Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRENSES DEBATEM "MARKETING DOS MUSEUS E ARTES CRIATIVAS CONTEMPORÂNEAS"

Workshop ‘Marketing dos Museus e Artes Criativas Contemporâneas’ realizou-se no Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe

Realizou-se ontem, dia 17 de maio, no Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe do Museu das Terras de Basto, o Workshop ‘Marketing dos Museus e Artes Criativas Contemporâneas’ que contou com a participação dos especialistas Adriana Henriques e Jorge Lira. Este evento inseriu-se no programa cultural ‘Mosteiro de Emoções’ que, até julho, oferece iniciativas desenvolvidas em três eixos temáticos: Cultura/Artes Performativas, Gastronomia/Sabores e Saúde e Bem-Estar com o objetivo de promover o património material e imaterial de Cabeceiras de Basto.

Workshop ‘Marketing dos Museus e Artes Criativas Contemporâneas’.JPG

Coube à vereadora da Cultura, Dra. Carla Lousada, dar as boas-vindas a todos os presentes e apresentar os oradores convidados deste workshop que assinalou também o Dia Internacional dos Museus que se celebra oficialmente hoje.

Durante a iniciativa, a artista plástica Adriana Henriques, Licenciada em Artes/Desenho e Curadora de diversos espaços de arte e exposições, apresentou o tema ‘O papel da Curadoria na relação com os públicos’, enquanto Jorge Lira, arquiteto e coordenador do projeto ‘Gaita de Foles Mirandesa – Reconhecimento e Padronização’, fez ‘A ponte entre a tradição e a arte contemporânea através dos instrumentos musicais - o caso da Gaita de Foles’.

No final, Jorge Lira brindou os presentes com um momento musical, ao som da gaita de foles.

Sobre os oradores:

  • ADRIANA HENRIQUES

Nasceu em Salamonde, no concelho de Vieira do Minho, em 1978. Concluiu o Curso Superior de Pintura, em 2006, e a Licenciatura em Artes/Desenho, em 2009, ambos frequentados na Escola Superior Artística do Porto (ESAP), extensão de Guimarães. Paralelamente à sua formação académica, participou ainda em vários cursos e encontros ministrados no âmbito das artes. Promoveu e participou em inúmeras exposições individuais e coletivas, tendo sido curadora de várias exposições de arte contemporânea.

Atualmente desenvolve projetos pedagógicos em instituições culturais como curadora, professora e orienta programas para crianças e jovens no campo das artes visuais.

  • JORGE LIRA

Nascido em 1967, na Cidade do Porto, é Arquiteto pela Universidade do Porto, (1985/1992). Dedica-se à Arquitetura como profissão mas também à Música e sobretudo à música Tradicional, bem como à investigação e recuperação de instrumentos históricos, nomeadamente, gaitas de fole.

Promotor e Coordenador do Projeto ‘Gaita-de-foles Mirandesa - Reconhecimento e Padronização’, dedica-se à recuperação de genuínos instrumentos da tradição.

Nos últimos 35 anos, desde a aprendizagem inicial com Joaquim Antão, Gaiteiro de Granja da Silva / S. Joanico, foram por si medidas e estudadas várias dezenas de gaitas antigas, algumas com centenas de anos.

Em quase todos os Museus de Portugal estudou, mediu, levantou e desenhou instrumentos ancestrais, posteriormente replicados, alguns dos quais, fundamentais para a compreensão do enquadramento e da história da Gaita de Foles em Portugal.

Esse acervo pessoal considera-o de utilidade pública e, como tal, estará disponibilizado na Casa da Gaita e do Gaiteiro, em Mogadouro.

MUSEU BERNARDINO MACHADO RECORDA POLÍTICO E ENSAÍSTA PORTUGUÊS ANTÓNIO SÉRGIO

Colóquio “Revisitar António Sérgio: cinquenta anos depois” na próxima sexta-feira, dia 24

Na próxima sexta-feira, dia 24 de maio, o Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, vai recordar a ação do ensaísta António Sérgio, uma das figuras mais destacadas da cultura portuguesa do século XX, com um colóquio que assinala o cinquentenário da sua morte.

António-Sérgio.jpg

“Revisitar António Sérgio: cinquenta anos depois”, assim se chama a iniciativa promovida pelo museu famalicense que vai contar com a intervenção de vários académicos, investigadores, docentes e historiadores de várias universidades portuguesas.

A sessão de abertura do colóquio, às 09h30, estará a cargo do presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, e do coordenador científico do Museu Bernardino Machado, Norberto Cunha.

Da parte da manhã intervêm Fernando Catroga, da Universidade de Coimbra, para falar sobre “António Sérgio e a educação cívica”; Sérgio Campos Matos, da Universidade de Lisboa, com o tema “História e Educação para a Cidadania” e Justino de Magalhães, também da Universidade de Lisboa, para falar sobre o papel de António Sérgio enquanto Ministro da Instrução.

As intervenções da parte da tarde arrancam às 15h00 com Ivone Moreira, da Universidade Católica Portuguesa, com o tema “princípios e fins da pedagogia sergiana”; e João Príncipe, da Universidade de Évora, para quem António Sérgio é dono de uma “obra que se impõe revisitar, quer pelos horizontes que rasgou, quer pelos debates que suscitou nos mais variados campos”.

Após um debate, seguem-se Joaquim Pintassilgo, da Universidade de Lisboa, para falar sobre “António Sérgio e o valor educativo da vulgarização dos conhecimentos” e, por fim, Norberto Cunha, com o tema “Educação e ensino em António Sérgio e Bernardino Machado”.

