Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRENSES ELEGEM "MIGUELITOS" COMO O SEU DOCE PREFERIDO

'Miguelitos' conquistam júri do Concurso Doce Cabeceirense

Os ‘Miguelitos’ de Alice da Conceição de Magalhães Alves foram os grandes vencedores do Concurso ‘Doce Cabeceirense’, cujos vencedores foram anunciados esta tarde, dia 18 de maio, na Casa do Tempo de Cabeceiras de Basto.

1.º Prémio - Alice Alves.JPG

Em segundo lugar, com os ‘Sonhos Emocionantes’, classificou-se Maria Beatriz Ribeiro Carvalho, tendo obtido uma Menção Honrosa (concorrente mais jovem) Juliana Teresa Vaz Martins que apresentou a este concurso os pastéis ‘Os Bastos’.

Este foi o veredito do júri composto por Anabela Ramos, Arminda Costa e Helena Chaves que teve como missão avaliar a originalidade, a genuinidade, a apresentação e a viabilidade comercial dos onze doces apresentados ao Concurso ‘Doce Cabeceirense’.

Os ‘Miguelitos’ são ‘enrolados’ de feijão amarelo, farinha e vinho verde (…) com recheio de ovos e mel (…). “Docinho é o Miguelito, de feijão é o meu pastel, umas gotas de vinho verde e uma pitada de mel” foi a quadra que acompanhou a receita original de Alice Alves, a grande vencedora do ‘Doce Cabeceirense’.

Após o anúncio dos resultados do concurso, todos os presentes foram convidados para a degustação do Doce Cabeceirense. Trata-se de mais uma iniciativa integrada no programa cultural Mosteiro de Emoções, programa este que é financiado por fundos comunitários, através do Norte 2020.

LEITE-CREME, DOCE DE PONTE DE LIMA É MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Doce de Ponte de Lima - Leite-creme nas finais distritais das “7 Maravilhas Doces de Portugal”

De textura leve e aveludado, o Leite-creme é a sobremesa de eleição da Gastronomia Limiana e está apurado para as finais distritais do concurso as “7 Maravilhas Doces de Portugal”.

Publicação1.jpg

Confecionado com base na qualidade dos produtos endógenos desta Terra de saberes e de sabores, a receita do Leite-creme assenta numa herança que transitou entre famílias, atraindo todos aqueles que gostam de doces e que não podem deixar de saborear a textura do leite-creme queimado pela férrea - um ferro em brasa com o qual se queima açúcar espalhado à superfície do creme. “Sarrabulho sem remate de leite-creme é como mesa sem pão, que só no inferno a dão”, escrevia o poeta Manuel Couto Viana, conferindo a excelente combinação do leite-creme com o ex-libris da Gastronomia limiana.

A restauração da vila continua a confecionar esta especialidade gastronómica confirmando Ponte de Lima como um dos maiores Polos Gastronómicos de Portugal!

De acordo com o regulamento do concurso os 140 doces apurados para as finais distritais, vão ser votados pelo público em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, nos meses de julho e agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal®.

ROSCAS DE MONÇÃO PASSAM À SEGUNDA FASE DO CONCURSO “7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL”

Concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal” reduz lista para 140 doces, 7 por distrito e região autónoma. As roscas de Monção seguem em frente, sendo o único doce do Vale do Minho em concurso.

Foto-Roscas 3.jpg

O Painel de Especialistas votou pela segunda vez para identificar os 140 doces nomeados para a eleição das “7 Maravilhas Doces de Portugal”. A lista ficou reduzida a sete doces por distrito e região autónoma num total de 140 doces que agora avançam para votação do público.

As Roscas de Monção fazem parte desta listagem deliciosa, inicialmente com 907 candidaturas, sendo o único doce do Vale do Minho em concurso. No distrito, acompanham Monção, três doces de Viana do Castelo, e um de Arcos de Valdevez, Ponte de Lima e Ponte da Barca.

Estes 140 doces vão ser votados pelo público em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, durante os meses de julho e agosto. De cada programa, é selecionado um pré-finalista que passa às semifinais do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. 

Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, órgão de deliberação constituído por sete figuras do espaço mediático, que será responsável pela repescagem de oito candidatos, juntando-os aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas serão divididos por sorteio pelas duas semifinais, a realizar nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal, serão apurados os sete doces com mais votos contabilizados, perfazendo um total de 14 doces que chegam à final.

Nesta fase, os sete elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os doces. A final decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre, elegendo as “7 Maravilhas Doces de Portugal”. 

