Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIZELA APOIA BOMBEIROS

Câmara assinou protocolos com Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela

A Câmara Municipal e a Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela assinaram hoje dois protocolos de atribuição de apoio financeiro, de acordo com as deliberações da reunião do executivo municipal de 30 de abril e 14 de maio transato.

ass. RAHBVV.JPG

Um dos protocolos prevê a atribuição de apoio financeiro para o desenvolvimento da atividade de carácter regular dos Bombeiros Voluntários de Vizela e para o desenvolvimento dos cursos de formação.

Foi também assinado o protocolo de atribuição de apoio financeiro na aquisição de um Veículo de Comando e Operações Táticas (VCOT), e apoio para a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (Fatos Nomex) para combate a incêndios urbanos e industriais.

À atribuição destes apoios no valor total de 125.000,00€, acresce ainda o apoio que a Câmara Municipal dá para as EIP - Equipas de Intervenção Permanente, no valor de cerca de 30.000,00€.

Com a atribuição destes apoios, a Câmara Municipal pretende reconhecer a importante missão que é desempenhada pelos Bombeiros de Vizela, em prol da qualidade de vida das populações e do desenvolvimento do nosso Concelho.

RIBA DE MOURO: INSTALADA UNIDADE DE BOMBEIROS ATÉ FINAIS DE SETEMBRO

A secção de Riba de Mouro dos Bombeiros Voluntários de Monção foi inaugurada a 21 de novembro de 1992 numa cerimónia presidida pelo então ministro Luis Marques Mendes. Cerca de década e meia depois, deixou de funcionar e servir a população daquela zona de montanha, a cerca de vinte quilómetros da sede do concelho.

ribamour (1).jpg

Hoje, ao inicio da tarde, numa cerimónia marcada pela informalidade com a presença do autarca monçanense, António Barbosa, elementos da junta de freguesia, direção e corpo ativo dos “soldados da paz”, procedeu-se à instalação de uma unidade de bombeiros de proximidade.

O autarca monçanense, António Barbosa, destacou a importância desta unidade na minimização dos incêndios florestais que, afirmou, constituem um perigo grande para as populações locais e uma perda irreparável em termos ambientais e paisagísticos.

ribamour (2).jpg

Com a imagem dos fogos que deflagraram em Monção no fatídico dia 15 de outubro de 2017 ainda presente na memória, António Barbosa aproveitou também para reafirmar o esforço e dedicação dos “soldados da paz” nos períodos mais quentes do ano, reconhecendo a coragem de cada voluntário(a) na defesa dos monçanenses.

Satisfeito com a presença dos bombeiros em Riba de Mouro, o autarca local, José Manuel Fernandes, considerou a unidade de proximidade uma iniciativa louvável com enorme relevância na salvaguarda da floresta e dos núcleos habitacionais mais isolados da freguesia.

“Embora com caráter temporário, é uma alegria voltarmos a ter bombeiros em Riba de Mouro” sublinhou José Manuel Fernandes, destacando “a total recetividade da junta e da população para que a presença dos bombeiros possa tornar-se permanente”.

Na perspetiva da direção e corpo ativo dos “soldados da paz” monçanenses, a presença física de bombeiros nesta área concelhia é uma mais-valia para as populações locais, O presidente da direção, Paulo Rocha, e o 2º comandante, Hélder Trancoso, observaram que a presente situação contribuirá para uma intervenção mais rápida com consequente diminuição da área ardida e maior segurança das pessoas e bens. 

Constituída por cinco bombeiros apoiados por uma viatura de combate a incêndios florestais, a unidade ficará em Riba de Mouro, durante o período diurno, até ao final de setembro, havendo a possibilidade de prolongamento caso as condições atmosféricas se mantenham elevadas.

