Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PROFESSOR ANTÓNIO PEDRO MARTINS LEVA A FAFE OFICINA DE FORMAÇÃO INTENSIVA EM COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA

Ciclo de Encontros FAFéDUCAÇÃO debate ‘Educar com Sentido’. António Pedro Martins em Fafe

Este mês, o Ciclo de Encontros FAFéDUCAÇÃO continua com nova temática e novos convidados. Subordinado ao tema “Educar Com Sentido”, este encontro será dinamizado pelo professor António Pedro Martins, que traz até Fafe uma Oficina de Formação Intensiva em Comunicação Não Violenta: "Educar para uma vida cheia de sentido."

A sessão, que decorre no próximo Sábado, na Biblioteca Municipal, tem inicio marcado para as 9h30. Destina-se a pais, educadores e pessoas de todas as áreas que trabalham com crianças e jovens. Esta oficina assenta num novo modelo de educação e de sociedade alicerçado no "poder com o outro" em vez do "poder sobre o outro", tão tradicional nas famílias e nas escolas. Cabe às famílias e às escolas proporcionarem às crianças e aos jovens todas as condições para que possam desenvolver os seus dons e capacidades e, assim, poderem ter uma vida cheia de significado, prosperidade e abundância.

Haverá também oportunidade para trabalhar situações de conflito, dificuldades de comunicação (de escutar e/ou ser escutado).

As crianças são bem-vindas dado que terão lugar sessões paralelas destinadas ao público mais jovem. Neste sábado de manhã teremos eco-oficinas para dar asa à imaginação e de tarde Jorge De Carvalho dinamizará a oficina de música: "O ritmo da percussão".

Recorde-se que o Ciclo de Encontros FAFéDUCAÇÃO é uma iniciativa que pretende ser um espaço de discussão e partilha sobre os desafios e as possibilidades em torno do tema da Educação. Os Encontros FAFéDUCAÇÃO resultam de uma parceria entre a Câmara Municipal de Fafe e a Comunidade de Aprendizagem 7 Pétalas e têm como objetivo sensibilizar a comunidade para outras formas de educar. .

Os encontros têm periodicidade mensal e a participação nos mesmos é gratuita. 

ESPOSENDE DEBATE PATRIMÓNIO NO FÓRUM DA EDUCAÇÃO

Património em debate no Fórum da Educação de Esposende

“Esposende é um Município que acarinha a Educação, por ser motor de desenvolvimento individual e coletivo. Este Fórum da Educação reúne todos os agentes que intervêm no processo educativo, promovendo uma reflexão em torno da Educação e do Património”, afirmou a vereadora com o pelouro da Educação no Município de Esposende, Angélica Cruz, na cerimónia de abertura do fórum.

_DSC1610

Este evento, que o Município de Esposende promove desde 2005, decorre até ao dia 3 de junho e pretende reunir contributos sobre “Educação e Património”. Na sessão de abertura, o Delegado de Educação Regional do Norte, José Mesquita, destacou a pertinência da temática escolhida para o fórum, alertando para a mudança em curso “no paradigma em relação à escola que queremos”. “É necessário desformatar a escola exclusiva do conhecimento para que passe a ser de competências, atender a aspetos tão fulcrais como a inclusão, o trabalho em rede, a flexibilização e ter em consideração a Escola a Tempo Inteiro”.

Na cerimónia de abertura Helena Pinto, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, alertou para a influência que o património incute na interculturalidade e no conhecimento do outro, lembrando a importância do passado na complementaridade da educação.

João Terras, historiador de arte, apresentou o projeto desenvolvido junto de alunos do primeiro ciclo de Esposende que, a partir de obras de arte, desenvolveram réplicas em argila, uma vez que este material confere toda a elasticidade, conseguindo, através desta estratégia, uma abordagem cultural do passado.

As atividades associadas ao Fórum da Educação”, prosseguem na segunda-feira, dia 28 de maio. Assim, na Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, pelas 21H30, realiza-se a tertúlia “O património dos afetos num tempo sem tempo”, com a participação de Teresa Freire, da Escola de Psicologia da Universidade do Minho e a moderação de Cristina Nogueira, Presidente da Federação das Associações de Pais e Encarregados de Educação do Concelho de Esposende. Na atual sociedade de consumo, a vida não pode ser apenas trabalho e luta. É necessário reservar espaço e tempo para os afetos. Esse “património” tem de ser preservado e, como alguém disse, “ser professor é uma profissão de afetos”.

Esta mobilização da sociedade civil em torno da defesa e salvaguarda da educação e do património tem, cada vez mais, que envolver as escolas, as crianças e os jovens, projetando a construção de uma consciência coletiva esclarecida.

_DSC1486

ESPOSENDE RECEBE FÓRUM SOBRE EDUCAÇÃO E PATRIMÓNIO

Arranca, em Esposende, Fórum para debater Educação e Património

Inicia-se hoje o Fórum da Educação, iniciativa do Município de Esposende que pretende promover uma reflexão sobre “Educação e Património”, nomeadamente a influência no desenvolvimento e transformação dos indivíduos, da comunidade e da região.

Cartaz_Fórum da Educação2018

Instituído pela Comissão Europeia como o Ano Europeu do Património Cultural, ao longo de 2018 promover-se-á a diversidade cultural, o diálogo intercultural e a coesão social. O contributo do Património e da História para a construção e enriquecimento do currículo local estará em foco neste Fórum, versando a influência ao nível do sistema formal de ensino, do esboço de experiências e oportunidades educadoras dirigidas a todos os cidadãos.

Sexta-feira, dia 25 maio, pelas 18h15, o Fórum Municipal Rodrigues Sampaio acolhe a sessão de abertura, presidida pelo Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira e por José Mesquita, Delegado Regional de Educação do Norte.

Ato contínuo, realiza-se a conferência “Educar através do Património Cultural: pontes para o futuro”, em que participam Helena Pinto, do Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória” da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

“A arte popular e seus reflexos na história local - uma proposta de relação no trabalho criativo com alunos do 1.º CEB, em Esposende” serve de tema ao segundo painel do dia, com o professor, historiador de arte e monitor de Educação e Mediação Cultural na “A Oficina”, de Guimarães, João Terras. A moderação estará a cargo da Vereadora da Educação da Câmara Municipal de Esposende, Angélica Cruz.

Os debates do Fórum prosseguem no dia 28 de maio, segunda-feira, mas as atividades culturais têm encontro marcado entre a Escola de Música de Esposende e os alunos dos diversos estabelecimentos do 1º CEB, no período de 25 de maio a 1 de junho, num espetáculo itinerante “Uma viagem pelo Universo dos Instrumentos”. No sábado, dia 26, pelas 21H30, o Auditório Municipal acolhe um concerto, pelo Coro de Pequenos Cantores de Esposende, com direção de Helena Venda Lima.

ESPOSENDE PROMOVE FÓRUM PARA DEBATER EDUCAÇÃO E PATRIMÓNIO

O Município de Esposende promove, de 25 de maio a 3 de junho, a edição de 2018 do Fórum da Educação. Subordinado ao tema “Educação e Património”, este fórum visa a promoção da reflexão sobre estas duas realidades, apontando os contributos que ambos adquirem no desenvolvimento e transformação dos indivíduos, da comunidade e da região.

