Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

QUEM É O ARTISTA ESPOSENDENSE JORGE BRAGA?

305503262_10220918868507530_5352160858565440163_n.jpg

Jorge Braga nasceu em Esposende, uma pequena localidade no Norte de Portugal.

Cedo se destacou no mundo das letras, em particular na poesia, ganhando prémios em concursos e jogos florais, colaborando em revistas, jornais e programas de rádio.

Numa passagem voluntária pela Força Aérea Portuguesa, colaborou com as revistas da instituição.

De regresso à vida civil, voltou aos estudos, como trabalhador estudante e licenciou-se em Engenharia e Gestão Industrial.

Em 1991 publicou a seu primeiro livro de poemas “ELOS”, abrindo, assim, caminho a um novo percurso pelo mundo das letras.

Publica o seu segundo livro “PARADOXIA” em 1992, onde contou com a presença do Presidente do Instituto do Livro e da Leitura.

Em 1994, publica “GALARIM”, onde se afirma como poeta no mundo académico, sendo a apresentação promovida pela Universidade Lusíada, onde era aluno.

Em 1997, publicou, com o apoio do CSJM (Centro Social Juventude de Mar), a obra “EXCITAÇÕES DA RAZÃO” e dá início a uma nova forma de escrever poesia, a Crónica Poética.

Em 2005, publicou “Plectro Inato”, com o apoio da Universidade Lusíada.

Em 2014, tirou uma formação em Técnicas de Produção de Moldes para Escultura na Faculdade de Belas Artes do Porto.

Em 2014, publicou a obra poética “Amenas Tempestades”, pela Vesbrava.

Em 2015, integrou a I Bienal de Artes de Gaia, com a sua escultura em bronze, “Beijo”.

Em 2015, integrou a Art Shopping no Carroussel du Louvre em Paris

Fonte: Galeria de Arte On-Line

PONTE DA BARCA INAUGURA EXPOSIÇÃO “LINHA DO HORIZONTE” DE JORGE BRAGA

448249322_457670607012326_8084209248320682015_n.jpg

Escultor é natural de Esposende

Foi inaugurada, na tarde desta sexta-feira, a exposição "Linha do Horizonte", do artista natural de Esposende, Jorge Braga. O nome da exposição, explicou o autor, tem a ver “com o facto da linha do horizonte no alto Minho ser, de alguma forma, feita de altos e baixos”, dado o carácter montanhoso conferido pelos vales e montes que rodeiam o território.

A mostra, que está agora patente nos Paços do Concelho de Ponte da Barca, conjuga escultura e pintura em materiais como o latão, madeira, aço, bronze, ferro e pintura a óleo, revelando a habilidade do artista em criar obras que se destacam pelos contornos fortes e cores vibrantes. Das suas criações ressaltam também as formas geométricas com pontos em comum, tais como, o relógio, o sol representado em espiral, e elementos inspirados na escada de Jacó.

A transversalidade entre a poesia, o desenho e a escultura é um dos traços mais marcantes do trabalho de Jorge Braga, proporcionando uma experiência rica e multifacetada aos visitantes.

A inauguração contou com a presença do Presidente da Câmara, Augusto Marinho, do Vice-presidente, José Alfredo Oliveira, das Vereadoras Municipal, Rosa Maria Arezes e Diana Sequeira, e de amigos e admiradores do trabalho de Jorge Braga.

Horário: Segunda a sexta-feira | 09:00h às 12:30h e das 14:00h às 17:30h

448271683_457670593678994_8664919518263739673_n.jpg

448272475_457671597012227_5510277823255459019_n.jpg

448368540_457670587012328_3112394954748331407_n.jpg

“ECOS DO CAMINHO DE SANTIAGO” EM EXPOSIÇÃO NO CENTRO DE INFORMAÇÃO TURÍSTICA DE ESPOSENDE

“Ecos do Caminho de Santiago” é como se intitula a exposição que vai estar patente no Centro de Informação Turística (CIT) de Esposende, de 15 de junho a 25 de julho.

Da autoria de Vitor Machado, a mostra resulta da fusão entre a arte contemporânea e a tradição milenar do Caminho de Santiago. É composta por obras que personificam a essência da jornada rumo à cidade de Santiago de Compostela e celebra a riqueza cultural e espiritual da tradição milenar desta peregrinação.

