Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDE REQUALIFICA RUA DA SENRA EM MARINHAS

Município de Esposende concretiza requalificação da Rua da Senra em Marinhas

O Município de Esposende avança hoje com o procedimento para a execução da empreitada de reperfilamento e infraestruturação da Rua da Senra, em Marinhas, num investimento estimado em 113 500 euros.

Rua da Senra2.jpg

A obra, há muito ansiada pela população e sinalizada como prioritária pela União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, pretende essencialmente eliminar os problemas de estrangulamento da via, melhorando as condições de segurança e de circulação.

Os trabalhos, com prazo de execução de quatro meses, incluem também a execução das redes de infraestruturas de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais domésticas, mantendo-se a pavimentação em calçada de granito.

O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, sublinha que “não obstante os condicionamentos impostos pela situação de pandemia devido ao surto do vírus COVID-19, o Município não abrandou a sua ação, tanto ao nível da execução de projetos como no que se refere à concretização das intervenções”. “O plano de Investimento contempla todo o território concelhio, dando cumprimento aos compromissos assumidos com as populações”, refere.

GENTES DE ESPOSENDE: HUGO EIRAS E CARLOS VILAS BOAS – DOIS PESCADORES QUE CONTINUAM NA FAINA

Em Esposende, a pesca constitui uma actividade em vias de extinção. Trata-se de uma profissão de elevado risco e vencimento incerto. A classe piscatória envelhece. Escasseiam os jovens que estejam dispostos que se queiram dedicar à faina. Acresce a isto a extrema perigosidade da barra de Esposende.

Capturar2PESCEspos.PNGHugo Eiras e Carlos Vilas Boas são dois pescadores que resistem à extinção da pesca em Esposende

 

Existem, porém, dois homens que não baixam os braços. São eles Hugo Eiras e Carlos Vilas Boas que tem feito todos os esforços para cativar pessoal para a pesca. E, como em Esposende não conseguem arranjar tripulação, são forçados a recorrer ás aldeias circundantes, motivando e criando as condições favoráveis para a sua prática.

Estes dois homens acreditam que ainda e possível, reavivar, rejuvenescer e que a actividade continua a ser viável. Ultimamente têm adquirido algumas embarcações, resultantes da desistência de alguns pescadores que não conseguem arranjar tripulação ou já se encontram em idade de reforma. Algumas dessas embarcações podem custar acima de 20 mi euros.

Neste momento, estava a decorrer um novo curso que habilitava à emissão da cédula marítima a 15 jovens, alguns dos quais iriam ser canalizados para a pesca. Seriam por eles apoiados através da disponibilização das embarcações e aparelhos de pesca para o seu arranque a troco de uma mensalidade muito suave.

Com a chegada deste novo vírus, ficou sem se saber quando será retomada esta iniciativa de tão enorme importância para que a pesca profissional em Esposende não se extinga a curto prazo. Trata-se de uma iniciativa louvável, tanto mais que Esposende e a suas gentes estão intimamente ligadas ao mar.

O mar é um desígnio nacional – a pesca a razão de existência de Esposende e o pão das suas gentes!

Luís Eiras

GENTES DE ESPOSENDE: MESTRE LUÍS ANDRÉ EIRAS COMEU O PÃO QUE O DIABO AMASSOU!

Luís André Eiras nasceu em Esposende em 7 de agosto de 1937. Porém só foi registado o seu nascimento em março do ano seguinte. Nesse tempo, era necessário pagar para efectuar o registo e não havia dinheiro, sabe Deus para comer… era já o presságio das dificuldades de uma vida que o aguardava!

87385130_2984046638325052_6990211745579008000_o.jp

Estávamos em vésperas de eclodir a Segunda Guerra Mundial e, embora o nosso país não fosse directamente envolvido no conflito armado, às agruras da fome não escapou, nem aos perigos que para os pescadores representava afastarem-se da costa para pescar.

Luis Eiras, passou uma infância muito difícil, viveu numa casa alugada muito pequena com os irmãos e a mãe. Rapazes com raparigas dormiam todos no chão e o travesseio eram pedras ou tijolos. Filho de “pai incógnito”, embora na realidade o tenha conhecido e com ele vivido e sempre convivido.

O seu pai era marinheiro e esteve no Brasil. Mas, devido ao facto de se ter perdido para o alcool – um flagêlo nomeadamente entre pescadores e marinheiros – a sua espôsa separou-se dele.

Luís Eiras tem irmãos e meias-irmãs, todos filhos da mesma mãe. Segundo ele nos conta, a sua mãe era uma mulher formosa, muito bonita, o que a tornava bastante cobiçada.

Na sua infância, ajudou a sua mãe como podia a apanhar faúlha que depois era vendida para o sustento da família. Também andou na extracção do volfrâmio, em Vila Chã, o qual se destinava à construção de armamento para a Segunda Guerra Mundial.

Teve uma infância muito amarga. Recorria muitas vezes à porta de pessoas para a pedir um prato de sopa e, enquanto esperava na fila pela sua vez, não raramente desmaiava com a fraqueza devido à fome.

Quando ocasionalmente alguém ía na rua a comer uma maçã, a canalha seguia atrás para apanhar o carôço que era atirado ao chão e chegavam a andar à pancada entre eles para ver quem conseguia ficar com ele.

