Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

II CONCURSO DE CURTAS METRAGENS DE VIZELA COM 6 FINALISTAS

Depois de terminadas as inscrições e da análise dos 8 trabalhos do 2º Concurso de Curtas-Metragens de Vizela, Segredos de um Vale, o júri deliberou que 6 curtas-metragens cumprem os critérios nas normas regulamentares do Concurso, passando assim à fase final da competição.

cartaz final curtas.jpg

Assim, serão agora submetidas a avaliação do júri as seguintes curtas metragens:

  • A Ilha dos Amores - Ricardo Silva
  • O Quinto Elemento -Pedro Peixoto e Inês Rocha
  • Por favor, volta -Ana Margarida Costa
  • Sobre os tempos da escola - Ana Lima
  • Sons do Vale - João Lages
  • Vizela Ad Aeternum -Turma 10º D da Escola básica e secundária de Infias, Vizela

Na edição do ano passado, a curta vencedora foi atribuída a Carolina Rocha, com a obra “Vizela Revisitada”, onde a autora nos trouxe um olhar poético e saudoso sobre a sua cidade.

Na edição deste ano, encontramos várias temáticas, que vão desde narrativas históricas de Vizela, até narrativas mais íntimas e individuais que nos convidam a olhar para Vizela através do olhar e da sensibilidade dos seus autores.

A partir de hoje, as curtas-metragens finalistas estão disponíveis para visualização através do link: https://www.cm-vizela.pt/curtas-metragens.

Brevemente serão divulgadas as três melhores curtas-metragens com os seguintes prémios: 1º prémio – 500 euros; 2º prémio- 300 euros; 3º prémio – 150 euros, havendo também lugar à atribuição de prémios de menção honrosa, caso os elementos do júri assim o decidam.

De destacar que o júri deste concurso é constituído por três elementos: uma pessoa nomeada pelo Conselho Municipal de Juventude de Vizela – António Magalhães, um jovem vizelense Mestre na área audiovisual e amante da 7ª arte; uma pessoa da sociedade civil convidada pela organização – Diogo Lopes, ator profissional com uma carreira diversificada na televisão e no teatro; e em representação do Município de Vizela, Jorge Coelho, professor e consultor na área do Turismo.

A realização do II Concurso de Curtas-Metragens: Vizela, segredos de um vale é mais uma atividade que vai ao encontro da estratégia definida no Plano Estratégico de Juventude de Vizela – Juventude em Ação, onde se objetiva a promoção de atividades que desenvolvam as competências dos jovens, e que lhes possibilite participar e interagir com a comunidade de forma criativa e contemporânea. Por outro lado, vai ao encontro da estratégia municipal de desenvolvimento de um sentido de identidade no território de Vizela, com impacto para além das fronteiras do Município.

GUIMARÃES E VIZELA: ASSOCIAÇÃO ROMÃ DISTINGUE CURTA-METRAGEM RODADA NA REGIÃO

Associação Romã distingue a curta-metragem “Fim-de-Linha” uma produção do projeto “Novos Olhares, Velhas Causas”, uma iniciativa que atua nos concelhos de Guimarães e de Vizela

Fim de Linha 2.jpg

A Romã é uma IPSS que tem como objetivo a promoção do princípio da Igualdade de Género e a prevenção da Violência Doméstica, nas suas diferentes expressões. Esta entidade tem dado especial destaque à intervenção junto da pessoa agressora, como forma de incidir sobre a causa do problema e, assim, contribuir para a diminuição da violência doméstica e de género.

De acordo com Helena Silva, Psicóloga da Associação Romã, “os programas de intervenção com agressores, surgiram nos anos 70, nos Estados Unidos. Aqueles programas constituem uma ferramenta fundamental para a intervenção, prevenção e redução da violência doméstica e de género. É importante destacar o objetivo principal desses programas: a proteção da vítima, por meio da redução do comportamento violento dos agressores. São uma ferramenta necessária no combate à violência doméstica e de género, pois abordam a causa do problema”, referiu.

A psicóloga Helena Silva congratulou e distinguiu publicamente o projeto Novos Olhares, Velhas Causas pela “produção de um recurso didático bastante relevante, para a intervenção com agressores/as. Esta intervenção deve “ser baseada em evidências científicas, incidindo sobre os fatores de risco que despoletam o comportamento violento. Aquele recurso será útil, no trabalho daqueles fatores de risco, assim como no incentivo à mudança cognitiva e comportamental do/a agressor/a”. Ao criar este recurso “o projeto Novos Olhares, Velhas Causas está a aumentar os recursos didátidos e pedagógicos disponíveis nesta área”, terminou Helena Silva.