SANTA MARTA DE PORTUZELO DISTINGUE PRODUTOS DA TERRA

5º Concurso de Produtos da Terra e workshop de arroz doce

No dia 12 de maio, decorreu na antiga escola de Fonte Grossa o 5º Concurso de Produtos da Terra de Santa Marta de Portuzelo.

5º Concurso de Produtos da Terra e workshop de arroz doceD.jpeg

Estiveram a concurso 9 vinhos brancos, 9 vinhos tintos, 12 chouriços, 8 presuntos e 3 broas. Um total de 41 produtos, apresentados por 20 produtores.

Os resultados foram: 1ª broa – Paulo Amorim; 2ª broa – Manuel Negrão Antunes; 3ª broa – Cecília Mesquita; 1º presunto – Rosa Oliveira; 2º presunto – António Louro; 3º presunto – Paulo Amorim; 1º chouriço – Marta Paredes Silva; 2º chouriço – Rosa Oliveira; 3º chouriço – António Louro; 1º vinho branco – Rogério Costa; 2º vinho branco – Pedro Gama A; 3º vinho branco – Pedro Gama C; 1º vinho tinto – António Louro; 2º vinho tinto – João Alberto Araújo; 3º vinho tinto – Rogério Costa.

O júri foi constituído por onze personalidades de renome, representando as várias áreas e produtos a concurso, dando credibilidade aos resultados obtidos.

O júri foi unânime a considerar que os produtos, de uma forma em geral, têm mais qualidade, comparativamente aos anos anteriores.

Paralelamente decorreu um workshop de arroz doce, orientado pela D. Ana Maria, para promover tão boa iguaria, com muita tradição na freguesia.

No final os participantes levaram uma travessa de arroz doce para o almoço.

5º Concurso de Produtos da Terra e workshop de arroz doceA.jpeg

5º Concurso de Produtos da Terra e workshop de arroz doceB.jpeg

5º Concurso de Produtos da Terra e workshop de arroz doceC.jpeg

TERRAS DE BOURO CANDIDATA "BENEDITINOS DE S. BENTO" A UMA DAS 7 MARAVILHAS DA DOÇARIA TRADICIONAL PORTUGUESA

“Beneditinos de S. Bento” escolhidos para a terceira fase do Concurso 7 Maravilhas na Doçaria

No âmbito do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, categoria de biscoitos e bolos secos, os doces “ Beneditinos de S. Bento” foram seleccionados para integrar 3.ª fase que abrange 7 candidatos por Distrito ou Região Autónoma.

Beneditinos-2-2.jpg

O Painel de Especialistas, constituído por 140 personalidades, sete de cada distrito e regiões autónomas escolheu a 7 de maio 140 doces que serão na 4ºfase, entre julho e agosto de 2019, com eliminatórias regionais (Por distritos e regiões autónomas), presentes a votação pública a partir de julho de 2019 (data a definir). Ao longo de 10 semanas consecutivas na RTP1 serão realizados 20 programas em direto, com 7 DOCES selecionados em cada emissão, e onde será encontrado apenas um vencedor por distritos e regiões autónomas.

O desafio é eleger os melhores Doces de Portugal, enfatizando a tradição e a inovação, associadas a determinada região do país.

VIEIRA DO MINHO É UMA MARAVILHA DE PORTUGAL

Doce de Vieira do Minho nas finais distritais das 7 Maravilhas Doces de Portugal

Os Barquilheres é um dos 140 doces candidatos às 7 Maravilhas Doces de Portugal. Esta sobremesa foi escolhida entre 907 candidaturas vindas um pouco por todo o país, e que é única em Vieira do Minho.

59866640_1446446442163849_4291366872160403456_n.jpg

Os Barquilheres seguem agora para uma nova fase de seleção, as finais distritas. Aqui, os 140 doces, 7 de cada distrito, que avançaram na eleição das 7 Maravilhas Doces de Portugal  vão estar sujeitos à votação do público.

De salientar, ainda que o doce vieirense é um dos 7 doces que está a representar o distrito de Braga nesta competição que visa eleger os 7 sabores mais representativos de Portugal.

