Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CASA DA JUVENTUDE DE ESPOSENDE ACOLHE EXPOSIÇÃO DE DESENHO E PINTURA DE JOVENS ARTISTAS DO CONCELHO

exposição6.jpg

“Olhos nus Olhos” é como se intitula a Exposição de Desenho e Pintura patente na Casa da Juventude de Esposende, até ao final do mês de julho.

A mostra reúne obras de diferentes estilos e técnicas, da autoria de jovens artistas do concelho que integram o atelier Oficina das Artes do Centro de Estudos Compêndio, e constitui um tributo aos 50 anos do 25 de Abril, data marcante e inolvidável para a sociedade portuguesa.

Na sessão de abertura da exposição, o Vereador da Juventude, Rui Losa, realçou o talento dos jovens artistas e agradeceu o seu contributo para a dinamização da Casa da Juventude, contribuindo para a dinâmica cultural do concelho, em articulação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.  

A sessão registou uma considerável afluência da comunidade esposendense e contou com a atuação especial do jovem músico Tomás Teixeira, constituindo uma oportunidade para apreciar o talento e a criatividade destes jovens.

A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 19h00, e ao sábado, das 9h00 às 13h00, sendo a entrada gratuita.

exposiçao1.jpg

exposiçao2.jpg

exposição3.jpg

exposiçao4.jpg

exposição5.jpg

exposição7.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE EXPOSIÇÃO DE DESENHO – INAUGURA HOJE E DECORRE ATÉ DIA 30 DE JUNHO NO PAÇO DA GIELA

O Paço de Giela associa-se, mais uma vez, às comemorações do Dia Internacional dos Museus, celebrado anualmente a 18 de maio. Este dia foi criado pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM) e procura sublinhar a importância do papel dos museus no novo paradigma de conhecimento.Para assinalar esta data, este ano vamos inaugurar uma exposição com trabalhos dos alunos do curso de Artes Visuais do Agrupamento de Emeio do desenho.

Esta exposição apresenta uma variedade de obras que abrangem técnicas proporcionando uma visão fascinante pela arte do desenho. Temos a honra de o convidar para a abertura oficial da Exposição para apreciar o talento artístico presente.

A exposição estará patente no auditório do Paço de Giela de 18 de Maio a 30 de Junho.

Público-alvo: público em geral

443713882_835417968612748_4187653844852157380_n.jpg

DEZ ALUNOS DE ESPOSENDE PREMIADOS NO IV CONCURSO DE DESENHO INFANTIL DA FUNDAÇÃO MOA

IMG_20240510_191001.jpg

Dez alunos do concelho de Esposende foram distinguidos no IV Concurso de Desenho Infantil de Esposende da Fundação MOA. A sessão de entrega dos prémios decorreu no passado dia 10 de maio, no Auditório da Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, em Esposende.

O concurso é promovido pela Fundação MOA de Portugal, com a colaboração da Saúde Escolar da UCC ConVidaSaúde/ACES Cávado III Barcelos/Esposende, do Município de Esposende e da Esposende Ambiente, e tem como principal propósito contribuir para a promoção da Educação Artística, um dos pilares de trabalho do Departamento de Arte e Cultura da Fundação MOA. Ao associarem-se a esta iniciativa, o Município e a Esposende Ambiente estão a contribuir para o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

Estiveram a concurso 211 obras de alunos que, no último ano letivo, frequentaram o 4.º ano de escolaridade, nomeadamente das Escolas Básicas de Apúlia, Goios, Pinhote, Curvos, Fão, Fonte Boa, Rio Tinto, Facho, Vila Chã, Criaz, Barral, Mar e Esposende.

A avaliação dos trabalhos esteve a cargo de um júri composto por representantes da Fundação MOA, da UCC ComVidaSaúde/ACES Cávado III Barcelos/Esposende, do Município de Esposende, da Esposende Ambiente e de um artista mestre em ilustração, tendo sido premiados os três melhores trabalhos e atribuídas sete menções honrosas. Os três primeiros classificados receberam um cheque-oferta no valor de 75, 50 e 30 euros, respetivamente, e os alunos distinguidos foram agraciados com prémios de participação.

