Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RICARDO RIO, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGA PARTICIPOU NA CONFERÊNCIA SOBRE O FUTURO DA EUROPA WORKSHOP DIGITAL "EDC-LOCAL SOBRE EMPREENDEDORISMO NOS MUNICÍPIOS

Proximidade e participação cívica são elementos determinantes para alcançar Desenvolvimento Sustentável

A proximidade entre as autoridades locais e os cidadãos, a consciencialização cívica e o alinhamento estratégico com as diversas instituições, são os principais factores para que as cidades possam alcançar os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e corresponder aos desafios impostos pelas alterações climáticas. A ideia foi defendida por Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a conferência sobre o Futuro da Europa, que decorreu esta Quinta-feira, no âmbito da Semana Europeia das Regiões e das Cidades.

brageuropean (1).jpg

Segundo o Autarca Bracarense, a Europa tem de saber fortalecer o seu compromisso com o Desenvolvimento Sustentável e valorizar o papel das autoridades locais, dando o exemplo de Braga no fomento da participação cívica de cidadãos e instituições.

“Quando falamos de sustentabilidade e alterações climáticas, e de acordo com um estudo da OCDE, 65% dos ODS só podem ser atingidos a nível local e é a nível local que podemos verificar a ponderação e implementação desses mesmos objectivos, tendo em conta o conforto económico e o bem-estar dos cidadãos”, referiu Ricardo Rio num painel onde os participantes foram convidados a dar testemunho das iniciativas desenvolvidas a nível local de forma a fomentar a democracia a nível urbano.

Projectos de nível ambiental como ‘Florestar Braga’, de estímulo ao uso eficiente de energia juntos dos mais jovens como o ‘A minha Escola é Eficiente’, de mobilidade como o ‘School Bus’, ou de intervenção das zonas fluviais como o ‘Projecto Rios’ e a valorização da biodiversidade e dos espaços verdes, foram alguns dos exemplos partilhados pelo Autarca, aos quais os parceiros europeus deram especial atenção. “Precisamos de uma mobilização colectiva para alcançar os objectivos e em Braga temos desenvolvido vários projectos envolvendo jovens, menos jovens, instituições e escolas, E é, principalmente, nas escolas que devemos apostar se queremos construir uma Cidade melhor para o futuro”.

Contributo dos cidadãos no desenvolvimento de políticas é “uma questão cultural”

Questionado sobre quais os aspectos que levam os cidadãos a sentirem-se parte integrante das políticas adoptadas pelas autoridades locais, Ricardo Rio considerou que essa mesma participação tem de ser estimulada colocando todas as ferramentas ao alcance de todos.

“A participação cívica é uma questão cultural. Desde que este Executivo foi eleito, em 2013, sempre incentivamos a participação dos cidadãos através dos diversos Conselhos Municipais de forma a alinharmos planos e perspectivas de futuro. Criámos também o Orçamento Participativo e desenvolvemos várias iniciativas e projectos provenientes da sociedade civil e, assim, conseguimos chegar ao cidadão”, explicou o Autarca, dando ainda o exemplo da estratégia de Braga para ser Capital Europeia da Cultura em 2027, através de um plano de acção com um horizonte temporal até 2030, elaborado em conjunto com as mais variadas instituições.

Para o futuro, Ricardo Rio aponta a sustentabilidade do modelo de governação como um dos principais desafios, sustentando que essa governação terá de ser uma espécie de “contrato de confiança assinado entre as autoridades e os cidadãos, onde eles devem ser ouvidos e, mesmo não estando de acordo com os seus contributos, eles têm de saber que são ouvidos e tidos em consideração e nós, autoridade local, temos a obrigação de prestar contas e darmos a conhecer os resultados das nossas políticas, para que elas possam ser permanentemente avaliadas”.