Cartaz_Fórum da Educação2018

A Comissão Europeia estabeleceu 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural, apresentando como principais objetivos a promoção da diversidade cultural, do diálogo intercultural e da coesão social. Foi nesse pressuposto que assentou a decisão de eleger “Educação e Património” como mote para o Fórum da Educação deste ano, alertando, assim, para o importante papel que o património tem no desenvolvimento educativo, social e económico das comunidades.

Um dos principais vetores que se procurará enfatizar é o do contributo do Património e da História para a construção e enriquecimento do currículo local, ao nível do sistema formal de ensino, assim como para o esboço de experiências e oportunidades educadoras dirigidas a todos os cidadãos, um dos importantes patrimónios de qualquer comunidade.

Programa diversificado

No dia 25 maio, pelas 18h15, o Fórum Municipal Rodrigues Sampaio acolhe a sessão de abertura, pelo Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, e por José Mesquita, Delegado Regional de Educação do Norte.

Segue-se a conferência “Educar através do Património Cultural: pontes para o futuro”, por Helena Pinto, do Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória” da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

João Terras, professor, historiador de arte e monitor de Educação e Mediação Cultural na “A Oficina”, de Guimarães, abordará “A arte popular e seus reflexos na história local - uma proposta de relação no trabalho criativo com alunos do 1.º CEB, em Esposende”. A moderação cabe à Vereadora da Educação da Câmara Municipal de Esposende, Angélica Cruz.

Já no dia 28 maio, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, realiza-se a tertúlia “O património dos afetos num tempo sem tempo”, com a participação de Teresa Freire, da Escola de Psicologia da Universidade do Minho, e a moderação de Cristina Nogueira, Presidente da Federação das Associações de Pais e Encarregados de Educação do Concelho de Esposende.

No dia 29 maio, às 21h30, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, debate-se “O Património no desenho do currículo local”, versando “O Património local na Escola”, por Sampaio Azevedo e Adília Terra, do Agrupamento de Escolas António Correia de Oliveira. Sandra Amorim, da Escola Profissional de Esposende, abordará “O Património como promotor de identidade”. Ainda dentro deste painel, Paula Cepa, do Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio apresenta o tema “Formar cidadãos agentes de mudança - o Património” e José Carlos Loureiro, da Escola Secundária com 3.º Ciclo Henrique Medina, reflete sobre o tema “Educar: o universal e o local, entre a memória e a esperança”. Da Câmara Municipal de Esposende, Ana Paula Almeida e Diogo Vilarinho Zão abordam “O Património: compromissos de um município educador”. A moderação cabe a Valdemar Almeida, da Universidade Católica Portuguesa - Porto.

Nos dias 30 e 31 maio, o Largo Rodrigues Sampaio acolhe uma Mostra Educativa dirigida ao Ensino Superior, Secundário e à Educação de Adultos, na qual participam as universidades do Minho, os politécnicos do Porto, de Viana do Castelo, do Cávado e Ave, do ISAVE, I. Universitário da Maia, U. Católica, CESPU – Ensino Superior, Escola Secundária Henrique Medina, Escola Profissional de Esposende e Centro Qualifica Litoral Cávado.

No dia 30 de maio, o Auditório Municipal acolhe a atividade “O Futuro que procuras”, que iniciará às 15h com uma conferência proferida por Ana Teresa Penim, Psicóloga Social e das Organizações e Mestre em Coaching. Pelas 16h45, uma tertúlia reúne “Percursos que inspiram”, com João Cruz- diretor operacional da PROZIS, Rute Moreda – escultora; Mário Jorge Silva - engenheiro químico, Cecília Araújo - diretora comercial do grupo AXIS, Hernâni Oliveira - investigador científico em Media Digitais e Saúde, cabendo a moderação a José Marques da Silva.

No dia 2 de junho, pelas 15h30, no Auditório Municipal, realiza-se o Seminário de Educação e Formação de Adultos em que Bravo Nico, da Universidade de Évora, abordará a “As Mãos que vês nas coisas transformadas – Cultura e Território, processo(s) de aprendizagem ao longo da vida”; José Manuel Castro, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, apresentará a “Importância da educação não-formal e informal no contexto de mercado de trabalho”; e António Leite, Delegado Regional do Norte do Instituto do Emprego e Formação Profissional, intervirá com a comunicação “Indicadores e tendências de empregabilidade em Portugal”, cabendo a moderação a Angélica Cruz, Vereadora da Educação da Câmara Municipal de Esposende.

Paralelamente, decorrem atividades culturais. Entre os dias 25 de maio e 1 de junho, realizar-se-á um espetáculo produzido pela Escola de Música “Viagem pelo Universo dos Instrumentos” dirigido aos alunos do 1º CEB. A 26 de maio, pelas 21h30, o Auditório Municipal acolhe o concerto “Raízes – de Portugal a África”, pelo Coro de Pequenos Cantores de Esposende e a 2 de junho, pelas 21h30, o Fórum Municipal Rodrigues Sampaio recebe o espetáculo “Mar – memórias co(a)ntadas”, pelo Coro Ars Vocalis, com declamação de Agostinho Teixeira, a partir da seleção de textos de José Felgueiras e sob direção de Helena Venda Lima.

As comemorações do Dia Mundial da Criança assinalam-se entre 28 de maio e 8 de junho, com o teatro “A Menina Serpente”, um espetáculo itinerante, através de um conto dramatizado e musicado, a partir da obra de Almada Negreiros, que percorrerá todos os Jardins de Infância e Escolas do 1º CEB do concelho. No mesmo âmbito, serão promovidas atividades lúdicas e pedagógicas dirigidas às crianças e famílias, nos dias 2 e 3 de junho, no Parque Radical, que contarão, entre outras, com propostas de exploração do nosso património.

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA

II Feira da Educação Ciência e Tecnologia. 17 a 20 de maio

Ponte de Lima promove a II Feira da Educação, Ciência e Tecnologia entre 17 a 20 de maio, cujo objetivo é a interação e a troca de experiências.

Capturar1

O evento realiza-se no Pavilhão de Feiras e Exposições e vai reunir um conjunto de projetos, equipamentos e infraestruturas locais intimamente ligadas a áreas que são determinantes no desenvolvimento de todo e qualquer ser humano, das sociedades e por conseguinte, dos territórios.

Esta é uma mostra das últimas novidades didáticas, científicas e tecnológicas disponíveis no mercado. Apresentadas pelo tecido empresarial apenso ao sector, na região, a Feira também procura dar a conhecer os melhores projetos pedagógicos dinamizados pelos Centros Educativos de Ponte de Lima.

Para além destes projetos pedagógicos, estão patentes na Feira da Educação, Ciência e Tecnologia, Cursos Profissionais e de Ensino Superior, dando a conhecer ao público as inovações tecnológicas e cientificas apoiadas pelos Centros de Investigação das Universidades e de diversas entidades e empresas ligadas à ciência e à tecnologia, convidadas a participar neste evento.

Contribuir para a dinamização e para a diversificação das atividades culturais e lúdicas do concelho de Ponte de Lima, esta segunda edição da Feira da Educação, Ciência e Tecnologia acolhe no primeiro dia a Festa da Juventude Limiana - Desafio Jovem, dinamizado pela CPCJ – Comissão de Proteção e Jovens, entre outras iniciativas, como a Maratona da saúde, Campeonato Mundial de Canoagem; Teqball; palestras; exposições; workshops, Showcookings e ainda o Festival Interatlântico da Gaita de Foles – FIGA, que irá contar com a presença de Oscar Ibánez.

