Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA FOI O MUNICÍPIO QUE MAIS CRESCEU NA REGIÃO NORTE

Censos 2021 mostram crescimento de 11.839 mil habitantes face a 2011

O Instituto Nacional de Estatística divulgou hoje, dia 28 de Julho, os resultados preliminares do XVI Recenseamento Geral da População e VI Recenseamento Geral da Habitação - Censos 2021.

LVI_9645.jpg

Braga foi o Município que mais cresceu na Região Norte. No que diz respeito à variação da população residente nos 10 municípios mais populosos do país, os dados mostram que Braga foi também o Município que registou o maior crescimento no número de habitantes, perfazendo agora um total de 193.333 mil cidadãos residentes.

Estes números equivalem a um crescimento de 11 839 (+6,5%) habitantes face aos dados obtidos nos últimos Censos, que datam de 2011. Também no número de habitações existentes no Concelho se registou um aumento, passando de 84,648 mil em 2011 para 89,343 mil habitações.

Dentro da estatística dos municípios mais populosos do país, Sintra, Cascais, Almada, Loures e Vila Nova de Gaia são os restantes municípios que apresentam ganhos em termos de habitantes. Já Lisboa, Porto, Matosinhos e Oeiras perdem população.

A nível nacional, os Resultados Preliminares dos Censos 2021 revelam que a população residente em Portugal é 10 347 892, um decréscimo de 2,0% face a 2011. Portugal registou ainda um ligeiro crescimento do número de edifícios e de alojamentos destinados à habitação, embora num ritmo bastante inferior ao verificado em décadas anteriores.

Os Resultados Preliminares estão disponíveis até ao nível geográfico de freguesia e acessíveis na Plataforma de Divulgação dos Censos 2021 – Resultados Preliminares, disponível em censos.ine.pt.

BRAGA: ESTAÇÃO ARQUEOLÓGICA DE SANTA MARTA DAS CORTIÇAS VAI SER MUSEALIZADA

Assinatura do protocolo de valorização, musealização e adequação à visita da Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças

10af156df7a8c60e148cee080d3c7a0b.jpg

O Município de Braga procede amanhã à assinatura do protocolo de valorização, musealização e adequação à visita da Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças, em cerimónia que terá lugar na Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças.

O reconhecimento do valor histórico, cultural e científico da estação arqueológica de Santa Marta das Cortiças, a par da percepção do seu elevado potencial de valorização, motivou o Município de Braga, em parceria com a Junta de Freguesia de Esporões e o Conselho Económico da Paróquia de Esporões, a promover um projecto de estudo, conservação, valorização e divulgação da Estação Arqueológica de Santa Marta das Cortiças, concretizando-se deste modo, a garantia da sua conservação, o seu acesso público e a criação de condições para a sua integração no Roteiro Arqueológico de Braga.

A iniciativa contará com a presença do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio.

a4eedce12c219cba06aed18bf6a7b06c.jpg

Nota Histórico-Artística

A segunda metade do século XIX assistiu, entre nós, a uma autêntica explosão de interesse pelas, então, denominadas antiguidades nacionaes, seguindo os trilhos desbravados além-fronteiras por insignes precursores dos estudos arqueológicos, antropológicos, etnográficos e etnológicos.

Com efeito, o conhecimento destas práticas, fosse indirectamente, através da bibliografia que chegava até ao país, fosse pela visão de algumas personalidades ou, ainda, pelo contacto directo mantido nestas esferas por parte de certas individualidades, investiu Portugal de estabelecimentos científicos que, apesar das polémicas nas quais foram pontualmente envolvidas, exerceram uma actividade fundamental para o desenvolvimento ulterior destas jovens disciplinas. Disso são bons exemplos, embora com graus de relevância assaz diferenciados, a Commissão dos Estudos Geológicos, a Real Associação dos Architectos Civis e Archeologos Portuguezes, a Sociedade de Geographia de Lisboa e, por fim, o Muzeu Ethnographico Portuguez. Eram, contudo, organismos lisboetas. Não obstaram, porém, à formação de outros espaços culturais em importantes cidades portugueses, antes incentivando-as. Foi o que sucedeu em Guimarães, com a Sociedade Martins Sarmentos, da iniciativa do escritor, historiador e arqueólogo vimarenense Francisco Martins de Gouveia Morais Sarmento (1833-1899), a quem se devem algumas das descobertas mais notáveis da Arqueologia praticada ao tempo entre nós (veja-se o caso da Citânia de Briteiros), e com quem privaram individualidades que haveriam de prosseguir o seu caminho.

Foi o que sucedeu com Albano Belino (1863-1906), infatigável indagador do passado minhoto, em geral, e bracarense, em particular, enquanto se correspondia com personalidades marcantes dos estudos arqueológicos portugueses de finais de oitocentos, dos quais se destacava, sem dúvida, o nome de José Leite de Vasconcellos (1858-1941), mentor e primeiro director do actual Museu Nacional de Arqueologia, entre 1893 e 1929.

Deve-se-lhe, na verdade, o reconhecimento de várias estações arqueológicas datáveis da Idade do Ferro, nomeadamente castros - ou citânias -, temática bastante grata aos investigadores da época, quer por se enquadrar na linha geral de investigação conduzida noutros países sobre a expansão celta, quer por se revelar um meio de acentuar as particularidades da região nortenha ancoradas nesses tempos e nesses lugares.