O ponto central desta exposição são as esculturas que transmitem os diversos momentos e emoções vividas ao longo do Caminho. O material utilizado são, sobretudo, seixos recolhidos na costa de Esposende, combinados com elementos metálicos, muitas vezes provenientes de objetos reutilizados, numa alusão aos objetos encontrados ao longo da trajetória dos peregrinos.

Cada escultura é uma narrativa visual por si só, contando histórias de determinação, fé e descoberta. Os seixos, fruto da erosão, representam a passagem do tempo e a jornada percorrida pelos peregrinos. Os elementos metálicos, com formas distintas e texturas variadas, simbolizam os desafios superados e os laços criados entre os caminhantes.

Ao percorrer a exposição, os visitantes são convidados a mergulhar na atmosfera única do Caminho de Santiago. Cada obra convoca reflexões sobre a própria jornada pessoal. As esculturas, apesar de estáticas, parecem pulsar com a energia dos peregrinos que as inspiraram.

A mostra poderá ser visitada no horário de normal funcionamento do CIT, ou seja, de segunda-feira a sábado, das 9h00 às 17h00.

Esta ação enquadra-se no Plano de Ação para a Sustentabilidade, Crescimento e Competitividade do Turismo em Esposende – 2023_2027 e insere-se no âmbito das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

Capturarar.JPG

20230920_114021.jpg

20240121_111621.jpg

20240318_090033.jpg

20240318_090129.jpg

MUNICÍPIO DE PONTE DA BARCA INAUGUROU ESCULTURA COMEMORATIVA DOS 50 ANOS DO 25 DE ABRIL NO DIA DE PORTUGAL

448135927_455685100544210_8489229024121934050_n.jpg

Ao final da tarde do dia de ontem, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o Município de Ponte da Barca inaugurou uma escultura comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril.

A cerimónia decorreu no Largo 25 de Abril, homenageando, como salientou o Presidente da Câmara, Augusto Marinho, durante a cerimónia “os verdadeiros heróis deste evento transformador: os Militares que ousaram derrubar a ditadura e o Povo, que aderiu de imediato e ergueu bem alto a bandeira da Liberdade, preservando-a até aos dias de hoje”.

A escultura, obra do artista Pedro Figueiredo, que agradeceu ao Município a “confiança para a criação desta obra que é, também, uma homenagem à celeste dos cravos”, é uma impressionante figura feminina moldada em bronze, com 1,90 metros de altura, que segura um cravo, símbolo icónico da revolução que mudou o curso da história portuguesa.

Neste dia, foi também assinalado o 500º aniversário do nascimento de Luís Vaz de Camões, um dos maiores símbolos de identidade de Portugal e uma referência para toda a comunidade Lusófona, com a inauguração de uma placa comemorativa para honrar a memória e o legado deste poeta maior.

A cerimónia contou com a presença de Presidentes de Junta de Freguesia, do Presidente da Assembleia Municipal,  Bombeiros Voluntários e cidadãos que quiseram prestar homenagem aos heróis da Revolução dos Cravos.

Este evento duplo reforça a ligação entre o passado e o presente, celebrando a liberdade conquistada em 1974 e homenageando um dos maiores poetas da língua portuguesa, num testemunho vivo da identidade e da cultura de Portugal.

447973405_455685173877536_5438201961422846673_n.jpg

448025598_455685123877541_5545361995068593804_n.jpg

448072446_455685377210849_8586911508275422839_n.jpg

448136204_455685250544195_1578824811312606624_n.jpg

448179358_455685180544202_3585443505180962474_n.jpg

448235017_455685207210866_4932908175256835011_n.jpg

448235784_455685270544193_2027188495363702483_n.jpg

ESCULTURA DE JOANA VASCONCELOS CONTRIBUI PARA DINAMIZAÇÃO CULTURAL E TURÍSTICA DE BRAGA

CMB09052024SERGIOFREITAS30223905.jpg

Peça inaugurada junto à Praça – Mercado Municipal de Braga

A escultura “l'Il Be Your Mirror #1, 2018”, da artista plástica Joana Vasconcelos, foi inaugurada esta Quinta-feira, 9 de Maio, na Praça do Comércio, em Braga. A peça, que integra a coleção da Sonae Sierra, permanecerá em exposição até Dezembro de 2025, ano em que Braga será Capital Portuguesa da Cultura.

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, deu conta do orgulho e do privilégio da Cidade em receber a obra da conceituada artista plástica portuguesa, referindo que “a inserção da escultura de Joana Vasconcelos vai contribuir para a dinamização cultural e turística da Cidade”.

