Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

WISH AND COOK: UM EXEMPLO DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO E CRIATIVO

Wish and Cook

A Wish and Cook foi uma das iniciativas apoiadas pelo projeto Creative Village, tendo o apoio versado essencialmente o marketing criativo.

final+logo (1).jpg

Aquela iniciativa está a ser dinamizada por cinco Jovens: Diana Carvalho (Engenheira Física, 24 anos), Mariana Batalha (Engenheira Biomédica, 24 anos), Filipa Fernandes (Engenheira Biomédica, 24 anos), Mariana Costa (Designer, 24 anos) e Ana Sofia Freitas (Nutricionista, 25 anos).

O objetivo da Wish and Cook é lançar, muito em breve, um website inovador dedicado à culinária e atividades relacionadas. A Wish and Cook “propõe revolucionar a forma como é realizada a procura e obtenção de informação sobre receitas, oferecendo uma nova tecnologia e uma forma  diferente de entender a culinária”, referiu Diana Carvalho, responsável pela Wish and Cook.

Atualmente a procura da receita perfeita pode-se tornar demorada e 
aborrecida por dificuldade de incluir apenas ingredientes disponíveis 
em casa e corresponder a necessidades e restrições alimentares.

Com o website da Wish and Cook, um utilizador consegue encontrar muito 
rapidamente uma receita próxima da que deseja e em poucos segundos 
consegue personalizá-la para que vá ao encontro das suas necessidades. 
Com a nossa tecnologia, o utilizador pode trocar, adicionar ou remover 
ingredientes da receita. A
Wish and Cook desenvolveu algoritmos 
computacionais que compreendem milhares de receitas, o que permitem 
oferecer soluções inteligentes
”, terminou Diana Carvalho.

A Wish and Cook prevê o lançamento do seu website em Dezembro de 2019.

ESTE PERNIL DE PORCO CHEGA SEMPRE AO SEU DESTINO

A chef Paula Peliteiro, do restaurante Sra. Peliteiro, em Esposende, despede-se em grande, com uma receita deliciosa de pernil fumado e puré de castanhas que vamos mesmo querer reproduzir em casa. E este chega mesmo ao seu destino, ao contrário do que aconteceu na Venezuela.

13221015_10206712918202142_6858369347028820527_n

Receita: Pernil fumado no forno com puré de castanhas (2 pessoas)

Ingredientes para o pernil:

1 pernil de porco fumado (1 kg)

Ramo de tomilho

Ramo de funcho

Ramo de salsa

Ramo de alecrim

2 malaguetas

Sementes de funcho q.b.

Pimenta preta moída na hora q.b.

Ingredientes para levar com o pernil ao forno:

6 batatinhas cozidas

6 chalotas cozidas

Dentes de alho amassados q.b.

Folhas de louro q.b.

Ramos de tomilho fresco q.b.

Sementes de funcho q.b.

Pedras de sal marinho

Azeite virgem extra q.b.

6 cenouras baby cozinhadas al dente em água

6 couve pak choi cozinhadas al dente em água

Preparação:

Coloque o pernil coberto com água numa panela e adicione as ervas aromáticas e as especiarias.

Leve ao fogo e deixe cozinhar cerca de 1 hora até que sinta a carne macia.

Retire o pernil e descarte o caldo. Num prato de barro, coloque o pernil, regue com um fio de azeite, ramos de tomilho e sementes de funcho. Adicione batatinhas, chalotas, dentes de alho, folhas de louro e regue com uns fios de azeite. Salpique com pedras de sal e leve ao forno a dourar.

Acompanhe com cenouras baby e couve pak choi cozinhadas al dente em água.

Ingredientes puré de castanhas:

500 g de castanhas cozidas

100 ml natas

1 colher de sopa de manteiga

Sal q.b.

Noz moscada q.b.

