Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CENTRO DE WALKING & CYCLING ESTÁ A “NASCER” NA SERRA D’ARGA

CISA já tem Bike Station e ponto de carregamento de bicicletas

A Câmara Municipal de Caminha está a executar o projeto “Aldeias do Alto Minho Walking & Cycling”, um projeto transversal aos concelhos que integram a CIM Alto Minho. Até ao final do ano, o Centro de Interpretação da Serra d’Arga – CISA – contará com uma nova valência, o Centro de Walking & Cycling. No concelho de Caminha, o investimento ultrapassa os 90 mil euros e engloba a requalificação do edifício de apoio ao CISA para a promoção do cicloturismo e pedestrianismo; a definição e marcação de percursos cicláveis e a instalação de Bike Stations (estações de serviço de BTT) e pontos de carregamento de bicicletas nas freguesias de Arga de Baixo, Dem e Orbacém. É de salientar que a Bike Station e o ponto de carregamento de bicicletas instalados no CISA, em Arga de Baixo, já estão em funcionamento.

ARGAARG (5).jpg

Esta candidatura “Aldeias do Alto Minho Walking & Cycling” visa a qualificação turística de um conjunto de Aldeias do Alto Minho que se distribuem no território, permitindo, articulando com a demais oferta, reforçar o apoio à visita turística itinerante. Tem ainda como objetivo a estruturação da oferta direcionada para o segmento do pedestrianismo, cicloturismo contribuindo para o posicionamento do Alto Minho como um dos principais destinos de turismo de natureza e turismo desportivo.

Assim, foi requalificado o anexo agrícola do edifício do CISA, de modo a transformá-lo num edifício de apoio para a atividade de walking & cycling. Este edifício foi alvo de uma intervenção de fundo, no que respeita às paredes, caixilharia, cobertura, piso, bem como foi restaurado o forno lá existente. O objetivo é valorizar a zona de lazer envolvente ao CISA

Está na fase final o estudo para a implementação e sinalização de rede de percursos cicláveis de diferentes graus de dificuldade.

Estão a ser requalificados os percursos pedestres da Serra d'Arga, designadamente o Trilho da Chã da Franqueira e Trilho do cabeço do Meio Dia. Dos trabalhos fazem parte a remarcação dos percursos e colocação de nova sinalética.

Este projeto de valorização da Serra d’Arga ainda inclui a instalação de Bike Stations e carregadores de bicicletas em Arga de Baixo, Dem e Orbacém.  As Bike Stations disponibilizarão os serviços necessários para a manutenção das bicicletas (serviços de lavagem, enchimento de pneus, ferramentas para reparação) e um ponto de água para consumo humano. As Bike Stations estão a ser colocadas no CISA e, Arga de Baixo; na Rua de São Gonçalo na EM 526 em Dem e junto ao Edifício da Junta de Freguesia de Orbacém. No CISA, a estação de manutenção de BTT e o ponto de carregamento de bicicletas já estão a funcionar em pleno.

A operação “Aldeias do Alto Minho – Walking & Cycling”, no âmbito do programa Valorizar – Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, é cofinanciada pelo Turismo de Portugal.

ARGAARG (1).jpg

ARGAARG (2).jpg

ARGAARG (3).jpg

ARGAARG (4).jpg

CAMINHA É O CONCELHO DO ALTO MINHO ONDE O ÍNDICE DE QUALIDADE DE ÁGUA MAIS SUBIU NO ANO DE 2020

De acordo com o relatório da Entidade Reguladora dos Serviços e Resíduos referentes a 2020, Caminha deixou de estar em zona de risco da qualidade da água e atingiu a percentagem de 99,22% de água segura no final do ano passado.

O Relatório Anual dos Serviços de Águas e Resíduos em Portugal da autoria da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) referente a 2020, indica que o concelho de Caminha melhorou os índices de segurança e qualidade da água que chega a casa das pessoas e das empresas através da rede de distribuição pública. O facto é mais relevante porque desde 2016 que a ERSAR vinha apontando a existência de riscos na qualidade da água distribuída, situação invertida em 2020 graças à melhoria no controlo de água e dos depósitos, ao investimento na regeneração da rede de distribuição, ao incremento do controlo e à maior eficiência dos serviços de piquete. A segurança da água pública no concelho de Caminha, que era de 97,63% em 2019, passou a ser de 99,22% em 2020, colocando Caminha no grupo dos Municípios que têm água com qualidade acima da média nacional.

