Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO REQUALIFICA CAMPO DO SECO

Presidente da Câmara deu a conhecer aos Cabeceirenses a grande obra de requalificação do Campo do Seco em sessão de esclarecimento. Espaço público renovado, mais moderno e mais cómodo

Dezenas de pessoas participaram na passada sexta-feira, dia 8 de fevereiro, na sessão de esclarecimento sobre a grande empreitada do Campo do Seco, uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que contou com a presença do presidente da Câmara, Francisco Alves, dos vereadores e presidentes de Juntas de Freguesia, técnicos do Município, moradores, comerciantes e público em geral. A sessão decorreu no auditório da Casa do Tempo.

Presidente da Câmara deu a conhecer obra de requalificação do Campo do Seco (1).JPG

Depois de cumprimentar e de dar as boas-vindas a todos, o presidente da Câmara Municipal falou da importância da obra, bem como das dificuldades que serão sentidas ao longo do próximo ano, durante o qual decorrerá a empreitada de requalificação do Campo do Seco.

Coube ao Eng. Pedro Sousa, vereador das Obras Municipais e Espaço Público, apresentar o projeto de reabilitação urbana do Campo do Seco. Para além dos objetivos desta intervenção de grande envergadura, o vereador descreveu a situação atual, enumerando os estudos preparatórios que foram efetuados. O autarca deu igualmente a conhecer à plateia o projeto e a obra do Campo do Seco, falando ainda da relocalização da feira semanal.

Presidente da Câmara deu a conhecer obra de requalificação do Campo do Seco (2).JPG

A obra arranca já amanhã, dia 12 de fevereiro, sendo a feira semanal relocalizada para a Praça Arcipreste Francisco Xavier de Almeida Barreto, mais concretamente para o Mercado Municipal e zona adjacente, bem como para a Rua Fonte de S. João, na próxima segunda-feira, dia 18 de fevereiro.

No final, depois de responder às várias questões apresentadas pelo público presente no auditório, o presidente da Câmara apelou à compreensão de todos para os transtornos que esta obra de grande envergadura vai causar. “Será um ano difícil mas é por uma boa causa”, destacou o edil, sublinhando que “depois da obra concluída o saldo será certamente muito positivo”.

O Campo do Seco será dotado de todas as infraestruturas básicas, ficando totalmente renovado, mais bonito, cómodo e funcional. 

Afirmando tratar-se de uma “obra estruturante para a vila”, Francisco Alves destacou: “trabalhamos pelos Cabeceirenses e para os Cabeceirenses”.

Presidente da Câmara deu a conhecer obra de requalificação do Campo do Seco (3).JPG

CENTRO DE TEATRO DE CABECEIRAS DE BASTO PROMOVE CULTURA CABECEIRENSE

Três vereadores do IPC votaram contra

Na sequência das principais deliberações da reunião de câmara de 25 de janeiro, o Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto aprovou por maioria, com três votos contra dos vereadores do IPC, o protocolo de colaboração com a Associação ‘No Encalço de Ideias’ para dinamização do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto. O protocolo para a execução de um plano de desenvolvimento cultural a realizar no Município, durante o ano de 2019, tem como objeto a atribuição de um apoio financeiro e logístico no montante de 75 mil euros, estando, assim, garantida a continuidade do Centro de Teatro na promoção e afirmação da cultura Cabeceirense aquém e além-fronteiras.

CTCMCB levou 'O Baile' aos Claustros do Mosteiro - Arquivo 2018.JPG

De salientar que a celebração do protocolo mereceu quatro votos favoráveis do PS e três votos contra dos vereadores do IPC que apresentaram uma declaração de voto, elencando os motivos dessa votação: “investimento nitidamente desproporcional” e “um evidente exagero”.

A realidade é que as extraordinárias e inspiradoras produções do Centro de Teatro continuam a arrebatar numeroso público que tem assistido aos inúmeros espetáculos promovidos pelo CTCMCB, o que é bem demonstrativo do interesse dos Cabeceirenses por este projeto que tem vindo a ser amplamente acarinhado pelas pessoas, um projeto de sucesso que a Câmara Municipal não pode, por isso, deixar de apoiar.

De destacar que o CTCMCB conta com a participação e formação efetiva de cerca de duas centenas de crianças, jovens e adultos do concelho de Cabeceiras de Basto, tendo como principal objetivo dar continuidade ao projeto de formação artística onde se desenvolvem e partilham experiências cénicas com diferentes grupos e associações locais, uma verdadeira aposta na cultura e mais concretamente no teatro mas também na valorização humana e artística dos Cabeceirenses.

As apostas do Município têm sido, ao longo dos anos, transversais a todos os setores de atividade, e a cultura não é exceção.

O CTCMCB – Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto continua a promover a cultura ao seu melhor nível. Numa perspetiva da arte ao encontro da comunidade, tem sido desenvolvido um excelente trabalho no campo cultural e artístico concelhio, a que o CTCMCB pretende dar continuidade indo, desta forma, ao encontro das pessoas e das instituições culturais, através da promoção de um conjunto de ações capazes de contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade ao confrontá-la com novas manifestações artísticas e sensibilizá-la para a articulação das artes com o seu quotidiano.

O Centro de Teatro tem aprofundado estudos e universalizado a cultura rural na procura de novas linguagens e técnicas de comunicação, bem como na aproximação de agentes culturais e sociais, com enfoque especial nas gentes da terra. O CTCMCB trabalha as memórias, as tradições e o património material e imaterial. Não só faz a recolha dos aspetos que envolvem o nosso património imaterial, como o tratam e divulgam.

O Centro de Teatro assume-se como um projeto inclusivo, intergeracional, envolvente e comunitário que pretende ser impulsionador de um processo de transformação cultural na sociedade, ancorado ao Município de Cabeceiras de Basto. De destacar igualmente a colaboração do Centro de Teatro com as freguesias, o movimento associativo e outras instituições, e também com o Agrupamento de Escolas, designadamente promovendo a integração de algumas crianças e jovens.

O Centro de Teatro que surgiu em 2012 tem vindo, ano após ano, a reafirmar no concelho a forte aposta que a Câmara Municipal tem vindo a desenvolver na cultura, criando em conjunto um elevado nível de programação cultural e artística.