“Braga é uma Cidade que revela a sua consciência cultural. Assumimos como desígnio prioritário a valorização da cultura e a sua promoção junto de todos os cidadãos. Queremos que a cultura esteja presente em todas as etapas do desenvolvimento deste território, usando como fonte de competitividade, formação, criatividade e de inclusão social. Temos muito orgulho em sermos uma Cidade palco e usarmos o nosso espaço público para a concretização de múltiplas manifestações culturais”, afirmou.

Ricardo Rio lembrou que em 2020 Braga ganhou uma nova centralidade, com a requalificação integral do Mercado Municipal. O espaço ganhou novas valências, como o espaço da Mesa na Praça, e desde essa altura passou a ser um pólo dinamizador de diversas iniciativas. “Acreditamos que a escultura da Joana Vasconcelos trará ainda mais pessoas e mais vida a esta Praça”, referiu o Autarca.

A escultura “l'Il Be Your Mirror #1, 2018”, da artista Joana Vasconcelos, faz parte da coleção Sonae Sierra e foi cedida ao Município de Braga até Dezembro de 2025. Ao longo do período de permanência da peça serão organizadas diversas atividades que darão a conhecer o processo criativo da artista plástica.

Com obras espalhadas um pouco por todo o mundo, Joana Vasconcelos considera ser muito importante que as suas obras sejam adquiridas no seu País e nele residam. “Continua a ser uma grande alegria saber que esta peça em particular se encontre no Norte de Portugal”, afirma Joana Vasconcelos.

As molduras que compõem a peça foram desenhadas pela artista no espírito do Barroco que continua a ser uma das maiores inspirações para o seu trabalho. “É um orgulho voltar a mostrar a máscara nesta ocasião, agradeço a oportunidade também à Câmara Municipal de Braga”, finalizou.

Cristina Santos, Executive Director, Property Management da Sonae Sierra refere que "A Sierra reafirma seu compromisso com a vitalidade cultural da cidade de Braga ao ceder a escultura, l'Il Be Your Mirror #1, da artista Joana Vasconcelos, para exposição. Esta iniciativa não apenas enriquece o ambiente do mercado, como também convida a comunidade a envolver-se mais profundamente com a arte, reforçando o papel desta nova centralidade como um ponto de encontro para a socialização, expressão e a apreciação cultural”.

De referir que a Sonae Sierra, em parceria com o Grupo Érre, é responsável pela Mesa na Praça, a ala de alimentação do Mercado Municipal de Braga. Com um calendário cultural que acompanha as propostas gastronómicas do espaço, a Mesa na Praça pretende assumir-se como um dos locais de visita obrigatória em Braga.

Sobre a peça l'Il Be Your Mirror #1

Aludindo ao papel dos artistas na sociedade, Joana Vasconcelos acaba por criar um jogo de ocultação. Servindo-se de 255 molduras barrocas em bronze (desenhadas e decoradas pela artista) e de 510 espelhos sobrepostos como se de escamas se tratasse, constrói uma surpreendente máscara veneziana. Através de uma peça escultórica que se adapta tanto ao espaço exterior como interior, estabelece um diálogo com o reflexo da envolvência. Já o público que pretender encontrar a sua imagem devolvida, é convidado a descobrir que “só há reflexão quando há paralelismo” como explica a artista plástica. Retirado da música homónima, composta por Lou Reed e interpretada pelos Velvet Underground e pela cantora Nico, o título também serviu de tema à sua mostra individual no Guggenheim de Bilbau.

Sobre a artista Joana Vasconcelos

Com uma carreira que abarca 30 anos e uma enorme variedade de suportes, Joana Vasconcelos é uma artista plástica portuguesa reconhecida pelas suas esculturas monumentais e instalações imersivas. As suas obras marcam presença em coleções importantes, como as de François Pinault, Louis Vuitton e da Fundação Rothschild, tem obra pública em Jupiter Artland, Waddesdon Manor ou a cidade de Paris. Presente na Bienal de São Paulo, Art Basel ou Artgenève, por exemplo, expôs quatro vezes na Bienal de Veneza, foi a primeira mulher e a mais jovem artista em Versalhes e teve importantes exposições individuais no Guggenheim de Bilbau, no Yorkshire Sculpture Park e nas Galerias Uffizi. De Lisboa para o mundo, gere um atelier com cerca de 60 colaboradores e uma fundação que promove a arte para todos.

