Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VILA PRAIA DE ÂNCORA: CAPELA DE NOSSA SENHORA DA BONANÇA JÁ SE ENCONTRA ILUMINADA

Não havendo conhecimento da existência de uma Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora da Bonança para este ano de 2021 e para que se mantenha a tradição, a Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora procedeu à iluminação da Igreja de Nossa Senhora da Bonança.

A Igreja manter-se-á iluminada até ao dia 30 de Setembro.

225893227_1992288377592076_1533681672612611979_n.j

227532292_1992288434258737_8226249871392560604_n.j

VILA PRAIA DE ÂNCORA RECEBE ONTEM “SWING DO TROMBONE À FUSÃO DA TROMPETE”

O espetáculo “Swing do trombone à fusão da trompete” abriu ontem o 4 Quartas de Jazz, na Praça da República, em Vila Praia de Âncora, com António Silva (Trompete), Xavier Ribeiro (Trombone), José Paulo Ribeira (Piano), Jaime Alvarez (Contrabaixo) e Paulo Pinto (Piano).

223053209_4124662484254916_2222535754917739105_n.j

O 4 Quartas de Jazz continua no próximo dia 4 de agosto, no Largo Calouste Gulbenkian, em Caminha, com o concerto “Violino até Jazz” com Jean-Philippe Passos (Violino), José Paulo Ribeira (Piano), Jaime Alvarez (Contrabaixo) e Paulo Pinto (Bateria). Os bilhetes estarão disponíveis a partir de sexta-feira (30 de julho) nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora.

224704324_4124662394254925_5130652837698251100_n.j

222460540_4124662110921620_6073538226028287360_n.j

223167117_4124662284254936_5801118365558613309_n.j

224012608_4124662340921597_6178918220591745726_n.j

227909211_4124662657588232_6054407891576973948_n.j

224012608_4124663114254853_3448200301533167085_n.j

226491743_4124663434254821_5681995870798136554_n.j

CANDIDATOS DO BLOCO DE ESQUERDA VISITAM COVAS E A SERRA D'ARGA

As candidaturas do Bloco de Esquerda de Viana do Castelo, Caminha e Vila Nova de Cerveira estão a organizar uma visita à Serra d´Arga e a Covas (Vila Nova de Cerveira), no próximo sábado, dia 31 de julho, com a presença do Eurodeputado do Bloco, José Gusmão. A visita de trabalho tem como objetivo a temática do lítio no Alto Minho.

14h30 - Encontro na Taberna do Horácio - EM552 19, Arga de Baixo

16 horas - Covas - (junto às minas)

A visita contará com a participação de ativistas na luta contra a exploração de lítio e associações locais, como a COREMA.

Capturargusmaovizela.PNG

CENSOS 2021: CAMINHA É UM DOS CONCELHOS DO ALTO MINHO QUE MELHOR RESISTE À PERDA DE POPULAÇÃO

Dados provisórios indicam que aumentou o número de agregados familiares e de habitações no concelho de Caminha

De acordo com os números provisórios do CENSOS 2021 divulgados na manhã do dia de hoje, todos os concelhos do Alto Minho perderam população, acentuando-se a litoralização da população no distrito e em todo o país. Conforme se poderá constatar pela leitura do site www.ine.pt o concelho do distrito que melhor resiste à perda de população é Viana do Castelo (-3,2%), seguido de Valença (-3,5%), Vila Nova de Cerveira (-3,5%) e Caminha (-5,3%). Todos os restantes concelhos tem perdas superiores, com destaque para Melgaço que perdeu 15,6% da população relativamente a 2011. Toda a região Norte perdeu população (- 2,7%) bem como o país (-2,0).

Caminha tem agora 15.828 habitantes, sendo a maior parte Mulheres. Na comparação com 2011, o concelho de Caminha tem menos 856 indivíduos registados. A freguesia de Âncora é a única que tem mais população hoje que há 10 anos atrás. A freguesia que mais perde população é a das Argas, com um decréscimo de 23,6%.

