Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

"VERTIGEM (IR) REVERSÍVEL" FOI O JARDIM MAIS VOTADO PELO PÚBLICO NO FESTIVAL INTERNACIONAL DE PONTE DE LIMA 2019

Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima 2019 – O Jardim mais votado pelo público - “Vertigem (IR) Reversível”

Os visitantes do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima 2019, 15ª edição sob o tema “Os Jardins do Fim do Mundo” votaram maciçamente no Jardim “Vertigem (IR) Reversível” que nos reporta para uma viagem até ao juízo final.

IMG_9643-a.JPG

De autores portugueses, a conceção da ideia pertence a dois jovens investigadores, naturais de Barcelos, que em comum partilham a paixão pela jardinagem amadora. E sobre a sua criação consideram que retrata uma “viagem metafórica ao juízo final, onde no purgatório somos confrontados com a dicotomia resultante da nossa inação, quando restam dois minutos para a meia-noite, ou catástrofe global. Mas resta ainda esperança, caso deixemos de ignorar os pecados do capital.”

Confira a apresentação do jardim aos visitantes:

Num ímpeto laicizador do juízo final, apresenta-se o Jardim • Vertigem (ir)reversível. 

De simetrias curvilíneas e proporções áureas, o Jardim de biomas em transmutação (de)gradativa baliza-se entre a pureza do alfa (α) argênteo e a decadência do ómega (Ω) ferrugento, entreligadas pelo passeio pecaminoso plúmbeo e pela contracorrente purificante alva. O declive e as linhas suaves convergem para o ponto focal e elevado do Jardim, conferindo ao purgatório vertiginoso a sensação de precipício. Ascendendo-o, é-nos revelado, através da porta abissal com chaves do céu, a dicotomia premente quando restam 2 minutos para a meia-noite... 

As balizas gregas aludem ao Mundo como o principiamos a conhecer e como o findamos a corromper. No percurso sinuoso, deambula-se sobre os 7 pecados do capital que compendiam as causas que aproximam perigosamente a catástrofe global, advinda das alterações climáticas e da sexta extinção em massa. Encontram-se subtérreos sendo alumiados lívida e tremulamente, como metáfora da hipocrisia em ignorar o que nos encandeia reiteradamente. No riacho serpenteante, lava-se os pecados explícitos com virtudes implícitas, especialmente daqueles que os encaram e não os recalcam. 

As transmutações nos biomas ajardinados são apanágios da inépcia (α→Ω) e da esperança (α←Ω) humanas. Os biomas assemelham-se a embriões (umbilicados à dupla hélice vital), para relembrar que se está a privar de futuro o futuro de nós. Com as alterações climáticas, o Mundo e a Vida não perecerão mas desfigurar-se-ão! O que hoje é tropical irisado, amanhã poderá ser mediterrâneo perfumado; e o que é este último, poderá ser desértico sequioso. O contralateral é a crença da reversão climática, onde o hoje, quiçá depois de amanhã, voltará a hoje. 

Envolto por uma atmosfera transcendental, o purgatório acolhe os incautos. Os 3 degraus elevam à porta a apontar ao céu, cujas fechaduras aludem à dicotomia angustiante abaixo: paraíso vs. inferno. Lá, no abismo, o relógio Dalíano sobre a balança da justiça pende o destino para o negrume desvitalizado. Marca 23h:58min, em acerto com o Relógio do Apocalipse, onde a meia-noite eufemiza a catástrofe global antropogénica. Mas o prato da direita está vago! Com máxima urgência onere-se-o com economia verde, circular e sustentável, ética e educação, que certamente a balança equilibrar-se-á. A Vertigem é, afinal, Reversível!

Quase como sendo premonição, o jardim mais votado, vai continuar em exposição na 16ª edição do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima, em 2020, enquadrando-se no tema escolhido “As Religiões nos Jardins”.

A segunda preferência do público recaiu sobre o “Jardim da Amizade” que reflete um jardim rico em elementos da cultura oriental com apontamentos da cultura portuguesa. Este jardim, tem o intuito de enaltecer as relações entre Portugal e China, reconhecendo o seu valor cultural e histórico. Dá relevo também à coragem dos Portugueses em navegar por mares desconhecidos e conhecer outros povos e também à fusão com as tradições Chinesas. Cada elemento contemplado neste jardim tem um significado histórico e cultural para os macaenses, chineses e portugueses. 

A seleção das novas propostas para a edição 2020, que tem como tema As Religiões nos Jardins, decorrerá no corrente mês.

Para mais informações consulte: www.festivaldejardins.cm-pontedelima.pt ou através do email: festivaldejardins@cm-pontedelima.pt.

IMG_9646 (1).JPG

FAMALICÃO ADIA ENTREGA DO GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

A cerimónia de entrega do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco a José Viale Moutinho que estava agendada para esta quinta-feira, dia 14, pelas 17h00, foi adiada, devido a motivos de força maior relacionados com o premiado.

A nova data será oportunamente anunciada.

Refira-se que o escritor venceu o Grande Prémio pelo livro “Monstruosidades do Tempo do Infortúnio”. José Viale Moutinho conquistou o galardão pela segunda vez, tendo sido decidido por unanimidade no dia 24 de setembro, em reunião do júri, composto por Fernando Batista, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho. O júri considerou que “estes contos de José Viale Moutinho, servidos por uma ironia mordaz numa prosa exigente e sadia, transportam a estranheza e o absurdo de situações resgatadas a tempos e atmosferas distantes, para outras ‘monstruosidades’ destes novos ‘tempos do infortúnio’”.

