Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO: “AROMÁTICAS VIVAS” VENCEU CONCURSO NACIONAL DE ERVAS AROMÁTICAS

Medalhas AV 2024 V1.jpg

XI Concurso Nacional de Ervas Aromáticas Tradicionais Portuguesas

O melhor dos melhores é da Aromáticas Vivas!

No ano em que celebra o seu 15º aniversário, a Aromáticas Vivas destacou-se como grande vencedor no 11º Concurso Nacional de ervas aromáticas organizado pelo CNEMA em conjunto com a Qualifica/oriGIn Portugal. Os prémios foram recebidos no passado dia 8 de junho na Feira Nacional de Agricultura em Santarém.

O Manjericão volta a conquistar o prémio mais prestigiado deste concurso sendo considerado como “O Melhor dos Melhores!” A ele junta-se o Estragão que na sua primeira vez em concurso conquista medalha de ouro!

Nuno Lomba, Diretor-geral da Aromáticas Vivas ressalvou a importância desta distinção referindo que “Neste que é o 15º aniversário da Aromáticas Vivas o alcance de 15 variedades medalhadas é o reconhecimento notório da aposta contínua na qualidade e inovação dos nossos métodos de produção, sendo igualmente um reconhecimento nacional de que estamos a fazer um trabalho de excelência. “

O Manjericão, aromática mais medalhada da Aromáticas Vivas conquistando ano após ano um lugar no pódio do Concurso Nacional de ervas aromáticas. Esta aromática é também o produto mais comercializado pela Aromáticas Vivas que produz cerca de 2 milhões de vasos desta variedade anualmente.

A estrear-se neste concurso com caminho direto para o pódio surge o Estragão, uma aromática menos conhecida pelo consumidor e por isso produzida em menor escala. Esta aromática com sabor bem característico conquista pelas suas notas doces com alguma semelhança ao anis. Utilizada em molhos, carnes, peixes e até infusões esta aromática pertence ao leque de mais de mais de 20 variedades de aromáticas produzidas neste momento pela Aromáticas Vivas.

A Aromáticas Vivas é uma empresa sediada em Carreço - Viana do Castelo e é líder do mercado nacional de ervas aromáticas em vaso, tendo também uma grande quota no mercado de ervas aromáticas cortadas, Flores Comestíveis e Microgreens.

https://www.aromaticasvivas.com/pt/

Informação adicional:

A Aromáticas Vivas foi fundada em 2009 com o objetivo de ser, em Portugal, a maior e mais inovadora produtora de ervas aromáticas frescas. Conta, atualmente, com uma área de produção superior a 40.000 m2, produzindo e comercializando uma variada gama de ervas aromáticas em vaso e cortadas ao longo de todo o ano.

Não utiliza herbicidas nem pesticidas químicos. Usa técnicas e práticas inovadoras para que não seja necessário utilizar qualquer produto que possa ser nefasto para o consumidor e para o ambiente. Possuindo, até, a sua própria unidade de produção de insetos e outros auxiliares para a produção agrícola, que contribuem para o controlo de pragas e doenças. Os certificados de Modo de Produção Biológico em vasos e de Global Gap são uma garantia das melhores boas práticas agrícolas para o consumidor e para a sustentabilidade ambiental.

Portugal é o seu principal mercado, estando presente em todas as grandes superfícies comerciais. E todos os anos têm aumentado as suas vendas e infraestruturas, de modo a acompanhar as tendências do mercado. Em 2019 iniciou a produção de 2 gamas novas de produtos, as flores comestíveis e os microgreens.

Site: https://www.aromaticasvivas.com  

Página Facebook: https://www.facebook.com/aromaticasvivas  

Página Instagram: https://www.instagram.com/aromaticas_vivas

Contactos:

Pessoa de Contacto: Artur Lima - Departamento de Marketing e Comunicação

E-mail: marketing@aromaticasvivas.com

Telefone: (+351) 258 836 766 | 966 794 016

Morada: Rua da Gravia, nº 109 - Carreço 4900-278 - Viana do Castelo | Portugal

VIANA DO CASTELO: AROMÁTICAS VIVAS CONQUISTA 3 MEDALHAS DE OURO NO X CONCURSO DE ERVAS AROMÁTICAS

A Aromáticas Vivas destacou-se como grande vencedor no 10º Concurso Nacional de ervas aromáticas organizado pelo CNEMA em conjunto com a Qualifica/oriGIn Portugal. Os prémios foram recebidos no passado dia 11 de junho na Feira Nacional de Agricultura em Santarém.

CapturarAROM.JPG

Foram 3 as medalhas de ouro, para as 3 ervas aromáticas em vaso levadas a concurso pela Aromáticas Vivas: Cerefólio, Salva Ananás e Manjericão. Tendo o Manjericão reforçando assim a sua hegemonia no concurso, vencendo já medalhas desde 2014.

