Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO: CDU APRESENTA PRIMEIRO CANDIDATO PELO DISTRITO

259367260_2058743187617024_1569621170730901067_n.j

QUEM É JOAQUIM CELESTINO RIBEIRO, CABEÇA DE LISTA DA CDU PELO CÍRCULO ELEITORAL DE VIANA DO CASTELO?

Com uma participação autárquica consolidada e intervenção política não só local, como regional, Joaquim Celestino Ribeiro é atualmente o membro eleito da Assembleia Municipal de Caminha e da Assembleia Intermunicipal da CIM do Alto Minho, liderando o respetivo grupo político nestes órgãos.

260464808_2060028234155186_4051255350012975160_n.j

Nasceu em 1972, é licenciado em Engenharia Biológica e profissionalizado no ensino de Física e Química, lecionando no Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha, onde tem assento no respetivo Conselho Pedagógico. Acumulou experiências no sector público, particular e cooperativo e associativo sectorial, no setor agrícola e ensino profissional, em todo o Alto Minho, assim como de gestão administrativa e pedagógica no Ensino Artístico Especializado da Música. É Dirigente Sindical e membro da Direção Distrital de Viana do Castelo do SPN – Sindicato dos Professores do Norte e membro da Comissão Concelhia de Caminha do PCP (Partido Comunista Português).

Natural de Vila Praia de Âncora e residente no concelho de Caminha, “tem uma forte relação com a comunidade e um sólido conhecimento da realidade regional, de forma transversal e consciente das oportunidades determinantes para o distrito de Viana do Castelo, na linha da concretização de uma política patriótica e de esquerda que garanta a soberania nacional, o desenvolvimento regional e a valorização dos cidadãos e da sua qualidade de vida”.

A sessão pública de apresentação do candidato decorrerá no próximo sábado, dia 27 de novembro, às 11:00h, no Café Concerto do Teatro Municipal Sá de Miranda em Viana do Castelo.

JOSÉ PEIXOTO LIMA EMPOSSADO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE CELORICO DE BASTO

“A renovação é um dos princípios do processo democrático. Acredito numa governação municipal que faça a diferença na vida das pessoas, desenvolvendo ações que vão de encontro aos seus anseios e necessidades nas mais diversas áreas” disse o recém-empossado Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, José Peixoto Lima.

_DSC0504.jpg

A tomada de posse dos novos órgãos autárquicos decorreu no passado dia 16 de novembro, no Cineteatro dos Bombeiros Voluntários Celoricenses.

O Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto vê esta missão como um voto de confiança dos celoricenses para orientar os destinos de Celorico. “Trabalharemos desde o primeiro dia para não os desiludir, e contamos com todos para fazer da nossa terra um concelho próspero, desenvolvido e com melhor qualidade de vida”. O autarca agora empossado reconhece as dificuldades inerentes a uma ainda presente crise pandémica, e observa que “temos pela frente enormes desafios mas também grandes oportunidades. Esta crise demonstrou e provou a importância do trabalho dos Municípios, um trabalho de proximidade e de colaboração com todas as entidades, onde se destacam os profissionais de saúde deste concelho, mas também de todas as Ipss´s, Câmara Municipal e juntas de freguesia. Um trabalho de cooperação numa ação concertada que resultou em frutos muito positivos. E, apesar do perigo ainda não ter passado sei que temos capacidade para nos debatermos com sucesso na ajuda e conforto junto de todos em especial dos mais necessitados”.

José Peixoto Lima propõe-se desenvolver um trabalho versado no presente mas orientado para o futuro, “aproveitando todas as oportunidades para desenvolver o nosso concelho. Antes de mais quero agradecer aos ex-autarcas o legado que nos deixaram, cada um à sua maneira fez o melhor que sabia e podia por esta terra. Agora compete-nos a nós essa nobre missão, e iremos trabalhar de forma concertada e sustentável, criando emprego e riqueza sem sacrificar o património natural e a herança cultural. Os celoricenses não nos perdoariam se não aproveitássemos bem o PRR e o próximo quadro comunitário. São oportunidades para fazer de Celorico um concelho mais apelativo, mais competitivo, capaz de capitalizar as mudanças do mundo do trabalho, melhorar a vida de todos. Lutaremos por cada cêntimos para investir no nosso concelho seja no apoio às famílias, às empresas, ao investimento público”. As obras a executar serão na sua maioria comparticipadas “fazendo desta forma mais com menos dinheiro. Lutaremos pelas acessibilidades externas em conjunto com as forças políticas representadas no executivo Municipal, com a força da nossa razão e das nossas convicções”. E ciente das responsabilidades crescentes com a delegação de competências na saúde e na educação, José Peixoto Lima mostra-se convicto de que “poderemos ser mais atuantes em áreas que até então eram da responsabilidade do Poder Central, faremos uma negociação atenta e responsável”. O autarca propõe-se melhorar as condições de trabalho dos mais de 300 funcionários da autarquia ao nível das competências e salários, “já lhes comuniquei e eu serei mais um no trabalho que vamos desenvolver”. Propõe-se trabalhar com rigor e disciplina, “seremos uma Câmara de contas certas e cumpridora dos seus compromissos. E, estaremos sobretudo e principalmente, junto das pessoas nas suas necessidades”.

A tomada de posse dos novos órgãos autárquicos foi presidida pelo Presidente da Assembleia cessante, José Silva. Na primeira reunião de trabalho da Assembleia Municipal foi eleito pelos deputados, pela maioria, o novo Presidente da Assembleia Municipal, António Machado.

