Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CELEBRA CONTRATO INTERADMINISTRATIVO COM AGÊNCIA PORTUGUESA DO AMBIENTE

O Município de Esposende e APA – Agência Portuguesa do Ambiente, assinaram um contrato interadministrativo com vista à apresentação de uma candidatura a fundos comunitários, através do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, no âmbito do Eixo Prioritário 2 “Promover a adaptação às Alterações Climáticas e a Prevenção e Gestão de Riscos”.

DSC02959

A intervenção em causa - “Ações materiais de proteção do litoral entre Rio de Moinhos e Antas” - tem um custo estimado de 2,2 milhões de euros, sendo que a APA custeará até ao montante de 50 mil euros e o Município de Esposende financiará na ordem dos 250 mil euros. Prevê-se, logo que a candidatura seja aprovada, o lançamento de concurso e o início dos trabalhos, a ocorrer previsivelmente até ao final do primeiro semestre de 2019.

Com a execução desta intervenção estará a promover-se a minimização dos riscos de erosão costeira que se faz sentir nesse troço do litoral, envolvendo a instalação de uma estrutura de defesa ativa na zona de Belinho, no troço onde se verifica a ocorrência dos maiores riscos de galgamento. A par dessa componente, realizar-se-á também a colocação de uma estrutura barreira que permitirá um mais adequado ordenamento do território, permitindo, dessa forma, a minimização do pisoteio desregrado e, assim, a recuperação do próprio sistema dunar. Esta estrutura percorre cerca de 6Km entre Rio de Moinhos e Antas e representará a última fase da Ecovia do Litoral na zona norte do concelho.

De facto, com a execução desta ligação entre Rio de Moinhos (Marinhas) e Antas, ficará praticamente concluída a totalidade do percurso ao longo de todo o litoral do concelho de Esposende, com exceção dos percursos de Cedovém (Apúlia) e do Parque da Cidade de Esposende, cujos projetos se encontram em elaboração.

Concluídos, estão os troços da Avenida Marginal de Esposende e da Marginal de Fão, Marginal de Esposende-Cepães, Cepães-Rio de Moinhos e o percurso da margem esquerda do Estuário do Rio Neiva, em Antas, freguesia onde está ainda em execução a construção da Ponte Pedonal e Ciclável sobre o Rio Neiva, encontrando-se também a decorrer a empreitada do troço Fão-Apúlia. Simultaneamente, está a ser elaborado um projeto para a construção de uma ponte pedonal e ciclável sobre o rio Cávado, que estabelecerá a ligação entre as duas margens.

Além da Ecovia do Litoral, e ainda no plano da mobilidade suave, Esposende integra também a Ecovia do Cávado Homem que ligará Esposende a Terras de Bouro, estando em execução o troço Fão-Fonte Boa.

“Tanto a Ecovia do Litoral Norte como a Ecovia do Cávado Homem constituem ativos da maior relevância para o Município, nomeadamente ao nível do ordenamento, da proteção ativa do litoral e das margens do rio e, naturalmente, também ao nível turístico”, refere o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, para quem “a qualidade de vida de um território também passa pela criação de infraestruturas desta natureza”.

Benjamim Pereira refere que o contrato interadministrativo celebrado com a APA constitui “um passo muito importante para a concretização de estratégias de proteção costeira e de revitalização de todo o espaço natural, em simultâneo permitindo a conclusão do troço que faltava no percurso da Ecovia que atravessa o concelho”. O projeto deste troço foi elaborado no âmbito do Programa Polis Litoral Norte, tendo sofrido reajustes por via desta candidatura.

ESPOSENDE PROTEGE FLORESTA AUTÓCTONE

Município de Esposende promove Semana da Floresta Autóctone

À semelhança de anos anteriores, o Município de Esposende e a empresa municipal Esposende Ambiente, vão levar a efeito a Semana da Floresta Autóctone, com o objetivo de assinalar o Dia da Floresta Autóctone, que se comemora a 23 de novembro. Entre os dias 23 e 30 de novembro, serão realizadas várias atividades, dirigidas à comunidade educativa e à população em geral.

SapadoresVãoEscola

Para a comunidade educativa e Instituições Particulares de Solidariedade Social, será desenvolvida a Oficina criativa sobre a floresta, de 23 a 27 de novembro, no Centro de Educação Ambiental. Nesta iniciativa pretende-se sensibilizar os participantes para o uso múltiplo da floresta, através da realização de uma oficina criativa que associa a temática da reutilização de materiais à preservação da floresta.

Entre 23 e 30 de novembro, “Os Sapadores vão à escola!”. Os estabelecimentos de educação e ensino do concelho vão acolher a Equipa de Sapadores Florestais, que irão demonstrar algumas das tarefas e funções relacionados com o seu trabalho diário.

Nos dias 27 e 29 de novembro, a comunidade educativa do 1.º ciclo ao ensino secundário terá oportunidade de participar no trilho pedestre “Conhecer a nossa Floresta!”. Esta atividade pretende sensibilizar os alunos para a multiplicidade e importância dos recursos florestais, através da realização de uma visita a um espaço florestal concelhio de interesse ecológico, sob orientação dos técnicos do Centro de Educação Ambiental e do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal.

Para a comunidade em geral, decorrerá, no dia 24 de novembro, no Centro de Educação Ambiental de Esposende, o Workshop “Cosmética Natural II”, orientado pela naturopata Raquel Carvalho, o qual pretende dar a conhecer as alternativas ecológicas e ensinar a fazer produtos de higiene e cosmética, 100% natural, amigos da saúde e do ambiente.