A Aromáticas Vivas que festeja por estes dias o seu 14º aniversário, junta assim várias razões para celebrar. Nuno Lomba, Diretor-geral da Aromáticas Vivas ressalvou a importância desta distinção referindo que “é o reconhecimento notório da aposta contínua na qualidade e inovação dos nossos métodos de produção, garantindo sempre a autenticidade do produto no seu sabor, aroma e cor. Ano após ano, temos vindo a conquistar ouro com as nossas ervas aromáticas, sendo já 14 as variedades medalhadas.”

O cerefólio não é uma erva aromática muito conhecida em Portugal, todavia pode ser usada da mesma forma que a salsa e os seus benefícios saudáveis são múltiplos - propriedades diuréticas, depurativas e digestivas.

A par da salva ananás que possui um característico aroma a ananás, sendo excelente para aromatizar bolos e doçaria, refrescos, batidos, saladas, gelados e licores. Em relação a benefícios saudáveis a salva ananás é utilizada para combater náuseas, azia, ansiedade e também para reduzir a pressão arterial. 

Já o manjericão nem necessita de apresentações!

A Aromáticas Vivas é uma empresa sediada em Carreço - Viana do Castelo e é líder do mercado nacional de ervas aromáticas em vaso, tendo também uma grande quota do mercado de ervas aromáticas cortadas e presença mais recente nos mercados de Flores Comestíveis e Microgreens.

https://www.aromaticasvivas.com/pt/

A Aromáticas Vivas foi fundada em 2009 com o objetivo de ser, em Portugal, a maior e mais inovadora produtora de ervas aromáticas frescas. Conta, atualmente, com uma área de produção superior a 40.000 m2, produzindo e comercializando uma variada gama de ervas aromáticas em vaso e cortadas ao longo de todo o ano.

Não utiliza herbicidas nem pesticidas químicos. Usa técnicas e práticas inovadoras para que não seja necessário utilizar qualquer produto que possa ser nefasto para o consumidor e para o ambiente. Possuindo, até, a sua própria unidade de produção de insetos e outros auxiliares para a produção agrícola, que contribuem para o controlo de pragas e doenças. Os certificados de Modo de Produção Biológico em vasos e de Global Gap são uma garantia das melhores boas práticas agrícolas para o consumidor e para a sustentabilidade ambiental.

Portugal é o seu principal mercado, estando presente em todas as grandes superfícies comerciais. E todos os anos têm aumentado as suas vendas e infraestruturas, de modo a acompanhar as tendências do mercado. Em 2019 iniciou a produção de 2 gamas novas de produtos, as flores comestíveis e os microgreens.

CELORICO DE BASTO APRESENTA A I FESTA DAS PLANTAS AROMÁTICAS E MEDICINAIS

Nos próximos dias 06 e 07 de maio a Casa da Terra e praça Albino Alves Pereira serão o epicentro deste certame.

alho bravo.jpg

Alho bravo

Mas será pelos campos, levadas, trilhos e percursos que serão encontradas muitas das plantas aromáticas, medicinais e condimentares que nascem de forma espontânea e que apresentam múltiplos usos.

Esta festa, promovida pelo Município de Celorico de Basto, conta com o apoio do projeto “A Recolectora” com a Herbalista Fernanda Botelho que irá “dar a conhecer” muitas destas plantas e mostrar aos participantes as suas especificidades e particularidades. Serão desenvolvidas duas ações em particular, uma no sábado, o workshop de medicina herbal “Farmácia do Baldio” e uma no domingo, designada Verde Adentro – Caminhada/aula andante e comida bravia nas margens do Rio Freixieiro, com a participação da chef Maria Tavares que confecionará pratos gastronómicos com essas ervas.

Será ainda destaque no sábado a ação “PAM, da Semente à alma” apresentação do BPGV – Banco Português de Geoplasma Vegetal, com a missão, estratégia e coleção conservada e a Oficina de Ilustração Botânica em Azulejo (em jeito de comemoração do Dia do Azulejo), pelo pintor Francisco Cunha. No domingo é destaque a ação “Tea Experience – Talk, Eat, Act”- Uma experiência gastronómica com pairing de infusões. E a oficina de desenho de Observação – “o Chá em Postais”. 

Todas estas atividades são de inscrição obrigatória sendo que as inscrições esgotaram poucos dias após ter sido lançado o cartaz.

Contudo, estão previstas atividades abertas ao público, sem qualquer inscrição prévia. Como a cerimónia de inauguração do certame, agendada para as 10h00, do dia 06 de maio.

Neste dia haverá ainda uma ação de sensibilização pela Resinorte sobre “Semear e cuidar do ambiente”. No domingo, a Comunidade poderá participar na caminhada da Urge e da Carqueja, uma atividade promovida pela Associação Bastomove.te que também exige inscrição.