CMB09052024SERGIOFREITAS30223875.jpg

CMB09052024SERGIOFREITAS30223878.jpg

CMB09052024SERGIOFREITAS30223901.jpg

ESCULTOR ARCUENSE NUNO VELOSO EXPÕE NOS PAÇOS DO CONCELHO DE PONTE DA BARCA

1715008703337.jpg

Nuno Veloso nasceu em Arcos de Valdevez, decorria o ano de 1984.

Vai estar patente ao público, com inauguração no próximo dia 10 de Maio pelas 21h00, uma exposição de escultura do escultor Nuno Veloso, nos Paços do Concelho de Ponte da Barca.

Nuno é metalomecânico de profissão, e escultor autodidata. Aproveitando o seu conhecimento profissional, Nuno transpõe para fora de si, a sua necessidade de criação, usando diferentes formas de esculpir o metal, adora trabalhar ligas metálicas e fazer nascer as suas obras. Das suas muitas viagens pelo mundo, abriu-se lhe a visão em relação à arte, impulsionado pelas diferentes culturas, aliado à forma como se sente durante o seu processo criativo, até a obra estar concluída. O artista tem uma predileção por materiais aços carbónicos que lhe conferem um gosto pessoal, sendo estes os difíceis de trabalhar, mas os que lhe conferem um maior gosto e satisfação pessoal.

Instagram: https://www.instagram.com/nmsveloso/

BRAGA RECEBE ESCULTURA DE JOANA VASCONCELOS

Capturarjoan.JPG

Peça ficará instalada em frente à Praça – Mercado Municipal

O Município de Braga e a Sonae Sierra inauguram no próximo dia 9 de Maio, às 11h30, na Praça do Comércio (em frente à Praça – Mercado Municipal), a escultura “l'Il Be Your Mirror #1, 2018”, da artista Joana Vasconcelos. A obra faz parte da colecção Sonae Sierra e foi cedida ao Município de Braga até Dezembro de 2025. O objectivo é promover a interacção cultural e turística nesta zona da Cidade.

A cerimónia de inauguração contará com a presença de várias figuras do panorama institucional, cultural e turístico da cidade de Braga, assim como a participação da própria artista, Joana Vasconcelos.

A inserção desta obra de arte da autoria da artista portuguesa na Praça do Comércio, corresponde ao objectivo central de garantir novas dinâmicas de revitalização do próprio Mercado Municipal de Braga, promovendo maior ligação à comunidade e garantindo mais experiências culturais, gastronómicas e turísticas.

A escultura “l'Il Be Your Mirror #1, 2018” ficará disponível para visualização pública, com acesso gratuito. Ao longo do período de permanência da peça serão organizadas diversas actividades que permitirão conhecer o processo criativo de Joana Vasconcelos.

Joana Vasconcelos destaca a “alegria” de ter a peça na Cidade de Braga, uma peça que retracta o “momento em que o artista se revela, o baixar da máscara permite mostrar quem verdadeiramente somos, e aquela aquisição permitiu mostrar quem eu era no Guggenheim”.

“Para mim, enquanto artista portuguesa, também é muito importante que as minhas obras sejam adquiridas no meu País e nele residam. Continua a ser uma grande alegria saber que esta peça em particular se encontre no norte de Portugal”, afirma a artista, acrescentando ainda que “as molduras que a compõem foram desenhadas por mim no espírito do Barroco, que continua a ser uma das maiores inspirações para o meu trabalho e que tão fortes raízes tem em Braga”.

Sobre a peça l'Il Be Your Mirror #1

Aludindo ao papel dos artistas na sociedade, Joana Vasconcelos acaba por criar um jogo de ocultação.

Servindo-se de 255 molduras barrocas em bronze (desenhadas e decoradas pela artista) e de 510 espelhos sobrepostos como se de escamas se tratasse, constrói uma surpreendente máscara veneziana.

Através de uma peça escultórica que se adapta tanto ao espaço exterior como interior, estabelece um diálogo com o reflexo da envolvência. Já o público que pretender encontrar a sua imagem devolvida, é convidado a descobrir que “só há reflexão quando há paralelismo” como explica a artista plástica. Retirado da música homónima, composta por Lou Reed e interpretada pelos Velvet Underground e pela cantora Nico, o título também serviu de tema à sua mostra individual no Guggenheim de Bilbau.

