Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARCOS DE VALDEVEZ ABRE ANO LETIVO

Presidente da Câmara Municipal na abertura do Ano Letivo

O ano escolar arrancou na passada segunda-feira, dia 17 de setembro, e o Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, bem como a vereadora da Educação Emília Cerdeira, fizeram questão de ir visitar os estabelecimentos de ensino do concelho para dar as boas-vindas a toda a comunidade escolar, bem como desejar-lhes um ótimo ano letivo. “A Educação é de todos e para todos”, adiantou o presidente da Câmara Municipal, afirmando também que a Câmara Municipal tem vindo a reforçar a parceria com as escolas em prol do desenvolvimento do concelho e dos arcuenses.

abertura ano letivo 2018 - 2

A conclusão da intervenção na Escola Básica e Secundária de Arcos de Valdevez marca este início de ano letivo. Um investimento no valor de cerca de 4 milhões de euros que veio trazer melhores condições de ensino e de aprendizagem à comunidade escolar.

 “Tendo a Escola melhores condições, os alunos poderão ter mais sucesso e será possível atrair novos estudantes”, referiu João Esteves, focando-se nas obras nos blocos de ensino, oficina e polivalente, bem como ao apetrechamento.

Ao nível do apoio ao ensino, também destacou que o Município de Arcos de Valdevez assegura a realização dos transportes escolares, visando garantir condições de acesso à educação, por parte dos alunos do concelho, frisando ainda que durante este ano letivo serão transportados diariamente cerca de 1000 alunos, prevendo-se um custo estimado de cerca de 750 mil euros.

Por outro lado, também abordou a duplicação dos apoios aos alunos por parte da Câmara Municipal no que se refere à atribuição de auxílios económicos, aos alunos do 1º e, pela primeira vez, aos alunos do 2º ciclo.

Por último, João Esteves agradeceu a colaboração e envolvimento do Agrupamento na realização de obras e atividades que têm vindo a ser levadas a cabo em parceria com o Município e lançou o desafio de intensificar esse relacionamento, pois ele contribui para a formação das crianças e jovens e reforça a ligação entre a Comunidade e a Escola.

abertura ano letivo 2018 - 3

abertura ano letivo 2018 -

aberura do ano letivo 2018

FAMALICÃO TEM REDE DE ENSINO PRÉ-PRIMÁRIO QUE DÁ RESPOSTA A TODO O CONCELHO

3500 crianças entre os 3 e os 6 anos regressaram à escola esta semana

O regresso à escola em Vila Nova de Famalicão é também para os mais pequenos estudantes. As crianças a partir dos três anos de idade iniciaram esta semana a primeira etapa da educação básica na rede de ensino pré-escolar, cuja oferta cobre todo o território famalicense. “É um descanso para as famílias e um fator de competitividade do território”, assinala o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, lembrando que,“apesar de frequência facultativa, o ensino pré-escolar é assumido como um direito para todas as crianças e reconhecido o papel determinante no seu desenvolvimento”.

AFS_4121

São 74 estabelecimentos de ensino, entre público (40), privado (2) e social (32), que compõem a rede local de ensino pré-escolar.  Resultado de um forte investimento infraestrutural nas duas últimas décadas, a rede deste nível de ensino está consolidada no território, servindo atualmente perto de 3500 crianças.

Ao nível dos equipamentos públicos, estão afetos 63 educadores colocados pelo Ministério da Educação e 131 auxiliares da ação educativa geridos pelo município. Para assegurar o funcionamento corrente do ensino pré-escolar, o município investe todos os anos cerca de 2 milhões de euros em despesas correntes, que são aplicados nos recursos humanos afetos aos equipamentos, nos consumos de água, luz e gás, no acolhimento e prolongamento do horário, que garante às famílias a compatibilidade das escolas com os horários do trabalho, nas refeições escolares e na aquisição de material educativo e pedagógico. Significa isto um investimento médio da Câmara de cerca de 1500 euros por aluno do pré-escolar colocado na rede.

“Este é um exemplo da boa despesa corrente, aquela que na verdade é um investimento, porque todo o esforço direcionado para a educação das novas gerações é um investimento de futuro e justificado por si só”, refere Paulo Cunha.

Para além disso a Câmara tem em curso um leque de projetos pedagógico e educativos sócio -comunitários, que são dinamizados junto das escolas por técnicos municipais. São exemplos o programa Viagens pelo Património, Crescer a Brincar, Educação Parental, Falar, Ler e Escrever; Psicomotricidade, Ter Ideias para Mudar o Mundo. A estes juntam-se as atividades de animação socioeducativa e sociocultural, como o Cantar dos Reis, o Carnaval Infantil, as Marchas Antoninas Infantis, o Dia Mundial da Criança e os Serviços Educativos (Rede de Museus, Casa das Artes, Parque da Devesa).

Jardim de infância de arnoso sta maria. (1)

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO CONTINUA A OFERECER OS MANUAIS ESCOLARES ATÉ AO 9º ANO DE ESCOLARIDADE

Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão assinalou arranque do ano letivo 2018/2019, com boas notícias: Paulo Cunha garante gratuitidade de manuais escolares até ao 9.º ano

Em Vila Nova de Famalicão, uma família com dois filhos, um a frequentar o 1.º ciclo do ensino básico e outro no 7.º ano de escolaridade, consegue, neste ano letivo 2018/2019,  uma poupança de cerca de 200 euros em livros e fichas de apoio. Este é um exemplo da poupança que os agregados familiares conseguem no regresso às aulas, dados os encargos financeiros assumidos pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão que, este ano, decidiu alargar a gratuitidade dos manuais escolares ao  7.º ano de escolaridade, mantendo a oferta das fichas de trabalho a todas as crianças do 1.º ciclo do ensino básico.

image58784

Para o próximo ano, ficou já a garantia do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que a gratuitidade será alargada ao 8.º e 9.º ano de escolaridade. “No próximo ano letivo, manteremos a oferta das fichas de apoio ao primeiro ciclo, que é um apoio que não está abrangido pela iniciativa governamental, e concedermos os manuais escolares em regime de empréstimo até ao 9.º ano. É uma decisão que já está tomada”. A novidade foi anunciada, esta segunda-feira, por Paulo Cunha, na Escola EB 2,3 de Ribeirão, durante uma visita de trabalho com o objetivo de assinalar o arranque do ano letivo 2018/2019.

Caso o governo decida avançar para o empréstimo dos manuais escolares até ao 9.º ano,“a autarquia compromete-se desde já a aplicar esta verba na área da educação”, salvaguardou o presidente da Câmara Municipal.

Para o autarca “este é um apoio fundamental para o concelho”, acrescentando que “no  que diz respeito à educação, o orçamento municipal tem elasticidade para chegar onde for necessário”. E lembrou que só em manuais escolares, “a autarquia investe, este ano, cerca de 400 mil euros”, na aquisição  de 17.763 fichas de apoio para o 1.º ciclo e 10.585 manuais escolares para o 7.º ano.

“No total, saem beneficiados 6.500 alunos, sendo cerca de 5.000 do 1.º ciclo e 1.500 do 7.º ano”, afirmou o presidente da Câmara, adiantando ainda que “o investimento estimado por cada aluno do 7.º ano é de 176 euros e cerca de 25 euros para cada criança do 1.º ciclo”.