Para mais informações ou para fazer a inscrição nas atividades deverá ser contactado o Centro de Educação Ambiental, através do e-mail cea@esposendeambiente.pt ou do telefone 253 967 147.

dav

ESPOSENDE ESTÁ ATENTO À ORLA COSTEIRA

Sessão de esclarecimento sobre Programa da Orla Costeira lotou Auditório Municipal

O Município de Esposende realizou, ontem à noite, uma sessão de esclarecimento sobre o Programa da Orla Costeira Caminha-Espinho (POC-CE), que lotou por completo o Auditório Municipal de Esposende. Cerca de três centenas de pessoas marcaram presença nesta sessão destinada a informar a população sobre as ações programadas para a faixa litoral concelhia e a esclarecer eventuais dúvidas, por forma a que os interessados, caso pretendam, participem do processo de discussão pública, que decorre até 14 de dezembro, apresentando reclamações, observações ou sugestões.

.

Para tal estiveram presentes a equipa técnica responsável pela elaboração do programa e o Vice-presidente da APA – Agência Portuguesa do Ambiente, Pimenta Machado, para além do Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, que deu nota do posicionamento do Município ao longo do processo e das diligências desenvolvidas, entre as quais a recente audiência com o Ministro do Ambiente, juntamente com as demais autarquias que apresentam reservas face a algumas medidas preconizadas no POC-CE, para melhor clarificação de alguns aspetos.

Salientado a importância destes fóruns de discussão, Benjamim Pereira regozijou-se com o interesse da população pela matéria em questão, expresso pelo elevado número de participantes, e referiu que o objetivo é que todos colaborem para melhorar este instrumento de gestão territorial da orla costeira.

O Vice-presidente da APA, Pimenta Machado, referiu que “20% da costa portuguesa está em erosão”, considerando que é “um problema gravíssimo que vai ser potenciado pelas alterações climáticas”, daí a necessidade de “preparar o litoral para os desafios futuros”.

“O POC é um PPR para o litoral” que assenta na Prevenção, Proteção e Recuo Planeado, afirmou Pimenta Machado, notando que o POC que ainda está em vigor é mais rígido e que agora se pretende uma “gestão mais adaptativa”. A prioridade é defender a linha de costa, atendendo a que, ao longo do tempo, foram “perdidos” 12 quilómetros quadrados do litoral para o mar, uma área equivalente a 1200 campos de futebol, revelou.

Pimenta Machado referiu que é primordial “não repetir os erros do passado” e estabilizar a linha de costa, objetivo que passará pela aposta na “engenharia mais natural”, nomeadamente deposição de areias nas praias, estando, por isso, colocada de parte a construção de novos esporões, prevendo-se, contudo, a reabilitação das infraestruturas existentes. Adiantou que, face à previsibilidade do aumento do nível do mar (até 2050 cerca de 85 centímetros), foram definidas faixas de salvaguarda vedando a construção.

O responsável da APA vincou que o “plano foi elaborado usando o melhor suporte científico”, envolvendo duas universidades, e revelou que, com este POC, será suprimida uma lacuna ao nível da informação sobre a zona costeira, através da aplicação de um programa de criação de uma base de dados que possibilitará “elaborar projetos mais assertivos”.

Numa sessão muito concorrida e participada, foram colocadas muitas e variadas questões, que foram devidamente esclarecidas pelos técnicos e entidades presentes. A demolição de edificações foi um dos muitos aspetos abordados, tendo sido garantido que o POC consagra direitos adquiridos, pelo que os interesses das populações serão sempre salvaguardados.

A encerrar a sessão, o Vice-presidente da APA deixou o desafio à apresentação de contributos para melhorar o Programa da Orla Costeira. “Estamos a preparar o litoral para os desafios do futuro, para nós e para as gerações vindouras”, concluiu.

Na mesma linha, o Presidente da Câmara Municipal apelou à participação na discussão pública do POC. Vincou que o Município “está ao lado da população e dos seus interesses” e garantiu que “os direitos de cada cidadão serão defendidos” e que, neste sentido, tudo fará, não descartando a possibilidade de enfrentar as instituições com responsabilidades neste domínio, se assim tiver que ser.

Como já expressou publicamente, e no que concerne ao território concelhio, Benjamim Pereira defende a definição de um plano de proteção do litoral que tenha em linha de conta as especificidades do território e os interesses das populações, preservando o que for de interesse manter.

.

ESPOSENDE DÁ A CONHECER OBSERVATÓRIO MARINHO NO FÓRUM DO MAR

Observatório Marinho de Esposende deu-se a conhecer no Fórum do Mar 2018

O Município de Esposende marcou presença no Business2Sea – Fórum do Mar 2018, que decorreu entre os dias 14 e 16 de novembro, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, numa organização da Fórum Oceano com a colaboração da Fundação CETMAR - Centro Tecnológico do Mar, com sede na Galiza.

omare

O Fórum do Mar é um evento orientado para o fomento das relações entre poderes públicos, empresas, universidades e centros de I&D e associações, nacionais e estrangeiras, com atividade em diferentes domínios da economia do Mar.

