Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

SOAJO INAUGURA ESCULTURA COMEMORATIVA DOS 500 ANOS DO FORAL MANUELINO

Soajo inaugura escultura comemorativa dos 500 anos do Foral

Decorreu no passado dia 15 de agosto, a inauguração da escultura comemorativa dos 500 anos do Foral de Soajo, outorgado em 1514 pelo rei D. Manuel I.

Estatua_1

A escultura da autoria do artista plástico e professor do ensino secundário local Fernando Cerqueira, representa nas suas diversas perspetivas plásticas e artísticas, o ato histórico de grande relevância para o então concelho de Soajo, interpretando nos seus elementos a força da mão régia e da sua doação, a liberdade do ato, interpretada pela própria serrania e pelo elemento alado representado no gavião, a própria carta de Foral, marcada por uma forte inscrição latina afirmadora do poder do rei e da sua divinização, e uma concha marítima, um local de “nascimento” de todo o ato da outorga, igualmente sinonimo do mar e da importância das Descobertas na realidade do Portugal de quinhentos.

A escolha da obra foi decidida pelo júri do concurso de ideias levado a cabo pelo Município de Arcos de Valdevez e pela Junta de Freguesia de Soajo, estando integrado no programa especifico de comemorações dos 500 anos do Foral.

Antecedendo esta iniciativa, foi igualmente realizada a inauguração de três painéis informativos, colocados nos principais acessos viários da localidade, contendo elementos identificadores de Soajo, baseados nas ilustrações do conceituado artista de banda desenhada José Ruy, marcando estes um ponto informativo de entrada para os visitantes.

Para a Câmara Municipal e Junta de Freguesia de Soajo, esta obra de arte vem reforçar identidade do território e o orgulho na terra, qualifica o espaço em termos culturais e de informação turística, tornando Soajo mais atrativo para os visitantes.

Estatua_2

Estatua_3

Estatua_4

Estatua_5

CASA DO MINHO DO RIO DE JANEIRO INAUGURA ESTÁTUA A D. AFONSO HENRIQUES

A Casa do Minho do Rio de Janeiro vai no próximo dia 10 de Junho – Dia de Portugal – proceder à inauguração da estátua de D. Afonso Henriques, junto às suas instalações naquela cidade.

Capturar1

A cerimónia está marcada para as 9h30 e contará com a presença do escultor António Mendanha e, naturalmente, do Presidente daquela Instituição regionalista, sr. Agostinho dos Santos.

Refira-se que era minhoto D. Afonso Henriques, primeiro Rei de Portugal.

Capturar2

Capturar3

Capturar4

LIONS CLUBE DE FAMALICÃO OFERECE ESCULTURA À CIDADE

Peça escultórica comemorativa dos 100 anos da criação do movimento Lions Internacional está colocada na rotunda junto à Piscinas Municipais

A rotunda que está localizada no entroncamento da Avenida de França com a rua Padre Benjamim Salgado, na malha urbana da cidade de Vila Nova de Famalicão, junto às Piscinas Municipais, ganhou uma nova imagem, através da colocação de uma escultura comemorativa dos 100 anos da criação do movimento Lions Internacional no Mundo.

image57605

A escultura que foi oferecida à cidade pelo Lions Clube de Vila Nova de Famalicão foi inaugurada, este domingo, pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha e pela presidente do movimento, Maria José Abreu.

Segundo os responsáveis do movimento em Famalicão, o objetivo da peça é “que seja um referencial para todos os cidadãos e transeuntes que a circundam, lembrando a presença do movimento lionistico no concelho como um parceiro sólido e ativo da comunidade famalicense”.

A peça de arquitetura da autoria do escultor Jorge Guimarães estrutura-se em dois blocos de granito com 3,5 metros de altura, 1,4 metros de largura e 0,49 metros de espessura, afastado entre os topos 42 cm, tendo encastrado neste vazio uma escultura em mármore branco, representante de duas cabeças de leão em direções opostas. Entre as duas pedras e sob as cabeças de leão haverá uma pequena vala que simbolizará um rio. As duas pedras terão inscrito repetidamente o lema lionistico “Nós Servimos” em várias línguas.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, o Lions Clube de Famalicão “tem vindo a desenvolver um trabalho social muito meritório”. “Neste mundo cada vez mais globalizado, imprevisível e altamente competitivo, que hoje vivemos, faz sentido recordar a declaração de missão dos Lions Clubes que apela à criação e desenvolvimento de um espírito de compreensão entre todos os povos em relação às necessidades humanitárias, fornecendo serviços voluntários por meio do envolvimento comunitário e cooperação internacional”, acrescenta.

