Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

SOCIALISTAS EM CAMPANHA AMANHÃ VISITAM CERVEIRA

Indústria, Vila Nova de Cerveira e Vila Nova de Anha no roteiro do Partido Socialista

Os candidatos pelo Partido Socialista às eleições legislativas de 6 de outubro visitam, amanhã, dia 21 de setembro, o Centro de Histórico de Vila Nova de Cerveira, numa ação de contacto com a população.

O roteiro dos candidatos socialistas prossegue da parte da tarde com uma visita a duas unidades da Zona Industrial do Neiva - BMViV, Soluções Globais de Engenharia e Grupo Idis – ação que se insere na reafirmação da importância que o PS atribui à criação de emprego qualificado e à capacitação das áreas de acolhimento empresarial, duas das prioridades do programa eleitoral socialista para o distrito de Viana do Castelo.

O programa do PS prossegue com uma deslocação a Vila Nova de Anha para contactar a população.

Programa:

10:00 – Centro Histórico de Vila Nova de Cerveira;

15:00 – BMViV, Soluções Globais de Engenharia, Zona Industrial de Neiva, Viana do Castelo (Rua B- Zona Industrial 2ª fase nº283);

16:00 – Grupo Idis, Zona Industrial de Neiva, Viana do Castelo (Zona Industrial 2ª Fase, Lote 13);

17:45 – Vila Nova de Anha.

AS ELEIÇÕES DE 6 DE OUTUBRO DE 2019: A PROSPERIDADE QUE TARDA! (2)

Boa parte da sociedade portuguesa deixou-se envolver na discussão estéril da criação de um museu dedicado a Salazar. Compreendo o protesto de muitos contra uma pretensão velhaca de uns quantos saudosistas, mas subscrevo por inteiro a posição da historiadora Irene Pimentel, quando esta diz aprovar a criação do dito museu desde que este retrate na plenitude o ditador de Santa Comba, não escamoteando o cortejo de misérias que resultou dos 48 anos da sua governação, onde cabem, entre outros males, o país rural, triste e atrasado que nos legou; o nosso isolamento no contexto mundial; o encarceramento e, tantas vezes, a liquidação de opositores políticos; e a guerra colonial que nos custou milhares de vidas.

Quinta_Santoinho_SalvadorVieira_Viana e o mar.jpg

Mas o Estado Novo teve o seu fim em 1974. E se a sociedade portuguesa soube evoluir satisfatoriamente a todos os níveis, também estamos longe de ter feito o que de todo era necessário, especialmente no domínio do crescimento económico, sem o qual não é possível melhorar as condições de vida das pessoas. Não vale a pena reivindicar quando pouco existe para distribuir. Podemos exigir sim uma melhor distribuição da riqueza existente, mas ir além disso é pura utopia. Apregoou-se muito a construção de um Portugal desenvolvido e debitaram-se repetidamente projetos para crescermos e nos aproximarmos da Europa que nos acolheu, mas o sucesso está bem longe do desejado. É um facto que somos parcos em recursos, mas os que dispomos também não foram convenientemente explorados, nem se pensou numa economia partindo da nossa própria realidade, porque há países na Europa a que pertencemos que, tão limitados tanto quanto nós em valores, souberam encontrar o seu caminho próprio e aproximar-se da prosperidade.

Por mais otimismo que nos queiram vender, o que se constata é que estamos a dar passos curtos num trilho onde precisamos de nos deslocar aceleradamente. E, paradoxalmente, teimamos em debater o acessório, esquecendo o essencial. Quem diria que nas agendas de partidos com assento parlamentar até cabe o serviço nacional de saúde para cães e gatos. Não o temos suficientemente para as pessoas, assistindo diariamente à sua degradação, mas alguém o propõe para os animais. E parece que, obedecendo ao politicamente correto, poucos estarão apostados em denunciar propostas que não passam de aberrações. Mas deixemos o assunto para outras crónicas.

goncalofagundes@gmail.com

CANDIDATOS DO CDS/PP FAZEM CAMPANHA EM AMARES

Setor Social e visita a Quinta em Amares na agenda de Pré-Campanha

“Devemos cuidar de quem cuida e este governo tem descuidado instituições como a Misericórdia de Amares, que há décadas é uma entidade prestadora de cuidados à infância e à terceira idade, numa rede que que deve servir as populações, independentemente da sua natureza”. Esta foi a primeira impressão deixada por Telmo Correia, depois da visita realizada esta quarta-feira à Misericórdia de Amares no âmbito das ações de Pré-Campanha com vista às eleições legislativas de Outubro.

Mercado de Amares.jpeg

O cabeça de lista do CDS PP defendeu as propostas do partido neste setor lembrando que “há necessidade de uma nova abordagem ao estatuto dos cuidadores informais e aos serviços que prestam”. O candidato no distrito de Braga defendeu que a solução para uma maior eficácia e eficiência no setor social “só pode ser garantida por parcerias entre o estado e os diferentes prestadores de respostas sociais, de que a misericórdia de Amares é um excelente exemplo mas que tem encontrado dificuldades em estabelecer protocolos com o governo, em especial em matéria de saúde, que aproveite toda a capacidade instalada e que poderia estar ao serviço da população e não está. É isto que não faz sentido”.

Telmo Correia foi acompanhado nas ações de Pré-Campanha pelos outros candidatos no distrito e visitou ainda a corporação de bombeiros, esteve na feira semanal e na vindima a decorrer na Quinta D’Amares, produtora de vinhos verdes, em grande parte para exportação.

“É importante defender a realidade do mundo rural e da ligação à terra, tanto mais aqui onde existe uma profunda ligação histórica, preservada nestas vinhas e que tem início ao tempo dos Beneditinos”.  A Quinta D’Amares é uma exploração que se dedica à produção de vinhos verdes, exportando grande parte da sua produção. “Um bom exemplo de cuidar da terra e de desenvolvimento económico, que registamos com muito agrado e que devemos apoiar”.