CABECEIRAS DE BASTO CONTA A HISTÓRIA DO PARLAMENTARISMO PORTUGUÊS

Vinte e cinco painéis que contam a história do parlamentarismo português para ver na Casa da Cultura até 6 de março

Foi inaugurada ontem, dia 4 de fevereiro, na Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto uma exposição sobre o Parlamentarismo em Portugal, mostra que é composta pelas imagens captadas por Joshua Benoliel, considerado o primeiro repórter fotográfico em Portugal.

Exposição (3)esposend.JPG

Na iniciativa marcaram presença os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, respetivamente, os vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, os presidentes das Juntas de Freguesia de Refojos, Outeiro e Painzela e de Abadim, Leandro Campos e Fernando Basto, respetivamente, e ainda os técnicos da Assembleia da República, Dr. João Gil, Dr. José António Martins e Dr. Francisco Lancastre e Távora, este que é o responsável pela exposição.

Exposição (2)esposend.JPG

Três turmas do Externato de S. Miguel de Refojos, do 7º, 10º e 11º ano, assistiram igualmente à abertura desta exposição na Casa da Cultura, acompanhados dos seus professores.

A mostra que estará patente ao público até ao dia 6 de março de 2019 é uma mostra itinerante da responsabilidade do Museu da Assembleia da República, constituída por 25 painéis que contam a história do parlamentarismo português e dos espaços que o parlamento ocupa desde 1934.

A exposição recua, ainda, à origem do Palácio de São Bento, que começou como um mosteiro, em 1598, até à transformação em Palácio das Cortes, em 1833. Nela se ilustram também as adaptações e acrescentos ao atual edifício e é dada especial atenção à história do parlamento, a partir de 1976, com referência aos partidos políticos representados e ao modo de funcionamento deste órgão de soberania nacional.

Esta exposição permite aos visitantes percorrer a história do Parlamento, abordando os órgãos constituintes da Assembleia da República, a sua competência política e legislativa e a Constituição.

Exposição (1)esposend.JPG

CABECEIRAS DE BASTO PREVINE SITUAÇÕES DE RISCO SOCIAL

Executivo Municipal indica Basto Vida para o desenvolvimento do Programa CLDS-4G em Cabeceiras de Basto

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto, sob a presidência de Francisco Alves, ratificou, por unanimidade, na sua última reunião, do passado dia 25 de janeiro, a indicação da Basto Vida – Serviços de Ação Social e Cuidados de Saúde, CRL para o desenvolvimento do Programa de Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS) 4G em Cabeceiras de Basto, atendendo à sua experiência no desenvolvimento deste tipo de projetos, assim como o objeto social desta Régie Cooperativa que, entre outros, visa promover o desenvolvimento integrado e sustentado das comunidades locais, prevenindo situações de risco social, equilibrando os tipos de intervenção da ação social e, ainda, porque cumpre os imperativos legais definidos pela Portaria nº 229/2018 de 14 de agosto.

Cabeceiras de Basto - vista aérea panorâmica2.jpg

O Programa CLDS-4G, criado por aquela Portaria, tem como principais objetivos: aumentar os níveis de coesão social dos concelhos objeto de intervenção dinamizando a alteração da sua situação socioterritorial; concentrar a intervenção nos grupos populacionais que em cada território evidenciam fragilidades mais significativas, promovendo a mudança na situação das pessoas tendo em conta os seus fatores de vulnerabilidade; potenciar a congregação de esforços entre o sector público e o privado na promoção e execução dos projetos através da mobilização de atores locais com diferentes proveniências; bem como fortalecer a ligação entre as intervenções a desenvolver e os diferentes instrumentos de planeamento existentes de dimensão municipal.

Na sequência da referida Portaria foi publicado o Despacho nº176-C/2019 de 4 de janeiro, o qual determina a elegibilidade do concelho de Cabeceiras de Basto no âmbito do Programa CLDS-4G. Com base no conjunto de indicadores definidos nesse mesmo Despacho, Cabeceiras de Basto apresenta como vulnerabilidades sociais o desemprego, a pobreza e os incêndios.

De salientar que as ações a desenvolver pelos CLDS-4G integram, como eixos de intervenção, o emprego, formação e qualificação (eixo 1); a intervenção familiar e parental, preventiva da pobreza infantil (eixo 2); a promoção do envelhecimento ativo e apoio à população idosa (eixo 3); e o auxílio e intervenção emergencial às populações inseridas em territórios afetados por calamidades e/ou capacitação e desenvolvimento comunitários (eixo 4).

De acordo com a Portaria nº 229/2018 de 14 de agosto, pretende-se que o Programa CLDS “continue a constituir um instrumento de combate à exclusão social fortemente marcado por uma intervenção de proximidade realizada em parceria garantindo, em simultâneo, a valorização do papel das Câmaras Municipais nesta intervenção dadas as suas especiais responsabilidades ao nível concelhio, nomeadamente em matérias de planeamento, bem como a sua particular capacidade para congregar os agentes e os recursos locais”.

CABECEIRAS DE BASTO PROMOVE O PATRIMÓNIO ATRAVÉS DO POSTAL ILUSTRADO

Sebenta do Património e Passepartout – coleção de postais sobre o Mosteiro apresentados na FNAC do NorteShopping

A vereadora da Cultura, Dra. Carla Lousada, em representação do presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, participou no passado sábado, dia 26 de janeiro, na ação de promoção de duas iniciativas integradas no programa cultural Mosteiro de Emoções, mais concretamente a Sebenta do Património e o Passepartout - Coleção de Postais Digitais sobre o Mosteiro que decorreu na FNAC do NorteShopping.

Sebenta do Património e Passepartout apresentados na FNAC do NorteShopping (1).JPG

A iniciativa contou também com a presença de Belanita Abreu, autora da Sebenta, Maria Abreu, a ilustradora, e de Rebecca Moradalizadeh, coordenadora da iniciativa Passepartout.

Na plateia, para além de vários Cabeceirenses que se encontram a residir na área do grande Porto e que quiseram associar-se à iniciativa, estiveram igualmente alguns dos artistas e representantes de instituições que participaram no evento Passepartout - coleção de postais digitais sobre o Mosteiro.

