Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

TERRAS DE BOURO APOIA EMPREGO E EMPREENDEDORISMO

Candidaturas ao programa + CO3SO Emprego na ATAHCA até 15/09/2020 (1ª fase)

A ATAHCA promoveu a 20 de julho em Terras de Bouro uma sessão de divulgação sobre a abertura de concursos para a apresentação de candidaturas ao Programa +CO3SO Emprego (Sistema de Apoios ao Emprego e ao Empreendedorismo), o qual visa apoiar o emprego e o empreendedorismo, incluindo o empreendedorismo social, através do apoio à criação de postos de trabalho em pequenas e médias empresas (PME) e entidades da economia social.

IMG_20200720_110211.jpg

MODALIDADES:

O +CO3SO Emprego tem três modalidades de operacionalização:

+CO3SO Emprego Interior,

+CO3SO Emprego Urbano e

+CO3SO Emprego Empreendedorismo Social.

DURACÃO

Cada uma das modalidades tem a duração máxima de 36 meses a partir da criação do primeiro posto de trabalho.

APOIOS

Este programa é apoiado pelo FSE - Fundo Social Europeu.

Os apoios consistem na comparticipação integral de custos diretos com os postos de trabalho criados, onde se incluem remunerações e despesas contributivas, bem como um apoio adicional de 40% para financiar outros custos associados.

ENTIDADES BENEFICIÁRIAS

As entidades beneficiárias podem ser:

1)Pequenas e médias empresas (PME) enquanto entidades que, independentemente da sua forma jurídica, exercem uma atividade económica no mercado, como o são:

  • Entidades que exercem uma atividade artesanal;
  • Entidades que exercem outras atividades a título individual ou familiar;
  • Sociedades de pessoas;
  • Associações que exercem regularmente uma atividade económica.

2)As entidades da economia social para os projetos de empreendedorismo social:

  • Instituições Particulares de Solidariedade Social;
  • as Associações e Fundações;
  • Cooperativas;
  • Associações Mutualistas;
  • Misericórdias entre outras.

 DESTINATÁRIOS DAS MEDIDAS

A medida destina-se a apoiar a criação de emprego para os seguintes destinatários:

  • Todos os que pretendam criar a sua própria empresa;
  • Desempregados inscritos há pelo menos 6 meses no IEFP;
  • Desempregados, com idade igual ou inferior a 29 anos ou com idade igual ou superior a 45 anos, inscritos há pelo menos 2 meses no IEFP;
  • Desempregados, independentemente do tempo de inscrição no IEFP, quando se trate de pessoas com condições especiais como: serem beneficiários do rendimento social de inserção; serem vítimas de violência doméstica; refugiados; pessoas em situação de sem abrigo; vítimas de tráfico de seres humanos, os investidores da diáspora, entre outros;
  • Desempregados com qualificação de nível 5, 6, 7 ou 8, residentes em territórios não classificados como sendo do interior para a modalidade do +CO3SO interior;
  • Pessoas que não tenham registo na Seg. Social nos 6 meses anteriores à contratação.

AVISOS DE CANDIDATURAS

Os avisos de candidaturas da ATAHCA relativos às 3 modalidades de intervenção estão abertos desde 15-07-2020 até 15/09/2020 (primeira fase) e podem ser consultados na página do Portugal 2020., bem como na página da Estratégia de Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC) da ATAHCA denominada “Cávado Com Vida!” em

http://www.cavadocomvida.atahca.pt/candidaturas.php

 APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

A apresentação de candidaturas é feita através de formulário eletrónico do Balcão 2020, instruída com os aí anexos identificados.

https://balcao.portugal2020.pt/Balcao2020/

 INFORMAÇÃO ADICIONAL

Para qualquer informação adicional sobre este novo programa de apoio entre por favor em contacto com o GAL (Gabinete de Ação Local) da ATAHCA através dos seguintes contactos:

E-mail: altocavado@mail.telepac.pt

telefone: 253 321 130

No caso da ATAHCA, o Programa +CO3SO Emprego Atahca está enquadrado na sua Estratégia de Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC) denominada “Cávado Com Vida!” para o seu território de intervenção.

IMG_20200720_110222 (1).jpg

IMG_20200720_110213 (1).jpg

PARLAMENTO EUROPEU APROVA RELATÓRIO DE JOSÉ GUSMÃO SOBRE ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS DE EMPREGO

Foi hoje (10 de julho) aprovado pelo plenário do Parlamento Europeu o Relatório do deputado europeu José Gusmão, que estabelece as Orientações para as Políticas de Emprego, com os votos favoráveis de 550 deputados/as, 128 contra e 10 abstenções.

Jose Gusmaobe1.jpg

Para José Gusmão “o relatório das orientações para as políticas de emprego que foi hoje aprovado constitui uma total inversão das posições que têm dominado as instituições europeias de há muitos anos a esta parte. Num contexto em que a crise da Covid-19 é agravada pela generalização dos vínculos precários e pela desregulação do mercado de trabalho, este relatório propõe um caminho alternativo tão claro quanto urgente”.

O deputado do Bloco de Esquerda conseguiu introduzir, pela primeira vez num relatório sobre orientações para as políticas de emprego, várias posições importantes em áreas como o alargamento da contratação coletiva, o pleno emprego, a garantia de direitos a trabalhadores precários e trabalhadores de plataformas, a igualdade e não-discriminação, o combate à pobreza, bem como restrições à distribuição de dividendos, prémios e apoios a empresas sediadas em offshores. Entre outras orientações, o relatório recomenda que os Estados Membros devem dirigir uma parte importante do investimento público, bem como as políticas de emprego, para a criação postos de trabalho. Ao nível fiscal, recomenda que a tributação incida sobre outros  rendimentos de forma a promover o combate à pobreza, a redistribuição e o crescimento inclusivo, assegurando o pleno alinhamento com os objectivos do desenvolvimento sustentável e os objectivos climáticos e ambientais, tal como definidos no Acordo Verde.