Além de Ricardo Rio, o painel contou com a participação de Antje Grotheer, vice-presidente do Parlamento de Bremen, na Alemanha, Pehr Granfalk, membro do Conselho Municipal de Solna, na Suécia, e Juhana Vartiainen, presidente da Câmara de Helsínquia, capital da Finlândia.

brageuropean (2).jpg

FAMALICÃO: MOVIMENTAÇÕES OPERÁRIAS EM DESTAQUE NO III CICLO DE CONFERÊNCIAS DO MUSEU DA INDÚSTRIA TÊXTIL

Museu da Indústria Têxtil recebe conferências nos dias 16 de outubro, 13 de novembro e 11 de dezembro

Subordinado ao tema «Percursos e memórias: Indústria e operariado nos séculos XIX – XX», o III Ciclo de Conferências do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave (MITBA) decorre ao longo do último trimestre de 2021, com três sessões, divididas pelos dias 16 de outubro, 13 de novembro e 11 de dezembro. Cada uma delas decorre ao sábado à tarde, a partir das  15h00, no MITBA, e inclui a visita guiada a uma unidade museológica famalicense no final da conferência.

AFR_3687.jpg

Tendo como pretensão apresentar alguns dos aspetos mais significativos das movimentações operárias ocorridas na Bacia do Ave naqueles séculos, entre os assuntos abordados serão apresentadas reflexões sobre as lutas reivindicativas do operariado, a questão do trabalho feminino na indústria têxtil e a primeira grande greve operária da região.

O ciclo de conferências inicia com Paula Ramos Nogueira, do Centro de Física da Universidade de Coimbra, a explorar o tema «Mulheres de Fábrica – Apontamentos sobre a feminização da indústria têxtil em Guimarães», a 16 de outubro, que inclui, no final, a visita ao Museu do Automóvel, em Ribeirão.

Já a segunda sessão, a 13 de novembro, terá como assunto «As lutas reivindicativas do operariado bracarense durante a I República (1910-1926)», e contará com a presença de Débora Duarte Val Escadas, doutoranda da Universidade do Minho. Desta vez, a visita será ao Núcleo de Lousado do Museu Nacional Ferroviário.

A terceira, e última conferência, prossegue os estudos das lutas operárias, com «As lutas dos operários têxteis da Bacia do Ave, 1956 -1974», tema que será explorado por José Manuel Lopes Cordeiro, Coordenador Científico do MITBA e professor na Universidade do Minho. A derradeira visita do ciclo, será ao museu anfitrião do Ciclo de Conferências.

Refira-se que as sessões são abertas ao público em geral, sendo necessária inscrição prévia, gratuita, através do link: https://bit.ly/cicloconferenciasmitba. O evento está acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, na modalidade de Curso de Formação, para professores, com a duração de 10 horas.

Para mais informações, consulte: www.museudaindustriatextil.org

DSC_4807_2.jpg

BRAGA ACOLHE CONFERÊNCIA “FUNDOS EUROPEUS: O MINHO E A GALIZA”

A iniciativa é presidida pelo Presidente da República, Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa

A Confederação Empresarial da Região do Minho (CONFMINHO) promove no próximo dia 18 de outubro, pelas 14 horas, no Fórum Altice em Braga, a conferência “Fundos Europeus: O Minho e a Galiza”, onde um conjunto de governantes e entidades apresentarão os apoios às empresas no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e dos Fundos Comunitários 2030.

O evento é presidido por Sua Excelência o Senhor Presidente da República, Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, que já confirmou a presença.

244112182_4362691210435014_7662576383078011934_n.p

PONTE DE LIMA: CASA GRANDE DE SÁ PROMOVE TERTÚLIAS CULTURAIS

Iniciaram-se ontem com Sunset as Tertúlias Culturais na Biblioteca da Casa Grande de Sá, iniciativa de seus proprietários, o médico Miguel Ayres de Campos, e o filho, o investigador, autor e Gestor de Colecções de Arte em Londres, Miguel Ayres de Sá - Tovar.

230343413_10222762187515387_5868943319409890027_n.

O evento contou com a presença de genealogistas, heraldistas e bibliófilos locais, assunto a que nos referiremos oportunamente com mais detalhe. Para já, a nossa congratulação pela iniciativa, o nosso obrigado pelo convite, e pela partilha de pesquisas e ideias neste solar repleto de história local e internacional.