Refira-se que o Lions Clube nasceu em Vila Nova de Famalicão no ano de 1977, e desde então tem vindo a promover um conjunto de ações voluntárias, de grande importância, principalmente nas áreas da saúde, da solidariedade e da educação.

image57611

image57614

CERVEIRA ACOLHE SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESCULTURA

III Simpósio Internacional de Escultura do Minho de 11 a 30 de junho

Durante 20 dias, seis escultores internacionais vão dar forma a um projeto escultórico que ornamentará os espaços públicos de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño, no âmbito da cooperação transfronteiriça. Com caráter bienal, o III Simpósio Internacional de Escultura do Minho decorre de 11 a 30 de junho, no Espaço Fortaleza, em Goián, Tomiño.

IMG_3394

Sob coordenação da escultora Lili Pobornikova, a edição 2018 do evento tem como novidades a inclusão, pela primeira vez, de uma escultura elaborada em ferro, que se juntará às tradicionais trabalhadas em pedra, para além de se realizar no mês de junho e não em setembro, de forma a usufruir mais do período de verão.

Entre os 12 projetos apresentados, os dois concelhos selecionaram seis escultores: Zhao Li (China), Zdravko Zdravkov (Bulgária), Georgi Minchev (Bulgária), Ghueorgiu Filin (Itália), Batu Isidore Shiharulidze (Estados Unidos da América) e Remigio Dávila (Espanha). Cada um vai trabalhar, ao vivo, a obra de arte proposta, em plena interação com o público e com a natureza. No final, as esculturas ornamentarão os espaços públicos de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño.

Durante a apresentação do III Simpósio Internacional de Escultura do Minho, que decorreu na passada sexta-feira, o autarca cerveirense enalteceu um “projeto ambicioso, mas estimulante porque privilegia o envolvimento e a participação ativa”. “O sucesso advém da aceitação de ambas as populações desta complementaridade em detrimento da competição, acolhendo iniciativas como esta que contribuem para dar sustentabilidade aos conceitos ‘Vila das Artes’ e ‘Terra de Artistas’”, referiu Fernando Nogueira.

A alcaldesa de Tomiño, Sandra Gonzalez, assegurou que “este simpósio é exemplo do bom acolhimento de programações e atividades conjuntas entre Tomiño e Vila Nova de Cerveira; duas populações ligadas histórica e geograficamente, que hoje partilham políticas e consolidam amizades que já existem desde tempos imemoráveis”.

A realização da III edição já revela a conquista de espaço de mais um evento de referência cultural no território comum Cerveira-Tomiño e com projeção internacional. Por último, os presentes agradeceram o trabalho de coordenação da escultora Lili Pobornikova, assim como dos escultores Nando Álvarez e Vítor Reis, contribuindo para dar um nível de qualidade mais elevado ao certame.

PARQUE DA DEVESA DE FAMALICÃO RECEBE ESCULTURA DE JOSÉ PEDRO CROFT

Obra é apresentada na próxima segunda-feira, dia 4 de junho, às 15h00, na Casa do Território ao abrigo do protocolo celebrado entre o Municipio e a Fundação Serralves

SC 0511 José Pedro Croft Sem Título, 1990

Uma escultura da autoria de José Pedro Croft, pertencente à coleção da Fundação Serralves, vai ficar patente no Parque da Devesa de Vila Nova de Famalicão, a partir da próxima segunda-feira, dia 4 de junho, no âmbito do acordo de adesão do município famalicense ao Conselho de Fundadores da Fundação celebrado em 2016.

A apresentação da escultura Sem Título, 1990, de José Pedro Croft, decorre nos jardins da Casa do Território, pelas 15h00 e conta com as presenças do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, e da Presidente de Serralves, Ana Pinho.

