Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO DISPONIBILIZOU CENTENAS DE VAGAS EM CINCO ENTIDADES FORMADORAS

Formação profissional é via de sucesso para muitos jovens

Estão ainda a decorrer as candidaturas para os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) e Cursos de Especialização Tecnológica (CET) para o ano letivo 2020/2021. As entidades formadoras de Vila Nova de Famalicão disponibilizam 625 vagas distribuídas por 19 cursos CTeSP e 6 cursos CET, com início da formação no mês de setembro, quer em regime laboral, quer pós-laboral. As inscrições devem ser efetuadas junto de cada uma das entidades formadoras ou então através do Centro Qualifica de Famalicão http://www.famalicaoeducativo.pt/_centro_qualifica_apresentacao

Todo este volume de formação disponibilizado em território famalicense será ministrado pelas entidades: Citeve – Centro Tecnológico Das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (www.citeve.pt); Cenfim – Centro De Formação Profissional de Indústria Metalúrgica e Metalomecânica (www.cenfim.pt); Cespu (www.cespu.pt); Instituto Politécnico do Cávado e Ave – Polo de Vila Nova de Famalicão (www.ipca.pt); e Instituto Politécnico de Bragança – Polo de Vila Nova de Famalicão (www.ipb.pt).

Para mais informações, basta consultar no Portal da Educação (www.famalicaoeducativo.pt) o booklet com esta oferta formativa https://issuu.com/municipiodefamalicao/docs/livro_cursos_ctesp_cet2020_v0505_c

profissionalfamali.jpg

O que são Cursos Técnicos Superiores Profissionais?

Os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) são formações de ensino superior.

Gerontologia, Bem-Estar e Termalismo, Manutenção e Controlo de Equipamentos Biomédicos, Bioanálise e Controlo, Secretariado Clínico, Estética, Cosmética e Bem-Estar, Tecnologia Alimentar, Gestão Ambiental, Design de Moda, Eletrónica, Automação e Comando, Energia, Telecomunicações e Domótica, Sistemas Eletrónicos e Computadores, Apoio à Gestão, Exportação e Logística, Comércio Eletrónico, Desenvolvimento Web e Multimédia, Gestão financeira e contabilística, Manutenção industrial e Redes e segurança informática  são os CTeSP oferecidos pela Cespu, IPB e IPCA.

As condições de ingresso obrigam os candidatos a serem titulares de um curso secundário ou de habilitação legalmente equivalente; que tenha sido aprovado nas provas especialmente adequadas para maiores de 23 anos; titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de técnico superior profissional; titulares de um grau de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.

A duração do CTeSP tem 120 créditos e a duração de quatro semestres (2 anos), sendo o último em contexto de trabalho. A frequência destes cursos tem associado o pagamento de uma propina, ainda que os formandos se possam candidatar a uma bolsa de ação social.

O que são os Cursos de Especialização Tecnológica?

Os Cursos de Especialização Tecnológica (CET) são formações pós-secundárias não superiores que visam conferir uma qualificação profissional de nível 5 do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ).

Gestão da Produção para a Indústria metalúrgica e metalomecânica, Tecnologia Mecânica, Tecnologia Mecatrónica, Industrialização de produto moda, Comércio Moda e Processos de Coloração e Acabamentos Têxteis são os Cursos de Especialização Tecnológica oferecidos pelo Cenfim e pelo Citeve.

Para terem acesso aos CET, os candidatos têm de cumprir com as seguintes condições: serem titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente; serem estudantes que tenham obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10º e 11.º e tendo estado inscritos no 12º ano, de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente, não o tenham concluído; serem titulares de uma qualificação profissional de nível 4; serem titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.

Os estudantes que não sejam titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente têm de realizar, caso sejam selecionados, um plano de formação adicional.

Os CET têm a duração aproximada de um ano e meio (18 meses) a que corresponde entre 60 e 90 unidades de crédito. A frequência destes cursos é gratuita e tem direito a bolsa de formação e transporte.

ESTUDANTES DO ISAVE FORAM AO SANTUÁRIO DO SAMEIRO PARA A BÊNÇÃO DAS FARDAS DE ENFERMAGEM

ISAVE: fé, alegria e lágrimas na bênção de fardas no Sameiro

À alegria da bênção das fardas de enfermagem — num ato de fé — seguiram-se as lágrimas da saudade e despedida do ISAVE — Instituto Superior de Saúde — este sábado, dia 1 de agosto, na Cripta do Santuário do Sameiro.

IMG_2833.JPG

Numa Eucaristia presidida pelo padre carmelita Manuel Freitas e animada pela Tuna do ISAVE, professores, finalistas e familiares celebraram a Bênção das Fardas de Enfermagem, cumprindo todas as regras impostas pela DGS.

Na mensagem final, o padre Manuel Freitas agradeceu a presença de “todos os que acompanharam as finalistas, pais, familiares, professores, colegas” e lembrou que “o percurso não é fácil nem em linha reta e exige muita persistência, dedicação e cuidados de saúde com qualidade, segurança e dignidade”.

Além da Presidente do ISAVE, Prof. Mafalda Duarte, estiveram presentes vários professores, tendo a Diretora do Curso, Lígia Monterroso saudado as finalistas num dia em que “as emoções são muitas e o sentimento de ganho e de perda é misto, na dualidade de deixar o caminho do ensino e iniciar o caminho da vida profissional”.

Em nome de todos os professores, Lígia Monterroso disse sentir “um misto de dever cumprido na vossa formação, mas ao mesmo tempo saudade de vos ver partir”.

Quanto ao futuro, a Diretora do Curso de Enfermagem lembrou que, após quatro anos de estudo, “vestir uma farda branca é dar-se num todo àqueles que sofrem em leitos tenebrosos de dor ou aqueles que anseiam pelas palavras ou o afago de uma mão”.

Lígia Monterroso desafiou os seus “novos colegas” a serem “enfermeiros sedentos de conhecimento, de humanismo e responsabilidade” porque “a humanidade, o carinho são fundamentais para a enfermagem evoluir sempre” até porque “a enfermagem precisa de sorrisos e muita garra, sim, essa que faz o barco andar na água que não volta a passar”.

A concluir a sua mensagem, a Diretora da Licenciatura lembrou que “a persistência é uma das caraterísticas do enfermeiro independentemente das batalhas que temos de travar” uma vez que a “capacidade de organização e liderança ditam o caminho, sendo que a determinação e o questionamento não nos podem deixar indiferentes”.

“Sejam ouvintes de histórias, sejam anjos da guarda, sejam sabedoria, sejam o auge da esperança nunca perdida com os conhecimentos que vos transmitimos, tentem ser os melhores a aplicar os quatro saberes (saber/saber, saber/ser, saber/estar sem nunca esquecer o caminho do saber/evoluir)” — concluiu Lígia Monterroso.

Andreia Castro proferiu a primeira Leitura, seguindo-se Carolina Martins que entoou o salmo e, na homilia, o padre Manuel Freitas desafiou os finalistas: “atrevei-vos a ser enfermeiros, a buscar outros sonhos, a dar testemunho da generosidade, da luta pela justiça com amor aos pobres”.

“Concorrei em tudo para o bem de todos, a começar pelos que estão ao nosso lado, com especial atenção aos que não têm cunhas ou influências para se safarem” — conclui o sacerdote carmelita,

Tiago Cação explicou o significado da entrega dos símbolos do curso no Ofertório — a lamparina, a capa de estudante, um livro, a farda, o pão e vinho colocados sobre o altar — e Cristiana Antunes recitou a Oração dos Fiéis, seguindo-se a bênção das fardas pelo presidente da Eucaristia, após a declamação do Juramento de Enfermeira/o.

Após a saudação final, em nome dos finalistas, proferida por Isilda Oliveira que agradeceu aos pais, professores, irmãos, avós e namorados o apoio e dedicação que nunca faltaram ao longo do curso, com algumas em lágrimas, as finalistas receberam das mãos de Mafalda Duarte e de Lígia Monterroso um emblema do ISAVE.

A terminar, o Padre Manuel Freitas instou os enfermeiros a terem “um sorriso, um consolo, algo vosso, mesmo que a cura não chegue aos vossos pacientes”, benzendo depois as fardas das novas enfermeiras.