Vindima Amares 1.jpeg

Misericordia de Amares.jpeg

Vindima Amares 2.jpeg

CDS/PP DEFENDE NOVA TRAVESSIA SOBRE O RIO AVE

Os candidatos do CDS PP estiveram esta segunda-feira em Ribeirão, no concelho de Vila Nova de Famalicão, onde voltaram a notar a necessidade de uma nova ligação rodoviária à Trofa e à Maia, distrito do Porto, mas mais que isso, a necessidade de uma ligação às principais vias de acesso ao aeroporto, autoestradas e porto de Leixões.

Druval Ferreira EN14.jpeg

Esta região representa uma das regiões do País mais industrializada, e sede de empresas de vocação exportadora, de que é exemplo a Continental, da indústria de pneus, e que recentemente investiu cerca de 100 milhões de euros numa nova unidade de produção em Lousado. Mas este é apenas um dos exemplos das mais de 130 empresas instaladas nesta região e que são base empregadora de milhares de pessoas.

É de há muito conhecido o problema desta região, nomeadamente com as deficientes vias de acesso e da necessidade de uma nova travessia do Rio Ave, com vias rodoviárias que permitam a estas empresas rapidamente escoar mercadorias, mas na verdade o problema mantém-se e está longe de resolução.

“O transito é caótico, os acessos maus e o problema persiste. O município de Famalicão realizou obras pontuais, mas é evidente a necessidade de um nó rodoviário e uma nova travessia para minorar o problema” começou por salientar Durval Tiago Ferreira, famalicense e número dois dos candidatos a deputados nas listas do CDS PP.

É necessária é a construção de uma nova travessia sobre o Rio Ave, que sirva de alternativa à actual e que, manifestamente, já não é suficiente ao trânsito que nela circula diariamente, com congestionamento sistemático na ligação à Trofa e à Maia. Ao longo dos últimos anos sucederam-se as promessas por parte do governo socialista, em concreto, em 2017, o então Ministro do Planeamento e Infraestruturas anunciou publicamente que “A zona da travessia da Variante à EN14 sobre o Rio Ave encontra-se a aguardar a definição da solução técnica definitiva para a localização da nova ponte, estando previsto o lançamento de um estudo hidrológico aprofundado, na sequência de reuniões que foram desenvolvidas com a Administração da Região Hidrográfica do Norte. A futura localização da travessia sobre o Rio Ave será determinante para o traçado dos troços a sul e a norte do Rio Ave, no qual se inclui a empreitada "Variante à EN14, entre o Interface Rodoferroviário da Trofa e Santana". 

Depois disto, já em 2018, e à margem de uma visita às obras na Estrada Nacional (EN) 14, que liga o eixo Maia-Trofa-Famalicão, o mesmo responsável referiu haver “boas indicações” para a aprovação da nova travessia sobre o rio Ave, na Trofa, pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), salientando que seria previsível começar a obra em 2019. Nessa data o responsável afirmou que a expectativa seria que a APA ainda nesse ano apresenta-se uma solução sobre o atravessamento do Rio Ave para depois programar as próximas fazes do investimento.

A verdade é que passaram dois anos e não há avanços…

“O CDS/PP não pode aceitar que a APA demore mais de 2 anos a aprovar um estudo de impacte ambiental e se o mesmo não está concluído, tal facto deve-se tão só ao desinteresse do Governo na execução desta obra”.

Durval Tiago Ferreira acrescentou ainda que “Durante esta legislatura, nesta matéria – como noutras – o Governo do Partido Socialista mais não fez do que fazer uma gestão de expectativas e mera propaganda, criando a ilusão que a obra estava a ser preparada, mas, na realidade, e em concreto, nada fez para que a mesma fosse uma realidade”.

O famalicense deixou a garantia do empenhamento do CDS PP na resolução da questão. “Este projeto é crucial para o desenvolvimento da economia local e para a mobilidade neste espaço territorial, contribuindo para a captação de investimentos, para a fixação de empresas e, por essa via, para a coesão económica e social desta Região e ainda para o aproveitamento do maior terminal rodoferroviário da Península Ibérica, que representou um investimento privado superior a 35 milhões de euros e que estará concluído em 2020”.

 Por isso, e em conclusão, a construção de uma nova ponte sobre o Rio Ave será uma prioridade num futuro Governo que tenha a participação do CDS/PP e será executada num horizonte temporal até 2023.

SOCIALISTAS APRECIAM VINHO ALVARINHO

Partido Socialista reafirma importância da produção de alvarinho e da proteção da natureza no desenvolvimento do Alto Minho

Tiago Brandão Rodrigues afirmou a importância da produção de vinho Alvarinho e que “o País já entendeu que esta sub-região é um território que tem de ser acarinhado e bem tratado”.

psvianalvar (1).JPG

O cabeça de lista do PS pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo às eleições legislativas de 6 de outubro proferiu estas declarações à margem do roteiro que os candidatos socialistas fizeram este sábado pelas vindimas de Melgaço e Monção.

O setor do vinho Alvarinho fatura mais de 40 milhões de euro anuais, com uma taxa média de exportação de 25%, que ultrapassa os 50% nalguns produtores. O sucesso desta sub-região, cuja produção aumentou cerca de 60% desde 2014, com mais de 3 milhões de litros comercializados anualmente e a perspetiva de novos investimentos, é tida como um caso de estudo e uma referência a nível nacional e internacional.

Nesta ocasião, os candidatos socialistas, acompanhados por Manoel Batista, presidente da Câmara Municipal de Melgaço, tiveram a oportunidade de conhecer o projeto do Centro do Conhecimento do Vinho Alvarino, uma parceria entre autarquias, produtores e instituições de ensino superior, nomeadamente o Instituto Politécnico de Viana do Castelo e a Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro, que visa reforçar o cluster do Alvarinho, através da melhoria do conhecimento científico sobre esta casta, da inovação tecnológica e da capacitação de todas as áreas de negócio ligadas ao setor.

