Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDE INVESTE NA QUALIDADE DOS EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS

Município de Esposende investiu cerca de 75 mil euros na manutenção e conservação das infraestruturas desportivas do concelho, proporcionando as melhores condições para os clubes acolherem em segurança os mais de 1600 jovens que frequentam os escalões de formação, distribuídos por dez modalidades.

vila chãjog.jpg

A Câmara Municipal de Esposende reconhece o importante papel que os clubes e associações do concelho desenvolvem, assumindo-se como parceiros estratégicos, fundamentais para o desenvolvimento desportivo, nomeadamente na promoção da atividade física junto dos mais jovens.

Em Esposende é visível o desenvolvimento do tecido associativo, decorrente do rejuvenescimento das classes dirigentes que têm proporcionado uma oferta eclética de modalidades, ministradas por técnicos qualificados e que tem motivado a adesão de muitos jovens que, como corolário, apresentam já um nível qualitativo distinto.

Apesar dos condicionalismos decorrentes da pandemia da COVID-19 que motivaram mesmo a paragem de algumas modalidades, o Município de Esposende não deixou de apoiar os clubes e associações do concelho. Através da renovação do programa de apoio ao movimento associativo desportivo, o Município enaltece o papel social insubstituível que os clubes desportivos desempenham nas suas comunidades, através dos seus dirigentes, técnicos e demais agentes.

No âmbito das medidas de apoio aos clubes e associações desportivas, o Município de Esposende investiu nas intervenções de manutenção dos relvados sintéticos do Estádio Padre Avelino Peres Filipe, Estádio Padre Sá Pereira, Estádio Horácio de Queirós, bem como no relvado natural no Complexo Desportivo de Vila Chã.

Estas intervenções integram um plano mais alargado de apoio à manutenção e modernização de instalações desportivas que contempla a cedência de material e mão de obra para intervenções pontuais, procurando dotar estes espaços de melhores condições e segurança.

De resto, realizaram-se, também, obras de beneficiação dos campos de futebol de Fonte Boa, de Antas e de Gandra, perspetivando-se para um futuro próximo a construção do Estádio de Apúlia.

A estes investimentos acrescenta-se a manutenção dos sistemas de Iluminação, com a substituição de lâmpadas em vários estádios e campos de futebol, pavilhões e polidesportivos.

Além dos investimentos realizados em estádios e campos de futebol, o Município de Esposende suportou obras de beneficiação realizadas no Clube Náutico de Fão e que compreenderam a substituição do sistema de Águas Quentes Sanitárias, intervenções no ginásio, balneários, hangar e salas de estudo.

Estas intervenções realizadas permitem que mais de 1600 jovens disponham de condições adequadas e de segurança para a prática desportiva, estimulando hábitos de vida saudáveis e melhorando a qualidade de vida dos munícipes de Esposende.

forjãesjog.jpg

esposendejog.jpg

ESPOSENDE INAUGURA OBRA DE ARTE (A)BRAÇOS COM O MAR

Foi hoje, dia 26 de setembro, inaugurada a obra de arte que evoca os estaleiros e a vida do mar da comunidade piscatória de Esposende, “(A)braços com o Mar”, da autoria de Luís Canário Rocha. Inserida no programa de residências artísticas “Amar o Minho”, esta obra complementa o projeto de arte urbana que o Município de Esposende implementou na marginal da cidade – com o projeto “Esposende SmartCity” - e que se prolongará para o futuro Parque da Cidade. A obra representa o fundo da vista do estuário do Cávado e visa enaltecer os valores das gentes de Esposende.

_DSC5947.jpg

“Esposende é já uma referência, em termos de arte de rua, com obras de arte em contexto urbano, como é o caso desta obra agora inaugurada e de outras inseridas num contexto mais natural. Não ficaremos por aqui. O futuro Parque da Cidade prolongará a implementação desta estratégia, alargando à vila de Fão”, assumiu o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

Apologista do conceito que defende a democratização do acesso de todos à arte, Benjamim Pereira enalteceu o resultado que as obras de arte estão a alcançar junto da população: “estas obras têm que interpelar a comunidade, fazendo pensar, promovendo a discussão e até a crítica. Queremos uma população instruída e o conceito de SmartCity afigura-se mais entendível pela população”.

Para o autor da obra de arte, Luís Canário Rocha, a criação atendeu à “cenografia que interpreta o território e a paisagem, indo buscar as raízes da construção naval. Por isso, criei um azul especial para Esposende, a partir da desconstrução dos azuis oferecidos pelo estuário do rio Cávado”. O artista manifestou orgulho por “integrar esta comunidade artística representada em Esposende”, cidade onde, segundo Luís Canário Rocha, “faz cada vez mais sentido para os artistas realizarem trabalhos”.

Esta obra de arte foi financiada por fundos comunitários, no âmbito do consórcio “Minho IN” que integra as comunidades intermunicipais do Alto Minho, do Cávado e do Ave, em representação de 24 municípios. A zet gallery é responsável pela coordenação artística do programa de residências artísticas, tendo como curadores do projeto Helena Mendes Pereira e Rafael Vale Machado.

Sobre a obra de Luís Canário Rocha, Helena Pereira destaca o facto de pertencer “a uma geração de artistas que aplica a aprendizagem da academia à intervenção urbana, devolvendo ao desenho e à construção do real, espaço privilegiado”.

“Da rua e das linguagens de intervenção urbana traz a paleta viva, as palavras (repletas de conotação social e política) que povoam o suporte e os temas”, acrescenta a curadora.