O seu primeiro casamento deu-se quando tinha 23 anos e conta que quando disse á sua mãe que ía casar, levou um valente estalo. A sua mãe contava com ele para ajudar a família. Não obstante. Luís Eiras foi muito feliz com o casamento. Dele tiveram 5 filhos: 3 raparigas e 2 rapazes.

O sol parecia raiar de novo e trazer-lhes novas esperanças. A sua vida melhorou. Chegou a ser mestre de uma das maiores embarcações de pesca de Esposende e sócio de outra. A partir de então, morou numa casa alugada no centro de Esposende, na Rua Conde Castro.

Teve ainda uma breve passagem por a França, quase um ano, na qual entrou por salto. Passado pouco tempo mandou ir ter com ele a esposa e duas filhas. Trabalhava então numa fábrica de tijolo. A vida até estava a correr muito bem até que a sua esposa adoeceu. O médico recomendou-lhes que voltassem ao paíis de origem pois onde se encontravam era muito frio e húmido, o que agravava o seu estado de saúde pois sofria muito de bronquite. A sua esposa acabaria por falecer passados dois ou três anos, vítima de doença oncológica.

Luís André Eiras voltou a casar. E, deste casamento nasceram 4 filhos: 1 rapaz e 3 raparigas.

No mar era ladino, desenrascado. Apesar de não ter andado na escola, sempre se revelou um homem inteligente, muito direto, honesto e honrado.

Actualmente é viúvo e vive com uma filha que é a sua âncora de salvação. Apesar dos seus 83 anos de idade, continua irrequieto. Sempre que o tempo e o mar o permitem, segue para a lota de manhã cêdo onde ajuda os pescadores que também lhe retribuem com a oferta de alguns peixinhos que depois distribui com os filhos.

Dos seus camaradas de mar que já partiram guarda grandes saudades. Houve um, porém, que a sua morte o marcou tão profundamente que chegou a ficar vários dias sem comer, beber e dormir, tão grande era a sua dor. Esse seu amigo – o seu mestre, José Nibra – era mais do que um irmão para ele.

Luís André Eiras é um homem sem posses. Mas recorda que se não fossem as agruras da vida, poderia estar muito bem de vida. Atualmente vive na companhia de uma filha com uma pequena reforma num bairro de Habitação Social. O que vale é a pequena renda e, apesar da idade, a felicidade de não ficar doente. Os seus genes continuam nas veias do seu neto Hugo Eiras que não desiste da pesca profissional em extinção em Esposende. Comeu o pão que o diabo amassou mas jamais se vergou perante as agruras da vida!

Luís Eiras

ESPOSENDE AVANÇA NA PROTEÇÃO AO COVID-19

Município de Esposende avança com novas medidas de contenção do vírus COVID-19

No concelho de Esposende, já estão a ser rastreados todos os utentes e cuidadores dos lares, dos cuidados continuados e do serviço de apoio domiciliário. O Município já definiu também os locais para um eventual realojamento de pessoas, assegurando, por outro lado, o acesso a toda a informação sobre a pandemia, no site oficial do município.

logo_covid.jpg

Num esforço de contenção do surto do novo coronavírus (COVID-19) no território concelhio, o Município de Esposende tem empenhando todo o esforço, em várias frentes de atuação, trabalhando em prol da comunidade e da sua proteção. Em cada momento, e face ao evoluir da situação, a Câmara Municipal, em consonância com as diretivas da Direção Geral de Saúde e em estreita articulação com o ACES Cávado III, tem desencadeado várias medidas, de modo a responder, em cada momento, a este caso de saúde pública.

Desde logo, foi definido o Plano de Contingência, com as suas sucessivas atualizações em função das orientações da Direção Geral da Saúde e de demais entidades competentes, bem como o estabelecimento de um conjunto de medidas destinadas a providenciar auxílio económico a famílias e empresas. Implementou-se um plano de comunicação, foram disponibilizadas linhas diretas à autarquia e linhas de apoio psicológico, e foram desencadeadas ações de desinfeção da via pública em locais específicos de maior concentração de pessoas e, naturalmente, concretizada a definição de estratégias de preparação para uma situação de crise mais aguda.

Exatamente neste último aspeto, atempadamente, o Município procedeu à identificação dos locais que, no concelho, permitiriam constituir-se como espaços de recurso para realojamento de pessoas, tanto para infetadas como não infetadas, nomeadamente dos quatro lares existentes no concelho. Para além do contacto com os responsáveis dessas instalações e do pedido de cedência, foi também promovida a disponibilização de equipamentos de apoio (camas, colchões, cobertores, entre outros) para a sua devida instalação. Esta medida preventiva está já providenciada, e acompanha várias outras medidas de caráter logístico neste mesmo contexto, pelo que é merecido um agradecimento especial a todas as instituições que tão prontamente cederam as suas instalações.

Outra das medidas anunciadas, e que se encontra já em curso, é a realização de testes à COVID-19 a todos os utentes dos lares, cuidados continuados e aos cuidadores formais dessas unidades e, ainda, do serviço de apoio domiciliário. Num esforço conjunto com o ACES Cávado III, a realização destes testes permitirá maximizar a proteção da comunidade mais idosa, a par da reorganização das metodologias de trabalho nestes equipamentos sociais que está já a ser implementada.

