Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA RECEBE EMBAIXADOR DA CHINA

Oportunidades de negócio debatidas no Forum Económico Braga-China. Encontro contou com a presença do Embaixador da China

Realizou-se ontem em Braga o Forum Económico Braga-China, uma iniciativa da InvestBraga e da Câmara Municipal de Braga, em cooperação com a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa (CCILC).

Forum_Economico

Para o presidente da InvestBraga, Carlos Oliveira, este encontro foi “uma excelente oportunidade para abordar as possibilidades de cooperação entre os empresários e os investidores de Braga e os agentes económicos e políticos da China. Gostaríamos que histórias de sucesso de exploração deste mercado, como é o caso da Balanças Marques, se repetissem com outras empresas do concelho”.

O objetivo deste encontro – que contou com a presença do Embaixador da República Popular da China em Portugal, Cai Run, e do Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio – foi debater as oportunidades de internacionalização das empresas do município de Braga no mercado chinês, apresentando informações úteis para as empresas que estejam interessadas em explorar este mercado gigante.

No Forum Económico foi ainda celebrado um protocolo de cooperação entre o município e a CCILC com o objetivo de promover ações que dinamizem o tecido económico da cidade e afirmem Braga enquanto destino atrativo para o investimento e acolhimento empresarial.

Houve também a oportunidade de  escutar o testemunho bem-sucedido de uma empresa do município – Balanças Marques – que marca presença no mercado chinês.

Os participantes portugueses tiveram assim a possibilidade de travar conhecimento com a realidade económica e empresarial deste mercado asiático e trocarem contactos com vista à troca de informações.

Por outro lado, o Embaixador da China teve oportunidade para conhecer as valências da cidade de Braga, alguns dos fatores competitivos do concelho e travar conhecimento com as histórias de algumas empresas do concelho.

COMÉRCIO DE ANIMAIS REGULADO POR LEI

Entrou em vigor a iniciativa legislativa do PAN sobre o comércio de animais na Internet

  • Os criadores têm um período de 90 dias para procederem ao registo obrigatório
  • Anúncios de venda de animais de companhia passam a estar sujeitos a determinados requisitos
  • A venda de animais selvagens na internet passa a ser proibida
  • Cães e gatos só podem ser considerados de raça se tiverem inscritos no livro de origens português
  • Deixa de ser permitida a exibição - permanência de animais de companhia nas montras ou vitrinas das lojas

Acaba de entrar em vigor a portaria que regula o comércio de animais de companhia em estabelecimentos comerciais e através da internet e proíbe a venda online de animais selvagens. O projeto de lei do PAN, que foi aprovada em julho de 2017, estabelece um registo de criadores que devem comunicar a sua atividade à Direcção-Geral de Veterinária (DGAV) que, por sua vez, irá gerar um número de identificação, pessoal e intransmissível e que irá disponibilizar, no seu site, os nomes dos criadores comerciais de animais de companhia e respetivo município de atividade e número de identificação. A partir de agora os criadores têm um período de 90 dias para procederem a este registo, ou seja, a partir de dia 6 de junho aplicam-se as regras subjacentes à lei, sendo que quem incumprir fica sujeito a coimas.

Os anúncios de venda de animais de companhia passam a estar sujeitos a determinados requisitos de validade, tendo que indicar a idade dos animais; tratando-se de cão ou gato, a indicação se é animal de raça pura ou indeterminada, sendo que, tratando-se de animal de raça pura deve obrigatoriamente ser referido o número de registo no livro de origens português; o número de identificação eletrónica da cria e da fêmea reprodutora; o número de inscrição de criador e o número de animais da ninhada. Os cães e gatos só podem ser considerados de raça pura se tiverem inscritos no livro de origens português, caso contrário são identificados como cão ou gato de raça indeterminada e no caso de anúncios de animais de raça indeterminada é proibida qualquer referência a raças no texto do anúncio.

transmissão de propriedade de animal de companhia passa também a ter que cumprir uma série de requisitos como a declaração de cedência ou contrato de compra e venda do animal e respetiva fatura, ou documento comprovativo da doação; comprovativo de identificação eletrónica do animal, desde que se trate de cão ou gato; declaração médico-veterinária que ateste que o animal se encontra de boa saúde e apto a ser vendido e informação de vacinas e historial clínico do animal.

Os animais selvagens deixam de poder ser vendidos através da Internet. A compra e venda de animais selvagens apenas pode ser realizada junto dos criadores ou em estabelecimentos comerciais devidamente licenciados para o efeito, não podendo estes, em qualquer caso, ser expostos em montras ou vitrinas que confrontem com espaços exteriores à loja, permitindo que sejam visíveis fora desta.

legislação muda também no que respeita ao local de venda. Os animais de companhia podem ser publicitados na internet mas a compra e venda dos mesmos apenas é admitida no local de criação ou em estabelecimentos devidamente licenciados para o efeito, sendo expressamente proibida a venda de animais por entidade transportadora. O transporte de animais de companhia na sequência de transmissão onerosa ou gratuita só pode ser realizado por entidade transportadora desde que esta se faça acompanhar dos documentos. A partir de hoje também os estabelecimentos devidamente licenciados passam a estar impedidos de exibir animais de companhia nas montras ou vitrinas. As contraordenações puníveis pelo diretor-geral de Alimentação e Veterinária, que antes eram de 25 euros, passam a agora a ser de um montante mínimo é de 200 euros e máximo de 3740 euros.