Figura central da teorização sobre o cooperativismo em Portugal, António Sérgio nasceu em 1883, tendo falecido em 1969. Ensaísta de formação clássica e iluminista, o seu pensamento crítico incidiu sobre uma pluralidade de campos do saber que vão da ciência e da filosofia e à política, passando pela história, os problemas sociais e económicos, a literatura e a pedagogia. Homem cosmopolita, crítico das posições deterministas e dogmáticas que dominaram no seu tempo, envolveu-se em polémicas com intelectuais seus contemporâneos dos mais variados setores. A sua linguagem aparentemente simples encobre um pensamento bem mais complexo do que poderia parecer a uma primeira leitura.

O colóquio é de entrada livre, mas de inscrição obrigatória até dia 22 de maio, no site do Museu Bernardino Machado em www.bernardinomachado.org.

ASSOCIAÇÕES FAZEM “REVOLUÇÃO” NO CAMINHO BRAGA-SANTIAGO

- Afirma professor espanhol, especialista em história da arte

Um professor catedrático de história da arte espanhol comparou o trabalho desenvolvido pelas associações envolvidas na valorização do Caminho da Geira Minhoto Ribeiro (ou dos Arrieiros) “à revolução” provocada pelo padre do Cebreiro que começou a pintar os trajetos jacobeus com setas amarelas na década de 1980.

05 Xavier Limia de Gardón (dir).jpg

“Estamos a falar de uma revolução que estão a pôr em marcha”, disse Xavier Limia de Gardón durante a conferência “Berán no Caminho”, que decorreu no sábado, 11, nesta freguesia do município de Leiro, em Espanha, explicando: um dia perguntaram ao padre Elias Valiña Sampedro, quando pintava setas amarelas, o que andava a fazer? Ao que “O Cura do Cebreiro”, como gostava de ser chamado, respondeu: “Estou a pôr em marcha uma revolução”.

Na perspetiva professor especialista em história da arte, o trajeto que liga Braga a Santiago de Compostela na distância de 240 quilómetros “é de recuperar porque se baseia em caminhos diretos e indiretos muito antigos e possui de maravilhoso o maior conjunto romano do mundo cheio de miliários, que o norte de Portugal e a Galiza devem reivindicar como um lugar patrimonial a nível da UNESCO”.

01 Xavier Limia de Gardón.jpg

Quanto à passagem de peregrinos, procurou sensibilizar a audiência para a necessidade dos acolher sem receio: “Não são uns arruaceiros ou uns ladrões, são gente de cultura, que movimenta muito dinheiro, podem ser médicos ou advogados. São como pioneiros, gente que tem tempo e ter tempo é ser rico, ter tempo para fazer o caminho e descobrir-se”.

O diretor da revista espanhola “Vinos y Caminos”, Antón Alonso, referiu que “ter pessoas a passar à porta é uma oportunidade de negócio fabulosa, porque é complicado ir buscar os clientes, mas “é preciso valorizar o património e facilitar o acesso aos recursos, porque há pessoas que querem vir, que pagam para os conhecer”.

“O impacto económico de cada peregrino é equivalente ao de dois ou três turistas”, salientou Antón Alonso,  explicando que não resulta apenas da sua passagem, mas de voltar com a família e os seus amigos, e da divulgação que fazem pelo mundo. Estatisticamente, cada peregrino gasta em média 45 euros por dia.

“O nosso petróleo é este, temos que o valorizar. Temos de aproveitar esta oportunidade: a de ter um cliente que passa por diante da nossa casa, o que constitui uma oportunidade única”, adiantou o diretor da “Vinos y Caminos”.

02 Balanço encontro Beran no caminho caminhada.jpg

Esta ideia também foi defendida pelo presidente da Associação Jacobeia do Caminho da Geira Minhoto Ribeiro (ACJMR), Abdón Fernández, segundo o qual “o importante agora é começar a prestar serviços, a estar atento e tomar consciência da existência deste caminho”. “Portanto, vamos assegurar-nos que os peregrinos nos passam à porta, porque a repercussão não vai ser só em Berán, mas também nas povoações à volta”, frisou.

03 Abdon Fernandez e  Antón Alonso.jpg

Ainda no decurso da conferência, o secretário da ACJMR, Darío Rodriguez, descreveu o traçado do Caminho da Geira Minhoto Ribeiro, destacando a existência de oito igrejas de Santiago, quatro das quais na área do Ribeiro; sete hospitais para peregrinos e seis estâncias termais, assim como de outros elementos documentados que provam a existência histórica deste caminho.

A iniciativa, organizada pela Entidade Local de Berán, com a colaboração da ACJMR, da associação Plan B e da Deputacion Provincial de Ourense, estendeu-se por dois dias, o segundo dos quais, domingo, 12, foi dedicado a uma caminhada num troço do caminho que passa por Berán, que envolveu 70 pessoas, e a espetáculos.