O espaço da Festa contará ainda com outras atividades disponíveis para a participação da comunidade, como o mercado de “Sabores e Aromas”, a atuação de Eiró (Música tradicional), e animação permanente.

Maria José Marinho, Vereadora da Câmara Municipal de Celorico de Basto, diz que “este interesse em ervas aromáticas e medicinais surgiu pela quantidade de plantas silvestres existentes no nosso território. As múltiplas caminhadas que temos vindo a desenvolver despertaram, ainda mais o interesse em plantas que poderão ter usos variados quer para a saúde, na cosmética ou na alimentação. Os seus usos são infindáveis e por isso decidimos realizar um evento, com especialistas para nos dar a conhecer esta riqueza natural”.

cartaz_Programa (1).jpg

hortelã.jpg

Hortelãurtiga morta.jpg

Urtiga morta

urtigas (1).jpg

Urtigas

PAREDES DE COURA: PLANTAS INVASORAS LENHOSAS EM PORTUGAL – DA ERRADICAÇÃO À COEXISTÊNCIA

sáb e dom | 18 e 19 mar | CASA DO CONHECIMENTO

A Casa do Conhecimento de Paredes de Coura recebe este sábado e domingo, 18 e 19 de março, as jornadas técnicas “Plantas invasoras lenhosas em Portugal – Da Erradicação à coexistência”, no âmbito das iniciativas promovidas pelo Laboratório Rural.

335472060_1210567579833163_5513309822710060471_n.jpg

As plantas invasoras lenhosas em Portugal, definidas como "plantas não-nativas que causam impactes ambientais e económicos negativos", são originárias das mais diversas regiões do Mundo e estão hoje presentes em todo o território nacional.
As espécies exóticas invasoras representam uma ameaça séria à biodiversidade e aos serviços dos ecossistemas, e é por isso que nestas jornadas técnicas abordaremos este tema tão complexo, com especial destaque para as espécies lenhosas, em busca das melhores soluções para enfrentar os problemas associados a estes processos.

​As jornadas promovidas pelo Laboratório Rural e a  APTRAN – Associação Portuguesa de Tração Animal destinam-se ao público com interesse pelo tema das invasões biológicas em geral, independentemente da sua perspetiva, embora estejam dirigidas a profissionais (técnicos e/ou decisores) nas áreas da gestão florestal, agricultura, apicultura, pecuária, fogo e do território em geral, a título individual ou parte de entidades comunitárias, privadas ou públicas, da administração central e local. 

18 e 19 de março de 2023

Casa do Conhecimento - Paredes de Coura

Toda a info em https://www.aptran.pt/plantaslenhosasinvasoras

3iCudAwviFgsWGwQ.gif

Para os mais novos, Paredes de Coura tem para este fim de semana a projeção do filme de animação Múmias, dirigido por Juan Jesús García Galocha (sábado e domingo), e o Workshop LEGO® dedicado ao Dia do Pai (domingo).

Múmias

No Egipto, nas profundezas da Terra, existe uma cidade de múmias com 3 mil anos. Por ordens imperiais, a Princesa Néfer terá de se casar com Thut, mas nenhum dos dois o quer fazer: Néfer anseia pela sua liberdade e Thut tem aversão a compromissos. Só que os desejos dos deuses são incontornáveis, e Thut terá de casar com Néfer dentro de sete dias, oferecendo no casamento a antiga aliança que o Faraó lhe deu.

Título original: Mummies

Género: Animação

Realização: Juan Jesús García Galocha

Vozes: Ana Esther Alborg (Voz) , Roser Aldabó Arnau (Voz) , Sean Bean (Voz) , Óscar Barberán (Voz)

Duração (minutos): 88

Classificação: 06 anos

Horário:

Dia 18 - 15h00

Dia 19 - 15h00 e 17h30

Workshop LEGO®: Desafios do Dia do Pai

Um Dia do Pai diferente e divertido, onde as famílias serão postas à prova com desafios utilizando vários brinquedos diferentes, é o que vos propõe a Caixa dos Brinquedos.

Lotação máxima limitada a 7 famílias. Indicado para crianças dos 6 aos 12 anos de idade. Inscrição obrigatória através de email: caixadebrinquedos@paredesdecoura.pt

Local: Caixa de Brinquedos

Data: 19 de março, 15h

Duração: 1h30

Entrada Livre

UlDNwNiIXut011bc.gif

AÇÕES DE CONTROLE DE PLANTAS INVASORAS EM ESPOSENDE MOBILIZARAM MAIS DE 200 PARTICIPANTES

Nos passados dias 24 e 25 de fevereiro, realizaram-se no concelho de Esposende ações de controle de plantas invasoras, que envolveram a participação de mais de duas centenas de voluntários.

