Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINHO: O CULTO DOS MORTOS E A ACÇÃO CRIADORA DOS DEUSES

Desde sempre o Homem acreditou na possibilidade dos mortos intercederem na acção criadora dos deuses e no próprio ciclo da natureza, contribuindo inclusivamente para o renascimento dos vegetais e das culturas que os demónios e maus espíritos do inverno fizeram desaparecer.

Dólmen da Barrosa (4)

Dólmen da Barrosa em Vila Praia de Âncora

 

Esta crença está na origem de uma infinidade de práticas relacionadas com o culto dos mortos que regra geral se iniciam em Novembro e prolongam-se até à Serração-da-Velha, atravessando as cerimónias solsticiais ou "saturnais" e os festejos carnavalescos.

Naturalmente, os ritos variam consoante as celebrações em causa mas conservam entre si uma finalidade comum que é o de assegurar que o ciclo da vida e da morte não se interrompa, possibilitando por conseguinte que ao inverno suceda impreterivelmente a primavera.

De acordo com as investigações feitas no domínio da arqueologia e da antropologia, acredita-se que as práticas do culto dos mortos tiveram o seu começo na fase de transição da pedra lascada para a pedra polida, sendo disso testemunho os inúmeros monumentos funerários como os dolméns ou antas, inscrições votivas e outros achados. Não admira, pois, que sejam precisamente os monumentos funerários desde sempre os mais visitados pelo seu interesse artístico e patrimonial, marcando cada época histórica e constituindo roteiros culturais.

Pão por Deus ! - pedem as crianças na região saloia, percorrendo as casas em alegre peditório. A ladaínha varia contudo de uma região para outra. Por exemplo, para os lados de Braga é costume dizer-se do seguinte modo: "Bolinhos, bolinhós, / Para mim e para vós / E para quem está debaixo da cruz / Truz truz".

Por esta ocasião, as pessoas cumprem o ritual da visita aos cemitérios e cuidam das sepulturas dos seus entes queridos. Mas, também em casa é costume em muitas localidades, após a ceia, deixar até ao dia seguinte a mesa composta de iguarias para que os defuntos possam banquetear-se.

Nalgumas localidades, na noite de Todos-os-Santos, coloca-se uma mesa com castanhas para os familiares falecidos, as quais ninguém tocará porque ficam “babadas dos defuntos”. Da mesma forma que o azeite que alumia os defuntos jamais alumiará os vivos. Entre alguns povos do leste europeu conserva-se ainda a tradição de organizar o festim no próprio cemitério a fim de que todos em conjunto – mortos e vivos – possam confraternizar !

A partir desta época do ano, as noites das aldeias são povoadas por criaturas extraordinárias que surgem nas encruzilhadas e amedrontam os notívagos. Uívam os lobos nas serranias enquanto as bruxas – quais sacerdotisas do paganismo – reunem-se sob as pontes em locais ermos.

Aconselha a prudência que ao gado se prendam pequenas saquinhas de amuletos que o resguardem do “mau olhado”. O serão é passado junto à lareira, no afago do lume, escutando aos mais antigos estória que nos embalam num mundo de fantasia povoado por seres sobrenaturais. E, quando finalmente chegada é a hora de dormir, manda o costume fazer o sinal-da-cruz para que o demónio não nos apoquente e a manhã do dia seguinte nasça radiosa a anunciar uma vida nova.

Dólmen da Barrosa (6)

Dólmen da Barrosa em Vila Praia de Âncora

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMINHA OFERECE LIVROS DE FICHAS A ALUNOS DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

Abrangidos mais de 250 alunos

A Câmara Municipal de Caminha está a distribuir os livros de fichas aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, beneficiários de ação social escolar (alunos com escalões A e B). No total, serão abrangidos mais de 250 alunos, o que se traduz num investimento que ultrapassa os 7 mil euros. A vereadora da Educação, Liliana Ribeiro, está a fazer a distribuição pelas escolas do concelho.

entrega livros fichas (1).JPG

Garantir uma educação de qualidade às crianças e jovens do concelho continua a ser uma prioridade para o executivo caminhense. No presente ano letivo, o Município vai oferecer 850 livros de fichas, designadamente de inglês, matemática, português e estudo do meio, a mais de 250 alunos. Recorda-se que os manuais escolares foram oferecidos pelo Governo.