Coube à escritora de contos infantis Belanita Abreu, autora da Sebenta do Património, falar do trabalho que foi realizado e que culminou, no mês de novembro de 2018, com a oferta do livro aos cerca de 300 alunos do 3º e 4º ano, do 1º ciclo.

De salientar que a Sebenta do Património inclui uma história, cujo título é ‘A LENDA DA PENA AZUL - O Segredo do Mosteiro de São Miguel de Refojos’ e um conjunto de passatempos com alusão ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos, um monumento que continuará a atrair e a seduzir cada vez mais visitantes e turistas, levando o nome de Cabeceiras de Basto bem longe.

Esta Sebenta do Património contém, nas páginas centrais, um poster com alusão ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos para ser ilustrado por cada uma das crianças que a recebeu, dando origem a uma outra iniciativa, designada ‘Concurso de Ilustração Infantil’ que decorre até ao final deste mês de janeiro e termina com a exposição dos cinquenta melhores trabalhos em maio deste ano de 2019.

A iniciativa Passepartout – Coleção de Postais Digitais sobre o Mosteiro foi apresentada pela coordenadora Rebecca Moradalizadeh. A coleção foi criada sob várias perspetivas e linguagens artísticas, através do olhar de artistas exteriores ao concelho, com o objetivo de lhe prestar uma homenagem, enquanto elemento que se pretende vivificar patrimonialmente.

No total foram apresentados contributos de 22 artistas, num total de 18 postais digitais. Pintores, fotógrafos, designers, ilustradores, músicos e compositores captaram ‘à sua maneira’ o Mosteiro, dando a conhecer, cada um, a sua perceção em postal digital.

A coleção pode ser visualizada no micro site do Mosteiro de Emoções, no site da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto em http://www.mosteirodeemocoes.cabeceirasdebasto.pt/pt.

Sebenta do Património e Passepartout apresentados na FNAC do NorteShopping (2).JPG

BOMBEIROS DE CABECEIRAS DE BASTO VENCEM CONCURSO DE JANEIRAS

Coro dos Bombeiros venceu 23ª edição do Concurso de Janeiras

O Coro dos Bombeiros e Associados de Cabeceiras de Basto venceu ontem, dia 27 de janeiro, a 23ª edição do Concurso/Encontro de Cantares das Janeiras com uma canção que pela sua musicalidade e originalidade cativou o público mas também o júri do concurso.

Coro dos Bombeiros vence 23ª edição do Concurso de Janeiras (2).jpg

O evento contou com a participação de 22 grupos, sete dos quais que estiveram a concurso e os restantes 15 que marcaram presença no encontro, proporcionando, assim, ao público presente um verdadeiro encontro intergeracional e cultural.

Em segundo lugar classificou-se o Grupo Coral de S. Martinho do Arco de Baúlhe e, em terceiro lugar, os Cantadores do Grupo Desportivo de Cavez, num evento que teve como palco o Pavilhão Desportivo de Refojos.

Os três primeiros classificados receberam, respetivamente, os montantes de 300 euros (1º classificado), 250 euros (2º classificado) e 200 euros (3º classificado) enquanto os restantes grupos participantes receberam prémios de presença no valor de 60 euros, verba destinada ao associativismo local que desta forma incentiva a participação neste como noutros eventos.

Neste evento que contou com a participação especial do CTCMCB – Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto marcaram presença o presidente da Câmara, Francisco Alves, vereadores e presidentes de Juntas de Freguesia, entre outros autarcas do Município e das freguesias.

A iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto pretendeu reviver a tradição e estimular a defesa do património cultural imaterial como são os Cantares das Janeiras, promovendo a sua recolha e recriação, revelando-se desta forma, também, a vivacidade e vigor do movimento associativo local.

Trajados a rigor, cerca de meio milhar de cantadores e tocadores exibiram em palco os mais variados instrumentos, interpretando os mais genuínos cantares das Janeiras.

Coro dos Bombeiros vence 23ª edição do Concurso de Janeiras.jpg

JOVENS DE CABECEIRAS DE BASTO CANTAM AS JANEIRAS

Centenas de crianças das escolas cantaram os Reis

Mais de 750 crianças do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto proporcionaram esta tarde, dia 25 de janeiro, um belíssimo espetáculo musical no Pavilhão Desportivo de Refojos, naquele que foi o 20º Encontro de Cantares de Reis das Escolas, uma iniciativa promovida pela Câmara Municipal e pelo Agrupamento de Escolas.

Centenas de crianças das escolas cantaram os Reis (1).JPG

Trajadas à moda antiga e de vozes bem afinadas, as crianças cantaram e encantaram o numeroso público que se associou ao evento, interpretando os mais genuínos cantares dos reis. A plateia vibrou com o brilhante espetáculo, aplaudindo as atuações com grande entusiasmo.

De destacar o grande envolvimento das crianças, pais, professores, educadores e funcionários neste evento de grande sucesso e de grande mobilização.

Pelo palco do Pavilhão Desportivo de Refojos passaram 11 grupos constituídos pelas crianças do pré-escolar e pelos alunos da Escola Básica do Arco de Baúlhe, da Escola Básica Padre Dr. Joaquim dos Santos, da Escola Básica Profª. Filomena Mesquita, da Escola Básica de Cavez e da Escola Básica de Pedraça.

A iniciativa teve como objetivo reviver a tradição e estimular a defesa do património cultural, promovendo a recolha e recriação dos cantares dos reis por parte das escolas e dos seus alunos. Pretendeu-se também preservar a memória coletiva do passado, enriquecer o presente e solidificar o futuro.

O 20º Encontro de Cantares de Reis das Escolas contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, dos vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, do presidente da Junta de Freguesia de Refojos de Basto, Outeiro e Painzela, Leandro Campos, da Profª Fátima Chaves em representação da direção do Agrupamento de Escolas, bem como de muitos familiares dos pequenos reis das escolas e público em geral.

De salientar que todos os grupos participantes receberam um prémio de presença no valor de 60 euros para a aquisição de material didático-pedagógico.