No final da sessão todos os presentes foram convidados a desfrutar de um verde de honra, um gesto de respeito dos produtores de vinho verde do concelho para com o autarca empossado, que não quiseram deixar de se associar a este momento de renovação democrática.

_DSC0261.jpg

_DSC0410.jpg

_DSC0424.jpg

_DSC0430.jpg

_DSC0432.jpg

_DSC0453.jpg

PAREDES DE COURA: ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS TOMAM POSSE

“Uma startup política que assume os problemas como desafios” – assim define Vitor Paulo Pereira o executivo de Paredes de Coura

“O futuro do território não está dependente da nossa posição no país relativamente ao centro, mas sim da nossa capacidade de criar ou da nossa capacidade de enfrentar os desafios de uma sociedade que será muito diferente”, apontou Vitor Paulo Pereira na tomada de posse para mais um mandato, o terceiro, à frente da Câmara de Paredes de Coura, acreditando que a sua equipa não terá dificuldades de adaptação ao novo rumo que o mundo tomará: “Na verdade, confesso-vos, que não somos uma Câmara Municipal tradicional que apenas se preocupa em fazer o esperado e manter-se no poder. O nosso modo de governança e de ação aproxima-se mais de uma startup política que assume os problemas como desafios, que luta muito pelas ideias em que acredita e que olha para o impossível com indiferença. Apesar de existir uma hierarquia bem definida, esta é flexível e invisível, o que nos ajuda a manter a coesão institucional, a agilidade e a eficácia governativa”.

20211015_182557.jpg

Perante os muitos courenses e não só que acorreram ao Centro Cultural para assistir à cerimónia de Tomada de Posse e Instalação da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal de Paredes de Coura para o mandato de 2021 a 2025, o Presidente da Câmara eleito recuperou que “uma terra não é feita de terra ou de fronteiras, mas da memória que liga o passado ao futuro. E nessa memória, que é um legado simbólico, vive o exemplo de muitos courenses que deram muito da sua vida por Paredes de Coura. Abrem-se as portas deste lugar a Frei Redento da Cruz, a António Pereira da Cunha, a D. António Mendes de Carvalho, a Bernardo Chousal, Miguel Dantas, a Narcizo Cândido Alves da Cunha, Casimiro Rodrigues de Sá, a Bernardino António Gomes, Albano Barreiros de Oliveira, a José Joaquim Gomes, a José Luís Nogueira e tantos outros que fazem parte desta gesta heroica que, através dos seus exemplos, nos inspiram para as lutas e para os desafios que pairam ao longe”.

Consciente que tem de ser digno desta memória construída, Vitor Paulo Pereira destaca: “a herança que nos deixam é essa memória, esse legado simbólico que nos envolve e que nos abraça. É como um amor perpétuo que nos liga à terra e que, exige cada vez mais, numa prova incessante. Nós os courenses, de agora, temos de continuar a alimentar esta força e ser dignos da herança dos nossos antepassados”, sublinhou, acrescentando que “esta é a História do princípio de uma terra orgulhosa de séculos que não vive do passado ou das conquistas, mas que nasce todos os dias. Amanhecerá amanhã e estamos dispostos a começar um novo caminho. Famintos de infinito e cheios de sonhos partiremos sem alarido porque quem ama cuida em silêncio”.

20211015_175030.jpg

“Temos um projeto e um modelo de desenvolvimento”

Apostado em fazer tudo que for possível para garantir que Paredes de Coura corresponda aos sonhos dos seus filhos, Vitor Paulo Pereira e a sua equipa prometem estar à altura das circunstâncias e tudo farão para responder às expectativas que geraram nos courenses. “O que fica para a história é que o Partido Socialista apresentou, desde 2013, três candidaturas fortes que tiveram 3 maiorias absolutas e inequívocas, que mostram um reconhecimento pelo nosso trabalho. Com serenidade, mas com firmeza, procuraremos sempre os caminhos do diálogo e do compromisso com os outros partidos, mas sem fugir à responsabilidade de decidir. Sabemos o que queremos e sabemos para onde queremos ir. Temos um projeto e um modelo de desenvolvimento”, apontou, acrescentando também que “a política é uma missão e o exemplo perfeito da cidadania. Não nos interessa a política como instrumento de poder ou meio de afirmação pessoal. A política é, para nós, uma forma de servir, um instrumento que nos permite fazer bem o nosso trabalho para resolver com eficácia os problemas das pessoas”.

O presidente da Câmara eleito reconhece que o sucesso político é feito de grandes projetos, mas também é feito da resposta que se dá aos pequenos problemas das pessoas: “O que fizemos nestes últimos 8 anos foi verdadeiramente notável. Ultrapassou as nossas melhores expectativas. Vencemos desafios que pensávamos insuperáveis, batalhas que pensávamos impossíveis de vencer”, recordou Vitor Paulo Pereira, ao mesmo tempo que dirigia um cumprimento muito especial à sua equipa que ao longo destes 8 anos foi incansável e responsável por muitas conquistas e vitórias para o povo de Paredes de Coura. 

“O nosso governo esteve sempre atento ao nosso trabalho e ao nosso desempenho. O senhor Primeiro Ministro, António Costa, visitou 4 vezes o nosso concelho e foram 9 os senhores Ministros e 15 os secretários de Estado que vieram ver o trabalho que nós, conjuntamente com os empresários e instituições estávamos a fazer para o desenvolvimento de Paredes de Coura. E acreditam que todos ficaram verdadeiramente impressionados com a nossa capacidade de trabalho”, observou orgulhosamente, enumerando muito do que foi feito, como os investimentos nas freguesias, a requalificação de inúmeros equipamentos sociais, desportivos, escolares e educacionais que melhoraram muito a qualidade de vida de todos os courenses.