Por outro lado, e no âmbito do plano de comunicação implementado, no site do município está disponível uma página, com todas as informações úteis sobre a pandemia COVID-19. Em www.município.esposende.pt, passa a constar o boletim diário de casos no concelho e informação referente ao número de casos suspeitos, o qual não tem vindo a ser divulgado por não estar isolado do de Barcelos.

Todas as medidas em curso são da maior importância e o Município continua plenamente disponível e empenhado para continuar, incansavelmente, a trabalhar em prol da comunidade e da sua proteção.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ESTIMULA ARTE EM TEMPO DE ISOLAMENTO SOCIAL

Desafio criativo “…E quando nos pudermos voltar a abraçar?”

E quando nos pudermos voltar a abraçar? Mais do que uma questão que se coloca neste tempo de combate à pandemia provocada pelo surto de COVID-19, este é o desafio criativo que o Município de Esposende lança a toda a comunidade.

desafio criativo.jpg

Sendo a arte, nas suas mais variadas formas, uma via privilegiada para o ser humano exprimir, podendo traduzir pensamentos, sentimentos e emoções, a autarquia desafia a comunidade a expressar-se através da produção de trabalhos artísticos que se assumam como um ato expressivo de reflexão sobre este tempo que será, porventura, o maior desafio coletivo das nossas vidas.

Sendo potencialmente também reflexo de um determinado contexto histórico, temporal e espacial, a sua partilha pode igualmente assumir um importante papel social, estimulando a consciência individual e coletiva. É neste contexto que surge este desafio à criatividade, que poderá ser expressada através de diversas manifestações, como a escrita, as artes performativas (música, teatro, dança, entre outras), as artes visuais (desenho, ilustração, escultura, pintura, entre outras), ou as artes multimédia (vídeo, fotografia, animação, entre outras).

Os interessados poderão participar de forma individual ou coletiva, por exemplo uma turma, um grupo organizado de uma instituição, um grupo de moradores, com total liberdade de escolha no que se refere às modalidades artísticas, privilegiando-se a criteriosa escolha de recursos e equipamentos e materiais ambientalmente sustentáveis.

Este desafio criativo dirige-se a toda a comunidade do concelho de Esposende, sem limite de idade, desde os residentes, aos emigrantes e aos cidadãos temporariamente ausentes do país. As inscrições decorrerão até ao dia 30 de junho e terão que ser submetidas online, através do link: https://forms.gle/MqA8kiExgdMmYa547

Após este período, e quando, efetivamente, voltar o tempo de nos podermos novamente abraçar, o Município irá promover uma mostra coletiva de trabalhos, num local público de grande visibilidade, a definir mediante a quantidade e a natureza das produções. Desta forma, através das artes, e num ato que se espera amplamente participado e mobilizador, a Câmara Municipal poderá também assim marcar a vivência deste momento histórico e projetar o nosso futuro coletivo.

Através desta ação, o Município está a fomentar a criatividade de toda a comunidade e a ocupação criativa e positiva dos tempos livres, dinamizando e promovendo as várias formas de arte, e, simultaneamente, ajudando a comunidade a ultrapassar os constrangimentos provocados pelo isolamento social.

GENTES DE ESPOSENDE: SÉRGIO DO FÔJO FOI UM HOMEM DOS SETE OFÍCIOS!

Homem carismático, ambientalista, escritor, carpinteiro, pescador, poeta, filósofo, trabalhador e bom amigo. Estes são apenas alguns aspectos que o definem, muitos outros haverá mas estes são os que mais se destacam.

91536997_236042650925481_1351648546176106496_n.jpg

Amado por muitos, incompreendido por outros, era assim este homem que marcou gerações em Esposende. Era conhecido. Sim, mundialmente é pouco, pois o seu engloba vários mundos.

Podia ter sido o homem mais rico de Esposende. No entanto, não o quis, pois desprezava o dinheiro e valorizava outros valores mais nobres como a Natureza e a amizade.

Nutria amizade pelos pescadores do concelho de Esposende, em relação aos quais manifestava um especial afecto. Ele próprio promoveu a primeira festa dos pescadores realizada em 1993, tendo sido sem duvida a melhor e maior festa dedicada á classe piscatória do concelho. A ele também se deve a festa das Nortadas que tiveram lugar durante 10 anos consecutivos e para as quais eram convidados artistas do concelho.

Como ele me dizia: Já viste! É a festa das Nortadas e não está vento…

- E não é que era verdade, nessas noites de festa o vento amainava!

Sérgio do Fôjo foi um homem que tocou no coração de pessoas de vários extractos sociais e merecia um reconhecimento público. E esperamos que tal venha a verificar-se. Sérgio do Fôjo bem o merece!

Luís Eiras

GENTES DE ESPOSENDE: JOSÉ ARMÉNIO LOSA

José Arménio Losa é um comerciante de sucesso na área da restauração em Esposende. Ele é o proprietário do Restaurante D. Sebastião – a sua menina dos olhos! – encontra-se situado na rua Conde Castro, a funcionar há mais de 30 anos. A sua abertura deu-se em 1984 e funciona até aos dias de hoje, constituindo uma referência de qualidade em Esposende.

91343125_547636049277535_7098312262783336448_n.jpg

Em tempos passados, não raramente se via a longa fila de espera por um lugar dentro das suas três salas.

