Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CURTIR CIÊNCIA E ASSOCIAÇÃO BAIRRO AFONSINO ASSINALAM OS 150 ANOS DA TABELA PERIÓDICA DOS ELEMENTOS QUÍMICOS COM UM CONTO INÉDITO DESTINADO A CRIANÇAS

Era uma vez… “A Cidade dos Elementos”

A estreia desta co-produção está agendada para o dia 30 de março (sábado), às 15:00 horas, no Curtir Ciência. O modelo é semelhante ao de “Histórias com Ciência”, uma das várias atividades da Oferta Educativa do Centro Ciência Viva de Guimarães: ou seja, a leitura do conto é intercalada com várias experiências científicas executadas pelas crianças participantes.

image001cicicici.jpg

No enredo de “A Cidade dos Elementos” as personagens saídas da Tabela Periódica ganham vida e vivem uma aventura repleta de experiências científicas. Trata-se de um conto inédito da autoria de Álvaro Nunes, escritor e investigador de Guimarães, resultado de uma parceria entre o Curtir Ciência e a Associação Bairro Afonsino.

Com esta atividade, o Curtir Ciência associa-se aos 150 anos da Tabela Periódica dos Elementos Químicos, que se assinalam este ano por resolução das Nações Unidas e da UNESCO. De facto, em 1869 Dmitry Mendeleev criou o Sistema Periódico dos Elementos Químicos. Passados 150 anos celebramos a criação da ferramenta que permite prever as propriedades da matéria – na terra ou em qualquer parte do universo.

O Curtir Ciência considera que este é um excelente modelo para assinalar a efeméride junto das crianças (6-12 anos), por ser uma atividade que é simultaneamente lúdica e prática e, também, uma forma de incentivo à leitura.

30 MARÇO | 15:00

A CIDADE DOS ELEMENTOS

PÚBLICO-ALVO: Crianças e jovens dos 6 aos 12 anos;

LOTAÇÃO: Máximo de 20 participantes;

PREÇO: 3,00€/individual (Oferta de Revista Bairro Afonsino)

RESERVAS: geral@ccvguimaraes.pt ou 253 510 830

VIMARANENSES CURTEM CIÊNCIA NA PÁSCOA

DE 6 A 20 ABRIL

O DESAFIO “CAÇA AO OVO” REPLETO DE ENIGMAS CIENTÍFICOS; CONFECIONAR AMÊNDOAS, O FOLAR DA PÁSCOA E OVOS DE GELATINA E CONSTRUIR PEQUENOS ROBÔS SÃO ALGUMAS DAS PROPOSTAS DESTE PROGRAMA QUE INCLUI ATIVIDADES PARA CRIANÇAS, FAMÍLIAS E SENIORES

image003guimciencpasc.jpg

O workshop “Páscoa em Movimento” (sábado, 6 de abril, 15:00) dá o mote para estas duas semanas de atividades. Dirigido a famílias (adultos + crianças), consiste na construção e decoração de autómatos (pequenas “máquinas” de cartão movidas a manivela), explorando assim a mecânica das engrenagens.

“Caça ao Ovo” é um desafio (género “escape game”) cheio de enigmas científicos que os participantes têm de ultrapassar em menos de meia hora para conseguirem obter o maior número possível de ovos de Páscoa. Estará disponível, para grupos, de 8 a 12 e de 15 a 19 de abril (segunda a sexta), a partir das 14:00 horas e com sessões a cada 30 minutos, e nos sábados 13 e 20 de abril, de tarde, para famílias.

A pensar nas férias escolares da Páscoa, o Curtir Ciência oferece várias oficinas para grupos de crianças e jovens dos 6 aos 14 anos. A oferta inclui confeção artesanal de amêndoas (“Amêndoas com Ciência”); o “Show de Ovos” composto por experiências científicas das áreas da Física e Química; construir e testar um robô (“Robôs na Páscoa”), explorando também princípios básicos de código com recurso a mini-robôs que obedecem a sequências de cores; produzir sabonetes perfumados de glicerina com formas alusivas à quadra da Páscoa (“Sabonetes de Páscoa”); e por último, a versão adequada à Páscoa da nossa oficina de Gomas, no caso, em formato de ovo (“Ovos de Gelatina”).

Para outro público – seniores – o Curtir Ciência reedita a oficina “Folar da Páscoa”, um encontro de saberes e sabores que termina com a degustação dos folares confecionados.

Durante o programa Páscoa com Ciência, a Exposição Permanente estará disponível em versão reduzida, incluindo os módulos Comunicação, História, Robótica, Reciclagem e Túnel Interativo.

A participação implica reserva antecipada: 253510830 e geral@ccvguimaraes.pt

PÁSCOA COM CIÊNCIA 2019

WORKSHOP “PÁSCOA EM MOVIMENTO”

Público-alvo: famílias (adultos e crianças)

PREÇO: 5€ (individual - 1 autómato); 9€ (Família - 1 autómato); Autómato extra: 4€

Lotação: Max 20 participantes

OFICINAS PARA GRUPOS (6-14 ANOS)

De 8 a 12 e de 15 a 19 Abril | 10:00-16:00

1| Amêndoas com Ciência

2| Show de Ovos

3| Sabonetes de Páscoa

4| Robôs na Páscoa

5| Ovos de Gelatina

Preço: 3€

Lotação: Min 10, Max 20 participantes

DESAFIO “CAÇA AO OVO”

De 8 a 13 e de 15 a 20 de Abril | 14:00; 14:30; 15:00; 15:30 e 16:00;

Público-alvo: 6-17 anos e famílias (adultos com crianças)

Duração: 30 minutos

Preço: 2,50€

Lotação: Max 10 por cada turno/meia hora

FOLAR DA PÁSCOA SENIORES

De 8 a 12 e de 15 a 19 de abril | 10:00-16:00

Duração: 1H30

Preço: 3€

EXPOSIÇÃO PERMANENTE REDUZIDA | COMUNICAÇÃO, HISTÓRIA, ROBÓTICA, RECICLAGEM E TÚNEL INTERATIVO

De segunda a sexta, 10:00-17:00h, sábados, 11:00-18:00

Duração: 1H00

Preço: 2€

Lotação: Min 10, Max 60 participantes (45 às segundas-feiras)

Nota: Existem Combinados Atividade + Visita. Informe-se das condições.