A eficácia dos programas de intervenção com agressores/as é uma das questões mais relevantes no campo da violência doméstica e de género. Tendo em consideração que um dos objetivos é a reabilitação e mudança do comportamento abusivo dos/as agressores/as como instrumento de prevenção e proteção da vítima, não é, pois, uma questão de somenos importância garantir a eficácia destes programas.

“BARCAFEST” - CICLO DE CINEMA AO AR LIVRE

Um ciclo de cinema ao ar livre é a proposta da Câmara de Ponte da Barca para os meses de Julho, Agosto e Setembro nas freguesias do concelho

A Câmara Municipal de Ponte da Barca, no âmbito do projeto “Cultura para Todos”, aprovado pelo Programa Operacional Regional do Norte 2020, vai promover a iniciativa “BarcaFest”, ciclo de cinema ao ar livre em diversas freguesias do concelho.

A iniciativa, que decorre de julho a setembro vai percorrer, nesta fase inicial, 12 freguesias do concelho , chegando no próximo ano às restantes.

Para o Presidente da Câmara, Augusto Marinho “trata-se de uma iniciativa que visa descentralizar as atividades culturais, criando estratégias de promoção e divulgação cultural que simultaneamente vão ao encontro das expectativas da comunidade”.

O primeiro cinema ao ar livre acontece já no domingo, dia 11 de julho, na freguesia de Crasto, junto à sede da junta, pelas 21h00 com o filme “Velocidade Furiosa 9.

O evento é organizado de acordo com as regras da Direção Geral de Saúde.

* Evento sujeito a alteração de acordo com as condições meteorológicas.

Mupi2.jpg

CINEMOTO VIZELA

Nos dias 9, 10 e 11 de julho terá lugar a primeira edição do “Cinemoto Vizela”, na Casa da Cultura Joaquim da Costa Chicória. A abertura terá lugar no dia 9 de julho, pelas 21.00h.

cartaz cine moto.jpg

Durante três dias, os amantes das duas rodas e do cinema poderão assistir a mais de 10 filmes, nacionais e internacionais, sobre motos e tudo aquilo que faz parte do seu universo. De salientar a diversidade dos filmes, desde curtas-metragens a documentários, como é o caso de “O Dobro de 44”, um filme que conta a história do percurso até ao MotoGP do piloto Miguel Oliveira.

Para além de sessões cinematográficas, o evento contará com uma exposição de fotografias da autoria do fotojornalista Tiago Miranda, designada “Ponto de Fuga”, uma exposição de motos, um passeio de motos pelo concelho de Vizela e talks/conversas, nomeadamente com Joaquim Horta, ator, realizador e elemento da organização do Lisbon Motorcycle Film Festival e com as Dust Girls, grupo motard feminino cujas viagens, a Marrocos e Cuba, deram origem a dois filmes que vão estar presentes nas sessões cinematográficas.

Devido à pandemia, a Casa da Cultura Joaquim da Costa Chicória encontra-se com lotação limitada, sendo que serão implementadas todas as medidas necessárias para a garantir a segurança sanitária de todos, pelo que os interessados em assistir ao evento deverão realizar a sua inscrição através do número de telefone 253 489 644.

O “Cinemoto Vizela” é organizado pela Câmara Municipal de Vizela, dando cumprimento à estratégia adotada pelo Município respeitante ao desenvolvimento turístico e cultural do concelho.

A curadoria do evento é da responsabilidade do Lisbon Motorcycle Film Festival e o programa completo do evento pode ser consultado em www.vizela.pt ou em www.cm-vizela.pt.

O CINEMA FORA DE PORTAS ESTÁ DE REGRESSO A FAMALICÃO

22.ª edição do Cinema Paraíso decorre de 4 de julho a 18 de agosto

Com a subida das temperaturas e o regresso das noites quentes, Vila Nova de Famalicão vira o projetor para o exterior e volta a direcionar as luzes do cinema para as praças e parques do concelho com uma nova edição do Cinema Paraíso.

DSC_7254.jpg

A proposta chega-nos mais uma vez pela mão do Cineclube de Joane, que de 4 de julho a 18 de agosto sugere muitos e bons filmes para animar as noites de verão dos famalicenses.

Este ano, para além das habituais sessões às quartas no recinto do Anima-te, no Parque da Devesa, a iniciativa vai manter a marca da itinerância fazendo também chegar a sétima arte a cinco freguesias do concelho: Arnoso Santa Eulália, Carreira, Fradelos, Mogege e Vale São Cosme.  