Os seus negócios começaram nos anos sessenta com uma modesta mercearia. José Losa depois emigrou para a Alemanha e, de volta ao país, abriu o Restaurante D. Sebastião.

Atualmente os filhos seguiram os seus passos no negócio, deixando assim mais tempo para José Losa fazer a suas caminhadas, o que antes era difícil por força do trabalho. O que tanto as gosta de fazer e ao mesmo tempo socializar com as pessoas do concelho.

Conheço pessoalmente José Losa pois foi meu patrão e ensinou-me e bem que sem trabalho não se faz nada. Ele constitui um exemplo de um bom trabalhador, pessoa íntegra, respeitadora e educada. Não será demais dizer que o seus clientes vêm ao seu restaurante pela ótima comida, mas também pela admiração que por si nutrem, pois tem sempre uma palavra amiga para os seus clientes que, mais do que clientes são seus amigos.

Luís Eiras

ESPOSENDE BENEFICIA AVENIDA DE S. MARTINHO EM GANDRA

Município de Esposende vai concluir beneficiação da Avenida de S. Martinho em Gandra

A Câmara Municipal de Esposende vai avançar com um novo concurso público para a conclusão da empreitada da requalificação da Avenida de S. Martinho, em Gandra.

Av S Martinho.jpg

Dando cumprimento a um anseio antigo da população local, o Município avançou, em janeiro de 2017, com a concretização da obra de beneficiação da principal via de acesso a Gandra, num investimento previsto de 740 000 euros.

A primeira fase desta importante intervenção foi executada sem qualquer revés, contudo, no decurso da segunda fase os sucessivos atrasos na sua execução, pelas razões que já são do conhecimento público, levaram a que o Município tivesse necessidade de rescindir o contrato com o empreiteiro. 

Ultrapassados os trâmites resultantes da rescisão, que tantos transtornos causou à população e ao Município, a Câmara Municipal está agora em condições de lançar um novo procedimento, o que sucederá ainda hoje, para a conclusão de tão importante empreitada, no valor de 213 100 euros e com prazo de execução de quatro meses.

A intervenção na Avenida de São Martinho compreende a beneficiação das redes de saneamento e de abastecimento de água, execução da rede de águas pluviais, alargamento da via, construção de passeios e de baías de estacionamento, plantação de árvores e instalação de mobiliário urbano, conferindo um cariz mais urbano a esta via.

O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, lembra que o Município assumiu o desafio e o risco de concretizar esta empreitada, por todos reconhecida como da maior relevância, suportando os encargos na totalidade, num “investimento significativo”, no sentido de garantir melhores condições de circulação e de segurança tanto a automobilistas como a peões. O autarca afiança que o Município empenhou todo o seu esforço na resolução da situação e agradece a compreensão da população, particularmente daqueles que se viram mais afetados pelo moroso processo.

GENTES DE ESPOSENDE: MANEL AINCHA – DURO COMO O AÇO E COM CORAÇÃO DE MANTEIGA!

Manel Aincha assim apelidado, foi um pescador de Esposende o qual tive oportunidade de trabalhar no mar. Era um homem forte, musculoso, parecia o Popeye. Não andava no ginásio nem praticava nenhum desporto era assim por natureza e força do trabalho.

Collage_Fotor.jpg

Lembro-me bem de quando as redes pegavam no fundo o ALADOR, (aparelho auxiliar de recolha de redes), andava para trás e ele como segurava os cabos, (cordas) ao alar, (recolher redes) as malhas pegavam-me nos dedos e rebentavam, não os dedos dele mas as próprias malhas de sediela, se fosse num dos comum mortais os dedos eram cortados de certeza.

As suas mãos pequenas e tão calejadas pela vida rude no mar suportavam tão dilacerantes golpes.

Apesar da sua estatura baixa, mas bastante robusta era um homem muito sensível, não sendo muito difícil se emocionar.

Paço a contar então uma passagem verídica com este camarada de mar.

Como habitualmente e quando o mar permitia íamos pescar mas em Viana do Castelo, devido às melhores condições que essa barra oferece.

O mestre Francisco começava a fazer a recolha dos nossos tripulantes por as casas de cada um.

Arrancávamos por volta das 3 horas da madrugada em direcção à praia do cabedelo em Viana do Castelo.

Na praia tínhamos o bote, (embarcação pequena) que nos transportava a remos para a motora, (embarcação de madeira de grande calibre) com mais ou menos 16m de cumprimento.

Rumava-nos para o alto mar, (algumas milhas fora da costa) 12 a 14 milhas, milha marítima, (1852m).

Durante a viajem de mais ou menos 2 hora podíamos ir para o beliche descansar um bocado até chegar à bóia para começar a alar a caça, (extensão de redes unidas em linha longitudinal).

Quando o tempo estava bom era uma maravilha, só se via água, céu e de vez em quando os nossos amigos golfinhos.

Um dia depois de feita a recolha das redes e retirado o peixe, tamboris, rodovalhos e raias era a hora de as voltar a largar no mar, como não era a minha vez de largar dirigi-me para a proa a parte mais alta da embarcação.

