Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO EXPÕE DUAS CENTENAS DE OBRAS DO SURREALISMO MODERNO

Centro Português do Surrealismo acolhe exposição da Fundação Calouste Gulbenkian até 8 de setembro

O Centro Português do Surrealismo que foi inaugurado pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em Vila Nova de Famalicão, no início deste mês, abriu com o pé direito com a apresentação da exposição "O Surrealismo na Coleção Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian".

DSC_3744

A mostra que inaugurou a nova sala de exposições – um espaço único na região com 400 metros quadrados – vai ficar patente até 8 de setembro, possibilitando revisitar as obras ligadas ao Movimento Surrealista da coleção da Calouste Gulbenkian, e regressar aos acontecimentos plásticos desse período.

DSC_3745

Para o presidente do Conselho de Administração da Fundação Cupertino de Miranda, Pedro Álvares Ribeiro, “esta exposição representa um estímulo à investigação e compreensão, quer de atitudes, quer de pensamentos, levados a cabo por autores que desafiaram a situação social e política da época, demonstrando audácia, inteligência e liberdade.”

Por sua vez, a diretora do Museu Calouste Gulbenkian, Penelope Curtis, refere que esta exposição representa algumas das obras “mais significativas que podem ser definidas simultaneamente como surrealistas e portuguesas”. Para a responsável “esta primeira iniciativa ajudará a solidificar um conhecimento mais aprofundado dos parâmetros do Surrealismo em Portugal, não só na sua forma concreta, mas também como linguagem artística, que merece mais investigação e um apreço mais profundo”.

A exposição é composta por quase 200 obras de autores como António Pedro, António Dacosta, Fernando Lemos, Mário Cesariny, Cruzeiros Seixas, Paula Rego, João Cutileiro, Nadir Afonso, entre muitos outros.

A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira das 10h00 às 12h30 e das14h00 às 18h00. Aos sábados e feriados das 14h00 às 18h00. A entrada é livre.

DSC_3746

PONTE DE LIMA APRESENTA-SE NA TUREXPO EM ESPANHA

Município de Ponte de Lima está presente na 8ª edição da TurExpo, em Silleda – Espanha, entre os dias 8, 9 e 10 de junho. Ponte de Lima está presente na 8ª edição da TurExpo, em Silleda – Espanha.

Tendo por base as relações de cooperação e de proximidade fronteiriça e cultural, entre o Município de Ponte de Lima e a Galiza, e considerando o aumento significativo do número de turistas espanhóis que todos os dias a visitam, o Município marca presença neste evento, que este ano conta com a participação da FESTUR e da Feira Internacional de Abanca, Semana Verde de Galícia, proporcionando várias oportunidades de criar contactos com operadores turísticos de vários países.

silleda

De referir ainda a apresentação de uma bolsa de Contratação Pública que vai reunir um importante número de operadores turísticos internacionais que são potenciais emissores turísticos.

Desta forma, Ponte de Lima apresenta-se no certame com um stand próprio, onde promove os mais diversos produtos de excelência de Ponte de Lima, nomeadamente com o Turismo Náutico, Turismo Equestre e o Turismo de Natureza, e com particular destaque para a enogastronomia, o artesanato e a vasta oferta de alojamento e eventos de animação turística.

silleda1

AMARES EXPÕE MISSÃO DE VOLUNTARIADO

“Missão Amar (es) ” – um projeto uma proposta de vida, em exposição na Galeria de Artes e Ofícios

A Galeria de Artes e Ofícios acolhe, até ao final do mês de junho, a exposição “Missão Amar (es) ” – um projeto uma proposta de vida, um testemunho fotográfico que retrata algumas das vivências do trabalho de voluntariado nas províncias de Maputo e Chibuto, em Moçambique, levado a cabo pelo projeto do Clube de Solidariedade da Escola Secundária de Amares e coordenado pelo professor Bernardino Silva.

DSC07583

Ontem, ao final da tarde, aquando da inauguração da exposição, o vice-presidente da Câmara Municipal de Amares manifestou publicamente o “carinho e admiração” que nutre, juntamente com o restante executivo, por este projeto abraçado também pela Autarquia, sublinhando a importância de chamar a atenção para esta realidade que são as condições de vida, saúde, habitação e formação que existem em variados contextos como este que tem sido apadrinhado por Amares.