Esta edição foi dedicada ao tema “Desafios do Mar 2030”, apresentando um programa diversificado dedicado ao tratamento e debate de um conjunto de desafios de natureza tecnológica, ambiental, social e económica com que os diferentes intervenientes da economia do Mar se vão confrontar na próxima década. Assim, além de seminários e de workshops, o evento integrou uma Conferência Comemorativa do Dia Nacional do Mar (efeméride que se assinala a 16 de novembro), um Programa de Encontros de Negócio, sessões de pitches organizadas no programa “Curtas de Mar”, uma componente expositiva e ainda alguns momentos pedagógicos e de animação sobre cultura marítima e literacia dos oceanos.

Atendendo à temática em causa, o Município de Esposende, em colaboração com a empresa municipal Esposende Ambiente e o Forum Esposendense, associado do Fórum Oceano, apresentou o Observatório Marinho de Esposende (OMARE) - Sistema de Informação, Monitorização e Gestão da Biodiversidade Marinha das Áreas Classificadas do Litoral Norte como Ferramenta de Promoção da Sustentabilidade da Utilização dos seus Recursos, de Divulgação e Sensibilização da Comunidade, financiado pela Autoridade de Gestão do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).

Este projeto, composto por 16 ações, é fruto de uma parceria entre o Município de Esposende, a Universidade do Minho e o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. A área de atuação/intervenção do OMARE abrange toda a área marinha da área protegida do Parque Natural do Litoral Norte, mas os resultados da implementação deste projeto repercutem-se a nível nacional, contribuindo para um melhor e mais profundo conhecimento da biodiversidade e habitats marinhos presentes na costa portuguesa.

Além da participação no espaço expositivo do evento, foi feita também a apresentação do projeto no “Curtas de Mar”, pelo biólogo Vasco Ferreira, coordenador do OMARE.

omare_

JONINHAS VILAR SAGRA-SE VICE-CAMPEÃO NACIONAL DE KARATÉ!

Decorreu no domingo, dia 18 de novembro, no Complexo Desportivo da Universidade do Minho em Braga, o xxv Campeonato Nacional de Cadetes, Juniores e Sub21,  prova oficial da Federação Nacional de Karate-Portugal.

1

O atleta da BAKE-Bushido Associação de Karate de Esposende, Joninhas Vilar (…)

- Lesão grave em setembro no XIX Campeonato Europeu de Karate Goju-Ryu ;

- 2 meses sem treinar;

- 1º ano no novo escalão sub 21 - 60 kg (com apenas 17 anos);

VICE-CAMPEÃO NACIONAL!

2

ESPOSENDE ESTREIA CAFÉ MEMÓRIA

Café Memória estreia-se amanhã em Esposende

Terá lugar amanhã, dia 17 de novembro, na Casa da Juventude de Esposende, a primeira sessão do Café Memória, criado em resultado de um protocolo de colaboração, recentemente celebrado, entre o Município de Esposende, o Centro Social da Juventude Unida de Marinhas, a Sonae Sierra e a Associação Alzheimer Portugal.

AF CARTAZ ESPOSENDE 297x420 C MIRASO Café Memória traduz-se num local de encontro para a partilha de experiências e suporte mútuo a pessoas com problemas de memória ou demência, seus familiares e cuidadores, com o acompanhamento de profissionais de saúde e de serviço social e o apoio de voluntários. O projeto visa contribuir para a redução do isolamento social em que muitas destas pessoas se encontram, melhorando, assim, a sua qualidade de vida, e pretende ainda sensibilizar a comunidade para a problemática das demências, fomentando o seu envolvimento no projeto.

Em Esposende, as sessões decorrerão na Casa da Juventude, no terceiro sábado de cada mês, das 10h00 às 12h00, com entrada livre e sem necessidade de inscrição prévia. Na primeira sessão, a realizar amanhã, Catarina Alvarez, da Associação Alzheimer Portugal, vai falar sobre a “Sobrecarga do cuidador familiar”. Quase três dezenas de voluntários irão dar apoio às sessões, sendo que, para tal, encontram-se a receber formação.

Após a realização de uma sessão “O Café Memória faz-se à Estrada” em Esposende, o projeto Café Memória efetiva-se agora no concelho, com a disponibilização deste local de encontro.

Implementado em 2013 pela Sonae Sierra e Associação Alzheimer Portugal, o Café Memória encontra-se disseminado em todo o país, permitindo levar esta resposta social a um número cada vez maior de pessoas com problemas de memória ou demência, seus familiares e cuidadores.

ÁGUA DE ESPOSENDE É DE EXCELENTE QUALIDADE

Esposende na vanguarda ao nível da qualidade da água distribuída pela rede de abastecimento público

A Esposende Ambiente continua a garantir o acesso a água de excelente qualidade à totalidade dos Esposendenses, como comprovam os dados do relatório anual sobre o "Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humano", referente ao ano de 2017, recentemente divulgado pela ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos.

SONY DSC

A percentagem de Água Segura em Esposende é de 100%, um valor considerado de excelência, sendo este indicador mantido pela Esposende Ambiente há mais de dez anos consecutivos, o que coloca o Município na vanguarda ao nível da qualidade da água distribuída por rede de abastecimento publico.

Efetivamente, a água distribuída pela Esposende Ambiente cumpre todas as normas de qualidade legais e de acordo com as recomendações mais recentes da Organização Mundial da Saúde. A implementação de um Programa de Controlo da Qualidade da Água na torneira de mais de uma centena de consumidores e o controlo operacional em dezenas de pontos distribuídos ao longo da rede de abastecimento permitem garantir a excelente qualidade da água. Para além disso, a Esposende Ambiente encontra-se capacitada para lidar com os riscos associados ao abastecimento de água através de um Plano de Segurança na Água.

