Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO REALIZA SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE O MOSTEIRO DE REFOJOS DE BASTO

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto realiza uma sessão de apresentação do IV Seminário Internacional Ora et Labora: ‘Refojos de Basto: natureza e meio natural na vida, linguagens e imaginário da vida monástica’, a ter lugar no próximo dia 14 de março, quinta-feira, pelas 17h30, na Casa do Tempo de Cabeceiras de Basto.

1489206_599453093474934_1883128894_n

Esta quarta edição do Seminário Internacional vem colocar em evidência a importância de vastos, ricos e complexos campos de significado nos domínios religioso, socioeconómico, patrimonial e cultural, decorrentes da realidade histórica (passado, presente e futuro) do mosteiro beneditino de Refojos de Basto, às escalas local, regional, nacional e internacional.

O evento que integra o programa cultural Mosteiro de Emoções realizar-se-á nos dias 6 e 7 de junho de 2019 na Casa do Tempo de Cabeceiras de Basto. De salientar IV Seminário Internacional Ora et Labora é organizado pelo Município de Cabeceiras de Basto e pelo CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar ‘Cultura, Espaço e Memória’/Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS: GASTRONOMIA É CULTURA

X Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”: Pintura e sabores é o tema da próxima conferência do Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”

No próximo dia 14 de março (quinta-feira), Antonieta Morais apresenta a comunicação “Sabores na pintura: um breve roteiro”, integrada no Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”, iniciativa do Centro de Estudos Regionais. A conferência tem lugar na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas.

XCicloEstudos_conf_Antonieta.jpg

Antonieta Morais é mestre e doutorada em História da Arte em Portugal. Docente no Instituto Politécnico de Viana do Castelo, desde 1998, tem lecionado em diversos Cursos de Licenciatura e de Mestrado. Como áreas de interesse da sua investigação tem se dedicado a temáticas dentro da história da pintura, da gravura, do traje civil e das artes decorativas.

O Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura” é organizado pelo Centro de Estudos Regionais, no âmbito das atividades da sua Academia Sénior, decorrendo até junho do presente ano. A entrada é livre.

A direção do Centro de Estudos Regionais

Viana do Castelo, 11 de março de 2019

CABECEIRAS DE BASTO DEBATE PARLAMENTARISMO EM PORTUGAL

'O Parlamentarismo em Portugal' foi tema de tertúlia na Casa da Cultura

Francisco Lancastre e Távora, técnico da Assembleia da República, foi o orador convidado da tertúlia ‘O Parlamentarismo em Portugal’ que decorreu na passada segunda-feira à noite, 4 de março, na Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto.

'O Parlamentarismo em Portugal' foi tema de tertúlia na Casa da Cultura.JPG

Participaram neste iniciativa os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, respetivamente, os vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, técnicos do Município, presidentes de Juntas de Freguesia, membros da Assembleia Municipal entre outros autarcas, convidados e público em geral que encheram a sala.

Coube ao presidente da Câmara apresentar o orador e o seu currículo, realçando a importância do tema em debate.

Durante a sua intervenção, Francisco Lancastre e Távora deu uma verdadeira aula de história, dando conta de mais de dois séculos de acontecimentos. O orador falou do parlamentarismo português e dos momentos que marcaram a nossa história nesse período, explicou a importância da Constituição Portuguesa de 1822 – a primeira lei fundamental portuguesa, descreveu o modo de funcionamento do Parlamento, evidenciando a relevância do voto em democracia, entre outras temáticas.

Por seu turno, o presidente da Assembleia Municipal, Eng. Joaquim Barreto, antes de proceder ao encerramento da sessão, falou aos presentes da sua atual experiência como deputado na Assembleia da República, fazendo o paralelismo com o trabalho que tem igualmente desenvolvido enquanto presidente da Comissão de Agricultura e Mar.

Joaquim Barreto salientou a urgência de “qualificar a democracia com cidadãos mais bem informados”.

De referir que esta iniciativa surgiu na sequência da exposição ‘Joshua Benoliel - Repórter Parlamentar (1906 - 1924)’ que esteve patente ao público até ao dia de hoje na Sala de Exposições da Casa da Cultura de Cabeceiras de Basto.

JOSÉ MANUEL SOBRAL VAI AO NAVIO GIL EANES FALAR SOBRE O BACALHAU

Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”: José Manuel Sobral fala sobre o “fiel amigo” no Navio Gil Eannes

No próximo dia 28de fevereiro (quinta-feira), José Sobral apresenta a comunicação “O bacalhau: de peixe a Fiel Amigo”, integrada no Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”, iniciativa do Centro de Estudos Regionais.A conferência tem lugar no Navio Gil Eannes, às 17.00 horas. A entrada é livre.