Texto: Tito Morais / Foto: Miguel Ayres de Campos

MEMÓRIAS DA GUERRA COLONIAL REAVIVADAS EM FAMALICÃO

Colóquio «A Guerra Colonial Portuguesa (1961 - 1974): Entre a História e a Memória» no dia 9 de outubro

«A Guerra Colonial Portuguesa (1961 - 1974): Entre a História e a Memória» é o tema do colóquio que irá acontecer no Museu da Guerra Colonial no próximo dia 9 de outubro, enquadrado no programa educativo e cultural de âmbito municipal «De Famalicão para o Mundo». O evento, organizado pelo referido espaço museológico e pelo Município de Vila Nova de Famalicão, visa assinalar os 60 anos do inicio da Guerra Colonial e dar a conhecer as fontes históricas existentes no museu.

Museu guerra colonial (9).JPG

O colóquio conta com a presença de oradores como Carlos Matos Gomes, Oficial do Exército aposentado e investigador de História Contemporânea de Portugal, José Manuel Lages, diretor científico do Museu da Guerra Colonial, assim como investigadores do Instituto de História Contemporânea da Universidade NOVA de Lisboa, do Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» (CITCEM)/Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), da Universidade de Coimbra, entre outros.

É de destacar a tertúlia denominada «O Quotidiano, as Memórias e os Traumas da Guerra Colonial» que irá contar com a participação de uma enfermeira paraquedista e de ex-combatentes, que partilharão os acontecimentos que presenciaram durante o período da guerra.

Refira-se que a sessão irá decorrer em formato presencial, limitado à lotação do espaço, e online, e está acreditada pelo CFAEVNF, como ação de curta duração para professores e aberto ao público em geral, mediante inscrição obrigatória, até ao próximo dia 30 de setembro, através do link: https://forms.gle/QQoMvEN8MV93zSCJ7 .

Recorde-se que «De Famalicão para o Mundo» é um programa educativo municipal direcionado para as questões educativas e culturais do concelho de Vila Nova de Famalicão, a partir do património e história local, enquadrado no conceito de Cidade Educadora e da legislação vigente. Apresenta um conjunto de propostas e sugestões pedagógicas, dirigido a professores, tratando-se de um facilitador do desenvolvimento de ações destinadas aos alunos do 1º ciclo do ensino básico ao ensino secundário, que poderão ser aplicadas de forma autónoma ou enquadradas em equipas multidisciplinares.

Para mais informações sobre o programa e os oradores, consulte a página: www.famalicao.pt/coloquio-a-guerra-colonial-portuguesa-1961---1974-entre-a-historia-e-a-memoria

BRAGA REALIZA SEMINÁRIO "ROMAN ROADS IN EUROPE"

Tem lugar amanhã a abertura oficial do I Seminário “Roman Roads in Europe”, que terá lugar no Museu D. Diogo de Sousa. A iniciativa conta com a presença de Ricardo Rio, Presidente da Câmara Municipal de Braga.

O Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa acolhe, de 16 a 18 de Setembro, o I Seminário “Roman Roads in Europe”. A iniciativa resulta de uma parceria entre a Associação Roman Roads in Europe / Iter Romanum, a Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, a Fundação Bracara Augusta e a Câmara Municipal de Braga.

Este evento cultural possui por principal objectivo aprofundar o estado actual da investigação, a nível nacional e internacional, da rede viária romana e o debate sobre a sua conservação e divulgação, sendo para tal convocados à discussão estudos científicos, experiências inovadoras e exemplos de boas práticas em divulgação do Património Arqueológico.