O relatório inclui várias referências à necessidade dos Estados Membros de tomarem medidas para reforçar e alargar o diálogo social e a cobertura da contratação colectiva, bem como à necessidade de eliminarem a discriminação salarial em razão da idade ou do género, assegurando que todos os trabalhadores têm direito a salários adequados e justos através de acordos colectivos ou de salários mínimos legais adequados. Relativamente ao combate ao desemprego jovem e ao trabalho precário, o relatório recomenda que lhes deve ser dada prioridade. Determina também que as relações laborais que conduziram a condições de trabalho precário e competição salarial devem ser impedidas, nomeadamente no caso dos trabalhadores de plataformas. Os Estados Membros devem assegurar que todos estes trabalhadores gozam de condições de trabalho justas, direitos sociais e acesso à proteção social, bem como ao direito de representação. Outra das prioridades dos Estados Membros deverá ser a eliminação de barreiras e criação de incentivos para o acesso ao mercado de trabalho, daqueles que actualmente estão em maior desvantagem para o conseguir, nomeadamente as pessoas com deficiência. Finalmente o relatório recomenda o investimento nos serviços públicos, quer como forma de criação de emprego quer como reforço da protecção social e do combate à pobreza.

No final dos votos José Gusmão disse que “é bom ter boas notícias a vir da Europa” e acrescentou: “Espero que este relatório, e o apoio alargado que teve no Parlamento permitam inverter a tendência e começar a implementar medidas de combate à pobreza e a recuperar níveis de proteção do trabalho que são imprescindíveis, como a crise da Covid está a demonstrar.”

O relatório está disponível no site do Parlamento Europeu: 

https://www.europarl.europa.eu/doceo/document/A-9-2020-0124_PT.pdf

MUNICÍPIO ARCUENSE PROMOVE QUALIFICAÇÃO DOS ADULTOS E EMPREGABILIDADE

A educação e a formação ao longo da vida são pilares fundamentais para o desenvolvimento sustentável de Arcos de Valdevez.

Atendendo à importância da cooperação entre o Município e as instituições de educação e formação, a Câmara Municipal pretende celebrar um protocolo com os Centros Qualifica instalados em Arcos de Valdevez.

Com a qualificação de adultos pretende-se melhorar os seus níveis de educação e formação, contribuir para a melhoria da sua empregabilidade, dotando-os de competências ajustadas às necessidades do mercado de trabalho.

Com a celebração deste protocolo o Município, a EPRALIMA – Escola Profissional do Alto Lima e o CENFIM - Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica pretendem dinamizar uma resposta territorial concertada entre as entidades intervenientes para aumentar a qualificação e a empregabilidade dos adultos, contribuindo para a melhoria do rendimento e da qualidade de vida dos arcuenses.

Para a Autarquia arcuense, os Centros Qualifica são importantes para a promoção de um maior investimento dos adultos em percursos de educação e formação dos arcuenses e para a adequação da rede de oferta formativa às necessidades do mercado de trabalho.

PROJETO LAÇO BRANCO PARTICIPA NA FESTA DA ORELHEIRA E DO FUMEIRO DE CABECEIRAS DE BASTO

O projeto “Laço Branco” é uma iniciativa financiada pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (PO ISE), pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), pelo Portugal 2020 (PT2020) e União  Europeia/Fundo Social Europeu (EU/FSE).Este projeto foi desenhado pela Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, uma IPSS que dirige a sua ação à população portadora de deficiência, sendo promotora de um Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), de um Lar Residencial para Pessoas com Deficiência e de um Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social (SAAS).

Foto 1laçoBranco (1).jpg

Uma das atividades do projeto constituiu a participação na Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto, um evento com muita afluência de visitantes e que, por isso, constitui um importante espaço de divulgação. Foram diversos os visitantes, de várias faixas etárias e proveniências distintas (Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Braga, Vieira do Minho, Fafe e Póvoa de Lanhoso, entre outros concelhos).

De facto, um dos objetivos do projeto é“prevenir a ocorrência de situações de violência doméstica contra a população portadora de deficiência, desocultando o fenómeno e trazendo-o para discussão pública, numa perspetiva de apoiar e proteger aquela população, ampliando e consolidando a intervenção já desenvolvida pela Fundação”, referiu Carla Lousada, Presidente da Direção da Fundação.

O projeto pretende “promover a territorialização, através do envolvimento das entidades locais/regionais, estando previsto envolvimento de 5 IPSS`s: 3 de Cabeceiras de Basto e 2 de Celorico de Basto, com especial relevo no âmbito da prevenção da Violência Doméstica (e em particular da VD contra pessoas portadoras de deficiência), em diferentes ações do projeto”, adiantou Carla Lousada.

A participação na Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto constituiu uma importante estratégia de divulgação e cimentou a territorialização da iniciativa, tendo permitido a afirmação da mesma à escala local e regional.

Foto 1laçoBranco (2).jpg

ORÇAMENTO DE PAREDES DE COURA APOSTA NO EMPREGO E FIXAÇÃO DAS PESSOAS

Ligação à A3 e alargamento das zonas industriais entre as prioridades

São 16M€ o Orçamento de Paredes de Coura para 2020. O maior Orçamento desde 2013 e que tem como objetivos principais o alargamento e requalificação da Zona Industrial de Formariz, orçado em 2M€, e a ligação da autoestrada A3, no nó de Sapardos, ao Parque Industrial de Formariz, no valor de 9,5M€.

vitor_paulo_pereira_pr_cm_coura.jpg

Após um Orçamento de 2019 cuja taxa de execução orçamental foi de 96% -- “fruto de um planeamento com grande rigor, acompanhado de gestão socialmente responsável” --, o Município de Paredes de Coura liderado por Vitor Paulo Pereira cria agora “condições únicas para um investimento que tem como grande preocupação a criação de emprego”. 

“Em Paredes de Coura acreditamos e sabemos que o emprego é o principal fator de fixação de pessoas no território”, sustenta o presidente da Câmara, para quem “não é possível estabilidade e coesão social fora de um quadro de investimento e criação de emprego. Pode parecer materialismo, mas a felicidade não é possível fora de um quadro de otimismo, onde o investimento e o emprego tem lugar especial”, sublinhou.

Vitor Paulo Pereira insiste que “Coura é emprego. Este é o caminho que estamos a andar. A andar não, a correr”, enfatizou, realçando os propósitos para o Novo Ano: “em 2020 continuaremos a correr. A correr pelo emprego”, recuperando ainda que “a taxa de execução orçamental de 96% em 2019 mostra verdade, trabalho. Muito trabalho e respeito pelas pessoas e democracia”, salientou.