“PORTA DA LIBERDADE” DEIXA “MARCA DURADOURA” DAS COMEMORAÇÕES DOS 50 ANOS DO 25 DE ABRIL EM BRAGA

25Abril24_005.JPG

Escultura apresenta uma porta semiaberta com 50 cravos em recorte

No âmbito das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril em Braga, foi inaugurada hoje a obra “Porta da Liberdade”, da autoria de Alberto Vieira. Localizada na Avenida da Liberdade, a escultura apresenta uma porta semiaberta com 50 cravos em recorte.

A localização da escultura justifica-se pela sua associação ao ideal de liberdade. O nome desta avenida, inicialmente atribuído em 1910 com a instauração da república, havia sido abandonado em 1935 durante o período da ditadura e foi resgatado após o 25 de abril de 1974. A (re)conquista da liberdade que o nome da avenida traduz está também presente na escultura – a porta da liberdade é sempre uma porta aberta para um caminho em construção.

De acordo com Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, a obra vem dar uma ´dimensão física´ a estas comemorações. “Hoje é dia de celebrar e era essencial que este momento marcante, para lá de todas as atividades que estão a acontecer, tivesse algo que deixasse uma marca duradoura na cidade. Esta é uma peça bastante expressiva e cuja simbologia está totalmente alinhada com a celebração”, afirmou.

Segundo o edil, ao representar uma porta entreaberta, a escultura ´dá-nos um repto de movimento e de mudança, ao mesmo tempo que nos obriga a um esforço coletivo para seguir em frente e consolidar as conquistas de Abril´. “É precisamente através desta porta da liberdade, que se abriu no dia 25 de Abril de 1974, que conseguiremos chegar a um futuro melhor”, salientou.

25Abril24_015.JPG

25Abril24_021.JPG

25Abril24_023.JPG

ESPOSENDE ERGUE ESCULTURA AO PILOTO PAULO GONÇALVES

Inauguração da escultura e Parque Paulo Gonçalves tem lugar no dia 10 de fevereiro, 15h30

Está agendada para o próximo dia 10 de fevereiro, às 15h30, a cerimónia de inauguração do “Parque Paulo Gonçalves” e da escultura memorial do piloto esposendense, que faleceu a 12 de janeiro de 2020, na Arábia Saudita, após queda na 42.ª edição do Rali Dakar.

Paulo Gonçalves.jpg

A ação de homenagem constitui mais uma iniciativa evocativa do legado do “Speedy”, como era carinhosamente apelidado, concretizada pela Comissão Organizadora da Homenagem ao Piloto Paulo Gonçalves, que é presidida pelo Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

A par de diversas ações que foram desenvolvidas ao longo do tempo, de onde se destaca a atribuição do seu nome à toponímia de Gemeses, freguesia de onde era natural, entendeu-se erigir um monumento escultórico, que ficará instalado no chamado Souto Citadino, localizado em Esposende, face da Estrada Nacional 13, classificada como Rota do Norte, entre as rotundas da Senhora da Saúde e da Solidal, espaço que passa a designar-se “Parque Paulo Gonçalves”.

Para tal, o Município de Esposende, associou-se à Associação Speedy Forever, que se empenhou na recolha das peças mecânicas que deram corpo à escultura, e ao fotojornalista e artista Paulo Jorge Maria, que concebeu o projeto, cuja execução ficou a cargo de uma empresa de Constância (Santarém), num investimento próximo dos 50 000 euros, totalmente financiado pela Câmara Municipal de Esposende.

A peça representará o piloto e a sua moto em ação, em plena corrida numa duna no deserto, na Arábia Saudita, onde o piloto viria a morrer, com uma volumetria com o dobro do tamanho real, com oito toneladas e cinco metros de altura. A ideia é transmitir uma imagem dinâmica, tal como imprimiu à sua vida profissional e pessoal, salienta o Presidente da Câmara Municipal de Esposende e da Comissão Organizadora da Homenagem, Benjamim Pereira, destacando o desportista, mas essencialmente o Homem que procurava a excelência, sem abdicar dos valores que o tornaram reconhecido mundialmente.

Paulo Gonçalves destacou-se no desporto motorizado, alcançando 23 títulos nas modalidades de motocross, supercross e enduro. Participou em 13 edições do Rali Dakar, terminado de forma notável em segundo, em 2015, tendo-se sagrado Campeão do Mundo de Rallies Cross Country, em 2013.