BRAGA REALIZA SEMINÁRIO SOBRE GESTÃO PAISAGÍSTICA"

O seminário “Áreas Integradas de Gestão da Paisagem: Impacto no Território”, realiza-se no dia 17 de setembro de 2021, entre as 9h30 e as 12h30, no Altice Forum Braga, no âmbito da Feira AGRO 2021.

feiragro.png

Em 2020 o Governo aprovou o Programa de Transformação da Paisagem (PTP) que tem como propósito implementar uma estratégia para os territórios vulneráveis da floresta com elevada perigosidade de incêndio, através das seguintes quatro medidas programáticas Programas de Reordenamento e Gestão da Paisagem (PRGP), Condomínio de aldeia, Emparcelar para ordenar e Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP).

O evento visa esclarecer os proprietários e técnicos florestais e agrícolas sobre o Programa de Gestão da Paisagem e, principalmente sobre as Áreas Integradas de Gestão de Paisagem e de que forma irão impactar a gestão dos espaços florestais, agrícolas e silvopastoris no minifúndio.

Capturarforestis.JPG

* Provisório

unnamedinscriçõesaqui.png

Atendendo às medidas de segurança e prevenção do COVID-19, as inscrições estão limitadas a metade da capacidade da sala e são obrigatórias até 15 de Setembro de 2021

FUNDAÇÃO CAIXA AGRÍCOLA DO NOROESTE PROMOVE CONFERÊNCIA "O IDOSO E A ESPIRITUALIDADE"

A 5ª palestra das Jornadas HONRA OS TEUS VELHOS! Habitar, Acolher e Viver a Idade Sénior decorrerá no dia no próximo dia 3 de setembro, pelas 21h00, no Auditório Prof. Lima de Carvalho, em Viana do Castelo.

07-O-idoso-e-a-espiritualidade-02-sem-localizacao-

"O Idoso e a Espiritualidade", será o tema a abordar pelo Doutor Luís Portela (Presidente da Fundação BIAL). A apresentação e moderação estará a cargo do Monsenhor Fernando Caldas. 

A entrada é livre, no entanto, poderá garantir o seu lugar através dos contactos da FCAN (913 862 420 | geral@fcan.pt).

O Dr. Luís Portela é licenciado em Medicina, exerceu atividade clínica e docente universitária apenas nos primeiros anos da sua carreira, optando depois por se dedicar à empresa de sua família – Bial -, de que foi CEO (1979-2011) e chairman (2011-2021). Atualmente é presidente da Fundação Bial. 

Também foi presidente do Health Cluster Portugal (2008-2017), presidente do Conselho Geral da Universidade do Porto (2009-2013), vice-presidente da Fundação de Serralves (2001-2008) e membro da Direção da Cotec (2006-2012). 

Publicou dez livros, sendo os mais recentes “Ser Espiritual – Da Evidência à Ciência”, em 29ª edição, “Da Ciência ao Amor”, em 12ª edição, e “The Science of Spirit”, publicado este ano nos EUA pela Toplight/McFarland. 

Entre outras distinções, é Comendador da Ordem do Mérito e Grã-Cruz das Ordens do Mérito e da Instrução Pública; Doutor Honoris Causa da Faculdade de Medicina de Cádis, da Universidade do Porto e da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e Prémio de Neurociências da Louisiana State University, nos EUA.

CONFERÊNCIA ANALISA POTENCIALIDADES SÓCIO-ECONÓMICAS DO CAMINHO DA GEIRA

As potencialidades do Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, são o tema de uma conferência marcada para Berán, a localidade galega localizada precisamente no quilómetro 100 do itinerário jacobeu.

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros Judi

“O Caminho da Geira e dos Arrieiros por Berán: Oportunidades e potencialidades sócio-económicas do caminho de peregrinação”, é o tema da conferência a proferir por Judit Rodríguez Caride esta sexta-feira, dia 31 de julho, pelas 20 horas, nas antigas escolas - paço de Berán, na província de Ourense.

Judit Rodríguez Caride é mestre em Valorização, Gestão e Proteção Cultural pela Universidade de Vigo.

A iniciativa é promovida pela associação fundadora do Caminho da Geira e dos Arrieiros, em colaboração com a Entidade Local Menor de Berán [equivalente a junta de freguesia].