“Este é um sinal evidente de que conseguimos trazer mudanças efetivas à sociedade e tornar consequentes as conquistas alcançadas no ordenamento jurídico português: os animais já não são coisas com a aprovação do Novo Estatuto Jurídico dos Animais. Que deixem de o ser nas nossas consciências e que sejam tratados com a responsabilidade e dignidade que merecem. Com esta lei pretende-se também diminuir as compras de animais por impulso e reduzir o número de animais abandonados”, recorda André Silva, Deputado do PAN.

 

CELORICO DE BASTO SENSIBILIZA CONTRA VENDAS DESLEAIS

Município de Celorico de Basto junta-se à DECO para sensibilizar para “vendas desleais”

Estão a decorrer, no auditório do Prado, durante esta semana, ações de sensibilização promovidas pela DECO em parceria com o Município de Celorico de Basto para informar e esclarecer a população mais idosa para as “vendas desleais”.

_DSC6837.jpg

 “Informar é uma boa forma de proteger as nossas populações. Sabemos que os idosos são um alvo fácil e que caem facilmente no “conto do vigário”, sendo, muitas vezes, ludibriados. Por isso, temos que agir em conformidade para evitar estas situações, com campanhas informativas que esclareçam devidamente as populações sobretudo as que vivem nos locais mais isolados do concelho” disse o vereador da educação do Município de Celorico de Basto, Fernando Peixoto.

Durante cerca de 1h00 os idosos que integram o programa Celorico a Mexer ouviram atentamente Cláudio Salgado, representante da Deco, que veio focar a preocupação da Deco em informar as populações para que estas se possam defender de vendedores que fazem vendas desleais. Estes workshops estão inseridos no plano regional para o ano de 2017, da Deco, e baseiam-se nas vendas agressivas junto da população isoladas.

Na generalidade esta campanha incide num problema que tem vindo a proliferar, as vendas desleais, e visa evitar contratos indesejados e de valores irrecuperáveis para o consumidor. O objetivo centra-se, também, “em sensibilizar o consumidor para estas práticas e alertar as empresas para as condutas agressivas, regulando o mercado”.

_DSC6856.jpg

MUNICÍPIO DE BRAGA E ASSOCIAÇÃO COMERCIAL COLABORAM NA DINAMIZAÇÃO DAS ACTIVIDADES COMERCIAIS

Acordo de cooperação no valor de 225 mil euros

O Município de Braga e a Associação Comercial de Braga irão estabelecer um acordo de cooperação tendo em vista apoiar um programa de desenvolvimento empresarial que consagra actividades de apoio ao empreendedorismo, formação, inovação e promoção comercial, com a finalidade de reforçar a afirmação nacional e internacional de Braga como pólo de excelência para a atracção e dinamização de actividades económicas ligadas ao sector terciário da nossa economia. A proposta de comparticipação financeira à ACB, no valor de 225 mil euros, será analisado na próxima Reunião do Executivo Municipal, a realizar dia 3 de Abril.

CMB11082015SERGIOFREITAS0000002701.jpg

O acordo consagra o desenvolvimento de diversas acções conjuntas, com a finalidade de promover o empreendedorismo, a inovação e formação no comércio, turismo e serviços no concelho de Braga, nomeadamente:

Actuar sobre os factores críticos de melhoria da competitividade das empresas do Concelho; disponibilizar serviços de apoio ao empresário e investidor, em articulação com os serviços municipais afectos ao “Balcão Único”; promover iniciativas de dinamização comercial, em parceria com a Câmara e outros operadores relevantes, bem como actividades de divulgação da oferta comercial, turística e cultural de Braga; implementar com sucesso os projectos “Activar Braga” e “Welcome Braga”; apoiar as empresas do Concelho na busca de oportunidades em mercados extra-regionais e internacionais; intervir na implementação de medidas de apoio à modernização empresarial e promover o acesso à inovação tecnológica e às acções de investigação e desenvolvimento de interesse para as actividades económicas de Braga.

Considera a Autarquia que, atendendo à relevância e interesse colectivo das actividades desenvolvidas pelas associações empresariais, em particular pela ACB, importa, no actual contexto socioeconómico, estimular as actividades económicas através do reforço da cooperação com as Associações, proporcionando condições favoráveis ao desenvolvimento empresarial, em especial nas áreas de apoio ao empreendedorismo, formação, inovação empresarial, promoção comercial e turística.

O prazo de vigência deste acordo de cooperação irá iniciar-se na data da sua aprovação e termina no final do ano 2017.

