Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIZELA REALIZA CONCURSO NACIONAL DE LEITURA

No âmbito do Concurso Nacional de Leitura, a Câmara Municipal, através da Biblioteca Municipal de Vizela promove o Concurso Municipal de Leitura, no dia 22 de janeiro, no Auditório Luís Lopes Guimarães, a partir das 14h00.

De destacar que se encontra a decorrer por todo o país a 14ª edição do Concurso Nacional de Leitura, com a orientação e organização do Plano Nacional de Leitura.

Este concurso inclui quatro fases: a Escolar; a Municipal, a Intermunicipal e finalmente a Nacional. A prova das escolas já aconteceu nos respetivos estabelecimentos de ensino do concelho de Vizela, de onde foram selecionados para a fase seguinte 32 alunos, 8 por cada ciclo de ensino.

A fase municipal irá decorrer no dia 22 de janeiro, no Auditório Luís Lopes Guimarães, a partir das 14h30.

Neste dia serão apurados quatro estudantes por cada nível de ensino para entrar na fase intermunicipal, que este ano também irá decorrer no concelho de Vizela, no dia 23 de abril.

A Biblioteca Municipal de Vizela está a organizar ambos os eventos, nesta 14ª edição do Concurso Nacional de Leitura, cujo objetivo fundamental é o de estimular a prática da leitura, como forma de conhecimento e de lazer, conduzindo ao aprofundamento dos hábitos de leitura, bem como o de aferição de competências leitoras das crianças e jovens vizelenses.

cartaz leituravizz.jpg

SANTA MARTA DE PORTUZELO PREMEIA AS MELHORES MONTRAS DE NATAL

Prémios do Concurso de Montras de Natal 2019

No dia 29 de dezembro, na Sede da Junta de Freguesia de Santa Marta de Portuzelo, com a presença do Vereador Ricardo Carvalhido, foram entregues os prémios do 3º Concurso de Montras de Natal 2019.

Prémios do Concurso de Montras de Natal 2019_1.jpeg

O concurso é da iniciativa da Junta de Freguesia e visa promover e dinamizar o comercio local, valorizando a criatividade, a harmonia e estética de conjunto, a originalidade e a utilização de recicláveis e reutilizáveis.

A votação final foi conseguida pela participação de um júri e pelo público.

A montra mais votada foi a Classart Florista, tendo ficado em segundo lugar a loja “Os meus Presentes” e como terceiro classificado a empresa Silvas & Rocha. O Vereador Ricardo Carvalhido deixou um elogio ao Executivo e às empresas pela forma como tratam e cuidam das questões ambientais, sendo importantes estas iniciativas locais.

Prémios do Concurso de Montras de Natal 2019_2.jpeg

Prémios do Concurso de Montras de Natal 2019_3.jpeg

SANTA MARTA DE PORTUZELO ENTREGA PRÉMIOS DO CONCURSO "SACOS DO PÃO - UMA TRADIÇÃO"

No dia 11 de dezembro foram entregues os prémios aos vencedores do concurso “Sacos de Pão - uma tradição em defesa do ambiente”.

Entrega de prémios do Concurso1.jpg

O concurso premiou cinco trabalhos, um em cada ano de escolaridade, desde o pré-escolar até ao 4º ano, alunos da Escola Básica de Santa Marta de Portuzelo.

O Júri foi composto pela Diretora do Agrupamento, um elemento da Associação de Pais e um professor de  Educação Visual.

O projeto de realização de um Concurso de desenho infantil baseia-se na convicção que a expressão artística contribui para a formação integral do indivíduo, ajudando-o a crescer, a aprender, a descobrir, a divertir-se, a sonhar e a relacionar-se positivamente com o mundo que o rodeia.

Os vencedores foram:

Pré-escolar – Miriam Sousa Cruz

1º ano - Mariana Macedo

2º ano - Gonçalo Borlido

3ºano - Inês Moreira

4ºano - Lívia Amorim

Estes desenhos serão estampados em sacas de pão que serão distribuídas para promover a sua utilização, no sentido de reduzir as sacas de plástico e papel. Este projeto enquadra-se no conjunto de iniciativas da Junta de Freguesia, naquilo que é a sua missão no cumprimento de metas para a defesa do ambiente.

Entrega de prémios do Concurso2.jpg

Entrega de prémios do Concurso3.jpg

ARTESÃ BARCELENSE JÚLIA CÔTA É FINALISTA DA EDIÇÃO 2019 DO PRÉMIO NACIONAL DE ARTESANATO

A artesã barcelense Júlia Côta foi selecionada para a fase final do concurso “Prémio Nacional do Artesanato 2019”, promovido pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Júlia Côta.JPG

Neste concurso, que visa incentivar a produção artesanal, distinguindo os artesãos portugueses, bem como as entidades que se destacam no trabalho desenvolvido na área do Artesanato, Júlia Côta está a concorrer para a categoria “Grande Prémio Carreira”.

Júlia da Rocha Fernandes de Sousa, conhecida por “Júlia Côta”, é uma barrista barcelense que nasceu na freguesia de Galegos Santa Maria, no concelho de Barcelos, em 26 de dezembro de 1935, e é hoje um vulto maior do artesanato de Barcelos.

Ultrapassada que foi a primeira fase de avaliação das candidaturas, a votação passou agora para o público. A votação está a decorrer online desde o dia 3 de dezembro e termina às 18h00 do dia 13 de dezembro. Pode votar através do link https://www.iefp.pt/promocao-das-artes-e-oficios no separador “PNA 2019 – Votação”.