XCicloEstudos_conf_José Sobral.jpg

José Manuel Sobral é licenciado em História e Doutor em Antropologia. Ensinou históriamedieval e contemporânea na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, antes de sededicar à antropologia, com uma tese realizada no centro de Portugal – publicada comolivro, Trajetos: o Passado e o Presente na Vida de uma Freguesia da Beira (1999) – emque se combina a observação antropológica com a reconstituição histórica.Mantendo uma perspetiva interdisciplinar, em que a antropologia se articula com ahistória e a sociologia, prosseguiu o seu trabalho em domínios como a etnicidade e onacionalismo, o racismo, a memória social, as epidemias, a história da antropologiaportuguesa, a alimentação e a cozinha.Os últimos projetos em que tem trabalhadoabordam uma análise genealógica do papel social e icónico do bacalhau em Portugal, asrelações entre alimentação, cozinha e identidade e o “nacionalismo à distância” deimigrantes em Portugal.Foi Presidente da Associação Portuguesa de Antropologia e é o diretor atual da revistaAnálise Social. Tem desenvolvido uma ampla atividade como docente e supervisorcientífico. Coordenou o Doutoramento em Antropologia e foi presidente da Comissão dePós-Graduação do ICS-UL. Tem uma ampla obra publicada, em artigos e livros. 

O Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura” é organizado pelo Centro de Estudos Regionais, no âmbito das atividades da sua Academia Sénior, contando nesta conferência com o apoio da Fundação Gil Eannes.         

A direção do Centro de Estudos Regionais

Viana do Castelo, 25de fevereiro de 2019

VILA VERDE DEBATE "O DIREITO DAS CRIANÇAS"

Vila Verde promove a conferência ”O Direito das Crianças: da prática ao superior interesse", que decorrerá no dia 29 de março às 9h15, no auditório da Escola Profissional Amar Terra Verde.

O tema a desenvolver será dinamizado pelo Procurador da República, Dr. Francisco Maia Neto, pelo Juiz de Direito do Tribunal da Comarca de Lisboa e Juiz de família e menores de Mafra, Dr. Joaquim Manuel Silva, pelo Advogado e mediador familiar, Dr. Jorge Nande e pela Pedo-Psicóloga da ULSAM , Perita do IML , Dra . Margarida Rodrigues. Este painel será moderado pelo Dr. José António Barreto Nunes, Juiz Conselheiro do STJ, Jubilado.

A participação é gratuita, no entanto a inscrição é obrigatória através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSd6PYargHIMC-VlduDv7j7Gy7unyz0CyeYYlMCMU7zYjFw1dA/viewform?usp%20=%20sf_link

Capturarcira1.PNG

Capturarcira2.PNG

CHEFE DO ESTADO-MAIOR-GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS VISITA PONTE DA BARCA

O Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA),  Almirante António Silva Ribeiro deslocou-se em visita a Ponte da Barca no passado fim de semana, tendo sido recebido pelo Presidente da Câmara, Augusto Marinho. Foi nos Paços do Concelho de Ponte da Barca que, ao final da manhã do passado Sábado, foi recebido tendo procedido o CEMGFA  à assinatura do Livro de Honra do Município.

Capturarpbbbarcc.PNG

Durante a deslocação a Ponte da Barca, o  CEMGFA teve oportunidade de visitar alguns pontos do concelho, nomeadamente o Mosteiro de Bravães, o Centro Interpretativo Fernão de Magalhães e o Castelo de Lindoso, tendo feito ainda uma intervenção sob o tema: “A missão das Forças Armadas: o caso particular do empenhamento das Forças Nacionais Destacadas". 

Perante uma vasta plateia, a mais alta patente militar portuguesa falou sobre o papel e as missões de mais de 2000 militares nos diversos contextos do contributo das Forças Armadas para a paz, a segurança e a estabilidade internacional, seja no âmbito da NATO, União Europeia, ONU ou missões bilaterais, destacando e realçando o reconhecimento Internacional dado aos militares Portugueses pela competência e eficácia no cumprimento das suas missões. No período de intervenção do público foi o CEMGFA desafiado a pronunciar-se sobre temas tão diversos como o caso de Tancos, as Messes e a Situação na Venezuela entre outros.

