Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PAREDES DE COURA PROMOVE DEBATE SOBRE “MEMÓRIAS DA GUERRA EM ÁFRICA”

Fernando Rosas + Jaime Nogueira Pinto + Jorge Teixeira da Cunha

sáb | 10 dez | 17h30 | CENTRO CULTURAL

É já este sábado, 10 de dezembro, pelas 17h30, que o Centro Cultural de Paredes de Coura reúne importantes personalidades do conhecimento, como Fernando Rosas, Jaime Nogueira Pinto e Jorge Teixeira da Cunha, para abordar as ‘Memórias da Guerra em África’, no âmbito do ciclo ‘A Guerra em África’, que até março de 2023 contempla também exposições, debates com escritores que estiveram na guerra, um ciclo de cinema, além de sessões de leitura de textos, e de troca de opiniões sobre os conflitos que se travaram nas três frentes, Guiné, Angola e Moçambique.

Capturarpchistoriadores (10).JPG

Promovido pelo Município de Paredes de Coura e Centro Mário Cláudio, ‘Memórias da Guerra em África’ tem Carlos Magno como moderador, numa iniciativa que é precedida por uma visita guiada, pelas 16h30, à exposição itinerante do Museu Militar do Porto ‘Testemunhos da Guerra’. Esta visita será acompanhada por Alexandra Anjos, técnica superior daquela instituição militar, que facultou a exposição para este ciclo ‘A Guerra em África’.

Recorde-se que no Centro Mário Cláudio, no lugar de Venade, encontra-se também exposto um importante acervo documental facultado pelas gentes de Paredes de Coura, que responderam ao desafio colocado pelo Centro Mário Cláudio com a significativa disponibilização de fotografias, cartas e aerogramas, fardamento e condecorações, além de objetos ilustrativos do quotidiano das tropas.

‘A Guerra em África’ é um ciclo promovido pelo Centro Mário Cláudio e o Município de Paredes de Coura, que conta com as parcerias do Museu Militar do Porto, Editora Leya e Escola Superior de Media Artes e Design, do Politécnico do Porto. As iniciativas prolongam-se até março de 2023 e foram pensadas como pretexto de reflexão e relembrança, e de respeitosa homenagem à memória de quem morreu e sofreu. Daí que o critério adotado, no desenho desses momentos, fosse o do pluralismo ideológico, e o da harmonização democrática.

 

VIANA DO CASTELO DEBATE IMIGRAÇÃO NO CONCELHO

Museu de Artes Decorativas acolhe seminário sobre “A imigração em Viana do Castelo” a 10 de dezembro

No dia 10 de dezembro, o Museu de Artes Decorativas acolhe o seminário “A imigração em Viana do Castelo”, no âmbito dos Encontros Interculturais, tendo como público-alvo a população em geral.

O seminário inicia este sábado, às 10h00, com o acolhimento dos participantes e, a partir das 10h30, a programação integra um momento cultural pela Ucrânia. Às 10h40, a sessão de abertura conta com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, e da Alta-Comissária para as Migrações, Sónia Pereira.

Às 11h10, arranca o Painel I – “A imigração em Portugal: oportunidades e desafios”, seguida de apresentação do projeto da Associação Juvenil de Deão. Pelas 12h00, apresentação do volume da coleção estudos OM “Migrantes, acolhimento e integração local: um estudo de caso em Viana do Castelo”.

Às 12h30, acontece um momento cultural por São Tomé e Príncipe, seguida de considerações finais com prova gastronómica de vários países.

De tarde, às 14h30 o seminário retoma com momento cultural que inclui excerto da peça de teatro “ANDORIIINHAS”, pelo Teatro do Noroeste – CDV. Às 14h50, painel II, com “A imigração em Viana do Castelo: Políticas locais de integração de migrantes em Viana do Castelo”, pela Vereadora da Coesão Social, Carlota Borges.

Às 15h40, será apresentado um documentário Produzido ao Norte, pela Associação de Produção e Animação Audiovisual – AO NORTE, terminando a tarde com momento cultural pela Venezuela e prova gastronómica de vários países.

CapturarVCIMIGR (3).JPG

CELORICO DE BASTO PROMOVE PALESTRA SOBRE DIABETES

O Centro Cultural Marcelo Rebelo de Sousa, contou, no dia 30 de novembro, com uma vasta plateia a ouvir atentamente os oradores convidados a participar na palestra sobre a diabetes. Especialistas de diferentes áreas explicaram a importância da alimentação equilibrada, do exercício físico nesta que é considerada a pandemia do Século XXI.

Capturarcelo1 (4).JPG

Maria José Marinho, Vereadora da Saúde do Município de Celorico de Basto, disse que esta atividade surge na “sequência da campanha realizada pelo Município sobre a diabetes com o intuito de sensibilizar a população para esta temática. Queremos que as pessoas percebam a importância de alguns comportamentos que contribuem muito positivamente para atenuar a doença ou mesmo evitá-la, no caso da diabetes tipo II. Um trabalho de sensibilização que é feito diariamente pelas enfermeiras da UMS e que reflete o investimento que o Município tem feito na sensibilização e na promoção da saúde. Exemplo disso é também o facto de termos assumido a gestão direta dos nossos refeitórios escolares, estamos a investir numa alimentação de qualidade, que privilegia a introdução de legumes, fruta, alimentos saudáveis, que a curto prazo trarão benefícios a todas as nossas crianças e jovens”.