MELGAÇO APOSTA NO DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO LOCAL

No próximo sábado: DESENVOLVER O COMÉRCIO LOCAL: VAMOS FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO

Sessão de formação, sábado, pelas 15h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Melgaço quer reunir novamente os melgacenses, desta vez para juntos definirem uma estratégia de desenvolvimento do comércio local. Estão previstas duas sessões para o efeito, sob a temática ‘Comércio Tradicional em Melgaço - (‘Vamos fazer o que ainda não foi feito…’)’, tendo como público-alvo os comerciantes e empresários interessados em investirem no concelho. A primeira acontece já no próximo sábado, 7 de janeiro, pelas 15h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal.

image002melg.jpg

Com a iniciativa a autarquia pretende assumir um Pacto Comunitário com os melgacenses, ‘um compromisso para o desenvolvimento de Melgaço’, afirma Manoel Batista, Presidente da Câmara Municipal de Melgaço.

A sessão de sábado, intitulada ‘O que podemos fazer?’, acontece sob a orientação de João Abreu, que desafiará os presentes a pensarem juntos como gerar ideias de Negócio Criativas com Baixo Orçamento. Para tal serão apresentados dois casos de sucesso, com comerciantes de outras localidades com as mesmas características da Vila de Melgaço.

A segunda sessão acontece no dia 14 de janeiro com o tema ‘Que apoios podemos ter para fazer acontecer?’. A formadora será a Helena Carvalho e focar-se-á em quatro pontos fundamentais para levar avante este compromisso, nomeadamente: Soluções de financiamento - Comércio Invest; enquadramento do comércio nos programas e projetos de regeneração urbana; animação comercial associativa; e outros incentivos e financiamentos alternativos.

ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA APRESENTAÇÃO PÚBLICA MAGIA DE NATAL 2016

Realizou-se, dia 5 de dezembro, a Apresentação Pública da Magia de Natal, no âmbito da Campanha de Natal 2016, promovida pela ACIAB, Câmara Municipal de Arcos de Valdevez e Comércio Tradicional de Arcos de Valdevez, são várias as ações que se realizarão durante o período natalício, onde a aposta se centra na promoção dos produtos locais, para dinamização das empresas, para atrair visitantes e promover a economia local. Desta forma, Arcos de Valdevez vai estar repleto de ações alusivas ao natal, como animação, sonorização, decoração de ruas, iluminação de natal e muitas outras ações. 

Natal16_primeira.jpg

João Manuel Esteves, Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, falou sobre as ações integradas na Magia de Natal, em parceria com a ACIAB, que iniciou com a iluminação nas ruas de Arcos de Valdevez, no dia 25 de novembro e que se prolongam até dia 7 de janeiro. “Esta parceria com a ACIAB e as associações do concelho, transmitem um sentimento de partilha, promovendo o comércio, atraindo assim mais turismo a Arcos de Valdevez”.

No âmbito da Magia de Natal, realizar-se-á de 8 a 11 de dezembro a Feira dos Doces e do Chocolate, no Campo do Trasladário, na qual estarão presentes os doces típicos da época natalícia, assim como muita animação alusiva ao Natal. Para a passagem de ano, estará presente o Programa da TVI “Somos Portugal”, que terá início às 14h30 até às 20h00 e que fará reportagem em vários locais do concelho.

Natal16_segunda.jpg

António Marques Campos, Presidente da Direção da ACIAB, falou da importância destas iniciativas no concelho de Arcos de Valdevez, uma vez que promovem o comércio, “A iluminação de Natal cria um ambiente acolhedor, os empresários preocupam-se cada vez mais com a decoração das montras, de forma a receber o consumidor, os turistas e os emigrantes”. Afirmou ainda que a parceria com o Município é de extrema importância, porque os empresários sentem-se mais apoiados, o que dinamiza o tecido empresarial, tornando-o mais atrativo, criando assim mais riqueza para o nosso concelho.

Francisco Peixoto Araújo, Vice-presidente da Direção da ACIAB, fez questão de realçar que este tipo de iniciativas fazem parte dos objetivos da ACIAB, com o intuito de atrair pessoas de outras regiões e turismo, de forma a fomentar a economia da região, através de um conjunto de iniciativas, eventos que promovem as nossas empresas e a região. Salientou ainda, que a Iluminação de Natal iniciou mais cedo e que abrange mais ruas, pois para o comércio é relevante este tipo de eventos trazendo mais vida e animação embelezando mais  ruas e centro histórico. 

Referiu ainda, que à semelhança dos anos anteriores, a ACIAB aposta no Sorteio de Natal, tendo aumentado o número de aderentes e patrocinadores a esta iniciativa, cerca de 200 empresas aderentes e 35 empresas patrocinadoras dos concelhos de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca.

Francisco Peixoto Araújo, lançou um desafio ao Município de Arcos de Valdevez, parceria entre as duas entidades na realização de eventos e ações para 2017, para promoção e dinamização do tecido empresarial e região.

Ao longo do ano, a ACIAB tem apostado na realização de diversas iniciativas, passando a mensagem de que comprando nas nossas empresas promove-se a região, aproxima-se os clientes do comércio, dinamizando o tecido empresarial e a região. 