A instalação peça serve de prenúncio à exposição “A Minha Casa é a Tua Casa, Imagens do Doméstico e do Urbano na Coleção de Serralves” que ficará patente na Casa do Território, no Parque da Devesa, entre outubro de 2018 e junho de 2019, ao abrigo do mesmo protocolo, reunindo um conjunto diversificado de artistas como Filipa César, Pedro Cabrita Reis, Gil Heitor Cortesão, Ângela Ferreira, Fernanda Fragateiro, Gordon Matta-Clark, Juan Muñoz, Bruce Nauman, Luís Palma, Martha Rosler e Ana Vieira.

Na obra que Famalicão vai receber a partir de segunda-feira, José Pedro Croft usa uma técnica tradicional da escultura, a modelação em gesso e posterior passagem a bronze, para realizar uma escultura que alude ao espaço doméstico e às experiências do quotidiano. Neste caso, um segmento de cone evoca um alguidar. As formas da obra, bem como a pintura branca que reveste o bronze, estabelecem uma ponte entre a simplicidade dos objetos domésticos e a grandiloquência dos sólidos geométricos, que torna impossível o uso dos objetos devido ao seu peso.

Recorde-se que, com a celebração do acordo de adesão do município a Serralves iniciou-se uma relação de cooperação entre estas duas instituições, baseada num projeto integrativo de promoção e divulgação cultural e ambiental, que entre outras atividades prevê, por exemplo, o acesso em Famalicão às inúmeras exposições itinerantes da Coleção de Serralves, entre outras iniciativas.

A Fundação Serralves é uma instituição de utilidade pública de que são fundadores, entre outros o Estado, e um importante conjunto de entidades singulares e coletivas, que representam a iniciativa privada, a sociedade civil e as autarquias. Ao todo, a Fundação Serralves conta neste momento com cerca de 241 fundadores.

ARTE APROXIMA PORTUGAL E A GALIZA

III Simpósio Internacional de Escultura do Rio Minho - Sexta-feira, 11h00 (PT), Concelho de Tomiño

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, e a Alcaldesa do Concello de Tomiño, Sandra Gonzalez, apresentam em conferência de imprensa, no próxima sexta-feira, hora portuguesa, na Casa do Concelho de Tomiño ou seja, os Paços do Concelho, o III Simpósio Internacional de Escultura do Rio Minho que se realizará de 11 a 30 de Junho.

image003

PRESIDENTE DA REPÚBLICA INAUGURA EM BRAGA ESTÁTUA A SÃO JOÃO

11 dias de festa, uma estátua e o Presidente da República

A Capela de São João da Ponte foi novamente o palco escolhido para a apresentação do programa das Festas de São João de Braga, que irão decorrer entre 14 e 24 de Junho.

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012750

Um dos grandes destaques da apresentação é a inauguração de uma estátua em honra de São João Baptista, que ficará implantada no Largo de São João da Ponte. Este monumento evocativo ao patrono das festas resulta de uma gentil oferta do artista bracarense Alberto Vieira, que conceberá a obra, e do Mercado da Pedra, que outorga a matéria-prima.

«O grande momento da festa é um sonho que tínhamos e que achávamos não ser possível tão cedo. O São João é algo imaterial, mas é também honrar a memória de um homem, e às vezes esquecemo-nos disso. Homens grandes merecem festas grandes, mas também uma estátua, e vai ter», referiu o Presidente da Associação de Festas de São João.

«João Batista é fulcral no Cristianismo. O homem que, por dizer a verdade, defender valores e honrar compromissos, foi assassinado. Trata-se de um exemplo para a nossa sociedade, um homem de palavra, um exemplo brilhante», acrescentou.

A inauguração da estátua está prevista para as 12h30 do dia 23 de Junho, contando com a esperada presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Quase duas décadas depois da vinda de Jorge Sampaio por ocasião das comemorações do bimilenário da cidade, as Festas de São João voltam a acolher um Presidente da República, sendo momento de particular regozijo.