Após visita ao edifício de dois andares, objeto de pequenas intervenções para garantir conforto e operacionalidade, António Barbosa pressionou o toque de emergência, ouvindo-se o som da sirene na freguesia. Desta vez, por uma boa causa. No final, registou-se a visita com fotografia coletiva.

ribamour (3).jpg

BRAGA REFORÇA MEIOS DE PROTEÇÃO CIVIL

Unidade Local de Protecção Civil de Pedralva dotada de viatura e equipamento de primeira intervenção

O Município de Braga apresentou, este Sábado, 29 de Junho, a Unidade Local de Protecção Civil (ULPC) de Pedralva. Esta é a primeira ULPC do Concelho dotada com uma viatura ligeira e equipamento para a primeira intervenção em incêndio até à chegada das equipas dos bombeiros.

brapcv (4).jpg

A ULPC de Pedralva tem uma equipa de cinco elementos voluntários da Freguesia, a quem o Município de Braga proporcionou formação e treino adequados. A Autarquia garante também um seguro de acidentes pessoais e o equipamento de protecção individual de acordo com as normas existentes.

Segundo Firmino Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, o grande objectivo é diminuir o tempo de intervenção num incêndio florestal até à chegada dos bombeiros. “Este é o caminho a seguir. Se tivermos na área geográfica do Concelho este tipo de equipas, o trabalho de prevenção e a resposta a um incêndio será mais eficaz”, referiu Firmino Marques, que tutela o Pelouro da Protecção Civil.

brapcv (5).jpg

O vice-presidente da Autarquia enalteceu a responsabilidade social da REN que ofereceu a viatura agora alocada à ULPC de Pedralva. “A viatura é determinante para que esta Unidade funcione e apelamos, não só à REN mas também à EDP que, no caso de renovação das suas frotas, possam sempre que possível disponibilizar este tipo de viaturas que são importantíssimas para este trabalho”, acrescentou.

O Município de Braga, através da sua Divisão de Protecção Civil, tem vindo a desenvolver um trabalho de proximidade com as Juntas de Freguesia do Concelho no sentido de as sensibilizar para a criação de Unidades Locais de Protecção Civil, previstas na Lei de Bases de Protecção Civil.

O Concelho de Braga dispõe já de seis ULPC, nomeadamente Pedralva, S. Victor, Arentim/Cunha, Sobreposta, Nogueira/Fraião/Lamaçães e Espinho.

Estas Unidades têm como missão apoiar e executar a política local, nomeadamente na prevenção de acidentes graves ou catástrofes, promovendo a protecção e socorro das populações, dos bens e do património da freguesia em que se inserem e são presididas pelo Presidente de Junta que assegura a articulação permanente com o Serviço Municipal de Protecção Civil.

brapcv (1).jpg

brapcv (2).jpg

brapcv (3).jpg

CELORICO DE BASTO HOMENAGEIA ANTÓNIO MANUEL MARINHO GOMES

António Manuel Marinho Gomes recebeu medalha de honra do Município de Celorico de Basto

Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Bombeiros Voluntários Celoricenses atribuiu colar de valor e mérito como distinção honorífica

Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa envia mensagem de louvor ao homenageado.

_DSC0350.jpg

Foi numa cerimónia emotiva promovida pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Celoricenses que o Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto atribuiu a medalha de honra do Município ao atual Presidente da Assembleia Municipal e Comandante do Quadro de Honra dos Bombeiros Voluntários Celoricenses, António Manuel Marinho Gomes.

Condecoração proposta a reunião de Câmara de 16 de maio de 2019 e aprovada por unanimidade.

O percurso de vida ímpar de António Manuel Marinho Gomes, enquanto cidadão, autarca e bombeiro, onde ficaram bem vincadas as características de competência e dedicação de bem servir a comunidade e os seus cidadãos, foram o mote para a atribuição desta condecoração.

“O comandante como será sempre tratado, é um grande homem, um grande bombeiro, um grande amigo e um grande celoricense. Testemunho o seu percurso enquanto autarca, um percurso que presenciei, um percurso incomparável e devo aferir que nunca, durante todos estes anos, desde 1994, tivemos qualquer chatice. É um homem que pauta pela frontalidade, pela determinação e ao mesmo tempo sabe ser sensato, razoável, e que vive este concelho”, disse joaquim Mota e Silva, Presidente do Município. O autarca disse que não há ninguém a amar mais este concelho como o Comandante, “podem amar de igual forma, mas não podem amar mais esta terra, estas gentes, como ama o nosso Toninho Marinho. E esta afeição, esta dedicação, esta forma abnegada de dar tudo por cada um foi uma das razões pelo qual o Executivo da Câmara Municipal deliberou atribuir esta medalha de honra. É uma homenagem mais que justa a um homem que teve uma carreira ímpar de dedicação a Celorico de Basto, um bombeiro extraordinário, que encontrou tempo para se dedicar à causa pública, como autarca. E apesar de tudo o que possamos fazer nunca iremos conseguir homenagear este homem como ele de facto, merece. Um homem humanista, solidário, amigo, próximo, de um valor incalculável nas suas várias dimensões e nós, o bom povo desta terra, ficaremos eternamente gratos e reconhecidos por tudo o que fez por esta terra”.