Concluída esta fase da votação via Internet, o júri do concurso procederá à eleição da candidatura vencedora em cada uma das categorias. O resultado final, e a correspondente entrega dos prémios, será conhecido em cerimónia pública e solene cuja data e local serão oportunamente divulgados.

As categorias a concurso são Grande Prémio Carreira, Prémio Inovação, Prémio Empreendedorismo Novos Talentos, Prémio Investigação, Prémio Promoção para Entidades Privadas e Prémio Promoção para Entidades Públicas.

Recorde-se que, em 2017, o Município de Barcelos foi galardoado com o “Prémio Promoção para Entidades Públicas” e a artesã Júlia Ramalho venceu o “Grande Prémio Carreira”.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE JARDINS EM PONTE DE LIMA VAI SER DEDICADO À TEMÁTICA DAS RELIGIÕES

Festival Internacional de Jardins 2020 – As Religiões nos Jardins

A 16ª edição do “Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima” já está a ser planeada. O júri do Festival já selecionou os 11 jardins, num universo de 40 propostas oriundas de 14países de todo o mundo, dos quais são exemplo instituições ligadas ao ensino: Áustria, com propostas oriundas da BokuUniversityof Natural ResourcesandLifeSciences, Vienna; Polónia, com propostas de alunos do curso de Arquitetura da AcademyofFinancesand Business "Vistula" e da VistulaUniversityLandscapeArchitecture Design; Itália,com uma proposta do LiceoArtistico e Musicale "A. Passaglia", de Lucca; Portugal com osalunos da EPRALIMA, curso de Técnico de Design de Interiores e Exteriores; para terminar o Colégio dos Cedros, de Vila Nova de Gaia.

fij_2020.jpg

Como é habitual, as propostas selecionadas pelo júri vão fazer-se representar neste evento, entre os meses de maio e outubro de 2020.

Sob o tema “As Religiões nos Jardins”, o júri reuniu e avaliou criações provenientes de Portugal, Espanha, Escócia, República Checa, França, Inglaterra, Itália, Áustria, Roménia, Sérvia, Noruega, Polónia, Estados Unidos da América e Brasil. 

O evento distinguido internacionalmente em 2013 com o título GardenTourismAwards, no “NorthAmericanGardenTourism Conference”, em Toronto, Canadá, e em 2017 com a distinção “Europe for Festivals, Festivals for Europe”- EFFE Label 2017-2018, aposta na revitalização dos espaços urbanos, na preservação do ambiente e promove as boas práticas do uso dos jardins.

O Festival Internacional de Jardins é um projeto sustentável, visto que consegue manter a essência de preservar o ambiente, utilizando sempre que possível materiais usados em edições anteriores. Os novos jardins juntar-se-ão ao jardim mais votado da edição 2019, “Vertigem (IR) Reversível” de Portugal.

Confira as propostas selecionadas pelo júri para a 16ª edição do Festival Internacional de Jardins.

-Jardim de Osíris,de Oscar Sá e António Carvalho - Portugal

- La Chapelle,de Maria Jesus Mera Gonzaléz - Espanha

- The Dialogue Garden, de Magda Jandová e Viveiros Adoa - Espanha/ República Checa

- Peregrinação,de RecklessOrchard- Inglaterra

- Pandora's Box,de NACL TEAM (Sandro del Lesto, Martina Pappalardo e Silvia Giuffrida)- Itália

- SanctuaryofInvulnerability, de BokuUniversityof Natural ResourcesandLifeSciences, BalintEnyedi, MelanieMitterer e Claudia Wu - Áustria / Roménia

-TheSearching,de Viena, BokuUniversityof Natural ResourcesandLifeSciences, JuliaLinder, JasminLinder e SigridJystad - Áustria / Noruega

- GardenofLife,de Varsóvia, VistulaUniversityLandscapeArchitecrure Design, Mohyi Mahmoud, KarolinaBeinarovicha, TetianaHumeniuk e KhaledIbrahim- Polónia

- EyeofGod, de AgnieszkaBochenska e AleksandraGierko - Polónia

- AllSaintsDayEarthequake,de Thrace Design Studio, Yuliyallieva e Petar lliev- Estados Unidos da América 

- Jardins Religare,de Valter Nu e Valdir Nunes Santana- Brasil

Como aconteceu nas edições anteriores, durante a seleção das criações para o próximo ano, o Júri lançou o tema para o ano seguinte. Assim, em 2021, o Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima terá como tema “ Os Jardins e as Alterações Climáticas”.

AFONSO CRUZ VENCE CONCURSO LITERÁRIO EM BRAGA COM O LIVRO "JALAN JALAN"

Entrega de Grande Prémio Maria Ondina Braga a 13 de Dezembro

A segunda edição do Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores com o alto patrocínio do Município de Braga, irá decorrer no próximo dia 13 de Dezembro, pelas 17h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Braga.

Afonso Cruz.jpeg

Esta sessão, que será presidida pelo presidente da Associação Portuguesa de Escritores, José Manuel Mendes, e pelo presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, vai premiar o livro Jalan Jalan, de Afonso Cruz, editado pela Companhia das Letras, vencedor desta edição do Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga.