O concelho de Caminha apresenta contudo, vários dados positivos neste último CENSOS. O número de agregados familiares cresceu 1,9%, o número de habitações aumentou 2,9% e o número de edifícios é superior em 3,1% quando comparado com os resultados de 2011. De facto, passada uma década do último trabalho censitário, o concelho de Caminha regista mais 120 agregados com crescimento assinalados nas freguesias de Âncora, Dem, Seixas, Vila Praia de Âncora, Vilar de Mouros, Vile e Caminha e Vilarelho.

Estes são os primeiros resultados oficiais dos CENSOS 2021 e têm um carácter preliminar, na medida em que são baseados em contagens resultantes do processo de recolha e divulgados antes do final do processo de tratamento e validação da informação recolhida.

A disponibilização dos resultados definitivos dos Censos 2021 está prevista para o 4º trimestre de 2022, existindo ainda uma apresentação de resultados provisórios até fevereiro do mesmo ano.Os resultados provisórios serão divulgados até ao final deste ano de 2021 e os resultados definitivos, com todo o detalhe de informação e já com o processo de tratamento e validação da informação recolhida integrado serão divulgados no segundo semestre de 2022.

CAMINHA / A GUARDA: AVARIA NA PLATAFORMA DE ATRACAÇÃO DO FERRYBOAT NA A GUARDA OBRIGA À SUSPENSÃO DA TRAVESSIA

Porto de A Guarda comunica à Câmara Municipal de Caminha que, enquanto durarem as obras de reparação do cais galego, não haverá atravessamento do rio Minho pelo ferryboat

O Porto de A Guarda comunicou hoje à Câmara Municipal de Caminha que, devido à necessidade de reparar uma avaria na plataforma de atracação do ferryboat do lado galego, a travessia está suspensa até que a situação seja normalizada.

106404013_3027089227345586_5203812805460142755_o.jpg

De acordo com a comunicação efetuada pela Autoridade Galega, a estrutura de embarque e desembarque “não se encontra operacional, pelo que não se permitirá a atracação de embarcações na dita plataforma, ficando fechado o acesso para embarcações, viajantes e veículos”.

Perante a comunicação recebida, a Câmara Municipal de Caminha determinou a suspensão da carreira do ferryboat, na expetativa de que as autoridades galegas possam proceder rapidamente às reparações necessárias no cais que permitam o atravessamento da embarcação para tripulação e passageiros.

CÂMARA DE CAMINHA ASSINOU MEMORANDO PARA PROMOÇÃO DO CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA PARA SANTIAGO

Município dedicou a semana cultural ao ano Xacobeo e à promoção dos Caminhos de Santiago. Seis concertos ao ar livre com Tiago Bettencourt

O Presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, participou domingo, na Maia, numa cerimónia onde foi formalizado o “Memorando de Entendimento para a Promoção, Dinamização e Gestão do Caminho Português da Costa para Santiago”, documento assinado por 10 municípios e que visa a certificação do Caminho.

caminhacaminhossant (3).jpg

A sessão, que aconteceu no Dia de Santiago, decorreu no Mosteiro do Divino Salvador de Moreira, foi o culminar de um intenso trabalho, que envolveu várias entidades e que permitiu organizar o dossiê de candidatura que já foi entregue na Direção Geral do Património Cultural

O Memorando foi assinado pelos municípios de Caminha, Porto, Maia, Matosinhos, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira e Valença e pela Entidade Regional do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP).

A ocasião incluiu um concerto pela Orquestra MSS Consorte, com música erudita do período barroco e clássico.

Recorde-se que a agenda Cultural do Município de Caminha dedicou a última semana ao ano Xacobeo e à promoção dos Caminhos de Santiago, nomeadamente ao Caminho Português da Costa, com a realização dos concertos “Caminho Rumo ao Eclipse – No Caminho de Santiago com Tiago Bettencourt”. Esta série de seis concertos intimistas percorreu vários “palcos” concelhios, locais de passagem dos peregrinos.

