Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO AJUDA A CRIAR EMPREGO

Câmara já ajudou a criar mais de mil postos de trabalho com os projetos Made 2IN. Autarquia prescindiu de receita de 2,3 milhões em benefício do emprego

Os projetos de investimento empresarial realizados em Vila Nova de Famalicão que beneficiaram da declaração de interesse público municipal ao abrigo do regulamento Made 2IN garantiram a criação de 1172 postos de trabalho entre 2015 e 2018. A câmara prescindiu de 2,3 milhões de receita fiscal com os benefícios atribuídos às empresas, mas ajudou a garantir desta forma uma fatia significativa do emprego criado nesse período no concelho.

AFS_9278.jpg

Foi um esforço financeiro que valeu a pena”, diz o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, lembrando que a criação do Regulamento Municipal Made 2IN teve precisamente como objetivo“cativar novos negócios para o concelho, geradores de mais e melhor emprego”.

O Regulamento Made 2IN está em vigor desde finais de 2014 e até agora foram aprovados 55 projetos empresariais de interesse municipal que representaram um investimento global de quase 190 milhões de euros.

Os números relativos a 2018 do Made 2IN, foram dados a conhecer na passada quinta-feira, 29 de agosto, na reunião do Executivo Municipal, e revelam a concretização de um montante de investimento superior a 52 milhões de euros no ano passado nos 14 projetos aprovados que significaram a criação direta de 91 novos postos de trabalho.

A construção da nova unidade industrial do grupo RNM, em Landim, o lançamento do inovador projeto NITRO por parte da Raclac e a ampliação das instalações da Vieira de Castro foram alguns dos projetos apoiados em 2018 pela Câmara Municipal nesse âmbito e que assim beneficiaram da concessão de benefícios fiscais quanto ao IMI, ao IMT e às taxas de licenciamento de operações urbanísticas. Com o apoio a estes 14 projetos empresariais de interesse municipal, o município atribuiuincentivos no montante global de 380 mil euros.

Em abril deste ano, o regulamento passou a ter novos critérios de classificação, passando a dar mais ênfase ao emprego criado e à sua qualidade do que ao montante de investimento realizado. Com as alterações introduzidas, passou também a valorizar-se a celebração de contratos de trabalho por tempo indeterminado – quando antes não era feita qualquer distinção entre contratos com e sem termo – e as empresas que melhorem a sua massa salarial anual total. O novo Regulamento Made 2IN introduziu também alterações nos benefícios fiscais concedidos aos empresários. A redução do valor das taxas das operações urbanísticas pode ir agora até aos 100%, contra o máximo de 50% previsto no anterior regulamento.

“Privilegiar a qualidade do trabalho e dessa forma valorizar as pessoas foi o grande objetivo das alterações introduzidas”, refere a propósito o vereador para a Economia, Empreendedorismo e Inovação, Augusto Lima, falando “numa adaptação do regulamento aos contextos conjunturais da realidade”.

Mais informações e a lista completa dos investimentos classificados em Famalicão de Interesse Municipal em www.famalicaomadein.pt.

AFS_7286.jpg

CELORICO DE BASTO BAIXA TAXA DE DESEMPREGO

Celorico de Basto com taxa de desemprego de 8,1%

Descida deve-se à crescente industrialização verificada nos diferentes polos do concelho, ao crescimento na área do turismo, da agricultura e do comércio.

Segundo dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional, neste último semestre, Celorico de Basto apresenta uma taxa de desemprego de 8,14%, uma taxa inferior à dos concelhos limítrofes, dos Municípios da Região de Basto e do Baixo Tâmega, à exceção de Felgueiras.

praça cardeal.jpg

Dados que demonstram o dinamismo económico e social do concelho ao longo dos últimos anos. Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, afirma que estes números são o reflexo de um trabalho contínuo em várias áreas de intervenção. “As nossas políticas sociais e económicas assentam em criar as melhores condições para que o investidor olhe para Celorico de Basto como um potencial de negócio, com espaços, pessoas qualificadas, dinamismo, acessibilidades. Ao longo dos tempos, e fruto de uma intervenção assertiva junto de empresários e empreendedores, temos um maior número de empresas no concelho, mais exportações, mais trabalhadores ao serviço nas empresas que, em muitos casos, trabalhavam fora do concelho, ou seja, um maior dinamismo económico”.

O autarca salienta ainda o crescimento do turismo, da Agricultura e do Comércio, setores que têm contribuído para a redução constante do número de desempregados. “Felizmente, Celorico de Basto é um concelho apelativo em várias setores económicos e com um potencial que tem vindo a ser descoberto e alavancado por vários empresários nomeadamente os setores do Comércio, Turismo e a Agricultura. O Município tem vindo a colaborar ativamente para contribuir para esse dinamismo com a criação de atividades múltiplas e atrativas, com o desenvolvimento de infraestruturas e serviços que vão de encontro às necessidades das pessoas e das empresas.

CONTINENTAL MABOR CRIA POSTOS DE TRABALHO EM FAMALICÃO

100 milhões e 100 novos empregos. Continental Mabor fortalece investimento em Famalicão

A Continental Mabor vai reforçar a sua aposta estratégica de crescimento em Vila Nova de Famalicão. Esta terça-feira, 11 de junho, anunciou mais um investimento para ampliação do complexo industrial em Lousado. São cerca de 100 milhões de euros para produzir pneus para veículos de movimentação de terras e para aplicações portuárias, de jantes superiores a 24 polegadas de diâmetro, num total de três novos modelos. Um investimento que representa a criação de mais 100 postos de trabalho e que deverá estar concluído em dois ou três anos, no máximo.

