anos, Pinheiro tem vindo a desenvolver uma obra de uma profunda coerência teórica e intelectual traduzida num corpo de trabalho visualmente diverso, no qual coexistem a pintura figurativa e a abstração concreta e conceptual.

A sua obra baseia-se em princípios de matemática e semiótica, sendo particularmente inspirada na célebre sequência de Fibonacci, matemático italiano do século XII, segundo a qual cada número sucessivo resulta da soma dos dois números anteriores. À presença de modulações geométricas e padrões de alto contraste cromático junta-se uma muito aturada exploração das noções de ritmo e de serialidade, cuja formalização evidencia o interesse do artista pela área da música.

A proposta expositiva para a Casa da Artes, sob a curadoria de Joana Valsassina, centra-se na obra Babel, a maior peça tridimensional do artista, produzida propositadamente para a exposição monográfica Jorge Pinheiro: D'après Fibonacci e as coisas lá fora, desenvolvida em diálogo com o artista Pedro Cabrita Reis e realizada no Museu de Serralves em 2017.

Mantendo uma ligação à referida sequência numérica, a escultura configura-se em quatro módulos que se desenvolvem em torno de um eixo, no seio do qual dois espelhos cruzados multiplicam o espaço e absorvem perceptualmente a estrutura de ferro que os sustenta. Para além desta obra escultórica de grandes dimensões, a exposição inclui um conjunto de obras sobre tela e sobre papel que evidenciam as investigações do artista em torno de arranjos musicais, combinações cromáticas e formulações geométricas.

A obra de Jorge Pinheiro vai conviver 112 dias com a permanente obra do seu colega Ângelo de Sousa que solenemente cobre as paredes da Casa das Artes de Famalicão. Uma oportunidade para testar o convívio de dois grandes nomes da criação artística nacional do século XX nesta inusitada coabitação artística.

Jorge Pinheiro_À memória do Ângelo, 2014_foto F

ARCOS DE VALDEVEZ EXPÕE SERIGRAFIA

“Reversados” na Biblioteca Municipal de Arcos de Valdevez. Exposição de serigrafia de François Verhoustraeten, de 3 de outubro a 27 de novembro.

François Verhoustraeten é um biólogo Belga e trabalha na MSF - Médicos sem Fronteiras há mais de vinte anos, tendo participado em missões humanitárias por todo o mundo desde o Cazaquistão a Moçambique, país onde aprendeu a falar Português.

exposição serigrafia.JPG

Há uns anos comprou uma casa em São Cosme e S. Damião onde fixou residência e onde retempera forças entre cada missão.

Descobriu a técnica de impressão com tintas de óleo em 1995. Quando visitou a casa em São Cosme e São Damião, em 2013, onde vive, atualmente, viu de imediato o potencial de um anexo para o transformar numa oficina de pintura. Aprecia a ideia de poder olhar para o mesmo modelo de muitas maneiras, como o tempo e os dias, pessoas e indivíduos. Tudo semelhante e tudo diferente. Do direito e do avesso, de cabeça para baixo, criar interrogações: Reversados! 

Sendo o principal objetivo desta exposição dar a conhecer ao público o trabalho serigráfico deste biólogo Belga, a primeira parte é inspirada nas cores do Alto Minho, uma vez que é apaixonado pela infinidade de tons verde da natureza. Por outro lado, a segunda parte desta exposição representa todas as viagens, em trabalho, de François.

O trabalho de voluntariado é, para este artista, “uma grande oportunidade de ouvir, ver, conhecer e, acima de tudo, receber, aprender com os outros e noutros lugares”, refletindo isso na segunda parte desta exposição.

Entre os dias 3 de outubro e 27 de novembro, visite a exposição de François Verhoustraeten, descubra mais sobre serigrafia e sobre a vida deste excelente criador, na Biblioteca Municipal de Arcos de Valdevez.

exposição_serigrafia_.JPG

exposição_serigrafia3.JPG

exposição_serigrafia4.JPG

exposição_serigrafia5.JPG

ARCOS DE VALDEVEZ: EXPOSIÇÃO CONTA 8 SÉCULOS DE HISTÓRIA DO SANTUÁRIO E DEVOÇÃO A NOSSA SENHORA DA PENEDA

Exposição Santuário de Nossa Senhora da Peneda: 800 anos de História

A aparição de Nossa Senhora das Neves em 1220 e a provável edificação de uma pequena ermida no local durante o século XIII criam um culto devocional durante a Idade Média, que se consolidou até aos nossos dias.

