Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

JOSÉ EUSÉBIO, PEREGRINO A SANTIAGO DE COMPOSTELA, REALIZA NA PÓVOA DE VARZIM UMA CONFERÊNCIA PARA NOS CONTAR A SUA EXPERIÊNCIA… E DAR TESTEMUNHO DA SUA FÉ!

José Eusébio, peregrino a Santiago de Compostela, já percorreu 12 vezes itinerários jacobéus. Em conferência a realizar na Póvoa de Varzim, no próximo dia 25 de Janeiro, vai dar testemunho da sua experiência… e da sua Fé!

José eusebio 01.jpeg

Conferência dia 25 em Póvoa do Varzim

“Caminho pela geira é incomparável e constitui uma viagem no tempo”

O Grupo dos Amigos do Caminho de Santiago da Póvoa de Varzim promove na sexta-feira, da 25 de Janeiro, uma conferência intitulada “As Minhas Histórias do Caminho”, com a participação do peregrino José Eusébio, que percorreu uma dúzia de vezes diferentes itinerários jacobeus, o último dos quais o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros.

Na perspetiva de José Eusébio, de 31 anos, este caminho, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, “é incomparável”, com “paisagens de cortar a respiração e uma tranquilidade inexplicável. Uma viagem no tempo, muito graças ao seu legado romano”.

O peregrino, que já percorreu sete itinerários jacobeus, adianta que “as gentes desta rota demonstram espírito hospitaleiro e estão empenhadas no seu desenvolvimento.  Este caminho é sinónimo de aventura, paz e felicidade”.

Quanto à vontade de associações, como as do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro e de Codeseda Viva, de oficializar este caminho até ao Ano Santo Jacobeu de 2021, José Eusébio, natural de Póvoa do Varzim e residente em Barcelos, afirma que é “claramente possível” concretizar o objetivo.

“Nesta fase é necessário marcar o caminho, com as famosas setas amarelas e criar as infraestruturas de apoio aos peregrinos, como albergues. Colmatando estas lacunas, o crescimento do número de peregrinos será exponencial”, refere o conferencista, que é instrutor de fitness  e professor de natação.

A conferência decorre no Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim, a partir das 21h30. A participação é gratuita, mas a inscrição obrigatória, podendo ser feita na página de Facebook do Grupo dos Amigos do Caminho de Santiago da Póvoa de Varzim.

Após a apresentação de José Eusébio, segue-se uma conversa com a assistência e a ideia da organização  - que guarda “uma surpresa para o final”, aconselhando os participantes “a não comerem muito à sobremesa” - é que todos “levem muitas dúvidas” sobre o caminho de Santiago pelo Gerês.

O orador já percorreu os caminhos Central Português, Português da Costa e Variante Espiritual, Português do Interior (bicicleta), Finisterra/Muxia, Primitivo, Inglês e da Geira Romana e dos Arrieiros (concluído a 31 de dezembro de 2018).

Jose eusebio 02.jpeg

josé eusébio 03.jpeg

José eusebio 04.jpeg

NÚMERO DE PEREGRINOS REGISTADOS NOS POSTOS DE TURISMO CRESCEU 21,3% FACE A 2017

Aumento da procura turística do concelho consolidada em todas as vertentes

O número de peregrinos registados nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora durante o ano que findou cresceu 21,3% face a 2017. Estes valores vêm confirmar a tendência que já se verificava no final do primeiro semestre, traduzindo a procura crescente e consolidada do concelho também por este tipo de turismo.Este registo junta-se aos valores do INE, divulgados na semana passada, que apontavam para um recorde absoluto de hóspedes e dormidas no concelho de Caminha no ano de 2017.

Peregrino.jpg

Ainda em relação aos peregrinos, refira-se que o número dos que pernoitaram no Albergue de Caminha (gerido pela Associação dos Amigos do Caminho de Santiago de Viana do Castelo) cresceu 30,5% relativamente a 2017.

Em termos de nacionalidades, a Alemanha é opaís que mais peregrinos coloca no nosso concelho.Nos nossos Postos de Turismo,a procura por parte dos alemães cresceu 44% relativamente ao ano anterior, assumindo a liderança da tabela de nacionalidades, seguidos da Espanha, Portugal, Itália e Reino Unido.

O aumento do movimento de peregrinos representa um fenómeno consolidado e que vem subindo de ano para ano.  Por exemplo, em 2018, no Albergue, dormiram o triplo de peregrinos relativamente a 2015. Mais: nos últimos cinco anos, o número de pessoas que pernoitaram no Albergue cresceu 656%.

Para o presidente da Câmara, “depois dos números do INE divulgados na semana passada, que apontavam para um recorde absoluto de hóspedes e dormidas no concelho de Caminha no ano de 2017, os números dos peregrinos de Santiago vêm confirmar a aposta certeira do Município na indústria do Turismo e na valorização do território”.

Miguel Alves recorda que “o número de turistas em Caminha cresce a um ritmo superior ao país e á região e os Caminhos de Santiago são um forte veículo de atração”. Existe de facto uma estratégia consolidada, para a qual contribui “o investimento que a Câmara fez na melhoria das condições do Caminho, da sinalética e da sua divulgação, a aposta que muitos hotéis e restaurantes têm feito na promoção de produtos dirigidos aos peregrinos e a tomada de consciência global sobre a beleza e segurança do Caminho Português da Costa vem resultando neste forte crescimento. Creio que estamos todos de parabéns: autarcas, empresas, instituições e população”, conclui o autarca.