Tradições seculares

As tradições seculares da Dança do Rei David e do Auto do Carro dos Pastores são os elementos mais autênticos do programa, mas não faltam outros aliciantes como um inédito festival de cavaquinhos, exposições, concertos com artistas de renome, exibições de rua, cortejos, procissão, zés-pereiras, desgarradas e bandas filarmónicas, entre outros focos de exteriorização de alegria. A realização do XXIX Encontro Internacional de Gigantones e Cabeçudos no primeiro sábado das festas, bem como a Parada Folclórica, o maior desfile do género em Portugal, completam o cartaz tradicional. No cartaz musical deste ano sublinhe-se a atuação de Quim Barreiros, dos Minhotos Marotos ou de Sérgio Mirra, bem como os grandes concertos com C4 Pedro e Anjos. A Noite Académica, Cantares ao Desafio, Encontro de Concertinas completam o cartaz musical.

Com mais de 251 horas de programação num total de 148 ações previstas, 10 mil pessoas envolvidas e 338 entidades implicadas, a organização deseja consolidar a posição das sanjoaninas de Braga na rota das principais festas populares portuguesas.

Significado da imagem 2018

O imaginário deste ano é marcado pela tradição das ervas de cheiro e das flores, um dos elementos indispensáveis em qualquer celebração sanjoanina, algo que ficará bem explicito pelo cartaz, ornamentações e identidade gráfica que caracteriza as festas deste ano. A imagem gráfica é um excelente trabalho da Pi Creative Studio, de Braga, que colabora com a AFSJB há vários anos.

Na apresentação pública do programa das festas marcaram presença Ricardo Rio, Presidente da Câmara Municipal de Braga, Nuno Bernardo, diretor executivo de marketing da Super Bock, Marco Sousa, representante da Entidade de Turismo do Norte de Portugal e o Cónego Roberto Rosmaninho Mariz, representante do Cabido da Sé, além de outros convidados e parceiros.

O programa completo das sanjoaninas bracarenses pode ser consultado no site oficial do São João de Braga.

Fotos: Sérgio Freitas

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012751

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012752

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012753

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012754

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012755

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012756

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012757

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012758

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012759

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012760

CMB17052018SERGIOFREITAS00000012761

 

MANNEKEN PIS EM BRUXELAS TRAJADO À MINHOTA

O monumento Manneken Pis – garoto a urinar – é o ex-líbris da cidade de Bruxelas, na Bélgica. Ele representa uma pequena fonte em bronze mostrando uma criança a urinar para a bacia da fonte.

Capturarbru

Na realidade, trata-se na realidade de uma réplica do original, da autoria do escultor Jerôme Duquesnoy, e que actualmente se encontra na Maison du Roi em virtude de, após várias tentativas de roubo por parte dos exércitos francês e britânico em 1745, ter por fim sido roubada por um antigo condenado que a despedaçou.

Por ocasião das festividades locais, a pequena estátua é vestida sob diferentes disfarces, tendo em 28 de Abril de 2007 a comunidade portuguesa radicada na Bélgica decidido trajá-lo com traje domingueiro à moda do Minho. 

Decorrida mais de uma década, os minhotos decidiram voltar a trajá-lo à moda do Minho, conforme se pode ver pela imagem produzida pelo fotógrafo Tony da Luso Produxctions que aqui reproduzimos.

FAMALICÃO INAUGURA ESCULTURA SONORA NO PARQUE DA DEVESA

Na próxima segunda-feira, dia 19 de março, pelas 15h00, junto à Casa do Território

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, inaugura na próxima segunda-feira, dia 19 de março, pelas 15h00, a escultura sonora Metamorfose, concebida pela Companhia de Música Teatral, para o Parque da Devesa. A Metamorfose está situada junto à Casa do Território.

A nova escultura tem como base o conceito de transformação de árvores que tombaram durante o Inverno renascendo sob a forma de um conjunto escultórico, incluindo novos elementos como lâminas e campânulas metálicas de vários tamanhos.

A Companhia de Música Teatral explora a música como ponto de partida para a interação entre várias técnicas e linguagens de comunicação artística dentro de uma estética que vai da “música cénica” ao “teatro-musical”. Refira-se que a Companhia tem desenvolvido um trabalho pioneiro de articulação entre a investigação académica, a produção artística, a criação tecnológica, o envolvimento da comunidade e a divulgação de ideias recentes sobre a importância da experiência musical em especial nas idades mais precoces.