“Amares é um concelho que pelo seu nome sugere o ato de amar e esta missão não é mais do que isto, é uma missão de dar amor para fora e dar sem esperar receber em troca e este é, sem dúvida um ato generoso”, sublinhou Isidro Araújo, enaltecendo a dimensão de entrega que está na base do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por este projeto.

“O professor Dino dedicou toda uma vida a esta nobre causa envolvendo uma série de pessoas e esta de parabéns ele e todos aqueles quantos dão de si a esta causa”, acrescentou.

Já a diretora do Agrupamento de Escolas de Amares, Flora Monteiro, lembrou que, inicialmente, quando o professor Dino falava em voluntariado achava “um pouco utópico” mas que despois “estas ações foram crescendo e ganhando uma dimensão tal que prova que é importante lutar por aquilo em que se acredita”.  

“Esta exposição é fundamental, há situações que são chocantes mas que são reais e, neste sentido, é importante dar a conhecer um pouco à comunidade essas mesmas situações, sensibilizando-as para outros contextos bem diferentes”, acrescentou.

Construção de casas, apoio nos hospitais, formações de higiene, saúde oral, primeiros socorros, lavagem nasal, aleitamento materno e ações de educação são apenas algumas das iniciativas promovidas pela “Missão Amar (es) ”, fruto da intenção “de formar através de uma escola homens e mulheres e ajudá-los a construir uma identidade pautada no bem comum”, conforme explicou Bernardino Silva.

Quanto à exposição, o coordenador do projeto sublinha que “mais que um conjunto de fotos é uma justificação, uma prova de que vale a pena formar pessoas e apoiar este género de projetos.” “Sem o apoio que temos tido por parte do município, de várias entidades, empresas e particulares não conseguiríamos levar avante estas ações e por isso agradeço a todos os amarenses que têm acarinhado a nossa missão.

Este ano, a “Missão Amar(es)” vai enfrentar um novo desafio de voluntário internacional, partindo, novamente rumo Mavalane e Chibuto, em Moçambique.

DSC07617

DSC07618

DSC07665

VIEIRA DO MINHO INAUGURA EXPOSIÇÃO "VIEIRA ÀS CORES"

António Cardoso participou na inauguração da exposição “ Vieira às Cores”/ Ciências no 1º Ciclo

A propósito das comemorações do Dia Mundial do Ambiente, o presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, António Cardoso participou, ontem, na inauguração da exposição “ Vieira às Cores/ Ciências no 1º ciclo”, que aconteceu na Escola Básica e Secundária Vieira de Araújo.

34505988_1688208077895841_7813420563765919744_n

Os trabalhos expostos são o culminar da participação e dedicação dos alunos do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo, no Projecto Piloto de Promoção do Sucesso Escolar no Ensino das Ciências.

O momento contou com a presença de todos os alunos do primeiro ciclo, respetivos professores e encarregados de educação.

34512507_1688207104562605_3150455178444931072_n

34669171_1688206967895952_5047802112969277440_n

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA ‘TAPETES FLORIDOS’ DE CAMINHA INAUGURA SEXTA-FEIRA

Mostra pode ser admirada de 8 a 24 de Junho

Os tapetes floridos que engalanaram as ruas de Caminha e Vilarelho,durante a Festividade do Corpo de Deus,vão poder ser admirados em fotografias. A Câmara Municipal de Caminha vai inaugurar sexta-feira, dia 8 de junho, nas Arcadas do edifício Paços do Concelho, a exposição fotográfica ‘Tapetes Floridos’, de seis fotógrafos amadores e profissionais do concelho. A mostra vai estar patente nas várias ruas de Caminha e Vilarelho até ao dia 24 de junho. A inauguração está agendada para as 18H30.

16

À semelhança de anos anteriores, o Município lançou o desafio ao fotógrafo António Garrido, que comissariou a exposição de fotografias. Foram realizados convites a vários fotógrafos profissionais e amadores do concelho, para registarem a Solenidade do Corpo de Deus em três momentos: elaboração dos tapetes durante noite; os tapetes durante o dia e a Procissão.