VALENÇA ESTÁ NA ROTA DOS PEREGRINOS A SANTIAGO DE COMPOSTELA

Mais 130% de Peregrinos em Valença. 81 Mil Peregrinos Cruzaram a Fronteira Valença Tui

A Eurocidade Tui é, cada vez mais, o epicentro das grandes rotas dos Caminhos de Santiago. Em 2018 foram 81652 os peregrinos que passaram ou começaram a sua peregrinação na Eurocidade. Em 2014 eram 35 494 mil, um aumento exponencial de 130% de peregrinos oriundos de todos os cantos do mundo.

unnamed.jpg

Eurocidade Tui Valença a Grande Referência das Peregrinações

A aposta na dinamização e promoção do Caminho Português para Santiago, interior e da costa, está a dar, cada vez mais, os seus frutos.,Os últimos dados, fornecidos pela Oficina do Peregrino da Xunta de Galicia, apontam a Eurocidade Valença Tui, cada vez mais, como esse grande referente para quem quer começar e ou passar na sua peregrinação em direção a Santiago de Compostela. Estes valores são o reflexo, também, dos investimentos promocionais realizados em Portugal e no estrangeiro pela Câmara de Valença em parceria com Tui e a sociedade Xacobeo.

Caminho Português do Interior Mantém a Liderança

Em 2014 foram 34715 peregrinos que fizeram o Caminho Português do Interior, 14,59% do total dos que chegaram a Santiago de Compostela. Em 2018 foram já 67816 a fazer este percurso representando 20,72% do total que receberam a bula compostelana em Santiago de Compostela.

Caminho da Costa Cresce em Número de Peregrinos

O Caminho Português da Costa atrai, cada vez, mais peregrinos até Valença, em 2014 eram apenas 779, ou seja 0,334 do total de peregrinos que chegaram a Santiago e em 2018 foram já 13836, ou seja 4,23%.

Nos dois traçados que atravessam o concelho, a Câmara Municipal e as juntas de freguesia, tem investido na melhoria dos traçados, sinalização e criação de espaços de descanso e apoio aos peregrinos.

Mais Albergues e Unidades de Alojamento em Valença

O primeiro albergue oficial a surgir em Portugal foi o de São Teotónio. Hoje, esta estrutura, gerida pela Câmara Municipal, complementa-se com uma ampla oferta de albergues privados e demais unidades hoteleiras do concelho que já vai nas 47 unidades. A oferta crescerá, em breve, com novas unidades, em fase de obra / licenciamento, em implantação ao longo do caminho da costa e interior.

Mais Oferta de Restauração

O Menu do Peregrino, conquista os peregrinos com pratos especiais a preços mais económicos. Das 84 unidades de restauração do concelho são cada vez mais as aderentes a este menu, sobretudo as que ficam na confluência destes percursos.

Valença Marca os Peregrinos

Valença proporciona uma experiência única aos peregrinos: a meio da ponte internacional, em pleno Caminho, é possível estar com um pé em Portugal e outro em Espanha, sobre o rio Minho, com a Catedral de Tui em frente a a Fortaleza de Valença atrás.

HISTORIADOR JOEL CLETO REVELA HISTÓRIAS DO CAMINHO DE BRAGA A SANTIAGO DE COMPOSTELA

Póvoa do Varzim/Joel Cleto: Conferência revela histórias do caminho de Braga a Santiago

O Grupo dos Amigos do Caminho de Santiago da Póvoa de Varzim organiza esta sexta-feira, 14, a conferência “O Caminho de Santiago pelo Gerês – A Geira Romana”, proferida pelo historiador e arqueólogo Joel Cleto.

caminho santiago joel cleto 00

Segundo a organização, as inscrições gratuitas para o evento, marcado para as 21h30, no Centro de Congressos do Hotel Axis Vermar, em Póvoa do Varzim, com capacidade para 550 pessoas, “decorrem de forma incrível e a disponibilidade da sala é já pouca”.

“Todos juntos faremos o caminho pelo Gerês, local que provavelmente todos adoram. É o Caminho Primitivo Português em destaque”, adianta a organização, informando que antes da conferência há um momento musical pelo Coral Ensaio, da Escola de Música da Póvoa de Varzim, dirigido pelo maestro e professor José Abel Carriço. O grupo interpreta música do século XVI “escolhida de forma especial para o evento”.

“O enorme interesse suscitado por um número tão elevado” de peregrinos e outros interessados na conferência, que conta com o apoio do museu municipal e do Município de Póvoa do Varzim, obrigou à alteração do local inicialmente previsto para a sua realização.

caminho santiago joel cleto 01

Na mesmo dia, duas horas antes da conferência, pelas 19h30, realiza-se um “Encontro de Peregrinos, Amigos e Colaboradores do Caminho pela Geira”, com o objetivo de trocar ideias sobre este itinerário jacobeu, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, apresentado em Braga em abril de 2017.

Este traçado, conhecido por Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros ou Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro, foi percorrido por mais de 300 peregrinos em dois anos e as associações envolvidas no seu estudo, nomeadamente a Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro e a Associação Codeseda Viva, pretendem que seja oficializado antes do Ano Santo Jacobeu de 2021.

Nesta altura estão em curso os levantamentos históricos, patrimoniais e culturais sobre o itinerário – que prevê dois traçados essenciais a partir de A Estrada, por Pontevea e Ramalhosa ou por Sarandon e Vedra -, bem como trabalhos de limpeza e marcação. Está igualmente em curso a preparação de infraestruturas de alojamento.

caminho santiago joel cleto 02

HISTORIADOR JOEL CLETO VAI A PÓVOA DE VARZIM FALAR DO CAMINHO DE SANTIAGO PELO GERÊS

Póvoa do Varzim/Joel Cleto: Conferência revela histórias do caminho de Braga a Santiago

O Grupo dos Amigos do Caminho de Santiago da Póvoa de Varzim organiza esta sexta-feira, 14, a conferência “O Caminho de Santiago pelo Gerês – A Geira Romana”, proferida pelo historiador e arqueólogo Joel Cleto.

caminho santiago joel cleto 00

Segundo a organização, as inscrições gratuitas para o evento, marcado para as 21h30, no Centro de Congressos do Hotel Axis Vermar, em Póvoa do Varzim, com capacidade para 550 pessoas, “decorrem de forma incrível e a disponibilidade da sala é já pouca”.

caminho santiago joel cleto 01

“Todos juntos faremos o caminho pelo Gerês, local que provavelmente todos adoram. É o Caminho Primitivo Português em destaque”, adianta a organização, informando que antes da conferência há um momento musical pelo Coral Ensaio, da Escola de Música da Póvoa de Varzim, dirigido pelo maestro e professor José Abel Carriço. O grupo interpreta música do século XVI “escolhida de forma especial para o evento”.

