Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MANNEKEN PIS EM BRUXELAS TRAJADO À MINHOTA

O monumento Manneken Pis – garoto a urinar – é o ex-líbris da cidade de Bruxelas, na Bélgica. Ele representa uma pequena fonte em bronze mostrando uma criança a urinar para a bacia da fonte.

Capturarbru

Na realidade, trata-se na realidade de uma réplica do original, da autoria do escultor Jerôme Duquesnoy, e que actualmente se encontra na Maison du Roi em virtude de, após várias tentativas de roubo por parte dos exércitos francês e britânico em 1745, ter por fim sido roubada por um antigo condenado que a despedaçou.

Por ocasião das festividades locais, a pequena estátua é vestida sob diferentes disfarces, tendo em 28 de Abril de 2007 a comunidade portuguesa radicada na Bélgica decidido trajá-lo com traje domingueiro à moda do Minho. 

Decorrida mais de uma década, os minhotos decidiram voltar a trajá-lo à moda do Minho, conforme se pode ver pela imagem produzida pelo fotógrafo Tony da Luso Produxctions que aqui reproduzimos.

FAMALICÃO INAUGURA ESCULTURA SONORA NO PARQUE DA DEVESA

Na próxima segunda-feira, dia 19 de março, pelas 15h00, junto à Casa do Território

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, inaugura na próxima segunda-feira, dia 19 de março, pelas 15h00, a escultura sonora Metamorfose, concebida pela Companhia de Música Teatral, para o Parque da Devesa. A Metamorfose está situada junto à Casa do Território.

A nova escultura tem como base o conceito de transformação de árvores que tombaram durante o Inverno renascendo sob a forma de um conjunto escultórico, incluindo novos elementos como lâminas e campânulas metálicas de vários tamanhos.

A Companhia de Música Teatral explora a música como ponto de partida para a interação entre várias técnicas e linguagens de comunicação artística dentro de uma estética que vai da “música cénica” ao “teatro-musical”. Refira-se que a Companhia tem desenvolvido um trabalho pioneiro de articulação entre a investigação académica, a produção artística, a criação tecnológica, o envolvimento da comunidade e a divulgação de ideias recentes sobre a importância da experiência musical em especial nas idades mais precoces.

FRANCISCO ALVES EXPÕE ESCULTURA EM CABECEIRAS DE BASTO

Francisco Alves inaugurou exposição ‘Picasso em Ferro’ de Plácido Souto

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, inaugurou na passada sexta-feira, dia 2 de março, a exposição ‘Picasso em Ferro’ da autoria de Plácido Souto. A mostra estará patente ao público na Casa Municipal da Cultura até ao dia 13 de abril.

Francisco Alves inaugurou exposição ‘Picasso em Ferro’ de Plácido Souto (2)

Para além do artista e do presidente da Câmara, marcaram também presença nesta iniciativa os vereadores Dr. Mário Oliveira, Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, presidentes de Juntas de Freguesia, a presidente da direção da Basto Vida, Dra. Fátima Oliveira, entre outros dirigentes, familiares do autor e população em geral.

Na oportunidade, Plácido Souto deu a conhecer os seus trabalhos, fazendo uma descrição das peças que compõem esta coletânea composta por 19 quadros em homenagem ao famoso artista Pablo Picasso – pintor espanhol, escultor, ceramista, cenógrafo, poeta e dramaturgo.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara Municipal felicitou o artista pelo seu “trabalho, empenho, dedicação, engenho, arte e saber”, elogiando ainda a capacidade de Plácido Souto que, aos 81 anos, continua a criar obras de grande beleza e sensibilidade estética. 

Esta é a segunda vez que o artista caminhense expõe em Cabeceiras de Basto, depois de, no ano de 2012, ter apresentado as suas esculturas na Sala de Exposições da Casa da Cultura.

Ao promover este tipo de iniciativas, a Câmara Municipal, está não só a dinamizar a sala de exposições da Casa da Cultura, como a proporcionar aos artistas e/ou artesãos da região a possibilidade de apresentarem e divulgarem os seus trabalhos.

Plácido Ranha Silva Souto nasceu no dia 27 de outubro de 1936 na freguesia de Vilar de Mouros, concelho de Caminha.

De uma experiência profissional, aliada ao gosto pela arte e à procura de uma estética própria, Plácido Souto tornou-se um artista autodidata que, com habilidade, executa obras em ferro que têm percorrido o país de norte a sul em numerosas exposições.

Concluindo a 4ª classe com 10 anos de idade, nos dois anos que se seguiram trabalhou como servente em obras orientadas pelo seu pai. Ao completar 12 anos, no dia 8 de Novembro de 1948, Plácido viu cumprir-se o seu primeiro grande desejo: trabalhar como aprendiz na nova indústria do ferro e serralharia, tal como o seu padrinho, Manuel Fontes.