Neste contexto convidamos o vosso órgão de comunicação para a inauguração oficial, agendada para o dia 17 de maio, às 11 horas.

Consulte o programa ao pormenor em: www.visitepontedelima.pt

CELORICO DE BASTO REALIZA MOSTRA EDUCATIVA PROFISSIONAL

II Mostra Educativa e Profissional em Celorico de Basto

Celorico de Basto recebe a II Mostra Educativa e Profissional no próximo dia 24 de novembro, com a abertura marcada para as 10h00, no pavilhão Gimnodesportivo da EB 2,3/S de Celorico de Basto. Uma mostra educativa que contempla universidades, escolas profissionais e várias entidades que procurarão dar a conhecer a suas ofertas de ensino e de trabalho.

II Mostra Profissional e Educativa

A II Mostra Educativa e Profissional é uma organização do Município de Celorico de Basto em parceria com o CLDS 3G Geração Eco e o Agrupamento de Escolas de Celorico de Basto.

“A mostra educativa é sempre uma excelente forma de elucidar os jovens estudantes que não sabem qual o caminho a seguir terminado o ensino obrigatório. É também uma forma de fazer chegar, sobretudo aos jovens desempregados, oportunidades de emprego em variadíssimas áreas que muitos desconhecem por falta de informação ou até, motivação” disse o Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto.

A II Mostra Educativa e Profissional decorre pelo segundo ano consecutivo aquando da Feira Anual da Sta. Catarina, no pavilhão gimnodesportivo. “Este ano esta mostra terá lugar num espaço que permitirá o acesso de todos os alunos que frequentam o ensino secundário do Agrupamento de Escolas, um espaço aberto ao público e que procurará ser uma ajuda para muitos jovens que ainda se encontram desorientados no que respeita ao percurso profissional e/ou académico” disse Manuel Maria Afonso, Coordenador do CLDS 3G.

A Mostra insere-se no eixo 1 do programa CLDS 3G Geração Eco que incide no emprego, formação e qualificação. A sessão de abertura oficial desta ação será dirigida aos jovens desempregados e procurará “orientá-los” para o mundo académico ou profissional.

PAN DÁ PRIORIDADE À SAÚDE E EDUCAÇÃO NO ORÇAMENTO DE ESTADO

PAN coloca Saúde e Educação na linha da frente das negociações para o Orçamento do Estado

  •       -  Reforço de Nutricionistas, Psicólogos e intérpretes de Língua Gestual Portuguesa no Serviço Nacional de Saúde
  •       -  Distribuição de fruta a crianças do pré-escolar
  •       -  Distribuição de bebidas vegetais nas escolas 1º ciclo e pré-escolar
  •       -  Garantir compromissos mais sólidos com medidas de forte impacto na saúde e no bem-estar geral das pessoas

Após a terceira reunião com o Governo no âmbito do Orçamento do Estado 2018 (OE2018) para negociação de propostas, o PAN – Pessoas-Animais-Natureza definiu como prioritário um compromisso mais sólido com as pessoas nas áreas da Saúde e da Educação.

O PAN está a negociar com o Governo o reforço de nutricionistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS), uma medida que terá impacto direto na origem de muitos problemas de saúde e evitará soluções paliativas, cujo custo para o erário público é muito superior às alternativas preventivas. Para além disso, para serem nutricionalmente equilibradas as ementas vegetarianas devem ser programadas por nutricionistas. É da máxima importância que o OE2018 contemple a nutrição como fator chave para melhorar a saúde da população, alocando as verbas necessárias para garantir o direito humano a uma alimentação adequada, que só é possível se a população tiver acesso a alimentos saudáveis suficientes e a uma pedagogia nutricional realista e adequada.

O PAN está também a negociar um reforço dos psicólogos no Serviço Nacional de Saúde, bem como melhorias na integração efetiva e não precária destes profissionais. Existem apenas 598 psicólogos no SNS para um universo de 10 milhões de utentes, sendo Portugal o terceiro país do mundo com a taxa mais alta de pessoas com perturbações psicológicas. Segundo a Ordem dos Psicólogos, a contratação de cerca de 400 psicólogos para o Serviço Nacional de Saúde custaria 24 milhões de euros, mas pouparia ao Estado 123 milhões de euros em medicamentos comparticipados, internamentos hospitalares e baixas médicas. O exemplo do Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) do Pinhal Interior Norte é flagrante da necessidade deste investimento: existe apenas um psicólogo para uma população de 133.371 habitantes e, de acordo com os Censos de 2011, para um conjunto de 14 Unidades de Saúde.

Também em discussão está a proposta do PAN que pede uma bolsa de intérpretes de língua gestual no SNS. Apesar das propostas do Governo e dos avanços que têm sido feitos nesta matéria em várias instituições públicas, as pessoas surdas continuam a enfrentar sérias dificuldades de comunicação. A situação ganha especial relevância nos serviços de saúde. Os centros de saúde e hospitais não dispõem de intérpretes nem são legalmente obrigados a isso e o PAN pretende reverter esta situação. As barreiras não são só arquitetónicas, são também sociais, culturais e políticas. Todos devem ter acesso às diferentes oportunidades existentes – seja à cultura, aos espaços públicos, aos edifícios, às comunicações, aos serviços, à economia, à participação política – em condições de igualdade e, enquanto isso não acontecer, não podemos dizer que vivemos numa sociedade igual e justa para todos os cidadãos. O acesso à saúde trata-se de um direito fundamental de todos os cidadãos.

O PAN propõe também introdução no Programa de Ação Escolar da distribuição de fruta na pré-escola. Atualmente a legislação que institui o regime da fruta escolar é aplicável aos alunos do 1.º ciclo dos estabelecimentos de ensino públicos. O que o PAN pretende é alargar esta oferta aos alunos do pré-escolar, opção prevista pela União Europeia mas que não tem sido uma prioridade em Portugal.

 

Dados sobre a oferta alimentar nas escolas indicam que não estão a ser cumpridas as orientações da Direção-Geral da Educação para as ementas e refeitórios escolares, para os bufetes escolares e para as máquinas de venda automática. Isto é particularmente preocupante visto que, segundo o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física 2015-2016, 25% das crianças e 32,3% dos adolescentes tem excesso de peso ou obesidade. Além disso, 69% das crianças e 66% dos adolescentes não consome a quantidade de fruta e hortícolas recomendada pela Organização Mundial da Saúde.

Após a aprovação do Projeto de Lei do PAN, em Março deste ano, para a disponibilização de uma opção vegetariana em todas as cantinas públicas, o partido entende que muito há ainda a fazer do ponto de vista da educação alimentar e da promoção de hábitos alimentares saudáveis que começam na infância, pelo que retoma uma medida já proposta no OE2017 e que prevê a distribuição de bebidas vegetais nas escolas. O regime jurídico aplicável à atribuição e ao funcionamento dos apoios no âmbito da Ação Social Escolar já prevê a distribuição gratuita de leite nas escolas, pelo que esta opção poderá acompanhar a necessidade de muitos pais e crianças que, por motivos de saúde, éticos e ambientais, não consomem leite de vaca e que continuam a ser discriminados por isso.