O cartaz da 22.ª edição do Cinema Paraíso arranca a 4 de julho, no Parque de Jogos da Carreira, com a exibição do filme “Benzinho” de Gustavo Pizzi. Segue-se a primeira noite de cinema ao ar livre na Devesa, no dia 7 de julho, com o filme “Knives Out: Todos São Suspeitos”“Tempos Modernos” de Charlie Chaplin vai ser exibido a 11 de julho, no Parque de Jogos de Arnoso Santa Eulália. “A Ovelha Choné: A Quinta Contra-Ataca” é o filme que se segue na Devesa, no dia 14 de julho.

O mês de julho conta ainda com as exibições dos filmes “Mirai”, no dia 18, no CIIES, em Vale São Cosme; “Parasitas” no dia 21, no adro da igreja de Fradelos, e “Ordem Moral”, no dia 25, no Campo de Jogos da ADERM, em Mogege.

No mês de agosto, as sessões do Cinema Paraíso decorrem todas no Parque da Devesa. Dia 4 é exibido “Nomadland – Sobreviver na América”, vencedor do Oscar de Melhor Filme; dia 11 é a vez de “Mary e a Flor da Feiticeira”, encerrando com “A Estrada” de Federico Fellini, no dia 18.

Todas as sessões estão marcadas para as 22h00 e têm entrada gratuita. Para as sessões marcadas na Devesa é obrigatório o levantamento de ingresso no período das 2 horas que antecede a sessão. As sessões nas freguesias são também limitadas à lotação dos vários espaços.

Recorde-se que o Cineclube de Joane organiza desde 1999 o Cinema Paraíso em Famalicão. A iniciativa é promovida em parceria com o município e a Casa das Artes.

“Nas edições anteriores afirmamos uma das principais ideias do projeto, a sua itinerância, o que permitiu ao Cinema Paraíso estacionar em mais de trinta locais, num percurso que já chegou a mais de metade das freguesias do território de Vila Nova de Famalicão e que conhece nesta sua 22.ª edição um incremento através do programa de descentralização cultural Há Cultura/Cultura Para Todos” promovido pelo município e cofinanciado pelo NORTE 2020, através do Fundo Social Europeu, explica a organização.

“Para esta edição vamos continuar a levar o cinema às populações, com escolhas criteriosas, com propostas que cheguem ao grande público e que ambicionam surpreender o espectador. Cinema popular de várias proveniências, do presente e em diálogo com a história do Cinema”.

O convite está lançado, traga pipocas, amigos e a família, mantas e almofadas e não se esqueça do agasalho para as noites mais frescas

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE RETOMA CINEMA NO AUDITÓRIO MUNICIPAL

O cinema vai regressar, de forma regular, ao Auditório Municipal de Esposende, já a partir do próximo dia 10 de junho.

auditório municipal (1).jpg

Indo ao encontro dos anseios de muitos apreciadores da denominada sétima arte, o Município, através da Esposende 2000, empresa municipal responsável pela gestão deste espaço cultural, vai proporcionar sessões regulares de cinema, reforçando, assim, a oferta cultural no concelho e dando cumprimento às metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

O dia fixo de exibição será a sexta-feira, havendo também sessões aos sábados ou domingos, consoante o género de filmes a apresentar. Quanto à sessão inaugural, terá lugar já nesta quinta-feira, feriado de 10 de junho, às 20h30, com a exibição do filme “Um Homem Furioso”, que repete na sexta-feira, dia 11, à mesma hora.

A partir do dia 14 de junho, com a entrada em vigor da nova fase de desconfinamento, as sessões de cinema passam a ter lugar sempre à sexta-feira, às 21h30 e, a ocorrerem ao fim de semana, ao sábado será às 21h30 e, ao domingo, às 15h30 e às 21h30.

Quanto aos filmes a exibir no mês de junho, para além de “Um Homem Furioso”, nos dias 10 e 11, será apresentado “Spirit” nos dias 18 e 20, e, no dia 25, “Missão Inesperada”.

Os bilhetes podem ser adquiridos online, em www.esposende2000.pt.

auditório municipal (2).jpg

PRESIDENTE DA REPÚBLICA VISITOU EM MELGAÇO MUSEU DE CINEMA JEAN-LOUP PASSEK

O Presidente da República visitou o Museu de Cinema Jean-Loup Passek acompanhado pelo Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista e pelo Diretor Artístico do Museu, Bernard Despomadères.

210511-prmrs-ro-0017-3200.jpg

Situado no centro histórico de Melgaço, o Museu reúne um vasto espólio doado ao município por Jean-Loup Passek, que dirigiu o departamento cinematográfico do Centro Georges Pompidou e foi diretor do Festival de Cinema de La Rochelle.