FRANCISCO ALVES EXPÕE ESCULTURA EM CABECEIRAS DE BASTO

Francisco Alves inaugurou exposição ‘Picasso em Ferro’ de Plácido Souto

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, inaugurou na passada sexta-feira, dia 2 de março, a exposição ‘Picasso em Ferro’ da autoria de Plácido Souto. A mostra estará patente ao público na Casa Municipal da Cultura até ao dia 13 de abril.

Francisco Alves inaugurou exposição ‘Picasso em Ferro’ de Plácido Souto (2)

Para além do artista e do presidente da Câmara, marcaram também presença nesta iniciativa os vereadores Dr. Mário Oliveira, Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, presidentes de Juntas de Freguesia, a presidente da direção da Basto Vida, Dra. Fátima Oliveira, entre outros dirigentes, familiares do autor e população em geral.

Na oportunidade, Plácido Souto deu a conhecer os seus trabalhos, fazendo uma descrição das peças que compõem esta coletânea composta por 19 quadros em homenagem ao famoso artista Pablo Picasso – pintor espanhol, escultor, ceramista, cenógrafo, poeta e dramaturgo.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal felicitou o artista pelo seu “trabalho, empenho, dedicação, engenho, arte e saber”, elogiando ainda a capacidade de Plácido Souto que, aos 81 anos, continua a criar obras de grande beleza e sensibilidade estética. 

Esta é a segunda vez que o artista caminhense expõe em Cabeceiras de Basto, depois de, no ano de 2012, ter apresentado as suas esculturas na Sala de Exposições da Casa da Cultura.

Ao promover este tipo de iniciativas, a Câmara Municipal, está não só a dinamizar a sala de exposições da Casa da Cultura, como a proporcionar aos artistas e/ou artesãos da região a possibilidade de apresentarem e divulgarem os seus trabalhos.

Plácido Ranha Silva Souto nasceu no dia 27 de outubro de 1936 na freguesia de Vilar de Mouros, concelho de Caminha.

De uma experiência profissional, aliada ao gosto pela arte e à procura de uma estética própria, Plácido Souto tornou-se um artista autodidata que, com habilidade, executa obras em ferro que têm percorrido o país de norte a sul em numerosas exposições.

Concluindo a 4ª classe com 10 anos de idade, nos dois anos que se seguiram trabalhou como servente em obras orientadas pelo seu pai. Ao completar 12 anos, no dia 8 de Novembro de 1948, Plácido viu cumprir-se o seu primeiro grande desejo: trabalhar como aprendiz na nova indústria do ferro e serralharia, tal como o seu padrinho, Manuel Fontes.

Em abril de 1957, Plácido Souto foi incorporado na tropa, voltou a Vilar de Mouros em 1958 onde permaneceu até Março de 1960, data em que partiu para trabalhar em Lisboa, na Lisnave, trocando os pequenos semeadores pelos grandes petroleiros. Aí constituiu família e partilhou vivências intensas e irrepetíveis nos anos que se seguiram.

Quando, em 1983, Plácido Souto abandonou Lisboa e a atividade nos estaleiros de Setúbal, regressou a Vilar de Mouros e criou a sua própria oficina de serralharia, especializada em reparação de máquinas de costura. Paralelamente, como leigo, consagra parte importante do seu dia-a-dia a ações católicas no âmbito da sua paróquia. Em 2004, em conjunto com mais três elementos, assumiu a fundação do GEPAVE (Grupo de Estudo e Preservação do Património Vilarmourense).

Francisco Alves inaugurou exposição ‘Picasso em Ferro’ de Plácido Souto (3)

MIGUEL BRANCO EXPÕE PINTURA E ESCULTURA EM FAMALICÃO

“Cratera” de Miguel Branco para ver na Ala da Frente. Nova exposição da galeria de arte contemporânea vai estar patente até 18 de maio

É um dos mais conceituados artistas plásticos da atualidade em Portugal e esteve no passado sábado em Vila Nova de Famalicão para inaugurar a sua nova exposição. Até 18 de maio, Miguel Branco expõe “Cratera” na galeria de arte contemporânea famalicense – Ala da Frente.