01_Continental_Lousado.jpg

“Através da criação de mais capacidade de produção, prosseguimos com a estratégia de crescimento na divisão de pneus. Esta nova linha de produção reflete claramente o nosso compromisso com estes segmentos e todo o negócio de pneus fora da estrada”, afirma Christian Kötz, administrador executivo do Grupo Continental e responsável para a divisão de pneus, em comunicado.

O novo pavilhão industrial, que está a ser construído junto da unidade de produção de pneus agrícolas – inaugurada em 2017 e que representou um investimento de 50 milhões de euros –, “estará equipado com os mais modernos equipamentos e dispositivos automáticos, que foram desenhados para produzir pneus radiais englobando elevados padrões ergonómicos", garante.

Ao mesmo tempo, a Continental Mabor está também a ampliar o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Lousado, que será utilizado para testes de performance e de qualidade de todos os pneus agrícolas, pneus para portos e para movimentação de terras.

“Com estes investimentos reforçamos a presença em Lousado e desenvolvemos uma fábrica que é das mais eficientes, apoiada num centro de competências para pneus radiais gigantes para uso fora da estrada”, sublinha Christian Kötz, acrescentando que esta nova unidade faz parte da estratégia de crescimento da Visão 2025 do Grupo Continental.

Já Pedro Carreira, presidente da Continental Mabor, sublinha que “este novo investimento reflete, uma vez mais, a confiança do acionista na equipa de Lousado” e segue a estratégia da equipa que lidera para a sustentabilidade da empresa, enfatizando o apoio do Estado português, “sem o qual não seria possível trazer mais este novo e importante investimento para a nossa comunidade e para o nosso país”.

Desde que chegou a Portugal, em 1990, a multinacional alemã de pneus já investiu 820 milhões de euros na unidade de Lousado através de sucessivas ampliações.

Paulo Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, congratula-se com o anúncio de uma nova frente de investimentos da Continental em Famalicão, “que vem reforçar o reconhecimento da casa-mãe da empresa pela competitividade do território e pela qualidade dos recursos humanos”. “A Continental é uma empresa de referência mundial e o seu crescimento em Famalicão na últimas décadas, associado a investimentos que se traduzem em emprego de qualidade, é uma grande notícia para Famalicão e para o país”, afirma.

No ano passado, a Continental Mabor produziu cerca de 18 milhões de pneus para viaturas de passageiros e comerciais ligeiros e mais de 11 mil pneus agrícolas, tendo fechado 2018 com mais de 2.150 pessoas no seu quadro permanente.

PONTE DE LIMA BAIXA TAXA DE DESEMPREGO

Ponte de Lima regista mais 830 novos postos de trabalho e a taxa de desemprego mais baixa do Distrito

O Concelho de Ponte de Lima, de acordo com os dados fornecidos pela Segurança Social, registou em 2018 um saldo positivo de mais 94 empresas e 830 postos de trabalho relativamente ao ano anterior. De notar, ainda, a baixa taxa de desemprego divulgada pelo INE (Instituto Nacional de Estatística) de apenas 3,75% reportada a fevereiro deste ano, uma das mais baixas de sempre e a mais baixa do distrito.

IMG_2571_Paços do Concelho_Miguel Costa (2).jpg

Mesmo neste cenário, manifestamente positivo, o Município continuar a apostar fortemente na criação de emprego, preferencialmente, qualificado, enquanto estratégia que tem contribuído para a concretização dos resultados anteriormente mencionados.

No que diz respeito às condições de atratividade e mesmo perante o esforço financeiro que está implícito a algumas dessas opções, tem sido possível à autarquia manter os benefícios fiscais que dependem de decisão dos órgãos municipais, bem como, outras medidas que possam levar a uma redução do custo de instalação ou funcionamento das empresas, permitindo libertar liquidez às empresas.

Estas medidas, associadas às excelentes condições físicas para o acolhimento empresarial, às excelentes acessibilidades do concelho e à qualidade de vida existente, fizeram aumentar significativamente o número de empresas que nos últimos anos apostaram em Ponte de Lima para concretizar ou expandir os seus investimentos.

Este cenário tende ainda a melhorar se considerarmos que muitos dos processos de licenciamento de empesas que se irão instalar nos Polos Industrias municipais da Queijada e da Gemieira, foram concluídos durante 2018, registando-se uma grande dinâmica de construção no primeiro trimestre deste ano. 

As empresas podem também contar com o apoio do Município, nomeadamente através de projetos específicos, que promovam a valorização económica dos recursos endógenos, que permitam a afirmação dos seus produtos e a procura de novos mercados. Assim e reconhecendo a importância do apoio a projetos/ideias que potenciem e valorizem os recursos do concelho e sejam geradores de emprego, o Município tem disponíveis diversos tipos de apoio, dos quais se destacam os programas Terra Finicia e Terra Incubadora, podendo os empresários dirigir-se ao Gabinete Terra, enquanto serviço da autarquia que os coordena. A realização de eventos, feiras e exposições ao longo do ano visando a promoção e valorização dos recursos endógenos e da economia local, são também outra iniciativa que é necessário ter em conta enquanto contributo fundamental para aquela estratégia.

MONÇÃO: “VOLTA DE APOIO AO EMPREGO 2019”

A Biblioteca Municipal de Monção recebeu, ontem, uma sessão de empregabilidade em contexto europeu, promovida pelo Centro de Informação Europe Direct do Minho (CIED Minho) e denominada “Volta de Apoio ao Emprego 2019”, contando com a presença de vários alunos e professores da Escola Profissional de Monção.