“O enorme interesse suscitado por um número tão elevado” de peregrinos e outros interessados na conferência, que conta com o apoio do museu municipal e do Município de Póvoa do Varzim, obrigou à alteração do local inicialmente previsto para a sua realização.

Na mesmo dia, duas horas antes da conferência, pelas 19h30, realiza-se um “Encontro de Peregrinos, Amigos e Colaboradores do Caminho pela Geira”, com o objetivo de trocar ideias sobre este itinerário jacobeu, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, apresentado em Braga em abril de 2017.

Este traçado, conhecido por Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros ou Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro, foi percorrido por mais de 300 peregrinos em dois anos e as associações envolvidas no seu estudo, nomeadamente a Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro e a Associação Codeseda Viva, pretendem que seja oficializado antes do Ano Santo Jacobeu de 2021.

Nesta altura estão em curso os levantamentos históricos, patrimoniais e culturais sobre o itinerário – que prevê dois traçados essenciais a partir de A Estrada, por Pontevea e Ramalhosa ou por Sarandon e Vedra -, bem como trabalhos de limpeza e marcação. Está igualmente em curso a preparação de infraestruturas de alojamento.

caminho santiago joel cleto 02

CAMINHO DE BRAGA A SANTIAGO "PRECISA DE ASSOCIAÇÕES UNIDAS"

A Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro (ACJMR), que liga Braga a Santiago de Compostela, comunicou esta quarta-feira, 28, ao presidente da Academia Jacobeia a necessidade de reunir num projeto comum todas as associações envolvidas na promoção deste novo itinerário de peregrinação.

Caminho Braga a Santiago (2)

No final do encontro, entre o presidente da ACJMR, Abdón Fernandez, e o presidente da Academia Jacobeia, Xesus Palmou, foi divulgado um comunicado, segundo o qual esta entidade mostrou disponibilidade para promover uma reunião entre a ACJMR e as associações Codeseda Viva e dos municípios do Caminho Minhoto Ribeiro.

Além de Abdón Fernandez, participaram também na reunião, em Pontevedra, A Estrada, o presidente da Associação Espaços jacobeus, António Devesa, e o secretário da ACJMR, Dario Rodriguez. 

Os responsáveis da ACJM explicaram, durante a hora em que decorreu o ”encontro cordial”, o “trabalho realizado pela associação do Ribeiro durante mais de uma década (2006, ano da fundação) com o objetivo de conseguir que este itinerário seja considerado um caminho oficial a Santiago de Compostela”.

Segundo o comunicado, “a reunião incidiu prioritariamente na necessidade de estabelecer critérios unificadores sobre os diversos aspetos do projeto, em comum com as outras associações que trabalham” no estudo e promoção do Caminho Minhoto Ribeiro (também conhecido como Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros).

O presidente da Academia Jacobeia, adianta o documento, “ofereceu-se para promover uma reunião entre todas as associações, no sentido de desenvolver um projeto comum e impulsionar o efetivo reconhecimento do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro”.

O encontro foi ainda importante para “reforçar a colaboração existente” entre a ACJMR e a Associação Espaços Jacobeus,  e para pôr em evidência que este itinerário, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, “é um trajeto integral” e como tal deve ser apresentado às entidades competentes para o oficializar.

Caminho Braga a Santiago (01)

MUNICÍPIO DE CAMINHA VAI ASSINALAR O DIA NACIONAL DO PEREGRINO EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Momento musical decorre sábado, pelas 14H30, junto ao Forte da Lagarteira

No dia 13 de outubro comemora-se o Dia Nacional do Peregrino. O Município de Caminha vai assinalar a efeméride com um momento musical a cargo da Academia de Música Fernandes Fão, em Vila Praia de Âncora, junto ao Forte da Lagarteira, pelas 14H30.

As comemorações do Dia Nacional do Peregrino inserem-se no projeto de valorização do Caminho de Santiago - Caminho Português da Costa. Trata-se de uma ação conjunta com os restantes municípios que compõem o traçado, isto é, municípios do Porto, Maia, Matosinhos, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença.

Recorde-se que, o movimento de peregrinos registados nos Postos de Turismos de Caminha e Vila Praia de Âncora, no primeiro semestre deste ano, cresceu 39% face ao mesmo período de 2017.

AGOSTINHO LEAL APRESENTA EM BARCELOS LIVRO ACERCA DOS CAMINHOS DE SANTIAGO

"O Caminho sob o Silêncio das Estrelas", de Agostinho Leal

No próximo dia 12 de outubro de 2018, sexta-feira, pelas 21h30, no Auditório do Posto de Turismo de Barcelos (Largo Dr. José Novais) a Associação ACB - Albergue Cidade de Barcelos promove a apresentação do livro "O Caminho sob o Silêncio das Estrelas", de Agostinho Leal. Paralelamente à apresentação do livro, será exposta, também, uma coleção de bastões alusivos aos vários itinerários do Caminho de Santiago. 

