Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PROJETO DE COMBATE AO INSUCESSO ESCOLAR DE ESPOSENDE ABRANGEU MAIS DE QUATRO MIL ALUNOS

Com a apresentação dos excelentes resultados obtidos, realizou-se hoje, 19 de julho, no Auditório Municipal de Esposende, a sessão de encerramento do Projeto Rumo ao Sucesso, inserido no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado (PIICIE) da CIM Cávado. Estiveram envolvidos cerca de quatro mil alunos, desde a Educação Pré-Escolar ao Ensino Básico e Secundário, num projeto que teve como elemento central a melhoria da qualidade do processo ensino-aprendizagem, contribuindo para uma maior equidade da educação.

rs.jpg

“Sou defensor do mérito, mas, no processo educativo, não pode ficar ninguém para trás. Por isso, o projeto Rumo ao Sucesso dirigiu-se a essa franja de crianças mais frágeis. Os bons resultados alcançados resultaram do excelente trabalho em rede, envolvendo o Município de Esposende, os Agrupamentos de escolas Correia de Oliveira e Rodrigues Sampaio e a Escola Secundária Henrique Medina”, vincou o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, defendendo o enquadramento de projetos desta matriz no próximo Quadro Comunitário de Apoio.

“Não podem os municípios ficar sobrecarregados com competências da administração central. Tem de haver um esforço coletivo”, defendeu Benjamim

Pereira, aludindo ao facto de o Plano de Recuperação e Resiliência apenas contemplar grandes projetos nacionais.

Ricardo Rio, presidente do Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Cávado, destacou o “esforço recompensado pelos resultados alcançados” e que muito contribuem para esbater as elevadas taxas de retenção que, no início da implementação deste Projeto, assumiam valores elevados no âmbito da CIM do Cávado.

Sobre a continuidade do projeto, indefinição que preocupa a comunidade escolar e os responsáveis políticos, Ricardo Rio garantiu que, “caso não seja alvo de financiamento, poderão sempre os municípios garantir a sua concretização”, apontando o Quadro Comunitário 2030 como referência para a criação de um novo programa desta natureza.

Angélica Cruz, Vereadora da Educação, destacou a “evidência dos resultados alcançados, após uma execução que superou as expectativas. Tínhamos a meta de envolver 2547 alunos e alcançamos 4174. Chegamos a 565 famílias, com as quais realizamos 896 sessões parentais”.

Assim, Angélica Cruz sintetiza o alcance do projeto na “convergência” dos diversos agentes para criar sinergias, na “ação” que decorreu da capacidade de adaptação às circunstâncias e aos contextos escolares e na “complementaridade” conseguida através de novos recursos humanos e materiais que permitiu “construir” melhores níveis de motivação e de autoconfiança dos alunos.

Na avaliação de impacto do projeto, António Baptista, consultor científico do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar da (CIM Cávado), vincou a responsabilidade que há em não deixar cair a interação, definindo o projeto de combate ao insucesso escolar como “dimensionado para alunos que necessitam de ajuda” e sustentou o sucesso do projeto na melhoria significativa da prestação letiva dos alunos.

Em representação das direções das unidades orgânicas, Manuela Ferreira, da Direção da Escola Secundária Henrique Medina, lembrou que, decorrente deste projeto, “temos melhores alunos, não só do ponto de vista académico, mas sobretudo humano, comportamental, social e emocional”. Já Manuel Meira, diretor do Agrupamento de Escolas António Correia de Oliveira, apontou o projeto como meio “enriquecedor das comunidades escolares e das experiências dos alunos”. Paula Cepa, diretora do Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio, afirmou que o projeto foi “um sucesso pleno, devido ao envolvimento de toda a comunidade”.

Sofia Freitas, psicóloga que colaborou na implementação do projeto, apresentou o Manual de Boas Práticas que fez uma breve retrospetiva do processo de montagem técnico-institucional do Projeto, e da metodologia de intervenção diferenciadora e aglutinadora dos diversos recursos afetos ao mesmo.

Sandra Macedo, consultora pedagógica do Projeto, recordou a complexidade do contexto em que decorreram os dois últimos anos de aplicação do projeto “e apesar disso, chegou a todos, com muito sucesso e em perfeita sintonia com os normativos legais no âmbito da flexibilidade e da autonomia curricular.

Paula Santos, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, lembrou que ainda “há muito a fazer para continuar a melhoria da aprendizagem das crianças”, tal como José Maria Azevedo, em representação da mesma Autoridade de Gestão do Programa Operacional Norte 2020, que defendeu “condições para que não haja descontinuidade” do projeto.

Rafael Amorim, da Comunidade Intermunicipal do Cávado, lembrou que “melhor que os resultados é que as crianças sejam felizes e as famílias estejam bem. Para isso, é fundamental que este projeto prossiga”.

Esta postura enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas.

rs3.jpg

rs4.jpg

ESPOSENDE: PRAIAS DE OFIR E SUAVE MAR ONLINE PARA TODO O MUNDO

Agora já é possível visionar em tempo real, a partir de qualquer parte do mundo, as praias de Ofir e de Suave Mar, no concelho de Esposende.

suavemar5.jpg

Através do portal de turismo www.visitesposende.com ou do site do MEO Beachcam qualquer cidadão poderá aceder ao livestreaming captado através de duas webcams instaladas nestas praias. Este novo equipamento, instalado pelo Município e criado no âmbito do projeto “Esposende – Estação Náutica”, permite visualizar estas praias 24 horas por dia, sete dias por semana e em tempo real. Deste modo, é possível confirmar as condições meteorológicas, o estado do mar e perceber a ocupação da praia, sendo que está prevista a instalação de mais duas webcams, nomeadamente na Praia de Apúlia e no Estuário do Cávado, em Esposende.

Numa altura em que o regresso faseado à normalidade requer cuidados adicionais, os interessados poderão recorrer a estas imagens para aferir o estado destes destinos balneares. Esta ferramenta é também de extrema utilidade para os praticantes de desportos náuticos, como surf, bodyboard, kitesurf, entre outros, na medida em que poderão verificar o estado do mar e demais condições das praias.

Com a disponibilização desta ferramenta, que se enquadra na estratégia turística do Município, Esposende está a contribuir para a divulgação e promoção do seu território enquanto Estação Náutica, neste particular na valorização das suas praias, reconhecidamente eleitas como destinos balneares de qualidade, como, de resto, é comprovado pelo elevado número de pessoas que elegem Esposende para destino de férias ou simplesmente para uma visita, ao longo de todo o ano.

São objetivos estratégicos da Estação Náutica de Esposende a oferta turística integrada, com base nas potencialidades da economia azul, sendo as atividades náuticas consideradas um produto turístico âncora. Pretende-se, ainda, potenciar uma oferta turística multipolar entre os distintos produtos: turismo náutico, turismo de sol e praia, turismo cultural e criativo, turismo de natureza, turismo de recreio e lazer, festas e romarias, turismo acessível e gastronomia e vinhos. Neste contexto Esposende integra, ainda, a plataforma online para promoção da oferta da Rede das Estações Náuticas de Portugal - www.nauticalportugal.com. Com conteúdos em Português, Inglês, Francês e Espanhol, disponibiliza, de forma intuitiva e acessível, informação sobre as 23 Estações Náuticas certificadas e a oferta turística assegurada pelos respetivos parceiros, constituindo-se como uma “Rota do Náutico”, que percorre todo o território continental.

suavemar6.jpg

ofir_panoramica.jpg

ofir_panoramica2.jpg

suavemar_panoramica.jpg

suavemar1.jpg

suavemar2.jpg

suavemar3.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE PROTOCOLA COM INFRAESTRUTURAS DE PORTUGAL INSTALAÇÃO DE SEMÁFOROS EM ANTAS

O Município de Esposende aprovou, hoje, o acordo de gestão com a Infraestruturas de Portugal S.A. com vista à instalação de semáforos na Estrada Nacional 13, no Cruzamento da Foz do Neiva, em Antas.