Redonda2-25fev.jpg

Estas ações foram promovidas pelo Município de Esposende, Esposende Ambiente e Parque Natural do Litoral Norte (PNLN), em estreita colaboração com as associações Rio Neiva e Assobio, e os Sapadores Florestais da Associação Florestal do Cávado. Pretendeu-se alertar para os efeitos nocivos das espécies invasoras, que prejudicam os recursos naturais de um ecossistema, ameaçando a utilização humana desses recursos. Esta problemática tem, assim, um forte impacto ao nível ecológico e económico, sendo considerada uma das principais causas de ameaça à estabilidade dos ecossistemas.

Estas ações serviram também para divulgar o processo de Cogestão do PNLN e fomentar o voluntariado ambiental junto dos munícipes, enquadrando-se no cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 15- Proteger a Vida Terrestre e ODS 17 - Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

No dia 24, foram efetuadas várias intervenções, desde Apúlia a Antas, que contaram com a participação da comunidade educativa, nomeadamente da Escola Básica de Guilheta e 9 turmas pertencentes às 5 ECO-Escolas concelhias: Escolas Básicas de Apúlia e de Forjães, António Correia de Oliveira, António Rodrigues Sampaio e Escola Profissional de Esposende. Cerca de 170 alunos e professores deram, deste modo, o seu precioso contributo para reduzir a presença de plantas invasoras na área protegida do Parque Natural do Litoral Norte, com particular enfoque na remoção de manchas de chorão-das-praias, mitigando, assim, as consequências nefastas para a biodiversidade local.

No dia 25, decorreu uma ação de voluntariado dirigida à comunidade em geral, na Praia da Redonda, em Marinhas e na Foz do Neiva, em Antas. Apesar do frio que se fazia sentir e da ameaça de chuva, cerca de meia centena de voluntários procederam ao arranque de Carpobrotus edulis, vulgarmente conhecido por chorão-das-praias, contribuindo para controlar a propagação de plantas exótica com carácter invasor, uma das principais ameaças à biodiversidade autóctone. A intervenção contemplou também uma mancha na margem esquerda do estuário do Cávado, em Fão, com o arranque de espécimes jovens de Acacia longifólia, bem como o corte e descasque de exemplares de maiores dimensões.

Antas1-24fev.jpg

Antas-25fev.jpg

Apulia1-24fev.jpg

EBACO-24fev.jpg

EPE - 24fev.jpg

Fão1-25fev.jpg

FAMALICÃO: CIMENTEIRA DO LOURO OFERECE SEMENTES DE LAVANDA NO CARTÃO DE NATAL

A ACL – A Cimenteira do Louro está a viver o Natal de 2022 sob o signo do ambiente e da sustentabilidade oferecendo sementes de lavanda em cartões de Natal biodegradáveis que envia a clientes, fornecedores e outros “stakeholders” da empresa.

CapturarLAVAND (5).JPG

Líder em Portugal na produção de pavimentos e revestimentos à base de betão, e com sede no concelho de Vila Nova de Famalicão, a ACL transformou os cerca de mil cartões de boas festas que distribuiu pelos parceiros numa oportunidade para que todos possam “semear o espírito natalício”.

“A ideia foi criar uma experiência para os nossos colaboradores, parceiros e amigos que chamasse a atenção de todos para os valores da natureza e da sustentabilidade”, explica Dinis Silva, CEO da ACL – A Cimenteira do Louro.

No jantar de Natal da empresa, os cerca de 150 trabalhadores da Cimenteira do Louro também irão receber o cartão de boas festas em papel-semente para poderem participar na experiência.

Os cartões de Natal da Cimenteira do Louro foram produzidos em papel biodegradável, tendo incorporadas sementes de lavanda, que podem ser lançadas à terra depois de o cartão ser humedecido.

“Com esta iniciativa de comunicação esperamos ajudar a construir uma sociedade mais justa e mais consciente de suas responsabilidades sociais e ambientais”, afirma Dinis Silva.

ARBORETO MUNICIPAL DE ESPOSENDE COM QR CODE PARA CADA ESPÉCIE

Como forma de assinalar o Dia Mundial da Árvore/Floresta, que se comemora no dia 21 de março, o Município de Esposende criou informação digital em formato QR Code para cada uma das espécies do Arboreto Municipal.

arboreto municipal (3).jpg

Localizado em Vila Chã, o Arboreto Municipal é um espaço experimental e demonstrativo do crescimento de 50 espécies arbóreas diferentes, que podem ser pesquisadas presencialmente ou consultadas através do site do Município em: https://www.municipio.esposende.pt/cmesposende/uploads/writer_file/document/5372/arboreto_municipal.pdf.