O objetivo das diferentes organizações que investigam a história, património, traçado e outros recursos necessários à validação deste caminho [ainda não possui albergues, nem está marcado, pelo que deve usar-se GPS] é a oficialização do itinerário até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

04 Balanço encontro Beran no caminho caminhada 01.jpg

ARCUENSES DEBATEM SOBRE TEIXEIRA DE QUEIROZ

Colóquio sobre Teixeira de Queiroz dia 18, em Arcos de Valdevez - Importância e significado no panorama cultural nacional -
Numa organização do Município de Arcos de Valdevez, em parceria com a Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM) e a Academia das Ciências de Lisboa, terá lugar no próximo dia 18 de Maio no Auditório da Casa das Artes arcuense o Colóquio “Teixeira de Queiroz (1919-2019): Literatura, Medicina e Cidadania”, que reunirá cerca de 15 palestrantes de diversas Universidades nacionais.

colóquio TQ promo.jpg

A Ex Ministra da Cultura e Professora Catedrática Isabel Pires de Lima ou o Neurologista Alexandre Castro Caldas, e um número significativo de convidados e entusiastas de Teixeira de Queiroz, da sua Obra e da sua multifacetada personalidade, num evento integrado no programa do Centenário da Morte do escritor arcuense, que a edilidade de Arcos de Valdevez estabeleceu para o presente ano, e que conhecerá diversos momentos, incluindo a reedição da Obra de Teixeira de Queiroz, e de diversos originais, em parceria com a INCM. O Colóquio decorrerá entre as 9h30 e as 18h00 e tem entrada livre.
Francisco Teixeira de Queiroz nasceu em Arcos de Valdevez a 3 de maio de 1848 e faleceu em 1919, tendo sido um notável romancista e contista, seguidor da escola naturalista/realista, mas também um homem ativo na Sociedade e na Politica do seu Tempo; formou-se em Medicina, foi vereador da Câmara Municipal de Lisboa, deputado da Assembleia Nacional Constituinte, Ministro dos Negócios Estrangeiros e ainda presidente da Academia das Ciências de Lisboa, em 1915. António José Saraiva e Óscar Lopes comparam o talento deste escritor ao de Eça de Queiroz.
Para informações adicionais consulte a Página Oficial do Colóquio em:
http://coloquioteixeiraqueiroz.cmav.pt/
Até dezembro será possível usufruir de um vasto programa cultural em torno do centenário da morte do escritor Teixeira de Queiroz no qual estão incluídos momentos como ações literárias e para o público escolar, ou até momentos ligados à Arte e ao teatro.
PROGRAMA DO CENTENÁRIO
DA MORTE DE TEIXEIRA DE QUEIROZ
(1919-2019)
18 de Maio
- Colóquio sobre Teixeira de Queiroz; Auditório da Casa das Artes
- Apresentação dos Concursos literários “Teixeira de Queiroz”, de âmbito Nacional e Escolar, ambos com atribuição em Julho de 2020; Auditório da Casa das Artes
- Inauguração de Exposição sobre Teixeira de Queiroz; Foyer do Auditório da Casa das Artes
20 de Junho
- Apresentação do livro “Família de Teixeira de Queiroz- Casa de Cortinhas”, da autoria e edição de Luís Teixeira de Queiroz Pinto; Paço de Giela
11 de Julho
- Descerramento de placa de Homenagem ao escritor Teixeira de Queiroz; Casa de Cortinhas
27 de Julho
- Apresentação do livro “Teixeira de Queiroz- Uma Casa em Construção”, da autoria e edição de Pedro Castro Caldas; Paço de Giela
Outubro
- Ações de promoção e esclarecimento junto do público escolar sobre o Concurso Literário “Teixeira de Queiroz”; Estabelecimentos de Ensino concelhios
Novembro
- Apresentação do volume da obra “Comédia do Campo”, de Teixeira de Queiroz; edição da Imprensa Nacional Casa da Moeda e do Município de Arcos de Valdevez. Arcos de Valdevez (Auditório da Casa das Artes) e Lisboa (Academia das Ciências).
16 de Novembro
- Inauguração da Bienal de Arte “D’Art Vez 2019”, sob o tema Teixeira de Queiroz e a sua época; apresentação dos vencedores do concurso “Cria um Ex-libris”; Casa das Artes
23 de Novembro
- Estreia da peça de teatro/musical de Teixeira de Queiroz “O Grande Homem”, pelo GTV- Grupo de Teatro do Vez; Auditório da Casa das Artes.
NOTA: em 2020 e 2021, respetivamente, serão apresentados os volumes “Comédia Burguesa” e “Vária/Obra Dispersa” (edição INCM/Município de Arcos de Valdevez)

HISTORIADORA OLGA MATOS VAI A VIANA DO CASTELO FALAR DE ALIMENTAÇÃO

Conferência sobre a alimentação em Portugal e a sua influência no mundo

No próximo dia 9 de maio (quinta-feira), Olga Matos apresenta a comunicação “Pequenas notas sobre a alimentação em Portugal: a influência de Portugal no mundo e do mundo em Portugal”, integrada no Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”. A conferência tem lugar na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas.

XCicloEstudos_conf_Olga Matos.jpg

Olga Matos é licenciada em História, variante de Arqueologia, pela Universidade de Coimbra (1988), pós-graduada em “Museologia” pela Università Internazionale dell’Arte di Firenze (1991) e pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (1995). Doutorada em História, especialidade de Arqueologia, pela Universidade de Coimbra (2003), é professora no Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), na área do Património Cultural, Turismo Cultural e da Museologia. É membro integrado do Laboratório de Paisagens, Património e Território - Lab2pt, da Universidade do Minho e do REMIT, Centro de Investigação da Universidade Portucalense. Participou em diversos projetos nacionais e internacionais e em diversos congressos nacionais e internacionais como oradora. Foi coordenadora do Mestrado em "Innovative Tourism Development“, do IPVC.

A conferência tem lugar no âmbito do Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”, organizado pelo Centro de Estudos Regionais, que termina em junho. No âmbito deste ciclo de estudos realizaram-se, também, visitas culturais e, no passado dia 2 de maio, um percurso urbano que recuperou as memórias dos cafés e dos espaços de restauração da cidade de Viana do Castelo, tendo como cicerone Francisco Carneiro Fernandes.

A conferência está aberta à participação de todos os interessados.