Reconhecendo a grandiosidade desportiva e humana do piloto, enquanto exemplo e agente propiciador de uma sã integração social, a Câmara Municipal de Esposende atribuiu-lhe, em 2003, a Medalha de Mérito Desportivo. Distinguido anualmente na Gala de Mérito Desportivo do Município, Paulo Gonçalves foi homenageado com a atribuição, a título póstumo, da Medalha de Honra, o mais alto galardão municipal. Em reconhecimento do seu legado, o Município instituiu, em 2021, o “Prémio Paulo Gonçalves”, a mais alta condecoração atribuída aos atletas do concelho.

escultura PG.jpg

escultura_PG.jpg

PG.jpg

FAMALICÃO INAUGURA “JARDIM SUSPENSO” DE CHARTERS DE ALMEIDA NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

Pelas 15h30, na Praça D. Maria II, com a presença do artista

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão inaugura na próxima segunda-feira, 30 de outubro, pelas 15h30, na Praça D. Maria II (topo sul) a escultura “Jardim Suspenso”, da autoria de Charters de Almeida.

Capturarfa1 (33).JPG

A sessão contará com a presença do conceituado artista português e autor da obra, João Charters de Almeida.

A escultura “Jardim Suspenso” é construída em aço ‘corten’ e tem 5 metros de altura. Os recortes da peça foram criados de modo a projetar sombras com o formato de flores, enquanto a luz assim o permitir, remetendo, de forma simbólica, para a esperança, o conceito de tempo e a constante transformação do homem.

Esta é a última intervenção no espaço público de Charters de Almeida, segundo o próprio, e está instalada junto à Rua do Ferrador, a poucos metros de uma das suas obras mais icónicas: os painéis de azulejos que revestem a Fundação Cupertino de Miranda, o seu primeiro trabalho realizado em espaço público.

Capturarfa2 (32).JPG

PS/FAMALICÃO: EDUARDO OLIVEIRA EXIGE EXPLICAÇÕES DE MÁRIO PASSOS SOBRE A NOVA ESCULTURA NA PRAÇA D. MARIA II

O Vereador do Partido Socialista quer saber quanto custou a nova escultura instalada na Praça D. Maria II e por que razão o assunto não foi discutido em reunião do executivo municipal.

“Mário Passos age como se fosse dono disto tudo e toma decisões sem o conhecimento da Câmara Municipal.” A afirmação é do vereador socialista Eduardo Oliveira que, na manhã desta terça-feira, 17 de outubro, questionou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Mário Passos, a propósito de uma obra de arte instalada ontem à tarde na Praça D. Maria II, no centro da cidade de Famalicão. 

O custo da escultura e o facto de a aquisição da obra de arte não ter sido discutida e aprovada pelo executivo municipal em reunião camarária são questões que Eduardo Oliveira quer que sejam esclarecidas por Mário Passos. 

Destacando que, de uma forma geral, não tem “nada contra obras de arte”, Eduardo Oliveira critica a falta de transparência do edil famalicense. “Isso é agir nas costas dos famalicenses e desrespeitar a Câmara Municipal”, destaca Eduardo Oliveira. 

“O egocentrismo do presidente da Câmara é tão grande que os famalicenses ficaram a saber da nova obra de arte na cidade através das redes sociais de Mário Passos”, refere Eduardo Oliveira, destacando que a informação não está disponível nem no sítio oficial do Município nem nos perfis oficiais da autarquia nas redes sociais. 

“É o presidente do quero, posso e mando”, refere o vereador socialista Eduardo Oliveira, que considera que este comportamento reflete mais um dos muitos tiques de autoritarismo que Mário Passos tem vindo a revelar. “Há cada vez mais exemplos vindos de um presidente que foge das perguntas e do escrutínio da oposição, apresenta queixas contra a imprensa, e ignora até os seus vereadores”, destaca o vereador do PS.

Nova escultura instalada na Praça D. Maria II no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão (1).jpg

CHARTERS DE ALMEIDA INSTALA “JARDIM SUSPENSO” NO CENTRO DE FAMALICÃO

Nova escultura do artista ficará instalada na Praça D. Maria II

É ao lado de uma das suas obras mais icónicas, os painéis de azulejos que revestem a Fundação Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão, que João Charters de Almeida se prepara para instalar a sua próxima criação, a última que realizará no espaço público.

DSC_0001.jpg

A novidade foi avançada esta segunda-feira, 2 de outubro, pelo presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, que aproveitou a presença do escultor em Famalicão nas comemorações do 60.º aniversário da Fundação Cupertino de Miranda para anunciar a nova obra de arte de Charters de Almeida no concelho - “Jardim Suspenso”.

Construída em aço corten e com 5 metros de altura, a obra ficará instalada na Praça D. Maria II, a sul do edifício da Fundação.