O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituído em 1991, pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela APE destina-se a galardoar anualmente uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro, 1.ª edição, no decurso do ano de 2018. O valor monetário deste Grande Prémio é de 7.500 euros para o autor distinguido.

JOSÉ VIALE MOUTINHO RECEBE AMANHÃ O GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

Cerimónia realiza-se esta quinta-feira, 14 de novembro, pelas 17h00, na Escola Secundária D. Sancho I

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, e o presidente da Associação Portuguesa de Escritores (APE), José Manuel Mendes, entregam amanhã, quinta-feira, dia 14, pelas 17h00, o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco ao escritor José Viale Moutinho, pelo  livro “Monstruosidades do Tempo do Infortúnio”. A sessão realiza-se no auditório da Escola Secundária D. Sancho I.

José Viale Moutinho na Casa de Camilo (1).jpeg

A atribuição do prémio a José Viale Moutinho, que o conquista pela segunda vez, foi decidida por unanimidade no dia 24 de setembro, em reunião do júri, composto por Fernando Batista, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho. O júri considerou que “estes contos de José Viale Moutinho, servidos por uma ironia mordaz numa prosa exigente e sadia, transportam a estranheza e o absurdo de situações resgatadas a tempos e atmosferas distantes, para outras ‘monstruosidades’ destes novos ‘tempos do infortúnio’”.

O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituído em 1991, pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela APE destina-se a galardoar anualmente uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro, 1.ª edição, no decurso do ano de 2018. O valor monetário deste Grande Prémio é de 7.500 euros para o autor distinguido.

José Viale Moutinho nasceu no Funchal, em 1945, e estreou-se na literatura em 1968 com a novela “Natureza Morta Iluminada”. Jornalista e escritor, tem atualmente várias obras editadas, algumas delas traduzidas nas mais diversas línguas, como o russo, búlgaro, castelhano, alemão, italiano, catalão, asturiano e galego.

Foi diretor da APE, da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia, do Círculo de Cultura Teatral e presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, sendo ainda sócio do Pen Clube Português, da Academia de Letras de Campos de Jordão (Brasil) e membro honorário da Real Academia Galega.

Ficcionista e poeta, José Viale Moutinho é autor de cerca de meia centena de livros para crianças, bem como de trabalhos nas áreas de investigação de Literatura Popular, da Guerra Civil de Espanha e da deportação espanhola nos campos de concentração nazis, bem como de estudos sobre Camilo e Trindade Coelho.

VIZELA É MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Câmara de Vizela entregou diploma oficial das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal

No seguimento da estratégia de dinamização do Concelho, essencialmente para criar Vizela como destino turístico, o Presidente da Câmara Municipal entregou esta tarde o diploma oficial das 7 Maravilhas Doces de Portugal, o selo para colocar nas caixas do Bolinhol e ainda uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada um dos produtores de Bolinhol.

entrega diploma Bolinhol.jpg

Esta entrega vem no seguimento da estratégia da Autarquia depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal que passa pelo reforço do Bolinhol nos eventos promovidos pela Câmara, mas também por um conjunto de ações no sentido da promoção e divulgação do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Vizela enfatizou que esta eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal se traduz numa responsabilidade pois é a partir de agora que começa o trabalho da Câmara Municipal associado aos produtores do Bolinhol.

Victor Hugo Salgado afirmou que a Câmara Municipal tem implementado uma nova dinâmica na divulgação do Bolinhol, que tem passado pela associação deste produto endógeno aos eventos promovidos pela Câmara, com a presença dos produtores do Bolinhol, com stands próprios para a promoção do nosso doce típico.

O Edil destacou ainda a realização da Feira do Bolinhol, uma das estratégias para manter o Bolinhol vivo como uma referência de Vizela. Disse que sempre que possível, a Câmara irá criar condições para associar a imagem das 7 Maravilhas Doces de Portugal ao Concelho, conforme foi já efetuada com a alteração dos totems das entradas da cidade e das novas paragens de autocarros, onde foi colocada uma alusão ao Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Victor Hugo Salgado afirmou ainda que no próximo ano, a Autarquia irá criar um monumento ao Bolinhol como forma de dar a conhecer a todos os que nos visitam que somos detentores de uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

O Presidente da Câmara finalizou a sua intervenção afirmando que, para além da intervenção da Autarquia, é também importante destacar mais dois atores nesta matéria: o povo de Vizela, que deve continuara a valorizar e promover o que é de Vizela, e os produtores do Bolinhol, que têm sabido manter ao longo dos anos a tradição e a qualidade do nosso doce típico, acrescentando que este tem agora uma responsabilidade acrescida, depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas.

Assim, a Câmara Municipal entregou o diploma oficial das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal a cada um dos produtores de Bolinhol do nosso Concelho, assim como um selo que será colocado nas caixas do Bolinhol, identificando-o como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal. Foi também entregue uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada uma das lojas dos produtores de Bolinhol.

​A Câmara Municipal de Vizela considera que a eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal deve ser devidamente promovida e divulgada pois, para além de reafirmar a identidade de um povo que, cada vez mais, sente que valeu a pena lutar pelo Concelho de Vizela, também homenageia todos aqueles que lutaram pela nossa autonomia, permite a promoção de Vizela, consolidando, desta forma, uma estratégia de dinamização do Concelho, assim como do comércio tradicional, em particular, dos que orgulhosamente vendem o nosso bolinhol, mas, também, de todos os comerciantes do ramo da restauração, que passam a ter mais um “trunfo” nas suas mesas.