17

A partir de sexta-feira, os caminhenses e os visitantes vão poder admirar os tapetes floridos, através das lentes das câmaras fotográficas de António Garrido, Luís Valadares, Jorge Castro, João Castro, António José Varela e Vítor Ferreira. A mostra é composta por seis painéis colocados nas Arcadas do edifício Paços do Concelho, e por 10 trípticos expostos estrategicamente nas ruas de São João, Direita, Corredoura (baixo/meio/cima), 16 de Setembro, Conselheiro Miguel Dantas, Largo Fetal Carneiro e Praça Conselheiro Silva Torre, em Caminha e Rua da Igreja Velha, em Vilarelho.

Recorda-se que a Festa do Corpo de Deus é um autêntico cartão-de-visita da vila. Todos os anos, milhares de pessoas visitam Caminha e Vilarelho para admirarem as verdadeiras obras de arte elaboradas pelos caminhenses. Durante várias semanas, as diferentes comissões de rua trabalham afincadamente nos preparativos dos tapetes. De facto, na noite que antecede a festividade, passam a noite acordados a ornamentarem as ruas, com criatividade e empenho, motivos do quotidiano ou da sua fé, para que de manhã as ruas estejam prontas para serem contempladas.

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

FAMALICÃO APRESENTA A SINGULARIDADE DE GIL HEITOR CORTESÃO NA ALA DA FRENTE

Pintor inaugura no próximo sábado, dia 9, pelas 18h00, exposição “Outside In” na galeria famalicense

A partir do próximo dia 9 de junho, há nova exposição para ver na galeria de arte contemporânea Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão. O nome que se segue é o do pintor português Gil Heitor Cortesão, que até setembro expõe na galeria famalicense “Outside In”.

GHC-15

Dono de um “percurso muito singular”, Gil Heitor Cortesão tem marcado o panorama da pintura portuguesa pela técnica “pouco habitual” que apresenta nos seus trabalhos.

“A pintura é feita no verso de vidro ou acrílico e ficamos perante a visão da pintura numa superfície lisa e sem as texturas, o que nos dá uma visão e sensação muito particular da obra”, explica a propósito António Gonçalves, curador da Ala da Frente.

Um trabalho onde a arquitetura ocupa um lugar de especial atenção, definindo mesmo algumas estratégias de composição das obras.

“A pintura de Gil Heitor Cortesão assume-se como um corpo capaz de fazer rever e pensar a imagem. Demonstra-nos que a pintura mantém um mistério que vai para além do plano da imagem, aprofunda possibilidades e instiga o conhecimento”, acrescenta. 

Gil Heitor Cortesão nasceu em Lisboa em 1967, onde vive e trabalha. A partir de 1996, o trabalho que tem vindo a apresentar consiste essencialmente em pinturas realizadas sob vidro acrílico, executadas na face oposta à que é mostrada ao público. A arquitetura modernista tem sido objeto de constante revisitação, sujeita a desvios e associações inesperadas.

Realizou várias exposições individuais, entre as quais se podem destacar Mnemopolis (Fundação Calouste Gulbenkian – Centro de Arte Moderna, 2004), Modelo para armar (Galeria Fortes Vilaça, S. Paulo, 2007), Wallpaper (Galeria Pedro Cera, Lisboa, 2011), Reversos (Palexco, La Coruña, 2013), Second Nature (Galerie Suzanne Tarasiève, Paris, 2015)  Late Night Shopping (Galeria Pedro Cera, Lisboa, 2017), Umbra (Carbon 12, Dubai, 2018).

Está representado em diversas coleções públicas ou privadas, nomeadamente: Fundação ARCO, Madrid; CAM/JAP, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; EDP – Electricidade de Portugal; Colecção Fundação de Serralves, Porto; Colecção António Cachola, MACE, Elvas; Colecção Fundação Ilídio Pinho, Porto; Museu da Cidade, Lisboa; Colecção Associação Industrial Portuguesa, Lisboa; Fundación Barrié, A Coruña ; Musée d’Art Moderne Grand-Duc Jean- Mudam, Luxembourg ; Colecção de Arte Contemporânea Arquipélago, São Miguel, Açores.