Assim, com o tema “O vício da internet”, Luna Gonçalves Santos, da EB do Barral, foi a grande vencedora. Em segundo lugar ficou Olívia Pinto Miranda, da EB de Esposende, com o trabalho “Nós e a Natureza”, e a terceira classificada foi Francisca Braga Costa, também da EB do Barral, com o tema “Monstros do Bullying”. Quanto às menções honrosas, as alunas distinguidas foram Jasmim Linhares Alves dos Santos Moura (EB de Apúlia), Ilinca Boaventura (EB de Vila Chã), Jasmim Dias Marques de Lima (EB de Fão), Valentina Costa Arantes (EB do Barral), Francisca Venda Lima (EB de Esposende), Luísa Domingues Martins Fonseca (EB de Esposende) e Camila Musat Matos (EB do Barral).

Na sessão foi dada a conhecer a Fundação MOA e os seus princípios basilares, e apresentados alguns dos projetos em curso, havendo ainda lugar à realização de um origami, uma tradição cultural japonesa. A entrega dos prémios esteve a cargo de Tatsuya Kanda, da Fundação MOA Portugal, da Vereadora da Educação e Cultura do Município de Esposende, Alexandra Roeger, do Presidente do Conselho de Administração da Esposende Ambiente, Paulo Marques, e da enfermeira da UCC ConVida Saúde Leonor Rosa. Para além dos alunos e respetivos pais, a sessão contou também com a participação dos professores que dinamizaram este concurso junto das suas turmas.

1.º prémio.jpg

2.º prémio.jpg

3.º prémio.jpg

IMG_20240510_184210.jpg

PONTE DA BARCA INAUGURA EXPOSIÇÃO “DESENHAR A MOEDA”

Está patente no edifício dos Paços do Concelho a exposição “Desenhar a Moeda”, dinamizada pela Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM), em parceria com a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho).

O vencedor do concurso foi António Pires de Oliveira Parente Cerqueira, aluno do 5º ano da Escola Básica Diogo Bernardes, do Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca, que em 2024 verá a sua moeda em circulação.

A exposição pode ser visitada até ao dia 13 de dezembro.

401388261_328400036606051_5163066096419088112_n.jpg

401546013_328400013272720_301239318007497227_n.jpg

401610492_328399886606066_8679206109032252542_n.jpg

401759427_328399949939393_6781084212378620497_n.jpg

401773271_328399976606057_5040392254506162890_n.jpg

401777360_328399899939398_3953879864802258617_n.jpg

402655401_328399876606067_1709099151949571292_n.jpg

PINTOR DAVID SILVA EXPÕE EM MONÇÃO

Exposição de desenho e pintura de David Silva intitulada Artes em desenhos realistas na Sala de Exposições Temporárias da CMM/UMinho

A Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção / Universidade do Minho, acolhe até 31 de maio a exposição de desenho e pintura de David Silva intitulada Artes em desenhos realistas.

Sinopse:

«A ideia é desenhar atrizes, atores, crianças, animais, paisagens, desenhos de Monção, lugares etc. Apresentar de uma forma objetiva esses desenhos uma identidade do realismo que poucas pessoas viram e assim permitir a elas mergulharem nos detalhes de cada processo construído sem contar que durante a exposição pretendo estar também desenhando um novo trabalho e terminando o mesmo durante a exposição».

Não perca!!! Visite-nos......

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção / Universidade do Minho:

De terça a sexta feira: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00;

sábado das 14h00 às 19h00;

domingo e segunda feira: encerrada 

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

david silva 2.jpg

BRAGA: SEMANA SANTA EM MEADOS DO SÉCULO XX

Capturarbrapasc1.JPG

Esboço a lápis representando a festa mais característica do Minho, a Semana Santa em Braga (Abril), pertencente a um conjunto de desenhos alusivos às ex-províncias de Portugal e suas capitais de Distrito, para ilustrar o calendário anual da Empresa do Bolhão. Idealizado por António Cruz Caldas, enquanto empregado, litógrafo maquetista, na empresa.