À vocação turística de Esposende, surge agora associada a vertente cultural, complementada com a disponibilização de arte urbana, suportada na matriz que potencia os processos criativos, enquanto espaço privilegiado para envolver o autor, a obra, o público e o território.

Lembre-se que, no âmbito do projeto Esposende SmartCity já foram inauguradas as obras "octo_ _ _ _”, de Pedro Tudela e Miguel Carvalhais, “Padrão do Mar”, de Volker Schnüttgen e “Mulheres do Mar”, de Vhils.

Luís Canário Rocha vive em Guimarães. Formado pela Faculdade de Belas Artes da Universidade Porto (FBAUP) em Artes Plásticas na vertente de Pintura, expõe com regularidade desde 2007. Em 2018 destacou-se pela participação na exposição coletiva - 7 formas poético-casuísticas - na Zet gallery, em Braga, e as residências artísticas em que participou, em Figueira Castelo Rodrigo (Projeto de arte Pública), Braga, Zet Gallery (Tutoria pedagógica inserida no Simpósio de Arte e Sustentabilidade).

_DSC6001.jpg

_DSC6067.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CONVIDA À DESCOBERTA DE "ESPOSENDE VIRTUAL"

Visitas virtuais assinalam Dia Mundial do Turismo

A partir do próximo dia 27 de setembro, o Município de Esposende vai disponibilizar através do seu portal de turismo (www.visitesposende.com), uma nova ferramenta promocional intitulada “Esposende Virtual”, assinalando, por esta via, o Dia Mundial do Turismo.

Miradouro do Monte Faro - Palmeira (2).jpg

Este ano, por força da situação de contingência originada pela pandemia de Covid-19, fica inviabilizada a realização de atividades presenciais comemorativas da data, concretizando-se o lançamento deste projeto ligado ao turismo local.

O “Esposende Virtual” é um roteiro de visita virtual a alguns dos atrativos mais identificativos do concelho de Esposende, desde equipamentos a locais emblemáticos.

É uma nova oferta digital que será compatível como qualquer tipo de dispositivo desktop e mobile, em dinâmica constante no que se refere à atualização de conteúdos, dando a possibilidade ao utilizador de visitar espaços através de uma experiencia virtual. Para tornar ainda mais atrativa esta ferramenta, para além das fotos esféricas panorâmicas, existem vários elementos complementares como textos, sons e vídeos, que poderão ser acedidos clicando nos ícones que surgem ao visualizar os panoramas.

Através desta plataforma será possível visitar um conjunto diversificado de equipamentos, nomeadamente os museus Municipal e Marítimo, as Piscinas Foz do Cávado, o Centro de Informação Turística, a Casa Viana de Lima, o Centro de Educação Ambiental e o Centro Interpretativo de São Lourenço e sua envolvente. O “Esposende Virtual” proporciona também a visita ao Centro Cultural de Forjães, à Igreja da Misericórdia e respetiva Capela dos Mareantes e à Igreja Matriz de Esposende. Convida, ainda, a percorrer a Praça do Município e o Largo Rodrigues Sampaio, e a desfrutar da beleza da Foz do rio Cávado, do Parque Natural do Litoral Norte, do Largo do Cortinhal e da zona de Ofir, em Fão, dos Moinhos de Apúlia, da Barca do Lago, em Gemeses e em Gandra, da Foz do rio Neiva, em Antas, do Miradouro da Senhora da Guia, em Belinho, da praia de Mar, do Castro dos Desamparados, em Palmeira de Faro, do Miradouro do Alto de Frossos, em Curvos, do Centro junto à igreja paroquial de Gandra e do Marachão, em Rio Tinto.

O “Esposende Virtual” surge nestes tempos de pandemia e de reflexão, numa estratégia em que se pretende claramente dar nova vida aos instrumentos de comunicação online, incentivar o planeamento de viagens futuras e manter ativa a marca do destino Esposende, numa lógica de marketing relacional e valorizando o território concelhio.

sra-da-guia.jpg

13 - Casa das Marinhas, do Arq. Viana de Lima - MA

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE APELA AO USO DE MÁSCARA TAMBÉM NA VIA PÚBLICA

Esposende é um local seguro que tem respondido à situação epidemiológica provocada pela Covid-19 de forma exemplar e pretende continuar a ser uma referência na resposta aos efeitos da pandemia, reduzindo os riscos para a população. Assim, e face aos últimos desenvolvimentos da pandemia provocada pela COVID-19, o presidente da Câmara de Esposende recomenda o uso de máscara na via pública, como forma de evitar a propagação do vírus. Benjamim Pereira quer que o concelho de Esposende continue a ser apontado como um exemplo na adoção de medidas defensoras da saúde pública.

post face.jpg

“No pico do foco de infeção, a população de Esposende destacou-se pela ação responsável, facto que permitiu manter o controlo da situação. Agora que voltamos a assistir ao aumento do número de casos, apelo aos esposendenses para que continuem a ser verdadeiros agentes de saúde pública. Por isso, aconselho ao uso da máscara no espaço público”, apelou o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira. 

Esta mensagem destina-se a toda a população, mas com destaque para os mais jovens, atendendo que os últimos casos têm incidido nas faixas etárias mais baixas. Têm sido reportadas situações de aglomerados de jovens, nomeadamente nas imediações de escolas, sem que estejam protegidos pela máscara. “Sabemos que as informações que circulam são contraditórias, em torno do uso de máscara, mas, até melhor sustentação científica, é aconselhado o uso como medida de proteção. A transmissão comunitária já não permite identificar a origem de todas as cadeias de contágio e isso exige um reforço das medidas de proteção individuais.