Em abril de 1957, Plácido Souto foi incorporado na tropa, voltou a Vilar de Mouros em 1958 onde permaneceu até Março de 1960, data em que partiu para trabalhar em Lisboa, na Lisnave, trocando os pequenos semeadores pelos grandes petroleiros. Aí constituiu família e partilhou vivências intensas e irrepetíveis nos anos que se seguiram.

Quando, em 1983, Plácido Souto abandonou Lisboa e a atividade nos estaleiros de Setúbal, regressou a Vilar de Mouros e criou a sua própria oficina de serralharia, especializada em reparação de máquinas de costura. Paralelamente, como leigo, consagra parte importante do seu dia-a-dia a ações católicas no âmbito da sua paróquia. Em 2004, em conjunto com mais três elementos, assumiu a fundação do GEPAVE (Grupo de Estudo e Preservação do Património Vilarmourense).

Francisco Alves inaugurou exposição ‘Picasso em Ferro’ de Plácido Souto (3)

MIGUEL BRANCO EXPÕE PINTURA E ESCULTURA EM FAMALICÃO

“Cratera” de Miguel Branco para ver na Ala da Frente. Nova exposição da galeria de arte contemporânea vai estar patente até 18 de maio

É um dos mais conceituados artistas plásticos da atualidade em Portugal e esteve no passado sábado em Vila Nova de Famalicão para inaugurar a sua nova exposição. Até 18 de maio, Miguel Branco expõe “Cratera” na galeria de arte contemporânea famalicense – Ala da Frente.

DSC_0175

A singular atenção que presta à pintura e à escultura confere um carácter intimista às exposições de Miguel Branco, o que atrai os visitantes para uma fruição mais apurada.“Tem uma dedicação particular com o espaço para que o resultado possa ser o mais completo possível e nos leve à contemplação, à visão cuidada de cada uma das obras. Estreitam-se laços de silêncio na nossa observação, a dimensão promove uma concentração delicada, minuciosa, precisa”, explica o curador da Ala da Frente, António Gonçalves.

Sobre a exposição que Miguel Branco tem agora patente em Vila Nova de Famalicão, António Gonçalves explica que o artista plástico “traz mais um singular trabalho de articulação das obras com a sala de exposição, redimensionando-o, tornando-o uma parte complementar à fruição da obra onde poderemos encontrar um conjunto de pinturas em que a "cratera" é o pretexto para ali se refletir e aprofundar a nossa conceção do tempo”.

Nascido em 1963, em Castelo Branco, Miguel Branco tem obras nas coleções do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e na Fundação EDP, em Lisboa, na Fundação de Serralves, no Porto, e no Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam), no Luxemburgo, entre outras instituições.

Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio”, Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical”, Alberto Carneiro com “Árvores e Rios” e “Uma Certa Quantidade” de Jorge Queiroz.

DSC_0153

FEIRA DE VELHARIAS DE ESPOSENDE PROMOVE ESCULTURA

Arte escultórica em destaque na Feira de Velharias de fevereiro

Em fevereiro, a Feira de Velharias de Esposende vai dar destaque às peças escultóricas. Assim, na edição do dia 4 de fevereiro, domingo próximo, estará disponível, a bom preço, uma grande variedade de peças desta arte, de cariz religioso ou artístico, de diferentes épocas, das mais antigas às mais recentes.

feira velharias

Tendo em vista promover a compra, venda e troca de velharias, antiguidades e colecionismo, a Câmara Municipal de Esposende promove a Feira de Velharias, no primeiro domingo de cada mês. O certame decorre ao ar livre, no Largo Rodrigues Sampaio, no centro da cidade, entre as 10h00 e as 19h00, e é de acesso gratuito, sendo que, em cada edição, estão em destaque determinados artigos

Neste sentido, em março, o destaque incidirá sobre os relógios, anéis e colares, em abril serão os livros a evidenciar-se, em maio os postais e selos e, em junho, os vidros e a sua arte. As cerâmicas e porcelanas vão estar em evidência em julho e, em agosto, serão as ferragens e os utensílios. A edição de setembro terá como enfoque os talheres e outros apetrechos, em outubro o realce vai para a informática, jogos e eletrónica, em novembro destacam-se os discos de vinil, CD’s e cassetes e, por fim, em dezembro, a Feira de Velharias é dedicada à decoração e ornamentos.

JORGE BRAGA EXPÕE EM ESPOSENDE

Exposição Individual de Escultura e Desenho no Centro de Informação Turística

Foi inaugurada este sábado, 20 de janeiro, no Centro de Informação Turística de Esposende a "Exposição Individual de Escultura e Desenho" do artista e poeta esposendense Jorge Braga. Esta primeira exposição, em Esposende, segue-se a mostras nas quais Jorge Braga participou em Paris, Milão, Roma, Melide, Seia, Vila Nova de Cerveira e Vila Nova de Gaia.