Mas os apoios não se ficam por aqui, através do Banco de Livros Escolares o município famalicense conseguiu arrecadar mais de um milhar de manuais usados do 8.º ao 12.º ano, distribuindo-os por 254 famílias.

image58796

A notícia de gratuitidade dos manuais ao 8.º e 9.º ano deixou o presidente da Associação de Pais da EB 2,3 de Ribeirão, Manuel Fernandes, muito satisfeito e otimista. “Em nome dos pais, tenho que agradecer à Câmara Municipal por esta iniciativa que representa uma grande ajuda para os orçamentos familiares”. Também a diretora do Agrupamento de Escolas de Ribeirão, Elsa Carneiro, se mostrou feliz “com o alargamento do empréstimo dos manuais até ao 9.º ano” e “satisfeita como todo o processo de distribuição dos livros se realiza, contribuindo para um arranque do ano letivo bem sucedido e tranquilo”.

Refira-se que ao longo de quinze anos, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão ofereceu os manuais escolares e fichas de apoio a todas as crianças do 1.º ciclo do ensino básico no concelho, tendo sido a primeira Câmara do país a adotar a medida que é uma realidade em Famalicão desde o ano letivo 2001/2002. Em 2017/2018, a autarquia cedeu os manuais aos alunos do 5.º e 6.º ano e agora chega ao 3.º ciclo. Para o ano, fica a garantia de completar todo o ensino básico até ao 9.º ano.

image58808

OP ESCOLAR LEVA NOVOS EQUIPAMENTOS À EB 2/3 ANDRÉ SOARES

Pórticos desportivos visam combater sedentarismo entre os alunos

Os alunos da escola EB 2/3 André Soares contam agora com quatro novos pórticos desportivos. Este foi um dos projectos vencedores do Orçamento Participativo Escolar de 2018, que visa combater o sedentarismo e estimular a actividade física e convívio saudável entre a comunidade educativa.

CMB14092018SERGIOFREITAS00000014341

“É com enorme satisfação que vemos uma iniciativa que lançamos há quatro anos trazer melhorias nas escolas do Concelho. O Orçamento Participativo (OP) é um instrumento que já existe em muitas cidades no qual que é dada a oportunidade aos cidadãos de ajudarem a Câmara Municipal a escolher e financiar as iniciativas ou projectos a desenvolver no território”, referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a inauguração do ‘Parque André Soares’, que decorreu esta Sexta-feira, 14 de Setembro.

CMB14092018SERGIOFREITAS00000014338

À semelhança do que acontece no OP geral, a comunidade escolar Bracarense é chamada a gerir uma parte do orçamento municipal, apresentando projectos e iniciativas que, ao serem seleccionadas podem fazer a diferença em cada estabelecimento escolar.

O projecto hoje inaugurado foi idealizado por Tiago Pinto, um ex-aluno da EB 2/3 André Soares que, desta forma, pretende ‘desligar’ as crianças do mundo virtual e dos telemóveis, para passarem a ter momentos activos e saudáveis durante o recreio. “É este o espírito do OP, incutir nos cidadãos valores de cidadania participativa com a consciência de que todos podemos fazer a diferença. Este projecto do Tiago é a demostração dessa cidadania em prol dos outros uma vez que apresentou uma ideia e não vai usufruir dela por já não ser aluno desta escola”, enalteceu Ricardo Rio.

Também a vereadora da Educação enalteceu a participação e a adesão da comunidade educativa ao OP Escolar com o objectivo comum de construir uma escola melhor. “A escola constrói-se com todos. Não pode haver barreiras ou fronteiras, por isso, temos que estreitar laços para resolver os problemas que, com vontade e bom senso, podem ser resolvidos”, sustentou Lídia Dias, lembrando que com o OP Escolar “estamos a criar cidadãos participativos e cada vez mais atentos ao mundo que nos rodeia”.

Essa “quebra de barreiras” ficou ainda mais demonstrada fruto de um projecto de colaboração entre a Junta de Freguesia de S. Victor e as Eco-Escolas que, através da recolha de 180 kg tampinhas ofereceu uma cadeira de rodas à EB 2/3 André Soares, uma escola localizada na União de Freguesias de S. Lázaro e S. João Souto.

“Para a acção social não podemos ter fronteiras e não podemos ficar fechados na nossa Freguesia. Com a ajuda da comunidade, esta acção transformou tampinhas e lixo reciclável, num equipamento que está à disposição de quem precisar”, explicou Ricardo Silva, presidente da Junta de Freguesia de S. Victor.

CMB14092018SERGIOFREITAS00000014344

CMB14092018SERGIOFREITAS00000014353

CMB14092018SERGIOFREITAS00000014359

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE PONTE DA BARCA FELICITA OS JOVENS QUE INGRESSARAM NO ENSINO SUPERIOR

Autarquia de Ponte da Barca congratula alunos barquenses que ingressaram no Ensino Superior

A Câmara Municipal de Ponte da Barca, na pessoa do seu Presidente, Augusto Marinho, congratula todos os alunos do Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca que recentemente ingressaram no Ensino Superior. Foi certamente com muito trabalho, determinação e competência que ultrapassaram os desafios do ensino secundário e atingiram as classificações necessárias para integrar o mundo académico.

AUGUSTO

Não será demais lembrar que o ingresso no ensino superior é uma etapa determinante da vida destes jovens. No competitivo mundo de hoje, as condições de empregabilidade começam a ser construídas a partir do primeiro dia de aulas e é  na universidade que em boa medida se decide o futuro profissional.

É pois com muita satisfação e orgulho que a Câmara Municipal felicita todos os seus alunos, desejando que este seja o início de um percurso repleto de realizações pessoais, sucessos escolares e momentos felizes.

A autarquia endereça, ainda, um cumprimento especial para os pais que acompanham e incentivam os filhos a darem sempre o seu melhor e aos professores que são parte essencial neste processo, estendendo o apreço ainda à Associação de Pais e restantes intervenientes educativos.

A Câmara Municipal de Ponte da Barca congratula, uma vez mais, todos os alunos, não só pelos excelentes resultados alcançados, como também pelo passo que estão a dar na persecução e concretização dos seus sonhos e ambições.

O sucesso dos jovens barquenses é o sucesso de Ponte da Barca.

Bem-haja a todos!

Foto: Rádio Alto Minho

PRIMEIRO MINISTRO INAUGURA REQUALIFICAÇÃO DA EB2,3 S DE MELGAÇO

Um investimento elegível de 1 milhão e 110 mil euros que dota o estabelecimento escolar de melhores condições, já no arranque do novo ano letivo (esta quinta-feira)

O Primeiro Ministro, António Costa, inaugurou hoje a requalificação da Escola Básica e Secundária de Melgaço. Reforçar e melhorar a qualidade do ensino dos alunos era o propósito das intervenções, um investimento elegível de 1 milhão e 110 mil euros, cofinanciado pelo FEDER no valor de 943.500 euros.

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (5)

Satisfeito com o projeto, António Costa enalteceu o executivo melgacense e toda a comunidade escolar pela aposta na educação: «É fundamental que se realizem estes investimentos nas escolas. Melhores equipamentos e melhores recursos, garantem melhores condições à comunidade escolar», assegurou. Durante a visita, António Costa teve a oportunidade de visitar várias salas e equipamentos do estabelecimento, nomeadamente a Sala do Futuro, resultado do projeto School4all - Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar. Este Plano resulta de uma candidatura aprovada no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte, Norte 2020, num investimento de 236 939.13 euros, sendo 85% do valor (201 398,26 euros) financiado pelo Fundo Social Europeu (FSE). Com este apoio, Melgaço vai promover diversas ações que visam a redução e prevenção do abandono escolar precoce, bem como a promoção da igualdade de acesso a um ensino infantil, primário e secundário de boa qualidade, incluindo percursos de aprendizagem formais, não formais e informais para a reintegração no ensino e na formação. «Se queremos continuar a atrair, como o Alto Minho está, temos de apostar na qualidade. Temos de atribuir as ferramentas necessárias. Os alunos têm de sair das escolas preparados, para darem resposta às necessidades do futuro. Continuar a investir é a chave do nosso futuro.», afirmou o Primeiro Ministro.