Augusto Marinho estava visivelmente satisfeito com a presença do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Almirante António Silva Ribeiro e com a adesão do público à iniciativa realçou, no discurso de receção “motivo extra de alegria e orgulho em receber o CEMGFA em Ponte da Barca, sendo ele um Almirante da Marinha de Guerra, na terra onde nasceu Fernão Magalhães".

CPBB6773.jpg

CPBB6819.jpg

CPBB6829.jpg

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS DO ALTO MINHO PROMOVE CONFERÊNCIA SOBRE GASTRONOMIA

Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”: O bioquímico João Moura fala sobre comida 

No próximo dia 21de fevereiro, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas, João Moura apresenta a comunicação “Saboreando a comida, molécula a molécula!”, no âmbito do Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura”, iniciativa do Centro de Estudos Regionais.

52968561_2135053536517090_8381951986102173696_n.jpg

João Moura é um bioquímico, doutorado em ciências biomédicas que exerce atualmente funções de investigador do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S).Exerceu de 2004 a 2016 funções docentes no Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC).Desde 2016 dedica-se à investigação na área da regeneração de tecidos, primeiro no Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra e, recentemente, no I3S.Publicou mais de 20 artigos científicos em revistas internacionais indexadas e recebeu mais de uma dezena de prémios nacionais e internacionais pelo seu trabalho de investigação.O seu maior interesse, para além da sua carreira científica, é a divulgação e desmistificação da ciência e sua discussão em todo o tipo de contextos.

O Ciclo de Estudos “Gastronomia e Cultura” é organizado pelo Centro de Estudos Regionais, no âmbito das atividades da sua Academia Sénior. A iniciativa está aberta à participação do público em geral e não carece de inscrição.        

A direção do Centro de Estudos Regionais

ALTERAÇÕES CLIMATÉRICAS DEBATIDAS NA CASA DA CULTURA NO ÂMBITO DA CONFERÊNCIA “POR UM ALTO MINHO MAIS VERDE”

Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, procedeu à sessão de encerramento

Foi na Casa da Cultura de Ponte da Barca que decorreu na passada terça-feira a conferência "Por um Alto Minho mais verde", no âmbito do Ciclo de Conferências “Alto Minho 2030: Balanço 2014-2020, Perspetivas & Propostas de Ação”, promovido pela CIM Alto Minho.

52120255_1658000214300955_7988180635556511744_n.jpg

Contando com um riquíssimo painel de especialistas, dos quais faziam parte Inês Costa, Adjunta do Gabinete do Ministro do Ambiente, Inês Andrade, Diretora da ARH Norte - Agência Portuguesa do Ambiente, Ricardo Aguiar, da Direção Geral de Energia e Geologia, Mário Reis, Chefe de Divisão da Conservação da Biodiversidade do Instituto Conservação da Natureza e das Florestas, Orlando Borges, Presidente do Conselho de Administração da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos – ERSAR, Rui Silva, Administrador Delegado da ValorMinho/ Resulima, e Bruno Caldas, da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, e com a presença dos autarcas do Alto Minho e do Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, a iniciativa teve como foco principal de discussão os riscos das alterações climáticas, o que tem motivado debates sobre o tema em todos os 10 concelhos da área de intervenção. Em discussão estiveram ainda, entre outros temas, a transição de energias mais limpas, o Plano de Ação para a Economia Circular e gestão e valorização de resíduos.

52504011_1658000250967618_1655758850940207104_n.jpg

Augusto Marinho, Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, que procedeu à sessão de abertura, referiu que é de extrema importância colocar os municípios a debater as questões relacionadas com a proteção do ambiente: “deste debate sairão linhas de atuação que importarão tomar em linha de conta na elaboração das políticas públicas, para que haja correspondência entre as necessidades dos territórios e as políticas desenhadas”, disse na ocasião o autarca barquense.

O edil destacou, ainda, algumas ações de defesa do ambiente que estão a decorrer no concelho barquense: “acabamos um projeto de limpeza de margens dos rios, temos a reposição de espaços degradados, como as antigas saibreiras e procuramos aliar a preservação ambiental e a sustentabilidade”.

52141306_1658000507634259_8138745691984887808_n.jpg

Por sua vez, Jorge Mendes, vice-presidente da CIM Alto Minho frisou, que a região está entre os 100 melhores destinos sustentáveis do mundo. No entanto, ainda há algum trabalho a fazer. “Temos de continuar o nosso trabalho para vencer os desafios do futuro. O Alto Minho terá que preparar, adequadamente, a resposta aos desafios associados às alterações climáticas, principalmente as resultantes dos fogos florestais”.