20211015_174905.jpg

No centro da inovação e da competitividade territorial

“Estou a lembrar as obras da Escola Secundária, do Pavilhão Gimnodesportivo, das Piscinas, Centro Cultural, Caixas dos Brinquedos e da Música, do Quartel das Artes, do Mercado Municipal, do Centro Coordenador de Transportes, das obras de regeneração urbana da vila, da fibra ótica e da iluminação Led em todo o concelho, do alargamento e requalificação das Zonas Industriais, da criação da nova Zona Industrial de Linhares, da ligação à autoestrada A3, da implantação em Paredes de Coura dos novos sectores: farmacêutico e metalúrgico e podia continuar toda a noite com mais exemplos. No total investimos quase 40 milhões de euros. E continuamos com boas contas e com capacidade de investimento para o que aí vem”, garantiu Vitor Paulo Pereira, para quem toda esta nova dinâmica, de captação de investimento e criação de emprego, não pode ser desenhada fora de uma nova estratégia para habitação. “A habitação, a preços compatíveis com os rendimentos das famílias ou na forma de arrendamento, será uma das grandes apostas para este novo mandato e que ainda arrancará este ano”, vincou o autarca, sustentando que a habitação é fundamental para suportar o crescimento industrial, como é indispensável para fixar e captar talento.

O presidente da Câmara eleito recordou também que nem no contexto da pandemia o seu executivo perdeu o foco. “Aliás, foi neste tempo difícil que conseguimos implantar em Paredes de Coura a primeira fábrica de vacinas do país que abrirá as portas a muitos jovens licenciados que poderão viver e trabalhar em Paredes de Coura numa área altamente inovadora e profissionalmente gratificante. Este investimento coloca Paredes de Coura no centro da inovação e da competitividade territorial, ao permitir a criação de um novo polo de biotecnologia entre o Norte de Portugal e Galiza. Esta é que é a verdadeira euroregião”, explicou Vitor Paulo Pereira, aproveitando a oportunidade para cumprimentar o Magnífico Reitor da Universidade Minho, o Professor Rui Vieira de Castro, manifestando “a mais profunda gratidão por toda a colaboração que a universidade tem desenvolvido com o município, em várias áreas e em muitos projetos estratégicos”.

20211015_174848.jpg

Brevemente no ranking dos concelhos mais exportadores da região norte

O autarca não tem dúvidas que Paredes de Coura está a crescer e a crescer bem. Que muito brevemente entrará para o ranking dos concelhos mais exportadores da região norte. Mas também sabe que, no presente, “a crise assusta a maior parte dos agentes económicos e as famílias. Todavia, a mensagem que trazemos é de esperança. Nos próximos tempos procuraremos estar sempre próximos daqueles que sofreram mais os efeitos indesejáveis desta pandemia”, relembrando que “em Coura foram sempre as dificuldades e as nossas capacidades de superação que determinaram o nosso destino”, concluiu, sem antes deixar uma última mensagem.

“Para compreendermos uma vida ou um tempo temos que juntar tudo para percebê-la: fábricas, livros, meninos a tocar trompetes, legos, estradas, casas felizes, chuva, solidão, alegria, tristeza, coragem, fortuna, derrota, felicidade, fragilidade, vitória. Tudo, tudo. Para compreender uma vida ou um tempo é preciso contar histórias. Espero sinceramente que um dia alguém conte a nossa história, não para a vanglória egoísta, mas para que esta seja inspiração para os nossos filhos, que terão a missão de continuar a escrevê-la. Não lhes deixamos nenhum conselho, apenas lhes segredamos aos ouvidos: nenhum dia sem sonho. O futuro só espera pelo audazes”, sublinhou.

20211015_174707.jpg

20211015_174812.jpg

FAMALICÃO: MÁRIO PASSOS CRIA PELOUROS PARA A INTELIGÊNCIA URBANA, TRANSIÇÃO ENERGÉTICA E INTERCULTURALIDADE E INTEGRAÇÃO

Equipa renovada junta experiência com sangue novo para enfrentar novos desafios

Uma equipa renovada que junta a experiência governativa municipal com o sangue novo. Foi desta forma que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Mário Passos, apresentou, esta quinta-feira, a sua equipa de vereadores e a respetiva distribuição de pelouros.

Distribuição dos Pelouros - Vereadores_10142021_

Numa cerimónia breve, que contou com a presença dos seis vereadores eleitos pela coligação PSD- CDS/PP que compõem o executivo, Mário Passos falou de “uma transição tranquila entre um passado recente que merece todo o nosso respeito e um futuro que estamos a construir”.

“Cinquenta por cento da equipa com pelouros é nova, isto é, temos três novos vereadores e três que acompanham a dinâmica municipal há mais tempo”, salientou o novo presidente da Câmara Municipal, destacando o equilíbrio, a motivação e a diversidade formativa da equipa.

Para este mandato foram criados três novos pelouros nas áreas da Inteligência Urbana; Transição Energética e Interculturalidade e Integração. “O objetivo é criar respostas aos novos desafios da atualidade, mantendo Famalicão na vanguarda do desenvolvimento”.