Para Miguel Alves, Presidente da Câmara Municipal de Caminha, “esta notícia é de primordial importância para a população do concelho de Caminha e confirma o acerto da opção estratégica da Câmara Municipal de Caminha ao agregar-se com outros concelhos do distrito e com a empresa pública Águas de Portugal. Eu sei que a adesão de Caminha às Águas do Alto Minho (ADAM) não foi popular, é óbvio que teve impactos políticos sérios nas últimas eleições, reconheço também que os primeiros meses de funcionamento da parceria foram terríveis e sei, sobretudo, que esta foi uma mudança que teve impacto nas economias familiares mas não podia deixar de ser feita de modo a garantir um acréscimo na qualidade da água que chega às pessoas, a permitir um maior investimento nas redes de abastecimento, a reduzir as perdas de água na ordem dos 40% e a aliviar a difícil situação financeira do Município que todos os anos acumulava uma dívida de 1 milhão de euros com as faturas de água e saneamento. As medidas podem ser difíceis, podem ser impopulares, podem custar votos mas o papel de um Presidente de Câmara é o de fazer o que julga ser melhor para a sua população, mesmo que isso lhe custe o lugar”.

Entre os concelhos do distrito de Viana do Castelo, o de Caminha é aquele onde o índice de segurança da água distribuída mais cresceu, atingindo um valor bem acima da média nacional. De acordo com o relatório da ERSAR, os 3 Municípios do Alto Minho com piores índices de qualidade são os de Ponte da Barca (97,60%), Melgaço (96,98%) e Monção (96,09%), bem abaixo da média nacional. Estes Municípios são precisamente aqueles que não aderiram à Parceria Pública que uniu Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira com as Águas de Portugal e constituiu a ADAM.

EXECUTIVO CAMINHENSE REÚNE PELA PRIMEIRA VEZ SEXTA-FEIRA

Reunião extraordinária terá lugar pelas 15H00, no Edifício da Biblioteca Municipal de Caminha

Depois da cerimónia de instalação dos novos órgãos autárquicos, o executivo municipal vai reunir, pela primeira vez, esta sexta-feira, dia 22 de outubro. A reunião de câmara extraordinária terá lugar pelas 15H00, no Edifício da Biblioteca Municipal de Caminha.

O executivo liderado por Miguel Alves vai votar a delegação de competências no presidente da Câmara Municipal.

Da ordem de trabalhos ainda faz parte a fixação de vereadores em regime de tempo inteiro.

ECOS DE CENA APRESENTA “MALDITA BUROCRACIA” NO CINETEATRO DOS BOMBEIROS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Estreia decorre no dia 24 de outubro, pelas 17H00

No concelho de Caminha, em outubro, o Teatro está em alta. No dia 24 de outubro, estreia a peça “Maldita Burocracia”, dramatizada pelo grupo Ecos de Cena, no Cineteatro dos Bombeiros Municipais de Vila Praia de Âncora. O espetáculo terá lugar pelas 17H00. A compra de bilhetes decorre apenas no dia do espetáculo.

São muitas as opções teatrais para este mês de outubro nos vários palcos do concelho de Caminha. “Maldita Burocracia”, da autoria de Maria Meixeiro, é outra das possibilidades. Trata-se de uma “comédia desesperante” levada a cena pelo grupo Ecos de Cena onde “Uma greve de atores numa noite de estreia põe um encenador à beira de um ataque de nervos, principalmente porque tem de dirigir-se ao público presente a justificar o cancelamento do espetáculo. No entanto, um dos atores fura a greve e vem de algum modo salvar o encenador desta situação embaraçosa, quando lhe propõe a encenação de uma nova peça de teatro com pessoas totalmente improvisadas no momento e com gosto pela arte performativa. E assim nasce em forma de ensaio a peça “Maldita Burocracia”. Uma peça dentro de outra peça, com todas as situações e imprevistos inerentes a um ensaio com estas características. O público ficará preso na ignorância e nas conjeturas sobre o final desta encenação, que pode muito bem terminar em sucesso ou de uma forma inesperada…”.

Como já referimos o espetáculo vai decorrer no dia 24 de outubro, pelas 17H00, no Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora. Os bilhetes estarão disponíveis no local no dia do espetáculo e o preço é variado. As crianças até aos 5 anos de idade não pagam; dos 6 aos 9 anos o bilhete custa 1,5€ e a partir dos 10 anos 3,5€.

Ficha Técnica e Artística

Texto: Maria Meixeiro

Cenografia e Encenação: Maria Meixeiro

Produção: Porta de Cena

Elenco: Ecos de Cena (Ana Sousa, Clarisse Tavares, Graça Meira, Helena Trindade, José Sousa, Jéssica Moreira, Maria Sousa e Luís Pinto

Design Gráfico: Catarina Barrocas

Técnico de Som: Tiago Ferreira

Secretariado: Jéssica Dantas

Duração do espetáculo: 70min.

246623742_4375278359193326_5437621559692642410_n.j

BESIKTAS NÃO É SÓ FUTEBOL – HÁ 10 ANOS LEVOU FOLCLORE A VILA PRAIA DE ÂNCORA

O Besiktas Belediyesi Oyun Youth and Sport Club, de Istambul (Turquia) actuou em Vila Praia de Âncora há dez anos no ÂncoraFolk, a convite do Etnográfico de Vila Praia de Âncora. Para quem não saiba, aquele clube da Turquia não se dedica apenas ao futebol – também é folclore e tradição!