DSC_0552.JPG

A vereadora da Educação, Juventude e Recursos Humanos, Natália Rocha, deu as boas vindas aos presentes, agradeceu a disponibilidade da entidade organizadora, e desejou uma sessão esclarecedora e enriquecedora para o público presente.

Referindo-se aos estágios profissionais, deu nota que representam um importante instrumento de maturidade laboral e uma valiosa oportunidade de inserção profissional, incentivando os alunos a procurarem as melhores soluções rumo à concretização de um futuro risonho.

A coordenadora do CIED Minho, Alzira Costa, referiu que a missão daquele organismo incide na promoção de uma cidadania ativa e participativa dos cidadãos, permitindo uma interação constante com as instâncias europeias através do envio de perguntas, opiniões e sugestões. “Trata-se de uma porta de entrada e elo de ligação entre os cidadãos e a União Europeia” afirmou.

Por sua vez, a coordenadora do Centro de Emprego do Alto Minho, Benvinda Gonzalez, falou das várias valências daquele organismo afeto ao Instituto de Emprego e Formação Profissional, tendo aconselhado os presentes a visitarem o portal do IEFP para se inteirarem das possibilidades em aberto para quem pretende emprego ou criar o seu próprio negócio.  

Concluída a sessão de abertura, o programa continuou com duas comunicações de interesse para os jovens alunos da Escola Profissional de Monção. Primeiro com “Medidas ativas de emprego (estágios profissionais)”, da autoria Sheila Pereira, e depois, com “Trabalho na Europa, por onde começar?, da autoria de Sónia Trancoso. Ambas técnicas do IEFP.

DSC_0550.JPG

MONÇÃO REALIZA SESSÃO DE ESCLARECIMENTO SOBRE EMPREGABILIDADE

Como preencher um currículo? Qual a melhor forma de se candidatar a um estágio profissional? Qual a importância de um plano de negócios? O que fazer quando se pretende iniciar um negócio por conta própria?  O peso da experiência conta na procura de emprego? E o facto de pertencer a uma associação? E o voluntariado?

Eprami 01.JPG

Estas e outras questões foram respondidas por Hélio Silva, do Gabinete de Inserção Profissional, aos alunos da Escola Profissional de Monção (EPRAMI) que, esta quinta-feira, assistiram à sessão de esclarecimento sobre empregabilidade, no auditório da escola. 

Com base no portal do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Hélio Silva, esclareceu, durante uma hora, todas as temáticas relacionadas com a inserção no mundo laboral, destacando os requisitos inerentes aos estágios profissionais, questão importante para os alunos que preenchiam as cadeiras do auditório.

Presente na sessão, António Barbosa referiu que Monção conhece um impulso na criação de emprego com as áreas ligadas ao turismo e hotelaria na linha da frente da procura por parte dos visitantes. Ao contrário de outras épocas, acrescentou, hoje em dia não é preciso sair da nossa terra para garantir uma ocupação laboral.

Deixando uma porta aberta a quem o procurar, António Barbosa disse aos presentes que as opções de agora vão fazer toda a diferença no futuro, aconselhando-os a agirem com ponderação e responsabilidade durante a sua vida profissional.  No final, deu os parabéns à EPRAMI porque, como disse, o mercado de trabalho gosta dos jovens formados nesta escola.

CÂMARA DE CAMINHA CONTRATA 21 TRABALHADORES PARA AS ESCOLAS

19 auxiliares de ação educativa, 1 ajudante de cozinha e 1 motorista entram no quadro do Município através do programa de regularização extraordinária de vínculos precários

Está a chegar ao fim o programa de regularização extraordinária de vínculos precários na Câmara Municipal de Caminha. Depois de meses em concurso, o processo de preenchimento de 45 vagas do quadro municipal está praticamente concluído faltando terminar um concurso referente a motoristas para transporte escolar e afins. Os procedimentos decorrem de uma norma nacional que vise regularizar o conjunto de vínculos precários existentes na administração central e local fazendo justiça com os trabalhadores através da colmatação de lacunas e necessidades permanentes.

 O destaque deste concurso vai para a Educação, sector que vinha reclamando a necessidade de mais contratação e da estabilização do quadro de funcionários. Nesta área, já adquiriram vínculo permanente 21 trabalhadores, sendo 19 auxiliares de ação educativa, 1 ajudante de cozinha e 1 motorista, faltando terminar um último concurso para mais 3 vagas para o transporte escolar. Para o Presidente da Câmara Municipal de Caminha, “para além da justiça que se faz com inúmeros trabalhadores – incluindo aqueles que trabalham na Câmara há 6 e 7 anos – com a colmatação destas lacunas damos mais condições ao trabalho que se vem desenvolvendo nas escolas, correspondendo ao anseio de pais, professores e dos colegas que, muitas vezes, fazem o trabalho de dois. Todos os dias vemos notícias, de todo o país, sobre a falta de efetivos nas escolas. Hoje queremos informar os pais dos alunos do concelho de Caminha e toda a comunidade escolar, que a Câmara disponibiliza mais 21 trabalhadores, distribuídos por vários equipamentos, de modo a poder acompanhar os esforços que as famílias e o Agrupamento fazem.”

Logo que esteja finalizado o processo de regularização extraordinária de vínculos precários, entrarão 45 novos funcionários para os quadros do Município que vão ocupar vagas nas escolas (a grande maioria), no abrigo dos animais, nos serviços externos – cantoneiros de limpeza, carpinteiros, condutores de pesados – e nos sectores da Cultura, Desporto, Planeamento e Ação Social.