Esta ação contou com a presença de Diana Fernandes, Nutricionista especialista em nutrição clínica da URAP ACES Tâmega I – Baixo Tâmega que esclareceu que “a alimentação está na base quer da prevenção, quer do tratamento, é necessário fazer uma alimentação com pequenas regras ao longo do dia. Fracionar as refeições, evitar alimentos com açúcar adicionado, optar por alimentos com menos gordura, menos sal, privilegiar os alimentos de origem vegetal, os alimentos integrais e também manter um peso corporal saudável”. Já Luís Azevedo, com mestrado em Exercício físico e Nutricionista, investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, acrescentou que o exercício físico “tem um papel essencial na prevenção, e que pode mudar a vida das pessoas. E, mesmo depois da doença surgir mostra-se como capital para controlar a doença acoplado à medicação e, em alguns casos, pode levar a que fiquemos independentes da medicação”.

 A ação contou também com Olinda Marques, Médica Endocrinologista, em representação da SPEDM, e Diretora do Serviço de Endocrinologia do Hospital de Braga, que fez uma abordagem genérica à doença e disse que é “imprescindível conversar sobre a diabetes, a preparação de qualquer médico para lidar com doentes é muito na ótica da sensibilização. Se o doente não entender o que necessita de fazer por si próprio, sendo um agente ativo, vai ficar sempre um défice no tratamento e os resultados não serão os melhores. É difícil mudar comportamentos, as pessoas estão formatadas ao seu dia a dia, aquilo que fazem habitualmente, e o problema da diabetes é que nem sempre dá sintomas suficientes, para a pessoa sentir a necessidade de mudar”. 

O painel foi moderado pelo Coordenador da UCSP DE Celorico de Basto – Assistente Graduado de Medicina Geral e Familiar, Ernesto Martins, que nos disse que a diabetes “é um problema de saúde pública, uma pandemia do século XXI sobretudo pelos problemas que vai acarretar, a diabetes numa fase inicial não dá sintomas, morde pela calada, e mais tarde vai começar a dar problemas muito sérios. Por isso é preciso evitar, evitar que ela apareça sobretudo quando já sabemos que temos um risco aumentado de podermos vir a ter diabetes. Vamos medindo esse risco em função dos nossos antecedentes, se temos uma genética que já aponta para isso, se temos excesso de peso, vida sedentária, todos esses fatores de risco fazem com que sejamos mais proactivos, para prevenir a diabetes. Quando nos é diagnosticada temos que a tratar o melhor possível temos que melhorar a alimentação, melhorar a dieta, fazer exercício físico e no finalmente temos a medicação. Falar é importante, sensibilizar é crucial.”

A ação insere-se na campanha levada a cabo pela UMS, numa parceria entre o Município e a UCC Mãos Amigas e, como nos disse a Coordenadora da Saúde do Município, Helena Martinho, “procura Incidir numa temática, infelizmente recorrente, e que transporta em si muitas dificuldades. Os nossos idosos são os principais utentes da UMS e são diariamente informados pelas nossas enfermeiras dos comportamentos a adquirir para mitigar esta doença. Comportamentos que muitas vezes são negligenciados por fatores culturais e por hábitos difíceis de moldar, mas nos quais incidimos recorrentemente, em educação para a saúde”.

Capturarcelo8 (1).JPG

Capturarcelo2 (2).JPG

Capturarcelo5 (2).JPG

Capturarcelo3 (3).JPG

Capturarcelo4 (4).JPG

VIANA DO CASTELO DEBATE REABILITAÇÃO DE DARQUE

Seminário “Cidade (i)Nova: Reabilitar para quê e para quem?” a 7 de dezembro para debater ARU Cidade Nova de Darque

No dia 7 de dezembro, entre as 14h30 e as 17h30, será promovido o seminário “Cidade (i)Nova: Reabilitar para quê e para quem?”, no Hotel FeelViana, para apresentar e debater a nova Área de Reabilitação Urbana da Cidade Nova, em Darque, no âmbito da segunda edição das Jornadas Viana Práxis.

O encontro pretende dar a conhecer a nova ARU, que abrange a área da Cidade Nova, dando a conhecer as oportunidades de investimento para investidores e particulares.

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, fará a sessão de abertura do seminário e a nova área de reabilitação urbana será apresentada ao pormenor. Outros temas, tais como novas tendências do mercado imobiliário, os desafios da habitação, instrumentos financeiros e oportunidades de negócio serão debatidos por diversos oradores, que integram os dois painéis ao longo da tarde.

Tendo como objetivo incentivar o pensamento crítico e uma participação pública ativa, como contributos e bases de planeamento e gestão urbana de Viana do Castelo, o seminário é dirigido a investidores e público em geral, sendo necessária a inscrição prévia até dia 5 de dezembro, através do link: http://www.cm-viana-castelo.pt/pt/2-edicao-as-jornadas-viana-praxis

Recorde-se que, em setembro passado, foi aprovada a constituição da 12ª Área de Reabilitação Urbana do concelho, designada Cidade Nova, na freguesia de Darque. A delimitação da nova ARU enquadra-se na estratégia de desenvolvimento definida para o município, que tem na reabilitação urbana e na melhoria do ambiente urbano um dos seus principais pilares de sustentação.

            A área “corresponde a um polígono confinante com a delimitação para a ARU proposta, ao longo do eixo da EN 13, nos limites entre a Urbanização da Quinta da Bouça e da Quinta do Sequeiro”. A área alvo de delimitação tem cerca de 31,28 hectares e a população residente, de acordo com os Censos de 2011, é composta por cerca de 767 indivíduos. Quando analisado o edificado existente nesta área, verifica-se que grande parte possui mais de 30 anos, pelo que se justifica a adoção de medidas que contribuam para a sua reabilitação.