Texto: Presidência da República / Fotos: Rui Ochôa / Presidência da República

210511-prmrs-ro-0019-3213.jpg

210511-prmrs-ro-0020-3221.jpg

210511-prmrs-ro-0021-3224.jpg

210511-prmrs-ro-0030-3275.jpg

210511-prmrs-ro-0043-3330.jpg

210511-prmrs-ro-0001-3065.jpg

210511-prmrs-ro-0005-3103.jpg

210511-prmrs-ro-0009-3140.jpg

210511-prmrs-ro-0014-3181.jpg

FAMALICÃO: FESTIVAL DE CINEMA JOVEM COM INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 7 DE OUTUBRO

Sétima edição do Ymotion vai decorrer de 8 a 13 de novembro

“O Ymotion é a grande referência em Portugal do cinema jovem”. As palavras são do jornalista e crítico de cinema Rui Pedro Tendinha no lançamento da sétima edição do Ymotion - Festival de Cinema Jovem de Famalicão, cujo período de inscrição de curtas-metragens está a decorrer até ao dia 7 de outubro.

AFS_3193.jpg

O também comissário do Ymotion esteve esta sexta-feira, 7 de maio, em Famalicão, onde se juntou à vereadora da Juventude do município famalicense, Sofia Fernandes, ao argumentista Tiago R. Santos, e ao jornalista Tiago Alves para lançar o desafio à participação no festival aos jovens cineastas portugueses.

Ao todo serão oito os prémios atribuídos pelo festival, com natural destaque para o “Grande Prémio Joaquim de Almeida”, no valor de 2500 euros, que será entregue à melhor curta a concurso.

Serão ainda entregues prémios nas categorias de “Prémio Escolas Secundárias” e “Prémio Melhor Documentário”, no valor de 750 euros, de “Prémio Melhor Curta de Animação”, no valor de 600 euros, “Prémio do Público”, no valor de 350 euros, e prémios para “Melhor Representação”, “Melhor Direção de Fotografia” e “Melhor Argumento”, no valor de 250 euros.

Refira-se ainda que na apresentação da passada sexta foi também anunciado o júri desta nova edição do Ymotion, presidido pelo argumentista Tiago R. Santos e composto por Leonor Teles (realizadora e vencedora do “Urso de Ouro” de curta-metragem, na edição de 2016 do Festival de Berlim), Tiago Fernandes Alves (jornalista), Benedita Pereira (atriz), Pedro Oliveira (jornalista), Filipe Ruffato (realizador vencedor da última edição do Ymotion) e Ana Markl (jornalista).

A fase final do Ymotion decorrerá de 8 a 13 de novembro, dividida entre três espaços do concelho famalicense - Casa da Juventude de Famalicão, Centro de Estudos Camilianos e Fundação Castro Alves.

Para além da grande noite – 13 de novembro - em que serão revelados os vencedores de mais uma edição do Ymotion, a semana de encerramento do festival ficará também marcada pela habitual mostra “O Novíssimo Cinema Português” coordenada por Rui Pedro Tendinha e por um momento musical protagonizado pela banda Capitão Fausto, no dia 12 de novembro, no Centro de Estudos Camilianos, seguido de uma conversa com o público em torno do último trabalho da banda, o filme concerto "Sol Posto".

Recorde-se que o Ymotion é promovido desde 2015 pelo pelouro da Juventude da Câmara Municipal de Famalicão. Todo o programa está sujeito à evolução da situação epidemiológica no concelho e às orientações impostas pela Direção-Geral da Saúde.

Inscrições e mais informações em www.ymotion.org/.

Rui Pedro Tendinha.jpg

CASA DAS ARTES ARCUENSE RETOMA PROGRAMAÇÃO DE ESPETÁCULOS E CINEMA

No ano em que celebra 20 anos, a Casa das Artes de Arcos de Valdevez retoma a sua programação regular este mês de maio, definida que está a possibilidade de agendamento de eventos nos espaços culturais aos fins-de-semana até às 22h30.

casartesarcval.jpg

Esta ativação de programação trará já neste fim-de-semana de 8 e 9 o cinema ao Auditório, com o Óscar de Melhor Filme de 2021 “Nomadland”, sendo que esta como todas a sessões a realizar em maio serão gratuitas.

No âmbito dos espetáculos musicais e teatrais, neste atribulado ano em que a Casa celebra 20 anos de atividade, o retorno é feito já a 14 de maio com a jovem banda de pop/rock “Malaboos” e o seu novo trabalho “Nada Cénico”, que estreia no palco arcuense; a 29 de maio o regresso ao Auditório em concerto intimista de Fernando Daniel, num momento que promete casa cheia. Em 12 de junho, uma das poucas datas nacionais da peça de Eunice Muñoz “A Margem do Tempo”, uma oportunidade única de contacto com um dos maiores nomes do teatro português e que encerra com este espetáculo a sua carreira de 80 anos; a 19 do mesmo mês sobem ao palco os GNR, histórica banda portuguesa que celebra este ano 40 anos de carreira, e a 26 o emotivo "As Canções de Carlos do Carmo", um tributo de Marco Rodrigues ao amigo e nome máximo da canção portuguesa, recentemente desaparecido.