"Agostinho Leal nasceu em Penafiel, mas cresceu em Vila das Aves, terra que abraçou e sempre quis que fosse a sua. Trabalhou na antiga fábrica de Poldrães tendo passado pela JOC e pelo CNE até se entregar à vida militar como Sargento Pára-quedista, mudando a sua residência para Ovar. Em 2011 meteu os pés nos caminhos de Santiago onde descobriu o palco perfeito para o encontro consigo próprio e com os outros peregrinos. Depois de percorrer cerca de quatro mil quilómetros por vários caminhos, chegou a hora de partilhar vivências."  

A apresentação do livro tem o apoio do autor e do Município de Barcelos.  

Evento no Facebook disponível em:

https://www.facebook.com/events/171689530294216/

Entrada livre (não carece de inscrição).

12OUT2018_OCaminhoSoboSilênciodasEstrelas

PEREGRINOS DOS PAÍSES DO LESTE EUROPEU DESCOBREM CAMINHO DE BRAGA A SANTIAGO DE COMPOSTELA

Primeiras peregrinas de leste já concluíram caminho Braga-Santiago

As duas primeiras peregrinas oriundas do leste da Europa a completarem a pé o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, chegaram esta semana à capital da Galiza com dois dias de diferença.

Mgdalena goras

A peregrina Magdalena Goras –  também a primeira mulher a cumprir sozinha este itinerário jacobeu -, da Polónia (Cracóvia), afirma que “gostou do espírito puro deste caminho de Santiago, uma rota solitária, mas em que a população gosta de ajudar”. “Muitas vezes fiquei impressionada com a hospitalidade dos habitantes das aldeias por onde passa o caminho”, destaca.

“As pessoas sabiam que eu era peregrina e senti-me tratada de maneira excecional. Foi uma experiência única. Estou grata por estes encontros, conversas, generosidade e ajuda”, explica a peregrina, de 44 anos, historiadora de arte e arquiteta, que se dedica ao património.

Magdalena Goras, que terminou o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (ou Minhoto Ribeiro) na terça-feira, 25, considera “impressionante percorrer a natureza, às vezes desértica, encontrar aldeias desabitadas na floresta, com o encanto dos momentos misteriosos, ao encontro dos traços do caminho histórico no património e na memória das pessoas”.

Para Lana Mars, de 29 anos, que vive na Ucrânia (Kiev), “o principal durante o caminho foram os desafios pessoais”, que lhe permitiram conhecer-se melhor, as “aldeias quase abandonadas, o património histórico e os habitantes da região”.

“Podemos escolher muitos caminhos. Mas o meu principal sonho é que o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros seja oficializado o mais rapidamente possível. Tem muito edifícios históricos que eu gostava que estivessem abertos”, adianta a peregrina, que chegou a Santiago de Compostela na quinta-feira, 27.

“Mas por outro lado – salienta - não quero que se torne muito turístico, porque para mim o espírito do caminho inclui não ser muito comercial. Eu penso que este caminho vai escolher os seus próprios peregrinos porque é muito difícil. Não é para toda a gente”.

Estas duas peregrinas do leste da Europa palmilharam o traçado de 240 quilómetros apresentado em abril de 2017, em Braga, pela Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro (AJCMR), percorrido até agora por 300 pessoas, estimando-se que o número cresça bastante ainda no corrente ano.

O projeto que pretende reabilitar este itinerário histórico ganhou também a adesão da Associação Codeseda Viva que, como a AJCMR, pretende o reconhecimento do Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (ou Minhoto Ribeiro) e a sua consequente homologação até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

lana mars 2

Lana mars

CAMINHO DE BRAGA A SANTIAGO DE COMPOSTELA RECEBE PEREGRINOS DO LESTE DA EUROPA

Primeiras peregrinas de Leste fazem caminho Braga-Santiago

O novo caminho jacobeu que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, está a ser percorrido a pé, pela primeira vez, por duas peregrinas oriundas de países do Leste da Europa.

Lana Mars, de 29 anos, que vive em Kiev com namorado e dono do hotel de braga

Uma das peregrinas é Lana Mars, de 29 anos, que vive em Kiev, na Ucrânia, e começou o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (ou Minhoto Ribeiro) em Braga na segunda-feira, 17, e pretende chegar à capital da Galiza em 10 dias.

A outra peregrina, que deseja reservar a sua identidade, é de Cracóvia, na Polónia, e iniciou o trajeto em Campo do Gerês no dia 11 deste mês. Como tem necessidades especiais, faz etapas pequenas, com o auxílio de um carrinho adaptado para transportar a mochila.

Um dos objetivos de Lana Mars, especialista em marketing digital e empreendedora, é continuar a escrever o livro que começou aquando dos seu primeiro caminho, no inverno do ano passado, altura em que percorreu, em 50 dias, a distância de 860 quilómetros entre Lisboa e Finisterra.

Lana Mars, de 29 anos, que vive em Kiev (2)

“Quero concentrar-me no meu livro. Quero escrever diariamente para guardar todos os aspetos do caminho. O meu sonho é publicar o livro também em português”, refere a peregrina da Ucrânia, que decidiu fazer o traçado da Geira Romana e dos Arrieiros depois do “proprietário da pousada” onde dormiu, em Braga, lho ter descrito como “surpreendente e misterioso”. Esta terça-feira, 18, chegou à freguesia de Caldelas.

Por seu lado, a peregrina polaca, historiadora de arte e arquiteta, que se dedica ao património, chegou esta terça-feira, 18, a Feas, na região de Ourense. Já fez quatro itinerários de Santiago desde 2007 e sentiu-se atraída pelo Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros porque não “tem o ambiente de competição” de outros percursos jacobeus e “é muito rico em beleza natural e patrimonial”.

Lana Mars, de 29 anos, que vive em Kiev (01)

“Como sou historiadora, encanta-me o património rural, interessam-me os problemas das povoações (às vezes despovoadas) e os monumentos em geral. O património vivo interessa-me muito, bem como, por exemplo, as tradições orais e lendas”, afirma a peregrina, destacando que, “claro”, também lhe “interessa a reanimação” deste caminho entre Braga e Santiago de Compostela.