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (13)

«UMA NOVA VIDA PARA A COMUNIDADE EDUCATIVA»

- Ministro da Educação, Tiago Brandão

«Hoje, começa uma nova vida para a comunidade educativa, resultado do envolvimento, e dedicação, de todos», elogiou o Ministro da Educação, Tiago Brandão, também presente na inauguração.

Saiba-se que o estabelecimento escolar melgacense foi alvo de uma intervenção geral e profunda com o propósito de o modernizar sob o ponto de vista funcional e também da qualidade dos espaços, nomeadamente ao nível da qualidade do ar e do conforto térmico, dotando-o assim de condições de funcionalidade e de modernidade compatíveis com o que os tempos atuais demandam. A Escola EB 2,3 S de Melgaço, com 30 anos de existência, procurou ao longo do tempo, através dos seus órgãos diretivos, manter a sua funcionalidade, quer nas condições que oferece aos alunos que a frequentam, quer nas condições de trabalho do seu pessoal docente e não docente. Contudo, decorrente da idade que a mesma apresenta, existia uma série de carências a melhorar, de forma a garantir melhores condições para toda a comunidade educativa.

«Inauguramos hoje a requalificação de uma escola, não de uma escola nova. Não temos um ´Ferrari´! Não quisemos um ´Ferrari´! Porque temos um enorme respeito por todo e qualquer investimento público, achamos que deveríamos fazer o essencial. Ficamos com um excelente carro, tecnologicamente avançado e, porventura, se não integralmente elétrico, é pelo menos um bom híbrido.», defendeu o autarca de Melgaço, Manoel Batista, afirmando que a Educação continua a ser uma das prioridades «em prol de um futuro melhor para as nossas crianças e jovens. Já no mandato anterior investimos na requalificação do Gimnodesportivo e da cobertura da cantina. Um investimento de cerca de 250.000 euros. E agora, já neste mandato, fechamos a requalificação integral da escola para a colocar à disposição da comunidade escolar, com a qualidade física e tecnológica necessária. Investimos aqui cerca de 1,3 milhões de euros, sendo cerca de 1 milhão, o valor do financiamento.»

A Escola tem agora condições para acolher 754 alunos, num total de 29 salas. ‘Com estas intervenções, a Escola adequa-se às atuais necessidades pedagógicas e de segurança e higiene, com as melhores condições para a receção à comunidade escolar, que volta à escola já esta quinta-feira’, atenta o autarca melgacense, assegurando ao Primeiro Ministro, e a todos os presentes, que Melgaço «trabalha todos os dias para que o seu desenvolvimento seja também alavanca para o País.»

CÂMARA MUNICIPAL APOIA ALUNOS NO ARRANQUE DO NOVO ANO LETIVO

A Câmara Municipal de Melgaço volta a apoiar as crianças e jovens de Melgaço no arranque de mais um ano letivo. Os apoios são variados: alimentação, transporte, incentivos à formação de ensino superior e auxílios económicos aos alunos inseridos em agregados familiares economicamente desfavorecidas.

Os apoios:

  • Fornecimento de refeições escolaresaos alunos do 1º ciclo do Ensino Básico e Pré-escolar. A medida coopera para a adoção de uma alimentação mais equilibrada e adequada às necessidades da comunidade escolar.
  • Auxílios Económicos aos alunos inseridos em agregados familiares economicamente desfavorecidas.O valor atual é de 40,00 € para os alunos do 1.º ciclo do ensino básico incluídos no 1.º escalão e 20,00 € para os do 2.º escalão. Relativamente ao pré-escolar, o valor é de 25,00 € para os alunos incluídos no 1º escalão e 12,50 € para os do 2º escalão.
  • Transporte escolar, uma comodidade para as famílias. A Câmara Municipal responsabiliza-se pelo transporte dos alunos (residentes em Melgaço) da residência para a escola e pelo trajeto inverso, passando na porta dos alunos em horário marcado. Usufruem desta medida os alunos do pré-escolar ao Ensino Secundário, residentes no concelho.
  • Incentivos à Formação a cinco novos estudantes, naturais ou residentes no concelho de Melgaço que, neste ano letivo, ingressam ou frequentam oensino superior público. O valor dos incentivos é definido e atualizado anualmente por deliberação da Câmara Municipal e vigoram pelo tempo mínimo que durar o curso do candidato selecionado. Os incentivos a atribuir anualmente são no máximo de cinco, podendo exceder esse limite em situações excecionais.

Estas medidas apresentam-se como uma mais-valia no combate ao abandono e insucesso escolar: «são uma importante ajuda de apoio à educação e à família, uma forma de reduzir as despesas das famílias. Assim, estamos, de alguma forma, a amenizar alguns dos problemas destas famílias.», sublinha a Vereadora da Educação, Cultura e Ação Social, Maria José Codesso.

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (17)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (21)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (24)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (36)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (53)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (63)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (78)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (82)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (112)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (124)

PRIMEIRO MINISTRO INAUGUROU REQUALIFICAÇÃO (135)

MONÇÃO PROPORCIONA TRANSPORTE GRATUITO PARA TODOS OS ALUNOS E OFERTA DE FICHAS DE ATIVIDADES DO 1º E 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

A entrada no ano letivo 2018/2019 vai custar menos aos bolsos dos monçanenses. O governo alargou até ao 6º ano, a entrega gratuita de manuais escolares. A autarquia garante transporte a todos e oferece as fichas de atividades do 1º e 2º CEB, do ensino público.

Bom ano letivo

A Câmara Municipal de Monção está apostada em reforçar as condições de funcionalidade e aprendizagem nos estabelecimentos de ensino do Agrupamento de Escolas de Monção, criando um conjunto de medidas para implementação no ano letivo 2018/2019.

Em conjunto com o apoio para a aquisição de material de limpeza e cedência de material escolar aos estabelecimentos de ensino, o Município de Monção vai garantir transporte escolar gratuito a todos os alunos e oferecer as fichas de atividades do 1º e 2º CEB, do ensino público.

Além de constituir um importante apoio financeiro para os encarregados de educação, a oferta das fichas de atividades, que acontece pela primeira vez, contribui para a rentabilização da economia local, uma vez que a encomenda das fichas apenas é possível nas papelarias do concelho.

O transporte escolar gratuito abrange todos os patamares de ensino público, tendo havido a preocupação da autarquia em definir trajetos que permitam aos alunos sair mais tarde e chegar mais cedo a casa. Uma vantagem para quem vive nas zonas mais afastadas da sede do concelho.

No capitulo da educação, referência ainda para intervenções estruturais no parque escolar do concelho. Recentemente, decorreram obras de requalificação no Jardim de Infância de Cortes. Na próxima semana, avançam os trabalhos previstos para a Escola Secundária de Monção.

Destaque ainda para a comparticipação na alimentação dos alunos com escalão, prolongamento de horário com atividades extracurriculares, apoio na frequência do ensino superior público e Banco Municipal de Livros Escolares, disponibilizando manuais usados e tratados do 7º ao 12º ano.

No dia 12, na Biblioteca Municipal, será entregue material escolar aos alunos acompanhados pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção. Iniciativa apoiada pelo Centro Funerário do Alto Minho (CFAM), constando da entrega de kits escolares constituídos por cadernos, lápis, afias, canetas, tesouras, colas e lápis coloridos.