A direção do Centro de Estudos Regionais

BLOCO DE ESQUERDA DEBATE SOBRE OS ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO CASTELO

A Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Viana do Castelo leva a cabo, amanhã, pelas 17:30 horas, uma sessão politica subordinada ao tema “O QUE ACONTECEU NOS ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO CASTELO”.

capture10

A iniciativa tem lugar na sua sede, sita na Rua de Santo António, nº 100 - 1º, em Viana do Castelo, ", e contará com a participação de João Vasconcelos, deputado do Bloco de Esquerda na Comissão Parlamentar de Defesa Nacional e António Costa, ex-coordenador da Comissão de Trabalhadores dos ENVC.

PAREDES DE COURA DEBATE ARQUITETURA TRADICIONAL

Vernadoc Camp Português. 1 a 15 de maio | Paredes de Coura

Primeiro foi “A linha zero & O horizonte perdido”, a conferência proferida pela arquiteta tailandesa Watanyoo Chompoo. Seria este o ponto de partida para agora, entre 1 e 15 de maio, duas dezenas de arquitetos das mais diversas geografias reunirem-se em Paredes de Coura para o Vernadoc Camp Português, onde se discute a importância de documentar o património arquitetónico tradicional e o seu impacte nas comunidades locais.

01.500.1.4.Eira Comunitária das Porreiras.jpg

Promovido pelo Município de Paredes de Coura em parceria com o Centro de Investigação da Escola Superior Gallaecia, esta iniciativa integra-se na longa tradição de campos de levantamento, iniciada há mais de um século na Finlândia, sendo atualmente desenvolvido sob a égide do ICOMOS, International Council on Monuments and Sites. 

Neste Vernadoc Camp Português, com a duração de duas semanas, serão documentados uma eira comunitária e os seus espigueiros, situados na pitoresca povoação de Porreiras, na região do Vale do Coura. Para além das sessões de levantamento e documentação, e como complemento da iniciativa, serão ainda realizadas visitas temáticas a locais de património vernáculo e de arquitetura contemporânea portuguesa, bem como trabalho documental na Casa do Conhecimento, em Paredes de Coura. 

Recorde-se que em outubro de ano passado, o nosso Município acolheu a conferência “A linha zero & O horizonte perdido”, por Watanyoo Chompoo. Baseada na sua experiência em ações de levantamento de arquitetura vernácula através do ICOMOS-CIAV, quer como participante, quer como coordenadora, esta arquiteta tailandesa retratou algumas das suas viagens e apresentou exemplos extraordinários da arquitetura tradicional asiática, assinalando sempre o potencial pedagógico do seu estudo.

Na sequência desta conferência, Paredes de Coura acolhe agora uma ação de campo de duas semanas com arquitetos dos vários cantos do mundo, que integram a rede VERNADOC (International Camp of Vernacular Architecture Documentation), numa iniciativa também aberta a estudantes de arquitetura e comunidade em geral.

Porreiras_014.jpg

DR. JOÃO ALPUIM BOTELHO VAI A PONTE DE LIMA FALAR DO CONDE D'AURORA

O Conde d'Aurora, é um dos mais interessantes e lúcidos escritores / etnógrafos do Alto-Minho que compreendeu como ninguém que no século XX se viveu o "declínio de um tempo longo":

"Diz-nos o palpite do velho coração limiano que o Roteiro (da Ribeira Lima), velho de 30 anos, velho de oito séculos, vai descrever pela derradeira vez uma paisagem, uns caminhos, todo um teatro de verdura e de gentes, de cantares e de ruídos silvestres, de monumentos, coloridos e costumes".

No dia 3 de Maio, na Biblioteca Municipal de Ponte de Lima, às 19h assinalam-se os 50 anos da sua morte e o Dr João Alpuim Botelho teve o gosto de ser convidado para fazer uma palestra. Estão todos convidados!

58691883_10219373215384126_3087089554537054208_n.jpg

PONTE DA BARCA - TERRA NATAL DE FERNÃO DE MAGALHÃES - PROMOVE SEMINÁRIO SOBRE O NAVEGADOR

Ponte da Barca acolhe Seminário "Viagem de Circum-navegação e Ciência - Diálogos à volta do Mundo"

É já no próximo Sábado, dia 27 de abril, dia em que se assinala o 498º aniversário do falecimento do navegador Fernão de Magalhães, que Ponte da Barca recebe um painel de oradores que demonstrarão o contributo da viagem de circum-navegação para o conhecimento cientifico global naquele que é o Seminário "Viagem de Circum-navegação e Ciência - Diálogos à volta do Mundo".

Capturarbarcmag.PNG

Ao longo de todo o dia (09h30 às 18h), no auditório da Casa da Cultura,será discutido o contributo da viagem de circum-navegação para o conhecimento científico global, pelas vozes dos investigadores José Manuel Garcia, Joaquim Alves Gaspar, Carlos Fiolhais e Nuno Ferrand e com a moderação de Manuel de Magalhães Sant'Ana.

Ficha de inscrição e programa detalhado em www.cmpb.pt

FUNDAÇÃO CAIXA AGRÍCOLA DO NOROESTE PROMOVE DEBATE SOBRE QUALIDADE DE VIVA EM IDADE SÉNIOR

Colóquio “Meu Corpo, Meu Templo! Habitar, acolher e viver a idade Sénior” | 3 e 4 de Maio de 2019

Faz parte da linha estratégica da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste proporcionar à sociedade do Noroeste um melhor conhecimento e melhores serviços na qualidade de vida da população mais idosa.

MEU CORPO MEU TEMPLO (1).jpg

É neste sentido que o/a convidamos a juntar-se a nós, já nos próximos dias 3 e 4 de Maio.