Não surpreende, por conseguinte, que os castros povoassem desde então, tanto o imaginário colectivo da região, quanto o interesse intelectual de sucessivos investigadores, acabando por identificar exemplares desta tipologia arqueológica. Foi o caso, entre outros, da "Estação arqueológica de Santa Marta das Cortiças", localizada numa plataforma superior do Monte da Falparras.

Dotado de um sistema defensiva composto de três linhas de muralha erguidas com pedra solta de grande dimensões, o povoado possuía diversas estruturas habitacionais de planta predominantemente circular, na área interna definida pelo muralhado, elementos datáveis do primeiro momento de ocupação do sítio, ou seja, da Idade do Ferro.

Entretanto, as escavações arqueológicas conduzidas na estação já na década de cinquenta de novecentos permitiram localizar os alicerces de uma construção constituída por ábside semicircular e três naves, erguida entre os séculos V e VI d. C., enquanto o final dos anos setenta trouxe à luz do dia um número considerável de sepulturas romanas de incineração com bastante espólio associado, identificadas pelos investigadores nas proximidades deste mesmo edifício de tipo basilical. Uma realidade que reafirmava, no fundo, a possível reutilização deste espaço ao tempo da conquista romana, a julgar pelos materiais de construção recolhidos no local por A. Bellino, entre os quais tegulae - telhas rectangulares - e imbrex - telhas em forma de meia cana.

[AMartins]

Fonte e fotos: http://www.patrimoniocultural.gov.pt/

ebf4aefa4d3316d2a9e98cb6437a6273.jpg

MUNICÍPIO BRACARENSE APRESENTA AMANHÃ A "RECEITA OFICIAL" DO BACALHAU À BRAGA

Apresentação da "receita oficial" do Bacalhau à Braga. Quarta-feira, dia 28 de Julho, pelas 17h00, na Praça - Mercado Municipal de Braga

O Município de Braga vai apresentar a “receita oficial” do Bacalhau à Braga, em cerimónia que terá lugar amanhã, Quarta-feira, dia 28 de Julho, pelas 17h00, na cozinha da Praça - Mercado Municipal de Braga.

A 'receita oficial' será usada nos restaurantes aderentes de forma a promover e valorizar uma receita ícone da gastronomia Bracarense. O projecto de qualificação e candidatura através da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Cávado, ao “Minho Inovação” tem como objectivo a valorização da receita do Bacalhau à Braga na gastronomia local e nacional, trazendo maior visibilidade pública ao prato tradicional e estimulando a população e restaurantes a promoverem este prato.

Numa primeira fase deste processo foi realizada uma recolha documental da receita, com todo o seu histórico geográfico, assim como o levantamento das receitas em locais de produção nos restaurantes de Braga.

MUNICÍPIO DE BRAGA AVANÇA COM CRIAÇÃO DO PROVEDOR DO ANIMAL

Provedor promoverá maior ligação entre autarquia, munícipes e associações

O Município de Braga irá avançar com a criação da figura do Provedor Municipal dos Animais de Braga. A proposta será analisada na próxima Reunião do Executivo Municipal, agendada para Segunda-feira, dia 26 de Julho.

bragagato.jpg

A implementação desta figura é mais uma medida com vista à defesa do bem-estar animal e surge na sequência da recente evolução do quadro legislativo no que diz respeito à defesa dos direitos dos animais. Pretende-se assim atender ao volume crescente de pedidos recebidos no Município sobre este tema, harmonizando as novas exigências da sociedade na relação com os animais e agilizando a relação dos cidadãos com os serviços municipais.

A criação do provedor permitirá uma maior ligação entre a autarquia, os munícipes e as associações, beneficiando a protecção do bem-estar animal. O Provedor do Animal será uma figura não executiva, mediadora, independente e defensora da causa pública, a quem cabe receber os munícipes, esclarecer a população das políticas animais existentes e das responsabilidades de quem cuida e procurar fazer cumprir a legislação existente nesta matéria. Será designado pela Assembleia Municipal sob proposta da Câmara Municipal de Braga, exercendo funções por um período de quatro anos.

Concurso de fotografia ´Braga Natural´

Na mesma reunião do executivo será ainda analisada a proposta de lançamento do Concurso de Fotografia ´Braga Natural´, iniciativa que pretende sensibilizar os cidadãos para a necessidade de protecção da natureza e da biodiversidade do território, designadamente os ecossistemas, os habitats e as espécies de fauna e flora selvagens. O concurso irá decorrer entre 1 de Setembro e 30 de Outubro

Estas medidas demonstram a aposta sustentada do Município no desenvolvimento sustentável do Concelho, no aumento da biodiversidade local e na protecção dos animais.

MAXIMINOS, SÉ E CIVIDADE: SECO MAGALHÃES APRESENTA LISTA INDEPENDENTE EM TRIBUNAL

João Seco Magalhães apresentou hoje, ao princípio da tarde, a sua lista à Assembleia da União de Freguesia de Maximinos, Sé e Cividade nas próximas eleições autárquicas, acompanhada de 655 assinaturas de apoio. É a primeira lista de um grupo independente a uma União de Freguesias no concelho de Braga.