“Aconselhamos e recomendamos que se use máscara no espaço público. Os números mais recentes revelam uma ligeira subida dos casos de COVID-19 na região e temos de adotar comportamentos defensivos”, argumentou Benjamim Pereira.

Este é acima de tudo um gesto de responsabilidade e de respeito pelos demais, na senda das muitas medidas que têm sido adotadas em Esposende, para combater a pandemia da COVID-19.

Esposende foi pioneiro em muitos dos passos de acompanhamento da população, principalmente na proteção dos mais vulneráveis. Porém, as recentes mutações na disseminação da infeção, implicam o alargamento dos cuidados a todas as faixas etárias.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE DENUNCIA ATOS DE VANDALISMO EM PARQUES INFANTIS ENCERRADOS

O Município de Esposende vem, mais uma vez, repudiar os atos de vandalismo sobre os equipamentos e espaços públicos concelhios. Desta vez, os alvos da falta de civismo por parte de quem não respeita o que é público foram o Parque da Caravela, na Zona Ribeirinha, e o Parque Infantil do Bairro da Central, também em Esposende.

vandalismo_parque caravela_jpg.jpg

Apesar de os equipamentos de lazer e recreio estarem interditos, por força da situação de contingência vigente até 14 de outubro, tal não impediu o acesso a estes parques infantis e a concretização destas ações totalmente reprováveis. Com efeito, constata-se que houve intenção clara e deliberada de danificar os equipamentos, na medida em que foram arrancadas e partidas peças. Os estragos não decorrem, portanto, do uso por parte das crianças ou da degradação natural dos equipamentos.

Recorde-se que, ainda recentemente, foram detetados vários estragos na Ecovia do Litoral Norte, em Cepães, igualmente perpetrados intencionalmente.

Porque estas ações resultam em elevados prejuízos, o Município não pode deixar de lamentar e condenar estes sistemáticos atos de vandalismo que continuam a ocorrer em equipamentos públicos, lesando o património e o erário públicos. É tanto mais de lamentar quando a destruição tem como alvo equipamentos que são fruto de um significativo ou elevado esforço financeiro, sendo que a já difícil tarefa de gerir os bens públicos acaba, nestes casos, por se revelar ainda mais complicada e ingrata.

Estas ações são, a todos os níveis censuráveis, e devem ser denunciadas às autoridades competentes. Neste sentido, e porque está em causa a defesa e a salvaguarda do bem público, o Município apela, uma vez mais, a todos os munícipes que colaborem na preservação deste património, comunicando os atos de vandalismo e de desrespeito que eventualmente presenciem.

vandalismo_parque_caravela (1).jpg

vandalismo_parque_caravela (2).jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE FINANCIA INSTALAÇÃO DE CAIXA MULTIBANCO EM MAR

O Município de Esposende vai apoiar a instalação de uma caixa de Multibanco em Mar. Neste sentido, hoje, em reunião de Câmara, a autarquia aprovou a atribuição de um apoio financeiro, no valor de 16.236 euros, à Junta da União das Freguesias de Belinho e Mar, para custear as despesas inerentes à construção do equipamento, que ficará instalado junto ao edifício da Junta de Freguesia de Mar.

Paços do Concelho.jpg

Presentemente, Mar não dispõe de qualquer Multibanco, pelo que a instalação deste equipamento se reveste da maior importância, garantindo o desenvolvimento e proteção da comunidade, nomeadamente nas transações comerciais e pagamentos de serviços e ao Estado.

Na mesma reunião, o Município aprovou a atribuição de um apoio financeiro, no montante de 1.220,01 euros, ao Gandra Futebol Clube, para fazer face aos custos de reparação de uma viatura de 9 lugares. Tendo em conta a necessidade de assegurar as condições de segurança no transporte dos atletas do clube, a Câmara Municipal entendeu conceder este apoio, levando também em consideração o papel fundamental dos clubes desportivos tanto no incentivo como na manutenção da prática desportiva da população.

Sem perder de vista os compromissos assumidos com as populações, a Câmara Municipal tem mantido um apoio constante às Juntas de Freguesia e coletividades do concelho, no pressuposto também da satisfação das necessidades e anseios dessas mesmas populações. O Plano de Investimento nas Freguesias encontra-se em plena execução com diversas intervenções em todo o concelho, perspetivando-se para breve o arranque de mais um conjunto de novas obras e projetos.

ASSOCIAÇÃO CIDADÃOS DE ESPOSENDE APELA AO USO DA MÁSCARA NA VIA PÚBLICA

A associação mostra-se preocupada com o crescente número de casos no concelho de Esposende.

Face ao aumento de casos de Covid-19, a Associação Cidadãos de Esposende está a apelar a que todos os Esposendenses utilizem a máscara em espaço público. A associação mostra-se preocupada com o crescente número de casos no concelho, deixando um pedido para que a população opte pela prevenção.

Fotografia Nota de Imprensaesposmasc.jpg

Desde o início de setembro que os casos em Esposende não param de aumentar. Para os responsáveis da associação, é importante prevenir e proteger os mais vulneráveis, sendo a máscara uma medida importante na defesa da saúde e na mitigação da propagação do vírus.

A associação realça que não pretende causar alarmismo mas sim prevenir indo ao encontro do que já se vai fazendo noutros pontos de Portugal e da Europa, onde a máscara passou a ser de uso na via pública, tentando desta forma diminuir o avanço do vírus.

