Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA: CDS DEFENDE ADSE PARA OS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS

Areia de Carvalho, candidato pelo distrito de Braga, visita corporações

 “Portugal precisa dos bombeiros voluntários e o Estado tem de saber recompensá-los devidamente pelo serviço que prestam à comunidade.”

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários de Am

Foi assim que Areia de Carvalho, primeiro candidato do CDS-PP à Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Braga, deu o mote para lançar uma ideia que agrada aos bombeiros voluntários: a sua inclusão no grupo de beneficiários da ADSE, o subsistema de saúde dos funcionários públicos.

Na sua campanha para as eleições legislativas de 30 de janeiro, Areia de Carvalho, que tem por objetivo manter o deputado do CDS-PP pelo distrito de Braga, tem privilegiado visitas às corporações de bombeiros. Foi assim em Esposende, Braga, Vila Verde, Vila Nova de Famalicão, Vieira do Minho e Amares, estando outras visitas agendadas até ao fim da campanha.

“Tenho de destacar o voluntariado dos bombeiros portugueses, que é uma característica rara no mundo. O trabalho daqueles que doam o seu tempo e a sua disponibilidade ao bem comum é algo que não tem preço”, considera Areia de Carvalho, para quem “se não fossem os bombeiros voluntários e o voluntariado que os bombeiros fazem os serviços noturnos e de fim de semana não seriam prestados”.

É o que acontece, por exemplo, em Vieira do Minho, e em outras corporações de bombeiros. “O que seria de Portugal se não tivesse bombeiros voluntários?”, pergunta, insistentemente, o candidato do CDS-PP à Assembleia da República.

Areia de Carvalho lembra que “cerca de 90% das funções da proteção civil são desempenhadas pela sociedade civil, nomeadamente através dos bombeiros voluntários”.

Com base nesses elementos, o candidato adianta que “o CDS-PP assume o compromisso de, em parceria com a Liga dos Bombeiros Portugueses, encontrar soluções que recompensem os bombeiros voluntários pelo serviço público que prestam à comunidade”.

“Os bombeiros voluntários precisam de ser devidamente recompensados pelo Estado. Por exemplo, vamos pensar na hipótese de os bombeiros se tornarem beneficiários do subsistema de saúde da ADSE ou de terem acesso a um estatuto favorecido no processo de aposentação”, adiantou Areia de Carvalho.

A campanha do CDS-PP continua marcada pela proximidade e focada em temáticas que interessam às pessoas e instituições. No próximo sábado, 22 de janeiro, Areia de Carvalho terá a seu lado o líder do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, numa ação de campanha no Mercado Municipal de Braga.

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários de Vi

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários de Vi

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários Famal

Areia de Carvalho na Proteção Civil do distrito

VIZELA: CDU DEFENDE SISTEMA DE PROTECÇÃO CIVIL EFICAZ E QUE VALORIZE OS BOMBEIROS

Uma delegação da CDU que integrou os candidatos Torcato RibeiroJoaquim DanielCatarina Marques e Daniel Marques visitou Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vizela. No curso da visita foram partilhados com a CDU os esforços desta unidade no serviço à comunidade, que as circunstâncias decorrentes da epidemia tornaram ainda mais exigentes.

bombeiros_vizela_.jpg

A CDU destaca, entre as diversas iniciativas apresentadas pelo PCP e pelo PEV na AR, aquelas que, apesar de não terem contado com o voto favorável do PS, foram aprovadas pela Assembleia da Republica:

  1. Apoio Extraordinário de Emergência para as Associações Humanitárias de Bombeiros (AHB) que incluía o reembolso das despesas adicionais relacionados com a pandemia;
  2. Pagamento das dívidas e dos serviços efetuados pelas AHBV a entidades públicas;
  3. Revisão do protocolo entre as AHB o INEM e a ANEPC de modo a cobrir os custos efetivos dos serviços prestados;
  4. Distribuição pela ANEPC dos equipamentos de proteção individual necessários e suficientes para que cada corpo de bombeiros possa cumprir as suas missões no âmbito do COVID-19 em condições de segurança e suportar igualmente os custos do material para a prevenção e mitigação da Covid-19, nas atividades do DECIR;
  5. Recomendação ao Governo para que adote as medidas legislativas e regulamentares necessárias para garantir:
  6. a) A melhoria dos valores e condições de cobertura dos seguros de acidentes pessoais e de acidentes de trabalho dos bombeiros, por morte ou invalidez permanente, incapacidade temporária e absoluta e tratamentos médicos;
  7. b) A incorporação nas apólices de seguro da cobertura dos riscos de contágio por doença infetocontagiosa.

Torcato Ribeiro referiu que “As forças de integram a CDU apresentaram ainda no âmbito do Orçamento de Estado propostas de reforço financeiro dos apoios concedidos às AHB, passando dos 28 Milhões constantes da proposta governamental para 48 milhões de euros; concessão do direito à reforma dos profissionais das AHB; acesso ao gasóleo verde. Estas propostas foram inviabilizadas pelos deputados do PS e PSD.”

