Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINHOTOS JÁ COMEM ROLLETOS

Rolletos: especialidade Checa chegou a Portugal

A ROLLETOS integrou o projeto Creative Village, tendo o apoio versado o desenho da estratégia de marketing.

Rolletos 2 ok.jpg

Trata-se de uma iniciativa empresarial que fabrica rolletos, uma especialidade originária da República Checa. Através de um processo de fabrico artesanal, a massa é assada ao alcance dos olhos dos clientes, através de um grelhador especial. Pode, desta forma, observar-se o desenvolvimento da sua caramelização, a qual providencia uma crosta crocante a cada dentada, mantendo uma textura fofa e deliciosa, numa massa inigualável. 

A ROLLETOS afirmou-se no mercado pelo seu posicionamento estratégico em diversos eventos emblemáticos. Destaca-se, a título de exemplo, a participação na Feira Afonsina de Guimarães, na VI Feira Medieval de Mindelo, na VIII Feira Monte do Cavalo – Castelo do Neiva-, Expo Barcelos, Braga Romana, Feira Medieval de Viana do Castelo, Feira Medieval e Viking, assim como na Feira Medieval de Paços de Ferreira.

O facto de ser um produto novo e inovador em Portugal, faz despertar a curiosidade dos clientes, o que explica o sucesso da iniciativa.

Rolletos 1 ok.jpg

VIZELA É MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Câmara de Vizela entregou diploma oficial das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal

No seguimento da estratégia de dinamização do Concelho, essencialmente para criar Vizela como destino turístico, o Presidente da Câmara Municipal entregou esta tarde o diploma oficial das 7 Maravilhas Doces de Portugal, o selo para colocar nas caixas do Bolinhol e ainda uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada um dos produtores de Bolinhol.

entrega diploma Bolinhol.jpg

Esta entrega vem no seguimento da estratégia da Autarquia depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal que passa pelo reforço do Bolinhol nos eventos promovidos pela Câmara, mas também por um conjunto de ações no sentido da promoção e divulgação do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Vizela enfatizou que esta eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal se traduz numa responsabilidade pois é a partir de agora que começa o trabalho da Câmara Municipal associado aos produtores do Bolinhol.

Victor Hugo Salgado afirmou que a Câmara Municipal tem implementado uma nova dinâmica na divulgação do Bolinhol, que tem passado pela associação deste produto endógeno aos eventos promovidos pela Câmara, com a presença dos produtores do Bolinhol, com stands próprios para a promoção do nosso doce típico.

O Edil destacou ainda a realização da Feira do Bolinhol, uma das estratégias para manter o Bolinhol vivo como uma referência de Vizela. Disse que sempre que possível, a Câmara irá criar condições para associar a imagem das 7 Maravilhas Doces de Portugal ao Concelho, conforme foi já efetuada com a alteração dos totems das entradas da cidade e das novas paragens de autocarros, onde foi colocada uma alusão ao Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Victor Hugo Salgado afirmou ainda que no próximo ano, a Autarquia irá criar um monumento ao Bolinhol como forma de dar a conhecer a todos os que nos visitam que somos detentores de uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

O Presidente da Câmara finalizou a sua intervenção afirmando que, para além da intervenção da Autarquia, é também importante destacar mais dois atores nesta matéria: o povo de Vizela, que deve continuara a valorizar e promover o que é de Vizela, e os produtores do Bolinhol, que têm sabido manter ao longo dos anos a tradição e a qualidade do nosso doce típico, acrescentando que este tem agora uma responsabilidade acrescida, depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas.

Assim, a Câmara Municipal entregou o diploma oficial das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal a cada um dos produtores de Bolinhol do nosso Concelho, assim como um selo que será colocado nas caixas do Bolinhol, identificando-o como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal. Foi também entregue uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada uma das lojas dos produtores de Bolinhol.

​A Câmara Municipal de Vizela considera que a eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal deve ser devidamente promovida e divulgada pois, para além de reafirmar a identidade de um povo que, cada vez mais, sente que valeu a pena lutar pelo Concelho de Vizela, também homenageia todos aqueles que lutaram pela nossa autonomia, permite a promoção de Vizela, consolidando, desta forma, uma estratégia de dinamização do Concelho, assim como do comércio tradicional, em particular, dos que orgulhosamente vendem o nosso bolinhol, mas, também, de todos os comerciantes do ramo da restauração, que passam a ter mais um “trunfo” nas suas mesas.

VIZELA É UM DOCE DE PORTUGAL... É BOLINHOL!

Câmara de Vizela entrega diploma oficial das 7 Maravilhas Doces de Portugal

No seguimento da estratégia de dinamização do Concelho, essencialmente para criar Vizela como destino turístico, o Presidente da Câmara Municipal vai entregar o diploma oficial das 7 Maravilhas Doces de Portugal, o selo para colocar nas caixas do Bolinhol e ainda uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada um dos produtores de Bolinhol.