Já o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, que procedeu ao encerramento do encontro, deu nota que Portugal “fez o trabalho de casa” em matéria de defesa do ambiente, e apontou algumas metas a atingir até 2030. Entre essas metas estão a redução das emissões de dióxido de carbono (CO2), a aposta na utilização das energias renováveis, a implementação de políticas de mobilidade sustentável e a redução da velocidade dos veículos automóveis para 30 quilómetros por hora no interior das localidades.

Em matéria de mobilidade, o governante considerou que os municípios do Alto Minho têm feito uma boa aposta: “a CIM Alto Minho está apostada no transporte flexível. É uma solução muito boa para as zonas de menor densidade populacional”. José Mendes anunciou também que até ao fim do ano serão instalados, em todo o país, mais 400 postos de abastecimento de eletricidade para automóveis.

51754590_1658000057634304_3142651785508814848_n.jpg

CHEFE DE ESTADO-MAIOR-GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS VISITA PONTE DA BARCA

A Câmara Municipal de Ponte da Barca procede à Recepção Oficial do Chefe de Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA), Almirante António Silva Ribeiro, no próximo sábado, dia 16 de Fevereiro, às 18:30h, nos Paços do Concelho, a que se seguirá uma comunicação apresentada pelo Sr. Almirante CEMGFA subordinada ao tema, “A missão das Forças Armadas: o caso particular do empenhamento das Forças Nacionais Destacadas”.

Full_46zhy3rm5pkq.JPG

HISTORIADOR DANIEL BASTOS PROFERE PALESTRA ACERCA DA RURALIDADE DE FAFE NA DÉCADE DE 70 DO SÉCULO PASSADO

Rotary Clube de Fafe abordou importância da História Local

Na passada terça-feira à noite (12 de Fevereiro), no decurso da reunião semanal do Rotary Club de Fafe, os membros desde movimento de estímulo a uma ação profissional e comunitária ética e responsável, presente no concelho de Fafe há mais de três décadas, refletiram sobre a importância da História Local.

Rotary Club de Fafe.jpg

Os membros presentes na reunião semanal do Rotary Club de Fafe no decurso da palestra “Terras de Monte Longo – Uma abordagem à ruralidade de Fafe nos anos 70”.

 

A convite do presidente do Rotary Club de Fafe, Rodrigo Gonçalves, o historiador Daniel Bastos proferiu uma palestra intitulada “Terras de Monte Longo – Uma abordagem à ruralidade de Fafe nos anos 70”.

Através do espólio do consagrado fotógrafo José de Andrade, que nos anos 70 captou um conjunto expressivo e emblemático de imagens em povoados rurais de Fafe, acervo que esteve na base do livro “Terras de Monte Longo” concebido e realizado pelo historiador local, Daniel Bastos encetou uma viagem pelas memórias do passado, não muito distante, do concelho profundo e rural na transição da ditadura para a democracia.

Uma viagem guiada pela objetiva humanista de um fotógrafo que permaneceu quase incógnito até ao fim dos seus dias, e que encontrou em Fafe um palco privilegiado para revelar nessa época as agruras da vida quotidiana no interior norte de Portugal.

MUSEU BERNARDINO MACHADO EM FAMALICÃO RECEBE NOVO CICLO DE CONFERÊNCIAS COM CASA CHEIA

Próxima conferência realiza-se no dia 15 de fevereiro com o tema “A I República Portuguesa no Brasil: do 5 de outubro ao 28 de maio de 1926”

Foi com “casa cheia” que o Museu Bernardino Machado acolheu a primeira conferência do ciclo dedicado às “Relações Portugal – Brasil na I República (1910-1926)”, que decorreu na passada sexta-feira à noite.

image59798.jpeg

A abrir a maratona de conferências que vai decorrer mensalmente, ao longo de todo o ano de 2019, esteve o professor catedrático Paulo Ferreira da Cunha, com o tema da “Lei fundamental brasileira e a Constituição Portuguesa de 1911”. De acordo com o orador convidado “na conferência apresentou-se uma tentativa de estabelecimento de pontes entre as “magnas cartas” das chamadas primeiras repúblicas ou “repúblicas velhas” dos países irmãos de Língua portuguesa nos dois lados do Oceano Atlântico. Primeiramente fez-se um enquadramento geral sobre o sentido, papel e noção de Constituição, porque frequentemente existem muitos mal-entendidos, depois fez-se ainda um enquadramento histórico-social e político de ambos os complexos normativos constitucionais. E finalmente desceu-se ao concreto do clausulado das constituições formais, para comentar alguns aspetos considerados mais salientes, não apenas para a época, como para o nosso próprio tempo, em Portugal e no Brasil.”