Com vista à garantia da qualidade da água em situação de emergência, a Esposende Ambiente está a elaborar um Plano de Comunicação para Emergência na Qualidade da Água para Consumo Humano, fundamental para garantir uma resposta eficaz na minimização do impacto de potenciais riscos para a saúde, durante e após situações de emergência.

100% Água Segura é o reflexo de um trabalho contínuo e empenhado, e sempre na vanguarda, que conta também com a colaboração da entidade multimunicipal Águas do Norte.

De acordo com a Comissão Europeia, o acesso a água de qualidade pode ajudar as famílias a economizar designadamente por via da redução do consumo de água engarrafada. Se a confiança na água da torneira melhorar, os cidadãos também podem contribuir para reduzir impacto no meio ambiente, reduzindo as emissões de CO2 e os resíduos de plástico.

Beber água da torneira é mais barato e ecológico, e é neste sentido que a Esposende Ambiente tem vindo a trabalhar, designadamente por via da adoção de medidas de incentivo ao consumo de água da rede pública de Esposende, água de excelente qualidade. Exemplos destas medidas são a instalação de fontes em locais públicos, ligadas à rede de abastecimento público e onde a água é controlada e incentivo ao consumo de água da torneira nos restaurantes e cantinas.

Os resultados da qualidade da água distribuída pela rede de abastecimento público de Esposende estão disponíveis para consulta pública na sede da empresa, bem como na página da Internet www.esposendeambiente.pt, sendo também divulgados na fatura enviada mensalmente aos utilizadores. O relatório “Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humanos 2017” está disponível on-line em www.ersar.pt

ASSOCIAÇÃO DE CIDADÃOS DE ESPOSENDE INCENTIVA JOVENS A VOTAR NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES EUROPEIAS

A divulgação arranca em Esposende durante o mês de Novembro e prolonga-se até o mês de Maio de 2019, com ações de sensibilização e propagação nas redes sociais através do Hashtag #DestavezEUvoto”.

campanha de sensibilizacao esposende

Trata-se de uma campanha do Parlamento Europeu, que propõe a reflexão sobre a necessidade do voto e à qual a Associação de Cidadãos de Esposende se junta.

A menos de um ano para as eleições europeias, que se realizam em todos os Estados-Membro entre 23 a 26 de maio de 2019, a campanha destavezeuvoto.eu propõe a reflexão sobre a necessidade do voto.

Bruxelas inspira-se em Corbyn e Macron e põe em marcha uma estratégia para arrancar os abstencionistas de casa e levá-los a votar no futuro do projeto comum.

Para a Presidente desta Associação Esposendense, Maria Araújo a divulgação que inicia este mês pretende fazer alguma coisa para reparar essa falha quase crónica entre haver uma população jovem que até se revê na União Europeia mas que não sente interesse suficiente pelo projeto europeu para sair de casa no dia das eleições e votar, recordando que podem fazer a sua inscrição no endereço da internet www.destavezeuvoto.eu e desta forma passam a receber informações regulares sobre as áreas de interesse e daquilo que tem sida a ação dos eurodeputados, sobretudo nos últimos cinco anos.

De referir que o site para a participação nas eleições europeias foi lançado em Junho deste ano, a Associação de Cidadãos de Esposende será das primeiras Associações em Portugal a participar ativamente na divulgação, concentrando os seus esforços nos jovens do Concelho de Esposende.

ESPOSENDE É SINÓNIMO DE DIVERSIDADE

Esposende coorganiza II Fórum Nacional para a Diversidade

Enquanto entidades signatárias da Carta Portuguesa para a Diversidade, a Câmara Municipal de Esposende e a Esposende Ambiente coorganizam o II Fórum Nacional para a Diversidade, que decorrerá nos dias 21 e 22 de novembro, na Póvoa de Lanhoso, sob o tema “Comunicar para Mobilizar”.

II Fórum Diversidade

Esta iniciativa da Carta Portuguesa para a Diversidade possibilitará a partilha de boas práticas das 225 organizações signatárias em Portugal, bem como a experiência das cartas europeias congéneres, representadas pelos representantes da Estónia, Luxemburgo e Polónia.

A sessão de abertura contará com intervenções do Presidente da Câmara de Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, do Presidente da Esposende Ambiente, Paulo Marques, e do Presidente do Conselho de Administração da LIPOR, Aires Pereira.

O primeiro dia do Fórum ficará marcado pela assinatura da Carta por parte de novas entidades e contará com a presença de Liliane Rocha, da Gestão Kairos, uma empresa brasileira dedicada aos temas da Diversidade e Inclusão. O dia 22 prevê um painel dedicado a empresas, oriundas de Portugal, Polónia e Estónia, um painel dedicado ao setor público com participação do CIG (Comissão para a Cidadania e Igualdade), ACM (Alto Comissariado para as Migrações), Câmaras de Comércio e Municipais dos países envolvidos, e, ainda, um painel dedicado ao papel do terceiro setor, com participação de instituições de Portugal, Estónia e Luxemburgo.