Para a próxima legislatura, a CDU defende:

  • Uma política que privilegie a prevenção e a informação à população
  • Revisão da orgânica da Proteção Civil com a participação dos agentes e entidades envolvidas.
  • Criação de serviço autónomo e Comando Nacional de Bombeiros
  • Financiamento do funcionamento de todo o sistema de Protecção civil e bombeiros, com verbas do Orçamento do Estado.
  • Respeito pela autonomia das autarquias e valorização de todos os agentes de Protecção Civil.
  • Um Regime de Financiamento Público Central das AHB por fases, até atingir 75% das necessidades financeiras destas, tendo por base a caracterização de risco da sua área de atuação e os meios humanos e materiais necessários ao cumprimento da sua missão.
  • Inscrever no Orçamento do Estado a verba de 50 milhões de euros para financiamento das AHB.
  • Definir um justo Regime Especial para as Relações Laborais dos trabalhadores das AHB.
  • Melhorar o Estatuto Social do Bombeiro e criação de um regime de benefícios fiscais para os voluntários em corpos de bombeiros das AHB e para as suas respetivas empresas, pela dispensa dos mesmos em períodos de necessidade, no âmbito do socorro às populações
  • Apoiar os Bombeiros Sapadores ao nível da carreira, do estatuto profissional, do regime de aposentação e do subsídio de risco
  • Garantir às AHBV o acesso ao gasóleo verde.

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ESPOSENDE COMEMORAM 131 ANOS DE EXISTÊNCIA

Benjamim Pereira recebe Bombeiros Voluntários de Esposende na comemoração do 131.º aniversário

No dia em que assinalaram o 131.º aniversário, a 6 de janeiro, os Bombeiros Voluntários de Esposende foram recebidos pelo Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

aniversario_BVE.jpg

Na habitual sessão de apresentação de cumprimentos nos Paços do Concelho, o Presidente da Câmara Municipal felicitou a Associação pela passagem de mais um aniversário, aproveitando a oportunidade para saudar os novos órgãos sociais, recentemente eleitos, a quem desejou sucesso. Neles renovou a confiança e a gratidão, pela continua persecução dos valores humanitários dos Bombeiros Voluntários, que são, conjuntamente com os demais agentes de proteção civil, o garante da proteção e segurança da população.

Benjamim Pereira realçou o trabalho exemplar desenvolvido pelos soldados da paz, reconhecido pelo Município de Esposende, também por via dos constantes apoios atribuídos às corporações de bombeiros do concelho. Com efeito, os apoios vão desde o subsídio anual, no valor de 17 500 euros a cada corporação; comparticipação dos custos operacionais das Equipas de Intervenção Permanente (EIP’s); pagamentos dos seguros de acidentes de trabalho, frota automóvel, responsabilidade civil de transporte de doentes e embarcações; apoio no âmbito da formação profissional; limpeza de vias; apoio na recolha de animais feridos; apoios atribuídos aos Bombeiros Voluntários com forma de incentivar o voluntariado; apoio na aquisição de viaturas, material e equipamentos, entre outros apoios extraordinários. Uma postura que se enquadra no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas.

O autarca expressou, ainda, uma palavra de reconhecimento ao Comandante Juvenal Campos, que cessa funções no próximo mês de março, pelo trabalho desenvolvido ao longo das últimas décadas na corporação de Esposende.

Concluiu, manifestando total disponibilidade da Câmara Municipal para continuar a apoiar esta nobre instituição, em resposta ao Presidente da Direção dos Bombeiros Voluntários de Esposende, João Nunes, que apontou os projetos mais prioritários para os novos órgãos sociais e para os quais espera contar com a colaboração do Município. Entre eles destacam-se a criação de uma infraestrutura para a instalação de uma zona de descontaminação, no Quartel dos Bombeiros Voluntários, a possibilidade de criação de uma segunda EIP e a aquisição de uma nova viatura. Na sua intervenção, João Nunes saudou, ainda, o executivo municipal pela recente eleição.

aniversario BVE.jpg

BANDA DOS BOMBEIROS DE FAMALICÃO NOS FINAIS DO SÉCULO XIX

Fotografia de conjunto da Banda da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão (AHBVF), datada de 1898.

Tem legenda. A Banda dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão, composta de «todos os sócios de mérito», formou-se no ano seguinte à fundação da Associação, tendo a sua direcção sido entregue a José Maria da Costa.

O talento dos músicos e a qualidade musical das interpretações sob a batuta do «hábil regente» ultrapassou, em muito pouco tempo, as fronteiras de Vila Nova de Famalicão.

Nas deslocações da Banda na década de 90 do século XIX a Viana do Castelo, Póvoa de Varzim e Porto, as suas atuações foram sempre alvo dos mais rasgados elogios.

Fonte: Arquivo Municipal de Vila Nova de Famalicão

1898_dissemination.jpg

CELORICO DE BASTO INAUGURA OBRAS DE REQUALIFICAÇÃO DO QUARTEL DE BOMBEIROS DA MOTA

No passado sábado, dia 13 de novembro, os Bombeiros Voluntários Celoricenses procederam à inauguração e bênção das instalações recentemente remodeladas da sua secção na Mota.

bombeiros celorico1 (1).jpg

As instalações, estão agora preparadas com as melhores condições para receber os soldados da paz. A secção da Mota foi inaugurada em 1998 para que o socorro estivesse mais próximo da população. Durante vários anos com instalações precárias, cedidas a título gracioso pelo anterior presidente da Junta de Freguesia, a secção da Mota viu o novo quartel construído em 2005.