Estas peregrinas estão a palmilhar o traçado apresentado em abril de 2017, em Braga, pela Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro (AJCMR), percorrido em 2017 por cem pessoas, estimando-se que o número cresça no corrente ano.

O projeto que pretende reabilitar este itinerário histórico ganhou também a adesão da Associação Codeseda Viva que, como a AJCMR, pretende o reconhecimento do Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (ou Minhoto Ribeiro) e a sua consequente homologação até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

Caminho da Geira Romana e Arrieiros (2)

Caminho da Geira Romana e Arrieiros

NEUROCIENTISTA BRASILEIRA TESTA CAMINHO BRAGA-SANTIAGO

Uma neurocientista brasileira, que percorreu em bicicleta, no final de agosto, diversos troços do Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, promete voltar para fazer o traçado completo a pé.

A neurocientista brasileira Cláudia Feitosa-Santana, de 48 anos (1)

No regresso do Caminho Central Português de Santiago, Cláudia Feitosa-Santana, de 48 anos, decidiu fazer parte do novo traçado que liga as capitais do Minho e da Galiza, na distância de 240 quilómetros. “É um caminho maravilhoso, muito mais do que o português por Valença e Tui”, destaca.

Por isso, a peregrina, que vive em São Paulo, quer fazer o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros “na integra a pé, porque tem partes impossíveis de fazer de bicicleta”. Aliás, esta circunstância obrigou-a a seguir muitas vezes “por estradinhas alternativas”.

Entre 16 e 26 de agosto, Cláudia Feitosa-Santana - também licenciada em arquitetura, urbanismo e engenharia civil, e pós-doutorada em neurociência e comportamento – passou por localidades do traçado a propor para homologação como Codeseda, Soutelo de Montes, Pazos de Arenteiro, Cortegada, Castro Laboreiro, Portela do Homem e Braga.

Entre Pazos de Arenteiro e Cortegada “foi impossível seguir o traçado do caminho, por que tem muitas subidas. É muito difícil de fazer de bicicleta” e até Castro Laboreiro - “o dia mais difícil de todos” - fez um “misto de estrada e caminho”.

Cláudia Feitosa-Santana percorreu o caminho de Santiago pela primeira vez, a pé, em 2000 e regressou agora, mas de bicicleta. “Entre fazer a pé e de bicicleta foram 18 anos. É muito tempo e não consigo comparar. São muito diferentes”, diz a peregrina, que tem “uma relação especial com Santiago e com os caminhos”.

O Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (também conhecido como Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro) foi percorrido em 2017 por cem pessoas, estimando-se que o número cresça no corrente ano.

A Associação Codeseda Viva e a Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro coordenam a investigação histórica e patrimonial do traçado e sobre outros recursos necessários à validação deste caminho, um trabalho iniciado em 2009 que pretendem ver reconhecido com a sua homologação até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

A neurocientista brasileira Cláudia Feitosa-Santana, de 48 anos (2)

A neurocientista brasileira Cláudia Feitosa-Santana, de 48 anos (3)

A neurocientista brasileira Cláudia Feitosa-Santana, de 48 anos (3a)

A neurocientista brasileira Cláudia Feitosa-Santana, de 48 anos (4)

A neurocientista brasileira Cláudia Feitosa-Santana, de 48 anos (5)

FAMÍLIA PORTUGUESA QUE PARTIU DE BRAGA JÁ CHEGOU A SANTIAGO DE COMPOSTELA

Família da Batalha que partiu a pé de Braga já chegou a Santiago

Uma família portuguesa, residente na Batalha, concluiu na manhã deste sábado, 25, o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 km. É a primeira família a cumprir a pé este novo traçado, apresentado em abril de 2017 em Braga.

Jorge novo e familia m santiago

“Quando o fim é o princípio”, considerou Jorge Novo, ao chegar à Praça do Obradoiro, acompanhado pela mulher, Lurdes Nunes, e pelo filho, António Novo, de apenas 13 anos, aludindo ao sentimento de muitos peregrinos quando concluem a jornada.

A Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro investiga este itinerário desde 2009 e apresentou-o em Ribadavia e Braga no ano passado. O seu estudo e divulgação está também a ser desenvolvido pela Associação Codeseda Viva.

O objetivo das associações é que seja homologado até ao Ano Santo Jacobeu de 2021, tornando-se assim o 11º caminho oficial de peregrinação à capital da Galiza.

O professor Jorge Novo, de 53 anos, afirmou na segunda-feira, após a quinta etapa, à chegada a Cortegada, que “de todos os caminhos que fez este é sem dúvida o que se destaca nas paisagens naturais, pela sua beleza e estado natural”.

Para Jorge Novo, também presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Batalha, que caminha na companhia da mulher, a empresária Lurdes Nunes, de 49 anos; e do filho, António Novo, de 13 anos, estudante; “é também um mergulhar na história ao passar na geira romana, recebendo a partilha histórica dos antepassados”.

“O caminho não é fácil para quem não estiver preparado, dado que não existem muitos pontos de abastecimento/paragem. Este caminho ainda não tendo albergues, também não tem os chamados turigrinos. É realmente o melhor caminho”, destacou o peregrino.

O jovem António Novo reconhece as dificuldades e as virtudes do trajeto: ”Apesar de já ter feito cinco caminhos, começando aos nove anos, este é o percurso mais difícil, mas é também o mais rico em história e paisagens naturais.”

Para Lurdes Nunes, as “paisagens espetaculares, principalmente o troço da geira romana, a mata da Albergaria, a paisagem lunar até Castro Laboreiro” merecem destaque.