18893071_10209101341116731_5916300174510312412_n

A cerimónia de abertura iniciou-se, numa sala completamente lotada, com a declamação feita por Alberto Serra e Ferruchio Ronzino de alguns poemas do livro de Jorge Braga intitulado "Liberdade". Seguiu-se a intervenção do autor da exposição a justificar a sua doação e entusiasta dedicação à arte, quer seja a escrita, a pintura ou a escultura e apelou a que todos procurassem apreciar, serenamente, a exposição para se imbuírem do espírito da mesma. A vereadora da Cultura, Angélica Cruz, interveio, de seguida, para parabenizar Jorge Braga por querer partilhar com a população de Esposende o resultado da sua sensibilidade artística tão bem representada nas excelentes peças em exposição, bem como na profundidade das mensagens dos seus poemas. Louvou e agradeceu ao artista o facto de, através da divulgação das suas obras nas exposições que vai realizando, ser um excelente "embaixador" de Esposende, o que honra e orgulha a Câmara Municipal e o município em geral.  A cerimónia prosseguiu com apontamentos musicais a cargo de Álvaro Maio e António Gonçalves e mais momentos de poesia.

Esta exposição, intitulada “A energia da Paz”, estará patente entre os dias 20 de janeiro e 4 de fevereiro de 2018 e pode ser visitada de segunda-feira a sábado, entre as 9h00h e as 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Jorge Braga apresenta trabalhos inéditos, assim como obras já premiadas em Paris e Roma que assentam numa transversalidade entre a poesia, o desenho e a escultura, pretendendo ser de leitura fácil e de mensagem forte.

.

PONTE DE LIMA DEVERIA INSERIR A ARTE DA CANTARIA DA FREGUESIA DE ARCOZELO NA ROTA DO TURISMO

A Freguesia de Arcozelo, no concelho de Ponte de Lima, é célebre pelos seus granitos reconhecidos de excelente qualidade e o inigualável talento artístico dos seus canteiros.

24862422_1805294429500915_7614863230148137013_n

Perfilando-se junto à estrada, eles extraem da rocha bruta as mais belas formas que fazem o encanto de todos quantos apreciam esta forma de manifestação de arte popular. Da pedra surgem pelas mãos dos artesãos limianos figuras deslumbrantes como as imagens de santos, animais, réplicas de monumentos, fontenários e espigueiros. E fazem-no com tal perfeição que chega a competir com as obras produzidas por alguns conceituados escultores eruditos.

Caso a rota dos canteiros de Arcozelo seja integrada na promoção turística do concelho de Ponte de Lima, decerto quem visita a vila limiana muito apreciaria contemplar estas obras e, quiçá, adquirir algumas peças para decorar os seus jardins e habitações, contribuindo para o aumento do emprego e o crescimento da economia local. E, porque não promover na vila uma feira onde se reunissem todos quantos em Ponte de Lima e noutras localidades trabalham na arte da cantaria?

Fotos: José Costa Lima

24059138_1805295039500854_684131198602963290_n

24301347_1805294602834231_3965644857055342746_n

24312542_1805294412834250_2836822731179725872_n

24312560_1805293916167633_6764884930265031793_n

24312617_1805293779500980_7063092355521100462_n

24312732_1805294156167609_6842847138014489817_n

24312870_1805293589500999_3367904441100911168_n

24774712_1805294702834221_3531480159316916675_n

24774723_1805294932834198_2583001433835947732_n

24774757_1805295126167512_4734737042241528075_n

24774959_1805293706167654_6857395117815390472_n

24852121_1805294126167612_199912795789544502_n

24852134_1805295066167518_5776402262418582372_n

24852207_1805293056167719_6480839807198901308_n

24899679_1805293052834386_434179097422642672_n

24899979_1805294719500886_7550295628706022975_n

24899984_1805294049500953_681392347057970152_n

24900079_1805293866167638_4208474144568529578_n

24909582_1805294342834257_3089794622200146256_n

24910031_1805293992834292_7994023191003808102_n

24910093_1805294172834274_475788902295366791_n

24993487_1805294862834205_6516128097540000069_n

A MULHER QUE FOI A MODELO PARA O BUSTO DA REPÚBLICA PORTUGUESA

* Crónica de Paulo Freitas do Amaral

Ilda Pulga é o nome que consta da mulher que serviu de modelo ao primeiro busto da República Portuguesa. Ainda com descendentes vivos, a família faz questão de afirmar que deveria ter sido uma mulher lindíssima e simultaneamente “atrevida” para servir de modelo naquele tempo.

rep

Ilda pulga faleceu em 1993 com 101 anos. O seu sobrinho bisneto Joaquim Pulga só desconfiou ser familiar de Ilda após à sua morte por ter lido uma notícia no jornal. Joaquim afirma que uma pessoa como Ilda que serviu de modelo aos 18 anos deve ter evoluído culturalmente de uma forma muito peculiar e intensa.