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TENOLOGIA

III Feira da Educação, Ciência e Tecnologia, de 14 a 17 de março, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima. Inauguração 14 de março – 10h30

Apresentado as últimas novidades tecnológicas disponíveis no mercado, a III Feira da Educação, Ciência e Tecnologia chega novamente a Ponte de Lima, no dia 14 de março, e está inserida no projeto “Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta”.

53417866_2080778618642877_674205356032786432_n.jpg

Este evento reúne um conjunto de projetos, equipamentos e infraestruturas locais intimamente ligadas às áreas que são determinantes no desenvolvimento de todo e qualquer ser humano, das sociedades e, por conseguinte, dos territórios.

Para além destes projetos pedagógicos, as últimas novidades tecnológicas disponíveis no mercado vão ser apresentadas pelo tecido empresarial apenso ao setor, na região. A Feira procura, ainda, dar a conhecer os melhores projetos pedagógicos dinamizados pelos Centros Educativos de Ponte de Lima. Para além da divulgação destes projetos pedagógicos, a Feira constitui também uma excelente oportunidade para o conhecimento da oferta ao nível dos Cursos Profissionais e de Ensino Superior.

A III Feira da Educação, Ciência e Tecnologia vai-se realizar entre os dias 14 e 17 de março, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima.

Mais do que dar palco ao que está a acontecer no ecossistema, o objetivo é o de apresentar conceitos inovadores, e munir a nova geração de ferramentas que lhes permitam encarar os desafios desta nova era. Desde oficinas experimentais, a caças ao tesouro digitais e workshops dedicados à cozinha molecular, o programa conta com várias dezenas de atividades a realizar num espaço de quatro dias.

O primeiro destes dias é marcado pela Maratona da Saúde, com rastreios, momentos musicais, e workshops de temas diversos.

A véspera de fim-de-semana conta com o Desafio Jovem, integrado na Festa da Juventude Limiana 2019, com o tema “Novas Tecnologias”. Este é o ponto central do segundo dia de Feira, que conta ainda com palestras cujos temas orbitam a igualdade de género, a importância da atividade física, a saúde e o ambiente.

O terceiro dia continua com a apresentação do projeto “Loving the Planet”. Eduardo Rêgo, presidente e voz de programas como BBC Vida Selvagem, dá a conhecer a ONG que nasceu da necessidade de unir esforços para alcançar a sustentabilidade e equilíbrio global. Na noite de sábado, o mágico mais emblemático de Portugal apresenta o seu espetáculo em Ponte de Lima. Pelas 21h00, Mário Daniel surge como dos pontos altos da Feira, que encerra a 17 de março com demonstrações de Robótica, sessões de “à conversa com os pais”, workshop de gastronomia molecular, entre diversas outras atividades patentes ao programa da III Feira de Educação, Ciência e Tecnologia, que pode ser consultado no site oficial do Município www.cm-pontedelima.pt.

GUIMARÃES: MONITORES DO CURTIR CIÊNCIA ASSINAM ESTUDO EM JORNAL INTERNACIONAL

Que impacto podem ter as alterações socio-ecológicas (climáticas, uso do solo, entre outras) no agravamento do impacto de um parque eólico sobre uma população de Alauda arvenses (ave característica das terras altas em Portugal)?

artigoDaniel.jpg

Este é, em resumo, o tema de um estudo da autoria Daniel Ferreira e Cláudia Freixo, investigadores do Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães que acaba de ser publicado no Journal of Environmental Management, um jornal de referência mundial nas áreas do desenvolvimento sustentável e das ciências ambientais.

No estudo, que conta também com a participação dos professores João Alexandre Cabral e Mário Santos, os autores criaram um modelo que permitiu avaliar a influência que as alterações socio-ecológicas (alterações climáticas, alterações no uso do solo, entre outras) podem ter no agravamento do impacto do funcionamento de um parque eólico sobre uma população de Alauda arvensis (ave característica das terras altas em Portugal). No âmbito do trabalho de campo foram igualmente estudadas algumas opções de aumento de produção de energia para avaliar qual a alternativa que representa um menor impacto para esta espécie de ave.

Daniel Ferreira é biólogo e desempenha funções de monitor científico no Centro de Ciência Viva de Guimarães e colabora com o Laboratório de Ecologia Aplicada da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). Tem dedicado parte da sua investigação ao impacto dos parques eólicos nas populações de morcegos e de certas aves em Portugal. Cláudia Freixo, além do Curtir Ciência, onde é Monitora Científica, desenvolve atividade com o Laboratório de Ecologia Aplicada e com o Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Ciências Biológicas da UTAD.

image001monitgui.jpg

INVESTIGAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO COMBATE COM LUZ INFEÇÕES FATAIS

Investigação da Universidade de Aveiro. Infeções fatais combatidas com luz

Chama-se Staphylococcus aureus, é uma bactéria responsável por várias infeções potencialmente fatais em humanos e, até agora, o seu combate estava dificultado pela resistência que ganhou aos antibióticos, mesmo aos utilizados em último recurso. Afinal, através da terapia fotodinâmica é possível inativar a bactéria. Os recentes avanços realizados na Universidade de Aveiro (UA) trazem uma solução a quem sofre, por exemplo, de abcessos na pele e infeções do trato urinário.