O sacerdote despediu-se com esta advertência: “não ides conseguir tudo, mas dai um bocadinho de vós a cada pessoa que precise da vossa técnica e conhecimento”.

IMG_2757.JPG

MECATRÓNICA AUTOMÓVEL NA EPAVT MOSTRA QU ENINGUÉM FICOU PARA TRÁS

As Provas de Aptidão Profissional (PAP's) do Curso Técnico de Mecatrónica Automóvel da Escola protagonizadas hoje, dia 31 de julho, por 18 finalistas, foram a prova de que “ninguém fica para trás na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), com empregabilidade quase total ou prosseguimento de estudos superiores.

IMG_2712 (Large).jpg

Esta foi a convicção manifestada pelo Diretor do Curso, no final das PAP's, mostrando-se “surpreendido com o elevado nível de alguns alunos com Necessidades Educativas Especiais. Eu não esperava tanto deles mas eles superaram-se. Sou um professor muito feliz ao olhar para o trajeto que eles percorreram ao longo destes três anos”.

Os 18 finalistas prestaram provas práticas perante um júri constituído por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), Adelino Costa (Diretor do Curso), Anabela Silva (Diretora de Turma), Clara Sousa (Professora corretora) e Paulo Amorim (Sindicato dos Trabalhadores Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades Ambientais do Norte —SITE Norte).

A Aplicação de Sistemas de Ignição numa viatura foi desenvolvida por Adelino Cunha, Roberto Freitas, Ricardo Vieira e Carlos Sousa enquanto uma tripla de Tiagos (Barreiras, Oliveira e Rocha) construiu uma Bancada Didática de simulação de sinais elétricos de uma unidade de gestão de um motor, uma área nova na mecânica automóvel, nascida em 1978.

A elaboração de uma Unidade de Comando Elétrico para um BMW 323i foi a “prenda” que Bruno Meireles, Domingos Caridade e Gonçalo Palmeira trouxeram para a sala enquanto Miguel Igreja, Miguel Rego, José Pereira e José Sousa se ocuparam com um Sistema de travagem de um BMW 323i.

Uma Injeção a gasolina com alimentação multiponto foi o tema desenvolvido por Alberto Xavier e António Rodrigues, seguindo-se a apresentação de um Sistema de sobrealimentação — aplicação de um turbo num motor atmosférico — foi estruturado por Ângelo Teixeira, Rui Silva e Nélson Gomes.

No final da prova, o Diretor do Curso desafiou os seus finalistas a continuarem a ser curiosos, a querer fazer, a tomar a iniciativa porque este curso “é a base. Se querem evoluir, atualizem-se porque esta área está em evolução rápida. Não vos deixeis ficar para trás, mas tomai a iniciativa”.

EPATV: BONS SABORES E DOÇURAS EM PROVAS DE COZINHA E PASTELARIA

Os sabores da cozinha e as doçuras da pastelaria de vários continentes “ecoaram” ontem, dia 27 de julho, com a arte que a Covid permitiu, na prova de aptidão profissional (PAP) realizadas por 19 finalistas da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), em Vila Verde.

IMG_2629 (Large).jpg

Ao longo da manhã e da tarde, o Júri — constituído por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), Rodolfo Melendrez Rodriguez (Director do Curo de Restauração Cozinha e Pastelaria), o prof. Feliciano Silva, a prof. Márcia Pitães (Diretora de Turma) e Vítor Sousa (proprietário do restaurante Alma d'Eça) — pôde certificar a aprendizagem durante três anos de 19 alunos que concluíram o 12.º ano e levam o bónus de um curso profissional muito procurado. Todos eles estão empregados, dois vão prosseguir estudos superiores e dois mudam de área profissional por razões familiares.

No entanto, na retina dos jurados ficou a prova de Marta de Jesus, uma jovem de Cabanelas, que estagiou na Churrasqueira de Caldelas e aí vai continuar a trabalhar, com uma lição de cátedra sobre a história, a cultura e a gastronomia do povo cigano, em teoria e em prática de confeção dos diversos pratos, o que não menoriza a qualidade das outras provas.

Ana Vilela foi a primeira a apresentar a sua prova sobre peixes magros, com um prato de garoupa, peixe de águas profundas, menos rico em calorias e vitaminas, que chega a atingir um metro de comprimento e 50 quilogramas de peso, mas possui elevado valor nutritivo, em minerais, ferro e vitaminas.

Ana Vilela — que trabalha no restaurante do pai na Apúlia, — descreveu este peixe que é fêmea na juventude e macho a partir dos seis anos, com 160 espécies, chega a ter a longevidade dos dez anos e produz um milhão de ovos dos quais apenas cem mil escapam dos predadores.

Em contraponto, Daniela Cunha trouxe para a mesa um exemplo de peixes gordos, como é o carapau, em filetes, um peixe combatente das doenças cardiovasculares e da diabetes. No seu caso, estava acompanhado de uma salada de pimentos ornamentados com tomilho, alecrim, limão, coentros, manjericão e vinho tinto.

Andreia Neves surpreendeu — e com classe – com várias iguarias da pastelaria angolana que já testou no seu estágio na Torre de Gomariz, em Cervães, como um creme de abacate, um bolo de mandioca, um diungo de banana, bolinhos de baunilha e um bolo de chocolate.

Após o estágio no Restaurante Martinho, no Alívio, António Oliveira preferiu entusiasmar os jurados com a cozinha francesa, oferecendo como proposta um Paupiuttes de linguado com camarão, explicando tim-tim-por-tim-tim como se confeciona.

Joana Ramôa escolheu a pastelaria francesa e teve como ajudante o pai — chapeiro — para lhe fazer uns tubos de metal, para apresentar o seu Soufflé, uma criação de Vincent Chapelle popularizada por Marie Antoine Carême. E o seu futuro?  “Gostava de ir para a Marinha” — respondeu.

As sobremesas francesas foram escolhidas pelo terra-bourense Jorge Araújo que aposta num prato com chocolate ornado com frutos que possam convencer os seus futuros empregadores em Braga.

Jorge Correia escolheu o coelho como tema central da sua PAP, com vários exemplos de marinada para esta carne saudável, mas esquecida dos restaurantes portugueses. Domesticado pelos romanos, que aproveitavam a pele para vestuário, foi na idade média que os monges os colocaram em gaiolas e desenvolveram a sua produção de modo a ser mais acessível às cozinhas, devido aos seus ácidos gordos e valor nutricional preventivo de doenças cardiovasculares. Os cortes, as formas de o cozinhar foram explanadas por este estagiário do Restaurante Alma d'Eça, um homem de fibra que faz depender o seu futuro dos horários que permitam acompanhar a avó que o criou desde tenra idade e vive só. 

Os cozinheiros sabem que a calma é a trave mestra de um bom profissional porque o “lume máximo e o relógio são os nossos maiores inimigos” e esta regra foi testemunhada por Leandro Mendonça que sugeriu um exemplar da gastronomia inglesa: Beef Wellington. É um prato “muito ingrato na combinação do tempo com a temperatura do forno” — lembrou o prof. Feliciano Silva.

A cozinha do mar — um mundo com 67 mil espécies só de mariscos — foi trazida por Lucas Domingues, ensinando que devem ser comprados vivos, para se centrar na elaboração de uma receita com carabineiro, um crustáceo com 30 centímetros de tamanho que custa 50 euros por quilograma e existe sobretudo em Portugal, Marrocos e Cabo Verde. A receita pede o acompanhamento de cenoura bebé, milho, ervilhas. Tomates cherry (cereja) e tinta de choco. Este jovem pretende seguir os estudos superiores e trabalhar, se for possível.

Márcia Reis centrou a sua PAP nos moluscos, escolhendo uma receita de vieira com puré de abóbora e massa folhada Vol-au-vent. Esta foi a oportunidade para falar aos jurados do maior filo com maior diversidade de espécies divididas em quatro grupos, entre eles, os bivalves e os cefalópodes (polvo, lula, navalhas, chocos, berbigão) enquanto dos primeiros temos o mexilhão, a amêijoa e a conquilha.