Recorde-se que com a nova ligação de Paredes de Coura à autoestrada A3, cuja execução arranca muito em breve, uma nova dinâmica trará para este concelho no coração do Alto Minho: “com a nova ligação os novos projetos turísticos ganharão uma nova racionalidade e será mais fácil a sua concretização. As zonas industriais obterão uma maior competitividade e será possível uma maior diversidade de investimentos”, garante Vitor Paulo Pereira, recordando que os últimos orçamentos trouxeram “um período extraordinário de crescimento industrial que criou emprego, que gerou riqueza e que permitiu criar estabilidade financeira para as famílias. Simultaneamente recuperámos infraestruturas educativas, culturais e desportivas que tiveram uma grande influência na melhoria das condições de vida dos courenses. Apostámos em projetos estratégicos para o concelho ao mesmo tempo que requalificámos grande parte da rede viária municipal. Investimos progressivamente na cultura, na educação, na floresta e na preservação da paisagem. Apoiamos empresários, pequenos produtores e os seus negócios. Ninguém ficou para trás”, concluiu.

camara_municipal_coura001cou.jpg

CELORICO DE BASTO PROMOVE FORMAÇÃO E EMPREGABILIDADE

IV Mostra Educativa e Profissional em Celorico de Basto

“Um olhar sobre a formação e a empregabilidade para elucidar jovens estudantes e jovens desempregados”

Universidades, politécnicos, escolas profissionais, forças de segurança e empresas marcaram presença na IV Mostra Educativa e Profissional que decorreu hoje, 26 de Novembro, no Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Básica e Secundária de Celorico de Basto.

_DSC9089.jpg

A abrir a Mostra Educativa e Profissional, o Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva, anfitrião do evento, recordou a importância de iniciativas deste âmbito na orientação educativa e profissional dos jovens em transição de ciclos educativos e na procura de vertentes profissionais. “Esta iniciativa é uma mais-valia para todos aqueles que nela participam, trata-se de uma mostra de ofertas educativas e profissionais diversificadas que ajudam os jovens a escolher o que pretendem para o futuro de acordo com os seus anseios e desejos, em busca de um futuro promissor”. O autarca agradeceu a presença de todas as entidades presentes em, particular ao Agrupamento de Escolas pelo “trabalho que tem vindo a desenvolver em prol dos nossos alunos, um trabalho de dedicação e de empenho na criação das melhores condições de ensino”.

No mesmo sentido, a Diretora do Agrupamento de Escolas, Eduarda Alves, disse que “nós este ano, aqui nas instalações da escola sede, nesta mostra Educativa e Profissional, apostamos também na promoção dos nossos cursos, os cursos científico – humanísticos e o curso profissional direcionado aos alunos do 9º ano mas também aos alunos do 10º ano que pretendam fazer uma reorientação no seu percurso formativo”. A Diretora acrescenta que esta Mostra é uma mais-valia para todos os alunos no âmbito da orientação vocacional que “começam cedo a perceber que tipos de ofertas existem, a vários níveis, não só a nível superior, como também a nível do ensino secundário”.

A abertura desta mostra educativa e profissional contou com a presença de outras individualidades nomeadamente o chefe de equipa multidisciplinar de apoio pedagógico da Dgeste Norte, Jorge Araújo, e o Vereador da Educação da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Fernando Peixoto, que fizeram uma visita por todos os expositores presentes e puderam ouvir aquilo que cada um tinha para oferecer aos possíveis candidatos.

Manuel Alves, Sargento-Mor da Força Área, com especialidade em Mecânica de Armamento e Equipamento, disse que a participação nestas mostras é muito importante “na medida em que, assim como acontece em todos os ramos das forças armadas, estamos com enorme falta de pessoal, e por isso fazemos ações promocionais em escolas, centros de emprego, feiras, exposições, escolas profissionais, escolas secundárias, porque a urgência é grande, estamos apenas a preencher 40% das vagas”.

Num total estiveram presentes 29 entidades nomeadamente o Agrupamento de Escolas de Celorico de Basto com os cursos científico – humanísticos, o curso profissional Técnico de Restauração e Bar, bem como o Qualifica e o Projeto Beca, a Escola Profissional de Fermil, Celorico de Basto, com Curso Profissional Técnico Auxiliar de Saúde, o CENFIM (Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica), a Escola de Turismo do Porto, o IESF (Instituto de Estudos Superiores de Fafe), o ISSSP (Instituto Superior de Serviço Social do Porto), o CESPU (Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário), o ISAG (Instituto Superior de Administração e Gestão) – Porto, o ISMAI (Instituto Universitário da Maia), o IPVC (Instituto Politécnico de Viana do Castelo), o IPP (Politécnico Porto)-ESTG, o IPB (Instituto Politécnico de Bragança), o IPAM (Instituto Português de Administração de Marketing), a Universidade Fernando Pessoa, a Universidade Católica Portuguesa, a Universidade Lusíada, a Universidade Lusófona, a Universidade de Aveiro, a Universidade do Minho, a UTAD (Universidade de Trás -Os - Montes e Alto Douro), a Universidade do Porto, o Lancaster College, a GNR (Guarda Nacional Republicana), a Marinha, a Força Aérea Portuguesa, o Exército, o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional), o CICCOPN (Centro de Formação Profissional da Indústria da Construção Civil e Obras Públicas do Norte), e o gabinete de Desenvolvimento Económico e Empreendedorismo do Município de Celorico de Basto.

Cientes da importância deste evento estavam os alunos que visitaram a iniciativa como nos reportou o aluno do 12º ano do Agrupamento de Escolas, Carlos Gonçalves, “aqui posso ver as várias escolhas que posso fazer, as universidades, os cursos que posso escolher, as médias, os preços dos quartos, tudo. Apesar de já estar orientado para o curso que pretendo seguir que é Engenharia Informática, é sempre muito importante conhecer de perto aquilo que pretendo seguir e para onde quero ir, de acordo com os meus objetivos”. 

A organização do evento foi da responsabilidade do Município de Celorico de Basto em parceria com as diferentes entidades com destaque para o Agrupamento de Escolas de Celorico de Basto.

_DSC9127.jpg

_DSC9168.jpg

_DSC9183.jpg

ELEVADA EMPREGABILIDADE TRAZ NOVOS DESAFIOS A FAMALICÃO

Resultados económicos e empresariais do concelho apresentados durante a realização do fórum Económico Famalicão Made IN

Entre setembro de 2013 e setembro de 2019, a taxa de desemprego em Vila Nova de Famalicão desceu 65,6 por cento, estando atualmente nos 3,7%,  o que significa que o concelho vive hoje uma situação muito próxima do pleno emprego. Os números foram ontem dados a conhecer pelo vereador da Economia, Empreendedorismo e Inovação de Vila Nova de Famalicão, Augusto Lima, no decorrer do Fórum Económico Famalicão Made IN que decorreu na Casa das Artes sobre o tema “As Pessoas como Valor Acrescentado”, numa organização do Jornal de Notícias e do Município de Vila Nova de Famalicão.