 Os Barquilheres são uma especialidade centenária de Vieira do Minho, criada no seio de uma família de agricultores da freguesia de Mosteiro. Estes são preparados à base de produtos tradicionais, com ovos, farinha, açúcar amarelo, canela e limão. A particularidade desta iguaria está no processo de cozedura que, ainda hoje, é feita artesanalmente a fim de garantir uma textura finíssima e estaladiça. Cada Barquilhere é confeccionado à lareira, num recipiente em ferro previamente aquecido e untado com manteiga, e cumprindo as regras de cozedura em lume brando. Depois de cozido e ainda quente, é desenformado e enrolado delicadamente com as mãos de forma a obter um cone. Os Barquilheres podem ser degustados com mel, marmelada ou compotas caseiras. A herdeira da receita orgulha-se desse legado que lhe foi transmitido pela sua mãe, e espera que as gerações vindouras saibam apreciar e perpetuar esta sobremesa genuína e única. Os Barquilheres são muito apreciados pela gente da terra e têm conquistado um lugar proeminente à mesa dos vieirenses e nos eventos da Câmara Municipal.

Estes 140 doces vão ser votados pelo público em 20 programas de_daytime_, a emitir em direto pela RTP, nos meses de julho e agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais

BOLO DE MEL À TERRAS DA NÓBREGA PASSA À SEGUNDA FASE

7 Maravilhas Doces de Portugal: Ponte da Barca candidata Bolo de mel

Painel de Especialistas votou pela segunda vez para identificar os 140 doces nomeados que avançam na eleição das 7 Maravilhas Doces de Portugal e o Bolo de Mel à Terras da Nóbrega segue no concurso.

Capturarbbbarc (1).PNG

Agora esta lista foi reduzida a sete doces por distrito e região autónoma, uma lista final de 140 doces que avançam para votação do público.

Estes 140 doces vão ser votados pelo público em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, nos meses de julho e agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

BOLINHOL DE VIZELA É UMA DOCE MARAVILHA DE PORTUGAL

7 Maravilhas Doces de Portugal - Bolinhol passa mais uma fase

No seguimento da candidatura submetida pela Câmara Municipal de Vizela ao concurso 7 Maravilhas Doces de Portugal, para potenciação e valorização do Bolinhol, o mesmo passou à fase seguinte do concurso, tendo sido nomeado para os 7 Doces que irão representar o distrito de Braga e passando a uma fase que já terá projeção televisiva.

bolinhol 7 maravilhas.jpg

O Bolinhol passou assim à fase que limita a 21 Doces candidatos e nomeados por Distrito.

Segue-se a próxima fase, das eliminatórias regionais (por distritos e regiões autónomas), que decorre entre julho e agosto de 2019, ao longo de 10 semanas consecutivas na RTP1, em que serão realizados 20 programas em direto. Dos 7 DOCES selecionados em cada programa, será encontrado apenas um vencedor por distritos e regiões autónomas.

Há mais de 130 anos que o Bolinhol faz parte do património gastronómico de Vizela, concentrando em si características históricas, culturais e económicas relevantes e que merecem ser preservadas, promovidas e valorizadas.

Sendo um doce único em Portugal é claramente uma mais-valia do Concelho, que para além de ser um ícone da gastronomia e da cultura vizelense, legado de várias gerações, é um produto significativo para a economia local, com impactos positivos diretos e indiretos.

Assim, a Câmara Municipal de Vizela espera que o valor do Bolinhol seja devidamente valorizado e promovido no âmbito deste concurso.

"BENEDITINOS DE S. BENTO" É UM DOCE DE TERRAS DE BOURO QUE É UMA DAS MARAVILHAS DE PORTUGAL

Concurso 7 Maravilhas na Doçaria integra “Beneditinos de S. Bento”

O concelho de Terras de Bouro está muito bem representado no concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, categoria de biscoitos e bolos secos, com os “Beneditinos de S. Bento”.

beneditinos.jpg

Numa lista de cerca de 420 doce apurados, depois de 907 candidaturas, é o único de Terras de Bouro que consta e onde surgem também outros 20 doces da região de Braga. Irá agora decorrer uma segunda fase de votação do Painel de Especialistas, constituído por 140 personalidades, sete de cada distrito e regiões autónomas e da qual vão resultar 140 doces, que os portugueses vão votar nas eliminatórias distritais. Estes 140 doces serão revelados a 7 de Maio, num programa de televisão a emitir em direto pela RTP 1.

Este concurso e esta eleição são, sem dúvida, uma ótima oportunidade de projecção e divulgação de Terras de Bouro e dos doces do concelho.

IMG_8392 (1).JPG

ARCUENSES EM LISBOA CANTARAM OS PARABÉNS À CASA DO CONCELHO DE ARCOS DE VALDEVEZ

Sob a batuta do Presidente da Direção, Joaquim Cerqueira de Brito, a Casa do Concelho de Arcos de Valdevez é actualmente um dos mais destacados baluartes do regionalismo minhoto em Lisboa

Cerca de meio milhar de arcuenses e amigos afluíram hoje à Quinta da Valenciana, em Fernão Ferro, para cantar os parabéns à Casa do Concelho de Arcos de Valdevez pelo seu 64º aniversário.