Com a criação desta nova funcionalidade em formato digital, o Município confere uma maior independência na obtenção de informação a quem o visita de forma autónoma, estratégia que se enquadra no conceito “SmartCity” e com o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas, nomeadamente no que concerne aos ODS 13 - Ação Climática, ODS 15 - Proteger a Vida Terrestre e ODS 17 - Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

O Dia Mundial da Árvore ou da Floresta celebra-se anualmente a 21 de março e foi criado com o objetivo de sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, quer ao nível do equilíbrio ambiental e ecológico, como da própria qualidade de vida dos cidadãos. Um hectare de floresta (10.000 m²) produz oxigénio necessário para 10 pessoas. A Floresta é igualmente fundamental para a retenção de CO2, sendo uma importante aliada no combate ao aquecimento global.

A celebração do Dia Mundial da Árvore ou da Floresta iniciou a 10 de abril de 1872, no estado norte-americano do Nebraska (EUA). Em Portugal, a primeira Festa da Árvore comemorou-se a 26 de maio de 1907 e o primeiro Dia Mundial da Floresta a 21 de março de 1972.

arboreto municipal (1).jpg

arboreto municipal (2).jpg

BRAGA: "TULIPEIRO DA VIRGÍNIA" DO MUSEU DOS BISCAINHOS CANDIDATO A ÁRVORE EUROPEIA DO ANO

Votação decorre até 23 de Novembro

O ‘Tulipeiro da Virgínia’, localizado no jardim do Museu dos Biscainhos, em Braga, é uma das árvores finalistas para representar Portugal no concurso europeu ‘Tree of the Year 2021’.

Tulipeiro da Virgínia.jpg

«Plantado no reinado de D. João V, o Tulipeiro faz jus à grandeza da nossa história. Da América do Norte, chegou em plena época de expansão, anunciando ideias e exotismo do novo mundo. Ao gosto da época foram plantados 2 tulipeiros, mas só 1 ficou como guardião de memórias…E que memórias! As do contacto com grandes mestres da arquitectura Bracarense: Manuel Fernandes da Silva e André Soares, cuja obra ainda hoje distingue o carácter da Cidade. Outras estarão guardados nas raízes, tronco e ramos ancestrais.»

A nível nacional, o concurso é organizado pela UNAC – União da Floresta Mediterrânica, que habilita a árvore portuguesa vencedora a concorrer à votação para a Árvore Europeia do Ano.

O concurso da Árvore Europeia do Ano surgiu em 2011 e foi inspirado no popular concurso da República Checa, Árvore do Ano, organizado pela Czech Environmental Partnership Foundation. Desde então, o número de países envolvidos no concurso tem vindo a aumentar, sendo que o concurso europeu uma final constituída pelos vencedores dos diferentes concursos nacionais.

O concurso pretende destacar a importância das árvores antigas na herança cultural e natural, não se focando apenas na beleza, no tamanho ou na idade da árvore, mas sim na sua história e relações com a comunidade.

A votação decorre online, até 23 de Novembro, em https://portugal.treeoftheyear.eu/Trees/2020/arvore-8

VILA PRAIA DE ÂNCORA EXPÕE "AS FLORES QUE A NATUREZA NOS OFERECE"

119086049_3229035223817651_7614916512143535899_o.j

Exposição de fotografia “As flores que a natureza nos oferece” para visitar no Posto Turismo Vila Praia de Âncora

A mostra dá a conhecer as flores silvestres existentes no concelho de Caminha e pode ser visitada até final de outubro, de segunda a sexta-feira, das 9H30 às 13H00 e das 14H00 às 17H30. Esta exposição é organizada pela Câmara Municipal de Caminha em parceria com Carlos Venade.

119073040_3229035587150948_6201392179889030579_o.j

119128338_3229035750484265_4135496778469571412_o.j

119073883_3229036697150837_9017264111396154966_o.j

119113853_3229036927150814_6113886600898770324_o.j

119084630_3229037133817460_3648242323131061598_o.j

119107673_3229037407150766_5421914632633603750_o.j

119096279_3229037790484061_9137787237369330681_o.j

119111151_3229038000484040_5152971254404083072_o.j

ARCOS DE VALDEVEZ IDENTIFICA PLANTAS INVASORAS

Workshop - Identificação e gestão de plantas invasoras

No âmbito do Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas: o EcoVoluntariado do Vez, o Município de Arcos de Valdevez está a promover um workshop - Identificação e gestão de plantas invasoras direcionado para os voluntários e para o público em geral, no próximo dia 22 de agosto.

As plantas invasoras são uma das principais ameaças à biodiversidade e consideradas uma das principais causas de extinção de espécies nos últimos séculos, pelo que este workshop pretende  alertar para este tema.

No workshop serão abordadas as plantas invasoras em Portugal, e em particular em Arcos de Valdevez, o seu enquadramento legal, os impactos nos ecossistemas e os métodos disponíveis de controlo a utilizar para cada espécie. O workshop contempla uma parte teórica e uma parte prática demonstrativa  dos métodos de controlo usados para as diferentes espécies.