“Apostamos na valorização do ensino público, proporcionando condições adequadas a todos os intervenientes no processo educativo (alunos, professores, auxiliares e encarregados de educação) e garantindo uma verdadeira igualdade de oportunidade para todos” – António Barbosa

ANO ESCOLAR ARRANCA EM ESPOSENDE

Município de Esposende assinala arranque do ano escolar. Apresentados programas educativos a todos os docentes do concelho

O Município de Esposende apresentou a estratégia educativa municipal para o triénio 2018-2021 que passa pela implementação do Projeto de Combate ao Insucesso Escolar intitulado “Rumo ao Sucesso”; pelos Projetos Intermunicipais “+Cidadania”, “No Poupar está o Ganho” e “UP Cávado: Empreendedorismo nas Escolas” e pelo seu Plano Estratégico Educativo Municipal que se encontra em fase de conclusão. Relativamente ao ano letivo 2018/2019, foram apresentados os diversos programas educativos a desenvolver pela Câmara e pelas empresas municipais.

ed 1

Para alcançar o estádio de “Município Educador”, Esposende elege os professores como agentes primordiais para a qualidade das aprendizagens, valorizando a importante ação dos seus órgãos de gestão escolar, dos restantes membros da comunidade educativa e das entidades parceiras como Juntas de Freguesias, Associações de Pais e Encarregados de Educação, IPSS e outras associações que colaboram com as escolas na potenciação das suas atividades.

Perante uma sala repleta de professores, representando todas as escolas e todos os graus de educação/ensino do concelho, o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, acompanhado de todo o Executivo, apontou as linhas de ação do Município na área educativa, destacando a importância do trabalho articulado com toda a comunidade escolar.

“Neste ano letivo, colocamos atónica no combate ao insucesso escolar, com o projeto Rumo ao Sucesso, inserido no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado. Há, ainda, uma multiplicidade de projetos municipais que focam temáticas que vão desde a alimentação à equitação terapêutica, da cultura à educação ambiental, à Alimentação, à Saúde, à Segurança, ao Património, à Arqueologia; projetos de consciencialização para questões de natureza social; comemoração de efemérides, campanhas de solidariedade, programas de ocupação de alunos nas pausas letivas,…proporcionando uma educação integral dos nossos alunos”, destacou Benjamim Pereira que apontou um compromisso: “trabalhar para a melhoria contínua da qualidade do ensino no nosso Município”.

Aos projetos e programas que o Município de Esposende e as empresas municipais vão implementar, acresce uma consistente política social de apoio a alunos e famílias, que se prolonga desde o pré-escolar, até ao ensino superior, “tornando o ensino verdadeiramente universal, impedindo que qualquer aluno abandone a escola por falta de recursos financeiros”, disse o presidente da Câmara Municipal de Esposende.

A vereadora da Educação, Angélica Cruz, manifestou grande confiança no trabalho dos professores, na sua dedicação e profissionalismo e espera que no final da implementação do projeto Municipal de Combate ao Insucesso possa ser elaborado “um manual de boas práticas” que será uma referência nacional. Para tal, contamos com o contributo de todos, desenvolvendo estratégias em rede”.

O Município de Esposende é precursor na oferta das Fichas de Atividades para todos os alunosdo 1.º Ciclo do Ensino Básico, oferece material escolar a todos os alunos do 1.º CEB com Escalão 1 e 2 de Abono de Família, material didático-pedagógico às crianças do 1.º CEB com necessidades educativas especiais que não utilizam manuais escolares.

O Município de Esposende comparticipa nas despesas de refeição, no âmbito da Educação Pré-Escolar e apoia nas despesas de refeição no âmbito do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Ao nível do transporte escolar, o Município de Esposende garante a oferta aos alunos do ensino básico que residam a dois ou mais quilómetros do estabelecimento escolar, apesar de a legislação em vigor apenas prever tal apoio aos alunos que residam a mais de três ou quatro quilómetros.

O apoio financeiro aos Agrupamentos de Escolas para fazer face a despesas com atividades diversas para a Educação Pré-Escolar e 1.º CEB é uma referência para o Município de Esposende, assim como a atribuição de bolsas de estudo para alunos do Ensino Superior com maior carência económica. Em 2018 foram atribuídas 40 bolsas.

Alargando a área de ação, o Município tem realizado, em parceria com a Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende, o programa de apoio à integração na vida ativa, facultando formação em contexto real de trabalho.

A todos estes apoios, acresce um leque alargado de intervenções da Câmara Municipal no parque escolar e no apetrechamento, com obras de reparação, manutenção e requalificação dos estabelecimentos e alocação de equipamentos e materiais.

No próximo ano letivo, o presidente da Câmara Municipal de Esposende espera contar com a presença de representantes do ensino superior, porque, “durante o próximo ano deverá arrancar o funcionamento da extensão do IPCA e estará em curso a pós-graduação na área social, da Universidade Católica”.

Benjamim Pereira anunciou que as parcelas da Estação Radionaval de Apúlia, cedidas pelo Estado, já estão registadas nas Finanças e na Conservatória, em nome do Município para a instalação do Instituto Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia Marinha, onde decorrerá investigação avançada. O autarca anunciou, ainda, que se encontra em curso o processo decedência pelo Estado à Autarquia, por um período de 50 anos, do Forte de S. João Batista. Aí funcionará o Centro de Divulgação Científica que integrará um conjunto alargado de valências.

projetos educativos 1

MAIS E MELHOR EDUCAÇÃO PARA TODOS EM ARCOS DE VALDEVEZ

Em Arcos de Valdevez a educação é uma prioridade.

No âmbito de uma política orientada para o sucesso educativo e para a igualdade de acesso à educação, o Municipio de Arcos de Valdevez, procedeu recentemente à celebração de protocolos de colaboração, com várias entidades parceiras ao nível da ação educativa, nomeadamente no apoio dos transportes escolares para circuitos especiais; das refeições escolares; do apoio a iniciativas dos planos de atividades do Agrupamento de Escolas de Valdevez e da Epralima; e da atribuição de auxílios económicos, através da oferta de livro de fichas e atividades aos alunos do 1º e 2º ciclo, para o ano letivo de 2018-2019. Estes apoios são superiores a 200 mil euros.

IMG_2233

De referir, que o apoio municipal ao nível da oferta de livro de fichas e atividades não visou apenas o apoio às famílias, como também a dinamização do comércio local, através da aquisição destes materiais, às livrarias do concelho.

Para além destes apoios, o Município de Arcos de Valdevez, também apoia anualmente a realização de atividades de enriquecimento curricular com oferta de material didático; a componente de apoio à família para o pré-escolar com prolongamento do horário; a atribuição de bolsas de estudo aos alunos do Ensino Superior; a promoção da mobilidade e intercâmbio juvenil; e o desenvolvimento de atividades de animação com as escolas, a promoção da leitura, o conhecimento da história local e do património, a educação ambiental e a educação para as artes.

Imagem1

Também está a ser realizado investimento ao nível da melhoria das instalações, mobiliário e equipamentos, como são atualmente o caso da EB 2,3/S e dos parques infantis dos jardins de infância, bem como a criação do projeto “Schooll 4All Arcos de Valdevez”, que visa o desenvolvimento de competências, atitudes e valores que ajudam os alunos a melhorar as suas aprendizagens.

É com esta política de promoção da educação, que a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez e os seus parceiros pretendem promover o sucesso escolar e a criação de um ambiente de aprendizagem renovado, motivador e gratificante para todos os alunos do Concelho.

Imagem2

IMG_2225

AMARES ARRANCA ANO LECTIVO... A TEMPO E HORAS!