V_BolinholVizela-01.png

Esta entrega terá lugar no próximo dia 7 de novembro, pelas 17.00h na loja interativa de Turismo e vem no seguimento da estratégia da Autarquia depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal que passa pelo reforço do Bolinhol nos eventos promovidos pela Câmara, mas também por um conjunto de ações no sentido da promoção e divulgação do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal.

Assim, a Câmara Municipal vai entregar um diploma oficial das 7 Maravilhas Doces de Portugal a cada um dos produtores de Bolinhol do nosso Concelho, assim como um selo que será colocado nas caixas do Bolinhol, identificando-o como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

A Câmara vai ainda entregar uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada um dos produtores de Bolinhol.

De destacar que foram já alterados os totems das entradas da cidade, onde foi colocada uma alusão ao Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

É também intenção da Autarquia a criação de um monumento ao Bolinhol como forma de dar a conhecer a todos os que nos visitam que somos detentores de uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal.

A Câmara Municipal de Vizela considera que a eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal deve ser devidamente promovida e divulgada pois, para além de reafirmar a identidade de um povo que, cada vez mais, sente que valeu a pena lutar pelo Concelho de Vizela, também homenageia todos aqueles que lutaram pela nossa autonomia, permite a promoção de Vizela, consolidando, desta forma, uma estratégia de dinamização do Concelho, assim como do comércio tradicional, em particular, dos que orgulhosamente vendem o nosso bolinhol, mas, também, de todos os comerciantes do ramo da restauração, que passam a ter mais um “trunfo” nas suas mesas.

CORDEIRO À MODA DE MONÇÃO – E PORQUÊ O NOME “FODA À MONÇÃO” ?

A confeção deste prato em alguidar levado ao forno de lenha não só recupera o saber dos nossos antepassados como lhe adiciona um pouco de arte, carinho e profissionalismo das atuais cozinheiras. O nome artístico, digamos assim, reflete bem o caráter afável e bem-disposto dos monçanenses. Reza a história que:

“Os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, dirigiam-se às feiras para comprar o animal. E, como em todas as feiras, havia de tudo, bons e maus. A verdade é que os produtores de gado, quando os levavam para a feira queriam vendê-los pelo melhor preço e, para que parecessem gordos, punham-lhes sal na forragem, o que os obrigava a beber muita água.

Cordeiro 03.JPG

Na feira, apareciam com uma barriga cheia de água e pesados, parecendo realmente gordos. Os incautos que não sabiam da manha compravam aqueles autênticos “sacos de água” e, quando se apercebiam do logro, exclamavam à boa maneira do Minho: “que grande foda!”

O termo tanto se vulgarizou que o prato passou a designar-se, localmente, por Foda à Moda de Monção. De tal modo que é frequente, pelas alturas festivas (Páscoa, Corpo de Deus, Senhora das Dores e Natal ou Fim de Ano) ouvir as mulheres: “Ó Maria, já meteste a foda?”

Um prato com nome ousado e sabor autêntico.

Cordeiro 01.jpg

Cordeiro 02.jpg

Cartaz 04 m (1).png

Cartaz (5).jpg

FOLAR LIMIANO COM REPRESENTANTE EM PARIS (DRANCY)

O Folar Limiano, especialidade gastronómica de Ponte de Lima fruto de pesquisas e sabores selecionados pelo Chef Vítor Lima, com estabelecimento na Rua Salvato Feijó (urbanização da Baldrufa), acaba de nomear um seu representante na região de Paris.

14102019.jpg

A escolha recaiu na Churrasqueira de Drancy, cidade dos subúrbios da capital francesa e próxima do aeroporto Charles de Gaulle, propriedade de D. Glória da Silva, conselheira municipal da localidade e emérita Presidente da Direcção da ADAP (Associação dos Amigos de Portugal em Drancy), uma activa quão respeitada colectividade representativa da cultura popular portuguesa naquela cidade. Trata-se de um espaço comercial de referência, pelos pratos diários de culinária portuguesa, assim como alguns doces fabricados por pasteleiro português nas redondezas, como pastéis de nata e bolas de Berlim.

Como sucesso na primeira entrega de Folar Limiano que decorreu no passado Sábado, 12 do corrente, com novas encomendas já recebidas, está previsto um novo envio do produto para o próximo fim de semana, com chegada provável pelas 13,00 h locais de Sábado, 19 de Outubro.

Concebido como uma Bola de carnes, cuja massa é molhada em vinho branco Loureiro de Ponte de Lima e recheio de vários enchidos, o Folar Limiano é cada vez mais um “embaixador” da região dentro e fóra do país. A sua distribuição regular centra-se a norte do Porto, Lisboa e por vezes Espanha e Luxemburgo.

Agora, está agendada a entrega com mais regularidade em França, onde já existem apreciadores para dezenas de pedidos semanais, registe-se.

Depois das desaparecidas LIMIANAS da Pastelaria de S. João, das Castanholas e Bolinhos de Trás da Matriz, da Vilar, e os Manjericos da Bijou, o Folar Limiano apresenta-se como  a primeira especialidade de salgado/doce a conquistar a Europa; depois de Paris, o Chef Vítor Lima, pretende expandir o produto á capital europeia, com agendamento de uma degustação em Bruxelas em data oportuna!