“Temos conhecimento de diversas interpretações acerca das alterações legislativas no que respeita à introdução da opção vegetariana nas cantinas públicas. Muitas vezes não são as mais corretas e saudáveis e por vezes não são as mais éticas, visto que continua a haver um certo estigma no que respeita às escolhas alimentares. A correta aplicação das leis depende do investimento real que se seguir e é este investimento que vai determinar a qualidade nutricional da alimentação dos portugueses que, por diversas razões, estão cada vez mais a optar por introduzir novos hábitos alimentares nas suas dietas e nas das suas famílias”, reforça o Deputado André Silva do PAN.

CERVEIRA APOSTA NA EDUCAÇÃO E MANTÉM APOIOS FINANCEIROS

Autarquia mantém apoios escolares para ano letivo 2017/2018

No início de mais um ano letivo, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira volta a apostar forte na Educação e os apoios financeiros superam, uma vez mais, aquilo que são as obrigações legais dos municípios, a par de importantes investimentos que estão em curso no parque escolar.

material escolar

Com o objetivo de oferecer melhores condições de aprendizagem aos alunos, por um lado, e de apoiar os agregados familiares, por outro lado, o Município cerveirense continua a garantir passes escolares gratuitos a todos os alunos do pré-escolar ao 12.º ano de escolaridade que frequentam os estabelecimentos de ensino ou que, por opção, frequentam cursos inexistentes no concelho. Introduzido por este executivo em 2015, o alargamento dos transportes gratuitos aos estudantes do ensino secundário teve um impacto muito positivo.

No que diz respeito aos manuais escolares, e apesar do Ministério da Educação ter aplicado o regime de gratuitidade dos manuais escolares a todos os alunos do 1.º ciclo do ensino básico da rede pública previsto no Orçamento de Estado para 2017, a autarquia cerveirense decidiu atribuir aos alunos do 1.º ciclo, beneficiários dos escalões 1 e 2 (A e B), apoio suplementar para a aquisição dos cadernos de atividades e material escolar.

Estas duas propostas de apoio escolar foram aprovadas por unanimidade na reunião de câmara da passada quarta-feira. Mas a prioridade ao nível da Educação não se fica pelos apoios escolares. Ao nível das infraestruturas, a Câmara Municipal tem procedido a melhorias significativas que estão a ser efetuadas no parque escolar, desde beneficiação de salas de aula, de empreitadas de requalificação das envolventes dos estabelecimentos de ensino, assim como o trabalho em prol da elaboração de um projeto de requalificação da Escola Básica e Secundária.

O Município de Vila Nova de Cerveira espera que o ano letivo 2017/2018 arranque dentro da normalidade.

FAMALICÃO REALIZA JORNADAS DE EDUCAÇÃO ESPECIAL “EDUCAÇÃO INCLUSIVA”

Inscrições abertas até 7 de Abril

Estão abertas as inscrições para a segunda edição das Jornadas de Educação Especial'Educação Inclusiva', que decorrem entre 4 e 5 de Maio, em Fafe.

af-cartaz-A3-jornadas (1).jpg

Organizadas pelo Departamento de Educação Especial, do Agrupamento de Escolas Montelongo, com o apoio do Município de Fafe, estas Jornadas trazem, a Fafe, um conjunto de oradores que se propõem a partilhar novos saberes e experiências, sobre a Educação Inclusiva.

A Abertura das Jornadas decorre no dia 4, às 16h15, no Auditório da Escola Montelongo, seguindo-se o painel “Educar Todos, com Todos”, à responsabilidade de Dr. David Rodrigues.

Às 17h30, tem lugar, o debate “Escola Inclusiva-2ª Geração” com a Dra. Filomena Pinto, e às 18h30, a Dra. Fátima Marinho, encerra a tarde com o painel sobre “Diversidade/equidade e as setes questões comuns sobre essa In'Possibilidade”.

À noite, no Teatro Cinema, é a vez do Jornalista Mário Augusto e a filha Rita Bulhosa participarem nas Jornadas para partilharem as suas experiências, seguindo-se Ilda Taborda e Celeste Carvalho da Associação Pais em Rede.

No dia 5, no Auditório da Escola Montelongo, a partir das 16h30, a Dra. Ana Paula Martins, falar-nos-á sobre o tema “Estratégias diferencias em contexto de sala de aula: da evidência à prática”. Mais tarde, é discutido o “Envolvimento Parental: um indicador de inclusão e promoção do sucesso escolar.”

Pompeu Martins, Vereador da Educação, encerra as Jornadas, às 18h30.

Maria José Marques, Directora do Agrupamento de Escolas Montelongo, relembra que estas Jornadas têm o “objetivo de promover a (in)formação através de novos saberes e da partilha de experiências, sobre as boas práticas da Educação Inclusiva. Convidamos toda a comunidade para refletir connosco, sobre os temas, considerados relevantes para a promoção de percursos educativos de sucesso.”

De acordo com Pompeu Martins “estas Jornadas procuram reflectir sobre a necessidade, cada vez maior de integrar, de forma igual e justa, todos os alunos na comunidade escolar,trazendo para o debate temas importantes e pertinentes.

As Jornadas servem, acima de tudo, para procurar dar resposta às necessidades dos docentes, assim como a pais de crianças/jovens com necessidades especiais.

É fundamental que continuemos a cultivar práticas educativas adequadas numa 'escola da diversidade', procurando dar passos cada vez maiores para a verdadeira Inclusão.”

As inscrições, que decorrem até 7 de Abril, podem ser feitas através de Ficha online emhttp://aemontelongo.pt/ ou Ficha própria entregue na secretaria da EB Montelongo.

FAFE REALIZA JORNADAS DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

II Jornadas de Educação Especial 'Educação Inclusiva'. Inscrições abertas até 7 de Abril

Estão abertas as inscrições para a segunda edição das Jornadas de Educação Especial'Educação Inclusiva', que decorrem entre 4 e 5 de Maio, em Fafe.

af-cartaz-A3-jornadas.jpg

Organizadas pelo Departamento de Educação Especial, do Agrupamento de Escolas Montelongo, com o apoio do Município de Fafe, estas Jornadas trazem, a Fafe, um conjunto de oradores que se propõem a partilhar novos saberes e experiências, sobre a Educação Inclusiva.

A Abertura das Jornadas decorre no dia 4, às 16h15, no Auditório da Escola Montelongo, seguindo-se o painel “Educar Todos, com Todos”, à responsabilidade de Dr. David Rodrigues.

Às 17h30, tem lugar, o debate “Escola Inclusiva-2ª Geração” com a Dra. Filomena Pinto, e às 18h30, a Dra. Fátima Marinho, encerra a tarde com o painel sobre “Diversidade/equidade e as setes questões comuns sobre essa In'Possibilidade”.

À noite, no Teatro Cinema, é a vez do Jornalista Mário Augusto e a filha Rita Bulhosa participarem nas Jornadas para partilharem as suas experiências, seguindo-se Ilda Taborda e Celeste Carvalho da Associação Pais em Rede.

No dia 5, no Auditório da Escola Montelongo, a partir das 16h30, a Dra. Ana Paula Martins, falar-nos-á sobre o tema “Estratégias diferencias em contexto de sala de aula: da evidência à prática”. Mais tarde, é discutido o “Envolvimento Parental: um indicador de inclusão e promoção do sucesso escolar.”