            A ARU Cidade Nova – Darque tem como objetivos promover o crescimento inteligente, promover o crescimento sustentável, promover o crescimento inclusivo e, ao nível da administração e gestão do território, visa: reforçar a política de reabilitação; definir um contexto regulamentar, económico e fiscal propício à reabilitação; assegurar o acesso a fontes de financiamento para a reabilitação urbana; adotar medidas de gestão adequadas à promoção da reabilitação urbana; dar acesso aos proprietário e titulares de outros direitos, ónus e encargos sobre os edifícios ou frações a um conjunto mais alargado de incentivos disponíveis; aumentar e estimular a oferta habitacional através de políticas adequadas.

A delimitação da ARU produz os seguintes efeitos: simplifica e agiliza os procedimentos de licenciamento e de comunicação prévia de operações urbanísticas; obriga à definição pelo Município de benefícios fiscais associados aos impostos municipais, nomeadamente o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e o Imposto Municipal sobre as Transmissões onerosas de imóveis (IMT); confere aos proprietários e titulares de outros direitos, ónus e encargos sobre os edifícios ou frações nela compreendidos o direito de acesso aos apoios e incentivos fiscais e financeiros à reabilitação urbana, nomeadamente em sede de Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares (IRS) e Imposto sobre o Rendimento de pessoas Coletivas (IRC); permite o acesso facilitado a financiamento para obras de reabilitação; compromete o Município a aprovar uma operação de reabilitação urbana para esta área num prazo máximo de três anos, sob pena de caducidade da ARU.

Para esta nova ARU, como medida adicional de incentivo, propôs-se a redução em 50% das taxas administrativas cobradas pela Câmara Municipal no âmbito dos processos relativos a ações de reabilitação, nos termos definidos pela lei. Propõe-se ainda que a isenção de IMI seja renovada, a requerimento do proprietário, por mais cinco anos, no caso de imóveis afetos a arrendamento para habitação permanente ou a habitação própria e permanente.

BARCELOS REALIZA CICLO DE CONFERÊNCIAS SOBRE ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO DO CONCELHO

Ciclo de Conferências: Fatores de competitividade e visão para o desenvolvimento

Realiza-se no próximo dia 28 de novembro de 2022, pelas 15h00, no auditório da Câmara Municipal de Barcelos, a primeira iniciativa de um Ciclo de Conferências cujo objetivo é envolver os agentes económicos, sociais e culturais locais, bem como todas as instituições de ensino e a população em geral na discussão da estratégia para o desenvolvimento do concelho, num modelo que deverá respeitar a história rica e os fatores de competitividade endógenos do território barcelense.

A nova estratégia de desenvolvimento ambiciona posicionar Barcelos como um território competitivo, promovendo o bem-estar e a coesão da sua população, tornando o concelho numa referência ao nível dos objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.

A primeira sessão deste ciclo de conferências, agendada para segunda-feira, 28 de outubro, às 15h00, contará com a participação do Presidente da Câmara Municipal, Mário Constantino Lopes, e de Fernando Alexandre, professor de Economia da Universidade do Minho, que apresentará uma caracterização da estrutura empresarial, os fatores de competitividade e as condições para o desenvolvimento no concelho.

Após essa apresentação segue-se um período aberto à discussão, para o qual foram convidados, Maria José Fernandes (Presidente do IPCA), Conceição Dias (Presidente do Grupo Diastêxtil) e Pedro Brás Silva (Associate Partner Deloitte). O debate será moderado por Carlos Eduardo Reis (Deputado à Assembleia da República e Vereador da Câmara Municipal de Barcelos).

No encerramento desta 1ª Conferência do Ciclo “Fatores de competitividade e visão para o desenvolvimento do concelho de Barcelos” usará da palavra o Presidente da CCDR-Norte, António Cunha.

CapturarBARCCONF (1).JPG

ARCOS DE VALDEVEZ: ARCUENSE ELIANA SILVA REALIZA PALESTRA ACERCA DA “FOTOSSÍNTESE ARTIFICIAL”

Arcuenses com Ciência: Dra. Eliana Silva. “Fotossíntese Artificial: conversão de energia solar em combustível”

26 de novembro | 10 horas | Oficinas de Criatividade Himalaya - Centro Ciência Viva dos Arcos

No próximo dia 26 de novembro, pelas 10 horas, nas Oficinas de Criatividade Himalaya - Centro Ciência Viva dos Arcos, realizar-se-á a palestra intitulada “𝐅𝐨𝐭𝐨𝐬𝐬í𝐧𝐭𝐞𝐬𝐞 𝐀𝐫𝐭𝐢𝐟𝐢𝐜𝐢𝐚𝐥: 𝐜𝐨𝐧𝐯𝐞𝐫𝐬ã𝐨 𝐝𝐞 𝐞𝐧𝐞𝐫𝐠𝐢𝐚 𝐬𝐨𝐥𝐚𝐫 𝐞𝐦 𝐜𝐨𝐦𝐛𝐮𝐬𝐭í𝐯𝐞𝐥”, que terá como oradora a arcuense Eliana da Silva, Investigadora na Universidade Autónoma de Barcelona.