A oradora “vai analisar as oportunidades que tem este percurso para Santiago de Compostela ao nível económico, cultural e social, ao passar pelo núcleo de Berán”, explica Abdón Fernández, presidente da associação organizadora (ACJMR) e porta-voz da Plataforma Berán no Caminho, adiantado que a palestrante é  também “investigadora do fenómeno do turismo e desenvolve atualmente diversos projetos na área”.

O encontro integra a  programação anual de atividades que pretende “a promoção e divulgação deste trajeto”, adianta Abón Fernández.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi apresentado em 2017 em Ribadavia (Galiza) e Braga, reconhecido pela Igreja em 2019, reconhecido pela associação de municípios transfronteiriços Eixo Atlântico em 2020 e é um itinerário oficial da Peregrinação Europeia de Jovens do Ano Santo Jacobeu 2021/22.

Este percurso de 240 quilómetros destaca-se por incluir patrimónios únicos no mundo: a Geira Romana e a Reserva da Biosfera do Gerês/Xurés. Além disso, o seu traçado é um dos escassos cinco que ligam diretamente à Catedral de Santiago de Compostela.

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros.jpg

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros BER

Conferência Caminho da Geira e dos Arrieiros ABDO

VIANA DO CASTELO ACOLHE SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE ENERGIAS RENOVÁVEIS OFFSHORE QUE REÚNE EMPRESÁRIOS, ENTIDADES E MINISTÉRIOS

Viana do Castelo promove, a 23 de julho, uma conferência internacional sobre as energias renováveis offshore e os novos desafios da descarbonização, que contará com a participação de empresários, entidades e dos Ministérios do Ambiente, Economia e Ciência. A conferência “Energias Renováveis Offshore” acontece esta sexta-feira, a partir das 9h00, no Hotel Flôr de Sal.

fotos69_vista_santa_luzia.jpg

Neste encontro terão também assento os presidentes da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, I.P. e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-Norte), no enquadramento das estratégias nacionais e regionais de energia e de desenvolvimento regional. Marcará também presença o presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do PRR - Plano de Recuperação e Resiliência, António Costa e Silva.

Recorde-se que o concelho de Viana do Castelo está a posicionar-se através da sua atratividade de novos investimentos estratégicos no domínio das energias renováveis oceânicas com o objetivo maior de ser uma cidade neutra até 2027, contribuindo desta forma para as ambiciosas metas do país e da União Europeia.

O grande potencial de produção de energias renováveis oceânicas que o concelho de Viana do Castelo dispõe na sua costa atlântica tem motivado grande interesse de várias empresas nacionais e internacionais do setor da energia. O desenvolvimento de um forte Cluster de Energias Offshore em Portugal, energia eólica e energia das ondas, já iniciado em Viana do Castelo com o projeto Windfloat, tem também mobilizado as Universidades e Institutos Politécnicos nacionais para a instalação de um Centro Internacional de Testes de Energias Offshore, associado a um Centro de Inovação e Desenvolvimento.

Recentemente, iniciou também em Viana do Castelo o projeto europeu “Atlantic Project”, projeto de desenvolvimento de Robótica Submarina para monitorização e tratamento de indústrias offshore, sob a coordenação europeia do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), que envolve um grande consórcio de universidades e centros de investigação europeus.

Estes projetos de desenvolvimento e investigação estão a ser acompanhados pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte e pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, que estão a analisar, conjuntamente com o sistema científico, a possibilidade da instalação de um Centro de Inovação e Desenvolvimento de Energias Renováveis Oceânicas.

O Município de Viana do Castelo tem tido várias manifestações de interesse de diversas empresas interessadas em investir em novos projetos offshore, que se traduziriam em investimentos diretos na ordem dos 1.000 milhões de euros, com forte componente de empregabilidade nas indústrias metalomecânicas e navais, envolvendo a construção ou fretamento de embarcações de apoio e manutenção das futuras plataformas em offshore.