Um júri, coordenado por José Manuel Mendes e constituído por Guilherme d'Oliveira Martins, Isabel Cristina Mateus e Teresa Carvalho galardoou, por unanimidade, a obra de Afonso Cruz, destacando a sua “coerência, a fluidez narrativa e a consistência de uma leitura do mundo a partir da temática da viagem de que é um intérprete privilegiado”.

A esta segunda edição, concorreram obras publicadas no ano de 2018 e, a título excepcional, em 2017. O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de 12.500,00€.

Recorde-se que o Prémio Literário Maria Ondina Braga, que o Município de Braga instituiu em 2005 com carácter bienal, deu lugar a um “Grande Prémio” no âmbito exclusivo da literatura de viagens. Partindo de uma parceria com a Associação Portuguesa de Escritores, esta iniciativa passa, a partir deste ano, a ter carácter anual, ascendendo o valor pecuniário a atribuir para os 12.500 Euros. A sua organização passou, entretanto, a ser assumida pela Associação Portuguesa de Escritores com financiamento do Município de Braga, sendo ambas as entidades promotoras do Prémio.

Nascido em 1971 na Figueira da Foz, Afonso Cruz é, além de escritor, músico, ilustrador e realizador. Publicou mais de trinta livros, entre romances, conto, ensaio, poesia, teatro, não-ficção, e ilustrou outros tantos. Já conquistou vários prémios na área da literatura e da ilustração, entre os quais se destaca o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco 2010, o Prémio da União Europeia para a Literatura 2012 e o Prémio Autores para Melhor Ficção Narrativa, atribuído pela SPA em 2014.

IMG_20171209_000659.jpg

ROTARY ORGANIZA CONCURSO PARA JOVENS MONÇANENSES

Para mais informações basta consultar a página do Facebook do Rotary Club de Monção e enviar mensagem privada.

O Rotary Club de Monção está a promover, pelo segundo ano consecutivo, o concurso intitulado “A Inspiração Conta”, que se destina a todos os alunos que, no ano de 2019/2020, frequentam o ensino secundário.

Rotary_Cartaz_A4mon.png

Para todos os jovens que estiverem a frequentar os cursos científico-humanísticos e profissionais, nos estabelecimentos de ensino de Monção – Agrupamento de Escolas de Monção (AEM) e Escola Profissional do Alto Minho Interior (EPRAMI), podem participar neste concurso para colocar a imaginação dos jovens monçanenses a fervilhar.

Este concurso tem como finalidade incentivar os jovens a utilizar a sua criatividade em benefício próprio e da comunidade em que estão inseridos, para isso podem concorrer, até ao fim de janeiro, com uma ideia de responsabilidade social para a comunidade onde se inserem.

Os prémios para os vencedores e demais informações sobre este concurso constam no respetivo regulamento, que pode ser consultado no portal do Agrupamento de Escolas de Monção e no espaço físico da Escola Secundária de Monção e da EPRAMI.

BARCELOS É DOCE!

Concurso Barcelos Doce evidencia doçaria típica de Natal

A Câmara Municipal de Barcelos promove, no fim de semana 30 de novembro e 1 de dezembro, o concurso Barcelos Doce. Durante estes dias, no Posto de Turismo, onze pastelarias e padarias do concelho, que participam neste concurso, mostram a doçaria típica da época de Natal, como o bolo-rei, o pão de ló e o tronco de Natal, confecionados de acordo com as tradições gastronómicas da região.

Barcelos Doce.jpg

A 10º edição do Concurso Barcelos Doce, que promove a excelência dos Doces Tradicionais de Natal, confecionados em Barcelos, possibilita, a quem visita a cidade nesta altura e se desloca ao Posto de Turismo, poder saborear estes doces e provar os vinhos verdes produzidos no concelho.

Esta iniciativa, que pretende divulgar e promover os sabores dos doces de Natal, confecionados pelas pastelarias, padarias e confeitarias do concelho de Barcelos, encerra o programa anual promocional dos “7 Prazeres da Gastronomia”, promovido pelo Pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Barcelos e que, de fevereiro a dezembro, evidencia vários pratos típicos, desde a lampreia ao bacalhau, passando pelo galo assado, arroz “pica no chão” e petiscos, terminando, com chave de ouro, com a doçaria tradicional de Natal.

As pastelarias aderentes ao Concurso Barcelos Doce de 2019: Pastelaria Chá e Nata (Rio Côvo Santa Eugénia), Pastelaria Doce da Consolação (Vila Seca), Pastelaria Doce Santo Amaro (Viatodos), Padaria Flor de Durrães (Durrães), Padaria e Pastelaria Lina (Manhente), Padaria e Pastelaria Mercado do Pão (Barcelos), Pastelaria Minnelli (Barcelos), Confeitaria "Quoisas Boas" (Barcelinhos), Pastelaria Rosa Cintilante (Gilmonde), Padaria e Pastelaria Santa Luzia (Barcelinhos) e Padaria e Pastelaria São Bento (Várzea).

BarcelosDoce_2019-site.jpg

AMARES FOI UM DOS FINALISTAS DO CONCURSO "MUNICÍPIOS DO ANO - PORTUGAL 2019"

A Urjalândia- Aldeia de Natal Sustentável foi o projeto apresentado pelo Município de Amares aos “Prémios Municípios do Ano - Portugal 2019”, na categoria Norte, em municípios com menos de 20 mil habitantes. O projeto, um dos quatro finalistas, foi distinguido com uma menção honrosa, na passada sexta-feira, na cerimónia de atribuição de prémiosdeste concurso, que tem por objetivo reconhecer as boas práticas dos municípios portugueses.

