Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

D. ANTÓNIO RIBEIRO – NATURAL DE CABECEIRAS DE BASTO – FOI NOMEADO CARDEAL PATRIARCA DE LISBOA HÁ 50 ANOS!

Passam hoje 50 anos sobre a nomeação de D. António Ribeiro como Cardeal Patriarca de Lisboa.

Nasceu a 21 de maio de 1928, no lugar de Pereira, freguesia de S. Clemente de Basto, concelho de Cabeceiras de Basto, filho de José Ribeiro e de sua mulher Ana Gonçalves, ambos naturais da mesma freguesia do nosso concelho.

Antonio_Ribeiro.jpg

Estudou no Seminário de Braga, na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, na Faculdade Teológica em Innsbruck e na Faculdade Teológica de Munique. Foi nomeado Cardeal Patriarca de Lisboa a 5 de maio de 1971, exercendo essa função até 1998.

Faleceu a 24 de março de 1998, estando sepultado no Panteão dos Patriarcas em Lisboa.

MUNICÍPIO DE CABECEIRAS DE BASTO INCENTIVA RESTAURANTES A FIDELIZAREM CLIENTES

Na sua última reunião que decorreu na sexta-feira, dia 7 de maio, o Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto aprovou, por unanimidade, as normas de funcionamento dos ‘Cartões de Fidelização para a Restauração’, medida que decorre da implementação do Programa Cabeceiras Turismo ON – Programa Municipal de Apoio à Fileira Turística, aprovado pelo órgãos municipais em dezembro de 2020 para o corrente ano.

Cabeceiras Turismo On - Logótipo.jpg

Através dos ‘Cartões de Fidelização para a Restauração’, a Câmara Municipal quer incentivar os restaurantes do concelho a criarem uma ementa diária associada a um programa de fidelização, incentivando, de igual modo, à criação de uma ementa de fim-de-semana para famílias/grupos. Para o efeito, o Município vai distribuir pelos estabelecimentos aderentes dois tipos de cartões de fidelização: o Cartão-Ementa Diária e o Cartão-Fim de Semana (Família/Grupo).

O Cartão-Ementa Diária oferecerá ao cliente, após o consumo de nove refeições, a décima refeição. O Cartão-Fim-de-Semana, dirigido a famílias ou grupos, oferecerá aos clientes uma refeição à família/grupo após o consumo de nove refeições.

Estes Cartões de Fidelização são um benefício dirigido aos clientes dos restaurantes aderentes a esta iniciativa da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, desenvolvidos e administrados pelos responsáveis dos estabelecimentos de forma a fidelizarem os seus clientes, oferecendo-lhes uma refeição como bónus.

Todos os proprietários dos restaurantes interessados em obter os Cartões de Fidelização devem enviar o seu pedido para o endereço eletrónico pturismo@cabeceirasdebasto.pt até ao próximo dia 24 de maio, para que depois a autarquia possa promover a sua distribuição.

Esta iniciativa criada no âmbito do Programa Cabeceiras Turismo ON, no qual está inserido o Programa de Apoio à Fileira Turística - Eixo 3 - Ação 3.2 - programa de apoio à restauração – vem juntar-se a outras medidas já desenvolvidas pela Câmara Municipal como a oferta de 40 mil embalagens para serviço de take away e a oferta de 30 mil individuais de mesa aos restaurantes do concelho num investimento global de 25 mil euros, bem como a concessão de apoios a fundo perdido a empresas/empresários, sendo que, até ao momento, foram já deliberados pela autarquia apoios no montante global de 208 mil euros a um total de 182 empresas/empresários que representam 277 postos de trabalho.

Estas medidas servem de apoio ao setor da restauração e à sua progressiva retoma, no atual momento de pandemia que vivemos.

CABECEIRAS DE BASTO: FALECEU ADRIANO VALENTE PEREIRA – NATURAL DE ARCO DE BAÚLHE – DINÂMICO CIDADÃO PELAS CAUSAS DO SEU CONCELHO

182120748_3933407013412842_8433569254079119965_n.j

Nota de Pesar

Adriano Valente Pereira

1962 - 2021

É com profundo pesar que a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto tomou conhecimento da morte ocorrida hoje, dia 5 de maio, do ilustre cidadão arcoense e cabeceirense Adriano Valente Pereira.

Natural do Arco de Baúlhe, Adriano Valente era um homem bom que dedicou a sua vida ao Arco de Baúlhe e às suas gentes como autarca – exercia atualmente o cargo de Secretário da Junta de Freguesia do Arco de Baúlhe e Vila Nune – e como cidadão empenhado em muitas causas públicas e comuns aos cabeceirenses em geral e, muito particularmente, aos arcoenses através da sua participação nas atividades da Paróquia de S. Martinho do Arco de Baúlhe ou da Comissão de Festas da Senhora dos Remédios da qual era Presidente.

A morte prematura e nefasta do cidadão Adriano Valente, aos 58 anos de idade, deixa-nos a todos consternados.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto exprime as mais sentidas condolências à esposa, filha e demais familiares e amigos.

A partida do amigo Adriano Valente representa para o Arco de Baúlhe e para Cabeceiras de Basto uma perda irreparável.

CABECEIRAS DE BASTO RECUPERA ESPAÇOS FLORESTAIS

Presidente da Câmara e responsáveis da Iberdrola visitam espaços florestais recuperados

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, e Sara Hoya responsável da Iberdrola pelo Meio Ambiente e Socioeconomia do Sistema Electroprodutor do Tâmega, visitaram ontem, dia 21 de abril, em Gondiães, os espaços florestais recuperados no âmbito do protocolo celebrado entre a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e a Iberdrola para a valorização da fauna e flora em território Cabeceirense, enquadrado no Programa de Medidas de Compensação pela construção da Barragem de Daivões.

Sobreiros - Moimenta.jpg

Nesta visita participaram também Jorge Cosme, em representação da Diretora Regional do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas do Norte, o presidente da Junta de Freguesia de Gondiães e Vilar de Cunhas, Manuel Ramos, o presidente do Conselho Diretivo de Baldios de Gondiães, Domingos Alves, os técnicos da Iberdrola, Juan José Dapena e Eugénio Carvalho, assim como demais técnicos do ICNF e o responsável pelo Gabinete Técnico Florestal do Município, Luís Freitas.