04-09 Santuário da Peneda  (2) - Cópia.JPG

São 800 anos de História que construíram um Património único, fazendo deste local um dos mais belos e fascinantes do nosso país, ligando como nenhum outro a Natureza, a História e o Homem.

Esta exposição, patente no espaço exterior do santuário, procura recriar essa identidade singular, hoje observada em elementos patrimoniais diversos e multifacetados, como o templo-igreja principal, do século XIX, o escadório das virtudes, de 1854, o grande terreiro, o magnifico escadório e as suas 20 capelas, ou o largo do Anjo S. Gabriel, do século XVIII, todos unidos pela beleza e força natural do local, razões, entre outras, que levaram à apresentação pelo Município e pela Confraria de um processo de classificação nacional para o Santuário, realizado neste ano de 2020, procurando assim o necessário reconhecimento e valorização deste notável Património.

04-09 Santuário da Peneda  (100) - Cópia.JPG

04-09 Santuário da Peneda  (3) - Cópia.JPG

04-09 Santuário da Peneda  (95)_.JPG

ARCOS DE VALDEVEZ EXPÕE SERIGRAFIA

Na próxima sexta-feira, 3 de outubro, pelas 17h30, decorrerá a abertura ao público da exposição de serigrafia de François Verhoustraeten  intitulada “Reversados”.

Esta exposição ficará no átrio e nas escadas da Biblioteca Municipal de 3 de outubro a 27 de novembro, sendo o principal objetivo dar a conhecer ao publico o trabalho serigráfico deste biólogo belga que há alguns anos escolheu São Cosme e São Damião para fixar a sua residência.

EXPOSIÇÃO square.jpg

thumbnail_IMG_20200825_203057.jpg

thumbnail_IMG_20200825_203141.jpg

FAMALICÃO: EXPOSIÇÕES ESTÃO DE REGRESSO À ALA DA FRENTE

Ala da Frente mostra “Lusco Fusco” de Jorge Martins. Exposição vai estar patente na galeria de arte contemporânea até ao dia 15 de janeiro

Até 15 de janeiro, os visitantes da galeria municipal de arte contemporânea vão poder conhecer de perto o trabalho do português Jorge Martins e a sua mais recente exposição - “Lusco Fusco”.

AFS_2117.jpg

Uma seleção de desenhos que “alicia a nossa curiosidade para indagar resoluções, desvendar sentidos e esperar que este espaço de lusco fusco seja de intenso estímulo para a contemplação”, refere a propósito o curador do espaço cultural, António Gonçalves.

“Jorge Martins tem essa aptidão de perscrutar o desenho para dele nos expor desafios de exploração das formas, das possibilidades de compreensão e aprofundamento de sensibilidades”, acrescenta.

Refira-se que a exposição foi inaugurada no passado dia 12 de setembro, com a presença do autor, para quem o desenho tem sido uma vigorosa prática de trabalho e pensamento ao longo do seu já extenso percurso.

A singularidade da obra do pintor é de resto um dos aspetos salientados pelo curador da Ala da Frente no texto de apresentação da nova exposição.

“Há um explorar constante das possibilidades que materiais tão simples como a grafite, o carvão, a sanguínea, tinta da china lhe conferem, para através deles nos demonstrar e revelar formas e universos muito singulares”.

Nascido em 1940, em Lisboa, Jorge Martins frequentou os cursos de Arquitetura e Pintura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Expõe regularmente desde 1958. A sua primeira exposição individual data de 1960.

Em 1961, parte para Paris onde viveu e trabalhou até 1991. Esta estada é interrompida entre 1975 e 1976, período em que se instalou em Nova Iorque. Regressou definitivamente a Portugal em 1991, onde vive e trabalha.