“É um caminho duro e desafiante, por não estar marcado, o que obriga a andar com o GPS na mão. Não há locais onde se possa reabastecer, beber um café ou comprar algo, o que obriga a um esforço extra para transportar alimentação e água”, constata a peregrina.

“Em todo o caminho, o som da água a correr acompanha-nos, bem como muitas borboletas, insetos, aves. Isto é até ao momento, pois nunca se sabe o que o caminho nos reserva amanhã”, adianta a empresária, na expetativa em relação às etapas que hão de vir até a família chegar à Praça do Obradoiro, em Santiago de Compostela.

O Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (também conhecido como Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro) foi percorrido em 2017 por cem pessoas, estimando-se que o número cresça no corrente ano.

A Associação Codeseda Viva e a Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro coordenam a investigação histórica e patrimonial do traçado e sobre outros recursos necessários à validação deste caminho, um trabalho iniciado em 2009 que pretendem ver reconhecido com a sua homologação até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

Jorge novo e familia m santiago1

Jorge novo e familia m santiago2

Jorge novo e familia m santiago3

Jorge novo e familia m santiago4

Jorge novo e familia m santiago6

Jorge novo e familia m santiago7

Jorge novo e familia m santiago8

FAMÍLIA DA BATALHA É A PRIMEIRA A FAZER O CAMINHO BRAGA-SANTIAGO

Uma família portuguesa, residente na Batalha, é a primeira a percorrer o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros. O filho, de 13 anos, é o mais jovem peregrino a fazer o percurso até hoje.

Jorge Novo António Novo Lurdes Nunes

O professor Jorge Novo, de 53 anos, afirmou na segunda-feira, após a quinta etapa, à chegada a Cortegada, que “de todos os caminhos que fez este é sem dúvida o que se destaca nas paisagens naturais, pela sua beleza e estado natural”.

Para Jorge Novo, também presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Batalha, que caminha na companhia da mulher, a empresária Lurdes Nunes, de 49 anos; e do filho, António Novo, de 13 anos, estudante; “é também um mergulhar na história ao passar na geira romana, recebendo a partilha histórica dos antepassados”.

“O caminho não é fácil para quem não estiver preparado, dado que não existem muitos pontos de abastecimento/paragem. Este caminho ainda não tendo albergues, também não tem os chamados turigrinos. É realmente o melhor caminho”, destacou o peregrino.

Jorge Novo Antonio Novo

O jovem António Novo reconhece as dificuldades e as virtudes do trajeto: ”Apesar de já ter feito cinco caminhos, começando aos nove anos, este é o percurso mais difícil, mas é também o mais rico em história e paisagens naturais.”

Para Lurdes Nunes, as “paisagens espetaculares, principalmente o troço da geira romana, a mata da Albergaria, a paisagem lunar até Castro Laboreiro” merecem destaque.

“É um caminho duro e desafiante, por não estar marcado, o que obriga a andar com o GPS na mão. Não há locais onde se possa reabastecer, beber um café ou comprar algo, o que obriga a um esforço extra para transportar alimentação e água”, constata a peregrina.

“Em todo o caminho, o som da água a correr acompanha-nos, bem como muitas borboletas, insetos, aves. Isto é até ao momento, pois nunca se sabe o que o caminho nos reserva amanhã”, adianta a empresária, na expetativa em relação às etapas que hão de vir até a família chegar à Praça do Obradoiro, em Santiago de Compostela.

O Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (também conhecido como Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro) foi percorrido em 2017 por cem pessoas, estimando-se que o número cresça no corrente ano.

A Associação Codeseda Viva e a Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro coordenam a investigação histórica e patrimonial do traçado e sobre outros recursos necessários à validação deste caminho, um trabalho iniciado em 2009 que pretendem ver reconhecido com a sua homologação até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

Caminho Geira Romana e Arrieiros (1)

Caminho Geira Romana e Arrieiros (2)

Caminho Geira Romana e Arrieiros (3)

Caminho Geira Romana e Arrieiros (4)

Caminho Geira Romana e Arrieiros (5)

Caminho Geira Romana e Arrieiros (6)

Caminho Geira Romana e Arrieiros (7)

Jorge Novo António Novo Lurdes Nunes (1)

VALENÇA ESTÁ NA ROTA DOS PEREGRINOS A SANTIAGO DE COMPOSTELA

Valença com Mais 35% de Peregrinos para Santiago. Previsão de 60 Mil em Valença em 2018

Valença prevê atingir os 60 mil peregrinos, até ao final do ano, marcando um incremento de 35% face a 2017. O crescente número de peregrinos nota-se todos os dias no Caminho Português para Santiago, central e da costa.

unnamed

Os dados, cedidos pela Oficina do Peregrino da Xunta de Galicia, apontam para que até ao final do ano Valença supere os 60 mil peregrinos em Valença, entre os que passam e começam aqui. Em 2016 foram 33.380 e em 2017 42.000 a percorrer os troços deste caminho em Valença.

Caminho Português Central mantém a liderança

Em julho saíram e ou passaram em Valença 5436, destes 4394 fizeram o Caminho Central e 1042 o Caminho da Costa.

Mais Albergues em Valença

O primeiro albergue oficial a surgir em Portugal foi o de São Teotónio. Hoje, esta estrutura, gerida pela Câmara Municipal, complementa-se com a oferta de três albergues privados em Cerdal e Fontoura e pelas demais 40 unidades hoteleiras do concelho.

Mais Oferta de Restauração

O Menu do Peregrino conquista os peregrinos com pratos especiais para os peregrinos a preços mais económicos. Das 84 unidades de restauração do concelho são cada vez mais as aderentes a este menu, sobretudo as que ficam na confluência destes percursos.