Nos termos do referido protocolo, assinado em novembro de 2018 e que vigora até 2023, as intervenções de valorização da fauna e flora em espaço florestal são da responsabilidade da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, financiadas pela Iberdrola e contam com a colaboração do ICNF, das Juntas de Freguesia, dos Baldios e das comunidades locais.

Durante esta visita a comitiva pode apreciar e tomar conhecimento ‘in loco’ do desenvolvimento das atividades relativas à fauna e flora, nomeadamente das plantações e respetiva manutenção e demais melhorias florestais, que aconteceram entre 2018 a 2020. Com efeito, foram intervencionados 113 hectares nos Baldios de Gondiães e nos Baldios da Uz e Vilar de Cunhas, no perímetro Florestal da Serra da Cabreira, com a instalação de povoamentos de sobreiros, castanheiros, pereiras bravas, medronheiros entre outras folhosas, num total de 29500 árvores autóctones plantadas. De referir que, para além dessas plantações, algumas das medidas ambientais foram pensadas e implementadas tendo em vista a melhoria do habitat da fauna local e da caça, pelo que se procedeu também à sementeira de campos de centeio, à plantação de árvores de fruto e à desmatação das linhas de água. O investimento realizado neste período ascendeu a 230 mil euros.

Relativamente aos trabalhos para 2021, entretanto já adjudicados pelo Município, num investimento de cerca de 70 mil euros, está previsto continuar a arborização, numa área de mais de 18 hectares, com a plantação de 12.200 árvores e a manutenção da área intervencionada nos anos anteriores.

Na oportunidade, o presidente da Câmara realçou que o sucesso destas intervenções se deve muito “à boa cooperação que tem existido entre todos os intervenientes neste processo, desde a Iberdrola, o ICNF, os Baldios, as Juntas de Freguesia e as comunidades locais e que a satisfação de todos resulta também deste plano prever não só a plantação, mas também, o que é muito importante, a manutenção das mesmas”. A este respeito destacou o “excelente trabalho que está a ser feito no terreno”. Francisco Alves falou também da importância da reflorestação das áreas ardidas, recordando os incêndios de 2016 que devastaram uma valiosa mancha florestal em Gondiães. “Estamos todos a trabalhar em prol do mesmo objetivo” que é a valorização da floresta, finalizou o presidente da Câmara Municipal.

A responsável da Iberdrola, pelo Meio Ambiente e Socioeconomia do Sistema Electroprodutor do Tâmega, Sara Hoya, disse que “a Câmara Municipal soube aproveitar, desde o primeiro momento, as medidas compensatórias da Iberdrola, bem como a possibilidade de executar ações de grande proveito para o concelho”, sublinhando que o “trabalho está a correr muito bem”. Fazendo referência às intervenções feitas em termos das medidas socioeconómicas implementadas em benefício dos territórios e das pessoas, Sara Hoya acrescentou: “começámos com um projeto em papel e agora temos barragens que estão a encher, o que é uma enorme satisfação. As populações veem hoje o projeto com outros olhos, como uma nova oportunidade, como uma mais-valia”, realçando os impactos positivos para a economia local designadamente para o turismo.

Visita a espaços florestais recuperados (6).jpg

Visita a espaços florestais recuperados (27).jpg

Visita a espaços florestais recuperados (33).jpg

Intervenção em Arosa.jpg

Intervenção em Gondiães.jpg

Sobreiros - Gondiães.jpg

CABECEIRAS DE BASTO: GINÁSIO TERAPÊUTICO CONCEBE SISTEMA INOVADOR DE TRATAMENTO DE DADOS

A Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, com o apoio da Junta de Freguesia de Cabeceiras de Basto, encontra-se a dinamizar um Plano de Capacitação para criação de um Ginásio Terapêutico de Reabilitação, com Terapias Holísticas e Medicinais. Esta iniciativa conta com o apoio do Programa Portugal Inovação Social, POISE, Portugal 2020 e União Europeia (Fundo Social Europeu).

Ginásio Terapêutico.jpg

No âmbito do Plano de Capacitação acima referido foi construído um sistema de recolha de informação e de gestão de outputs/ informação estratégica. A intervenção do consultor dirigiu-se aos dirigentes da Fundação, responsável do Ginásio Terapêutico e restantes recursos humanos, sendo que aquele foi um "facilitador" do processo de intervenção, construindo, conjuntamente com aqueles elementos, um espaço de «saberes comuns».

Na atualidade a gestão das redes é preponderante para as empresas, uma vez que a sua organização, os fluxos de informação e os métodos de trabalho adotados, dependem da fluidez dos canais de comunicação. A disponibilidade e o desempenho ao nível da gestão da informação/ dados constitui um fator de diferenciação e de sucesso. A rápida evolução neste domínio tem imposto o desenvolvimento acelerado de mecanismos de configuração padronizados, para que a gestão dos dados seja realizada de uma forma eficaz e célere. “Aquela evolução veio suscitar novas oportunidades de exploração dos Sistema de Informação: a informação tem de estar rápida e consistentemente disponível, sendo que os referidos sistemas devem facultar um fácil acesso e têm de salvaguardar a sua total confidencialidade, numa perspetiva de proteção de dados. Tal só é possível se houver uma infraestrutura de comunicação robusta e estruturada”, acrescentou.

De acordo com o Fisioterapeuta Gualter Machado “o sistema de informação é responsável pela recolha, processamento, armazenagem, análise e distribuição de informações, neste caso concreto do Ginásio Terapêutico”. Esta iniciativa surgiu da necessidade de apostar na “disponibilidade e confiabilidade das informações que são emitidas pelos sistemas de informação. De facto, a velocidade com que as informações fluem gera uma vantagem competitiva, já que as decisões ocorrerão com mais rapidez e a ação do Ginásio Terapêutico superará os seus concorrentes”, adiantou.

A última intervenção do Ginásio Terapêutico assentou no pressuposto de que as instituições que apostam na adoção de sistemas informatizados “tornam-se mais concorrentes, pois por um lado despendem menos tempo a verificar e analisar dados e, por outro lado, cometem menos erros e salvaguardam mais eficazmente a proteção dos seus dados, terminou o Terapeuta Gualter Machado.