DGS ponderou medida

Esta medida foi ponderada pela Direção-Geral da Saúde (DGS) como uma das possíveis medidas para o estado de contingência com início a 15 de setembro. Contudo, a medida não passou. Desta forma, o uso de máscara não será obrigatório na via pública, excluindo na utilização de transportes públicos, serviços públicos, no comércio e na restauração.

Sem medidas de proteção não se consegue controlar a propagação de um vírus que já matou quase duas mil pessoas em Portugal, considera a associação.

A entidade realça o exemplo dos mais pequenos em Esposende que, de forma responsável, utilizam a máscara mesmo fora do contexto escolar, sendo importante que toda a comunidade entenda a necessidade de prevenir numa altura onde as previsões apontam para cenários piores.

Segundo o próprio primeiro-ministro, António Costa, Portugal poderá chegar aos mil casos diários, uma situação nunca antes experienciada e que certamente será um desafio para todos, incluindo o sistema nacional de saúde.

Novo coronavírus contínua fora de controlo

A pandemia de covid-19, provocada pelo novo coronavírus, já infetou mais de 31,6 milhões de pessoas em todo o mundo, incluindo mais de cinco milhões na Europa, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

As previsões da Organização Mundial de Saúde (OMS) são de um aumento exponencial, sendo pois importante defender uma casa, uma rua, um concelho contra um vírus invisível e que mata. As únicas “armas” que existem são distanciamento social e uso de máscara.

O vírus que causa a Covid-19 transmite-se principalmente através das gotículas que são geradas quando uma pessoa infetada tosse, espirra ou expira.

Estas gotículas são demasiado pesadas para ficarem suspensas no ar e depositam-se rapidamente em pavimentos ou superfícies.

Qualquer pessoa pode ser infetada ao inspirar o vírus, pelo que a máscara é fundamental para nos proteger e proteger os outros

A associação deixa o apelo a todos os Esposendenses: “usem a máscara, vamos dar um exemplo nacional” de comportamento na defesa da saúde de todos.

ESPOSENDE ASSINALA DIA EUROPEU SEM CARROS

Município de Esposende apela a práticas de mobilidade mais amigas do ambiente

No Dia Europeu Sem Carros, que se assinala hoje, 22 de setembro, o Município de Esposende reforça a importância da utilização de meios alternativos ao automóvel.

outdoorCONCURSO.jpg

A data visa sensibilizar a população e autoridades para a necessidade de reduzir o tráfego rodoviário dentro das cidades, de forma a aumentar a qualidade de vida e garantir a sustentabilidade dos recursos naturais, optando por alternativas de transporte menos poluentes como os transportes públicos e bicicletas.

Alinhado com esta estratégia, o Município sublinha a necessidade de a população alterar os hábitos de deslocação no dia-a-dia, com claros benefícios para o ambiente, para a economia pessoal e para a saúde de todos. Como forma de incentivar a mobilidade sustentável em Esposende, o Município, através das empresas municipais Esposende Ambiente e Esposende 2000, desenvolveu o projeto E-MOVE – Projeto de Promoção da Mobilidade Sustentável em Esposende, o qual foi financiado pelo Fundo Ambiental.

Ao abrigo deste projeto foi promovido, no ano letivo 2019/2020, o Concurso de Ideias “E-MOVE põe Esposende a mexer”, direcionado para os alunos dos 2.º e 3.º ciclos e ensino secundário, com vista à criação de uma imagem e mensagem apelativas, de promoção e incentivo da mobilidade sustentável.

Gustavo Areias, Mariana Silva, Olívia Couto e Nuno Silva, alunos do 7.º C, da Escola Básica António Rodrigues Sampaio, foram os vencedores do concurso, cujo trabalho vencedor foi utilizado na produção de um outdoor, que se encontra exposto na cidade de Esposende. Pretende-se, assim, a sensibilização dos munícipes e visitantes para as vantagens associadas a práticas de mobilidade mais amigas do ambiente, destacando o papel das ecovias enquanto infraestruturas dinamizadoras e potenciadoras de boas práticas de mobilidade, nomeadamente ao nível das pequenas deslocações do quotidiano.

Por esta via, o Município está a contribuir para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030 da ONU, em particular no que diz respeito ao ODS 11 “Cidades e Comunidades Sustentáveis” e ODS 13 “Ação Climática”, mas também o ODS 3 “Saúde de qualidade”, atuando ao nível da promoção de hábitos de vida saudáveis, que também são objetivos estratégicos do Município de Esposende e da Esposende Ambiente, no âmbito da politica de sustentabilidade.

VOLUNTÁRIOS RECOLHEM UMA TONELADA DE LIXO MARINHO EM CINCO PRAIAS DE ESPOSENDE

Perto de uma tonelada de lixo marinho foi recolhida das praias do concelho de Esposende por 178 voluntários, durante cerca de duas horas, em ações de limpeza organizadas pela empresa municipal Esposende Ambiente, em colaboração com a Associação Rio Neiva e a Onda Magna, e apoiadas pela Fundação Oceano Azul.

limpeza praias (1).jpeg

As ações, que assinalaram o Dia Internacional de Limpeza Costeira, que se comemora anualmente no terceiro sábado de setembro, centraram-se nas praias da Foz do Neiva – Antas e Belinho, numa parceria com a Associação Rio Neiva, de Suave Mar, de Ofir (sul) – Fão e de Pedrinhas, em Apúlia. Já a ação de limpeza promovida pela Onda Magna decorreu da praia de Ofir em direção à restinga.