20210716_114533.jpg

O acordo define os procedimentos quanto à instalação, manutenção e exploração das infraestruturas e do equipamento semafórico na interseção localizada na EN13 com a EM546, o qual irá vigorar por um período de dez anos, automaticamente renovável por iguais períodos.

Tal como sucede relativamente ao processo de instalação de semáforos que está a ser concretizado no cruzamento da Estrada Nacional (EN) 305, com a EN103-1, em Palmeira de Faro, também no caso de Antas será o Município a suportar os encargos relativos à instalação dos equipamentos semafóricos, bem como ao fornecimento da energia necessária ao seu funcionamento.

Apesar da existência de semáforos nesta interseção entre as ruas Foz do Neiva e a Padre Apolinário Rios, impõe-se o reforço e reorganização do sistema, de forma a garantir maior operacionalidade. Esta intervenção vem, assim, solucionar o problema de segurança rodoviária neste local, enquadrando-se no cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

20210716_114730.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE INVESTE NO TRANSPORTE ESCOLAR

Esposende prevê investir cerca de 746 000 euros em transporte escolar no ano letivo 2021/2022

O Município de Esposende aprovou, no dia 15 de julho, em reunião de Câmara e por unanimidade, o Plano de Transporte Escolar e as respetivas Normas de Gestão para o próximo ano letivo. Em causa está um investimento de 746.453,03 euros, abrangendo um universo previsível de 2 516 alunos.

CME.jpg

Este instrumento de planeamento da oferta de serviço de Transporte Escolar entre o local da residência e o local dos estabelecimentos de ensino da rede pública frequentados pelos alunos, foi previamente submetido à discussão e votação do Conselho Municipal de Educação, tendo sido emitido parecer favorável, por unanimidade.

A legislação em vigor determina e circunscreve a gratuitidade de transporte escolar aos alunos do Ensino Básico que residam a mais de três quilómetros do estabelecimento de ensino que frequentam. No que se refere ao concelho de Esposende, a distância foi reduzida para os 2 quilómetros em vez dos 3 quilómetros e haverá também comparticipação da totalidade do custo do transporte escolar para os alunos do Ensino Secundário, com recurso ao apoio do financiamento do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART), enquanto esta medida vigorar, ou seja, até ao final do corrente ano.

A materialização do Plano de Transporte Escolar enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere aos ODS 4 - Educação de Qualidade, ODS5 – Igualdade de Género, ODS 10 – Reduzir as desigualdades, ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

QUEM É O MESTRE PINTOR FERNANDO ROSÁRIO – NATURAL DE ESPOSENDE – QUE CELEBRA MEIO SÉCULO DE CARREIRA ARTÍSTICA?

As gentes de Esposende – e do Minho – têm no Mestre Fernando Rosário o pintor exímio que retrata na tela, com cores vivas e intensas, a fisionomia das gentes de Esposende, revelando as suas alegrias e angústias, a bondade e a dureza da vida, o sentimento devoto e a expressão firme de quem ousa enfrentar o mar. Qual ourives burilando a mais requintada peça de filigrana, Fernando Rosário vai muito além da imagem superficial, ele capta a alma, o sentimento e a grandeza das personagens retratadas, pessoas simples que são as nossas gentes.

capa2a.jpg

Fernando da Silva do Rosário, filho de Joaquim do Rosário e de Eva Gonçalves Ferreira da Silva, natural de Esposende, nasceu a 30 de Janeiro de 1950.

O Pintor Fernando Rosário desde muito cedo demostrou o seu talento para a pintura e desenho sendo reconhecido e admirado pelos seus professores já nos bancos da Escola Primária.

Vindo de uma família das mais numerosas e humildes da Vila, agora Cidade, de Esposende é o quarto dos catorze filhos. Aos 13 anos foi para Viana do Castelo trabalhar e frequentou o Curso Comercial noturno, vindo depois mais tarde aos 15 anos enveredar pela carreira profissional que mais desejava de desenhador e maquetista numa litografia na cidade de Braga que na altura era uma verdadeira escola de grandes artistas.

316056_104244193015442_6175134_n

Em Novembro de 1971 foi chamado a cumprir o serviço militar em Lisboa e em 26 de Dezembro do mesmo ano, casa-se com Cristina L. Eiras. É mobilizado para cumprir o serviço Militar em Timor Leste em comissão de 1972 a 1974, aí aproveita o tempo e faz exposições temáticas como “Timor Sua Terra, Suas Gentes e Seus Trajes”, e concorre a vários concursos sobre “ Timor O Nosso Cartaz Turístico” e outros onde recebe menções honrosas e é premiado com primeiro prémio dos concursos.

Colaborou na imprensa local daquele território português no Pacífico. Findas as obrigações, regressa a Portugal e retoma a sua profissão em Braga como desenhador do 4º ano, durante mais quatro anos. Em 1978 regressou à sua Terra Natal Esposende, vindo a estabelecer-se na freguesia de Marinhas com o seu ateliê de pintura e ao mesmo tempo com fotografia; terra essa do grande Pintor Henrique Medina que um dia quis conhecer o artista Fernando Rosário. Fizeram grande amizade ao ponto de se encontrarem várias vezes para de falarem de pintura; várias vezes na casa dele em “Goios” nesta mesma freguesia. Esta convivência com este grande pintor vem proporcionar a Fernando Rosário uma útil aprendizagem, fazendo alguns trabalhos que o Mestre Medina não podia aceitar.

Após este ciclo na sua vida, inicia um novo ciclo a todos os níveis. Continuou a pintar cada vez mais, multiplicando o sucesso com exposições e redobrado acolhimento e admiração

Sendo no retrato a disciplina com que mais se identifica, este artista esposendense é um valor Consagrado com reconhecido Mérito, e percurso bem próprios no panorama Artístico Cultural Nacional e no Estrangeiro. As suas exposições e obras foram-se sucedendo por muitos lugares do nosso país. Nelas exprimiu a sua superior capacidade em registar os processos de transformação do sítio do imaginário à realidade. Alimenta a memória coletiva e a identidade da comunidade e oferece-a como fonte da historiografia local.

Em 15 de Agosto de 2009, recebe de Sua Santidade Bento XVI, uma “Bênção Apostólica em Penhor de Graças pelo Seu Talento e Amor há Arte”.

No dia 15 de Fevereiro de 2012, foi recebido por Sua Santidade Bento XVI em Audiência Geral do Sumo Pontífice no Vaticano, para lhe entregar a sua própria Paleta com o Retrato pintado de Sua Santidade, aquando a vinda Dele a Portugal e passando por Fátima enviando a Paz para todo o Mundo através do recinto da Nossa Senhora de Fátima, “O Altar do Mundo”.