A valorização do território foi outro dos temas de destaque do roteiro socialista deste fim-de-semana. Na companhia da campeã de atletismo Manuela Machado, mandatária distrital e de Rui Sousa, um dos mais notáveis ciclistas portugueses e Presidente da União das Freguesias de Barroselas e Carvoeiro, os candidatos socialistas percorreram parte de Ecovia do Litoral Norte no domingo.

Esta ação visou afirmar a importância que o PS atribui à proteção ambiental, promoção da mobilidade suave e à sensibilização para os hábitos de vida saudáveis.

Além do contacto com as pessoas ao longo do percurso foi ocasião para ouvir Ricardo Carvalhido, vereador do Ambiente, Biodiversidade, Ciência, Inovação e Conhecimento da Câmara Municipal de Viana do Castelo a apresentar a Rede de Ciência e Apoio à Investigação e Conhecimento concelhia e o projeto do Geoparque Litoral de Viana do Castelo.

psvianalvar (2).JPG

CANDIDATOS DO PARTIDO SOCIALISTA VISITAM VINDIMAS DO ALVARINHO

Os candidatos pelo Partido Socialista às eleições legislativas de 6 de outubro participam, amanhã, dia 14 de setembro, nas Vindimas do Vinho Alvarinho, nos concelhos de Melgaço e Monção.

Esta iniciativa insere-se na reafirmação da importância que o PS atribui à valorização e proteção desta casta e à sua relevância cultural, social e económica, um dos pilares do programa eleitoral socialista para o distrito de Viana do Castelo.

Programa:

9:15 – Quinta de Santiago, Cortes, Monção

10:30 – Adega Provam, Barbeita, Monção

11:30 – Casa de Canhoto, Penso, Melgaço

14:30 – Quinta do Soalheiro, Alvaredo, Melgaço

16:00 – Adega Quintas de Melgaço, Alvaredo, Melgaço.

VOTAR É UM ATO DE INTELIGÊNCIA! (1)

Alguns amigos, conhecendo a minha longa intervenção cívica e sabendo do apego que tenho a uma sociedade democrática suficientemente participada, desafiaram-me a escrever breves notas sobre o ato eleitoral que vamos ter a 6 de outubro. Aceitei o desafio porque penso que quanto mais debate fizermos à volta das questões que regem a sociedade melhor vivência teremos. Até lá disporei de quatro oportunidades para manifestar sentimentos e procurar, apenas e só, levantar questões, deixando pistas para debate e reflexão.

Eleições_Outubro_2019.jpg

Começo pelo ato de votar por considerar que as eleições serão tanto mais dignas quanto maior participação houver da parte dos eleitores. Assim sendo, com a nossa abstenção, o que poderemos ter são consultas populares que exigem bem pouco de quem é eleito para nos representar. Os eleitos do povo sentirão responsabilidades acrescidas sabendo que os seus concidadãos depositaram em si a confiança suficiente para lhe imporem trabalho aturado, generosidade e apego ao exercício da função. Se, pelo contrário, nos desinteressarmos e nos abstivermos, estamos a facilitar a vida a quem encarou a sua eleição como expediente para melhorar a sua condição socioeconómica.

Os últimos dias, por outro lado, têm-nos proporcionado oportunidades suficientes para sabermos quanto vale a participação das pessoas na vida política e como podemos abrir novas alamedas para melhorar o mundo, não só com a eleição segura de quem elegemos, mas não abdicando, por outro lado, de todos os direitos cívicos que nos proporcionam as sociedades democráticas. Os casos verificados recentemente no Reino Unido e em Itália, com a derrota de Boris Johnson e Salvini, respetivamente, demonstram bem como se pode limitar em democracia ambições de políticos nada escrupulosos com os interesses do país que representam. Citando o editorial do Expresso da última semana, valorizemos a resposta da escritora canadense Margaret Atwood a jovens leitores que queriam saber como se pode salvar o mundo e a que ela respondeu: ”Votem enquanto puderem”.

Recorrendo à metáfora, concluiremos que não votar é chutar a bola para fora do campo e, sem bola para jogar, permitir que outros nos arrastem para fora do retângulo de jogo. Ora, sem poder entrar no jogo, já estivemos nos 48 anos do Estado Novo. Agora é tempo de participar, de escolher bem, de exigir e de pedir contas. Agora é tempo de sermos cidadãos plenos para ajudarmos a construir para os vindouros uma sociedade bem mais justa que a que herdamos. Agora é tempo de votar.

goncalofagundes@gmail.com

Desenho_Salvador_Vieira.jpeg

CDS FAZ CAMPANHA EM RIBA D'AVE

Inicio do ano letivo assinalado em Riba D’Ave. CDS PP deixa clara posição sobre ensino particular e cooperativo.

Os candidatos do CDS-PP no distrito de Braga assinalaram esta segunda-feira o arranque do ano letivo com uma posição clara sobre o posicionamento do partido no que concerne à definição de escola pública, independentemente da figura jurídica do prestador do serviço de ensino. No primeiro dia oficial do novo ano letivo, o cabeça de lista de candidatos no distrito Telmo Correia, visitou a escola Cooperativa Didáxis em Riba D’Ave, um estabelecimento de ensino que servia uma comunidade escolar de mais de 3000 alunos e que viu reduzida a um quarto o número de alunos que hoje iniciaram o novo ano escolar. “Não faz sentido que, por uma questão meramente ideológica e teimosa dos partidos que compõe este governo, se tenha posto fim a um conjunto de contratos de associação para o setor do ensino, que permitiam a alunos de zonas como esta do Vale do Ave, ter uma oferta de ensino de qualidade, com um contexto social e comunitário muito enraizado, e que agora se veem obrigados a uma deslocalização, com prejuízo no seu bem-estar e muitas vezes na qualidade do ensino”. Telmo Correia falava no final da visita à escola de Riba D’Ave, com critica objetiva à decisão governamental até porque, disse, “os estabelecimentos de ensino da rede pública não estavam preparados para receber este acréscimo de alunos e que isso reflete-se na qualidade do serviço que as escolas devem prestar aos alunos”.