Fonte: Tito Morais / https://www.luso.eu/

MORREU JOSÉ NATÁRIO, UM DOS MAIS CONCEITUADOS PASTELEIROS DE VIANA DO CASTELO

Morreu José Natário, conhecido empresário fundador de várias pastelarias em Viana

José Natário, empresário e fundador do clube desportivo Juventude de Viana, morreu esta segunda-feira aos 86 anos, anunciou o clube vianense através das redes sociais.

New-Project-32.jpg

José Enes Natário, que sofria de doença prolongada, morreu em sua casa, durante esta manhã.

Para além de ter sido um dos sócios fundadores do clube Juventude de Viana, a obra de José Natário fica patente no comércio da sociedade vianense, ao ter fundado, em 1970, a conhecida Pastelaria Zé Natário, na Avenida dos Combatentes, em pleno centro histórico da cidade de Viana do Castelo, entre outras pastelarias hoje administradas por familiares.

Nasceu a 10 de janeiro de 1933, filho dos proprietários da pastelaria Brazil sita na rua Manuel Espregueira nº115, em Viana do Castelo.

Ficou órfão de pai aos 14 anos, e após este acontecimento foi a mãe, Custodia Barreiros Natário que assumiu a frente do negocio.

Fundou a Confeitaria e Pastelaria Primorosa (hoje confeitaria Manuel Natário), onde se fazem filas para comprar as famosas bolas à Natário.

Aos 15 anos decidiu enveredar por trabalhar no fabrico da confeitaria de sua mãe. Foi aqui que “lhe tomou o gosto” e nunca mais parou…

Munido de uma bicicleta tipo triciclo ia para a praia de Cabedelo e para o campo de futebol vender um tipo de lanches aos quais deu o nome de vigaristas.

Aos 22 anos comprou o trespasse do CAFÉ SPORT, um dos cafés mais antigos e conceituados na cidade naquela altura. Logo de seguida abriu também o TACO, salão de bilhares, que hoje é propriedade de um ex-funcionário.

Foi também sócio da Liga Vianense de Panificação da qual esteve à frente durante alguns anos.

Adquiriu um espaço na Avenida dos Combatentes e abriu a atual Pastelaria Zé Natário, com fabrico próprio. Atualmente, Regina Natário, filha, gere o negócio.

Abriu ainda a padaria Brazil (nome a homenagear a primeira confeitaria de seus pais que abriu na década de 1920), onde tem outro filho, José Natário, como gerente.

Foi ainda desportista do SC Vianense nas modalidades de futebol e hóquei em patins e fundador da Associação Juventude de Viana em 1976, associação destinada apenas à pratica do hóquei em patins.

*Notícia atualizada às 14h27 com a informação de que a pastelaria conhecida pelas ‘bolas de Berlim’ é propriedade de um familiar (Manuel Natário), esse sim o autor da conhecida versão do bolo

Fonte: https://ominho.pt/

VIZELA DIVULGA BOLINHOL COMO UMA DAS MAIS REQUINTADAS ESPECIALIDADES DA DOÇARIA DO MINHO

Câmara apresentou estratégia de divulgação do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal

No seguimento da estratégia de dinamização do Concelho, essencialmente para criar Vizela como destino turístico, o Presidente da Câmara Municipal reuniu hoje com todos os produtores de Bolinhol do Concelho, para a apresentação da estratégia da Autarquia depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

reunião produtores Bolinhol.JPG

Assim, a estratégia do Município passa pelo reforço do Bolinhol nos eventos promovidos pela Câmara, de que foi exemplo já o passado sábado, na Noite Branca, onde estiverem presentes três produtores do Bolinhol, com stands próprios para a promoção do nosso doce típico.

Contudo, para além desta iniciativa, a Câmara Municipal está a desenvolver um conjunto de ações no sentido da promoção e divulgação do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Assim, a Câmara Municipal vai entregar um diploma oficial das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal a cada um dos produtores de Bolinhol do nosso Concelho e também já criou um selo que será colocado nas caixas do Bolinhol, identificando-o como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal. A Câmara vai ainda entregar uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada um dos dos produtores de Bolinhol. Serão também alterados os totems de entrada da cidade, onde será colocada uma alusão ao Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

É também intenção da Autarquia a criação de um monumento ao Bolinhol como forma de dar a conhecer a todos os que nos visitam que somos detentores de uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

A Câmara Municipal de Vizela considera que a eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal deve ser devidamente promovida e dilvulgada pois, para além de reafirmar a identidade de um povo que, cada vez mais, sente que valeu a pena lutar pelo Concelho de Vizela, também homenageia todos aqueles que lutaram pela nossa autonomia, permite a promoção de Vizela, consolidando, desta forma, uma estratégia de dinamização do Concelho, assim como do comércio tradicional, em particular, dos que orgulhosamente vendem o nosso bolinhol, mas, também, de todos os comerciantes do ramo da restauração, que passam a ter mais um “trunfo” nas suas mesas.