Joaquim Mota e Silva fez questão de lembrar a importância da família do homenageado, a esposa e os três filhos, que sempre acompanharam e apoiaram a sua caminhada e que continuam a ser o alicerce nas conquistas diárias.

_DSC0158.jpg

Várias individualidades marcaram presença nesta cerimónia, que sucedeu à tomada de posse do novo comandante dos BVC, Fernando António Marinho Gomes, o novo 2º comandante, Tiago Manuel Marinho Carvalho e o Adjunto de Comando, Raul Fernando Nogueira Fraga.  Entre as individualidades destaque para a presença do Presidente da Assembleia geral da AHBVC, José Marcelino Mota, o representante da liga dos bombeiros de Portugueses, Provedor Fernando Vilaça, a 2ª comandante distrital, Marinha Esteves e o Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Braga, Jorge Machado. Destaque ainda para a presença de outras corporações de bombeiros que quiseram vir prestar a sua homenagem.

_DSC0225.jpg

O Presidente da direção da AHBVC, Fernando Freitas, referiu que esta é “uma homenagem entre os seus homens, colegas, dirigentes, bombeiros, familiares e amigos. Foi há 42 anos que um jovem celoricense, cheio de sonhos, ávido para ajudar o próximo, entrou no quarte dos bombeiro como aspirante, em 1983 passou a bombeiro de 3ª classe e em 1994 foi nomeado 2º comandante. Um percurso exemplar que o levou a comandante, em maio de 1999, cargo que ocupou até 4 de dezembro de 2018 e que culminou por limite de idade, tendo, por isso, passado ao quadro de honra. Foi agraciado por diversas vezes com louvores e condecorações, por ser um exemplo do que deve ser um cidadão voluntário e ao serviço da causa pública. Um homem simples, determinado, que deu a vida ao corpo os bombeiros, que se destacou e destaca pelas suas qualidades pessoais, de altruísmo, de competência”. Fernando Freitas, visivelmente comovido disse que “o nosso comandante sempre procurou que esta corporação fosse a melhor prestando um serviço notável à população e terminada a sua missão no corpo ativo regressou à sua vida com naturalidade de quem não reclama glórias ou louvores. Um homem dotado de espirito de sacrifício, grande na humildade e no carácter e estou certo que, continuaremos a sentir a sua força e recordaremos com respeito e gratidão a sua abnegação o seu espirito voluntário na salvaguarda de pessoas e bens”.

_DSC0289.jpg

Terminado o discurso sentido e lida a proposta de concessão de distinção honorífica, o Presidente da Direção e convidados colocaram o colar de valor e mérito desta associação, no homenageado.

Um dia marcante para todos os envolvidos mas mais marcante para o homenageado, António Manuel Marinho Gomes. “Agradeço a presença de todos e agradeço especialmente por tudo aquilo que foi dito sobre da minha pessoa, mas nada seria possível sem o apoio, colaboração e lealdade dos meus Homens. Sem estes bombeiros que me apoiaram ao longo destes 42 anos nada seria possível. Foi tudo muito bom e não posso deixar de lembrar o meu trabalho como codis, um cargo que me deu muita experiência que fui fundamental para desempenhar as minhas funções da melhor forma. Agora, por limite de idade tive que passar a pasta e desejo a todos os que foram hoje empossados que consigam desempenhar as funções que lhe foram confiadas da melhor forma, um cargo difícil mas estou certo que irá a bom porto”. António Manuel Marinho Gomes, não pode deixar de realçar as dificuldades que os corpos de bombeiros vivem, sobretudo para ocupar cargos de responsabilidade, “as solicitações são tantas que, é cada vez mais difícil a disponibilidade para o voluntariado”. Realçou a importância de uma boa colaboração entre o comando e a direção, “só posso agradecer toda a colaboração que tive durante 30 anos com a direção, com alguns arrufos, claro está, mas sempre com lealdade e muito trabalho. Foram mais de 30 anos de trabalho em prol dos bombeiros, da sociedade Celoricense para que o nome de Celorico fosse honrado e merecesse o respeito das gentes e dos bombeiros de Portugal, e estou certo que assim continuará. Quero, por fim, agradecer à minha família, principalmente à esposa e filhos, pelo tempo que lhes roubei, mas foi por uma boa causa, foi para servir os bombeiros, a comunidade celoricenses na sua salvaguarda, dos seus bens e património, e peço-vos, continuem a lutar pelo associativismo, pelo voluntariado pelos bombeiros de Celorico e do país”.