Em 18 de Agosto de 2008 por altura do Dia do Município, foi Galardoado pelo Presidente do Município com a Medalha de Mérito Cultural do Município de Esposende.

Em 2010 foi- lhe Prestada a Homenagem, com um livro e mostra dos seus trabalhos numa Exposição de Pintura no Antigo Teatro Club, agora transformado em Casa Museu dos Azulejos, nesta Cidade de Esposende, nas Comemorações do 1º Centenário deste Museu.

O Mestre Fernando Rosário, está representado, entre muitas outras, galerias de retratos a óleo. É para ele bem representativa a Galeria de Retratos dos Antigos Professores da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, com 33 retratos expostos na Sala do Conselho Científico, de sua autoria, inaugurada em 05 de Dezembro de 2006, tendo sido lançado um livro um ano depois com os Retratos de todos os Professores e respetiva biografia, patrocinado pela Fundação Eng.º António de Almeida, na pessoa do seu representante e “Presidente da Fundação” Doutor Fernando Aguiar Branco; tendo mais três outros retratos de antigos Professores na mesma Universidade, sendo um deles, fundador da Biblioteca da Universidade em 1911, e outro mais antigo tendo sido professor do Príncipe Filipe. Segue-se agora outra galeria dos Antigos Presidentes da Faculdade de Letras da mesma Universidade.

Além destas também está representado na Faculdade de Direito, Faculdade de Engenharia e Reitoria do Porto, e na Academia Portuguesa de História em Lisboa com cinco retratos. Na Fundação Eng.º António de Almeida com o próprio Fundador e sucessores presidentes da mesma, no Porto. Todavia a obra deste grande pintor é mais extensa e qualificada.

É também a “Arte Sacra” a sua mais-valia. É a expressão mística do Divino e do celestial, onde a perfeição e a grandeza transcendem o humano e lhe dão alma numa plenitude de verdadeira eternidade. O observador é fascinado pelo mistério do seu talento, do sentimento e do carisma ímpar que irradia o perfume do intangível e sobrenatural, saindo da mão firme e hábil do pintor.

O encantamento multiplica-se, a tela ganha cor e vida, os olhos das suas personagens envolvem-nos em ambiências e caminhos de serena inquietude. A narrativa Bíblica transforma-se em real, o cenário que envolve torna-se comum, e o tempo uma companhia permanente no momento mágico.

10277740_505218246251366_5889294254967798896_n

Por fim, de todos estes trabalhos que desenvolveu, resulta um conjunto de louvores e menções honrosas públicas de várias entidades da vida Académicas, Científica, Eclesiásticas, Individualidades Civis, Culturais e Sociais do Nosso País e fora dele.

Não tenho dúvidas que Fernando Rosário possui a inegável magia dos Deuses da arte, explora o traço, a côr, a técnica e a mística das artes plásticas com a naturalidade de um Mestre que a vida prendou e que a arte chamou a si. Seria fácil filosofar sobre uma qualquer teoria, com a intenção de enriquecer o seu trabalho, de o submeter a uma crítica ou de criar histórias sobre a sua história; o que não faltaria seria tema. Fernando Rosário espelha nas suas telas os seus sentimentos. Em cada quadro deixa um bocado de si e, na mestria do seu imaginário constrói a arte: pincelada a pincelada, olhar a olhar. E talvez seja por esta lenta e precisa construção ser tão sentida, tão vivida, que quem o conhece não precise de filosofar ou de criar qualquer teoria para definir a sua obra. Como ele, ela é transparente e honesta, é sentimento, é razão, é arte.

(Do Poeta Escritor e amigo Jorge Braga).

Em conclusão o Mestre Fernando Rosário como lhe chamam na terra dos Doutores e quem bem conhecem as suas obras e a sua simplicidade é um Autodidata; aprendeu fazendo, não se descurando nunca da sua formação. Nela investiu muito do seu talento e esforço. Além disso, preocupando-se com o saber do próximo, Fernando Rosário passou a ministrar os seus conhecimentos no seu ateliê, onde muitos filhos desta terra ”bebem” deste mesmo saber que transmite com dedicação e desprendimento. O Mestre Fernando Rosário possui um curriculum invejável pelas muitas e variadas Personalidades que tem vindo a retratar tais como:

Presidente, beneméritos e mais Membros da Academia Portuguesa de História

Presidentes e fundador da Fundação Eng.º António de almeida no Porto

Professor Doutor Edivaldo M. Boaventura – Universidade Federal da Bahia (Brasil)

Pintou Grandes Personalidades Civis e Militares, Juízes e Advogados, Médicos, Cirurgiões, Presidentes de Câmaras, Homens e Mulheres que se destacaram na Vida Social, grandes Beneméritos, Homens Bons e Generosos, Simples e Valentes Homens do Mar, Sábios da nossa História e Cultura Portuguesa em geral, Arcebispos, Bispos, Cónegos, Monsenhores e mais Membros do Clero.

 Fernando Rosário pintou algumas dezenas de telas originais para muitas e variadas Igrejas do nosso País.

Em 1980, dedicou-se ao Estudo e Técnica da “Arte do Restauro, “adquirindo conhecimentos e experiências com materiais apropriados para uma melhor conservação. Desde então recuperou umas centenas de telas de grandes dimensões e de grande valor artístico, de grande beleza. Antiguidades centenárias de cariz religioso, “Arte Sacra” que muito admira e gosta de fazer; colocada em muitos lugares de culto, como na Igreja da Sé de Braga “Cidade dos Arcebispos”, principalmente para o Museu da mesma. No Passo Episcopal, na capela de S. Geraldo da Sé; em muitas Misericórdias e outras Instituições de Norte a Sul do país.

Como um grande Amigo e intelectual disse: o seu Curriculum é fruto de tudo que tem feito ao longo da vida apenas só com o seu talento.

Em Dezembro de 2011 concluiu o nono e décimo segundo Ano no Sistema de Reconhecimento e Validação de Competências na Escola Secundária Henrique Medina.

Em 10 de Abril de 2012 concluiu, com aproveitamento o CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES na Área das Arte Educação Visual e Tecnológica. Meses depois recebe o CERFIFICADO DE COMPTÊNCIAS PEDAGÓGICAS, pelo INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP.

Fernando Rosário casou-se em 26 de Dezembro de 1971 com Cristina Loureiro Eiras, ambos naturais desta Cidade de Esposende, residentes na Rua Dr. Alexandre Tores Nº 58. Já com uma numerosa família composta por três filhas, sendo as duas mais velhas casadas, tem três netos tendo o mais velho 13 anos. O Pintor continua a trabalhar, a ter sonhos enquanto puder e Deus quiser.

1981- 18 De Agosto na Câmara M. de Esposende

1984- Em Outubro – Câmara Municipal de Esposende

1991- 15 De Agosto – – Câmara Municipal de Esposende

1993- Casa do Minho em - Lisboa

1994- De 04 a 12 de Fevereiro-Estalagem Estela Sol, - Povoa de Varzim

1994 Hotel do Pinhal- de 17 a 26 de Outubro

1996- Em 25 de Janeiro -Santa Casa da Misericórdia de Barcelos

1998 – Salão Nobre do Centro social de Lavra – Matosinhos

2006 – Junho - Santa Casa da Misericórdia de Barcelos

2008 - Pela Páscoa - Câmara Municipal de Esposende

2011 – De 18 a 16 de Outubro, Museu M. de Esposende

2012 – De 03 a 30 do Mês de Abril - No Museu Municipal de Esposende, - Arte Sacra

Paço Episcopal de Braga e em muitas Misericórdias, igrejas Salões nobres de Bombeiros como de Vila das Aves e outras instituições de Norte a Sul do país.