Os investigadores Amparo Faustino, Nuno Moura, Cristina Dias, Adelaide A....jpg

Foliculite, furunculose, impetigo, celulite infeciosa, pneumonia necrosante, osteomielite, endocardite infeciosa, síndrome do choque tóxico e até intoxicação alimentar. A lista das infeções que S. aureus pode provocar é interminável.

Tratada facilmente com vulgares antibióticos até há poucas décadas, as infeções hospitalares e na comunidade causadas por S. aureus multiresistentes a antibióticos aumentaram dramaticamente nos últimos 30 anos, sendo acompanhadas por um aumento de estirpes super-resistentes até mesmo aos antibióticos ditos de última geração. O tratamento é, por isso, difícil, moroso e frequentemente ineficaz.

“Estas estirpes são uma ameaça grave para a saúde pública”, alerta Adelaide Almeida, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) e do Departamento de Biologia da UA e coordenadora do estudo que pode colocar um travão a esta bactéria. Este estudo resultado trabalho multidisciplinar de uma equipa de cientistas do CESAM e do Grupo de Química Orgânica, Produtos Naturais e Agroalimentares, duas das unidades de investigação da UA.

Terapia fotodinâmica é eficaz

O género Staphylococcus contém pelo menos 49 espécies, várias das quais são altamente importantes clinicamente, para a indústria alimentar, para agricultura e economia. A mais patogénica dessas espécies é S. aureus.

Esta espécie, explica Adelaide Almeida, “está amplamente distribuída no ambiente, pode residir na pele e nas mucosas dos seres humanos e animais”. Nos seres humanos, “as narinas são os principais nichos ecológicos de S. aureus - a transmissão ocorre principalmente através das mãos quando estas tocam superfícies contaminadas embora outros locais, como a pele, a área perineal, a faringe, o trato gastrointestinal, a vagina e as axilas também podem ser colonizadas, podendo também funcionar como focos de transmissão”.

Com sucesso, a equipa de químicos e biólogos da UA constituída por Adelaide Almeida, Amparo Faustino, Maria da Graça Neves, Tatiana Branco, Cristina Dias, Nuno Moura, Cristina Dias, Vânia Jesus, Ana Peixoto e Nádia Valério, testou in vitro e na pele a terapia fotodinâmica, por si só ou combinada com antibióticos, para inativar esta bactéria.

“Os resultados mostraram que a terapia fotodinâmica, usada já vulgarmente para tratar, por exemplo, o acne, é uma abordagem eficaz para controlar a infeção por S. aureus na pele, inativando a bactéria eficazmente após três ciclos sucessivos de tratamento com luz e sem adição de antibióticos entre ciclos, ou após um ciclo usando a ação combinada da terapia com o antibiótico ampicilina”, congratula-se Adelaide Almeida.

“Embora seja bem-sabido que o uso de grandes quantidades de antibióticos na prática clínica é indesejável devido ao aparecimento de estirpes resistentes a antibióticos, pouco esforço tem sido feito para usar a terapia fotodinâmica para potencializar a eficácia antibiótica ou, alternativamente, usar antibióticos para melhorar o efeito desta terapia”, explica a bióloga.

A avaliação deste efeito combinado foi realizada pela equipa da UA em pele de suíno, considerada um bom modelo de teste para a pele humana, devido às semelhanças das suas propriedades histológicas, fisiológicas e imunológicas.

ARCOS DE VALDEVEZ EVOCA CHARLES DARWIN

Arquivo Municipal assinalou o dia de Darwin

Na manhã do passado dia 16 de Fevereiro, o Arquivo Municipal José Terra recebeu 34 crianças para participarem na atividade “A Aventura da vida na terra”. Desta maneira, foi assinalado o dia de Darwin, celebrado em todo o mundo a 12 de Fevereiro, através da visualização de um filme sobre a origem do planeta e o desenvolvimento da vida na terra, e a criação de um livro 3D, com as diversas fases da evolução da vida.

O Arquivo Municipal agradece a presença dos Infantes de Viana do Castelo, dos Pinguinhas de Arcos de Valdevez e das restantes crianças nesta atividade, esperando que tenha sido do agrado de todos.

1carcdarwin (1).jpg

1carcdarwin (2).jpg

1carcdarwin (3).jpg

1carcdarwin (4).jpg

1carcdarwin (5).jpg

1carcdarwin (6).jpg

1carcdarwin (7).jpg

1carcdarwin (8).jpg

GUIMARÃES LEVA CIÊNCIA ÀS ESCOLAS

Clubes (Curtir) Ciência Viva nas Escolas

Guimarães regista nesta fase seis Clubes de Ciência apresentados por escolas básicas e secundárias. A nível nacional estão contabilizados 237 Clubes

Jornadas Parcerias_RCCVE_Braga.JPG

“Nenhuma pessoa sabe o suficiente para fazer tudo sozinha”. Foi desta forma, evocando Mariano Gago (antigo ministro e principal impulsionador do projeto Ciência Viva), que Rosalia Vargas, presidente da Agência Nacional Ciência Viva, sintetizou o espírito subjacente ao lançamento da Rede de Clubes Ciência Viva nas Escolas.

A Presidente da Agência Nacional Ciência Viva falava em Braga, na Escola de Ciências da UMinho, na sessão de apresentação daquela Rede organizada pelo Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães e Planetário – Casa da Ciência de Braga, perante várias dezenas de professores, diretores de escolas, centros de investigação e outras entidades.

“Este é o primeiro dia do início de um grande projeto para a Ciência”, afirmou Rosalia Vargas, fazendo questão de salientar que a Rede de Clubes deve assentar no estabelecimento de parcerias entre as mais diversas entidades que se mostrem apostadas na promoção da Ciência.

Dirigidos a Agrupamentos de Escolas e Escolas não Agrupadas, Escolas Profissionais e Estabelecimentos de Ensino Particulares e Cooperativos, os Clubes Ciência Viva na Escola são espaços de ciência abertos a toda a comunidade e têm como missão promover o acesso a práticas científicas inovadoras.