A Casa das Artes regressa assim ao convívio com o público, assegurando como sempre as normas de segurança e higiene vigentes, na certeza da importância da Cultura e da celebração coletiva neste nosso particular presente, assumindo igualmente o seu papel como equipamento de referência no concelho e na região.

QUEM É O ACTOR BRACARENSE ALMENO GONÇALVES?

O actor encontra-se neste momento em filmagens na nossa região para a série da RTP “Vento Norte”

Almeno Gonçalves (Braga, 17 de Outubro de 1959) é um ator e encenador português.

Natural de Braga, estudou no Liceu Sá de Miranda, foi fundador de três grupos de teatro em Braga, entre eles o grupo de Teatro Universitário do Minho.

116432790_10214885556366090_7754196209389731819_n.

Estreou-se como actor no Teatro da Comuna, onde foi dirigido por João Mota em espectáculos como Má Sorte Ter Sido Puta, de John Ford, ou Um Eléctrico Chamado Desejo, de Tennessee Williams. Passou pelo Teatro Experimental de Cascais, Teatro Nacional D. Maria II e pelo Teatro Aberto. Trabalhou com Luís Miguel Cintra, Christine Laurent e Luís Assis, no Teatro da Cornucópia, onde interpretou peças de Beaumarchais, Francisco de Holanda e William Shakespeare. Como encenador dirigiu espectáculos de Frank Wedekind e Camilo Castelo Branco.

Actor regular na televisão, tem participado em séries e novelas vistas do grande público, como Os Malucos do Riso. No cinema participou nos filmes Zona J e Um Tiro No Escuro, de Leonel Vieira, Debaixo da Cama, de Bruno Niel, e Uroboro, de Luís Gomes.

Fonte: Wikipédia

SÉRIE DA RTP "VENTO NORTE" FILMADA EM ARCOS DE VALDEVEZ ESTREIA DIA 14 DE ABRIL

A série da RTP “Vento Norte”, filmada em Arcos de Valdevez, uma das três localidades do Norte de Portugal envolvidas neste projeto televisivo, tem estreia marcada para dia 14 de abril, pelas 21h00 na RTP1.

Vento Norte RTP.png

A zona do Centro Histórico da Vila foi ponto de registo principal, enquadrando com os objetivos de época pretendidos pela produção, assegurando por tal a necessária viagem no tempo. As filmagens contaram com o apoio financeiro e logístico do Município de Arcos de Valdevez, em mais um momento de promoção do território arcuense, cada vez mais procurado como destino de rodagem de diversas produções nacionais de grande impacto mediático.

“Vento Norte” é uma série histórica balizada entre o final da Primeira Guerra Mundial (1918) e o Golpe Militar de 28 de Maio de 1926, assumindo uma vertente de “romance histórico”, numa “visão de um Portugal à beira da Ditadura, em plenos anos loucos” e onde não faltam igualmente as “personagens que ajudaram a moldar a cultura portuguesa do século XX”.

Composta na primeira temporada por 10 episódios, para além de ser exibida pela RTP, conta com acordos de transmissão para Angola, Moçambique, Estados Unidos, Canadá, França e Luxemburgo.

TELENOVELA TVI “PARA SEMPRE” EM ARCOS DE VALDEVEZ

Produtora está à procura de figurantes de todas as idades, feminino e masculino para integrarem o elenco.

Arcos de Valdevez volta a ser cenário de destaque da próxima novela da TVI/Plural, contando para o efeito com o apoio do Município arcuense.

Cartaz - Casting - Telenovela _ Para Sempre.jpg

A produtora da nova telenovela “Para Sempre”, da TVI está à procura de figurantes de todas as idades, feminino e masculino para integrarem o elenco.

Estes castings terão lugar no dia 14 de Abril, no Centro Municipal de Informação e Turismo, das 10h00 às 19h30, e no dia 15 de Abril, na Casa do Povo de Soajo, das 10h00 às 19h30.

A nova novela da TVI tem como cenário a localidade de Soajo, bem como outros locais do concelho de Arcos de Arcos de Valdevez, nomeadamente o Paço de Giela, o Centro Histórico, o Santuário de Nossa Senhora da Peneda e as várias paisagens naturais do Parque Nacional. Também serão feitas referências a outras áreas de promoção turística, como a gastronomia, cultura e património.