MUNICÍPIO DE CABECEIRAS DE BASTO APROVOU HOJE APOIO A FUNDO PERDIDO A 70 EMPRESAS

Em processo de análise encontram-se mais de 100 outras candidaturas

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto aprovou, por unanimidade, hoje, dia 12 de março, em reunião camarária, 70 candidaturas ao Programa #CabeceirasCuida (Medida de Apoio a Fundo Perdido - Eixo 1 – Apoio Extraordinário às Empresas), apoio este que se traduz na atribuição de um montante global de 84 mil euros a um total de 70 empresas e empresários em nome individual, com sede ou domicílio fiscal no concelho Cabeceirense.

Cabeceiras de Basto - BandeiraBandeira.jpg

Este programa de apoio a fundo perdido é concedido por uma única vez a uma sociedade comercial/empresário em nome individual. O apoio financeiro é calculado em função dos postos de trabalho, sendo que 1 posto de trabalho equivale a um apoio de 1.000 euros, até 5 postos de trabalho um apoio de 1.500 euros e mais de 5 postos de trabalho 2.000 euros.

A Câmara Municipal realça a grande adesão a esta medida que contabiliza já um total de cerca de 170 candidaturas, tendo sido aprovadas, hoje, 70 encontrando-se as restantes em processo de análise no âmbito das Normas de Acesso e Critérios de Atribuição a Apoio a Fundo Perdido do Programa Municipal Extraordinário de Apoio Económico e Social #CabeceirasCuida.

Este Programa Municipal Extraordinário de Apoio Económico e Social, previsto no Plano e Orçamento Municipal para o corrente ano, surge no contexto da pandemia que o País atravessa, provocada pelo coronavírus COVID-19, em consequência dos efeitos financeiros muito negativos que a pandemia acarretou. Note-se que a atividade empresarial sofreu um decréscimo acentuado, o que originou dificuldades a diversos níveis, designadamente nos estabelecimentos de comércio e restauração. São, deste modo, fundamentais os apoios por parte da Câmara Municipal, designadamente com vista à manutenção dos negócios e do emprego, acautelando a ocorrência de repercussões negativas no mercado de trabalho.

O Programa Municipal de Apoio #CabeceirasCuida tem, assim, como objetivo minimizar as consequências da pandemia, acudindo a situações de emergência económica e empresarial.

A Câmara Municipal espera entregar os cheques aos beneficiários já na próxima semana.

CABECEIRAS DE BASTO: FORMAÇÃO DE SERVIÇO DE APOIO AO CLIENTE, NO ÂMBITO DO PROJETO GINÁSIO TERAPÊUTICO

A Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, com o apoio da Junta de Freguesia de Cabeceiras de Basto, encontra-se a dinamizar um Plano de Capacitação para criação de um Ginásio Terapêutico de Reabilitação, com Terapias Holísticas e Medicinais. Esta iniciativa conta com o apoio do Programa Portugal Inovação Social, POISE, Portugal 2020 e União Europeia (Fundo Social Europeu).

Ginásio Terapeutico.jpg

No âmbito do Plano de Capacitação, a Fundação dinamizou uma ação de formação sobre Serviço de Apoio ao Cliente.

De acordo com Gualter Machado “a velocidade com que a informação circula, a facilidade de acesso a bens e serviços, o aumento da agressividade da concorrência para conquista de quota de mercado, leva a que o serviço de apoio ao cliente tenha assumido um papel cada vez mais importante no desenvolvimento da atividade de qualquer organização”, adiantou o técnico.

No âmbito da formação em questão foi desenvolvido um manual que visa apoiar no serviço de apoio ao cliente, “disponibilizando um conjunto de técnicas para um atendimento eficiente e que se traduza na total satisfação do cliente em todos os momentos de interação com a organização. Com este instrumento de apoio pretende-se disponibilizar uma agregada relação de informações não só direcionadas para a prestação de serviços, mas também para a comercialização de produtos (venda e pós-venda)”, terminou Gualter Machado.

Poder-se-á encontrar, no manual, indicações relativas ao atendimento ao cliente e às competências dos colaboradores da linha da frente, bem como é explicada a importância da qualidade na garantia da satisfação dos clientes e nos bons resultados da empresa.

No presente manual encontram-se explanadas diferentes dinâmicas de grupo, que se apresentam como ferramentas capazes de desenvolver as competências individuais dos colaboradores de qualquer organização, permitindo desta forma, catapultar a mesma para um patamar de destaque no mercado.

CABECEIRAS DE BASTO JÁ VACINA

Processo de vacinação arrancou hoje em Cabeceiras de Basto

Arrancou hoje, dia 16 de fevereiro, em Cabeceiras de Basto, o processo de vacinação da Covid-19 para os maiores de 80 anos, bem como para pessoas com idade igual ou superior a 50 anos com doenças associadas (pelo menos uma das seguintes patologias: (doença coronária, insuficiência cardíaca, insuficiência renal ou doença pulmonar obstrutiva crónica). Nesta fase estima-se que venham a ser vacinadas 1.300 pessoas.

Processo de vacinação arrancou hoje em Cabeceira

Durante esta semana espera-se que a vacinação abranja 210 pessoas, estando prevista na próxima semana a vacinação de mais 400 pessoas.

De referir que a convocatória para o processo de vacinação da Covid-19 é feita pelo telefone e é da responsabilidade da USF O Basto e da USF Arco/Cavez, nas suas respetivas áreas de abrangência. Neste processo, as Unidades de Saúde Familiar (USF) contam com a colaboração das Juntas de Freguesia para contactarem as pessoas cujas chamadas telefónicas não sejam possíveis de estabelecer.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto está a apoiar o processo de vacinação da Covid-19 através da instalação de uma tenda junto ao Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto, com todas as condições de comodidade e climatização, que funciona como sala de recobro.

As Juntas de Freguesia e a Câmara Municipal estão também a disponibilizar apoio ao nível do transporte para quem tiver necessidades, transporte este que será também realizado em articulação com os Bombeiros Cabeceirenses e com a Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) tendo em conta as especificidades de cada pessoa, designadamente ao nível da sua condição física/mobilidade reduzida.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto apela aos Cabeceirenses para que aguardem até serem contactados pelas referidas autoridades de saúde, informando a população que o processo de vacinação irá decorrer ao longo do ano de 2021.