Casimiro Magalhães Costa, Presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Celoricenses, considera esta obra como “um avanço importante na resolução dos problemas existentes no quartel da Mota. As obras de requalificação incidiram na criação e condições para os Bombeiros que ali trabalham e os novos funcionários que agora ali prestam serviço. O quartel está agora em pleno funcionamento e prestar serviço à população, nomeadamente no transporte de doentes e com perspetivas de crescimento. A direção dos Bombeiros está atenta às necessidades da população e tentará sempre dar a melhor resposta a essas necessidades”.

Fernando Gomes, comandante operacional dos Bombeiros Voluntários Celoricenses, relembrou que nesta área do concelho “temos diariamente umas centenas de crianças nos estabelecimentos de ensino, uma extensão de saúde, um lar de idosos e uma zona Industrial, todas estas infraestruturas têm um grau de risco, porque envolvem um elevado número de pessoas equipamentos, a quem temos que, a qualquer momento, socorrer, com rapidez e eficácia.”

Para José Peixoto Lima “esta é uma obra importante, que serve uma instituição de referência do nosso concelho e como tal serve a nossa comunidade. As condições agora criadas melhoram as condições de segurança e de auxílio à população, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida”.

bombeiros celorico1 (2).jpg

BOMBEIROS SAPADORES DE VIANA DO CASTELO REALIZAM AÇÕES DE CAPACITAÇÃO E FORMAÇÃO

Os Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo estão a receber ações de formação e capacitação em diversas áreas de forma a estarem mais preparados para as mais diversas situações. Na semana passada, realizou-se nas instalações da Companhia de Bombeiros Sapadores um WorkShop/ Demonstração da nova geração de ferramentas elétricas de desencarceramento E3, da marca Lukas.

IMG_20211028_174453.jpg

Na ação, foram ainda disponibilizadas duas viaturas (descontaminadas) pela empresa Recife, sendo que participaram 24 elementos dos Bombeiros Sapadores. Esta ação de capacitação decorre na sequência de outras que se foram realizando ao longo do mês de outubro no âmbito do projeto ARIEM + da CIM Alto Minho, e de processos de recertificação internos, nomeadamente relativos a Acidentes com matérias perigosas – nível I; Acidentes com matérias perigosas – aperfeiçoamento;  Técnicas de salvamento rodoviário em veículos elétricos; e Recertificação de tripulantes de ambulância de transporte.

Nestas quatro ações de capacitação participaram um total de 20 elementos, sendo que ao todo, nas cinco ações de outubro, participaram 44 elementos, perfazendo um total de 588 horas de formação. Para este mês, estão já calendarizadas duas novas ações de formação.

IMG_20211028_183851.jpg

IMG_20211028_172528.jpg

IMG_20211028_174120.jpg

BOMBEIROS SAPADORES DE VIANA DO CASTELO APETRECHADOS COM ATRELADOS DE SOCORRO DE PESSOAS E ANIMAIS NO VALOR DE 100 MIL EUROS

Os Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo receberam, ao longo dos últimos seis meses, um conjunto de diversos atrelados para socorro a pessoas e animais, num investimento que ascende a 100 mil euros por parte do Município.

ABELO0477_equipameto_bombeiros-2.jpg

A companhia de soldados da paz ficou, assim, apetrechada com uma nova viatura automóvel e com uma Unidade Municipal de Intervenção Meio Aquático, Unidade Municipal de Intervenção Meio Contaminado e Unidade Municipal Salvação e Resgate Animal, que permitem aos Bombeiros Sapadores a atuação em casos de inundações, apoio ao combate a incêndios florestais, ficando ainda munidos com tenda de emergência, equipamento sinalização, equipamento de auxílio animal, entre outros.

A tenda, com 38 metros quadrados, foi adquirida para apoio a situações de emergência, podendo funcionar como Posto de Comando ou para apoio a grandes eventos.

Os Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, com a designação original de Companhia da Bomba, foram fundados a 22 de março de 1780. São o terceiro mais antigo corpo de bombeiros do país, logo a seguir aos Sapadores de Lisboa e Porto.

Recorde-se que está em construção a ampliação do Centro Municipal de Proteção Civil, num investimento de mais de 880 mil euros que visa dar melhor resposta aos desafios da atualidade no âmbito da Proteção Civil.

A ampliação do edifício está a ser implantada na parte sul do terreno do quartel dos Bombeiros Sapadores, na contiguidade do atual parque de viaturas. Serão nele instaladas diversas componentes, como o Planeamento Municipal de Emergência (englobando a prevenção e avaliação de riscos e vulnerabilidades; o planeamento e apoio às operações de socorro e a logística); Plataformas de concertação (destinadas a reuniões da comissão municipal de proteção civil, da comissão municipal de defesa da floresta; com as juntas de freguesia e com grupos de trabalho de segurança de eventos desportivos e culturais); Ações de Sensibilização e Formação; Áreas Técnicas; e Centro Municipal de Operações de Socorro – CCOM.

