Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAFE DÁ FORMAÇÃO AOS OPERACIONAIS DO SERVIÇO DE BRIGADAS DE AERÓDROMO DO HELIPORTO MUNICIPAL

Município de Fafe promove cursos destinados aos operacionais que compõem o Serviço de Brigadas de Aeródromo do Heliporto Municipal de Fafe.

No passado dia 1 de outubro, realizaram-se os últimos cursos destinados aos elementos do Corpo de Bombeiros Voluntários de Fafe que asseguram o Serviço de Brigadas de Aeródromos no Heliporto Municipal de Fafe. Com o objetivo de garantir uma maior capacidade e disponibilidade de operacionais para constituição desse serviço, foram realizados dois cursos de Formação Inicial em Segurança Operacional para Operador de Serviço de Brigadas de Aeródromo (realizados em 28 e 29 de maio) e dois cursos de Recertificação em Segurança Operacional para Operador de Serviço de Brigadas de Aeródromo (realizados em 1 de outubro). Destes cursos, resultou a certificação de 28 operacionais e a revalidação da certificação de 24 operacionais.

Cursos_Serviço de Brigadas de Aeródromo do Heliporto Municipal de Fafe_1 (3).jpg

A existência de um Serviço de Brigadas de Aeródromo no Heliporto Municipal de Fafe, de acordo com a legislação e regulamentação vigente, é obrigatória para a realização das operações com meios aéreos na referida infraestrutura.

O Heliporto Municipal de Fafe é uma infraestrutura aeronáutica certificada pela Autoridade Nacional de Aviação Civil. Tem tido ao longo dos últimos anos uma grande importância para a região no que diz respeito à operação de helicópteros de combate a incêndios rurais, no quadro das operações da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil. Para além da operação dos meios aéreos, o Heliporto Municipal de Fafe recebe ao longo do ano outras operações pontuais de helicópteros de emergência médica e aeronaves utilizadas em diferentes contextos de serviço operacional aéreo.

Cursos_Serviço de Brigadas de Aeródromo do Heliporto Municipal de Fafe_2 (1).jpg

CAMINHA RECEBE A VISITA DO MINISTRO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA, DR JOSÉ LUÍS CARNEIRO

O concelho de Caminha vai receber no próximo sábado, dia 1 de outubro, a visita do Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, que participará em dois momentos: apresentação das novas EIP para o Concelho de Caminha, a realizar na freguesia de Riba de Âncora, e cerimónia do Dia Nacional da GNR, que terá lugar em Caminha.

i054607 (1).jpg

09h30

- Apresentação das novas Equipas de Intervenção Permanente para o Concelho de Caminha, dos Corpos de Bombeiros de Caminha e de Vila Praia de Âncora 

Local: Souto do Rego Grande, Cruzeiro da Portela, na freguesia de Riba de Âncora (Localização: 41°49'37.2"N 8°48'32.2"W). 

Esta apresentação será seguida de uma visita, no Souto do Rego Grande, às atividades de gestão de combustíveis com recurso a pastorícia, de caprinos e ovinos, orientada pelo Conselho Diretivo dos Baldios de Riba de Âncora. 

11h00  

- Cerimónias do Dia Nacional da GNR

Local: Largo da Feira, Caminha 

PS-VIEIRA DO MINHO ACUSA: PRESIDENTE DA CÂMARA FAZ ACORDO RUINOSO PARA BOMBEIROS E AUTARQUIA

A maioria PSD ratificou hoje, dia 21 de setembro de 2022, em Reunião de Câmara, alteração ao negócio do antigo quartel dos Bombeiros, decisão tomada unilateralmente pelo Presidente da Câmara.

Captura de ecrã 2022-09-21, às 21.13.41 (2).png

A este propósito importa, desde já, perguntar:

Por que razão a Câmara Municipal faz um acordo extrajudicial se havia uma escritura para cumprir e uma ação em tribunal por resolver?

Ou então porque demoraram tantos anos a colocar o assunto em tribunal se deste modo  a resolução era assim tão fácil e rápida ?