Vamos refletir sobre (conforme cartaz e programa em anexo) os problemas e desafios associados aos Seniores: como viver mais anos e com mais qualidade de vida; como desenvolver uma mente sã num corpo são; a cura pela natureza, a música e a expressão corporal, …

A relevância destes colóquios avalia-se pela urgência de uma contínua formação e atualização dentro das gerontologia e geriatria, no campo do habitar. As grandes mutações demográficas e as novas exigências dos seniores, cada vez mais frágeis, obrigam todos os responsáveis a pensar e a agir. Assim surge o II Habitar, acolher e viver a idade Sénior, onde pretendemos contribuir, refletir e partilhar com práticas inovadoras e humanistas.

 São destinatários deste colóquio estudantes e profissionais, no âmbito da gerontologia e da geriatria, bem como responsáveis pela causa pública e pelo empreendedorismo nesta área.

Neste sentido convidámo-lo a juntar-se a nós nos próximos dias 3 e 4 de maio de 2019. A inscrição é obrigatória e poderá ser feita online https://forms.gleevdg1bdjkM4voiP77 – ou presencialmente nas instalações da FCAN.

FUNDAÇÃO CAIXA AGRÍCOLA PROMOVE DEBATE SOBRE SAÚDE NA IDADE SÉNIOR

Colóquio “Meu Corpo, Meu Templo! Habitar, acolher e viver a idade Sénior”

Faz parte da linha estratégica da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste proporcionar à sociedade do Noroeste um melhor conhecimento e melhores serviços na qualidade de vida da população mais idosa.

unnamedcxagricol (1).jpg

É neste sentido que o/a convidamos a juntar-se a nós, já nos próximos dias 3 e 4 de Maio.

Vamos refletir sobre (conforme cartaz e programa em anexo) os problemas e desafios associados aos Seniores: como viver mais anos e com mais qualidade de vida; como desenvolver uma mente sã num corpo são; a cura pela natureza, a música e a expressão corporal, …

A relevância destes colóquios avalia-se pela urgência de uma contínua formação e atualização dentro das gerontologia e geriatria, no campo do habitar. As grandes mutações demográficas e as novas exigências dos seniores, cada vez mais frágeis, obrigam todos os responsáveis a pensar e a agir. Assim surge o II Habitar, acolher e viver a idade Sénior, onde pretendemos contribuir, refletir e partilhar com práticas inovadoras e humanistas.

São destinatários deste colóquio estudantes e profissionais, no âmbito da gerontologia e da geriatria, bem como responsáveis pela causa pública e pelo empreendedorismo nesta área.

Neste sentido convidámo-lo a juntar-se a nós nos próximos dias 3 e 4 de maio de 2019. A inscrição é obrigatória e poderá ser feita online https://forms.gleevdg1bdjkM4voiP77 – ou presencialmente nas instalações da FCAN

TERRAS DE BOURO ACOLHE SEMINÁRIO SOBRE SUCESSO ESCOLAR E OFICINA DE FORMAÇÃO

No âmbito do Projeto “Ter + Sucesso em Terras de Bouro - Equipa de Apoio ao Aluno e à Família”, o Auditório da sede do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro recebeu a 11 e 12 de abril, um Seminário subordinado às temáticas Sucesso Escolar - Um desafio! e Oficina de Formação- Um diálogo entre as neurociências e a educação.

20190411_145912-01.jpeg

No primeiro dia e contando com a presença da Vereadora do Município, Drª Ana Genoveva e do Diretor do Agrupamento Escolar, Dr. Óscar Rodrigues, foram abordados e debatidos os seguintes assuntos: Gestão e mediação de conflitos em contexto escolar, pela Dra. Marília Rodrigues, Psicóloga, o papel do terapeuta da fala nas dificuldades de aprendizagem, pela Dra. Ana Gabriela Machado, Terapeuta da Fala, os T.P.C - Potenciadores de sucesso escolar? pela  Dra. Brazelina Marques, Psicóloga e ainda as Perturbações de leitura e escrita “Aprender a ler… Ler para aprender…Ler para crescer “, pela Dra. Paula Teles, Psicóloga.

Já no dia 12, realiza-se uma Oficina de Formação, que teve por objectivo “Um diálogo entre as neurociências e a educação”, destinada aos Educadores, Professores do 1º ciclo, Psicólogos e Terapeutas da Fala e Professores de Educação Especial. Neste segundo dia, os objectivos foram: apresentar os resultados dos recentes estudos sobre a “Ciência da Leitura”, ciência que se desenvolveu com os contributos da psicologia cognitiva e das neurociências e das suas implicações nas práticas educativas; aprofundar conhecimentos sobre o MÉTODO FONOMÍMICO Paula Teles®, um método fónico silábico, de ensino da leitura e da escrita, baseado nos resultados da investigação científica, no estudo e longa prática da autora, professora e psicóloga educacional, na reeducação da crianças e jovens com perturbações da leitura e da escrita; implementar o MÉTODO FONOMÍMICO Paula Teles® em situações de sala de aula e de reeducação e reflectir sobre as práticas pedagógicas.

Esta dupla acção surgiu face ao levantamento de necessidade de formação dos professores em temáticas especiais e também potenciar no Agrupamento de Escola mais condições geradoras de um ensino de qualidade.