Os golfinhos não nos largavam, saltavam, guinchavam, estavam contentes por nos ver também, de repente um golfinho bebé ficou preso nas redes que estávamos a largar, os meus camaradas não deram por ela porque o barco ia em andamento e tinham que se concentrar para não ficarem peados, (presos) nas redes e ir borda fora, eu como estava livre via o golfinho a batalhar por a vida.

Furou as redes e ficou preso pela cauda, nadava com toda a força até á superfície para poder respirar e suportada o peso cada vez maior das redes que tinham chumbos.

Dei o alerta e o mestre Francisco ordenou que se recolhessem de novo as redes para dentro e com isso salvar o golfinho.

Enquanto isso os golfinhos guinchavam de aflição, preocupados com o seu bebé.

Tocou ao Manel Aincha, safar-lhe as malhas da cauda e devolve-lo ao mar, enquanto o fazia de lágrimas nos olhos despedia-se do golfinho dizendo.

- Vai embora amor vai para a beira a tua família, o golfinho depois de ser devolvido ao mar mesmo com a cauda muito cortada podia ter ido embora, mas não, agradeceu em poucos segundos ao pescador que chorava a falar para ele, emitia uns guinchos como que a dizer, obrigado.

De repente todos os golfinhos fizeram um grande rodopio e desapareceram todos.

Tive o privilégio de trabalhar com homens como este, duros como aço, mas coração de manteiga.

Apesar de o meu pai ter sido pescador ele nunca quis que eu fosse, talvez com medo de me perder, por ser o filho mais novo do primeiro casamento, mas eu digo de coração cheio que apesar do risco era a melhor profissão do mundo, o contacto com a natureza a aventura a independência.  

Quando regressávamos a casa as pessoas olhavam-nos, murmuravam, sabiam que éramos aqueles que enfrentavam a vida e a morte por a frente.

Esta passagem aconteceu pela minha breve passagem como pescador, eu tinha na altura 17 anos.  

Admiro os pescadores porque são homens diferentes, nem todos nascem com a capacidade, coragem, audácia, sangue frio, deles.

Luís Eiras.

ESPOSENDE APOIA ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO

Município de Esposende mantém apoio às atividades da Educação Pré-escolar e 1.º Ciclo

A Câmara Municipal de Esposende vai atribuir apoios financeiros aos Agrupamentos de Escolas do concelho, no montante de 21 876 euros, para comparticipação de despesas decorrentes das atividades desenvolvidas na Educação Pré-escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico, conforme deliberação aprovada, por unanimidade, em reunião do executivo municipal.

DSC00907.jpg

Deste montante, 12 600 euros serão canalizados para o Agrupamento António Correia de Oliveira e 9 276 euros para o Agrupamento António Rodrigues Sampaio, tendo por base o valor de 12 euros por criança/aluno.

Constituindo a Educação Pré-Escolar e o 1.º Ciclo do Ensino Básico o início de um processo basilar de educação e formação ao longo da vida, imprescindível para responder aos desafios pessoais e sociais, e tendo em conta as inúmeras atividades desenvolvidas pelas escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e Jardins de Infância da rede pública, a Câmara Municipal tem garantido a comparticipação de diversas despesas, nomeadamente nas que se reportem a atividades educativas, materiais didático-pedagógicos, entre outros.

Com efeito, o Município tem tido a preocupação de apoiar a comunidade escolar, tentando promover a igualdade de acesso de todos os alunos a uma educação de qualidade, “bem” individual e coletivo ao serviço de cada um, de todos e da sociedade, dando, assim, cumprimento ao ODS 4 – Educação de Qualidade, uma das 17 metas (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da Agenda 2030 da ONU, que traduziu para o seu plano de gestão autárquica.

GENTES DE ESPOSENDE: TERESA NÃO FOI À ESCOLA MAS SABIA FAZER CONTAS COMO NINGUÉM

A Teresa – tal como era conhecida no meio piscatório esposendense – era a minha avó materna. Jamais frequentou os bancos da escola, como aliás sucedia com muitos filhos de pescadores forçados pelas dificuldades da vida a acompanhar as lides dos seus pais. Mas, lidava com o dinheiro como ninguém mais o fazia, e estou certo que sob a sua supervisão jamais uma qualquer instituição financeira correria o risco de ir à falência…

90766716_242230420510999_739635995921612800_n.jpg

Para além dos seus afazeres domésticos e os demais relacionados com a vida do mar, recolhia cartão que vendia, comprava à canalhada cobre, alumínio, ferro e chumbo. Toda a gente a conhecia porque, quando pretendiam ganhar uns trocos, já sabiam a quem recorrer: à minha avó Teresa!

Luís Eiras

GENTES DE ESPOSENDE: ESPÔSA DE TI GINGA INSPIROU OBRA DE ALEXANDRE FARTO

Quem passa junto do Centro de Actividades Náuticas, na zona sul da marginal de Esposende, depara com uma magnífica obra de arte produzida pelo escultor Alexandre Farto Aka Vhils, em homenagem às mulheres de Esposende.

90913640_1284991058377351_5839861972899725312_n.jp

Alexandre Farto é um artista urbano nascido em Lisboa que desde cedo se dedicou à pintura e ao grafiti, concluiu os seus estudos na Universidade de Artes em Londres. Possui obra espalhada por diversas localidades do nosso país e um pouco por todo o mundo, nomeadamente em cidades como Londres, Moscovo, Nova Iorque, Los Angeles e Grottaglie, no sul de Itália.