CI Delfim Ferreira.jpeg

O candidato do CDS PP deixou claro que o seu partido vai bater-se por alterar esta questão se integrar governo.  “Este modelo de parceria é no nosso entender aquele que melhor serve as populações, e não nos interessa a natureza do prestador, se é público ou privado ou cooperativo. Importa que os alunos, tenham um real serviço de educação, sem acrescento de custos para o erário público, e reais benefícios do ponto de vista social, da qualidade do ensino e de uma rede de escolas, independentemente da tal figura jurídica do prestador do serviço”.

Telmo Correia e os candidatos do CDS PP falavam à porta do Externato Delfim Ferreira, em Riba D’Ave no concelho de Famalicão, escola que encerrou no decurso do último ano letivo, e tida como uma referência na região do Vale do Ave ao longo de quase 50 anos.

Didaxis.jpeg

Vista Didaxis.jpeg

CI Educação.jpeg

PAN APRESENTA PROGRAMA ELEITORAL PARA LEGISLATIVAS 2019

  • Mais de mil propostas sob o mote “Da Indiferença à Emergência - Ainda Vamos a Tempo”
  • Documento tem em vista o ano de 2030, apontado pelos cientistas climáticos como o ponto de não retorno
  • Prioriza a dignidade da pessoa humana e as respostas que se exigem à sua realização e autodeterminação
  • Aposta firme na Educação e na Cultura enquanto ferramentas centrais na construção de uma sociedade mais empática e consciente
  • Sustentabilidade, acessibilidade e justiça intergeracional em áreas como a Saúde, a Habitação, o Emprego ou a Justiça
  • Campanha de baixo carbono

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza apresentou hoje o seu Programa Eleitoral às Eleições Legislativas de 2019. O documento está organizado em treze  capítulos: 1) Crise Climática, Justiça Ecológica, Transição Económica; 2) Educação, Ensino Superior e Investigação; 3) Cultura, Artes e Património; 4) Igualdade, Inclusão, Respostas Sociais; 5) Proteção, Saúde e Bem-Estar Animal; 6) Preparar o futuro das novas gerações; 7) Prevenção da Doença e Promoção da Saúde; 8) Habitação Digna e Acessível; 9) Direitos Laborais e Mais Tempo para Viver; 10) Justiça, Transparência e Combate à Corrupção; 11) Democracia, Cidadania e Organização do Estado; 12) Direitos Digitais; 13) Portugal e o Mundo.

O programa apresentado reflete a magnitude do desafio que a humanidade tem pela frente, mas também a confiança necessária para o encarar. Mas, mais importante, aponta um caminho que, podendo não ser o mais popular, é o necessário. É um documento que tem em vista o ano de 2030, data apontada pelos cientistas climáticos como o ponto de não retorno. Um programa que não se esgota na emergência climática e que prioriza a dignidade da pessoa humana e as respostas que se exigem à sua realização e autodeterminação; que faz uma aposta firme no empoderamento das pessoas através da Educação e da Cultura enquanto ferramentas centrais na construção de uma sociedade mais empática e consciente; que dignifica e protege todos, do indivíduo aos ecossistemas, com políticas responsáveis para a sustentabilidade, a acessibilidade e de justiça intergeracional em áreas tão importantes como a Saúde, a Habitação, o Emprego ou a Justiça.

Do documento que pode ser consultado AQUI o PAN destaca as seguintes medidas:

 Crise Climática, Justiça Ecológica, Transição Económica

  • Aprovar a Lei do Clima
  • Dignificar a relevância do Ministro do Ambiente na hierarquia do Estado (atualmente antepenúltimo na Lei Orgânica do Governo)
  • Pugnar pela introdução do crime de Ecocídio no elenco dos crimes para os quais o Tribunal Penal Internacional tem competência de intervenção
  • Excluir considerações de cariz económico das Avaliações de Impacto Ambiental
  • Não autorizar a exploração de petróleo e encerrar as centrais de carvão até 2023
  • Democratizar a energia, descentralizando a sua produção, baseada no autoconsumo partilhado
  • Criar o Plano Ferroviário 2035 que ligue todas as capitais de distrito
  • Suspender a construção do aeroporto do Montijo até que seja assegurada a elaboração da Avaliação Ambiental Estratégica
  • Criar polo para as tecnologias de hidrogénio
  • Aumentar as Taxas de Gestão de Resíduos encaminhados para aterro ou incineração
  • Apostar no ecodesigndas embalagens
  • Benefícios fiscais para empresas que previnam o desperdício alimentar
  • Incentivos financeiros, fiscais e sociais a quem pretenda instalar-se como agricultor biológico
  • Deduções em sede de IRS para quem compra biológico
  • Estender a Taxa de Carbono à produção de carne
  • “Deseucaliptar” Portugal

Educação, Ensino Superior e Investigação

  • Apoiar a inovação educacional: filosofia para crianças, educação emocional, mindfulness e aprendizagem a partir da natureza
  • Criar equipa multidisciplinar para a revisão dos programas escolares com vista à redução de conteúdos
  • Acesso ao ensino superior não ser apenas aferido pelos exames nacionais
  • Reconhecer o estatuto de profissão de desgaste rápido para os docentes

Cultura, Artes e Património

  • Reforço do orçamento da Cultura em 235M€ através do adicional da receita proveniente da alteração do IVA aplicável ao setor hoteleiro (6% para 13%)
  • Devolver património cultural das ex-colónias existente em Portugal, após levantamento por uma comissão técnica, assegurando-se assim a reposição de justiça histórica e que está já a ser levada a cabo em alguns países europeus, onde estão a ser restituídas algumas peças do património cultural das ex-colónias que integravam as coleções públicas desses países