A experiência, a formação profissional e a vocação foram os principais critérios para a distribuição dos pelouros, que foi feita da seguinte forma: Mário Passos, presidente da Câmara Municipal: Planeamento, Gestão Urbanística e Fiscalização; Obras Municipais; Freguesias; Habitação; Recursos Humanos; Solidariedade Social; Contratação Pública; Governação Municipal e Inteligência Urbana; Transição Energética; Gestão Financeira; Planeamento; Estratégico; Modernização Administrativa e Transição Digital. Ricardo Mendes, Vice-Presidente: Assuntos Jurídicos e Contencioso; Proteção Civil; Mercados e Feiras; Segurança. Sofia Fernandes: Saúde; Transportes e Mobilidade; Igualdade; Interculturalidade e Integração; Família; Segurança Rodoviária. Augusto Lima: Educação e Ciência; Relações Internacionais; Desenvolvimento Integrado; Manutenção do Espaço e Equipamentos Públicos; Economia e Empreendedorismo. Pedro Oliveira: Desporto; Cultura; Associativismo. Luísa Azevedo: Juventude; Voluntariado; Turismo. Hélder Pereira: Ambiente; Defesa do Consumidor; Gestão Cemiterial; Bem-Estar Animal.

O Executivo Municipal  de Vila Nova de Famalicão é composto por 11 vereadores eleitos, sete pela Coligação Mais Ação Mais Famalicão e 4 pelo Partido Socialista.

Distribuição dos Pelouros - Vereadores_10142021_

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE FAMALICÃO DISTRIBUI PELOUROS PELOS VEREADORES

Mário Passos anuncia distribuição de pelouros pelos vereadores eleitos

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Mário Passos vai anunciar e explicar a distribuição dos pelouros municipais pelos vereadores eleitos.

DSC_7279.jpg

A comunicação acontece depois da realização da primeira reunião ordinária da Câmara Municipal, que vai reunir o atual executivo e que está agendada presencialmente para as 10h00, desta quinta-feira.

Da ordem de trabalhos fazem parte seis propostas apresentadas pela presidência, onde se incluem a fixação do número de vereadores a tempo inteiro e a delegação de competências da Câmara Municipal no seu presidente.

CAMINHA: CERIMÓNIA DE INSTALAÇÃO DOS NOVOS ÓRGÃOS DA AUTARQUIA LOCAL TERÁ LUGAR SÁBADO

Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora acolhe cerimónia, dia 16 de outubro, pelas 11 horas

O Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora vai acolher a cerimónia de Instalação dos Novos Órgãos da Autarquia Local - Câmara Municipal e Assembleia Municipal, que terá lugar no dia 16 de outubro, pelas 11H00. Miguel Alves renova o mandato como Presidente do Executivo Municipal, eleito nas listas do Partido Socialista. A cerimónia será transmitida em direto através das redes sociais do Município.

VilaPraiaAncora 016

De acordo com os resultados das Eleições Autárquicas, realizadas no passado dia 26 de setembro, o próximo Executivo Municipal será constituído por quatro elementos eleitos pelo Partido Socialista - PS, e três elementos eleitos pela coligação O Concelho em Primeiro.

A Assembleia Municipal será assim composta: 10 mandatos conquistados pelo PS, 9 mandatos conseguidos pela coligação O Concelho em Primeiro, 1 mandato em representação da CDU e 1 mandato alcançado pelo BE, a que se somam os representantes das 14 Juntas de Freguesia.

As Juntas de Freguesia contam com sete presidentes eleitos pelo PS, três pela coligação O Concelho em Primeiro, três por grupos de independentes e um pela CDU.

CUMPRIR O MANDATO PARA O QUAL O CANDIDATO É ELEITO É UM DEVER CÍVICO

35922660_1749853358428503_3697575518795726848_n.jp

  • Crónica de Carlos Gomes

O exercício do voto é considerado um direito e um dever cívico. Este princípio é sempre lembrado por todas as entidades políticas, por ocasião de actos eleitorais, a começar pelo próprio Presidente da República.

Ocorreram recentemente eleições para as autarquias locais – câmaras municipais, assembleias municipais e assembleias de freguesia – entidades que, como é recorrente afirmar-se, encontram-se mais próximas dos eleitores pois têm a ver com a resolução concrecta dos seus problemas e cujos protagonistas são geralmente pessoas reconhecidas pelos próprios eleitores.

Após a introdução do voto na urna e conhecidos os resultados, eis que os derrotados ou seja, aqueles que não almejaram os objectivos que pretendiam, em regra a presidência do executivo municipal, renunciam aos cargos para os quais foram eleitos ou, como outrora se dizia, dão “às de Vila Diogo”!...

Outros, porém, decidem não aceitar os mandatos que lhes são atribuídos no executivo municipal, dificultando dessa maneira o funcionamento eficaz da autarquia, como se o voto dos munícipes se destinasse a eleger “fiscais”.

Em ambas as situações, trata-se de um desrespeito e desprezo pelo voto dos eleitores e, consequentemente, do mandato que estes lhes atribuíram. É um comportamento que não se coaduna com o dever cívico que é exigido aos eleitores em geral. E, por aqui nos abstemos de caracterizar tal atitute pouco cívica e democrática… mas, não podemos deixar de lembrar que, com a mesma legitimidade, os eleitores também vão renunciando ao seu dever cívico!

TOMADA DE POSSE DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS DE PONTE DA BARCA

Em cerimónia solene realizada nos Paços do Concelho, tomaram posse, no dia 10 de outubro, os novos Órgãos Autárquicos que irão representar e governar o concelho de Ponte da Barca nos próximos quatro anos, sob a liderança de Augusto Marinho, reeleito presidente da autarquia nas eleições do passado dia 26 de setembro.

barcautatarqorg (9).jpg

Augusto Marinho vai ser coadjuvado por José Alfredo Oliveira, Rosa Maria Arezes e Diana Sequeira, vereadores eleitos pelo PSD. Dos vereadores da oposição, tomaram posse Pedro Lobo, Irene Dantas e Fernanda Marques, pelo PS. Michael Sousa mantém-se na presidência da Assembleia Municipal de Ponte da Barca, também pelo Partido Social-Democrata. Os sociais-democratas elegeram ainda 11 elementos para a Assembleia Municipal, o Partido Socialista 9 e a CDU 1.

