Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BARCELOS É MARAVILHA DA CULTURA POPULAR

Município de Barcelos é pré-finalista em três categorias às 7 Maravilhas da Cultura Popular

A RTP vai estar na cidade da Póvoa de Lanhoso na próxima terça-feira, 11 de agosto, para emitir e apresentar os semi-finalistas da edição 2020 das 7 Maravilhas, dedicada à Cultura Popular do distrito de Braga, entre eles a Banda Plástica, o Figurado de Barcelos e a Lenda do Galo de Barcelos.

7 Maravilhas da Cultura Popular.jpg

A emissão vai contar com os apresentadores Vanessa Oliveira e José Carlos Malato sendo transmitida entre as 10h00 e as 13h00, e retomada das 14h30 às 17h30.

Os 140 finalistas, apresentados no dia 7 resultam de uma seleção entre 504 candidaturas avaliadas por um painel de especialistas composto por sete elementos de cada um dos 18 distritos de Portugal Continental e das regiões autónomas.

O concurso 7 Maravilhas de Popular tem como objetivo a valorização e reconhecimento daquilo que carateriza o país e assenta, nesta edição, no património cultural material e imaterial das várias regiões e localidades do país, contribuindo para a diferenciação e promoção territorial.

De notar que o concelho de Barcelos é um território com uma identidade cultural e etnológica muito forte decorrente da variedade de artes e ofícios.

Para ajudar os semi-finalistas na final das 7 Maravilhas da Cultura Popular, pode votar através dos contactos: Banda Plástica de Barcelos (760207820); Figurado de Barcelos ( 760207822); Lenda do Galo de Barcelos (760207826).

VILA VERDE PRESERVA A TRADIÇÃO DOS LENÇOS DE NAMORADOS

Lenços de Namorados. Uma tradição que se reinventou e abraçou a modernidade

Falar de Lenços de Namorados é falar de amor e carinho. De história e tradição. De um saber da cultura popular que atravessou gerações (remonta ao século XVIII), abraçou a modernidade e se tornou um símbolo da identidade nacional. 

Marca Namorar Portugal.jpg

Ontem, panos brancos de linho onde as jovens raparigas bordavam com linhas coloridas os símbolos do amor e da natureza, as quadras apaixonadas com que declaravam amor ao seu pretendido.

Hoje, fonte de inspiração de artistas, artesãos, estilistas e empresários das mais variadas áreas, que os adaptam e reinventam. Que os utilizam como fonte de inspiração e estímulo criativo. Como motor de dinamização económica e social, continuando a transmitir mensagens de amor, afeto, paz e amizade.

Hoje, num mundo que, cada vez mais, precisa de amor, os Lenços de Namorados são um dos candidatos à final regional das 7 Maravilhas da Cultura Popular. Para votar e ajudar a eternizar esta genuína tradição, basta ligar para o 760 207 825.

Recuperados e preservados pela aliança Artesanal, abrilhantados pelo Concurso Internacional de Criadores de Moda e celebrizados pela marca Namorar Portugal. Os Lenços de Namorados reinventaram-se e abraçaram a modernidade.

Gala.JPG

Do baú para as mãos das bordadeiras da Aliança Artesanal

A Aliança Artesanal - Centro de Dinamização Artesanal nasceu nos anos 80 para tirar os Lenços de Namorados dos baús. Um trabalho de recuperação, preservação e recriação desta bela forma de arte que nos foi legada pelos antepassados, transmitindo-a às gerações mais jovens.

No século XVIII, os Lenços foram símbolo da emancipação feminina. No coração do Minho rural e conservador, com rígidos costumes, era a mulher que dava o primeiro passo e declarava o seu amor. Dois séculos depois, voltou a cumprir o mesmo desígnio. Permitiu às bordadeiras arregaçarem as mangas e tomarem conta do próprio destino, fazendo da arte de bordar o seu sustento.

Aliança (2).JPG

O brilho da passerelle

Depois, saltaram para a passerelle, servindo de inspiração a designers de moda e estilistas. Criações modernas e arrojadas que incorporam os motivos dos Lenços de Namorados, numa aliança harmoniosa entre tradição e modernidade.