Atendendo à pandemia do Covid-19, estas ações tiveram o parecer favorável da Autoridade de Saúde local, tendo sido asseguradas as medidas previstas no âmbito da Situação de Contingência, nomeadamente no que diz respeito ao cumprimento do distanciamento social, higienização, número máximo de elementos por grupo e utilização de máscara numa fase inicial da atividade.

Através desta iniciativa, foi possível recolher resíduos trazidos pelo mar para o areal ou “esquecidos” pelos banhistas, arrastados pelos rios e linhas de água, assim como artefactos utilizados normalmente pelos pescadores, contribuindo para preservar os habitats abrangidos e melhorar significativamente a imagem destes locais. Por esta via, o Município de Esposende, através da Esposende Ambiente, está a contribuir para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 13 – Ação Climática, ODS14 – Proteger a Vida Marinha, ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

limpeza praias (3).jpeg

limpeza_praias3.jpg

ESPOSENDE RECUPERA MOINHOS DE VENTO

Município lança primeira fase da obra do Parque temático dos Moinhos de vento da Abelheira

O Município de Esposende vai arrancar com a obra de recuperação de três moinhos de vento, propriedades do Município, iniciando assim a primeira fase do processo de constituição do Parque Temático dos Moinhos de Vento da Abelheira, em Marinhas. A recuperação dos moinhos insere-se no âmbito da candidatura Qualificação das Experiências de Turismo da Natureza no Minho – Redes de Visitação da Natureza – Moinhos da Abelheira/Esposende, integrada na Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE, financiada a 85% e terá um investimento de 155.000 euros.

Moinhos da Abelheira (Marinhas)  (2).jpg

Esta ação integra-se na estratégia de promoção do Turismo no Município de Esposende através da valorização e preservação do seu património material e imaterial. A intervenção global está prevista para os sete moinhos, mas nesta fase avançaremos com a recuperação dos três edifícios que são propriedade da Câmara Municipal. No futuro ficará ali implantado o parque temático ligado às energias renováveis e ao ciclo do pão”, refere Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

As obras de conservação abrangem os moinhos de vento números "3", "6" e "7", os quais são já propriedade do município, mas o futuro parque temático abrange sete espaços expositivos, onde será apresentado todo o processo que envolve a sementeira e a recolha do grão, assim como os diversos processos necessários à sua preparação para a moagem. Aos moinhos estarão associados os temas da eletricidade; do ciclo do pão e da etnografia a ele associado; das questões ambientais do uso de energias; das respostas sensoriais que a cultura do cereal permite experimentar através do tato, olfato e visão, às questões sobre os cereais híbridos ou geneticamente modificados. Um dos espaços, distinto pelo aspeto arquitetónico vanguardista, abordará o futuro da energia.

Relativamente ao moinho "3", pretende-se fazer a recuperação funcional a partir dos vestígios remanescentes no local, recuperando toda a informação tecnológica e capitalizando os resultados na reconstituição fidedigna do moinho (no que respeita a materiais, técnicas construtivas, volumes, paleta de cores, soluções tecnológicas tradicionais e molinologia local).

No que se refere aos outros dois moinhos, pretende-se uma recuperação parcial, garantindo emprego de técnicas não invasivas e consequentemente a preservação da integridade dos elementos existentes.

Esposende reúne vários moinhos eólicos e hidráulicos. Entre os núcleos dos engenhos de moagem movidos pela força do vento, além dos de Abelheira estão referenciados os de Cedovém em Apúlia, entre outras unidades disseminadas pelo concelho. Refira-se que a Casa das Marinhas, foi inspirada, arquitetada e construída a partir de um moinho e transformada em habitação, pelo conceituado arquiteto esposendense Viana de Lima. Portugal assinala o Dia Nacional dos Moinhos a 7 de abril.

moinhos 3d 1.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE EDITA TERCEIRA SÉRIE DO BOLETIM CULTURAL

Foi neste sábado, dia 19 de setembro, apresentado o primeiro número da terceira série do Boletim Cultural de Esposende, edição que reúne os textos de oito autores que abordam matérias relacionadas com a História de Esposende. Graficamente renovado, o Boletim Cultural é um importante instrumento que contribui para o conhecimento da história e consolidação da identidade local, divulgando as investigações de caráter local.

bc1.jpg

“O Boletim Cultural é um importante veículo, no amplo trabalho desenvolvido pelo Município de Esposende, de preservação do património concelhio e na divulgação da história local”, vincou o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

O autarca destacou, ainda, outras ferramentas municipais de divulgação cultural, como o empenho na divulgação do escritor Manuel de Boaventura ou da obra de Viana de Lima. “Recentemente, avançamos com outra forma de afirmação do território local, através da instalação de obras de arte, ao longo da Marginal de Esposende. No âmbito do projeto Esposende SmartCity, foi inaugurada a obra "octo_ _ _ _”, de Pedro Tudela e Miguel Carvalhais, “Padrão do Mar”, de Volker Schnüttgen e “Mulheres do Mar”, de Vhils. No âmbito das residências artísticas “Amar o Minho”, brevemente, será inaugurada uma  obra de arte de Luís Canário Rocha”, avançou Benjamim Pereira.

Numa cerimónia condicionada pelas regras decorrentes da Situação de Contingência, Benjamim Pereira deixou uma garantia: “A pandemia não vai acabar, nem mesmo condicionar a atividade cultural em Esposende”.