Foto: Carlos Gomes

VPAncora-11Agosto2011 072

CAMINHA: CERIMÓNIA DE INSTALAÇÃO DOS NOVOS ÓRGÃOS DA AUTARQUIA LOCAL TERÁ LUGAR SÁBADO

Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora acolhe cerimónia, dia 16 de outubro, pelas 11 horas

O Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora vai acolher a cerimónia de Instalação dos Novos Órgãos da Autarquia Local - Câmara Municipal e Assembleia Municipal, que terá lugar no dia 16 de outubro, pelas 11H00. Miguel Alves renova o mandato como Presidente do Executivo Municipal, eleito nas listas do Partido Socialista. A cerimónia será transmitida em direto através das redes sociais do Município.

VilaPraiaAncora 016

De acordo com os resultados das Eleições Autárquicas, realizadas no passado dia 26 de setembro, o próximo Executivo Municipal será constituído por quatro elementos eleitos pelo Partido Socialista - PS, e três elementos eleitos pela coligação O Concelho em Primeiro.

A Assembleia Municipal será assim composta: 10 mandatos conquistados pelo PS, 9 mandatos conseguidos pela coligação O Concelho em Primeiro, 1 mandato em representação da CDU e 1 mandato alcançado pelo BE, a que se somam os representantes das 14 Juntas de Freguesia.

As Juntas de Freguesia contam com sete presidentes eleitos pelo PS, três pela coligação O Concelho em Primeiro, três por grupos de independentes e um pela CDU.

CRIANÇAS DO CONCELHO DE CAMINHA CONTAM COM RECREIOS NAS ESCOLAS MAIS ATRATIVOS E SEGUROS

Em causa estão os recreios do Jardim de Infância de Moledo e Escolas Básicas de Vilarelho e Lanhelas

Os alunos do Jardim de Infância de Moledo e das Escolas Básicas de Lanhelas e Vilarelho têm à disposição recreios mais bonitos, seguros, onde podem realizar as mais diversas brincadeiras. O Município de Caminha, em parceria com a União de Freguesias de Moledo e Cristelo, Associação de Pais da EB1 de Vilarelho e Junta de Freguesia de Lanhelas, procedeu a intervenções nos recreios das referidas escolas, com os objetivos de os tornar espaços adequados, funcionais, seguros e atrativos, que estimulem a imaginação e as brincadeiras das crianças.

Eb1 de Vilarelho (2).jpg

O recreio do Jardim de Infância de Moledo foi alvo de uma alteração de fundo, uma parceria entre a Câmara Municipal de Caminha e a União de Freguesias de Moledo e Cristelo. O espaço exterior foi repavimentado com um piso mais seguro e em relva sintética. Também as escadas foram cobertas com o mesmo piso, tornando-as menos perigosas. Para tornar o espaço mais chamativo, o piso foi pintado com ilustrações alusivas à praia, onde se vê o mar, peixes e a areia, bem como com jogos tradicionais, números, entre outras figuras, onde as crianças podem “dar asas à imaginação” e aprender a brincar.

O recreio da EB1 de Lanhelas foi também requalificado, tornando-se um espaço de aprendizagem adequado às necessidades lúdicas, sociais e físicas das crianças. Este espaço era pobre, sem qualquer atrativo e estímulo para as crianças. Assim, a intervenção resulta da junção de esforços entre a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Lanhelas, e inseriu-se Projeto School4All “Recreios Lúdicos”. Esta intervenção contou com a colaboração dos artistas Mário Rebelo e Olga Loureiro e consistiu na pintura de um mural alusivo à freguesia, onde se pode ver, por exemplo, o rio Minho e o carocho, e de diversos jogos tradicionais educativos, onde os alunos podem aprender brincando. Para além do mural e jogos tradicionais, o recreio conta agora com um pomar e uma pequena horta pedagógica.

Também os alunos da EB1 de Vilarelho iniciaram o presente ano letivo com um recreio renovado e mais seguro, onde podem correr e saltar em segurança. Esta intervenção de substituição do pavimento em relva sintética resulta de um pedido da Associação de Pais.

JI Moledo (2).JPG

Eb1 de Lanhelas (1).jpg

CAMINHA: FERRYBOAT SANTA RITA DE CÁSSIA INTERROMPE TRAVESSIAS

O ferryboat Santa Rita de Cássia, que estabelece percursos diários entre as duas margens do rio Minho, de Caminha a A Guarda, interrompeu temporariamente as travessias. A embarcação está a ser alvo de trabalhos de manutenção, necessários para a renovação do certificado de navegabilidade.

3M1A0413.jpg

Esta paragem temporária deve-se à necessidade de docagem da embarcação nos Estaleiros em Espanha, para se realizarem os trabalhos de manutenção. Posteriormente, o ferry-boat será vistoriado por técnicos da Direção-geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos. Estes procedimentos, como referimos, são condições necessárias para a renovação do certificado de navegabilidade.