Durante a cerimónia, Augusto Marinho referiu que “o compromisso solene que acabo de assumir tem como única razão Ponte da Barca e os Barquenses”, dirigindo “uma palavra aos Barquenses pela participação livre e democrática no ato eleitoral do passado dia 26 de setembro”.

O autarca Augusto Marinho salientou o desenvolvimento económico do concelho como a principal aposta para o mandato que agora inicia, comprometendo-se a “potenciar o território, no âmbito do desenvolvimento económico, quer através da criação de condições para que as nossas empresas cresçam, quer para atrair potenciais investidores, de preferência que tragam tecnologia associada”.

Augusto Marinho afirmou ainda que serão potenciadas as marcas de Ponte da Barca: “Refiro-me aos produtores do vinho, ao enoturismo, ao turismo, ao turismo religioso e ao turismo náutico. Queremos afirmar este concelho como um destino de natureza e aventura”, disse o autarca barquense.

Augusto Marinho considerou importante o bem estar das populações e, nesse sentido, serão tomadas algumas decisões. “Não vamos aderir à empresa supramunicipal de águas (Águas do Alto Minho). Vamos continuar a gerir a nossa água em baixa, mas melhorando a rede de distribuição. Também apostaremos no saneamento. Vamos criar condições para que se viva cada vez melhor em Ponte da Barca”.

No sector do ambiente, o destaque vai para a criação do Plano Municipal do Ambiente, com especial enfoque no Parque Nacional da Peneda-Gerês e na Reserva da Biosfera.

Na área da cultura vai ser feita uma posta na descentralização pelas freguesias, com a ajuda da juventude.

No que se refere ao apoio social, reforçou a prioridade numa “visão muito atenta àqueles que são os mais frágeis, àquelas famílias que precisam de mais atenção dos poderes públicos, para que de uma forma justa e equilibrada, o município possa dar resposta atenta e eficaz”.

Nas acessibilidades, o próximo mandato será marcado por melhorias na rede viária do concelho, pela defesa da remodelação da Estrada Nacional 101 (entre Ponte da Barca e Braga) e da Estrada de ligação à Fronteira da Madalena (Lindoso). “É uma via essencial para a internacionalização das empresas do nosso concelho”, defendeu Augusto Marinho.

A elaboração da Carta Educativa Concelhia é uma das principais intenções para a área da Educação, a que se juntam a reabilitação e a construção de escolas e o primeiro Orçamento Participativo Jovem já em 2022.

O reeleito presidente da Câmara reafirmou ser “uma honra continuar a servir Ponte da Barca, assegurando que “continuará a ser o Presidente da Câmara de todos os Barquenses”.

barcautatarqorg (1).jpg

barcautatarqorg (2).jpg

barcautatarqorg (3).jpg

barcautatarqorg (4).jpg

barcautatarqorg (5).jpg

barcautatarqorg (6).jpg

barcautatarqorg (7).jpg

barcautatarqorg (8).jpg

MELGAÇO: TOMADA DE POSSE DO NOVO EXECUTIVO

Este sábado, 9 de outubro, NNo Largo Hermenegildo Solheiro

O novo executivo toma posse este sábado (9 de outubro), pelas 10h30, no Largo Hermenegildo Solheiro. A sessão é aberta ao público e marca o começo de um novo ciclo, com Manoel Batista a liderar a autarquia pelo terceiro e último mandato consecutivo.

Os novos órgãos autárquicos, eleitos no passado dia 26 de setembro, irão representar o concelho de Melgaço ao longo dos próximos quatro anos. Durante a cerimónia, serão também apresentados os elementos que vão formar a Assembleia Municipal para o mandato 2021-2025.

tomada-de-posse-melgaco.jpg

O PS conquistou 54,23% dos votos, governando em maioria e com quatro mandatos para o seu novo executivo municipal. «Uma palavra de gratidão a todos os melgacenses por terem confiado em nós nestes últimos anos. Foi com um esforço muito mais do que redobrado, mas conseguimos realizar e concretizar os objetivos a que nos propusemos desde que assumimos o compromisso com Melgaço e que, independentemente da área de gestão, têm sempre como denominador comum, o desenvolvimento do concelho. E não posso deixar de mencionar aquele que foi o desafio mais difícil de todo este caminho: a pandemia COVID-19. Mas, uma vez mais e com o auxílio de toda a comunidade, fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para apoiar e minorar os efeitos nefastos que este vírus provocou. Foi uma fase muito triste e desafiante, exigindo de todos um maior empenho na concretização dos objetivos. O trabalho continua.», refere Manoel Batista.

A sessão será transmitida em live streaming, nas redes sociais da autarquia, nomeadamente: Facebook, Instagram, Twitter e Youtube.