Pompeu Martins, Vereador da Educação, encerra as Jornadas, às 18h30.

Maria José Marques, Directora do Agrupamento de Escolas Montelongo, relembra que estas Jornadas têm o “objetivo de promover a (in)formação através de novos saberes e da partilha de experiências, sobre as boas práticas da Educação Inclusiva. Convidamos toda a comunidade para refletir connosco, sobre os temas, considerados relevantes para a promoção de percursos educativos de sucesso.”

De acordo com Pompeu Martins “estas Jornadas procuram reflectir sobre a necessidade, cada vez maior de integrar, de forma igual e justa, todos os alunos na comunidade escolar,trazendo para o debate temas importantes e pertinentes.

As Jornadas servem, acima de tudo, para procurar dar resposta às necessidades dos docentes, assim como a pais de crianças/jovens com necessidades especiais.

É fundamental que continuemos a cultivar práticas educativas adequadas numa 'escola da diversidade', procurando dar passos cada vez maiores para a verdadeira Inclusão.”

As inscrições, que decorrem até 7 de Abril, podem ser feitas através de Ficha online emhttp://aemontelongo.pt/ ou Ficha própria entregue na secretaria da EB Montelongo.

BRAGA REVÊ CARTA EDUCATIVA

Município de Braga inicia processo de revisão da Carta Educativa. Primeira sessão pública de esclarecimento agendada para 14 de Março

Volvidos cerca de dez anos desde a elaboração da Carta Educativa, o Município de Braga iniciou o processo de revisão deste instrumento de planeamento estratégico da rede de equipamentos de educação e ensino. A dinâmica demográfica e socioeconómica registada nos últimos anos, assim como as alterações ao nível do próprio sistema educativo, justificam a necessidade de ajustar a Carta Educativa à conjuntura e mudanças ocorridas no Concelho.

Carta Educativa.jpg

Neste processo, o Município conta com o envolvimento de toda a comunidade educativa, numa acção que se pretende “coesa, colectiva e colaborativa”. Segundo a vereadora da Educação, Lídia Dias, a revisão assenta “numa forte cooperação em torno de uma estratégia educativa comum e claramente definida, recolhendo informação essencial à revisão/actualização da estratégia educativa, estando prevista a realização de sessões com diversos grupos, desde equipas do Município, profissionais de educação e ensino, agentes locais e parceiros sociais”.

Tendo em conta a importância de uma participação activa da sociedade civil, o Município irá promover duas sessões públicas, destinadas à comunidade em geral, com o objectivo de dar a conhecer o início dos trabalhos de actualização da Carta Educativa, bem como os respectivos objectivos. As sessões visam ainda a recolha de eventuais contributos para a actualização do diagnóstico.

A primeira sessão pública de esclarecimento realiza-se já no próximo dia 14 de Março, pelas 18h00, no Auditório da Junta de Freguesia de S. Victor.

Recorde-se que a lei estabelece a obrigatoriedade da revisão da Carta Educativa quando a rede “apresenta desconformidades com os princípios, objectivos e parâmetros técnicos do ordenamento da rede educativa ou sempre que resultem de alterações significativas decorrentes da criação ou o encerramento de novos estabelecimentos de educação pré-escolar e de ensino”.

As principais linhas de actuação ao nível da revisão da Carta Educativa do Município de Braga serão:

- A revisão/actualização da estratégia educativa municipal;

- A avaliação dos resultados das intervenções em relação ao que foram os objectivos de partida da Carta Educativa de 1ª geração;

- A formulação de propostas de reordenamento e/ou requalificação da rede escolar municipal.

Todas as sugestões podem ser enviadas para carta.educativa@cm-braga.pt

CMB07032014SERGIOFREITAS0000093.jpg

FAMALICENSES DEBATEM EDUCAÇÃO

Associação “Famalicão em Transição” promove debate sobre Educação

Teve lugar no passado sábado, dia 4 de fevereiro, no café-concerto da Casa das Artes, a primeira sessão do ciclo de debates "Educação em Transição", organizado pela associação Famalicão em Transição com o apoio da Câmara Municipal.

Associação Famalicão em Transição promove debate sobre Educação.jpg

A iniciativa, que tem como objetivo perspetivar uma educação que aponte novos caminhos para os educadores e facultar às gerações futuras mecanismos necessários para uma nova visão sobre o tema, contou com a realização de uma tertúlia e a exibição do documentário “O Começo da Vida”.

As próximas sessões já têm data marcada.

Para o dia 25 de fevereiro, sábado, pelas 17h30, está agendada uma palestra dedicada ao tema “Pais conscientes, filhos felizes”, com a participação da psicóloga Filipa Morais Soares”. No dia 7 de março, terça-feira, pelas 21h00, terá lugar a palestra “Escolas Inovadoras”, com a presença do docente José Pacheco e que contará com a exibição de um documentário sobre uma escola com uma filosofia educacional inovadora.

Ambas as iniciativas irão decorrer na Casa das Artes de Famalicão e são de entrada é gratuita.

MUNICÍPIO DE CAMINHA INVESTE MAIS 114 MIL EUROS EM EDUCAÇÃO

Contratos com Juntas de Freguesia têm por objeto transportes escolares e Atividades de Animação e de Apoio à Família

Oferecer um ensino público de qualidade é o objetivo do executivo Caminhense. A Câmara Municipal vai celebrar contratos interadministrativos com várias juntas de freguesia no montante de 114 mil euros para transportes escolares e Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF). Estas medidas vêm assim juntar-se a outras já encetadas no âmbito da educação para apoio às crianças e suas famílias. Estas e outras propostas estarão a apreciação e votação na reunião de câmara que terá lugar esta quarta-feira, dia 2 de novembro, pelas 15 horas, no Salão Nobre do Edifício Paços do Concelho, em Caminha.

Da ordem de trabalhos faz parte a celebração de um contrato interadministrativo entre a Câmara Municipal de Caminha e a União de Freguesias de Moledo e Cristelo para apoio nas AAAF no jardim de infância de Moledo, no valor de 21 mil euros.

Recorda-se que desde setembro que as AAAF passaram a ser gratuitas para todas as crianças que frequentam os estabelecimentos pertencentes ao Agrupamento de Escolas Sidónio Pais.

A votação estarão ainda mais sete contratos interadministrativos a celebrar entre a Câmara Municipal de Caminha e as Juntas de Freguesia de Âncora, Dem, Riba de Âncora Vilar de Mouros, a União de Freguesias de Gondar e Orbacém, a União de Freguesias de Moledo e Cristelo e a União de Freguesias de Venade e Azevedo no montante de 93 mil euros, para transporte dos alunos do 1º, 2º, 3º ciclos, secundário e vocacional para os respetivos estabelecimentos de ensino.

O contrato interadministrativo a estabelecer com a Junta de Freguesia de Âncora é de 9 mil euros; com a Junta de Freguesia de Dem é de 12 mil euros; com a Junta de Freguesia de Riba de Âncora é de 12 mil euros; com a Junta de Freguesia de Vilar de Mouros é de 10 mil euros; com a União de Freguesias de Gondar e Orbacém é de 30 mil euros; com a União de Freguesias de Moledo e Cristelo é de 10 mil euros e com a União de Freguesias de Venade e Azevedo é de 10 mil euros.