Centenas de crianças das escolas cantaram os Reis (2).JPG

CABECEIRENSES ABRAÇAM MOSTEIRO DE REFOJOS

Cachecóis vão unir Cabeceirenses num abraço gigante ao Mosteiro. Pontapé de saída foi dado esta manhã na Casa da Lã em Bucos

Foi apresentada hoje, dia 24 de janeiro, na Casa da Lã, em Bucos, a iniciativa ‘Dá lã um abraço ao Mosteiro’, uma ação integrada no programa cultural Mosteiro de Emoções que tem como objetivo envolver toda a comunidade Cabeceirense através da produção manual de cachecóis com os quais se pretende dar um Abraço ao Mosteiro, no dia 3 de junho.

Apresentação do evento Dá Lã um Abraço ao Mosteiro (1).JPG

Para além de valorizar o ex-líbris Cabeceirense - O Nosso Mosteiro – a iniciativa pretende destacar o trabalho das Mulheres de Bucos que dão vida à Casa da Lã – um verdadeiro núcleo museológico vivo que integra o Museu das Terras de Basto.

O presidente da Câmara convidou esta manhã todos os Cabeceirenses a participarem nesta grande manifestação de carinho pelo Mosteiro de S. Miguel de Refojos, “património cultural único que enche de orgulho as nossas gentes e que queremos ver classificado como Património Cultural da Humanidade, anseio para o qual continuamos a trabalhar”, salientou o edil.

Apresentação do evento Dá Lã um Abraço ao Mosteiro (2).JPG

‘Um Cabeceirense um cachecol, uma família um cachecol, uma instituição um cachecol’ é o lema deste desafio que possibilitará a produção de cachecóis ao longo dos próximos meses de inverno para que, no dia 3 de junho, às 10h00, possa ser dado um abraço gigante ao Mosteiro.

Para a concretização desta iniciativa, a Câmara Municipal conta com a colaboração das artesãs da Casa da Lã – as Mulheres de Bucos, do Serviço de Emprego de Basto do Centro de Emprego do Médio Ave, do Centro de Emprego e Formação Profissional de Braga – Serviço de Formação, do Agrupamento de Escolas e toda a comunidade educativa, bem como das associações e das instituições que se queiram associar à Câmara Municipal.

De salientar que o Centro de Emprego do Médio Ave – Serviço de Emprego de Basto e o Centro de Emprego e Formação Profissional de Braga – Serviço de Formação dinamizam, nesta altura, na Casa da Lã, um curso de formação designado ‘VA Confeção de Lã – cultura e empreendedorismo’ para 16 formandas e através do qual colaboram e participam nesta grande iniciativa de produção de cachecóis.

Nesta ação de promoção que se realizou na Casa da Lã, para além das Mulheres de Bucos e das formandas que estavam a trabalhar a lã - marcaram presença o presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, a vereadora da Cultura, Dra. Carla Lousada, o presidente da Junta de Freguesia de Bucos, Adriano Pereira, a diretora do Centro de Emprego do Médio Ave, Dra. Helena Chaves, o Prof. José Manuel Barroso em representação da direção do Agrupamento de Escolas, a estilista Dra. Helena Cardoso que colabora com a Casa da Lã, técnicos do Município, entre outros convidados.

Todos foram unânimes em enaltecer esta magnífica iniciativa que tem um objetivo “muito nobre” que é juntar todas as gerações de Cabeceirenses num abraço real, unido por cachecóis, ao Nosso Mosteiro.

Para além da valorização do imponente mosteiro beneditino, com esta ação a Câmara Municipal pretende igualmente realçar o trabalho das Mulheres de Bucos que dão vida à Casa da Lã. De salientar que a autarquia conta com a colaboração das artesãs na dinamização deste evento através do ensinamento e apoio a todos os que queiram fazer um cachecol e participar, depois, no grande Abraço no dia 3 de junho.

Para facilitar a aquisição da matéria-prima, a Câmara Municipal vai  colocar à venda meadas de lã e agulhas na Casa da Lã, Casa da Cultura, Casa do Tempo e Casa do Povo do Arco de Baúlhe.

O presidente da Câmara Municipal espera poder contar com a participação das famílias, escolas, movimento associativo, IPSS’s superando, desta forma, todas as expectativas e proporcionando um evento memorável a todos os participantes.

Abraço em Lã ao Mosteiro assinala Dia Mundial da Criança

O Município de Cabeceiras de Basto comemora neste dia 3 de junho e com este abraço ao Mosteiro, o Dia Mundial da Criança, festejado oficialmente a 1 de junho. Cada criança e jovem estudante será convidado a levar o seu cachecol para o abraço, envolvendo-se deste modo toda a comunidade educativa.

Se assim o entenderem, cada participante poderá oferecer o seu cachecol ao Mosteiro, comprometendo-se a Câmara Municipal a promover, posteriormente, uma mega exposição de cachecóis, em novo momento de grande manifestação de carinho pelo património Cabeceirense.

Apresentação do evento Dá Lã um Abraço ao Mosteiro (3).JPG

JOVENS CABECEIRENSES CANTAM OS REIS E AS JANEIRAS

Cabeceiras de Basto promove cantares dos Reis e das Janeiras

Realiza-se amanhã, dia 25 de janeiro, o 20º Encontro de Cantares de Reis das Escolas, uma iniciativa que decorre no Pavilhão Desportivo de Refojos, a partir das 14h00, e que vai juntar 11 grupos constituídos pelos alunos das escolas básicas e dos jardins-de-infância do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, num total de mais de 750 crianças.

Crianças das Escolas cantaram os Reis - Arquivo 2018.JPG

No domingo, dia 27 de janeiro, realiza-se, no mesmo local, a partir das 14h30, o 23º Concurso/Encontro de Cantares das Janeiras que levará ao palco 22 grupos, 15 que participam no Encontro e 7 que se apresentam a concurso.

Ambas as iniciativas têm como objetivo reviver a tradição e estimular a defesa do património cultural, promovendo a recolha e recriação dos cantares, quer por parte das associações/instituições, quer por parte das escolas e dos seus alunos.

Todos os grupos participantes no Encontro de Cantares de Reis das Escolas receberão um prémio de participação no valor de 60 euros.

No Concurso das Janeiras serão distinguidos os três primeiros classificados do concurso com prémios pecuniários no montante de 300, 250 e 200 euros, respetivamente. Os restantes grupos participantes no encontro receberão 60 euros.