_DSC0294.jpg

_DSC0379.jpg

_DSC0405.jpg

_DSC0432.jpg

ALUNOS DE VIZELA APOIAM BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS

Alunos do Pré-escolar ofereceram cheque aos Bombeiros Voluntários

No âmbito do projeto "Ter Ideias para Mudar o Mundo", promovido pela Comunidade Intermunicipal do Ave, em parceria com a Associação Coração Delta – Centro Educativo Alice Nabeiro, e com base  na temática "Primeiros Socorros/Suporte Básico de Vida"as  crianças da Sala 7 do pré - escolar da Escola Básica Domingos de Abreu tem vindo a desenvolveu o projeto - "ASAS" Ajudar/Salvar/Aprender/Saber.

DSC_5942-1.JPG

 Neste Sentido, hoje, dia 6 de junho este grupo procedeu à entrega de um "Cheque" no valor de 500,00€ à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vieira do Minho.

Nesta cerimónia simbólica, para além dos alunos, esteve presente, o presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, António Cardoso, o representantes dos pais e o comandante dos Bombeiros Voluntários, Ricardo Dias.

Refira-se que o projecto ASAS foi desenvolvido por crianças com três anos de idade com o objetivo de desenvolver competências, capacidades e atitudes impulsionadoras do espírito empreendedor.

De salientar, ainda que este projecto irá representar Vieira do Minho, no Seminário Final - “ Ter ideias para Mudar o Mundo” que vai decorrer no dia 15 de Junho, em Fafe.

MUNICÍPIO DE BARCELOS RERCEBE MENÇÃO HONROSA DA LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES

A Câmara Municipal de Barcelos foi distinguida com a Menção Honrosa do Prémio Bombeiro de Mérito atribuído pela Liga dos Bombeiros Portugueses. O galardão foi entregue domingo, dia 26 de maio, ao Vereador da Câmara Municipal, José Beleza, durante a cerimónia comemorativa do Dia do Bombeiro Português, que decorreu em Leiria. Para além da autarquia foi ainda galardoada com a menção Personalidade Empresarial, a empresa BECRI – Confeções S.A.

CapturarBOmbra.PNG

Segundo José Beleza, foi com “especial satisfação, orgulho e motivação que recebi, em nome do Município de Barcelos, a Menção Honrosa”. “É um reconhecimento que muito nos honra pelo trabalho que desenvolvemos em conjunto com as corporações de bombeiros do concelho em prol da segurança e bem-estar da nossa população”. O Vereador aproveitou ainda a oportunidade para saudar “o trabalho e o espírito de altruísmo e abnegação dos bombeiros do concelho”.

A proposta para a atribuição do prémio foi apresentada pela Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Barcelinhos, que destaca o apoio da autarquia aos corpos de bombeiros. O Município de Barcelos, reconhecendo o trabalho das associações de bombeiros voluntários do concelho e as suas condições e necessidades operacionais, tem vindo a reforçar os apoios aos Bombeiros, que se concretizam em diversas áreas, quer ao nível do funcionamento corrente, quer no domínio do investimento qualificador.

CapturarBObra2.PNG

ESPOSENDE APOIA BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS

Município apoia Bombeiros Voluntários de Esposende e ACICE

O Município de Esposende vai atribuir um apoio financeiro de 50 mil euros à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Esposende para comparticipação dos custos das obras de remodelação e requalificação do Quartel, de acordo com deliberação aprovada, por unanimidade, em reunião do executivo municipal.