ROSCAS DE MONÇÃO JÁ PODEM SER APRECIADAS TODOS OS FINS DE SEMANA

As Roscas de Monção, distinguidas como Maravilha Doce de Portugal, podem ser adquiridas todos os fins de semana, começando neste, na Loja Interativa de Turismo, situada na Casa do Curro, na Praça Deu-la-Deu.

Roscas LIT.png

Habitualmente comercializadas em dias festivos e à quinta-feira, no recinto da feira semanal, as Roscas de Monção encontram-se, a partir de agora, também disponíveis todos os sábados e domingos.

Desta forma, o Município de Monção, com a colaboração das “rosqueiras”, responde à forte procura de munícipes e visitantes pelo doce mais característico do nosso concelho e garante a autenticidade e qualidade deste produto típico da nossa terra.

Convidámo-lo a saborear as Roscas de Monção.

Um doce feito com carinho e sabedoria que complementa qualquer refeição, podendo ser degustado, a qualquer hora, na companhia de um copo de vinho Alvarinho.

VIZELA MOSTRA TROFÉUS DO BOLINHOL

Troféus do Bolinhol de Vizela em exposição na montra da Loja Interativa de Turismo

No seguimento da eleição do Bolinhol de Vizela como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal, a Câmara Municipal tem os trofeus do Bolinhol em exposição na montra da Loja Interativa de Turismo, disponíveis para serem observados por todos os vizelenses.

trofeu1.jpg

Recorde-se que dos 907 doces apresentados a concurso a nível nacional, o Bolinhol de Vizela venceu a final distrital, tendo sido eleito como representante do distrito de braga. Passou depois a meia-final em Arcos de Valdevez, onde foram escolhidos os 14 finalistas. Foi depois eleito, no passado dia 7 de setembro, em Montemor-o-Velho como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Estas vitórias têm uma enorme importância, que vai para além dos momentos de alegria que todos os vizelenses vivenciaram e que muito se orgulham.

Cumpre reiterar, que esta vitória, para além de reafirmar a identidade de um povo que, cada vez mais, sente que valeu a pena lutar pelo Concelho de Vizela, também homenageia todos aqueles que lutaram pela nossa autonomia, permite a promoção de Vizela, consolidando, desta forma, uma estratégia de dinamização do Concelho, assim como do comércio tradicional, em particular, dos que orgulhosamente vendem o nosso bolinhol, mas, também, de todos os comerciantes do ramo da restauração, que passam a ter mais um “trunfo” nas suas mesas.

Assim e como forma de agradecimento público a todos os Vizelenses que contribuíram para o sucesso desta vitória, a Câmara Municipal expõe os troféus do Bolinhol, na montra da Loja Interativa de Turismo, reiterando ter ficado, uma vez mais, demonstrada a força de Vizela e dos Vizelenses quando se unem por uma causa comum.

CHARUTOS DOS ARCOS ELEITOS UMA DAS "7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL®"

Os “CHARUTOS DOS ARCOS” foram eleitos uma das "7 Maravilhas Doces de Portugal”. Para o Município de Arcos de Valdevez e para os arcuenses é um orgulho ter o reconhecimento nacional dos Charutos dos Arcos, um dos nossos doces tradicionais emblemáticos.

charutos cartaz final (1).jpg

Depois da aldeia de Sistelo, foi a vez de a doçaria estar em destaque com a eleição dos deliciosos Charutos dos Arcos.

O Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, agradece à fantástica CLAQUE, a todos os arcuenses, comerciantes, associações e entidades parceiras pelo apoio e mobilização em torno da eleição do "CHARUTO DOS ARCOS", uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal, bem como a todos os Portugueses, que contribuíram para a obtenção desta DISTINÇÃO.

Esta eleição traz mais-valias para o concelho, atestando a qualidade da doçaria local e destaca-o a nível nacional naquilo que toca à gastronomia e turismo.

João Manuel Esteves reforça que “Esta iniciativa promove o nosso património, reforça a identidade e revitaliza a doçaria como “símbolo” nacional, sendo um estimulo à inovação e valorização dos produtos tradicionais e à dinamização económica e sociocultural dos territórios. Os doces representam a história e a tradição de cada território e são uma mostra do bom que temos e do bem que fazemos.”

A gala final realizou-se em Montemor-o-Velho com o apoio do Turismo do Centro e do Turismo de Portugal, e terminou com a revelação oficial dos 7 doces vencedores através de votação popular e em direto num programa transmitido pela RTP1 e RTP Internacional.

Nesta gala, foi homenageada, através da dança, a doçaria conventual, o papel da mulher na doçaria portuguesa e aquele que foi, numa altura em que os recursos eram poucos, o contributo popular para a nossa doçaria.

O Município de Arcos de Valdevez continuará a investir na promoção do seu território, da sua paisagem cultural e dos seus produtos locais, alavancando-se em mais esta importante distinção, e conta com todos para continuar a atrair mais-valias para o nosso turismo e economia locais.