IMG_7226.jpg

O candidato queria fazer uma surpresa aos funcionários do Tribunal Cível de Braga — com oferta de uma garrafa de azeite e uma chouriça — mas estes invocaram a lei para rejeitar este gesto de boa vontade, imagem de marca da candidatura que tem a abelha como símbolo.

Nas anteriores eleições, João Seco Magalhães levava um bolo e champanhe para celebrar o seu aniversário, porque apresentava sempre a sua lista a 3 de Agosto, com os funcionários judiciais, mas hoje não foi possível esse gesto de simpatia.

A comitiva era constituída pelo candidato e os seus mandatários (Helena Correia e Joaquim Vilaça, da candidatura e das finanças, respectivamente) que após as formalidades, regressaram à sede na Rua Cruz de Pedra, 143, em Maximinos.

A lista de João Seco Magalhães obteve, em 2017, quase dois mil votos (27,1 por cento), ficando a trezentos votos da lista vencedora, liderada por Luís Pedroso, que volta a ser candidato pelo PSD/CDS/PPM  para a Assembleia de Freguesia  da União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade.

Natural de Maximinos, João Seco Magalhães estudou na Escola Carlos Amarante e no Colégio Dom Diogo de Sousa. Depois de cumprir o serviço militar, durante seis anos, dedicou-se ao comércio de azeite. Entre 2001 e 2013 exerceu o cargo de presidente da Junta de Freguesia de Maximinos,  tendo como prioridades a área social e o ambiente.

Apresenta-se com larga experiência que considera uma “inegável mais valia para enfrentar e ajudar a resolver os problemas da vida dos seus concidadãos” e define-se como um “homem de palavra e de trabalho”.

O movimento Servir Maximinos, Sé e Cividade assume o compromisso de  “centrar as suas ações no serviço,  atendimento  e resolução dos problemas das pessoas e instituições sociais, culturais e recreativas, fortalecendo ainda o voluntariado e a formação, entendendo que trabalhando em articulação conseguiremos atingir os melhores resultados”.

A área social e  ambiental  será prioritária na atuação do movimento Independente Servir Maximinos Sé e Cividade  e a “nossa experiência é uma mais valia para enfrentar,  ajudar e cooperar  na resolução dos constrangimentos da vida das pessoas que aqui vivem”.

Segundo fonte do Tribunal Cível de Braga, já foram apresentadas mais duas candidaturas de Independentes no concelho de Braga, para as freguesias de Pedralva e União de Lomar e S. Paio d'Arcos.

IMG_7221.jpg

CÂMARA DE BRAGA ANALISA PROJECTOS ESTRATÉGICOS PARA VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DO CONCELHO

Na próxima Reunião do Executivo Municipal

O Executivo Municipal de Braga analisa na próxima Segunda-feira, 26 de Julho, em Reunião de Câmara, um conjunto de propostas de reconhecimento de interesse público de projectos estratégicos que visam a valorização económica do Concelho. Da agenda fazem parte os investimentos da empresa Torrestir e da E-Redes – Distribuição de Electricidade S.A. e, ainda, a apreciação da operação urbanística para a edificação do pavilhão multiusos e áreas complementares pelo Sporting Clube de Braga, no terreno das inacabadas piscinas olímpicas.

bragator.jpg

Com um investimento de cerca de cinco milhões de euros, a Torrestir pretende instalar na União de Freguesias de Vilaça e Fradelos, um edifício de armazenagem e logística de medicamentos. A empresa, que solicitou o reconhecimento de interesse público municipal do projecto, pretende avançar com a construção de um edifício de dois pisos, a criação de 32 boxes de camiões, 30 lugares de estacionamento automóvel em área a ceder ao domínio público, espaço verde na extensão de lugares de estacionamento e logradouro ajardinado.

Na mesma linha, o Executivo Municipal apreciará o pedido de reconhecimento de interesse público estratégico para a construção de um edifício designado por E-redes na Avenida Dr. Pires Gonçalves, nº 55, pela E-Redes - Distribuição de Electricidade, S.A, num investimento de 2,5 milhões de euros.

O projecto prevê a demolição parcial e ampliação do complexo de edifícios existentes junto ao Altice Forum Braga. O objectivo é agregar um conjunto de usos distintos que incluem as instalações da E-Redes, pontos de atendimento, serviços integrados de posto médico e medicina do trabalho, espaços de inovação e ainda de estacionamento.

O Executivo Municipal aprecia ainda a operação urbanística que visa a construção pelo Sporting Clube de Braga do pavilhão multiusos e áreas complementares a realizar junto ao Estádio Municipal, no terreno das inacabadas piscinas olímpicas, permitindo assim o arranque da segunda fase da Cidade Desportiva do Sporting Clube de Braga.

CÂMARA DE BRAGA ABRE CONCURSO PÚBLICO PARA REABILITAÇÃO DO CENTRO CULTURAL DR. FRANCISCO SANCHES

Executivo adjudica requalificação da Escola Básica de Figueiredo

A Câmara Municipal de Braga vai abrir o concurso público para a reabilitação da antiga escola Francisco Sanches, onde será criado um centro cívico de matriz cultural. A abertura de procedimento concursal é submetida à próxima Reunião do Executivo Municipal, agendada para Segunda-feira, 26 de Julho.