Município de Amares quer ser exemplo de boas práticas na educação. Obras na EB 2 e 3 concluídas para o início do ano letivo

Está tudo a postos para o arranque do novo ano letivo no que diz respeito às responsabilidades e competências da Câmara Municipal de Amares, que promete manter um grande investimento em apoios socioeducativos, bem como ao nível dos serviços prestados pelos diversos estabelecimentos de ensino existentes no concelho. A conclusão das obras de ampliação e reabilitação da EB 2 e 3 de Amares é a grande novidade para o início das atividades.

DSC04576

Para o Presidente do Município de Amares, Manuel Moreira, professor de profissão, a Educação é “uma das prioridades e um dos fatores mais importantes para o desenvolvimento do concelho”. “Temos procurado criar condições equitativas de acesso ao ensino, apoiando as famílias amarenses através de um conjunto alargado de medidas. O objetivo é que cada criança tenha as melhores condições para crescer, nas suas várias dimensões, feliz e saudável”, sublinha o autarca.

No primeiro mandato, Manuel Moreira, investiu 8 milhões de euros na educação, introduzindo algumas medidas como a oferta dos cadernos de atividades a todos os alunos do 1º ciclo e a gratuidade do transporte escolar para todos os alunos, desde o pré-escolar até ao 12º ano de escolaridade. A melhoria da qualidade das refeições escolares foi um dos grandes objetivos do presidente que, em 2014, abriu as cantinas de todos os centros escolares do concelho, fazendo com que as refeições fossem confecionadas nas cozinhas dos espaços escolares. Este ano, o serviço vai ser reforçado com a contratação de profissionais especializados para apoio técnico e monitorização das refeições.

Destaque, ainda, para alguns projetos bem-sucedidos como as hortas pedagógicas e a continuidade do regime da fruta escolar, o projeto ´Pimpolho` para a prevenção da ambliopia e o mais recente projeto de combate ao insucesso escolar: “Escola para Tod@s: sucesso na aprendizagem”, inserido no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado e implementado pelo Município de Amares, em parceria com o Agrupamento de Escolas de Amares e em articulação com a comunidade escolar e as respetivas famílias, num investimento total de cerca de 200 mil euros e com a duração de 3 anos.

A requalificação da EB2 e 3 de Amares, estabelecimento de ensino que serve cerca de 600 alunos do concelho e que, há muito tempo, reclamava obras de melhoria, foi outro dos objetivos que este ano se vê concretizado. No regresso às aulas, os alunos vão já usufruir da EB 2 e 3 de Amares ampliada e requalificada, a garantia é dada pela vereadora da educação, Cidália Abreu, que destaca “a qualidade” do equipamento que vai acolher os alunos do 5º ao 9º anos.

No arranque do novo ano letivo, Manuel Moreira garante “a continuidade dos apoios e um investimento muito forte no sentido de garantir todas as condições para um ensino de excelência”.

O Município de Amares vai continuar a oferecer o material escolar destinado aos alunos posicionados no escalão A e B da segurança social e bolsas de estudo aos alunos do ensino superior. As atividades de apoio e animação à família (AAAF), inclusive, durante o período de interrupção letivas, para ocupação dos tempos livres dos mais novos, vão também continuar a contar com o apoio municipal.

Antecipando o arranque das aulas, o executivo deixa uma palavra de boas vindas a todos os alunos, professores, funcionários, pais e encarregados de educação, e um agradecimento especial à Direção do Agrupamento de Escolas de Amares, pelo excelente trabalho realizado, assim como a todos os que enfrentam vários obstáculos e desafios, mas mesmo assim continuam a dedicar-se à construção de uma Escola de qualidade.

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE FORMAÇÃO DE JOVENS EMIGRANTES NO CONCELHO

O Município de Arcos de Valdevez com a colaboração da EPRALIMA– Escola Profissional do Alto Limapretende dar a conhecer à comunidade de emigrantes em França, Suíça, Bélgica e Luxemburgo e outros países da União Europeia, que os emigrantes ou os seus descendentes podem obter um diploma profissional em Portugal, similar ao BacPro (BaccalauréatProfessionnel).De referir que, entre outros apoios, a estadia, os transportes e o material didáticosão gratuitos.

Capturara

Pretende-secom esta iniciativa, dar um contributo para aumentar o número de jovens com formação certificada; disponibilizar pessoas com formação profissional às empresas que se debatem com falta de trabalhadores qualificados; divulgar as oportunidades de formação e emprego no concelho; e apoiar a fixação e o regresso de pessoas ao concelho.

A região está, neste momento, em expansão. São, cada vez mais, as empresas, nomeadamente francesas, que se instalam e têmnecessidades de mãos-de-obra em diferentes áreas.

A EPRALIMA oferece um leque alargado de 9 cursos, tem 500 alunos e oferece estágios em empresas e instituições que permitem aos alunos demonstrar as suas capacidades profissionais.

Aos jovens interessados emestudaremArcos de Valdevez e obter um certificado profissional, a EPRALIMA tem os seguintes Cursos Profissionais Técnico de:

  • Cozinha/Pastelaria;
  • Restaurante-Bar;
  • Eletrónica, Automação e Comando;
  • Desporto;
  • Informática, Instalação e Gestão de Redes;
  • Proteção Civil;
  • Animação de Turismo;
  • Design – Design de Interiores/Exteriores;

Os alunos que vierem de França ou outro país da União Europeia podem usufruir de:

  • Subsídio de refeição gratuito;
  • Alojamento gratuito, com todas as despesas associadas;
  • Transporte gratuito;
  • Todos os materiais pedagógicos gratuitos;
  • Seguro de acidentes pessoais gratuito;
  • Estágios em empresas portuguesas e estrangeiras gratuitos.

Pretende-secriar condições para que os emigrantes ou os seus descendentes possam regressar à sua Terra, obterem formação e desenvolverem a sua atividade profissional!

Os interessados poderão contactar a EPRALIMA pelo telefone 258520320, pelo email info@epralima.pt, consultar o site www.epralima.pt ou na sua sede na Rua Dr. António Pimenta Ribeiro, Apartado 102, 4970-457 Arcos de Valdevez.

FAMALICÃO MINISTRA CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

Cursos de Especialização Tecnológica no CITEVE, CENFIM, CESPU, e nos polos de Famalicão do IPCA e do IPB. Candidaturas abertas para CETs em Famalicão

Estão abertas as inscrições para a frequência nos Cursos de Especialização Tecnológica (CET) e nos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) lecionados no âmbito do Centro Qualifica de Vila Nova de Famalicão no CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, na CESPU – Instituto Politécnico de Saúde do Norte, no CENFIM – Centro de Formação Profissional de Indústria Metalúrgica e Metalomecânica, e nos polos de Famalicão do IPCA – Instituto Politécnico do Cávado e Ave e do IPB – Instituto Politécnico de Bragança.

Candidaturas abertas para CETs em Famalicão

A primeira fase de candidaturas decorre até 31 de agosto, a segunda fase até 30 de setembro e a terceira, até 14 de dezembro.

Ambos os cursos são de Nível 5, ou seja, são formações pós-secundárias não superiores que visam conferir uma qualificação profissional do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ).

Assim, para os CET, podem candidatar-se os titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente; os estudantes que tenham obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10º e 11.º e tendo estado inscritos no 12º ano, de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente, não o tenham concluído. Igualmente, podem candidatar-se titulares de uma qualificação profissional de nível 4, e quem já possua um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma de ensino superior que procure requalificação profissional.

Os estudantes que não sejam titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente têm de realizar, caso sejam selecionados, um plano de formação adicional.