O primeiro destes concertos realizou-se no Forte do Cão, em Âncora, no dia 20 de julho. No dia seguinte, Tiago Bettencourt atuou no Forte da Lagarteira, em Vila Praia de Âncora; no dia 22, o local escolhido foi Santo Isidoro, em Moledo; no dia 23, Tiago Bettencourt cantou nas Pedras Ruivas, em Seixas; no dia 24, no Ferryboat, em Caminha e domingo, 25 de julho, Dia de Santiago, o encerramento foi no Cruzeiro da Independência, em Lanhelas.

O projeto “Caminho Rumo ao Eclipse – No Caminho de Santiago com Tiago Bettencourt” aconteceu em recintos ao ar livre, vedados, com lugares sentados e de entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete, de acordo com as orientações da DGS aplicadas aos equipamentos e espaços culturais. Todos os concertos esgotaram os bilhetes disponíveis.

caminhacaminhossant (1).jpg

caminhacaminhossant (2).jpg

DRAGAGENS NO PORTINHO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA ASSEGURADAS ATÉ 2023

Ministro do Mar voltou à Vila para assinar contrato, dois meses depois de aqui ter assumido esse compromisso

O Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, regressou esta manhã a Vila Praia de Âncora, dois meses depois de aqui ter assumido o compromisso de que seriam realizadas dragagens regulares no Portinho, até que seja encontrada uma solução estrutural, que será objeto de estudo técnico aprofundado. O compromisso está cumprido, com a assinatura de um Contrato Plurianual de Dragagens dos Portos do Norte, no valor de 4,12 milhões de euros, que contempla outros portos também, mas que permitirá entre 2021 e 2023 dragar 80 mil m3 de areia. A cerimónia decorreu no Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

dragagensvpa (5).JPG

Conforme destacou o Presidente da Câmara, Miguel Alves, há já neste momento uma grande operação em curso, no valor de 1,6 milhões de euros, a maior dragagem de sempre no Portinho de Vila Praia de Âncora, que permitirá retirar 111 mil m3 de areia, já analisada e que cumpre todos os requisitos. Essa areia está entretanto a ser utilizada no enchimento de geocilindros para consolidação da Duna dos Caldeirões.

Dada a obra em curso, o Contrato Plurianual de Dragagens dos Portos do Norte não prevê mais operações para o ano em curso em Vila Praia de Âncora, mas assegura dragagens para 2022 e 2023, com quantidades de areia a retirar do Portinho de 25 mil m3 e 55 mil m3 respetivamente.

Miguel Alves agradeceu a visita do Ministro do Mar para cumprir a palavra dada há dois meses: “uma Terra que é do mar gosta de receber esta brisa de novidades e de boas notícias”. Reiterou a importância do estudo que será realizado através da Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Recursos Marítimos - DGRM e saudou a solução encontrada neste contrato plurianual. O Presidente da Câmara reiterou também o desafio para que a gestão da área portuária possa ser entregue ao Município. “Acredito que o Município pode fazer melhor esta gestão, mais depressa, de forma mais eficaz, com maior proximidade e outros instrumentos”, disse.

“Hoje é um dia feliz”

Coube ao Presidente da DGRM, José Carlos Simão, explicar os pormenores do contrato e a nova estratégia. José Carlos Simão anunciou também que, no caso de Vila Praia de Âncora, há um procedimento em preparação que envolve o estudo da reconfiguração do Porto com o objetivo de minimizar as condições de assoreamento. Adiantou que o estudo será financiado pelo PO Mar2020.

Relativamente à estratégia, Carlos Simão sublinhou a nova abordagem, que classificou como estruturada e prudente e que prevê: levantamentos todos os anos, após o inverno marítimo para planeamento das intervenções anuais; antes e depois de cada intervenção atualização dos levantamentos; atualização da análise química com número de amostras pré-fixadas; procedimento de depósito para as diferentes categorias de sedimentos; ritmo mínimo de dragagem assegurado e levantamentos adicionais e almofada de volumes (por ano) a dragar para situações extraordinárias.