No âmbito dos transportes escolares, para além dos contratos interadministrativos, o Município garante os passes escolares aos alunos do ensino secundário no ano letivo 2016/2017, isto é, a Câmara apoia as famílias que tenham alunos a frequentar o ensino secundário nas escolas secundárias do concelho e estabelecimentos de ensino fora do concelho, por força da falta de oferta formativa, no montante total dos encargos correspondentes às comparticipações nos transportes escolares na "componente aluno".

Ainda no que respeita a apoios escolares, o Município ofereceu os manuais escolares aos alunos com escalão A e B. Esta medida englobou 50 alunos do 1º ano e 177 dos restantes anos. E, ainda, atribui incentivos a estudantes do ensino superior. Para além dos beneficiários de anos anteriores, a Câmara Municipal vai apoiar até cinco estudantes do concelho.

FAMALICENSES DEBATEM PROJECTO ESTRATÉGICO PARA A EDUCAÇÃO

Famalicão coloca em discussão pública o projeto estratégico para a educação. Documento está disponível em www.vilanovadefamalicao.org

Está em discussão pública até ao final do mês de novembro o Projeto Estratégico para a Educação proposto pelo município de Vila Nova de Famalicão. O documento com quase uma centena de páginas pode ser consultado no site do município em www.vilanovadefamalicao.org/_regulamentos_municipais_4 ou nas diversas escolas do concelho. Os contributos podem ser enviados para o seguinte e-mail pel@vilanovadefamalicao.org.

AFS_4867.jpg

O Projeto Estratégico Educativo Municipal assume-se como um referencial de gestão estratégica da educação ao nível local, paralelo ao plano de desenvolvimento estratégico, constituindo-se como uma base para o efeito, designadamente a autarquia, as escolas, a sociedade civil, articulando-as com as oportunidades de educação formal, não formal e informal, que são proporcionadas por todas as organizações e espaços do território e da vida adas pessoas e comunidades.

O Projeto resulta de uma metodologia de projeto participativa, suportado em quatro fases distintas – Diagnóstico, Planeamento e Desenho, Implementação e Avaliação- obedecendo cada uma delas a diferentes etapas organizadas de forma sequencial.

Os objetivos gerais passam por reorganizar e requalificar o Parque escolar, adaptando-o às necessidades do território (ampliação, remodelação e reconversão de alguns estabelecimentos de ensino); promover o sucesso educativo tendo por base uma visão holística da Educação; estabelecer uma sólida ligação entre as competências dos trabalhadores e as necessidades das empresas numa lógica de Educação e Formação ao longo da vida; reforçar o domínio da cultura e coesão social do território, garantindo a igualdade de direitos e oportunidades a todos os cidadãos; implementar estratégias que fomentem a Inovação e competitividade e potenciar novas lógicas de cooperação e governança na educação.

No fundo, o Projeto Estratégico Educativo Municipal de Vila Nova de Famalicão assume-se como um documento que expressa a identidade do território e da comunidade enquanto parceiros na construção de Educação inovadora e de caráter local. O modelo participativo que orientou a construção do documento permitiu adequar a organização geral e os objetivos tendo em conta a criação de um município Educador. Este dever ser encarado como uma etapa de planeamento estratégico, como forma de planear o futuro desejado, bem como os meios e estratégias para o alcançar sendo a primeira etapa, a sua definição clara e objetiva.

Depois da discussão pública, o projeto estratégico deverá ser aprovado em Conselho Municipal da Educação, na Reunião de Câmara e na Assembleia Municipal, no início de 2017.

VIMARANENSES DEBATEM EMPREGABILIDADE DO AVE

ESTA QUARTA-FEIRA, 12 DE OUTUBRO

Guimarães recebe 1º Encontro de Educação Especial e Empregabilidade do Ave

Evento no Centro Cultural Vila Flor contará presença de Secretária de Estado da tutela. Sessão decorrerá ao longo de todo o dia.

A Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, estará em Guimarães esta quarta-feira, 12 de outubro, por ocasião do primeiro Encontro de Educação Especial e Empregabilidade do Ave, subordinado ao tema “Escola, Formação e Empregabilidade das Pessoas com Deficiência – Que Perspetivas?”, que decorrerá no Centro Cultural Vila Flor, a partir das 09:30 horas.

“A Abordagem Conceptual da Educação Especial” será o assunto em destaque no primeiro painel deste encontro, às 10 horas, que contará com moderação da professora Rosário Ferreira, coordenadora da Rede de Educação Especial do Plano para o Crescimento Inclusivo do Ave. As oradoras serão Graça Breia, da Direção Geral de Educação, e Anabela Cruz Santos, da Escola de Educação da Universidade do Minho.

Depois de uma pausa, o segundo painel tem início às 11:30 horas e será dedicado ao tema “Depois da Escola: Que Respostas?”. O professor Luís Fânzeres, docente de Educação Especial do Ave, será o moderador deste debate que contará com as intervenções de David Rodrigues, Presidente da Associação Nacional de Docentes de Educação Especial, e de José Mesquita, Delegado Regional da DGEST.

De tarde, às 14:30 horas, o encontro prossegue com o terceiro painel intitulado “Empregabilidade das Pessoas com Deficiência: Que Perspetivas?”. A moderação pertencerá a Luís Roque, coordenador da Rede de Educação Especial do Plano para o Crescimento Inclusivo do Ave, e os oradores da sessão serão Nuno Boticas, Diretor do Centro do Emprego do Médio Ave, e Ana Paula Moreira, coordenadora do Centro de Formação da CERCIGUI.

O quarto painel está agendado para as 15:30 horas. O debate vai girar em torno do “Papel das Entidades Públicas Municipais e Supramunicipais no Desenvolvimento da Educação Especial na NUT III Ave” e contará com coordenadores do Plano para o Crescimento Inclusivo do Ave, Adelina Paula Pinto e Leonel Rocha. A moderação estará a cargo de Anabela Cruz Santos, da Escola de Educação da Universidade do Minho.

O “I Encontro de Educação Especial e Empregabilidade do Ave: Escola, Formação e Empregabilidade das Pessoas com Deficiência – Que Perspetivas?” é promovido pela Câmara Municipal de Guimarães, Fórum Municipal das Pessoas com Deficiência, Comunidade Intermunicipal do Ave e pelo Plano para o Crescimento Inclusivo do Ave.

BRUXELAS ANALISA POLÍTICA ECONÓMICA E EDUCATIVA DE FAMALICÃO

Política económica e educativa de Famalicão em destaque nos Open Day em Bruxelas. Comissão Europeia convidou Câmara para dar a conhecer a sua prática de desenvolvimento na Semana das Cidades e Regiões da Europa

As políticas As políticas económicas e educativas desenvolvidas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão estiveram ontem, 10 de outubro, em destaque na Semana Europeia das Cidades e das Regiões da Europa - Open Days -, que estão a decorrer em Bruxelas ao longo desta semana. A convite do Comité das Regiões da Comissão Europeia, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, deu a conhecer à Europa a estratégia seguida pela autarquia para gerar crescimento e emprego, nomeadamente através do programa de promoção económica, Famalicão Made IN, e da estratégia traçada para o setor da Educação.