Por seu turno, a vereadora da Cultura, Angélica Cruz, lembrou que “os estudos que integram o Boletim Cultural, de temáticas diversas, são de excelente qualidade e de inquestionável interesse para a comunidade esposendense, em particular. Agradeço, fervorosamente, tanto a disponibilidade dos autores para partilharem connosco os seus trabalhos de investigação, como a sua presença que muito dignifica esta sessão”.

Fundado em 1982, enquanto “veículo fundamental para o desenvolvimento cultural deste concelho e um meio importante de divulgação dos valores histórico sociais, em todos os campos da nossa sociedade”, o Boletim Cultural de Esposende surge agora a cores e com um novo formato. Penteado Neiva, responsável pelo aparecimento desta publicação, surge neste número com um artigo sobre “Armando Boaventura, um notável das artes e das letras”. Neste primeiro número da terceira série, o Boletim Cultural apresenta ainda textos de Henrique Barreto Nunes, Manuela Losa, José Eduardo de Sousa Felgueiras, Franquelim Neiva Soares, Amândio J. M. Barros, Rui Morais e Isabel Cristina Mateus.

bc 3.jpg

bc0.jpg

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE ESPOSENDE VISITOU OBRAS EM CURSO NA UNIÃO DE FREGUESIAS DE ESPOSENDE, MARINHAS E GÂNDRA

O presidente da Câmara Municipal de Esposende efetuou hoje uma visita às obras em curso na União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, algumas de grande envergadura e que vão conhecer forte impulso nos próximos tempos.

visita EMG 2.jpg

Acompanhado pelo executivo daquela União de Freguesias, Aurélio Neiva, Tiago Miranda e António Neves e de técnicos municipais, Benjamim Pereira constatou o avanço das empreitadas no terreno, assim como perspetivou o arranque, num futuro próximo, de obras tão importantes como a requalificação do largo Rodrigues Sampaio e do Mercado Municipal.

“Se tudo decorrer dentro da normalidade, até ao final do presente ano, as obras arrancam no centro da cidade de Esposende. Afinal, 2020 poderá ficar assinalado por algum facto marcante e muito positivo para todos os esposendenses”, disse Benjamim Pereira, no decurso da visita hoje realizada.

Em Gandra, o autarca apreciou a evolução das obras na Avenida de S. Martinho, nomeadamente a ligação ao Largo Padre Eiró, perspetivando o arranjo urbanístico deste espaço que serve a igreja, o centro paroquial e o cemitério da freguesia. De resto, as obras em curso deixam espaço para a intervenção que já está a ser estudada e que contempla a construção de uma capela mortuária e do alargamento do cemitério.

Ainda em Gandra, o presidente da Câmara inteirou-se dos trabalhos de construção do canal intercetor, nomeadamente as passagens sob a estrada nacional 13 que obrigarão a condicionalismos no trânsito. A obra de desvio de cheias da cidade avança a bom ritmo e os responsáveis pela obra deram conta das intervenções projetadas, nomeadamente a passagem desnivelada na rotunda junto à Solidal e a engenharia necessária para desviar os intercetores existentes na zona de perfuração.

Já em Marinhas, Benjamim Pereira observou o avanço da obra de requalificação do Campo de S. Miguel. Neste momento decorrem trabalhos de construção dos muros de suporte e, em breve, avança a construção dos espaços de lazer que transformarão o Campo num atrativo local de fruição e prática desportiva.

Também em Marinhas, a rua da Senra avança para a fase final dos trabalhos, estando agendado para o final do mês a obra de construção dos muros de suporte, infraestruturas e colocação do piso.

A concluir a visita, Benjamim Pereira analisou a intervenção prevista para o Mercado Municipal, processo que se encontra em fase adiantada e que deverá ser submetido à apreciação do Tribunal de Contas, assim como a obra de requalificação do Largo Rodrigues Sampaio, cuja intervenção deverá arrancar até final do ano.

“Estamos a cumprir o projeto que foi largamente sufragado pelos esposendenses. Paulatinamente e mesmo com as condicionantes decorrentes da COVID-19, conseguimos manter o foco na nossa ação de governação do município e priorizamos intervenções, sem esquecer o apoio essencial às pessoas, nomeadamente as mais necessitadas”, vincou o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

visita EMG 3.jpg

visita EMG 5.jpg

ATAHCA PROMOVE EMPREENDEDORISMO SOCIAL

A ATAHCA, como Associação de Desenvolvimento Local, com a sua zona de intervenção em todos os concelhos da NUTIII do Cávado - Terras de Bouro, Amares, Vila Verde, Braga, Barcelos e Esposende - tem desenvolvido e implementado uma estratégia integrada para o território, nos 29 anos da sua existência, com o objetivo principal de fixar a população, criação de riqueza, valorização do património cultural, melhoria das qualificações profissionais e escolares da população, apoio às micro empresas, dinamização da agricultura, nomeadamente na produção, transformação e comercialização dos seus produtos, apoio às instituições do 3º setor – IPSS e outras, promoção de unidades de Turismo no Espaço Rural e animação do território. 

Em Julho do corrente ano, a ATAHCA, abriu o concurso ao +CO3SO Emprego-Empreendedorismo Social para os territórios do interior e do urbano. A ATAHCA abriu  concurso para apresentação de candidaturas ao sistema de apoio ao emprego e ao empreendedorismo social para os territórios do interior, urbano e empreendedorismo social, tendo para estes 3 avisos de concurso afetado a totalidade das verbas do FSE remanescentes do SI2E, que totalizavam 1.303.875,66€. 