10308232_506320032807854_4891407737486323477_n

ESPOSENDE: PINTOR FERNANDO ROSÁRIO COMEMORA 50 ANOS DE PINTURA COM O LANÇAMENTO DE UM LIVRO A APRESENTAR A SUA OBRA

Venho por este meio comunicar-vos que, no dia 7 de agosto, pelas 15 horas, no Auditório Municipal de Esposende, terá lugar o lançamento de um livro, comemorativo dos meus 50 anos de pintura.

capa2a.jpg

Da responsabilidade de uma editora do Porto, é uma edição de luxo, capa dura e cerca de 250 páginas, de que constará a biografia do autor e uma grande parte da sua obra.

Para o enriquecimento da mesma, muito contribuiu a escrita de diversos textos, por parte de algumas das mais destacadas figuras da cultura esposendense e não só.

BIÓLOGO NUNO GOMES OLIVEIRA VISITA REDE DE OBSERVATÓRIOS DA NATUREZA EM ESPOSENDE E DEIXA VÁRIOS AVISOS SOBRE AS ESTRUTURAS LOCAIS

A convite da Associação Cidadãos de Esposende, um dos mais prestigiados biólogos nacionais esteve em Esposende para avaliar alguns pontos marcados como de interesse turístico e paisagístico no concelho de Esposende, espaços englobados na Rede de Observatórios da Natureza.

Biologo Nunes de Oliveira.JPG

Nuno Gomes Oliveira é Doutorado em Biologia pela Univ. de Coimbra, licenciado em Biologia pela Univ. de Bordéus e diplomado em Ecologia Humana pela mesma Universidade, foi fundador em 1974, do Núcleo Português de Estudo e Proteção da Vida Selvagem e autor dos projetos Parque Biológico de Gaia, Parque Biológico de Vinhais, Reserva Natural Local do Estuário do Douro é autor de vários livros e centenas de artigos e palestras.

A visita às estruturas teve início no “Observatório de Esposende”, localizado a escassos metros da marginal de Esposende que foi imediatamente catalogado como “uma peça interessante”, mas não como um observatório de aves já que o acesso e posição de observação estão erradas, deixando Nunes de Oliveira a indicação que seria importante investir na ajuda de um ornitólogo experiente que certamente teria obtido resultados muitos melhores.

O segundo local visitado, a “Torre de Observação Panorâmica de Belinho”, uma estrutura com 12 metros de altura, que para Nunes de Oliveira fase ao seu deplorável estado de conservação aconselha à urgente reparação ou desmontagem, sendo ainda alvo de reparo a localização, exatamente do lado oposto ao que seria previsto num observatório.

A última estrutura visitada, “Observatório da Redonda” em Marinhas foi também alvo de reparos, para o Biólogo Nunes de Oliveira é um observatório em que pouco se observa já que esta mal posicionado algo tão primário como a aproximação não foi tida em conta.

Para o prestigiado Biólogo os locais visitados em Esposende são investimentos feitos sem critérios técnicos e condenados à falta de manutenção o que os torna/tornou rapidamente obsoletos, sendo motivo (eles próprios) de degradação da paisagem.

A Associação Cidadãos de Esposende já tem previsto a visita para o próximo mês de mais uma personalidade nacional com o objetivo de analisar a segurança na Ecovia do Litoral Norte.

MIA COUTO ENCERRA PRESENÇA EM ESPOSENDE COM PROMESSA DE REGRESSAR

A encerrar o programa do Encontro com Mia Couto, Prémio Literário Manuel de Boaventura 2021, promovido pelo Município de Esposende, decorreu, esta manhã, no Bar da Praia, em Esposende, a tertúlia “Mar me Quer”, título que dá nome a uma das obras do escritor moçambicano. Em representação do Município, marcou presença na iniciativa a Vereadora da Educação e Cultura, Angélica Cruz.

miaesposende (1).jpg

Num ambiente informal e descontraído, com a restinga e o mar de Esposende como pano de fundo, foram muitos os que quiseram aproveitar a oportunidade para um contacto mais próximo com o escritor. Apesar das limitações decorrentes da atual situação pandémica, o encontro traduziu-se num momento de convívio e de partilha, que reuniu pessoas de todas as idades, tendo iniciando com a interpretação do poema “Foi para ti”, de Mia Couto, por Raquel Boaventura Rego, familiar do escritor Manuel de Boaventura.

Como nota prévia, a responsável pela Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, Luísa Leite, que moderou a conversa juntamente com a professora Cláudia Sá, da Escola Básica António Correia de Oliveira, de Esposende, referiu que o Bar da Praia é um café icónico da cidade, que remonta às décadas de 40/50 do século XX, lembrando que o mítico bar é referido no texto sobre Esposende “A morte da água”, da autoria do escritor Ruy Belo.

Alguns alunos do clube de jornalismo da Escola Básica António Correia de Oliveira não quiseram perder a oportunidade de privar com tão grande nome da literatura e de ficar a conhecer melhor o escritor e a sua obra, tendo aproveitado para colocar diversas questões, relacionadas tanto com a sua atividade de escritor como de biólogo, tendo presenteado Mia Couto com o primeiro número da revista do Clube de Jornalismo. O escritor agradeceu a oferta e saudou a presença dos alunos e a pertinência das questões colocadas, considerando que “a qualidade de uma escola mede-se pela qualidade das perguntas colocadas pelos alunos”.

Do demais público presente surgiram as mais variadas questões em torno da sua atividade literária, clarificando Mia Couto aspetos sobre algumas das suas obras em particular e o processo criativo, bem como o seu posicionamento sobre temas atuais. O escritor assumiu que “Terra Sonâmbula”, o seu primeiro livro de prosa, constitui a sua obra de eleição, atendendo ao tema que retrata, a guerra civil, onde perdeu amigos, e afirmou que “doeu fazer”. Questionado sobre como gostaria de ser recordado, Mia Couto afirmou que a sua grande aposta “é ser uma pessoa boa, um homem bom”, clarificando que, apesar de a escrita ser o centro da sua alma, é o contacto com as pessoas que o preenche.

Na despedida, o vencedor do Prémio Literário Manuel de Boaventura 2021 reiterou a vontade de regressar a Esposende, numa outra oportunidade, assumindo que “esta terra ficou-me no coração”.

Tal como as duas anteriores iniciativas do Encontro com Mia Couto, também esta tertúlia terminou com um momento de convívio e sessão de autógrafos.

miaesposende (2).jpg

miaesposende (3).jpg

miaesposende (4).jpg

miaesposende (5).jpg

ESPOSENDE PROMOVE ENCONTRO COM MIA COUTO PRÉMIO LITERÁRIO MANUEL DE BOAVENTURA 2021

O Encontro com Mia Couto, Prémio Literário Manuel de Boaventura 2021, que o Município leva a efeito aproveitando a presença do escritor moçambicano em Esposende, teve ontem, dia 10 de julho, outro grande momento. Depois da sessão de entrega do Prémio, realizada no dia 9, o Auditório Municipal de Esposende acolheu a primeira das duas tertúlias do programa, proporcionando um contacto mais próximo e intimista com o escritor e um maior conhecimento da sua obra.