AFS_0810.jpg

Augusto Lima mostrou que o terceiro município mais exportador do país continua com uma dinâmica económica imparável, com um volume de exportações em permanente crescimento, que cresceu 26 por cento entre 2013 e 2018, que significa atualmente um volume de faturação com o exterior acima dos dois mil milhões de euros.

Números que impressionaram os intervenientes e os mais de 500 participantes presentes no fórum, ao qual se associou também o ministro da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, e que serviram de base para um intenso debate sobre os desafios do futuro na área da indústria ao nível dos recursos humanos.

O investimento na formação e na qualificação das pessoas foi a prescrição consensual avançada por  todos os oradores, desde os representantes sindicais às entidades patronais, passando pelos responsáveis governamentais e autárquicos. Tiveram participação ativa na iniciativa, o Presidente do Conselho Económico e Social, António Correia de Campos, o presidente do IAPMEI, Nuno Mangas, o vice-presidente da CIP- Confederação Empresarial de Portugal, Gregório Rocha Novo, o Sociólogo Moisés Martins, e o Secretário Geral da UGT, Carlos Silva, a que se juntaram os empresários famalicenses Carlos Vieira de Castro e Tiago Freitas, administradores da Vieira de Castro e Porminho, respetivamente.  Moderou o debate Pedro Ivo Carvalho, Diretor-adjunto do Jornal de Notícias.

O receio não é, pois, que as máquinas vençam o Homem mas que o Homem não esteja preparado para funcionar com as máquinas.  “A baixa qualificação geral da população e a necessidade de modernização tecnológica das empresas é o grande desafio de futuro”, alertou Correia de Campos, depois do Ministro Pedro Siza Vieira ter reconhecido que “a competitividade de futuro passa pela modernização e digitalização. As pessoas foram e são o bem principal desta região, souberam superar a crise, ser resilientes e vencer. Vão continuar a ser também na indústria 4.0”.

AFS_0929.jpg

FAMALICÃO AJUDA A CRIAR EMPREGO

Câmara já ajudou a criar mais de mil postos de trabalho com os projetos Made 2IN. Autarquia prescindiu de receita de 2,3 milhões em benefício do emprego

Os projetos de investimento empresarial realizados em Vila Nova de Famalicão que beneficiaram da declaração de interesse público municipal ao abrigo do regulamento Made 2IN garantiram a criação de 1172 postos de trabalho entre 2015 e 2018. A câmara prescindiu de 2,3 milhões de receita fiscal com os benefícios atribuídos às empresas, mas ajudou a garantir desta forma uma fatia significativa do emprego criado nesse período no concelho.

AFS_9278.jpg

Foi um esforço financeiro que valeu a pena”, diz o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, lembrando que a criação do Regulamento Municipal Made 2IN teve precisamente como objetivo“cativar novos negócios para o concelho, geradores de mais e melhor emprego”.

O Regulamento Made 2IN está em vigor desde finais de 2014 e até agora foram aprovados 55 projetos empresariais de interesse municipal que representaram um investimento global de quase 190 milhões de euros.

Os números relativos a 2018 do Made 2IN, foram dados a conhecer na passada quinta-feira, 29 de agosto, na reunião do Executivo Municipal, e revelam a concretização de um montante de investimento superior a 52 milhões de euros no ano passado nos 14 projetos aprovados que significaram a criação direta de 91 novos postos de trabalho.

A construção da nova unidade industrial do grupo RNM, em Landim, o lançamento do inovador projeto NITRO por parte da Raclac e a ampliação das instalações da Vieira de Castro foram alguns dos projetos apoiados em 2018 pela Câmara Municipal nesse âmbito e que assim beneficiaram da concessão de benefícios fiscais quanto ao IMI, ao IMT e às taxas de licenciamento de operações urbanísticas. Com o apoio a estes 14 projetos empresariais de interesse municipal, o município atribuiuincentivos no montante global de 380 mil euros.

Em abril deste ano, o regulamento passou a ter novos critérios de classificação, passando a dar mais ênfase ao emprego criado e à sua qualidade do que ao montante de investimento realizado. Com as alterações introduzidas, passou também a valorizar-se a celebração de contratos de trabalho por tempo indeterminado – quando antes não era feita qualquer distinção entre contratos com e sem termo – e as empresas que melhorem a sua massa salarial anual total. O novo Regulamento Made 2IN introduziu também alterações nos benefícios fiscais concedidos aos empresários. A redução do valor das taxas das operações urbanísticas pode ir agora até aos 100%, contra o máximo de 50% previsto no anterior regulamento.

“Privilegiar a qualidade do trabalho e dessa forma valorizar as pessoas foi o grande objetivo das alterações introduzidas”, refere a propósito o vereador para a Economia, Empreendedorismo e Inovação, Augusto Lima, falando “numa adaptação do regulamento aos contextos conjunturais da realidade”.

Mais informações e a lista completa dos investimentos classificados em Famalicão de Interesse Municipal em www.famalicaomadein.pt.

AFS_7286.jpg

CELORICO DE BASTO BAIXA TAXA DE DESEMPREGO

Celorico de Basto com taxa de desemprego de 8,1%

Descida deve-se à crescente industrialização verificada nos diferentes polos do concelho, ao crescimento na área do turismo, da agricultura e do comércio.

Segundo dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional, neste último semestre, Celorico de Basto apresenta uma taxa de desemprego de 8,14%, uma taxa inferior à dos concelhos limítrofes, dos Municípios da Região de Basto e do Baixo Tâmega, à exceção de Felgueiras.

praça cardeal.jpg

Dados que demonstram o dinamismo económico e social do concelho ao longo dos últimos anos. Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, afirma que estes números são o reflexo de um trabalho contínuo em várias áreas de intervenção. “As nossas políticas sociais e económicas assentam em criar as melhores condições para que o investidor olhe para Celorico de Basto como um potencial de negócio, com espaços, pessoas qualificadas, dinamismo, acessibilidades. Ao longo dos tempos, e fruto de uma intervenção assertiva junto de empresários e empreendedores, temos um maior número de empresas no concelho, mais exportações, mais trabalhadores ao serviço nas empresas que, em muitos casos, trabalhavam fora do concelho, ou seja, um maior dinamismo económico”.