O Município de Arcos de Valdevez assegurará um apoio à Plural Entertainment Portugal S.A na produção dos trechos da nova telenovela rodados no concelho. Esta nova aposta da ficção nacional surge em prol da promoção do território português, nomeadamente do norte do país, ao ser exibida em horário nobre, gerando imediato retorno mediático.

O Município de Arcos de Valdevez acredita que esta nova aposta nacional contribuirá ainda mais para a promoção do concelho, principalmente ao nível do mercado interno e, em simultâneo, para a dinamização da economia de Arcos de Valdevez.

Faça parte deste projeto! Participe!

Inscreva-se através dos contactos telefónicos: 912 342 196 | 917 931 326 

FAMALICÃO: SESSÕES PARA CINÉFILOS NA CASA DAS ARTES ESTÃO DE REGRESSO

Estão de volta também as sessões de cinema em parceria com o Cineclube de Joane. Estas, ocorrem às 19h00 no Pequeno Auditório da Casa das Artes.

No dia 22 de abril é projetado MUSEU de Alonso Ruizpalacios.

Durante a madrugada do dia 25 de dezembro de 1985, os estudantes Juan Núñez e Benjamín Wilson (Gael García Bernal e Leonardo Ortizgris) entram no Museu Nacional de Antropologia da Cidade do México, enganam as fortes medidas de segurança, e roubam artefactos de grande valor etnográfico. Assim que soa o alarme, as autoridades mexicanas fazem de tudo para encontrar os culpados e recuperar o saque antes que seja levado para fora do país. O que ninguém poderia imaginar era que o crime tinha sido cometido por ladrões amadores que se veem a braços com um grave problema: agora que são procurados pela polícia, como vão encontrar quem que se arrisque a fazer negócio com o resultado do assalto mais badalado do país? Estreada na edição de 2018 do Festival de Cinema de Berlim - onde venceu o Urso de Prata para Melhor Argumento -, uma comédia de ação com assinatura de Alonso Ruizpalacios (“Gueros”), que se baseia em factos reais.

A 29 de abril, é exibido LISTEN de Ana Rocha de Sousa.

O drama vivido por uma família portuguesa emigrada no Reino Unido, a quem os serviços sociais retiram a guarda dos três filhos, que consideram em risco de sofrer danos emocionais, desencadeando os protocolos do sistema de adoção forçada. Desesperados, os pais tentam encontrar uma forma de provar que são capazes de cuidar das crianças, antes que seja demasiado tarde.  Primeira longa-metragem da atriz e realizadora Ana Rocha de Sousa, "Listen" é uma co-produção entre a Bando à Parte e a Pinball London. Rodada nos arredores de Londres, conta com elenco encabeçado por Lúcia Moniz, Ruben Garcia e Sophia Myles. Foi distinguido com o prémio Bisato d'Oro de melhor realização – um dos galardões paralelos do Festival de Cinema de Veneza – e venceu também o prémio Sorriso Diverso Venezia "pela sua abordagem às questões sociais”

CASA DAS ARTES DE FAMALICÃO RETOMA PROGRAMAÇÃO

A Casa das Artes de Famalicão retoma, em abril, a sua programação. Apesar de ter permanecido de portas encerradas ao público, o teatro municipal continuou a sua atividade, com o trabalho com os artistas, preparando o regresso tão ansiado por todos.

flyerDigital_Alvaro_Isabel.jpg

A primeira fase do desconfinamento cultural faz-se online, com o acesso à cultura e à arte pelos canais de transmissão via redes sociais.

Noite de Primavera de Luís Mestre, Teatro Nova Europa, abre a programação no dia 10 de abril, às 21h30, com live streaming a partir do palco do Grande Auditório.

Noite de Primavera, a segunda noite da Tetralogia das Estações do dramaturgo Luís Mestre, mergulha-nos num arquivo de memórias, ambições e visões da juventude que assombram quatro vidas numa noite intensa deflagrada pela insónia.

A interpretação é de Ana Moreira (atriz e realizadora), Carlos Silva (coreógrafo e bailarino), Tânia Dinis (performer e artista visual) e Zeca (cantora e fadista). Esta é uma co-produção Teatro Municipal do Porto/Teatro Nova Europa, com o apoio da Casa das Artes de Famalicão, Centro de Arte de Ovar, Cine-Teatro de Estarreja e Companhia Instável

O segundo ato da programação dá lugar à música, com Álvaro Cortez, na percussão, e Isabel Romero, ao piano. Espetáculo a 17 de abril, às 21h30, em live streaming a partir do Grande Auditório.