OJ4A4233.jpg

Tendo por base o título da obra de Mia Couto “Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra”, o escritor esteve à conversa com o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, e o docente universitário, Sérgio Guimarães Sousa, presidente do júri do Prémio Literário Manuel de Boaventura. Uma conversa informal, onde o público presente e via online, através do facebook do Município, teve oportunidade de ficar a conhecer melhor o escritor, biólogo de formação. Foram quase duas horas de animada tertúlia, num primeiro momento de conversa entre os três convidados e, depois, de interação com o público, que teve, deste modo, oportunidade de colocar questões e/ou partilhar ideias com Mia Couto.

Sérgio Guimarães Sousa voltou a destacar a peculiar sensibilidade do vencedor do Prémio Literário Manuel de Boaventura e que todos puderam perceber neste apreciado momento de partilha, onde ficou igualmente patente o seu natural sentido de humor.

Considerando que o escritor teve oportunidade de visitar, durante o dia de sábado, alguns locais e equipamentos do concelho, o Presidente da Câmara Municipal quis saber, após esse contacto, a sua opinião sobre Esposende, que, na véspera, apelidou de “preciosidade”. Mia Couto referiu a diversidade de Portugal, notando que a oralidade é uma das caraterísticas do Norte, que encontrou refletida em Esposende. Falou de uma “sensação de familiaridade” e de “um sentimento de tempo, de história, que está presente do ponto de vista da construção”. Notou que “as terras são feitas de pessoas” para dizer que foi muito bem acolhido em Esposende: “sinto-me em casa, sinto-me em família. Esposende seria um local onde eu acordaria e sairia para a rua com vontade de encontrar gente”.

A “apetência para a sabedoria de ficar calado” e a vontade de ouvir histórias fez dele escritor e a pessoa sensível, que vive em relação com a natureza. “Infeliz é o escritor que pensa em prémios”, afirmou, confrontado com o facto de a sua obra “Terra Sonâmbula” estar entre os doze livros africanos mais importantes do século XX. Clarificou que o maior reconhecimento que pode receber é a sua escrita tocar alguém.

O escritor revelou algumas das suas referências na literatura e falou sobre a obra “O Mapeador de Ausências”, que lhe valeu o Prémio Literário do Município de Esposende, bem como sobre o exercício da escrita, nem sempre pacífico. Pronunciou-se sobre alguns aspetos da sociedade atual, desde a educação à saúde, e comentou, num registo descontraído e humorístico, citações de alguns escritores.

No final, esteve disponível para mais uma sessão de autógrafos, tendo sido presenteado pelo Presidente Benjamim Pereira com um conjunto de publicações do Município, entre as quais o livro “Esposende – Tempo de Lugares e de Memória”, uma espécie de álbum com citações de escritores que escreveram sobre Esposende, que motivou o autarca, em tom de brincadeira mas falando sério, a desafiar Mia Couto a seguir-lhes o exemplo.

Recorde-se que Mia Couto, aquando da entrega do Prémio, manifestou disponibilidade para contribuir para o enriquecimento cultural do Município, indo ao encontro da vontade então expressa por Benjamim Pereira de que o escritor seja embaixador de Esposende.

OJ4A4218.jpg

OJ4A4224.jpg

OJ4A4230.jpg

ESPOSENDE: MIA COUTO RECEBEU PRÉMIO LITERÁRIO MANUEL DE BOAVENTURA 2021

Mia Couto, o vencedor do Prémio Literário Manuel de Boaventura 2021, manifestou vontade de contribuir para que “Esposende seja reconhecida como um centro de produção cultural”. O escritor falava na sessão de entrega da terceira edição do Prémio, que decorreu esta tarde, no Auditório Municipal de Esposende, assumindo, assim, a vontade de regressar a Esposende para conhecer melhor o Município e beneficiar do seu rico património cultural.

miacoutoesposende (1).jpeg

A propósito da visita que, hoje, realizou à Casa de Manuel de Boaventura, imóvel que o Município de Esposende adquiriu recentemente, Mia Couto partilhou memórias para, a partir daí, explicar que a génese do livro “O Mapeador de Ausências”, que lhe valeu o Prémio Literário Manuel de Boaventura, foi partilhada com Patrícia, a sua companheira, com a sua filha mais velha e com o responsável editorial em Portugal, pois “não existe um único autor”.

Na busca de informação sobre o concelho, o escritor moçambicano descobriu um trecho de Agustina Bessa Luís dedicado a Esposende, em que a escritora refere o seu “…apego profundo à natureza marítima das coisas e das pessoas…”. Mia Couto concluiu que “o trabalho do escritor é como o do sargaceiro, trazendo para terra não apenas coisas do mar mas o próprio mar”.

Pela primeira vez em Esposende, Mia Couto assumiu que se deixou encantar por este território, que apelidou de “preciosidade”, e manifestou a disponibilidade para colaborar com o Município na materialização de eventos culturais que possam enriquecer culturalmente o concelho. “Estou completamente disponível”, declarou.

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, enquadrou a atribuição do Prémio Literário Manuel de Boaventura na estratégia cultural do Município. Referiu que, neste contexto, se insere, para além do Prémio, a reedição das obras de Manuel de Boaventura e a recente aquisição daquela que foi a sua moradia em Palmeira de Faro, para transformação em Casa-Museu, notando que a salvaguarda deste património e demais espólio de Manuel de Boaventura é da maior relevância.

Sobre o Prémio Literário, Benjamim Pereira afirmou que esta terceira edição, à qual concorreram 104 obras, de vários países de língua portuguesa, deu “um salto qualitativo”, ficando associada a “uma referência na literatura”. Atendendo ao prestígio de Mia Couto, o Município entendeu englobar no programa mais dois momentos, duas tertúlias, que irão decorrer amanhã e domingo. “Importa desfrutar da presença de Mia Couto”, assinalou, considerando que a estadia de três dias possibilitará ao escritor conhecer Esposende e deixar-se seduzir por este “Privilégio da Natureza”. Concluiu, apelando a Mia Couto para ser embaixador de Esposende, “levando pelo mundo todo um pouco desta terra que o acolhe plena de admiração e respeito pelo seu trabalho”.

Na qualidade de Presidente do Júri, Sérgio Guimarães Sousa, apresentou o enquadramento do Prémio, de periodicidade bienal, referindo que foi instituído com o objetivo de homenagear e divulgar o escritor e homem de cultura Manuel de Boaventura, bem como de incentivar a criatividade literária e o gosto pela escrita. Manifestou satisfação pessoal por participar de tão importante evento, atendendo à admiração que nutre por Mia Couto, enquanto escritor e como pessoa, e deu nota da qualidade literária da obra “O Mapeador de Ausências”, tecendo rasgados elogios ao autor. Realçou ainda a sua “intuição fabulosa” e “grande sensibilidade”, que, de resto, salientou, já lhe valeram a conquista de conceituados prémios literários. A terminar, Sérgio Guimarães Sousa expressou palavras de agradecimento ao Município de Esposende.