A gastronomia minhota inspirou Miguel Mota acompanhado de uma carne de vinha d'alhos e um coelho à caçador, ao passo que Patrícia Dias foi mais além, na Madeira, para falar da doçaria madeirense e apresentar um pudim de maracujá, um bolo de mel, uma broa de mel, queijada à Madeira, sem esquecer uma Poncha. A sua prova consistiu num Bolo de caco, com batata doce, farinha e trigo, água e sal, antecedida de uma espetada madeirense, acompanhada de milho frito.

Paulo Cunha, “filho de peixe”, quer inovar a cozinha do restaurante do pai, mas deixou algumas dúvidas aos jurados com a sua proposta de vitela assada no forno, com carne da pá, o mesmo sucedendo com Pedro Lopes que sugeriu uma “punheta de bacalhau” mas se esqueceu que “ela tem de ser feita à mão” e não com uma faca para cortar o bacalhau em lâminas.

Rafael Vidigal foi o embaixador da “American Pastry” com uma aposta difícil que coroava com uma Magic Chocolate Ball, a partir desse produto descoberto pelo Olmecas, no México, e depois diversificado pelos Maias e Aztecas, como uma bebida sagrada. A “neve doce” da árabe (Sberbeth) trazida para a Europa foi incluída na sua proposta que os jurados consideraram muito arriscada devido à sua complexidade.

Ricardo Vinagre foi fiel às suas origens e trouxe um prato à base da sua Feijoca de Manteigas, nos contrafortes da Serra da Estrela, onde se produzem também excelentes licores, queijos de leite da Bordaleira, morcelas, calda de castanhas e a feijoca com carnes de porto.

Soraia Pires virou a sua bússola para Itália, escolhendo uma sobremesa de Semifrio (Semifreddo), deixando um sabor doce e fresco na sala, a culminar uma fase difícil devido às limitações da Covid para a apresentação das provas práticas.

CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NA EPATV SÃO A CHAVE DO FUTURO

Curso de Restaurante/Bar da EPATV dá “a chave que abre qualquer porta”

O Diretor da Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT) afirmou hoje, dia 24 de julho aos 16 jovens finalistas do Curso de Restaurante/Bar da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV): “os conhecimentos que adquirem nesta escola são a chave que vos abre qualquer porta no futuro”.

IMG_2555 (Large).jpg

Camilo Sousa falava durante a Prova de Aptidão Profissional (PAP) de Joana Teixeira e Liliana Vieira sobre a Doçaria portuguesa coroada com a demonstração perfeita da confeção de um Pudim Abade de Priscos.

O Diretor responsável pelas Escolas de Hotelaria, Restauração e Turismo de todo o Norte do País, da APHORT, destacou que o ensino profissional nesta área tem uma quota parte importante no sucesso do Turismo enquanto fonte de riqueza de Portugal, pela qualidade dos seus profissionais neste sector económico.

As duas jovens viajaram até Beja, onde. no Convento da Esperança, no séc. XV, terá nascido a primeira receita de doçaria portuguesa e regressaram a Priscos para Falar do Pudim do Abade, após etapas em Fão para saborear as Clarinhas e no Toucinho do Céu transmontano. Destacaram a higiene e segurança neste trabalho (corporal, roupa, cabelos, unhas e sem jóias) para que possa ser assegurada a “sua singularidade na gastronomia e na cultura pela sua imensa variedade”.

“Foram audazes. O tema é muito... doce e estas receitas fazem a diferença de Portugal com outros países” — disse Camilo Sousa antes de ouvir a Joana — já destacada com um quarto lugar no WorldSkills, campeonato das profissões, em Setúbal — afirmar que vai seguir estudos em turismo ou gestão hoteleira enquanto a Liliana vai ser mãe.

Além de Camilo Sousa, o Júri integrava Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), Olga Martins (Diretora do Curso), Daniela Matos (Diretora de Turma), o prof. José Antunes, o prof. António Igreja e os alunos, apesar das limitações da Covid 19, surpreenderam os jurados com vídeos que mostraram o seu trabalho prático e com a qualidade com que desenvolveram os temas.

Olga Martins elogiou esta turma pelo “envolvimento dos seus alunos no projeto Eco-Escolas, pela divulgação dos produtos locais, pela promoção de alimentação saudável e pela motivação que presidiu à elaboração das suas PAP's”.

A manhã abriu com uma proposta de Juliana Coelho e Tiago Braga de divulgação dos produtos locais da CIM (Comunidade Intermunicipal) do Cávado no âmbito do programa KM0 que dinamiza a economia local, poupa energia, preserva variedades locais e artesanais mas amigas do ambiente que geram mais emprego e combatem o despovoamento rural.

Além disso, preservam a cultura e tradições ancestrais que alicerçam a nossa identidade regional e nacional, contribuem para reduzir a pegada ecológica, evitando sacos de plástico, mudando a alimentação, diminuindo o consumo de água e valorizando os produtores da nossa terra.

A prova terminou com pequenas reportagens e entrevistas com responsáveis de empresas locais, como a QueijArte, PintoBar, Meatrading, Groselha Espim, Terras de Amares, Quinta Villa Beatriz, Casa da Tapada e Frutas Douro ao Minho.

Sara Luísa Gonçalves dissertou sobre as dietas alimentares, como a Climatarian (com base em produtos da época, menos carne, mais dieta mediterrânica, menos transportes longínquos de bens, menos plástico e menos consumo de água. Apresentou também outras dietas como a Low Carb, a Ravenna, Dukan Detox, vegetarianismo, Veganismo, Omnívora, paleolítica para concluir pela necessidade de reeducação alimentar. Terminou a participação com a produção de um gelado sem açúcares e gorduras.

As cervejas artesanais foram o tema escolhido por Diogo Machado e Rafael Silva que viajaram desde os 4000 anos antes de Cristo, na Mesopotâmia, até ao nosso tempo, descrevendo as formas de produzir cerveja industrial e artesanal, esta “melhor, com mais malte, aroma mais intenso e mais cara”. A PAP traduziu-se num canapé de frutos e numa cerveja Letra A, fabricada em Vila Verde.

Outra bebida muito apreciada nos nossos dias é o Gin — nascido na Holanda para curar doenças renais e implantado na Inglaterra no séc. XVII para se tornar a bebida mais consumida no século seguinte — trazido à sala por Luís Miguel Fernandes e Dinis Vieira. Feito a partir do zimbro, cereais e especiarias, os finalistas descreveram os vários tipos de Gin, sem esquecer o Gin Gina, de Braga, ou o Sharish, de Monsaraz. A PAP traduziu-se na confeção de dois Gin's tónicos com cocktails de frutos vermelhos à base de Gin.

Ricardo Castro apresentou as regiões demarcadas de vinhos, castas e características, as cinco etapas para servir vinho num bar ou restaurante que devem ter em conta a temperatura, abertura da garrafa, escolha do copo, quantidade de vinho e servir sem sujar a toalha. A PAP culminou com a abertura de uma garrafa com tenaz.

A descrição do passo a passo para abrir um restaurante foi o tema de José Antunes e Filipe Cunha que abordaram ainda os jardins de plantas aromáticas, a gestão de desperdícios, o serviço num restaurante em tempo de pandemia, com cumprimento de todas as regras da DGS, um tema pertinente.

A visita a produtores de vinhos verdes foi a aventura de Daniel Santos e Rafael Oliveira: levaram o júri até 1908, data da criação da maior Região Demarcada de Vinhos em Portugal, com nove sub-regiões.

Os dois finalistas visitaram e filmaram a Quinta de Amares, a Terras de Amares e a Quinta de Tamariz, antes de apresentarem um cocktail de vinho verde, numa bela tentativa de promoção das nossas riquezas.

Por fim, vieram os espumantes por Carlos Araújo e Marco Rodrigues que colocaram as mãos no vinho com gás carbónico, na segunda fermentação, e brindaram os jurados com dois serviços de champanhe através de sangrias com vinhos branco e tinto. A manhã terminou com um lamento do Prof José Antunes: “Já o disse e repito hoje. É uma pena que o Marco não queira continuar a estudar. Tens todas as qualidades para prosseguir”. O aluno não fechou a porta, após este apelo já feito há dois anos pelo mestre.