O concerto abre com “Frozen in Time”, de Avner Dorman. A obra pretende, por um lado, regressar a um tempo em que a morfologia geográfica era diferente da atual, evocando ambientes e sons de acordo com esses antigos continentes; por outro, mesclar todos os tempos num só, ao fazer referência a estilos musicais de vários períodos históricos. De Cage, percorremos várias facetas do compositor: uma mais nostálgica, representada pela “Round”; e ainda uma mais percussiva, com “Soliloquy”. Adiciona-se um elemento novo ao concerto, através da composição de John Psathas para Marimba, Junk Pecussion e Eletrónica. “One Study” é pleno de virtuosismo, energia e glória. Por fim, o espetáculo termina com a obra de Gerassimez, composta em homenagem a Piazzolla, deste, indo buscar o contraste entre a tensão e o lirismo.

Nos dias 22, 23 e 24 de abril, com horários sujeitos a confirmação, a Casa das Artes de Famalicão estreia EU NUNCA VI UM HELICÓPTERO EXPLODIR de Catarina Ferreira de Almeida e Joel Neto.

A encenação de Luísa Pinto, com interpretação de António Durães, Filipa Guedes, Luísa Pinto, Rui de Noronha Ozório, Constança Antunes e o jornalista Fernando Alves.

Co-produção Narrativensaio-AC com a Casa das Artes de Famalicão e a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.

A entrada custa 6 euros, ou 3 euros para estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e seniores (a partir dos 65 anos).

A sinopse descreve: Numa casa no campo, por via da pandemia da covid-19, um homem e uma mulher têm de escrever em conjunto uma peça de teatro. O que na vida de todos os dias não ousariam dizer um ao outro alimenta a escrita, esbatendo fronteiras entre fantasia e realidade.  No palco, pessoas filmadas evocam perplexidades e interpelam os atores. E o diálogo conjugal, cómico ou simplesmente cruel, redime-se numa rotina criativa propiciada pela mudança da cidade para a aldeia. Que casal será este, afinal? O que veem nele os novos vizinhos e até os amigos do passado? A que lugar pertencem esse homem e essa mulher: à aldeia onde se reencontraram ou à cidade onde se conheceram? E como poderão escrever sobre isso, juntas, duas pessoas com impulsos criativos e métodos de trabalho tão distintos – ela que escreve para dizer o que pensa, ele que escreve para perceber o que sente?

Em fundo, a pandemia é vivida com especial dramatismo nos grandes agregados populacionais. O mundo debate-se com todos os géneros de restrições à liberdade, e a vida passa a ser vivida nos ecrãs. Um tempo assustador e fascinante, embora nem por isso para aquele casal – o confinamento sempre foi o seu modo de vida. Mas, a reboque desse privilégio, vem também a inquietante sensação de se viver à margem da realidade...

Uma reflexão sobre a evolução de um casamento, as rivalidades sobre as quais ele pode disputar-se, os desejos e as frustrações em jogo; o gesto criativo, os seus diferentes métodos e motores e a medida de conciliação a que é possível aspirar; os desafios de uma epidemia única em mais de cem anos e a vertigem daquilo a que chamámos aldeia global.

Teatro, cinema, radio, televisão, internet – eis um espetáculo que cruza todas essas linguagens.

A primavera que grimpa em abril revela também a estreia de IntraNzyt 0.0, a primeira produção da Companhia Intrazyt, numa co-produção: Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão / Casa das Artes de Famalicão, Câmara Municipal de Loulé / Cineteatro Louletano

Espetáculos marcados para 29 e 30 de abril, em horários sujeitos a confirmação, no Grande Auditório.

Entrada: 4 euros, ou 2 euros para estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e seniores (a partir dos 65 anos).

A INTRANZYT CIA. Jovem é uma novíssima companhia de dança, sediada em Famalicão, mas de âmbito europeu e surge com o objetivo de preencher uma lacuna no panorama da dança nacional, no que diz respeito ao momento de transição dos jovens bailarinos do mundo académico para a realidade do universo profissional da dança. É missão da INTRANZYT Cia. Jovem apoiar bailarinos recém-formados, oferecendo-lhes uma plataforma onde se possam concentrar em desenvolver o seu talento, num ambiente profissionalizante de uma companhia de dança. A INTRANZYT Cia. Jovem está a criar um repertório plural e eclético, com criações próprias e de outros criadores e companhias associados e a promover a circulação da companhia no território nacional e no estrangeiro. A companhia irá privilegiar a apresentação de trabalhos de coreógrafos e criadores portugueses, muitos deles radicados no estrangeiro há muitos anos, com trabalho reconhecido internacionalmente e que por vários motivos ainda não tiveram a oportunidade de se apresentar em território nacional.   A INTRANYT Cia. Jovem tem neste momento no seu elenco, bailarinos de diferentes territórios de Portugal, Itália, França e Japão.