A sessão de entrega do prémio foi iniciada por um momento musical, a cargo da intérprete esposendense Raquel Boaventura Rego, familiar do escritor Manuel de Boaventura. Em declaração à cantora, Mia Couto elogiou a sua qualidade da sua interpretação e manifestou-se comovido pela adaptação musical do seu poema intitulado “Foi para ti.”

miacoutoesposende (2).jpeg

miacoutoesposende (3).jpeg

miacoutoesposende (4).jpeg

miacoutoesposende (5).jpeg

miacoutoesposende (6).jpeg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CONTINUA A APOIAR JUNTAS DE FREGUESIA DO CONCELHO

O Município de Esposende aprovou, em reunião do executivo e por unanimidade, a atribuição de apoios financeiros à Junta de Freguesia de Antas e à Junta da União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, no montante global de 11.847,27 euros.

CME

Para Antas será transferido o montante de 7,089,06 euros, destinado a custear o valor remanescente da obra de requalificação da Rua da Carvalha, concretizada pela Junta de Freguesia. Trata-se de uma via que integra o percurso do Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela, sendo que a pavimentação e alargamento se traduziu na melhoria efetiva das condições de circulação rodoviária e pedonal.

À Junta de Freguesia da União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra o Município concedeu um apoio financeiro de 4.758,21 euros, para suportar as despesas inerentes à reparação de um autocarro, garantindo a sua operacionalidade ao serviço da comunidade. O autocarro em causa encontra-se diariamente ao serviço da população, das associações e das escolas da freguesia e também do concelho, assegurando, de forma contínua o apoio no transporte para atividades desportivas, culturais e sociais.

A concessão destas verbas enquadra-se na política de apoio do Município às Juntas de Freguesia e da salvaguarda do interesse público, inserindo-se também nas metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU. Estas intervenções integram o Plano de Investimento nas Freguesias.

CENTRO DE INFORMAÇÃO TURÍSTICA DE ESPOSENDE ACOLHE EXPOSIÇÃO DE CERÂMICA DE CLAIRE MACA

O Centro de Informação Turística (CIT) de Esposende acolhe, até ao próximo dia 30 de julho, uma Exposição de Cerâmica, intitulada “Floribelgium”, da autoria de Claire Maca.

Exposição Claire Maca (3).jpg

A sessão de abertura teve lugar no passado dia 2 de julho, na presença da Vereadora da Cultura da Câmara Municipal, Angélica Cruz, e da vice-presidente, Alexandra Roeger.

Esta exposição é fruto do trabalho desenvolvido pela artista no Atelier de Cerâmica da Unidade de Investigação e Desenvolvimento dos Materiais (UIDM), do IPVC – Instituto Politécnico de Viana do Castelo, cujo objetivo passa por desenvolver trabalho formativo para a “educação artística”, com o propósito de estimular o potencial criativo na área da cerâmica e de divulgar as obras/projetos desenvolvidos em diversos contextos, conceptuais, tecnológicos e artísticos, de modo a valorizar os processos de criação em Cerâmica.

As esculturas cerâmicas de Claire Maca refletem o seu processo criativo e, sobretudo, o seu o amor à cerâmica, que, segundo Rosa Venâncio, Profª deste Instituto responsável pelo Atelier de Cerâmica da UIDM, que acompanhou a autora na sessão de abertura, despertou apenas em 2018, na Academia Sénior do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Desde então, a artista, de nacionalidade belga mas a residir em S. Paio de Antas, nunca mais deixou de trabalhar no atelier, onde aprofunda diariamente os seus conhecimentos no domínio da cerâmica, na busca da combinação perfeita dos quatro elementos - Terra, Água, Ar e Fogo.

Claire Maca é formada em Artes Decorativas e Arquitetura de Interiores pelo Institut N.D. de la Sagesse, em Bruxelas, tendo obtido formação na área da Cerâmica na Academia Sénior do Instituto Politécnico de Viana do Castelo. No Atelier de Cerâmica da UIDM (Unidade de Investigação e Desenvolvimento dos Materiais no IPVC), teve oportunidade de criar as suas obras, tendo participado, desde 2018, em diversas exposições.

Os seus trabalhos podem agora ser apreciados em Esposende, no Centro de Informação Turística, sito na Av. Eng.º Arantes e Oliveira, n.º 62, de segunda-feira a sábado, das 9h00 às 17h00.

Exposição Claire Maca (2).jpg

Exposição Claire Maca (1).jpg

ESPOSENDE: ESCOLAS DE FONTE BOA E DE RIO DE MOINHOS PREMIADAS NO CONCURSO INTERMUNICIPAL "AS OLIMPÍADAS DA CIDADANIA E DO PATRIMÓNIO"

As turmas do 1.º/ 3.º anos da Escola Básica de Fonte Boa e a turma do 3.º ano da Escola Básica de Rio de Moinhos - Marinhas estão entre as sete vencedoras do Concurso Intermunicipal “As Olimpíadas da Cidadania e do Património”, promovido no âmbito do projeto Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha “+Cidadania”, da Comunidade Intermunicipal do Cávado.

IMG_20210702_101035.jpg

O certame envolveu os seis municípios da CIM Cávado – Amares, Barcelos, Braga, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde, sendo que a final decorreu no dia 30 de junho, em formato online, em virtude das condicionantes da pandemia, com a participação das turmas vencedoras, que, num momento de diversão e partilha, jogaram “O Fantástico Jogo das Perguntas Olímpicas” e transmitiram a sua experiência na dinâmica “As Olimpíadas aos nossos olhos”.

A Vereadora da Educação, Angélica Cruz, procedeu, posteriormente, à entrega dos prémios nas Escolas do concelho, um jogo de xadrez e uma medalha para cada aluno e cada docente titular de turma, e felicitou as turmas vencedoras e toda a comunidade educativa pela utilização deste recurso de atividades multimédia dinâmicas, interativas e lúdicas, que proporciona aos alunos um ambiente facilitador de aprendizagem, no qual se aprende brincando, ao ritmo individual de cada utilizador e de forma criativa.

Pelo quarto ano consecutivo, o Município de Esposende deu continuidade a este projeto dirigido à comunidade educativa do 1.º Ciclo do Ensino Básico, desde alunos a docentes, coordenadores e encarregados de educação, proporcionando um ambiente de aprendizagem rico em tecnologia, facilitador da aprendizagem, do trabalho colaborativo e da partilha de ideias.

Promovido em parceria com a Comunidade Intermunicipal do Cávado, este projeto inovador foi criado com o objetivo de prevenir e reduzir o abandono escolar precoce, bem como de promover um espaço de aprendizagem online e seguro, dinâmico e interativo, de partilha de ideias e experiências, no âmbito do PIICIE – Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado. Com este projeto pretende-se promover e desenvolver conhecimentos, competências e valores, que ajudam os alunos a desempenhar um papel ativo na comunidade, preparando-os para os desafios da sociedade atual, através do recurso a tecnologias digitais, com conteúdos educativos disponíveis nas linhas de trabalho de competências gerais, conteúdos locais e projetos educativos e comunitários. Esta plataforma assume-se como um espaço seguro de aprendizagem, unindo a comunidade educativa e contribuindo com recursos adicionais para o processo de ensino/aprendizagem que se pode continuar a desenvolver a partir do domicílio de cada um.

O projeto tem tido grande expressão no Município de Esposende, com a dinamização de ações de formação para professores e encarregados de educação que utilizam a plataforma como ferramenta de apoio à ação educativa, e, por conseguinte, um número de acessos e de participações dos alunos nas atividades propostas, quer sejam de teor curricular, de exploração do património local ou de realização de desafios bastante expressivos, abrangendo a totalidade dos alunos que frequentam o 1.º CEB no Município, de cerca de 1.300 alunos, respetivos professores titulares e encarregados de educação.