Os grupos participantes no concurso serão classificados por um júri nomeado para o efeito tendo em conta a originalidade/recolha da letra e música; execução musical; vocalização (forma e modo de cantar); apresentação em palco e adequação de trajes: tradicional ou farda de gala.

Os temas devem ser tradicionais ou originais, adequando a letra e a música ao espírito dos Cantares das Janeiras, indo ao encontro das suas formas mais genuínas e autênticas concretizadas na antiguidade dos cantares, na riqueza e na adequação dos instrumentos e trajes.

Os grupos participantes devem apresentar-se devidamente trajados e com instrumentos adequados à iniciativa.

CABECEIRAS DE BASTO ACEITA DESCENTRALIZAÇÃO SOB CONDIÇÕES

Executivo Cabeceirense apreciou proposta de transferência de competências e aceita transferência de competências em três domínios

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto aprovou, por maioria, esta manhã, dia 21 de janeiro, durante a reunião de Câmara extraordinária que se realizou nos Paços do Concelho, o único ponto da ordem do dia referente à transferência de competências para as autarquias e entidades intermunicipais, na sequência da entrada em vigor da Lei nº50/2018, de 16 de agosto, que aprovou a Lei-quadro da transferência de competências para as autarquias locais e para as entidades intermunicipais, bem como da publicação dos decretos-lei setoriais relativos às diferentes áreas de descentralização.

Cabeceiras de Basto - vista aérea panorâmica.jpg

A proposta do presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, foi aprovada com cinco votos a favor – 4 votos dos eleitos do PS e um da vereadora do IPC Laura Magalhães – e dois votos contra dos vereadores do IPC, Jorge Machado e Hélder Vaz.

De acordo com a referida proposta, a edilidade Cabeceirense não pretende exercer, no ano de 2019, competências nos seguintes domínios: autorização de exploração das modalidades afins de jogos de fortuna e azar e outras formas de jogo (Decreto-Lei nº98/2018); justiça (Decreto-Lei nº101/2018); apoio aos bombeiros (Decreto-Lei nº103/2018); estruturas de atendimento ao cidadão (Decreto-Lei nº104/2018); habitação (Decreto-Lei nº105/2018) e estacionamento público (Decreto-Lei nº107/2018), remetendo esta proposta à Assembleia Municipal que a apreciará no próximo dia 28 de janeiro, em sessão extraordinária.

Desta forma, para 2019, a Câmara Municipal aceita apenas a transferência de competências nos domínios das praias fluviais e lacustres (Decreto-Lei nº97/2018); no domínio das vias de comunicação (Decreto-Lei nº100/2018) e no domínio da gestão do património imobiliário público sem utilização (Decreto-Lei nº106/2018).

O Executivo Municipal deliberou, também, propor à Assembleia Municipal que se pronuncie sobre a transferência das competências para a CIM do Ave nos domínios da promoção turística (artigo 4º do Decreto-Lei nº 99/2018); da justiça (artigo 9º do Decreto-Lei nº 101/2018); dos projetos financiados por fundos europeus e dos programas de captação de investimento (artigo 4º do Decreto-Lei nº 102/2018) e no domínio do apoio aos bombeiros voluntários (artigo 5º do Decreto-Lei nº 103/2018).

No presente documento, a Câmara Municipal propõe, ainda, à Assembleia Municipal que delibere que as competências referidas no nº 2 do artigo 38º da Lei nº 50/2018 relativas às novas competências dos órgãos das freguesias, que se revelem indispensáveis para a gestão direta pelo Município de todos os espaços, vias ou equipamentos e para a execução das missões de interesse geral e comum a todo o município, determinando consequentemente o superior interesse público, a eficácia e eficiência, que as mesmas se mantenham no âmbito da intervenção do Município, sem prejuízo da manutenção da eficácia dos acordos de execução entretanto celebrados com as freguesias.

CABECEIRAS DE BASTO REALIZA FESTA DAS PAPAS

Samão celebra Festa das Papas em honra de S. Sebastião

A aldeia de Samão, freguesia de Gondiães e Vilar de Cunhas, prepara-se para celebrar a ‘Festa das Papas’ em honra de S. Sebastião ‘padroeiro da fome, da peste e da guerra’. É já no domingo, dia 20 de janeiro, que o povo do Samão oferece papas, pão benzido, carne e vinho, a todos quantos se desloquem à aldeia para honrar o santo.

Festa das Papas - Samão (3).jpg

A ‘Festa das Papas’ realiza-se no dia 20 de janeiro de forma alternada, ora no lugar do Samão, em ano ímpar, ora no lugar de Gondiães, em ano par.

Trata-se de uma romaria antiga, cuja origem se perde na memória do tempo. Reza a lenda local que na Idade Média os povos que habitavam aquelas serras foram assolados por uma grande peste que atingiu humanos e animais. Para se verem livres da doença, os habitantes daquelas aldeias sertanejas recorreram a S. Sebastião de quem eram devotos e que os terá libertado de tal ‘maldição’. Então, como forma de gratidão, as pessoas prometeram que daí em diante fariam uma festa e ofereceriam o que de melhor o povo tinha, ou seja, o pão, o vinho e a carne, a todos quantos ali se deslocassem para honrar o santo. Desde então, todos os anos no dia 20 de janeiro (dia de S. Sebastião), a promessa renova-se e a festa repete-se, honrando assim um compromisso antigo assumido pelos seus antepassados.

Festa das Papas no Samão - 2015.01.20 (1) (1).JPG

A festa realiza-se no dia 20 de janeiro mas os preparativos começam uma semana antes. O pão é confecionado e cozido pelas mulheres da aldeia e armazenado na ‘casa do Santo’ para que no dia de S. Sebastião, seja benzido, assim como a carne, as tradicionais papas e o vinho para que depois sejam oferecidos a todos os que se desloquem à aldeia para honrar o padroeiro.

Com as tarefas dividas, cabe aos homens fazer as papas – iguaria confecionada com farinha de milho e água de cozer as carnes – que podem comer-se quentes ou frias. Do repasto faz igualmente parte a carne de porco que, uma vez cozida, é servida em pratos de barro acompanhada pelo vinho verde da região.