DSCF4557.JPG

O dia foi de festa muito animada como só os minhotos sabem fazer. A abrir o apetite, o Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez iniciou a sua actuação no magnífico espaço ao ar livre a que se seguiu um serviço de entradas e aperitivos.

A festa foi ainda animada pelo Rancho Folclórico de Vilarinho das Quartas que se deslocou propositadamente a partir do Soajo. E, ainda pelos tocadores de concertina e cantadores ao desafio Carminda dos Arcos, Leiras do Soajo e Daniel Sousa.

DSCF4477.JPG

Em representação da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez esteve presente o Dr. Daniel Barros, Vice-presidente do executivo. A Junta de Freguesia de Marvila foi representada pelo seu próprio Presidente, o Dr. José António Videira. Também o Presidente da Junta de Freguesia do Soajo, Manuel Barreira da Costa esteve presente no evento. E, entre muitas outras entidades, fizeram-se representar a Presidente da Associação das Casas Regionais de Lisboa (ACRL) e as casas regionais de Valença, Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira, Penacova, Tábua, Pampilhosa da Serra e Ferreira do Zêzere.

DSCF4385.JPG

A artesã Susana Cunha que é componente do Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez apresentou os seus trabalhos artísticos inspirados em modelos tradicionais mas com novo design e executados em novos materiais.

O Pão-de-ló de Soajo fez a delícia de muitos convivas e está a consquistar cada vez mais apreciadores e a dar fama à região de origem. E o magnífico repasto regado com vinhos tintos e brancos, verdes e maduros de “Casal Videira”, produção do minhoto proprietário da Quinta da Valenciana, uma das mais excelentes unidades hoteleiras e de restauração da região de Lisboa, situada mais precisamente no concelho do Seixal.

DSCF4424.JPG

Fundada em 30 de Abril de 1955, a Casa do Concelho de Arcos de Valdevez é a mais antiga associação regionalista minhota de âmbito concelhio constituída em Lisboa, reunindo à sua volta a numerosa comunidade arcuense que ali vive e trabalha. Porém, a intenção de constituir esta casa regional era anterior à segunda guerra mundial, mas os constrangimentos da época forçaram ao adiamento da iniciativa que só veio a concretizar-se uma década após a sua conclusão.

Sediada na rua Augusto Rosa, junto à Sé Catedral de Lisboa, possui uma delegação na zona de Marvila onde funciona nomeadamente a sua Secção Desportiva que numerosos troféus tem arrecadado para a “Casa dos Arcos” como ela é vulgarmente tratada pelos arcuenses. Mas, a Casa do Concelho de Arcos de Valdevez destaca-se ainda pelo seu Grupo de Cavaquinhos e o Rancho Folclórico que vem adquirindo elevada qualidade e notoriedade. De realçar ainda o seu papel na criação e dinamização da Associação das Casas Regionais em Lisboa (ACRL).

DSCF4393.JPG

DSCF4394.JPG

DSCF4396.JPG

DSCF4397.JPG

DSCF4405.JPG

DSCF4411.JPG

DSCF4415.JPG

DSCF4426.JPG

DSCF4434 (2).JPG

DSCF4437.JPG

DSCF4443.JPG

DSCF4476.JPG

DSCF4492.JPG

DSCF4515 (2).JPG

DSCF4543.JPG

DSCF4547.JPG

DSCF4552.JPG

DSCF4564.JPG

DOÇARIAS DE ARCOS DE VALDEVEZ SÃO MARAVILHAS DE PORTUGAL

Charutos de Ovos, Rebuçados dos Arcos e o Pão-de-ló de Soajo integram a lista dos 420 candidatos às 7 Maravilhas Doces de Portugal®

Das 907 candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal® já foram apurados os 420 candidatos e Arcos de Valdevez faz parte!

Rebucados_001_low - Cópia.jpg

Na edição das 7 Maravilhas há sete categorias em análise: Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação.

Dentre os 4 doces candidatados por Arcos de Valdevez, os Charutos de Ovos, os Rebuçados dos Arcos e o Pão-de-ló de Soajo foram os doces típicos escolhidos para passar à próxima fase deste concurso.

pão de ló soajo.jpg

Segundo os organizadores do concurso a grande aposta deste ano é na Inovação à base de produtos endógenos, incentivando ao empreendedorismo local, sendo que a tradição, a importância económica, social e cultural dos doces são também critérios preponderante.