 Não há previsão certa para a retoma das travessias.

A Câmara Municipal solicita a melhor compreensão pelo incómodo que esta paragem possa causar.

CÂMARA DE CAMINHA CONTINUA A OFERECER OS LIVROS DE FICHAS AOS ALUNOS BENEFICIÁRIOS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CONCELHO DE CAMINHA

Numa política de continuidade, o Município vai beneficiar cerca de 250 crianças

A Câmara Municipal de Caminha voltou a assumir a oferta dos livros de fichas/cadernos de atividades aos alunos beneficiários de ação social escolar (alunos com escalões A e B) do 1º Ciclo do Ensino Básico do Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha. No presente ano letivo, vão ser abrangidos cerca de 250 alunos.

244370584_4337235196330976_2845971759854980561_n.j

O executivo caminhense continua a apostar numa educação de qualidade para todas as crianças do concelho. Numa política de continuidade, no presente ano letivo, o Município está a oferecer os livros de fichas/cadernos de atividades, designadamente de inglês, matemática, português e estudo do meio, a cerca de 250 alunos.

No concelho de Caminha, a aposta na Educação continua a ser um dos pilares da ação política. Para além dos apoios aos alunos beneficiários de ação social escolar, o Município garante gratuitamente a escola pública a tempo inteiro, ajustada às necessidades dos pais e encarregados de educação.

Assegura ainda o transporte escolar gratuito para os alunos do Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha, desde o pré-escolar ao ensino secundário. Para além do investimento nas atividades diárias das crianças e jovens do concelho, no apoio aos Projetos Educativos/Plano de Atividades das escolas, no apoio à Educação Inclusiva e na implementação de medidas de Promoção do Sucesso Escolar, o Município procedeu à requalificação e ampliação da Escola Secundária Sidónio Pais em Caminha, num investimento de quatro milhões de euros, e está a executar as obras de “ampliação da Escola Básica e Secundária de Vila Praia de Âncora e Espaços de Integração para o Ensino Articulado”, um investimento que ultrapassa os 2 milhões euros.

EMPREITADA DE “AMPLIAÇÃO DA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VILA PRAIA DE ÂNCORA E ESPAÇOS DE INTEGRAÇÃO PARA O ENSINO ARTICULADO” DECORRE A BOM RITMO

É mais um investimento avultado na área da educação que ultrapassa os dois milhões de euros

As obras de “ampliação da Escola Básica e Secundária de Vila Praia de Âncora e Espaços de Integração para o Ensino Articulado” decorrem a bom ritmo, cumprindo-se assim um velho anseio dos ancoreneses. Trata-se de mais um investimento avultado na área da Educação, orçado em € 1.952.436,69 mais IVA. O vereador Rui Lages esteve no local para acompanhar o desenvolvimento dos trabalhos.

escola VPA (1).jpg

Esta empreitada compreende uma intervenção na Escola Básica e Secundária, com a construção de um novo edifício, já visível, que albergará o ensino do 1º ciclo e a Academia de Música Fernandes Fão. A obra encontra-se na fase de “tosco”: a estrutura de betão armado já está terminada e estão a ser executadas as paredes de alvenaria exteriores e interiores, que possuem características especificas fundamentalmente relacionadas com a acústica do edifício, já que parte do mesmo vai acolher a academia de música. Estão ainda em execução as respetivas redes de especialidades, designadamente as redes de abastecimento de água e drenagem de águas residuais.

De acordo com o projeto, o novo edifício contempla várias salas de aula, polivalentes e específicas. Haverá também um novo acesso ao estabelecimento de ensino, a pensar nos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico. O espaço exterior será igualmente renovado, sendo redesenhados os locais destinados à prática de educação física. O espaço destinado à Academia de Música Fernandes Fão contempla espaços destinados à parte administrativa, salas de aula, estúdio, salas de estudo individualizado e um auditório com capacidade para cerca de 170 pessoas, prevendo-se uma utilização polivalente.

Com a ampliação da escola criam-se ainda condições de trabalho para professores e para toda a comunidade escolar, acautelando o possível crescimento do número de estudantes. Esta amplificação permite receber os alunos do primeiro ciclo de ensino, não havendo separação da restante envolvente de comunidade escolar.

escola VPA (2).jpg

escola VPA (3).jpg

CÂMARA DE CAMINHA MANTÉM APOSTA NO BEM-ESTAR ANIMAL

Com mais de sete centenas de esterilizações

As duas campanhas de esterilização de animais de companhia (cães e gatos) lançadas pela Câmara Municipal de Caminha já ultrapassaram as sete centenas de intervenções. A associação Selva dos Animais Domésticos registou uma taxa de execução de 100% relativamente à verba atribuída em função do Orçamento Participativo, somando 630 casos. O Município continua, por outro lado, a apoiar diretamente os munícipes e associações zoófilas legalmente constituídas, nesta área, no quadro do Regulamento do Regime Especial de Esterilização de Animais de Companhia, totalizando mais de quatro dezenas de animais de companhia intervencionados - e a aposta no bem-estar animal é naturalmente para continuar.