A jornada começa cedo com a bênção dos alimentos, a celebração de uma missa em honra de S. Sebastião e a realização de uma procissão. Os alimentos são transportados para o campo junto à sede do Grupo Associativo do Samão onde é estendida um toalha de linho com dezenas de metros, ao longo da qual se colocam, no próprio momento, os alimentos. A distribuição das papas, do pão, da carne e do vinho é feita com uma vara de madeira, que vai marcando o espaço nesta ‘mesa’ improvisada.

Terminada a refeição, algumas das pessoas levam consigo os pedaços de broa que lhes coube para guardarem durante alguns dias porque acreditam na afamada ‘mezinha’ que existe no pão que foi benzido. Até há quem acredite que a broa nunca ganhará bolor e que serve de remédio para as doenças que afetam as pessoas e os animais.

Festa das Papas - Samão (2).jpg

CABECEIRAS DE BASTO REQUALIFICA EM ARCO DE BAÚLHE

Câmara Municipal ratificou Projeto de Requalificação Urbana da Avenida Capitão Elísio de Azevedo, no Arco de Baúlhe

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto ratificou, por maioria, na sua última reunião do passado dia 11 de janeiro, o Projeto de Requalificação Urbana da Avenida Capitão Elísio de Azevedo para o qual foi já apresentada uma candidatura a fundos comunitários - Norte 2020, designadamente ao Aviso Norte-06-2018-27 referente ao Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS).

Avenida Capitão Elísio de Azevedo - cartografia.jpg

Com um montante global de investimento superior a 2,2 milhões de euros, a obra permitirá a requalificação da área central da vila do Arco de Baúlhe caracterizada por um extenso arruamento com grande concentração comercial e elevada densidade habitacional. A obra compreende uma vasta zona de intervenção que integra o nó viário do Arco de Baúlhe, estendendo-se pela Avenida Capitão Elísio de Azevedo até ao entroncamento com a Rua da Cerca Nova. Será também beneficiado o jardim público junto àquele nó viário.

O projeto dá primazia à circulação de peões, sendo assegurada, em toda a sua extensão, a circulação a pessoas com mobilidade reduzida, recorrendo-se para o efeito à elevação de passadeiras, à construção de passeios largos e acessibilidade a todos os edifícios existentes ao lon

De acordo com a memória descritiva, a praça central/jardim será reorganizada de modo a possibilitar a permanência dos arcoenses e visitantes neste local que pretende ser um espaço multifuncional com novo mobiliário urbano e espaços ajardinados. A dinâmica do atual jardim será, assim, rejuvenescida pela instalação de um anfiteatro e a deslocação da atual paragem de autocarros e da praça de táxis para esta zona.

O nó viário, que se transformará numa verdadeira praça, é um dos elementos relevantes da vila do Arco de Baúlhe de ligação da EN 206 à saída para a A7, através da Avenida Capitão Elísio de Azevedo, mas também de ligação destas vias à EN 205.

A obra de requalificação urbana da Avenida Capitão Elísio de Azevedo juntamente com a obra de beneficiação do Campo do Seco constituem as duas grandes intervenções no âmbito da regeneração urbana previstas no Orçamento para este ano de 2019.

Avenida Capitão Elísio de Azevedo - Foto de Arquivo.JPG

CABECEIRAS DE BASTO VAI TER DOCE REGIONAL

Concurso para a criação do Doce Cabeceirense foi apresentado hoje na Casa do Tempo

Foi lançado esta manhã, dia 11 de janeiro, na Casa do Tempo, o Concurso Doce Cabeceirense que tem como objetivo reforçar e valorizar o que se fazia no núcleo familiar, principalmente pelos avós, tendo em vista a criação de um doce de Cabeceiras de Basto.

Concurso para a criação do Doce Cabeceirense foi apresentado hoje na Casa do Tempo.JPG

Estiveram presentes nesta sessão o presidente da Câmara Municipal, Francisco Alves, a vereadora do Turismo, Dra. Carla Lousada, bem como a diretora do Centro de Emprego do Médio Ave, Dra. Helena Chaves.

Coube ao presidente da Câmara dar a conhecer aos presentes os objetivos deste concurso, desafiando todos os interessados a apresentar as suas propostas, designadamente às formandas do Curso de Pastelaria Conventual que terminou no passado mês de dezembro de 2018 e que estiveram presentes nesta sessão de apresentação.

O autarca manifestou o seu desejo de ver muitas ideias/propostas inscritas no concurso, salientando, na oportunidade, que os usos, costumes e tradições, os saberes e sabores, bem como as formas de fazer são expressões culturais que devemos preservar em respeito dos nossos ancestrais e em prol das novas gerações.

São objetivos deste concurso “aliar a memória de uma alimentação de afetos ao uso dos produtos da terra e da tecnologia, reforçando e valorizando o que se fazia no núcleo familiar; incentivar a inovação na pastelaria cabeceirense; sensibilizar os agentes económicos e a população em geral para a importância estratégica dos produtos endógenos, em especial o mel de Basto, as ervas aromáticas, o vinho verde da região de Basto (Cabeceiras de Basto), o leite, as frutas da região e seus derivados, no contexto do desenvolvimento do território de Cabeceiras de Basto; e incentivar a inovação e o empreendedorismo individual ou coletivo, visando o aproveitamento desses produtos para a criação original de um doce ou bolo de matriz local”.

Coube à Dra. Raquel Sampaio, da Academia das Emoções, apresentar as normas de participação do Concurso Doce Cabeceirense que está a ser organizado pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto no âmbito do programa cultural ‘Mosteiro de Emoções’ financiado por fundos comunitários, através do Norte 2020.

As inscrições no concurso são gratuitas, estando abertas entre os dias 12 de janeiro e 28 de fevereiro de 2019. Durante os meses de março e abril será, assim, desenvolvido o produto e no dia 18 de maio o júri fará a avaliação das propostas a concurso.

Serão admitidos a concurso doces de qualquer tipo, desde que cumpram o estabelecido nas normas de participação, sendo que os critérios de avaliação por parte do júri são a originalidade, a genuinidade, a apresentação, a viabilidade de produção empresarial futura, entre outros que o júri, fundamentadamente, venha a considerar relevante.

As normas de participação e a ficha de inscrição encontram-se já disponíveis no site da Câmara Municipal em https://cabeceirasdebasto.pt/index.php?oid=20065&op=all.