7 Maravilhas Doces de Portugal_Gala Final.jpg

7 Maravilhas Doces de Portugal_vencedores.jpg

“ACEITAS-ME COMO TUA MARAVILHA?” SIM, ACEITO!

As Roscas de Monção é um dos doces premiados no concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. Com esta distinção, Monção passa a ser o único concelho do país com a mesa toda premiada (sopa, vinho, prato principal e sobremesa) naquele concurso de âmbito nacional.

DSC_0884.JPG

As Roscas de Monção é um dos doces vencedores do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. A finalíssima realizou-se em Montemor-o-Velho, sábado passado, 7 de setembro, com transmissão em direto na RTP 1 e RTP Internacional, ao longo do dia e noite.

Além das Roscas de Monção, a lista dos vencedores incluiu a Amêndoa Coberta de Moncorvo, Bolinhol de Vizela, Charutos dos Arcos, Crista de Galo, Folar de Olhão e Mel Biológico do Parque Natural de Montesinho. A gala contou, mais uma vez, com apresentação de José Carlos Malato e Catarina Furtado.

Com esta distinção, Monção passa a ser o único concelho do país com a mesa toda premiada (sopa, vinho, prato principal e sobremesa). Desde o passado sábado, na nossa mesa, já não falta a sobremesa. Uma sensação única e orgulho desmedido para todos os monçanenses.

Em 2011, no concurso “7 Maravilhas da Gastronomia”, numa candidatura que englobou vários municípios da região, a votação popular elegeu o caldo verde como um dos vencedores. No ano passado, na final realizada em Albufeira, a Mesa de Monção, envolvendo o Cordeiro à Moda de Monção e o vinho Alvarinho, foi um dos sete distinguidos no Concurso “7 Maravilhas à Mesa”.

No passado sábado, em Montemor-o-Velho, recebemos o trofeu no concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. Além de completarmos a mesa, este prémio deixa um sabor adocicado em todos os monçanenses e presta uma homenagem merecida a gerações de “rosqueiras” que, durante décadas, confecionavam e vendiam o doce mais típico de Monção na feira semanal, festas e romarias.

DSC_0906.JPG

“Motivo de grande alegria e orgulho para todos os monçanenses”

O anúncio de Roscas de Monção como um dos doces vencedores foi feito por Catarina Furtado. De imediato, soltou-se um “grito” de júbilo e entusiasmo com a nossa claque a traduzir, no palco do acontecimento, o grande contentamento de milhares de monçanenses pregados aos ecrãs da televisão e do computador.

Na última votação do público, estávamos em sétimo lugar. A apreensão e incerteza eram grandes porque, a qualquer momento, podíamos sair dos lugares elegíveis. Tínhamos à perna, as “Barrigas de Freira”, de Arouca, e, principalmente, o “Pastel de Tentúgal”, que jogava em casa.

Como Deu-la-Deu Martins, resistimos e vencemos. Os monçanenses sentiram essa perigosa aproximação e mostraram a força e bairrismo que nos distingue. A vitória é coletiva. Não é de um, dois ou três. Pertence a todos. Os monçanenses estão de parabéns pela conquista desta distinção maravilhosa da nossa doçaria. 

Visivelmente emocionado, António Barbosa, disse que este prémio é motivo de grande alegria e orgulho para todos os monçanenses, demonstrando a qualidade dos nossos produtos endógenos, o bairrismo da nossa gente e a vontade de afirmação de Monção no território nacional.

“Conseguimos. A mesa está completa. Temos de aproveitar esta vantagem, só nossa, para projetarmos, ainda mais, o nome de Monção. Abriu-se mais uma janela de oportunidade que, com toda a certeza, vamos agarrar para promover o nosso concelho” adiantou.

DSC_0918.JPG

No inicio, eram 907 candidaturas. No final, venceram 7. E as Roscas de Monção estão lá.

O concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal” recebeu 907 candidaturas, tendo um painel de especialistas votado, por duas vezes, nos melhores doces do nosso país, reduzindo a listagem para 140. Um total de 7 doces por distrito e regiões autónomas que avançaram para votação do público.

Durante os meses de julho e agosto, realizaram-se 20 programas de daytime, um em cada distrito com emissão em direto pela RTP, tendo sido selecionado um pré-finalista por distrito. As Roscas de Monção participaram na eliminatória de Viana do Castelo, no dia 2 de julho, ficando em segundo lugar.

Esta posição permitiu ao nosso doce a presença numa gala de apuramento dos segundos classificados, em Miranda do Corvo. Entre 14 concorrentes, ficamos nos 7 primeiros, ganhando lugar na semifinal realizada em Arcos de Valdevez. Na localidade vizinha, conseguimos a passagem à final, em Montemor-o-Velho, onde fomos um dos 7 doces vencedores.

Roscas Monção.JPG

“ROSCAS DE MONÇÃO” NA FINAL DO CONCURSO “7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL”

A final do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal” decorre este sábado, 7 de setembro, em Montemor-o-Velho, com transmissão televisiva na RTP 1, a partir das 9h30. Na gala, apresentada por José Carlos Malato e Catarina Furtado, estão presentes 14 doces finalistas, sendo 7 considerados vencedores através de votação telefónica.