Por isso, de acordo com o Presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, “esta conferência poderá, através da presença de conceituados oradores nos diversos painéis temáticos, ajudar a identificar os novos projetos de investimento que estão a ser preparados não só nas áreas da produção de energia como em sistemas tecnológicos e científicos”.

"CONVERSAS NA EIRA" NO AGROMUSEU DE LEIRIA QUESTIONA O FUTURO DO FOLCLORE APÓS A PANDEMIA

"Folclore: Que futuro após a pandemia?" é a segunda de várias tertúlias previstas e intituladas "Conversas na Eira" que o Município de Leiria, através do Agromuseu Municipal Dona Julhinha, está apromover com a parceria da Fundação INATEL, do Centro do Património da Estremadura (CEPAE), do Museu Etnográfico do Freixial e do Núcleo Museológico do Rancho Folclórico de São Guilherme (Santa Catarina da Serra).

As "Conversas na Eira" terão lugar em diversos museus etnográficos do concelho de Leiria e para o dia 24 de julho, pelas 15h30, a tertúlia será no espaço exterior do Agromuseu e terá como oradores Francisco Madelino, Presidente da Fundação INATEL, Daniel Café, Presidente da Federação do Folclore Português, Carla Raposeira, Diretora do Departamento de Cultura da Fundação INATEL e Adélio Amaro, Presidente do Centro do Património da Estremadura.

Durante a sessão haverá alguns momentos com a tocata do Rancho Folclórico da Barreira.

Com os respeitosos cumprimentos,

Adélio Amaro | Presidente

Centro do Património da Estremadura

02 cartaz final.jpg

GUIMARÃES: PSICÓLOGA CLÍNICA SANDRA NETO PARTICIPA EM PALESTRA SOBRE “IMPACTOS DA PANDEMIA DE SARS-CoV-2/COVID-19”

Iniciativa dinamizada no âmbito do Curso EFA B3 de Geriatria

O impacto psicossocial e económico da Pandemia de SARS-CoV-2/ COVID 19, no mundo e em Portugal, tem sido e será marcante.

Sandra Neto.jpg

Houve um despoletar de desigualdades sociais e um recrudescimento de perturbações do foro psíquico, que se explica “por uma diversidade de fatores, designadamente pelo medo de contrair o vírus, pela diminuição dos contactos interpessoais, pelas mudanças abruptas na esfera laboral, por exemplo”.

De facto, adiantou Sandra Neto, “a pandemia de SARS-CoV-2/ COVID 19 provavelmente mudou a forma como nós «vivemos a vida», tendo não só acarretado incertezas, isolamento social e pressões económicas, como também interrompido o ritmo e rotinas habituais.”

Esta nova realidade tem sido motivo de preocupação por parte da comunidade científica, de diversas áreas disciplinares. Assim sendo, neste momento já há diversas investigações que concluem que a pandemia tem e terá impactos colossais, nomeadamente ao nível da saúde mental (stress, ansiedade e depressão). Aquelas investigações frequentemente comparam indicadores avaliados no período pré-pandemia e durante a pandemia, sendo que algumas apontam para um aumento do consumo de álcool e drogas. Por outro lado, há algumas evidências científicas que sugerem que “as pessoas com comportamentos aditivos, por exemplo as dependentes de opioides, terão consequências negativas mais expressivas, na eventualidade de contraírem o vírus. Isso ocorre porque os opioides podem prejudicar a função pulmonar e debilitar o sistema imunológico, causando condições crónicas como doenças cardíacas e pulmonares, aumentando assim o risco de complicações graves do SARS-CoV-2/ COVID 19.

Por todos esses motivos, a Oradora alertou para a necessidade de se apostar no autocuidado, quer físico, quer mental. Ao nível físico sublinhou a importância da qualidade do sono, da prática de atividade física regular, do consumo de alimentos saudáveis, bem como a necessidade de evitar comportamentos aditivos (tabaco, álcool, drogas).