MUNICÍPIO DE BRAGA PROMOVE EMPREGABILIDADE E INTEGRAÇÃO SOCIOPROFISSIONAL NOS BAIRROS SOCIAIS

Promover a empregabilidade e a integração socioprofissional dos cidadãos, através da criação de um serviço de proximidade que sirva os três bairros sociais de Braga, é o propósito do programa ‘(+)Próximo: Percursos para a Empregabilidade’ que disponibiliza um itinerário de qualificação personalizado, com vista a garantir a autonomia socioeconómica.

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017486.jpg

O programa, coordenado pela Bragahabit, integra-se no projecto ‘(Re)Escrever o Nosso Bairro’, desenvolvido pelo Município de Braga, e arrancou esta Quarta-feira, 13 de Fevereiro, no bairro das Enguardas.

Firmino Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, marcou presença no arranque dos trabalhos e explicou que com este programa “pretende-se criar uma resposta inovadora de aproximação às comunidades, no âmbito da empregabilidade e inserção socioprofissional”.

O projecto consiste na deslocação dos técnicos aos bairros através de posto de atendimento móvel, fruto da adaptação e reconfiguração de uma viatura da Bragahabit. “Este posto de atendimento móvel está configurado com equipamento informático e ligação à internet, onde os técnicos podem, de forma célere, realizar diversas actividades que visam catalisar empregabilidade dos cidadãos”, explicou Firmino Marques.

O atendimento personalizado e integrado “é um elemento facilitador e de incentivo para a aquisição de maiores qualificações por parte desta população, aproximando os cidadãos desempregados dos serviços e respostas da comunidade ao nível da empregabilidade”, referiu Firmino Marques, adiantando que esta estrutura móvel de atendimento permitirá percorrer os bairros sociais, com horários distribuídos pelos dias da semana.

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017487.jpg

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017489.jpg

CMB13022019SERGIOFREITAS00000017491.jpg

PROJETO DE CAPACITAÇÃO DESENVOLVE SOFT SKILLS

Para nos dar a conhecer a importância das soft skills na inserção laboral de pessoas em exclusão, o BLOGUE DO MINHO entrevistou a Drª Benedita Aguiar.

Entrevista.jpg

Blogue do Minho: Qual o objetivo do projeto de Capacitação para a Inclusão?

Benedita Aguiar: O projeto pretende, a curto prazo, promover o empowerment, dinamizando os recursos individuais (ex: autoestima e autoconceito) e coletivos (ex: disponibilizar o acesso à informação). Pretende-se ainda despoletar as disposições de ativação para a construção da autonomia existência, social e económica. A médio prazo tem como objetivo promover o acesso ao mercado de trabalho (por via do desenvolvimento pessoal e social e da integração em percursos de dupla certificação). Pretende-se, também, estimular uma maior estabilidade ao nível da gestão das redes de suporte social (ex: família ou instituições de suporte). A longo prazo pretende-se inserir e incluir social e profissionalmente os destinatários, promovendo a contribuição individual para o desenvolvimento económico, por via do trabalho justamente remunerado, quebrando desta forma o ciclo de pobreza e exclusão social.

Blogue do Minho: Quais os destinatários do projeto?

Benedita Aguiar: Os destinatários são pessoas altamente vulneráveis, desprovidas de competências pessoais e sociais e, por conseguinte, com severas dificuldades de inserção social e profissional.

Blogue do Minho: Hoje em dia as empresas tendem a recrutar colaboradores que detenham não apenas competências técnicas/ profissionais, mas também competências sociais.

Considerando que o projeto visou intervir em pessoas socialmente excluídas, de que forma trabalharam as competências sociais ao longo do mesmo?

Benedita Aguiar: Na realidade as hard skills (competências técnicas/ profissionais) são importantes, mas as soft skills (habilidades sociais e comunicacionais) assumem cada vez mais um papel preponderante, na hora de contratar.

Assim, no âmbito do projeto, os formadores incidiram a sua intervenção nos seguintes domínicos: capacidades comunicacionais, espírito de equipa, motivação, criatividade, competências de resolução de problemas, pensamento crítico, gestão do tempo, atitude positiva e proativa, flexibilidade e networking.

O trabalho destes temas implicou a adoção de metodologias formativas dinâmicas, capazes de envolver os formandos, transportando para as sessões a sua experiência de Vida. Por outro lado, foi incentivada a participação em workshops e ações de sensibilização que versaram o tema das Soft Skills. Por último, foi dinamizada uma sessão de promoção da imagem pessoal, cujo principal objetivo foi o incremento de uma imagem positiva, que favorecesse a inserção social e laboral.

Blogue do Minho: Considera que a capacitação para a inclusão pode dar um contributo no combate à exclusão social?

Benedita Aguiar: A capacitação de pessoas em situação de exclusão social é, de facto, uma importante estratégia para mitigar local e regionalmente aquele fenómeno.

Na realidade, se não proporcionarmos oportunidades de mudança às pessoas que vivenciam situações de exclusão multifacetadas, o problema vai perpetuar-se e tende a agravar-se. Aliás, Mazza (2005) referiu que a melhoria do capital humano, através do incremento da educação, contribui para o aumento da inclusão social. Também Lesbaupin (2000) salientou a importância da criação de condições para o (re) ingresso no mercado de trabalho, enquanto fator preponderante no processo de inclusão social. Estes são alguns dados que confirmam a importância da capacitação para a inclusão, enquanto ferramenta de combate efetivo à exclusão social.

Blogue do Minho: Articularam com as entidades locais no processo de seleção dos formandos?

Benedita Aguiar: Sim. Articulamos com a autarquia, juntas de freguesia, núcleos de acompanhamento do Rendimento Social de Inserção e outras entidades que operam com população em situação de exclusão social. Na realidade esta articulação foi importante, pois permitiu garantir um maior rigor na primeira triagem dos beneficiários.