Integrado na Plataforma + Cidadania, este ano letivo, arrancou também o Projeto Piloto Ensinar e Aprender Português, que envolveu cerca de 170 alunos dos 1.º e 2.º anos de escolaridade. Trata-se de mais um recurso tecnológico para a aprendizagem do Português, pensado para assegurar também o ensino a distância. As atividades disponíveis visaram a aprendizagem, a recuperação e a consolidação dos conteúdos nas áreas da leitura e da escrita.

Estas dinâmicas e atividades refletem uma crescente evolução, reconhecimento e consolidação da intervenção do PIICIE, ao serviço da comunidade escolar do Município, contribuindo para a inclusão social e para a promoção do sucesso educativo, enquadrando-se nos eixos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

IMG_20210702_101218.jpg

IMG_20210702_110832.jpg

IMG_20210702_100610.jpg

ESPOSENDE: PRAIA DE APÚLIA VOLTA A CONQUISTAR PRÉMIO CINCO ESTRELAS REGIÕES

Pelo segundo ano consecutivo, a Praia de Apúlia, no concelho de Esposende, foi distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Regiões, comprovando a excelência desta zona balnear.

Apúliapraia.JPG

Este prémio, que vai na sua 4.ª edição, tem como objetivo valorizar e dar a conhecer o melhor das regiões portuguesas em diversas categorias, como gastronomia, recursos naturais, monumentos e património, reconhecendo ainda os negócios locais que se diferenciam pela sua qualidade.

Após a votação nacional que registou a participação de mais de 346 mil pessoas, os vencedores foram revelados ontem à noite, num evento online, tendo sido distinguidos 112 ícones nacionais e 85 marcas locais.

Apúlia está entre as poucas praias do país preparada para receber pessoas com mobilidade condicionada e tem garantido a Bandeira Qualidade de Ouro, pela excelência da água e do areal. Tem sido também distinguida pela Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável como praia “Zero poluição”, devido ao facto de, ao longo das últimas épocas balneares, ter obtido classificação Excelente.

A atribuição do galardão Bandeira Azul - pela primeira vez em 1987 e ininterruptamente desde 2003 - confirma o cumprimento de um vasto conjunto de critérios, especialmente de qualidade da água, fruto de inúmeros investimentos do Município, nomeadamente na área do saneamento básico, recebendo o galardão “Grau Ouro”, referente à qualidade da água, apresentando elevados índices de segurança.

Esta distinção é reflexo da feliz combinação das caraterísticas naturais únicas da Praia de Apúlia com o investimento sustentado e contínuo que o Município de Esposende tem direcionado para esta zona balnear.

Devido às suas excecionais caraterísticas, a Praia de Apúlia atrai inúmeros veraneantes, contudo, apesar da elevada densidade populacional verificada no período balnear, a autarquia assegura todos os requisitos para uma oferta turística e ambiental de qualidade, reforçando a sua condição de destino balnear de excelência.

A praia está completamente equipada com as devidas infraestruturas de apoio aos veraneantes. No início de cada época balnear, a Câmara Municipal encarrega-se de repor o areal e assegura a sua limpeza diária, assegurando, ainda, os nadadores-salvadores para garantir a segurança dos banhistas. Em complemento, disponibiliza, anualmente, a biblioteca de praia, facultando livros e jornais aos veraneantes, sendo que, em virtude da pandemia Covid-19, este ano, tal como 2020, tal não será possível.

A aposta, contudo, não se esgota em obras e serviços disponibilizados pelo Município, sendo assegurada uma promoção constante, nomeadamente através da organização de eventos, os quais se encontram, por ora, inviabilizados devido à pandemia Covid-19.

Alinhada com o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, esta estratégia insere-se também na promoção turística do destino Esposende, numa ótica de valorização do território.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ALERTA PARA O PERÍODO CRÍTICO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Tendo iniciado ontem, dia 1 de julho, o período crítico de incêndios florestais, o Município de Esposende alerta para a necessidade de adotar medidas e ações especiais de prevenção.

DSC03403-002.JPG

Estabelecido no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios, o período crítico vigora até 30 de setembro, podendo a sua duração ser alterada em situações excecionais, por despacho governamental.

Assim, por força de circunstâncias meteorológicas excecionais, durante este período, é proibida a realização de queimadas e queimas de sobrantes em todos os espaços rurais. De igual modo, não pode ser efetuada a queima de resíduos verdes, sobrantes do jardim, agricultura ou floresta. Os sobrantes devem ser amontoados num local afastado das habitações e, se possível, fazer-se compostagem, podendo ser triturados ou ser utilizados nas camas dos animais, mas nunca eliminados com recurso ao fogo, durante este período.

Não é permitido o lançamento de balões com mecha acesa e de foguetes e está também interdito o uso de fogo para fumigação e desinfestação de colmeias, se os fumigadores não estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.

Ainda devido ao risco de incêndio, é igualmente proibida a colocação de velas acesas nas alminhas e cruzeiros junto da floresta e, em espaços rurais, não se pode fazer fogueiras para recreio ou lazer, bem como para a confeção de alimentos.

Considerando que todos têm o dever de proteger a floresta, o Município de Esposende apela ao acato e cumprimento destas determinações, sendo que esta estratégia se enquadra no cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas, nomeadamente no que concerne ao ODS 13 – Ação Climática, ao ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre e ao ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

DSC05865.JPG

DSC07255.JPG

ESPOSENDE: CURVOS ACOLHE INVESTIMENTO SUPERIOR A 4 MILHÕES DE EUROS DO GRUPO TINTEX NO PARQUE INDUSTRIAL VILA CHÃ

O presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, participou hoje, na zona industrial Vila Chã - Curvos, na inauguração das instalações da empresa HATA, Grupo Tintex, cerimónia que contou com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Economia, João Neves. O autarca destacou “a visão empreendedora, o carinho pelo negócio e a competência profissional” da família Silva que, há 23 anos criou a primeira unidade industrial. A instalação da nova sede da HATA, em Esposende, significa um investimento de 4,5 milhões de euros e irá empregar 25 trabalhadores.

HATA 1.jpeg

O presidente da Câmara Municipal de Esposende vincou a resiliência como traço fundamental para sobreviver no mercado nacional. “Em articulação com o Serviço de Desenvolvimento Económico, com os técnicos do Município e com o Eng. Mário Silva, fomos ultrapassando todos os obstáculos e adversidades que insistiam em atrasar este processo. Meses à espera de um visto do Tribunal de Contas, entraves no enquadramento do licenciamento, na infraestruturação deste espaço industrial, avaliações e liquidação de impostos super demoradas. Foi uma verdadeira epopeia”, lembrou Benjamim Pereira para criticar “a burocracia instalada nos órgãos e serviços públicos que esmaga, desincentiva e faz esmorecer o entusiasmo dos empreendedores”.

A estes entraves, Benjamim Pereira responde com as “facilidades” disponibilizadas pelo Município para captar investimento e fixação de empresas: “O Município disponibiliza serviços dedicados ao apoio ao investimento, com um ambiente fiscal atrativo e com incentivos ao investimento. Somos dos poucos municípios que não cobra derrama às empresas, temos a taxa mais baixa de IMI, isenção do pagamento de taxas urbanísticas, isenção do pagamento de IMT,

a Via Verde do Empresário, um Regulamento Municipal de Concessão de incentivos ao investimento ajustado às necessidades das empresas e dos investidores e disponibiliza os serviços de apoio, através da START Esposende”.