Igualdade, Inclusão, Respostas Sociais

  • Criar a Secretaria de Estado para a Terceira Idade
  • Lei-quadro para a Inclusão (combate ao conjunto das discriminações)
  • Estatuto de vítima para crianças que testemunhem situações de violência doméstica
  • Licença de 10 dias pagos para vítimas de violência doméstica ou abuso sexual para procura de soluções de alojamento seguro ou desenvolver estratégias para lidar com o sucedido
  • Criar a Carreira de Mediador Comunitário e Intercultural
  • Assegurar que os noticiários dos canais generalistas são acessíveis a surdos com intérprete LGP
  • Alojamento de emergência para pessoas em situação de sem-abrigo em todos os distritos
  • Combate ao Tráfico de Seres Humanos através do reforço do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF)

Proteção, Saúde e Bem-Estar Animal

  • Rede médico-veterinária de apoio às famílias carenciadas e às associações que tenham a seu cargo animais acolhidos
  • IVA reduzido na alimentação dos animais de companhia
  • Criar a Secretaria de Estado para a Proteção e Bem-Estar Animal
  • Equipas de resgate animal na Proteção Civil
  • Abolição da tauromaquia

Preparar o futuro das novas gerações - Justiça Intergeracional

  • Rever as regras de atualização das pensões em pagamento através da criação de um novo escalão (entre 2 e 3 IAS) onde seja garantida a não diminuição do valor real da pensão em conjunturas de menor crescimento económico protegendo assim as pensões mais baixas de um escalão mais baixo
  • Atrair migrantes qualificados e qualificar migrantes
  • Reforçar os benefícios fiscais em sede de IRS a pequenos aforradores

Prevenção da Doença e Promoção da Saúde

  • Regime de exclusividade dos médicos no SNS
  • Atribuir nutricionistas no SNS a crianças com excesso de peso
  • Apoio psicológico para os profissionais das forças de segurança
  • Possibilidade de licença para as mulheres grávidas a partir da 32.ª semana (para preparar o parto e as novas dinâmicas familiares)
  • Interditar os açucares adicionados em todos os alimentos para bebés
  • Incentivos fiscais à indústria alimentar para estimular o desenvolvimento de alternativas proteicas de base vegetal
  • Despenalização da Morte Medicamente Assistida

Habitação

  • Reforçar o investimento na construção de habitação pública para arrendamento acessível
  • Aumentar a verba do OE para arrendamento jovem

Direitos Laborais e Mais Tempo para Viver

  • Uniformizar 35 horas semanais e 25 de férias para os trabalhadores da administração pública e do setor privado
  • Reforçar os direitos de quem trabalha por turnos e desenvolve trabalho noturno (mais tempo de descanso e maior compensação salarial)
  • Campanhas de prevenção do burnout
  • Igualar a licença parental para ambos os progenitores

Justiça, Transparência e Combate à Corrupção

  • Implementar um modelo progressivo para as taxas de Justiça
  • Rever todas as cláusulas potencialmente abusivas das atuais parcerias público-privadas (PPP)
  • Tribunais especializados em crimes de corrupção e de violência doméstica

Democracia, Cidadania e Organização do Estado

  • Regime de exclusividade para os deputados
  • Direito de voto aos 16 anos
  • Nomeação do Procurador-Geral da República por proposta da AR (em vez do Governo)
  • Reduzir o número mínimo de subscritores das Iniciativas Legislativas de Cidadãos
  • Reforçar a independência da CReSAP

Direitos Digitais

  • Criar um portal que permita a consulta de dados pessoais recolhidos a fim de garantir maior proteção
  • Promover a neutralidade da internet proibindo as ofertas de zero-rating

Portugal e o Mundo

  • Defender a saída da Guiné Equatorial da CPLP caso não seja efetivado o fim da pena de morte naquele país
  • Garantir que a Presidência Portuguesa do Conselho priorize, através do seu programa provisório, a transição ecológica na Europa
  •     Garantir um papel preponderante de Portugal no Conselho Europeu e reforçar a influência da União Europeia na concretização de metas comuns mais ambiciosas para uma transição social e económica que priorize o combate às alterações climáticas, a preservação da biodiversidade, a defesa do Estado de Direito e dos Direitos Humanos.

Na rua, o PAN fará uma Campanha Eleitoral de Baixo Carbono elegendo como primeiro recurso de mobilidade das equipas os transportes públicos, nomeadamente a ferrovia, ou os transportes de emissões reduzidas, sempre que não for possível a primeira opção. Uma campanha que se pretende sóbria, sem excessos e com reduzida pegada carbónica, o partido não distribuirá quaisquer brindes, os folhetos serão impressos em papel reciclado com recurso a tintas ecológicas e as refeições serão isentas de produtos de origem animal.  Serão realizadas ações de limpeza e de compensação da pegada ecológica durante a campanha.

O PAN aposta numa campanha eleitoral construtiva, informativa e de muita proximidade, com forte empenho no esclarecimento dos eleitores, através do digital e com espaços de Perguntas e Respostas protagonizadas por André Silva em todos os distritos.

CDU CONTACTA TRABALHADORES DE CALL-CENTER EM BRAGA

A primeira candidata da CDU pelo distrito de Braga, Carla Cruz, esteve, segunda-feira, em contacto com os trabalhadores de um dos call-centers que funcionam em Braga. Acompanhada por outros candidatos e activistas da CDU, defendeu a aplicação das 35 horas para todos, o fim da precariedade e um estatuto de desgaste rápido para trabalho por turnos e nocturno.

precariedade.jpg

A candidatura da CDU, que de manhã esteve numa acção de contacto com a população na feira das Taipas, dedicou a tarde ao combate à precariedade. Com várias propostas apresentadas durante esta legislatura, em linha com as medidas que a CDU propõe para o país, Carla Cruz deixou bem claro que “não compactuamos com a legitimação da precariedade em nome do seu combate”, acrescentando que “só com medidas que valorizem o trabalho e façam corresponder vínculos efectivos a funções permanentes se pode acabar com este flagelo”.