Este novo edifício, que se constituirá como frente urbana, desenvolve-se em dois pisos, sendo no piso térreo implantados os espaços de maior contacto com a população, nomeadamente a Secretaria; Comissão Municipal de Proteção Civil; Sala Polivalente de apoio à emergência; Logística; Chefe de Serviço; Serviços técnicos dedicados ao planeamento, prevenção e avaliação de riscos e vulnerabilidade.

No piso superior serão instaladas zonas eminentemente técnicas, como a Central Municipal de Operações de Socorro; Sala de Situação; Gabinete de Comando; Gabinete de Proteção Civil; Camaratas de comando e vestiários.

ABELO0623_carro_atrelados.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO E BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS AVANÇAM COM GRUPO DE TRABALHO PARA CONSTRUÇÃO DE NOVO QUARTEL

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo e o Presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários assinaram um protocolo de colaboração para a constituição de um Grupo de Trabalho para Construção do Novo Quartel Bombeiros Voluntários.

ABELO0819_protocolo.jpg

De acordo com o protocolo, o documento foi assinado “face às atuais e reconhecidas insuficiências das atuais instalações e espaço adjacente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo para garantir as atividades, funcionamento e missão dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo”.

 O Município de Viana do Castelo e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários indicarão no prazo de quinze dias, após assinatura deste protocolo de colaboração, um representante para o Grupo de Trabalho. O grupo terá como incumbência o estudo e identificação da melhor localização do terreno para a instalação de um novo quartel.

Caberá ao grupo também a identificação e proposta do modelo de financiamento da aquisição/ cedência terreno e modelo de financiamento da construção do novo Quartel dos Bombeiros Voluntários, tendo em conta Orçamento Municipal, o Plano de Recuperação e Resiliência e o novo período de programação comunitário Portugal 2030.

Por fim, o Grupo de Trabalho apresentará um relatório até ao final de dezembro de 2021 ao executivo municipal e à direção da AHBVC com as propostas de localização, modelo de financiamento e programa de trabalhos a implementar.

Fundada a 15 de maio de 1881, a corporação de voluntários surgiu depois de, em 23 abril do mesmo ano, um grande incêndio ter deflagrado num armazém de enxofre que continha 1.016 sacas daquele produto e uma porção de urze seca, que servia para a estivagem de navios. 

Conforme a história dos Bombeiros Voluntários descreve, ao grande incêndio de abril de 1981 “compareceu a Companhia de Bombeiros Municipais com os respectivos aparelhos, quase todo o Regimento de Infantaria 3, muitos guardas da fiscalização externa, e outras pessoas que, sob as ordens imediatas das autoridades, também presentes, principiaram a combater o incêndio, que ameaçava tomar enormes proporções”, mas “os vapores do enxofre a arder espalharam-se de maneira tal que sem o risco de asfixia fulminante ninguém se podia aproximar”.

Assim, “no dia 29 daquele mês, vários cavalheiros da cidade, a fim de combinarem nos meios a adotar para a organização de um corpo de bombeiros voluntários, reuniram-se na casa da Associação Comercial”. Depois, no dia 15 de maio, pelas 11 horas, realizou-se nas instalações do Liceu uma reunião, que foi presidida pelo Governador Civil, Boaventura José Vieira. “Foi apresentado o projeto de estatutos, que foi aprovado, e logo ali foi aberta inscrição de sócios das diversas categorias em que se dividia a Associação”.

ABELO0757_assinatura.jpg

ABELO0798_protocolo.jpg

ABELO0810_protocolo.jpg

PAREDES DE COURA ACOLHE UNIDADE LOCAL DE FORMAÇÃO DE BOMBEIROS DO DISTRITO DE VIANA DO CASTELO

Em mais um esforço financeiro assinalável, na ordem dos 100 mil euros, Paredes de Coura passa a dispor da primeira Unidade Local de Formação para os 12 corpos de bombeiros do distrito de Viana do Castelo, bem como para empresas da região poderem nela preparar os funcionários na formação obrigatória em matéria de riscos e proteção civil. Com esta unidade, que ocupa um terreno com cerca de 12 mil m2 pertencente à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura, o Alto Minho ganha um equipamento que melhor garantirá a segurança de todo o distrito de Viana do Castelo.

foto ULF 1.jpeg

“Este era um sonho antigo dos Bombeiros de Paredes de Coura, que agora se transformou em realidade para todas as corporações de bombeiros do distrito de Viana do Castelo. Esta unidade local de formação será determinante para aumentar a eficácia de intervenção e a segurança dos nossos bombeiros, que todos os dias zelam pela nossa proteção e segurança”, sublinhou Vitor Paulo Pereira, presidente da Câmara de Paredes de Coura, manifestando ainda “a gratidão às muitas empresas que também muito contribuíram para que isso fosse possível. Esta será a nova casa da Federação. Fizemos um grande esforço financeiro, mas os bombeiros de Paredes de Coura e os bombeiros de todo o distrito merecem todo o nosso esforço, que neste caso ganha a forma de gratidão”. 