243895426_4329126170475212_1612946766449878945_n.j

O "Programa de Esterilização Animal – Freguesia de Caminha e Vilarelho" (com uma dotação de 30 mil euros) foi um dos projetos vencedores do III Orçamento Participativo de Caminha. Este e os restantes projetos vencedores, votados pela população entre os dias 19 de junho e 14 de julho de 2017 foram anunciados ainda nesse mês e trabalhados a seguir, por forma a poderem ser implementados. A associação Selva dos Animais Domésticos tem trabalhado afincadamente, executando o projeto com total sucesso.

A associação foi de facto a responsável pela operacionalização do projeto, cabendo também ao Município, além da transferência da verba, a monitorização do trabalho, função da responsabilidade do veterinário municipal.

De acordo com aquela associação, foram esterilizados no quadro do Orçamento Participativo de Caminha centenas de felídeos, designadamente 455 fêmeas e 175 machos, no âmbito da campanha CED -   captura, esterilização e devolução (que vai continuar), somando um total de 630 animais. Ainda segundo a associação, as freguesias em que mais animais foram esterilizados foram Vila Praia de Âncora, Caminha, Seixas, Moledo, Venade e Lanhelas.   

Entretanto, a Câmara não ficou por aqui e lançou uma segunda campanha, aprovando (em fevereiro de 2019) e pondo em prática o Regime Especial de Esterilização de Animais de Companhia. Como temos referido, este regime é aplicável aos animais de companhia, cães e gatos, cujo detentor faça parte de um agregado familiar com carências económicas, devidamente comprovadas pelos Serviços de Ação Social do Município, mas também se aplica a animais que sejam resgatados das ruas por populares ou associações zoófilas legalmente constituídas. A campanha continua em execução e o documento (regulamento), online no sítio oficial do Município na Internet, explica detalhadamente o procedimento a seguir para os candidatos poderem beneficiar deste regime. Está disponível na área “Viver”, devendo ser selecionada a componente “Documentação” e seguidamente “Regulamentos” (https://www.cm-caminha.pt/pages/726).

Neste âmbito foram intervencionados maioritariamente felídeos, mas também canídeos, ultrapassando já as oito dezenas. Este regime garante a esterilização gratuita dos animais, desde que cumpridos os pressupostos.

PRIMEIRA ESCOLA CONSTRUÍDA DE RAIZ PARA ESSE FIM EM CAMINHA ACOLHE HOJE NÚCLEO MUSEOLÓGICO

Amanhã, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha será exibido um documentário sobre este património de Riba de Âncora. Colóquio “A Escola: passados, realizações e propostas - O concelho de Caminha no contexto regional e nacional“

A antiga Escola de Ensino Primário Geral Comendador Ramos Pereira, em Riba de Âncora, vai estar em destaque amanhã, dia 5 de outubro, no colóquio sobre “A Escola: passados, realizações e propostas - O concelho de Caminha no contexto regional e nacional“, que começa pelas 9h30, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha. Um documentário de cerca de 30 minutos, da autoria de Joaquim Diabinho, vai ser exibido na parte da tarde e mostrar o passado e presente daquele património, que foi o primeiro edifício, no concelho de Caminha, a ser construído com a finalidade de escola. Hoje tem uma nova vida e pertence à Junta de Freguesia, como era desejo do benfeitor.

núcleo museológico (4).jpg

A construção do imóvel, numa freguesia do Vale do Âncora, em 1886, foi apenas possível graças à generosidade e visão do Comendador Ramos Pereira, um benemérito que percebeu a importância do Ensino e que assim quis beneficiar a sua comunidade. Durante cerca de um século e meio, o imóvel foi utilizado como escola.

Quando a escola foi desactivada, perdendo a função educativa, não passou para a propriedade da Junta, sem que tivesse havido logo essa perceção. Só muitos anos mais tarde, aquando da avaliação, para efeitos de IMI, a Junta de Freguesia tomou conhecimento, com total surpresa, de que o Estado Português era o titular do edifício da antiga primária, que o Comendador doara de facto à Junta de Freguesia. Perante o conhecimento desta situação, o Município de Caminha procedeu de imediato ao registo da escola em seu nome, ao abrigo do Decreto Lei 7/2003, de 15/01, na sua redação atual, com o intuito de a doar à Junta de Freguesia de Riba de Âncora.

A proposta nesse sentido foi apresentada pelo Presidente da Câmara, Miguel Alves, ao Executivo, em 17 de junho de 2019 e aprovada aí, como a seguir em sede de Assembleia Municipal. No dia da Comunidade Ribancorense, a chave foi simbolicamente entregue ao Presidente da Junta de Freguesia, Paulo Alvarenga.