Na obra que deixou aos esposendenses vemos à esquerda a peixeira Lurdes, espôsa do Ti Ginga, cuja representação foi inspirada na foto que aqui se publica. O marido – o Ti Ginga como era conhecido entre a comunidade piscatória esposendense – foi pescador e mais tarde dedicou-se à apanha de ísca para os pescadores amadores. Diz com quem ele lidou que era uma pessoa extremamente calma e bondosa. Era esposendense!

Luís Eiras

90901569_520260545524381_377815276458082304_n.jpg

Ti Ginga90922286_207504537150600_2777157700776099840_n.jpg

GENTES DE ESPOSENDE: ANTÓNIO FERNANDES DA CRUZ

Disse o sábio grego Platão que no mundo existem três espécies de homens: os vivos, os mortos e os que andam no mar.

Esposende é terra de gente que anda no mar. Quantas vezes enfrentando com galhardia os perigos que o mar encerra. Jamais deixando-se encantar pelo melodioso canto da sereia. As mulheres aguardam ansiosas no areal da praia o regresso dos seus maridos. Mais além, para os lados da Apúlia, os sargaceiros fazem-se à rebentação para do mar retirar o sargaço que vai adubar as suas terras. E, porque o mais importante de Esposende são as pessoas, vamos no BLOGUE DO MINHO dar a conhecer algumas delas.

91371768_213383639728060_3370429955803447296_n.jpg

Começo por apresentar o meu avô paterno, António Fernandes da Cruz. Trabalhou para a Empresa de Pescas de Viana. A sua vida foi feita a labutar na pesca do bacalhau pelos bancos da Terra Nova, Gronelândia e Brasil. A vida a bordo durava quase meio ano. E, apesar de tantos perigos e vicissitudes, veio a falecer no rio Cávado, perto da sua terra natal.

Morreu afogado ainda muito jovem. Contava apenas 42 anos de idade. Fazia então o transporte do sargaço para os agricultores estrumarem as terras. Estes exigiam cada vez mais carga pelo mesmo dinheiro. Eram tempos difíceis!

O naufrágio ocorreu há mais de 50 anos. A travessia do rio era feita à vara. A embarcação seguia com uma carga completa e as bordas quase a beijar o rio. Veio o temporal e o barco virou.

Apenas 3 dias decorridos o corpo apareceu. E foi o meu pai que o encontrou. Já sem botas nem a roupa de oleado que trazia vestido. Debaixo de água ainda conseguiu libertar-se da roupa. Mas, o cansaço venceu-o!

Dizem quem com ele lidou por perto que nadava como um peixe. Esposende é terra de gente que não teme o mar!

Luís Eiras

ESPOSENDE PROSSEGUE PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DO CONCELHO

Município de Esposende avança com mais investimentos no montante de 371 000 euros

Apesar da conjuntura atual da pandemia do COVID-19, o Município de Esposende continua focado na concretização do projeto de desenvolvimento delineado para o território concelhio. Neste contexto, e apesar das limitações e constrangimentos decorrentes do quadro atual, a Câmara Municipal continua a desenvolver o seu trabalho, procurando dar seguimento aos processos de novos investimentos em todas as freguesias do concelho, com vista à sua concretização.

s lourenço.jpg

Neste sentido, vai avançar com mais duas obras, correspondentes a um investimento de 371 000 euros. Trata-se da empreitada de estacionamento de apoio à Igreja de Forjães, cujos trabalhos estão estimados em 360 400 euros, e da obra de recuperação das casas do Núcleo Arqueológico do Castro de S. Lourenço, em Vila Chã, que deverá orçar em 10 600 euros.

Relativamente à obra em Forjães, o objetivo passa por reforçar a capacidade de estacionamento junto à Igreja, dando também apoio à capela mortuária, cemitério e Associação ACARF. Este estacionamento será concretizado através da ocupação de parte do terreno que o Município havia adquirido a sul da Rua Padre Joaquim Lima, sendo que também esta via será alvo de uma intervenção de reperfilamento, de modo a eliminar o estrangulamento existente no acesso à ACARF. Na Rua da Igreja, para além da recuperação do muro e criação de um acesso ao estacionamento, será substituída a pavimentação existente, realçando o caráter pedonal da via.

A intervenção no Núcleo Arqueológico do Castro de S. Lourenço visa a recuperação do revestimento das coberturas em colmo das casas, mantendo a autenticidade deste sítio arqueológico concelhio.

A par destas intervenções, o Município tem em curso ou em vias de concretização um conjunto de intervenções em todo o concelho, no cumprimento do programa autárquico sufragado. O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, sublinha que, “apesar da complexa situação que vivemos, a todos os níveis, o Município não pode ficar com a sua atividade em suspenso, impondo-se que, dentro dos possíveis, prossiga a sua ação”.

“Nesta fase, há, portanto, que dar andamento aos processos, por forma a que, ultrapassada esta fase da pandemia, possamos arrancar em força com a concretização dos projetos que temos definidos para todo o território concelhio”, afirma, vincando que “estamos focados no nosso trabalho e na execução dos compromissos que assumimos com as populações”.

terreno forjaes.jpg

ESPOSENDE APOIA IPSS's

Município de Esposende apoia IPSS’s num investimento de cerca de 160 000 euros

A Câmara Municipal de Esposende vai atribuir apoios financeiros às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS’s) do concelho, num montante global que rondará os 160 000 euros, conforme deliberação aprovada em reunião de Câmara, por unanimidade.