QUEM PRETENDE TORNAR-SE TRIPULANTE DE CABINA?

Inscrições abertas para curso inicial de tripulante de cabina. 1ª edição do curso decorre de 6 a 28 de Maio

Estão abertas as inscrições para o curso inicial de tripulante de cabina que irá decorrer entre os dias 6 e 28 de Maio. Esta formação resulta de uma parceria estabelecida entre o Município de Braga e o Absant Group, entidade especializada em Consultoria e Formação em Aviação Civil.

BANNER-BRAGA-20.jpg

Para mais informações sobre a Formação Inicial de Tripulante de Cabina e para consultar a oferta de serviços do Absant Group visite o website:https://www.absant-group.pt ou contacte através do e-mail: formacao@absant-group.pt e dos telefones 217 272 368 / 927 413 517.

A Formação Inicial de Tripulante de Cabina é composta por parte teórica e parte prática, em alinhamento com a Regulamentação Europeia e Nacional aplicáveis, correspondendo a uma carga horária total de 102 horas.

Este curso está certificado pela Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) em Portugal, sendo a ABSANT TRAINING uma TRAINING ORGANISATION Certificada por esta Autoridade (Certificado PT.OF.CC.002).

Nos últimos anos, projecções de crescimento do sector da Aviação Civil, apontam para o aumento exponencial, a nível global, das necessidades de recursos humanos nesta área, com significativa incidência na Função de Tripulante de Cabina, o que pode constituir uma importante saída profissional para os jovens bracarenses e do Norte de Portugal.

O Curso Inicial de Tripulantes de Cabina tem como objectivo familiarizar os formandos com o ambiente que caracteriza a aviação civil, proporcionando a aquisição dos conhecimentos, competências e atitudes que lhes permitam assegurar a segurança do voo e dos passageiros em situações normais, anormais e de emergência.

A conclusão com aproveitamento no curso permite aos formandos receberem o seu atestado, emitido pela ANAC, e dá-lhes a possibilidade de poder exercer a Função de Tripulante de Cabina nas Companhias Aéreas da União Europeia e de outros países.

BRAGA PROMOVE EMPREGO DE QUALIDADE

Braga integra projecto transfronteiriço para criação de emprego de qualidade. Programa destinado às Pequenas e Médias Empresas

O Município de Braga apresentou esta Sexta-feira, 18 de Janeiro, o projecto GEMCAT – Geração de Emprego de Qualidade Transfronteiriço com o qual se pretende estimular a criação e manutenção de emprego de qualidade, no âmbito da Inclusão de Responsabilidade Social e Empresarial (RSE) nas PME’s.

CMB18012019SERGIOFREITAS00000017299.jpg

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o objectivo do projecto passa por encontrar boas práticas de estímulo à geração de emprego de qualidade no território transfronteiriço do Norte de Portugal e Espanha. “Com a participação neste projecto queremos não apenas dar a conhecer o que já existe em matéria de responsabilidade social empresarial, mas estender esta realidade para o máximo de empresas possível”, salientou o Autarca, destacando o compromisso que Braga e as suas empresas têm vindo a assumir nesta área.

CMB18012019SERGIOFREITAS00000017301.jpg

O Programa de Inclusão de RSE tem como objectivo dar a conhecer e apoiar a implementação de medidas de igualdade de oportunidades a favor da conciliação trabalho-família, bem como incentivar as PME’s a assumirem uma postura social, ambiental e económica mais responsável, concorrendo, deste modo, para a melhoria da competitividade das regiões em que se inserem e da qualidade de vida do emprego.

O projecto, financiado pelo Interreg, vai incluir sete empresas, que se devem inscrever na página da internet da Câmara Municipal de Braga. Para fazer parte do grupo pioneiro, as empresas devem ser de Braga, do sector privado, e ter entre 10 e 250 colaboradores.

As empresas seleccionadas vão usufruir de mentoria que inclui um diagnóstico preliminar sobre a empresa e a construção de um plano de acção com medidas concretas a implementar e impulsionar no âmbito da RSE. No decurso do programa de mentoria, as empresas terão ainda a oportunidade de participar em sessões de partilha de Boas Práticas de RSE com outras empresas.

Com o objectivo de estimular a criação e manutenção de emprego de qualidade e, assim, construir um quadro de cooperação institucional de onde advenham resultados concretos e melhorias tangíveis no mercado de trabalho transfronteiriço entre Portugal e Espanha, através do intercâmbio conjunto de experiências, este projecto conta com a participação de parceiros da Euroregião Galiza – Norte de Portugal.

Para além do Município de Braga participam na dinamização das actividades do GEMCAT a Comissão Intermunicipal do Alto Minho, a Universidade do Porto, a Consejeria da Educação e Emprego da Junta de Extremadura, a Consejería de Emprego da Junta de Castela e Leão e a Secretaria Geral de Emprego da Junta da Galiza, que actua como líder do projecto.

CMB18012019SERGIOFREITAS00000017304.jpg

EMPRESA TÊXTIL CRIA POSTOS DE TRABALHO EM ESPOSENDE

Grupo Becri investe mais de 3 milhões de euros em Esposende

Gubec i&d in Textiles, prevê que, a curto prazo, contar com mais de 100 trabalhadores

.

O Grupo Becri investe em Esposende mais de 3 milhões de euros na aquisição e expansão de uma unidade industrial. A Gubec i&d in Textiles, que neste momento emprega mais de 70 pessoas, prevê que, a curto prazo, venha a empregar mais 30 a 50 trabalhadores, dedicando a sua produção exclusivamente à exportação e com objetivos de faturação a rondar os 13 a 15 milhões de euros.