O Concurso Internacional de Criadores de Moda já vai na XVII edição. O talento consagrado de estilistas e modelos de renome caminha lado a lado sob as luzes da ribalta com o talento em potência de jovens que encontram no evento uma montra privilegiada para exporem todo o seu potencial no mundo da moda.

A iniciativa evoluiu para a Gala Namorar Portugal. A decoração de requinte, a gastronomia de excelência, os espetáculos culturais… A 14 de fevereiro, celebridades nacionais da moda, música e televisão rumam a Vila Verde, juntando-se a centenas de casais enamorados para uma noite de elegância, glamour e amor. Muito amor!

É a noite de namorados mais romântica do país e foi reconhecida como ‘Evento de Interesse para o Turismo’, atribuído pelo Turismo de Portugal IP.

À conquista do país e do mundo

O crescente interesse por esta genuína tradição levou à criação da marca territorial do Município de Vila Verde, a Namorar Portugal. Estava lançado o desafio ao mundo das artes e dos negócios para incorporarem os motivos dos Lenços de Namorados nas suas criações/produtos.

A resposta não poderia ter sido mais contundente. Hoje, a marca conta com mais de 70 parceiros, de Norte a Sul do país, nas mais diversificadas áreas de negócio (têxtil, calçado, acessórios de moda, mobiliário, artesanato, agroalimentar, decoração do lar…).

Conta com milhares de produtos no mercado, espalhados pelos quatro cantos do mundo, que têm contribuído para consolidar os Lenços de Namorados como um dos maiores símbolos da cultura popular portuguesa e da identidade nacional. Que têm contribuído para perpetuar esta bela e antiga forma de arte. Para disseminar mensagens de carinho, afeto e ternura.

O mundo precisa de amor. Para votar nos Lenços de Namorados para as 7 Maravilhas da Cultura Popular, basta ligar o 760 207 825.

1. Vencedor da Gala Namorar Portugal 2020.JPG

TIAGO SÁ APADRINHA A CANDIDATURA DOS LENÇOS DE NAMORADOS ÀS 7 MARAVILHAS DA CULTURA POPULAR

Vilaverdense de gema, Tiago Sá vai defender a candidatura dos Lenços de Namorados às 7 Maravilhas da Cultura Popular com a mesma segurança e determinação com que defende as redes do SC Braga.

DSC02278.jpg

O guarda-redes dos ‘Guerreiros do Minho’ apadrinha a candidatura, mas, no futebol como na vida, ninguém vence sozinho e será necessário o apoio de todos para alcançar a vitória. O concurso já está a decorrer e todos podem participar. Para votar basta ligar o 760 207 825.

Apesar dos altos voos de uma carreira desportiva profissional num dos maiores clubes portugueses, Tiago Sá não esquece as origens e, depois de uma época em cheio, veste agora a camisola dos Lenços de Namorados.

A relação umbilical com o concelho de Vila Verde (nascido e criado na freguesia de Moure) e o imenso orgulho nas raízes fizeram com que não hesitasse na hora de dar o rosto por este ícone da cultura popular que já se tornou um símbolo da identidade nacional dentro e fora de portas.

A candidatura assume-se como uma excelente oportunidade para valorizar e promover os Lenços de Namorados, esta genuína tradição que remonta ao século XVIII, atravessou gerações e tornou-se um ex-líbris do concelho de Vila Verde, das suas gentes e da sua história.

O mundo precisa de amor. Para votar nos Lenços de Namorados para as 7 Maravilhas da Cultura Popular basta ligar o 760 207 825.

LENÇOS DE NAMORADOS NA CORRIDA PARA AS 7 MARAVILHAS DA CULTURA POPULAR

Uma história de amor que atravessou os séculos

Mensagens de amor e carinho, ternura e afeto. Símbolos de amor e natureza. Mãos calejadas expressavam sentimentos bordando delicadamente linhas coloridas em panos brancos de linho, numa tradição que remonta ao século XVIII.

lençoshistamor (1).JPG

Os Lenços de Namorados atravessaram os séculos e estão na corrida às 7 Maravilhas da Cultura Popular. As votações já estão a decorrer. Para apoiar esta genuína tradição minhota que já se tornou um símbolo nacional dentro e fora de portas, basta ligar para o 760 207 825.