Preparação:

Triture todos os ingredientes e leve ao lume numa panela para finalizar o tempero e consistência.

transferir

O bom fumeiro dura o ano inteiro

O processo tradicional de fumar carnes e enchidos é longo, exige espaço e paciência. Feito segundo os costumes mais antigos, ganha sabores e cheiros inesquecíveis das brasas e lume que lentamente os curaram. Curar significa aqui transformar lentamente, impregnando interstícios e partes sólidas com o fumo produzido por madeiras, carvões e plantas selecionados.

O pernil de porco, peça saborosa que corresponde, por assim dizer, à canela do animal, traz consigo matéria gorda, pele e carne numa combinação que se presta particularmente ao fumeiro. É por isso que faz parte do almoço de Natal em muitas regiões do país, quando não é mesmo o prato principal que encerra a quadra à mesa. É totalmente autossuficiente no fumeiro, basta ser bem feito para extrair o melhor sabor. É esta mesma peça a que depois de salgada, cozida e desossada chamamos fiambre da perna ou da pá, esta sim, parte fundamental da ceia de Natal em muitos países. Hoje encontramos facilmente pernil assado como produto dito de quinta gama, que quer dizer embalado e pronto a utilizar.

A chef Paula Peliteiro faz-nos uma proposta culinária que recupera também o que era o conduto mais utilizado em Portugal, a castanha, de que ficou o sabor que português algum dispensa. Mais um prato de que disponibiliza a receita e que é simples de executar. Boas experiências!

Fonte: Chef Paula Peliteiro- Restaurante Sra Peliteiro- Esposende / https://www.evasoes.pt/

20171127-Chef-Paula-Peliteiro-JS-5658_resultado-960x640_c

MORREU O CHEFE SILVA – MINHOTO, NATURAL DE AMARES, UM DOS MAIS AFAMADOS MESTRES DE COZINHA EM PORTUGAL

O mais conhecido cozinheiro televisivo, Chefe Silva, morreu hoje aos 81 anos, avança a Antena 1.

António da Silva, o conhecido chefe de cozinha tornou-se mediático com a revista Teleculinária, da qual foi o fundador, e também pelos inúmeros programas televisivos em que participou na RTP.

Oriundo da Vila Termal de Caldelas, no concelho de Amares, mudou-se para Lisboa aos 18 anos onde trabalhou no atual Turim Suisso Atlântico Hotel e, depois, no Hotel Império.

Com 24 anos, viajou até Maputo onde se tornou chefe de cozinha do Hotel Girassol, do Hotel Xai-Xai e do restaurante do aeroporto local. De regresso a Lisboa, trabalhou no Hotel Avenida Palace e deu aulas na Obra das Mães e no Instituto Culinária Margarina Vaqueiro.

Após ter terminado o curso na Escola de Hotelaria de Lisboa com distinção, foi chefe do Grill do Hotel Altis e depois diretor de Produção da Eurest Portugal. Mais tarde inaugurou o restaurante Super Chefe, em Lisboa.

Em 1975 estreou-se na RTP. No seu programa de culinária, apresentava as receitas da revista Teleculinária, onde ocupou a posição de diretor técnico durante 30 anos.

Foi autor de diversos livros de culinária e agraciado com vários prémios e medalhas. Foi membro honorário de diversas confrarias gastronómicas nacionais e internacionais e fundador e presidente da Associação de Cozinheiros e Pasteleiros de Portugal. Foi também membro honorário da Academia do Bacalhau em Nova Jérsia.

Em 2004, foi homenageado pela Câmara Municipal de Amares com o descerramento de uma placa toponímica com o seu nome na Vila de Caldelas, sua terra natal.

A causa da morte ainda não é conhecida. A cerimonia fúnebre está marcada para as 17:30 de quinta-feira, na Igreja paroquial de Santiago de Caldelas.

Fonte: RTP1

VIANENSE VALTER AZEVEDO APRESENTA “DIÁRIO DE COZINHA” NO MUSEU BORDALO PINHEIRO EM LISBOA

Valter Cruz Azevedo apresenta o seu livro “Diário de Cozinha” no Museu Bordalo Pinheiro, amanhã, às 16 horas. Esta apresentação insere-se na exposição “Bordalo à Mesa” e Valter Azevedo fará um swow cooking sobre sorvete de limão.