A deputada do PCP na Assembleia da República recordou a proposta que o Grupo Parlamentar do PCP irá apresentar de criação de um estatuto de desgaste rápido que equipare os trabalhadores por turnos e em trabalho nocturno às profissões de desgaste rápido. A proposta inclui, entre outras, a fixação de um subsídio e outras medidas de compensação para estes trabalhadores.

A candidatura da CDU reforçou ainda a necessidade de se reduzir a carga horária insistindo na proposta de aplicar as 35 horas de trabalho para todos, importante reconquista para a administração pública, mas que PCP e PEV propõe para ser alargada também ao sector privado.

Gabinete de imprensa da DORB do PCP

PAN APRESENTA PROGRAMA ELEITORAL E VISITA VIZELA

Apresentação do Programa Eleitoral do PAN para as Eleições Legislativas de 2019

DATA E HORA: Sexta-feira, 30 de agosto, entre as 11h00 e as 12h00

LOCAL: Jardim do Cálem, R. de Sobreiras, 4150-078 Porto

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, apresenta o seu Programa Eleitoral para as Eleições Legislativas de 2019 na sexta-feira, dia 30 de agosto, pelas 11h00, no Jardim do Cálem no Porto. A apresentação será realizada pelo Deputado André Silva durante 30 minutos, seguida de um momento de perguntas dos jornalistas.

Nesse mesmo dia, à tarde, André Silva estará em ação de campanha no Porto, pelas 15h00, no Kastelo / Associação NOMEIODONADA IPSS (Rua Godinho Faria, N.º 399 4465-155 São Mamede de Infesta).

A Associação NOMEIODONADA IPSS implementou uma Unidade de Cuidados Continuados e Paliativos para crianças dos zero aos dezoito anos. É um projeto pioneiro em Portugal e na Península Ibérica, que inclui todas as crianças com patologia crónica. As crianças portuguesas com este tipo de necessidades não têm sido abrangidas pelos projetos do Serviço Nacional de Saúde e esta associação continua à espera de apoios do Estado.

No sábado, 31 de agosto, viaja para Braga, onde participa numa ação de limpeza e compensação da pegada ecológica entre as 10h00 e as 12h00 no Parque da Ponte. Entre as 14h00 e as 16h00 está disponível na Praça da República para responder às perguntas dos Bracarenses com a rubrica “Pergunta-nos o que quiseres”, numa ação de diálogo com a população no local e através das redes sociais. Entre as 17h30 e as 19h00, André Silva visita o Rio Vizela sobre a problemática dos focos de poluição (ponto de encontro: Esplanada do Rio, Alameda Ribeirinha 5 de Outubro de 1982).

No domingo, dia 1 de setembro, o Deputado do PAN estará em Vila Real e na segunda-feira, dia 3 de setembro, estará em Bragança.

CANDIDATOS SOCIALISTAS POR VIANA DO CASTELO VISITAM FEIRA DO 27

Os candidatos do Partido Socialista pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo visitaram hoje a Feira do 27, tendo sido recebidos em clima de festa.

3BFD88BF-A03B-4646-ACF0-E02671251144 (1).jpeg

A Feira do 27 foi, durante décadas, um importante certame de comercialização de gado. Depois da sua reativação, volta a realizar-se, graças ao empenho cívico da Associação Cultural, Desportiva e Social dos Jovens de Ceivães e da União de Freguesias de Ceivães e Badim.

Esta visita foi uma oportunidade para uma troca de ideias com os produtores e empresários do Vale de Mouro, Monção, um território que se desenvolve a cada dia que passa, fruto do esforço de quem nele vive e do investimento na valorização dos produtos locais e tradicionais.

CD048263-2AF3-45E6-8506-D30F4523D953 (2).jpeg

PARTIDO SOCIALISTA APRESENTA CANDIDATOS PELO CÍRCULO ELEITORAL DE VIANA DO CASTELO

Candidatos do Partido Socialista por Viana do Castelo oficializaram candidatura

Os candidatos pelo Partido Socialista às eleições legislativas de 6 de outubro oficializaram, esta manhã, a sua candidatura.

Candidatos PS [Palácio Justiça VC 2019 8 21].jpeg

A entrega da lista no Palácio da Justiça de Viana do Castelo foi um momento marcado pela confiança na vitória nas eleições que se avizinham, pontuado pela boa disposição da mandatária distrital, Manuela Machado, e pela alegria dos candidatos, acompanhados pelo Presidente da Federação Distrital do PS, Miguel Alves.

Para Tiago Brandão Rodrigues, “agora é hora de meter mãos à obra e apresentar as nossas propostas aos Alto Minhotos, depois de um mandato em que cumprimos as promessas que fizemos há quatro anos atrás”. Aos 42 anos, o cientista courense volta a liderar os candidatos pelo Círculo Eleitoral de Viana do Castelo, depois de um mandato bem sucedido na muito exigente pasta governativa da Educação, a que se juntou a tutela do desporto e da juventude.

A lista do PS combina experiência e juventude, sendo constituída maioritariamente por mulheres. A número 2 da lista é Marina Gonçalves, uma jovem jurista de Caminha, com experiência autárquica e parlamentar, a que junta a responsabilidade de chefiar o Gabinete do atual Ministro das Infraestruturas.

O terceiro lugar é ocupado por Anabela Rodrigues, psicóloga de 46 anos, vereadora da Câmara Municipal de Valença. O quarto lugar da lista de Viana do Castelo pertence ao histórico José Manuel Carpinteira, atual deputado e antigo e inesquecível Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira.