FAFE PROMOVE SESSÃO CULTURAL COM PINTURA E POESIA

Sessão cultural na tarde de sábado, no Arquivo Municipal de Fafe com apresentação de livro de poesia e abertura de exposição de pintura

Na tarde de sábado, 2 de Junho, a partir das 16h00, realiza-se uma sessão cultural, no Arquivo Municipal de Fafe, que inclui a apresentação de uma livro de poesia e a abertura de uma exposição de pintura.

FERNANDA AGUIAR PINTURA

A sessão arranca com a apresentação da obra poética “Raízes”, de Pedro Armando Freitas Santos, um autor natural do Porto mas bisneto do “brasileiro” fafense João Alves de Freitas, que mandou construir o palacete onde se realiza a sessão. Professor de hatha ioga e como curso de meditação transcendental, é membro do Conselho de Administração de uma empresa turística.

.

A obra vai ser apresentada por José Manuel Soares, Professor catedrático da Universidade do Porto, e Gonzalo Navaza, Professor na Faculdade de Filologia e Tradução da Universidade de Vigo, no Departamento de Filologia Galega e Portuguesa.

fernanda aguiar

A sessão inclui depois a abertura da exposição retrospetiva de artes plásticas da pintora fafense Fernanda Aguiar, que revisita as suas diferentes fases ao longo das últimas duas décadas.

Maria Fernanda Oliveira Aguiar é professora do ensino básico aposentada. Só após a aposentação, veio a libertar as aptidões para o desenho e a pintura. Participou em numerosas exposições colectivas em Fafe, Vila do Conde, Felgueiras, Póvoa de Varzim e Póvoa de Lanhoso, entre outras localidades.

Individualmente, expôs pela primeira vez numa unidade hoteleira de Fafe, no ano 1998. Expôs depois em diversos espaços culturais de localidades como Fafe, Guimarães, Póvoa de Lanhoso, Braga, Albufeira, entre outras.

Fernanda Aguiar está representada em inúmeras colecções privadas e públicas da região.

A mostra retrospectiva estará patente até 20 de Junho.

bty

AMARES: ABADIA RECEBE EXPOSIÇÃO INTERATIVA DA REDE NATURA 2000

Abadia recebeu exposição interativa da Rede Natura 2000

Realizou-se, no passado domingo, uma exposição interativa alusiva à Rede Natura 2000. A iniciativa, organizada pelo pelouro do Ambiente do Município de Amares, com o apoio da Confraria da Nossa Senhora da Abadia e Teatro de Bouro, decorreu nos quarteis do Santuário da Nossa Senhora da Abadia e deu a conhecer aos visitantes o património ecológico do concelho.

05

Integrada na Agenda Ambiental 2018, esta foi uma forma de envolver e sensibilizar a população para a conservação da natureza e de chamar a atenção para a riqueza da biodiversidade existente em Bouro Santa Maria que é adornada pela beleza paisagística do perímetro florestal da Abadia.

A exposição realizou-se no dia da peregrinação anual ao Santuário de Nossa Senhora da Abadia com o objetivo de sensibilizar quem visita este espaço no último domingo do mês de maio.

09

Amares na Rede Natura 2000

O Município de Amares possui 9,3% da área total do terreno, num total de 766 hectares, classificados como Rede Natura 2000 do sítio PTCOM001- Peneda/Gerês, da região biogeográfica Atlântica / Mediterrânica.

O sítio insere-se numa região montanhosa acidentada, de grande amplitude de altitudes, com cotas geralmente acima dos 700 m, ultrapassando os 1500 m em Nevosa, na Serra do Gerês. O predomínio das rochas graníticas confere à paisagem um relevo vigoroso. A presença de formas glaciárias é testemunho de importantes variações climáticas ocorridas no passado.

Vales e corgos albergam uma densa rede hidrográfica (parte das bacias dos rios Minho, Lima, Cávado e Homem) alimentada por chuvas abundantes e regulares.