“Estão reunidas as condições para que este seja um projeto de sucesso", vaticinou Sérgio Silva, Diretor do Curtir Ciência, referindo aos Clubes Ciência Viva nas Escolas como “um reforço da aposta das escolas na área das Ciências e nas atividades práticas, com a vantagem de poderem contar com apoios financeiros do Ministério da Educação”.

Além da UMinho, são muitas as entidades que se mostram recetivas ao estabelecimento de parcerias com as escolas para a viabilização e dinamização dos Clubes. O INL – Laboratório Internacional Ibérico de Nanotecnologia, o I3B´s, o Banco Português de Germoplasma Vegetal (uma das mais importantes reservas do mundo de sementes sediada há mais de 40 anos em Braga), a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima e a Sociedade Martins Sarmento - são apenas algumas delas.

O projeto da Rede conta com uma dotação de dois milhões de euros por parte do Ministério da Educação para financiar, nesta fase, 237 clubes. Doze são de Guimarães, embora este número possa aumentar com o projeto em marcha assim que abra nova fase de candidaturas.

Na sessão de apresentação em Braga, a subdiretora da Direção Geral de Educação (DGE), Maria João Horta, referiu-se ao projeto como fundamental para "alavancar" os jovens para a aprendizagem e contribuir para alterar o modelo tradicional de sala de aula, fomentando a curiosidade e criatividade dos estudantes. Em linha, de resto, com as necessidades que se perspetivam para um futuro dominado por áreas das ciências e engenharias. “Atrair jovens para as profissões do futuro obriga a criar condições nas escolas e, acima de tudo, a apostar num modelo mais criativo de sala de aula” ", sublinhou aquela responsável da DGE.

Uma ideia partilhada por Ricardo Costa, Vereador que representou o Município de Guimarães na sessão de Braga, para quem é urgente "alterar mentalidades” e “mudar o modelo tradicional de sala de aulas”, apostando para o efeito nas novas tecnologias. “Não é aceitável que uma criança chegue à escola habituada a lidar com um tablet e tenha depois que lidar com livro em papel”, sublinhou.

Ricardo Costa_JornadasRCCVE_Braga.JPG

Ricardo_Rosalia_Sergio_BragaRCCVE.JPG

RosaliVargas_Rede.JPG

FAMALICÃO EXPÕE NANOTECNOLOGIA

A nanotecnologia ao serviço da indústria em exposição

Dar a conhecer produtos inovadores e novas aplicações práticas da nanotecnologia e o seu impacto na indústria do Norte de Portugal. Estes são os objetivos da exposição que o CeNTI - Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes leva a cabo entre 31 de janeiro e 2 de fevereiro, no Museu Bernardino Machado, em Famalicão.

_MG_2225.JPG

Esta iniciativa pretende enaltecer a importância da nanotecnologia para a indústria, criar familiaridade com o trabalho realizado pelos investigadores do CeNTI e mostrar alguns dos principais resultados de diferentes projetos de investigação. É o caso de um fio de pesca que usa a nanotecnologia para ser mais amigo do ambiente, cortinas que incorporam LEDs, soalhos que detetam inundações, uma linha de roupa ecológica concebida com resíduos das indústrias locais, ou estofos anti fissuras para o interior automóvel, feitos com materiais ecológicos.

Os vários exemplos do impacto da nanotecnologia na região estão compilados num portefólio desenvolvido no âmbito do projeto Nanotech@NortePT, constituído por um livro e seis vídeos, que vai ser dado a conhecer no decorrer da exposição. Fazem ainda parte desta mostra três demonstradores e um quiosque interativo, estando também prevista a presença de investigadores do CeNTI, para dar a conhecer melhor alguns dos projetos e abordar a importância dos trabalhos realizados.

Com esta exposição pretende-se demonstrar como a região Norte e as suas empresas são líderes na utilização da nanotecnologia na criação de novos produtos e soluções com elevado potencial tecnológico e de inovação.

Esta exposição assinala o encerramento do Projeto Nanotech@NortePT.

_MG_2227.JPG

ESPOSENDE DEDICA JANEIRO À CIÊNCIA

Centro de Educação Ambiental dedica mês de janeiro à ciência

No âmbito da iniciativa “Janeiro, mês da Ciência”, a Esposende Ambiente, através do Centro de Educação Ambiental, promoveu a apresentação a peça de teatro Konkachila, dedicada à Biosfera, pelo Grupo de Teatro Muzumbos. A iniciativa, que teve lugar em três sessões, no Auditório Municipal de Esposende, contou com a participação de cerca de 650 crianças e jovens de 11 estabelecimentos de educação e ensino e IPSS´s do concelho.

Oficinas.jpg

Esta peça, que retrata as aventuras da Celeste, uma menina que adorava observar a natureza e questionar o sentido das coisas, incentiva as crianças a observar e compreender o meio ambiente como um todo, lembrando que não vivem isolados e que as suas ações têm repercussões no equilíbrio da vida, afetando os ecossistemas positiva ou negativamente.

A iniciativa “Janeiro, mês da Ciência”, prevista no Plano de Atividades do Centro de Educação Ambiental para o presente ano letivo, inclui ainda a realização de um conjunto diversificado de atividades lúdico-pedagógicas dirigidas essencialmente à comunidade educativa concelhia e onde são abordadas diferentes áreas das ciências. Do programa consta, assim, a realização de várias oficinas experimentais dirigidas à comunidade educativa do 1.º e 2.º ciclos, que serão desenvolvidas nos estabelecimentos de educação e ensino no âmbito do projeto OMARE. A oficina intitulada “Alapa-te aqui” explora a importância da função cardíaca nos animais, tendo como base a monitorização desta função básica em lapas e como esta informação pode dar pistas sobre a resposta dos animais às alterações climáticas, nomeadamente o aumento da temperatura. Já a oficina dedicada ao tema “Segredos entre marés” aborda a importância da água para os seres vivos e dá a conhecer as principais diferenças entre as massas de água e os animais que habitam os vários ecossistemas aquáticos. Estas oficinas são orientadas por investigadores do CIBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto.