MONÇÃO: CERIMÓNIA DE INSTALAÇÃO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS – QUADRIÉNIO 2021-2025

A Cerimónia de Instalação dos Órgãos Autárquicos para o quadriénio 2021-2025, realiza-se no dia 9 de outubro, sábado, pelas 17h00, no Cine Teatro João Verde.  Conforme disposto no Nº 1 do Artº 45 da Lei Nº 169/99, após o ato de instalação decorre, pelas 19h00, a primeira reunião da Assembleia Municipal de Monção.

barbosa.jpg

𝗔𝗡𝗧𝗢́𝗡𝗜𝗢 𝗕𝗔𝗥𝗕𝗢𝗦𝗔 𝗥𝗘𝗘𝗟𝗘𝗜𝗧𝗢 𝗣𝗥𝗘𝗦𝗜𝗗𝗘𝗡𝗧𝗘 𝗗𝗔 𝗖𝗔̂𝗠𝗔𝗥𝗔 𝗠𝗨𝗡𝗜𝗖𝗜𝗣𝗔𝗟 𝗗𝗘 𝗠𝗢𝗡𝗖̧𝗔̃𝗢

𝘈𝘵𝘶𝘢𝘭 𝘱𝘳𝘦𝘴𝘪𝘥𝘦𝘯𝘵𝘦, 𝘲𝘶𝘦 𝘦𝘯𝘵𝘳𝘢 𝘯𝘰 𝘴𝘦𝘨𝘶𝘯𝘥𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘥𝘢𝘵𝘰, 𝘨𝘢𝘯𝘩𝘰𝘶 𝘯𝘢𝘴 33 𝘧𝘳𝘦𝘨𝘶𝘦𝘴𝘪𝘢𝘴 𝘥𝘰 𝘤𝘰𝘯𝘤𝘦𝘭𝘩𝘰.

Como resultado das eleições autárquicas, realizadas no dia 26 de setembro, o PSD voltou a conquistar a Câmara Municipal de Monção, tendo António Barbosa, 45 anos, sido reeleito presidente da autarquia monçanense, reforçando a maioria absoluta.

Num total de 7 elementos com assento no executivo municipal, o PSD conquistou 5 e o PS 2. Assim, António Barbosa entra no segundo mandato (2021 – 2025) com o maior resultado de sempre do PSD no concelho de Monção, tendo ganho nas 33 freguesias.

Traduzido por números, o PSD obteve 7.306 votos (62,28%), o PS conseguiu 3.490 votos (29,75%) o CHEGA 207 votos (1,76%), o CDS/PP 206 votos (1,76%) e o PCP-PEV 115 votos (0,98%). Num total de 11.730 votantes (60,59%), houve ainda 213 votos em branco (1,82%) e 193 votos nulos (1,65 %).

Relativamente ao último ato eleitoral autárquico, em 2017, o PSD aumentou o seu resultado em 1532 votos, tendo as restantes forças politicas descido as respetivas votações: o PS perdeu 1792 votos, o CDS/PP 399 votos, e o PCP-PEV 116 votos. O CHEGA concorreu pela primeira vez.

fontainhas.jpg

𝗔𝗥𝗠𝗔𝗡𝗗𝗢 𝗙𝗢𝗡𝗧𝗔𝗜𝗡𝗛𝗔𝗦 𝗩𝗘𝗡𝗖𝗘 𝗘𝗟𝗘𝗜𝗖̧𝗢̃𝗘𝗦 𝗣𝗔𝗥𝗔 𝗔 𝗔𝗦𝗦𝗘𝗠𝗕𝗟𝗘𝗜𝗔 𝗠𝗨𝗡𝗜𝗖𝗜𝗣𝗔𝗟

𝘈𝘵𝘶𝘢𝘭 𝘱𝘳𝘦𝘴𝘪𝘥𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘳𝘦𝘧𝘰𝘳𝘤̧𝘢 𝘷𝘰𝘵𝘢𝘤̧𝘢̃𝘰 𝘤𝘰𝘮 𝘦𝘭𝘦𝘪𝘤̧𝘢̃𝘰 𝘥𝘦 𝘮𝘢𝘪𝘴 4 𝘥𝘦𝘱𝘶𝘵𝘢𝘥𝘰𝘴 𝘮𝘶𝘯𝘪𝘤𝘪𝘱𝘢𝘪𝘴, 𝘱𝘢𝘴𝘴𝘢𝘯𝘥𝘰 𝘢 16 (𝘵𝘰𝘵𝘢𝘭 𝘥𝘦 25), 𝘯𝘰 𝘱𝘳𝘰́𝘹𝘪𝘮𝘰 𝘤𝘪𝘤𝘭𝘰 𝘦𝘭𝘦𝘪𝘵𝘰𝘳𝘢𝘭 (2021-2025).

Armando Fontainhas, 54 anos, voltou a ganhar as eleições para a Assembleia Municipal de Monção, conquistando 6.636 votos (56,57%), mais 2.679 votos que o candidato do PS, Augusto Domingues, que conseguiu 3.957 (33,73%). O CHEGA teve 261 votos (2,23%), o CDS-PP 209 votos (1,78%) e o PCP-PEV 177 votos (1,51%).

Num total de 25 deputados municipais, o PSD elegeu 16 (mais 4 em relação a 2017) e o PS alcançou 9 (menos 2 em relação a 2017). Com exceção da freguesia de Cambeses, ganha pelo PS, Armando Fontainhas, venceu nas restantes 32 freguesias do concelho.

Com 11.730 votantes, equivalente a uma taxa de votação de 60,59%, estando 19.361 pessoas inscritas nos cadernos eleitorais, verificaram-se ainda 296 votos em branco (2,52%) e 194 votos nulos (1,65%). Aos 25 deputados eleitos, juntam-se, por inerência, os 24 presidentes de junta, sendo a Assembleia Municipal de Monção constituída por 49 elementos.

Trata-se da terceira vitória consecutiva de Armando Fontainhas para aquele órgão, depois dos triunfos alcançados em 2017 e 2013. Neste último caso, apesar de mais votado nas urnas, não exerceu como Presidente da Assembleia Municipal, uma vez que os 49 deputados, elegeram o candidato do PS, António Simões.