BOM JESUS PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE É TEMA DO CONCURSO MUNICIPAL DE FOTOGRAFIA 2019

Inscrições a partir do dia 20 de Novembro no Museu da Imagem

‘O Bom Jesus do Monte – Património Mundial da Humanidade’ é o tema do XVI Concurso Municipal de Fotografia, uma iniciativa organizada pelo Município de Braga que visa aproximar os Bracarenses do património da Cidade.

MH Anabela Esteves 2018  R25 Nº23.JPG

As inscrições, limitadas a 50 concorrentes, iniciam-se no dia 20 de Novembro, no Museu de Imagem (de terça a sexta-feira, das 11h00 às 18h30, e aos sábados das 14h30 às 18h30), implicando apenas o pagamento de uma caução que se destina a garantir a efectiva participação dos inscritos, sendo a referida caução devolvida, aquando da entrega da máquina fotográfica.

Esta edição do concurso de fotografia decorrerá nos dias 13, 14 e 15 de Dezembro e conta com o apoio dos Transportes Urbanos de Braga, que irá assegurar o transporte dos concorrentes mediante a apresentação da câmara fotografia fornecida pelo Município.

Cada concorrente poderá apontar a objectiva ao geral e ao pormenor, ao material e ao humano, ao exterior e ao interior, mas também aos rituais religiosos, costumes e tradições.

Este concurso incluirá a habitual exposição pública, a inaugurar em Fevereiro de 2020 na Fonte do Ídolo, e na qual estarão patentes os trabalhos premiados pelo júri, bem como uma fotografia de cada um dos concorrentes, nos termos do regulamento do concurso.

O tema proposto visa reconhecer e homenagear a atribuição do Santuário do Bom Jesus do Monte a Património Cultural Mundial da UNESCO, bem como estimular o interesse, a sensibilidade dos concorrentes em particular e dos turistas e cidadãos em geral, no que respeita ao seu valor histórico, artístico, cultural, religioso e paisagístico.

CONCURSO "OVAÇÃO ABERTA" PRETENDE DINAMIZAR O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE BRAGA

Prémio de 5 mil euros para o projecto vencedor

O Município de Braga está a desenvolver o Concurso de Ideias “Inovação Aberta”, que visa incentivar a apresentação de ideias inovadoras no sector turístico ao nível da sua estruturação, promoção, valorização ou dinamização.

CMB04062014SERGIOFREITAS0000057.jpg

As candidaturas poderão ser submetidas até dia 22 de Novembro de 2019 através do seguinte link: bit.ly/InovaçaoAberta.

O regulamento completo está disponível em: http://bit.ly/RegulamentoInovacaoAberta.

Este concurso desenvolve-se no âmbito da estratégia de turismo “VisitBraga” - assente no conceito ´Uma Viagem no Tempo´ que se baseia no desenvolvimento de dois programas: Replay (passado) e Play (futuro). Aberta a maiores de 18 anos, individuais ou colectivas, a iniciativa atribuirá um prémio de 5 mil euros à candidatura vencedora.

O objectivo deste concurso é incentivar uma dinâmica de participação activa da população e de qualquer agente interessado na promoção e desenvolvimento do turismo de Braga, de forma a proporcionar experiências de inovação turística aos visitantes de Braga.

Pretende assim fomentar-se a criação de ideias inovadoras e o impulsionamento de projectos empreendedores que sigam uma linha de inovação tecnológica de desenvolvimento sustentável e de promoção turística local.

A Viagem no Tempo visa explorar Braga a partir de uma perspectiva multidimensional e multitemporal, de forma a fomentar o conhecimento, a exposição e a celebração da história e património da cidade, bem como a sua evolução e dinâmica inovadora, enquanto cidade jovem e empreendedora.

O Braga Replay dedica-se à criação, desenvolvimento e promoção de projectos que se focam no passado remoto e recente do território, recriando passos, experiências e aventuras de heróis de civilizações passadas. O Braga Play é um convite à inovação, à renovação e à descoberta de novas experiências que se focam no futuro próximo e distante.

Em Janeiro de 2020 decorrerá a apresentação final do projecto vencedor e a respectiva entrega do prémio.

FAMALICÃO PROMOVE CONCURSO DE FADO AMADOR

Inscrições para o Concurso de Fado Amador até dia 29 de outubro

Estão abertas as inscrições para mais uma edição do Concurso de Fado Amador de Famalicão.

DSCF0758.jpg

Os interessados têm até ao dia 29 de outubro para se inscreverem para as audições do concurso, através do envio da ficha de inscrição, disponível em www.famalicao.pt, para o email cultura@famalicao.pt ou para o endereço Praça Álvaro Marques, 4764-502, Vila Nova de Famalicão, ou dirigindo-se presencialmente ao balcão de atendimento do Departamento da Cultura da autarquia.   

As audições estão marcadas para a próxima quarta-feira, 30 de outubro, às 18h00, na Casa das Artes.

A final do Concurso de Fado Amador decorrerá no dia 21 de novembro, pelas 21h30, no Café-Concerto do espaço cultural famalicense, no primeiro dia do Festival de Fado.

Ao primeiro classificado do concurso será atribuído um prémio monetário no valor de 300 euros e a possibilidade de atuar num dos principais eventos organizados pelo Município. Ao segundo e terceiro classificados serão atribuídos prémios monetários no valor de 150 e 100 euros, respetivamente.