A participação é gratuita mas sujeita a inscrição até 20 de agosto aqui: https://forms.gle/Ci86ja64KEnXcFkcA

Data: 22 de agosto de 2020, 9h30-13h00

Público-alvo: Voluntários e público em geral

Limite máximo de participantes: 20 participantes (incluindo os voluntários do EcoVoluntariado do Vez).

Formador: Jael Palhas, investigador no Centro de Ecologia Funcional | Escola Superior Agrária de Coimbra e membro da equipa do “Invasoras.pt” .

Obrigatório o uso de máscara e aconselhado o uso de roupa confortável e adaptada para a componente prática no exterior.

Este evento decorrerá no  Centro de Informação e Acolhimento do Museu da Água ao Ar Livre do Rio Vez.

Mais informação: e-mail: museudaagua@cmav.pt / Telf.: (+351) 258 247 317.

Flyer_workshop.png

CASA DAS INFUSÕES ABRE EM MELGAÇO: UM NOVO ESPAÇO DE ALOJAMENTO LOCAL NO CORAÇÃO DO T ERROIR DO ALVARINHO

Gostaria de descontrair no meio da natureza? Então a Casa das Infusões é o local ideal para passar uns dias relaxados. A Quinta de Soalheiro, primeiro produtor de Alvarinho de Melgaço, passa a disponibilizar esta casa de alojamento local que está perfeitamente integrada na paisagem que a rodeia. A harmonia entre a vinha, o vale e a montanha convidam, por si só, a uma visita. A proximidade do único Parque Nacional português, a Peneda-Gerês, e a descoberta de tradições, como a gastronomia típica da região do Alto Minho e a prova de alvarinho e de infusões, criam o ambiente ideal para uma estadia com a família ou entre amigos.

infusoesmelgaço (3).png

A Casa das Infusões conta com três quartos com capacidade para cinco pessoas (um quarto com cama de casal, um com duas camas individuais e um com uma cama individual). A casa de traço rústico transporta, através do imaginário e da decoração, para o tema das infusões. Cada quarto está inspirado em três ervas-aromáticas perfeitamente adaptadas ao território: Perpétua Vermelha, Hortelã-Verde e Alfazema. Esta casa de alojamento local dispõe de duas casas de banho, sala, cozinha equipada, lareira, aquecimento, ar acondicionado, internet, televisão por cabo e um espaço exterior com zona para churrasco. O pequeno almoço, preparado com produtos locais, está incluído. Dele faz parte a prova de infusões da coleção Soalheiro Herbal Tea Selection.

UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA ATRAVÉS DA DESCOBERTA DA HISTÓRIA E DAS TRADIÇÕES DO TERRITÓRIO

A casa está inserida num espaço onde crescem as infusões e os visitantes terão a possibilidade de ter um contacto mais próximo com a atividade agrícola, onde se recorre a conceitos de produção sustentável que promovem a biodiversidade da fauna e da flora local, ligada à produção das infusões, proporcionando uma experiência única através da descoberta da história e das tradições do território. Toda a plantação é realizada em agricultura biológica e a aposta na convergência entre o terroir do vinho e das ervas aromáticas é uma aposta pioneira na região.

Longe do rebuliço citadino, é, ainda, o local ideal para desfrutar de uma experiência de Enoturismo.  Com um circuito de visitas reformulado, onde a experiência é feita, maioritariamente, na parte exterior, no Soalheiro tem ainda a possibilidade de visitar as vinhas e ter um contacto privilegiado com a natureza numa descoberta do terroir da origem do Alvarinho – Monção e Melgaço – onde a gastronomia, a natureza e a hospitalidade nunca desiludem.

A casa está aberta ao público, a partir de 1 de agosto, e as reservas já podem ser feitas através do site www.soalheiro.com/enoturismo. Toda a experiência está desenhada de acordo com as recomendações da Direção-Geral de Saúde e do Turismo de Portugal, estando atribuído à Casa das Infusões o certificado "Clean & Safe".

infusoesmelgaço (1).png

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE ESPOSENDE REALIZA AÇÃO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA SOBRE ERVAS AROMÁTICAS

Em tempo de pandemia, a empresa municipal Esposende Ambiente, através do Centro de Educação Ambiental, vai realizar mais uma ação de formação à distância, que terá lugar no próximo dia 16 de maio, entre as 15h00 e as 16h30.

ErvasAromaticas (002).jpg

Trata-se da sessão “Webinar Hoje é dia de: Ervas Aromáticas”, que será orientada pelo Eng.º Luís Alves, da empresa Cantinho das Aromáticas. Os participantes terão oportunidade de ficar a conhecer as principais plantas aromáticas, medicinais e condimentares e suas utilizações. Poderão também aprender como propagar cada uma das espécies, bem como as melhores técnicas de colheita, secagem e armazenamento.