A agro-pecuária assume-se como a atividade dominante no conjunto da área do sítio. Associada aos vales e a pequenas áreas aplanadas surge uma agricultura de minifúndio e áreas de pastagem.

A água é um elemento constante, ora em vales encaixados ora em vales mais largos, ora ainda na forma de cascatas, como é visível na envolvente do Santuário da Nossa Senhora da Abadia.

Trata-se de uma paisagem grandiosa, imponente e de grande beleza com uma enorme diversidade de habitats, tais como pastagens, lameiros e carvalhais alternados com matos e pinhais e à qual se associa uma elevada utilização humana.

Cientes da importância de valorizar e divulgar o grande valor paisagístico que Amares possui, nomeadamente na área da Rede Natura 2000 na Abadia, pretende-se construir uma porta de acesso ao Sítio PTCOM001 – Peneda/Gerês.

10

PINTOR FAFENSE ORLANDO POMPEU INAUGURA EM GUIMARÃES EXPOSIÇÃO “METAMORFOSES POMPEUANAS”

O mestre-pintor Orlando Pompeu, inaugurou ontem na Pousada de Santa Marinha (Prémio Nacional de Arquitetura em 1985), um Small Luxury Hotel localizado num antigo Mosteiro Agostiniano do século XII em Guimarães, a exposição “Metamorfoses Pompeuanas”.

1

O mestre-pintor natural de Fafe, Orlando Pompeu (ao centro), acompanhado de amigos e admiradores que marcaram presença na inauguração da nova exposição do artista plástico em Guimarães.

 

A inauguração da exposição de um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai e Japão, encheu-se de amigos, admiradores e colecionadores do pintor de referência nacional e internacional.

Nesta nova exposição, assente em pintura com aguarela, Orlando Pompeu expande o seu inconfundível e notável universo artístico marcado pela cor, forma, criatividade e contemporaneidade.

Refira-se que a exposição, que computou um prelúdio musical abrilhantado pela violonista polaca Malgorzata Markowska, e a pianista checa Ingrid Sotolarova, estará patente ao público até ao dia 19 de setembro, durante o período normal de funcionamento da unidade hoteleira localizada num mosteiro cuja antiguidade se confunde com o próprio tempo da nacionalidade.

2

3

BRAGA EXPÕE RUÍNAS ARQUEOLÓGICAS DA BASÍLICA SUEVA DE DUME

Núcleo Museológico de Dume é ‘importante referencial’ da memória colectiva

O Núcleo Museológico de Dume abriu esta Sexta-feira ao público os conteúdos expositivos das ruínas arqueológicas da basílica Sueva de Dume. Este é mais um importante ponto de interesse na componente patrimonial com um espólio muito significativo e exemplar da antiga arquitectura cristã da Europa Ocidental.

CMB18052018SERGIOFREITAS00000012762

A inclusão é uma das grandes apostas deste equipamento, uma vez que o espaço está totalmente equipado para receber visitantes com qualquer tipo de limitações, sejam elas de mobilidade, visual ou auditiva. A musealização das ruínas da antiga Catedral, localizadas sob a actual igreja paroquial de Dume e seus espaços circundantes, é fruto da união de esforços entre a União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe, Município de Braga, Universidade do Minho e a Igreja, a “verdadeira legatária” das memórias referencias agora expostas.

Segundo Miguel Bandeira, vereador da Câmara Municipal de Braga, este espólio “assume uma importância impar pela sua singularidade e valia patrimonial, constituindo-se como exemplar único, cuja valorização permitirá projectar as Ruínas Arqueológicas de São Martinho de Dume para o mesmo patamar dos grandes conjuntos europeus similares, integrando-o nos circuitos internacionais de arquitectura cristã antiga”.

O Núcleo Museológico de Dume é um equipamento cultural da União de Freguesias, composto pelo edifício que alberga o túmulo de São Martinho de Dume e pelas ruínas arqueológicas (basílica e mosteiro Suevo e balneário Romano), já classificados como Monumento Nacional.

 “Este Núcleo é um importante referencial da nossa memória colectiva. Estes são espaços que nunca estão verdadeiramente encerrados a novos contributos do conhecimento, podendo sempre apresentar novas descobertas e revelações”, sustentou Miguel Bandeira, esperando que “em pouco tempo este seja um museu do conhecimento do grande público”.