Natal16_terceira.jpg

FAMALICÃO ASCULTA COMÉRCIO DE PROXIMIDADE

Câmara e ACIF avançam para roteiro de auscultação do comércio de proximidade. Paulo Cunha e Fernando Xavier realizaram primeira jornada de trabalho na Rua Vasconcelos e Castro

A Rua Vasconcelos e Castro, no centro de Vila Nova de Famalicão, serviu nesta terça-feira, 22 de novembro, de ponto de partida para um novo roteiro de proximidade do presidente da Câmara Municipal visando a auscultação da sociedade civil famalicense. Os desafios, forças e fraquezas do comércio de proximidade são o novo alvo da atenção de Paulo Cunha, que se faz acompanhar nesta dinâmica pelo Presidente da ACIF – Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão, Fernando Xavier, e por representantes operacionais da Unidade de Gestão do Centro Urbano.

DSC_5694.jpg

A lógica deste novo programa passa por uma visita a todos os estabelecimentos comerciais situados no núcleo central urbano de Famalicão e por uma conversa informal com os comerciantes, para que ambos os responsáveis registem as suas preocupações e sugestões para um núcleo urbano mais atrativo.

Foi isso que aconteceu nesta primeira jornada de trabalho, com Paulo Cunha e Fernando Xavier a percorrerem, um a um, os cerca de vinte estabelecimentos comerciais da Rua Vasconcelos e Castro, uma rua particularmente bem situada na cidade, já que liga o centro à entrada principal do Parque da Devesa e ao Centro Coordenador de Transportes.

A próxima jornada de trabalho do roteiro pelo comércio de proximidade está agendada para o dia 6 de dezembro e incidirá sobre a Rua Alves Roçadas.

DSC_5739.jpg

ACIAB REALIZA SEMINÁRIO SOBRE "OBRIGAÇÕES NO TRABALHO - CÓDIGO DO TRABALHO, SEGURANÇA E SAÚDE, ACÇÃO INSPETIVA"

Dia 08 de novembro | 14h30 | Auditório do Turismo Arcos de Valdevez

A ACIAB vai realizar, em parceria com a ACT – Autoridade para as Condições do Trabalho, um seminário que tem como temática “Obrigações no Trabalho - Código do Trabalho, Segurança e Saúde, Ação Inspetiva”.

A iniciativa terá lugar no dia 8 de novembro (terça-feira), pelas 14h30, no Auditório Municipal de Informação e Turismo, no Campo do Trasladário, em Arcos de Valdevez.

A sessão de esclarecimento necessita de inscrição que deve ser enviada por email (aciab@aciab.pt), ou entregue nas instalações da ACIAB, até ao dia 7 de novembro (12h00). Para qualquer esclarecimento contactar a ACIAB através dos telefones 258 521 473 ou 258 454 524.

A Ficha de Inscrição para o Seminário “Obrigações no Trabalho - Código do Trabalho, Segurança e Saúde, Ação Inspetiva” encontra-se disponível no site da ACIAB em www.aciab.pt.

Programa

14h20 Receção dos participantes

14h35 Sessão de abertura

Vice-presidente executivo da ACIAB - Francisco Peixoto Araújo

Diretor do Centro Local do Alto Minho da ACT – Joaquim Silva

15h00 - Obrigações no Código do Trabalho, as Empresas e a Ação Inspetiva

ACT, Joaquim Silva, Diretor do CLAM

16h00 - A Organização das Atividades de Segurança e Saúde no Trabalho,

ACT, Alda Alves, Técnica Superior do CLAM

17h00 - Debate

17h30 - Encerramento

PONTE DA BARCA ACOLHE FEIRA DOS SALDOS

Iniciativa da Câmara Municipal de apoio do tecido empresarial do concelho

É já a partir de amanhã, dia 7 de outubro (com abertura às 19h), que a Praça da República de Ponte da Barca acolhe a Feira dos Saldos. A iniciativa, que se prolonga até domingo, altura em que a Tuna dos Voluntários de S. João da Madeira vai animar o certame (17h), é organizada pela Câmara Municipal com o apoio do tecido empresarial do concelho e contará com um conjunto de catorze estabelecimentos que vão proporcionar ao público a aquisição de produtos a preço de saldo, com descontos que chegam até aos 70%.

CARTAZ CMPB SALDOS 7a9-01.jpg

Como salienta o autarca de Ponte da Barca, Vassalo Abreu 'a Feira dos Saldos é mais um evento de apoio aos comerciantes do concelho, através da disponibilização de um espaço alternativo para venda dos seus produtos.Vassalo Abreu acrescenta que é ainda 'uma oportunidade para comerciantes e consumidores fazerem bons negócios, tendo em conta a diversidade de produtos apresentados e o seu baixo preço'.

Recorde-se que esta Feira dos Saldos, que já se realiza há alguns anos, tem alcançado um assinalável êxito, face à grande recetividade, para além de proporcionar aos expositores o escoamento de stock, através da venda direta ao público.

MUNICÍPIO DE MONÇÃO REÚNE COM COMERCIANTES

O Município de Monção reúne no próximo dia 7 de setembro, quarta-feira, pelas 19h00, no Museu do Alvarinho, com o objetivo de aferir a sensibilidade dos empresários locais relativamente à continuidade ou não dos parquímetros instalados no centro histórico da vila.

Parquimetros (Large).JPG

A Câmara Municipal de Monção, com o apoio da Associação Comercial e Industrial dos Concelhos de Monção e Melgaço, promove no dia 7 de setembro, quarta-feira, uma reunião de trabalho aberta a todos os proprietários de estabelecimentos comerciais localizados em Monção.