“Hoje é um dia feliz”, rematou o Presidente da DGRM”, justificando a afirmação com a assinatura do maior contrato só de dragagens da DGRM, pelo facto de se tratar do primeiro contrato plurianual e por ficarem assim asseguradas dragagens de manutenção por três anos nos Portos do Norte. Além de Vila Praia de Âncora, o contrato contempla Esposende, Póvoa de Varzim e Vila do Conde.

O maior investimento de sempre com estas caraterísticas

O Ministro do Mar encerrou a sessão referindo o longo caminho mas também a nova estratégia para o Mar, designadamente em matéria de dragagens, até porque acredita que as alterações climáticas tornarão estas operações ainda mais exigentes no futuro. O caráter plurianual representa, para Ricardo Serrão Santos, “uma mudança de procedimento que espero que venha para ficar”. Sobre o valor do contrato, 4,12 milhões de euros, lembrou que se trata da maior autorização de sempre dada por um Governo para este fim, e traduz um grande esforço do Ministério do Mar e do Governo para assegurar condições e segurança em geral.

Revelou ainda que, através da Docapesca, será investidos mais 4,35 milhões de euros em Portos, para melhorar condições para a pesca, turismo e transporte de pessoas e bens.

dragagensvpa (1).JPG

dragagensvpa (3).JPG

dragagensvpa (4).JPG

QUIM BARREIROS ATUA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Forte da Lagarteira é o local escolhido para o “31 de julho …a seguir entra agosto”

Vila Praia de Âncora vai terminar o mês de julho ao som da música de um filho da terra. Quim Barreiros é o grande protagonista do “31 de julho …a seguir entra agosto”, que decorrerá no Forte da Lagarteira, pelas 22H00. O concerto é gratuito. Os bilhetes estarão disponíveis nos Postos de Turismo do Concelho de Caminha, podendo ser levantados a partir de segunda-feira (dia 26 de julho).

219682010_4107433239311174_56111227539886965_n.jpg

“31 de julho …a seguir entra agosto” é mais um dos projetos que integra o Programa Cultural Verão 2021, um programa arrojado, que pretende dar vida ao concelho, e mostrar que o Concelho de Caminha é um Destino de Confiança.

Quim Barreiros, com uma carreira de grandes sucessos, dispensa apresentações. “Mestre de Culinária”, “Os Bichos da Fazenda”, “A Coisa”, “Dar ao Apito”, “Ela Estava Contusa”, “Nunca Gastes Tudo”, “Quem Pode, Pode”, “Deixa Botar Só a Cabeça”, “Riacho da Pedreira”, “O Ténis”, “Os Pelos do Coelhinho”, “O Peixe”, “O Poder”, “O Brioche da Sofia” ou o polémico “Casamento Gay”, são alguns dos temas cantados por Quim Barreiros – da sua autoria ou não – que nas últimas décadas, fizeram dele um dos artistas mais amados do nosso país.

Como já referimos, “31 de julho …a seguir entra agosto” com Quim Barreiros decorrerá no Forte da Lagarteira, em Vila Praia de Âncora, pelas 22H00. O concerto é em recinto ao ar livre, vedado, com lugares sentados e de entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete, de acordo com as orientações da DGS aplicadas aos equipamentos e espaços culturais. Os bilhetes para este concerto estarão disponíveis a partir de segunda-feira, dia 26 de julho, nos postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora, de segunda a sexta-feira, das 9H30 às 13H00 e das 14H00 às 17H30, até ao limite permitido do número de lugares.

ANCORENSES CHORAM A PARTIDA DO ZÉ LUÍS – MEMBRO DO ETNOGRÁFICO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

As palavras que constituem o elogio fúnebre pertencem a José Meira, dirigente do Etnográfico de Vila Praia de Âncora, que com a devida vénia transcrevemos da sua página no facebook.

221489220_10225624670178664_1776460143227714699_n.

“Hoje o dia começou triste...

O Zé Luís deixou-nos!

Apesar de afastado do grupo nos últimos anos, o Zé foi para o Etnográfico uma das suas principais figuras durante mais de 20 anos.

O Zé, dançou, cantou, tocou ferrinhos, cavaquinho, concertina e qualquer outro instrumento que lhe aparecesse á frente (tinha uma noção de ritmo e um ouvido ímpar).