O PS de Vieira do Minho não pode votar favoravelmente decisões de tão grande importância que só são ratificadas pelo órgão executivo depois de negociadas pelo Presidente António Cardoso, como se de sua propriedade se tratasse.

O PS entende que, com este novo acordo, o Município sai manifestamente prejudicado pois, oito anos volvidos, recebe o mesmo valor pela venda do prédio urbano, não tendo efetuado qualquer atualização do seu valor patrimonial. Acresce que, com este acordo, o Município não será também ressarcido dos juros que lhe seriam devidos coisa que, por diversas vezes, o Sr. Presidente da Câmara garantiu que ía acontecer.

Afinal, verificamos que faltou à sua palavra.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vieira do Minho (AHBVVM) que, nos últimos anos, tem enfrentado uma situação aflitiva em termos financeiros, sai também severamente prejudicada com este acordo.

A Associação continua endividada e a suportar os encargos desse endividamento sem que, até ao momento, tenha sido ressarcida do que lhe é devido.

Até dezembro de 2020, os Bombeiros já tiveram de pagar mais de € 43.000,00 (quarenta e três mil euros) de juros resultantes do endividamento que teve de efetuar para honrar os seus compromissos.

Com este acordo, mesmo que venha a receber os 212.555,48 € a ser pagos à Câmara Municipal, os Bombeiros continuam a sair prejudicados em dezenas de milhares de euros pois serão estes a suportar os juros do empréstimo que foram obrigados a contrair.

Além disso, por causa do empréstimo que os Bombeiros contraíram, foi necessário hipotecar o quartel novo, o que seria desnecessário.

Por fim, e como prémio de ter demorado 6 anos a pagar os 212.555,48€ previstos na escritura, o atual proprietário vê o seu património altamente valorizado pois, pelo mesmo valor a pagar, vê a sua área de construção aumentar exponencialmente.

Este benefício é de tal forma evidente que o mesmo proprietário que anteriormente reivindicava o "famoso triângulo" a norte, agora até já prescinda da declaração desse vizinho confinante.

É caso para dizer que o “crime” compensou!

BOMBEIROS DE BRAGA POSSUEM NOVA AUTO-ESCADA MAGIRUS

Nova Auto-escada dá maior capacidade de intervenção aos Bombeiros Sapadores de Braga. Veículo representa investimento de 150 mil euros

A Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga (CBS) conta com um novo veículo para socorro e salvamento no Concelho. Num investimento de 150 mil euros por parte do Município de Braga, a nova auto-escada Magirus apresenta dimensões mais reduzidas, garantindo a elevação até 30 metros de altura o que proporciona uma maior acessibilidade em ruas mais estreitas.

estradbraga.jpg

Dotado de caixa automática e motor com a potência de 310 cavalos, o equipamento garante uma rápida deslocação para as ocorrências e vem reforçar a capacidade de intervenção da Corporação através de um equipamento de excelência.

Com um cesto com capacidade para três pessoas e com suporte para um canhão monitor, utilizado em combate a incêndios industriais de grandes dimensões, a auto-escada possui uma maca de resgate que permite efectuar salvamentos em altura de vitimas imobilizadas. As dimensões do cesto permitem o espaço indispensável ao desenvolvimento de qualquer trabalho com três operacionais em simultâneo.

A escada consegue atingir a altura de 30 metros em apenas 27 segundos e permite efectuar três movimentos distintos em simultâneo, tornando este um recurso fundamental em zonas urbanas com artérias de dimensão reduzida.

A operação é mais fácil devido à apresentação, de forma detalhada, de toda a informação num monitor e possui gerador à tomada de força do motor e equipamento de transmissões TETRA com repetidor, o que torna o veículo polivalente e apto para diversos serviços.

MUNICÍPIO DE AMARES RECEBEU VISITA DO COMANDO DISTRITAL DE OPERAÇÕES DE SOCORRO DE BRAGA

Comandante Distrital foi recebido na autarquia e visitou sede dos Bombeiros

Manuel Moreira, Presidente do Município de Amares, recebeu, esta quinta-feira, nas instalações da autarquia, o novo Comandante Operacional Distrital de Braga, (CODIS), Sérgio Barros, que tomou posse recentemente. O momento de apresentação do novo Comandante Distrital serviu, ainda, para o edil dar a conhecer a realidade do concelho de Amares ao nível da Proteção Civil.