IMG_0606.JPG

A prática de Famalicão foi apresentado como um bom modelo para assegurar as qualificações e competências de uma comunidade para o futuro, tendo estado em destaque no encontro “Parcerias inteligentes para novas competências - quais são os desafios? como conhecer o futuro?”, que decorreu na Casa da Noruega, perante uma audiência multifacetada de representantes de mais de duas dezenas de nacionalidades europeias. Para além da experiência de Famalicão estiveram em destaque e em discussão exemplos de projetos desenvolvidos na Noruega, pelo Departamento Regional de Desenvolvimento da West Norway, na Inglaterra, pela ACER – Association of Colleges in the Eastern Region, na França, pelo projeto desenvolvido na Normandia, Erasmos+ - Ventos e Marés, e na Suécia, pelo projeto Oportunidades e desafios em relação à situação dos refugiados na região Vastras Gotaland.

“Foi uma boa oportunidade para uma aprendizagem qualitativa de que resulta sempre um salto qualitativo importante em termos de conhecimento. Para nós é um orgulho termos sido convidados  para dar a conhecer o nosso projeto, mas é muito importante conhecer outras soluções de nível europeu e mundial que nos podem ajudar a evoluir”,disse o Presidente da Câmara Municipal logo após a conferência. “A nossa ambição vai muito mais longe do que apresentarmos o nosso projeto”, concluiu.

As empresas da Leica e da Continental em Famalicão foram dois dos exemplos utilizados por Paulo Cunha para demonstrar a qualificação dos recursos humanos famalicenses e para ilustrar o trabalho que tem vindo a ser feito ao nível da valorização do ensino profissional. “O investimento estrutural recente que a Leica fez recentemente na construção de uma nova fábrica no concelho e os sucessivos investimentos da Continental, recentemente reforçados com o anúncio da produção em Famalicão de pneus agrícolas, são um bom exemplo da confiança que o universo empresarial deposita em Famalicão”.

Na apresentação que fez, Paulo Cunha reforçou em particular o trabalho que tem vindo a ser feito na concentração de sinergias em torno do território, envolvendo e motivando todos os parceiros para o desenvolvimento do concelho. “O trabalho inicial que fizemos ao nível da Rede Local da Educação e Formação foi um passo decisivo.  As redes de parceria, a conetividade e a cumplicidade, são dimensão muito importantes para que se possam adotar politicas públicas assertivas”, concluiu o autarca.

IMG_0619.JPG

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FREIXO PREMIADO PELA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

O Município de Ponte de Lima congratula-se com o prémio atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian ao Agrupamento de Escolas de Freixo pelo projeto “Hiper@gir para Mudar”.

AE FREIXO _ Fundação Gulbenkian (Small).jpg

O Agrupamento receberá 8.500,00€ para concretizar este projeto. Recorde-se que a Fundação Calouste Gulbenkian premiou o Agrupamento de Escolas de Freixo em 2013, com os projetos “Mexe-te Pá!” (1.000,00€) e “Uma Escola IN” (5.500 €).

O projeto foi apresentado pelo Departamento de Educação Especial, no âmbito da candidatura de apoio a atividades e ações destinadas a promover a educação, no âmbito da intervenção precoce, reabilitação e integração escolar e social de crianças e jovens com necessidades educativas especiais.

O projeto HIPER@GIR PARA MUDAR incide num estudo de caso através da implementação de uma metodologia inovadora no sistema educativo que objetiva a diminuição da impulsividade, o aumento da atenção e consequente produtividade, através da utilização da mesa “Nómada Desk”, a qual foi idealizada para as crianças trabalharem em pé. Para tal, foi estabelecida uma parceria com a empresa Weproductise - Serviços de Engenharia (Innovative eco-design for better living experiences).

Tendo por base os estudos realizados nos Estados Unidos e em Inglaterra, os quais confirmam progressos em termos de atenção/concentração e desempenho académico, esta será a primeira iniciativa em Portugal a ser desenvolvida junto dos alunos com PHDA (http://standupkids.org, http://ww2.kqed.org, http://standupkids.org) é pretensão deste Agrupamento realizar um estudo junto dos alunos com Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção, baseado na observação e monitorização dos progressos evidenciados em termos de comportamento, atitudes, participação e aproveitamento académico, servindo de mote para um estudo de caso.

Também serão realizadas várias ações de formação para docentes, assistentes operacionais (alargadas aos Agrupamentos vinculados ao Centro de Formação Contínua-CENFIPE, palestras dirigidas aos pais/encarregados de educação e campanhas de sensibilização para alunos com o intento de abordar as problemáticas da Paralisia Cerebral e Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção.

ENTREVISTA DE MIGUEL VENTURA TERRA AO JORNAL “O SÉCULO” GERA DEBATE NO SENADO

Em 1913, no decorrer da sessão ordinária do Senado ocorrida no dia 20 de Janeiro, uma entrevista cedida pelo arquiteto Miguel Ventura Terra ao jornal “O Século” a propósito do estado lastimável em que se encontrava uma escola em Paredes de Coura, levou o deputado Silva Barreto a pedir providências ao governo, ali representado pelo Ministro do Fomento, António Maria da Silva, que em resposta garantiu que iria “procurar imediatamente os necessários elementos de informação” e “que, se houver responsabilidades em tam desgraçado caso, elas serão exigidas.”

z-mvterraparla.jpg

A sessão foi presidida por Anselmo Braamcamp Freire e secretariada por Artur Rovisco Garcia e Bernardo Pais de Almeida. O Debate vem publicado no Diário do Senado conforme se transcreve.

“O Sr. Silva Barreto: - Sr. Presidente: pedi a palavra para chamar a atenção do Sr. Ministro do Fomento para um artigo inserto no jornal O Século, e que tem por epígrafe: "Uma escola do tipo Bermudes transformada em sentina pública".

Êste artigo produziu-me uma dolorosa impressão.

  1. Exa., Sr. Presidente, e o Senado, sabem perfeitamente que o Século é um jornal de grande circulação e que, por isso, vai a todos os recantos do país.

Sabem tambêm V. Exa. e o Senado que o mesmo jornal tem advogado calorosamente a causa da instrução.

Não se podem negar os bons serviços que o Século tem prestado a essa causa.

A leitura desta local levou-me a chamar a atenção do Sr. Ministro do Fomento para êste facto, certamente único, na história da nossa administração pública.

Sei de visu, e por experiência própria, o que se tem feito nessas escolas.

Conheço escolas que são verdadeiras pocilgas.

Escuso de referir aqui o que o país muito bem conhece.

O Sr. Ventura Terra, entrevistado por um redactor do Século, cita factos realmente vergonhosos.

O Sr. Ventura Terra fez uma digressão à província do Minho e, visitando o concelho de Paredes de Coura, aí se lhe deparou um edifício de aspecto distinto, esplendidamente construído, edifício que, peias suas exterioridades, lhe deu a impressão duma escola do tipo Adães Bermudes.

Desejou ver o interior do edifício, e eis como êle descreve o que se lhe apresentou.

"Paredes de Coura é uma vila sem grandes características e quási sem interesse na construção, mas possui uns arredores cheios de encanto e uma paisagem admirável, fulva e brilhante. Quando aí passei, veio-me de repente para os olhos uma construção que saía absolutamente da monotonia geral. Era já fora da povoação, a muitos metros para alêm das últimas casas, e, de longe, pareceu-me que se tratava duma dessas escolas do tipo Bermudes o que ai se erguia na estrada poeirenta. Não me enganei. Era uma escola daquele tipo, mas esplendidamente construída, bom lançamento, bons materiais, boa mão de obra - um trabalho, na verdade excelente e digno, que me alegrou e por muito tempo me prendeu a atenção.