Francisco Sanches.jpg

Com um preço-base de 1,7 Milhões de euros, o projecto vai transformar a antiga escola Francisco Sanches num equipamento de referência, alinhado com a estratégia cultural da Cidade para 2030 e com a candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultural em 2027.

O projecto propõe a reabilitação geral de todo o edifício, dotando as suas divisões com conforto e renovação necessárias para albergar as funções culturais no âmbito das actividades das artes visuais e performativas. O objectivo passa por maximizar o enorme potencial do edifício, que conta com uma área global de 6.415m2, e aproveitar a sua centralidade. Recorde-se que o edifício da antiga escola Francisco Sanches fica situado no coração da Freguesia de S. Victor, estabelecendo a ligação entre o Centro Histórico e a Universidade do Minho.

Após a reabilitação, o edifício irá receber o Arquivo Municipal, incluindo o arquivo histórico, serão criadas salas de consulta e uma biblioteca, uma zona de tratamento e higienização de documentos.

A ideia é que o público se aproprie progressivamente da utilização do edifício, colocando à disposição as zonas que forem ficando disponíveis. A Autarquia vai também garantir a continuidade da utilização de algumas das estruturas que já se encontram sediadas no edifício e incorporar novas dinâmicas que possam resultar o debate em torno da estratégia cultural 2030.

Autarquia adjudica requalificação da Escola de Figueiredo

Na próxima reunião, o Executivo Municipal aprecia ainda a adjudicação da empreitada de requalificação da Escola Básica de Figueiredo, à empresa ARLO, S.A., pelo valor-base de 1,7 Milhões de euros.

A intervenção prevê a remodelação do edifício existente, bem como a sua ampliação com vista a albergar também o Jardim de Infância da Freguesia, formando um Centro Escolar. A obra vai conferir melhores e maiores condições de segurança, funcionalidade, conforto térmico e acústico e de luminosidade.

A Escola Básica terá quatro salas de aula com capacidade para 24 alunos/sala, perfazendo um total de 96 alunos, prevendo-se ainda um espaço reservado às artes plásticas. O Jardim de Infância funcionará no rés-do-chão e contará com duas salas de aula com capacidade para 24 alunos/sala, perfazendo um total de 48 alunos.

No geral, entre outros espaços a criar, destacam-se: instalações sanitárias; biblioteca; refeitório polivalente; recreio coberto; gabinete de atendimento; sala de professores/educadores; sala de estudo individualizado; sala de isolamento; área técnica de pessoal; área de arrumos; cozinha equipada.

MUNICÍPIO DE BRAGA PROMOVE "BIENAL DE ILUSTRAÇÃO - PRÉMIO CAPITAL DA CULTURA DO EIXO ATLÂNTICO 2021"

Cada ilustrador pode participar com três trabalhos até 20 Setembro

No âmbito do programa da Braga 2021 - Capital da Cultura do Eixo Atlântico, o Município de Braga lança a Bienal de Ilustração, desafiando os ilustradores nacionais e internacionais a representarem o património material e imaterial do território do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular.

CMB19072021SERGIOFREITAS002151383528.jpg

Promovido em parceria com a Escola Superior de Design do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) e com a participação da Asociación Galega de Profesionais da Ilustración, o prémio bianual distinguirá o vencedor com um valor monetário de 8000€, resultando também numa exposição e num catálogo com as obras dos 15 autores finalistas que decorrerá em associação com o “Braga em Risco – Encontro de Ilustração”. Cada ilustrador poderá participar com três trabalhos até ao dia 20 de Setembro.

Os artistas que pretendam participar no concurso devem candidatar-se através do preenchimento de um formulário disponível: https://bit.ly/3BfTU5n

As normas regulamentares podem ser descarregadas aqui: https://bit.ly/3exMJfe

As ilustrações serão avaliadas por um júri com reconhecida capacidade e experiência na área artística, contando a 1ª edição com a participação de Paula Tavares, directora da Escola Superior de Design do IPCA, de Marta Madureira, directora e docente do Mestrado em Ilustração e Animação do IPCA, de Pedro Seromenho, curador do Encontro de Ilustração “Braga em Risco”, de Manel Cráneo, presidente da Asociación Galega de Profesionais da Ilustración, e de um representante do Município de Braga.

Pretende-se com este prémio descobrir e reconhecer os talentos na área da ilustração e intensificar a consolidação desta mesma expressão artística na cidade. Esta ambição vai de encontro ao Plano de Actividades do Município de Braga e à Estratégia Cultural de Braga 2020-2030, especialmente na organização do “Braga em Risco”, evento com crescente reconhecimento entre os profissionais deste domínio artístico, e na aposta mais recente nos domínios da Arte Pública, da Street Art e das linguagens artísticas urbanas, áreas cada vez mais significativas para a configuração das Cidades Criativas.

Da mesma forma, o concurso possibilitará a promoção e a divulgação do património cultural material e imaterial do território do Eixo Atlântico.