O autarca salienta ainda o crescimento do turismo, da Agricultura e do Comércio, setores que têm contribuído para a redução constante do número de desempregados. “Felizmente, Celorico de Basto é um concelho apelativo em várias setores económicos e com um potencial que tem vindo a ser descoberto e alavancado por vários empresários nomeadamente os setores do Comércio, Turismo e a Agricultura. O Município tem vindo a colaborar ativamente para contribuir para esse dinamismo com a criação de atividades múltiplas e atrativas, com o desenvolvimento de infraestruturas e serviços que vão de encontro às necessidades das pessoas e das empresas.

CONTINENTAL MABOR CRIA POSTOS DE TRABALHO EM FAMALICÃO

100 milhões e 100 novos empregos. Continental Mabor fortalece investimento em Famalicão

A Continental Mabor vai reforçar a sua aposta estratégica de crescimento em Vila Nova de Famalicão. Esta terça-feira, 11 de junho, anunciou mais um investimento para ampliação do complexo industrial em Lousado. São cerca de 100 milhões de euros para produzir pneus para veículos de movimentação de terras e para aplicações portuárias, de jantes superiores a 24 polegadas de diâmetro, num total de três novos modelos. Um investimento que representa a criação de mais 100 postos de trabalho e que deverá estar concluído em dois ou três anos, no máximo.

01_Continental_Lousado.jpg

“Através da criação de mais capacidade de produção, prosseguimos com a estratégia de crescimento na divisão de pneus. Esta nova linha de produção reflete claramente o nosso compromisso com estes segmentos e todo o negócio de pneus fora da estrada”, afirma Christian Kötz, administrador executivo do Grupo Continental e responsável para a divisão de pneus, em comunicado.

O novo pavilhão industrial, que está a ser construído junto da unidade de produção de pneus agrícolas – inaugurada em 2017 e que representou um investimento de 50 milhões de euros –, “estará equipado com os mais modernos equipamentos e dispositivos automáticos, que foram desenhados para produzir pneus radiais englobando elevados padrões ergonómicos", garante.

Ao mesmo tempo, a Continental Mabor está também a ampliar o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Lousado, que será utilizado para testes de performance e de qualidade de todos os pneus agrícolas, pneus para portos e para movimentação de terras.

“Com estes investimentos reforçamos a presença em Lousado e desenvolvemos uma fábrica que é das mais eficientes, apoiada num centro de competências para pneus radiais gigantes para uso fora da estrada”, sublinha Christian Kötz, acrescentando que esta nova unidade faz parte da estratégia de crescimento da Visão 2025 do Grupo Continental.

Já Pedro Carreira, presidente da Continental Mabor, sublinha que “este novo investimento reflete, uma vez mais, a confiança do acionista na equipa de Lousado” e segue a estratégia da equipa que lidera para a sustentabilidade da empresa, enfatizando o apoio do Estado português, “sem o qual não seria possível trazer mais este novo e importante investimento para a nossa comunidade e para o nosso país”.

Desde que chegou a Portugal, em 1990, a multinacional alemã de pneus já investiu 820 milhões de euros na unidade de Lousado através de sucessivas ampliações.

Paulo Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, congratula-se com o anúncio de uma nova frente de investimentos da Continental em Famalicão, “que vem reforçar o reconhecimento da casa-mãe da empresa pela competitividade do território e pela qualidade dos recursos humanos”. “A Continental é uma empresa de referência mundial e o seu crescimento em Famalicão na últimas décadas, associado a investimentos que se traduzem em emprego de qualidade, é uma grande notícia para Famalicão e para o país”, afirma.

No ano passado, a Continental Mabor produziu cerca de 18 milhões de pneus para viaturas de passageiros e comerciais ligeiros e mais de 11 mil pneus agrícolas, tendo fechado 2018 com mais de 2.150 pessoas no seu quadro permanente.

PONTE DE LIMA BAIXA TAXA DE DESEMPREGO

Ponte de Lima regista mais 830 novos postos de trabalho e a taxa de desemprego mais baixa do Distrito

O Concelho de Ponte de Lima, de acordo com os dados fornecidos pela Segurança Social, registou em 2018 um saldo positivo de mais 94 empresas e 830 postos de trabalho relativamente ao ano anterior. De notar, ainda, a baixa taxa de desemprego divulgada pelo INE (Instituto Nacional de Estatística) de apenas 3,75% reportada a fevereiro deste ano, uma das mais baixas de sempre e a mais baixa do distrito.

IMG_2571_Paços do Concelho_Miguel Costa (2).jpg

Mesmo neste cenário, manifestamente positivo, o Município continuar a apostar fortemente na criação de emprego, preferencialmente, qualificado, enquanto estratégia que tem contribuído para a concretização dos resultados anteriormente mencionados.

No que diz respeito às condições de atratividade e mesmo perante o esforço financeiro que está implícito a algumas dessas opções, tem sido possível à autarquia manter os benefícios fiscais que dependem de decisão dos órgãos municipais, bem como, outras medidas que possam levar a uma redução do custo de instalação ou funcionamento das empresas, permitindo libertar liquidez às empresas.

Estas medidas, associadas às excelentes condições físicas para o acolhimento empresarial, às excelentes acessibilidades do concelho e à qualidade de vida existente, fizeram aumentar significativamente o número de empresas que nos últimos anos apostaram em Ponte de Lima para concretizar ou expandir os seus investimentos.

Este cenário tende ainda a melhorar se considerarmos que muitos dos processos de licenciamento de empesas que se irão instalar nos Polos Industrias municipais da Queijada e da Gemieira, foram concluídos durante 2018, registando-se uma grande dinâmica de construção no primeiro trimestre deste ano. 

As empresas podem também contar com o apoio do Município, nomeadamente através de projetos específicos, que promovam a valorização económica dos recursos endógenos, que permitam a afirmação dos seus produtos e a procura de novos mercados. Assim e reconhecendo a importância do apoio a projetos/ideias que potenciem e valorizem os recursos do concelho e sejam geradores de emprego, o Município tem disponíveis diversos tipos de apoio, dos quais se destacam os programas Terra Finicia e Terra Incubadora, podendo os empresários dirigir-se ao Gabinete Terra, enquanto serviço da autarquia que os coordena. A realização de eventos, feiras e exposições ao longo do ano visando a promoção e valorização dos recursos endógenos e da economia local, são também outra iniciativa que é necessário ter em conta enquanto contributo fundamental para aquela estratégia.