Importa, por fim, sublinhar ainda que o Projeto “Ter + Sucesso em Terras de Bouro - Equipa de Apoio ao Aluno e à Família”, resulta da necessidade de agir preventivamente nos primeiros sinais de dificuldades de aprendizagem e de trajectórias de insucesso escolar sinalizados pelos respetivos professores e que por vezes as escolas não detêm os recursos técnicos especializados necessários ou suficientes para o desenvolvimento de uma abordagem de intervenção sistémica de forma atempada e adequada junto do aluno. Este projecto visa reforçar os recursos do AE, nomeadamente, o Serviço de Psicologia e Orientação e promover uma intervenção precoce com vista a criação de um percurso educativo de sucesso. Todos os definidos deste projecto centram-se precisamente em criar uma resposta qualificada e especializada que possa em contexto comunitário, trabalhar variáveis fundamentais para que o processo de ensino/aprendizagem possa ser ajustado às necessidades dos alunos.

20190411_150350-01.jpeg

20190411_150936-01.jpeg

20190411_151108-01.jpeg

20190411_154219-01.jpeg

20190412_092223.jpg

20190412_093557.jpg

20190412_093819.jpg

20190412_094013.jpg

MONÇÃO DEBATE "DEVOÇÕES DE FRONTEIRA, PEREGRINAÇÕES, FESTAS E ROMARIAS NO MUNDO IBÉRICO"

Divulgação do Seminário Internacional Devoções de Fronteira. Peregrinações, Festas e Romarias no Mundo Ibérico

Decorrerá nos próximos dias 11 e 12 de abril, na Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho sita na vila de Monção, um Seminário Internacional sob a temática Devoções de Fronteira. Peregrinações, Festas e Romarias no Mundo Ibérico.

Capturarman3.PNG

Este Seminário conta com a participação de reputados investigadores portugueses e espanhóis especialistas nestas matérias provenientes das Universidades de Saragoça, Huelva e Santiago de Compostela em Espanha e do lado português da Universidade do Minho e Fernando Pessoa.

Destacam-se as comunicações do Prof. Doutor Eliseo Serrano Martín (Universidade de Saragoça) “Devociones en la Contrarreforma: santos nuevos, santos en discusión”, do Prof. Doutor David González Cruz (Universidade de Huelva) “Modelos religiosos y devocionales en la frontera suroccidental de Europa” e da Prof. Doutora Ofélia Rey Castelao (Universidade de Santiago de Compostela) “Santos patronos dos dous lados da fronteira: unha cuestión de identidade".

Para as temáticas mais locais e nacionais destacam-se as conferências que vão ser proferidas pela Prof. Doutora Marta Lobo (Lab 2-PT/Univ. do Minho) “Devoções numa Misericórdia de fronteira: o caso de Monção na Idade Moderna”, pelo Prof. Doutor José Viriato Capela (Lab 2-PT/Univ. do Minho) “Devocionário de fronteira”; Prof. Doutor Álvaro Campelo (Universidade Fernando Pessoa) "A fronteira e as rotas de Peregrinação entre a Galiza e o Minho. Uma antropologia do espaço fronteiriço"; Dr. Ernesto Português “Devoções de Monção que cruzam a fronteira: Nossa Senhora dos Milagres e São Vicente Ferrer” e Prof. Doutora Elisa Lessa (ILCH/Universidade do Minho) “Devoções de Fronteira no feminino: o gosto das monjas músicas pelos vilancicos e chançonetas dos séculos XVII e XVIII”.

Na 6ª feira, dia 12, da parte da tarde o Seminário decorrerá em Paredes de Coura para uma conferência e visita guiada à Confraria do Espírito Santo efetuada pelo Dr. Victor Paulo (Presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura).

A Organização deste Seminário Internacional é da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho e do Lab 2PT/Universidade do Minho e conta com o apoio do Município de Paredes de Coura, do Lab 2PT/Universidade do Minho e do Departamento de História/Universidade do Minho.

A Comissão Científica deste evento está assegurada pela Professora Doutora Ofélia Rey Castelao da Universidade de Santiago de Compostela e pelos Professores José Viriato Capela Professora e Doutora Maria Marta Lobo de Araújo da Universidade do Minho.

Capturarman1.PNG

Capturarman2.PNG

FUNDAÇÃO CAIXA AGRÍCOLA DO NOROESTE PROMOVE COLÓQUIO SOBRE QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO IDOSA

Colóquio “Meu Corpo, Meu Templo! Habitar, acolher e viver a idade Sénior” | 3 e 4 de Maio de 2019

Faz parte da linha estratégica da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste proporcionar à sociedade do Noroeste um melhor conhecimento e melhores serviços na qualidade de vida da população mais idosa.

É neste sentido que o/a convidamos a juntar-se a nós, já nos próximos dias 3 e 4 de Maio.

Vamos refletir sobre (conforme cartaz e programa em anexo) os problemas e desafios associados aos Seniores: como viver mais anos e com mais qualidade de vida; como desenvolver uma mente sã num corpo são; a cura pela natureza, a música e a expressão corporal, …

A relevância destes colóquios avalia-se pela urgência de uma contínua formação e atualização dentro das gerontologia e geriatria, no campo do habitar. As grandes mutações demográficas e as novas exigências dos seniores, cada vez mais frágeis, obrigam todos os responsáveis a pensar e a agir. Assim surge o II Habitar, acolher e viver a idade Sénior, onde pretendemos contribuir, refletir e partilhar com práticas inovadoras e humanistas.

 São destinatários deste colóquio estudantes e profissionais, no âmbito da gerontologia e da geriatria, bem como responsáveis pela causa pública e pelo empreendedorismo nesta área.

Neste sentido convidámo-lo a juntar-se a nós nos próximos dias 3 e 4 de maio de 2019. A inscrição é obrigatória e poderá ser feita onlinehttps://forms.gleevdg1bdjkM4voiP77 – ou presencialmente nas instalações da FCAN.