Bordar o amor de Portugal

As histórias de amor dos Lenços de Namorados são também um símbolo de emancipação feminina, em pleno coração do Minho rural. Depois da longa jorna e do trabalho duro no campo, as raparigas encontravam força e arte para bordar versos de amor num pano branco de linho, expressando com as mãos o que o coração sentia.

Os lenços eram também ornamentados com símbolos românticos e campestres, como corações, pássaros ou flores. A baixa escolaridade fez com que a oralidade se sobrepusesse à escrita, originando erros ortográficos que são comuns nos exemplares mais antigos.

A entrega era feita habitualmente de forma muito discreta. Depois, se o homem utilizasse o Lenço na próxima cerimónia pública, era sinal de amor correspondido e começava o namoro, por vezes às escondidas, devido aos costumes rígidos da época. 

Do Minho para o resto do mundo

Ao longo dos séculos, esta forma de arte enraizou-se na cultura popular e atravessou gerações, continuando bem viva até aos dias de hoje. A isso deve-se, em grande parte, o trabalho desenvolvido pela Aliança Artesanal, em Vila Verde. Além da recolha e preservação, continuam a bordar o amor de Portugal.

Mais vivos que nunca, hoje, os Lenços de Namorados servem de inspiração para milhares de produtos, em diversas áreas (têxtil, calçado, acessórios de moda, mobiliário, produtos agroalimentares, artesanato…), que integram a marca territorial Namorar Portugal, do Município de Vila Verde.

Inspiram também designers e estilistas no Concurso Internacional de Criadores de Moda, que culmina, anualmente, na Gala Namorar Portugal. Uma noite de elegância, glamour e amor. Muito amor!

As mensagens de afeto extravasaram a região do Minho e têm conquistado corações pelo país e pelo mundo, tornando-se um ícone cultural e um dos símbolos da identidade nacional. Quem considerar que os Lenços de Namorados são uma das 7 Maravilhas da Cultura Popular, já pode votar, basta ligar para o 760 207 825. O mundo precisa de amor!

lençoshistamor (2).JPG

lençoshistamor (3).jpg

lençoshistamor (4).jpg

lençoshistamor (5).JPG

LENÇOS DE NAMORADOS NA CORRIDA PARA AS 7 MARAVILHAS DA CULTURA POPULAR

Uma história de amor que atravessou os séculos

Mensagens de amor e carinho, ternura e afeto. Símbolos de amor e natureza. Mãos calejadas expressavam sentimentos bordando delicadamente linhas coloridas em panos brancos de linho, numa tradição que remonta ao século XVIII.

lençosnamorad (1).JPG

Os Lenços de Namorados atravessaram os séculos e estão na corrida às 7 Maravilhas da Cultura Popular. As votações já estão a decorrer. Para apoiar esta genuína tradição minhota que já se tornou um símbolo nacional dentro e fora de portas, basta ligar para o 760 207 825.

Bordar o amor de Portugal

As histórias de amor dos Lenços de Namorados são também um símbolo de emancipação feminina, em pleno coração do Minho rural. Depois da longa jorna e do trabalho duro no campo, as raparigas encontravam força e arte para bordar versos de amor num pano branco de linho, expressando com as mãos o que o coração sentia.

Os lenços eram também ornamentados com símbolos românticos e campestres, como corações, pássaros ou flores. A baixa escolaridade fez com que a oralidade se sobrepusesse à escrita, originando erros ortográficos que são comuns nos exemplares mais antigos.

A entrega era feita habitualmente de forma muito discreta. Depois, se o homem utilizasse o Lenço na próxima cerimónia pública, era sinal de amor correspondido e começava o namoro, por vezes às escondidas, devido aos costumes rígidos da época. 

Do Minho para o resto do mundo

Ao longo dos séculos, esta forma de arte enraizou-se na cultura popular e atravessou gerações, continuando bem viva até aos dias de hoje. A isso deve-se, em grande parte, o trabalho desenvolvido pela Aliança Artesanal, em Vila Verde. Além da recolha e preservação, continuam a bordar o amor de Portugal.

Mais vivos que nunca, hoje, os Lenços de Namorados servem de inspiração para milhares de produtos, em diversas áreas (têxtil, calçado, acessórios de moda, mobiliário, produtos agroalimentares, artesanato…), que integram a marca territorial Namorar Portugal, do Município de Vila Verde.