IMG_0101.jpg

A Urjalândia é um projeto pioneiro, em Portugal, que visa mostrar as práticas de sustentabilidade, com a envolvência das comunidades rurais, dinamizando o Urjal,onde as marcas dos seus cerca de 20 habitantes estão muito presentes. Trata-se de um projeto concentrado na época natalícia em que toda a aldeia é decorada de modo ecológico, através da reutilização de materiais recicláveis e de materiais naturais, o que resulta de vários meses de trabalho da comunidade rural.

Para o presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira,estar na final deste concurso “é por si só honroso e é um reconhecimento de que o Município de Amares é um território competitivo e inovador.”“Temos trabalhado de forma muito determinada, tendo como objetivo estar na linha da frente nas políticas de desenvolvimento dos territórios. Queremos, efetivamente, ser capazes de promover o melhor da nossa cultura e das nossas gentes, pois temos muito orgulho no que somos e no que temos”, sublinhou o autarca.“Este é um projeto que se distingue pela forma como alia a sustentabilidade ambiental e a ruralidade de uma forma harmoniosa, que tem vindo a envolver com muita paixão a comunidade, desde a sua conceção até à realização, e que reunia todos os requisitos para ser um potencial vencedor, sendo que estar na final é por si um grande orgulho”, concluiu.

Para o vereador do Ambiente do Município de Amares, Vítor Ribeiro,a menção honrosa é “um enorme reconhecimento” do trabalho que o município tem feito em parceria com a união de freguesias de Vilela, Seramil e Paredes Secas “em prol da sustentabilidade ambiental”. “É um grande orgulho o nosso concelho ser reconhecido como um dos quatro municípios com os melhores projetos de sustentabilidade ambiental da zona norte e este reconhecimento é para todos os amarenses.Esta distinção faz com que arranque em força a 3ºedição da Urjalândia nos dias 21, 22 e 23 de dezembro, na Aldeia do Urjal, em Seramil.”

Lembrando que este projeto começou por ser algo “experimental” e que nasceu “pequenino”, o presidente da União de Freguesias de Vilela, Seramil e Paredes Secas, Rui Tomada, reconheceu que estar entre os quatro finalistas “constituiu um motivo de orgulho e é a prova de que quando os projetos são abraçados de alma e coração podem chegar longe”. “Esta distinção mostra a força deste projeto que tem já bons alicerces para continuar a crescer e dar frutos”, acrescentou.

O concurso “Municípios do Ano Portugal” é promovido, anualmente,pela Universidade do Minho, através da sua plataforma UM-Cidades e tem como princípio, designadamente, reconhecer as boas práticas de projetos implementados pelos municípios com impacto no território, na economia e na sociedade, promovendo o crescimento, a inclusão e a sustentabilidade.

IMG_0083.jpg

Urjalândiadá lugar a Centro de EducaçãoAmbiental

No seguimento do sucesso das duas edições do evento Urjalândia foi levada a cabouma candidatura com o nome de “Urjalândia a circular” ao programa JUNTAr + do Fundo Ambiental com a União de Freguesias de Vilela, Seramil e Paredes Secas. Esta candidatura foi aprovada em agosto do corrente ano com um financiamento de 25.000 euros, tendo sido classificada em 4º lugar a nível nacional, num total de 100 candidaturas. Fruto desta candidatura está a ser criado um Centro de Educação Ambientaldesignado Urjalândia a Circular.

76911631_736722330181411_183579495075151872_n.jpg

"VERTIGEM (IR) REVERSÍVEL" FOI O JARDIM MAIS VOTADO PELO PÚBLICO NO FESTIVAL INTERNACIONAL DE PONTE DE LIMA 2019

Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima 2019 – O Jardim mais votado pelo público - “Vertigem (IR) Reversível”

Os visitantes do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima 2019, 15ª edição sob o tema “Os Jardins do Fim do Mundo” votaram maciçamente no Jardim “Vertigem (IR) Reversível” que nos reporta para uma viagem até ao juízo final.

IMG_9643-a.JPG

De autores portugueses, a conceção da ideia pertence a dois jovens investigadores, naturais de Barcelos, que em comum partilham a paixão pela jardinagem amadora. E sobre a sua criação consideram que retrata uma “viagem metafórica ao juízo final, onde no purgatório somos confrontados com a dicotomia resultante da nossa inação, quando restam dois minutos para a meia-noite, ou catástrofe global. Mas resta ainda esperança, caso deixemos de ignorar os pecados do capital.”

Confira a apresentação do jardim aos visitantes:

Num ímpeto laicizador do juízo final, apresenta-se o Jardim • Vertigem (ir)reversível. 

De simetrias curvilíneas e proporções áureas, o Jardim de biomas em transmutação (de)gradativa baliza-se entre a pureza do alfa (α) argênteo e a decadência do ómega (Ω) ferrugento, entreligadas pelo passeio pecaminoso plúmbeo e pela contracorrente purificante alva. O declive e as linhas suaves convergem para o ponto focal e elevado do Jardim, conferindo ao purgatório vertiginoso a sensação de precipício. Ascendendo-o, é-nos revelado, através da porta abissal com chaves do céu, a dicotomia premente quando restam 2 minutos para a meia-noite... 