Após a abertura de cada um dos concursos fez a publicitação, com sessão de informação e esclarecimentos, de cada uma das medidas no seu território, prática usual porque permite uma grande proximidade com os agentes locais e com a população residente. 

Em 15 de julho, a Senhora Ministra da Coesão Territorial, Doutora Ana Abrunhosa, fez a apresentação pública do programa em Melgaço tendo referido que eram necessárias dinâmicas territoriais porque a verba para a aprovação das candidaturas nunca seria problema, mesmo que estas ultrapassassem os montantes financeiros disponíveis. Esta afirmação foi reiterada pelos responsáveis do Ministério da Coesão várias vezes e em diversos pontos do país. 

Estes 3 concurso tinham 2 fases para apresentação de candidaturas, uma que encerrava a 16 de setembro e a segunda a encerrar a 30 do mesmo mês.  

A Comissão Diretiva do PO Regional Norte, comunicou no dia 15 que por decisão do Ministério da Coesão Territorial as candidaturas encerrariam a 16 de setembro sendo suspensa a segunda fase. Esta decisão determinada com muita pouca antecedência prejudicou entidades e empresas que pretendiam efetuar e submeter as suas candidaturas durante a segunda fase. Podemos afirmar que o território do Cávado é prejudicado com o encerramento abrupto dos concursos deste sistema de incentivos. 

Para o território do Cávado que coincide com a zona de intervenção da ATAHCA, foram submetidas até às 18,00 horas do dia 16 de setembro, último dia para a apresentação de candidaturas à primeira fase, 137 candidaturas para um montante financeiro de cerca de 18 milhões de euros. 

A verba dos avisos de concurso é significativamente insuficiente para os montantes das candidaturas submetidas, pelo que esperamos que a Senhora Ministra da Coesão Territorial reforce, conforme afirmou em sessões públicas, cada um dos avios de maneira a satisfazer todas as candidaturas que venham a obter mérito para aprovação. 

As candidaturas apresentadas, para o território do Cávado, propõe a criação de 185 novos postos de trabalho, número importante considerando que muitos destes recursos humanos têm como local de trabalho freguesias do interior rural, que necessitam de dinamização que ajude a diminuir o acentuado despovoamento que se tem verificado nos últimos anos. 

A ATAHCA e os promotores de candidaturas ao +CO3SO aguardam que a Senhora Ministra da Coesão Territorial reforce com a dotação financeira necessária, conforme o afirmou publicamente, cada um dos avisos de concurso de modo a aprovar todas as candidaturas que obtenham pontuação de mérito. Se quisermos os territórios do interior rural com a dinâmica que desejamos, não será possível a obtenção de resultados positivos sem investimento e apostas fortes na fixação de população jovem, só assim conseguiremos maior equilíbrio entre o interior o litoral e entre o interior rural e o interior urbano. 

A ATAHCA continuará a trabalhar para implementar políticas de desenvolvimento rural  integrado, ajudando a dinamizar os territórios da sua zona de intervenção de modo a fixar população ainda residente e sempre que possível atrair novos residentes e ainda apoiando a criação de riqueza, condição única para se manter vida nos territórios rurais do interior. 

Como a ATAHCA, todas as Associações de Desenvolvimento Local, associadas da Federação Minha Terra, têm desenvolvido importante tarefa na execução de políticas de desenvolvimento dos territórios rurais, através da implementação do LEADER e de outros programas comunitários e nacionais que contribuem decisivamente para a dinamização económica e social dos territórios rurais. É necessário que as expectativas que a população coloca nas ADL sejam correspondidas com as correspondentes dotações financeiras de modo que os projetos de dinamização económicas destes territórios rurais sejam aquilo que todos esperamos e desejamos. 

Vila Verde, 17 de setembro de 2020 

O Presidente da ATAHCA 

José da Mota Alves

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ABRE CONCURSO PARA LOTEAMENTO EM MAR

O Município de Esposende acaba de lançar o procedimento concursal para a construção de um loteamento, na rua da Estrada Nova, na freguesia de S. Bartolomeu do Mar. Este é um arranjo urbanístico há muitos anos reclamado pela população local que agora vê criadas condições para responder às necessidades de habitação nesta freguesia.

CME.jpg

Esta obra proporcionará as condições para avançar com a requalificação de toda a zona envolvente ao Centro Cívico e à sede dos escuteiros, fomentando a fixação de jovens casais e conferindo uma nova dinâmica à freguesia de Mar.

“O objetivo deste loteamento é ajudar as famílias, especialmente os casais jovens, a terem a sua habitação”, vincou Benjamim Pereira.

Este loteamento enquadra-se no conjunto de ações preconizadas no âmbito da Estratégia Local de Habitação do Município de Esposende, recentemente aprovada.

As obras, com o valor base de 86,920 euros, preveem a construção de novas vias de circulação instalação das redes de água, pluviais e telecomunicações, construção de passeios e  estacionamento.