Na oportunidade, a Dra. Helena Chaves, diretora do Centro de Emprego do Médio Ave, parceiro do Município nesta ação de dinamização do Doce Cabeceirense, felicitou as formandas do Curso de Pastelaria Conventual pela sua presença nesta iniciativa, reforçando as oportunidades, designadamente ao nível do empreendedorismo, que a participação neste concurso pode trazer às formandas.

Coube à vereadora do Turismo, Dra. Carla Lousada, encerrar a sessão, desejando “um bom trabalho e boas ideias” a todos os concorrentes.

VILA DE SALTO (MONTALEGRE) É TERRA MINHOTA E DEVERIA SER DEVOLVIDA A CABECEIRAS DE BASTO

Em 1 de Setembro de 1915, foi pelo deputado Augusto José Vieira apresentado ao Senado, em nome da Junta de Paróquia da freguesia de Salto, uma proposta solicitando que fosse colocado à discussão o projecto de lei que anexava aquela freguesia ao concelho de Cabeceiras de Basto em relação à qual, aliás, já havia pertencido. Também o governador civil de Braga apresentou idêntica proposta em nome dos paroquianos da freguesia de Salto.

timthumb.jpg

Sucede que, numa perspectiva histórica e etnográfica, os habitantes da vila de Salto – actualmente a maior freguesia do concelho de Montalegre – preservam a sua identidade e costumes minhotos, mau grado por razões políticas terem sido "transferidos" para um concelho transmontano.

Capturarsalto1.PNG

Rezava assim a proposta então apresentada:

“O Sr. Presidente :—Consulto a Câmara sobre a admissão à discussão do seguinte projecto de lei publicado no Diário do Governo de 8 do corrente:

Senhores Deputados – Vem de longos anos o desejo dos habitantes da freguesia de Salto, concelho e comarca de Montalegre e distrito de Vila Rial, a desanexação da sua freguesia desse concelho e comarca, para ser anexada ao concelho e comarca de Cabeceiras de Basto.

E esse desejo não é "por política, nem por capricho, mas tam somente por motivos de ordem económica para a freguesia de Salto c comodidade dos seus habitantes.

Com efeito, quási todo o comércio da freguesia é feito com a região de Cabeceiras de Basto, e muito principalmente com a sede do concelho, devido a haver mais facilidade de comunicação com esta vila, por virtude de serem melhores.

Mas, outros motivos há, e esses também muito de atender, quais sejam as distancias a que fica a freguesia dos dois concelhos.

Da freguesia de Salto à sede do concelho de Montalegre, a distância é de cerca de 35 quilómetros, cujos caminhos são de difícil passagem e de grande aspereza as regiões a percorrer, quase sempre cobertas de neve devido à vila do Montalegre ser situada nas serranias de Trás-os-Montes, ao passo que a distancia da sede do concelho de Cabeceiras de Basto, é apenas de 15 quilómetros cujo caminho, como se disse, é de fácil percurso.

E pelo que respeita às cabeças de distrito, a distância da de Vila Ilial é do 125 quilómetros e da de Braga de 65 quilómetros.

De notar é também que a freguesia de Salto fica muito mais perto da sede do concelho de Cabeceiras de Basto do que algumas freguesias que a este concelho pertencem, tais como: Gondiàes, Vilar, Samão e outras.

Pertenceu já a freguesia de Salto ao concelho de Cabeceiras de Basto, até o ano de 1834, tendo sido deste concelho desanexada para ser anexada ao do Montalegre, para satisfação de interesses políticos com absoluto desprêzo dos interesses e comodidades dos povos das duas regiões.

Pelo exposto, e ainda pelo desejo manifestado por 277 cidadãos naturais c residentes na freguesia do Salto, que assinam a representação dirigida à Câmara dos Deputados, no número dos quais se compreendem os representantes da junta de paroquia da mesma freguesia, pedindo a sua anexação ao concelho e comarca de Cabeceiras de Basto, pedido corroborado pela Câmara Municipal desse concelho em representação dirigida à mesma Câmara, tenho a honra de propor o seguinte projecto de lei:

Artigo 1.° E desanexada a freguesia do Salto do concelho o comarca de Montalegre para ser anexada ao concelho e comarca de Cabeceiras do Basto.

Art. 2.° Para a Câmara Municipal do concelho de Cabeceiras de Basto passam quaisquer encargos respeitantes à freguesia, de Salto e que sejam da responsabilidade da. Câmara Municipal de Montalcgre.

Art. 3." Fica a mesma freguesia de Salto pertencendo ao distrito do Braga, sendo desanexada do de Vila Rial de Trás--os-Montes.

Art. 4.° Fica revogada a legislação em contrário.

Sala das Sessões, em 7 de Maio de 1914. =0 Deputado, Augusto José Vieira.”

Salto-montalegre.jpg

O deputado Augusto José Vieira nasceu no Funchal em 19861, tendo militado no Partido Republicano Português. Foi ainda presidente da Associação do Registo Civil e secretário da Federação do Livre Pensamento, tendo exercido a carreira docente que escolheu em detrimento da carreira militar que inicialmente se propunha seguir.

timthumbvr.jpg

Como espaço habitado e evangelizado, Salto é já referido no Paroquial Suévico como uma das trinta paróquias já existentes, no último terço do século VI e pertencentes à catedral de Braga. As suas raízes históricas ligam-na ao Minho desde tempos muito remotos!

Fotos: Wikipédia e Junta de Freguesia de Salto

Igreja_de_Salto.jpg

RALLY DE PORTUGAL VAI CORRER EM CABECEIRAS DE BASTO

Câmara Municipal dinamiza economia local

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto, sob a presidência de Francisco Alves, aprovou, por unanimidade, na sua última reunião, do passado dia 14 de dezembro, o protocolo/acordo de parceria para a realização do ‘Rally de Portugal – edição 2019’. A parceria tem como líder do projeto a Câmara Municipal de Matosinhos e como parceiros as Câmaras Municipais de Cabeceiras de Basto, Fafe, Lousada, Mondim de Basto, Paredes, Vieira do Minho, Amarante e Vila Nova de Gaia, sendo que o investimento global orçamentado para a candidatura ascende a 3 milhões de euros.