𝟭𝟴 𝗝𝗨𝗡𝗧𝗔𝗦 𝗗𝗢 𝗣𝗦𝗗, 𝟯 𝗗𝗢 𝗣𝗦 𝗘 𝟯 𝗜𝗡𝗗𝗘𝗣𝗘𝗡𝗗𝗘𝗡𝗧𝗘𝗦

16 𝘢𝘶𝘵𝘢𝘳𝘤𝘢𝘴, 𝘶𝘮 𝘦𝘮 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘧𝘳𝘦𝘨𝘶𝘦𝘴𝘪𝘢, 𝘳𝘦𝘱𝘦𝘵𝘦𝘮 𝘮𝘢𝘯𝘥𝘢𝘵𝘰, 𝘦 8 𝘦𝘴𝘵𝘳𝘦𝘪𝘢𝘮-𝘴𝘦 𝘯𝘢 𝘱𝘳𝘦𝘴𝘪𝘥𝘦̂𝘯𝘤𝘪𝘢 𝘥𝘦 𝘫𝘶𝘯𝘵𝘢.

O resultado eleitoral traduziu-se num novo mapa autárquico no concelho de Monção com 18 juntas do PSD, 3 do PS e 3 Independentes. Em termos globais, o PSD alcançou 6.031 votos (51,40%), o PS atingiu 3.954 votos (33,70%), os Independentes conseguiram 951 votos (8,10%), Nós Cidadãos chegou aos 154 votos (1,31%) e o PCP/PEV ficou-se pelos 33 votos (0,28%).

O PSD venceu em Abedim, Barbeita, Bela, Lara, Longos Vales, Merufe, Moreira, Pias, Podame, Portela, Riba de Mouro, Segude, Tangil, Anhões/Luzio, Ceivães/Badim, Messegães/Valadares/Sá, Monção/Troviscoso, e Sago, Lordelo/Parada. O PS ganhou em Barroças e Taias, Cambeses e Mazedo/Cortes e os Independentes em Pinheiros, Trute e Troporiz /Lapela.

16 autarcas repetem mandato, um em outra freguesia, passando de Podame para Barbeita, e 8 fazem a sua estreia como presidentes de junta. Num total de 11.734 votantes (65,29%), registaram-se 345 votos brancos (2,94%) e 266 votos nulos (2,27%). No global, o PSD elegeu 105 elementos, o PS 50 e os Independentes 23.

INSTALAÇÃO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS DE PONTE DA BARCA

Eleitos tomam posse no próximo domingo, às 15h, nos Paços do Concelho

Vai ter lugar no próximo domingo, 10 de outubro, a tomada de posse dos Órgãos Autárquicos para a Câmara Municipal e Assembleia Municipal de Ponte da Barca. A sessão, marcada para as 15h, no átrio dos Paços do Concelho, vai empossar Augusto Marinho, reeleito Presidente da Câmara Municipal nas eleições autárquicas do passado dia 26 de setembro, bem como os restantes membros do executivo municipal.

Depois da tomada de posse, decorrerá a primeira reunião da Assembleia Municipal para eleição da mesa da mesa que irá reger a Assembleia Municipal no novo mandato autárquico que agora inicia.

Capturarorgaut.JPG

TOMADA DE POSSE DOS NOVOS ÓRGÃOS MUNICIPAIS DE BRAGA

9 de Outubro | 17h00 | Altice Forum Braga

O Altice Forum Braga acolhe no próximo Sábado, 9 de Outubro, pelas 17h00, a cerimónia de tomada de posse e instalação da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal de Braga para o quadriénio 2021-2025.

A cerimónia pública terá transmissão online na página de Facebook do Município de Braga.

Será também possível assistir presencialmente à cerimónia, devendo os interessados proceder ao levantamento do ingresso nas bilheteiras do Altice Forum Braga a partir desta Quarta-feira, dia 6 de Outubro.

244033668_4814541621910320_64779279026639326_n.jpg

MÁRIO PASSOS TOMA POSSE COMO PRESIDENTE DA CÂMARA DE FAMALICÃO

Novos membros autárquicos empossados em Assembleia de Tomada de Posse, domingo, 10 de outubro, pelas 16h30, na Casa das Artes

Mário Passos toma posse no próximo domingo, dia 10 de outubro, como o sétimo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão da III República, sucedendo a Paulo Cunha que exerce o cargo desde 2013.

DSC_7242.jpg

A Assembleia Municipal de tomada de posse dos membros eleitos para a Câmara e Assembleia Municipal está marcada para as 16h30, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, sendo esta presidida pelo presidente da Assembleia reeleito, Nuno Melo. Na sessão serão empossados os 11 vereadores que vão compor o executivo municipal: sete eleitos pela Coligação Partido Social Democrata (PSD) / Centro Democrático e Social – Partido Popular (CDS-PP) e quatro eleitos pelo Partido Socialista (PS).

Para a Assembleia Municipal, tomam posse cerca de 35 deputados eleitos: 20 da Coligação PSD/CDS-PP, 13 do PS, um do Chega e um da Coligação Democrática Unitária (CDU). Integram também a mesma, os 34 Presidentes de Junta de Freguesia que, em conjunto com os deputados eleitos, vão eleger nesta primeira sessão da Assembleia do novo ciclo autárquico, o primeiro e o segundo secretário do órgão.