Capturareliana (9).JPG

Esta iniciativa enquadra-se no âmbito do projeto “Arcuenses com Ciência” das Oficinas de Criatividade Himalaya, que pretende dar voz a cientistas das mais diversas áreas, que de algum modo estejam ligados a Arcos de Valdevez, contribuindo para a proximidade que pretendemos fomentar entre a comunidade e a ciência.

Atualmente e a nível mundial, os combustíveis fósseis são a fonte primária de energia. No entanto, este recurso natural está disponível em quantidades finitas, sendo necessário encontrar fontes de energia alternativas. O hidrogénio (H2) é considerado, quer do ponto de vista ambiental como económico, uma fonte de energia atrativa para substituir os convencionais combustíveis fósseis.

Nota biográfica da palestrante: Eliana Silva, natural de Arcos de Valdevez, Doutorada em Química pela Universidade de Coimbra (Portugal) e pela Université Blaise Pascal (França). Exerceu funções de Investigadora e Professora Auxiliar Convidada na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), sendo que atualmente é Investigadora na Universidade Autónoma de Barcelona (Espanha). Os seus interesses de investigação são multidisciplinares, abrangendo áreas científicas como Química Ambiental, Fotoquímica, Ciência dos Materiais e Síntese Química.

*O evento é gratuito, de inscrição obrigatória e com vagas limitadas, sendo necessária uma inscrição por cada participante.

Para inscrição basta preencher o seguinte formulário até ao dia 24 de novembro: https://forms.gle/GtbThGAjaV12hEki9

Capturarfotosin (7).JPG

COLÓQUIO ORGANIZADO PELA APEF DEVERÁ REUNIR PERTO DE 70 PARTICIPANTES EM AMARES NO PRÓXIMO ANO

Evento será organizado em parceria com o CEM

A Associação Portuguesa de Estudos Franceses esteve de visita ao concelho de Amares, no sentido de avaliar a possibilidade de realizar, no próximo ano (2023), um encontro comemorativo dos 20 anos dessa associação, em parceria com o Centro de Estudos Mirandinos – CEM.

IMG_8412.jpg

A concretizar-se, esse encontro trará ao concelho perto de 70 participantes, uma boa parte dos quais oriundos de França e do Canadá, o que na opinião do Diretor do CEM constituirá, “sem dúvida, uma excelente oportunidade para divulgar as virtudes gastronómicas, culturais, patrimoniais e paisagísticas do concelho, reforçando a promoção do território e consolidando-o como apto a receber encontros científicos, artísticos e culturais internacionais e de notório prestígio”.

Por parte da APEF, o feedback não podia ser mais positivo e o colóquio, ao que tudo indica, deverá mesmo realizar-se em Amares. “Vamos ter certamente uma boa parceria porque é uma boa forma de descentralizar os nossos eventos científicos, muito centrados na universidade, e estar em contacto com outro ambiente, outro contexto, essencialmente, o contexto rural”, referiu o Presidente da APEF, José Domingues de Almeida, que se fez acompanhar por Cristina Álvares. Por outro lado, “também se compagina com o tema do colóquio que estamos a prever realizar aqui em Amares, isto é, mutações sociais, mutações sociológicas, espaços e profissões e contextos de vida, vivências entre o urbano e o rural. Portanto, acho que será uma forma de realmente potenciarmos também esta região juntando o útil ao agradável: a qualidade científica, o rigor científico, a este quadro eu diria até mágico”, acrescenta.

IMG_8429 (5).jpg

FAMALICÃO: “NORMA E DESVIO NA DITADURA” EM DESTAQUE NOS ENCONTROS DE OUTONO DO MUSEU BERNARDINO MACHADO

Colóquio realiza-se nos dias 18 e 19 de novembro, no auditório da Fundação Cupertino de Miranda.

“Norma e desvio na Ditadura (1926-1974)” é o tema da edição deste ano dos Encontros de Outono, colóquio organizado pelo Museu Bernardino Machado, que decorre no auditório da Fundação Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão, nos dias 18 e 19 de novembro.

A iniciativa traz até Famalicão um grupo de oradores de prestígio para uma reflexão/debate sobre a forma como determinadas questões sociais eram abordadas no período da Ditadura em Portugal (1926-1974).

“Os doentes mentais no período da Ditadura”, “Homossexualidade e resistência na Ditadura”, “A prostituição durante a Ditadura”; “A especificidade da censura na (des)informação televisiva em Portugal ao tempo de Salazar e Caetano”; “Quem eram os criminosos? Aportes vindos da medicina e da antropologia física em Portugal (1890-1960)”; “A população cigana transmontana no Estado Novo: retrato de uma realidade oculta”; “A mulher na oposição ao Estado Novo”; “Os Maçons na Oposição à Ditadura (1926-1974)” e “O Crime político no Estado Novo” serão os temas em debate.

Alexandra Oliveira, da Universidade do Porto, Patrícia Ferraz de Matos, da Universidade de Lisboa, Rui Cádima, do Instituto de Comunicação da Universidade Nova de Lisboa, e Luís Bigotte Chorão, da Universidade de Coimbra são alguns dos oradores convidados.

“As sociedades convivem mal com o desvio, simplesmente porque a normalidade é fundamental para a sua sobrevivência, manutenção e continuidade. O desvio entra em rota de colisão com essa normalidade, mas sem o desvio não há mudança, não há evolução e uma sociedade que o aniquila, corre o risco de enquistar, esterilizar e fenecer. Norma e desvio são, pois, reciprocamente indissociáveis do ponto de vista social e a História pode ser um excelente campo para a reflexão”, refere a propósito o coordenador científico do Museu Bernardino Machado, Norberto Cunha.  