O Secretário de Estado Adjunto e da Economia, João Neves vincou o investimento da HATA, “na consolidação da atividade económica, demonstrando uma visão de longo prazo, já com forte aposta na economia circular”.

Sobre o apoio à atividade económica, o governante lembrou a reabertura dos sistemas de incentivos ao investimento industrial, numa lógica que visa “apoiar a recuperação empresarial da profunda depressão causada pela pandemia”.

Mário Silva, presidente do conselho de administração da HATA enquadra a abertura da nova unidade industrial na estratégia de “investimento e expansão que tem como objetivo aumentar e diversificar a produção” desta empresa têxtil.

O empresário lembra o importante papel desempenhado pelo atual executivo camarário que tem proporcionado as condições necessárias para a instalação de empresas no concelho de Esposende. Estamos orgulhosos por darmos o primeiro passo nessa nova história da indústria de Esposende”, com a instalação da HATA a conferir um novo impulso ao parque industrial Vila Chã – Curvos.

HATA 2.jpeg

HATA.jpeg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ENTREGA PRÉMIO LITERÁRIO MANUEL DE BOAVENTURA 2021 A MIA COUTO

O Município de Esposende distingue, no próximo dia 9 de julho, o escritor Mia Couto, vencedor da edição de 2021 do Prémio Literário Manuel de Boaventura. O romance “O Mapeador de Ausências”, foi eleito pelo júri, no dia 25 de fevereiro, entre 104 obras provenientes de vários países de língua portuguesa.

O escritor moçambicano Mia Couto sucede a Ana Margarida de Carvalho que, em 2017 venceu o prémio literário Manuel Boaventura com a obra “Não se pode morar nos olhos de um gato” e a Filipa Martins que, em 2019, venceu com o livro “Na Memória dos Rouxinóis”.

O júri justifica a distinção “por se tratar de uma narrativa de elevada maturidade literária que, com particular sensibilidade, consegue cruzar tempos distintos da realidade moçambicana, oferecendo ao leitor uma expressiva representação do país no período colonial e pós-colonial”.

“O Mapeador de Ausências” retrata a história do regresso de Diogo Santiago, prestigiado e respeitado intelectual moçambicano, professor universitário e poeta, à sua terra natal, a cidade da Beira, nas vésperas do ciclone que a arrasou em 2019, para receber uma homenagem que os seus concidadãos lhe querem prestar. Mas o regresso à Beira é também, e talvez para ele seja sobretudo, o regresso a um passado longínquo, à sua infância e juventude, quando ainda Moçambique era uma colónia portuguesa.

Além da cerimónia agendada para as 17 horas de 9 de julho, a presença de Mia Couto em Esposende servirá para uma conversa informal, no sábado, dia 10, pelas 21h30, tendo como tema “Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra”, com a participação do escritor, do presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira e de Sérgio Guimarães de Sousa, professor da Universidade do Minho.

A agenda de Mia Couto completa-se com um encontro com leitores, no domingo, dia 11, pelas 11 horas, no Café Hygge Bar da Praia Esposende, tendo como mote “Mar me quer”. A entrada é livre, mas está sujeita à lotação dos espaços, sendo obrigatória a inscrição para os eventos dos dias 9 e 10 em: https://esposende2000.scl.pt/bilheteira.php

O Prémio Literário Manuel de Boaventura foi instituído pela Câmara Municipal de Esposende, com o intuito de homenagear e divulgar este escritor e homem de cultura, natural de Vila Chã, Esposende. De periodicidade bienal e com o valor pecuniário de 7 500 euros, contempla a modalidade da criação narrativa de Romances ou de Contos da autoria de escritores de língua portuguesa.

dia9_PROGRAMA_2021.jpg

dia10_PROGRAMA_2021.jpg

ESPOSENDE: GOVERNO DEVOLVEU EM 1929 OS BENS ECLESIÁSTICOS À IGREJA QUE HAVIAM SIDO CONFISCADOS PELA PRIMEIRA REPÚBLICA

O Ministério da Justiça e dos Cultos - Direcção Geral da Justiça e dos Cultos - 2.ª Repartição (Cultos), através da Portaria nº. 6154, publicada em Diário do Govêrno n.º 114/1929, Série I de 22 de Maio de 1929, determinou a entrega de vários bens à corporação encarregada do culto católico na freguesia de Esposende, concelho do mesmo nome.

Capturarcultapul1.JPG

Capturarcultapul2.JPG

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE HASTEOU BANDEIRA AZUL E INAUGUROU TRILHO DO AMBIENTE

Foi ontem hasteada a Bandeira Azul na praia de Suave Mar, cerimónia simbólica que assinala a atribuição do galardão que reconhece a excelência de quatro praias do concelho de Esposende. Apúlia, Ofir, Suave Mar e Cepães voltam a ostentar a distinção da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) para a época balnear 2021. Esta cerimónia, que foi também acompanhada pela Autoridade Marítima, foi complementada com a inauguração do Trilho do Ambiente, no passadiço da Praia de Suave Mar, numa iniciativa conjunta do Município de Esposende, da Esposende Ambiente e da Associação de Pais e Amigos das Crianças Inadaptadas (APACI).

safe_imageESPOSENDEAZUL.jpg

“O Município de Esposende tem uma grande preocupação social e está sempre disponível para colaborar com projetos como este que a APACI desenvolveu. Essa adesão é imediata, quando conjuga iniciativas da área social e de defesa do ambiente”, argumentou Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende, sublinhando que “o bem-estar das pessoas está sempre em primeiro lugar, pelo que o compromisso a este nível é muito grande”.

Maria Eduarda Rego, presidente da APACI, sublinhou a “importância de fazer parte da defesa do Planeta Azul” e lembrou a “fidelidade” que os meninos da APACI empregam a esta causa.

Ao longo do percurso estão colocadas mensagens de sensibilização para a preservação ambiental, incentivando a prática de ações positivas.

Os clientes da APACI estiveram envolvidos em todo o processo de elaboração das placas, desde a escolha das mensagens e imagens, ao tratamento das madeiras e inscrição das frases e fizeram questão de ver o efeito da sua colocação no passadiço da Praia de Suave Mar.

Esposende continua a distinguir-se pelas boas práticas ambientais e pela excelência das suas praias. A atribuição do galardão Bandeira Azul às quatro praias de Esposende representa a confirmação do cumprimento dos critérios de qualidade da água, de segurança e serviços, de gestão ambiental e equipamentos e de informação e educação ambiental.

Esposende mantém-se como excelente destino balnear, corroborado pela Quercus que classificou com “Qualidade Ouro” seis praias do concelho, designadamente Rio de Moinhos, Cepães, Suave Mar, Ofir, Apúlia e Ramalha. A componente das acessibilidades não foi também descurada e Apúlia e Cepães ostentam também o galardão de Praia Acessível.

Todas estas ações enquadram-se no compromisso de contributo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, nomeadamente os referentes a Educação de Qualidade (ODS 4), Água Potável e Saneamento (ODS 6), Ação Climática (ODS 13), Proteger a Vida Marinha (ODS 14), Proteger a Vida Terrestre (ODS 15) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).