Paços do Concelho_esposende.jpg

A verba, a distribuir por 18 instituições com respostas sociais, visa contribuir para a qualificação, diversificação, rentabilização de recursos e aumento da cobertura das respostas dos equipamentos sociais e, consequentemente, para o desenvolvimento e coesão social do concelho.

O apoio a atribuir a cada instituição foi definido com base em critérios, como seja o número de utentes e as respostas que prestam à comunidade. A materialização destes apoios será concretizada, pela primeira vez, através de protocolos de cooperação, a estabelecer com a Associação Social Cultural Artística e Recreativa de Forjães (ACARF), APPACDM Braga - Complexo de Esposende, Associação Social, Cultural e Recreativa de Apúlia (ASCRA), ASSINJEPE – Associação de Defesa, Desenvolvimento e Promoção do Centro Infantil da Escola António Correia de Oliveira, Centro Paroquial e Social de Vila Chã, Centro Social da Juventude de Belinho, Centro Social da Juventude de Mar, Centro Social da Juventude de Marinhas, Centro Social da Paróquia de Curvos, Centro Social e Cultural de Gandra, Centro Social João Paulo II, Centro Social Paroquial de Fonte Boa, Centro de Intervenção Cultural e Social de Palmeira de Faro, Esposende Solidário - Associação Concelhia para o Desenvolvimento Integrado, Fundação Lar de Santo António, Grupo de Ação de Solidariedade Social de Antas, Santa Casa da Misericórdia de Esposende e Santa Casa da Misericórdia de Fão.

O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, realça a importância de se harmonizarem regras e critérios para a prestação de apoios financeiros e técnicos por parte do Município às entidades sem fins lucrativos, de forma objetiva e equitativa.

Por esta via, o Município está a promover a sustentabilidade funcional destas organizações promotoras do desenvolvimento social concelhio, possibilitando a alavancagem e a prossecução de iniciativas de interesse municipal de natureza social, qualificando as respetivas respostas sociais e diversificando e aumentando a cobertura da rede de serviços e equipamentos sociais do concelho.

Esta medida integra um conjunto de políticas municipais no domínio da coesão social, proporcionando respostas a grupos de indivíduos específicos, às famílias e à comunidade, no sentido de promover o bem-estar social. Neste contexto, é determinante a implementação de parcerias dinâmicas e integradas, apoiadas nos agentes locais de intervenção social, tendo por base os instrumentos de planeamento e diagnóstico, tais como o diagnóstico social, o plano de desenvolvimento social e os respetivos planos de ação. “Considerando o contexto de pandemia existente, este apoio ganha ainda maior relevância”, nota Benjamim Pereira.

Esta medida, em concreto, constitui mais um contributo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), processo relativamente ao qual o Município se encontra empenhado e o qual não pode ser descurado, pese embora a situação de emergência em vigor relacionada com a pandemia por COVID-19.

ESPOSENDE REQUALIFICA ESTRADA NACIONAL 13

Estrada Nacional 13 alvo de intervenção

A Estrada Nacional 13 vai ser alvo de uma intervenção de requalificação, no troço entre as freguesias de Mar e Antas.

IMG_20190220_142603.jpg

A obra, que se inicia ainda esta semana e se prolongará ao longo de dois meses, visa corrigir as anomalias do piso desta via, resultantes da empreitada de saneamento básico, realizada em 2008, em Antas, Belinho e Mar.

A empresa municipal Esposende Ambiente, em consonância com as autoridades com competência na gestão da via e através da empresa Domingos Pedrosa Barreto, Lda, que nesta fase se mantém em laboração e garante a máxima segurança de todos os seus trabalhadores e da população da zona envolvente, vai executar a pavimentação e pintura em meia faixa de rodagem.

Esta empreitada integra também a pavimentação de 13 travessias ou locais de reparações, ao longo da Estrada Nacional 13, entre Marinhas e Apúlia.

A Esposende Ambiente apela à compreensão da população pelo transtorno que a execução dos trabalhos possa causar, nomeadamente à circulação de veículos.

IMG_20190116_160416.jpg

IMG_20190220_143241.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CANALIZA VERBAS DOS EVENTOS PARA COMBATE À PANDEMIA COVID-19

Investimento imediato de 40.000 euros de material de proteção para IPSS’s

Face ao cenário de pandemia do novo coronavírus COVID-19, a Câmara Municipal de Esposende vai adquirir material de proteção individual para as Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho, que prestam apoio aos idosos, nomeadamente nos lares e no apoio domiciliário. Em causa está um investimento de 40.000 euros de equipamento, como luvas, máscaras, batas, toucas e desinfetante, pretendendo contribuir para a minimização do risco de contaminação entre este grupo etário mais vulnerável, bem como entre os seus cuidadores formais, consubstanciando mais uma ação para a prevenção desta epidemia em território concelhio.