CONCURSO GALO ASSADO VOLTA ESTE FIM DE SEMANA AOS RESTAURANTES DE BARCELOS

Iniciativa decorre de 11 a 13 de Outubro

O Município de Barcelos promove, entre os dias 11 e 13 de outubro, a 14ª edição do Concurso do Galo Assado, inserido no programa “7 Prazeres da Gastronomia”, um convite para provar um dos pratos mais emblemáticos da tradição gastronómica do concelho.

A iniciativa decorre entre o almoço do dia 11 de outubro e o jantar do dia 13, contando com a adesão de 13 restaurantes do concelho, que disponibilizarão um dos mais famosos pratos da gastronomia barcelense. Cada restaurante vai confecionar e servir o galo à sua maneira – galo assado no forno, recheado, com castanhas, à peregrino, entre outros.

Participam nesta edição os restaurantes: Babette (Barcelos), Bagoeira (Barcelos), Casa dos Arcos (Barcelos), Chuva (Barcelinhos), Galliano (Barcelos), Muralha (Barcelos), Pedra Furada (Pedra Furada), Pérola Avenida (Barcelos), Solar Real (Barcelos), Taberna “O Manhoso” (Tamel S. Veríssimo), Taberna do Armindo (Remelhe), Três Marias (Barcelos) e Vera Cruz (Barcelos).

Este ano o júri será constituído pelo Chefe Hernâni Ermida, Chefe Feliciano Silva e por um representante do Município, e irá percorrer os restaurantes a concurso entre sexta-feira ao almoço e ao jantar e sábado ao almoço.

O Concurso Galo Assado tem como objetivo dinamizar o setor da restauração em época baixa e constitui um argumento estratégico de afirmação de Barcelos no produto “Gastronomia” na região do Porto e Norte. É também uma forma de capitalizar a imagem do galo de Barcelos para o setor da restauração e gastronomia. E é, ainda, um argumento estruturante para rememorar a lenda do galo e fortalecer a forte ligação do território barcelense e do seu contexto histórico à peregrinação a Santiago de Compostela, a que está ligada a Lenda do Galo.

Capturargalassa.PNG

FAMALICÃO: JOSÉ VIALE MOUTINHO VENCE GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

Prémio é atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores

O livro “Monstruosidades do Tempo do Infortúnio”, de José Viale Moutinho, venceu por unanimidade o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores (APE). A entrega do galardão irá decorrer em novembro, durante a Semana do Conto, organizada pela Casa de Camilo em colaboração com as escolas do concelho.

José Viale Moutinho na Casa de Camilo.jpeg

O júri considerou que “estes contos de José Viale Moutinho, servidos por uma ironia mordaz numa prosa exigente e sadia, transportam a estranheza e o absurdo de situações resgatadas a tempos e atmosferas distantes, para outras ‘monstruosidades’ destes novos ‘tempos do infortúnio’”.

A atribuição do prémio a José Viale Moutinho, que o conquista pela segunda vez, foi decidida por unanimidade no dia 24 de setembro, em reunião do júri, composto por Fernando Batista, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho.

O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituído em 1991, destina-se a galardoar anualmente uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro, 1.ª edição, no decurso do ano de 2018. O valor monetário deste Grande Prémio é de 7.500 euros para o autor distinguido.

José Viale Moutinho nasceu no Funchal, em 1945, e estreou-se na literatura em 1968 com a novela “Natureza Morta Iluminada”. Jornalista e escritor, tem atualmente várias obras editadas, algumas delas traduzidas nas mais diversas línguas, como o russo, búlgaro, castelhano, alemão, italiano, catalão, asturiano e galego.

Foi diretor da APE, da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia, do Círculo de Cultura Teatral e presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, sendo ainda sócio do Pen Clube Português, da Academia de Letras de Campos de Jordão (Brasil) e membro honorário da Real Academia Galega.

Ficcionista e poeta, José Viale Moutinho é autor de cerca de meia centena de livros para crianças, bem como de trabalhos nas áreas de investigação de Literatura Popular, da Guerra Civil de Espanha e da deportação espanhola nos campos de concentração nazis, bem como de estudos sobre Camilo e Trindade Coelho.

GASTRONOMIA DE BARCELOS CANTA DE GALO

Restaurantes barcelenses participam na XIV edição do Concurso Galo Assado. Concurso mostra o melhor da gastronomia barcelense entre 11 e 13 de Outubro

O Município de Barcelos promove, entre os dias 11 e 13 de outubro, a 14ª edição do Concurso do Galo Assado, inserido no programa "7 Prazeres da Gastronomia", um convite para provar um dos pratos mais emblemáticos da tradição gastronómica do concelho.

Capturarggaalo.PNG

O galo assado é, por estes dias, o prato principal em pelo menos 13 restaurantes do concelho de Barcelos.

A iniciativa decorre entre o almoço do dia 11 de outubro e o jantar do dia 13, que disponibilizarão ao público um dos mais famosos pratos da gastronomia barcelense. Cada restaurante vai confecionar e servir o galo à sua maneira – galo assado no forno, recheado, com castanhas, à peregrino, entre outros, procurando incluir no prato elementos relacionados com a cultura, as tradições e a identidade da cozinha barcelense, competindo, entre si, para conquistar o tão desejado “Galo de Ouro”.