A fruição das ruínas assenta na criação de um circuito entre o edifício que alberga o túmulo de São Martinho de Dume e a igreja, sob o actual adro, de modo a proporcionar a visita às ruínas conservadas. O visitante poderá visualizar vídeos e contextualização no auditório e iniciar depois uma espécie de ‘viagem no tempo’, circulando pela parte subterrânea do adro da igreja, vendo ruínas da antiga ‘Villa Romana’ e do mosteiro e basílica Suevas, terminando na sala do túmulo.

Já para presidente da União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe, Francisco Silva, o objectivo é colocar este Núcleo Museológico nos roteiros nacionais e internacionais. “Este património, além de valorizar a freguesia, vai permitir realizar uma viagem no tempo, para que Dume ocupe o seu lugar na história religiosa e de Portugal”, disse.

O Núcleo Museológico de Dume funciona de Terça a Sábado (excepto o primeiro Sábado de cada mês) das 14h00 às 1800 e aos primeiros Domingos de cada mês entre as 09h30 e as 12h30. O Espaço disponibiliza ainda um serviço educativo com visitas guiadas para grupos e outras actividades, sujeitas a marcação prévia na União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe.

CMB18052018SERGIOFREITAS00000012766

CMB18052018SERGIOFREITAS00000012768

CMB18052018SERGIOFREITAS00000012770

VIEIRA DO MINHO INAUGURA EXPOSIÇÃO DE ARTE CONTEMPORÂNEA

Cultura Vieirense mais rica com 3ª Exposição de Arte Contemporânea da Fundação da Portugal Telecom

 Vieira do Minho abriu mais uma porta à arte e à cultura com a 3ª Exposição de Arte Contemporânea da Fundação Portugal Telecom inaugurada, hoje, pelo Presidente da Câmara Municipal,  António Cardoso, e pelo Presidente do Conselho de Administração da PT,  Alexandre Fonseca.

DSC_2654

O momento que decorreu na Casa Museu Adelino Ângelo contou com a presença de várias entidades convidadas e foi abrilhantado pela atuação do Grupo de Cavaquinhos da Universidade Sénior.

Nas palavras que proferiu, o Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho,  António Cardoso salientou a importância desta exposição na medida em que ela “vai permitir aos vieirenses uma melhor fruição da arte e uma oportunidade única de enriquecimento cultural”, referindo também “ que fruto da presença das Exposições da Coleção da Fundação Portugal Telecom no Concelho, a Casa Museu Adelino Ângelo já triplicou o seu número de visitantes”.

“Uma  exposição de grande envergadura  que se abre portas à cultura e à arte e que coloca Vieira do Minho no mapa da pintura plástica mundial”, alegou o Presidente da Câmara visivelmente satisfeito.

DSC_2648

Na cerimónia de Inauguração da 3ª Exposição de Arte Contemporânea da Fundação  Portugal Telecom, António Cardoso não deixou de agradecer a presença de Alexandre Fonseca " por considerar que este projecto só foi possível graças ao estreito relacionamento com o Sr. Armando Pereira que, para além do investimento no domínio empresarial, que muitos frutos já tem dado ao concelho, abriu  a Vieira do Minho as portas, na área da produção artística”.

Trata-se de uma exposição que envolve 17 obras de vários artistas plásticos contemporâneos Portugueses vai estar patente ao público na sala principal da Casa Museu Adelino Ângelo, até ao dia 31 de de maio de 2019, engrandecendo a oferta cultural Vieirense.

Esta exposição será com certeza um ponto marcante e uma oportunidade singular de enriquecimento cultural para os vieirenses e público em geral, quer pela sua grandeza, quer pela pluralidade do riquíssimo cenário artístico português.

DSC_2704

BRAGA INAUGURA EXPOSIÇÃO SOBRE O CONVENTO DE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS

Inauguração da Exposição ‘Remédios - Um Extincto Convento’, amanhã, Sexta-feira, dia 18 de Maio, pelas 17h00, na Casa dos Crivos, Braga

O Município de Braga inaugura a exposição ‘Remédios - Um Extincto Convento’, em cerimónia que terá lugar amanhã, Sexta-feira, dia 18 de Maio, pelas 17h00, na Casa dos Crivos, em Braga.