As inscrições para o colóquio já estão abertas e decorrem até ao dia 17 de novembro, em www.bernardinomachado.org. O evento é aberto ao público em geral e está certificado pelo CFAEVNF - Centro de Formação Associação de Escolas de Vila Nova de Famalicão.

Capturardita (3).JPG

PAREDES DE COURA DEBATE ‘A GUERRA EM ÁFRICA’

exposições + literatura + fotografia + cinema + debates + história

sáb | 29 out | 17h00 | Centro Mário Cláudio | Venade

‘A Guerra em África’ é o ciclo promovido pelo Centro Mário Cláudio e o Município de Paredes de Coura, que ao longo de seis meses, até março de 2023, vai trazer a Paredes de Coura exposições, debates e exibições, tendo por referência os conflitos que se travaram nas três frentes, Guiné, Angola e Moçambique.

Capturarguin1 (11).JPG

Com as parcerias do Museu Militar do Porto, da Editora Leya e da Escola Superior de Media Artes e Design, do Politécnico do Porto, o arranque deste ciclo ‘A Guerra em África’ é já este sábado, 29 de outubro, pelas 17h00, em Venade, estando também confirmado o primeiro encontro de escritores para 19 de novembro e que contará com a presença de Lídia Jorge, Manuel Alegre, João de Melo e Mário Cláudio.

Complementa este ciclo um importante acervo documental facultado pelas gentes de Paredes de Coura, que responderam ao desafio colocado pelo Centro Mário Cláudio com a significativa disponibilização de fotografias, cartas e aerogramas, fardamento e condecorações, além de objetos ilustrativos do quotidiano das tropas.

Paralelamente, no Centro Cultural estará patente a exposição temporária do Museu Militar do Porto ‘Testemunhos de Guerra’, com o apoio do Exército Português, que apresenta uma visão das fases que marcaram um período da História de Portugal, que ainda permanece na memória de muitos, onde mais de 10 mil jovens perderam a vida em prol da Pátria.

Com estes testemunhos, fica o registo da forma como, nas famílias dos militares, e já não no teatro bélico, se viveram duas décadas que dolorosamente marcaram a nossa história, individual e coletiva, e bem assim todo o imaginário daí resultante.

As iniciativas, alinhadas entre outubro de 2022 e março de 2023, foram pensadas como pretexto de reflexão e relembrança, e de respeitosa homenagem à memória de quem morreu e sofreu. Daí que o critério adotado, no desenho desses momentos, fosse o do pluralismo ideológico, e o da harmonização democrática.

Haverá exposições, debates com escritores que estiveram na guerra, e com historiadores de vários quadrantes políticos, um ciclo de cinema, além de sessões de leitura de textos, e de troca de opiniões.

Capturarguin2 (14).JPG

Capturarguin3 (10).JPG

ESTRATÉGIAS E FUTURO PARA O ALTO MINHO VÃO SER DEBATIDOS EM CAMINHA

Valadares, Teatro Municipal de Caminha acolhe sessão de “Apresentação da Estratégia Alto Minho 2030”, no dia 25 de outubro

O concelho de Caminha vai acolher a sessão de “Apresentação da Estratégia Alto Minho 2030”, no âmbito do Ciclo de Conferências Alto Minho 2030, debatendo os desafios, oportunidades e perspetivas para o Alto Minho 2030. Os trabalhos vão ocupar uma manhã inteira, contando com participantes representativos de vários setores, mas sobretudo personalidades que conhecem bem a realidade do Alto Minho. Será no próximo dia 25 deste mês, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha. O encerramento será feito pela Ministra da Coesão, Ana Abrunhosa.

3M1A0939 (2).jpg

A sessão de abertura está marcada para as 09h30, ocupando a parte mais institucional dos trabalhos. Participam o Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Rui Lages; o Presidente do Conselho Intermunicipal da CIM Alto Minho, Manoel Batista, e o Presidente da CCDR-n, António Cunha, devendo ainda juntar-se ao painel o Secretário de Estado da Conservação da Natureza e Florestas, João Paulo Catarino.

Um segundo painel e uma mesa redonda, ambos com moderação de Inês Cardoso, Diretora do Jornal de Notícias, constituem os momentos mais técnicos do evento e vão juntar especialistas de vários setores. "Desafios, oportunidades e perspetivas para o Alto Minho 2030" é o tema do painel, enquanto a Mesa redonda procurará encontrar respostas para a questão: Que futuro para o Alto Minho?

No painel vão intervir Paulo Queiroz, Celso Carvalho e Jorge Costa, Júlio Pereira, estando também prevista a participação nesta fase do representante da Conselleria de Facenda e Administración Pública Plano Estratégico "Galicia 2030.

A Mesa redonda vai contar com os contributos de Ricardo Conde, Carlos Pereira, Silvia Correia e Luís Araújo.

O encerramento dos trabalhos está previsto para as 12h30. A Ministra Ana Abrunhosa, responsável pela pasta da Coesão Territorial no XXXIII Governo Constitucional, regressará assim a Caminha, depois de ter sido também a convidada do Município para a inauguração da primeira Incubadora Verde do concelho, em Argela, no início desta semana.