Fonte: Arquivo Municipal do Porto

MUTES FAZ CAPA DO LIVRO DE POESIA DE CARINA FLOR ARAÚJO

Carina Flor Pereira Fontes Araújo, nasceu a 20 de agosto de 1980. Nasceu na Póvoa de Varzim, mas residiu sempre no concelho de Vizela. A poesia faz parte da sua vida desde tenra idade. Desde muito cedo, para compensar o seu perfil introvertido e reservado, Carina Flor tem vindo a expressar o seu EU através da escrita, nomeadamente através da poesia, por ser o “idioma do seu pensamento”.

Mutes e Carina conheceram-se durante o ano de 2012, numa exposição de pintura com poesia, na fundação Jorge Antunes em Vizela. O gosto pela poesia e pintura sempre esteve presente em cada um deles, e desta amizade e admiração pelo trabalho de parte a parte, surgiu o convite para a realização da capa deste livro de poesia.MEDULA, o mais recente livro de poesia, uma edição bilingue - português/inglês  editado pela Artelogy.

Este é um livro que integra poemas escritos ao longo de anos de introspeção, que convidam o leitor em embarcar numa viagem para dentro, em direção àquilo que há de mais primitivo em nós.

bbbbb (5).jpg

BRAGA AFIRMA-SE COMO CIDADE DA ILUSTRAÇÃO E DA CRIATIVIDADE

“Braga em Risco” decorre até 18 de Novembro em vários espaços da Cidade

Até ao próximo dia 18 de Novembro, a Cidade de Braga celebra a ilustração, o livro e a literatura com mais uma edição do Braga em Risco – Encontro de Ilustração de Braga.

CMB05112022SERGIOFREITAS00021513812656 (7).jpg

Mais de 70 artistas nacionais e internacionais, mais de 80 oficinas de ilustração e 20 exposições individuais e colectivas integram o programa desta 6.ª edição que, este ano, celebra também o centenário de Maria Ondina Braga e de José Saramago.

Do circuito inaugural, realizado este Sábado, 5 de Novembro, destaque para a abertura da exposição colectiva “Braga 22x22 – Ondina Ilustrada”, patente ao público na Casa dos Crivos. A mostra é composta por 22 trabalhos que se desdobram em 22 narrativas visuais para mostrar a autora Bracarense de forma inédita, a partir do livro “O jantar chinês e outros contos”.

Na abertura do Braga em Risco, o vereador Altino Bessa lembrou que o Braga em Risco tem vindo a conquistar espaço e protagonismo a nível nacional, promovendo não só a ilustração para a infância, como também a literatura infantil. “Em seis anos, Braga afirmou-se como cidade de ilustração e criatividade”, frisou Altino Bessa.

Já Pedro Seromenho, curador do Braga em Risco, lembrou que Braga vau viver 14 dias dedicados à arte e à cultura, com actividades que desafiam o público a dar asas à criatividade e imaginação, e onde as letras, cores e riscos ganham espaço, cativam, reflectem sentimentos, emoções e sensações. Seromenho salientou ainda que a mais-valia deste encontro é “trazer a ilustração e o livro para a rua e fazer com que ambos façam parte da nossa vida”.

14 dias dedicados à Ilustração

Nos próximos 14 dias, a Galeria e o Largo do Paço, a Praça – Mercado Municipal de Braga, o Museu da Imagem, a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva e a livraria Centésima Página acolhem também diversas actividades artísticas, nomeadamente exposições, oficinas do risco, workshops, masterclasses, apresentações de livros, cinema de animação, performances, visitas guiadas e concertos.