Participam nesta edição os restaurantes: Babette (Barcelos), Bagoeira (Barcelos). Casa dos Arcos (Barcelos), Chuva (Barcelinhos), Galliano (Barcelos), Muralha (Barcelos), Pedra Furada (Pedra Furada), Pérola Avenida (Barcelos), Solar Real (Barcelos), Taberna “O Manhoso” (Tamel S. Veríssimo), Taberna do Armindo (Remelhe), Três Marias (Barcelos) e Vera Cruz (Barcelos).

O Concurso Galo Assado tem como objetivo dinamizar o setor da restauração em época baixa e constitui um argumento estratégico de afirmação de Barcelos no produto “Gastronomia” na região do Porto e Norte. É também uma forma de capitalizar a imagem do galo de Barcelos para o setor da restauração e gastronomia. E é, ainda, um argumento estruturante para rememorar a lenda do galo e fortalecer a forte ligação do território barcelense e do seu contexto histórico à peregrinação a Santiago de Compostela, a que está ligada a Lenda do Galo.

Ainda no âmbito do concurso, no dia 12 de outubro, realiza-se o passeio pedestre “Galo Assado”, com passagem pelas freguesias de Manhente, Tamel S. Veríssismo, Arcozelo e Barcelos. As inscrições são gratuitas e limitadas e decorrem até ao dia 10 de outubro, através de turismo@cm-barcelos.pt ou 253 811 882

Capturargaloass (1).PNG

CAMPEÕES DO MUNDO E CAMPEÕES NACIONAIS EM DANÇAS DESPORTIVAS DECIDEM-SE EM FAMALICÃO

Famalicão Dança realiza-se a 9 e 10 de novembro

Perto de meio milhar de atletas de dança desportiva vão disputar em Vila Nova de Famalicão os títulos de par Campeão do Mundo de 2019 em Profissionais 10 Danças e o de Campeão Nacional 2019. Será já nos próximos dias 9 e 10 de novembro, no Pavilhão Municipal, em mais uma edição do Famalicão Dança, um evento organizado pela associação Gindança com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ). Considerado um dos melhores eventos do mundo de dança desportiva, o Famalicão Dança espera receber mais de 400 participantes nacionais e cerca de 50 internacionais.

AFS_0351.jpg

As novidades sobre a iniciativa foram apresentadas ao final da manhã desta quarta-feira, em conferência de imprensa.

Para a presidente da Gindança Anabela Gomes “a competição que arrancou em 2014 tem vindo a crescer de forma sustentada, sendo atualmente reconhecida como uma das melhores a nível internacional”. “Conseguimos reunir atletas de vários países e de grande notoriedade, com condições de excelência tanto para os participantes como para o público”. Segundo a responsável, “o Pavilhão Municipal irá transformar-se num elegante salão de baile, fazendo de Vila Nova de Famalicão a capital mundial da dança desportiva”.

Da parte da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o vereador do Desporto, Mário Passos enalteceu “a grande dinâmica que o evento traz para o concelho” e “a forma como Famalicão se projeta no mundo através do evento, como um concelho moderno e empreendedor que aposta no desporto e na juventude”. Isso mesmo realçou também o responsável do IPDJ Vítor Dias que apontou o concelho famalicense como “uma referência nacional e internacional” a este nível.

O Famalicão Dança 2019 vai reunir três competições com o Campeonato do Mundo 10 Danças, a 7.ª Prova do Circuito Nacional e o Campeonato Nacional Sub21 Latinas. No sábado, 9 de novembro será possível assistir ao vivo à dança dos melhores atletas nacionais e alguns dos melhores do mundo.

Os pares representantes de cada país para o Campeonato do Mundo são nomeados por cada uma das Federações ou associações profissionais com base na sua elegibilidade e nos seus bons resultados desportivos. Em Portugal a nomeação é efetuada pela Associação Portuguesa de Profissionais de Dança Desportiva.

Refira-se que a prova irá apurar o par campeão do mundo de 2019 em profissionais nas Dez Danças. Neste dia são ainda apurados os vencedores do circuito nacional 2019 nas danças Standard e Latinas, em todos os escalões etários e categorias. O campeonato nacional de sub-21 de Latinas irá apurar o Campeão Nacional 2019 deste grupo. Desta prova saíram ainda os pares elegíveis para representar Portugal nas provas de maior importância como os Campeonatos da Europa e do Mundo.

Atletas com idades entre os 5 e os 70 anos irão estar em pista a contagiar o público com o seu prazer de dançar.

Entretanto, no domingo, 10 de novembro serão promovidas iniciativas de formação para atletas e agentes desportivos.

AFS_0354.jpg

CHARUTOS DOS ARCOS ELEITOS UMA DAS "7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL®"

Os “CHARUTOS DOS ARCOS” foram eleitos uma das "7 Maravilhas Doces de Portugal”. Para o Município de Arcos de Valdevez e para os arcuenses é um orgulho ter o reconhecimento nacional dos Charutos dos Arcos, um dos nossos doces tradicionais emblemáticos.

charutos cartaz final (1).jpg

Depois da aldeia de Sistelo, foi a vez de a doçaria estar em destaque com a eleição dos deliciosos Charutos dos Arcos.

O Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, agradece à fantástica CLAQUE, a todos os arcuenses, comerciantes, associações e entidades parceiras pelo apoio e mobilização em torno da eleição do "CHARUTO DOS ARCOS", uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal, bem como a todos os Portugueses, que contribuíram para a obtenção desta DISTINÇÃO.

Esta eleição traz mais-valias para o concelho, atestando a qualidade da doçaria local e destaca-o a nível nacional naquilo que toca à gastronomia e turismo.