Cumprida a vontade do Comendador José Ramos Pereira e da população, a verdade é que o edifício sempre foi bem cuidado e acolhe hoje o Núcleo Museológico da Memória, Artes e Ofícios de Riba de Âncora (NUMMAORA), integrando a rede de Museus do Concelho de Caminha.

Como se pode ler ni sítio oficial do Município de Caminha na Internet, ao visitar este espaço “somos convidados a fazer uma viagem no tempo: ao tempo das Salas de Aula do Estado Novo, onde encontramos o crucifixo na parede, o velho quadro de lousa negro, o mapa de Portugal Continental que ensina as províncias, os rios e as serras, a fotografia do chefe de Estado, Oliveira Salazar, as velhas carteiras de madeira com tinteiros, cadernos e sebentas, e a palmatória de madeira que aquecia as mãos a quem não sabia a tabuada na ponta da língua…

Viajamos ao tempo em que, depois da instrução primária, se passava à aprendizagem de uma arte ou um ofício - carpintaria, cantaria, estuque, extração e os trabalhos em granito, elaboração de palmitos, produção do leite destinada às mulheres da freguesia, etc.

Podemos apreciar a arte de trabalhar a madeira através da exposição de artefactos de madeira, como os arados e outras ferramentas, um esmagador de uvas, rodas de carros de bois, torneiras de pipos… e até um esquife de madeira talhado, que se destinava a transportar os defuntos pobres ao cemitério, destinado a dar-lhes um funeral digno, e depois regressava para ser reutilizado”.

O colóquio de amanhã, que acontece no Dia da República e, simultaneamente, Dia Mundial do Professor, é uma iniciativa do Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha, Câmara Municipal de Caminha e Centro de Formação do Vale do Minho.

Destaque especial para as presenças dos professores doutores António Nóvoa e Luís Alberto Marques Alves, reconhecidos investigadores da história da educação portuguesa. José Carlos Loureiro e Paulo Torres Bento, por sua vez, abordarão a perspetiva regional e local da escola e do ensino do Alto Minho e no concelho de Caminha na época contemporânea, e, no final dos trabalhos, ex-alunos das escolas do concelho debaterão em mesa-redonda, moderada por Carlos Carrilho, as suas vivências escolares e o modo como as mesmas influíram nos seus percursos profissionais e de vida.

núcleo museológico (5).JPG

núcleo museológico (6).JPG

núcleo museológico (2).jpg

núcleo museológico (1).JPG

243980356_4328907817163714_1403043298181314071_n.j

244314478_4328906870497142_6360266375713443581_n.j

TURISMO DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL E CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO HOMENAGEIAM FRANCISCO SAMPAIO

O Turismo do Porto e Norte de Portugal e a Câmara Municipal de Viana do Castelo, vão homenagear o Dr. Francisco Sampaio, no próximo dia 3 de Outubro, atribuindo ao Centro de Congressos do Castelo de Santiago da Barra, a designação de CENTRO DE CONGRESSOS FRANCISCO SAMPAIO.

161788183_4743483748999440_2279885345319671917_o.j

Detentor de um curriculum invejável, Francisco Sampaio dedicou a sua vida ao turismo. Tem mais de quatro dezenas de obras publicadas nas áreas da sociologia e do turismo e viu o seu mérito reconhecido cerca de duas dezenas de vezes. Com provas dadas no associativismo,foi diretor artístico e maestro do Grupo Coral do Orfeão de Vila Praia de Âncora, presidente da direção da Associação dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora, fundador do Lions Clube de Vila Praia de Âncora, presidente da Assembleia Geral do Centro Cultural e Social de Vila Praia de Âncora e presidente da Comissão de Festas de Nossa Senhora da Bonança.

Foi ainda presidente da Assembleia Municipal de Caminha e um grande impulsionador do desenvolvimento de produtos turísticos na região do Alto Minho, como por exemplo os Caminhos de Santiago, a Rota do Românico da Ribeira Minho, o artesanato, a gastronomia e vinhos e ainda teve um papel ativo na recuperação e remodelação do património, como foi o caso do Castelo de Santiago da Barra, em Viana do Castelo.

O Dr Francisco Sampaio foi desde 1980 Presidente da Região de Turismo do Alto Minho e a ele se deve em grande medida a promoção do Minho também nas suas vertentes económica, cultural e paisagística, nomeadamente o seu folclore e o turismo rural.

Conceituado estudioso e defensor da gastronomia tradicional minhota, a sua atividade científica tem sido marcada pelos inúmeros trabalhos que tem produzido na área do turismo, marketing e definição do produto turístico do Alto Minho. Esclareça-se que, neste conceito geográfico, a Região de Turismo do Alto Minho abrangeu, para além dos concelhos do distrito de Viana do Castelo, ainda os de Terras de Bouro, Barcelos e Esposende, no distrito de Braga.