Na apresentação da peça que vai nascer no centro urbano de Famalicão, Charters de Almeida, explica que “as sombras projetadas pela escultura são flores enquanto a luz as desenhar” e que este “Jardim Suspenso” “será sempre um sinal de esperança”, apontando a arte como a resposta para as angústias da humanidade.

“Neste complexo suporte que nos mantém, que se chama Terra, o Homem continua sem resolver o conceito de tempo e, por isso, a angústia está sempre presente no seu subconsciente”, refere, acrescentando ainda que escolheu os jardins da Praça D. Maria II para intervir “pela novidade da sua expressão formal, de ter a presença dos elementos água, luz, flores, árvores”.

O edil famalicense acredita que a nova escultura de Charters de Almeida vem reforçar a importância da Fundação Cupertino de Miranda no centro urbano de Famalicão e que a obra do artista no concelho sairá sedimentada e complementada com este “Jardim Suspenso”.

Mário Passos encara a nova peça como “um tratado ao valor da memória e à sua importância de permanecer viva. Um sinal de esperança sempre atual no espaço público a interpelar em permanência o visitante para os valores da arte, da identidade e do humanismo”.

O autarca parabenizou ainda a Fundação Cupertino de Miranda “por estar há 60 anos a elevar o nome de Famalicão e a prestigiar a nossa comunidade” e pelo “trabalho que tão bem tem sabido desenvolver, sobretudo no que respeita à salvaguarda do espólio surrealista português”.

Segundo Charters de Almeida esta será a sua última intervenção no espaço público. “Desde 1968 que me sinto ligado a Vila Nova de Famalicão. O tempo não nos afastou. Pelo Contrário. As memórias foram sempre sentidas e cultivadas. O tempo foi passando e as memórias do princípio da minha vida profissional relembraram-me, uma vez mais, que tudo tem um fim”.

João Charters de Almeida nasceu em Lisboa, a 12 de julho de 1935, está representado em museus, fundações e coleções particulares em Portugal e noutros países da Europa, nos Estados Unidos da América, Brasil, Canadá e Japão. Tem trabalhos de grande escala em espaços públicos em Portugal, Bélgica, USA, Canadá e China. Entre eles estão os quatro painéis de azulejos que revestem o exterior da Fundação Cupertino de Miranda. O seu edifício foi inaugurado a 8 de dezembro de 1972. Atualmente acolhe o Centro Português do Surrealismo inaugurado a 1 de junho de 2018.

VALENÇA COM NOVA ESCULTURA ALUSIVA AOS CAMINHOS DE SANTIAGO

Obra da Autoria do Artista António Nunes

Uma escultura de Santiago, em madeira de plátano, foi, ontem, apresentada em Valença, no Dia de Santiago, como nova referência do Caminho de Santiago, na Fortaleza.

CapturarESCULVALENÇA (4).JPG

Durante o dia de ontem a escultura esteve instalada na Praça da República, na Fortaleza, em frente à Câmara Municipal. O local definitivo desta obra de arte será o Largo de Santa Maria dos Anjos, também na Fortaleza.

A obra é do escultor António Nunes e foi elaborada em madeira de plátano, a ponteira de moto serra e com alguns retoques a lixa.

A figura de Santiago, o apóstolo, surge representada, encimada com a vieira, com feições e traços marcados que se estendem pelo rosto e vestes. A meia cintura, uma antiga estrutura de caldeira de árvore, em ferro fundido, ganhou nova utilidade aportando à obra uma base para um ponto de descanso.

Para o Presidente da Câmara, José Manuel Carpinteira, “esta obra materializa o que Valença é no caminho, um ponto de convergência rumo a Santiago, que vai valorizar, ainda mais, a Fortaleza e o Caminho de Santiago. Temos a sorte de ter um escultor como António Nunes que tanto tem enriquecido Valença com as suas obras”.

Para António Nunes esta obra pretende ser “uma espécie de totem tribal, onde os caminhos se encontram rumo a um mesmo lugar, numa perfeita harmonia com a natureza, num caminho de luz”.