BVE.jpg

O edifício, construído há mais de 30 anos, necessitava de uma intervenção urgente de reabilitação com vista à melhoria das condições de trabalho dos diversos elementos daquela corporação. Assim, além do equipamento da central operacional dos bombeiros, procedeu-se à criação de uma camarata feminina e de salas de formação e à requalificação dos balneários.

Ciente do relevante papel dos bombeiros voluntários no plano da proteção civil e da necessidade de a corporação estar preparada e equipada para o cabal exercício das funções que lhe estão destinadas, o Município atendeu a mais esta solicitação da instituição.

Recorde-se que, além do subsídio anual de 17 500 euros, a Câmara Municipal mantém um apoio permanente, tando aos Bombeiros Voluntários de Esposende como aos de Fão, nomeadamente na compra de viaturas e de outros equipamentos, entre outros. O Município assume, ainda, os encargos com os seguros das corporações, num investimento global anual de 18 745 euros, relativos a acidentes de trabalho, frota automóvel, responsabilidade civil de transporte de doentes e das embarcações.

No que se refere à corporação de Esposende, a Câmara Municipal mantém um protocolo de colaboração com vista à formação, em matéria de segurança, dos trabalhadores municipais, das Escolas Básicas e Jardins-de-Infância e das Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho. Os Bombeiros de Esposende asseguram, ainda, o acompanhamento da revisão e elaboração das Medidas de Auto Proteção de todos os edifícios municipais e realizam simulacros, mediante a comparticipação financeira do Município no valor de 15 mil euros.

Com a Benemérita Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Fão o Município tem estabelecido um protocolo para a recolha e transporte de animais errantes feridos e doentes e adequado encaminhamento para o Canil Intermunicipal, que se traduz no valor global de aproximadamente 7 mil euros.

Ainda em matéria de apoios financeiros, na mesma reunião camarária, o executivo municipal fixou em 17 500 euros o valor da comparticipação financeira anual à ACICE - Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende, ao deliberar proceder à alteração dos termos do Acordo de Cooperação para Apoio ao Empreendedorismo, Formação e Emprego, Inovação e Promoção Empresarial.

No cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, o Município está, por esta via, a concretizar as metas Saúde de Qualidade (ODS 3), Igualdade de Género (ODS 5), Trabalho digno e crescimento económico (ODS 8), Indústria, Inovação e Infraestruturas (ODS 9), Cidades e Comunidades Sustentáveis (ODS 11) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS17).

acice.jpg

SAPADORES FLORESTAIS COMEMORAM EM CERVEIRA O SEU DIA NACIONAL

ICNF assinala Dia Nacional do Sapador Florestal com encontro distrital em Cerveira

Cerca de 130 sapadores florestais afetos às 26 equipas do distrito de Viana do Castelo estiveram reunidos, esta terça-feira, numa ação de formação promovida pelo ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas no âmbito do Dia Nacional do Sapador Florestal. O Aeródromo de Cerval foi o palco escolhido para este encontro, dada a criação do Centro Intermunicipal de Proteção Civil do Alto Minho.

IMG_1541.jpg

Por decisão da Assembleia da República, a partir de 2004, o dia 21 de maio passou a ser considerado Dia Nacional dos Sapadores Florestais, reconhecendo a importância e o papel ativo destas equipas na preservação do património floresta nacional.

Este ano, o ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas optou por dinamizar uma sessão comemorativa no concelho de Vila Nova de Cerveira, reunindo todas as equipas de Sapadores Florestais do Alto Minho no futuro Centro Intermunicipal de Proteção Civil do Alto Minho.

Após recentemente ter dotado as equipas de Sapadores Florestais com rádios SIRESP - complementando com os até então emprestados pela GNR -, o ICNF aproveitou esta oportunidade para prestar esclarecimentos e dissipar dúvidas, de modo a promover a melhor utilização do equipamento. A vertente teórica serviu para aprimorar alguns conceitos e normas gerais para a existência de comunicações eficientes e eficazes, enquanto na prática realizaram-se alguns testes.

O representante do ICNF, Eng.º Marcos Coutinho, sublinhou uma mais-valia para o trabalho dos sapadores florestais “que estão no terreno ao longo de todo o ano”, anunciando ainda que, nos próximos meses, a entidade vai proceder à substituição de seis viaturas das equipas que operam no distrito, entre a 9ª e 15ª, e assim sucessivamente”.