Presença assídua em programas televisivos e em todos os fóruns que poderiam constituir uma oportunidade de promoção turística da nossa região, ela é atualmente em grande medida resultado da estratégia delineada e perseguida pelo Dr. Francisco Sampaio.

Para além da sua atividade como investigador e divulgador das potencialidades turísticas do Minho, integrou desde sempre numerosas instituições da nossa região, mormente do concelho de Caminha onde tem vive, entre as quais se salienta a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e o Orfeão de Vila Praia de Âncora onde foi coralista e maestro. Tem ainda integrado muitas Comissões de Festas como as de Nossa Senhora da Agonia, em Viana do Castelo, e Nossa Senhora da Bonança, em Vila Praia de Âncora.

O seu trabalho em prol do Minho e do país tem merecido público reconhecimento por parte de inúmeras entidades oficiais das quais destacamos a Secretaria de Estado do Turismo que, em 1996, atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Turístico, a Xunta de Galiza com a Medalha de Honra em 2003, a Secretaria de Estado do Turismo com a Medalha de Honra em 2005 e, ainda no mesmo ano, a atribuição da Comenda de Mérito do Presidente da República.

ManifestaçãoFreguesias 102

A imagem mostra o Dr. Francisco Sampaio, desfilando em Lisboa na avenida da Liberdade, em 2014, juntamente com milhares de minhotos que ali foram reclamar contra a extinção das freguesias. (Foto: Carlos Gomes)

COLÓQUIO CELEBRA OS 50 ANOS DA PRIMEIRA ESCOLA PÚBLICA DE ENSINO PÓS PRIMÁRIO NO CONCELHO DE CAMINHA

Dia 5 de outubro, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha

No próximo dia 5 de outubro - Dia da República e, simultaneamente, Dia Mundial do Professor terá lugar em Caminha um colóquio subordinado ao tema “A Escola: passados, realizações e propostas - O concelho de Caminha no contexto regional e nacional“. Trata-se de uma iniciativa do Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha, Câmara Municipal de Caminha e Centro de Formação do Vale do Minho que acontece num período particularmente feliz para a Educação no concelho, com a entrada em funcionamento das renovadas instalações da Escola Básica e Secundária de Caminha, num investimento de quatro milhões de euros, mas também numa altura em que estão em construção a Escola Básica de Vila Praia de Âncora e a sede da Academia de Música Fernandes Fão, na mesma Vila.

O colóquio celebra a passagem dos 50 anos da criação oficial, em outubro de 1971, da primeira escola pública de ensino pós primário no concelho de Caminha — então com a denominação de Escola Preparatória Sidónio Pais. Já o primeiro edifício construído com a finalidade de servir como escola está em Riba de Âncora e resultou da intervenção de um benemérito, o comendador Ramos Pereira. 

Recorde-se que o edifício da Escola Primária Comendador Ramos Pereira foi doado à Junta de Freguesia de Riba de Âncora, conforme era desejo da autarquia local e da população da freguesia, manifestado em diversas ocasiões. O desejo era antigo mas só se concretizou em 2019, com a entrega simbólica pela Câmara da chave da antiga Escola do Comendador Ramos Pereira à Junta de Freguesia.

Com um programa diversificado ao longo do dia, que inclui conferências, uma mesa redonda e a primeira exibição de um documentário sobre a primeira escola com edifício próprio do concelho — A Escola de Ensino Primário Geral Comendador Ramos Pereira, em Riba de Âncora (1867) —, merecem destaque especial as presenças dos professores doutores António Nóvoa e Luís Alberto Marques Alves, reconhecidos investigadores da história da educação portuguesa. José Carlos Loureiro e Paulo Torres Bento, por sua vez, abordarão a perspetiva regional e local da escola e do ensino do Alto Minho e no concelho de Caminha na época contemporânea, e, no final dos trabalhos, ex-alunos das escolas do concelho debaterão em mesa-redonda, moderada por Carlos Carrilho, as suas vivências escolares e o modo como as mesmas influíram nos seus percursos profissionais e de vida.

O colóquio está creditado na modalidade de ação de curta duração (6H) relevando para a progressão na carreira docente de acordo com o despacho nº 5741/2015, de 26 de Maio —, mas os trabalhos estarão abertos a outros convidados e participantes até ao limite da lotação do Valadares, Teatro Municipal de Caminha.