68738593_3014369408636338_8855535571448102912_o.jpg

As “Roscas de Monção” são um dos doces finalistas, realizando-se, desde o passado domingo, dia em que abriram as votações telefónicas, algumas ações de promoção junto do público. O objetivo é conseguir votos suficientes para que as “Roscas de Monção” sejam um Doce Maravilha de Portugal.

No domingo, na prova “Socalcos Trail Adventure”, que decorreu nas freguesias de Merufe e Sistelo, no âmbito da Feira Tradicional da Portela de Alvite, os participantes foram presenteados com este doce caraterístico do concelho de Monção no final da prova.

O melhor suplemento depois de uma prova muito desgastante, em termos físicos, e bastante agradável, devido à beleza dos percursos. Perto de 800 participantes, oriundos de diferentes locais de Portugal e Espanha, tiveram o privilégio de correr num local extraordinário e saborear um doce maravilhoso.

Durante a semana, a Adega Cooperativa de Monção está a preparar a próxima vindima, recebendo as marcações dos associados para a entrega das uvas. No local, duas funcionárias da autarquia, entregam um flyer das Roscas de Monção e solicitam o respetivo apoio ao doce mais característico do concelho.

Na quinta-feira, dia de feira semanal, está pensada uma ação semelhante junto dos feirantes e frequentados daquele espaço. Situação que já decorreu no passado dia 22 de agosto, com sucesso, quando as “Roscas de Monção” tinham pela frente a semifinal, nos Arcos de Valdevez.

Além de outdoors e presença forte na rede social, estão ainda pensadas três chamadas telefónicas coletivas. Hoje, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil. Na quarta-feira, no Pavilhão Desportivo da EB 1, em Pias. Na quinta-feira, no Cine Teatro João Verde, na sede do concelho. Todas as ações de apoio têm inicio às 19h07.

MONÇÃO PREPARA "CHAMADA COLETIVA" DE APOIO À CANDIDATURA DAS ROSCAS A MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Chamada Coletiva de Apoio às “Roscas de Monção”: 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

O doce “Roscas de Monção” é um dos finalistas do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, participando na gala final que decorrerá no dia 7 de setembro, sábado, em Montemor-o-Velho. Nesta gala, serão escolhidos 7 doces vencedores num total de 14 participantes.

68738593_3014369408636338_8855535571448102912_o.jpg

No decorrer desta semana, vamos realizar três ações promocionais das “Roscas de Monção”, consistindo em chamadas telefónicas coletivas de apoio ao doce mais característico do concelho de Monção. No dia 3 de setembro, terça-feira, pelas 19h07, no Centro Cultural do Vale do Mouro. No dia 4 de setembro, quarta-feira, pelas 19h07, no Pavilhão Desportivo da EB1 de Pias. No dia 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

MONÇÃO PREPARA "CHAMADA COLETIVA" DE APOIO À CANDIDATURA DAS ROSCAS A MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Chamada Coletiva de Apoio às “Roscas de Monção”: 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

O doce “Roscas de Monção” é um dos finalistas do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, participando na gala final que decorrerá no dia 7 de setembro, sábado, em Montemor-o-Velho. Nesta gala, serão escolhidos 7 doces vencedores num total de 14 participantes.

68738593_3014369408636338_8855535571448102912_o.jpg

No decorrer desta semana, vamos realizar três ações promocionais das “Roscas de Monção”, consistindo em chamadas telefónicas coletivas de apoio ao doce mais característico do concelho de Monção. No dia 3 de setembro, terça-feira, pelas 19h07, no Centro Cultural do Vale do Mouro. No dia 4 de setembro, quarta-feira, pelas 19h07, no Pavilhão Desportivo da EB1 de Pias. No dia 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

“CHARUTOS DOS ARCOS” NA FINAL DAS 7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL

Arcos de Valdevez é Finalista do Concurso 7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL”.

Os “CHARUTOS DOS ARCOS”, eleitos anteriormente o melhor doce do Alto Minho, passaram à Final do concurso "7 Maravilhas Doces de Portugal”. Para o Município de Arcos de Valdevez e para os arcuenses é um orgulho ter o reconhecimento nacional de Arcos de Valdevez e da sua doçaria.

charutsarcos (1).png

A FINAL está marcada para 7 de setembro de 2019, em Montemor-o-Velho, às 21h45, onde serão eleitas as 7 Maravilhas Doces de Portugal, numa transmissão em direto da RTP 1 e da RTP Internacional.

A votação nesta fantástica iguaria arcuense é possível entre o dia 01 de setembro (a partir das 17h) e o dia 07 de setembro, ligando para o efeito o número de telefone 760 107 003.

Os “CHARUTOS DOS ARCOS” são apadrinhados pelo escritor Jacinto Lucas Pires, familiarmente ligado a Arcos de Valdevez, também ele um apreciador da gastronomia e sobretudo da doçaria tradicional do concelho.