Depois de fixada a Lista de 21 doces por cada distrito ou região autónoma, o Painel de Especialistas irá fazer nova votação para reduzir a lista a 7 doces por distrito ou região autónoma, chegando à lista final de 140 doces que serão posteriormente apresentados para votação pelo público.

Estes 140 doces vão ser reveladas a 7 de maio e são votados pelo público em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, nos meses de julho e agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, órgão de deliberação constituído por 7 figuras do espaço mediático, que será responsável pela repescagem de 8 candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal são apurados os 7 doces, aqueles que tenham mais votos contabilizados. Nesta fase os 7 elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os Doces.

A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal®.

Para Arcos de Valdevez, o principal objetivo desta candidatura foi valorizar e promover as especialidades gastronómicas locais, reforçar a identidade e o sentimento de pertença da população a esta região.

Charutos_001_low - Cópia.jpg

DOÇARIA BARQUENSE CANDIDATA ÀS 7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL

São três os bolos barquenses que passaram à primeira fase do concurso para as 7 maravilhas doces de Portugal da RTP1. Ponte da Barca tem a concurso o doce “O Magalhães “, na categoria Bolo de Pastelaria; o bolo “O Capuchinho”, na categoria Doces de Inovação; e o Bolo de Mel à Terras da Nóbrega, na categoria de doce de colher e doce à fatia.

Capturardoçabar.PNG

O Painel de Especialistas votou e ficaram identificados os 420 doces que avançam na eleição das 7 Maravilhas Doces de Portugal. Agora esta lista será reduzida a 7 doces por distrito ou região autónoma, chegando à lista final de 140 doces, que avançam para votação do público.

Esta lista será revelada no dia 07 de maio, num programa de televisão a emitir em direto pela RTP1.

doçbarrrrr (1).jpg

doçbarrrrr (2).jpg

BOLINHOL DE VIZELA É UMA MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Bolinhol oficialmente nomeado no concurso 7 Maravilhas Doces de Portugal

No seguimento da candidatura submetida pela Câmara Municipal de Vizela ao concurso 7 Maravilhas Doces de Portugal, para potenciação e valorização do Bolinhol, a mesma foi validada, tornando-se assim este doce único em Portugal oficialmente nomeado.

bolinhol vizela.jpg

Nos próximos dias será tornado público quais os Doces que passarão à fase que limita a 21 Doces candidatos e nomeados por Distrito. No dia 7 de maio será realizado um programa especial 7 Maravilhas na RTP1, em que serão divulgados os 7 Doces que irão representar cada um dos 18 distritos e 2 regiões autónomas nos programas da RTP1 a realizar entre julho e agosto.

Há mais de 130 anos que o Bolinhol faz parte do património gastronómico de Vizela, concentrando em si características históricas, culturais e económicas relevantes e que merecem ser preservadas, promovidas e valorizadas.

Sendo um doce único em Portugal é claramente uma mais-valia do Concelho, que para além de ser um ícone da gastronomia e da cultura vizelense, legado de várias gerações, é um produto significativo para a economia local, com impactos positivos diretos e indiretos.

Assim, a Câmara Municipal de Vizela espera que o valor do Bolinhol seja devidamente considerado no âmbito deste concurso.

PONTE DE LIMA É UM DOCE REQUINTADO!

7 Maravilhas Doces de Portugal: Cinco doces de Ponte de Lima Apurados para a 2ª Eliminatória

São cinco os doces de Ponte de Lima que constam entre os 21 doces que irão representar o distrito de Viana do Castelo na próxima eliminatória do concurso as 7 Maravilhas Doces de Portugal.

Doces_com logo_Bolinho Trás-da-Matriz.jpg

Ponte de Lima apresentou-se a concurso com 7, tendo sido selecionados os seguintes cinco doces limianos:

- Maravilha do Lima

- Leite-creme

- Bolinhos de Trás-da-Matriz

- Castanholas

- Mel multifloral

Confecionados com base na qualidade dos produtos endógenos desta Terra de saberes e de sabores, a nomeação de cinco doces limianos, diferencia Ponte de Lima enquanto Destino Gastronómico, intimamente ligado à identidade vitivinícola que preserva com qualidade a excelência dos afamados vinhos verdes.

A cultura e a tradição da região assentam numa herança que transitou entre famílias e que preservou a memória da confeção de verdadeiras iguarias gastronómicas acompanhadas de muita história.

Prevista para o início de maio, a 2ª eliminatória consistirá numa nova votação do Painel de Especialistas para reduzir para 7 os doces candidatos pelo distrito de Viana do Castelo, sendo os resultados revelados a 7 de maio.