O Zé foi director, foi presidente da Assembleia geral, foi mero elemento, fez de tudo no Etnográfico e mesmo afastado nos últimos anos, nunca deixou de sentir no grupo de uma forma muito intensa.

Falávamos muitas vezes, telefonava frequentemente para saber do Etnográfico.

Prevìa o seu regresso ao Etnográfico para "depois da pandemia".

O coração traiu-o. Possivelmente esgotou as energias que deviam durar até aos 90 anos, nestes quase 50 intensamente vividos.

Por tudo o que foste para o Etnográfico, a teu lugar em falta, agora irrecuperável, será impossível de ocupar.

Obrigado Zé!

Foi um previlégio ter feito este desfile contigo!”

QUIM BARREIROS ATUA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Forte da Lagarteira é o local escolhido para o “31 de julho …a seguir entra agosto”

Vila Praia de Âncora vai terminar o mês de julho ao som da música de um filho da terra. Quim Barreiros é o grande protagonista do “31 de julho …a seguir entra agosto”, que decorrerá no Forte da Lagarteira, pelas 22H00. O concerto é gratuito. Os bilhetes estarão disponíveis nos Postos de Turismo do Concelho de Caminha, podendo ser levantados a partir de segunda-feira (dia 26 de julho).

quim barreirosvpa.jpg

“31 de julho …a seguir entra agosto” é mais um dos projetos que integra o Programa Cultural Verão 2021, um programa arrojado, que pretende dar vida ao concelho, e mostrar que o Concelho de Caminha é um Destino de Confiança.

Quim Barreiros, com uma carreira de grandes sucessos, dispensa apresentações. “Mestre de Culinária”, “Os Bichos da Fazenda”, “A Coisa”, “Dar ao Apito”, “Ela Estava Contusa”, “Nunca Gastes Tudo”, “Quem Pode, Pode”, “Deixa Botar Só a Cabeça”, “Riacho da Pedreira”, “O Ténis”, “Os Pelos do Coelhinho”, “O Peixe”, “O Poder”, “O Brioche da Sofia” ou o polémico “Casamento Gay”, são alguns dos temas cantados por Quim Barreiros – da sua autoria ou não – que nas últimas décadas, fizeram dele um dos artistas mais amados do nosso país.

Como já referimos, “31 de julho …a seguir entra agosto” com Quim Barreiros decorrerá no Forte da Lagarteira, em Vila Praia de Âncora, pelas 22H00. O concerto é em recinto ao ar livre, vedado, com lugares sentados e de entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete, de acordo com as orientações da DGS aplicadas aos equipamentos e espaços culturais. Os bilhetes para este concerto estarão disponíveis a partir de segunda-feira, dia 26 de julho, nos postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora, de segunda a sexta-feira, das 9H30 às 13H00 e das 14H00 às 17H30, até ao limite permitido do número de lugares.

VILA PRAIA DE ÂNCORA RECEBE CONCERTO DE JAZZ

Ciclo de concertos arranca com “Swing do trombone à fusão da trompete” no dia 28 de julho, em Vila Praia de Âncora. 4 Quartas de Jazz volta a marcar as noites de verão concelhias

O ciclo de concertos 4 Quartas de Jazz volta a marcar as noites de verão no concelho de Caminha. O espetáculo “Swing do trombone à fusão da trompete” dá o pontapé de saída ao 4 Quartas de Jazz, na Praça da República, em Vila Praia de Âncora, no dia 28 de julho, pelas 22H00. Este projeto integra o Programa Cultural Verão 2021, um programa arrojado, que pretende dar vida ao concelho, e mostrar que o Concelho de Caminha é um Destino de Confiança. Todos os concertos são gratuitos. Os bilhetes para o primeiro concerto estarão disponíveis nos Postos de Turismo, podendo ser levantados a partir de sexta-feira (dia 23 de julho).