DSC_0175

A singular atenção que presta à pintura e à escultura confere um carácter intimista às exposições de Miguel Branco, o que atrai os visitantes para uma fruição mais apurada.“Tem uma dedicação particular com o espaço para que o resultado possa ser o mais completo possível e nos leve à contemplação, à visão cuidada de cada uma das obras. Estreitam-se laços de silêncio na nossa observação, a dimensão promove uma concentração delicada, minuciosa, precisa”, explica o curador da Ala da Frente, António Gonçalves.

Sobre a exposição que Miguel Branco tem agora patente em Vila Nova de Famalicão, António Gonçalves explica que o artista plástico “traz mais um singular trabalho de articulação das obras com a sala de exposição, redimensionando-o, tornando-o uma parte complementar à fruição da obra onde poderemos encontrar um conjunto de pinturas em que a "cratera" é o pretexto para ali se refletir e aprofundar a nossa conceção do tempo”.

Nascido em 1963, em Castelo Branco, Miguel Branco tem obras nas coleções do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e na Fundação EDP, em Lisboa, na Fundação de Serralves, no Porto, e no Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam), no Luxemburgo, entre outras instituições.

Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio”, Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical”, Alberto Carneiro com “Árvores e Rios” e “Uma Certa Quantidade” de Jorge Queiroz.

DSC_0153

FEIRA DE VELHARIAS DE ESPOSENDE PROMOVE ESCULTURA

Arte escultórica em destaque na Feira de Velharias de fevereiro

Em fevereiro, a Feira de Velharias de Esposende vai dar destaque às peças escultóricas. Assim, na edição do dia 4 de fevereiro, domingo próximo, estará disponível, a bom preço, uma grande variedade de peças desta arte, de cariz religioso ou artístico, de diferentes épocas, das mais antigas às mais recentes.

feira velharias

Tendo em vista promover a compra, venda e troca de velharias, antiguidades e colecionismo, a Câmara Municipal de Esposende promove a Feira de Velharias, no primeiro domingo de cada mês. O certame decorre ao ar livre, no Largo Rodrigues Sampaio, no centro da cidade, entre as 10h00 e as 19h00, e é de acesso gratuito, sendo que, em cada edição, estão em destaque determinados artigos

Neste sentido, em março, o destaque incidirá sobre os relógios, anéis e colares, em abril serão os livros a evidenciar-se, em maio os postais e selos e, em junho, os vidros e a sua arte. As cerâmicas e porcelanas vão estar em evidência em julho e, em agosto, serão as ferragens e os utensílios. A edição de setembro terá como enfoque os talheres e outros apetrechos, em outubro o realce vai para a informática, jogos e eletrónica, em novembro destacam-se os discos de vinil, CD’s e cassetes e, por fim, em dezembro, a Feira de Velharias é dedicada à decoração e ornamentos.

JORGE BRAGA EXPÕE EM ESPOSENDE

Exposição Individual de Escultura e Desenho no Centro de Informação Turística

Foi inaugurada este sábado, 20 de janeiro, no Centro de Informação Turística de Esposende a "Exposição Individual de Escultura e Desenho" do artista e poeta esposendense Jorge Braga. Esta primeira exposição, em Esposende, segue-se a mostras nas quais Jorge Braga participou em Paris, Milão, Roma, Melide, Seia, Vila Nova de Cerveira e Vila Nova de Gaia.

18893071_10209101341116731_5916300174510312412_n

A cerimónia de abertura iniciou-se, numa sala completamente lotada, com a declamação feita por Alberto Serra e Ferruchio Ronzino de alguns poemas do livro de Jorge Braga intitulado "Liberdade". Seguiu-se a intervenção do autor da exposição a justificar a sua doação e entusiasta dedicação à arte, quer seja a escrita, a pintura ou a escultura e apelou a que todos procurassem apreciar, serenamente, a exposição para se imbuírem do espírito da mesma. A vereadora da Cultura, Angélica Cruz, interveio, de seguida, para parabenizar Jorge Braga por querer partilhar com a população de Esposende o resultado da sua sensibilidade artística tão bem representada nas excelentes peças em exposição, bem como na profundidade das mensagens dos seus poemas. Louvou e agradeceu ao artista o facto de, através da divulgação das suas obras nas exposições que vai realizando, ser um excelente "embaixador" de Esposende, o que honra e orgulha a Câmara Municipal e o município em geral.  A cerimónia prosseguiu com apontamentos musicais a cargo de Álvaro Maio e António Gonçalves e mais momentos de poesia.