CMB19072021SERGIOFREITAS002151383529.jpg

CMB19072021SERGIOFREITAS002151383527.jpg

MUNICÍPIO DE BRAGA APRESENTA BIENAL DE ILUSTRAÇÃO

Apresentação da Bienal de Ilustração - Prémio Capital da Cultura do Eixo Atlântico. Segunda-feira, dia 19 de Julho, pelas 15h00, na Feira do Livro de Braga

O Município de Braga apresenta a Bienal de Ilustração - Prémio Capital da Cultura do Eixo Atlântico na próxima Segunda-feira, dia 19 de Julho, pelas 15h00, na Feira do Livro de Braga que decorre no Altice Forum Braga.

A iniciativa contará com a presença de Lídia Dias, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Braga, Paula Tavares, directora da Escola Superior de Design do IPCA, Marta Madureira, directora e docente do Mestrado em Ilustração e Animação do IPCA, e do curador do Encontro de Ilustração “Braga em Risco”, Pedro Seromenho.

No âmbito do programa de Braga 2021 - Capital da Cultura do Eixo Atlântico, a Câmara Municipal de Braga lança o desafio aos ilustradores nacionais e internacionais de representar o património material e imaterial do território do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular. Promovido em parceria com a Escola Superior de Design do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) e com a participação da Asociación Galega de Profesionais da Ilustración, o prémio bianual distinguirá o vencedor com um valor monetário de 8000€, resultando também numa exposição e num catálogo com as obras dos 15 autores finalistas que decorrerá em associação com o “Braga em Risco – Encontro de Ilustração”. Cada ilustrador poderá participar com três trabalhos até ao dia 20 de Setembro.

EIXO ATLÂNTICO APOSTA VALORIZAÇÃO E PROMOÇÃO TURÍSTICA DA EURORREGIÃO

O Eixo Atlântico está empenhado em valorizar Turismo na Eurorregião e em contribuir para que, no futuro, este sector tenha uma dinâmica superior através da implementação de estratégias de promoção turística agregadoras de todos os territórios. Esta é a conclusão do seminário sobre as estratégias de desenvolvimento turístico conjunto e a sua viabilidade no próximo o POCTEP (Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal), um projecto financiado pelo Interreg Europe.

brageixatlant (5).jpg

Na sessão de abertura, que decorreu esta Quinta-feira, em Águas Santas, na Maia, e que contou com a presença de Isabel Ferreira, secretária de Estado da Valorização do Interior, e do presidente da CCDR-N, António Cunha, o presidente da Câmara Municipal de Braga e do Eixo Atlântico, Ricardo Rio lembrou que o sector do turismo é algo sempre esteve integrado na matriz de actuação do Eixo Atlântico.

“Não há turismo se não houver recursos que fomentem esse sector e, nos últimos anos, o Eixo Atlântico tem efectuado um excelente trabalho em colaboração com cada um dos territórios para qualificar a oferta turística seja pela via de actividades culturais ou desportivas, pela valorização ambiental ou pela promoção do património. No fundo, temos criado soluções para que, no conjunto da Eurorregião, houvesse mais oferta que fosse potenciadora de promoção turística”, referiu Ricardo Rio.

A juntar a essa dimensão, o Autarca explicou que ao longo dos últimos anos a associação transfronteiriça teve também uma forte preocupação com a promoção desses mesmos recursos e lembrou o projecto ‘Dois Países, Um Destino’, um mote amplamente divulgado e que agregou todas as regiões abrangidas pelo Eixo. “Esse projecto afirmou-se uma referência no quadro do Eixo Atlântico e posteriormente revelou-se também uma referência noutros contextos territoriais”, sublinhou.

Num panorama pós-pandemia, o turismo é um instrumento crucial para reactivar a economia e a promoção do território transfronteiriço, permitindo o desenvolvimento de novas actividades económicas que permitam atrair e fixar a população, e melhorar a qualidade de vida e a realidade socioeconómica do território.

“Todas as sinergias são importantes para fomentar o turismo de proximidade que é crucial face às circunstâncias que hoje vivemos onde as pessoas têm menos incentivos para se deslocar. Isso é algo que tem de ser valorizado do ponto de vista económico e social, na medida em que nesta Eurorregião, o turismo representa uma parcela fundamental para as empresas e para o emprego, apresentando um potencial de crescimento muito significativo”, sustentou Ricardo Rio.

O seminário reuniu decisores políticos, autoridades do programa de cooperação, bem como especialistas em turismo para partilhar as experiências adquiridas no projecto EPICAH financiado pelo Interreg Europe, de forma a abordar as possibilidades do novo período de programação e de contribuir para a melhor valorização do património e do território POCTEP. A sessão de encerramento contou com a presença de Luis Pedro Martins, presidente de Turismo Porto e Norte de Portugal e da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

brageixatlant (1).jpg

brageixatlant (2).jpg

brageixatlant (3).jpg

brageixatlant (4).jpg

MUNICÍPIO DE BRAGA E REGIMENTO DE CAVALARIA Nº6 RENOVAM PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA FLORESTAL

Vigilância sete dias por semana, incluindo fins-de-semana e feriados

O Município de Braga renovou o protocolo de colaboração estabelecido com o Regimento de Cavalaria n.º 6 (RC6) que permite, desde 2015, o patrulhamento e vigilância de parte dos espaços florestais do Concelho durante o período crítico de risco de incêndios.

CMB14072021SERGIOFREITAS002151383506.jpg

Esta medida vem complementar as acções de vigilância florestal desenvolvidas pelas diferentes forças de segurança já no terreno. O reforço da vigilância demonstra a preocupação acrescida por parte do Município em preservar o seu património florestal.