As balizas gregas aludem ao Mundo como o principiamos a conhecer e como o findamos a corromper. No percurso sinuoso, deambula-se sobre os 7 pecados do capital que compendiam as causas que aproximam perigosamente a catástrofe global, advinda das alterações climáticas e da sexta extinção em massa. Encontram-se subtérreos sendo alumiados lívida e tremulamente, como metáfora da hipocrisia em ignorar o que nos encandeia reiteradamente. No riacho serpenteante, lava-se os pecados explícitos com virtudes implícitas, especialmente daqueles que os encaram e não os recalcam. 

As transmutações nos biomas ajardinados são apanágios da inépcia (α→Ω) e da esperança (α←Ω) humanas. Os biomas assemelham-se a embriões (umbilicados à dupla hélice vital), para relembrar que se está a privar de futuro o futuro de nós. Com as alterações climáticas, o Mundo e a Vida não perecerão mas desfigurar-se-ão! O que hoje é tropical irisado, amanhã poderá ser mediterrâneo perfumado; e o que é este último, poderá ser desértico sequioso. O contralateral é a crença da reversão climática, onde o hoje, quiçá depois de amanhã, voltará a hoje. 

Envolto por uma atmosfera transcendental, o purgatório acolhe os incautos. Os 3 degraus elevam à porta a apontar ao céu, cujas fechaduras aludem à dicotomia angustiante abaixo: paraíso vs. inferno. Lá, no abismo, o relógio Dalíano sobre a balança da justiça pende o destino para o negrume desvitalizado. Marca 23h:58min, em acerto com o Relógio do Apocalipse, onde a meia-noite eufemiza a catástrofe global antropogénica. Mas o prato da direita está vago! Com máxima urgência onere-se-o com economia verde, circular e sustentável, ética e educação, que certamente a balança equilibrar-se-á. A Vertigem é, afinal, Reversível!

Quase como sendo premonição, o jardim mais votado, vai continuar em exposição na 16ª edição do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima, em 2020, enquadrando-se no tema escolhido “As Religiões nos Jardins”.

A segunda preferência do público recaiu sobre o “Jardim da Amizade” que reflete um jardim rico em elementos da cultura oriental com apontamentos da cultura portuguesa. Este jardim, tem o intuito de enaltecer as relações entre Portugal e China, reconhecendo o seu valor cultural e histórico. Dá relevo também à coragem dos Portugueses em navegar por mares desconhecidos e conhecer outros povos e também à fusão com as tradições Chinesas. Cada elemento contemplado neste jardim tem um significado histórico e cultural para os macaenses, chineses e portugueses. 

A seleção das novas propostas para a edição 2020, que tem como tema As Religiões nos Jardins, decorrerá no corrente mês.

Para mais informações consulte: www.festivaldejardins.cm-pontedelima.pt ou através do email: festivaldejardins@cm-pontedelima.pt.

IMG_9646 (1).JPG

FAMALICÃO ADIA ENTREGA DO GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

A cerimónia de entrega do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco a José Viale Moutinho que estava agendada para esta quinta-feira, dia 14, pelas 17h00, foi adiada, devido a motivos de força maior relacionados com o premiado.

A nova data será oportunamente anunciada.

Refira-se que o escritor venceu o Grande Prémio pelo livro “Monstruosidades do Tempo do Infortúnio”. José Viale Moutinho conquistou o galardão pela segunda vez, tendo sido decidido por unanimidade no dia 24 de setembro, em reunião do júri, composto por Fernando Batista, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho. O júri considerou que “estes contos de José Viale Moutinho, servidos por uma ironia mordaz numa prosa exigente e sadia, transportam a estranheza e o absurdo de situações resgatadas a tempos e atmosferas distantes, para outras ‘monstruosidades’ destes novos ‘tempos do infortúnio’”.

O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituído em 1991, pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela APE destina-se a galardoar anualmente uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro, 1.ª edição, no decurso do ano de 2018. O valor monetário deste Grande Prémio é de 7.500 euros para o autor distinguido.

JOSÉ VIALE MOUTINHO RECEBE AMANHÃ O GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

Cerimónia realiza-se esta quinta-feira, 14 de novembro, pelas 17h00, na Escola Secundária D. Sancho I

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, e o presidente da Associação Portuguesa de Escritores (APE), José Manuel Mendes, entregam amanhã, quinta-feira, dia 14, pelas 17h00, o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco ao escritor José Viale Moutinho, pelo  livro “Monstruosidades do Tempo do Infortúnio”. A sessão realiza-se no auditório da Escola Secundária D. Sancho I.

José Viale Moutinho na Casa de Camilo (1).jpeg

A atribuição do prémio a José Viale Moutinho, que o conquista pela segunda vez, foi decidida por unanimidade no dia 24 de setembro, em reunião do júri, composto por Fernando Batista, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho. O júri considerou que “estes contos de José Viale Moutinho, servidos por uma ironia mordaz numa prosa exigente e sadia, transportam a estranheza e o absurdo de situações resgatadas a tempos e atmosferas distantes, para outras ‘monstruosidades’ destes novos ‘tempos do infortúnio’”.

O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituído em 1991, pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela APE destina-se a galardoar anualmente uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro, 1.ª edição, no decurso do ano de 2018. O valor monetário deste Grande Prémio é de 7.500 euros para o autor distinguido.