O investimento na educação é avultado. Este ano, com preocupações e medidas acrescidas devido à pandemia COVID 19, o investimento do Município vai ultrapassar os 800 mil euros em transportes e refeições escolares, atividades de animação e apoio à família, aquisição de livros de fichas para os alunos do 1º ciclo, beneficiários de ação escolar, higienização e limpeza dos estabelecimentos de ensino e aquisição de máscaras para o pessoal não docente.

CAMINHA: PORTO E BARRA DO RIO MINHO

Porto e barra do rio Minho : Caminha : plano hidrografico levantado em 1913 / Missão Hidrografica da Costa de Portugal ; lev. por E. T. de Almeida Carvalho e R. N. Frade. - Escala 1:20000. - [Lisboa] : Missão Hidrográfica da Costa de Portugal, [1913]. - 1 plano : color. ; 27,50x23,70 cm em folha de 36,40x29,50 cm

Fonte: Biblioteca Nacional de Portugal

cc-44-p2_0001_est_t24-C-R0150.jpg

ESCOLAS EB1 DE ÂNCORA LAGE E EB1/JI DE VENADE VENCEDORAS DO PROGRAMA ECOVALOR

No concelho foram entregues cerca de 10 toneladas de embalagens de plástico/metal

As escolas do concelho de Caminha continuam a evidenciar-se nos programas de consciencialização ambiental. As escolas EB1 de Âncora Lage e a EB1/JI de Venade arrecadaram os 1º e 2º lugares, respetivamente, no programa Ecovalor promovido pela Valorminho. Este programa contou com a participação de 19 escolas do Vale do Minho e permitiu a separação de 19 toneladas de embalagens de plástico/metal. Liliana Ribeiro, vereadora com o pelouro da Educação, considera “as boas práticas devem ser divulgadas e replicadas, as questões ambientais e a proteção da natureza devem merecer a atenção de todos nós, pois só temos este planeta”.

O programa Ecovalor tem como objetivo promover boas práticas ambientais em estabelecimentos de ensino, premiando os estabelecimentos de ensino que apresentarem melhor desempenho na separação das suas embalagens usadas.

No concelho de Caminha, são cada vez mais as escolas que aderem a projetos de educação ambiental. Desta feita, aderiram ao programa o Patronato Nossa Senhora da Bonança, o Jardim de Infância de Moledo, a EB de Caminha, a EB Âncora Lage, o Jardim de Infância de Vila Praia de Âncora, a EB/JI de Venade, a EB/JI de Seixas. No total, estes estabelecimentos de entregaram cerca de 10 toneladas embalagens de plástico/metal. Quanto às escolas vencedoras, a EB 1 de Âncora Lage entregou 2574 kg de lixo e a EB1/JI de Venade 2451kg.

VILA PRAIA DE ÂNCORA: PASSAGEM INFERIOR PEDONAL FICARÁ CONCLUÍDA NA PRIMAVERA DO PRÓXIMO ANO

O Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, acompanhado do Presidente da Infraestruturas de Portugal, António Laranjo, visitou ontem, na companhia do Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves e do presidente da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora, Carlos Castro, as obras de construção da passagem inferior pedonal da Travessa do Teatro, em Vila Praia de Âncora.

121673473_3343655372355635_8620985000643558464_o.j

Esta passagem irá permitir o atravessamento da linha em segurança entre a rua 31 de Janeiro e a Avenida Doutor Ramos Pereira, junto à praia. Esta obra nasceu do anseio da população e da exigência de Miguel Alves, aquando do lançamento da empreitada de eletrificação e modernização da Linha do Minho pelo atual Governo e tem avançado, de forma meticulosa, nos últimos meses, estando agora apta a entrar numa nova fase de construção.  