Os CET têm a duração aproximada de um ano e meio (18 meses) a que corresponde entre 60 e 90 unidades de crédito.

Estes são cursos totalmente financiados.

Abertas estão também as candidaturas aos CTESP, formações de nível superior que visam conferir uma qualificação profissional de Nível 5 do QNQ e permitem concorrer à matrícula e inscrição no ensino superior através de concurso especial.

Para acederem a estas formações os candidatos têm de possuir o curso secundário ou habilitação legalmente equivalente; tenha sido aprovado nas provas especialmente adequadas para maiores de 23 anos; sejam titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de técnico superior profissional; ou sejam titulares de um grau de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.

Um CTESP tem 120 créditos e a duração de quatro semestres (2 anos), sendo o último em contexto de trabalho. A nível de financiamento, os candidatos podem aceder a bolsas de estudo da Direção Geral de Ensino Superior (DGES).

Estão disponíveis os cursos de: Técnico Especialista em Gestão da Produção (Supervisor de Produção) – Indústria Metalúrgica e Metalomecânica; Técnico/a Especialista em Tecnologia Mecânica; Técnico/a Especialista em Tecnologia Mecatrónica; Técnico/a Especialista em Processos de coloração e acabamentos têxteis; Técnico/a Especialista em Industrialização de produto moda; Bioanálises e Controlo; Gerontologia; Bem Estar e Termalismo; Manutenção e Controlo de Equipamentos Biomédicos; Comunicação Digital; Administração e Negócios; Tecnologia Alimentar; Análise químicas e biológicas; Automação, Robótica e Eletrónica Industrial; Design de Moda; Exportação e Logística.

Inscrições e mais informações junto das entidades acima referidas, através dos seguintes endereços: www.academia.citeve.pt (CITEVE); www.cenfim.pt (CENFIM); www.cespu.pt(CESPU); www.ipb.pt/portaldocandidato (IPB) e www.ipca.pt (IPCA).

DIE APFEL PROMOVEU FORMAÇÃO SOBRE “ATIVAR A PARTICIPAÇÃO SOCIAL E LABORAL” EM BRAGA

A Die Apfel dinamizou um Curso denominado “Ativar a Participação Social e Laboral” cujo objetivo foi dar a conhecer os direitos e deveres dos cidadãos, apoiar e facilitar a procura ativa de emprego, estimular uma atitude proativa perante o mercado de trabalho, informar sobre as técnicas de procura de emprego, fornecendo instrumentos relevantes para aquele processo, dar a conhecer os programas existentes no âmbito do empreendedorismo inclusivo, bem como alguns casos de sucesso.

SAM_0717 (2)

Como referem Borba e Lima (2011: 230-231) «A inclusão social através do trabalho gera maior envolvimento participativo do indivíduo na sociedade, visto que o emprego possibilita a capacidade de decisão, de escolhas relativamente à utilização dos recursos sociais e de pleno exercício da cidadania. Por outro lado, o desemprego, sobretudo de longa duração, causa danos psicossociais, tais como a perda de competência e autoestima (COM, 2003, p. 24; Silva, 2008, p. 5)»

De acordo com Benedita Aguiar, Diretora da Entidade Formadora Die Apfel, “o projeto pretende, a curto prazo, promover o empowerment, dinamizando os recursos individuais (ex: autoestima e autoconceito) e coletivos (ex: disponibilizar o acesso à informação). Pretende-se ainda despoletar as disposições de ativação para a construção da autonomia existência, social e económica. A médio prazo tem como objetivo promover o acesso ao mercado de trabalho (por via do desenvolvimento pessoal e social e da integração em percursos de dupla certificação). Pretende-se, também estimular uma maior estabilidade ao nível da gestão das redes de suporte social (ex: família ou instituições de suporte). A longo prazo pretende-se inserir e incluir social e profissionalmente os destinatários, promovendo a contribuição individual para o desenvolvimento económico, por via do trabalho justamente remunerado, quebrando desta forma o ciclo de pobreza e exclusão social”.

Foto die

A referida ação teve a  duração de 300 horas, tendo sido ministrada em período laboral (9h00-13h00 e das 14h00 às 17h00), em Braga. Esta iniciativa é financiada pelo POISE (Programa Operacional Inclusão Social e Emprego), pelo Programa Portugal 2020, União Europeia e Fundo Social Europeu.

SAM_0718

ESCOLAS DE BRAGA PASSAM A DISPOR DE MAIS ASSISTENTES OPERACIONAIS

Município de Braga contrata mais 19 assistentes operacionais para escolas do Concelho

Decorreu esta Sexta-feira, 27 de Julho, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Braga, a cerimónia de assinatura dos contratos de mais 19 assistentes operacionais que passam a integrar os vários Agrupamentos de Escolas do Concelho.

CMB27072018SERGIOFREITAS00000013849

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, estas novas contratações vêm colmatar as necessidades detectadas nos estabelecimentos de ensino. “Queremos ter as nossas escolas dotadas de recursos humanos dedicados, com capacidade de responder às exigências actuais, acompanhando as crianças e toda a comunidade educativa”, referiu o Autarca na cerimónia que contou também com a presença da Vereadora da Educação, Lídia Dias.

O Autarca salientou que a contratação destes novos colaboradores, que agora integram os quadros da Autarquia a título definitivo e que se juntam aos 14 recrutados na semana passada, “vêm ajudar a resolver um problema estrutural com que a Câmara Municipal se deparava”.

Na ocasião, Ricardo Rio reiterou ainda a intenção de “continuar a reforçar o quadro de assistentes operacionais à medida que as necessidades forem surgindo”.

CMB27072018SERGIOFREITAS00000013836

CMB27072018SERGIOFREITAS00000013845

FAMALICÃO APONTA O CAMINHO PARA A EDUCAÇÃO EM PORTUGAL

Vice-presidente do PSD, David Justino, esteve ontem em Famalicão na conferência “A Educação em Portugal – que perspetivas?”

O vice-presidente do Partido Social Democrata (PSD), David Justino, defendeu ontem em Vila Nova de Famalicão que a centralidade do processo educativo não pode estar só na promoção de competências e criticou as atuais politicas educativas que “estão a empurrar a Escola para que esta seja uma mera promotora de mão de obra e não um lugar formador de pessoas e cidadãos”.

DSC_5783

O ex-ministro da Educação e atual presidente do Conselho Estratégico Nacional do PSD participou esta quinta-feira, 7 de junho, na conferência "A Educação em Portugal – que perspetivas?”, promovida pelos Trabalhadores Social Democratas de Famalicão e que reuniu no auditório da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco vários membros da comunidade educativa do concelho. 

Numa noite em que se analisou a atual situação e os futuros caminhos da Educação em Portugal, ficou ainda clara a ideia de que, também nesta área, Vila Nova de Famalicão é um exemplo a seguir. 

Tanto o Presidente da Câmara Municipal e presidente da Comissão Política Concelhia do PSD, Paulo Cunha, como o vereador da Educação da autarquia, Leonel Rocha, realçaram o importante papel da Rede de Educação e Formação de Famalicão, considerada por ambos como “o grande motor do sucesso educativo do concelho” e a “estratégia mais acertada a seguir”. 

A descentralização de competências na área da Educação foi também um dos temas abordados. Leonel Rocha traçou um balanço “extremamente positivo” dos dois anos do programa “Aproximar Educação”, mas à semelhança do que fez já esta semana o deputado à Assembleia da República, Jorge Paulo Oliveira, não deixou de sugerir ao Governo uma maior monitorização e interligação com as autarquias neste processo.