A Carta para a Diversidade, iniciativa da União Europeia, é um dos instrumentos voluntários criados com o objetivo de encorajar os empregadores a implementar e desenvolver políticas e práticas internas de promoção da diversidade. A Carta descreve medidas concretas que podem ser tomadas para promover a diversidade e a igualdade de oportunidades no trabalho independentemente da origem cultural, étnica e social, orientação sexual, género, idade, caraterísticas físicas, estilo pessoal e religião.

A Carta Portuguesa para a Diversidade surge em linha com os esforços encetados pela Comissão Europeia e com as prioridades da Estratégia Europa 2020, contando atualmente com 225 organizações signatárias. A Comissão Executiva tem sido assumida pelo Alto Comissariado para as Migrações, pela Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e pela Fundação Aga Khan.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ESCLARECE POPULAÇÃO ACERCA DO PROGRAMA DA ORLA COSTEIRA

Esposende realiza Sessão de Esclarecimento sobre o Programa da Orla Costeira

O Município de Esposende vai promover uma Sessão de Esclarecimento sobre o Programa da Orla Costeira Caminha-Espinho (POC-CE), na próxima segunda-feira, dia 19 de novembro, pelas 21h00, no Auditório Municipal de Esposende.

DSC09768

A sessão contará com a participação da equipa técnica responsável pela elaboração do programa e do Vice-presidente da APA – Agência Portuguesa do Ambiente, Pimenta Machado, sendo que também estará presente o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

Este instrumento de gestão territorial da orla costeira encontra-se em fase de discussão pública até ao dia 14 de dezembro. O objetivo desta sessão é esclarecer os eventuais interessados sobre as ações previstas no POC-CE, nomeadamente no que se refere à faixa litoral concelhia, para que, caso pretendam, possam participar do processo de discussão pública, apresentando reclamações, observações ou sugestões.

A área de intervenção do Programa de Orla Costeira Caminha-Espinho abrange 122 km da orla costeira de 9 concelhos e de 36 freguesias, e inclui, as águas marítimas costeiras e interiores e os respetivos leitos e margens, assim como as faixas de proteção marítimas e terrestres inseridas na área de circunscrição territorial da Administração da Região Hidrográfica do Norte, dos municípios de Caminha, Viana do Castelo, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Matosinhos, Porto, Vila Nova de Gaia e Espinho.

O programa pode ser consultado on-line em http://participa.pt/consulta.jsp?loadP=2357.

DSC07767

DSC07994

sessão esclarecimento

ESPOSENDE COMEMORA ARMISTÍCIO DA GRANDE GUERRA

Município de Esposende evocou assinatura do Armistício

O Município de Esposende encerrou hoje as comemorações do centenário da Primeira Grande Guerra que ocorreu entre 1914 e 1918. Precisamente, cem anos após a assinatura do Armistício que ditou o calar das armas, assistiu-se, pelas 11 horas, a uma largada de pombos, junto ao Museu Marítimo, antecedendo a abertura da exposição “Memórias do Armistício”.

45992139_1183175118505194_8717283722400890880_n

A evocação do Armistício decorreu no Auditório Municipal, com a exibição do documentário “Lutaram como Diabos” e um recital de canto e poesia “In memorium da Grande Guerra”, com Carla Caramujo e poetas concelhios. A encerrar as cerimónias foi celebrada uma missa de Te DEUM, pelo fim da Guerra, na qual participou o arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga.

Para o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, a razão pela qual o Município decidiu evocar a Primeira Grande Guerra prende-se com a “necessidade de relembrar os momentos de terror e de dor, consciencializando a todos, para evitar situações semelhantes no futuro”. Benjamim Pereira enquadrou, ainda, a homenagem “a todos os esposendenses que lutaram nas trincheiras”, enaltecendo o feito heroico daqueles que “morreram pela pátria”.

O programa evocativo do Centenário da Primeira Grande Guerra iniciou-se em 2014, tendo o Município de Esposende promovido, ao longo de quatro anos, as exposições “Esposende nas Trincheiras” e “Novas da Guerra, Autores e Narrativas”, as conferências “O Mar de Esposende na I Grande Guerra” e “Esposende e a I Grande Guerra: Os homens e os acontecimentos”, um percurso evocativo da Primeira Grande Guerra em Esposende; e no centenário da Batalha de La Lys foram visitados os Talhões dos Combatentes da Grande Guerra, nos cemitérios de Marinhas, Esposende e Fão.

45886659_328526691034490_4638167618543419392_n

45887813_303108996968100_2379317165070221312_n

ESPOSENDE ADERE À SEMANA EUROPEIA PARA A PREVENÇÃO DOS RESÍDUOS

Com o intuito de sensibilizar a população para a problemática dos resíduos, em particular a prevenção, a Esposende Ambiente vai assinalar a Semana Europeia para a Prevenção dos Resíduos, entre os dias 17 e 22 de novembro.

SEMANA_EUROPEIA_RESIDUOS

A empresa municipal associa-se a este projeto de nível europeu, através da realização de diversas ações, que visam ajudar a compreender o significado da prevenção de resíduos e a motivar a responsabilização de cada cidadão.