A passagem inferior pedonal da Travessa do Teatro, em Vila Praia de Âncora, deverá estar concluída na primavera de 2021. Investimento de 500 mil euros, incluída na empreitada de Modernização da Linha do Minho.

121693903_3343655889022250_3351821284434087158_o.j

121962023_3343654835689022_4157609260860273659_o.j

121674718_3343656115688894_450283446794736131_o.jp

121824742_3343656289022210_6750504229090154070_o.j

LIGAÇÃO DA ECOVIA ENTRE CERVEIRA E CAMINHA CONCLUÍDA ATÉ AO FINAL DO ANO

Está a decorrer a pavimentação do troço da Ecovia ‘Caminho do Rio’ que liga os concelhos de Vila Nova de Cerveira e de Caminha, entre a Praia Fluvial da Mota, em Gondarém, e a freguesia de Lanhelas. Esta 3ª e última fase, correspondente a 940 metros, dá por concluída a ‘via verde’ que atravessa o território municipal, proporcionando a plena usufruição pedonal e ciclável ao longo de 40kms até Monção.

Ecoviavncerv.jpg

Há muita desejada e planeada, e ultrapassados os impasses burocráticos inerentes, a concretização deste importante troço é encarada como imperiosa pela autarquia cerveirense, com repercussão intermunicipal, dado o caráter de continuidade subjacente a um valioso corredor ecológico reconhecido, em 2017, como a terceira Melhor Via Verde da Europa, nos 8th European Green Award, na Irlanda.

De visita à obra, esta quarta-feira, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, acompanhado pelo Vice-Presidente Vitor Costa, manifesta-se satisfeito pelo desenvolvimento dos trabalhos no terreno e, sobretudo, pela garantia de um percurso que , além de ser totalmente amigável e integrado na paisagem, prioriza a igualdade na acessibilidade e mobilidade.

O edil cerveirense realça que a conclusão da ‘via verde’ de Vila Nova de Cerveira incorpora ainda uma componente de novos desafios de atratividade turística para o território municipal, bem como é uma porta aberta para a Galiza. “Queremos concretizar, num futuro próximo, a ponte pedonal e ciclável entre o nosso Parque do Castelinho e o Espaço Fortaleza, em Tomiño, Galiza, e que será o primeiro Parque Transfronteiriço pelo menos de Portugal/Espanha”, recorda.

Marcada pela proximidade ao rio Minho e pela interação harmoniosa com a natureza envolvente, além do pavimento, esta 3ª fase tem ainda algumas especificidades ao nível de inclinações, muros e árvores, para as quais foram consensualizadas soluções a implementar no espaço sem desfigurar o atual estado.

Com esta última fase, cuja conclusão está prevista para o final do ano, a Ecovia ‘Caminho do Rio’, em Vila Nova de Cerveira, ficará com cerca de 13,5kms de pleno contacto com o rio Minho e natureza envolvente.

MUNICÍPIO CAMINHENSE ARRANCA COM MONTAGEM DO MERCADO PROVISÓRIO EM CAMINHA

Instalação de espaço temporário servirá para albergar comerciantes e servir a população depois da demolição do Mercado Municipal prevista já para novembro

A Câmara Municipal de Caminha inicia amanhã, dia 15 de outubro, os trabalhos preparatórios para a implantação do Mercado Municipal provisório que albergará os comerciantes que se encontram no atual mercado. A autarquia garantiu já financiamento e empreiteiro para o novo Mercado Municipal, obra que arrancará nas próximas semanas, mas, para que se possa intervir nele de forma segura, tornou-se imperioso encontrar soluções para albergar os atuais comerciantes num espaço digno no decorrer da referida obra. Assim, será criada uma área provisória onde os munícipes poderão realizar as compras que habitualmente faziam no Mercado.

modulo 2caminha (1).jpg

A instalação dos módulos será concretizada na praça Pontault-Combault, em frente ao Mercado atual, entre o casario a nascente e o arruamento a poente, ocupando quer a via de circulação interior quer a zona de estacionamento existente entre as casas de banho públicas a norte e a rua Lino Felgueiras da Silva a sul.