Valter Cruz é natural de Carreço, em Viana do Castelo e, como ele próprio afirma, no campo da gastronomia é um admirador confesso do chef Avillez, apreciando todos os seus livros e programas de culinária.

PONTE DE LIMA RECEBE DELEGADOS AO CONGRESSO MUNDIAL DE TURISMO DE CULINÁRIA

A riqueza gastronómica de Ponte de Lima é mais uma vez reconhecida ao integrar uma visita guiada de um grupo de quatro congressistas internacionais, que estão em Portugal para participar no Congresso Mundial de Turismo de Culinária, a decorrer no Estoril, de 8 a 11 de abril.

IMG_4405

Trata-se de um grupo heterogéneo, de Australianos e Franceses que inclui jornalistas, bloggers, a Masterchef Austrália, Christina Batista, e um agente no sector do Turismo.

Numa parceria estabelecida entre o Município de Ponte de Lima, o Turismo Porto e Norte e a APTECE - Associação Portuguesa de Turismo de Culinária e Economia, o périplo pela Vila Mais Antiga de Portugal, teve como objetivo envolver os participantes em experiências gastronómicas, com visitas a produtores de produtos endógenos típicos do concelho, como os fumados e o afamado Vinho Verde.

IMG_4401

Proporcionar-lhes uma visita única contribuindo para reforçar a ideia de um Portugal gastronomicamente rico foi o lema desta iniciativa que permitiu ao grupo adquirir saberes e sabores da nossa gastronomia, nas tradicionais tabernas e restaurantes do concelho, conferindo o título de um dos melhores Destinos Gastronómicos de Portugal.

Considerando que são líderes de opinião, a visita incluiu ainda uma passagem pelos nossos Museus, Terceiros e do Brinquedo, pelo futuro Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, a Área Protegida das Lagoas e pelo complexo de Golfe.

IMG_4399

PÓVOA DE LANHOSO RECEBE JORNADAS TÉCNICAS DE PLANTAS AROMÁTICAS & MEDICINAIS

No próximo dia 3 de novembro, a Póvoa de Lanhoso recebe as I Jornadas Técnicas subordinadas ao tema das “Plantas Aromáticas & Medicinais” (PAM). Esta iniciativa é promovida pela ATAHCA em colaboração com a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.

APRESENTACAO JORNADAS

Durante as referidas Jornadas, haverá especialistas que irão abordar assuntos como Produção/Transformação, Certificação/Investigação, Comercialização e Apoios Financeiros / Proder. Para além da troca de ideias, esta iniciativa vai permitir ainda que as pessoas que participarem percebam a utilidade que as PAM podem ter no nosso dia-a-dia e experimentem algumas iguarias culinárias, que se servem de plantas aromáticas e medicinais, através de um almoço volante, de um showcook, a que o Hotel Rural Maria da Fonte se associa, mostrando como é que estas plantas podem ser utilizadas na gastronomia. A inscrição é gratuita, mas obrigatória.

“Ao nível da Câmara Municipal, é com muita satisfação que vemos a realização destas jornadas técnicas aqui no concelho, até porque acreditamos que é uma fileira que está em expansão e que pode ser também uma oportunidade de dinamizar a microeconomia através deste produto associada à estratégia que a Câmara tem desenvolvido de apoio à agricultura e aos jovens agricultores”, referiu a Vereadora da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Fátima Moreira, na apresentação do evento.

Aquela responsável salientou todo o trabalho que já vem sendo feito, referindo que a Câmara Municipal tem encetado estratégias que visam apoiar e dinamizar social e economicamente o concelho, ancoradas nesta dinâmica associada à agricultura. “São bons exemplos disso a bolsa de terras, o recente projeto aqui instalado, o Prove, que visa associar pequenos agricultores num produto comum, que são os cabazes, que são distribuídos depois semanalmente aos consumidores, e são também exemplos disso o próprio apoio técnico que a Câmara tem dado aos agricultores e aos potenciais empreendedores nestas áreas ao nível agrícola e também o trabalho que faz com a ATAHCA ao nível dos incentivos de que esta dispõe no âmbito dos apoios comunitários”, considerou. Sensibilizar e informar é o que se pretende e, por isso, estão convidados técnicos especialistas em cada uma das áreas, pessoas com experiência técnica e cientifica e com experiência também já do saber fazer.