A participação nesta ação é gratuita, contudo carece de inscrição, a efetuar através do email cea@esposendeambiente.pt, para que os interessados possam receber as instruções de participação.

Esta ação enquadra-se nas linhas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, cujo cumprimento foi assumido pelo Município e pelas suas empresas municipais. Face ao atual quadro de saúde pública, a Esposende Ambiente tem vindo a apostar na sensibilização e formação à distância, garantindo, deste modo, o acesso dos interessados a estas formações de caráter ambiental.

CRIANÇAS BRACARENSES APRENDEM A CONHECER AS PLANTAS

NSI - Natureza Sob Investigação está de volta ao Parque de S. João da Ponte 

No próximo dia 30 de Junho, pelas 11h00, a Ciência está de regresso à Estufa do Parque de S. João da Ponte com o tema “Plantas: do jardim à farmácia”.

foto1

O projeto NSI – Natureza Sob Investigação é dirigido às crianças da faixa etária entre os 4 e os 12 anos e à Família enquanto um dos principais agentes na vida da criança.

O projeto tem como objetivo estimular o gosto das crianças e jovens pela ciência, através da realização de atividades e experiências científicas num contexto lúdico.

Recordamos que este projeto é uma iniciativa promovida pelo Município de Braga através do Serviço Educativo Integrado – SEI do Pelouro da Cultura em parceria com ‘O Laboratório da Li’.

A participação é gratuita, mediante inscrição prévia em: http://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScQCn_sIMUkgcguuq1L6bk7T2iKe-_v43HIHJoc71e6O7RFiw/viewform 

Nas sessões do NSI as crianças devem fazer-se acompanhar por um adulto.

foto3

PÓVOA DE LANHOSO DÁ A CONHECER PLANTAS MEDICINAIS

Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos dá a conhecer “Plantas que Curam”

“Plantas que Curam” é como se designa a atividade que o Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos dinamizou junto de utentes do Centro Social e Paroquial de S. Gens de Calvos para dar a conhecer plantas aromáticas e medicinais (PAM´s), que eram utilizadas por diversos povos para proteger a saúde, devido à sua ação antimicrobiana que ajudava a evitar infeções, mas também para atrasar a deterioração dos alimentos frescos.

Sessao sobre Plantas que Curam 1

Muitas PAM´s têm propriedades medicinais que ajudam em diversos problemas de saúde, por exemplo, a nível digestivo, respiratório ou ao nível da regeneração celular.

De lembrar que o edifício do Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos está circundado no seu exterior por um canteiro de plantas aromáticas e medicinais: alecrim, salva-ananás, hipericão do Gerês, alfazema, absinto, pelargónio limão, hortelã chocolate, erva de caril, santolina, funcho, milefólio.

A atividade desenvolvida com utentes do Centro Social e Paroquial de S. Gens de Calvos permitiu dar-lhes a conhecer a forma, o aroma e as principais características e utilidades das diversas PAM´s, que existem na bordadura do já referido edifício. Muitas das pessoas participantes recordaram conhecimentos antigos, transmitidos de geração para geração. Quem visitar o Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos, para além de ficar a conhecer as PAM’s, pode ainda levar uma estaca ou sementes das variedades e assim ter à disposição na sua casa plantas que curam.

ARCOS DE VALDEVEZ DÁ A CONHECER PLANTAS AROMÁTICAS E MEDICINAIS

Os segredos das Plantas aromáticas, condimentares e medicinais

No âmbito da iniciativa “Acontece no Parque”, a ARDAL – Porta do Mezio, vai organizar a atividade “Os segredos das plantas aromáticas, condimentares e medicinais”, nos dias 25 e 26 de Novembro de 2017, das 15h00 às 17h00.

Cartaz_Plantas aromaticas

Esta atividade consistirá num pequeno percurso pela Porta do Mezio, onde terá oportunidade de descobrir, observar e identificar as várias espécies de plantas existentes e as suas utilizações. Por aqui encontram-se plantas para fazer chás, ervas aromáticas que acrescentam um sabor único à cozinha e outras utilizadas em mezinhas caseiras. Venha conhecer, tocar, provar, cheirar a diversidade destas plantas e deslumbrar-se com a multiplicidade de usos que as plantas têm para nos oferecer.

Tomilho, hipericão, rosmaninho, hortelã menta, alecrim... são tantas e de tantos aromas, que o difícil é apenas escolher o que plantar ou semear.

Venha aprender a cuidar e utilizar as plantas aromáticas, condimentares e medicinais. No final haverá um lanche onde poderá provar chás e outras iguarias destas plantas.