Para dotar estes módulos com abastecimento de água e saneamento torna-se necessário proceder a trabalhos que levarão à suspensão temporária de trânsito exceto para moradores e cargas e descargas ao Mercado provisório na praça Pontault-Combault, entre o casario a nascente e o arruamento a poente (prolongamento da rua da Trincheira) e entre as casas de banho públicas a norte e a rua Lino Felgueiras da Silva a sul, entre o dia 15 de outubro do corrente ano até ao final da obra.

O novo espaço temporário de venda pretende ser um local apelativo, que promova a venda dos nossos produtos locais, albergando os comércios existentes. Com a instalação das infraestruturas necessárias ao funcionamento dos modernos contentores que estarão ao serviço dos comerciantes e população, estão criadas as condições para se promover a demolição do atual Mercado Municipal e a construção de um outro, renovado, que corresponde a uma ambição de décadas da vila e do concelho de Caminha. A obra do novo Mercado Municipal de Caminha corresponde a um investimento superior a 600 mil euros.

modulo 2caminha (2).jpg

modulo 2caminha (3).jpg

CÂMARA DE CAMINHA, JUNTAS DE FREGUESIA E ULSAM JUNTAS NA CAMPANHA DE PREVENÇÃO DA GRIPE SAZONAL

Campanha de vacinação decorre de 19 de outubro a 20 de dezembro

A Câmara Municipal de Caminha, as Juntas de Freguesia e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) estão a promover, de forma gratuita, a Campanha de Prevenção da Gripe Sazonal dirigida às pessoas com idade igual ou superior a 65 anos. O objetivo é descentralizar a vacinação, ou seja, fazer com que os Munícipes não se desloquem, em massa, aos Centros de Saúde de Caminha ou de Vila Praia de Âncora.

Cartaz Campanha Gripe Sazonal.jpg

Para além de apelar para a importância da vacina da gripe, fortemente recomendada para grupos de risco, esta iniciativa de descentralização da vacinação tem como objetivo salvaguardar os grupos de maior risco à transmissão do vírus COVID19. Os interessados devem dirigir-se à junta de freguesia da sua residência e fazer a respetiva inscrição. Como referimos a vacina é gratuita. Assim, de 19 de outubro a 20 de dezembro, uma equipa de enfermeiros deslocar-se-á a cada freguesia para vacinar cada um dos munícipes inscritos gratuitamente.

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde a vacina da gripe diminui muito o risco de contrair a infeção. Se for infetada, a pessoa vacinada terá um menor risco de ter complicações. Assim, a vacinação contra a gripe é fortemente recomendada para os seguintes grupos prioritários: pessoas consideradas com alto risco de desenvolver complicações pós gripe ( pessoas com 65 anos ou mais, particularmente se residentes em lares idosos [Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas] ou outras instituições; residentes ou internados por períodos prolongados em instituições prestadoras de cuidados de saúde, como por exemplo hospitais; grávidas e doentes com mais de 6 meses de idade e que apresentem doenças crónicas ou imunitárias); pessoas com probabilidade acrescida de contrair e transmitir o vírus (que residem com crianças ou que lhes prestem cuidados, cuja idade não permita a vacinação e que tenham risco elevado de complicações; que residem com pessoas consideradas de alto risco de desenvolver complicações pós gripe); saúde ocupacional (profissionais dos serviços de saúde, públicos e privados, e de outros serviços prestadores de cuidados; bombeiros; profissionais de infantários, creches e equiparados; profissionais dos estabelecimentos prisionais).