A ideia de que a aposta na agricultura pode ser uma possibilidade dada a conjuntura atual foi também uma das mensagens transmitidas. “Estamos a atravessar um período complexo, é verdade que há uma necessidade de fixar a população, há uma necessidade cada vez maior de estimular o emprego e também de criar forma de dinamizar os nossos produtos e parece-nos que estas jornadas vão ao encontro destes objetivos”, salientou. “Acreditamos que podemos mostrar o potencial que esta fileira tem nas suas aplicações, pois as plantas aromáticas e medicinais têm usos diversos tanto ao nível agroalimentar como ao nível farmacêutico ou mesmo ao nível da cosmética. É uma fileira que tem estas possibilidades de escoamento, mas também percebemos que há necessidade de reorganizar esta fileira, de trabalharmos com várias instituições e organismos científicos, que têm outros conhecimentos, e é isso que vamos tentar fazer nestas jornadas: trazer ao debate e à reflexão o estado das plantas aromáticas e medicinais no território nacional, trazer especialistas que têm estudos científicos nesta área, trazer também empresários que já estão e que tem o seu produto organizado e que podem ser bons exemplos e depois refletirmos também como é que isso, ao nível local, pode trazer riqueza, possibilidade de criação de emprego e ocupação do território agrícola”, explicou Fátima Moreira.

Território tem potencial.

O Presidente da ATAHCA, Mota Alves, considerou que o território tem potencial ao nível das PAM, mas que falta organização em termos de produção e de transformação. A este respeito, revelou ainda que esta situação pode levar à apresentação de projetos nesta área e que a Póvoa de Lanhoso tem dois jovens interessados em apresentar projetos para a plantação de plantas aromáticas e medicinais e condimentares e para uma unidade de transformação. “Será o primeiro projeto da região norte com uma unidade de transformação do género e será talvez a maior área de plantação existente na região norte. Eu espero que os dois projetos possam ser aprovados num espaço de tempo curto de maneira a que possamos ter também aqui o melhor exemplo do que se pode fazer nesta área e como se podem cativar jovens e jovens licenciados para investir na área agrícola”, referiu.

Para Mota Alves, é importante pensar a defesa e a proteção das ervas aromáticas e a certificação. “A Câmara da Póvoa de Lanhoso tem-se preocupado com a agricultura e produção em modo biológico. Quando falamos nas ervas, pensamos sempre na produção em modo biológico, por isso, a certificação das ervas em modo biológico poderá por si ser uma razão para a certificação. Para além disso, temos na nossa região algumas espécies que têm origem na sua própria região”, considerou. “Queremos que esta região seja uma referência a nível nacional. Se tivermos a Póvoa de Lanhoso como uma região de emparcelamento das ervas aromáticas, condimentares e medicinais, temos, se calhar, aqui o primeiro exemplo a nível nacional, talvez um dos raros a nível europeu, e penso que é destes projetos inovadores que o país neste momento precisa e que a Europa deve apoiar”, destacou ainda, referindo: “Com projetos inovadores conseguiremos cativar jovens, jovens com formação superior, ter as terras cultivadas, ter uma paisagem tratada, atrair turistas e criar duas coisas importantes para estes territórios: fixar pessoas e criar riqueza. Com isso, temos aqui uma combinação completa para podermos dizer que temos um concelho de sucesso, que conseguiu atingir também um dos seus objetivos que é conseguir um concelho de referência a nível nacional, pela fixação das pessoas e pelas pessoas se sentirem bem onde vivem”.

Inscrições e informações: altocavado@mail.telepac.pt. Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar / 911193354 e gabio@mun-planhoso.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar / 927528832