Este encontro, que contará com a presença do autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, decorrerá no Museu do Alvarinho, pelas 19h00, servindo para aferir a sensibilidade dos empresários locais relativamente à continuidade ou não dos parquímetros instalados no centro histórico da localidade

Refira-se que o contrato de concessão para exploração dos parquímetros teve um prazo de oito anos, tendo terminado no passado mês de junho. Colocam-se agora três hipóteses: Novo procedimento concursal, gestão por parte da autarquia ou regresso ao estacionamento gratuito.

PONTE DA BARCA REALIZA CONCURSO DE MONTRAS DE ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS

Comercio Tradicional de Ponte da Barca engalanou-se para a Romaria de S. Bartolomeu. A montra vencedora foi a da loja W52

Foram 21 os comerciantes locais que aceitaram o desafio lançado pela Câmara Municipal e engalanaram as respetivas montras para receber a Romaria mais genuína do Alto Minho – a Romaria de S. Bartolomeu de Ponte da Barca. O concurso levado a cabo pretendeu, essencialmente, fomentar o envolvimento do comércio local, dinamizando e tornando mais atrativa a visita à sede do concelho e aos seus espaços comerciais, cuja envolvência de todos é importante para que o espírito da festa se sinta em todos os sentidos e de forma transversal.

P1370929.JPG

'O envolvimento de todos na preparação da Romaria de S. Bartolomeu é um dos fatores que a torna tão única, por isso lançamos o desafiou aos comerciantes e a prova do sucesso foi o elevado número de inscritos', salientou a Vereadora da Cultura, na ocasião de entrega dos prémios.

Pela beleza das montras a concurso e do empenho que cada uma demonstrava, todas mereciam sair vencedoras mas aquela que reuniu consenso entre todos os jurados foi a montra da loja W52, cujo prémio (200€), foi doado à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte da Barca. Em segundo lugar ficou a Loja Sofia, e em terceiro o estabelecimento comercial Sonhos do Lar.

P1370930.JPG

P1370975.JPG

P1370979.JPG

A RIQUEZA DO NOSSO COMÉRCIO TRADICIONAL

O Comércio Tradicional de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca possui características únicas como a proximidade com o cliente e o acesso a produtos únicos e exclusivos, muitos deles produzidos pela população local. O relacionamento que se cria entre os comerciantes e os consumidores assenta em relações informais, de confiança e lealdade.

Importa reforçar que o Comércio Tradicional simboliza a identidade da nossa região e constitui um fator de emprego que é importante manter, pois dele depende a estabilidade e prosperidade das famílias e da sua qualidade de vida.

A ACIAB – Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez sempre pautou os seus esforços por criar mecanismos que apoiem o Comércio Tradicional, quer ao nível da sua promoção como da sua remodelação física e estrutural.

A aposta sistemática na criação de médias e grandes superfícies comerciais, como são os hipermercados, acarretam consequências graves para o pequeno comércio: frisa-se que o Comércio Tradicional de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca é o responsável pela empregabilidade de uma significativa mão-de-obra ativa dos concelhos. Simultaneamente, com a implementação de médias e grandes superfícies nos nossos concelhos são destruídas regras e dinâmicas próprias do nosso comércio (horários, publicidade, animação das ruas…) que tem, igualmente, um contributo fundamental no combate à desertificação populacional dos centros históricos das nossas vilas bem como das zonas rurais.

Parece-nos que as grandes superfícies já existentes em Arcos de Valdevez e em Ponte da Barca são um número mais que suficiente para as necessidades da população, tendo de haver espaço para a existência de um comércio de proximidade, um comércio que espelha as origens das trocas comerciais e a sua evolução sem perder a essência.

Inúmeras são as vantagens de comprar no Comércio Tradicional das quais elencamos a proximidade e as relações afetivas que se criam entre o cliente e o comerciante; a diferenciação dos produtos e serviços (únicos e personalizados); o aumento da qualidade de vida da população; a promoção da nossa região e do nosso país e a defesa da nossa cultura e das nossas tradições; a dinamização dos centros históricos através de eventos e iniciativas que dão vida aos concelhos, pois se o comércio encerra, os centros históricos sentem essa desertificação através da diminuição dos clientes e dos turistas e consequentemente a quebra económica.

Neste contexto, o cliente assume um papel primordial pois tendo a sua confiança, o Comércio Tradicional enfrenta melhor as adversidades advindas de qualquer conjuntura. Não podemos alimentar mais o declínio dos nossos centros urbanos com a construção de grandes superfícies comerciais. Não podemos deixar morrer as empresas familiares do nosso comércio, que fazem parte da história das nossas vilas, que passaram de geração em geração trazendo com elas conhecimentos valiosos.

É preciso sensibilizar a população, as várias entidades e órgãos de poder para a importância de mantermos ativas lojas com séculos de história assim como o incentivo à criação de novas empresas nos centros históricos, no nosso Comércio Tradicional, na nossa identidade e no que possuímos de mais genuíno.  