A exposição tem entrada livre e poderá ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h30 e aos fins-de-semana das 14h30 às 17h30. A galeria de arte contemporânea Ala da Frente fica localizada no Palacete Barão da Trovisqueira, na Rua Adriano Pinto Basto.

AFS_2128.jpg

MUNICÍPIO VIEIRENSE ASSINALA FEIRA DA LADRA COM DUAS EXPOSIÇÕES

As festas concelhias de Vieira do Minho, designadas por Feira da Ladra, agendadas para o primeiro fim de semana de outubro, como já foi noticiado, não se vão realizar, este ano,devido à Pandemia de Covid- 19.

FDL 1viieiir.jpg

Apesar desta decisão, tomada no dia 16 de setembro, em reunião de câmara, o Município de Vieira do Minho não vai deixar passar em claro esta data tão especial para a população deste concelho, ainda que de forma simbólica.

Neste sentido, a Feira da Ladra 2020 vai ser passada em revista com duas exposições que irão estar patentes ao público, nesse fim de semana, na Casa de Lamas, e em frente aos Paços do concelho.

Na Casa de Lamas vai estar patente ao público, nesse fim de semana (sábado dia 3, domingo, dia 4 e segunda-feira dia 5) uma exposição etnográfica, enquanto que em frente aos Paços do Concelho estará  uma exposição de fotografia que irá mostrar algumas edições da Feira da Ladra, desde a sua génese até aos tempos atuais. Um verdadeiro postal ilustrado que nos vai fazer remontar aos tempos mais idos da nossa história.

Para além destas exposições, também o carro alegórico vai levar música às 16 freguesias e uniões de freguesias do concelho, durante o fim de semana.

FDL 3.JPG

ARTISTA ROSA VAZ EXPÕE EM AMARES

Rosa Vaz nasceu em Angola. Representada em várias colecções particulares e públicas. Artista plástica e promotora cultural com incidência na Lusofonia. Membro de várias associações culturais e de apoio Sócio/Cultural e Humanitário.

Vive em Braga.

É artista do projecto ARTÁFRICA da Fundação Calouste Gulbenkian.

Participou num vasto conjunto de exposições individuais e colectivas em Portugal e no estrangeiro.

Em exposição no Solar das Bouças até 11 de Outubro intitulada da Leira para a Bouça

Texro e fotos: Fernando Araújo

120016967_10218434400986429_6896632036673102728_o.

119962085_10218434397546343_9084956403812456169_o.

119946247_10218434398826375_8975539366896969963_o.

120014497_10218434400506417_4245754046506300815_o.

119833240_10218434401386439_1373731411478093311_o.

119950841_10218434407986604_5415844368301203422_o.

119976417_10218434409026630_6374469895912562985_o.

119969745_10218434407826600_8690680796637089580_o.

119964600_10218434409226635_2664340135897042189_o.

119984219_10218434408506617_7143089559099930594_o.

119962590_10218434406786574_7113636121674906209_o.

119996249_10218434407906602_7634438152422746133_o.

119934999_10218434408986629_7195023292903351627_o.

119993510_10218434408626620_2980315975627336237_o.

VIANA DO CASTELO: MostrART APRESENTA EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÃO, FOTOGRAFIA E ARTE DIGITAL

Exposição MostrART pode ser vista até 30 de setembro no Estação Viana Shopping. ‘Redes Sociais’ é o tema desta edição

O MostrART - exposição de ilustração, fotografia e arte digital – pode ser vista até ao final do mês de setembro no Estação Viana Shopping. A edição deste ano, dedicada ao tema das ‘Redes Sociais’, inaugurou no passado dia 15 de agosto e foi agora prolongada até dia 30 de setembro.

8abb05a75aa8727e013dcc442d5af4a7.jpg

O MostrART tem vindo a constituir-se como um ponto alto no que diz respeito à divulgação artística contemporânea, abordando temas marcantes da atualidade. Todos os anos a exposição tem um tema diferente, tendo já abordado temáticas como a Violência doméstica, o Bullying, a Igualdade de Género, a tolerância e os refugiados. E este ano não é exceção!

ca289e83b36f369d740c947113001548.jpg

cca0e6e7841620737f53bd4bb7c814fc.jpg

84d615e36b9d0361bd4caf10a431a139.jpg

BARCELOS REALIZA EXPOSIÇÕES

Setembro traz exposições aos espaços culturais

O Município de Barcelos continua a apostar na diversificação das suas exposições nos diferentes espaços culturais da cidade.