Desejei então ver o interior e fui até à porta - uma peça igualmente bem trabalhada, com belos acessórios - um quási primor de construção. Como eu batesse e ninguêm abrisse e a porta estivesse apenas encostada, avancei alguns passos no vestíbulo, batendo as palmas lá para dentro e chamando.

Entretanto, as portas estavam abertas; era evidente que havia ali alguém. Talvez mesmo fossem horas da aula... Estava eu nisto, quando reparo que, no soalho, alguém depositara o que é costume deixar-se em sítio a isso destinado! Encavaquei com o caso e avancei até a primeira porta que se me deparou, meti a cabeça olhei... O que eu vi então é tam espantoso que me não admira nada que o não acredite a maioria dos seus leitores: a sala

que tinha na frente estava atulhada de objectos, de entulho, de porcaria de toda a ordem! A população fizera daquilo uma sentina pública e lugar de despejo, cobrindo as paredes, magníficas de legendas obscenas!

Todas as outras casas estavam igualmente atulhadas de excremento, panelas velhas, lixo, toda a sorte de cousas inúteis que se abandonam e que a gente do sítio ia deixar ali, como o melhor recanto para conter essa trapàgem!

Escuso de dizer-lhe que corri todo o edifício; a população não poupara uma única dependência, invadira tudo nessa construção que se conservava aberta noite e dia para quem ali quisesse abandonar mais um caco, deixar mais um pouco de porcaria. A escola de Paredes de Coura está construída há três anos, e os soalhos, aqui e ali, apodrecidos pela urina, abrem rasgões que se não vêem sem uma grande revolta!

Um pormenor curioso: para que nada faltasse ali, tinham sido colocados reposteiros e cortinados - o detalhe de luxo... Pois até êsses tinham sido atacados pelo vandalismo local, que os encheu de porcaria e de rasgões, numa ânsia malévola ou inconsciente de destruição!

Quando eu saía, um padre da terra, que certamente me viu entrar e me esperava, um pouco vexado, tentou atenuar o desacato, dizendo que tudo aquilo era obra do rapazio.

- E o professor? - preguntei eu. ¿Êsse homem não tem meio de obstar a isto? Porque não veio êle ainda instalar aqui a escola?

Vagamente, o sacerdote falou-me numa pequena obra de adaptação que reclamou e não foi feita. Por êsse motivo é que êle não tomara conta do edifício.

Como se vê, a desculpa é tudo quanto há de menos... desculpável. Como reclamou uma obra qualquer e a não fizeram imediatamente, o bom do mestre-escola achou que o que tinha a fazer era... deixar derruir a casa! Devo dizer-lhe, como complemento da minha história, que a escola de Paredes de Coura está funcionando num horrível pardieiro, uma verdadeira casota, sem condições nenhumas para desempenhar o papel que lhe exigem. O homem, entretanto, prefere habitar ali a ser morador duma esplêndida casa, um pequenino palácio, cheio de encantos e de comodidades.

Sr. Ministro do Fomento: o estado de abandono, em que está a escola, não é culpa do professor.

  1. Exa. sabe que o Ministério do Fomento paga a construção e, depois de entregue à Câmara Municipal, é que o professor toma posse. Eu estou a ver aqui nestas palavras do padre, que talvez seja presidente da Câmara Municipal, a vontade de alijar responsabilidades sôbre o professor.

Eu peço a V. Exa. para mandar apurar o que há a êste respeito.

Declaro a V. Exa., para honra do magistério primário, que não posso admitir que se diga que o professor tem a escola nesse abandono.

O Sr. Ladislau Piçarra : - ¿E se, efectivamente, o professor tinha abandonado a escola, deixando que lá se pratique tudo isso ?

O Orador: - O professor não pode ter responsabilidade alguma, pois a escola não lhe foi entregue.

O Sr. Ladislau Piçarra : Devia ter denunciado o facto.

0 Orador: - Isso é com a consciência de cada um.

Peço ao Sr. Ministro que investigue o que há acêrca dêste assunto tam lamentável, a que se refere o Sr. VenturaTerra.

Imagine V. Exa. impressão dolorosa, o desgosto que se sente, ao ler-se que uma escola está transformada em sentina pública.

O orador não reviu.

O Sr. Ministro do Fomento (António Maria da Silva): - Devo dizer a V. Exa. que não me passou despercebida essa notícia a que S. Exa. se referiu, e tratei de procurar imediatamente os necessários elementos de informação.

Espero que, pelas providências que já tomei e por outras que se seguirem, nunca mais possam aparecer, com fundamento, notícias, como aquela a que V. Exa. se referiu e que incontestavelmente degradam o país.

Pode V. Exa. ter como certo que, se houver responsabilidades em tam desgraçado caso, elas serão exigidas.

O orador não reviu.”

BRAGA ACOLHE SEMINÁRIO LUSO-BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA

Evento reúne investigadores e educadores dos dois Países

Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, participou esta Quinta-feira, 14 de Julho, na sessão de abertura do II Seminário Luso-Brasileiro de Educação de Infância (SLBEI), que decorre até amanhã, em Braga, com o intuito de promover o intercâmbio de profissionais que actuam em diversos contextos de educação, tendo como principal foco de debate a educação infantil.

baga (1).jpg

O evento, organizado pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), do Brasil, e pela Universidade do Minho (UMinho), surge da necessidade de discussão sobre a formação docente, as culturas da infância e a participação das crianças (dos 0 aos 6 anos de idade) nos diversos contextos e actividades.

Na ocasião, o Autarca evidenciou a importância da discussão sobre temas relacionados com a promoção da cidadania e da valorização das culturas da infância, assim como a formação de professores e realização de pesquisa nessa área. “Este é um tema cada vez mais pertinente na sociedade actual. A educação durante a infância tem um papel essencial na formação dos cidadãos, incutindo-lhes valores que serão fundamentais para o futuro”, referiu Ricardo Rio, enaltecendo o “mérito dos educadores de infância e auxiliares que desenvolvem o seu trabalho diário nas escolas do Concelho de Braga, conseguindo potenciar ao máximo o talento e a capacidade das crianças”.

Segundo o Autarca, o Município de Braga tem realizado um trabalho de articulação com as escolas e com os educadores, no sentido de implementar políticas que fomentem as boas práticas e a partilha de experiências nesta área.

“Desde a área da saúde com projectos como o ´Pimpolho’ que permite o diagnóstico da ambliopia a todas as crianças de 4 anos de idade, à divulgação e promoção do património com o projecto ‘À Descoberta de Braga’, passando pela iniciação à natação com ‘Os Piratas vão à piscina’, ou pelos projectos de sensibilização ambiental, entre outros que vão além das actividades curriculares, Braga tem vindo a desafiar a comunidade escolar a participar em projectos pioneiros a nível nacional e que depois são replicados por outras autarquias do país e até pelo próprio Governo”, explicou Ricardo Rio.

O Seminário reúne, durante dois dias, investigadores, educadores, professores, formadores e estudantes debatendo as propostas relacionados com a Educação de Infância, numa perspectiva de internacionalização da formação e da pesquisa.

baga (2).jpg

baga (3).jpg

baga (4).jpg