O RC6 fará uma vigilância durante sete dias por semana, incluindo fins-de-semana e feriados, numa vasta área florestal que compreende as freguesias de Pedralva, Sobreposta, União de Freguesias de Este, Bom Jesus do Monte, Sameiro, Falperra, Santa Marta das Cortiças e Morreira.

Este é um dos espaços florestais do Concelho de Braga que maior importância apresenta em termos florestais, paisagísticos, culturais, religiosos, turísticos e sobretudo ambientais, e cuja protecção e preservação são consideradas uma imperativa prioridade em termos de defesa da floresta contra incêndios.

Esta colaboração com o RC6 representa uma mais-valia na preservação da riqueza florestal do Concelho. O protocolo incluiu o patrulhamento diário por parte dos militares do RC6 por um período de duas a quatro horas, facto que permite alargar o período de vigilância, além de se constituir como um meio dissuasor. Ao Município cabe suportar os encargos financeiros associados a estas operações.

CMB14072021SERGIOFREITAS002151383501.jpg

CMB14072021SERGIOFREITAS002151383503.jpg

BRAGA: ESPAÇO MULTIUSOS NO SOPÉ DO PICOTO VOLTA A ACOLHER A FEIRA SEMANAL

O renovado espaço do sopé do Monte Picoto, junto à Alameda do Estádio 1º de Maio, voltou hoje a acolher os comerciantes da feira semanal de Braga. Este espaço multiusos da Cidade conta agora com estacionamento automóvel de apoio ao Fórum Braga, ao espaço da Feira semanal, ao espaço para as Festas de S. João e também à realização de eventos de caráter cultural e de lazer.

CMB13072021SERGIOFREITAS002151383490.jpg

A obra de requalificação do espaço, com investimento municipal de cerca de 420 mil euros, conta agora com uma plataforma pavimentada, com acesso automóvel pela estrada nacional 101, frente ao acesso ao Estádio 1º de Maio, duas saídas de emergência para viaturas ligeiras e de mercadorias, destinando-se uma delas também a zona de cargas e descargas quando da realização de eventos.

Com capacidade para cerca de 255 ligeiros e 111 feirantes instalados numa área de aproximadamente 9000m2 de intervenção, este parque servirá também nos restantes dias para estacionamento dos demais utentes e de todos os que procuram a cidade, aliviando as zonas centrais de trânsito automóvel.

Este espaço, que conta com sanitários públicos de apoio à feira e aos demais eventos que ali se realizem, servirá como um espaço multiusos onde poderão ser instalados   palcos e estruturas de iluminação e som de maneira a aproveitar o anfiteatro natural que constituí todo o parque.

CMB13072021SERGIOFREITAS002151383493.jpg

CMB13072021SERGIOFREITAS002151383484.jpg

CMB13072021SERGIOFREITAS002151383485.jpg

JUNTA DA GALIZA E EIXO ATLÊNTICO COLABORAM NA VALORIZAÇÃO DO LEGADO CULTURAL COMUM DA GALÉCIA ROMANA

Reunião de trabalho decorreu em Santiago de Compostela

A Junta da Galiza e o Eixo Atlântico vão apostar na promoção do legado cultural da Galécia Romana, património partilhado pela Galiza e por Portugal que será objecto de valorização através da entidade que agrupa aos municípios da Comunidade Galega e do Norte de Portugal. A decisão surgiu ontem, durante uma reunião de trabalho realizada na Cidade da Cultura em Santiago de Compostela, com representantes de várias instituições, e na qual participou Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga e do Eixo Atlântico, assim como Miguel Bandeira, vereador do Património do Município Bracarense.

bracompost (1).jpg

O encontro foi um primeiro contacto a partir do qual se procurou fórmulas de cooperação e linhas de actuação para reforçar o conhecimento e a divulgação deste passado comum que é considerado de interesse para todos os actores envolvidos.

Entre outros aspectos, foi abordada a importância da Via Nova como itinerário cultural, algo que conta com o empenho das diferentes partes. Esta é uma rota histórica que no tempo dos romanos uniu as cidades de Braga e Astorga ao longo de mais de 300 km.

Este encontro contou ainda com a presença do conselheiro da Cultura, Educação e Universidade, Román Rodríguez, do presidente da Deputação de Ourense, Manuel Baltar, do vice-presidente do Eixo Atlântico e presidente da Câmara de Lugo, Lara Méndez, o secretário-geral do Eixo, Xoán Mao, assim como o reitor de O Barco de Valdeorras, Alfredo García.

O reforço dos laços de cooperação no domínio cultural no âmbito do Eixo Atlântico, foi uma constante durante esta iniciativa, com a intenção de acrescentar valor a este legado patrimonial. Deste modo, é dada continuidade ao trabalho realizado nos últimos anos para intensificar a coesão económica, social e cultural dos dois lados da fronteira.

bracompost (2).jpg

FESTIVAL VAUDEVILLE RENDEZ-VOUS COMEÇA NA PRÓXIMA SEMANA

O Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous realiza-se entre os dias 19 e 24 de julho nas cidades do Quadrilátero Urbano.