João Manuel Esteves reforça que “Esta iniciativa promove o nosso património, reforça a identidade e revitaliza a doçaria como “símbolo” nacional, sendo um estimulo à inovação e valorização dos produtos tradicionais e à dinamização económica e sociocultural dos territórios. Os doces representam a história e a tradição de cada território e são uma mostra do bom que temos e do bem que fazemos.”

A gala final realizou-se em Montemor-o-Velho com o apoio do Turismo do Centro e do Turismo de Portugal, e terminou com a revelação oficial dos 7 doces vencedores através de votação popular e em direto num programa transmitido pela RTP1 e RTP Internacional.

Nesta gala, foi homenageada, através da dança, a doçaria conventual, o papel da mulher na doçaria portuguesa e aquele que foi, numa altura em que os recursos eram poucos, o contributo popular para a nossa doçaria.

O Município de Arcos de Valdevez continuará a investir na promoção do seu território, da sua paisagem cultural e dos seus produtos locais, alavancando-se em mais esta importante distinção, e conta com todos para continuar a atrair mais-valias para o nosso turismo e economia locais.

7 Maravilhas Doces de Portugal_Gala Final.jpg

7 Maravilhas Doces de Portugal_vencedores.jpg

“ACEITAS-ME COMO TUA MARAVILHA?” SIM, ACEITO!

As Roscas de Monção é um dos doces premiados no concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. Com esta distinção, Monção passa a ser o único concelho do país com a mesa toda premiada (sopa, vinho, prato principal e sobremesa) naquele concurso de âmbito nacional.

DSC_0884.JPG

As Roscas de Monção é um dos doces vencedores do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. A finalíssima realizou-se em Montemor-o-Velho, sábado passado, 7 de setembro, com transmissão em direto na RTP 1 e RTP Internacional, ao longo do dia e noite.

Além das Roscas de Monção, a lista dos vencedores incluiu a Amêndoa Coberta de Moncorvo, Bolinhol de Vizela, Charutos dos Arcos, Crista de Galo, Folar de Olhão e Mel Biológico do Parque Natural de Montesinho. A gala contou, mais uma vez, com apresentação de José Carlos Malato e Catarina Furtado.

Com esta distinção, Monção passa a ser o único concelho do país com a mesa toda premiada (sopa, vinho, prato principal e sobremesa). Desde o passado sábado, na nossa mesa, já não falta a sobremesa. Uma sensação única e orgulho desmedido para todos os monçanenses.

Em 2011, no concurso “7 Maravilhas da Gastronomia”, numa candidatura que englobou vários municípios da região, a votação popular elegeu o caldo verde como um dos vencedores. No ano passado, na final realizada em Albufeira, a Mesa de Monção, envolvendo o Cordeiro à Moda de Monção e o vinho Alvarinho, foi um dos sete distinguidos no Concurso “7 Maravilhas à Mesa”.

No passado sábado, em Montemor-o-Velho, recebemos o trofeu no concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. Além de completarmos a mesa, este prémio deixa um sabor adocicado em todos os monçanenses e presta uma homenagem merecida a gerações de “rosqueiras” que, durante décadas, confecionavam e vendiam o doce mais típico de Monção na feira semanal, festas e romarias.

DSC_0906.JPG

“Motivo de grande alegria e orgulho para todos os monçanenses”

O anúncio de Roscas de Monção como um dos doces vencedores foi feito por Catarina Furtado. De imediato, soltou-se um “grito” de júbilo e entusiasmo com a nossa claque a traduzir, no palco do acontecimento, o grande contentamento de milhares de monçanenses pregados aos ecrãs da televisão e do computador.

Na última votação do público, estávamos em sétimo lugar. A apreensão e incerteza eram grandes porque, a qualquer momento, podíamos sair dos lugares elegíveis. Tínhamos à perna, as “Barrigas de Freira”, de Arouca, e, principalmente, o “Pastel de Tentúgal”, que jogava em casa.

Como Deu-la-Deu Martins, resistimos e vencemos. Os monçanenses sentiram essa perigosa aproximação e mostraram a força e bairrismo que nos distingue. A vitória é coletiva. Não é de um, dois ou três. Pertence a todos. Os monçanenses estão de parabéns pela conquista desta distinção maravilhosa da nossa doçaria. 

Visivelmente emocionado, António Barbosa, disse que este prémio é motivo de grande alegria e orgulho para todos os monçanenses, demonstrando a qualidade dos nossos produtos endógenos, o bairrismo da nossa gente e a vontade de afirmação de Monção no território nacional.

“Conseguimos. A mesa está completa. Temos de aproveitar esta vantagem, só nossa, para projetarmos, ainda mais, o nome de Monção. Abriu-se mais uma janela de oportunidade que, com toda a certeza, vamos agarrar para promover o nosso concelho” adiantou.

DSC_0918.JPG

No inicio, eram 907 candidaturas. No final, venceram 7. E as Roscas de Monção estão lá.

O concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal” recebeu 907 candidaturas, tendo um painel de especialistas votado, por duas vezes, nos melhores doces do nosso país, reduzindo a listagem para 140. Um total de 7 doces por distrito e regiões autónomas que avançaram para votação do público.

Durante os meses de julho e agosto, realizaram-se 20 programas de daytime, um em cada distrito com emissão em direto pela RTP, tendo sido selecionado um pré-finalista por distrito. As Roscas de Monção participaram na eliminatória de Viana do Castelo, no dia 2 de julho, ficando em segundo lugar.