MEU CORPO MEU TEMPLO.jpg

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS PROMOVE CONFERÊNCIA SOBRE HÁBITOS ALIMENTARES JUDAICOS EM VIANA DO CASTELO

Conferência sobre hábitos alimentares judaicos em Viana do Castelo

No próximo dia 11 de abril (quinta-feira), Marina Pignatelli apresenta a comunicação “Hábitos Judaicos Cacher e Trefa: somos o que comemos?”, integrada no Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”. A conferência tem lugar na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas.

11102719_10206488149151335_7240238890192038003_n.jpg

Marina Pignatelli é doutorada em Ciências Sociais na especialidade de Antropologia e Mestre em Ciências Antropológicas pela Universidade de Lisboa (ISCSP), onde leciona. Completou pós-graduações em Etnologia das Religiões (UNL-FCSH) e em Estudos Sefarditas (Cátedra Estudos Sefarditas). Concluiu cursos livres em Judaísmo (CNC), Simbolismo (Fundação Casa Alorna), Tanatologia, Parapsicologia e Religião (UCP), Religiosidades Contemporâneas (UCP), Peacekeeping e Resolução de Conflitos (UNITAR), Gestão Civil de Crises (IDN) e Património Cultural Imaterial (DGPA.UAb). Tem-se dedicado ao estudo da realidade judaica em Portugal e terminou um pós-doutoramento sobre os Judeus de Moçambique. É investigadora integrada do CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia e membro da direção da Associação Portuguesa de Antropologia.

Esta é a sexta conferência do Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”, organizado pelo Centro de Estudos Regionais, no âmbito das atividades da sua Academia Sénior. Nas edições anteriores, apresentaram comunicações o antropólogo Pedro Pereira; o bioquímico João Moura; o historiador e antropólogo, José Sobral; a historiadora de arte, Antonieta Morais e o gastrónomo Carlos Fernandes, tratando temáticas diversas relacionadas com a gastronomia como ato cultural. O ciclo termina em junho, estando aberto à participação de todos os interessados.

A Direção do Centro de Estudos Regionais

MONÇÃO DEBATE PEREGRINAÇÕES, FESTAS E ROMARIAS

Divulgação do Seminário Internacional Devoções de Fronteira. Peregrinações, Festas e Romarias no Mundo Ibérico

Nos próximos dias 11 e 12 de abril a Casa Museu de Monção, Unidade Cultural da Universidade do Minho sita na vila de Monção, organiza um Seminário Internacional sob a temática Devoções de Fronteira. Peregrinações, Festas e Romarias no Mundo Ibérico.

Capturarman3.PNG

Este Seminário conta com a participação de reputados investigadores portugueses e espanhóis especialistas nestas matérias provenientes das Universidades de Saragoça, Huelva e Santiago de Compostela em Espanha e do lado português da Universidade do Minho e Fernando Pessoa.

Destacam-se as comunicações do Prof. Doutor Eliseo Serrano Martín (Universidade de Saragoça) “Devociones en la Contrarreforma: santos nuevos, santos en discusión”, do Prof. Doutor David González Cruz (Universidade de Huelva) “Modelos religiosos y devocionales en la frontera suroccidental de Europa” e da Prof. Doutora Ofélia Rey Castelao (Universidade de Santiago de Compostela) “Santos patronos dos dous lados da fronteira: unha cuestión de identidade".

Para as temáticas mais locais e nacionais destacam-se as conferências que vão ser proferidas pela Prof. Doutora Marta Lobo (Lab 2-PT/Univ. do Minho) “Devoções numa Misericórdia de fronteira: o caso de Monção na Idade Moderna”, pelo Prof. Doutor José Viriato Capela (Lab 2-PT/Univ. do Minho) “Devocionário de fronteira”; Prof. Doutor Álvaro Campelo (Universidade Fernando Pessoa) "A fronteira e as rotas de Peregrinação entre a Galiza e o Minho. Uma antropologia do espaço fronteiriço"; Dr. Ernesto Português “Devoções de Monção que cruzam a fronteira: Nossa Senhora dos Milagres e São Vicente Ferrer” e Prof. Doutora Elisa Lessa (ILCH/Universidade do Minho) “Devoções de Fronteira no feminino: o gosto das monjas músicas pelos vilancicos e chançonetas dos séculos XVII e XVIII”.

Na 6ª feira, dia 12, da parte da tarde o Seminário decorrerá em Paredes de Coura para uma conferência e visita guiada à Confraria do Espírito Santo efetuada pelo Dr. Victor Paulo (Presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura).

A Organização deste Seminário Internacional é da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho e do Lab 2PT/Universidade do Minho e conta com o apoio dos Municípios de Monção e Paredes de Coura, do Lab 2PT/Universidade do Minho e do Departamento de História/Universidade do Minho

A Comissão Científica deste evento está assegurada pela Professora Doutora Ofélia Rey Castelao da Universidade de Santiago de Compostela e pelos Professores José Viriato Capela Professora e Doutora Maria Marta Lobo de Araújo da Universidade do Minho.

Capturarman1.PNG

Capturarman2.PNG

COLÓQUIO “CIDADANIA PARA O SÉCULO XXI: A CONTRIBUIÇÃO DAS COMUNIDADES LOCAIS”: UM MOMENTO DE PARTILHA DE BOAS PRÁTICAS ENTRE AS COMUNIDADES EUROPEIAS

Esta sexta-feira e sábado (dias 5 e 6 de abril), os Municípios de Melgaço e Monção promovem o colóquio “Cidadania para o século XXI: a contribuição das comunidades locais”. A iniciativa acontece no âmbito da Rede de Vilas Cidadãs da Europa e traz à região delegados europeus oriundos da Polónia, Itália e França.