220763180_4104244169630081_4476944471631471911_n.j

4 Quartas de Jazz vai levar a Moledo, Caminha e Vila Praia de Âncora quatro concertos de música jazz, O primeiro “Swing do trombone à fusão da trompete” com António Silva (Trompete), Xavier Ribeiro (Trombone), José Paulo Ribeira (Piano), Jaime Alvarez (Contrabaixo) e Paulo Pinto (Piano) é já no dia 28 de julho. O concerto é em recinto ao ar livre, vedado, com lugares sentados e de entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete, de acordo com as orientações da DGS aplicadas aos equipamentos e espaços culturais. Como já referimos, os bilhetes para este concerto estarão disponíveis a partir de sexta-feira, dia 23 de julho, nos postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora, de segunda a sexta-feira, das 9H30 às 13H00 e das 14H00 às 17H30, até ao limite permitido do número de lugares.

O 4 Quartas de Jazz continua a 4 de agosto, no Largo Calouste Gulbenkian, em Caminha, com o concerto “Violino até Jazz” com Jean-Philippe Passos (Violino), José Paulo Ribeira (Piano), Jaime Alvarez (Contrabaixo) e Paulo Pinto (Bateria). No dia 11 de agosto, regressa a Vila Praia de Âncora, desta feita ao Largo da Igreja Matriz, com o espetáculo “Classic’on Jazz quartet feat. Big Band” com Luís Pinto (Guitarra), José Paulo Ribeira (Piano), Jaime Alvarez (Contrabaixo), Paulo Pinto (Bateria) e Big Band: Sopros da Banda de Música de Antas. O 4 Quartas de Jazz termina a 18 de agosto, em Moledo, no Auditório António Pedro, com o concerto “Jazz à Vox” com Daniela Costa (Voz), José Paulo Ribeira (Piano), Jaime Alvarez (Contrabaixo) e Paulo Pinto (Bateria). Todos os concertos são gratuitos e decorrerão ao ar livre, pelas 22H00.

António Silva – Trompete

Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música do Porto com José Macedo e Rui Brito. Posteriormente ingressou na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto na classe de Kevin Wauldron, e frequentou cursos de aperfeiçoamento com John Aigi Hurn, Pasi Pirinen, Philip Smith e Charles Butler. Integrou a Orquestra Filarmonia das Beiras e tocou com a Orquestra Regional do Norte, Banda Sinfónica Portuguesa, Oficina Musical, Musicórdia Ensemble, Orquestra Barroca Casa da Música e Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, tendo trabalhado com maestros como Peter Rundel, Emílio Pomárico, Peter Eotvos, Christoph Konig, Omri Hadari, Marc Tardue, Martin André, Laurence Cummings, Paul Hillier entre outros. Como solista executou os concertos para Trompete de J. Haydn, J. Hummel, J. Neruda, A. Arutunian, G. Telemann, L. Mozart, B. Marcello, T. Albinoni e Concerto Brandeburguês nº 2 de J.S. Bach, bem como as Variações sobre o Carnaval de Veneza de J.B. Arban. Com o Remix Ensemble tocou na Casa da Música no Porto, Fundação Gulbenkian em Lisboa, Festival de Strasbourg, St. Quentin-en-Yvelines, em Paris e na Berliner Philarmonie, em Berlim. Na área do Jazz trabalhou inicialmente com o Prof. Paulino Garcia e mais tarde com Pedro Neves, tendo integrado a Big Band do Conservatório de Música do Porto e em 2019 a Big Band Portuguese Brass and James Morrison. É membro dos Portuguese Brass e leciona na Escola de Música de Esposende e na Escola Profissional de Música de Viana do Castelo.