Uma ideia também reforçada pelo presidente da Federação Distrital de Bombeiros de Viana do Castelo, Germano Amorim, para quem esta nova estrutura “vem preencher uma lacuna do distrito”, permitindo no futuro “realizar simulacros em vários cenários e nos termos mais aproximados à realidade”, da mesma forma que garantirá a “melhor preservação da integridade física destes bombeiros ou de quem quer que venha a recorrer aos serviços de formação desta Unidade Local de Formação do distrito”.

foto ULF 2.jpg

Apoio à indústria na proteção e segurança

Com esta nova unidade local de formação, a Federação Distrital de Bombeiros de Viana do Castelo torna-se pioneira na dinamização de um equipamento deste género, maximizando o investimento e abrindo portas a uma utilização racionada e gerida de forma supraconcelhia. O objetivo fundamental é dar resposta às necessidades formativas dos corpos de bombeiros de todo o distrito, facto potenciado pela centralidade estratégica da sua localização – na União de freguesias de Paredes de Coura e Resende – mas, numa perspetiva de rentabilização do investimento, foi também pensada para permitir o apoio à atividade industrial na área da proteção e segurança.

O investimento inicial de 100 mil euros suportado pelo Município de Paredes de Coura será proximamente reforçado com novas valências. Muito brevemente com uma pista de treinos para condução fora de estrada e, futuramente, a adaptação do ponto de água adjacente à ULF para manobras com mangueiras e trabalho com bombas de água.

Também José Alves, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura, não escondeu o importante passo agora dado para a desejada segurança de todo o distrito de Viana do Castelo: “com um forte empenho dos Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura, com o compromisso da Federação Distrital e de todas as corporações e com o apoio da Câmara Municipal foi possível colmatar uma debilidade que tínhamos. Agora, os bombeiros de todo o distrito têm um local de formação com boas condições e pronto a funcionar”, reforçou.

foto ULF 3.jpeg

Minimiza deslocações à Escola Nacional de Bombeiros

Recorde-se que as Unidades Locais de Formação visam minimizar a deslocação dos bombeiros à Escola Nacional de Bombeiros para obtenção de formação, rentabilizando a formação ministrada com menores custos para todos os intervenientes, na maioria voluntários, proporcionando-lhes horários de formação compatíveis com as suas atividades profissionais.

Esta estrutura financiada pela Câmara Municipal de Paredes de Coura é de capital importância para o distrito, daí as associações humanitárias de Bombeiros Voluntários do distrito de Viana do Castelo e os respetivos Comandantes das corporações de bombeiros terem marcado presença, bem como o Comandante Operacional Distrital.

A ULF reúne características únicas e fundamentais na área formativa. Apesar de estar a apenas a 2,5 quilómetros da vila de Paredes de Coura, com acesso pela EN 306, fica implantada num local afastado de edificações, com envolvente florestal e adjacente a um ponto de água. Assim, além da preparação de combate a situações de incêndio urbano e industrial, permitirá também uma utilização para treino de combate florestal e treino de condução fora de estrada, valências fundamentais para garantir uma formação adequada às características do distrito e às necessidades de todos os corpos de bombeiros.

foto ULF 4.jpg

VIANA DO CASTELO: BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS REFORÇAM APOIO DE EMERGÊNCIA A BANHISTAS NA PRAIA DO CABEDELO

A partir deste domingo, 1 de agosto, os Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo vão reforçar o apoio de emergência a banhistas na Praia do Cabedelo, atendendo à elevada prática desportiva existente na praia, naquele que é um projeto piloto que acontece com o apoio do Município.

KitSur-Cabedelo1x1ABF_5268.jpg

Assim, o Alargamento de Vigilância de Praias e Reforço de Segurança nas Práticas Desportivas Náuticas surge por proposta da Associação Humanitária dos Bombeiros de Viana do Castelo para desenvolvimento de um projeto piloto que assegura uma unidade de socorro imediato, instalada na Praia do Cabedelo, mas com área de abrangência a todas as praias do concelho.

Para o projeto, os Bombeiros Voluntários vão contar com uma tripulação de dois bombeiros com competências técnicas de socorro, uma ambulância de socorro equipada com todo equipamento descrito no regulamento de transporte de doentes urgente/não urgente e um Desfibrilhador Automático Externo (DAE).

Com estes meios pretende-se dar resposta a pequenos acidentes que possam ser solucionados no local, evitando o acionamento desnecessário de meios de socorro, bem como permitir também uma abordagem imediata em situação de paragem cardiorrespiratória com recurso ao Desfibrilhador Automático Externo.

Para os meses de agosto e setembro, a Câmara Municipal vai apoiar a associação com uma verba mensal de 8.500 euros.

Recorde-se que, no âmbito da política de promoção e valorização das potencialidades desportivas, ambientais e turísticas do concelho, da estratégia de Viana do Castelo “Cidade Náutica do Atlântico”, verificou-se, desde o ano de 2017, que em todas as praias de Viana do Castelo houve um incremento significativo de banhistas e praticantes de desportos náuticos (mais de 50%), nas praias vigiadas do concelho ao nível do kitesurf, surf e windsurf.

Esta dinâmica exige do município uma adaptação na estratégia de segurança, vigilância e salvamento, através do reforço dos meios de suporte de socorro imediato, complementando o trabalho desenvolvido pela entidade Coordenada Decimal.