A iniciativa contará com a presença de Lídia Dias, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Braga.

O Convento de Nossa Senhora dos Remédios, da Piedade e da Madre de Deus foi, porventura, uma das edificações religiosas mais relevantes na história da cidade de Braga. Foi o primeiro convento a ser fundado em espaço urbano, em 1544 por intermédio do religioso andaluz D. Frei André de Torquemada, e foi o primeiro a desaparecer, na sequência de um polémico processo na transição do regime monárquico para a 1.ª República. Esta mostra, que estará patente até 10 de Junho, reúne fotografias, documentos, obras de arte, entre outros elementos iconográficos que procuram ajudar a compreender a sua história e a dispersão do seu espólio na cidade.

BRAGA INAUGURA CONTEÚDOS EXPOSITIVOS DAS RUÍNAS ARQUEOLÓGICAS DA BASÍLICA SUEVA DE DUME

Sexta-feira, dia 18 de Maio, pelas 10h00, no Núcleo Museológico de S. Martinho de Dume

O Município de Braga e a União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe inauguram os Conteúdos Expositivos das Ruínas Arqueológicas da Basílica Sueva de Dume, em cerimónia que terá lugar amanhã, Sexta-feira, dia 18 de Maio, pelas 10h00, no Núcleo Museológico de S. Martinho de Dume.

O evento está inserido nas Comemorações do Dia Internacional dos Museus, que se celebra dia 18 de Maio. A iniciativa contará com a presença do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, e do vereador Miguel Bandeira.

MIGUEL LOURO EXPÕE FOTOGRAFIA NA ORDEM DOS MÉDICOS EM VIANA DO CASTELO

Exposição de fotografia na Ordem dos Médicos. Miguel Louro apresenta imagens de Viana e Braga

Tendo a água com o tema, Miguel Louro captou aspetos do que se relaciona com o precioso líquido, de que tanto dependemos e sem o qual o planeta jamais existiria.

Imagem

São os chafarizes imponentes, os fontanários mais ou menos grandiosos, as bicas simples mas simpáticas na sua forma de nos debitar a água que nos sacia a sede, é a imponência envolvente destes pequenos ou grandes monumentos por onde sai o néctar branco, que em tudo supera todos os outros néctares, enfim, é a natureza moldada pela mão do homem, artista ou simples canteiro.

E tudo em preto e branco, para nos dar uma outra alma e um contexto diferente da arte, dos espaços e da vida. Miguel Louro, que é médico de profissão, possui laboratório fotográfico próprio, não admirando a qualidade dos trabalhos que nos apresenta, não só nas imagens que capta, mas também na forma de as trabalhar.

A mostra abriu na passada sexta-feira, dia 11, com um público em número significativo, onde os amigos do artista e os amantes da fotografia fizeram questão de se representar, para estar patente até 30 de Junho. É na sede da Ordem dos Médicos local, sita na rua da Bandeira, nº 472. O sábado de manhã é uma boa hora para passar por lá. E o passeio faz-nos falta.

P1020905_A

P1020912_A

P1020917_A

P1020925_A

GALERIA SHAIRART DST EM BRAGA APRESENTA “OS INSTANTES DA MATÉRIA” DO ESCULTOR DE PAULO NEVES

Exposição cria “Circuito de Arte Contemporânea” temporário no coração de Braga

**galeria shairart dst, Museu Nogueira da Silva e Basílica dos Congregados

A shairart tem patente a exposição “Os Instantes da Matéria”, do prestigiado escultor Paulo Neves, que se encontra distribuída por três espaços do centro de Braga. A galeria shairart dst, o Museu Nogueira da Silva e a Basílica dos Congregados são as estruturas da cidade que integram este circuito temporário de Arte Contemporânea de Braga que a curadora Helena Mendes Pereira quis criar com esta mostra, de entrada livre. 