Esta posição permitiu ao nosso doce a presença numa gala de apuramento dos segundos classificados, em Miranda do Corvo. Entre 14 concorrentes, ficamos nos 7 primeiros, ganhando lugar na semifinal realizada em Arcos de Valdevez. Na localidade vizinha, conseguimos a passagem à final, em Montemor-o-Velho, onde fomos um dos 7 doces vencedores.

Roscas Monção.JPG

PONTE DE LIMA NA GALA NACIONAL DA RAINHA DAS VINDIMAS

O concelho de Ponte de Lima participa no próximo Sábado, 7 do corrente, na Gala Nacional para escolha da Raínha das Vindimas 2019, com a sua concorrente, Mara de Castro, da freguesia da Feitosa.

03092019.jpg

Recorde-se, que a estudante universitária de Direito, com 20 anos de idade saiu vencedora do concurso local onde participaram 14 representantes de várias freguesias.

A escolha dum rosto feminino a representar o néctar precioso de um concelho ou região, destina-se a “ valorizar e divulgar as tradições, usos e costumes do concelho relacionadas com a cultura da vinha”, de acordo com o Regulamento.

Peso da Régua – Cidade do Vinho 2019 – foi a cidade escolhida para das duas dezenas de finalistas a Rainha das Vindimas sair uma vencedora, que irá representar o nosso país e concelho em eventos do sector vinícola, organizados pela Associação dos Municípios Portugueses do Vinho. Este, é um produto de multisecular tradições entre os limianos, com vários privilégios reais, designadamente o de não ser autorizado vinho de fóra do concelho, sem antes esgotar o dos agricultores locais, além da sua participação em certames nacionais e internacionais, ontem e hoje.

Assim, no Passado é de recordar, por exemplo, uma medalha de prata atribuída á produção da Quinta do Outeiro na Correlhã, na Exposição Industrial de 1888, realizada no Porto, e nos últimos anos, outra do mesmo metal, ao Vila Antiga, dos solos da Correlhã, na Feira do Vinho Verde de 2017; uma de ouro à Casa da Cuca, em Moreira de Lima, e mais outras á Adega Cooperativa em participações na Prodexpo em Moscovo no ano passado, também com uma de ouro e duas de prata.

Tito Morais / https://www.luso.eu/

“ROSCAS DE MONÇÃO” NA FINAL DO CONCURSO “7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL”

A final do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal” decorre este sábado, 7 de setembro, em Montemor-o-Velho, com transmissão televisiva na RTP 1, a partir das 9h30. Na gala, apresentada por José Carlos Malato e Catarina Furtado, estão presentes 14 doces finalistas, sendo 7 considerados vencedores através de votação telefónica.

68738593_3014369408636338_8855535571448102912_o.jpg

As “Roscas de Monção” são um dos doces finalistas, realizando-se, desde o passado domingo, dia em que abriram as votações telefónicas, algumas ações de promoção junto do público. O objetivo é conseguir votos suficientes para que as “Roscas de Monção” sejam um Doce Maravilha de Portugal.

No domingo, na prova “Socalcos Trail Adventure”, que decorreu nas freguesias de Merufe e Sistelo, no âmbito da Feira Tradicional da Portela de Alvite, os participantes foram presenteados com este doce caraterístico do concelho de Monção no final da prova.

O melhor suplemento depois de uma prova muito desgastante, em termos físicos, e bastante agradável, devido à beleza dos percursos. Perto de 800 participantes, oriundos de diferentes locais de Portugal e Espanha, tiveram o privilégio de correr num local extraordinário e saborear um doce maravilhoso.

Durante a semana, a Adega Cooperativa de Monção está a preparar a próxima vindima, recebendo as marcações dos associados para a entrega das uvas. No local, duas funcionárias da autarquia, entregam um flyer das Roscas de Monção e solicitam o respetivo apoio ao doce mais característico do concelho.

Na quinta-feira, dia de feira semanal, está pensada uma ação semelhante junto dos feirantes e frequentados daquele espaço. Situação que já decorreu no passado dia 22 de agosto, com sucesso, quando as “Roscas de Monção” tinham pela frente a semifinal, nos Arcos de Valdevez.

Além de outdoors e presença forte na rede social, estão ainda pensadas três chamadas telefónicas coletivas. Hoje, no Centro Cultural do Vale do Mouro, em Tangil. Na quarta-feira, no Pavilhão Desportivo da EB 1, em Pias. Na quinta-feira, no Cine Teatro João Verde, na sede do concelho. Todas as ações de apoio têm inicio às 19h07.

MONÇÃO PREPARA "CHAMADA COLETIVA" DE APOIO À CANDIDATURA DAS ROSCAS A MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Chamada Coletiva de Apoio às “Roscas de Monção”: 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

O doce “Roscas de Monção” é um dos finalistas do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, participando na gala final que decorrerá no dia 7 de setembro, sábado, em Montemor-o-Velho. Nesta gala, serão escolhidos 7 doces vencedores num total de 14 participantes.