A presente edição do Braga em Risco apresenta-se como a mais internacional de sempre, registando a participação de um leque alargado de ilustradores estrangeiros, dos quais se destacam Joanna Concejo (Polónia), Nathalie Minne (França), Marina Gibert (Espanha), Alexandre Rampazo (Brasil) e Nastya Varlamova (Rússia).

O evento reforça também a proximidade com a Galiza através da exposição colectiva De Braga a Corunha num Risco”, que junta os curadores Manel Craneo, Marta Madureira e Pedro Seromenho. O objectivo desta mostra é aproximar as regiões vizinhas do Minho e da Galiza, com as suas semelhanças e diferenças, através da imagem.

À semelhança de edições anteriores, o evento inclui a realização dos Mercados de Arte. Este na, o programa prevê quatro mercados a decorrer nos dois Sábados e Domingos do Braga em Risco. Esta é uma oportunidade para artistas e público em geral partilharem e darem a conhecer os seus trabalhos.

Ainda antes da abertura oficial, o Braga em Risco esteve nas escolas do Concelho, através da dinamização de oficinas e residências artísticas que envolveram a comunidade educativa. O pré-evento contou ainda com as "Ruas do Risco", uma iniciativa através da qual diversos ilustradores percorreram o Centro Histórico da Cidade, estimulando o gosto pela ilustração e o envolvimento de todos - comércio, famílias e crianças - no processo criativo.

De referir que todas as actividades têm entrada livre, mas sujeitas à ordem de chegada e à lotação dos espaços em que se realizam.

Música indie encerra o evento

Este ano, o Braga em Risco inclui o INDIEGESTO, um ciclo de quatro concertos inteiramente dedicados ao melhor da música indie portuguesa. Agendados para os dias 11 e 12 de Novembro, os concertos terão lugar no Auditório S. Frutuoso, na Rua Afonso Henriques.

Luca Argel, André Júlio Turquesa, Aníbal Zola e Arianna Cassellas Y Kauê são os nomes que preenchem o cartaz. Esta iniciativa, que conta com o apoio do Município de Braga e do Seminário de S. Pedro e S. Paulo, marca o início da temporada 2022/2023 da Plataforma Pandemónio, uma comunidade artística bracarense que conta com mais de 50 associados e uma centena de artistas envolvidos. Todos os concertos são de entrada livre, mas sujeita a inscrição prévia através da plataforma EventBrite.

A programação do Braga em Risco está disponível em https://bragaemrisco.pt

CMB05112022SERGIOFREITAS00021513812658.jpg

CMB05112022SERGIOFREITAS00021513812684.jpg

CMB05112022SERGIOFREITAS00021513812661 (1).jpg

CMB05112022SERGIOFREITAS00021513812683 (3).jpg

CMB05112022SERGIOFREITAS00021513812691 (3).jpg

CIRCUITO INAUGURAL DA 6ª EDIÇÃO DO BRAGA EM RISCO 2022 REALIZA-SE AMANHÃ

Amanhã, Sábado, 5 de Novembro, pelas 10h30, na Praça - Mercado Municipal de Braga

O Município de Braga promove o circuito inaugural da 6.ª edição do Braga em Risco – Encontro de Ilustração de Braga, que terá lugar amanhã, Sábado, 5 de Novembro, a partir das 10h30, na Praça - Mercado Municipal de Braga.

A iniciativa contará com a presença do vereador Altino Bessa e do curador do evento, Pedro Seromenho.

O circuito inaugural terá o seguinte programa:

  • 10h30 | Praça - Mercado Municipal de Braga
  • 11h00 | Casa dos Crivos
  • 11h30 | Galeria do Paço - Largo do Paço
  • 12h00 | Museu da Imagem

Braga em Risco – Encontro de Ilustração de Braga é um evento organizado pelo Município de Braga, com produção da “Leituras Encenadas”. A iniciativa decorre até 18 de Novembro e assinala este ano os centenários de Maria Ondina Braga e José Saramago.