Segue-se Sílvia Torres, vereadora da Câmara Municipal de Ponte da Barca com 40 anos, professora na EPRALIMA. A fechar a lista de efetivos, Dora Brandão, advogada, vereadora na Câmara Municipal dos Arcos de Valdevez e Presidente do Departamento das Mulheres Socialistas do Alto Minho, que junta à sua experiência política o ativismo cívico e na área social, com destaque para o apoio às pessoas com deficiência.

A lista conta ainda com Manuel Luís Gonçalves, 41 anos, advogado com uma destacada experiência no direito empresarial, Bruno Guimarães, 24 anos, gestor empresarial e autarca na freguesia de Vila de Punhe, concelho de Viana do Castelo, Sandra Vieites, 43 anos, professora oriunda de Monção, Elizabete Rodrigues, 40 anos, também professora, residente em Paredes de Coura e João Simões, 31 anos, que combina o exercício da sua atividade de médico com a militância política na defesa dos seus amados Arcos de Valdevez.

Para Miguel Alves, “esta lista garante ao Alto Minho uma representação parlamentar de grande qualidade, que mistura o entusiasmo da gente nova com um profundo conhecimento do terreno, tanto a nível nacional com nas autarquias do nosso distrito”.

Já Manuela Machado afirmou estar “honrada com a confiança do PS e desta boa gente e empenhada em conseguir mais esta vitória na minha vida”.

CDU FORMALIZA CANDIDATURA NO DISTRITO DE BRAGA

Esta manhã, uma delegação da CDU que incluiu João Salgado Almeida, mandatário da CDU no distrito de Braga e vários candidatos, incluindo a primeira candidata Carla Cruz, esteve no Tribunal Judicial de Braga para formalizar o processo de candidatura às eleições legislativas.

entrega_lista_CDU_.jpgApós a lista com 24 candidatos ter sido entregue, Carla Cruz prestou declarações reafirmando o compromisso da CDU com a população do distrito de Braga de tudo fazer para que o País e a região avancem, destacando as propostas em torno das sete áreas fundamentais identificadas no compromisso eleitoral: aumento dos salários, melhores serviços públicos, transportes, habitação, ambiente, regionalização e desenvolvimento regional.

Dados biográficos dos candidatos da CDU às Eleições Legislativas pelo círculo eleitoral de Braga

CANDIDATOS EFECTIVOS

1 Carla Maria da Costa e Cruz, 46 anos, Psicóloga, Deputada na Assembleia da República, eleita na Assembleia Municipal de Braga, Membro da Direcção da Organização Regional (DORB) e da Comissão Concelhia de Braga do PCP. Candidata do PCP.

2 Rosa Manuela Mota Guimarães, 50 anos, Professora, membro da Comissão Concelhia de Guimarães e do Sector Profissional da Educação da DORB do PCP. Candidata do PCP.

3 Alexandre Dias Leite, 42 anos, Médico Dentista, membro da DORB e da Comissão Concelhia de Fafe do PCP. Candidato do PCP.

4 Tânia Daniela Carvalho da Silva, 31 anos, Professora e Educadora de Infância, Atleta Federada, Candidata Independente proposta pelo PCP.

5 Fernando Jorge da Silva e Sá, 39 anos, Operário Químico, Dirigente Sindical, Membro da Comissão de Trabalhadores (CT) da Continental-Mabor, membro do Conselho Nacional do Partido Ecologista “Os Verdes”. Candidato do PEV.

6 Mário Jorge Gomes Figueiredo, Idade 46, Técnico Oficial de Contas, eleito na Assembleia Municipal de Barcelos, membro da DORB e da Comissão Concelhia de Barcelos. Candidato do PCP.

7 Inês Alves Rodrigues, 18 anos, Estudante, Membro da DORB e da Comissão Concelhia de Guimarães do PCP, membro da Direcção Nacional da JCP. Candidata do membro da JCP.

8 Bárbara Seco de Barros, 31 anos, Técnica Administrativa, Eleita na Assembleia Municipal de Braga, membro da DORB e Comissão Concelhia de Braga do PCP. Candidata do PCP.

9 Manuel Fernando Morgado Carvoeiro, 55 anos, Inspector de Educação, eleito na Assembleia Municipal de Esposende, membro da Comissão Concelhia de Esposende do PCP. Candidato do PCP.

10 Joaquim da Silva Costa, 44 anos, Operário Químico, Dirigente Sindical, Membro da CT da Continental-Mabor, membro da Comissão Concelhia de Vila Nova de Famalicão. Candidato do PCP.

11 Ana Paula Quintela Rodrigues, 49 anos, Auxiliar Educação Especial, Dirigente Sindical. Candidata Independente proposta pelo PCP.

12 Arlindo da Cunha Cruz, 68 anos, Agricultor, dirigente associativo, membro da Organização Concelhia de Braga do PCP. Candidato do PCP.

13 Baltazar Afonso Ferreira Gonçalves, 57 anos, Mecânico auto (administração local), dirigente sindical, membro da Comissão Concelhia de Braga do PCP. Candidato do PCP.

14 Catarina de Freitas Marques, 37 anos, Enfermeira, eleita na Assembleia de Freguesia de Fermentões, membro da Comissão Concelhia de Guimarães. Candidata PCP.

15 Sérgio Sales Almeida, 36 anos, Operário, eleito na Assembleia Municipal Vila Verde, Dirigente Sindical, membro da DORB do PCP. Candidato do PCP

16 João Jorge Ferreira Batista, 46 anos, Eng Civil, membro da CT da Infraestruturas de Portugal, SA, eleito na Assembleia Municipal de Braga, membro da organização Concelhia de Braga do PCP. Candidato do PCP.

17 Daniela Filipa Teixeira Ferreira, 31 anos, Estudante e Operária Têxtil, membro da DORB e da Comissão Concelhia de Barcelos do PCP. Candidata do PCP.