O Largo da Igreja de Santa Maria dos Anjos, no topo norte da Fortaleza e em frente a Matriz, hoje, espaço de visitação, contemplação e oração e um dos últimos ponto de paragem de todos os peregrinos que fazem o Caminho Português, em Portugal, antes de entrar na Galiza, será o local definitivo desta obra de arte

OBRA "ESCULTOR MANOEL LOPES", DE ARTUR COIMBRA, APRESENTADA ESTA QUINTA-FEIRA EM FAFE

A Associação dos Antigos Professores, Funcionários e Alunos da ex-Escola Industrial e Comercial de Fafe (AAPAEIF), em parceria com o Município de Fafe, promove a apresentação da obra literária "Escultor Manoel Lopes - 1º Diretor da Escola Industrial e Comercial de Fafe", da autoria de Artur Ferreira Coimbra, esta quinta-feira, dia 13 de Julho, pelas 21:30 horas, na Biblioteca Municipal de Fafe.

Capturaracoimb1 (4).JPG

A obra - de mais de 150 páginas, inteiramente a cores e editada pela AAPAEIF - é apresentada pelo historiador Daniel Bastos.

A anteceder, tem lugar um momento musical pelos Cavaquinhos da AAPAEIF.

A obra nasceu com o objectivo fundamental de homenagear aquele que liderou a Escola Industrial e Comercial entre 1959 e 1961 e que desde 2008 foi presidente da Assembleia Geral da AAPAEIF, até ao seu falecimento em 1 de Setembro de 2022, bem perto dos 95 anos de idade, deixando uma importante obra educativa e artística.

Nessa espécie de fotobiografia, são passadas em revista a vida e obras de Manoel Lopes, a fundação da Escola Industrial e Comercial de Fafe, inaugurada em 18 de Novembro de 1959, bem como a criação da Associação dos Antigos Professores, Funcionários e Alunos da ex-Escola Industrial e Comercial de Fafe, os seus momentos áureos e a ligação de Manoel Lopes a esta associação. Inclui ainda testemunhos de familiares e amigos que lidaram directamente com o homenageado, bem como a transcrição de uma dúzia de textos sobre arte publicados pelo escultor na revista Labor et Virtus, entre 2008 e 2019.

Capturaracoimb2 (3).JPG

MUNICÍPIO CERVEIRENSE INAUGURA ESCULTURA DE HOMENAGEM AOS PESCADORES DO RIO MINHO

Em pleno dia comemorativo dos Marinheiros ou das ‘Gentes do Mar’ (25 de junho), o Município de Vila Nova de Cerveira inaugura, este domingo, pelas 10h30, uma escultura de homenagem aos Pescadores do Rio Minho. A obra, da autoria do artista Acácio de Carvalho, vai erguer-se junto ao Cais de Vila Nova de Cerveira, incorporando um cariz internacional por ser o evento final do projeto DiadES.

Trata-se da figura recortada de um pescador a lastear as redes, em cimento armado e chapa de ferro, com dimensões de 2x3. Segundo o artista Acácio de Carvalho, “o recorte transmite a transparência de algo sólido, permitindo às pessoas continuar a desfrutar da paisagem natural de toda aquela envolvência”.

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira justifica esta homenagem aos pescadores do rio Minho, “por ainda ser uma prática com grande atividade no concelho, e porque é importante preservar as memórias coletivas e os símbolos que caracterizam a nossa comunidade”. Rui Teixeira reconhece a importância “de cada pescador para a economia local e nacional, numa atividade que implica muitos riscos e sacrifícios individuais”.

Complementarmente, o último evento de comunicação do projeto DiadES conta ainda com uma atividade pedagógica intitulada “O Futuro dos Peixes Migradores do rio Minho em contexto de mudanças climáticas”, agendada para este sábado, dia 24, às 10h00, no Aquamuseu. Tendo como caso de estudo a Truta Marisca, o objetivo é apresentar os resultados conseguidos no âmbito do projeto.

Financiado pelo programa europeu Interreg Espaço Atlântico, o projeto DiadES teve como propósito avaliar e melhorar os serviços de ecossistema prestados pelas espécies diádromas (migradoras), ao longo da costa atlântica europeia e, paralelamente, o estado de conservação destas espécies, tendo explicitamente em conta os impactos esperados das alterações climáticas na sua distribuição.

Ao longo de quatro anos de execução e de um orçamento de 3ME, o projeto DiadES baseou-se na intensidade da cooperação entre cientistas das ciências naturais e economistas ambientais, reunindo uma rede de gestores que trabalham com espécies migradoras - salmão, truta-marisca, sável, savelha, enguia, lampreia, lampreia-de-rio, solha, tainha - dos cinco países do Espaço Atlântico (Portugal, Espanha, França, Irlanda e Reino Unido).

Capturarpescadoresvnc (2).JPG