Com esta candidatura, o Município de Ponte de Lima e os respetivos parceiros pretendem reafirmar continuamente a Vila Mais Antiga de Portugal - Ponte de Lima -, como um dos maiores Polos Gastronómicos de Portugal!

Doces_com logo_Castanholas.jpg

Doces_com logo_Leite creme_2.jpg

Doces_com logo_Maravilha do Lima.jpg

Doces_com logo_Mel.jpg

ESPOSENDE PROMOVE OFICINA DE SABORES TRADICIONAIS

Oficina de Sabores tradicionais “Folar da Páscoa” no Curso de Alfabetização e Literacias de Adultos

Após a cerimónia de assinatura do protocolo, no passado dia 5 de abril de 2019, no Forum Rodrigues Sampaio, em Esposende, presidida pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal, Arq.to Benjamim Pereira, perante a presença de quase quatro dezenas de representantes das instituições concelhias, para a constituição do Conselho de Instituições Promotoras do projeto-piloto “Percurso de Cidadania – Alfabetização Solidária e Literacias” que visa: elevar qualificação da população adulta, naturalizar no território a educação de adultos como um direito de todos e de todas as idades, assumido como um fator de desenvolvimento integral e de coesão social, e garantir uma resposta de alfabetização, neste momento inexistente, e a valorização das aprendizagens informais e não formais; e, no âmbito deste mesmo projeto,  já em implementação em Paranhos - Porto, Curvos e Marinhas – Esposende, somos pelo presente solicitar a V/ Ex.ª a divulgação de mais uma iniciativa a ter lugar num dos Cursos de Alfabetização e Literacias de Esposende.

A atividade, inserida na Oficina de Sabores Tradicionais, denominada “Folar da Páscoa” ocorrerá na Comunidade de Inserção Social de Curvos, pelas 10 horas do dia 10 de abril e conta com a colaboração técnica de um chef de cozinha de uma das instituições promotoras, a Escola Profissional de Esposende (EPE)/Zendensino.

Reiteramos o pedido de divulgação da presente notícia, agradecendo desde já a V/ preciosa colaboração como forma de sensibilização e mobilização de outros adultos para adesão ao referido projeto-piloto.

Convictos de que, com a generosidade, colaboração e parceria de todas as instituições promotoras, este projeto tem toda a viabilidade de ser bem-sucedido, subscrevemo-nos

Atenciosamente

A Equipa de Acompanhamento do projeto PCAL-Esposende

Miguel Belinho

VILA VERDE FORMA PASTELEIROS DE ALTO GABARITO

Gulosas Degustações na EPATV

I Edição do Concurso de Pastelaria da Escola Profissional Amar Terra Verde realizou-se hoje, dia 27 de março de 2019, no âmbito das atividades da Semana das Línguas.

54462830_10157052767698116_1984851189463777280_n.jpg

Desta feita, o concurso integrava duas categorias: Categoria I - Elaboração, decoração e apresentação de Brownie (bolo de chocolate), original da cultura inglesa, mais concretamente dos Estados Unidos da América; Categoria II - Elaboração, decoração e apresentação de Canelé de Bordeaux (bolinho de baunilha), original da cultura francesa.

A atividade tinha como público-alvo todas as turmas da área da Restauração da Escola, cujos alunos eram chamados a apresentar uma livre interpretação dos doces, desde que a base dos mesmos respeitasse os ingredientes principais das receitas tradicionais.

Os critérios de avaliação prendiam-se com a apresentação/ decoração, textura, combinação de sabores e ponto de açúcar, que os jurados, com justa arduidade, tinham que apurar.

Saíram, assim vencedores, na Categoria I, o aluno Ricardo Moreira, do 1º ano do Curso Técnico de Cozinha/ Pastelaria; e na Categoria II, o aluno João Cunha, do 3º ano do mesmo Curso.

Como presidente do júri, Sandra Monteiro, Diretora Pedagógica da Escola, louvou o empenho, dedicação, sabedoria e aprendizagem de todos os concorrentes, enaltecendo a participação nesta atividade inovadora da instituição.

55523404_10157052767283116_3727056998949191680_n.jpg

55546994_10157052768003116_1840492631361060864_n.jpg

55944900_10157052768588116_5467671965433069568_n.jpg

IMG_2928.jpg

PONTE DE LIMA CASA GASTRONOMIA E TURISMO

N’Sabores Ponte de Lima- Gastronomia e Turismo: 18 chefs aliam a culinária e a pastelaria à experiência turística

A mais recente viagem gastronómica por terras do Lima começa no próximo sábado, com abertura marcada para as 10h30, na Vila mais antiga de Portugal.