IMG_2575 (Large).jpg

ECO-EMENTA E ECO-COZINHEIROS DA EPATV RECEBEM MENÇÃO HONROSA

A Escola Profissional Amar Terra Verde está de parabéns com o prémio no projeto “Alimentação Saudável e Sustentável” - Menção Honrosa no escalão profissional das Eco-Ementas e Eco-Cozinheiros. Apesar das adversidades, foi mantido o empenho e qualidade no trabalho desenvolvido!

5-Execução ementa (1).jpg

Pelo 5º ano consecutivo, o Programa Eco-Escolas, continua a desafiar as Eco-Escolas a trabalharem o tema da Alimentação Saudável e Sustentável. Neste ano letivo, 702 escolas aceitaram o desafio e realizaram 762 trabalhos, participando nas diferentes atividades propostas, que visaram motivar a investigação sobre os alimentos que consumimos e os nossos hábitos alimentares e incentivar à divulgação de atitudes saudáveis e sustentáveis que pudessem vir a fazer diferença na alimentação quotidiana das crianças e dos jovens, não só em contexto escolar, mas também em casa.​

A 6 de março realizou-se uma única Prova ao vivo Eco-Cozinheiros. Devido à situação de Pandemia não foi possível realizar as restantes 3 provas. Por isso, as Eco-Ementas acabaram por ser avaliadas com base nas evidências enviadas – fotografias, vídeos, análise nutricional.

EPATV: MULTIMÉDIA NO LIMIAR DA EXCELÊNCIA

Várias Provas de Aptidão Profissional (PAPs) dos 19 finalistas do Curso Técnico de Multimedia da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV) apresentadas hoje, dia 21de julho, atingiram o patamar da excelência, a julgar pelos comentários do júri, em particular pelo Diretor de Curso e pelo representante da empresa Brands Bussiness Influence, apesar das dificuldades geradas pela pandemia que se abateu na fase da sua conclusão.

IMG_2473 (Large).jpg

Dezanove finalistas foram avaliados por um júri constituído por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), António Cunha (Diretor de Curso), Manuel Antunes (Brands Business and Influence)  e pelos docentes, Ricardo Cabral, Marco Alves e Palmira Moreira.​

Manuel Antunes destacou a qualidade de “algumas Provas que mostraram o empenho e a qualidade do ensino que devem merecer felicitações de Vila Verde a Esta escola”. Por sua vez, António Cunha, Diretor do Curso, sublinhou que, apesar das limitações causadas pela pandemia, numa fase em que as PAP's estavam em fase de desenvolvimento, “vários trabalhos atingiram o nível de excelência e deixam muito satisfeitos os professores e os alunos”.​

A manhã de hoje foi enriquecida com propostas de um quiosque interativo de alimentação saudável — apresentado por Carina Cunha, Luís Vinhas e Rodrigo Ribeiro — intitulado Be Healthy, com base na roda dos alimentos ou de um website sobre o complexo Lazer Vila verde, construído por Filipe Marques e Norival Almeida, enriquecido com um vídeo promocional.​

EPATVnews foi a proposta de Rui Araújo, Jorge Oliveira e João Carvalho — um site informativo sobre os espaços interiores e exteriores, notícias, atividades e vídeos sobre a Escola onde estudaram nos últimos três anos.​

André Martins e Nuno Cunha  lançaram os alicerces de um site sobre a Casa Vale da Fonte para dar a conhecer um pouco da riqueza paisagística do Gerês e vídeo sobre uma casa rural de Carvalheira, ao passo que Márcio Rodrigues, Bruno Peixoto e Duarte Fernandes ofereceram à cantina da EPATV uma ementa interativa com as ementas diárias, semanais e descrição dos pratos disponíveis que mereceu elogios rasgados da diretora pedagógica, Sandra Monteiro.​

Um site institucional sobre a “Soulfly artlovers” — de Barcelos — foi criado por Ana Rodrigues, Mónica Carvalho e Pedro Duarte que enriqueceram a proposta com vídeos e páginas de redes sociais sobre esta empresa de tatuagens de Barcelos. Apesar das das dificuldades geradas pela Covid, foi um “trabalho bem conseguido”. Momento alto da manhã foi a apresentação de um catálogo digital (pdf) sobre as Dulcineias criadas no atelier bracarense Viana Cabral (solidário com a CERCI Braga através da Senhora do Leite), um trabalho assinado por Ana Malheiro, Alexandra Fernandes e Catarina Ferreira. As três finalistas acrescentaram ainda dois vídeos sobre Vivian Viana e Ricardo, e as Dulcineias, peças criadas a quatro mãos e dois corações. ​

As primeiras peças em pasta de papel, foram feitas manualmente, no ano em que eram celebrados os 400 anos da primeira edição do Quixote de La Mancha, inspirando o nome: Dulcineias. ​

A diversidade das Provas de Aptidão Profissional apresentadas, mostraram à evidência as aprendizagens e competências que os alunos adquiriram ao longo do curso em áreas tão diversas como a fotografia, o vídeo, o áudio, a modelação 3D, a animação, o design gráfico e a produção e programação de conteúdos web e aplicações móveis.

GERIATRIA NA EPATV: UM DIA EM QUE A IDADE É VALORIZADA

No 17 de julho, o curso Técnico de Geriatria da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV) apresentou a Prova de Aptidão Profissional. A turma composta por 18 finalistas apresentou as provas perante um júri composto por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), Catarina Martins (diretora de curso), Sónia Vilas Boas (diretora de turma), Raquel Bacelar (diretora técnica do Lar Salvador, Barbudo) e Sandra Guedes( professora de inglês).

IMG_2387.jpg

A empregabilidade quase total ou a escolha pelo ensino superior justifica a opção dos 18 finalistas por este curso de Geriatria da EPATV

Raquel Bacelar, Diretora Técnica do Lar S. Salvador de Barbudo, invocando a sua experiência profissional, partilhou que muitos cuidadores são responsáveis por atos de negligência e violência sobre idosos em Centros de Dia, Apoio Domiciliário e Lares de Idosos, concluindo: “somos sempre responsáveis quando permitimos violência e negligência sobre idosos” e alertou as alunas para o facto de estarem alerta e não permitirem que tal aconteça.

Os temas foram de uma amplicidade científica abordando diversas áreas de saber cuidar.

A manhã abriu com a “importância da saúde oral no idoso” destacada por Ana Gomes e Sílvia Rio, enquanto Andreia Mesquita e Catarina Monteiro se debruçaram sobre os “Problemas de ética na Eutanásia”, um tema atual em debate na Assembleia da República.

O envelhecimento ativo foi apresentado por Bruna Ribeiro, Martinha Braga e Patrícia Barbosa, com destaque para as atividades físicas, alimentação saudável, pensamento positivo e a adoção de estilos de vida não saudáveis.

As alunas Bruna Sampaio e Cátia Gonçalves valorizam o conhecimento da importância dos primeiros socorros, abordando os temas paragem cardiorrespiratória, desmaios, engasgamento, hemorragia nasal, insolação e crise asmática. A manhã continuou com a apresentação da importância da musicoterapia na vida dos idosos por Diana Pires e Jéssica Alves

Esta terapia tão pouco conhecida, promove a autoestima, dá maior segurança, ameniza a dor, diminui o stresse, estimula o cérebro, dá maior rendimento físico, previne a depressão a baixo custo económico para a instituição.

O AVC isquémico na terceira idade foi a temática escolhida por Isabel Antunes e Viktoriya Kasyan cujos sinais e sintomas possíveis são a cegueira, incontinência, desvio da comissura labial, parésia de um dos membros, entre outros.

Carolina Pimenta e Lara Rodrigues descreveram os benefícios da utilização junto da comunidade idosa da terapia com animais

Leandra Oliveira e Tatiana Castro apresentaram a emergência dos nossos dias da promoção do convívio intergeracional no sentido de promover o bem-estar e a qualidade de vida do nosso idoso uma vez que permite a comunicação, a partilha de sentimentos e de ideias valorizando a experiência dos idosos e combatendo o isolamento social.