Para o Presidente da Câmara Municipal “Esta iniciativa promove o nosso património, reforça a identidade e revitaliza a doçaria como “símbolo” nacional, sendo um estimulo à inovação e valorização dos produtos tradicionais e à dinamização económica e sociocultural dos territórios. Os doces representam a história e a tradição de cada território e são uma mostra do bom quem temos e do bem que fazemos.”

João Esteves solicita “o apoio de todos para eleger os “CHARUTOS DOS ARCOS” como uma das 7 Maravilhas de Portugal”.

Vamos todos VOTAR em “ARCOS DE VALDEVEZ”

Vamos todos VOTAR nos “CHARUTOS DOS ARCOS”

LIGUE 760 107 003

charutsarcos (2).png

“CHARUTOS DOS ARCOS” NA FINAL DAS 7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL

Arcos de Valdevez foi palco de um grande espetáculo, a Gala das 7 Maravilhas Doces de Portugal, onde os “Charutos dos Arcos”, eleitos anteriormente o melhor doce do Alto Minho, passaram à Final do concurso "7 Maravilhas Doces de Portugal”.

Charuto_Final_1.jpg

O Presidente da Câmara Municipal agradeceu a todos os arcuenses, associações e entidades parceiras pelo apoio e mobilização em torno desta iniciativa, bem como a todos os Portugueses, que contribuíram para que esta eleição se tivesse concretizado, tendo deixado uma mensagem "Estamos na Final das 7 Maravilhas Doces de Portugal. Muito Obrigado a Todos. Continuamos a contar convosco. Arcos de Valdevez onde Portugal se Fez, Faz e Fará."

Para o Município de Arcos de Valdevez e para os arcuenses é um orgulho ver o reconhecimento de Arcos de Valdevez e da sua doçaria, o Charuto dos Arcos, a que se juntam muitas outras iguarias, de qualidade e sabores únicos.

O Autarca felicitou a RTP 1, a empresa 7 Maravilhas e as demais entidades associadas, pela iniciativa “7 Maravilhas Doces de Portugal” e pelo seu contributo na promoção e valorização dos territórios, da sua cultura, gastronomia e doçaria tradicional. Salientou ainda, a parceria com o Turismo Porto e Norte de Portugal, pelo apoio na promoção dos territórios e dos seus produtos endógenos em toda a região Norte.

João Esteves referiu “os doces representam a história e a tradição de cada território e são uma mostra do bom quem temos e do bem que fazemos. Ajudam e ajudarão ainda mais a economia e o turismo, contribuindo para o aumento do emprego e rendimento e a fixação e atração de pessoas para as nossas terras”.

A final das “7 Maravilhas Doces de Portugal” está marcada para 7 de setembro de 2019 em Montemor-o-Velho, onde serão eleitas as 7 Maravilhas Doces de Portugal.

O Autarca solicita “o apoio de todos para eleger os “Charutos dos arcos” como uma das 7 Maravilhas”.

Charuto_Final_2.jpg

ROSCAS DE MONÇÃO NA FINAL DO CONCURSO “7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL”

O doce Roscas de Monção está na final do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, sendo um dos sete doces apurados na gala da semifinal realizada, no sábado passado, em Arcos de Valdevez, com apresentação de Catarina Furtado e José Carlos Malato. 

roscasmonçao (4).JPG

Além do doce mais típico do nosso concelho, passaram à final do concurso a Amêndoa Coberta de Moncorvo IGP, Barrigas de Freira, Bolinhol de Vizela, Charutos dos Arcos, Crista de Galo, e Mel Biológico do Parque Natural de Montesinho. As Roscas de Monção são o único representante da região do Vale do Minho.

A estes 7 finalistas, vão juntar-se mais 7 que serão apurados na semifinal de Ferreira do Zêzere, a realizar no dia 31 de agosto, sábado. Os 14 finalistas disputam o concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, no dia 7 de setembro, sábado, em Montemor-o-Velho.  

Assim que Catarina Furtado anunciou a passagem das Roscas de Monção, a comitiva de monçanenses presente no local largou um estrondoso sentimento de alegria, cantando, com entusiasmo, o hino de Monção com acompanhamento dos Monção Brass e do Grupo de Bombos de Pias.

Depois de horas de incerteza, tinha chegado o momento da confirmação. Um misto de alívio e satisfação. Bem evidente nos semblantes felizes e sorrisos rasgados dos monçanenses. Repetição do que havia acontecido, há quase um ano, na semifinal de Lagoa, Algarve, com o Cordeiro à Moda de Monção, a nossa “Foda”.

“Tenho a sorte de ser líder de uma grande equipa que se chama Monção”

No final do programa, António Barbosa, em declarações à Rádio Vale do Minho, disse que estar na final é uma grande alegria e um orgulho para todos os monçanenses, demonstrando a qualidade dos nossos produtos endógenos e o bairrismo da nossa gente.

Muito emocionado, António Barbosa, lembrou que “as vitórias não se conseguem isoladamente” sublinhando: “Tenho a sorte de ser líder de uma grande equipa que se chama Monção”. Agora, adiantou, “vamos trabalhar ainda com mais força para que tenhamos uma grande mobilização até à final”.

O concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal” recebeu 907 candidaturas, tendo um painel de especialistas votado, por duas vezes, nos melhores doces do nosso país, reduzindo a listagem para 140. Um total de 7 doces por distrito e regiões autónomas que avançaram para votação do público.

Durante os meses de julho e agosto, realizaram-se 20 programas de daytime, um em cada distrito com emissão em direto pela RTP, tendo sido selecionado um pré-finalista por distrito. As Roscas de Monção participaram na eliminatória de Viana do Castelo, no dia 2 de julho, ficando em segundo lugar.

Esta posição permitiu ao nosso doce a presença numa gala de apuramento dos segundos classificados, em Miranda do Corvo. Entre 14 concorrentes, ficamos nos 7 primeiros, ganhando lugar na semifinal realizada em Arcos de Valdevez, onde conseguimos a passagem à final, em Montemor-o-Velho, no dia 7 de setembro.

Vamos fazer das Roscas de Monção uma das “7 Maravilhas Doces de Portugal”. Contamos com todos. O vosso apoio é importante.

roscasmonçao (1).jpg

roscasmonçao (2).JPG

roscasmonçao (3).JPG

VIZELA LEVA BOLINHOL À FINAL DAS 7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL

Vizela e os Vizelenses estão de parabéns: O Bolinhol de Vizela está na final das 7 Maravilhas dos Doces.

A já longa caminhada e as sucessivas vitórias, tal como a presença na final, têm uma enorme importância, que vai para além dos momentos de alegria que todos os vizelenses vivenciaram e que muito se orgulham.

IMG_9863.jpg

Em primeiro lugar, porque reafirma a identidade de um povo que, cada vez mais, sente (contrariamente a um passado recente) que valeu a pena lutar pelo Concelho de Vizela, homenageando, desta forma, todos aqueles que lutaram pela nossa autonomia e, em primeira instância permitiram tudo isto.

Em segundo lugar, porque este é um meio de promover Vizela, consolidando, desta forma, uma estratégia de dinamização do Concelho, essencialmente para criar Vizela como destino turístico.

Em terceiro lugar, porque promove o comércio tradicional, em particular os que orgulhosamente vendem o nosso bolinhol, mas também todos os comerciantes do ramo da restauração, que passam a ter mais um “trunfo” nas suas mesas.

Assim sendo, a Câmara Municipal de Vizela agradece a todos aqueles que se envolveram neste projeto e acreditaram desde a primeira hora no seu sucesso, assim como a todos os vizelenses que apoiam de forma incansável o Bolinhol de Vizela.

Obrigado Vizela!

CHEF MICHELIN ELOGIOU FOLAR LIMIANO

O mais recente Chef galardoado com Estrela Michelin, (esse cobiçado prémio mundial atribuído aos melhores cozinheiros), António Loureiro, deslocou-se mais uma vez a Ponte de Lima para apreciar produtos locais.

22082019-1 (1).jpg

Agora, foi a análise do Folar Limiano, essa preciosa “ jóia” de pastelaria salgada, que começou a ser produzida na Páscoa de 2016, pelo Chef pasteleiro Vítor Lima, na Casa do Folar Limiano, situada na urbanização da Baldrufa, próximo do cruzamento da Ponte Senhora da Guia.

Trata-se de uma Bola de carnes, de formato redondo, confecionada á base de produtos locais como os enchidos, destacando-se o lombo do cachaço e vinha de alhos, cuja massa de textura macia é húmida, molhada com vinho Loureiro, ficando a levedar durante 24 horas, de forma a atingir o “ padrão de excelência” sublinhou o produtor.

António Loureiro, salientou o tamanho médio escolhido pelo fabricante para o Folar Limiano, para além do recheio que lhe concebeu um sabor elevado entre os similares, pelo recurso aos produtos endógenos selecionados e o ponto de cozedura!

Quanto á sua penetração no mercado, o comerciante referiu a sua elevada procura fóra de Ponte de Lima, a nível nacional e internacional. Neste capítulo, a sua qualidade foi testada por ocasião de Feiras do sector agroalimentar de referência, como as de Nanterre (Paris) e Cennon em França, e na de Bruxelas “ O Melhor de Portugal”.

Mais longe, levado como recordação, e já com algumas encomendas via correio expresso, o Folar Limiano chega já a consumidores dos Estados Unidos da América, Canadá, Austrália e Angola. Na comunidade luso – portuguesa espalhada pela Europa, elencamos a Espanha, França, Alemanha e Andorra, como principais origens de encomendas.

Uma embalagem especial para a exportação, onde a garantia de durabilidade do produto esteve na base da sua concepção, assim como uma película para o envolver, mereceram há meses atrás o apoio de Bruxelas, através de representante da Agência Executiva para as Pequenas e Médias Empresas / Área do Ambiente e Recursos Eco – Inovação, num evento realizado no Parlamento Europeu.

Tito Morais / https://www.luso.eu/