.

Já em laboração, a Gubec i&d in Textiles, prepara-se para avançar com obras de expansão e remodelação das instalações, reorganizando a disposição dos diversos setores (corte, acabamento, embalamento e exportação) e criando uma ampla área social, facultando melhores condições aos seus colaboradores.

“As nossas empresas são pessoas. Por isso, é política da empresa, canalizar a maximização dos investimentos para a própria empresa, para os trabalhadores e para a comunidade envolvente”, referiu Rui Costa, CEO da Gubec i&d in Textiles, durante a visita às instalações do presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, do vereador das Atividades Económicas, Sérgio Mano e Armando Santos, diretor do IEFP de Barcelos, durante a qual foi acompanhado pelos sócios da empresa, José Costa, Jorge Costa e Américo Alves.

“O Município de Esposende definiu fatores estratégicos e de estímulo à instalação de empresas, plasmadas no Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento, que se traduzem na redução e isenção de taxas e concessão de benefícios fiscais, assegurando aos investidores e empreendedores a oportunidade para a concretização dos seus negócios no concelho”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal de Esposende. Por esta via, o Município pretende criar condições para fomentar o desenvolvimento económico do concelho, através da captação de empresas de diferentes ramos e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida da população, dando assim, mais um valioso contributo para o cumprimento do ODS8 – Trabalho digno e crescimento económico e ODS9 – Indústria, inovação e infraestruturas.

De resto, a importância conferida aos empresários, pelo Município de Esposende, enquanto parceiros do desenvolvimento económico do concelho, está na génese das medidas facilitadoras de incentivo ao investimento. “O país consegue exponenciar a criação de riqueza com as exportações e com o turismo. Por isso, o concelho de Esposende está muito bem posicionado nestas duas áreas e continuará a apontar estes eixos estratégicos como fundamentais para o desenvolvimento harmonioso do concelho”, adiantou o presidente da Câmara Municipal de Esposende.

O Grupo Becri, com um volume de negócios superior a 45.000.000,00 €, emprega mais de 400 trabalhadores diretos, divididos pelas suas três empresas, mas abarca um universo de 2 mil pessoas, se considerarmos aqueles que trabalham direta ou indiretamente com o Grupo.

.

CERVEIRA QUER MANTER GABINETE DE INSERÇÃO SOCIAL

Autarquia intercede para manter aberto Gabinete de Inserção Profissional

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira está a encetar negociações com o IEFP/Centro de Emprego do Alto Minho – Serviço de Emprego de Valença, com o intuito de evitar que o Gabinete de Inserção Profissional (GIP) em funcionamento no concelho feche portas até ao final do ano. Intenção foi anunciada recentemente pelo Governo que, fruto da reformulação da distribuição nacional destes gabinetes, tem arquivado as candidaturas de municípios pelo número de desempregados registados.

GIP vncerveira

A candidatura apresentada pela autarquia cerveirense ao IEFP para dar continuidade ao Gabinete de Inserção Profissional não foi aprovada, decisão justificada pela reduzida taxa de desemprego registada no concelho e pelo facto de ter deixado de ser obrigatória a apresentação semanal periódica do desempregado no GIP.

Segundo o edil cerveirense, Fernando Nogueira, “apesar de ser uma boa notícia o facto de o concelho apresentar uma taxa de desemprego abaixo da média nacional e distrital e de ter uma significativa oferta de trabalho, está-se a falar de um serviço de proximidade muito importante”. Neste sentido, a Câmara Municipal está a diligenciar junto do IEFP para, mediante a celebração de um protocolo, manter este serviço de portas abertas, com a autarquia a assumir os custos de manutenção do GIP.

De acordo com os dados registados até novembro passado, o GIP de Vila Nova de Cerveira contabilizou cerca de 1579 utentes que recorreram aquele serviço para abordar diferentes assuntos relacionados com o emprego, formação, ação social e empreendedorismo. A procura de diversas entidades para obter informações sobre as novas medidas/programas do IEFP também foi significativa, tendo sido apoiadas 60 candidaturas.

O Município de Vila Nova de Cerveira possui uma vasta experiência na dinamização do emprego/formação, iniciada em 1999 com o Espaço UNIVA e, posteriormente, em 2009 com o GIP. Este serviço tem desempenhado um papel muito importante no concelho, ao comtemplar atividades na área do emprego/formação numa lógica de proximidade e, simultaneamente, reforça o apoio aos desempregados, principalmente aqueles que se encontram numa situação de desfavorecimento socioeconómico; para além, dos contactos com as empresas, o comércio local e as entidades sem fins lucrativos.

VIEIRA DO MINHO PROMOVE EMPREGO

Câmara Municipal de Vieira do Minho celebrou sete contratos de emprego inserção

Com vista à promoção da empregabilidade de pessoas em situação de desemprego, o  presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, António Cardoso, assinou, ontem, dia 12 de novembro, sete contratos de trabalho, Emprego Inserção + (CEI +) para beneficiários do RSI.

IMG_9184

Estes contratos inserem-se no âmbito das medidas “Contrato Emprego-Inserção” (CEI), promovidas pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P. (IEFP), e são destinadas, respetivamente, a titulares do subsídio de desemprego ou do subsídio social de desemprego e do Rendimento Social de Inserção (RSI). Os novos colaboradores da Câmara Municipal vão trabalhar, durante doze meses, nas várias valências do Município, nomeadamente: limpeza de valetas, jardins, edifícios, limpeza e manutenção dos pavilhões municipais.