CONFERENCISTAS

António Sampaio da Nóvoa (Valença, 1954) é doutor em Ciências da Educação pela Universidade de Genève (1986) e doutor em História Moderna e Contemporânea pela Universidade de Paris IV-Sorbonne (2006). Na infância, acompanhando a colocação profissional do pai juiz, fez a instrução primária na Escola Pública de Caminha, tendo terminado a quarta classe já em Nova Oeiras, onde a família se instalou no início de 1964. A sua vida como docente universitário inicia-se em 1982 na Universidade de Genève e, a partir de 1986, ingressa na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, tendo-se tornado professor catedrático em 1996. É professor convidado de várias universidades internacionais, nomeadamente Wisconsin (1993/1994), Paris V (1995), Oxford (2001), Columbia – New York (2002), Brasília (2014) e Federal do Rio de Janeiro (2017). Entre 1996 e 1999, foi consultor para os assuntos da educação da Casa Civil do Presidente da República Jorge Sampaio. Entre 2000 e 2003, foi Presidente da International Standing Conference for the History of Education e, entre 2006 e 2013, foi Reitor da Universidade de Lisboa, conduzindo o processo de fusão da Universidade de Lisboa e da Universidade Técnica de Lisboa. Em 2012 presidiu às comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas e em 2014 esteve no Brasil numa missão internacional da UNESCO junto do Governo Brasileiro. É Doutor Honoris Causa pela Universidade do Algarve (2015), Universidade de Brasília (2015), Universidade Lusófona (2016), Universidade Federal do Rio de Janeiro (2017) e Universidade Federal de Santa Maria (2019). Desde abril de 2018 até muito recentemente foi o Embaixador de Portugal junto da UNESCO. António Sampaio da Nóvoa é um dos mais reputados especialistas internacionais na área da Educação e publicou em diversos países cerca de duas centenas de trabalhos científicos na área da Educação — em particular sobre temáticas da profissão docente, da história da educação e da educação comparada —, com destaque para a sua tese de doutoramento "Le Temps des Professeurs: Analyse socio-historique de la profession enseignante au Portugal " (1987), a coordenação do Dicionário de Educadores Portugueses (2003), Professores – Imagens do futuro presente (2009) e O regresso dos professores (2011).

Luís Alberto Marques Alves (Guimarães, 1955). Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e Doutorado em História Contemporânea (História da Educação), pela mesma instituição. Foi Professor do Ensino Secundário, sendo desde 2007 Professor Auxiliar com Agregação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É Investigador do CITCEM-Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória, onde é coordenador de grupo - Memória, Património e Construção de Identidades. Foi também comissário das Exposições O Passado da Escola, o Futuro do Ensino (1990), e A República lá em casa (2010). As suas áreas de investigação são a História Contemporânea de Portugal, a História da Educação, a didática da História e a educação histórica. É autor de inúmeros trabalhos sobre a História da Educação em Portugal — nomeadamente nas áreas do ensino técnico, ensino artístico e secundário e formação de professores — publicados em revistas da especialidade, capítulos de livros ou em livro, destacando-se, entre outras, as monografias O Porto no arranque do ensino industrial 1851-1910 (2003), ISEP 150 anos: Memória e Identidade (2005), Ensino Técnico 1756-1973 (2009), Investigar, intervir e preservar em História da Educação (2017) e Telescola: um espaço de referência educativa (2019).

José Carlos Loureiro (Viana do Castelo, 1971) é licenciado em História e mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É pós-graduado em Sociologia da Cultura e Estilo de Vida pela Universidade do Minho e doutor em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. Coautor do livro Feiras e Mercados de Viana (Viana do Castelo, 2001) e autor de textos na obra coletiva Figuras Limianas (Ponte de Lima, 2008), publicou artigos em diversas revistas locais e nacionais. Preside, desde 2011, à direção do Centro de Estudos Regionais e atualmente leciona História no Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha, onde é coordenador do Departamento de Ciências Sociais e Humanas.

Paulo Torres Bento (Tondela, 1962) é licenciado em História pela Universidade do Porto e Mestre em Educação pela Universidade do Minho. É professor de História e bibliotecário no Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha e desde 2003 vem-se dedicando à investigação sobre a História do concelho de Caminha e do Alto Minho, sobre a qual é autor de diversas monografias, a última das quais intitulada A Maçonaria ao Val. de Âncora

e a Loja Vedeta do Norte [1903-1929] (2021), e coautor de outras no campo de ação do Grupo de Estudo e Preservação do Património Vilarmourense. Também no âmbito da história local e da formação de professores, coordenou em Caminha os colóquios 150 anos do nascimento de Luciano Pereira da Silva (2014), 80 anos da Guerra Civil de Espanha (2017), 140 Anos do Comboio no Concelho de Caminha & os Azulejos de Estação de Gilberto Renda (2018) e Do Armistício da Grande Guerra ao assassinato de Sidónio Pais (2018).

FEIRÕES DE TRADIÇÕES REGRESSAM A CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA

Amanhã, Caminha é palco de mais um Feirão de Tradições - Os sabores do campo. A zona junto ao Mercado vai transformar-se num pequeno “mercado agrícola” para acolher mais um feirão, cujo objetivo é revitalizar a agricultura local. Entre as 9H00 e as 13H00, o visitante pode adquirir os mais variados produtos hortícolas da época e genuínos do concelho.

243188793_4313520825369080_7618120319737075499_n.j