Assim, nos dias 20 e 21 de novembro, dirigido às crianças da Educação Pré-Escolar e alunos do 1.º, 2.º e 3.º ciclos, terá lugar a apresentação do Projeto “A Nossa Casa é um Planeta”, em sessões a decorrer no Centro de Educação Ambiental e no Centro Escolar de Forjães. Este projeto é resultado de um trabalho conjunto das empresas ALGAR, ERSUC, RESIESTRELA, RESINORTE, RESULIMA, SULDOURO, VALNOR E VALORMINHO e contou com o apoio do fundo ambiental e da estratégia nacional de educação ambiental 2020. As temáticas de redução, reutilização e reciclagem são abordadas de forma inovadora, recorrendo a planetários itinerantes e três filmes projetados em 360º, o que possibilita uma dinâmica interativa com os alunos e participantes.

Para a comunidade em geral, realiza-se, no dia 17, entre as 14h30 e as 17h30, no Centro de Educação Ambiental, o workshop “Hoje é dia de: reutilizar trapos!”. Trata-se de uma oficina dedicada à reutilização de tecidos em trabalhos de costura criativa, onde serão apresentadas as potencialidades da reutilização de tecidos em novas peças, demonstrando várias possibilidades de uso em objetos pessoais ou decorativos. Os participantes terão oportunidade de proceder à aplicação e transformação de restos de tecidos de outros usos num projeto de tapeçaria.

Também no Centro de Educação Ambiental, entre os dias 17 e 22 de novembro, estará patente a exposição itinerante da Biorumo “Mais Economia, Menos Plástico”. Esta mostra visa sensibilizar a comunidade educativa e população em geral para uma economia circular na temática plásticos, podendo ser visitada das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h30.

Para mais informações ou para fazer a inscrição nas atividades deverá ser contactado o Centro de Educação Ambiental, através do e-mail cea@esposendeambiente.pt ou do telefone 253 967 147.

ESPOSENDENSES DEBATEM REGULAMENTO DE BEM-ESTAR E SAÚDE ANIMAL

Regulamento Municipal de Bem-Estar e Saúde Animal de Esposende em consulta pública

O Projeto de Regulamento Municipal de Bem-Estar e Saúde Animal de Esposende estará em discussão pública entre hoje e o próximo dia 20 de dezembro.

BEA

Decorrida a fase de apresentação de contributos para a elaboração deste regulamento, o Município apresenta agora o documento que define os princípios fundamentais e orientadores da ação municipal nesta matéria.

Trata-se, pois, de regular no território concelhio a aplicação das normais legais existentes e que contemplam a proibição de atos de violência ou tortura sobre os animais, a proibição do abate por sobrelotação nos Centros de Recolha Oficial (CRO), a proibição do seu abandono e a promoção do bem-estar e saúde animal, bem como as condições de alojamento, manutenção e circulação dos animais de companhia, as medidas tendentes ao necessário controlo da população animal, a adoção e execução de medidas de profilaxia médico-sanitárias, as normas destinadas, nomeadamente, à segurança das populações face à manutenção e circulação de animais perigosos ou potencialmente perigosos.

Durante este período, os interessados poderão consultar o projeto de regulamento junto do Serviço de Atendimento Personalizado da Câmara Municipal ou no site institucional o Município, em www.municipio.esposende.pt.

Caso pretendam, podem formular reclamações, observações ou sugestões, as quais devem ser apresentadas por escrito, dirigidas ao Presidente da Câmara Municipal de Esposende, e remetidas por via postal para Município de Esposende, Praça do Município, 4740-223 Esposende, através de correio eletrónico para o endereço rui.moutinho@cm-esposende.pt, ou entregues no Serviço de Atendimento Personalizado da Câmara Municipal, durante o horário normal de expediente, das 8h30 às 16h00.

IDOSOS DE ESPOSENDE FESTEJAM S. MARTINHO

Os idosos das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS’s) do concelho festejaram, hoje, o S. Martinho, numa festa organizada pelo Município de Esposende, em colaboração com a Santa Casa da Misericórdia de Fão, e que decorreu na Quinta do Souto, em Curvos.

.

A Festa de S. Martinho integra o Ativo Mais, da Rede Social de Esposende, programa que abrange a realização, ao longo de todo o ano, de um conjunto de atividades sócio recreativas, desportivas e culturais tendentes a promover o envelhecimento ativo e bem-sucedido.

.

“É função do Município proporcionar estes momentos de lazer e de convívio à comunidade idosa”, referiu o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, expressando satisfação pelo acolhimento que as atividades do programa de envelhecimento ativo têm tido, nomeadamente as de maior dimensão, a Festa dos Santos Populares e a Festa do Idoso em Fátima.

Garantindo a continuidade da atual política social do Município, Benjamim Pereira assegurou que a comunidade idosa terá sempre uma atenção especial e que são para manter os projetos que têm vindo a ser desenvolvidos. Destacou, a propósito o Coro Sénior de Esposende e a mais-valia deste projeto.

Lembrando que este programa é fruto de trabalho em rede, Benjamim Pereira expressou agradecimentos a todos quantos colaboraram na organização da Festa de S. Martinho, designadamente à Associação Cultural, Artística e Recreativa de Forjães, Associação Social, Cultural e Recreativa de Apúlia, Centro Comunitário de Vila Chã, Santa Casa da Misericórdia de Esposende, Santa Casa da Misericórdia de Fão, Grupo de Solidariedade Social de Antas, Centro Social Paroquial de Fonte Boa, Fundação Lar de Santo António de Forjães, Centro Social da Juventude Unida de Marinhas, Centro Social Juventude de Belinho, Centro Social da Paróquia de Curvos, Centro de Intervenção Cultural e Social de Palmeira de Faro e APPACDM. Agradeceu, ainda, à Delegação de Marinhas da Cruz Vermelha Portuguesa e ao grupo musical Terr’Alegre, que animou a festa.