PROGRAMA

09h00 | Receção dos participantes e oradores

Welcome Coffee e Networking

09h30 | Sessão de abertura

- Rui Lages, Presidente da Câmara Municipal de Caminha

- Manoel Batista, Presidente do Conselho Intermunicipal da CIM Alto Minho

- António Cunha, Presidente da CCDR-n

- João Paulo Catarino, Secretário de Estado da Conservação da Natureza e Florestas*

10h00 | Painel: Desafios, oportunidades e perspetivas para o Alto Minho 2030

Moderação: Inês Cardoso, Diretora do Jornal de Notícias

- Paulo Queiroz, O Processo e A Proposta: Revisitação da Estratégia Alto Minho 2030

- Celso Carvalho, Plano de Ação Empreendedorismo e Competitividade Territorial

- Jorge Costa, Plano de Ação Turismo Sustentável Alto Minho 2030

- Júlio Pereira, Perspetivas para os territórios NUT III no contexto do POR Norte 2030

- Conselleria de Facenda e Administración Pública Plano Estratégico "Galicia 2030"*

11h00 | Coffee break

11h30 | Mesa redonda: Que futuro para o Alto Minho?

Moderação: Inês Cardoso, Diretora do Jornal de Notícias

(personalidades com reconhecimento Alto Minho)

- Ricardo Conde, Presidente Portugal Space

- Carlos Pereira, Investigador Ciências Médicas e da Saúde, Universidade da Suécia

- Silvia Correia, Creative Zone

- Luís Araújo, Biedronka (Poland) - Jerónimo Martins Group*

12h30 | Sessão de encerramento

- Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial

*A confirmar

VIANA DO CASTELO ACOLHE CONFERÊNCIA DA REDE EUROPEIA DE HUBS CRIATIVOS - BAUTOPIA2

Viana do Castelo recebe 80 participantes para Conferência da Rede Europeia de Hubs Criativos - Bautopia2

O Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo, acolhe, esta quarta-feira à tarde, a Conferência da Rede Europeia de Hubs Criativos - Bautopia2, que reúne cerca de 80 participantes nacionais e internacionais.

A segunda edição do BAU TOPIA é organizada em parceria pelo European Creative Hubs Network e Creative FLIP Project, co-promovida pelos Municípios do Porto e Viana do Castelo, em cooperação com CRU 'hub' criativo, UPTEC e Dínamo 10.

O evento prevê debater a glocalização na cultura e criatividade, capacitando os setores através da troca de conhecimento e de experiências, dividindo-se entre as cidades do Porto e Viana do Castelo e contando ainda com transmissão on-line.

A conferência abordará temas importantes para os atores culturais e criativos de hoje: acesso a diferentes recursos de financiamento e proteção dos direitos de propriedade intelectual, o futuro da educação artística e da educação pelas artes, glocalização e políticas culturais específicas para as áreas não urbanas e rurais e seu cenário cultural, inovação e muitos outros.

Esta conferência acontece em Viana do Castelo no âmbito da aposta nas indústrias criativas e do empreendedorismo com vista à fixação de talento no território. Atualmente, existem dois projetos que se destacam na área criativa com participação cidadã em Viana do castelo, promovido pela Dinamo10: Viana Abordo e Rural Hub da Montaria.

VALOR ACRESCENTADO E SUSTENTABILIDADE EM DEBATE EM FAMALICÃO

Fórum económico promovido pelo JN, TSF e Município de Famalicão realiza-se no dia 25 de outubro na Casa das Artes

A artista plástica Joana Vasconcelos, o presidente da Fundação José Neves, Carlos Oliveira, e o professor de Economia da Universidade do Minho Fernando Alexandre, são alguns dos convidados do 4.º Fórum Económico Famalicão, uma iniciativa conjunta do Jornal de Notícias, TSF e Município de Vila Nova de Famalicão, que se realiza no próximo dia 25 de outubro, na Casa das Artes e que contará um depoimento do vice-presidente executivo da Comissão Europeia Frans Timmermans.

Valor Acrescentado e Sustentabilidade é o tema que vai estar em cima da mesa para abrir novas perspetivas de futuro para a indústria nacional. A empresária Raquel Vieira de Castro, o Presidente da Fundação José Neves, Carlos Oliveira, o diretor do CITEVE Braz Costa e o empresário João Koehler, são outras das personalidades influentes que vão participar no debate que será encerrado pela ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

O debate estará centrado nos desafios que se colocam à economia e às empresas, à ciência, tecnologia, inovação e potencialidades de transformação do Made IN para o Created IN. O evento é de entrada gratuita, mas sujeita a inscrição obrigatória até à lotação da sala ou, não sendo atingida, até ao dia 24 de outubro.

Link para inscrição: https://www.eventbrite.pt/e/bilhetes-4o-forum-economico-de-famalicao-429193678847

Conferência_Oradores (14).jpg

FAFE ACOLHEU A 32ª CONFERÊNCIA ANUAL DA ASSOCIAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES EUROPEIAS DE MIGRAÇÃO (AEMI)

  • Crónica de Daniel Bastos

Entre os dias 28 de setembro e 1 de outubro, decorreu a 32ª. Conferência Anual da AEMI - Associação das Instituições Europeias de Migração, uma rede de quarenta organizações europeias, fundada na Alemanha em 1991, que trabalham no campo da História das Migrações.

Este ano, a conferência, subordinada à temática "Refúgio e Acolhimento - Caminhos para a Inserção", teve lugar no concelho de Fafe, uma cidade do interior norte de Portugal, situada no distrito de Braga, no coração do Minho, que desde o início do séc. XXI alberga o Museu das Migrações e das Comunidades. Um espaço museológico que integra a AEMI, e cuja missão assenta no estudo, preservação e comunicação das expressões materiais e simbólicas da emigração portuguesa, detendo-se particularmente na emigração para o Brasil do século XIX e primeiras décadas do XX, e na emigração para os países europeus da segunda metade do século XX.