MUNICÍPIO DE VIANA DO CASTELO ABRE CONCURSO PARA 11 RECRUTAS PARA OS BOMBEIROS SAPADORES

A Câmara Municipal de Viana do Castelo vai abrir concurso externo de ingresso para admissão a estágio de 11 recrutas para os Bombeiros Sapadores. De acordo com o aviso, os sapadores têm como objetivo “combater os incêndios; prestar socorro às populações em caso de incêndios, inundações, desabamentos, abalroamentos e em todos os acidentes, catástrofes ou calamidades”.

20180703_bombeiros_municipais_ABELO6415.jpg

Têm ainda como missão prestar socorro a náufragos e fazer buscas subaquáticas; exercer atividades de socorro e transporte de sinistrados e doentes, incluindo a urgência pré-hospitalar; fazer a proteção contra incêndios em edifícios públicos, casas de espetáculos e divertimento público e outros recintos; colaborar em outras atividades de proteção civil; entre outros.

Entre os requisitos gerais, encontra-se a nacionalidade portuguesa, não inibição do exercício de funções públicas ou não interdição para o exercício daqueles que se propõe desempenhar, robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício das funções, bem como o cumprimento das leis de vacinação obrigatória.

No que toca aos requisitos especiais, os recrutas deverão ter entre 18 e 25 anos, ter como habilitações literárias mínimas o 12º ano de escolaridade ou equivalente, ter altura igual ou superior a 1,60 metros. O aviso integral de publicitação dos procedimentos pode ser verificado na página eletrónica do Município de Viana do Castelo.

Os Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, com a designação original de Companhia da Bomba, foram fundados a 22 de março de 1780. São o terceiro mais antigo corpo de bombeiros do país, logo a seguir aos Sapadores de Lisboa e Porto.

Recorde-se que, junto ao quartel da corporação de sapadores, está a surgir a ampliação do Centro Municipal de Proteção Civil, num investimento de mais de 880 mil euros que visa dar melhor resposta aos desafios da atualidade no âmbito da Proteção Civil.

A ampliação do edifício será implantada na parte sul do terreno do quartel dos Bombeiros Sapadores, na contiguidade do atual parque de viaturas. Serão nele instaladas diversas componentes, como o Planeamento Municipal de Emergência (englobando a prevenção e avaliação de riscos e vulnerabilidades; o planeamento e apoio às operações de socorro e a logística); Plataformas de concertação (destinadas a reuniões da comissão municipal de proteção civil, da comissão municipal de defesa da floresta; com as juntas de freguesia e com grupos de trabalho de segurança de eventos desportivos e culturais); Ações de Sensibilização e Formação; Áreas Técnicas; e Centro Municipal de Operações de Socorro – CCOM.

Este novo edifício, que se constituirá como frente urbana, desenvolve-se em dois pisos, sendo no piso térreo implantados os espaços de maior contacto com a população, nomeadamente a Secretaria; Comissão Municipal de Proteção Civil; Sala Polivalente de apoio à emergência; Logística; Chefe de Serviço; Serviços técnicos dedicados ao planeamento, prevenção e avaliação de riscos e vulnerabilidade.

No piso superior serão instaladas zonas eminentemente técnicas, como a Central Municipal de Operações de Socorro; Sala de Situação; Gabinete de Comando; Gabinete de Proteção Civil; Camaratas de comando e vestiários.

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ APOIA SAPADORES FLORESTAIS NO VALOR DE 120 MIL EUROS

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez celebrou protocolos com 4 equipas de Sapadores Florestais, nomeadamente com a Associação Florestal Atlântica, a Associação Florestal do Lima e as Assembleias de Compartes dos Baldios das Freguesias de Cabreiro e Gavieira, no valor de 120 mil euros, as quais realizarão a limpeza de cerca de 40km de estradas, duas vezes por ano.

celebração_protocolos_sapadores.JPG

Os referidos Protocolos têm como principal objetivo a prevenção de incêndios florestais, através da realização de ações de silvicultura preventiva, nomeadamente a criação de faixas de gestão de combustíveis, ações de fogo controlado, vigilância das áreas rurais, assim como ações de primeira intervenção, apoio ao combate e as subsequentes operações de rescaldo e vigilância pós-incêndio.

Considerando ainda que os sapadores Florestais são agentes da Proteção Civil, poderão apoiar em situações como queda de árvores, pequenos deslizamentos de terras, entre outras situações, assim como proceder ao espalhamento de sal na rede viária quando solicitado pelo Serviço Municipal de Proteção Civil.

As equipas de Sapadores Florestais estão integradas no Dispositivo Operacional Municipal, conforme definido no Plano Operacional Municipal (POM), parte integrante do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI) e procedem a ações de 1ª intervenção, vigilância e rescaldo.

celebração_protocolos_sapadores2.JPG

celebração_protocolos_sapadores4.JPG

BOMBEIROS DE ARCOS DE VALDEVEZ RECEBERAM EQUIPAMENTO DE RESGATE

O Presidente da Câmara Municipal, João Esteves, o Vereador da Proteção Civil, Olegário Gonçalves e a CIM do Alto Minho, representada por Alexandra Nogueira, entregaram aos Bombeiros arcuenses Kits de apoio a operações de resgate e salvamento.

entrega de kit bombeiros.JPG

Este momento contou ainda com a presença do Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários arcuenses, Germano Amorim, do Comandante da Corporação Filipe Guimarães e de elementos do Corpo de Bombeiros do concelho.