Refira-se que Mário Passos venceu as eleições para a Câmara Municipal com 52,88% dos votos, tendo merecido a confiança direta de 40.143 eleitores famalicenses. O presidente recém-eleito nasceu na freguesia de Nine em 1966 e licenciou-se, no ano de 1991, no curso de Física e Química, pela Universidade do Minho (UM). Nesse mesmo ano, ingressou no grupo disciplinar do Departamento de Química da Escola de Ciências da UM, iniciando, assim, a sua carreira académica como assistente estagiário.

Em 1994, realizou as suas Provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica e iniciou as suas Provas de Doutoramento, na referida universidade, em cooperação com o Instituto John Innes Centre Research Park, Norwich, em Inglaterra, tendo concluído o seu Doutoramento em Ciências no ano de 1998, tornando-se Professor Auxiliar.

Foi Presidente da Comissão de Estágio da Licenciatura de Física e Química e secretário da Comissão Coordenadora de Estágios da mesma universidade. Integrou, também, o Grupo de Missão para a Qualidade do Ensino/Aprendizagem e participou na organização de palestras, seminários e congressos.

Em 2004, Mário Passos é convidado pelo XV Governo Constitucional da República Portuguesa, para Delegado Regional de Braga do Instituto Português da Juventude. Neste período, implementou e desenvolveu diversos programas, direcionados aos jovens e ao tecido associativo do distrito de Braga, em temáticas como a empregabilidade, a inovação, o empreendedorismo, o associativismo, o voluntariado, entre outras.

Em 2009, é eleito Vereador da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, onde se encontra até à presente data, tendo exercido funções em cerca de dez pelouros da governação autárquica.

"PS DE VIEIRA DO MINHO CRESCEU EM TODAS AS FRENTES" - LEMBRA FILIPE DE OLIVEIRA

Mais votos e mais autarcas eleitos

Mais votos, mais um vereador, mais um deputado municipal e mais uma Junta de Freguesia. “O PS de Vieira do Minho cresceu em todas as frentes e começou a derrubar o muro que tem impedido o desenvolvimento do concelho”, afirma Filipe de Oliveira, primeiro vereador socialista eleito, numa análise aos resultados das eleições autárquicas de domingo.

Filipe de Oliveira _ vereador PS na  Câmara Munic

Quando apresentou a sua candidatura à presidência da Câmara de Vieira, em janeiro deste ano, Filipe de Oliveira sabia que “era extremamente difícil” vencer António Cardoso, autarca que em 2017 tinha arrecadado para a coligação PSD-CDS 62,85 % dos votos e cinco vereadores. Mesmo assim, o candidato socialista partiu à conquista do eleitorado com um programa “para vencer e fazer renascer Vieira do Minho”.

Em resultado dessa ambição, o PS vieirense conseguiu recuperar terreno em todas as frentes. A começar pela Câmara Municipal, onde conquistou três vereadores, diminuindo o fosso em relação ao PSD, que perdeu mais de 650 votos e conquistou apenas quatro vereadores.

“Subimos o número de votos e o número de autarcas eleitos na Câmara, onde temos mais um vereador, na Assembleia Municipal, com mais um deputado municipal, e nas Juntas de Freguesia, pois mantemos Salamonde e conquistamos a Junta de Parada de Bouro”, destaca Filipe de Oliveira.

“Mesmo com armas desiguais, conseguimos encurtar a grande distância que nos separava do PSD e começamos agora a trilhar o caminho que nos vai conduzir à liderança do município de Vieira do Minho”, considera o novo vereador socialista.

Para a Câmara Municipal, a diferença entre o PS e o PSD baixou em 900 votos, ou seja, cerca de um terço. “O PSD de Vieira tem agora um presidente da Câmara politicamente enfraquecido, com o fim de ciclo à vista”, adianta Filipe de Oliveira, garantindo que, nos próximos quatro anos, o PS irá liderar na Câmara Municipal “uma oposição atenta, vigilante e rigorosa, sempre ao lado dos vieirenses”.

Para a Câmara Municipal, além de Filipe de Oliveira, o PS elegeu os vereadores Elisabete Gonçalves e Rui Mangas.

Para a Assembleia Municipal, os socialistas elegeram os deputados Hernâni Gouveia, Vânia Cruz, Dinis Frias, Maria do Sameiro Carvalho, Domingos Cerqueira, Jorge Azevedo e Eduarda Lopes.

O PS conquistou as juntas de freguesia de Parada de Bouro e Salamonde, que serão presididas, respetivamente, pela advogada Liliane Pereira – a primeira mulher a ser eleita presidente de uma Junta no concelho vieirense – e o técnico de eletricidade João Vieira.

Liliane Pereira _ Presidente da Junta de Parada de

BARCELOS REPETIU ELEIÇÕES MUNICIPAIS EM 1914

O Ministério do Interior - Direcção Geral de Administração Política e Civil, através do Decreto nº. 353, publicado em Diário do Govêrno n.º 35/1914, Série I de 1914-03-07, fixou o dia 29 de Março para a repetição, nas assembleias de Lama, Gueral e Vila Sêca, das eleições da Câmara Municipal de Barcelos e dos procuradores à Junta Geral do distrito de Braga.

Capturarelebarce.JPG

GOVERNO MARCOU ELEIÇÕES PARA AS JUNTAS DE FREGUESIA NO DISTRITO DE BRAGA EM 1919

O Ministério do Interior - Direcção Geral de Administração Política e Civil, através do Decreto nº. 6298, publicado em Diário do Govêrno n.º 262/1919, Série I de 1919-12-24, designou o dia 8 de Fevereiro de 1920 para realizarão das eleições de várias Juntas de Freguesia do distrito de Braga que não se realizaram no dia fixado ou foram anuladas.

Capturaraubr1.JPG

Capturaraubr2.JPG