A próxima conferência decorre já no próximo dia 15 de fevereiro, com a professora Heloísa Paulo a debater o tema “A I República Portuguesa no Brasil: do 5 de outubro ao 28 de maio de 1926”.

Refira-se que ao todo irão decorrer nove conferências com a participação de investigadores e académicos especialistas na temática. Os encontros, de entrada livre, vão decorrer nos meses de janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho, setembro, outubro e novembro, habitualmente às sextas-feiras, pelas 21h30, no Museu Bernardino Machado, situado na rua Adriano Pinto Basto, na cidade famalicense.

Para além da divulgação e valorização da figura de Bernardino Machado, um famalicense por adoção que foi Presidente de Portugal por duas vezes durante a I República, o Museu Bernardino Machado tem vindo a destacar-se na organização de diversos eventos e na produção de documentos que têm sido essenciais para investigadores e historiadores, assumindo uma vocação de estudo académico.

O Museu Bernardino Machado que completou em 2017, 15 anos está instalado no Palacete Barão da Trovisqueira, um majestoso edifício do século XIX, localizado bem no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão.

image59795.jpeg

JOSÉ EUSÉBIO, PEREGRINO A SANTIAGO DE COMPOSTELA, REALIZA NA PÓVOA DE VARZIM UMA CONFERÊNCIA PARA NOS CONTAR A SUA EXPERIÊNCIA… E DAR TESTEMUNHO DA SUA FÉ!

José Eusébio, peregrino a Santiago de Compostela, já percorreu 12 vezes itinerários jacobéus. Em conferência a realizar na Póvoa de Varzim, no próximo dia 25 de Janeiro, vai dar testemunho da sua experiência… e da sua Fé!

José eusebio 01.jpeg

Conferência dia 25 em Póvoa do Varzim

“Caminho pela geira é incomparável e constitui uma viagem no tempo”

O Grupo dos Amigos do Caminho de Santiago da Póvoa de Varzim promove na sexta-feira, da 25 de Janeiro, uma conferência intitulada “As Minhas Histórias do Caminho”, com a participação do peregrino José Eusébio, que percorreu uma dúzia de vezes diferentes itinerários jacobeus, o último dos quais o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros.

Na perspetiva de José Eusébio, de 31 anos, este caminho, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, “é incomparável”, com “paisagens de cortar a respiração e uma tranquilidade inexplicável. Uma viagem no tempo, muito graças ao seu legado romano”.

O peregrino, que já percorreu sete itinerários jacobeus, adianta que “as gentes desta rota demonstram espírito hospitaleiro e estão empenhadas no seu desenvolvimento.  Este caminho é sinónimo de aventura, paz e felicidade”.

Quanto à vontade de associações, como as do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro e de Codeseda Viva, de oficializar este caminho até ao Ano Santo Jacobeu de 2021, José Eusébio, natural de Póvoa do Varzim e residente em Barcelos, afirma que é “claramente possível” concretizar o objetivo.

“Nesta fase é necessário marcar o caminho, com as famosas setas amarelas e criar as infraestruturas de apoio aos peregrinos, como albergues. Colmatando estas lacunas, o crescimento do número de peregrinos será exponencial”, refere o conferencista, que é instrutor de fitness  e professor de natação.

A conferência decorre no Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim, a partir das 21h30. A participação é gratuita, mas a inscrição obrigatória, podendo ser feita na página de Facebook do Grupo dos Amigos do Caminho de Santiago da Póvoa de Varzim.

Após a apresentação de José Eusébio, segue-se uma conversa com a assistência e a ideia da organização  - que guarda “uma surpresa para o final”, aconselhando os participantes “a não comerem muito à sobremesa” - é que todos “levem muitas dúvidas” sobre o caminho de Santiago pelo Gerês.

O orador já percorreu os caminhos Central Português, Português da Costa e Variante Espiritual, Português do Interior (bicicleta), Finisterra/Muxia, Primitivo, Inglês e da Geira Romana e dos Arrieiros (concluído a 31 de dezembro de 2018).

Jose eusebio 02.jpeg

josé eusébio 03.jpeg

José eusebio 04.jpeg