Daniela Brito encerrou as PAP'S com um alerta vigoroso contra a negligência e violência na terceira idade, uma prática que vem desde a antiguidade. Trata-se de um crime público com contornos sexuais, financeiros, físicos, verbais, negligentes e de abandono que se traduz em violência emocional e física, gera medo e vergonha e impede a sua denúncia

As alunas cumpriram com sucesso todas as expectativas traçadas, levando para a vida futura.

IMG_2407 (1).jpg

IMG_2399 (1).jpg

EPATV: PADARIA E PASTELARIA CELEBRAM DOÇURA E CRIATIVIDADE

As Provas de Aptidão profissional (PAPs) do Curso de Padaria e Pastelaria, realizadas hoje, dia 16 de julho, na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV) entoaram um hino à criatividade dos seus catorze finalistas com demonstrações práticas que celebraram a doçura dos ingredientes naturais.

IMG_2325 (Large).jpg

Com uma empregabilidade quase total, apesar dos efeitos nefastos da pandemia da COVID neste sector, existe entre os 14 finalistas quem se agigante em voos mais altos, como o ensino superior na área do Teatro, como é o caso do João Araújo, filho de pasteleiros na Póvoa de Lanhoso, ou o Jorge Macedo, de Terras de Bouro.

Com um júri constituído por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), Nuno Araújo, (diretor do curso), Helena Sousa (diretora de turma), Sérgio Lopes (Padaria Pão d'Oiro) e Miguel Lopes (professor), a vilaverdense Alice Silva foi a primeira a mostrar tudo o que aprendeu nos últimos três anos, com uma sobremesa inglesa, um Crumble de Baunilha.

IMG_2326 (Large).jpg

IMG_2349 (Large).jpg

EPATV: JOVENS ASSISTENTES ADMINISTRATIVOS BRILHAM EM DEFESA DE PAF

O ano de 2019/2020 ficará marcado pela presença de algo que colocou o ser humano à prova e ao confinamento. Sim! Mas não derrubou objetivos e metas a alcançar e é com muito orgulho que hoje, dia 16 de julho, assistimos à Prova de Avaliação Final dos alunos do curso de educação e formação Assistente Administrativo – 9º ano.

IMG_2334.jpg

Final de um ciclo, final de uma etapa na vida de jovens que se empenharam e se dedicaram ao seu percurso de ensino/aprendizagem. Um momento solene que mereceu o rigor no uso da farda bem como adequação de uma postura irrepreensível por parte dos discentes. Assim e perante os olhos de um júri atento e surpreendido com o trabalho demonstrado nos exercícios práticos, avaliou-se positivamente todos os participantes. A CESMINHO (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços do Minho) enalteceu a coragem dos alunos por abraçar a área administrativa e pelo apoio do corpo docente demonstrado aos alunos.

IMG_2345.jpg

IMG_2328.jpg

IMG_2329.jpg

IMG_2331.jpg

ESCOLA PROFISSIONAL AMAR TERRA VERDE FELICITA AS 18 FINALISTAS DO CURSO PROFISSIONAL DE ESTETICISTAS

PAPs: Esteticistas da EPATV são “encantadoras e exemplares”

“Sois umas jovens encantadoras e umas alunas exemplares” — garantiu a Diretora Pedagógica da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV) após as Provas de Aptidão Profissional (PAP) de 18 finalistas do Curso Profissional de Esteticistas, apresentadas hoje, dia 15 de julho.

IMG_2258.jpg

A apresentação da PAP constitui uma “etapa importante da vossa vida: concluístes o ensino secundário com o bónus de um curso profissional” que contribui para a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas” — acrescentou Sandra Monteiro, apelando as jovens que “façam as melhores opções da vossa vida. Procurem-nos. Estaremos aqui para vos apoiar”.​

Por sua vez, a Diretora do Curso acredita que “ides ser grandes mulheres e enormes esteticistas”. “Espero que fiquem unidas para a vida pois vão precisar umas das outras para enfrentar as dificuldades do mundo do trabalho” — concluiu Maria José Falcão, que distribuiu uma rosa vermelha a cada uma das finalistas e aos restantes professores deste curso.

Terminava em grande forma uma manhã de apresentação das PAP's que abriu com uma criativa prova de Ágata Rego sobre a maquilhagem de caracterização, uma “vertente pouco explorada”. Após a sua prova, Sandra Monteiro dirigiu-se à Ágata Rego: “acredita que deixa saudades. É uma aluna acarinhada sempre que aqui voltar”. Aliás, estas foram palavras repetidas para as restantes finalistas, como foi o caso de Carina Cerqueira, Jéssica Costa, Jéssica Barros e Márcia Araújo que deliciaram os jurados com uma prova sobre unhas (Nail art), já embelezadas na Índia, depois no Egipto, apresentando um conjunto de técnicas para embelezar as unhas. Estas quatro jovens dissecaram as doenças, a fisiologia e anatomia das unhas e asseguraram que “o estágio ajudou muito, ao ponto da maioria dos ateliês quererem dar-nos emprego”.

Carina Lopes, Fabiana Silva e Viviana Macedo apresentaram um trabalho sobre a maquilhagem com acento tónico nos noivos, uma arte que os nobres gregos confiam aos seus amos e no Egipto era sinal de poder e foi reprovada pela Igreja Católica ao longo de séculos. A sua prova — enorme — explicou como se usa um batom stick, como se faz a maquilhagem dos olhos, dos lábios, a aplicação de blush, de corretores, de pó, em pele negra, portadores de óculos e maquilhagem para a noite, concluindo que “nas morenas qualquer tom fica bem”. ​

Ficou também a saber-se, pela voz da prof. Maria José Falcão, que “os homens, hoje, são os melhores clientes do mundo” nesta área.

Elsa Filipa Gomes, Joana Filipa Silva e Juliana Carvalho mostraram o que sabem e aprenderam na preparação da pele, maquilhagem de dia e transformação para maquilhagem de noite, sem esquecer a desmaquilhagem, tonificação, hidratação, nos vários tipos de pele (normal, oleosa, seca e mista) coroados com um desfile.

A massagem foi o tema desenvolvido por Inês Silva, Vera Correia, Joana Macedo e Juliana Miranda nas suas vertentes de combate à celulite (que afeta 90% das mulheres), sem esquecer vantagens e inconvenientes, e de relaxamento (para diminuir o stress, ansiedade e eliminar toxinas ou reforçar a circulação sanguínea). Devem ser sempre feitas com óleos e cremes, afastando os hidratantes que são derivados de petróleo.

Por fim, mas não em último lugar, Ana Isabel Juliana Azevedo e Daniela Teixeira abordaram a alimentação na estética, com base na roda dos alimentos para uma nutrição completa, variada e equilibrada e através de planos alimentares (infância, adolescência e idade adulta). O contributo para a autoestima (como forma de combate a doenças depressivas ou anoréticas) e os padrões de beleza foram outros temas desenvolvidos por este trio que realizou vídeos e inquéritos na escola sobra alimentação e padrões de beleza.

IMG_2270.jpg

IMG_2277.jpg

IMG_2287.jpg

IMG_2242.jpg

IMG_2244.jpg

IMG_2252.jpg

ALUNOS DA EPATV DESPEDEM-SE DO PROFESSOR VÍTOR MACHADO

PAPs de Eletrotecnia na PATV: doce adeus ao prof. Vítor Machado!

As Provas de Aptidão Profissional (PAP) do Curso de Eletrotecnia realizadas hoje, dia 14 de julho, na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV) traduziram um belíssimo adeus ao criador e fundador deste curso, Prof. Vítor Machado.

IMG_2126.jpg

Após 26 anos de actividade, o director do Curso de Eletrotecnia despediu-se dos seus últimos 19 finalistas com “a consciência do dever cumprido por ajudar, com os outros professores, várias centenas de jovens a encontrar um rumo para a vida, como seres humanos e profissionais competentes”.

O prof. Vítor Machado não esqueceu a capacidade da EPATV em “dotar este curso com todos os meios, equipamentos e recursos financeiros para que os alunos tivessem todas as condições para o sucesso”.

O resultado é excelente quanto é certo que alguns alunos — com necessidades educativas — não ficaram para trás, como é lema da EPATV. Acresce que, destes 19 finalistas, cinco vão continuar os seus estudos no ensino superior, enquanto os restantes têm emprego garantido.