Manter uma rotina, limitar a exposição aos meios de comunicação social, usar ponderadamente as redes sociais, manter-se ocupado, procurar desenvolver pensamentos positivos, estabelecer objetivos, reforçar a rede de suporte social, assim como fazer algo em prol do bem comum (ex: voluntariado) foram algumas das estratégias abordadas por Sandra Neto. A psicóloga clínica reforçou que as “informações excessivas, rumores e informações incorretas podem exacerbar a sensação de falta de controlo, pelo que importa «filtrar» a informação que vai sendo transmitida.”   

Por último, referiu que um problema preocupante foi o aumento da violência doméstica. Neste enquadramento, “confrontado com risco acrescido daquele fenómeno, no contexto do isolamento necessário para a contenção do SARS-CoV-2/ COVID 19, o Governo efetivou uma campanha de sensibilização cujo intuito foi proteger as vítimas de violência doméstica, delineando alguns conselhos de segurança e solicitando ativação das redes de suporte social”, terminou Sandra Neto.

Esta atividade é realizada no âmbito da primeira Atividade Integradora do Curso EFA B3 de Geriatria, financiado pelo Programa Operacional Capital Humano (POCH), Programa Portugal 2020, Estado Português e Fundo Social Europeu (FSE).

215901752_1153193561842335_366081964141765040_n.jp

AMARES DEBATE "NARRATIVAS NO FEMININO"

Amares promove conferência "Maria Pais, A Ribeirinha - Notas Biográficas de uma Rica-dona, entre Leão e Portugal"

A Pousada Mosteiro de Amares, em Santa Maria de Bouro, acolhe no próximo dia 9 de julho, pelas 21h00, com transmissão online, a conferência "Maria Pais, A Ribeirinha - Notas Biográficas de uma Rica-dona, entre Leão e Portugal". A iniciativa pretende constituir um momento de reflexão a partir da análise das origens familiares de Dona Maria Pais, procurando-se valorizar a importância social e política de algumas linhagens muito bem implantadas junto da fronteira luso-galega-leonesa, e a sua trajetória no âmbito da alta nobreza dos séculos XII e XIII, bem como a sua influência no Norte Senhorial.

amaresnarratifeminino.jpg

Inserida no Ciclo de Conferências “Estórias do Minho – Narrativas no Feminino de uma Geografia Identitária”, promovida pelo Consórcio Minho Inovação, que integra as três Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave, no âmbito do projeto âncora “PA2. Touring Cultural – Identidade Cultural do Minho”, cofinanciado pelo Norte 2020, a atividade é de participação gratuita e poderá ser acompanhada através da página oficial do Facebook do Município de Amares: https://www.facebook.com/cmamares

A conferência irá contar com a participação de um reputado painel de investigadores, constituído por José Augusto de Sottomayor-Pizarro, Professor Associado com Agregação do Departamento de História e de Estudos Políticos e Internacionais da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Lúcia Maria Cardoso Rosas, Professora Catedrática do Departamento de Ciências e Técnicas do Património da mesma Universidade, bem como José Carlos Ribeiro Miranda, Professor Associado com Agregação do Departamento de Estudos Portugueses e Estudos Românicos. A Mesa redonda será ainda moderada por Sérgio Guimarães de Sousa, Professor do Departamento de Estudos Portugueses e Lusófonos do Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho e Diretor do Centro de Estudos Mirandinos em Amares.

Haverá ainda um momento musical interpretado pelo Grupo “ORGANUM VOX ENSEMBLE”, Grupo Vocal do Minho que se dedica ao estudo e interpretação de música medieval e renascentista, com vasta experiência e formação na área, composto por: Diana Pereira – Soprano, Marisa Oliveira – Contralto, Tiago Simães – Tenor, Eduardo Sousa – Baixo e Direção Musical de Tiago Simães. 

Neste ciclo de Conferências, que está a percorrer os 24 municípios do Minho, pretende-se valorizar um olhar inovador sobre a herança cultural do Minho rememorada no feminino, enquanto sociedade de forte tradição matriarcal, propiciando uma narrativa congregadora de saberes e valores identitários que importam estudar, conhecer, cuidar, preservar, valorizar e divulgar.