Também no âmbito desta iniciativa, e dirigido à população em geral, teve lugar, a 19 de janeiro, um workshop dedicado aos iogurtes vegetais caseiros, onde serão abordados os princípios relacionados com a fermentação do leite e com a produção de iogurtes vegetais, sendo dados a conhecer os ingredientes e utensílios necessários ao processo.

Por fim, até final de janeiro, está patente no Centro de Educação Ambiental a exposição temporária “Dar a conhecer para preservar”, do fotógrafo de natureza Carlos Rio. Esta exposição visa, através da fotografia de animais selvagens que na sua grande maioria vivem bem perto dos humanos, mostrar o quanto é necessário que as pessoas os conheçam para que os possam defender e ajudar na sua preservação e dos seus habitats.

O programa “Janeiro, mês da Ciência” enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, no que concerne à Saúde de Qualidade, Educação de Qualidade, Água Potável e Saneamento, Cidades e Comunidades Sustentáveis, Produção e Consumo Sustentáveis, Ação Climática, Proteger a Vida Marinha, Proteger a Vida Terrestre e Parcerias para a Implementação dos Objetivos.

O Plano de Atividades do Centro de Educação Ambiental para 2018/2019 encontra-se disponível no site da Esposende Ambiente e no Blogue do CEA, em www.esposendeambiente.pt

Exposição2.jpg

Capturarespocienc.PNG

BRAGA APOSTA NA BIOTECNOLOGIA

INL abre candidaturas para apoiar empresas de biotecnologia do Norte do País e da Galiza. Programa CT-BIO tem um orçamento global de 1,8 milhões de euros

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) tem a decorrer até ao dia 18 de janeiro as candidaturas ao programa CT-BIO, que pretende apoiar as pequenas e médias empresas da área da biotecnologia do Norte de Portugal e da Galiza. No total, o projeto tem um orçamento de 1,8 milhões de euros para ajudar a criar um cluster biotecnológico no norte de Portugal e na Galiza.

INL

O CT-BIO é um programa transfronteiriço, de cooperação entre Portugal e Espanha que conta com seis parceiros: o INL; a Universidade do Minho; a Associação Portuguesa de BioIndústrias; o Cluster Tecnológico Empresarial de las Ciencias de la Vida (BIOGA); Consórcio da Zona Franca de Vigo e a Universidade de Santiago de Compostela. O INL é a entidade promotora deste projeto que pretende aumentar a competitividade e a inovação das empresas dos dois lados da fronteira.

Especialmente dirigido às pequenas e médias empresas, este programa vai permitir às PME selecionadas beneficiarem dos diversos apoios previstos no programa e que incluem a participação num programa de aceleração, acesso a ‘coaching’ na área da biotecnologia, apoio no acesso a financiamento (nomeadamente, através da realização de reuniões com potenciais investidores); acesso a programas de incubação relevantes nos dois lados da fronteira, entre outros apoios.

“Trata-se de um programa ambicioso, com ações focadas na melhoria da competitividade das empresas do setor da biotecnologia e que assenta em quatro grandes eixos: competitividade e modernização; acesso aos mercados externos; aceleração do talento e acesso a fontes de financiamento”, explica Ana Vila, responsável do INL pelo projeto CT-BIO.

Podem candidatar-se a este projeto as pequenas e médias empresas que estejam localizadas no Norte de Portugal e da Galiza, sendo que os projetos apresentados deverão também ser desenvolvidos e implementados nestas regiões. Além disso, os projetos deverão estar relacionados com a área de biotecnologia e as empresas devem fornecer informação o mais detalhada possível de forma a mostrar os benefícios que os seus projetos poderão obter com as ações previstas no programa CT-BIO.

As empresas interessadas em aceder a este programa poderão submeter a sua candidatura através do seguinte site: http://ct-bio.org/

VIMARANENSES ANDAM HÁ 3 ANOS A CURTIR CIÊNCIA

Centro Ciência Viva de Guimarães assinala terceiro aniversário com um programa diversificado no dia 17 de dezembro

O Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães assinala o seu terceiro aniversário no próximo dia 17 de dezembro de 2018. A data será assinalada com um programa que inclui visitas gratuitas à Exposição Permanente do Curtir Ciência durante o horário de funcionamento, das 10:00 às 18:00 horas.

image001

O ponto principal será a sessão institucional com um colóquio subordinado ao tema “Os Centros de Ciência nas Cidades do Século XXI”, com intervenções de representantes do Município de Guimarães, da Universidade do Minho e da Ciência Viva – Agência Nacional para a Promoção da Cultura Científica e Tecnológica.

Outro destaque do terceiro aniversário é a estreia do desafio “O Resgate de Natal” (género “escape game”), que estará “em cena” até 29 de dezembro. Neste desafio os participantes terão que ultrapassar várias provas de carácter científico que surgem ao longo do percurso. Esta atividade implica inscrição prévia (não é gratuita) e tem a duração de pouco mais de meia hora.

Durante as visitas gratuitas ao Curtir Ciência, os visitantes poderão ainda experimentar três desafios ligados com a área da eletricidade: “Labirinto Elétrico”, “Teste de Condutividade Elétrica” e “Criação de Circuitos em Série e em Paralelo”.

PROGRAMA

. 10:00-18:00 - Visitas gratuitas à Exposição Permanente.

. 10:00-18:00 - "Desafios Elétricos" (atividade gratuita). 

. 14:00 – 17:00 - Desafio científico “O Resgate de Natal”. 