De salientar que a medida CEI consiste na realização de trabalho socialmente necessário por desempregados inscritos no IEFP, sendo que as atividades a desenvolver devem ser relevantes para a satisfação das necessidades sociais ou coletivas e não devem visar a ocupação de postos de trabalho. Esta medida, com duração máxima de um ano, visa, pois, promover a empregabilidade de pessoas em situação de desemprego, melhorando as suas competências socioprofissionais, através do contacto com o mercado de trabalho.

CELORICO DE BASTO PROMOVE REGRESSO AO EMPREGO

Volta de Apoio ao emprego em Celorico de Basto

O Centro Cultural Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa recebeu no dia 27 de setembro, a Volta de Apoio ao Emprego e apresentou o tema “Melhoria da Empregabilidade em Contexto Europeu” aos jovens desempregados presentes.

_DSC5750

Com o objetivo de esclarecer, informar e orientar a Europe direct em parceria com o Município de Celorico de Basto, o Clds 3G cuja a entidade gestora é a Associação de Solidariedade Social de Basto, apresentou em Celorico de Basto vários temas voltados para a empregabilidade em contexto europeu.

Durante cerca de 1h30 foram abordados temas como Oportunidades de Mobilidade na Europa com ênfase para a Agência Erasmus+ e a hipótese de vislumbrar uma oportunidade de emprego no exterior. O Kit Europass do Centro Nacional Europass, “Trabalhar na Europa: por onde começar” a cargo da Rede Eures e IEFP e os Serviços Sociais de Apoio ao Emprego promovidos em Celorico de Basto.

Todos os temas abordados suscitaram interesse dos presentes com indicações muito concretas e objetivas sobre o meio e forma de atuar quando está em causa a empregabilidade em contexto europeu.

Helena Martinho e Costa, Coordenadora dos Serviços Sociais e de Saúde do Município de Celorico de Basto, apresentou os serviços Sociais de Apoio ao Emprego promovidos pelo Município realçando o GAE, Gabinete de Apoio ao Emigrante, e o trabalho desenvolvido pelo CLDS 3G. “Antes de mais é importante referir que todos nós integramos a Europa e como tal a livre circulação permite-nos uma série de facilidades em todos os contextos inclusive questões laborais. Relativamente ao GAE é importante referir que é um serviço que visa apoiar o emigrante no sentido de encontrar soluções para os seus objetivos sobretudo quando estão causa questões profissionais, viuvez, reforma, invalidez e dar respostas concretas aos que pretendem emigrar pela primeira vez como aqueles que pretendem regressar ao seu país de origem. Todos os direitos e deveres são esclarecidos de forma criteriosa” disse. Paralelamente ao GAE, Helena Martinho referiu também o CLDS como um programa muito importante que trabalha “diretamente com os desempregados no sentido de os orientar para questões laborais sejam elas em contexto local, nacional ou internacional. O importante é dar a conhecer e orientar para colmatar as situações de desemprego” salientou.

A sessão foi concluída pelo Secretário Executivo da CIM-TS, Telmo Pinto.

_DSC5796

_DSC5802

FAMALICÃO RECEBE DIRECÇÃO DO CENTRO DE EMPREGO

Autarquia recebeu nova direção do Centro de Emprego

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão recebeu ontem, 10 de setembro, nos Paços do Concelho, o novo diretor do Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão, David Ferreira, que tomou posse recentemente na sequência de nomeação pelo Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP).

DSC_5346

A reunião de trabalho contou com as presenças dos vereadores da Educação, Cultura e Conhecimento, Leonel Rocha, e do vereador para a Economia, Empreendedorismo e Inovação, Augusto Lima.

Paulo Cunha mostrou toda a abertura da Câmara Municipal em desenvolver uma parceria institucional construtiva com o Centro de Emprego e recebeu do novo responsável o mesmo espírito de abertura.

O Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão é uma das entidades que faz parte da Rede Local de Educação e Formação de Vila Nova de Famalicão, que agrega 32 entidades, públicas e privadas não lucrativas, do sistema de educação e formação, proporcionando diagnósticos de necessidades formativas, ofertas concertadas de educação e formação, uniformidade na definição de objetivos e metas a alcançar.

“Ambientar-se” exibe esta sexta-feira documentário “A 11.ª Hora”

Está agendada para esta sexta-feira, 14 de setembro, a sessão deste mês da iniciativa “Ambientar-se”, que contará com a exibição do documentário “A 11.ª Hora”, produzido e narrado por Leonardo Dicaprio.  

A sessão será dinamizada pela Associação Vento Norte e decorrerá na Casa do Território, no Parque da Devesa.

Produzido em 2007, o documentário conta com a participação e o testemunho de dezenas de conceituados cientistas sobre a luta pelo restabelecimento do equilíbrio da relação entre a humanidade e os ecossistemas. O filme mostra os desastres naturais causados pela humanidade e mostra o que pode ser feito para reverter os problemas, entrevistando mais de 50 pessoas, como o cientista Stephen Hawking e o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev.

Recorde-se que as sessões de cinema “Ambientar-se” pretendem promover o debate sobre temas ambientais. A iniciativa está marcada para as 21h30 e é de entrada gratuita.

NÚMERO DE DESEMPREGADOS NO CONCELHO DE CAMINHA ATINGE EM JULHO O VALOR MAIS BAIXO DO SÉCULO

Nova queda marca início do segundo semestre e estabelece novo recorde mínimo desde que há registo oficial

Depois de um primeiro semestre marcado por quedas mensais consecutivas do número de desempregados no concelho de Caminha, os últimos números oficiais deste ano, divulgados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), relativos ao mês de julho, confirmam a tendência e estabelecem um novo mínimo histórico daquele indicador.