Inspiram também designers e estilistas no Concurso Internacional de Criadores de Moda, que culmina, anualmente, na Gala Namorar Portugal. Uma noite de elegância, glamour e amor. Muito amor!

As mensagens de afeto extravasaram a região do Minho e têm conquistado corações pelo país e pelo mundo, tornando-se um ícone cultural e um dos símbolos da identidade nacional. Quem considerar que os Lenços de Namorados são uma das 7 Maravilhas da Cultura Popular, já pode votar, basta ligar para o 760 207 825. O mundo precisa de amor!

lençosnamorad (2).JPG

lençosnamorad (3).JPG

lençosnamorad (4) (1).jpg

lençosnamorad (5) (1).jpg

ROMARIA DE SÃO JOÃO D'ARGA CLASSIFICADA EM 2º LUGAR NA FASE DISTRITAL DO CONCURSO 7 MARAVILHAS DA CULTURA POPULAR

A Romaria de São João d’Arga ficou classificada em 2º lugar na fase distrital do concurso 7 Maravilhas da Cultura Popular, da RTP.

O programa 7 Maravilhas da Cultura Popular, que foi emitido em direto pela RTP 1 e onde foi apurado o finalista do distrito de Viana do Castelo, decorreu ontem em Ponte da Barca.

Programa 7 Maravilhas da Cultura Popular (4).jpg

Programa 7 Maravilhas da Cultura Popular (5).jpg

Programa 7 Maravilhas da Cultura Popular (1).jpg

Programa 7 Maravilhas da Cultura Popular (2).jpg

Programa 7 Maravilhas da Cultura Popular (3).jpg

ALEXANDRA LUCAS COELHO VENCE GRANDE PRÉMIO MARIA ONDINA BRAGA

Parceria entre a Associação Portuguesa de Escritores e o Município de Braga

O livro ´Cinco Voltas na Bahia e Um Beijo para Caetano Veloso´, de Alexandra Lucas Coelho, editado pela Editorial Caminho, é o vencedor da terceira edição do Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores com o alto patrocínio do Município de Braga.

Alexandra Lucas Coelho.jpg

O júri, constituído por Guilherme d’Oliveira Martins, Fernando Batista e Isabel Cristina Mateus e coordenado por José Manuel Mendes, distinguiu esta obra, por unanimidade, visto revelar “originalidade literária pela conjugação de viagens diversas, geográficas históricas e interculturais”. Este livro «evidencia ainda uma aproximação cultural e linguística entre o Portugal e o Brasil contemporâneos, ressalvando a complementaridade e as diferenças», refere-se na sua ata de atribuição.

Nesta 3.ª edição da Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga concorreram as obras publicadas no ano de 2019. O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de 12.500,00€.

Recorde-se que o Prémio Literário Maria Ondina Braga, que o Município de Braga instituiu em 2005 com carácter bienal, deu lugar a um “Grande Prémio” no âmbito exclusivo da literatura de viagens e destinado a obras em português e de autores portugueses. Partindo de uma parceria com a Associação Portuguesa de Escritores, esta iniciativa passou a ter carácter anual, ascendendo o valor pecuniário a atribuir para os 12.500 Euros. A sua organização passou, entretanto, a ser assumida pela Associação Portuguesa de Escritores com financiamento do Município de Braga, sendo ambas as entidades promotoras do Prémio.

Em 2018, o vencedor deste prémio foi Afonso Cruz com a obra “Jalan, Jalan: Uma Leitura do Mundo” e, em 2017, Paulo Moura com “Extremo Ocidental – Uma Viagem de Moto Pela Costa Ocidental Portuguesa, de Caminha a Monte Gordo”.

Nascida em 1967 em Lisboa, Alexandra Lucas Coelho estudou teatro no IFICT e comunicação na Universidade Nova de Lisboa. Publicou cinco livros de reportagem-crónica viagem: Oriente Próximo (2007), Caderno Afegão (2009), Viva México (2010), Tahrir (2011), Vai, Brasil (2013) e o romance E a Noite Roda, que foi galardoado com o Grande Prémio de Romance e Novela da APE, 2012. Tem carteira de jornalista desde Janeiro de 1987, tendo vivido em Jerusalém e no Rio de Janeiro.

ALC_Cinco Voltas.jpg