Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CERVEIRENSES VISITAM CHAVES

Familiaridade e animação marcam Passeio Sénior a Chaves

Mais um ano, e cerca de 800 Cerveirenses de todas as freguesias do concelho aderiram ao Convívio Sénior dinamizado pela Câmara Municipal. A cidade de Chaves foi o destino para um dia recheado de boa disposição e alegria entre os participantes que contou com a presença do executivo municipal e do Presidente da Assembleia Municipal.

Passeio senior 2.jpg

Destinado exclusivamente a pessoas com idade igual ou superior a 60 anos e/ou reformados recenseados no Concelho, o habitual Passeio/Convívio proporcionou uma visita completa a vários pontos de interesse da cidade de Chaves, nomeadamente o Centro Histórico, a bonita Praça Camões, e o forte cariz religioso com diversos templos. A importância do artesanato tem-se mantido ao longo dos séculos, com destaque para trabalhos em barro preto, a cestaria de Vilar de Nantes e as Mantas de Soutelo.

Chegada a hora do almoço, os cerca de 800 Cerveirenses recuperarem energias desfrutando da gastronomia local numa quinta flaviense, seguindo-se uma tarde animada com música e muita conversa. O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, e os Vereadores Vítor Costa e Aurora Viães, assim como o Presidente da Assembleia Municipal, António Machado, comprovaram in loco todo este convívio salutar entre os conterrâneos.

A organização do Passeio/Convívio Sénior de Vila Nova de Cerveira contou, uma vez mais, com o empenho das juntas de freguesia e, na divulgação, com o apoio das paróquias do Arciprestado do Concelho.

PINTOR ORLANDO POMPEU INAUGUROU EM CHAVES EXPOSIÇÃO “METAMORFOSES POMPEUANAS II”

O mestre-pintor fafense Orlando Pompeu inaugurou ontem na Galeria Carneiro Rodrigues, em Chaves, a exposição “Metamorfoses Pompeuanas II”.

Metamorfoses Pompeuanas II” em Chaves

O mestre-pintor Orlando Pompeu, na inauguração da nova exposição em Chaves, acompanhado do galerista Carneiro Rodrigues (esq.), e do historiador Daniel Bastos (dir.), curador do artista plástico no espaço lusófono

 

A inauguração da exposição de um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai, Japão e Canadá, contou com presença de vários amigos, admiradores e colecionadores do pintor de referência nacional e internacional.

Nesta nova exposição, composta por obras cujo registo se carateriza pela espontaneidade e pela linha gestual de caráter expressionista, Orlando Pompeu infunde o seu notável e singular universo artístico marcado pela cor, criatividade e contemporaneidade.

Refira-se que a exposição estará patente ao público até à quadra natalícia, durante o período normal de funcionamento da galeria arte localizada em pleno centro histórico da cidade transmontana.

CARTAZ DO MUNICÍPIO DE PONTE DA BARCA PLAGIADO PELA CASA DA CULTURA DE VIDAGO

Correcção a anterior notícia em que erradamente imputámos a responsabilidade a um dos grupos folclóricos participantes, lapso pelo qual nos penitenciamos

Um cartaz produzido pela Câmara Municipal de Ponte da Barca alusivo à iniciativa “Folclore na Praça” foi recentemente plagiado pela Casa da Cultura de Vidago, no concelho de Chaves, para promoção de um festival que ontem se realizou naquela localidade.

O plágio vai ao ponto de manter intocáveis os trajes e outras referências etnográficas à nossa região e envolve diversos patrocinadores entre os quais se inclui o próprio INATEL.

Reproduzimos seguidamente o cartaz original de Ponte da Barca e o cartaz que constitui o plágio daquele.

19623607_hzJ6u (1) (1).jpeg

20245588_1463774943668485_6717353481597140481_n (1).jpg

“RUSGUS VICENTINUS” VISITA TERMAS ROMANAS DE CHAVAS

A Rusga de São Vicente de Braga - Grupo Etnográfico do Baixo Minho levou a efeito no passado domingo, dia 3, mais uma visita, no âmbito do projeto "O Rusgus Vicentinus visita", desta vez, às termas medicinais romanas da cidade de Chaves.

13537739_1248264308539878_8297489991319433249_n (1).jpg

Esta visita, com o dia dedicado inteiramente à cidade de Chaves, contemplou três momentos. Primeiro, um passeio pelo centro histórico da cidade, depois a visita ao complexo termal medicinal romano, e por fim, um convívio entre os elementos da comitiva junto às margens do rio Tâmega.

Chaves possui as maiores termas medicinais romanas da Península Ibérica.

Sérgio Carneiro, arqueólogo e diretor científico das escavações das termas medicinais romanas de Chaves, foi o responsável pela condução da visita. Iniciou a sua apresentação com uma contextualização daquele complexo termal, face aos demais existentes na Península Ibérica. Segundo aquele investigador, o 'sítio arqueológico' em questão, encontra-se na ultima fase de trabalhos, ou seja, a sua musealização para poder abrir definitivamente as suas portas ao público. Assim, aquele precioso legado, será uma mais valia em termos de promoção turística, já que se localiza no centro da cidade, Praça do Arrabalde, muito próximo da conhecida ponte romana. Com este achado, Chaves fica agora com dois dos mais interessantes monumentos da engenharia da antiguidade romana.

13592608_1248264025206573_4094810901937790560_n.jpg

A dimensão, estrutura e organização do balneário romano medicinal/terapêutico de Aquae Flavie, tornam-se incomparáveis face aos seus congéneres. Quer pela dimensão dos seus 'tanques', piscinas A e B, com uma altura interior a rondar os 10 metros, quer pela diversidade de achados e estado de conservação dos mesmos. Segundo Sérgio Carneiro, nos trabalhos de prospecção arqueológica, iniciados em 2006 até hoje, acharam-se peças de muita qualidade nomeadamente, utensilagem de uso quotidiano em madeira e osso, diversas peças de joalharia, entre outras.

Após a sua apresentação, o arqueólogo Sérgio Carneiro, respondeu a uma série de questões, levantadas por alguns dos elementos que compunham a comitiva rusgueira.

O projeto "O Rusgus Vicentinus visita", é uma iniciativa da Rusga de São Vicente de Braga - Grupo Etnográfico do Baixo Minho, que visa promover a visita a sítios, territórios e respetivas comunidades ou, monumentos de interesse histórico e patrimonial.

13599975_1248265555206420_2382134789503832825_n.jpg

13606705_1248265801873062_5738841116222551357_n (1).jpg

13606705_1248265801873062_5738841116222551357_n.jpg