Atualmente, segundo o boletim das Estatísticas Mensais por Concelhos publicado pelo IEFP, o concelho de Caminha regista um total de 307 pessoas sem emprego, registadas naquele organismo. Este e outros boletins, que contêm informação ao nível dos concelhos do Continente, podem ser consultados online, no sítio oficial do IEFP, em https://www.iefp.pt/estatisticas

O novo mínimo em matéria de número de desempregados no concelho de Caminha correspondetambém ao valor mais baixo deste século e ao menor de sempre desde que há registo oficial.

Tendo em conta o primeiro semestre de 2018, os números indicavam já que o concelho de Caminha atingira, no mês de junho, o valor de desempregados mais baixo do século XXI (354) e o segundo mais baixo desde que há registo oficial. Julho não só confirma toda a tendência de 2018 e dos últimos anos, como estabeleceu um novo mínimo.

Recorde-se que, em 2013, o IEFP registava em Caminha mais de mil pessoas desempregadas. A partir daí, esse indicador tem descido sustentadamente e de forma contínua. Em janeiro deste ano o número de desempregados rondava já os 500 e nos meses seguintes, em todos sem exceção, esse valor desceu, cifrando-se agora, como referimos, nos 307. 

ARCOS DE VALDEVEZ REDUZ DESEMPREGO

Arcos de Valdevez reduz desemprego em 30% no 1º semestre de 2018

Arcos de Valdevez fechou o 1º semestre de 2018, com uma redução do desemprego em 30% face ao mesmo período homólogo do ano anterior. Houve uma descida do número de desempregados, em todos os grupos etários e graus de escolaridade, mantendo a trajetória de descida do desemprego no concelho.

ArcosValdevez

De referir ainda, que dos 10 concelhos do Alto Minho, Arcos de Valdevez foi um dos que registou, neste período, uma das reduções mais significativas do desemprego, segundo os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional.

Estas são boas noticias para o concelho e para quem queira viver, trabalhar e investir em Arcos de Valdevez, refletindo o trabalho conjunto que tem vindo a ser desenvolvido e as soluções encontradas pelo Município, o Centro de Emprego, as Instituições de Ensino e Formação, as Associações Empresariais e os Empresários.

De acrescentar ainda, que de acordo com informação disponibilizada pelo IEFP de Arcos de Valdevez, as áreas em que se tem vindo a registar mais ofertas de trabalho são a indústria, o turismo, a restauração e hotelaria e o serviço social, bem como a criação do próprio emprego.

A este nível apraz-nos relevar, o investimento que tem vindo a ser realizado pelo Município e com vários parceiros, nomeadamente na realização de vários eventos promocionais das potencialidades do concelho, na modernização dos parques empresariais e num conjunto de incentivos, dos quais se destacam: a isenção de derrama; preços simbólicos na aquisição de terrenos industriais; a redução de 50% das taxas municipais; a Via Verde para o empreende­dor, com redu­ção em 50% dos prazos para licenciamento; o acompanhamento do projeto; e o apoio a empreendedores atra­vés do fundo municipal ArcosFinicia.

É com satisfação que o Município recebe esta noticia, o Presidente da Câmara refere que “temos novos desafios e um caminho a percorrer. Neste sentido, contamos com a colaboração de todos os agentes locais, para continuarmos a desenvolver um concelho com excelentes condições para viver, trabalhar e investir, que potencie a criação, expansão e atração de novas empresas e pessoas; que crie emprego e gere rendimento, fomentando a melhoria da qualidade de vida e a atratividade do território”.

VIZELA PROMOVE EMPREGO

Abertas as candidaturas para a edição de 2018/2019 do Programa INOV Contacto da AICEP

Estão abertas as candidaturas para a 23ª Edição do Programa INOV Contacto, 2018/2019, programa de estágios profissionais em contexto internacional, dirigido aos jovens com formação superior com motivação para desenvolver uma carreira internacional.

homepage-inov

As entidades e empresas que se candidatam para acolher os jovens estagiários são selecionadas atendendo ao seu reconhecido interesse e mérito nacional e/ou internacional. A vantagem destas instituições em receberem jovens estagiários do INOV Contacto traduz-se na possibilidade de receberem recursos humanos qualificados e de elevado potencial nos vários pontos do mundo em que se encontrem.

As candidaturas estão abertas até às 16h00 do dia 4 de outubro de 2018, tanto para os jovens licenciados como para as entidades de acolhimento.

Podem candidatar-se jovens até aos 29 anos (à data de início de estágio), com qualificação superior concluída ao nível da licenciatura ou mestrado integrado e que não estudem ou trabalhem à data de aceitação do convite. O domínio da língua inglesa (devidamente comprovado através de um certificado), o domínio de informática na ótica do utilizador, a situação tributária e contributiva regularizada perante a administração fiscal e a segurança social, o registo criminal sem ocorrências, a motivação para desenvolver uma carreira internacional, bem como a disponibilidade para viver no estrangeiro são requisitos do programa que contempla todas as áreas de formação. 

Para além de assegurar as viagens de ida e volta entre Portugal e o país de destino, o programa atribui aos estagiários uma bolsa de formação mensal (857.80 euros), um subsídio de refeição (104.94 euros/mês) e um subsídio de alojamento variável consoante o país de acolhimento.

As candidaturas são feitas exclusivamente online no site www.inovcontacto.pt. Aqui está toda  a informação necessária à candidatura.

Esta iniciativa é gerida pela AICEP Portugal Global e cofinanciada pelo POISE – Programa Operacional da Integração Social e Emprego, Portugal 2020 e União Europeia, Fundo Social Europeu e Iniciativa Emprego Jovem.