Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

NACIONALISTAS GALEGOS DEFENDEM A LÍNGUA PORTUGUESA QUE É TAMBÉM O SEU IDIOMA – O GALEGO!

Os nacionalistas gelagos estão a optar por escrever sob a ortografia portuguesa e, desse modo, deixarem de fazê-lo através das regras ortográficas do castelhano que é a língua oficial de Espanha. A iniciativa não é inética uma vez que o deputado nacionalista no Parlamento Europeu, Camilo Nogueira Román, o fazia como uma forma de se exprimir em liberdade no seu próprio idioma – o galego reintegrado ou seja, o galego-português – algo que estava impedido de fazê-lo nas cortes de Madride.

4369e023f304f808e59f3d310f8b3375

Contudo, a generalização desta prática que está agora a verificar-se contribui para a afirmação da Galiza no contexto internacional uma vez que o galego – ou português – constitui o idioma oficial de 9 países independentes, para além de numerosos territórios e comunidades espalhadas pelo mundo de que Macau, Malásia e a antiga Índia Portuguesa serão as mais relevantes! – abrangendo quase 300 milhões de falantes. Refira-se ainda que se trata de uma língua e franca expansão em virtude de alguns dos países de expressão portuguesa serem actualmente países economicamente emergentes.

Para além desta opção que rompe com o “isolacionismo” imposto pelo castelhano que o remete o galego a um dialecto insignificante quando, desde os cancioneiros trovadorescos da Idade Média já consituía uma língua nacional – ainda a Espanha estava muito longe de se concretizar como um país! – esta iniciativa constitui uma afirmação de identidade da Galiza onde também o insígne poeta autor de Os Lusíadas teve as suas raízes.

Para além das suas afinidades linguísticas, históricas e culturais, a Galiza deveria formar com Portugal um único corpo, sob a forma confederal ou outra qualquer. Sob as muralhas do castelo – Castela! – escondem-se sempre as masmorras onde se mantêm aprisionadas as nacionalidades da Galiza, Catalunha, Euskadi, Canárias, Ceuta e até o território português de Olivença.

GUIMARÃES SUBSCREVE "DECLARAÇÃO BASCA", O NOVO ROTEIRO DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARA CIDADES EUROPEIAS

ASSINATURA EM BILBAO (ESPANHA)

Documento pretende ser um novo guia ambiental para os municípios da União Europeia. Conferência internacional decorre até esta sexta-feira, 29 de abril.

Espanha_Declaracao_Basca

A Câmara Municipal de Guimarães subscreveu, no arranque da 8ª Conferência Europeia das Vilas e Cidades Sustentáveis, que decorre em Bilbao, Espanha, a “Declaração Basca”, que pretende tornar-se no novo roteiro para os municípios da União Europeia avançarem no sentido da diminuição das emissões de carbono e para enfrentarem as consequências das alterações climáticas.

A "Declaração Basca" sucede à Carta de Aalborg (1994) e Compromissos de Aalborg (2004) - que Guimarães também assinou -, e pretende lançar as bases do caminho para a sustentabilidade das cidades, ainda que reconhecendo que tal vai exigir uma «transformação tecnológica, socioeconómica e sociocultural». O seu objetivo é a criação de «municípios produtivos, sustentáveis e resilientes», onde a qualidade de vida dos cidadãos é assegurada e onde «os limites dos ecossistemas locais e globais bem como os recursos naturais são respeitados». 


O roteiro conta com uma dezena de etapas para alcançar o objetivo final, incluindo caminhar para o fim dos sistemas de energia dependentes de carbono, reduzindo o consumo total deste recurso, criar padrões sustentáveis de mobilidade urbana e de acessibilidade e proteger e melhorar a biodiversidade e os ecossistemas. 


Os municípios também se propõem a contribuir para a proteção dos recursos hídricos, qualidade da água e do ar, adaptação às alterações climáticas e redução do risco de catástrofes naturais, além de contribuir para a criação de espaços públicos mais seguros e dinâmicos, de habitações suficientes e adequadas para todos os cidadãos, bem como promover a inclusão e integração de todos e fortalecimento das economias locais e das oportunidades de emprego.

Guimarães com programa ambiental de referência

Na conferência, cujo tema é "Ação transformadora: o potencial da Europa" e que juntou mais de 800 participantes de dezenas de países de todos os continentes, Guimarães, que prepara uma candidatura a Capital Verde Europeia em 2020, mostrou também os avanços que tem realizado nesta matéria, numa apresentação a cargo da coordenadora executiva, Isabel Loureiro.

O contributo do programa ambiental PEGADAS, promovido pelo Município de Guimarães e Laboratório da Paisagem, para a construção de gerações mais conscientes sobre as temáticas da sustentabilidade ambiental, foi igualmente apresentado pelo Presidente do Laboratório da Paisagem, Jorge Cristino, que representou ainda Guimarães na reunião dos municípios participantes na qual se discutiram as principais prioridades europeias neste âmbito. 

No contexto do congresso, Guimarães teve ainda oportunidade de visitar Vitoria-Gasteiz, Capital Verde Europeia em 2012, podendo constatar as várias transformações ocorridas na capital do País Basco e que permitem hoje que a cidade seja um dos bons exemplos ao nível da sustentabilidade ambiental na Europa.