“Ser vacinado contra a COVID-19 permite proteger-nos individualmente contra a doença e suas complicações, bem como contribuir para a proteção da saúde pública, através da imunidade de grupo”, informa a Direção Geral da Saúde.

MUNICÍPIO DE CABECEIRAS DE BASTO CONTINUA A APOIAR FAMÍLIAS E EMPRESAS EM TEMPO DE PANDEMIA

Aprovadas por unanimidade propostas para minimizar impactos da Covid-19

O Executivo Municipal de Cabeceiras de Basto aprovou, por unanimidade, hoje, 29 de janeiro, em reunião camarária, um conjunto de apoios extraordinários às famílias e às empresas no âmbito das medidas extraordinárias e temporárias de combate à pandemia Covid-19, mantendo-se desta forma e especialmente ao lado dos mais vulneráveis e do tecido económico do concelho.

Câmara Municipal continua a apoiar as famílias e

Apoios às famílias

  • Isenção/redução da fatura de água

Por proposta do presidente da Câmara e da vereadora do Desenvolvimento Económico e enquadrados no âmbito do #CabeceirasCuida – Programa Municipal Extraordinário de Apoio Económico e Social (COVID-19) previsto no Orçamento para 2021, as famílias serão apoiadas através da isenção do pagamento de água, saneamento e resíduos, bem como pelo Fundo de Apoio Social às famílias, agora renovado.

Ficam, assim, isentos do pagamento, entre janeiro e junho de 2021, da fatura de água, saneamento e recolha de resíduos os consumidores domésticos beneficiários da tarifa social, medida que será automaticamente adotada. Será igualmente aplicado o tarifário do 1º escalão ao total de água consumida pelos beneficiários da tarifa familiar, entre janeiro e junho de 2021. Estas medidas representam uma previsível redução da receita do Município no montante 10 mil euros, beneficiando um número significativo de famílias.

  • Apoio financeiro a fundo perdido

O Fundo de Apoio Social, renovado até 30 de junho, com um montante de 50 mil euros, vai apoiar as famílias residentes em Cabeceiras de Basto que comprovem uma quebra temporária dos seus rendimentos de trabalho, devido à pandemia COVID-19, entre março de 2020 e o mês anterior ao da apresentação da candidatura, e que dessa quebra resulte um rendimento mensal médio per capita igual ou inferior ao valor do indexante do IAS (438,81 €, em 2020). O cálculo do apoio financeiro a conceder será obtido através do resultado mensal correspondente a 20% do valor da renda da habitação permanente ou da prestação mensal de crédito à habitação própria, acrescido de 20% dos custos médios da faturação de energia elétrica da mesma habitação calculada entre os meses de abril de 2020 e o mês anterior à apresentação de candidatura. Os apoios terão um limite máximo mensal de 100 euros que será multiplicado por quatro meses, apurando-se assim o apoio financeiro total a conceder. Para beneficiar desta medida, os requerentes deverão solicitar o apoio através de formulário próprio.

  • Refeições Solidárias

O Executivo Cabeceirense aprovou, ainda, no âmbito do programa #CabeceirasCuida a atribuição de Refeições Solidárias a famílias em situação de emergência social, alerta, contingência ou calamidade e de exclusão social, bem como a agregados familiares de estratos sociais mais desfavorecidos que viram os seus rendimentos diminuir devido à pandemia Covid-19. Este apoio traduz-se na entrega de refeições, até três vezes por semana, consoante as necessidades identificadas pelos Serviços Municipais de Ação Social. Para este efeito, terão os interessados de requerer o apoio.

Apoios às empresas

  • Isenção de tarifas fixas da fatura da água

No que se refere os apoios extraordinários às empresas, igualmente enquadrados no programa #CabeceirasCuida, o Executivo Cabeceirense aprovou hoje a isenção de pagamento de rendas e outros apoios às atividades económicas no concelho, bem como a concessão de isenção de tributos próprios. Deste modo, estão isentos, até 30 de junho do corrente ano, os consumidores não domésticos (comércio, indústria, serviços) das tarifas fixas referentes ao consumo de água, saneamento e recolha de lixo, medida que não exige a apresentação de qualquer requerimento por parte do beneficiário, aplicando-se automaticamente à faturação referente aos meses de janeiro a junho de 2021.

  • Suspensão do pagamento de rendas

No que se refere às rendas de lojas e bancas, foi aprovada, por unanimidade, a isenção do pagamento de renda da loja e bancas do Mercado Municipal, da loja/bilheteira e do bar da Central de Camionagem do Arco de Baúlhe. Estas isenções aplicam-se automaticamente no período entre janeiro e junho de 2021, não sendo necessário aos arrendatários solicitá-las.

Quanto à venda de produtos locais, foi igualmente aprovada, por unanimidade, a utilização, até 30 de junho deste ano, a título gratuito, das bancas disponíveis no Mercado Municipal para os produtores locais de géneros alimentares de terça-feira a sábado, no horário de funcionamento do Mercado Municipal; bem como autorizada, até 30 de junho, a instalação de produtores locais de géneros alimentares (fruta, broa, legumes e outros hortícolas, fumeiro, animais vivos), todos os dias, à exceção do domingo, no arruamento norte do Largo da Serra, no Arco de Baúlhe, isentando-os do pagamento de ocupação do espaço público.

Estas medidas de apoio às empresas representam uma previsível redução da receita do Município no montante de 74 mil euros, beneficiando 1.500 consumidores não domésticos de água, saneamento e recolha de resíduos, 6 arrendatários de lojas e bancas, 64 produtores locais e 21 produtores ocasionais.

  • Esplanadas gratuitas e suspensão do pagamento de terrados da feira

A Câmara Municipal apoiará, ainda, a atividade económica no que toca ao licenciamento de esplanadas e terrados da feira semanal. Assim, serão isentados, no ano 2021, os estabelecimentos de restauração e bebidas do pagamento de taxas de ocupação do espaço público com esplanadas independentemente da área a licenciar. No entanto, o funcionamento das esplanadas estará sempre sujeito a licenciamento a requerer pelos interessados.

De igual modo, os feirantes ficam isentos do pagamento de taxas de ocupação de terrado na feira semanal, entre 1 de janeiro e 30 de junho, aplicando-se esta isenção automaticamente, não sendo necessário qualquer requerimento.