Esta atividade irá decorrer na Porta do Mezio e é direcionada ao público em geral. Os interessados devem inscrever-se em portadomezio@ardal.pt ou através do telefone n.º 258 510 100.

As inscrições são limitadas. Inscreva-se já!

TERRAS DE BOURO REALIZA III JORNADAS TÉCNICAS SOBRE OS CARVALHOS. NATUREZA E TURISMO

O Município de Terras de Bouro, conjuntamente com a ATAHCA, Associação de Compartes da Freguesia de Campo do Gerês, com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e com outras instituições, vai realizar as “III JORNADAS TÉCNICAS SOBRE OS CARVALHOS ” a ter lugar nos próximos dias 25 e 26 de novembro no Museu de Vilarinho da Furna no Campo do Gerês Terras de Bouro.

FOTO - III_Jornadas_Carvalhos_Natureza_e_Turismo.jpg

As III Jornadas técnicas sobre os Carvalhos, a decorrer nos dias 25 e 26 de novembro de 2016, agora com realização bienal, nos anos pares, dão continuidade a um projeto iniciado em 2013 como corolário do objetivo partilhado por várias entidades de promoverem uma floresta portuguesa saudável e rica para aqueles que nela vivem e dela dependem, bem como proporcionar espaços lúdicos e de ócio aos visitantes. Com a duração de 2 dias, estas jornadas decorrem no Campo do Gerês, Terras de Bouro, em pleno coração do Minho e do único Parque Nacional, o da Peneda-Gerês, onde se encontra a Mata de Albergaria de uma riqueza natural única. Os participantes, oradores, convidados e escolas são recebidos nos Museus de Vilarinho das Furnas e da Geira, para partilharem a sua experiência e conhecimento através de apresentações, debates, provas gastronómicas e momentos didáticos. Como a floresta não se vive em sala, são programadas saídas à floresta para conhecer o espaço mas também para darem o seu contributo ao legado deste património coletivo, através de ações de plantação e colheita de sementes. Se na floresta se geram uma multiplicidade de valores económicos, sociais e ambientais, o que se quer com estas jornadas é que cada um experiencie isso mesmo.

Para as III Jornadas Técnicas sobre os Carvalhos foi eleita a “Natureza e Turismo” como tema principal, em duas abordagens: a) a gestão dos recursos naturais; e b) a gestão dos produtos turísticos e dos seus consumidores. De facto, há que refletir-se sobre as políticas e os modelos de gestão e de organização do território bem como do desenvolvimento dos produtos turísticos, tomando em conta os interesses dos proprietários e gestores de propriedades com elevado valor natural e as dinâmicas verificadas no âmbito do produto turismo de natureza. Por outro lado, interessará procurar pistas para identificar encargos na preservação e valorização dos ecossistemas e formas de os repartir por quem deles usufrui ou promove a sua utilização.

PÓVOA DE LANHOSO OFERECE AO JARDIM BOTÂNICO DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO ÁRVORE "FILHA" DO CARVALHO DE CALVOS

Árvore “filha” do Carvalho de Calvos no Jardim Botânico da UTAD

Oferecida pelo Município da Póvoa de Lanhoso à Universidade de Trás os Montes e Alto Douro (UTAD), um jovem carvalho alvarinho, uma árvore “filha” do centenário Carvalho de Calvos, foi recentemente plantada no Jardim Botânico da UTAD, em Vila Real.

Placa Carvalho de Calvos na UTAD 1

A cerimónia realizou-se no passado dia 18 de março. Esta plantação foi efetuada pelo Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, pelo Reitor, António Fontainhas Fernandes, e pelo Presidente da CCDR-N, Emídio Gomes.

O Município da Póvoa de Lanhoso esteve representado pela técnica do Centro de Interpretação Carvalho de Calvos, local onde nasceu o carvalho oferecido e onde foi envasado para oferta em abril de 2015.

Esta cerimónia enquadrou-se no âmbito do programa de comemoração dos 30 anos da UTAD, envolvendo, de entre outros momentos, a assinatura de protocolos entre aquela Universidade e Autarquias.

Junto à árvore foi colocada uma placa descritiva, que será uma importante forma de divulgação do Carvalho de Calvos da Póvoa de Lanhoso e do seu legado de preservação de espécies autóctones.

De lembrar que o conhecido carvalho de Calvos (Quercus robur) foi classificado, em 1997, como Árvore de Interesse Público. Estima-se que, pela sua idade (cerca de 500 anos), seja o Carvalho mais antigo da Península Ibérica e o segundo mais antigo da Europa. Trata-se, provavelmente, do maior carvalho existente no nosso país, apresentando um perímetro do tronco na sua base de 12 metros, uma copa com o diâmetro de cerca de 40 metros e uma altura aproximada de 30 metros. Esta plantação irá contribuir para o seu conhecimento, preservação e multiplicação. 

Carvalho de Calvos na UTAD 1