MONÇÃO: “VOLTA DE APOIO AO EMPREGO 2019”

A Biblioteca Municipal de Monção recebeu, ontem, uma sessão de empregabilidade em contexto europeu, promovida pelo Centro de Informação Europe Direct do Minho (CIED Minho) e denominada “Volta de Apoio ao Emprego 2019”, contando com a presença de vários alunos e professores da Escola Profissional de Monção.

DSC_0552.JPG

A vereadora da Educação, Juventude e Recursos Humanos, Natália Rocha, deu as boas vindas aos presentes, agradeceu a disponibilidade da entidade organizadora, e desejou uma sessão esclarecedora e enriquecedora para o público presente.

Referindo-se aos estágios profissionais, deu nota que representam um importante instrumento de maturidade laboral e uma valiosa oportunidade de inserção profissional, incentivando os alunos a procurarem as melhores soluções rumo à concretização de um futuro risonho.

A coordenadora do CIED Minho, Alzira Costa, referiu que a missão daquele organismo incide na promoção de uma cidadania ativa e participativa dos cidadãos, permitindo uma interação constante com as instâncias europeias através do envio de perguntas, opiniões e sugestões. “Trata-se de uma porta de entrada e elo de ligação entre os cidadãos e a União Europeia” afirmou.

Por sua vez, a coordenadora do Centro de Emprego do Alto Minho, Benvinda Gonzalez, falou das várias valências daquele organismo afeto ao Instituto de Emprego e Formação Profissional, tendo aconselhado os presentes a visitarem o portal do IEFP para se inteirarem das possibilidades em aberto para quem pretende emprego ou criar o seu próprio negócio.  

Concluída a sessão de abertura, o programa continuou com duas comunicações de interesse para os jovens alunos da Escola Profissional de Monção. Primeiro com “Medidas ativas de emprego (estágios profissionais)”, da autoria Sheila Pereira, e depois, com “Trabalho na Europa, por onde começar?, da autoria de Sónia Trancoso. Ambas técnicas do IEFP.

DSC_0550.JPG

MONÇÃO REALIZA SESSÃO DE ESCLARECIMENTO SOBRE EMPREGABILIDADE

Como preencher um currículo? Qual a melhor forma de se candidatar a um estágio profissional? Qual a importância de um plano de negócios? O que fazer quando se pretende iniciar um negócio por conta própria?  O peso da experiência conta na procura de emprego? E o facto de pertencer a uma associação? E o voluntariado?

Eprami 01.JPG

Estas e outras questões foram respondidas por Hélio Silva, do Gabinete de Inserção Profissional, aos alunos da Escola Profissional de Monção (EPRAMI) que, esta quinta-feira, assistiram à sessão de esclarecimento sobre empregabilidade, no auditório da escola. 

Com base no portal do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Hélio Silva, esclareceu, durante uma hora, todas as temáticas relacionadas com a inserção no mundo laboral, destacando os requisitos inerentes aos estágios profissionais, questão importante para os alunos que preenchiam as cadeiras do auditório.

Presente na sessão, António Barbosa referiu que Monção conhece um impulso na criação de emprego com as áreas ligadas ao turismo e hotelaria na linha da frente da procura por parte dos visitantes. Ao contrário de outras épocas, acrescentou, hoje em dia não é preciso sair da nossa terra para garantir uma ocupação laboral.

Deixando uma porta aberta a quem o procurar, António Barbosa disse aos presentes que as opções de agora vão fazer toda a diferença no futuro, aconselhando-os a agirem com ponderação e responsabilidade durante a sua vida profissional.  No final, deu os parabéns à EPRAMI porque, como disse, o mercado de trabalho gosta dos jovens formados nesta escola.

CÂMARA DE CAMINHA CONTRATA 21 TRABALHADORES PARA AS ESCOLAS

19 auxiliares de ação educativa, 1 ajudante de cozinha e 1 motorista entram no quadro do Município através do programa de regularização extraordinária de vínculos precários

Está a chegar ao fim o programa de regularização extraordinária de vínculos precários na Câmara Municipal de Caminha. Depois de meses em concurso, o processo de preenchimento de 45 vagas do quadro municipal está praticamente concluído faltando terminar um concurso referente a motoristas para transporte escolar e afins. Os procedimentos decorrem de uma norma nacional que vise regularizar o conjunto de vínculos precários existentes na administração central e local fazendo justiça com os trabalhadores através da colmatação de lacunas e necessidades permanentes.

 O destaque deste concurso vai para a Educação, sector que vinha reclamando a necessidade de mais contratação e da estabilização do quadro de funcionários. Nesta área, já adquiriram vínculo permanente 21 trabalhadores, sendo 19 auxiliares de ação educativa, 1 ajudante de cozinha e 1 motorista, faltando terminar um último concurso para mais 3 vagas para o transporte escolar. Para o Presidente da Câmara Municipal de Caminha, “para além da justiça que se faz com inúmeros trabalhadores – incluindo aqueles que trabalham na Câmara há 6 e 7 anos – com a colmatação destas lacunas damos mais condições ao trabalho que se vem desenvolvendo nas escolas, correspondendo ao anseio de pais, professores e dos colegas que, muitas vezes, fazem o trabalho de dois. Todos os dias vemos notícias, de todo o país, sobre a falta de efetivos nas escolas. Hoje queremos informar os pais dos alunos do concelho de Caminha e toda a comunidade escolar, que a Câmara disponibiliza mais 21 trabalhadores, distribuídos por vários equipamentos, de modo a poder acompanhar os esforços que as famílias e o Agrupamento fazem.”

Logo que esteja finalizado o processo de regularização extraordinária de vínculos precários, entrarão 45 novos funcionários para os quadros do Município que vão ocupar vagas nas escolas (a grande maioria), no abrigo dos animais, nos serviços externos – cantoneiros de limpeza, carpinteiros, condutores de pesados – e nos sectores da Cultura, Desporto, Planeamento e Ação Social.

MUNICÍPIO DE BRAGA PROMOVE EMPREGABILIDADE E INTEGRAÇÃO SOCIOPROFISSIONAL NOS BAIRROS SOCIAIS

Promover a empregabilidade e a integração socioprofissional dos cidadãos, através da criação de um serviço de proximidade que sirva os três bairros sociais de Braga, é o propósito do programa ‘(+)Próximo: Percursos para a Empregabilidade’ que disponibiliza um itinerário de qualificação personalizado, com vista a garantir a autonomia socioeconómica.