Estas duas últimas medidas representam uma previsível redução da receita do Município no montante de 29 mil euros, beneficiando dezenas de empresas no que diz respeito às isenções de taxas de esplanadas, assim como cerca de 127 feirantes.

  • Apoio financeiro a fundo perdido

Foram também aprovadas, por unanimidade, as normas de acesso e critérios de atribuição do apoio a fundo perdido que tem como destinatários as empresas e os empresários em nome individual, com sede ou domicílio fiscal no concelho de Cabeceiras de Basto. Este programa de apoio a fundo perdido, concedido por uma única vez a uma sociedade comercial ou empresário em nome individual, tem como valor máximo 2 mil euros. Mais informações serão disponibilizadas no site do Município.

De referir que estes apoios vêm reforçar as medidas implementadas, já no ano anterior, de apoio às famílias e empresas, com o objetivo de minimizar as consequências da pandemia na vida da população.

CABECEIRAS DE BASTO REFORÇA PROTEÇÃO INDIVIDUAL

Câmara Municipal reforçou entrega de material de proteção individual às instituições em mais de 20 mil unidades

Os Serviços Municipais de Proteção Civil (SMPC) reforçaram esta semana a entrega de material de proteção individual pelas instituições concelhias, na sequência do agravamento da situação de emergência provocada pela pandemia Covid-19. No total foram distribuídas 21.174 unidades, entre máscaras cirúrgicas, máscaras FFP2, batas descartáveis, luvas, protetores de sapatos, toucas, óculos, manguitos e aventais descartáveis, num investimento global municipal de 14 mil euros.

Equipamento de proteção individual (1).jpg

Receberam equipamento de proteção individual as seguintes entidades:

  • IPSS’s: ADIB – Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto, Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, Centro Social e Paroquial de Bucos, Centro Social e Paroquial de St. André de Riodouro, Centro Social e Paroquial de Abadim, Lar do Centro Social e Paroquial de Cavês, Lar Dr. Manuel Fraga da Misericórdia de S. Miguel de Refojos, Lar da ARCA - Associação Recreativa e Cultural do Arco de Baúlhe e ainda o Lar Nirvana na Faia;
  • Unidades de Cuidados Continuados: UCC da Basto Vida, UCC Dr. Francisco Meireles da Misericórdia de S. Miguel de Refojos e a Unidade de Internamento Público de Cabeceiras de Basto;
  • Forças de Socorro e Segurança: Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa, Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Cabeceirenses e GNR de Cabeceiras de Basto.

De referir que o material de proteção individual foi também distribuído pelas Equipas de Sapadores Florestais do concelho, enquanto agentes de Proteção Civil.

Na próxima semana será igualmente reforçada a distribuição de equipamentos de proteção às famílias de acolhimento que, no mês de dezembro, tinham recebido Kit´s com máscaras cirúrgicas, luvas, gel desinfetante e material informativo.

A entrega do material, que se destina a reforçar a resposta logística e operacional daquelas instituições a eventuais necessidades emergentes no combate à pandemia, insere-se no âmbito do Programa Municipal Extraordinário de Apoio Económico e Social (Covid-19) – #CabeceirasCuida e enquadra-se no Eixo 4 – Apoio ao combate e mitigação da Covid-19 que, para além da aquisição de bens e serviços para o funcionamento do Centro de Rastreio, prevê a aquisição de equipamentos de proteção individual para distribuição pelas instituições concelhias, famílias de acolhimento e trabalhadores do Município, medidas estas que constam do Plano e Orçamento da Câmara Municipal para 2021 que foi aprovado, por maioria, no Executivo e Assembleia Municipais.

Com esta ação, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto vem reforçar as medidas já implementadas no ano de 2020, continuando atenta e a acompanhar, diariamente, o evoluir da situação de risco provocada pela pandemia que permanece ativa em Portugal e no mundo.

Equipamento de proteção individual (5).jpg

EDP DISTRIBUIÇÃO LIGA NOVO POSTO DE TRANSFORMAÇÃO NA UNIÃO DE FREGUESIAS DE ALVITE E PASSOS NO CONCELHO DE CABECEIRAS DE BASTO

Investimento de 45 mil euros vai contribuir para a melhoria da qualidade de serviço na zona

A EDP Distribuição procedeu à ligação de um novo Posto de Transformação com uma potência Instalada de 160 kVA, na União de Freguesias de Alvite e Passos, concelho de Cabeceiras de Basto.

20201030_163706.jpg

A obra, que contemplou a construção de 400 metros de rede aérea Média Tensão e 1000 metros de rede de Baixa Tensão, rondou um investimento de 45 mil euros.

Com a entrada em exploração do referido Posto de Transformação, a qualidade de serviço aos clientes no Lugar de Ponte Pedrinha, da referida união de freguesias, vai ser melhorada.

Fica também garantida a disponibilização de potência para novas solicitações de energia elétrica para esta zona.

Para a EDP Distribuição, este procedimento enquadra-se na sua política de otimização da qualidade de serviço e eficiência energética, resultante do compromisso que a empresa assumiu com o Município de Cabeceiras de Basto.

20201030_163534.jpg

CABECEIRAS DE BASTO: GINÁSIO TERAPÊUTICO IMPLEMENTA ANÁLISE ESTRATÉGICA

A Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, com o apoio da Junta de Freguesia de Cabeceiras de Basto, encontra-se a dinamizar um Plano de Capacitação para criação de um Ginásio Terapêutico de Reabilitação, com Terapias Holísticas e Medicinais. Esta iniciativa conta com o apoio do Programa Portugal Inovação Social, POISE, Portugal 2020 e União Europeia (Fundo Social Europeu).

medical-massage-at-the-leg-in-physiotherapy-center

No âmbito do Plano de Capacitação, a Fundação realizou uma análise estratégica que consiste “no estudo do ambiente interno e externo de uma empresa, com o objetivo de avaliar as suas competências presentes e futuras. A partir daí é possível definir uma estratégia, a fim de facilitar o alcance de uma determinada meta”, referiu Gualter Machado, Fisioterapeuta e Técnico do Projeto.