Participaram ainda nesta sessão o coordenador do núcleo dos TSD de Famalicão, Daniel Antunes, o presidente do Secretariado Distrital de Braga dos TSD, Afonso Henrique Cardoso, e o secretário-geral dos TSD, Pedro Roque.

DSC_5820

ESCOLA DE FORJÃES É "AMIGA DA CRIANÇA"

EB de Forjães distinguida com o selo “Escola Amiga da Criança”

A Confederação Nacional das Associações de Pais, estrutura confederada das Associações de Pais e Encarregados de Educação e das suas estruturas federadas (CONFAP) e o Grupo Leya distinguiram a Escola Básica de Forjães com o selo “Escola Amiga da Criança”. Este galardão distingue estabelecimentos de ensino com ideias extraordinárias que concebem e concretizam, para melhorarem as suas condições de funcionamento, contribuindo para um desenvolvimento mais feliz da criança no espaço escolar.

Capturara

O selo Escola Amiga da Criança procura reconhecer e premiar ideias extraordinárias em seis categorias da Segurança, Espaços de recreio e convívio, Alimentação, higiene e ambiente, Formação cívica, Envolvimento da família e comunidade educativa, Projetos extracurriculares.

A EB de Forjães foi reconhecida com três projetos na categoria de Cidadania, “Uma cidadania ativa e reforço das aprendizagens “, “Meninos do Planeta da Luz” e “Sala de Snoezelen”.

Esta foi a primeira edição de um projeto que se propõe distinguir e premiar, anualmente, as escolas que conceberam e concretizaram ideias originais.

P_B (108 de 131)

ESPOSENDE REALIZA FÓRUM EDUCAÇÃO

Fórum deu contributo valioso à Educação e ao Património de Esposende

O Fórum da Educação, promovido pelo Município de Esposende, que encerrou no passado domingo, dia 3 de junho, revelou-se uma excelente plataforma de debate e projeção da Educação no município, tendo o Património como ponto de referência, no qual se alicerça toda a nossa cultura.

BH6A6867

“Procuramos reunir todos os agentes envolvidos no processo educativo municipal, chamando ao debate os principais responsáveis pela aplicação do programa educativo e colhendo contributos de especialistas em diversas áreas do saber, incorporando o tema do Património e da sua influência na Educação”, realça a vereadora com o pelouro da Educação, Angélica Cruz.

Neste Fórum foram alcançados excelentes resultados, no que diz respeito aos objetivos gerais definidos na base deste encontro. Desde logo, os princípios elencados pela Comissão Europeia, ao instituir 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural e que define as áreas da diversidade cultural, do diálogo intercultural e da coesão social como prioritárias.

BH6A6848

Ao longo dos diversos debates e conferências foi possível recolher contributos para aprofundar o âmbito do projeto estratégico que se preconiza para Esposende, como verdadeiro município educador, tendo sempre como referência a importância do Património na narrativa da História local e da sua importância na projeção do futuro, tal como enfatizado na conferência de abertura.

Os participantes foram convidados a refletir sobre o contributo do Património e da História para a construção e enriquecimento do currículo local, tendo sido abordadas as experiências e as oportunidades educadoras dirigidas a todos os cidadãos. Neste contexto, os Agrupamentos de Escolas António Correia de Oliveira e António Rodrigues Sampaio, bem como a Escola Secundária Henrique Medina e a Escola Profissional de Esposende apresentaram, em Painel, alguns dos projetos e vivências alicerçadas na importância da exploração e divulgação do património como fator diferenciador no processo de ensino de aprendizagem. Foi um evento de partilha frutuosa e inspiradora para todos, tendo sido realçado que, ao trabalhar o Património, estamos a cumprir “o dever de não esquecer” e a encontrar espaços de esperança. No mesmo Painel, o Município de Esposende apresentou alguns dos projetos mais relevantes, levados a cabo ao longo dos últimos anos por diversos Serviços e empresas municipais, assumindo o seu compromisso de aprofundar internamente o trabalho nesta área, bem como as parcerias com os diversos agentes educativos, culturais e sociais, ao abrigo do Plano Estratégico Educativo Municipal.

Muitos foram os estudantes de Esposende que procuraram informação sobre o Ensino Superior, Secundário e a Educação de Adultos, numa Mostra Educativa que esteve patente no Largo Rodrigues Sampaio. Estiveram representadas a Universidade do Minho, os Politécnicos do Porto, de Viana do Castelo e do Cávado e Ave, o ISAVE, o I. Universitário da Maia, a U. Católica (Porto e Braga), a CESPU – Ensino Superior, a Escola Secundária Henrique Medina, a Escola Profissional de Esposende e o Centro Qualifica Litoral Cávado. Ainda dedicado aos alunos, sobretudo do ensino secundário, o Fórum da Educação proporcionou uma tarde de contacto com profissionais de diversas áreas, com percursos inspiradores, que teve por objetivo motivar os alunos na prossecução de estudos e na procura incessante de oportunidades formativas e profissionais, com vista à sua realização e felicidade. A iniciativa contou com a co-organização da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária Henrique Medina.

Outro dos importantes patrimónios – o dos afetos – foi também discutido neste Fórum, com uma tertúlia que mobilizou muitos pais e professores e na qual se deu ênfase especial à importância das relações interpessoais na “musculação” dos afetos, constituindo estes um valioso “capital social” para o bem-estar de cada um. Também a Educação e Formação de Adultos teve o seu espaço nesta edição do Fórum da Educação, como um dos vetores importantes na senda de um posicionamento estratégico que enfatiza a educação ao longo da vida, visando, entre outros aspetos, atenuar a polarização e assimetria geracional e contribuindo, desta forma, para a melhoria das condições de vida e, por conseguinte, para uma maior satisfação pessoal. Neste contexto, em co-organização com o Centro Qualifica Litoral Cávado, realizou-se um Seminário que contou com alguns dos mais credenciados especialistas nesta área. A vereadora da Educação, Angélica Cruz, lançou um repto final, da criação de redes colaborativas com os parceiros locais, no sentido de uma efetiva territorialização das políticas educativas, de modo motivar e impulsionar os esposendenses a uma aposta na melhoria das suas qualificações.

Dedicado às crianças, no fim de semana de 2 e 3 de junho, a encerrar o Fórum da Educação, realizou-se a atividade “Patrimoniando”, no Parque Radical, onde, aliado a animação diversa, garantida por insufláveis, pinturas faciais e de balões, se proporcionaram atividade lúdicas e pedagógicas de exploração do património local. Desde construção de réplicas de casas castrejos, à Casa das Marinhas, passando pela exploração de diversos ofícios galaicos e pela dramatização da narrativa “Sebastião e Clarinha à Descoberta de Esposende”, foram várias as ofertas que garantiram um fim de semana rico de oportunidades para os mais novos. A atividade, que igualmente se inseriu nas Comemorações do Dia Mundial da Criança, foi complementada com a entrada gratuita nas piscinas municipais para crianças e jovens até aos 16 anos, com apoio da Esposende 2000.

Conforme vem sendo tradição, as atividades culturais também marcaram uma forte presença na edição de 2018 do Fórum da Educação. Neste sentido, foram realizados dois concertos: um dedicado às raízes culturais que unem Portugal a África, protagonizado pelo Coro de Pequenos Cantores de Esposende, e outro, dedicado às memórias marítimas das comunidades piscatórias de Esposende, num espetáculo de música e poesia, onde o palco foi partilhado pelo Coro Ars Vocalis e Agostinho Pinto Teixeira.