68738593_3014369408636338_8855535571448102912_o.jpg

No decorrer desta semana, vamos realizar três ações promocionais das “Roscas de Monção”, consistindo em chamadas telefónicas coletivas de apoio ao doce mais característico do concelho de Monção. No dia 3 de setembro, terça-feira, pelas 19h07, no Centro Cultural do Vale do Mouro. No dia 4 de setembro, quarta-feira, pelas 19h07, no Pavilhão Desportivo da EB1 de Pias. No dia 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

MONÇÃO PREPARA "CHAMADA COLETIVA" DE APOIO À CANDIDATURA DAS ROSCAS A MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Chamada Coletiva de Apoio às “Roscas de Monção”: 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

O doce “Roscas de Monção” é um dos finalistas do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, participando na gala final que decorrerá no dia 7 de setembro, sábado, em Montemor-o-Velho. Nesta gala, serão escolhidos 7 doces vencedores num total de 14 participantes.

68738593_3014369408636338_8855535571448102912_o.jpg

No decorrer desta semana, vamos realizar três ações promocionais das “Roscas de Monção”, consistindo em chamadas telefónicas coletivas de apoio ao doce mais característico do concelho de Monção. No dia 3 de setembro, terça-feira, pelas 19h07, no Centro Cultural do Vale do Mouro. No dia 4 de setembro, quarta-feira, pelas 19h07, no Pavilhão Desportivo da EB1 de Pias. No dia 5 de setembro, quinta-feira, pelas 19h07, no Cine Teatro João Verde.

“CHARUTOS DOS ARCOS” NA FINAL DAS 7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL

Arcos de Valdevez é Finalista do Concurso 7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL”.

Os “CHARUTOS DOS ARCOS”, eleitos anteriormente o melhor doce do Alto Minho, passaram à Final do concurso "7 Maravilhas Doces de Portugal”. Para o Município de Arcos de Valdevez e para os arcuenses é um orgulho ter o reconhecimento nacional de Arcos de Valdevez e da sua doçaria.

charutsarcos (1).png

A FINAL está marcada para 7 de setembro de 2019, em Montemor-o-Velho, às 21h45, onde serão eleitas as 7 Maravilhas Doces de Portugal, numa transmissão em direto da RTP 1 e da RTP Internacional.

A votação nesta fantástica iguaria arcuense é possível entre o dia 01 de setembro (a partir das 17h) e o dia 07 de setembro, ligando para o efeito o número de telefone 760 107 003.

Os “CHARUTOS DOS ARCOS” são apadrinhados pelo escritor Jacinto Lucas Pires, familiarmente ligado a Arcos de Valdevez, também ele um apreciador da gastronomia e sobretudo da doçaria tradicional do concelho.

Para o Presidente da Câmara Municipal “Esta iniciativa promove o nosso património, reforça a identidade e revitaliza a doçaria como “símbolo” nacional, sendo um estimulo à inovação e valorização dos produtos tradicionais e à dinamização económica e sociocultural dos territórios. Os doces representam a história e a tradição de cada território e são uma mostra do bom quem temos e do bem que fazemos.”

João Esteves solicita “o apoio de todos para eleger os “CHARUTOS DOS ARCOS” como uma das 7 Maravilhas de Portugal”.

Vamos todos VOTAR em “ARCOS DE VALDEVEZ”

Vamos todos VOTAR nos “CHARUTOS DOS ARCOS”

LIGUE 760 107 003

charutsarcos (2).png

CONCURSO DE SALTOS INTERNACIONAL REALIZA-SE EM ESPOSENDE

Esposende acolhe Concurso de Saltos Internacional de 6 a 8 de setembro

Esposende vai acolher, no próximo fim-de-semana, um mega evento de equitação: a primeira edição do Concurso de Saltos Internacional (CSI). O evento é organizado pelo Clube Hípico do Norte, em parceria com a Federação Equestre Portuguesa e a Câmara Municipal de Esposende, e decorrerá de 6 a 8 de setembro, nas instalações do Clube Hípico do Norte, com entrada livre.

Poster Horizontal.jpg

A competição conta com a presença dos melhores conjuntos nacionais, entre eles os cavaleiros olímpicos António Vozone e Miguel Faria Leal e também o cavaleiro António Matos Almeida, que terminou o Campeonato da Europa em 11.º lugar, a melhor classificação de sempre de um português. O evento conta, ainda, com a presença de prestigiados cavaleiros internacionais, provenientes de 13 países. Em termos globais, o CSI de Esposende envolve 150 cavaleiros e cerca de 600 profissionais de equitação, de 11 nacionalidades (Portugal, Espanha, Suécia, Suíça, Noruega, Malásia, Brasil, Angola, África do Sul, França, Inglaterra).

As provas decorrerão em contínuo ao longo dos três dias, entre as 10h30 e as 17h00. O Grande Prémio realiza-se no domingo, dia 8 de setembro, às 16h00, e terá transmissão em direto na SPORT-TV e em diferido na RTP. A par da competição, estará disponível uma funzone, proporcionando a todas as crianças uma experiência a cavalo gratuita e uma zona de lazer com insufláveis e outras diversões. No sábado à noite, dia 7 de setembro, o programa noturno inclui um jantar, uma prova espetáculo e um concerto ao vivo.

O Concurso de Saltos internacional de Esposende constituirá uma etapa de qualificação da equipa nacional de saltos de obstáculos para o Campeonato da Europa da Juventude 2020. Na semana que antecedeu o evento, a Federação Equestre Portuguesa organizou o estágio da seleção nacional no Clube Hípico do Norte, para o selecionador Jean Marc Nicolas realizar a preparação dos jovens cavaleiros.

O Município de Esposende associa-se ao evento, com o intuito de posicionar o concelho como um território de eleição para o turismo equestre nas vertentes desportiva e lúdica, consolidando o significativo impacto económico que este produto tem na economia local.