Além das castanhas e do tradicional caldo verde, a música e a dança foram ingredientes desta festa, onde os participantes tiveram oportunidade de experimentar alguns passos de dança de salão.

.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CELEBRA ACORDO DE COOPERAÇÃO COM A SC BRAGA SAD

Foi hoje assinado o acordo de cooperação, entre o Município de Esposende e a Sporting Clube de Braga SAD, em que o clube bracarense passa a ser o proprietário do complexo desportivo de Fão. Para o presidente da Câmara Municipal de Esposende, este protocolo “ultrapassa a esfera do futebol, na medida em que tem associado uma profunda vertente social”.

_DSC7033 (1)

Este acordo decorre da assinatura do contrato promessa de compra e venda, assinado hoje, entre o CF Fão, a SC Braga SAD e o Município de Esposende, em que o CF Fão prometeu vender à SC Braga SAD o seu “Complexo Desportivo”, incluindo o direito de propriedade do terreno e dos prédios em que o mesmo está instalado e demais direitos conexos com o “Complexo Desportivo”.

Conforme referiu o presidente da Câmara Municipal de Esposende, este processo foi norteado por “total transparência”, resolvendo uma “situação grave que ditaria o fim do CF Fão”. Por isso, Benjamim Pereira considera que “o aproveitamento político deste protocolo é próprio de quem pensa pequeno”. O autarca lembrou, a propósito, que este acordo, além de todo o desenvolvimento desportivo que promoverá, permitirá criar emprego e desenvolver uma zona de Fão, com a construção da variante e toda a dinamização inerente.

Para António Salvador, presidente da SC Braga SAD, este acordo assentou na confiança depositada pelo Município de Esposende no trabalho que o clube bracarense desenvolve. “Somos um clube de futebol, mas sabemos quais as nossas responsabilidades sociais. Além da formação desportiva, acautelaremos a formação cívica e humana de quem adere ao nosso projeto”, disse o presidente dos arsenalistas, apontando o exemplo de outros atletas bem sucedidos, para destacar que as pessoas deste concelho “têm muito talento. Queremos ser um clube de uma região e chegamos à conclusão que este é o local ideal para desenvolver uma parceria”, salientou António Salvador.

Por seu turno, Paulo Campos, presidente do CF Fão, apontou este como “um momento especial para o clube”, na medida em que “o acordo permite resolver muitos problemas e traz para Fão um dos clubes grandes do futebol português”.

Esta transação prevê que a SC Braga SAD assuma o passivo integral do CF Fão, no valor aproximado de 1,5 milhões de euros, assim como garante ao clube fangueiro a utilização do referido complexo. Decorrido o período de 15 anos, poder-se-á verificar a renovação automática do acordo ou, na falta desta renovação, a SC Braga SAD pagará ao Município de Esposende, a título compensatório, o montante de 550.000,00 ME, que serão destinados à criação de condições para que o CF Fão possa prosseguir a sua atividade de cariz desportivo.

No que respeita ao acordo de cooperação propriamente dito, o Município de Esposende compromete-se a executar a construção de uma variante, entre Apúlia e Fão e isenta a SC Braga SAD do custo com licenças, taxas, impostos e demais contribuições, associadas à aquisição do Complexo Desportivo de Fão.

Por seu turno, a SC Braga SAD compromete-se a ampliar o complexo desportivo de Fão, designadamente com a construção de, pelo menos, dois novos campos de treinos e uma unidade hoteleira de apoio às atividades a desenvolver no complexo.

_DSC7085

ESPOSENDE: FÃO REALIZA GRANDE MAGUSTO COMUNITÁRIO

Município de Esposende promove em Fão Magusto-convívio para a comunidade

O Município de Esposende, em colaboração com os agrupamentos folclóricos do concelho e a União das Freguesias de Apúlia e Fão, vai realizar um Magusto-convívio para a comunidade, no próximo dia 18 de novembro, pelas 15h00, no Largo do Cortinhal, em Fão.

magusto

Esta iniciativa é promovida anualmente em itinerância pelas freguesias do concelho, com o intuito de preservar os usos e costumes associados às tradições populares e fomentar o convívio da população com os agrupamentos folclóricos.

As castanhas, o vinho verde e a música popular são os ingredientes da festa de S. Martinho, sendo a população convidada a associar-se ao convívio.

Participarão na iniciativa o Grupo de Cantares e Dançares de S. Paio de Antas, o Grupo de Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia, o Rancho de Fonte Boa, Danças e Cantares de Marinhas, as Moleirinhas de Marinhas, a Ronda de Vila Chã, o Grupo de Divulgação Tradicional de Forjães e o Rancho de Palmeira de Faro.

ESPOSENDE REQUALIFICA AVENIDA CENTRAL DA GANDRA

Avenida central de Gandra entra na segunda fase de obras

Vai arrancar a segunda fase da obra de beneficiação da avenida de S. Martinho, em Gandra. Com um valor de 185 mil euros, esta intervenção com prazo de execução de 162 dias, incidirá no troço entre a rotunda da variante à estrada nacional 13 e a rua Manuel Barros.

.