Ilda era natural de Arraiolos e não foi fácil encontrar o fio à meada das suas ligações familiares embora só haja uma família “Pulga” em Portugal. Foi através de moradores de Arraiolos que Joaquim veio a saber que Ilda era irmã do seu bisavô.

O sobrinho bisneto investigou sobre a sua familiar e ficou a saber que Ilda foi muito jovem para Lisboa, com os seus 13 anos e que as dificuldades económicas que se faziam sentir na altura no Alentejo terão  motivado a sua mudança para a capital levando o resto da sua vida como costureira.

O busto da república portuguesa continua inalterado.Os bustos da República variam de país para país e até encontramos casos onde houve mudanças de modelos que serviram de bustos ao simbolismo republicano.

Como Republicano que sempre fui, não posso deixar de ter uma visão interessada sobre este assunto. O modelo mais icónico da República, tem a sua origem em França e foi sem dúvida “Mariana” ou “Marianne” representada, iconograficamente, por uma mulher, ostentando um barrete frígio, tendo como inspiração a imagem da Liberdade na obra A Liberdade guiando o Povo, pintada em 1830 por Eugène Delacroix.

No entanto a Associação dos Autarcas Franceses decidiu mudar periodicamente o busto de "Mariana", adoptando como modelos artistas de cinema e da música francesas contemporâneas, sendo a manequim e actriz Laetitia Casta o modelo actual da escultura.

A estátua da Liberdade nos EUA é também inspirada em Marianne e foi oferecida pelos franceses aos americanos.

No caso português atribui-se a autoria do busto a João da Silva que usava como peseudónimo João da Nova talvez porque também escrevia para a revista Seara Nova…

A comissão republicana que instituiu o busto em 1911 inspirado em Ilda teve muito bom gosto e a sua imagem fará companhia aos portugueses por muito mais tempo.

Ilda Pulga

Ilda Pulga, de pé, ao centro, na oficina de costura onde trabalhava

“OS ROSTOS DA MÃE DE DEUS” VISITADA POR MAIS DE MIL PESSOAS EM CAMINHA

Exposição pode ser visitada até 29 de outubro, no Museu Municipal de Caminha

Mais de mil pessoas já visitaram a exposição “Os Rostos da Mãe de Deus” patente ao público no Museu Municipal de Caminha até ao dia 29 de outubro. A mostra é composta por imagens da Virgem Maria das paróquias do Arciprestado de Caminha e integra o programa celebrativo do Centenário das Aparições de Fátima que está a decorrer no concelho.

exposição rostos mãe de deus (1)

“Os Rostos da Mãe de Deus” é uma exposição que dá a conhecer as 21 imagens da Virgem Maria das paróquias Arciprestado de Caminha, ou seja, no Museu é possível admirar uma imagem de cada paróquia do concelho de Caminha: Senhora do Calvário (Arga de Baixo); Senhora do Carmo (Arga de Cima); Senhora da Piedade (Arga de São João); Senhora das Dores (Âncora, Azevedo); Senhora da Luz (Argela); a Senhora do Rosário (Caminha, Vila Praia de Âncora);  Senhora da Conceição (Cristelo, Vilar de Mouros, Vile); Senhora das Neves (Dem); Senhora da Cabeça (Freixieiro de Soutelo); Santa Maria (Gondar, Orbacém); Senhora da Graça (Lanhelas); Imaculado Coração de Maria (Moledo, Vilarelho); Senhora da Soledade (Riba de Âncora); Senhora da Consolação (Seixas); Senhora do Monte (Venade).

Para além da exposição “Os Rostos Mãe de Deus” este programa engloba diversas atividades: concertos Marianos “Te Canto Maria”, a cargo do Orfeão de Vila Praia de Âncora; peregrinação a Fátima; caminhadas “Caminhar com Maria; concerto “Música Sacra Barroca Mariana e de Cânticos de Fátima” pela Associação VoxAngelis; cinema, entre outras.

A exposição “Os Rostos da Mãe de Deus” pode ser visitada no Museu Municipal de Caminha, até 29 de outubro, de terça-feira a domingo, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00.

exposição rostos mãe de deus (2)

exposição rostos mãe de deus (3)

exposição rostos mãe de deus (4)

A NATUREZA DE ALBERTO CARNEIRO EM EXPOSIÇÃO PÓSTUMA NA ALA DA FRENTE

Exposição “Árvores e Rios” vai estar patente de 10 de junho a 23 de setembro, em Famalicão

A incontornável e perene obra do escultor português Alberto Carneiro ganha agora um novo capítulo, com a inauguração da exposição “Árvores e Rios”, na Galeria de Arte Contemporânea Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão.