Convite_n_sabores-01.jpg

Com assinatura do Município de Ponte de Lima, colaboração da AIEN e do Canal Horeca, a ideia de fomentar o conceito de turismo gastronómico, assente na genuinidade dos produtos e na bagagem técnica dos expositores, consolida-se no projeto N’Sabores.

Ponte de Lima é polo e referência nas esferas gastronómicas do país e da Euroregião Galiza-Norte de Portugal, e como tal tem vindo a afirmar o seu nome como marca substancial num meio que exige capacidade de adaptação aos novos desafios emergentes, característicos de um ecossistema em plena transformação.

Mais do que um mero programa sobre comida, a N’Sabores assenta num conceito B2B, que procura potenciar o turismo gastronómico de forma estruturada e devidamente valorizada. Assim a feira é dirigida em primeira instância aos profissionais das áreas apensas ao conceito, tais como Hotelaria, Restauração e Cafetaria, e tornará a Vila num centro de decisão económica, de 30 de Março, a 2 de Abril.

Certo, é que existem pratos incontornáveis, como o sarrabulho ou a lampreia, mas respondendo às necessidades de um meio em constante mutação, a Feira aborda um ponto-chave: a criação de tipologias de oferta turística, que abracem a experiência gastronómica enquanto componente essencial.

Neste sentido, através da promoção dos vários agentes e serviços turísticos da região, a N’Sabores promove a partilha de sabores e saberes, em prol da atratividade e visibilidade turística do concelho e de toda a região Norte.

Durante quatro dias, o Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima, acolhe a feira de entrada gratuita, com Showcookings de culinária e pastelaria pela mão de 18 chefs, música, dança e uma formação. A N’Sabores parte assim em busca de uma nova dinâmica aliada à experiência e à sensibilidade gustativa, consistente e de qualidade.

NSabores_programa-01.jpg

NSabores_programa-02.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ CANDIDATA DOÇARIA TRADICIONAL ÀS "7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL" - E TODOS OS MINHOTOS VÃO APOIAR!

Doçaria arcuense candidata às 7 Maravilhas Doces de Portugal®

Arcos de Valdevez levou a concurso o Bolo de Discos, os Charutos de Ovos, os Rebuçados dos Arcos e o Pão-de-ló de Soajo.

bolodiscos_001_low.jpg

Arcos de Valdevez candidatou-se às ‘7 Maravilhas Doces de Portugal’, concurso promovido pela RTP, que este ano é dedicado ao melhor que se faz na doçaria tradicional portuguesa.

Na edição das 7 Maravilhas há sete categorias em análise: Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação.

Charutos_001_low.jpg

O Bolo de Discos, os Charutos de Ovos, os Rebuçados dos Arcos e o Pão-de-ló de Soajo foram os doces típicos escolhidos para levar a concurso, tendo sido o principal objetivo desta candidatura valorizar e promover as especialidades gastronómicas locais, reforçar a identidade e o sentimento de pertença da população a esta região.

Segundo os organizadores do concurso a grande aposta deste ano é na Inovação à base de produtos endógenos, incentivando ao empreendedorismo local, sendo que a tradição, a importância económica, social e cultural dos doces são também critérios preponderantes.

Rebucados_001_low.jpg

No total foram 907 as candidaturas submetidas a nível nacional, as quais vão ser agora avaliadas pelo Conselho Científico e a lista longa será revelada brevemente. Após validadas todas as candidaturas, um Painel de Especialistas vota para escolher 21 doces de cada distrito ou região autónoma, organizados pelas 7 categorias, sendo 3 de cada categoria, num total nacional que pode atingir os 420 doces.

Depois de fixada a Lista de 21 doces por cada distrito ou região autónoma, o Painel de Especialistas faz nova votação para reduzir a lista a 7 doces por distrito ou região autónoma, chegando à lista final de 140 doces que serão posteriormente apresentados para votação pelo público.

Estes 140 doces vão ser revelados a 8 de maio e são votados pelo público em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, nos meses de julho e agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, órgão de deliberação constituído por 7 figuras do espaço mediático, que será responsável pela repescagem de 8 candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal são apurados os 7 doces, aqueles que tenham mais votos contabilizados. Nesta fase os 7 elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os Doces.

A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal®.