No âmbito da análise estratégica “houve duas questões fundamentais que foram trabalhadas, numa ótica de cocriação: «Qual a matriz empresarial deste setor?» e «Quais as características dos clientes deste tipo de iniciativa empresarial?». De facto, ao realizar uma análise estratégica devemos identificar as especificidades do mercado em que se visa intervir, para assim poder definir uma estratégia concertada.” Foi dentro dessa lógica que a Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, no âmbito da iniciativa Ginásio Terapêutico, concebeu a análise estratégica.

De acordo com Carla Lousada, Presidente da Direção da Fundação, “neste trabalho o processo de consultoria assumiu uma importância fundamental, sendo aquele um "facilitador" dos processos de intervenção. Naquele processo foi possível, através de uma lógica colaborativa e de cocriação, levar a cabo o desenho da análise estratégica, assim como estudar e propor diferentes estratégias de crescimento. Esta análise permitiu fornecer uma ferramenta de análise e de ação que poderá ser adaptada às necessidades e planos futuros.”, terminou Carla Lousada.

Em suma, o desenvolvimento do documento em questão permitirá ao Ginásio Terapêutico compreender melhor onde é que residem as suas principais forças e fraquezas, assim como identificar as principais oportunidades e ameaças do contexto em que se insere, para que consiga definir de uma forma mais informada os seus planos de ação e as suas prioridades.

CABECEIRAS DE BASTO: COMISSÃO DE PROTEÇÃO CIVIL ACOMPANHA EVOLUÇÃO DA COVID-19

Emite parecer favorável à implementação e reforço de medidas

Reuniu na passada sexta-feira, dia 6 de novembro, no Salão Nobre do Edifício dos Paços do Concelho, a Comissão Municipal de Proteção Civil.

Comissão de Proteção Civil acompanha evolução

Dirigida pelo presidente da Câmara Municipal e Presidente da Proteção Civil Municipal, Francisco Alves, nesta reunião estiveram presentes 12 representantes das entidades que integram a Comissão e ainda, a convite do presidente da Câmara, a vereadora Carla Lousada, e representantes do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto e da Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa.

No início desta reunião, o presidente da Câmara saudou e agradeceu a presença de todos, salientando a importância da cooperação de todos os agentes da Proteção Civil no combate à COVID-19.

Em cima da mesa estiveram a avaliação da informação relativa à evolução epidemiológica ocasionada pela doença Covid-19 e a adoção de medidas que permitam uma permanente monitorização e acompanhamento da situação no concelho.

Nesta reunião, a Comissão de Proteção Civil emitiu parecer favorável à adoção de um conjunto de medidas para o acompanhamento e monitorização permanecente da pandemia no concelho, designadamente: reforçar a articulação com os Serviços de Saúde, os Serviços de Saúde Pública, o Instituto da Segurança Social e a GNR de Cabeceiras de Basto para o acompanhamento e recolha de informação relativa à situação do surto epidémico em curso; manter o acompanhamento e a monitorização em permanência dos planos de contingência dos agentes de proteção civil do município e de outras entidades cooperantes de modo a manter a sua capacidade operacional; reforçar a articulação com os agentes de proteção civil para a disponibilização de equipamentos e recursos materiais necessários para o eventual acolhimento operacional e logístico de meios de reforço de socorro e sanitários e, em caso de necessidade, o acolhimento temporário de um centro de operações integrado para todos os recursos municipais; reforçar a sensibilização e informação à população relativa às medidas e recomendações emanadas pela Autoridade de Saúde no âmbito da resposta à pandemia; reforçar as ações de caráter preventivo, pedagógico e fiscalizador à população relativas às medidas legislativas produzidas no âmbito da resposta à pandemia; constituir uma reserva estratégica de recursos materiais e equipamentos de modo a manter a resposta operacional municipal; manter-se como parceiro proativo no planeamento antecipado e acompanhamento de ações da ajuda aos munícipes, nomeadamente no que se refere ao apoio psicológico, apoio social, segurança, recolha e entrega de bens essenciais e medicamentos e à disponibilização de infraestruturas públicas; bem como manter a monitorização e apoio das situações de risco social através da Comissão Municipal de Pessoas Idosas de Cabeceiras de Basto, da Régie Cooperativa Basto Vida, dos Serviços Municipais de Ação Social e Saúde e em articulação com os Serviços de Saúde locais, as Juntas de Freguesia, o Instituto da Segurança Social, a GNR e as IPSS´s concelhias.

Relativamente à evolução epidemiológica e no que se refere às medidas adotadas desde o início, no combate à pandemia, o Coordenador Municipal de Proteção Civil, Luís Freitas, deu a conhecer todo o trabalho desenvolvido por parte dos Serviços Municipais de Proteção Civil que contaram com a colaboração e cooperação dos Serviços de Saúde Pública, dos Serviços de Saúde Primários e demais agentes de Proteção Civil, Ação Social e Saúde. Referimo-nos ao acompanhamento dos planos de contingência das estruturas residenciais de idosos e das unidades de internamento; apoio ao centro de rastreio COVID-19 instalado pela Câmara Municipal e que, desde abril até 6 de novembro, já realizou 1106 testes; atendimento de linha telefónica específica para a marcação de testes com o apoio do CLDS 4 G – Vivências; identificação de pessoas isoladas com a colaboração da GNR e das Juntas de Freguesia; apoio na implementação de regras de segurança na feira semanal; bem como a instalação de três centros de retaguarda COVID-19 – no Complexo Florestal da Veiga, na Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa e no Basto Vila Hotel.

A Delegada de Saúde de Cabeceiras de Basto, Fátima Dourado, evidenciou o facto de o ACES do Alto Ave ser um dos que se encontra em situação mais grave, com grande número de doentes infetados, ativos e em isolamento, salientando que em Cabeceiras de Basto a situação se encontra sob controlo (115 casos positivos acumulados desde o início da pandemia e, em 6 de novembro, com 37 casos ativos, 48 em isolamento, 6 mortos e 43 doentes curados). Realçou que é fundamental apostar na educação da população para as regras de prevenção e contenção da COVID-19 e reconheceu que os Serviços Municipais de Proteção Civil têm feito um bom trabalho.

Por seu turno, o Coordenador da Unidade de Saúde Familiar ‘O Basto’, Maia Ramos, apontou a necessidade de se apostar nas campanhas de sensibilização e educação.