FB EVENTS VRV2021.jpg

Face ao anúncio de novas medidas de combate à pandemia de COVID-19 nos concelhos de risco elevado, o Festival Vaudeville Rendez-Vous procedeu a diversas alterações às datas e horários de apresentação dos seus espetáculos e atividades de mediação nos municípios de Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães, de forma a cumprir todas as regras e recomendações de segurança da Direção-Geral de Saúde e das várias entidades competentes.

Assim, os horários de espetáculos inicialmente agendados para as 19h00 passam para as 18h00 e as récitas inicialmente agendadas para as 22h00 passam para as 21h00. As apresentações finais das oficinas de criação passam para as 17h.

A performance ‘Roll with it’, de Dulce Duca, abre a programação em Barcelos, no dia 22 de julho, às 18h, na Praça dos Poetas. Este espetáculo de rua combina skate, malabares, teatro, música e pintura ao vivo. Uma comédia surrealista sobre uma mulher à procura do significado da sua vida, que lida com os seus problemas e tenta aprender através deles. Este espetáculo envolve a participação da comunidade local de skateboarders. É um espetáculo para todos os públicos.

‘Otus Extracts’, um duo composto por Hugo Oliveira e Sage Bachtler Cushman, atua na Praceta Francisco Sá Carneiro, no mesmo dia, às 21h, e recorrendo ao circo, ao teatro físico, ao movimento e à técnica clown, o espetáculo explora a tensão entre as personagens, objetos e o mundo de madeira em que residem. Imersos nas suas próprias nuances e rendidos através de acrobacias, malabarismos, corda, trapézio e manipulação de bastão, o seu mundo vai-se desenrolando.

O espetáculo ‘Espera’, que decorre no dia 23, às 18h, na Praça dos Poetas, convida o público, de uma forma sensível e muito subtil, a viver de perto as acrobacias que ocorrem no palco. Numa atmosfera que nos transporta para um lugar fora do tempo, feito de gestos simples, os acrobatas tornam-se artesãos do movimento, onde surgem paisagens perdidas, cheias de gestos humanos e encontros sinceros.

No dia 23, às 21h, o coletivo G. Bistaki traz à Praceta Francisco Sá Carneiro a estreia nacional de ‘BAÏNA][NA]’, um espetáculo que vai aproveitar o espaço público para elaborar um cenário social, sonhador e absurdo do nosso mundo contemporâneo. Vestidos com fatos brancos e armados com pás de neve e milho como alimento para pensamentos, estes quatro homens convidam-nos a atravessar o lugar como heras, numa viagem coreográfica e musical surpreendente. Imagens desatualizadas, futuristas ou fantásticas, juntam-se para dar ao espectador uma visão da nossa sociedade. A cenografia alimenta-se da arquitetura do lugar, através de uma instalação plástica in situ, alimentada pela luz e pelo vídeo. Nem circo nem dança, a linguagem de G. Bistaki é um cruzamento entre disciplinas. O uso do malabarismo, drama ou dança, resulta numa linguagem comum que dá origem a situações por vezes loucas e muitas vezes absurdas onde o escárnio e o riso prevalecem.

Praça dos Poetas, no dia 24, às 11h, recebe Étienne Tribu, vencedor da bolsa de criação Vaudeville Rendez-Vous, com a estreia nacional ‘Là-bas’, que é a historia de um jovem, que migra do seu país de origem para novas terras. Através do seu diário, ele conta-nos os seus sonhos, dúvidas e histórias de amor.

No mesmo local, às 18h, tem lugar o espetáculo ‘Rizoma’, de Rita Carmo Martins. Um vaso, uma mulher, um músico. «Rizoma» é um work-in-progress sobre a teoria filosófica do “Rhizome” de Deleuze e Guattari. Uma pesquisa contínua sobre sensibilidade, força, adversidade e infância. Uma respiração de liberdade horizontal num pensamento hierárquico e vertical da vida quotidiana. Uma aventura surrealista através da imaginação. Poesia visual.

Também no dia 24, às 21h, o duo Joel Marti e Pablo Molin traz à Praceta Francisco Sá Carneiro a performance ‘Random’, mais uma estreia nacional, que  apresenta características como equilíbrio, contorção, corda bamba, dança, teatro e diálogos perturbadores para uma história dificilmente credível, narrada por este duo pronto para qualquer coisa.

Ainda no âmbito do Festival, nos dias 20, 21, 22, entre as 16h e as 20h, tem lugar, no Pavilhão Municipal, um Workshop Intensivo de Skate – Streets With Attitude, dirigido a skaters e estudantes de circo que dominem este aparelho. Orientado pela artista Dulce Duca, este workshop, para maiores de 12 anos, permite aos participantes integrar o espetáculo ‘Roll With It’.

De 19 a 22 de julho, das 14h às 18h, no Parque da cidade, decorrem também as oficinas de criação com os artistas Julieta Rodrigues & António Oliveira/Radar 360, cujo workshop de apresentação final tem lugar no dia 22 de julho, às 18h.

Todos os espetáculos são de entrada gratuita, mediante reserva (máximo 3 por pessoa) através do email tgv@cm-barcelos.pt ou telefone 253 809 694.