O programa completo está disponível através do link: https://bit.ly/3SVY0rb

MUNICÍPIO DE BRAGA APRESENTA 6ª EDIÇÃO DO BRAGA EM RISCO – ENCONTRO DE ILUSTRAÇÃO

O Município de Braga promove a apresentação da 6.ª edição do Braga em Risco – Encontro de Ilustração, que terá lugar na próxima Segunda-feira, 24 de Outubro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Braga.

A iniciativa contará com as presenças de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, de Pedro Seromenho, curador do evento, e de Joana Aguiar, vice-reitora da Universidade do Minho.

O Braga em Risco – Encontro de Ilustração irá decorrer entre os dias 5 e 18 de Novembro. Este é um evento organizado pelo Município de Braga que celebra a ilustração, o livro e a literatura infanto-juvenil e que irá contar com vai contar com mais de 70 artistas e 80 oficinas de ilustração.

REDE EUROPEIA DE CELEBRAÇÕES DA SEMANA SANTA E DA PÁSCOA ORGANIZA CONCURSO DE DESENHO INFANTIL DA RECESSAP

A Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e da Páscoa, por ocasião da celebração do Primeiro Dia da Rede Europeia de Celebrações da Semana Santa e da Páscoa, que se celebra a 1 e 2 de outubro deste ano, organiza um Concurso de Desenho infantil para valorizar as celebrações da Semana Santa e da Páscoa. Desta forma, quer dar a conhecer através deste concurso a forma como vivem este festival as crianças de diferentes partes da Europa, bem como as semelhanças e particularidades destas tradições em cada um dos seus lugares e países.

O regulamento está disponível no site oficial da Rede e também em www.semanasantabraga.com.

Apela-se à participação, individual ou coletiva, de todas as crianças e jovens das escolas da região.

concurso infantil de dibujo.jpeg

XADREZ VAI VOLTAR A SER REI EM PERRE

A Associação de Xadrez do Distrito de Braga (AXDB) voltou a escolher Viana do Castelo para acolher as mais importantes provas distritais de xadrez nos ritmos mais rápidos da modalidade. Os quatro eventos organizados pela AXDB, em parceria com a Academia de Xadrez da ADC Perre, irão decorrer na antiga Escola do Calvário, em Perre, a  17 e 18 de setembro.

17-18 de setembro de 2022 PerRE-Viana do Castelo -fb.jpg

As provas a disputar por jogadores de todas as idades farão com que aproximadamente 200 dos melhores jogadores federados pelos clubes minhotos rumem a Perre para definir os campeões distritais da presente época. Assim, no sábado, dia 17, discutir-se-ão os títulos coletivos e no domingo, dia 18, os títulos individuais.

Podem participar nas provas todos os jogadores federados na Federação Portuguesa de Xadrez, através de clubes pertencentes à área territorial da AXDB, na época 2021-22. As inscrições deverão ser efetuadas pelos clubes até dia 15 de setembro. A Academia de Xadrez da ADC Perre disponibilizará em www.jogaconosco.blogspot.com os regulamentos integrais das quatro provas.

Para a Academia de Xadrez da ADC Perre a organização da prova é um justo prémio pelo trabalho que vem desenvolvendo em prol da modalidade e que lhe permite contar já com cerca de 50 jogadores, maioritariamente jovens, nas suas fileiras. Será também a oportunidade para voltar a testar as capacidades de organização em ordem a preparar os eventos nacionais que, conjuntamente com a Federação Portuguesa de Xadrez e o Município de Viana do Castelo, deverá  realizar em Viana do Castelo no próximo ano.

BANDA DESENHADA “O REINO DO ALVARINHO” APRESENTADA NA FNAC DO BRAGA PARQUE

Lançado o primeiro volume de um conjunto de três que, através de histórias ilustradas, convidam à descoberta desta casta elegante e singular e do território que lhe confere alma e corpo.

fnac.jpg

A Câmara Municipal de Monção, representada pelos vereadores Agostinho Correia e Daniela Fernandes, e a agência de comunicação Marka Branka, com Márcio da Rocha, Fábio Alves e Rafael Pereira, apresentaram, no passado domingo, ao final da tarde, na Loja FNAC do Braga Parque, a banda desenhada “O Reino do Alvarinho”.