. 18:00 - Momento institucional | Colóquio “Os Centros de Ciência nas Cidades do Século XXI”, com representantes do Município de Guimarães, Universidade do Minho e Agência Nacional Ciência Viva.

. 19:00 - Parabéns e corte do bolo

PADRE HIMALAYA NASCEU HÁ 150 ANOS EM ARCOS DE VALDEVEZ

O Padre Manuel Himalaya, um dos maiores cientistas e visionários portugueses da viragem do século XIX, nascido em Arcos de Valdevez, faz este domingo, dia 9 de Dezembro, 150 anos. É uma figura de grande importância para o concelho arcuense e para a região, que deixou a sua marca por vários países do mundo, como França, EUA ou Argentina, sempre em busca de novas abordagens científicas e de conhecimento.

padre-himalaya-four-solaire-sorede

Em Agosto, e de forma a homenagear o Padre Manuel Himalaya, no ano em que completaria 150 anos de vida, o Município de Arcos de Valdevez iniciou as obras de intervenção na antiga Escola do 1º Ciclo, onde serão criadas as “Oficinas de Criatividade Himalaya”, uma plataforma de promoção da ciência educativa, tendo nas crianças, jovens e famílias o seu principal público-alvo.

O percurso excecional deste homem, que culminou em 1904 com o Grande Prémio da Exposição Internacional de St. Louis, nos EUA, é a base de desenvolvimento do projeto, que incorporará um espaço documental e biográfico sobre o próprio Himalaya, recorrendo a tecnologia de última geração, e diversas salas e espaços dedicados à exploração e descoberta das Ciências, com destaque para o uso do Sol, com a fantástica máquina solar, o Pirelióforo, e das múltiplas áreas do Conhecimento abrangidas pelo investigador, como a Ecologia e a Eco sustentabilidade, numa visão verdadeiramente holística. O projeto global tem um investimento de 1,5 milhões de euros e será realizado com recurso a fundos comunitários.

Para o Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, este é um projeto que também tem outra extensão, como o percurso na ecovia e pontos-chave conectados com a sua presença, como a casa onde nasceu, viveu e o cemitério que o alberga, todos na freguesia de Cendufe;

De referir também que, anteriormente a autarquia inaugurou a requalificação do Parque Infantil da Ponte Nova, que também se centra no Padre Himalaya.

Para João Esteves este é mais um investimento no concelho e na criação de um espaço de oportunidades, de conhecimento e aprendizagens, que irá contribuir para o desenvolvimento sustentável de Arcos de Valdevez.

HIIM_3d - Cópia

HIM 3D 2 - Cópia

IMG_2362

PLANETÁRIO “A NOSSA CASA É UM PLANETA” INCENTIVA PRÁTICAS AMBIENTAIS EM MONÇÃO

Os alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico do concelho de Monção viveram hoje um dia diferente, dentro da escola mas fora da sala de aula, absorvendo alguns conhecimentos no âmbito da educação ambiental e do desenvolvimento sustentável.

DSC_0723

Durante todo o dia, o planetário “A Nossa Casa é um Planeta” esteve no Centro Escolar Prof. José Pinheiro Gonçalves, apresentando três filmes focados nas temáticas da redução, reutilização e reciclagem.

Marcaram presença 440 alunos de Monção, Mazedo, Pias e Tangil que, ao longo de meia hora, aprenderam, num cenário confortável e informal, como utilizar os recursos de uma forma responsável e eficiente.

A vereadora Natália Rocha participou numa das sessões, tendo evidenciado, junto da imprensa local, a importância deste género de iniciativas para incentivar práticas ambientas junto das crianças. Disse: “Os alunos aprendem e levam para casa os ensinamentos, incentivando os pais a fazerem o mesmo”.

Os filmes, projetados em 360º, contam a história da Guida e do Rui, em versões adaptadas a várias idades. Os dois irmãos desenvolvem uma ação explicativa, focando-se no porquê de reduzir, reutilizar e reciclar, os resíduos que produzimos em nossa casa.

O projeto “A Nossa Casa é um Planeta” resulta de um trabalho conjunto das empresas Algar, Ersuc, Resiestrela, Resinorte, Resulima, Suldouro, Valnor e Valorminho, contando com o apoio do Fundo Ambiental e da Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020.

DSC_0728

DSC_0748

GUIMARÃES PROMOVE ATELIERS PARA CURTIR CIÊNCIA

Aproxima-se a quadra natalícia. Tal como em anos anteriores, o Centro Ciência Viva de Guimarães preparou um programa de atividades para este período de férias escolares. A edição do “Curtir Ciência no Natal” decorre de 17 a 29 de dezembro e inclui atividades didáticas e divertidas para diferentes públicos.

gomasCCVG

A pensar especificamente nas crianças e nos jovens em férias escolares de Natal, preparamos três oficinas interativas, com duração aproximada de uma hora, disponíveis em dois períodos temporais: de 17 a 21 e de 26 a 28 de dezembro, no horário entre as 10:00 e as 17:00 horas. 

GOMAS: Nesta oficina os participantes confecionam gomas e exploram as propriedades da gelatina e o processo de gelificação. No final, depois da degustação, os participantes levam para casa uma pequena embalagem com gomas.

VELAS AROMÁTICAS: Produção de velas aromáticas com recurso a de óleos alimentares usados. Esta atividade integra uma forte componente de sensibilização ambiental, com uma parte sobre a importância da reciclagem de óleos alimentares.

SABONETES DUPLOS: Produção de um sabonete mais pequeno que é integrado num sabonete maior. No final os participantes decoram a seu gosto a caixa acondicionadora dos sabonetes. Que depois levam para casa.

O público-alvo são grupos de crianças (a partir dos seis anos) e jovens e a lotação é de 20 participantes por cada atelier.