IMG_6220 (1).jpg

 “Tratou-se de uma visita de cortesia por parte do novo comandante que tomou posse recentemente e está a inteirar-se daquilo que é a nossa realidade, quais as dinâmicas do nosso concelho e quais as suas necessidades”, mencionou Manuel Moreira. “É muito bom perceber a sensibilidade demonstrada pelo Sr. Comandante e ver que está disponível para ajudar dentro das suas competências e das suas possibilidades e poder mostrar-lhe também que há articulação, empenho, dedicação e vontade de fazer mais e melhor nesta sinergia entre a câmara municipal de Amares e as instituições, mas que também há dificuldades”, sublinhou o presidente da autarquia.” O importante é trabalharmos todos na mesma direção”, rematou.

Depois deste primeiro contacto de proximidade com a direção e o comando dos Bombeiros de Amares, confessou sair “tranquilo” do concelho de Amares. “Percebo que as instituições estão a dar resposta e acima de tudo há aqui uma sinergia extremamente profícua entre aquilo que é a associação humanitária e o comando dos bombeiros, com a autarquia e isso é a garantia de que se existirem problemas, que não se preveem, que possam existir, eles possam ser ultrapassados”. “Percebo que há um projeto que está em andamento e todas as estruturas de proteção civil estão alinhadas para dar respostas e, portanto, saio tranquilo de Amares”, concluiu Sérgio Barros.

José Gonçalves, Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Amares, mostrou-se muito agradado com esta visita à sua “casa”. “É sempre importante conhecer as pessoas com quem trabalhamos. Confesso que tinha alguma curiosidade em conhecer o Sr. Comandante Sérgio Barros uma vez que nós temos sempre uma necessidade de interagir com o comando distrital e fiquei muito agradado com esta visita que nos permitiu dar a conhecer aquilo que é a nossa realidade, as nossas instalações e meios humanos e logísticos disponíveis, mas também manifestar algumas das nossas inquietações e dificuldades”, referiu.

IMG_6249.jpg

IMG_6270.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMINHA DUPLICA APOIO FINANCEIRO AOS BOMBEIROS EM 2023

Nos últimos oito anos, o Município investiu 1.2 milhões de euros nas corporações de bombeiros do concelho

Por ocasião do 127º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha, o Presidente da Câmara Municipal anunciou que “a partir de janeiro de 2023, vamos duplicar o montante fixo dos protocolos de cooperação com os bombeiros de Caminha e Vila Praia de Âncora, num esforço justo que acompanha o pagamento de serviços, de formação e dos salários de quatro Equipas de Intervenção Permanente que estão constituídas no concelho. Assim, onde antes o Município investia 24 mil euros, passará a investir 48 mil euros que serão distribuídos pelas duas corporações de bombeiros do concelho em pagamentos mensais” esclareceu Miguel Alves.

Bombeiros VPA.jpg

Numa cerimónia que decorreu no passado sábado no quartel dos Bombeiros Voluntários de Caminha e que contou com a presença do Comandante Operacional Distrital de Viana do Castelo e de representantes da Liga dos Bombeiros e da Federação de Bombeiros do distrito, o autarca de Caminha agradeceu o trabalho e coragem das mulheres e homens do corpo ativo, bem como a dedicação dos órgãos sociais, destacando o papel do Comandante Vítor Silva e o labor da Direção e do seu Presidente, José Casimiro Lages, que preside à associação humanitária há já 17 anos.