Entre o material entregue contam-se capacetes de proteção, lanternas frontais, arnês de suspensão, tripé para operações de resgate e uma bobine de corda.

De referir que esta entrega de equipamento surge no âmbito do projeto ARIEM - Assistência Recíproca Inter-regional em Emergências e Riscos Transfronteiriços, através do qual a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), em articulação com os dez municípios do Alto Minho e com a Federação de Bombeiros do Distrito de Viana do Castelo, se encontra a entregar às 12 corporações de bombeiros do Alto Minho, kits de apoio a operações de resgate e salvamento em grande ângulo e kits para intervenção em derrames de matérias perigosas, de forma a reforçar a capacidade operacional das corporações da região.

entrega de kit bombeiros2.JPG

entrega de kit bombeiros3.JPG

entrega de kit bombeiros4.JPG

BOMBEIROS DE PONTE DA BARCA RECEBEM KITS PARA OPERAÇÕES DE RESGATE E SALVAMENTO

Os Bombeiros Voluntários de Ponte da Barca receberam novos equipamentos para operações de resgate e salvamento, ao abrigo do projeto A.R.I.E.M. + “Assistência Recíproca Inter-regional em Emergências e Riscos Transfronteiriços”.

cmpb_bomb_01.jpg

A entrega aconteceu hoje, dia 27 de maio, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Augusto Marinho, o Presidente da Direção da AHBV, Arlindo Bago, os elementos do Comando e em representação da CIM Alto Minho, Alexandra Nogueira.

A ação resulta de uma candidatura da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho que, em articulação com os 10 municípios do Alto Minho e com a Federação de Bombeiros do Distrito de Viana do Castelo, está a implementar o projeto e a entregar kits para operações de resgate e salvamento e para intervenção em derrames de matérias perigosas às 12 corporações de bombeiros do Alto Minho.

Com um investimento de 165 mil euros, a iniciativa pretende “reforçar a capacidade operacional das corporações de bombeiros da região”.

cmpb_bomb_02.jpg

cmpb_bomb_03.jpg

BOMBEIROS DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA RECEBEM NOVOS EQUIPAMENTOS

Corporações dos Bombeiros de Caminha e Vila Praia de Âncora receberam ontem novos equipamentos para operações de resgate e salvamento. A entrega foi possível graças à concretização do projeto ARIEM+ - Assistência Recíproca Inter-Regional em Emergências e Riscos Transfronteiriços que foi delineado no âmbito da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho onde participa a Câmara Municipal de Caminha.

191675481_3947930921928074_7524724516922346945_n.j

191714649_3947930511928115_19271155582749517_n.jpg

191571090_3947930521928114_8633384390529819427_n.j

189884827_3947930498594783_6677740211277585913_n.j

192249978_3947930715261428_2225486167543786138_n.j

189342417_3947930778594755_6803077679712468004_n.j

191758264_3947930701928096_1424629298954980018_n.j

190739750_3947931028594730_8205186370201135439_n.j

191945564_3947931171928049_1050237719997438405_n.j

BOMBEIROS DE CERVEIRA ESTÃO APETRECHADOS COM KITS PARA INTERVENÇÃO EM DERRAMES DE MATÉRIAS PERIGOSAS

Perante o crescimento da dinâmica industrial existente no concelho e a localização geoestratégica entre dois grandes centros económicos complementares, Porto-Vigo, a corporação de Bombeiros de Vila Nova de Cerveira acaba de receber um conjunto de equipamentos e materiais para uma atuação mais eficaz e adequada de eventuais situações de derrame de matérias perigosas. Entrega aconteceu, esta quarta-feira, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Fernando Nogueira, e em representação da CIM Alto Minho, a Dr.ª Alexandra Nogueira.

Bombeiros - Kits matérias perigosas.jpg

A entrega destes kits resulta de uma candidatura da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), em articulação com os dez municípios do Alto Minho e com a Federação de Bombeiros do Distrito de Viana do Castelo, ao programa A.R.I.E.M. + Assistência Recíproca Inter-regional em Emergências e Riscos Transfronteiriços, e cujo objetivo passa pela definição de um plano territorial de emergências transfronteiriças e pela criação de uma rede unificada de comando operacional para a gestão de recursos humanos e materiais em situações de risco que permitam, em conjunto, melhorar a gestão e a coordenação efetiva de emergências.

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira sublinha “a mais valia da especificidade do material adquirido pelo contexto do concelho, isto é, por um lado, a realidade industrial e, por outro lado, as vias de comunicação terrestres, como a proximidade à A3 e à A28, e os constrangimentos provocados pelo não prolongamento da A28 para Norte de Vila Nova de Cerveira, que permitiria aliviar o tráfego, especialmente de veículos pesados de mercadorias que transitam na EN13, muitos dos quais com matérias potencialmente perigosas para as pessoas e para o ambiente”. Fernando Nogueira reiterou, uma vez mais, que “os diversos apoios destinados aos bombeiros voluntários nunca são exagerados quando está em causa um trabalho altruísta e de missão para com a proteção das populações e os seus bens”.