A natureza de Alberto Carneiro em exposição póstuma na Ala da Frente

A mostra, composta por uma dezena de obras trabalhadas sobretudo em madeira, é inaugurada este sábado, dia 10 de junho, pelas 18h00, e vai estar patente ao público até ao dia 23 de setembro, com entrada gratuita.

A natureza é, como o próprio nome da exposição indica, a via por onde se chega à obra de Alberto Carneiro, falecido em abril último. “A mesma natureza que lhe serve de base de trabalho e com a qual revela, de forma sensível, a autenticidade dos espaços que nos rodeiam e que muitas das vezes não notamos”, refere a propósito António Gonçalves, curador da galeria de arte famalicense, que fala numa “atenção apurada e cuidada” para se chegar à obra do escultor português.

“Esta será a forma de podermos chegar à obra de Alberto Carneiro, prestando-lhe tempo e atenção, seguindo o seu curso, indo na corrente do seu leito. Vaguear a floresta e nela sorver o sentido de cada árvore, de cada ramo, de cada folha e perceber que cada detalhe é em si um ensinamento, uma experiência, uma memória”, explica.

Considerado um dos maiores artistas portugueses do século XX, Alberto Carneiro morreu no Porto, aos 79 anos, em abril de 2017.

Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio” e Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical”.

mw-860

Foto: Expresso

BRACARA AUGUSTA PRESTA TRIBUTO AO SEU FUNDADOR

Estátua do imperador César Augusto erigida no Largo Paulo Orósio

Braga prestou tributo a César Augusto, primeiro imperador de Roma e fundador da Bracara Augusta, com a colocação de uma estátua no Largo Paulo Orósio. Numa altura em que a Cidade celebra mais uma edição da Braga Romana, a bimilenar Bracara Augusta faz, assim, a justa homenagem à figura tutelar do imperador que há 2000 mil anos fundou a Cidade.

LVI_1408

“Esta inauguração vem na sequência da iniciativa deste Executivo de prestar o devido tributo a várias personalidades que marcaram o desenvolvimento da Cidade. É um acto de justiça perpetuar fisicamente o legado que cada um, no seu contexto, deu à Cidade, à região e ao mundo”, referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a inauguração da estátua que decorreu esta Sexta-feira, 26 de Maio.

À semelhança das outras cidades romanas, a Bracara Augusta teria um fórum, templos, mercados, termas, um anfiteatro, além de vários bairros residenciais. No actual Largo Paulo Orósio, erguia-se o Fórum Romano que agora acolhe a estátua de Augusto.

“Esta não é uma estátua tradicional. Trata-se de uma recriação física de César Augusto com um estilo e uma base científica arrojada que é, também, uma forma de diferenciação e que será certamente mais um atractivo turístico”, considerou Ricardo Rio, acrescentado que esta homenagem ´é igualmente uma forma de promover uma zona central da Cidade e de lhe dar uma vitalidade reforçada´.

Por seu turno, Miguel Bandeira, vereador do Município de Braga, afirmou que este é um ´momento histórico´ e uma forma de homenagear os Brácaros. “César Augusto representa o período áureo do Império Romano, sendo Bracara Augusta uma referência nesse tempo. É uma síntese entre o passado e o que ambicionamos para o futuro, uma Cidade de paz e prosperidade que entende a diversidade e cosmopolitismo”, disse.

Augusto Prima Porta é uma estátua áulica que representa César Augusto, na qual o imperador mostra pose de comando e importância já que aparece com a mão direita levantada e parece estar dirigindo as tropas. César Augusto está vestido com uma couraça militar e a toga típica do Império. Na couraça aparecem relevos que representam uma alegoria da conquista de Hispânia e da Gália, representadas por duas mulheres no centro. Aos pés do imperador aparece Cupido como protector de Augusto, já que a sua mãe, Vénus, era a deusa protectora dos ‘Julhos’, aos quais o imperador Augusto pertencia.

A estátua agora erigida é das imagens mais divulgadas do imperador e é uma reprodução do modelo padrão que existia há 2000 anos na cidade de Roma. Augusto Prima Porta é uma estátua do imperador romano Augusto que foi descoberta em 20 de Abril de 1863 na Villa de Augusto, Prima Porta, Roma. A original, em mármore, é uma imagem idealizada de Augusto e foi descoberta na casa de Lívia Drusa, mulher do imperador. Actualmente está exposta no Braccio Nuovo, Museu do Vaticano.