NOMEADO.jpg

FELGUEIRAS: PÃO DE LÓ DE MARGARIDE JÁ É UMA MARCA COLETIVA E SERÁ PRODUTO COM INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PROTEGIDA EM BREVE

Este mês de março, o Pão de Ló de Margaride passou a ser uma marca coletiva, passo inicial que irá de encontro ao objetivo final de criação da “Indicação Geográfica Protegia – IGP” do Pão de Ló de Margaride.

image003.png

O fabrico do Pão de Ló ou pão leve, em Margaride, data de há mais de três séculos. O da casa de Leonor Rosa da Silva, a casa mais antiga ainda hoje aberta, data de há um século e meio. Foi no início do século XVIII, há cerca de 300 anos atrás, que uma mulher, de nome Clara Maria, começou o fabrico deste Pão de Ló. A sua Casa, tal como hoje, encontrava-se localizada na freguesia de Margaride, no centro da atual cidade de Felgueiras, factor que deu o nome a este doce tradicional.

O registo como marca nasce da importância cultural deste doce, quer ao nível da sua história, quer pelo que representa na vida dos felgueirenses e visitantes. O Pão de Ló de Margaride constitui-se também como um elo de ligação com o estrangeiro, como forma de levar Portugal até aos emigrantes.

Trata-se de um produto regional, de produção artesanal, carregado de sabor e de história produzido no Concelho de Felgueiras, com caraterísticas únicas. A tradição e as raízes à terra e ao estrangeiro sentem-se ao longo da sua história.

O tradicional doce muito leve, redondo, com um buraco ao centro, envolvido no papel em que foi cozido e tradicionalmente partido e comido à mão constitui-se agora uma marca coletiva.

De marca coletiva a Produto Regional Certificado

O objetivo principal do processo é a criação de marca coletiva e “Indicação Geográfica Protegia – IGP” do produto, que reconheça ao Pão de Ló de Margaride e o seu caráter tradicional e genuíno, tendo em vista a comercialização do mesmo em mercados externos.

A candidatura apresentada pela Associação Empresarial de Felgueiras foi preparada ao longo de vários meses para que pudesse reunir todas as exigências que garantissem sua viabilidade, no âmbito dos fundos do Norte 2020.

O processo de certificação do Pão de Ló de Margaride, abrange todo o concelho de Felgueiras, e respeita um conjunto de normas ao nível do respeito pelo receituário tradicional, métodos de fabrico e embalagem e definição dos ingredientes, entre outros aspetos.

Este processo irá trazer um aporte às empresas do setor auxiliando-as a acelerar o processo de modernização e exportação do seu produto, iniciado há alguns anos. Do ponto de vista dos consumidores, representará uma garantia de que o produto certificado cumpre todas as exigências de fabrico e qualidade.

De acordo com a candidatura proposta pela AEF, foram desenvolvidos um estudo de caracterização do setor e o conhecimento dos mercados internacionais. Os resultados dos trabalhos desenvolvidos irão decorrer até ao final de junho em sessões publicas, na Casa das Torres. Até ao momento foram apresentados a logomarca e o estudo de mercado e do setor.

A Cooperação empresarial e ações de marketing internacionais são outras ações que compõe o plano e devem ser concretizadas ao longo dos dois anos de vigência.

A tradição no mundo online: site e redes sociais
A tradição secular associada ao Pão de Ló de Margaride aliou-se ao novo mundo moderno. A partir de agora, o melhor embaixador das terras de Felgueiras já tem um sítio na Internet.

A apresentação moderna e intuitiva permite ao utilizador conhecer o Pão de Ló de Margaride, as suas características e a história que vem a ser escrita há mais de três séculos. O utilizador poderá ficar também a par de todo o processo de certificação como produto regional, dos estudos, regulamentos e notícias.O Pão de Ló de Margaride tem presença no mundo online, apresentando um website pautado pelo respeito à tradição, mas também pela modernização que o processo de certificação lhe veio atribuir.

Com o objectivo de consolidar a presença online, o novo site está totalmente integrado com as redes sociais: Facebook eInstagram.

A presença no ciberespaço constitui-se como mais um passo na constante melhoria da comunicação com os consumidores, fornecedores, parceiros e visitantes. Agora estar ligado ao Pão de Ló de Margaride é fácil e pode ser feito através de um click.

A Associação Empresarial de Felgueiras já conta 77 anos desde a data da sua fundação. Centra as suas atividades no sector de Atividades de Organizações Económicas e Patronais, visando garantir a excelência na representação dos seus associados, servindo de interlocutor junto das instituições públicas e privadas, satisfazendo as suas necessidades, defendendo os seus interesses e promovendo a sua imagem, com serviços pautados pelo rigor e transparência.

image005.jpg

image007 (1).jpg

LOGO_PLM.png

Pão de Ló de Margaride.jpg

SITE PML.jpg