Com uma distância aproximada de um quilómetro, esta é a principal via de acesso a Gandra. Em 29 de janeiro de 2017, respondendo às necessidades reveladas, foi lançada a primeira fase da obra, no valor de 740 mil euros, possibilitando o lançamento das bases para a beneficiação das condições de circulação, assim como para o fornecimento de diversos serviços à população.

No decurso desta requalificação e infraestruturação da avenida de S. Martinho foi possível beneficiar as redes de saneamento e de abastecimento de água, executar a rede de águas pluviais, alargar a via, construir passeios e baías de estacionamento, plantar árvores e instalar mobiliário urbano.

Esta era uma intervenção há muito reclamada pela Junta de Freguesia e pela população. Por isso, foi integrada no Plano de Investimento nas Freguesias que o Município de Esposende implementou durante os últimos anos.

De facto, esta avenida denotava o desgaste e a deterioração decorrente de muitos anos de intensa circulação, nomeadamente de veículos pesados. Por isso, o Município avançou com a obra, suportando a totalidade dos encargos que, refira-se, ascendem a 925 mil euros, acautelando melhores condições de circulação e de segurança, para automobilistas e peões.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ASSINALA ARMISTÍCIO DA PRIMEIRA GRANDE GUERRA

A encerrar o programa evocativo do Centenário da Primeira Grande Guerra (1914-1918), iniciado em 2014, o Município de Esposende vai assinalar, no próximo domingo, dia 11 de novembro, o calar das armas e o fim deste conflito mundial.

gg

A Evocação do Armistício da Primeira Grande Guerra inicia-se pelas 11h00, altura em que o armistício entrou oficialmente em vigor, com uma largada de pombos, junto ao Museu Marítimo de Esposende. Simultaneamente, nas igrejas do concelho o toque dos sinos assinalará o calar das armas. Segue-se, às 11h30, a visita à exposição “Memórias do Armistício”, que estará patente na Arcada Exterior dos Paços do Concelho.

Já no período da tarde, pelas 17h00, no Auditório Municipal de Esposende, decorrerá a sessão de Evocação do Armistício, com exibição do documentário “Lutaram como Diabos” e Recital de Canto e Poesia “In memorium da Grande Guerra”, com Carla Caramujo (soprano) e João Queirós (piano) e ainda participação dos Poetas/Declamadores Alberto Serra, Bernardete Costa, Álvaro Maio, Isilda Nunes, Jorge Braga e Agostinho Teixeira. A encerrar o programa, às 19h00, na Igreja Matriz de Esposende, será celebrada Missa TE DEUM pelo fim da Guerra.

A Evocação da Primeira Grande Guerra, que integrou um vasto programa de ações ao longo de quatro anos, pretendeu trazer à memória os momentos que marcaram este conflito da História mundial, homenageando aqueles que nele estiveram envolvidos, nomeadamente os 197 combatentes do concelho, 13 dos quais perderam a vida em combate, de acordo com investigação do Consultor da Comissão Executiva da Evocação da Primeira Grande Guerra, Manuel Albino Penteado Neiva.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ESCLARECE SOBRE REGIME DE EXPLORAÇÃO DOS ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL

A Câmara Municipal de Esposende, em parceria com a ACICE - Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende, vai promover uma sessão de esclarecimento sobre o “Regime de exploração dos estabelecimentos de alojamento local”. A ação vai decorrer no próximo dia 12 de novembro, pelas 17h00, no auditório do Centro de Informação Turística de Esposende.

Considerando as alterações legislativas ao regime de autorização de exploração dos estabelecimentos de alojamento local, pretende-se esclarecer os operadores económicos e técnicos sobre as novas diretivas.

No final, haverá espaço para debate, no qual os participantes poderão esclarecer as suas dúvidas.

A participação é gratuita, contudo a inscrição é obrigatória no site www.visitesposende.com.

Sem título-1

ESPOSENDE ALARGA CEMITÉRIO DE BELINHO

Concluída obra de alargamento do Cemitério de Belinho

Realizou-se hoje a cerimónia de bênção da obra de alargamento e requalificação do cemitério de Belinho, concluindo um processo complexo que se arrastava há mais de dez anos e de grande importância para aquela freguesia.

belinho

A obra de ampliação do Cemitério de Belinho decorreu da aquisição de uma parcela de terreno, contígua ao cemitério, com uma área total de aproximadamente 1300 metros quadrados, possibilitando a criação, numa primeira fase, de 93 novas sepulturas, ficando ainda terreno disponível para mais 60. Assim, o investimento global aplicado nesta obra ultrapassa os 300 mil euros, aos quais acresce a verba aproximada de 130 mil euros, aplicados na beneficiação e reperfilamento da rua Padre Azevedo Ribeirão, que passa a dar acesso ao cemitério.

Esta obra encerra um problema que se arrastava há mais de uma década, uma vez que a capacidade do cemitério há muito que se havia esgotado. Lembre-se que a obra de ampliação do cemitério de Belinho inseriu-se no Plano de Investimento nas Freguesias, do Município de Esposende, que contemplou investimentos que rondaram os oito milhões de euros e permitiram realizar obras eleitas pelas Juntas de Freguesias como prioritárias para as suas comunidades.

“O encerramento deste processo é um bom exemplo de diálogo, de negociação e de aproximação, entre o poder local e a população”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

Estamos, assim, perante mais uma obra concluída, cujo seu início ocorreu no mandato anterior e que representa um custo global que ultrapassa os 400 mil euros.

belinho1

belinho2