LVI_1315

LVI_1321

LVI_1355

LVI_1379

BRAGA ERGUE ESTÁTUA AO IMPERADOR CÉSAR AUGUSTO

Inauguração da Estátua do Imperador César Augusto

Sexta-feira, 26 de Maio, pelas 15h00, no Largo Paulo Orósio (frente aos Bombeiros Voluntários), em Braga

O Município de Braga procede à cerimónia de inauguração da Estátua do Imperador César Augusto, responsável pela fundação da Cidade de Braga Augusta, amanhã, Sexta-feira, dia 26 de Maio, pelas 15h00, no Largo Paulo Orósio, em Braga.

A cerimónia, integrada na programação da ‘Braga Romana 2017’, vai contar com a presença do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio.

Statue-Augustus

PÓVOA DE LANHOSO EXPÕE ESCULTURA

Escultor Dinis Ribeiro expõe no Castelo de Lanhoso “Teresa, mãe de Portugal”

O escultor vimaranense Dinis Ribeiro expõe no Castelo de Lanhoso a partir de sábado, dia 25 de março, a mostra "Teresa, mãe de Portugal". A abertura está marcada para as 15h00.

Exposicao Teresa mae de Portugal.PNG

Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, é o rosto de uma governação firme e inteligente, consolidando e ampliando as linhas de fronteira do Condado Portucalense. As suas relações pessoais, frias e calculistas, e as alianças meticulosamente planeadas, fizeram desta mulher uma personagem fundamental na História de Portugal.

Dinis Ribeiro, escultor de Rendufe, concelho de Guimarães, inspirando-se nesta importante figura histórica e numa correlação com o passado, dará corpo a um conjunto de esculturas tridimensionais e minimalistas, que reforçam o poder de D. Teresa e a sua ligação ao Castelo de Lanhoso.

BRAGA PRESTA TRIBUTO A FREI BARTOLOMEU DOS MÁRTIRES

Estátua implantada no Largo de São Paulo

Foi inaugurada hoje, 27 de Janeiro, no Largo de São Paulo, a estátua de D. Frei Bartolomeu dos Mártires, antigo Arcebispo de Braga e figura de referência do Concílio de Trento, que tem a decorrer o seu processo de canonização. A escolha do dia da inauguração inspira-se na datação da bula de nomeação de D. Frei Bartolomeu dos Mártires para a Arquidiocese de Braga – exactamente o dia 27 de Janeiro de 1559.

CMB27012017SERGIOFREITAS0000004927.jpg

Na cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio referiu que a inauguração da estátua constitui um “acto de justiça” para com uma figura da Igreja que deixou marcar profundas na Cidade.

“O reconhecimento de figuras de cariz religioso não é por acaso. Braga é conhecida como a Cidade dos Arcebispos e a eles deve, ao longo da sua história, muitos dos impulsos para se tornar uma Cidade pujante na região onde se insere, a crescer em projectos inovadores na área da educação, da valorização patrimonial e do ordenamento urbanístico”, salientou o Edil, na cerimónia que contou com a presença do Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga.

CMB27012017SERGIOFREITAS0000004920.jpg

Ricardo Rio lembrou que o Executivo Municipal tem procurado reforçar a estatuária da Cidade com base no contributo de figuras de proa da sociedade Bracarense. “Começámos por inaugurar um monumento em homenagem a Salgado Zenha, junto ao Pópulo. Hoje evocamos D. Frei Bartolomeu dos Mártires e, no próximo mês de Maio, iremos colocar no Largo Paulo Orósio uma estátua em honra do Imperador César Augusto, fundador da nossa Cidade e que nos tornou numa das mais antigas cidades da Europa”, referiu, avançando que a estátua de D. João Peculiar voltará, brevemente, ao largo com o mesmo nome, junto à Igreja da Misericórdia.

CMB27012017SERGIOFREITAS0000004933.jpg

Já o Arcebispos Primaz, D. Jorge Ortiga, realçou o contributo de D. Frei Bartolomeu dos Mártires na renovação da Igreja e da sociedade, tendo dedicado muito do seu tempo aos doentes e aos mais necessitados. “D. Frei Bartolomeu dos Mártires viveu num tempo de muitas crises, mas foi um homem que nunca se resignou. Foi um homem que privilegiou a formação, tendo contruído o seminário e concluído a obra do Colégio de S. Paulo a quem entregou aos Jesuítas”, recordou o prelado, desejando que o processo de canonização do antigo Arcebispo seja concluído ainda este ano.

A estátua de D. Frei Bartolomeu dos Mártires é da autoria do artista Hélder Carvalho e está colocada num robusto pedestal de granito concebido pelo arquitecto Gerardo Esteves.