Rally de Portugal

O Rally de Portugal, enquanto grande evento internacional, assume-se como um importante fator de promoção turística e de afirmação da imagem internacional do país e da região do norte. A realização deste evento desportivo constitui-se, por isso, como um fator determinante na dinamização e desenvolvimento da atividade económica do território.

Fica, assim, assegurada a classificativa de Cabeceiras de Basto do Rally de Portugal 2019, iniciativa que muito tem contribuído para a afirmação da imagem de Cabeceiras de Basto e para a animação do comércio local.

O executivo Cabeceirense aprovou, também por unanimidade, a atribuição de um apoio financeiro no montante de 1.500 euros à Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto, representando este um apoio ao comércio local para a dinamização de atividades de animação nesta quadra natalícia. A Associação Empresarial tem colaborado com o Município na dinamização de atividades natalícias, como a instalação da Casa do Pai do Natal, decorações, iluminação, insufláveis, música ambiente e distribuição de balões e rebuçados às crianças.

Por unanimidade foram, igualmente, aprovadas as normas de participação da XXIII Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto, a qual decorrerá de 1 a 4 de março de 2019. Este certame tem como principal objetivo promover o aproveitamento das potencialidades que a região apresenta, nomeadamente na produção de orelheiras, enchidos, salpicões, chouriças, alheiras, presuntos, entre outros.

A organização da Festa da Orelheira e do Fumeiro é da responsabilidade da Câmara Municipal.

CABECEIRAS DE BASTO DISTRIBUI CABAZES DE NATAL

Cabazes de Natal chegam a centenas de famílias. Distribuição de 530 cabazes representa um investimento nas famílias cabeceirenses

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto deu início na semana passada à distribuição de 530 cabazes de natal. Os cabazes contêm, entre outros, bacalhau, aletria, açúcar, azeite, sortido e bolo-rei e são entregues a famílias sinalizadas pelos serviços de ação social.

Cabaz de Natal

A iniciativa tem como objetivo ajudar as famílias economicamente mais débeis do concelho, proporcionando-lhes um Natal mais caloroso aos Cabeceirenses.

Nesta quadra natalícia a Câmara Municipal conta com o apoio e colaboração de diversas entidades, parceiras na organização de eventos culturais e solidários que marcam todo mês de dezembro, como a Basto Vida, a Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto, a Basto Empreende, a Banda Cabeceirense, o Agrupamento de Escolas, o Lions Clube de Cabeceiras de Basto, Academia de Música, a Escola de Patinagem Artística de Basto, o CTCMCB, o Projeto Raízes, as Paróquias, o ICNF, o comércio local, o movimento associativo e outras instituições de solidariedade social.

De salientar que a Câmara Municipal, que muito se empenhou nesta ação específica enquadrada no programa de Natal ‘Cabeceiras de Basto - Um Lugar Mágico’, não limita as suas ajudas às famílias economicamente vulneráveis a esta época.

Também ao longo do ano, através do Banco Local de Voluntariado e da sua Loja Social, e em colaboração com a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e com a Comissão Municipal de Proteção de Pessoas Idosas de Cabeceiras de Basto (CMPICB), a Câmara Municipal tem vindo a apoiar essas famílias, dentro daquilo que são as suas responsabilidades e possibilidades.

CABECEIRAS DE BASTO ENSINA A CONFECIONAR A LÃ

Casa da Lã acolhe curso de ‘Confeção da Lã’

Arranca amanhã, dia 18 de dezembro, uma ação de formação de 200 horas de ‘VA Confeção de Lã – cultura e empreendedorismo’, um curso que será ministrado na Casa da Lã em Bucos e promovido pelo Centro de Emprego do Médio Ave – Serviço de Emprego de Basto e Centro de Emprego e Formação Profissional de Braga – Serviço de Formação.

Casa da Lã acolhe curso de ‘Confeção da Lã’

Esta iniciativa, pensada pelo Município de Cabeceiras de Basto com o objetivo de preservar o ofício tradicional do trabalho da lã que atualmente é executado pelas Mulheres de Bucos, na Casa da Lã – um verdadeiro núcleo museológico vivo, foi organizada pelo Centro de Emprego do Médio Ave – Serviço de Emprego de Basto, procurando dar seguimento ao trabalho daquelas Mulheres que têm na estilista Dra. Helena Cardoso, desde há 9 anos, uma parceira que muito tem contribuído para dinamização, modernização e inovação desta arte.

Neste curso participam 16 formandas desempregadas que, com o apoio das formadoras – artesãs da Casa da Lã – e da orientação da estilista Dra. Helena Cardoso, vão aprender a trabalhar a lã, quer no desenvolvimento de peças de vestuário, quer na criação de peças decorativas e outras para a casa.

CRIANÇAS DAS ESCOLAS FESTEJAM O NATAL EM CABECEIRAS DE BASTO

A convite de vários estabelecimentos de ensino, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, a vereadora da Educação, Dra. Carla Lousada, e presidentes das Juntas de Freguesia participaram na passada sexta-feira, dia 14 de dezembro, nas festas de Natal das escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e dos jardins de infância do concelho, designadamente nas iniciativas promovidas pela EB Padre Dr. Joaquim Santos, EB Prof. Filomena Mesquita, escolas de Cavez, Pedraça e Faia.

Crianças das Escolas festejam o Natal em Cabeceiras de Basto

Às festas de Natal das escolas associaram-se, ainda, a diretora do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, Dra. Céu Caridade, bem como os coordenadores dos diferentes estabelecimentos de ensino.

Muita música e dança ‘invadiram’ as festas natalícias, onde reinou a alegria e a boa disposição, celebrações que contaram com a presença dos professores, educadores e encarregados de educação.

Nesta quadra festiva, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto ofereceu a todas as crianças do ensino pré-escolar e do 1.º Ciclo um livro em banda desenhada intitulado ‘Núcleo Ferroviário de Arco de Baúlhe – Museu das Terras de Basto’, uma edição da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto com ilustração de Mário José Teixeira e textos de Fátima Magalhães e Conceição Magalhães.

A quadra natalícia brinda este ano os Cabeceirenses e visitantes com um belíssimo Presépio de Natal que pode ser apreciado na Praça da República, em frente ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos, uma produção das oficinas do CTCMCB - Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.