A representante do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, Augusta Cristina, fez uma exposição sobre a situação vivida nos estabelecimentos de ensino, ao passo que Sérgio Nunes da Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha informou a Comissão de que, a partir da próxima semana, serão realizados testes rápidos na instituição.

O Presidente da Câmara e Presidente da Proteção Civil Municipal apelou à GNR para uma maior vigilância com o objetivo de se desincentivarem comportamentos de risco.

CABECEIRAS DE BASTO: FUNDAÇÃO ANTÓNIO JOAQUIM GOMES DA CUNHA CRIA MANUAL DE SOFT SKILLS E GESTÃO ESTRATÉGICA

A Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, com o apoio da Junta de Freguesia de Cabeceiras de Basto, encontra-se a dinamizar um Plano de Capacitação para criação de um Ginásio Terapêutico de Reabilitação, com Terapias Holísticas e Medicinais. Esta iniciativa conta com o apoio do Programa Portugal Inovação Social, POISE, Portugal 2020 e União Europeia (Fundo Social Europeu).

Foto de Grupobened.jpg

No âmbito do Plano de Capacitação a Fundação realizou um Manual de “Soft Skills e Gestão Estratégica” que poderá ser trabalhado por qualquer instituição do setor da Economia Social.

O trabalho em questão teve como objetivo explicar a relevância que têm as habilidades pessoais (Soft Skills) na dinâmica institucional. Pretendeu-se dar a conhecer, igualmente, a influência que as Soft Skills exercem ao nível da seleção de recursos humanos, ou seja, na contratação de pessoal para a empresa.

Para contextualizar o presente tema importa referir que as Soft Skills ou habilidades pessoais são as qualidades interpessoais que se possuem. São "competências sociais" que facilitam a integração bem-sucedida, por exemplo, num determinado ambiente laboral”, explica Carla Lousada, Presidente da Direção da Instituição.

De acordo com Izard (2007) das Soft Skills mais importantes nos executivos são: comunicação, responsabilidade, atitude positiva e capacidade de trabalho em equipa, entre outras.

O manual –Soft Skills e Gestão Estratégica- foi desenvolvido no âmbito da ação de mentoria (1ª ação), tendo como objetivo constituir um racional teórico e prático da ação de mentoria “Soft Skills e Gestão Estratégica: Implicações na Dinâmica Empresarial da IIES”.

CABECEIRAS DE BASTO: BANDA CABECEIRENSE COMPLETA 200 ANOS DE EXISTÊNCIA

Fundada em 1820, é a mais antiga das colectividades do concelho, sendo também a maior implantação e a que mais contribuiu para a aprendizagem e divulgação musical nas terras de basto. Desde a sua fundação viveu períodos áureos mas também momentos difíceis, chegando mesmo a estar inactiva, embora por um curto espaço de tempo.

Banda-Cabeceirense_.jpg

Em 1986 um grupo de músicos e de ilustres Cabeceirenses ligados ao desporto e à cultura, com a colaboração da Câmara Municipal conseguiram fazer renascer esta colectividade, ultrapassando assim um dos períodos mais difíceis. Foi também nesta data em que se deu a fundação da Escola de musica que teve como grande impulsionador e principal dinamizador e pedagogo o contramestre Lourenço de Castro.

Em 1991 a Direcção, com o apoio e colaboração de alguns executantes, Câmara Municipal e outras individualidades do concelho, conseguiram angariar fundos para renovação do instrumental.

Em 1999 na sequencia da grande afluência de jovens a Escola de Musica, nasce a Banda Juvenil Cabeceirense, composta por 40 jovens executantes que desde então e apesar da sua tenra idade tem brilhado em encontros de Bandas Juvenis e na participação de concertos efectuados no âmbito das actividades culturais desenvolvidas pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.

Há mais de 180 anos que esta banda participa nas maiores romarias do Norte do Pais, festivais de bandas filarmónicas, concertos em teatros, desfiles e recepções as mais altas individualidades do Pais, nomeadamente Presidente da Republica, Primeiros-ministros e Secretários de Estado. O seu prestígio reside na qualidade, empenhamento e postura adoptados em todas as actuações, arrecadando os mais altos elogios.

Dirigida por Maestros de renome, tais como Amílcar Cunha, Serafim Aguiar, Joaquim Peixoto José Machado, Gil Lopes entre outros.

No historial desta banda destacam-se figuras que foram marcantes na actividade desenvolvida por esta colectividade, cuja dedicação e empenho em prol da mesma foram merecedores de reconhecimento público. Referimo-nos ao SR. António Mendes, maestro Cabeceirense, que a autarquia homenageou e a quem erigiu um busto, junto a casa da musica onde actualmente alberga a sede da banda Cabeceirense.

Fonte: https://www.bandasfilarmonicas.com/

CABECEIRAS DE BASTO: MINISTRA DA COESÃO TERRITORIAL INAUGURA OBRA DE REQUALIFICAÇÃO DO CAMPO SECO

A Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, inaugurou ao final desta tarde, 26 de setembro, a grande obra de requalificação do Campo do Seco, empreitada que se desenvolveu ao longo dos últimos dois anos.

Ministra da Coesão Territorial inaugurou obra de

Acompanharam a governante neste ato, os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Joaquim Barreto, respetivamente, o Secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Carlos Miguel, o Vogal da Comissão Diretiva do Norte 2020, Humberto Cerqueira, e o antigo Vogal, Jorge Nunes.

Participaram também nesta cerimónia simbólica, vereadores, presidentes de Juntas de Freguesia, membros da Assembleia Municipal e técnicos da Câmara Municipal. Associou-se, ainda, à cerimónia o vice-presidente da Câmara Municipal de Mondim de Basto, Paulo Mota, entre outros convidados e público em geral.

A intervenção no Campo do Seco, uma praça com 2 hectares no centro da vila de Cabeceiras de Basto, teve como objetivo requalificar o espaço, valorizando-o e tornando-o num verdadeiro centro comercial do concelho. O valor global da candidatura de 2,9 milhões de euros foi financiada pelo Programa NORTE 2020, através do Fundo FEDER, em 1 milhão e 516 mil recorrendo, ainda, a autarquia a um empréstimo bancário – Linha BEI de 653 mil euros.