O levantamento obrigatório de bilhete é efetuado entre 1 hora e 15 minutos antes do início do espetáculo, no local do evento. A lotação é limitada em conformidade com as regras da DGS e as reservas perdem a validade 15 minutos antes do espetáculo.

BRAGA: SECO MAGALHÃES RECANDIDATA-SE A MAXIMINOS, SÉ E CIVIDADE

João Seco Magalhães apresentou sábado a sua recandidatura como cabeça de lista do Movimento Independente Servir Maximinos, Sé e Cividade, cuja sede de campanha é um antigo armazém de azeite e mercearia. A cada um dos presentes na sessão pública, na Rua Cruz de Pedra, 143, foi entregue uma garrafa de azeite e um chouriço, por entre críticas ao sistema partidário que coloca um garrote às candidaturas de independentes.

IMG_6997.jpg

O momento foi marcado pela apresentação dos mandatários da candidatura, Prof. Helena Correia e prof. Joaquim Vilaça. Seco Magalhães recusou-se a revelar quem apoia para presidente da Câmara Municipal de Braga, mantendo-se equidistante de todos os candidatos.

A lista de João Seco Magalhães obteve, em2017, quase dois mil votos (27,1 por cento), ficando a trezentos votos da lista venecdora, liderada por Luís Pedroso, candidato pelo PSD/CDS/PPM  para a Assembleia de Freguesia  da União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade.

Natural de Maximinos, João Seco Magalhães estudou na Escola Carlos Amarante e no Colégio Dom Diogo de Sousa. Depois de cumprir o serviço militar, durante seis anos, dedicou-se ao comércio de azeite. Entre 2001 e 2013 exerceu o cargo de presidente da Junta de Freguesia de Maximinos,  tendo como prioridades a área social e o ambiente.

Apresenta-se com larga experiência que considera uma “inegável mais valia para enfrentar e ajudar a resolver os problemas da vida dos seus concidadãos” e define-se como um “homem de palavra e de trabalho”.

A decisão de se recandidatar, argumentou Seco Magalhães, é  “ exclusivamente dos eleitores que acreditaram em nós para os representarmos nesta jornada de quatro anos, uma vez que o movimento Servir Maximinos, Sé e Cividade obteve uma votação com pouca margem de diferença  relativamente à da coligação atualmente no poder”.

“Com base no que nos transmitem os fregueses desta união de freguesias e na certeza de que não defraudaremos as suas espectativas,  damos o “pontapé de saída” para uma nova disputa com a coligação partidária no poder” — prosseguiu João Seco Magalhães que repete a abelha como símbolo da sua lista..

O movimento Servir Maximinos, Sé e Cividade assume o compromisso de  “centrar as suas ações no serviço,  atendimento  e resolução dos problemas das pessoas e instituições sociais, culturais e recreativas, fortalecendo ainda o voluntariado e a formação, entendendo que trabalhando em articulação conseguiremos atingir os melhores resultados”.

A área social e  ambiental  será prioritária na atuação do movimento Servir Maximinos Sé e Cividade  e a “nossa experiência é uma mais valia para enfrentar,  ajudar e cooperar  na resolução dos constrangimentos da vida das pessoas” através de “pessoas de palavra e de trabalho”.

“A ordem, a diligência, a cooperação, a nobreza, a organização e o trabalho” são os valores que defende pois a população “conhece-nos bem e nós conhecemos bem a população de  Maximinos, Sé e Cividade”.

IMG_6999.jpg

IMG_6985.jpg

IMG_6993.jpg

IMG_6980.jpg

IMG_6981.jpg

O ELÉCTRICO DE BRAGA

A Rede de Eléctricos de Braga foi uma rede de transporte ferroviário ligeiro público colectivo urbano, de tracção eléctrica e via não-segregada, que existiu entre 1914 e 1963 nesta cidade. Herdou a infra-estrutura pré-existente de um sistema anterior, de tracção animal e, por breve período, térmica a vapor.

212962981_4540599702637848_4606488883531624149_n.j

O sistema foi finalmente inaugurado a 5 de Outubro de 1914, substituindo a frota do “carro americano” e de comboio urbano a vapor. Durante a cerimónia de inauguração, os eléctricos foram ao Bom Jesus, e depois voltaram para a Praça da República, onde eram aguardados por centenas de pessoas.
A linha um, desde o Largo da Estação até ao Pórtico do Elevador do Bom Jesus do Monte, foi inaugurada a 18 de Outubro de 1914, e a linha dois, que ligava a Ponte de S. João ao Cemitério de Monte de Arcos, foi inaugurada em 30 de Junho de 1923.
A frota ostentava primeiramente aparência vermelha, posteriormente alterada para amarela. Além dos serviços de passageiros circulava regularmente transporte postal, em vagão fechado atrelado, entre a estação ferroviária e a Estação dos Correios.
O serviço tinha uma cadência de 10 minutos na linha um (com circulação simultânea de cinco carros) e de 15 minutos na dois.
A rede de eléctricos foi definitivamente encerrada em 22 de Maio de 1963, sendo substituída pelos tróleis de Braga.
A fotografia que hoje partilhamos provem do arquivo Pelicano. Através dela podemos testemunhar o retorno do eléctrico ao Largo da Estação após atingir o final da linha um no Pórtico do Elevador do Bom Jesus.
Fonte: https://www.facebook.com/municipiodebraga