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017486.jpg

O programa, coordenado pela Bragahabit, integra-se no projecto ‘(Re)Escrever o Nosso Bairro’, desenvolvido pelo Município de Braga, e arrancou esta Quarta-feira, 13 de Fevereiro, no bairro das Enguardas.

Firmino Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, marcou presença no arranque dos trabalhos e explicou que com este programa “pretende-se criar uma resposta inovadora de aproximação às comunidades, no âmbito da empregabilidade e inserção socioprofissional”.

O projecto consiste na deslocação dos técnicos aos bairros através de posto de atendimento móvel, fruto da adaptação e reconfiguração de uma viatura da Bragahabit. “Este posto de atendimento móvel está configurado com equipamento informático e ligação à internet, onde os técnicos podem, de forma célere, realizar diversas actividades que visam catalisar empregabilidade dos cidadãos”, explicou Firmino Marques.

O atendimento personalizado e integrado “é um elemento facilitador e de incentivo para a aquisição de maiores qualificações por parte desta população, aproximando os cidadãos desempregados dos serviços e respostas da comunidade ao nível da empregabilidade”, referiu Firmino Marques, adiantando que esta estrutura móvel de atendimento permitirá percorrer os bairros sociais, com horários distribuídos pelos dias da semana.

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017487.jpg

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017489.jpg

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017491.jpg

PROJETO DE CAPACITAÇÃO DESENVOLVE SOFT SKILLS

Para nos dar a conhecer a importância das soft skills na inserção laboral de pessoas em exclusão, o BLOGUE DO MINHO entrevistou a Drª Benedita Aguiar.

Entrevista.jpg

Blogue do Minho: Qual o objetivo do projeto de Capacitação para a Inclusão?

Benedita Aguiar: O projeto pretende, a curto prazo, promover o empowerment, dinamizando os recursos individuais (ex: autoestima e autoconceito) e coletivos (ex: disponibilizar o acesso à informação). Pretende-se ainda despoletar as disposições de ativação para a construção da autonomia existência, social e económica. A médio prazo tem como objetivo promover o acesso ao mercado de trabalho (por via do desenvolvimento pessoal e social e da integração em percursos de dupla certificação). Pretende-se, também, estimular uma maior estabilidade ao nível da gestão das redes de suporte social (ex: família ou instituições de suporte). A longo prazo pretende-se inserir e incluir social e profissionalmente os destinatários, promovendo a contribuição individual para o desenvolvimento económico, por via do trabalho justamente remunerado, quebrando desta forma o ciclo de pobreza e exclusão social.

Blogue do Minho: Quais os destinatários do projeto?

Benedita Aguiar: Os destinatários são pessoas altamente vulneráveis, desprovidas de competências pessoais e sociais e, por conseguinte, com severas dificuldades de inserção social e profissional.

Blogue do Minho: Hoje em dia as empresas tendem a recrutar colaboradores que detenham não apenas competências técnicas/ profissionais, mas também competências sociais.

Considerando que o projeto visou intervir em pessoas socialmente excluídas, de que forma trabalharam as competências sociais ao longo do mesmo?

Benedita Aguiar: Na realidade as hard skills (competências técnicas/ profissionais) são importantes, mas as soft skills (habilidades sociais e comunicacionais) assumem cada vez mais um papel preponderante, na hora de contratar.

Assim, no âmbito do projeto, os formadores incidiram a sua intervenção nos seguintes domínicos: capacidades comunicacionais, espírito de equipa, motivação, criatividade, competências de resolução de problemas, pensamento crítico, gestão do tempo, atitude positiva e proativa, flexibilidade e networking.

O trabalho destes temas implicou a adoção de metodologias formativas dinâmicas, capazes de envolver os formandos, transportando para as sessões a sua experiência de Vida. Por outro lado, foi incentivada a participação em workshops e ações de sensibilização que versaram o tema das Soft Skills. Por último, foi dinamizada uma sessão de promoção da imagem pessoal, cujo principal objetivo foi o incremento de uma imagem positiva, que favorecesse a inserção social e laboral.

Blogue do Minho: Considera que a capacitação para a inclusão pode dar um contributo no combate à exclusão social?

Benedita Aguiar: A capacitação de pessoas em situação de exclusão social é, de facto, uma importante estratégia para mitigar local e regionalmente aquele fenómeno.

Na realidade, se não proporcionarmos oportunidades de mudança às pessoas que vivenciam situações de exclusão multifacetadas, o problema vai perpetuar-se e tende a agravar-se. Aliás, Mazza (2005) referiu que a melhoria do capital humano, através do incremento da educação, contribui para o aumento da inclusão social. Também Lesbaupin (2000) salientou a importância da criação de condições para o (re) ingresso no mercado de trabalho, enquanto fator preponderante no processo de inclusão social. Estes são alguns dados que confirmam a importância da capacitação para a inclusão, enquanto ferramenta de combate efetivo à exclusão social.

Blogue do Minho: Articularam com as entidades locais no processo de seleção dos formandos?

Benedita Aguiar: Sim. Articulamos com a autarquia, juntas de freguesia, núcleos de acompanhamento do Rendimento Social de Inserção e outras entidades que operam com população em situação de exclusão social. Na realidade esta articulação foi importante, pois permitiu garantir um maior rigor na primeira triagem dos beneficiários.

QUEM PRETENDE TORNAR-SE TRIPULANTE DE CABINA?

Inscrições abertas para curso inicial de tripulante de cabina. 1ª edição do curso decorre de 6 a 28 de Maio

Estão abertas as inscrições para o curso inicial de tripulante de cabina que irá decorrer entre os dias 6 e 28 de Maio. Esta formação resulta de uma parceria estabelecida entre o Município de Braga e o Absant Group, entidade especializada em Consultoria e Formação em Aviação Civil.

BANNER-BRAGA-20.jpg

Para mais informações sobre a Formação Inicial de Tripulante de Cabina e para consultar a oferta de serviços do Absant Group visite o website:https://www.absant-group.pt ou contacte através do e-mail: formacao@absant-group.pt e dos telefones 217 272 368 / 927 413 517.

A Formação Inicial de Tripulante de Cabina é composta por parte teórica e parte prática, em alinhamento com a Regulamentação Europeia e Nacional aplicáveis, correspondendo a uma carga horária total de 102 horas.

Este curso está certificado pela Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) em Portugal, sendo a ABSANT TRAINING uma TRAINING ORGANISATION Certificada por esta Autoridade (Certificado PT.OF.CC.002).