IMG_01

Até 23 de junho, é possível visitar a obra de Paulo Neves que, como destaca a curadora, “estabeleceu desde sempre uma relação com a natureza, criando um vocabulário formal e compositivo que se mantém nas obras em madeira, pedra, ferro e nas variações em materiais plásticos e sintéticos, conferindo-lhe uma coerência e constância enquanto escultor.”

É precisamente esta variedade de formas e matérias do artista, natural de Oliveira de Azeméis, que a shairart leva até Braga. “O circuito começa no jardim do Museu Nogueira da Silva, na Avenida Central, onde as esculturas em ferro assumem protagonismo, seguindo-se a galeria shairart dst, que se cobre de uma seleção de madeiras, produzidas entre 1978 até aos dias de hoje, com caminhos para o céu, convites a espreitar por entre as rodas e anéis, sugestões de mandalas e conjuntos escultóricos com detalhes em bronze que nos arrancam suspiros”, revela Helena Mendes Pereira. O circuito encerra-se na Basílica dos Congregados, “na qual se encontra a figura de Cristo e uma iconografia limpa que associamos a imagens de Santas”, conclui.

Reconhecido como um dos melhores escultores portugueses da atualidade, as obras de arte de Paulo Neves integram as mais prestigiadas coleções em Portugal, Angola, Espanha, Bélgica, Brasil, Itália e Alemanha, destacando-se o Museu da Arte Moderna em Donaueschingen, na Alemanha. Conta com mais de uma centena de exposições ao longo da sua carreira, individuais e coletivas, tendo percorrido Portugal de Norte a Sul, assim como vários países, tais como Espanha, Alemanha, Roménia, Itália, Estados Unidos, Mónaco, França e Grécia.

galeria shairart dst

A galeria shairart dst é um espaço situado no centro de Braga, com uma área de exposição de 800 m2, distribuída por diferentes salas, apoiadas por um pequeno auditório, sala para a realização de oficinas de artes plásticas e outros espaços de apoio, onde se incluem áreas de reservas, devidamente equipadas para acondicionar obras de arte.

Horário:

14h00 às 19h00, de segunda-feira a sábado.

Outros horários disponíveis por agendamento

IMG_02

IMG_03

IMG_04

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE BARCELOS RECEBE (DES)FIGURADO

Exposição de Lurdes Rodrigues

A Biblioteca Municipal de Barcelos recebe no próximo sábado, dia 12 de maio, às 17h00, a exposição (Des)Figurado de Lurdes Rodrigues, que estará patente até ao fim do corrente mês.

Ao todo são dezassete telas reunidas em torno da série que dá o nome à exposição (Des)Figurado, onde a artista revela uma produção diversificada e uma reflexão sobre o tema escolhido, que é uma homenagem ao figurado de Barcelos.

Da sua obra, destaca-se um período inicial muito próximo da corrente artística surrealista, caracterizando-se por uma narrativa simbólica, recorrendo a composições figurativas com forte ligação ao real, refletindo ainda o que somos, figurativo ou não, materializando-se em formas, cores, movimento, simetria e sentimentos que ficam registados implicitamente numa outra dimensão.

Maria de Lurdes Rodrigues nasceu em Priscos, Braga, em 1957, e reside em Vimieiro, Braga.

É licenciada em Artes Plásticas - Pintura pela Faculdade de Belas Artes do Porto, possui ainda uma Pós-Graduação em Ensino Especial. É associada nos grupos artísticos GALG e CELANO. A sua primeira exposição ocorreu em 1993, tem participado desde então com regularidade em exposições individuais e coletivas em Portugal e Espanha.

O seu interesse pela pintura surgiu na adolescência influenciada de forma positiva por uma professora de artes, que lhe abriu os horizontes para a criatividade.

Até aos trinta anos, dedicou-se à família, deixando pendente o seu percurso académico. Com a vida familiar estabilizada, retomou os estudos, tendo concluído a licenciatura em Artes Plásticas - Pintura na Faculdade de Belas Artes do Porto, iniciando a sua atividade profissional no ensino, onde encontra atualmente.

Nos últimos anos recebeu alguns prémios de pintura atribuídos por entidades institucionais nacionais.