Miguel Alves, que é também o Presidente da Comissão Distrital da Proteção Civil, salientou a dedicação total dos bombeiros, em contexto de socorro e proteção à comunidade e frisou que “todos temos que apoiar mais as nossas corporações. A população tem que apoiar mais, fazerem-se sócios, participarem nos eventos de angariação de fundos, disponibilizarem-se para o voluntariado e para a gestão; as instituições e empresas têm que apoiar mais, encontrar formas de parceria que permitam ajudar os bombeiros a cumprir com a sua missão; as autarquias têm que apoiar mais, e por isso a Câmara Municipal não se esconde, reforçando um apoio financeiro que, no ano passado, esteve perto de 120 mil euros. Caminha vai ter quatro equipas de bombeiros profissionais e vai ter também mais apoio financeiro para continuar e melhorar a sua atividade”.

Na sessão solene da comemoração de mais um aniversário, vários bombeiros do corpo ativo foram distinguidos com medalhas de assiduidade e/ou promoção, tendo a Associação Humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Caminha sido distinguida com a Fénix de Honra atribuída pela Liga dos Bombeiros.

296631968_5274905329230620_1898975556370518874_n.jpg

LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES REUNIU EM VALENÇA COM A FEDERAÇÃO DE VIANA DO CASTELO

Decorreu na sexta-feira passada, nas instalações dos Bombeiros Voluntários de Valença, uma reunião entre a Liga dos Bombeiros Portugueses e a Federação de Viana do Castelo.

296575927_449063170582503_8216282932269649454_n.jpg

O ato contou com, entre outros, com a presença da Vice-Presidente da Câmara Municipal de Valença, Ana Paula Xavier, do Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, António Nunes e de dirigentes e comandantes das associações e corpos de bombeiros do distrito.

No encontro, foram debatidos várias assuntos. A idade das viaturas das associações e corpos de bombeiros do distrito de Viana do Castelo foi um dos temas abordados, assim como a profissionalização dos bombeiros, com destaque, para a proposta da Federação para a constituição de Equipas de Intervenção Permanente para o socorro pré-hospitalar.

296042397_449063173915836_1024231175148851023_n.jpg

MUNICÍPIO DE MONÇÃO ATRIBUI SUBSÍDIO EXTRAORDINÁRIO À CORPORAÇÃO DE BOMBEIROS

O apoio destina-se a suportar os encargos financeiros da instituição com os sucessivos aumentos do combustível.

bombeirosmonçao.jpg

A Câmara Municipal de Monção aprovou a atribuição de um subsídio extraordinário à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção, até ao montante máximo de 30 mil euros, destinado a suportar o diferencial do aumento de combustíveis e a sua repercussão na tesouraria da instituição.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção, pilar da Proteção Civil Municipal, desempenha um papel insubstituível na salvaguarda de pessoas e bens, no combate aos fogos florestais e no transporte não urgente de doentes para as unidades hospitalares.

Na atual conjuntura, com a escalada do preço dos combustíveis, a corporação monçanense, à semelhança das suas congéneres pelo pais fora, sente dificuldades de tesouraria que, no terreno, poderão resultar em determinados condicionamentos na execução das suas tarefas diárias, tão importantes para as populações locais. 

Este subsídio, agora aprovado, tem como objetivo minorar a eventualidade do aparecimento dessas adversidades, contribuindo para a continuidade da sua atividade defensora e solidária junto das pessoas, num contexto de total normalidade e sem qualquer género de constrangimentos.

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA DISPENSA FUNCIONÁRIOS MUNICIPAIS QUE INTEGRAM O CORPO DE BOMBEIROS PARA INTEGRAR O DISPOSITIVO ESPECIAL DE COMBATE A INCÊNDIOS RURAIS

A Câmara Municipal de Vizela, face ao agravamento das previsões de risco de incêndio rural para os próximos dias e em reunião com os Bombeiros Voluntários de Vizela, no seguimento da Declaração de Situação de Contingência que vigora entre as 00H00 de 11 de julho e as 23H59 de 15 de julho de 2022 para todo o território continental, demonstrou toda a disponibilidade para a dispensa dos funcionários municipais, que integram o Corpo de Bombeiros, para integrar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), nos termos do Despacho n.º 8513-A/2022 de 11 de julho e 2022.

O Município de Vizela mantem à disposição todos os meios de proteção civil para intervir no Município e face à Declaração de Situação de Contingência, acionou o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil de Vizela.