Exposição Mocho_Torre Medieval.jpg

Assim, no dia 18 de setembro decorrerá a abertura de três exposições em três diferentes espaços culturais: Posto de Turismo, Torre Medieval e Galeria Municipal de Arte.

O Posto de Turismo de Barcelos recebe a exposição “Criações de ferro pelas mãos de Testa” em que é apresentada a obra de um novo artesão barcelense (João Brito, que usa o nome artístico de "Testa") no registo da produção do ferro e derivados. Trata-se de uma obra que resulta de um trabalho criativo singular que envolve o manuseamento do ferro, a reciclagem e a recontextualização de peças deste material em contexto artístico, numa incursão criativa e artística de grande valor.

Na Torre Medieval estará patente a exposição “ O Mocho, um ícone de cultura popular” que tem como motivo central o mocho, figura que aparece nesta ação trabalhada em vários materiais e diversas produções artesanais locais, com prevalência para a produção certificada do figurado de Barcelos. Uma exposição que conta com a participação de dezenas de artesãos barcelenses, em mais um ato criativo de grande valor só possível em Barcelos face à riqueza e variedade de produções e, acima de tudo, devido ao sentido criativo ímpar da comunidade criativa local. As exposições estão patentes nos espaços até 18 de outubro.

Por último, a Galeria Municipal de Arte abre a exposição “A Essência de um Legado” de Frederico Dinis, um compositor português, performer audiovisual, investigador e produtor de media artes que procura representar um espaço-tempo figurativo, combinando diferentes narrativas sonoras e visuais com espaços inusitados.

A exposição está patente até 31 de outubro e pode ser visitada de terça a sexta-feira das 10h00 às 17h30 e aos sábados, domingos e feriados das 14h00 às 17h30.

Exposição Frederico Dinis_Galeria de Arte.jpg

ExposiçãoTesta_Posto de Turismo.jpg

PINTOR RICARDO FERREIRA INAUGURA EXPOSIÇÃO EM PONTE DE LIMA

Foi hoje inaugurada a exposição das obras de Ricardo Ferreira, à qual tive a honra de assistir, como convidado de honra.

119236352_1454560078063376_1578355738007200777_n.j

Com a presença do Senhor Presidente da Câmara e vereadores, que honraram estes trabalhos, dum Limiano de cepa.

Na sua intervenção, o Presidente elogiou estes trabalhos, e o artista, que não pára de crescer, e mostrar tantas belezas da Terra, que o viu nascer.

A terminar, convidou o artista, para no próximo ano, já com festas, uma nova exposição seja efetuada.

Vale a pena visitar e adquirir uma obra deste artista, já consagrado, pelos Limianos

Texto e fotos: José Gonçalves

119097459_1454560238063360_5684795486614452134_n.j

119234644_1454560168063367_6050089198158581199_n.j

BRAGA INAUGURA EXPOSIÇÃO "FIGURES" DE MALALA ANDRIALAVIDRAZANA

Inauguração da Exposição “Figures”. Encontros da Imagem 2020. Amanhã, Sexta-feira, dia 11 de Setembro, pelas 15h00, no Forum Arte Braga, Braga

O Município de Braga procede à inauguração da exposição “Figures” de Malala Andrialavidrazana, inserida nos Encontros da Imagem 2020, em cerimónia que terá lugar, amanhã, Sexta-feira, dia 11 de Setembro, pelas 15h00, na galeria Forum Arte Braga.

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga e da InvestBraga, da artista Malala Andrialavidrazana, de Lídia Dias, vereadora da Cultura, Carlos Fontes, director dos Encontros da Imagem, Rui Vieira de Castro, reitor da Universidade do Minho e da Prof. Maria Manuela Martins, vice-reitora para a cultura e sociedade da Universidade do Minho. Terá também a presença dos curadores da Galeria, Guilherme Braga da Cruz e Duarte Sequeira, e de Carlos Silva, administrador da InvestBraga.