Foi um “doce e intenso adeus” ao professor decano da EPATV, com dois projetos ligados à produção de mel, como uma arpa eléctrica para matar vespas asiáticas, um fumigador elétrico auto-sustentável para as colmeias.

A manhã de apresentação de PAP's teve como jurados a Prof. Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), Vítor Machado (Diretor de Curso), João Martins (Potauco), Carlos Cruz (SITE Norte), Raquel Pinto, Pedro Arantes (diretor de Turma) e Carlos Marinho.

Fábio Silva, Fernando Silva e José Pereira apresentaram um protótipo de Quiosque Informativo da EPATV, um trio que tem futuro assegurado no emprego e no ensino superior (Fábio Silva). Um sistema transportador com separação automática de resíduos foi a prova desenvolvida pelo Hugo Feio, Jorge Silva e Tiago Costa.

A prova de Tiago Torres apresentou um protótipo de arpa elétrica para combater a vespa asiática, alimentada com painel solar, seguindo-se um sistema de gravação, comunicação e som que foi idealizado e construído por João Dias e Pedro Rodrigues.

Tiago Reis afirmou-se como um “Ronaldo Cristiano da manutenção” — no comentário de um dos jurados - apresentando trabalhos de reparação de motores elétricos, placa de comando de um portão, máquina furadora de liquidificadora, aparelho de soldadura, comando de um torno mecânico. Vai trabalhar numa empresa da Póvoa de Varzim que lhe garante o transporte diário.

Diogo Oliveira e José Miguel Gonçalves surpreenderam o júri com a construção de um motor estrela eletromagnético numa PAP que demonstrou “muita dedicação e um trabalho muito bem conseguido”.

O açoriano Ricardo Magalhães e o Carlos Cunha construíram uma caixa de administração medicamentos para os doentes isolados, com sinalização visual e acústica, um protótipo que pode ter nos Lares de idoso uma enorme aplicabilidade.​

Um canteiro de rega automática alimentado por energia solar que tem em conta os índices de humidade da terra, a temperatura e a pluviosidade — sustentável, amovível e economizador de água — foi a proposta de André Silva e Diogo Pires.

João Silva, José Cardoso e Vasco Costa construíram um fumigador para as colmeias de produção de mel, alimentado por energia solar, encerrando uma manhã cuja marca de água foi a sustentabilidade ambiental e a recuperação de equipamentos para enriquecer a escola.

IMG_2148.jpg

IMG_2175.jpg

IMG_2184.jpg

IMG_2197.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE OFERECE LIVRO DE FICHAS DE INGLÊS A ALUNOS CARENCIADOS

Famílias passam a beneficiar também das Fichas de atividades de Inglês

No próximo ano letivo, a Câmara Municipal de Esposende, como apoio extraordinário às famílias devido ao impacto económico-social da pandemia de Covid-19, vai oferecer também o livro de Fichas de Inglês a todos os alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico do concelho com esta área no currículo obrigatório, mantendo a oferta dos manuais de fichas de atividades de Português, Matemática e Estudo do Meio. A medida foi aprovada, por unanimidade, em reunião do executivo, correspondendo a um investimento global previsível de 52 500 euros.

ADSC01648.jpg

A materialização desta medida concretiza-se através da entrega de um cheque-livro às famílias, que estará disponível a partir de 24 de agosto nas sedes dos Agrupamentos de Escolas, com o qual poderão levantar, exclusivamente em papelarias do concelho de Esposende, os manuais de fichas de atividades. Por esta via, o alcance da medida ultrapassa o âmbito social na medida em que promove, também, o desenvolvimento económico do concelho, dado que a aquisição dos livros terá que ser feita, obrigatoriamente, nas empresas locais que se disponibilizaram para proceder à sua venda, e que, também, sofrem o impacto económico e as contingências da pandemia.

Esta medida contempla também a possibilidade de reembolso às famílias que adquiram diretamente os manuais de fichas de atividades, mediante preenchimento de requerimento e apresentação de comprovativo de compra.

“Ao longo dos anos, o Município tem assumido um inequívoco apoio à Educação, nomeadamente às escolas, aos alunos e às respetivas famílias”, refere o Presidente da Câmara municipal, Benjamim Pereira, sublinhando que, “no âmbito da Ação Social Escolar, para além do cumprimento das atribuições que legalmente nos estão adstritas, a Câmara Municipal tem assegurado alguns apoios suplementares, no sentido de contribuir para uma maior equidade social no acesso a uma Educação de qualidade para todos, complementando, assim, com a sua ação, as medidas assumidas pelo Ministério da Educação”.

Recorde-se que, após a decisão governamental de oferta de manuais escolares até ao Ensino Secundário, o Município de Esposende substituiu, no ano letivo 2018/2019, a oferta dos manuais escolares ao 1.º ciclo - apoio que mantinha desde o ano letivo 2014/2015 - pela oferta das fichas de atividades, garantindo este apoio às famílias.

O Município de Esposende tem assumido, assim, um inequívoco apoio à Educação, nomeadamente às escolas, aos alunos e respetivas famílias, dando cumprimento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da ONU, designadamente no que concerne aos ODS 4 - Educação de Qualidade, ODS 5 – Igualdade de Género, ODS 10 – Reduzir as desigualdades e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

ADSC01653.jpg

EPATV: PRODUÇÃO METALOMECÂNICA COM EMPREGABILIDADE TOTAL

Realizaram-se hoje, dia 8 de julho, as Provas de Aptidão Profissional (PAP) dos catorze finalistas do Curso Técnico Profissional de Produção Metalomecânica - Variante Programação e Maquinação, na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV) coroadas pelo ingresso no mercado de trabalho de doze e a aposta no ensino superior para os dois restantes.

IMG_2000.jpg

Foi um dia de enorme satisfação para o prof. João Martins, diretor do curso, que confessava, no final, o desejo de ter mais “finalistas para corresponder às necessidades das empresas que procuram a EPATV para encontrar profissionais competentes e com qualidades humanas de excelência”.​

O júri das PAP's era constituído ainda por Sandra Monteiro, Diretora Pedagógica da EPATV, Carlos Cruz, SITE (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro-Norte), Miguel Silva, da empresa Metalflow, de Adaúfe, Braga, e os professores João Martins Ermelinda Leão, Carla Veloso e Lúcia Lopes. ​

Ao longo da Manhã, os finalistas apresentaram as suas provas teóricas e práticas como um suporte para cones (André Barros, João Alves e Paulo Cerdeira), uma prensa para uma máquina de furar vertical (André Pimenta. Guilherme Ferreira e João Gonçalves), Uma bancada ferramenteira para otimizar recursos de uma oficina e restauro de máquina de soldadura a ponto (José Couto, Micael Pereira e Paulo Barbosa), um triturador de limalhas para reduzir resíduos (Daniel Rodrigues, Guilherme Sá e João Costa) e um rachador de lenha portátil (Adriano Gomes e Leandro Vilela).​

As provas contaram com a observação de dois estudantes de Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica da Universidade do Minho, fascinados com as instalações, os recursos materiais e pedagógicos da EPATV, após uma visita guiada às oficinas, salas de aula, cozinha e refeitório. 

IMG_1990.jpg

IMG_1993.jpg

IMG_1950.jpg

IMG_1956.jpg

IMG_1963.jpg

IMG_1973.jpg

EPATV PARTICIPA NAS ECO-EMENTAS

O projeto Alimentação Saudável e Sustentável, lançado pelo Programa Eco-Escolas | ABAE em parceria com a Agrobio concretiza-se através de um conjunto de desafios, que pretende motivar as crianças, jovens, professores e família para um maior conhecimento acerca das questões que se relacionam com a alimentação saudável e sustentável por forma a que estes se tornem recetivos à introdução de mudanças de hábitos no dia-a-dia.

7-Intervenientes.jpg

A Escola Profissional Amar Terra Verde participou mais uma vez nesta iniciativa com muito empenho e dedicação de todos os alunos. Infelizmente, devido ao Covid 19, o projeto foi suspenso.

A nossa proposta de ementa sugere uma distribuição equilibrada dos diferentes tipos de ingredientes que devem compor uma refeição saudável (proteínas, hidratos de carbono, gorduras saudáveis, vitaminas, minerais).