José Viale Moutinho nasceu no Funchal, em 1945, e estreou-se na literatura em 1968 com a novela “Natureza Morta Iluminada”. Jornalista e escritor, tem atualmente várias obras editadas, algumas delas traduzidas nas mais diversas línguas, como o russo, búlgaro, castelhano, alemão, italiano, catalão, asturiano e galego.

Foi diretor da APE, da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia, do Círculo de Cultura Teatral e presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, sendo ainda sócio do Pen Clube Português, da Academia de Letras de Campos de Jordão (Brasil) e membro honorário da Real Academia Galega.

Ficcionista e poeta, José Viale Moutinho é autor de cerca de meia centena de livros para crianças, bem como de trabalhos nas áreas de investigação de Literatura Popular, da Guerra Civil de Espanha e da deportação espanhola nos campos de concentração nazis, bem como de estudos sobre Camilo e Trindade Coelho.

VIZELA É MARAVILHA DOCE DE PORTUGAL

Câmara de Vizela entregou diploma oficial das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal

No seguimento da estratégia de dinamização do Concelho, essencialmente para criar Vizela como destino turístico, o Presidente da Câmara Municipal entregou esta tarde o diploma oficial das 7 Maravilhas Doces de Portugal, o selo para colocar nas caixas do Bolinhol e ainda uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada um dos produtores de Bolinhol.

entrega diploma Bolinhol.jpg

Esta entrega vem no seguimento da estratégia da Autarquia depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal que passa pelo reforço do Bolinhol nos eventos promovidos pela Câmara, mas também por um conjunto de ações no sentido da promoção e divulgação do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Vizela enfatizou que esta eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal se traduz numa responsabilidade pois é a partir de agora que começa o trabalho da Câmara Municipal associado aos produtores do Bolinhol.

Victor Hugo Salgado afirmou que a Câmara Municipal tem implementado uma nova dinâmica na divulgação do Bolinhol, que tem passado pela associação deste produto endógeno aos eventos promovidos pela Câmara, com a presença dos produtores do Bolinhol, com stands próprios para a promoção do nosso doce típico.

O Edil destacou ainda a realização da Feira do Bolinhol, uma das estratégias para manter o Bolinhol vivo como uma referência de Vizela. Disse que sempre que possível, a Câmara irá criar condições para associar a imagem das 7 Maravilhas Doces de Portugal ao Concelho, conforme foi já efetuada com a alteração dos totems das entradas da cidade e das novas paragens de autocarros, onde foi colocada uma alusão ao Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

Victor Hugo Salgado afirmou ainda que no próximo ano, a Autarquia irá criar um monumento ao Bolinhol como forma de dar a conhecer a todos os que nos visitam que somos detentores de uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal.

O Presidente da Câmara finalizou a sua intervenção afirmando que, para além da intervenção da Autarquia, é também importante destacar mais dois atores nesta matéria: o povo de Vizela, que deve continuara a valorizar e promover o que é de Vizela, e os produtores do Bolinhol, que têm sabido manter ao longo dos anos a tradição e a qualidade do nosso doce típico, acrescentando que este tem agora uma responsabilidade acrescida, depois da eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas.

Assim, a Câmara Municipal entregou o diploma oficial das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal a cada um dos produtores de Bolinhol do nosso Concelho, assim como um selo que será colocado nas caixas do Bolinhol, identificando-o como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal. Foi também entregue uma placa para ser colocada na fachada exterior das lojas de cada uma das lojas dos produtores de Bolinhol.

​A Câmara Municipal de Vizela considera que a eleição do Bolinhol como uma das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal deve ser devidamente promovida e divulgada pois, para além de reafirmar a identidade de um povo que, cada vez mais, sente que valeu a pena lutar pelo Concelho de Vizela, também homenageia todos aqueles que lutaram pela nossa autonomia, permite a promoção de Vizela, consolidando, desta forma, uma estratégia de dinamização do Concelho, assim como do comércio tradicional, em particular, dos que orgulhosamente vendem o nosso bolinhol, mas, também, de todos os comerciantes do ramo da restauração, que passam a ter mais um “trunfo” nas suas mesas.

BOM JESUS PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE É TEMA DO CONCURSO MUNICIPAL DE FOTOGRAFIA 2019

Inscrições a partir do dia 20 de Novembro no Museu da Imagem

‘O Bom Jesus do Monte – Património Mundial da Humanidade’ é o tema do XVI Concurso Municipal de Fotografia, uma iniciativa organizada pelo Município de Braga que visa aproximar os Bracarenses do património da Cidade.

MH Anabela Esteves 2018  R25 Nº23.JPG

As inscrições, limitadas a 50 concorrentes, iniciam-se no dia 20 de Novembro, no Museu de Imagem (de terça a sexta-feira, das 11h00 às 18h30, e aos sábados das 14h30 às 18h30), implicando apenas o pagamento de uma caução que se destina a garantir a efectiva participação dos inscritos, sendo a referida caução devolvida, aquando da entrega da máquina fotográfica.

Esta edição do concurso de fotografia decorrerá nos dias 13, 14 e 15 de Dezembro e conta com o apoio dos Transportes Urbanos de Braga, que irá assegurar o transporte dos concorrentes mediante a apresentação da câmara fotografia fornecida pelo Município.

Cada concorrente poderá apontar a objectiva ao geral e ao pormenor, ao material e ao humano, ao exterior e ao interior, mas também aos rituais religiosos, costumes e tradições.