Recorde-se que Bartolomeu dos Mártires foi declarado venerável a 23 de Março de 1845, pelo Papa Gregório XVI e a 4 de Novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II. A 5 de Fevereiro de 2015, D. Jorge Ortiga entregou, em mãos, ao Papa Francisco um dossiê sobre a vida do antigo Arcebispo de Braga e formulou o pedido de canonização.

CMB27012017SERGIOFREITAS0000004930.jpg

BRAGA INAUGURA ESTÁTUA DE D. FREI BARTOLOMEU DOS MÁRTIRES

Amanhã, Sexta-feira, dia 27 de Janeiro, pelas 17h00, no Largo de S. Paulo, Braga

O Município de Braga procede amanhã, Sexta-feira, dia 27 de Janeiro, pelas 17h30, à inauguração da estátua de D. Frei Bartolomeu dos Mártires, em cerimónia que terá lugar no Largo de S. Paulo, em Braga.

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e do Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga.

RTP2 DÁ A CONHECER A OBRA DOS MAIORES VULTOS DA ARTE NACIONAL

“Estou nas Tintas”: O homem à frente da obra

O “Estou nas Tintas” estreia a 6 de Janeiro de 2017, às 21h00, e as expectativas são imensas. Durante 13 semanas, o programa produzido pela RTP2 vai dar a conhecer a vida e a obra de cerca de 80 dos mais importantes nomes da arte nacional.

EstouNasTintas_FotoPress.jpg

 

Dar voz à obra e ao criador foi o principal objectivo deste projecto, que tenta abordar as mais variadas formas de expressão artística e divulgar métodos, pensamentos e singularidades dos artistas plásticos portugueses.

Além de nomes incontornáveis – Júlio Pomar, Cruzeiro Seixas, José Costa Reis, Odeith e o Mestre José Rodrigues (que infelizmente partiu aos 79 anos em setembro passado, deixando-nos uma última recordação sua e da sua obra) são alguns dos convidados do programa –, o “Estou nas Tintas” pretende também dar destaque a novos nomes do panorama artístico português. António de Almeida Lopes, realizador de programas como “Saúde com Sabor”, “Praia Limpa, Praia Segura” ou “Riscos e Rabiscos”, foi o autor da ideia e quem realizou o projecto e Joaquim Feijão o responsável pela Provetouch, a produtora que abraçou e embarcou nesta viagem durante sete meses.

Um ano depois do início do projeto chega finalmente a hora de o partilhar com o público, que tem desta forma a oportunidade de entrar dentro das casas e dos ateliers de múltiplos artistas nacionais. A ambição dos autores é que esta série se torne um documento incontornável da história da arte nacional, uma fonte de informação basilar para quem no futuro tiver interesse em conhecer uma parte significativa da herança artística portuguesa.

Voz aos artistas

“Essa frase ‘estou nas tintas’ é um exemplo de como o sentido que se pode dar às coisas pode ser muito diferente. Ninguém pense que tem a verdade absoluta.” – Júlio Pomar

“Pintar, para mim, é uma forma de estar vivo, é como respirar, comer…” – Diogo Navarro

“Picasso dizia que a arte limpa, do quotidiano, a poeira dos dias.” – Ana Mesquita

“Se a função do artista é a procura do belo, eu encontrei essa procura no corpo da mulher.” – Francisco Simões

“Nessa altura, comemorava-se a venda de um quadro, fosse de quem fosse.” – Gracinda Candeias

“Eu estou sempre apaixonada. Tento-me apaixonar nem que seja por um livro, por uma frase, pelo amanhecer…” – Tamara Alves

“Eu penso que a actividade artística se define, quer em pintura, quer no cinema, quer na literatura, seja onde for… é exactamente o repensar constantemente métodos, definições, objectivos, trajectórias…” – Jaime Silva

“Eu tenho pavor do óbvio e tento sempre fazer coisas inesperadas.” – José Costa Reis

“A técnica, no meu ponto de vista, é apenas um suporte ou um apoio para a concretização de um trabalho.” – Carlos Nogueira

“A pintura acaba por ser a nossa forma de nos expressarmos e acaba por ser o alfabeto da pessoa.” – Jorge Almeida

“Não temos um grande museu de arte portuguesa, por exemplo. Nós se quisermos ver a evolução da arte portuguesa, desde o princípio do século até hoje, onde é que vamos?” – Manuel Baptista

“O amor, a cultura, a poesia são realmente a coisa mais importante que nós temos, para agarrar com ambas as mãos com toda a força.” – Cruzeiro Seixas

“Qualquer fotógrafo é um contador de histórias.” – Joel Santos

“Os artistas portugueses, para mim, são mais uma dessas facetas que nós temos que ser capazes de valorizar, que fazem parte do nosso património.” – Manuel Botelho