Valença Marco dos Caminhos de Santiago

Valença é um dos pontos do mundo por onde passam e ou começam os peregrinos para Santiago de Compostela. Valença proporciona uma experiência única aos peregrinos: a meio da ponte internacional, em pleno Caminho, é possível estar com um pé em Portugal e outro em Espanha, sobre o rio Minho, com a Catedral de Tui em frente a a Fortaleza de Valença atrás.

CERVEIRA PROMOVE CAMINHADA A SANTIAGO DE COMPOSTELA

Autarquia promove 2º edição do Caminho de Santigo de Compostela, a pé e por etapas

Devido à grande adesão na 1ª edição do Caminho de Santiago por etapas, o Município de Vila Nova de Cerveira, em parceria com o Clube de Celtas do Minho, decidiu apresentar uma 2ª edição a decorrer entre agosto e fevereiro. Limitadas a 50 participantes, inscrições já estão abertas.

Integrada na atividade ‘Cerveira Saudável’ 2018, a experiência lançada em março foi muito bem acolhida pelos ‘caminhantes’ inscritos. As vagas disponibilizadas foram de imediato preenchidas, havendo pessoas interessadas em percorrer o Caminho Português da Costa, entre Vila Nova de Cerveira e Santiago.

Desta forma, Município e Clube Celtas do Minho avançam com nova realização das seis etapas propostas, sempre no último domingo de cada mês, entre os meses de agosto de 2018 e fevereiro de 2019 (com exceção de dezembro).

No total são 144 quilómetros divididos da seguinte forma:

  • 1ª etapa: dia 26 de agosto, Cerveira – Tuy (25 km)
  • 2ª etapa: dia 30 de setembro, Tuy – Redondela (29 km)
  • 3ª etapa: dia 28 de outubro, Redondela – Pontevedra (24 km)
  • 4ª etapa: dia 25 de novembro, Pontevedra – Caldas de Rei (23 km)
  • 5ª etapa: dia 27 de janeiro, Caldas de Rei – Padrón (19 km)
  • 6ª etapa: dia 24 de fevereiro, Padrón – Santiago (24 km)

As inscrições são obrigatórias e têm o custo de 6 euros por etapa, sendo limitadas a 50 participantes por cada percurso.

A primeira etapa tem ponto de encontro na Junta de Freguesia de Gondarém, às 7h30, enquanto que as restantes partidas passam a ser junto ao Centro Coordenador de Transportes de Cerveira, onde o autocarro fará a ligação à última etapa percorrida, havendo regresso assegurado para o final da tarde.

Para obter mais informações devem contactar pelo telefone 251 708 071 ou via correio eletrónico para: saude@cm-vncerveira.pt e/ou celtasdominho@gmail.com

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfo7NqL5fk_GH2WmBZ1v4pTcqsd9-d4MSnhvm0YqVa733sksQ/viewform

Flyer - 2.ª edição do Caminho de Santiago

TERREIRO – TEATRO COMUNITÁRIO NO CAMINHO PORTUGUÊS DE SANTIAGO

TERREIRO - teatro comunitário

4 de agosto | 22h00

De dois em dois anos, na primeira semana de agosto, a aldeia de Balugães e a companhia de teatro local, o Teatro de Balugas, levam ao adro da Igreja Românica de São Martinho de Balugães (Barcelos) um espetáculo de teatro comunitário e de forte identidade local, assente numa cultura de valorização do espaço e na materialização artística da memória coletiva da aldeia.

Inserido nas Jornadas Culturais de Balugães, o TERREIRO apresenta nesta edição a comédia “Abaixo o Aeroporto em São Martinho de Balugães”, uma produção do Teatro de Balugas, com a participação da Ronda Típica da Ponte das Tábuas e da aldeia de Balugães.

TERREIRO - teatro comunitário em São Martinho de Balugães_2018

BARCELOS É CIDADE HOSPITALEIRA

No próximo dia 13 de julho de 2018 (sexta-feira), pelas 21h30, a Associação ACB - Albergue Cidade de Barcelos, integrado nas comemorações do seu 7º Aniversário, promove a 3ª Edição do "Barcelos Hospitaleiro" no Salão Nobre dos Paços do Concelho (Barcelos).

13JUL2018_BarcelosHospitaleiro

"Barcelos Hospitaleiro" contará com a presença de Celestino LoresPresidente da Associação de Amigas e Amigos do Caminho Português de Santiago, de Pontevedra, com uma apresentação sob o tema: "Caminho Português de Santiago: 25 anos de Hospitalidade". Após a apresentação, realizar-se-á uma partilha de experiências entre os Albergues de Peregrinos do Caminho Português de Santiago presentes. 

Evento disponível no Facebook em:

https://facebook.com/events/356016781575888/

Evento disponível na Agenda Barcelos em:

http://agenda.barcelos.pt/eventos/barcelos-hospitaleiro-1

Entrada livre (não carece de inscrição).

Esperamos que tenham um Bom Caminho!

Associação ACB - Albergue Cidade de Barcelos

CERVEIRA REQUALIFICA ZONA DE DESCANSO PARA PEREGRINOS

Renovada zona de descanso em Gondarém para apoio a peregrinos de Santiago

Integrada no projeto de “Valorização do Caminho de Santiago – Caminho Português da Costa”, o Município de Vila Nova de Cerveira acaba de concretizar uma pequena, mas importante intervenção no Largo de Gouvim, em Gondarém. O objetivo foi dotar aquele espaço de maior conforto, tornando-se numa área aprazível de descanso para os peregrinos de Santiago de Compostela e para usufruto da população em geral.

IMG_4855

Este é o segundo arranjo urbanístico considerado estratégico no concelho cerveirense, no âmbito deste projeto intermunicipal de criação de melhores condições para os peregrinos de Santiago de Compostela. O primeiro foi a beneficiação da Passagem inferior à EN 13 em Vila Nova de Cerveira que, além da resolução de problemas de drenagem, consistiu no rebaixamento da praça existente para uma utilização mais segura e cómoda. O processo contemplou ainda a colocação de cerca de 150 placas sinaléticas ao longo dos 14,4 Km do Caminho Português da Costa que atravessa o território de Vila Nova de Cerveira.