A turma do 2ºano do curso de cozinha iniciou este projeto pesquisando os produtos mais adequados à população juvenil, quer a nível calórico quer a nível nutricional. Após a elaboração das ementas, por grupos, cada um defendeu a sua escolha com os argumentos da sazonalidade, da regionalidade dos produtos, das opções de saúde (celíacas, por exemplo), do preço dos produtos e da exequibilidade numa cantina escolar.

Após o debate, a turma decidiu escolher a ementa apresentada, como sendo o melhor de todos os grupos.

Proposta da Ementa Primavera/Verão:

Entrada: Duo de cremes de legumes;

Prato Principal: Quinoa, ratatouille e espetada de frango;

Sobremesa: Delícia de morango;

Bebida: Limonada de frutos vermelhos.

Consulta do projeto no link:

https://alimentacaosaudavelesustentavel.abae.pt/trabalhos-2019-20/eco-ementas/trabalho/?school=1533&activity=5&work=1

IMG_9698.jpg

IMG_0573.jpg

IMG_0594.jpg

6-Empretar sopa.jpg

5-Execução ementa.jpg

3-Sobremesa.jpg

4-Bebida.jpg

2-Prato Principal.jpg

1-Entrada.jpg

EXECUTIVO CAMINHENSE ATRIBUI VOTO DE LOUVOR AO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SIDÓNIO PAIS PELA POSIÇÃO OBTIDA NO RANKING NACIONAL DO ANO LETIVO 2018/2019

O executivo caminhense aprovou ontem, por unanimidade, em reunião camarária, um voto público de louvor ao Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, face aos resultados obtidos pelo Agrupamento no Ranking Nacional do ano letivo 2018/2019. O voto de louvor, um reconhecimento público do trabalho do agrupamento de escolas, foi proposto pela vereadora Liliana Ribeiro, que aproveitou para felicitar a Direção do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, “na pessoa da sua diretora, Maria Esteves, os docentes, os alunos, os não docentes e toda a comunidade escolar, pelo excelente trabalho na promoção do sucesso educativo, do concelho de Caminha”. É de salientar que, o Agrupamento de Escolas Sidónio Pais destaca-se quer ao nível do ranking dos exames, quer ao nível do ranking do sucesso.

cmcaminhaaa.jpg

O voto de louvor vem na sequência da publicação do Jornal Público, no passado dia 28 de junho, que continha o Ranking das Escolas 2019, referente aos resultados dos Exames Nacionais dos Ensinos Básico e Secundário no ano letivo 2018/2019. De acordo com aquela publicação, num total de 625 Escolas Básicas e Secundárias de âmbito nacional, o Agrupamento de Escolas Sidónio Pais ocupa lugares de destaque, quer ao nível do ranking dos exames, quer ao nível do ranking do sucesso.

No que ao Ensino Secundário se refere, foram realizadas 239 provas, num total de 8 disciplinas. A média geral passou de 10.51 para 11.05 valores, o que resultou numa subida de 100 posições no Ranking Nacional. Destacam-se os resultados nas disciplinas de Matemática Aplicada às Ciências Sociais (MACS) e Geografia, cujas médias de 15.21 e 11.86 valores, colocaram o AESP no terceiro e quadragésimo quinto lugares, respetivamente, a nível nacional.

Já no Ensino Básico foram realizadas 266 provas, num total de 2 disciplinas. A média geral passou do nível 2.97 para 3.22, resultando numa subida de 247 posições no Ranking Nacional.

Face a estes resultados, a vereadora com o pelouro da educação referiu: “concluímos, portanto, que o trabalho colaborativo, cooperativo e de proximidade, desenvolvido por toda a comunidade educativa e por todas as entidades parceiras, tem convergido para o sucesso escolar dos alunos do concelho de Caminha. Percebemos que, a coesão entre todos os agentes educativos, ao longo dos últimos anos, colocando o aluno no centro de toda a ação e decisão educativa e política, recolhe os seus frutos, reconhecendo-se que os resultados académicos, dos alunos do AESP, foram os melhores no Vale do Minho, ultrapassando largamente as premissas criadas, de acordo com o perfil socioeconómico existente”. Salientou ainda “o meritório trabalho desenvolvido por todos os professores do AESP, pela dedicação, empenho, esforço e persistência demonstrados, no acompanhamento dos nossos alunos, orientando-os e conduzindo-os para uma melhoria constante”.

Liliana Ribeiro referiu ainda o contributo e o investimento do Município na área da educação: “para este êxito, e sem prejuízo do desempenho de todos os alunos, professores e demais agentes educativos, salientam-se os investimentos do Município de Caminha na área da Educação, nomeadamente no que se refere aos Transportes Escolares gratuitos para todos os alunos, desde o pré-escolar ao ensino secundário, cujo investimento ascende os 450.000€ anuais; na requalificação, em curso, da Escola Básica e Secundária de Caminha e na obra da Escola do 1º Ciclo e Academia de Música Fernandes Fão, em Vila Praia de Âncora; nos protocolos estabelecidos com entidades locais para o desenvolvimento de terapias educativas, bem como ao reforço da atividade física, um incremento para a prática de estilos de vida saudáveis; nos projetos de enriquecimento curricular, nos quais esta autarquia aposta, tais como o Projeto Con(s)cienciarte em parceria com a Fundação de Serralves, no Projeto de promoção da Literacia Financeira; no projeto “Poupar Está o Ganho”, em parceria com a Fundação Cupertino Miranda; no Projeto “Shcool4All Caminha” para promoção do sucesso escolar; Ocupação de Tempos Livres; a aquisição de computadores portáteis e routers para acesso à internet, para cedência aos alunos do AESP, de modo a possibilitar-lhes o ensino à distância, cujo investimento foi superior a 20.000,00€ e o Plano Anual de Atividades, que destacamos entre tantos outros”.

VILA VERDE: EPATV ATRIBUI CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE COZINHEIRO NÍVEL II

Sessão de Júri de RVCC Profissional de Cozinheiro promovida pelo Centro Qualifica da EPATV

O Centro Qualifica da EPATV realizou, ontem dia 2 de julho, uma sessão de certificação profissional de Cozinheiro Nível II.

terraverdecozinheiro (4).jpg

Despois do confinamento, a que estivemos impostos, três candidatos puderam prestar provas e certificar as suas competências profissionais obtendo assim, um certificado de qualificação profissional de Cozinheiro.

Dois dos candidatos trabalhadores de plataformas petrolíferas, com cerca de 30 anos de experiência e uma candidata colaboradora de uma IPSS também com mais de 35 anos de experiência deliciaram os jurados com a sua capacidade de execução, os sabores e beleza dos pratos apresentados.

Esta certificação representa uma mais-valia para os formandos, quer pelo reconhecimento das competências adquiridas ao longo dos anos, quer pelo auto-reconhecimento da capacidade de saber fazer. 

terraverdecozinheiro (3).jpg

terraverdecozinheiro (2).jpg

terraverdecozinheiro (1).jpg

VILA VERDE RECEBE MARATONA DE PROVAS DE APTIDÃO PROFISSIONAL

Escola Profissional Amar Terra Verde: Finalistas de frio e climatização com aptidão e pleno emprego

Arrancou hoje, dia 3 de julho, na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), a maratona de Provas de Aptidão Profissional (PAP's), que se prolonga até ao fim deste mês, com a prestação de 16 finalistas do Curso Profissional Técnico de Frio e Climatização com um denominador comum: todos estão empregados nas empresas onde continuam o estágio até meados deste mês.

IMG_1900.jpg

Esta é a “marca de água” deste curso da EPATV após três anos de 500 horas práticas e duas centenas e meia de aulas teóricas, sublinhada pelo Director do Curso, Aurélio Machado, bem como pelos restantes membros do júri que integrava a Diretora pedagógica da EPATV, Sandra Monteiro, a diretora de turma, Sandra Guedes, o dirigente do SITE (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro-Norte), Paulo Amorim, o Gerente da JPSR, João Paulo Ribeiro e o Coordenador da Manutenção de Frio do Hospital de Braga, Luís Bogas (antigo aluno da EPATV).