Esta exposição, intitulada “A energia da Paz”, estará patente entre os dias 20 de janeiro e 4 de fevereiro de 2018 e pode ser visitada de segunda-feira a sábado, entre as 9h00h e as 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Jorge Braga apresenta trabalhos inéditos, assim como obras já premiadas em Paris e Roma que assentam numa transversalidade entre a poesia, o desenho e a escultura, pretendendo ser de leitura fácil e de mensagem forte.

.

PONTE DE LIMA DEVERIA INSERIR A ARTE DA CANTARIA DA FREGUESIA DE ARCOZELO NA ROTA DO TURISMO

A Freguesia de Arcozelo, no concelho de Ponte de Lima, é célebre pelos seus granitos reconhecidos de excelente qualidade e o inigualável talento artístico dos seus canteiros.

24862422_1805294429500915_7614863230148137013_n

Perfilando-se junto à estrada, eles extraem da rocha bruta as mais belas formas que fazem o encanto de todos quantos apreciam esta forma de manifestação de arte popular. Da pedra surgem pelas mãos dos artesãos limianos figuras deslumbrantes como as imagens de santos, animais, réplicas de monumentos, fontenários e espigueiros. E fazem-no com tal perfeição que chega a competir com as obras produzidas por alguns conceituados escultores eruditos.

Caso a rota dos canteiros de Arcozelo seja integrada na promoção turística do concelho de Ponte de Lima, decerto quem visita a vila limiana muito apreciaria contemplar estas obras e, quiçá, adquirir algumas peças para decorar os seus jardins e habitações, contribuindo para o aumento do emprego e o crescimento da economia local. E, porque não promover na vila uma feira onde se reunissem todos quantos em Ponte de Lima e noutras localidades trabalham na arte da cantaria?

Fotos: José Costa Lima

24059138_1805295039500854_684131198602963290_n

24301347_1805294602834231_3965644857055342746_n

24312542_1805294412834250_2836822731179725872_n

24312560_1805293916167633_6764884930265031793_n

24312617_1805293779500980_7063092355521100462_n

24312732_1805294156167609_6842847138014489817_n

24312870_1805293589500999_3367904441100911168_n

24774712_1805294702834221_3531480159316916675_n

24774723_1805294932834198_2583001433835947732_n

24774757_1805295126167512_4734737042241528075_n

24774959_1805293706167654_6857395117815390472_n

24852121_1805294126167612_199912795789544502_n

24852134_1805295066167518_5776402262418582372_n

24852207_1805293056167719_6480839807198901308_n

24899679_1805293052834386_434179097422642672_n

24899979_1805294719500886_7550295628706022975_n

24899984_1805294049500953_681392347057970152_n

24900079_1805293866167638_4208474144568529578_n

24909582_1805294342834257_3089794622200146256_n

24910031_1805293992834292_7994023191003808102_n

24910093_1805294172834274_475788902295366791_n

24993487_1805294862834205_6516128097540000069_n

A MULHER QUE FOI A MODELO PARA O BUSTO DA REPÚBLICA PORTUGUESA

* Crónica de Paulo Freitas do Amaral

Ilda Pulga é o nome que consta da mulher que serviu de modelo ao primeiro busto da República Portuguesa. Ainda com descendentes vivos, a família faz questão de afirmar que deveria ter sido uma mulher lindíssima e simultaneamente “atrevida” para servir de modelo naquele tempo.

rep

Ilda pulga faleceu em 1993 com 101 anos. O seu sobrinho bisneto Joaquim Pulga só desconfiou ser familiar de Ilda após à sua morte por ter lido uma notícia no jornal. Joaquim afirma que uma pessoa como Ilda que serviu de modelo aos 18 anos deve ter evoluído culturalmente de uma forma muito peculiar e intensa.