Defendendo estes princípios e caminhando sempre sob este prisma, a ACIAB pretende continuar a estratégia de fomentar as atividades do comércio, envolver os consumidores ativando a sua participação e proporcionar vida e dinamismo aos centros históricos. 

É com base nesta reflexão que se deve pensar sobre se vale a pena deixar abrir novas médias e grandes superfícies em Arcos de Valdevez e Ponte da Barca.

Colaboração: ACIAB

PENSAR E AGIR NO COMÉRCIO LOCAL DE MELGAÇO

Pensar Melgaço com visão estruturada e alicerçada num pensamento estratégico

Sessão de trabalho no Salão Nobre da Câmara Municipal, 18 de maio, pelas 19h00

A Câmara Municipal quer trabalhar com os agentes locais e posicionar o concelho: criar, atrair e reter talentos, empresas, investimentos e atividades. A desertificação dos municípios, especialmente os do interior, coloca a economia local perante uma situação difícil, que exige medidas urgentes. Para tal, a autarquia melgacense organiza no próximo dia 18 de maio uma reunião para a qual convida todos os empreendedores do concelho.

A iniciativa visa refletir sobe o presente e potenciar a dinamização económica, reforçando a criação de um ambiente favorável aos negócios, através do estímulo ao aparecimento de mais empreendedores e empresas com características inovadoras, capazes de identificar oportunidades, investir e gerar riqueza e emprego no concelho.

A Câmara de Melgaço quer assumir-se como motor de desenvolvimento e crescimento do concelho, ao lado do empresário: ‘O Comércio Local é uma mais-valia sobre a qual devemos pensar e agir’, considera o autarca melgacense, Manoel Batista, salientando que ‘é preciso uma visão estruturada alicerçada num pensamento estratégico.'

Os participantes vão ter conhecimento do que está a ser pensado para Melgaço e deverão apresentar as suas ideias, colocar as suas dúvidas e questões, numa sessão em que se pretende fomentar a cocriação. A reunião tem lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal e é aberta a todos os empreendedores.

BRAGA RECEBE SEGUNDA LOJA IKEA DO NORTE DO PAÍS

IKEA é investimento estruturante para a Região – afirmou o Presidente do Município Bracarense

“Hoje é um dia muito especial para Braga, com a abertura de uma loja que é uma marca para a Cidade e uma referência para a Região e para o País”. As palavras são de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a cerimónia de abertura da loja IKEA em Braga, que se realizou esta Quinta-feira, 17 de Março, e que contou com a presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

CMB17032016SERGIOFREITAS0000001228

A nova loja IKEA, instalada no centro comercial Nova Arcada, é a quarta a nível nacional e a segunda do norte do País. Trata-se de um investimento estruturante para a Região, com impacto muito significativo na economia local e na criação de emprego, representando um investimento de 25 milhões de euros e a criação de 250 novos postos de trabalho directos.

CMB17032016SERGIOFREITAS0000001217

Na ocasião, o Autarca realçou o “apoio ao empreendedorismo” desenvolvido em Braga, mas também os “projectos marcantes a nível nacional” com a ligação do conhecimento académico ao tecido empresarial, sendo que este novo espaço vai “contribuir para uma maior atractividade da Cidade e para complementar as muitas ofertas que Braga já dispõe”.

Segundo Ricardo Rio, a administração do IKEA reconheceu o papel “verdadeiramente exemplar de Braga” em todo o processo de instalação da nova loja na Cidade, “não apenas pela celeridade”, mas também, pela “capacidade de articulação” entre todos os agentes. “O nosso desígnio sempre foi o de retirar todas as pedras do caminho de maneira a que este projecto se pudesse concretizar”, referiu o Edil.

Este é o primeiro espaço da marca fora dos grandes centros urbanos de Lisboa e Porto. O IKEA Portugal viu em Braga uma Região de grande potencial para dar continuidade ao seu projecto de expansão e levar a sua missão de criar um melhor dia-a-dia para a maioria das pessoas, não só para os residentes deste Concelho, mas também para todos da zona norte de Portugal.

Segundo António Machado, director de expansão da IKEA Portugal, esta nova loja “cumpre com o objectivo” da multinacional sueca, de estar “cada vez mais perto de mais famílias portuguesas, de uma forma inspiradora e acessível” para a maioria da população. “Esta loja passou pelo conceito de adaptação a um espaço comercial que já estava construído, no entanto, esse foi grande desafio para criarmos algo novo e surpreendente”, referiu o responsável, agradecendo o papel de Ricardo Rio em todo o processo que “sempre mostrou total empenho e disponibilidade para que este projecto fosse possível”.

CMB17032016SERGIOFREITAS0000001208

A cerimónia de abertura contou com a presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, que realçou a relação do grupo IKEA com Portugal. “Este é um modelo de negócio muito original e interessante, que representa uma inovação a vários níveis e um exemplo para as empresas nacionais”, referiu o governante.

Lembrando a história atribulada da nova superfície comercial, que “sofreu várias contrariedades”, Caldeira Cabral referiu que este projecto que agora renasce “demonstra a confiança dos agentes económicos na cidade de Braga, nos seus consumidores, mas também uma confiança no País”, deixando uma palavra de elogio à população Bracarense e dos Concelhos limítrofes “que têm dado muito dinamismo à Região, afirmando Braga como um pólo de comércio e de exportação a nível nacional”.