“A arte é a zona mais criativa da natureza humana.” – Eurico Gonçalves

Lista de artistas convidados do programa

Pintores

Alexandre Alonso

Clo Bourgard

Cruzeiro Seixas

David Levy Lima

Diogo Navarro

Eleutério Sanches

Eurico Gonçalves

Gabriela Carrascalão

Gracinda Candeias

Gustavo Fernandes

Jaime Silva

Jorge Almeida

Júlio Pomar

Luís Noronha da Costa

Madalena Raimundo

Manuel Baptista

Manuel Botelho

Maria de Lurdes Oliveira

Mário Rita

Pedro Guimarães

Escultores

Carlos Nogueira

Francisco Simões

Frederico Elias

Isabel Garcia

Manuela Madureira

Mestre José Rodrigues

Rogério Timóteo

Rui Matos

Susana Piteira

Writers

Adalberto Brito (Youth One)

Artur Silva (Bordalo II)

Gustavo Teixeira (Mesk)

João SAMINA

Miguel Caeiro (RAM)

Nuno Palhas (Third)

Nuno Reis (Nomen)

Oliveiros Júnior (Utopia)

Sérgio Odeith

Ilustradores

Ana Mesquita

João Saramago

José Pereira

Marco Mendes

Rita Ravasco

Sara Osório (Sara-a-Dias)

Tamara Alves

Artistas plásticos

Ana Isabel Miranda Rodrigues

António Canau

Bernardete Moreira

Cristiano Neves

Dalila D’Alte

Joel Santos

José Costa Reis

José Pedro Alves

Paula Bernardes

Sérgio Santos

Outros especialistas

Ágata Rodrigues (Fundação José Rodrigues)

Ana Roque

António Soares

Celine de Azevedo

Fernando Catarino

Inês Almeida

Professora Joana de Oliveira (Agrupamento de Escolas D. Carlos I – Sintra)

José Esteves

Maria Hortense Canelas

Mizette Nielsen

Mouralinda Serralha

Nisha Narotomo

Nuno Lima de Carvalho (Galeria de Arte – Casino Estoril)

Sara António Matos (Atelier-Museu Júlio Pomar)

Sérgio Pinheiro

Telma Araújo

Wilson Galvão

Colaboração especial

Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa

Prof. Dalila D’Alte

Prof. Eurico Gonçalves

Prof. Jaime Silva

Prof. Manuel Botelho Carlos Sanches (Músico)

João Gil (Músico)

José Cid (Músico)

ESCULTURA “MEMÓRIA AO REMADOR” EM CAMINHA VAI SER INAUGURADA AMANHÃ PELO MINISTRO DA EDUCAÇÃO

Pelas 16h00, cerimónia insere-se nas comemorações dos 90 anos do Sporting Club Caminhense

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, participa amanhã, em Caminha, na inauguração do “Memorial ao Remador”, uma escultura que homenageia os remadorescaminhenses e que se insere nas comemorações dos 90 anos do Sporting Club Caminhense. Da autoria do escultor Damião Porto, a peça ficará no centro da rotunda da EN13, junto à marginal de Caminha, nas proximidades do Posto Náutico e do Parque Municipal 25 de Abril. Depois desta cerimónia decorrerá a sessão de entrega das faixas de campeão nacional aos atletas e dirigentes, nos Paços do Concelho.

SCC.jpg

O Município de Caminha associa-se às comemorações do 90º aniversário do clube, que nasceu a 14 de dezembro de 1926, tendo a sua primeira sede na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha. Com outras modalidades nos primeiros anos, o remo só foi introduzido em 1933, mas “as grandes glórias e emoções do Caminhense aconteceram efetivamente no remo, que fez com que o clube se descobrisse e trabalhasse com persistência para a conquista de novos sócios e admiradores”.

Amanhã, sexta-feira, a inauguração da escultura está marcada para as 16h00. Segundo o seu autor, “é constituída, tecnicamente, por duas grandes peças: o remo, como elemento primordial, e dois painéis que se estendem verticalmente e que pretendem representar os rios Minho e Coura; ambos ‘abraçam’ o remo e elevam as marcas da pá na água como testemunho do esforço do remador. Nestes painéis emergem diferentes imagens recortadas, sendo que na face frontal é visível o logotipo do Sporting Club Caminhense e na face posterior o símbolo do clube, um leão, com vista a representar o papel do clube no desenvolvimento, apoio e acompanhamento dos remadores”.

Damião Porto é um escultor caminhense. Residente em Moledo, abriu o seu primeiro atelier em 1994 e tem já uma vasta obra, representada em diversas coleções públicas e privadas. 

A entrega das faixas de campeão nacional está marcada para as 18h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.