Para mais informações e inscrições, não hesite em contactar-nos por um dos meios disponíveis: 253510830; geral@ccvguimaraes.pt

image003

sabonetes

GUIMARÃES CRIA NATAL COM CIÊNCIA

Na quadra natalícia, o Centro Ciência Viva de Guimarães disponibiliza atividades para todos os públicos. Fazer bolo-rei com seniores e biscoitos de gengibre em família; aprender mais sobre cozinha molecular; resolver um conjunto de pistas para conseguir resgatar o Natal e várias oficinas para grupos preenchem um programa diversificado para Curtir Ciência no Natal.

DSC_4016

Depois do sucesso na Noite das Bruxas, o Curtir Ciência renova o convite aos mais intrépidos para um novo desafio que tem como principal objetivo resgatar o Natal das mãos dos “sequestradores”. Para tal é necessário ultrapassar vários obstáculos e saber interpretar bem as pistas científicas que surgem ao longo do percurso. Este desafio, “O Resgate do Natal”, destina-se a grupos, famílias e centros de estudo. Tem estreia marcada para 17 de dezembro, dia do terceiro aniversário do Curtir Ciência, mantendo-se “em cena” até 29 do mesmo mês.

O desafio é um dos pontos do programa Curtir Ciência no Natal que decorre entre 17 e 29 de dezembro. Mas há mais atrativos. No workshop “Biscoitos de Gengibre” (dia 22, às 15:00) as famílias podem confecionar e decorar estes tradicionais doces natalícios, explorando alguns conceitos científicos, tais como as propriedades de cada ingrediente. Na área da gastronomia, e também para famílias, há ainda “Chefs no Laboratório” (dia 29, às 15:00), uma oficina que explora o universo da cozinha molecular e na qual cada grupo, dando asas à criatividade, é desafiado a confecionar algumas receitas que no final serão avaliadas por um júri.

Para escolas e centros de estudo, o Curtir Ciência propõe três oficinas, de 17 a 21 e de 26 a 28 de dezembro: Gomas (confecionar gomas e explorar as propriedades da gelatina e o processo de gelificação), Velas Aromáticas (feitas a partir de óleos alimentares usados) e Sabonetes Duplos (um sabonete mais pequeno integrado num sabonete maior).

Para o público sénior, o Curtir Ciência oferece a oficina do Bolo-Rei, de 17 a 21 (segunda a sexta) e de 26 a 28 de dezembro (quarta a sexta). O objetivo central é que os grupos de seniores confecionem este bolo tradicional natalício e explorem alguns princípios científicos presentes no processo.

Todas as atividades implicam inscrição prévia, que pode ser feita pelos seguintes meios: 253510830; geral@ccvguimaraes.pt ou no Curtir Ciência, na Rua da Ramada, 166, Zona de Couros. 

O RESGATE DO NATAL

De 17 a 29 de DEZ (Exceto 23, 24 e 25) 

DURAÇÂO: 40m

BISCOITOS DE GENGIBRE

22 DEZ | 15:00

DURAÇÃO: 2H

CHEFS NO LABORATÓRIO

29 DEZ | 15:00

DURAÇÃO: 2H

ATELIERS PARA GRUPOS

GOMAS, VELAS E SABONETES DUPLOS

17-21; 26-28 DEZ | 10:00-17:00

DURAÇÃO: 1H/1H30

ESPECIAL BOLO-REI SENIORES

17 a 21; 26 a 28 DEZ | 10:00-17:00

DURAÇÃO: 1H30

image001

CURTIR CIÊNCIA EM GUIMARÃES RECEBE INVESTIGADORES

Fotos de investigadores do I3Bs no Curtir Ciência. Uma Visão Dinâmica da Ciência está patente até 17 de dezembro. A visita é livre.

“Uma Visão Dinâmica da Ciência" através da fotografia. Mais concretamente em 10 fotografias assinadas por outros tantos alunos de doutoramento do Grupo I3Bs da UMInho, instalado no AvePark, em Guimarães.

DSC_4040

Depois da FNAC, a exposição está agora patente no Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães, onde pode ser visitada até 17 de dezembro, de segunda a sexta das 10:00 às 18:00 horas; aos sábados e feriados (1 e 8 de dezembro) das 11:00 às 19:00 horas. A visita à exposição é livre e gratuita.

A inauguração ocorreu segunda-feira, dia 19 de novembro, e contou com as presenças dos investigadores-autores das fotos, da vice-diretora do Grupo 3Bs, Alexandra Marques e do Diretor do Curtir Ciência, Sérgio Silva.

A exposição “Uma Visão Dinâmica da Ciência” dá a conhecer o trabalho desenvolvido por investigadores portugueses e estrangeiros no I3Bs e mostra que os cientistas não são "bichinhos de laboratório", como referiu, na inauguração, a vice-diretora daquele grupo de investigação, Alexandra Marques.

Ao abrir as portas a esta exposição, salientou Sérgio Silva, “o Curtir Ciência põe em prática uma das suas principais missões – promover a Ciência junto do público – e estabelece uma relação de proximidade com um instituto de referência internacional, como é o I3B´s, que certamente terá continuidade”.

Os trabalhos expostos foram selecionados no concurso “Photo Dynamics Contest”, lançado pelo Creativity Team, coletivo que reúne alunos de doutoramento daquele Grupo de Investigação. A exposição pretende contribuir para o desenvolvimento da criatividade científica e dar a conhecer o trabalho desenvolvido pelo grupo. O concurso envolveu todos os membros do grupo de investigação e as fotos expostas resultaram de um processo prévio de seleção.