18 Joaquim Daniel Pereira Rodrigues, 47 anos, Operário Químico, dirigente sindical, membro do Comité Central do PCP. Candidato do PCP.

19 Benvinda Manuela Lemos Machado, 40 anos, Directora de Recursos Humanos, eleita na Assembleia de Freguesia Selho S. Jorge. Candidata Independente proposta PCP.

CANDIDATOS SUPLENTES

1 Pedro Manuel Pastor Torcato Ribeiro, 33 anos, Eng. Civil, eleito na Assembleia Municipal de Guimarães, membro da Comissão Concelhia de Guimarães do PCP. Candidato do PCP.

2 Filipe José Braga Moura Gomes, 38 anos, Operador de Máquinas, membro do Conselho Nacional do PEV. Candidato do PEV.

3 Filipa Alexandra Magalhães Teixeira, 49 anos, Professora de Educação Especial, membro do Sector Profissional da Educação da DORB. Candidata do PCP.

4 Luís Heitor da Silva Pires Marinho, 55 anos, Professor, membro da DORB e da Comissão Concelhia de Celorico de Basto do PCP. Candidato do PCP.

5 Alexandre Ferreira Carvalho, 19 anos, estudante, membro da Direcção Nacional e da Comissão Regional de Braga da JCP. Candidato membro da JCP.

MARIA HELENA EVANGELISTA CONCORRE EM SEGUNDO LUGAR NA LISTA DA INICIATIVA LIBERAL POR VIANA DO CASTELO NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS

Maria Helena Evangelista, número 2 da lista por Viana do Castelo, explica o que move para aceitar o convite da Iniciativa Liberal.

68774275_103219214369012_4211360603622604800_n.jpg

“Aceitei o amável convite e serei candidata à Assembleia da República pelo Círculo de Viana do Castelo pela Iniciativa Liberal!

Até hoje nunca me tinha filiado em qualquer partido político (e já lá vão 59 anos), mas agora resolvi aceitar este desafio pelo meu País e pela minha terra de coração.

Porquê?, perguntam vocês. Porque…

“O que há em mim é sobretudo cansaço

Não disto nem daquilo,

Nem sequer de tudo ou de nada:

Cansaço assim mesmo, ele mesmo,

Cansaço.”

(Fernando Pessoa)

Foi este cansaço com a política e com os partidos do costume que falou mais alto e me levou a aceitar este convite e a optar pela intervenção cívica activa!

Foi este cansaço de o Estado estar metido em tudo e todos estarem metidos com o Estado que me levou a abraçar um partido que defende a liberalização económica, política e social como solução para o progresso, para a geração de riqueza, para a criação de emprego, para a gestão de oportunidades que sejam projectadas de forma a gerar valor individual, numa missão colectiva que se chama Portugal.

É isso que me move!

É nisso que acredito!

Saibam que o farei de corpo e alma com o espírito claro de que temos de mudar!

Vamos pois a isto, que o tempo urge e o País precisa!”

O coração de Viana no Parlamento.

FARMACÊUTICA VIMARANENSE OLGA BAPTISTA É A CABEÇA DE LISTA DA INICIATIVA LIBERAL POR BRAGA NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS

Olga Baptista é liberal e minhota em toda a linha. Nascida em Guimarães, residente em Braga, trabalha em Fafe. É farmacêutica de profissão, sendo licenciada em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto.

61324810_2308991142473297_306997437615046656_n.jpg

Após exercer o cargo de diretora técnica noutras empresas, desde 2006 é proprietária e diretora técnica de uma farmácia, sendo ainda consultora de uma empresa spin-off de desenvolvimento tecnológico de programas na área da saúde da Universidade do Minho. Em 2017 venceu o Prémio Saúde Sustentável do Jornal de Negócios.

67456563_428022204453491_414919541877899264_n.jpg

PNR APRESENTA CABEÇAS-DE-LISTA ÀS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS POR BRAGA E VIANA DO CASTELO

35788275_672373316432469_7150594302677090304_n.jpg

Bruno Rebelo é natural de Lisboa e vive em Vila do Conde. É fundador do Partido Nacional Renovador e candidata-se por Viana do Castelo nas próximas eleições legislativas.

Capturarsemanariov.PNG

Foto: https://semanariov.pt/

Francisco Pereira é o cabeça de lista do PNR pelo circulo eleitoral de Braga. Nasceu em Janeiro de 1987 na extinta freguesia de S. Martinho do Campo, concelho de Santo Tirso.

Ligado aos círculos nacionalistas desde os seus 16 anos, foi membro activo do NEOS- Núcleo de Estudos Oliveira Salazar e do MPP- Movimento Pró Pátria.

Militou no CDS-PP durante vários anos, do qual se afastou por não se identificar com o mesmo.

Como músico (amador) integrou diversas bandas filarmónicas, entre elas a Banda de Música de Riba de Ave, da qual fez parte dos orgãos sociais durante o biénio 2008-2010.

Foi presidente da Mesa da Assembleia geral da Escola de Música de S. Martinho do Campo, tendo também sido um dos fundadores da Banda Filarmónica de Moreira de Cónegos.

Profissionalmente exerce a função de operador de centrais térmicas numa empresa do concelho de Guimarães.

Frequentou a Escola Profissional CENATEX em Guimarães.

Colaborador de diversos jornais regionais.

Católico convicto e activo, é membro de várias irmandades da Igreja Católica, entre elas a Irmandade de Sta Cruz de Braga.

Membro e colaborador da ASHENO- Associação de História do Estado Novo.

Autor do livro “Os teares e as pautas- Memória histórica da Banda de Música de Riba de Ave”.

Em Setembro de 2018, a convite da CPN do PNR, aceitou o convite para encabeçar a lista do partido pelo círculo eleitoral de Braga às Legislativas 2019.

É o responsável do núcleo do PNR Braga desde Junho de 2018.