Jaime Alvarez (contrabaixo)

Natural de Caminha, iniciou os seus estudos aos 16 anos na Escola Profissional de Música de Viana do Castelo (atual Escola Profissional Artística do Alto Minho), na classe do professor Sérgio Barbosa, onde conclui o Curso Básico de Instrumento e o Curso de Instrumento. Em 2005 ingressa na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe do professor Iouri Aksenov, onde termina a licenciatura em 2008. Entre 2008 e 2010, como bolseiro da Fundação Carolina e Fundação Albéniz frequentou a Escuela Superior de Musica Reina Sofia, em Madrid, Espanha, na Cátedra “Banesto” de Contrabaixo dos Professores Duncan Mctier e António Garcia Araque, e cujo assessor é Zubin Mehta. Em 2017 frequentou a Escola de Jazz de Braga, onde frequentou aulas com Marco Fernandes e Richard Okkerse. Desde 2018 frequenta o Mestrado em Ensino da Música, na Universidade do Minho – Braga. Participou em master-classes orientadas por Bozo Paradzik, Eugene Levison, Janne Saksala, Adriano Aguiar, António Aguiar, Florian Pertzborn, Michael Wolf, Olga Prats, entre outros. Atualmente é professor de contrabaixo e música de câmara na Escola Profissional Artística do Alto Minho (ARTEAM), paralelamente integra L’Ensemble Bézier Musikè, sob a direcção de Jean Bernard Pommier, o projeto Zeca Canta Zeca (tributo a José Afonso) e o Classic’on Jazz Quartet do qual é membro fundador.

José Paulo Ribeira (piano)

Iniciou os seus estudos musicais aos 4 anos de idade na escola de música da A.M.I.R. (Associação Moledense de Instrução e Recreio), tendo prosseguido a sua formação na Academia de Música Fernandes Fão, na classe de piano, local que frequentou até ao 6ºgrau. Em 2003 ingressa no curso de Formação Musical na ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto). Atualmente, leciona Formação Musical e Acompanhamento e Improvisação na Academia de Música Fernandes Fão, Piano/Teclados e Formação Musical na escola particular AMIR Rock School. Paralelamente à formação, desde muito cedo iniciou a sua atividade como performer em projetos musicais desde a música ligeira ao jazz, passando pelo pop, rock, funk, etc...dos quais se podem destacar: Classic’on Jazz Quartet, Ensemble Risoluto, Sinecura, 4Smooth, Ironic Speech, Paulo Baixinho, Fragmentos, Spleen Poetry, Sotie Flow, Hugo Torres, Withsix, Pedro Cravinho Quintet, Pulsar Efémero, Rit&cências, entre outros. Participou como maestro e pianista no musical “Música no Coração” de Filipe La Féria, no Teatro Rivoli (Porto). Foi diretor musical, compositor, arranjador e pianista dos espetáculos “Viva o Casamento” e “Perdição”, com encenação de Fernando Gomes, no Teatro Sá de Miranda (Viana do Castelo). Teve a seu cargo a direção musical, criando arranjos e alguns originais, dos musicais “Saltimbancos” e “Música no Coração” levados à cena pela Academia de Música Fernandes Fão com encenação de Pedro Lamares. Foi também responsável pelos arranjos e direção musical dos espetáculos “AMFF in Concert” relativos à mesma instituição. Trabalhou como diretor musical do grupo de teatro da SIRC (Sociedade de Instrução e Recreio de Carreço) na vertente de teatro de revista. Dirigiu musicalmente o projeto Tributo a Zeca Afonso, produzido pela Cervmusic. Foi diretor artístico e maestro do projeto Ard’notas da Escola de Música de S. Pedro da Torre. É frequentemente convidado para participações em gravações de estúdio, nas vertentes de pianista/teclista e de produção e arranjos.

Paulo Pinto (Bateria)

Nascido em 1984, na cidade de Viana do Castelo, no seio de uma família com tradição musical. Inicia os primeiros estudos musicais em 1992 na Fundação Maestro José Pedro. Estudou percussão clássica na Academia de Música Fernandes Fão e desde então tem integrado diversos projetos musicais como baterista.