32.ª Conferência Anual da AEMI (13).jpg

A Presidente da AEMI, Cathrine Kyø Hermansen, no decurso da abertura da 32.ª Conferência Anual em Fafe

No decurso dos três dias da conferência anual, dezenas de investigadores e especialistas provenientes de países como Espanha, Eslovénia, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Luxemburgo, Polónia, Itália, Finlândia e Portugal, analisaram e debateram temáticas prementes e comuns, mormente eixos de investigação e trabalho relacionados com migrações, asilo, fronteiras e refugiados.

Como foi o caso, por exemplo, do Município de Fafe que apresentou no decorrer da iniciativa, o programa de acolhimento criado para refugiados ucranianos que foram recebidos no concelho poucas semanas após o início do conflito. Por esta altura a “Sala de Visita do Minho”, na esteira de várias localidades no território nacional, acolhe várias famílias e cidadãos ucranianos que já se encontram perfeitamente integrados, tendo providenciado, entre outros mecanismos de suporte, cursos de português, colocação das crianças nas escolas locais e apoio à entrada dos jovens no ensino superior, entre muitas outras ações de apoio social e saúde implementadas em articulação com os programas nacionais.

Num período em que o número de ucranianos que deixaram o seu país desde a invasão russa ultrapassa já os 6,8 milhões, tornando-se a mais grave crise de refugiados da atualidade. E que o mundo vive imerso nas implicações socioeconómicas do conflito, a 32.ª Conferência Anual da AEM, assim como a onda portuguesa de solidariedade com a Ucrânia, que perpassa o país de Norte a Sul, robustecem o apelo lançado recentemente pelo Papa Francisco no âmbito Dia Mundial do Migrante e Refugiado: “a construção dum mundo onde todos possam viver em paz e com dignidade”.

FAFE ACOLHE CONFERÊNCIA ANUAL DA ASSOCIAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES EUROPEIAS DE MIGRAÇÃO

Fafe será palco da 32ª conferência anual da AEMI - Associação das Instituições Europeias de Migração

Durante 4 dias reúnem-se em Fafe especialistas e investigadores de toda a Europa. Município apresentará o seu programa de acolhimento de refugiados da Ucrânia

De 28 de setembro a 1 de outubro, Fafe acolhe a 32ª conferência anual da AEMI - Associação das Instituições Europeias de Migração, uma rede de quarenta organizações europeias que trabalham no campo da História das Migrações e da qual o Museu das Migrações e das Comunidades – sediado em Fafe e pioneiro em Portugal - é membro integrante.

A conferência, subordinada à temática “Refúgio e Acolhimento - Caminhos para a Inserção”, terá lugar no Auditório Municipal e contará com a presença de dezenas de investigadores e especialistas na matéria provenientes de países como Espanha, Eslovénia, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Luxemburgo, Polónia, Itália, Finlândia ou Portugal.

O programa começa no dia 28 de setembro com uma receção aos participantes nos Paços do Concelho, sendo que os trabalhos efetivos decorrerão nos dias 29 e 30. O último dia será dedicado à Assembleia da AEMI da parte da manhã, contemplando da parte da tarde um programa cultural que inclui visitas a pontos de interesse e uma experiência gastronómica destinada aos participantes.

Fafe apresenta programa de acolhimento de refugiados ucranianos
O Município de Fafe apresentará, no decorrer da iniciativa, o programa de acolhimento criado para refugiados ucranianos que foram recebidos no concelho poucas semanas após o início do conflito. Fafe acolhe várias famílias e cidadãos ucranianos que já se encontram perfeitamente integrados, tendo providenciado, entre outros mecanismos de suporte, cursos de português, colocação das crianças nas escolas locais e apoio à entrada dos jovens no ensino superior, entre muitas outras ações de apoio social e saúde implementadas em articulação com os programas nacionais.

Na cerimónia de abertura, a Vereadora da Cultura e Relações Internacionais, Paula Nogueira, fará um enquadramento da forte ligação de Fafe à diáspora, destacando aspetos relacionados com a projeção do Museu das Migrações, o trabalho que está em curso em torno da história e memória coletiva, e a campanha recentemente lançada «FAFE e os fafenses pelo Mundo», através da qual se pretende mapear a diáspora fafense, nomeadamente através de um census destinado aos milhares de fafenses espalhados pelo mundo.

Cartaz 32ª Conferência AEMI (1).png

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VIANA DO CASTELO PARTICIPOU NA CONFERÊNCIA “AS CIDADES E A LOGÍSTICA”

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, marcou ontem presença na 3ª conferência “As Cidades e a Logística”, que aconteceu no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, numa organização da APLOG – Associação Portuguesa de Logística.

aplog luis nobre (1).jpeg

Na sua intervenção, no painel “Mobilidade Urbana / Cidades Inteligentes”, o autarca vianense recordou que, em Viana do Castelo, a transformação das ruas em zonas pedonais é um processo que pretende reverter a excessiva quantidade de carros nas cidades, procurando devolver ao peão e ao cidadão um espaço habitável. Esta decisão foi tomada tendo em vista a redução da poluição e do ruído, o aumento da segurança e a redução de acidentes, o aumento de estilos de vida saudável e a promoção do comércio local e do turismo.