Com a parceria, indispensável, da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, da Casa das Artes de Famalicão e ainda do Cineteatro Louletano, da Compagnie Illicite-Bayonne, do Augsburg Ballet, da Orquestra Sem Fronteiras, da Associação ESTUFA, da Companhia Olga Roriz e dos estúdios Dance Fusion, a companhia estreia o seu primeiro programa – Intranzyt 0.0 - composto por três peças coreográficas que abrem caminho à linha artística e estética da companhia, sendo duas delas estreias nacionais e uma estreia absoluta. Este primeiro espetáculo, assinado por: Fábio Lopez, Ana Isabel Casquilho, Cristina Pereira e Vasco Macide, dará início à criação de um repertório de dança que se quer criador de valor para os bailarinos, profissionais, companhias e parceiros envolvidos no processo, assim como para os públicos.

flyerDigital_NoitedePrimavera.jpg

CA_Flyer_EU NUNCA VI UM HELICÓPTERO EXPLODIR.jpg

CA_Flyer_INTRANZYT.jpg

LONGA-METRAGEM "EVADIDOS" JÁ COMEÇOU A SER RODADA EM BARCELOS

Já iniciaram as gravações de “Evadidos”, uma produção da empresa Caracol Protagonista, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos.

O filme incluirá gravações em espaços públicos do Município, propiciando uma promoção de locais emblemáticos do concelho, de toda a sua riqueza e diversidade, e reforçando a aposta na valorização internacional de Barcelos enquanto cenário deste filme.

A longa-metragem, cuja época se situa nos anos 80, foi escrita por Bruno Gascon, realizador do premiado filme “Carga” e da fita “Sombra”, e irá contar com participações de Tomás Alves, Vítor Norte, Ana Bustorf, João Arrais, Dmitry Bogomolov, Michalina Olszanska, Íris Cayatte e Matamba Joaquim, entre muitos outros.
“Evadidos” é protagonizado por Tomás Alves e conta a história de um homem em luta pela liberdade, mantendo-se assim o foco do realizador em abordar temáticas sociais relevantes.

Barcelos foi desde o início o cenário escolhido para contar esta história porque o protagonista vai mover-se em dois mundos: um mais rural e outro mais urbano.

Pode acompanhar as gravações do filme na página instagram da produtora através da https://www.instagram.com/evadidosmovie/

BRAGA ESCOLHIDA COMO CENÁRIO PRINCIPAL DA NOVA NOVELA DA TVI

‘Para Sempre’ deverá começar a ser exibida a partir de Setembro

‘Para Sempre’ é o título da nova novela da TVI que terá como cenário principal a Cidade de Braga, recentemente eleita Melhor Destino Europeu em 2021.

CMB16032021SERGIOFREITAS002151382404.jpg

Diogo Morgado, Inês Castel-Branco, Pedro Sousa, Marina Mota, Rodrigo Tomás e Pedro Almendra são alguns dos actores que integram o elenco desta produção da ‘Plural Entertainment’ para a TVI. A novela deverá ir para o ar em meados de Setembro.

Para o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, este projecto televisivo vem dar grande projecção nacional e internacional à Cidade. “A gravação desta novela tem uma dimensão de promoção e capacitação turística de Braga que está em linha com a estratégia de promoção da Cidade que temos desenvolvido nos últimos anos”, referiu o Autarca no final da cerimónia de assinatura do protocolo entre o Município, a ‘Plural Entertainment’ e a TVI, que decorreu esta Terça-feira, 16 de Março, no Theatro Circo.

Segundo Ricardo Rio, “esta é uma forma de promoção que até hoje não tinha sido muito explorada, mas é algo que, no futuro, poderá ser aprofundado com outras realizações semelhantes”.

Já Luís Cunha Velho, da ‘Plural Entertainment’, assegura que na TVI passará "um bonito cartão de visita da Cidade, com os monumentos mais importantes e os locais mais emblemáticos", para que ajudar a projectar a “grandiosidade de Braga”. 

Entre os locais de captação de imagem estão as mais emblemáticas praças, avenidas e edifícios da Cidade de Braga, como o Theatro Circo, a Sé de Braga, o Bom Jesus e o Sameiro, mas também locais de beleza natural como as praias fluviais de Adaúfe e do Cavadinho, na Freguesia de Crespos.

CMB16032021SERGIOFREITAS002151382428.jpg

CMB16032021SERGIOFREITAS002151382410.jpg

CMB16032021SERGIOFREITAS002151382416.jpg