O Município de Vizela apela para a não adoção de comportamentos de risco nas áreas rurais e relembra que estão implementadas as seguintes medidas de caráter excecional:

  1. a) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem, com as exceções previstas no n.º 2 do artigo 68.º do Decreto -Lei n.º 82/2021, de 13 de outubro, na sua redação atual, nomeadamente o acesso, a circulação e a permanência de residentes permanentes ou temporários e de pessoas que ali exerçam atividade profissional;
  2. b) Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;
  3. c) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;
  4. d) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal;
  5. e) Proibição da utilização de fogo -de -artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas.

MONÇÃO COM UNIDADE DE BOMBEIROS DE PROXIMIDADE NO VALE DO MOURO

Localizada em Riba de Mouro, terá como função a prevenção, vigilância e combate a incêndios florestais no Vale do Mouro, através de uma circulação permanente pelas freguesias da região.

unidademonç.JPG

À semelhança dos últimos anos, a freguesia de Riba de Mouro volta a receber uma unidade de bombeiros de proximidade. Constituída por cinco elementos, apoiados por uma viatura de combate a incêndios florestais, a unidade foi reativada esta sexta-feira.

Permanecendo até finais de setembro, com possibilidade de prolongamento caso o período critico seja alargado, a unidade terá como função a prevenção, vigilância e combate de incêndios florestais no Vale do Mouro, através de uma circulação permanente pelas freguesias da região: Barbeita, Ceivães, Badim, Segude, Podame, Merufe, Riba de Mouro, Tangil, Messegães, Valadares e Sá.

Marcada pela informalidade, a reabertura da unidade contou com a presença do autarca monçanense, António Barbosa, acompanhado pelos presidentes de junta de freguesia de Riba de Mouro, José Manuel Fernandes, Tangil, Michel     e Ceivães/Badim, Teresa Gonçalves, bem como pelo Presidente da AHBVM, Gonçalo Oliveira, e pelo 2º Comandante, Hélder Trancoso.

António Barbosa enalteceu o papel preventivo e ativo da unidade de proximidade na minimização dos incêndios florestais, realçando o facto de estar em constante movimento por toda a região do Vale do Mouro: “Circulando pela região, as possibilidades de atuarem, de forma atempada e célere, são maiores” adiantou.

Para a direção e comando dos “soldados da paz” monçanenses, a presença física de bombeiros nesta área concelhia é uma mais-valia para as populações locais, contribuindo para uma intervenção mais rápida no combate aos fogos florestais e à segurança de pessoas e bens, nomeadamente, na salvaguarda dos núcleos habitacionais mais isolados.

A secção de Riba de Mouro dos Bombeiros Voluntários de Monção foi inaugurada a 21 de novembro de 1992, numa cerimónia presidida pelo então ministro Luis Marques Mendes. Cerca de década e meia depois, deixou de funcionar e servir a população daquela zona montanhosa do concelho de Monção. Nos últimos anos, tem servido a população como unidade de proximidade, durante o período de verão.

REAL ASSOCIAÇÃO DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE BRAGA FOI CRIADA EM 1877

RABVBmin.jpg

(…) apesar das inúmeras dificuldades e burocracias, habituais na época, um grupo de ilustres bracarenses não desistiu enquanto não arranjou local para o quartel, algum material e algum fardamento.

Entusiasmados, formaram uma Comissão Fundadora que, em 18 de Março de 1877, anunciou a criação, em Braga, de um corpo de Bombeiros Voluntários, e entregou no Governo Civil de Braga, para aprovação, os que são os seus primeiros Estatutos. Nasceu assim a “Real Associação dos Bombeiros Voluntários de Braga”.

Foi sua primeira sede um prédio na rua Nova de Sousa que, à época, pertencia à “Carris de Braga”, e escolhido para primeiro Comandante do Corpo Activo o Dr. José Borges de Faria, pai desses heróis de Portugal, imortalizados como “os irmãos Roby”.

Fonte: https://www.bvbraga.pt/