Além de um direito, a questão habitacional enquadra-se no planeamento urbanístico, na requalificação habitacional, na infraestruturação e na preservação do meio ambiente, áreas que o Município preserva. A par dos projetos em curso de regeneração urbana dos núcleos habitacionais do concelho, o Município de Esposende continua a desenvolver a política habitacional que compreende diagnósticos sobre as necessidades de cada freguesia, procurando responder às solicitações e proporcionando as condições para a fixação das populações.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE AVANÇA COM RECONSTRUÇÃO DA PONTE DO SEBASTIÃO

O Município de Esposende vai avançar com a obra de reconstrução da denominada Ponte do Sebastião que liga Antas, em Esposende, a Castelo do Neiva, já no concelho de Viana do Castelo. De resto, a obra, estimada em 102.090,00 euros, será suportada, em partes iguais, pelos dois municípios. O Município de Esposende assume a responsabilidade da obra e o investimento total, sendo posteriormente ressarcido pelo Município de Viana do Castelo.

ponte sebastião 1.jpg

A ponte foi construída em 1930 por ordem de um particular, à data o proprietário da

azenha e do pesqueiro existente no local. Ao longo do tempo, a ponte sofreu a queda de diversas pedras que compõem o seu tabuleiro, resultado do embate das árvores caídas ao rio em dias de tempestade.

A última situação registada ocorreu em 22 de dezembro de 2019, quando a ponte sofreu uma derrocada em grande parte da sua extensão, motivada pelas fortes chuvadas e pelo consequente arrastamento de troncos de árvores que promoveram a queda do tabuleiro e de parte dos elementos dos pilares.

Com a empreitada prevista, serão repostos todos os elementos caídos, usando a tecnologia construtiva usada à data da sua construção original e em período seco.

Será mantida toda a sua forma inicial, distâncias entre elementos e aspeto geral.

Os pilares são compostos por três secções em alvenaria de granito. Apenas dois dos 14 pilares são formados unicamente por dois elementos.

O Município de Esposende tem em curso um plano mais vasto que compreende a requalificação das diversas pontes existentes no concelho e projeta a construção de novas travessias já anunciadas.

Na estratégia de unidade territorial, a construção ou reparação de pontes afigura-se primordial, para facilitar a circulação e aproximar as populações e para tornar acessíveis territórios que evidenciem a forte vertente turística do concelho. De resto, esta travessia pedonal adquire manifesta importância e relevo, no que ao caminho da costa para Santiago de Compostela diz respeito.

ponte sebastião.jpg

ESPOSENDE: SITUAÇÃO DE CONTINGÊNCIA NACIONAL DETERMINA ADOÇÃO DE NOVAS MEDIDAS

No âmbito da pandemia declarada pela propagação da COVID-19, entra hoje em vigor a resolução governamental que declara situação de contingência nacional, impondo uma série de medidas de prevenção, contenção e mitigação da transmissão da COVID-19.

logo_covid2.png

O Município de Esposende, neste contexto, faz saber que se mantém a necessidade de cumprimento do distanciamento social, devendo para o efeito, assegurar-se um afastamento de pelo menos dois metros entre pessoas, ao mesmo tempo que informa que se mantém restrita a permanência em espaços fechados e proibida a espera para atendimento, pelo que os utentes dos serviços devem privilegiar os meios de contacto digitais, nomeadamente, através do portal, www.municipio.esposende.pt (Balcão Virtual » Atendimento » Agenda) ou através do número de telefone 253 960 100. Os demais serviços públicos mantêm também o atendimento por marcação.

Algumas das outras medidas a tomar em consideração envolvem a permanência do encerramento dos estabelecimentos destinados a atividades recreativas, de lazer e diversão ou atividades em espaço aberto, como parques de diversão, parques infantis e estabelecimentos de bebidas, nomeadamente, os bares, outros estabelecimentos de bebidas sem espetáculo e os estabelecimentos de bebidas com espaço de dança. Estes últimos podem funcionar com sujeição às regras estabelecidas na presente resolução para os cafés ou pastelarias, sem necessidade de alteração da respetiva classificação de atividade económica, desde que cumpram as demais orientações da DGS para estes estabelecimentos

A venda de bebidas alcoólicas em postos de abastecimento e áreas de serviço está proibida, sendo esse impedimento alargado aos estabelecimentos de comércio a retalho, incluindo supermercados e hipermercados, a partir das 20 horas.

Os estabelecimentos não podem abrir antes das 10 horas da manhã, com exceção atribuída a salões de cabeleireiro, barbeiros, institutos de beleza, restaurantes e similares, cafetarias, casas de chá e afins, escolas de condução e centros de inspeção técnica de veículos, bem como ginásios e academias.

Já o funcionamento dos estabelecimentos da restauração e similares, para efeitos de serviço de refeições no próprio estabelecimento ou para confeção de refeições take-away ou entrega no domicílio, está dependente do cumprimento das regras definidas pela Direção Geral de Saúde, devendo ser cumprida a percentagem de ocupação da capacidade interior (50%) e sendo vedado o acesso ao público a partir das 00h00 horas, com encerramento à 01h00.

Não é permitida a realização de celebrações e de outros eventos que impliquem a aglomeração de mais de 10 pessoas, com a exceção de cerimónias religiosas, eventos familiares ou corporativos, tendo a Direção Geral de Saúde definido orientações específicas para estes casos.

A prática da atividade física e desportiva, em contexto de treino e em contexto competitivo podem realizar-se, desde que, também, no cumprimento das orientações definidas pela Direção Geral de Saúde e pelas associações representativas de cada modalidade.

Cabendo à Câmara Municipal a definição do horário de encerramento dos estabelecimentos comerciais, optou-se, nesta fase, pelo horário mais alargado (23 horas), não obstante esta situação possa ser alvo de revisão a qualquer momento, em função do desenvolvimento da pandemia e da atuação dos cidadãos.

A Câmara Municipal apela ao comportamento cívico dos cidadãos, pois apenas com o cumprimento escrupuloso das regras em vigor será possível conter a pandemia e, em tempo, voltar ao normal quotidiano.