Ilda era natural de Arraiolos e não foi fácil encontrar o fio à meada das suas ligações familiares embora só haja uma família “Pulga” em Portugal. Foi através de moradores de Arraiolos que Joaquim veio a saber que Ilda era irmã do seu bisavô.

O sobrinho bisneto investigou sobre a sua familiar e ficou a saber que Ilda foi muito jovem para Lisboa, com os seus 13 anos e que as dificuldades económicas que se faziam sentir na altura no Alentejo terão  motivado a sua mudança para a capital levando o resto da sua vida como costureira.

O busto da república portuguesa continua inalterado.Os bustos da República variam de país para país e até encontramos casos onde houve mudanças de modelos que serviram de bustos ao simbolismo republicano.

Como Republicano que sempre fui, não posso deixar de ter uma visão interessada sobre este assunto. O modelo mais icónico da República, tem a sua origem em França e foi sem dúvida “Mariana” ou “Marianne” representada, iconograficamente, por uma mulher, ostentando um barrete frígio, tendo como inspiração a imagem da Liberdade na obra A Liberdade guiando o Povo, pintada em 1830 por Eugène Delacroix.

No entanto a Associação dos Autarcas Franceses decidiu mudar periodicamente o busto de "Mariana", adoptando como modelos artistas de cinema e da música francesas contemporâneas, sendo a manequim e actriz Laetitia Casta o modelo actual da escultura.

A estátua da Liberdade nos EUA é também inspirada em Marianne e foi oferecida pelos franceses aos americanos.

No caso português atribui-se a autoria do busto a João da Silva que usava como peseudónimo João da Nova talvez porque também escrevia para a revista Seara Nova…

A comissão republicana que instituiu o busto em 1911 inspirado em Ilda teve muito bom gosto e a sua imagem fará companhia aos portugueses por muito mais tempo.

Ilda Pulga

Ilda Pulga, de pé, ao centro, na oficina de costura onde trabalhava

“OS ROSTOS DA MÃE DE DEUS” VISITADA POR MAIS DE MIL PESSOAS EM CAMINHA

Exposição pode ser visitada até 29 de outubro, no Museu Municipal de Caminha

Mais de mil pessoas já visitaram a exposição “Os Rostos da Mãe de Deus” patente ao público no Museu Municipal de Caminha até ao dia 29 de outubro. A mostra é composta por imagens da Virgem Maria das paróquias do Arciprestado de Caminha e integra o programa celebrativo do Centenário das Aparições de Fátima que está a decorrer no concelho.

exposição rostos mãe de deus (1)

“Os Rostos da Mãe de Deus” é uma exposição que dá a conhecer as 21 imagens da Virgem Maria das paróquias Arciprestado de Caminha, ou seja, no Museu é possível admirar uma imagem de cada paróquia do concelho de Caminha: Senhora do Calvário (Arga de Baixo); Senhora do Carmo (Arga de Cima); Senhora da Piedade (Arga de São João); Senhora das Dores (Âncora, Azevedo); Senhora da Luz (Argela); a Senhora do Rosário (Caminha, Vila Praia de Âncora);  Senhora da Conceição (Cristelo, Vilar de Mouros, Vile); Senhora das Neves (Dem); Senhora da Cabeça (Freixieiro de Soutelo); Santa Maria (Gondar, Orbacém); Senhora da Graça (Lanhelas); Imaculado Coração de Maria (Moledo, Vilarelho); Senhora da Soledade (Riba de Âncora); Senhora da Consolação (Seixas); Senhora do Monte (Venade).

Para além da exposição “Os Rostos Mãe de Deus” este programa engloba diversas atividades: concertos Marianos “Te Canto Maria”, a cargo do Orfeão de Vila Praia de Âncora; peregrinação a Fátima; caminhadas “Caminhar com Maria; concerto “Música Sacra Barroca Mariana e de Cânticos de Fátima” pela Associação VoxAngelis; cinema, entre outras.

A exposição “Os Rostos da Mãe de Deus” pode ser visitada no Museu Municipal de Caminha, até 29 de outubro, de terça-feira a domingo, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00.

exposição rostos mãe de deus (2)

exposição rostos mãe de deus (3)

exposição rostos mãe de deus (4)