Com início durante o Fórum da Educação, e prolongando-se até ao final do presente ano letivo, o Município de Esposende está a promover ainda a itinerância de dois espetáculos pelas escolas do 1.º CEB e jardins de infância do concelho. “A Menina Serpente”, baseada na obra de Almada Negreiros, com encenação e dramatização da Companhia Teatro da Lua, é a proposta ao nível do teatro. Por seu turno, com produção da Escola de Música de Esposende, a “Viagem pelo Universo dos Instrumentos” é outro dos espetáculos itinerantes, desta feita com recurso à paleta dos sons.

Com um total de cerca de 25 oradores convidados e um universo de aproximadamente 3500 participantes envolvidos, o balanço do Fórum da Educação é francamente positivo, quer pela partilha de experiências, saberes, projetos e vivências, quer pela frutuosa parceria com as diversas escolas e instituições locais, desde a conceção, até à ampla participação dos diferentes agentes.

BH6A6858

CELORICO DE BASTO LEVA A CIÊNCIA ÀS ESCOLAS

Município de Celorico de Basto associa-se ao projeto “Clique – aqui tão perto, os nossos recursos, a nossa cultura, a nossa herança!”

O projeto Clique é um projeto da Escola Básica da Mota do Agrupamento de Escolas de Celorico de Basto tendo sido selecionado pelo júri regional da 15.ª Edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho "Ciência na Escola" (neste ano letivo 2017-2018), sendo apoiado no âmbito do protocolo entre a Fundação Ilídio Pinho e os Ministérios da Economia e da Educação.

Agrup Esc. Mota

“É nossa missão colaborar ativamente para o sucesso dos alunos das nossas escolas. Por isso, divulgamos o projeto “Clique – aqui tão perto, os nossos recursos, a nossa cultura, a nossa herança!”, um protejo que dará a conhecer as tradições, o património cultural e os recursos naturais das freguesias do concelho de Celorico de Basto afetas à área geográfica da Escola Básica da Mota. Será certamente mais uma ferramenta, muito útil e benéfica para dar a conhecer os nossos recursos sobretudo a quem nos visita e de perpetuar as nossas tradições, que são e serão sempre, uma marca fundamental da nossa identidade” disse Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto. “Importa também destacar que estes projetos que envolvem alunos e toda a comunidade são fundamentais para incrementar este espirito de cooperação e aprofundar os conhecimentos quer ao nível dos conhecimentos formativos quer da própria área geográfica onde se encontram inseridos” reforçou.

Este projeto foi inspirado no tema "A Ciência na Escola ao Serviço do Desenvolvimento e da Humanização" e como forma de celebração deste Ano Europeu do Património Cultural, alunos das Turmas do 3.º CEB e respetivos professores, criaram este projeto que visa o estudo, levantamento e disponibilização online de tradições e património cultural das freguesias do concelho afetas à área geográfica da Escola Básica da Mota.

Foi também, criado um Portal com georreferenciação e informação essencial sobre locais de interesse, dando também particular destaque ao Património e recursos naturais essenciais à economia local. Toda a informação relativa ao projeto clique está disponível nesta hiperligação cliqueebmotaagrcbt.wixsite.com/2018.

Os intervenientes desta iniciativa são os alunos e toda a população escolar da Escola Básica da Mota, bem como a comunidade, nomeadamente Pais e Encarregados de Educação, famílias e sociedade civil.

A coordenadora do Projeto CLIQUE, Ângela Lopes, reforçou que este projeto pretende ir de encontro a diversas metas do Projeto Educativo do Agrupamento que visam, entre outros itens, “capacitar os alunos para o exercício de uma cidadania crítica e responsável; fomentar a relação Escola-Instituições; melhorar a articulação curricular horizontal; intensificar o trabalho colaborativo; melhorar os processos de aprendizagem, estimulando a diversificação das práticas pedagógicas e a inovação; elevar o nível cultural dos alunos; incentivar os alunos a participar em projetos e a frequentar atividades e eventos; promover o sentimento de pertença ao Agrupamento e a vontade de cooperar; promover o bem-estar dos alunos e da comunidade educativa”.

DIRECTORA DA DIE APFEL, BENEDITA AGUIAR APOSTA NA FORMAÇÃO COM VISTA À INCLUSÃO SOCIAL

Projeto Formar para Valorizar aposta em formação sobre “Imagem, autoestima e autoconceito”  

O projeto Formar para Valorizar é um projeto promovido pela APIDI, com o apoio do POISE (Programa Operacional Inclusão Social e Emprego), do Programa Portugal 2020, União Europeia e Fundo Social Europeu.

Workshop

A iniciativa visa promover a dimensão pessoal e social dos destinatários, criando condições para a sua inclusão social, sendo que uma das ações centra-se sobre o tema “Imagem, Autoestima e Autoconceito (300 h)”.

A população alvo do Curso é constituída por pessoas altamente vulneráveis, desprovidas de competências pessoais e sociais e, por conseguinte, com severas dificuldades de inserção social e profissional. Dentro daquela população destacam-se DLD`s, beneficiários do RSI, pessoas com comportamentos aditivos. 

Os contextos desfavorecidos e excluídos apresentam uma tendência para a desvinculação às questões estruturantes da autoestima, autoconceito e imagem, tendendo a negligenciar a importância de alguns constructos no modo como todo o desenvolvimento biopsicossocial do ser humano ocorre. “As condições de vida pouco satisfatórias, a privação económica e a exclusão social propiciam a interiorização de modelos negativos sobre si e sobre os outros e, subsequentemente à adoção de condutas irresponsáveis e negligentes”, referiu Benedita Aguiar, diretora da entidade formadora Die Apfel.

Ao nível destes contextos são evidenciadas algumas lacunas ao nível da interiorização de modelos de limpeza, higienização e saúde que parecem resultar de uma ausência de conhecimento e de educação formal a este nível, sendo fundamental sensibilizar para a aquisição destes hábitos e desmistificar algumas crenças que condicionam a incorporação dos mesmos.

Ao longo da ação de formação serão desenvolvidas algumas dinâmicas, nomeadamente uma sessão de maquilhagem para apresentação em entrevista de emprego, uma sessão de consultoria de imagem, entre outras ações.

BRAGA: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALBERTO SAMPAIO SÃO ESCOLAS DE REFERÊNCIA DA UNIDADE DE APOIO AO ALTO RENDIMENTO

Escola Alberto Sampaio ganha Unidade de Apoio ao Alto Rendimento

O Município de Braga e o Agrupamento de Escolas Alberto Sampaio viram aprovada uma candidatura para integração deste agrupamento no lote de escolas de referência da Unidade de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE).

CMB30052018SERGIOFREITAS00000012850

Desta forma, a partir do próximo ano lectivo de 2018/2019, Braga terá um Agrupamento com uma Unidade de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE). Esta é uma estrutura técnico-pedagógica criada com o objectivo de permitir conciliar o sucesso escolar e o sucesso desportivo de alunos do Ensino Básico e Secundário que sejam atletas com estatuto de alto rendimento, que se enquadrem em selecções nacionais ou que evidenciem potencial talento desportivo.

O Agrupamento de Escolas designará um professor acompanhante que será responsável por facilitar a necessária articulação entre todos os parceiros desportivos e educativos. Na UAARE será implementada uma sala de estudo “Aprender +”que contribuirá para o processo de diversificação e diferenciação pedagógica, mobilizando apoios presenciais e à distância, com recurso a ambientes virtuais de aprendizagem.

Assim, no próximo dia 07 de Junho, pelas 18h30, na Escola Secundária Alberto Sampaio, será realizada uma reunião aberta aos alunos/atletas, encarregados de educação, treinadores, clubes e academias com o objectivo de apresentar o Projecto UAARE à Comunidade Educativa/Desportiva.