Dos kits entregues aos ‘soldados da paz’ cerveirenses constam vários equipamentos de proteção individual para os operacionais, assim como absorventes, filtros, sistemas de contenção, detetores, materiais hidrofóbicos, entre outros materiais.

A presente candidatura da CIM Alto Minho permitiu apetrechar as 12 corporações de bombeiros do distrito ou com kits de apoio a operações de resgate e salvamento em grande ângulo ou com kits para intervenção em derrames de matérias perigosas, num investimento global de cerca de 165 mil euros.

De sublinhar que o foi ainda desenvolvido em parceria com a Agência Galega de Emergências (AXEGA), na qualidade de beneficiário principal, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), a Direção Geral do Meio Natural - Junta de Castilla e León, a Guarda Nacional Republicana (GNR) e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE VIANA DO CASTELO: 140 ANOS A LUTAR VIDA POR VIDA!

A associação Humanitária de Bombeiros de Viana do Castelo comemora 140 anos de existência. O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa, marcou presença nas comemorações do 140º aniversário da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo.

186544416_4268440393187343_2384700519758181233_n.j

A programação, que assinalou o aniversário dos bombeiros vianenses, prolongou-se ao longo de dois dias e incluiu a bênção de novas viaturas.

O autarca José Maria Costa esteve presente na exposição e visita às viaturas dos Bombeiros Voluntários, que aconteceu junto ao Centro Cultural de Viana do Castelo. Assim, o 140º aniversário foi ainda assinalado com uma romagem ao cemitério, em homenagem aos bombeiros e dirigentes já falecidos.

187717308_4268440386520677_1301590499956832681_n.j

187560137_4268440446520671_8407171670576703452_n.j

187065833_4268440413187341_5988735451195849820_n.j

187163217_4268440456520670_2049772524232108198_n.j

186572626_4268440469854002_8976754195717817977_n.j

187142187_4268440443187338_959255377304160666_n.jp

187254853_4268440463187336_6555756520453154321_n.j

187436528_4268440479854001_3190099803625593783_n.j

186543142_4268440453187337_4512244212093489573_n.j

186965875_4268440673187315_5910074019186568519_n.j

186897574_4268440716520644_7041703020838555401_n.j

187745805_4268440706520645_1931965390505770075_n.j

187160492_4268440729853976_143000703824888120_n.jp

186947493_4268440763187306_2060392728941490429_n.j

186534153_4268440733187309_4656110656770815119_n.j

186913316_4268440759853973_256185362053463154_n.jp

186532571_4268440769853972_780388875229752908_n.jp

186572896_4268440766520639_2277461168911999269_n.j

187377474_4268440973187285_1436958201973602267_n.j

187812346_4268440983187284_3356546896166633048_n.j

VIZELA APRESENTA EQUIPA DE RECONHECIMENTO E AVALIAÇÃO COM DRONE E DA EQUIPA DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEIS FLORESTAIS

A Câmara Municipal e a Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela vão apresentar a equipa de reconhecimento e avaliação com equipamento de drone e a equipa de gestão de combustíveis florestais, no próximo dia 16 de maio, às 11.00h, na Praça do Município.

Limpeza de caminhos florestais - bombeiros volunt

Nesta sessão será ainda assinado o protocolo de atribuição de apoio à Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vizela, no valor de € 5.000,00 para execução dos trabalhos de gestão de combustíveis nos de caminhos florestais e aquisição de um drone para apoio nas intervenções de incêndios rurais.

De destacar que, nos últimos quatro anos, o Município de Vizela apoiou financeiramente os Bombeiros do Concelho em cerca de meio milhão de euros, canalizados para o apoio à sua normal atividade, para assegurar o funcionamento regular e permanente das EIP’s – Equipas de Intervenção Permanente, para o desenvolvimento dos cursos de formação, para execução dos trabalhos de gestão de combustíveis de caminhos florestais, para aquisição de viaturas e agora de um drone, e ainda nestes últimos dois anos para o combate ao COVID-19.

Desde que assumiu funções, que este Executivo Municipal tem assumido a área do Proteção Civil como fundamental na ação autárquica, tendo procedido no início deste mandato ao reforço dos equipamentos da Proteção Civil, com a aquisição de uma viatura 4x4 com diverso equipamento e a constituição da equipa de prevenção de Proteção Civil, que foi também devidamente equipada com o fardamento respetivo.  

Assim, a Câmara Municipal, em parceria com várias entidades, como os Bombeiros Voluntários de Vizela, a Brigada de Sapadores Florestais, e a empresa contratada para o trabalho de gestão de combustíveis/limpeza florestal, têm trabalhado na preparação do período critico de incêndios rurais/florestais, através do planeamento municipal, acautelando uma intervenção mais rápida nos incêndios na sua fase inicial, para assim se limitar o seu desenvolvimento.

De destacar que este Executivo Municipal definiu a área de proteção civil como uma prioridade tendo implementado uma nova política, não apenas ao nível da reorganização do serviço municipal de Proteção Civil, nomeadamente na aquisição de equipamentos para reforçar a sua operacionalidade no terreno junto das populações, mas também no trabalho que tem sido feito em parceria com os Bombeiros Voluntários e a GNR de Vizela.