O Campo do Seco é o maior espaço público da vila. É o recinto onde, há mais de dois séculos, se realiza o maior evento festivo do concelho, a Feira e Festa de S. Miguel mas, também, a feira semanal. O Campo do Seco precisava de uma intervenção que melhorasse as condições de acessibilidade e circulação de pessoas e veículos, fomentando a sua dinâmica comercial mas também tornando-a mais bela e confortável como zona de estar.

Intervenção da Ministra da Coesão Territorial.J

Com a criação da ARU de Cabeceiras de Basto, a requalificação do Campo do Seco foi sinalizada como ação prioritária e foi no âmbito do Plano de Ação da Regeneração Urbana – PARU que Cabeceiras de Basto viu aprovada a candidatura para esta extraordinária obra. Inicialmente, a intervenção contemplava apenas o Campo do Seco. Mais tarde, foi possível candidatar a requalificação da Rua da Fonte de S. João, arruamento de ligação desta praça à zona nascente da vila, obra que complementa a grande intervenção inaugurada hoje e que se iniciará muito brevemente.

O Campo do Seco tem agora mais 61 árvores do que tinha antes da intervenção, 209 lugares de estacionamento, um posto para carregamento de duas viaturas elétricas, instalações sanitárias públicas e armazém para apoio à feira, infraestruturas para a feira semanal, novos espaços ajardinados, renovadas infraestruturas subterrâneas, passeios mais largos, dois ecopontos e diverso mobiliário urbano, faixas de rodagem estreitadas como medida de acalmia de tráfego e monumento ao agricultor valorizado.

No uso da palavra, a Ministra da Coesão Territorial deu os parabéns à Câmara Municipal pela execução da obra de requalificação do Campo do Seco, “centro nevrálgico de Cabeceiras de Basto” que se apresenta agora “mais moderno e mais urbano”. E afirmou: “é disto que se trata quando falamos em reabilitação dos centros históricos – trazer nova vida para estas zonas”. Ana Abrunhosa desejou que esta requalificação traga mais comércio, mais economia e novos residentes”, mas também “melhores condições para a realização da feira semanal e da Feira e Festas de S. Miguel”.

Mencionando a importância e as mais-valias dos Fundos Europeus, a Ministra da Coesão Territorial considerou que “os fundos europeus não fazem tudo sozinhos. Sem autarcas que ponham a máquina em movimento, nenhum destes projetos sairia do papel”, notou a ministra, avançando: “precisamos de autarcas assim, que nunca fiquem satisfeitos”.

Ao criar o Ministério da Coesão Territorial, “o Governo quis dar um sinal ao país de que o vê como um todo e que todo o território conta. Para termos um país desenvolvido, ele nunca será desenvolvido se não olharmos com especial cuidado para o nosso interior”, garantiu Ana Abrunhosa.

A Ministra da Coesão Territorial terminou a sua intervenção lembrando Hermígio Romarigues – guerreiro-monje personificado na estátua ‘O Basto’ – e a sua lendária frase: “Até ali, por S. Miguel, até ali, basto eu!” para confirmar que “bastou na altura mas hoje são precisos todos”.

Intervenção do Presidente da Assembleia Municipa

Na oportunidade, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, depois de fazer uma retrospetiva histórica sobre a evolução do espaço do Campo do Seco, manifestou à ministra da Coesão Territorial duas preocupações com que o poder local se debate atualmente.

“O poder local, e falo muito especialmente dos concelhos do interior como o nosso, sente extraordinárias dificuldades com as regras da contratação pública”, disse Francisco Alves, referindo que “é muito difícil aos empresários locais, que tiveram a coragem de aqui ficar, investir e criar postos de trabalho, compreenderem que estão tapados e que a Câmara Municipal não pode comprar-lhes um vidro ou um saco de cimento”. E acrescentou: “o limite de 20 mil euros de adjudicações a um fornecedor, durante três anos, é uma aberração que importa corrigir rapidamente”. A regra do equilíbrio financeiro foi outra das preocupações manifestadas pelo edil.

O autarca sublinhou ainda que irá ser apresentada nos próximos dias a candidatura para a remoção de fibrocimento da cobertura de quatro escolas. “E, num futuro próximo, precisamos de garantir financiamento para a criação de uma zona industrial e a ampliação de outra, a construção de um canil/gatil e a construção do Arquivo Municipal”, avançou o presidente da Câmara Municipal.

Na hora dos agradecimentos e depois de reconhecer o trabalho de todos aqueles que tornaram possível esta obra, o autarca deixou “um agradecimento muito sentido aos moradores, aos comerciantes e todos os demais utentes deste espaço multifuncional, pela magnífica compreensão que tiveram durante estes 19 meses de obra. Sei bem que não foi fácil, mas fica na minha história pessoal e na história da Câmara Municipal a forma como todos, sofrendo com o pó, a lama, o barulho, os taipais e todos os demais incómodos, compreenderam e apoiaram a Câmara”. E, por fim, deixou um apelo a todos: “estimemos e façamos estimar este magnífico espaço”.

Na sua intervenção, o presidente da Assembleia Municipal, caracterizou a beneficiação do Campo do Seco como um “projeto simples, arejado mas sem perder a identidade”, uma “intervenção cuidada e ambiciosa” que “vai ao encontro das exigências contemporâneas, procurando dar-lhe mais urbanidade e procurando torná-la mais humanizada”. E continuou: “quando se fala de coesão territorial estamos a falar deste tipo de intervenções que embelezam as terras, tornando-as cada vez mais atrativas e associadas às potencialidades endógenas e a outras valências, serviços e competências, valorizando a interioridade e tornando-a cada vez mais uma opção de residência”.

Joaquim Barreto deixou uma saudação especial à Banda Cabeceirense pelos seus 200 anos, elogiando a oferta à população deste concerto inaugural do Campo do Seco que abrilhantou a cerimónia.

A finalizar o seu discurso, o presidente da Assembleia Municipal destacou: “juntos seremos sempre muito mais fortes na defesa e na valorização dos territórios do interior de Portugal”.

O evento, que decorreu ao ar livre no Campo do Seco, cumprindo todas as normas da Direção Geral da Saúde, contou com um extraordinário concerto inaugural pela bicentenária Banda Cabeceirense.

Concerto inaugural pela bicentenária Banda Cabece