Este concurso incluirá a habitual exposição pública, a inaugurar em Fevereiro de 2020 na Fonte do Ídolo, e na qual estarão patentes os trabalhos premiados pelo júri, bem como uma fotografia de cada um dos concorrentes, nos termos do regulamento do concurso.

O tema proposto visa reconhecer e homenagear a atribuição do Santuário do Bom Jesus do Monte a Património Cultural Mundial da UNESCO, bem como estimular o interesse, a sensibilidade dos concorrentes em particular e dos turistas e cidadãos em geral, no que respeita ao seu valor histórico, artístico, cultural, religioso e paisagístico.

CONCURSO "OVAÇÃO ABERTA" PRETENDE DINAMIZAR O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE BRAGA

Prémio de 5 mil euros para o projecto vencedor

O Município de Braga está a desenvolver o Concurso de Ideias “Inovação Aberta”, que visa incentivar a apresentação de ideias inovadoras no sector turístico ao nível da sua estruturação, promoção, valorização ou dinamização.

CMB04062014SERGIOFREITAS0000057.jpg

As candidaturas poderão ser submetidas até dia 22 de Novembro de 2019 através do seguinte link: bit.ly/InovaçaoAberta.

O regulamento completo está disponível em: http://bit.ly/RegulamentoInovacaoAberta.

Este concurso desenvolve-se no âmbito da estratégia de turismo “VisitBraga” - assente no conceito ´Uma Viagem no Tempo´ que se baseia no desenvolvimento de dois programas: Replay (passado) e Play (futuro). Aberta a maiores de 18 anos, individuais ou colectivas, a iniciativa atribuirá um prémio de 5 mil euros à candidatura vencedora.

O objectivo deste concurso é incentivar uma dinâmica de participação activa da população e de qualquer agente interessado na promoção e desenvolvimento do turismo de Braga, de forma a proporcionar experiências de inovação turística aos visitantes de Braga.

Pretende assim fomentar-se a criação de ideias inovadoras e o impulsionamento de projectos empreendedores que sigam uma linha de inovação tecnológica de desenvolvimento sustentável e de promoção turística local.

A Viagem no Tempo visa explorar Braga a partir de uma perspectiva multidimensional e multitemporal, de forma a fomentar o conhecimento, a exposição e a celebração da história e património da cidade, bem como a sua evolução e dinâmica inovadora, enquanto cidade jovem e empreendedora.

O Braga Replay dedica-se à criação, desenvolvimento e promoção de projectos que se focam no passado remoto e recente do território, recriando passos, experiências e aventuras de heróis de civilizações passadas. O Braga Play é um convite à inovação, à renovação e à descoberta de novas experiências que se focam no futuro próximo e distante.

Em Janeiro de 2020 decorrerá a apresentação final do projecto vencedor e a respectiva entrega do prémio.

FAMALICÃO PROMOVE CONCURSO DE FADO AMADOR

Inscrições para o Concurso de Fado Amador até dia 29 de outubro

Estão abertas as inscrições para mais uma edição do Concurso de Fado Amador de Famalicão.

DSCF0758.jpg

Os interessados têm até ao dia 29 de outubro para se inscreverem para as audições do concurso, através do envio da ficha de inscrição, disponível em www.famalicao.pt, para o email cultura@famalicao.pt ou para o endereço Praça Álvaro Marques, 4764-502, Vila Nova de Famalicão, ou dirigindo-se presencialmente ao balcão de atendimento do Departamento da Cultura da autarquia.   

As audições estão marcadas para a próxima quarta-feira, 30 de outubro, às 18h00, na Casa das Artes.

A final do Concurso de Fado Amador decorrerá no dia 21 de novembro, pelas 21h30, no Café-Concerto do espaço cultural famalicense, no primeiro dia do Festival de Fado.

Ao primeiro classificado do concurso será atribuído um prémio monetário no valor de 300 euros e a possibilidade de atuar num dos principais eventos organizados pelo Município. Ao segundo e terceiro classificados serão atribuídos prémios monetários no valor de 150 e 100 euros, respetivamente.

CONCURSO GALO ASSADO VOLTA ESTE FIM DE SEMANA AOS RESTAURANTES DE BARCELOS

Iniciativa decorre de 11 a 13 de Outubro

O Município de Barcelos promove, entre os dias 11 e 13 de outubro, a 14ª edição do Concurso do Galo Assado, inserido no programa “7 Prazeres da Gastronomia”, um convite para provar um dos pratos mais emblemáticos da tradição gastronómica do concelho.

A iniciativa decorre entre o almoço do dia 11 de outubro e o jantar do dia 13, contando com a adesão de 13 restaurantes do concelho, que disponibilizarão um dos mais famosos pratos da gastronomia barcelense. Cada restaurante vai confecionar e servir o galo à sua maneira – galo assado no forno, recheado, com castanhas, à peregrino, entre outros.

Participam nesta edição os restaurantes: Babette (Barcelos), Bagoeira (Barcelos), Casa dos Arcos (Barcelos), Chuva (Barcelinhos), Galliano (Barcelos), Muralha (Barcelos), Pedra Furada (Pedra Furada), Pérola Avenida (Barcelos), Solar Real (Barcelos), Taberna “O Manhoso” (Tamel S. Veríssimo), Taberna do Armindo (Remelhe), Três Marias (Barcelos) e Vera Cruz (Barcelos).

Este ano o júri será constituído pelo Chefe Hernâni Ermida, Chefe Feliciano Silva e por um representante do Município, e irá percorrer os restaurantes a concurso entre sexta-feira ao almoço e ao jantar e sábado ao almoço.