Esta nova loja vai também contribuir para atrair visitantes, não só das várias regiões de Portugal, como também de zonas estratégicas de Espanha como a Galiza ou Vigo, impulsionando, assim, a economia local e regional. Todo o modelo da loja, com mais 22 mil metros quadrados, distribuídos por dois pisos, foi desenhado tendo em conta as características da Região norte e moldado para ir ao encontro do mercado local e às necessidades dos residentes Bracarenses.

AMARES REVELA DINÃMICA COMERCIAL

Mercado Municipal de Amares oferece variedade de produtos de qualidade aos consumidores

Mais uma loja passa a estar aberta ao público no Mercado Municipal de Amares, aumentando a variedade da oferta disponível aos consumidores. Aos espaços já existentes de venda de hortofrutícolas, flores, cosméticos e perfumes junta-se, agora, uma superfície comercial dedicada à venda de produtos tradicionais, artesanais e gourmet.

DSC09665

Primando pela qualidade, diversidade e diferenciação dos produtos apresentados, as lojas do Mercado Municipal estão abertas ao público, diariamente, entre as 9h00 e as 19h00. Às quartas-feiras, dia da feira semanal, é possível encontrar, também, uma oferta variada de produtos como carne, peixe, enchidos, frutas, legumes, pão e doces, entre outros, com a máxima frescura, bom preço e qualidade de sempre.

O Mercado Municipal de Amares pretende ser um espaço de contacto privilegiado entre o consumidor e o comércio tradicional, tendo em vista a valorização dos produtos da terra e, simultaneamente, a promoção de uma alimentação saudável e equilibrada.

BRAGA PROMOVE COMÉRCIO TRADICIONAL

‘I Shop Braga’ representa nova forma de promoção do comércio. Plataforma de vendas online arranca com 18 empresas

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, participou hoje, 15 de Fevereiro, na apresentação pública da plataforma de comércio electrónico ‘I Shop Braga’, um projecto da Associação Comercial de Braga (ACB), que representa uma nova forma de promoção do comércio tradicional da Cidade.

CMB15022016SERGIOFREITAS000000640

Para o Autarca Bracarense, este novo canal de negócios coloca o comércio de Braga noutro patamar de competitividade. “Esta plataforma junta a qualidade e diversidade da oferta comercial existente em Braga, com o Conhecimento e a Inovação que a Cidade ostenta nos mais diversos sectores”, referiu Ricardo Rio, salientando que o ‘I Shop Braga’ é “uma nova forma de levar Braga ao Mundo, de projectar a Cidade e de atrair mais visitantes”.

O presidente da Câmara Municipal destacou o esforço que a ACB tem desenvolvido para agregar todos os agentes económicos do Concelho, em particular do comércio, em iniciativas conjuntas que visam potenciar o desenvolvimento económico. Segundo o Autarca, o ‘I Shop Braga’ é um bom exemplo desta nova forma de actuação da ACB que tem sido um dos parceiros privilegiados do Município na animação comercial e na promoção do tecido empresarial.

A plataforma de comércio electrónico, inserida no projecto conjunto entre a ACB e 30 empresas de comércio a retalho do centro urbano de Braga, assume-se como um canal privilegiado de vendas e um meio de divulgação dos atributos do comércio tradicional Bracarense, assente numa oferta diferenciada de lojas, património histórico e cultural, turismo e outras características distintivas.

Em www.ishopbraga.com, os utilizadores podem comprar artigos de vestuário, calçado, assessórios e outros produtos das melhores lojas da Cidade em qualquer parte do mundo. O arranque da plataforma conta com 18 empresas aderentes, mas o objectivo da ACB é chegar às 50 empresas em 2018 e, desta forma, alavancar as vendas do comércio tradicional em cerca de um milhão de euros.

Para o presidente da ACB, Domingos Barbosa, este projecto é um “bom exemplo do que é possível fazer-se, de forma conjunta e articulada, com os apoios disponibilizados às associações comerciais e empresas no âmbito do programa ‘Comércio Investe’”. Segundo este responsável, o ‘I Shop Braga’ será um “espaço comercial de excelência, onde serão transaccionados os melhores e mais característicos produtos de empresas de Braga”.

CMB15022016SERGIOFREITAS000000646

ACIAB LANÇA DESAFIO AO COMÉRCIO TRADICIONAL

Objetivo: Fomentar o Comércio e Cativar o Cliente

A ACIAB lançou um desafio aos empresários do Comércio Tradicional de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca para de uma forma conjunta decorarem as montras dos seus estabelecimentos.

Tendo como mote o Carnaval e o Dia dos Namorados, o intuito da ACIAB ao propor este desafio aos comerciantes é tornar a oferta comercial mais apelativa quer para os residentes locais quer para os turistas que diariamente visitam esta região.

Esta uniformização das montras tendo como pano de fundo a temática das máscaras e da diversão, associada ao Carnaval e a temática do amor, associada ao Dia de S. Valentim, fará com que as ruas do comércio local se transformem num espaço ainda mais agradável e proporcionem ao cliente uma visita muito mais divertida e proveitosa.