DSC_4065

DSC_4070

DSC_4074

image001

GUIMARÃES REALIZA FEIRA DE ROBÓTICA

Feira de Robótica no Curtir Ciência

Os clubes de robótica das escolas Francisco de Holanda, D. Afonso Henriques e Martins Sarmento participam na Feira de Robótica que decorre terça e quarta-feira (20 e 21 de novembro,) no Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães, em Couros. Esta Feira pretende ser um fórum de promoção de projetos escolares e de troca de experiências. A Feira de Robótica decorre entre as 14:00 e as 17:00 horas e integra o programa da Semana da Ciência e Tecnologia que decorre até 24 de novembro.

image001

BARCELOS ORGANIZA SEMANA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Semana da Ciência e da Tecnologia mobiliza escolas e bibliotecas de Barcelos

O Município de Barcelos e a Rede de Bibliotecas Escolares promovem, entre 19 e 26 de novembro, nas escolas, bibliotecas escolares e Biblioteca Municipal, a Semana Concelhia da Ciência e da Tecnologia, uma iniciativa que tem como objetivo despertar o interesse dos alunos para a ciência através de dezenas de atividades destinadas aos alunos do 1.º ciclo ao ensino secundário.

O programa contempla durante toda a semana, nas diversas escolas do concelho oficinas, experiências científicas, leituras, exposições, palestras, jogos, e filmes de divulgação científica, proporcionando aos alunos uma maior aproximação com especialistas de diversas áreas científicas.

Irão ainda decorrer diversas palestras científicas, entre as quais, “Arqueologia e preservação do património cultural:a contribuição das ciências e tecnologias”, pela Prof. Mafalda Alves da Universidade do Minho , no dia 22 de novembro, de manhã, no Agrupamento de Escolas de Vila Cova; “Luz e Cor” pela Prof. Susana Costa da Universidade do Minho, no dia 19 de novembro, de manhã, no Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes;  e “Formigas que se alinham, rebanhos que entopem e bactérias que nadam” pelo Prof. Dr. Nuno Araújo da Universidade do Minho, no dia 19 de novembro, de manhã, no Agrupamento de Escolas de Fragoso.

O Dia Nacional da Cultura Científica, assinala-se a 24 de novembro, em homenagem a Rómulo de Carvalho, professor, metodólogo, investigador, e autor de manuais escolares, de livros de divulgação científica e de poesia, estes últimos sob o pseudónimo de António Gedeão.

A Semana da Ciência encerra, no dia 26,às 10h00, com a apresentação do livro “Entre Estrelas e Estrelinhas” dos autores José Fanha, Daniel Completo e Carlos Fiolhais, na Biblioteca Municipal de Barcelos.

A Semana da Ciência do Município de Barcelos é uma iniciativa do Pelouro da Educação, através da Biblioteca Municipal e da Rede de Bibliotecas Escolares.

Capturarb

GUIMARÃES LEVA CIÊNCIA AO LAR DE SANTA ESTEFÂNIA

A Semana da Ciência e Tecnologia do Curtir Ciência decorre de 17 a 24 de novembro. O programa abreeste sábado, 17, às 11:00 horas, com uma sessão de Ciência no Lar de Santa Estefânia dinamizada pelos monitores científicos do Centro e destinada a crianças e jovens acolhidos nesta instituição.

Neste encontro, o Curtir Ciência vai dinamizar atividades interativas em torno das novas tecnologias: Prototipagem Rápida (impressora e canetas 3D) e Robótica (Ozobots, pequenos robôs eletrónicos que ensinam noções básicas de codificação e programação).

image001

VIMARANENSES “CURTEM” SEMANA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Uma Feira de Robótica, uma Mostra de Projetos de alunos de Cursos e Escolas Profissionais e Jogos Matemáticos são algumas das atividades agendadas para a Semana da Ciência e Tecnologia do Curtir Ciência, de 17 a 24 de novembro. Tal como em anos anteriores, esta iniciativa pretende ser um fórum de divulgação de projetos de cariz científico-tecnológico desenvolvidos por escolas e, também, um ponto de encontro entre o público e a C&T.

image001

O programa, além de uma sessão numa IPSS da cidade (dia 17) dirigida a crianças e jovens, inclui uma Feira de Robótica (20 e 21) com a presença de vários clubes escolares de robótica; uma Mostra de Projetos C&T (22 e 23) para que escolas/cursos profissionais de Guimarães promovam os projetos desenvolvidos por alunos/formandos; uma conversa entre um investigador e alunos (23) e Jogos Matemáticos (24), em simultâneo com o Circuito Xadrez e Ciência, organizado pela Academia de Xadrez de Portugal.

PROGRAMA

17 NOV | CIÊNCIA NO LAR DE SANTA ESTEFÂNIA

Ação no exterior para crianças e adolescentes do Lar de Santa Estefânia, que explora duas temáticas ligadas às novas tecnologias: a Prototipagem Rápida (impressora e canetas 3D) e a Robótica (Ozobots, pequenos robôs eletrónicos que ensinam noções básicas de codificação e programação).

20, 21 NOV | FEIRA DE ROBÓTICA

Um palco para os vários clubes escolares de robótica de Guimarães mostrarem os seus projetos e trocarem ideias. Entre as 14:00 e as 17:00 horas.

21 NOV | ENCONTRO COM A INVESTIGAÇÃO

Os investigadores João Borges e Nelson Rodrigues, da Universidade do Minho, falam sobre “Tecnologias na Condução Autónoma” com alunos da Escola Secundária Francisco de Holanda.

22, 23 NOV | MOSTRA DE PROJETOS

Cursos profissionais das escolas públicas e privadas de Guimarães participam nesta mostra de projetos C&T.

24 NOV | JOGOS MATEMÁTICOS

No Dia Nacional da Cultura Científica, uma atividade de participação gratuita, durante a manhã, para as famílias que visitarem o Curtir Ciência. Em simultâneo decorre o Circuito Ciência e Xadrez, promovido pela Academia Nacional de Xadrez, que inclui, além da vertente de competição, ações de formação sobre este jogo.

Inscrições para visitas/participação: 253510830; geral@ccvguimaraes.pt