Luís Nobre defendeu que as medidas de restrição automóvel no centro histórico de Viana do Castelo foram graduais ao longo do tempo, com vista a criar hábitos e não constrangimentos a quem vive, consome ou visita o centro histórico. Para tal, a circulação na zona central da cidade está condicionada ou proibida à circulação de trânsito, exceto de transportes de mercadorias.

O autarca reconheceu que a retirada e a diminuição do trânsito no centro histórico da cidade estendeu-se gradualmente a muitas ruas de forma sustentável, num investimento público de 6 milhões de euros, ao mesmo tempo que foram criadas opções para o aparcamento de carros. Existem, na cidade, mais de 10 parques de estacionamento a circundar o centro histórico, sendo dois gratuitos (Parque do Gil Eannes e da Pousada da Juventude) e outro a preços reduzidos (Parque de Estacionamento do Campo d’Agonia). No total, existem 4.068 lugares nos parques de estacionamento da cidade e, em momentos pontuais, há ainda um reforço dos lugares existentes para dar resposta imediata ao aumento da procura.

Luís Nobre considerou que o crescimento harmonioso das ruas pedonais no centro histórico, associado a um bom planeamento urbanístico da cidade, tem permitido otimizar e transformar serviços, vias e instituições, afirmando Viana do Castelo como uma cidade inteligente.

O Presidente da Câmara recordou ainda o investimento que tem sido feito no reforço da rede de infraestruturas entre os diferentes polos industriais, nomeadamente com o projeto do novo acesso rodoviário do Vale do Neiva ao Nó da A28, projeto da nova travessia do Rio Lima entre EN 203 – Deocriste e EN 202 – Nogueira, bem como o novo acesso ao Porto de Mar.

Luís Nobre afirmou que está em desenvolvimento um Plano de Ação para Mobilidade Urbana Sustentável e, para o futuro, quer reforçar a aposta na transição para os Modos de Mobilidade Suaves e o reforço da cidadania/proximidade com a população.

aplog luis nobre (3).jpeg

aplog luis nobre (4).jpeg

TECMEAT ORGANIZA CONFERÊNCIA MEAT MEETINGS’22

A iniciativa acontece no dia 27 de setembro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão

O TECMEAT, Centro de Competências do Agroalimentar para o Setor das Carnes, em parceria com o Colab4Food, PortugalFoods e o Município de Famalicão, vai realizar no próximo dia 27 de setembro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, a conferência MEAT MEETINGS'22, uma iniciativa que pretende ser um ponto de partilha e de debate para diversos stakeholders da indústria agroalimentar, com foco no segmento das carnes.

AFS_1878 (1).jpg

Este evento vai reunir várias entidades nacionais e internacionais, numa conferência onde serão explorados temas como simbiose industrial, transformação de subprodutos, economia circular, MEAT 4.0, sistemas automáticos de controlo de qualidade, novos produtos revolucionários, entre outros.

O programa conta com um leque de oradores de instituições como: ETSA, Soja de Portugal, Portugalfoods, Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), Introsys, Colab4Food – Laboratório Colaborativo Para a Inovação da Indústria Agroalimentar, Deloitte Portugal, LOOP, Cell4Food, Zyrcular, Eat Just Inc., CITEVE e Universidade Católica Portuguesa.

Para além dos painéis de oradores, o MEAT MEETINGS’22 visa ser um evento de networking entre as entidades presentes, bem como um ponto de partilha de experiências nacionais e internacionais, numa integração competitiva com o intuito de aumentar a competitividade do setor agroalimentar a nível nacional e internacional.

A participação na conferência é gratuita, mas carece de inscrição obrigatória, através do link: https://bit.ly/MEATMEETINGS22 .

Recorde-se que o TECMEAT é um centro focado na investigação, desenvolvimento e promoção da indústria das carnes, que se encontra instalado no CIIES - Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior de Vila Nova de Famalicão, em Vale São Cosme. Trata-se de uma associação sem fins lucrativos, criada em 2020, que tem por objetivo potenciar o aumento da competitividade e inovação das empresas produtoras e transformadoras do setor das carnes, através do desenvolvimento científico e tecnológico. Para além do envolvimento da autarquia famalicense, a TECMEAT tem como entidades sócio fundadoras: universidades e politécnicos, outros centros tecnológicos e associações empresariais.

MIKHAIL GORBACHEV – O ÚNICO PRESIDENTE DA URSS A VISITAR O MINHO – FOI EM 2011 HOMENAGEADO EM ARCOS DE VALDEVEZ

Mikhail Gorbachev, antigo líder da União Soviética e Prémio Nobel da Paz, esteve em 2011 em Arcos de Valdevez para a 2ª edição do “Concelho de Estado”, iniciativa que visou prestar tributo ao autor da “Perestroika”.

4_programa_portugues_final.jpg

A conferência decorreu na Casa das Artes de Arcos de Valdevez com a presença de várias figuras do xadrez político nacional e internacional (estadistas, comentadores políticos, entre outros).

Para homenagear e refletir sobre a importância histórica de Gorbachev foram convidadas figuras como Mário Soares, José Pacheco Pereira, Mohan Munasinghe (Prémio Nobel da Paz cingalês), Pavel Fiodorovich Petrovskiy (embaixador da Rússia em Portugal) e Pavel Palazchenko que, como intérprete, participou em todas as conversações entre a antiga União Soviética e os EUA que conduziram ao fim da Guerra Fria.