André Xavier da Cruz Ribeiro

é trombonista e docente, tendo formação na área clássica e jazz. Natural de Esposende, desenvolveu a sua atividade artística na cena musical lisboeta desde 2011, colaborando com inúmeros projetos de várias vertentes musicais. Destas colaborações destacam-se a Orquestra de Jazz do Hot Club de Portugal, sob direção artística de Pedro Moreira e Luís Cunha; a “Reunion Big Jazz Band” sob direção de Johannes Krieger, com a qual gravou o álbum “Oija”; “Tora Tora Big Band” com direção artística de Lars Arens; o projeto “L.A. Banda Larga” também sob direção artística de Lars Arens com o qual gravou em 2015; e ainda a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras. Na sua atividade como músico teve a oportunidade de trabalhar e partilhar o palco com nomes como Mário Laginha, Chris Kase, Rainer Tempel, John Ellis, Joe Lovano, Miguel Zenon, John Hollenbeck, Guillermo Klein, James Morrison, Benny Golson, entre outros músicos e artistas nacionais e internacionais.

A sua formação iniciou-se aos 7 anos de idade na Escola da Associação Banda dos Bombeiros Voluntários de Esposende – Antas com o Prof. Gonçalo Jaques. Em 2002 ingressou na Escola Profissional de Música de Viana do Castelo (EPMVC) onde iniciou os seus estudos em Trombone na classe do Prof. Feliciano Morales, Fernando Baptista e finalmente com Gonçalo Dias. Frequentou masterclasses de trombone com Simon Cowen, Jarret Butler, Alberto Urretxo Zubillaga, Severo Martinez, Hugo Assunção, Jon Etterbeek, Rui Fernandes, e ainda masterclasses de música de câmara com Pierre Dutot e Olga Prats. Participou na Orquestra de Sopros APROARTE em 2007, sob direção de Kevin Wauldron, e no ano seguinte no 9º Estágio Nacional da Orquestra Sinfónica APROARTE sob direção de Ernest Schelle. Em 2008 ingressa na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto (ESMAE) na Classe dos professores Severo Martinez e David Silva. Após concluir os estudos na ESMAE em 2011, ingressou na Licenciatura em Jazz na Escola Superior de Música de Lisboa na classe do professor Lars Arens. Obteve em 2020 o Grau de Mestre em Ensino da Música pela Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco. Foi docente no Conservatório de Caldas da Rainha de 2014 a 2019, leciona atualmente no CCM – Centro de Cultura Musical e na ARTAVE – Escola Profissional Artística do Vale do Ave.

APROVADO PROTOCOLO ENTRE A CÂMARA DE CAMINHA E O CONSELHO DIRETIVO DO BALDIO DE RIBA DE ÂNCORA

Baldio disponibiliza máquina e Município cede operador especializado par a manobrar

A Câmara Municipal de Caminha e o Conselho Diretivo do Baldio de Riba de Âncora vão colaborar de uma forma mais estreita partilhando meios humanos e materiais, no âmbito de um protocolo aprovado na última reunião do Executivo.

baldioribadancora (1).jpg

O Conselho Diretivo do Baldio de Riba de Âncora adquiriu recentemente várias máquinas de grande porte, entre elas uma retroescavadora para a qual não dispõe neste momento de um trabalhador devidamente qualificado, capaz de operar com a máquina em questão. Sabendo que o Município de Caminha não possui, por seu lado, uma retroescavadora com as caraterísticas do equipamento em questão, mas tem nos seus quadros um trabalhador operacional com qualificação para manobrar máquinas retroescavadoras, o Presidente do Conselho do Baldio, Paulo Alvarenga (que é também Presidente da Junta de Freguesia de Riba de Âncora), propôs ao Município uma cooperação a este nível, beneficiando as duas entidades.

O acordo foi transformado em protocolo e submetido à apreciação e votação do Executivo, merecendo a aprovação de todos os elementos. No âmbito do documento, Município e Baldio poderão utilizar a retroescavadora, que será sempre manobrada pelo funcionário municipal. 

Conforme se sublinha na proposta do protocolo, o equipamento disponibilizado pelo Baldio de Riba de Âncora é útil à própria actividade do Município, no quadro da gestão do espaço público e da rede viária e na prevenção e incêndios, valorização e qualificação dos espaços naturais do concelho.

Além disso, a parceria vem de encontro à política municipal, que prioriza a cooperação com as associações e freguesias do concelho, que viabilizem a concretização de projectos através de opções economicamente e ambientalmente mais sustentáveis.

baldioribadancora (2).jpg

baldioribadancora (3).jpg