No caso do Largo de Gouvim, na freguesia de Gondarém, a intervenção aproveitou alguns elementos existentes, tais como água corrente e as árvores, para proporcionar uma área de descanso aprazível, funcionando como um ponto de apoio. Para além dos trabalhos de beneficiação, o espaço foi complementado com a colocação de um banco em granito e de um ponto de água, estando igualmente prevista uma mesa com bancos. A finalidade da obra teve em conta a conjugação da envolvência rural e natural com as necessidades dos peregrinos, colocando-a também à disposição da comunidade.

O projeto de “Valorização do Caminho de Santiago – Caminho Português da Costa” prevê a uniformização da sinalética no Caminho, a promoção do evento cultural “Sons no Caminho”, a criação de um logótipo, guias e brochuras e de um ‘website’ e aplicação móvel, a publicação de um livro científico, a requalificação de espaços, a produção audiovisual sobre o Caminho e um seminário final com os resultados.

De sublinhar que esta candidatura intermunicipal envolve os dez municípios abrangidos pelo Caminho Português da Costa e técnicos da Área Metropolitana do Porto e das Comunidades Intermunicipais (CIM) do Cávado e Ave e do Alto Minho, num acordo de beneficiação do itinerário a Santiago de Compostela, em prol de uma intenção posterior de Classificação a Património Mundial da Unesco. O investimento aprovado foi de 1,6 milhões de euros a aplicar do Porto até Valença, com financiamento de 85% de fundos do Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020 aos fundos do Norte 2020.

CÂMARA DE CAMINHA APOSTA NA VALORIZAÇÃO DOS CAMINHOS DE SANTIAGO COM A PROMOÇÃODE UMA CAMINHADA E UM CONCERTO

Caminho da História ‘Caminha e o Caminho Português da Costa’e concerto ‘Sons do Caminho’ com o grupo Capella Duriensis – Ensemble Vocal, são as atividades agendadas para o dia 16 de junho

A Câmara Municipal de Caminha está a apostar na divulgação e valorização dos Caminhos de Santiago com a promoção de várias iniciativas. Caminho da História ‘Caminha e o Caminho Português da Costa’e concerto ‘Sons do Caminho’ com o grupo Capella Duriensis – Ensemble Vocal, são as atividades que vão decorrer no dia 16 de junho. Ambas as iniciativas se inserem no âmbito da candidatura de valorização dos Caminhos de Santiago - Caminho Português da Costa - que o Município está a desenvolver.

caminha com história

Caminha dedica mais um dia à promoção dos Caminhos de Santiago, Assim, no dia 16, da parte da tarde, vai decorrer a caminhada ‘Caminho da História: Caminha e o Caminho Português da Costa”, guiada pelo arqueólogo e historiador Joel Cleto, entre a frente marítima de Vila Praia de Âncora e Moledo. Com ponto de encontro às 16H00, no Dólmen da Barrosa, em Vila Praia de Âncora, a atividade carece de inscrição obrigatória. Os interessados deverão proceder à respetiva inscrição 14 de junho, para cultura@cm-caminha.pt(com indicação de nome completo, data de nascimento e contacto).

O concelho de Caminha é profundamente marcado por relevantes marcas históricas e patrimoniais. Tal como já referimos, esta caminhada vai ser acompanhada pelo arqueólogo e historiador Joel Cleto, que vai dar a conhecer parte da herança existente no nosso concelho e, ao mesmo tempo, fará uma abordagem explicativa e histórica dos Caminhos de Santiago.

À noite, pelas 22H00, a Igreja Matriz de Caminha vai acolher o concerto ‘Sons do Caminho’ protagonizado pelo grupo Capella Duriensis- Ensemble Vocal. Este espetáculo será uma ‘viagem musical do século XII ao século XIX’.

Neste ícone do concelho de Caminha, a Igreja Matriz, vamos ouvir músicas de João Lourenço Rebelo (1610-1665) - PanisAngelicus; Organum (sec. XII) - Rex caeli domine; Charles Villiers Stanford (1852-1924) - Threemotets, Op.38: Justorumanimae, Coelosascendithodie, Beatiquorum via; Schubert (1797-1828) - Deutsche Messe D872: ZumEIngang, Zum Gloria, ZumEvangeliumund Credo, ZumSanctus, Nach der Wandlung, Schlussgesang; John Munday (1555-1630) – Fantasia e J.S.Bach (1685-1750) - Motet BWV230: LobetdenHerren, alleHeiden.

Sobre a Capella Duriensis, inicialmente fundada como um grupo musical para aperfeiçoamento do solfejo, podemos dizer que é considerada como "embaixadora" internacional da música sacra portuguesa e é dirigida por Jonathan Ayerst. Os seus programas de concerto são ímpares combinando e contrapondo em simultâneo “obras renascentistas a cappella, com organum medieval, canções populares da Europa Ocidental e Oriental, música sacra da Igreja Ortodoxa Oriental e composições dos séculos XX e XX”.

Desde 2012, a Capella Duriensis tem vindo a promover a cultura musical portuguesa, através da apresentação de concertos profundamente enriquecedores, em mosteiros e monumentos de todo o país.

Recorde-se que “Caminho da História: Caminha e o Caminho Português da Costa” é mais uma iniciativa promovida no âmbito da candidatura da valorização dos Caminhos de Santiago que o Município submeteu ao programa Norte 2020, onde sublinha a importância patrimonial e identitária destes trajetos que foram já classificados pelo Conselho da Europa como Primeiro Itinerário Cultural Europeu.