O Concurso Galo Assado tem como objetivo dinamizar o setor da restauração em época baixa e constitui um argumento estratégico de afirmação de Barcelos no produto “Gastronomia” na região do Porto e Norte. É também uma forma de capitalizar a imagem do galo de Barcelos para o setor da restauração e gastronomia. E é, ainda, um argumento estruturante para rememorar a lenda do galo e fortalecer a forte ligação do território barcelense e do seu contexto histórico à peregrinação a Santiago de Compostela, a que está ligada a Lenda do Galo.

Capturargalassa.PNG

FAMALICÃO: JOSÉ VIALE MOUTINHO VENCE GRANDE PRÉMIO DE CONTO CAMILO CASTELO BRANCO

Prémio é atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores

O livro “Monstruosidades do Tempo do Infortúnio”, de José Viale Moutinho, venceu por unanimidade o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e pela Associação Portuguesa de Escritores (APE). A entrega do galardão irá decorrer em novembro, durante a Semana do Conto, organizada pela Casa de Camilo em colaboração com as escolas do concelho.

José Viale Moutinho na Casa de Camilo.jpeg

O júri considerou que “estes contos de José Viale Moutinho, servidos por uma ironia mordaz numa prosa exigente e sadia, transportam a estranheza e o absurdo de situações resgatadas a tempos e atmosferas distantes, para outras ‘monstruosidades’ destes novos ‘tempos do infortúnio’”.

A atribuição do prémio a José Viale Moutinho, que o conquista pela segunda vez, foi decidida por unanimidade no dia 24 de setembro, em reunião do júri, composto por Fernando Batista, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho.

O Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, instituído em 1991, destina-se a galardoar anualmente uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro, 1.ª edição, no decurso do ano de 2018. O valor monetário deste Grande Prémio é de 7.500 euros para o autor distinguido.

José Viale Moutinho nasceu no Funchal, em 1945, e estreou-se na literatura em 1968 com a novela “Natureza Morta Iluminada”. Jornalista e escritor, tem atualmente várias obras editadas, algumas delas traduzidas nas mais diversas línguas, como o russo, búlgaro, castelhano, alemão, italiano, catalão, asturiano e galego.

Foi diretor da APE, da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia, do Círculo de Cultura Teatral e presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, sendo ainda sócio do Pen Clube Português, da Academia de Letras de Campos de Jordão (Brasil) e membro honorário da Real Academia Galega.

Ficcionista e poeta, José Viale Moutinho é autor de cerca de meia centena de livros para crianças, bem como de trabalhos nas áreas de investigação de Literatura Popular, da Guerra Civil de Espanha e da deportação espanhola nos campos de concentração nazis, bem como de estudos sobre Camilo e Trindade Coelho.

GASTRONOMIA DE BARCELOS CANTA DE GALO

Restaurantes barcelenses participam na XIV edição do Concurso Galo Assado. Concurso mostra o melhor da gastronomia barcelense entre 11 e 13 de Outubro

O Município de Barcelos promove, entre os dias 11 e 13 de outubro, a 14ª edição do Concurso do Galo Assado, inserido no programa "7 Prazeres da Gastronomia", um convite para provar um dos pratos mais emblemáticos da tradição gastronómica do concelho.

Capturarggaalo.PNG

O galo assado é, por estes dias, o prato principal em pelo menos 13 restaurantes do concelho de Barcelos.

A iniciativa decorre entre o almoço do dia 11 de outubro e o jantar do dia 13, que disponibilizarão ao público um dos mais famosos pratos da gastronomia barcelense. Cada restaurante vai confecionar e servir o galo à sua maneira – galo assado no forno, recheado, com castanhas, à peregrino, entre outros, procurando incluir no prato elementos relacionados com a cultura, as tradições e a identidade da cozinha barcelense, competindo, entre si, para conquistar o tão desejado “Galo de Ouro”.

Participam nesta edição os restaurantes: Babette (Barcelos), Bagoeira (Barcelos). Casa dos Arcos (Barcelos), Chuva (Barcelinhos), Galliano (Barcelos), Muralha (Barcelos), Pedra Furada (Pedra Furada), Pérola Avenida (Barcelos), Solar Real (Barcelos), Taberna “O Manhoso” (Tamel S. Veríssimo), Taberna do Armindo (Remelhe), Três Marias (Barcelos) e Vera Cruz (Barcelos).

O Concurso Galo Assado tem como objetivo dinamizar o setor da restauração em época baixa e constitui um argumento estratégico de afirmação de Barcelos no produto “Gastronomia” na região do Porto e Norte. É também uma forma de capitalizar a imagem do galo de Barcelos para o setor da restauração e gastronomia. E é, ainda, um argumento estruturante para rememorar a lenda do galo e fortalecer a forte ligação do território barcelense e do seu contexto histórico à peregrinação a Santiago de Compostela, a que está ligada a Lenda do Galo.

Ainda no âmbito do concurso, no dia 12 de outubro, realiza-se o passeio pedestre “Galo Assado”, com passagem pelas freguesias de Manhente, Tamel S. Veríssismo, Arcozelo e Barcelos. As inscrições são gratuitas e limitadas e decorrem até ao dia 10 de outubro, através de turismo@cm-barcelos.pt ou 253 811 882

Capturargaloass (1).PNG