Ao longo de toda a manhã, os alunos apresentaram as suas máquinas nas áreas de frio e de climatização, começando com o trio João Ribeiro, João Costa e Jorge Campos (Ventilador com variador de frequência) e encerrando com a dupla  Bruno Costa e Nuno Sousa (Climatização para uma Unidade de Tratamento de Ar).

Carlos Correia, Daniel Azevedo e João Vieira apresentaram uma melhoria de bancada didática de refrigeração, enquanto Diogo Cerqueira e Luís Henrique Fonseca mostraram como se constrói uma gestão centralizada de edifícios.

Finalmente, um compressor de refrigeração foi exibido por Diogo Carvalho, Hugo Cunha e Rafael Gonçalves enquanto Diogo Coelho, Diogo Lobo e Jorge Machado construíram uma bancada didática de refrigeração.

“Todos foram convidados a ficar a trabalhar nas empresas em que estagiaram. Se tivesse 50 finalistas, estavam todos empregados” — garantiu Aurélio Machado, que acabava de receber um pedido de estágio para um aluno da EPATV vindo de Lisboa.

Por sua vez, Sandra Monteiro, agradeceu às duas dezenas de empresas parceiras da EPATV pela “reconhecida colaboração ao longo de três anos na aprendizagem dos nossos alunos e na sua empregabilidade total. Sem as empresas, o nosso sucesso era menor e menos avaliado”.

Num curso profissional, como em todos os cursos, os alunos têm de mostrar o que sabem. A prova não envolve só canetas ou folhas de exame. Antes, tem de executar, do início ao fim, um projeto pessoal: da criação da ideia até à defesa perante um júri: é a PAP (Prova de Aptidão Profissional).

Durante este processo, o aluno não está sozinho. Conta, ao longo do ano letivo, com o apoio e colaboração dos professores das áreas técnicas. Os professores “orientam o aluno na escolha do projeto a desenvolver”, decidem se está em condições de ser apresentado ao júri e auxiliam na preparação da apresentação.

A avaliação leva em conta critérios como a concretização do projeto, a aprendizagem relevante para a inserção profissional e a qualidade e interesse da apresentação, bem como do produto para a área ou para o setor económico em causa.

Esta atividade conta com a parceria inestimável das empresas e, no caso dos finalistas de Frio e Climatização, as firmas aderentes foram a Agilfrio, Equipamentos Para Hotelaria e Climatização, BRASOLAR, Câmara Municipal de Terras de Bouro, CLIMA POSITIVO, CLISER- Climatizações Sergios, Fritempo - Comércio de Equipamentos de Frio e Ar Condicionado, JPSR Climatizações, Jorge Sousa & Hernâni Mano - Equipamentos Hoteleiros, LC AVAC e Equipamentos Hoteleiros, LUXOFRI - Climatização, LUSITAR Instalação de Sistemas Integrados de Energia e Ambiente, MB4 - Climatização e Canalizações, NOVAFRIO - Indústria Comércio e Refrigeração, OPERTEC, Operação e Manutenção de Edifícios – GRUPO CASAIS, Palmeira Frio - Equipamentos Hoteleiros, RUMOPLAN, Aquecimento Ambiente, SJDclima, SICOOL, SGS – Sociedade Geral de Climatização, SRR- Assistência Técnica Equipamentos Hoteleiros e Weather Age- Climatização.

IMG_1910.jpg

IMG_1915.jpg

IMG_1928.jpg

TERRAS DE BOURO REÚNE CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Decorreu a 29 de junho a reunião do Conselho Municipal de Educação

O Salão Nobre dos Paços do Concelho acolheu a 29 de junho uma sessão ordinária do Conselho Municipal de Educação, presidido pela Vereadora da Educação, Dra. Ana Genoveva.

IMG-20200629-WA0003.jpg

Na reunião, para além da aprovação da ata da sessão anterior, foi realizado um ponto de situação dos projetos educativos em curso, onde a Sra. Vereadora enunciou e desenvolveu todas as atividades que se realizaram de Outubro até ao final do ano letivo.

Também foram abordadas as medidas adotadas durante o período da nova realidade educativa, onde se expôs todo o trabalho desenvolvido com a comunidade escolar em período de pandemia.

Por último, foi abordada a questão da planificação do próximo ano letivo.

IMG-20200629-WA0014.jpg

CAPAtboouuro.JPG

cme 3165465.JPG

79c8882c-2c65-497a-84f5-04265a27aaa1.JPG

FAMALICÃO TEM 600 VAGAS EM FORMAÇÃO PROFISSIONAL SUPERIOR E ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

As inscrições devem ser efetuadas junto de cada uma das entidades formadoras ou então através do Centro Qualifica de Famalicão

Estão abertas as candidaturas para os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) e Cursos de Especialização Tecnológica (CET) para o ano letivo 2020/2021. As entidades formadoras de Vila Nova de Famalicão disponibilizam um total de 625 vagas distribuídas por 19 cursos CTeSP e 6 cursos CET, com início da formação no mês de setembro, quer em regime laboral, quer pós-laboral. As inscrições devem ser efetuadas junto de cada uma das entidades formadoras ou então através do Centro Qualifica de Famalicão http://www.famalicaoeducativo.pt/_centro_qualifica_apresentacao

CTESP.jpg

Todo este volume de formação disponibilizado em território famalicense será ministrado pelas entidades: Citeve – Centro Tecnológico Das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (www.citeve.pt); Cenfim – Centro De Formação Profissional de Indústria Metalúrgica e Metalomecânica (www.cenfim.pt); Cespu (www.cespu.pt); Instituto Politécnico do Cávado e Ave – Polo de Vila Nova de Famalicão (www.ipca.pt); e Instituto Politécnico de Bragança – Polo de Vila Nova de Famalicão (www.ipb.pt). As informações estão disponíveis no portal da Educação, o Booklet com esta oferta formativa

https://issuu.com/municipiodefamalicao/docs/livro_cursos_ctesp_cet2020_v0505_c

CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS

Os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) são formações de ensino superior. Gerontologia, Bem-Estar e Termalismo, Manutenção e Controlo de Equipamentos Biomédicos, Bioanálise e Controlo, Secretariado Clínico, Estética, Cosmética e Bem-Estar, Tecnologia Alimentar, Gestão Ambiental, Design de Moda, Eletrónica, Automação e Comando, Energia, Telecomunicações e Domótica, Sistemas Eletrónicos e Computadores, Apoio à Gestão, Exportação e Logística, Comércio Eletrónico, Desenvolvimento Web e Multimédia, Gestão financeira e contabilística, Manutenção industrial e Redes e segurança informática  são os CTeSP oferecidos pela Cespu, IPB e IPCA.

As condições de ingresso obrigam os candidatos a serem titulares de um curso secundário ou de habilitação legalmente equivalente; que tenha sido aprovado nas provas especialmente adequadas para maiores de 23 anos; titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de técnico superior profissional; titulares de um grau de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.

A duração do CTeSP tem 120 créditos e a duração de quatro semestres (2 anos), sendo o último em contexto de trabalho. A frequência destes cursos tem associado o pagamento de uma propina, ainda que os formandos se possam candidatar a uma bolsa de ação social.

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

Os Cursos de Especialização Tecnológica (CET) são formações pós-secundárias não superiores que visam conferir uma qualificação profissional de nível 5 do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ).

Gestão da Produção para a Indústria metalúrgica e metalomecânica, Tecnologia Mecânica, Tecnologia Mecatrónica, Industrialização de produto moda, Comércio Moda e Processos de Coloração e Acabamentos Têxteis são os Cursos de Especialização Tecnológica oferecidos pelo Cenfim e pelo Citeve.

Para terem acesso aos CET, os candidatos têm de cumprir com as seguintes condições: serem titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente; serem estudantes que tenham obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10º e 11.º e tendo estado inscritos no 12º ano, de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente, não o tenham concluído; serem titulares de uma qualificação profissional de nível 4; serem titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.

Os estudantes que não sejam titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente têm de realizar, caso sejam selecionados, um plano de formação adicional.

Os CET têm a duração aproximada de um ano e meio (18 meses) a que corresponde entre 60 e 90 unidades de crédito. A frequência destes cursos é gratuita e tem direito a bolsa de formação e transporte.

DSC_7301.jpg