Coloqui_NI.png

Os vários intervenientes irão partilhar as suas experiências e saberes, com o intuito de contribuir para o enriquecimento de boas práticas: será um momento de reflexão e aprendizagem entre as comunidades europeias.

Aucamville, Brzeziny Campagne, Brzeziny Ville, Lavelanet, Melgaço, Monção, Morsano al Tagliamento, Montgiscard, Salgareda, St Alban e Tarascon sur Ariège são os municípios que participarão no colóquio. A Rede de Vilas Cidadãs da Europa, promotora do projeto “Memória, Emigração, Imigração, Integração, a grande questão do Viver juntos”, no âmbito do programa «Europa dos Cidadãos», é composta por municípios franceses e as respetivas vilas europeias geminadas com estes, como é o caso de Lavelanet e Melgaço, ou Tarascon e Monção.

Desde 2013 que o Município de Melgaço tem participado nos encontros da rede, em várias cidades, tendo ficado a cargo dos municípios Portugueses a organização de um encontro no primeiro semestre de 2019. Combater preconceitos xenófobos em expansão na União Europeia e pôr em relação os vários intervenientes no terreno, que nos respetivos países procuram responder aos desafios lançados pela integração das populações provenientes da imigração recente, ou mais antiga, são objetivos deste projeto.

O colóquio arranca na sexta-feira, na Casa da Cultura de Melgaço. “As Memórias de Fronteira: Histórias de partidas e de acolhimentos” (por Román Alonso | Universidade de Santiago de Compostela) e “As novas fronteiras e as novas cidadanias” (por Paulo Seixas | ISCSP - Universidade de Lisboa) serão os temas em debate. Haverá ainda espaço para uma Mesa Redonda, com o autarca de Melgaço, Manoel Batista; Paulo Seixas, do ISCSP - Universidade de Lisboa; Román Alonso, da Universidade de Santiago de Compostela; Pedro Calado, Alto Comissário para as Migrações; Manuel Pizarro, candidato às Eleições Europeias. Álvaro Campelo, da Universidade Fernando Pessoa, será o moderador da sessão. No final, os participantes são convidados a visitar o Espaço Memória e Fronteira e a vila de Castro Laboreiro.

No sábado, o evento decorrerá no auditório da EPRAMI, em Monção, e incidirá nos temas “A Cultura das sociedades em trânsito: perdas e benefícios” (por Isabel Silva | Mestranda em Direito, Universidade do Porto e Joaquim Castro | CEPESE - Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade) e “Construir a ideia de Europa dos Cidadãos: o papel das comunidades locais” (por João Casqueira | Universidade Fernando Pessoa e Roberto Mansilla | Instituto Galego de Análise e Documentación Internacional). Seguir-se-á uma Mesa Redonda com António Barbosa, Presidente da Câmara de Monção; Joaquim Castro, do CEPESE - Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade; João Casqueira, da Universidade Fernando Pessoa; e Roberto Mansilla, do Instituto Galego de Análise e Documentación Internacional. Álvaro Campelo será o moderador da sessão.

Nesta tarde decorrerá a sessão de aprovação da Carta de Monção & Melgaço, documento que fecha o ciclo de encontros e debates internacionais deste projeto. Será ainda apresentado o relatório do projeto Serge Laborderie, documento sobre o balanço das várias sessões realizadas desde 2014, em França, na Itália, na Polónia, em Bruxelas, em Melgaço e Monção.  O colóquio termina com uma visita à Torre da Lapela e ao Museu do Alvarinho.

PROGRAMA

DIA 5, sexta-feira

MELGAÇO | Casa da Cultura

09h30 | Abertura

10h00 | As Memórias de Fronteira: Histórias de partidas e de acolhimentos.

Américo Rodrigues

Román Alonso | Universidade de Santiago de Compostela

11h00 | As novas fronteiras e as novas cidadanias.

Paulo Seixas ISCSP - Universidade de Lisboa

12h00 | Mesa Redonda

MODERADOR Álvaro Campelo Universidade Fernando Pessoa

Manoel Batista Presidente da Câmara de Melgaço

Paulo Seixas ISCSP - Universidade de Lisboa

Román Alonso | Universidade de Santiago de Compostela

Pedro Calado | Alto Comissário para as Migrações

Manuel Pizarro | Candidato às Eleições Europeias

14h30 | Visita ao Espaço Memória e Fronteira e a Castro Laboreiro

DIA 6, sábado

MONÇÃO | Auditório da EPRAMI

09h00 | Abertura

10h00 | A Cultura das sociedades em trânsito: perdas e benefícios

Isabel Silva | Mestranda em Direito, Universidade do Porto

Joaquim Castro | CEPESE - Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade

11h00 | Construir a ideia de “Europa dos Cidadãos”: O papel das comunidades locais

João Casqueira | Universidade Fernando Pessoa

Roberto Mansilla | Instituto Galego de Análise e Documentación Internacional

12h00 | Mesa Redonda

MODERADOR Álvaro Campelo Universidade Fernando Pessoa

António Barbosa Presidente da Câmara de Monção

Joaquim Castro | CEPESE - Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade

João Casqueira | Universidade Fernando Pessoa

Roberto Mansilla | Instituto Galego de Análise e Documentación Internacional

14h00 | Sessão de Aprovação da Carta

Relatório do Projeto | Serge Laborderie

Carta de Monção & Melgaço

15h30 | Visita à Torre da Lapela e ao Museu do Alvarinho