Nos últimos anos, projecções de crescimento do sector da Aviação Civil, apontam para o aumento exponencial, a nível global, das necessidades de recursos humanos nesta área, com significativa incidência na Função de Tripulante de Cabina, o que pode constituir uma importante saída profissional para os jovens bracarenses e do Norte de Portugal.

O Curso Inicial de Tripulantes de Cabina tem como objectivo familiarizar os formandos com o ambiente que caracteriza a aviação civil, proporcionando a aquisição dos conhecimentos, competências e atitudes que lhes permitam assegurar a segurança do voo e dos passageiros em situações normais, anormais e de emergência.

A conclusão com aproveitamento no curso permite aos formandos receberem o seu atestado, emitido pela ANAC, e dá-lhes a possibilidade de poder exercer a Função de Tripulante de Cabina nas Companhias Aéreas da União Europeia e de outros países.

BRAGA PROMOVE EMPREGO DE QUALIDADE

Braga integra projecto transfronteiriço para criação de emprego de qualidade. Programa destinado às Pequenas e Médias Empresas

O Município de Braga apresentou esta Sexta-feira, 18 de Janeiro, o projecto GEMCAT – Geração de Emprego de Qualidade Transfronteiriço com o qual se pretende estimular a criação e manutenção de emprego de qualidade, no âmbito da Inclusão de Responsabilidade Social e Empresarial (RSE) nas PME’s.

CMB18012019SERGIOFREITAS00000017299.jpg

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o objectivo do projecto passa por encontrar boas práticas de estímulo à geração de emprego de qualidade no território transfronteiriço do Norte de Portugal e Espanha. “Com a participação neste projecto queremos não apenas dar a conhecer o que já existe em matéria de responsabilidade social empresarial, mas estender esta realidade para o máximo de empresas possível”, salientou o Autarca, destacando o compromisso que Braga e as suas empresas têm vindo a assumir nesta área.

CMB18012019SERGIOFREITAS00000017301.jpg

O Programa de Inclusão de RSE tem como objectivo dar a conhecer e apoiar a implementação de medidas de igualdade de oportunidades a favor da conciliação trabalho-família, bem como incentivar as PME’s a assumirem uma postura social, ambiental e económica mais responsável, concorrendo, deste modo, para a melhoria da competitividade das regiões em que se inserem e da qualidade de vida do emprego.

O projecto, financiado pelo Interreg, vai incluir sete empresas, que se devem inscrever na página da internet da Câmara Municipal de Braga. Para fazer parte do grupo pioneiro, as empresas devem ser de Braga, do sector privado, e ter entre 10 e 250 colaboradores.

As empresas seleccionadas vão usufruir de mentoria que inclui um diagnóstico preliminar sobre a empresa e a construção de um plano de acção com medidas concretas a implementar e impulsionar no âmbito da RSE. No decurso do programa de mentoria, as empresas terão ainda a oportunidade de participar em sessões de partilha de Boas Práticas de RSE com outras empresas.

Com o objectivo de estimular a criação e manutenção de emprego de qualidade e, assim, construir um quadro de cooperação institucional de onde advenham resultados concretos e melhorias tangíveis no mercado de trabalho transfronteiriço entre Portugal e Espanha, através do intercâmbio conjunto de experiências, este projecto conta com a participação de parceiros da Euroregião Galiza – Norte de Portugal.

Para além do Município de Braga participam na dinamização das actividades do GEMCAT a Comissão Intermunicipal do Alto Minho, a Universidade do Porto, a Consejeria da Educação e Emprego da Junta de Extremadura, a Consejería de Emprego da Junta de Castela e Leão e a Secretaria Geral de Emprego da Junta da Galiza, que actua como líder do projecto.

CMB18012019SERGIOFREITAS00000017304.jpg

EMPRESA TÊXTIL CRIA POSTOS DE TRABALHO EM ESPOSENDE

Grupo Becri investe mais de 3 milhões de euros em Esposende

Gubec i&d in Textiles, prevê que, a curto prazo, contar com mais de 100 trabalhadores

.

O Grupo Becri investe em Esposende mais de 3 milhões de euros na aquisição e expansão de uma unidade industrial. A Gubec i&d in Textiles, que neste momento emprega mais de 70 pessoas, prevê que, a curto prazo, venha a empregar mais 30 a 50 trabalhadores, dedicando a sua produção exclusivamente à exportação e com objetivos de faturação a rondar os 13 a 15 milhões de euros.

.

Já em laboração, a Gubec i&d in Textiles, prepara-se para avançar com obras de expansão e remodelação das instalações, reorganizando a disposição dos diversos setores (corte, acabamento, embalamento e exportação) e criando uma ampla área social, facultando melhores condições aos seus colaboradores.

“As nossas empresas são pessoas. Por isso, é política da empresa, canalizar a maximização dos investimentos para a própria empresa, para os trabalhadores e para a comunidade envolvente”, referiu Rui Costa, CEO da Gubec i&d in Textiles, durante a visita às instalações do presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, do vereador das Atividades Económicas, Sérgio Mano e Armando Santos, diretor do IEFP de Barcelos, durante a qual foi acompanhado pelos sócios da empresa, José Costa, Jorge Costa e Américo Alves.

“O Município de Esposende definiu fatores estratégicos e de estímulo à instalação de empresas, plasmadas no Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento, que se traduzem na redução e isenção de taxas e concessão de benefícios fiscais, assegurando aos investidores e empreendedores a oportunidade para a concretização dos seus negócios no concelho”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal de Esposende. Por esta via, o Município pretende criar condições para fomentar o desenvolvimento económico do concelho, através da captação de empresas de diferentes ramos e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida da população, dando assim, mais um valioso contributo para o cumprimento do ODS8 – Trabalho digno e crescimento económico e ODS9 – Indústria, inovação e infraestruturas.

De resto, a importância conferida aos empresários, pelo Município de Esposende, enquanto parceiros do desenvolvimento económico do concelho, está na génese das medidas facilitadoras de incentivo ao investimento. “O país consegue exponenciar a criação de riqueza com as exportações e com o turismo. Por isso, o concelho de Esposende está muito bem posicionado nestas duas áreas e continuará a apontar estes eixos estratégicos como fundamentais para o desenvolvimento harmonioso do concelho”, adiantou o presidente da Câmara Municipal de Esposende.

O Grupo Becri, com um volume de negócios superior a 45.000.000,00 €, emprega mais de 400 trabalhadores diretos, divididos pelas suas três empresas, mas abarca um universo de 2 mil pessoas, se considerarmos aqueles que trabalham direta ou indiretamente com o Grupo.

.