Paços do Concelhobandeirasespos.jpg

Esta ação constitui a primeira de um conjunto de medidas que serão implementadas no âmbito do combate à pandemia, numa perspetiva de proteção de toda a comunidade. Para a sua implementação recorrer-se-á aos recursos financeiros que estavam previstos para as iniciativas que o Município, na sua Agenda de Atividades, tinha previsto desenvolver até final de julho.

O Município tem vindo a atuar em várias frentes com o intuito de controlar o avanço do vírus que, até ao momento, contaminou já cinco pessoas no concelho.

A par das ações no terreno, desenvolvidas em consonância com as diretivas da Direção Geral de Saúde e em estreita colaboração com o ACES Cávado – Barcelos/Esposende, e devidamente plasmadas no seu Plano de Contingência, a Câmara Municipal está a desenvolver uma forte campanha de informação e sensibilização, por forma a garantir a colaboração de toda a população no cumprimento do que está estipulado, no âmbito deste Estado de Emergência Nacional.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ATRIBUI BOLSAS DE ESTUDO

Candidaturas às Bolsas de Estudo para o Ensino Superior decorrem até 13 de abril

No âmbito do plano de contingência para o COVID-19 e das medidas de prevenção já implementadas pelo Município de Esposende, que condicionam o contacto social, a receção dos processos de candidatura às Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior vai processar-se via e-mail.

Paços do Concelhoesposende2.jpg

O prazo de candidaturas decorre até ao próximo dia 13 de abril, podendo candidatar-se os estudantes do ensino superior residentes no concelho, que reúnam os requisitos que constam do regulamento. O regulamento e o formulário de candidatura estão disponíveis no Portal do Município, em www.municipio.esposende.pt, na área do Balcão Virtual.

Para esclarecimento de dúvidas, os candidatos devem entrar em contato com o Serviço de Ação Social através de telemóvel (931107958 ou 962020398) ou do e-mail bolsadeestudo@cm-esposende.pt.

No presente ano letivo, o Município de Esposende vai atribuir até 40 Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior oriundos de estratos sociais desfavorecidos, o que poderá corresponder a um investimento total de 24 mil euros, dado que cada bolsa tem o valor nominal de 600 euros.

A medida enquadra-se nas políticas educativa e social do Município e constitui um importante contributo para que estes jovens possam obter formação académica de nível superior. Considerando as dificuldades que algumas famílias enfrentam, e com o intuito de fomentar a igualdade de oportunidades, a erradicação da pobreza e uma educação de qualidade, aliás, três dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável a que o Município tem atribuído especial atenção, este apoio tem-se mantido, ano após ano.

ESPOSENDE LAVA E DESINFETA ESPAÇOS PÚBLICOS

COMUNICADO

Plano de Contingência COVID-19:  Lavagem e desinfeção de espaços públicos

Na sequência da implementação das medidas do Plano de Contingência no âmbito da prevenção e controlo do COVID-19 (SARS-CoV-2), a empresa municipal Esposende Ambiente irá proceder, a partir de amanhã, à realização de ações de lavagem e desinfeção de espaços públicos na cidade de Esposende, com solução de água e produtos desinfetantes, dando especial enfoque às zonas envolventes dos Paços do Concelho, farmácias, bancos, supermercados, centro de saúde e hospital.

IMG_20180319_105429.jpg

Também as empresas responsáveis pela recolha de resíduos indiferenciados e recolha seletiva, Suma e Resulima, respetivamente, darão início à lavagem e desinfeção de contentores e ecopontos no concelho, no sentido de descontaminar as superfícies dos equipamentos e tornar a sua utilização mais segura, minimizando os riscos de contágio.

Pede-se à população a melhor colaboração compreensão em eventuais transtornos que possam ser causados durante a execução dos trabalhos.

ESPOSENDE: ESPETÁCULOS DO FestiAma REAGENDADOS PARA NOVEMBRO

Foram reagendados para novembro os espetáculos do FestiAma – Festival de Teatro Amador de Esposende que foram adiados, no âmbito do Plano de Contingência para o Covid-19.

_DSC6825.JPG

Assim, a apresentação da peça “Os Gansos”, pelo GATERC - Grupo Amador de Teatro Esposende-Rio Cávado, terá lugar nos dias 7 e 8 de novembro. O grupo de teatro da JUM – Juventude Unida de Marinhas sobe ao palco nos dias 14 e 15 com a peça “Ensaio Geral” e o grupo Forjães em Cena apresenta “Eu(génio)” nos dias 21 e 22 de novembro. Ao sábado os espetáculos são às 21h30 e ao domingo decorrem a partir das 16h30.

Assim, os bilhetes adquiridos para qualquer um destes espetáculos, inicialmente agendados para este mês de março, mantêm-se válidos, pelo que deverão ser guardados, desde que seja para a mesma peça. Quem pretender poderá reaver o valor da entrada, tendo que se deslocar às Piscinas Foz do Cávado (Esposende) e solicitar a devolução.

No âmbito do Plano de Contingência do Município de Esposende, documento elaborado em consonância com as orientações da Direção Geral de Saúde e da Unidade de Saúde Pública do ACES Cávado III Barcelos/Esposende, a Câmara Municipal determinou a adoção de um conjunto de medidas preventivas, previsivelmente até ao dia 3 de abril, entre as quais a suspensão de todas as atividades e eventos promovidos pelo Município de Esposende, ou em articulação com outras entidades.