Com base numa extensa prática de recolha, que oferece a oportunidade de olhar para a história de forma a ultrapassá-la, a série “Figures” parece uma exumação de legados pictóricos. Abrangendo uma ampla gama de símbolos e processos de representação, expandindo-se desde valores numéricos a movimentos no tempo e no espaço, e incluindo personalidades influentes e icónicas em paralelo com rostos de homens e mulheres comuns, cujos papéis, condições e destinos foram subestimados no contexto global. O corpo de trabalho tenta principalmente criar um terreno comum para diálogos e para aumentar a consciencialização a diferentes níveis.

VILA PRAIA DE ÂNCORA EXPÕE "AS FLORES QUE A NATUREZA NOS OFERECE"

119086049_3229035223817651_7614916512143535899_o.j

Exposição de fotografia “As flores que a natureza nos oferece” para visitar no Posto Turismo Vila Praia de Âncora

A mostra dá a conhecer as flores silvestres existentes no concelho de Caminha e pode ser visitada até final de outubro, de segunda a sexta-feira, das 9H30 às 13H00 e das 14H00 às 17H30. Esta exposição é organizada pela Câmara Municipal de Caminha em parceria com Carlos Venade.

119073040_3229035587150948_6201392179889030579_o.j

119128338_3229035750484265_4135496778469571412_o.j

119073883_3229036697150837_9017264111396154966_o.j

119113853_3229036927150814_6113886600898770324_o.j

119084630_3229037133817460_3648242323131061598_o.j

119107673_3229037407150766_5421914632633603750_o.j

119096279_3229037790484061_9137787237369330681_o.j

119111151_3229038000484040_5152971254404083072_o.j

BARCELOS: ENCONTROS DE IMAGEM NA SALA GÓTICA DO THEATRO GIL VICENTE

“Génesis” será o grande tema deste ano da 30.ª edição do Festival Encontros de Imagem, que contempla 36 exposições individuais e coletivas, distribuídas por 23 espaços diferentes, entre Barcelos, Braga, Guimarães, Porto e Vila Nova de Gaia.

Barcelos volta a associar-se a este importante evento, realizando duas exposições, na Sala Gótica de 11 de setembro a 30 de outubro e, no Theatro Gil Vicente, de 15 de setembro a 30 de outubro.

A Sala Gótica recebe a exposição do fotógrafo português João Henriques “Cursos em Milagres” com Fátima como lugar simbólico, e no Theatro Gil Vicente expõe o fotógrafo alemão Alexander Gehmlich, com a "Terceira Idade" como grande destaque.

Além das exposições em Barcelos, a 30.ª edição do Festival Encontros de Imagem tem um conjunto de atividades como leitura de portfólios por videoconferência, conferências online, serviço educativo online e ciclos de cinema, entre outras, em Braga, Guimarães, Porto e Vila Nova de Gaia (Avintes).

PONTE DE LIMA: RICARDO FERREIRA EXPÕE NA TORRE DA CADEIA VELHA

Inauguração da exposição “Quero ir às Feiras Novas”. 11 de setembro, às 17h

A Exposição “Quero ir às Feiras Novas” de João Ricardo Alves Ferreira, será inaugurada no dia 11 de setembro, às 17 horas, e estará presente até dia 17, na Torre da Cadeia Velha de Ponte de Lima.

Exposição quero ir às Feiras Novas.jpg

João Ricardo Alves Ferreira, nasceu em Ponte de Lima a 12 de outubro de 1961, na rua Beato Francisco Pacheco. Pintor autodidata, exerce a sua arte nas horas livres. A sua técnica de eleição é a aguarela, na qual frequentemente retrata a sua terra natal – Ponte de Lima, - ilustrando a cultura e o património arquitetónico desta vila.

A realidade atual não nos permite a realização do maior evento limiano, as Feiras Novas. Contudo, o Município de Ponte de Lima não poderia deixar de relembrar este grandioso evento de tradições e cultura limiana, e fá-lo através de uma exposição de pintura que retrata o melhor da Vila mais Antiga de Portugal.