Lançada em parceria com a Editora Zero a Oito, a banda desenhada é dedicada à promoção e valorização da Feira do Alvarinho de Monção, com regresso marcado para o próximo fim de semana, 1, 2 e 3 de julho, bem como, às restantes maravilhas que fazem parte deste território fascinante e lendário.

São três volumes que, através de histórias ilustradas, pretendem incentivar o gosto pela leitura, promover os valores que nos distinguem, alargar o conhecimento da nossa identidade cultural e convidar à descoberta da nossa região. De momento, foi lançado o volume 1 “A Origem”.

A apresentação da banda desenhada foi complementada com a exposição da coleção exclusiva de peluches, tendo os presentes, em particular as crianças, evidenciado interesse e curiosidade com o Coquinhas, Capitão Lampreia, Dona Rosca, João da Raya e “A Maravilha”.

O périplo pelas FNAC’s do país, para apresentar “O Reino do Alvarinho”, vai continuar, sendo as novas datas e locais comunicados brevemente. Refira-se ainda que, na edição deste ano da Feira do Alvarinho, haverá uma Loja Oficial, onde poderá ser adquirida uma vasta gama de merchandising.

A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA RETRATADA NA BANDA DESENHADA

  • Crónica de Daniel Bastos

A banda desenhada, um género literário em franco crescimento que assenta numa sequência de imagens (desenhadas e/ou pintadas) que narram uma história, podendo incluir ou não texto (legendas, diálogos ou pensamentos), começa a direcionar através dos seus autores e protagonistas a sua atenção para a temática da emigração portuguesa.

Um desses exemplos paradigmáticos é a banda desenhada Maria e Salazar, que retrata a história da emigração portuguesa para França. O livro foi lançado, no território gaulês em 2017, pelo autor francês Robin Walter, que desenvolveu a banda desenhada Maria et Salazar a partir do contacto com Maria, uma emigrante lusa que chegou a Paris em 1972, e que trabalhou como empregada doméstica na casa dos seus pais durante 30 anos.

O livro biográfico e autobiográfico foi editado no ano seguinte em português, tendo Robin Walter, que nesse ano participou no Amadora BD, um dos maiores eventos nacionais dedicados à banda desenhada, afirmado publicamente que a obra foi muito bem recebida “pela comunidade portuguesa em França. Muitas pessoas ficaram emocionadas e disseram-me que era a história dos seus pais e avós. Agora, quero continuar a transmitir esta história franco-portuguesa sobre estes portugueses um pouco nómadas que estão entre dois países”.

Esta história franco-portuguesa tinha sido já no início da década de 2010 abordada pelo desenhador francês lusodescendente, Cyril Pedrosa, no livro de banda desenhada Portugal. Misturando a ficção com alguns elementos autobiográficos, o autor nascido em 1972, em Poitiers, oriundo de uma família da Figueira da Foz que emigrou nos anos 30 para França, retrata em Portugal a história de um lusodescendente francês sem contacto com o país dos seus antepassados e que resolve tentar saber mais sobre as suas origens.

Nessa época, e no âmbito da sua participação no Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora, Cyril Pedrosa precisou que aborda no livro “um Portugal imaginário, quer dizer, aquele que eu conheço e que não é o verdadeiro Portugal. É um Portugal “emocional”, o das sensações e da afeição que tenho por esse país, por esse povo, por essa língua. Sei perfeitamente que não conheço a realidade do país, para isso teria que viver nele. Mas conheço a beleza da sua língua, a generosidade dos portugueses e também conheço bastante bem a região de onde são originários os meus avós, uma pequena aldeia perto da Figueira da Foz (chamada Marinha da Costa, onde decorre a última parte do livro)”.