As vilas de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca ficarão com certeza mais vivas, bonitas e coloridas. O conceito foi muito bem aceite pelos empresários que se empenharam na elaboração de montras para fazer sobressair e brilhar o nosso comércio.

A ACIAB deixou o repto às empresas para que até ao final do ano continuem a investir na apresentação das suas lojas e dos seus produtos e serviços. Durante os próximos meses iremos ver, com certeza,  o talento das lojas dos dois concelhos fazendo das suas montras uma galeria e promovendo com sensibilidade estética o negócio de cada comerciante, valorizando os espaços e transformando-os de forma criativa para que convidem o cliente a entrar e a comprar.

Com esta ação pretende-se apostar na comercialização, promoção e dinamização das atividades económicas da região e ao mesmo tempo proporcionar às empresas a possibilidade de implementação de estratégias ajustadas de comunicação com o seu mercado, apresentando os seus produtos e desenvolvendo contactos que facilitem o seu fortalecimento.

Esta ação demonstra que Arcos de Valdevez e Ponte da Barca são, efetivamente, dois municípios onde o comércio tradicional tem uma presença forte e um papel muito significativo.

BLOCO DE ESQUERDA EM VIANA DO CASTELO DEBATE TRATADO DE COMÉRCIO LIVRE ENTRE EUROPA E ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

A organização do Bloco de Esquerda em Viana do Castelo leva a efeito no próximo dia 29 de Janeiro, uma sessão de reflexão e debate acerca do acordo de comércio livre proposto entre os Estados Unidos e a Europa (TTIP) e suas consequências nomeadamente para Portugal. A sessão tem lugar nas suas instalações sitas na rua de Santo António, 100, 1º andar, em Viana do Castelo.

"TTIP - Might is Right" (Holanda 50' de 2015) de Roland Duong à conversa com:

- Alda de Sousa - Professora, Investigadora e ex deputada Europeia

- Henrique Borges Professor e dirigente sindical

O acordo de comércio livre proposto entre os Estados Unidos e a Europa (TTIP) causa preocupação acerca do direito europeu à auto-determinação. A parte mais controversa do TTIP é o ISDS – mecanismo de resolução de litígios entre investidores e o Estado ( (investor-state dispute settlement). O ISDS tornará possível que as empresas processem os governos que prejudicarem os seus investimentos. Mas será este sistema de arbitragem, em que poucos advogados de investimento decidem sobre milhões do dinheiro dos contribuintes, uma proteção dos nossos interesses de negócio ou uma ameaça à democracia?

O que é o TTIP?

O TTIP (Transatlantic Trade and Investment Partnership), tal com outros tratados, está a ser negociado em grande segredo. Tem como finalidade “harmonizar” regulamentos existentes na UE e nos EUA, relativos a uma série de diferentes indústrias. Desafia leis que protegem o meio ambiente, refreiam os interesses corporativos, protegem a segurança alimentar, promovem energias renovadas e contêm práticas arriscadas como a extração do gás de xisto.

O TTIP poderá limitar a capacidade das autoridades públicas, em decidir como disponibilizar serviços públicos como a água. Pior, o TTIP irá favorecer as companhias que violarem as leis estabelecidas localmente, e forçar-nos-á a gastar dinheiros públicos, ou na luta contra grandes negócios, ou então que alteremos as nossas leis, de forma a agradar os interesses do capital – ou então as duas hipóteses. Um tribunal arbitral criado acima dos Estados terá o poder de dizer a um país que os lucros de determinada empresa são mais importantes que a saúde pública ou a proteção ambiental.

ACIAB PROMOVE FEIRA DOS SALDOS EM PONTE DA BARCA

De 5 a 9 de fevereiro na Praça da República

Ponte da Barca vai receber, de 5 a 9 de fevereiro (de sexta a terça-feira), a Feira dos Saldos, uma iniciativa organizada pela ACIAB em parceria com a Câmara Municipal de Ponte da Barca e o tecido empresarial do concelho.

Com entrada gratuita, a Feira dos Saldos estará aberta ao público a partir das 17h00 do dia 5 de fevereiro (sexta-feira); de 6 a 8 de fevereiro (sábado a segunda-feira) abrirá as 10h00 e encerrará às 23h00 e no dia 9 de fevereiro (terça-feira) o horário será das 10h00 às 20h00.

O evento contará com um conjunto de estabelecimentos que proporcionam ao público produtos a preço de saldo, com descontos que chegam até aos 70%. Até ao momento, já foram realizadas diversas iniciativas neste âmbito com o objetivo de proporcionar às empresas a possibilidade de escoar o seu stock e ao mesmo tempo facultar aos clientes a possibilidade de obter bons produtos a preços muito mais baixos.

Pretende-se com este tipo de iniciativas criar movimento e fomentar o tecido empresarial da região, incutindo vitalidade ao comércio e fidelizando os clientes, trabalhando assim a dinâmica de proximidade entre o consumidor e as empresas de forma a impulsionar o seu crescimento.

Convidamos toda a população a visitar a Feira dos Saldos e a fazer compras no Comércio Tradicional, aproveitando todas as vantagens que este tem para lhe oferecer.