ARCOS DE VALDEVEZ APOIA RECUPERAÇÃO DO QUARTEL DE BOMBEIROS

Apoio de 295 mil euros para a 2ª fase do Quartel dos Bombeiros

A Câmara Municipal e os Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez celebraram no passado domingo, 5 de maio, os 130 anos de existência da Associação com a assinatura de um protocolo de colaboração no valor de 295 mil euros, visando apoiar a segunda fase das obras de recuperação do seu Quartel, cujo orçamento ascende a 459.88,31€.

59574157_2571607802849885_368167929507741696_o.jpg

A requalificação do Quartel é resultado de uma parceria entre a Câmara Municipal e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, realizada a pensar na melhoria e reforço dos equipamentos e condições de proteção dos arcuenses e daqueles que visitam o concelho. Através dela também será possível requalificar a envolvente do mesmo.

A Câmara Municipal tem estado sempre próxima desta Associação desde o início do processo, ajudando-a na primeira fase da obra, apoiando na elaboração da candidatura e na fiscalização da obra, bem como através da atribuição de um montante financeiro de 105 mil euros.

Para além disso, todos os anos é celebrado um protocolo de apoio à atividade no valor de 60 mil euros, e um outro no valor de 25 mil euros para apoiar a EIP – Equipa de Intervenção Permanente, implementada e a funcionar através da congregação de esforços entre entidades.

Estes investimentos por parte do Município refletem a preocupação e atenção relativamente à Proteção Civil, Socorro e Segurança das populações e dos seus bens.

57426232_2571607742849891_3331961144913952768_o.jpg

59532332_2571607646183234_796240641225916416_o.jpg

59546597_2571607576183241_3305291008618528768_o.jpg

DR. ARTUR FERREIRA COIMBRA RECEBE PRÉMIO LITERÁRIO A. LOPES DE OLIVEIRA

Prémio Literário A. Lopes de Oliveira distingue obra de Artur Ferreira Coimbra sobre os Bombeiros Voluntários de Fafe

O Júri do Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Câmara Municipal de Fafe – Estudos Histórico-Sociais de Âmbito Local ou Regional e respeitante a obras publicadas nos anos de 2017 e 2018, deliberou, por unanimidade, atribuir o Prémio à obra historiográfica Bombeiros Voluntários de Fafe – Uma História de Heroísmo desde 1890, de Artur Ferreira Coimbra, “pela qualidade de escrita e imagem e carácter abrangente e exaustivo da obra”, decisão aprovada pela Câmara Municipal de Fafe.

ND5_6600.JPG

A cerimónia de entrega do Prémio ocorre no próximo dia 25 de Abril, no âmbito da sessão solene comemorativa da efeméride, que se realiza a partir das 11h00 da manhã, no Teatro-Cinema de Fafe.  

O Júri integrou os Professores José Viriato Capela, docente da Universidade do Minho, José Carlos Meneses e João Carlos Pascoinho, ambos docentes do Instituto de Estudos Superiores de Fafe.

Bombeiros Voluntários de Fafe – Uma História de Heroísmo desde 1890 é uma obra de investigação que tece todo o historial de quase 130 anos da humanitária associação fafense e que foi publicada em Novembro de 2017, tendo sido apresentada no âmbito de um sarau solidário, ao qual esteve presente o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Comandante Jaime Marta Soares.

Por essa mesma obra, o historiador Artur Coimbra foi agraciado há um ano com o Crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses, a mais alta condecoração desta entidade.

O Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Câmara Municipal de Fafe, instituído em 1983, é atribuído de dois em dois anos e visa estimular a publicação de estudos histórico-sociais das realidades de determinada localidade ou região portuguesa, no quadro do aprofundamento da matriz regional e local do nosso país.

BOMBEIROS - CAPA.jpg

TERRAS DE BOURO REALIZA SIMULACRO DE ACIDENTE EM AMBIENTE ESCOLAR

Simulacro no Agrupamento de escolas de Terras de Bouro

O Município de Terras de Bouro, juntamente com o Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro, Bombeiros Voluntários e a Guarda Nacional Republicana, realizou um simulacro de acidente. O cenário passou por um incêndio num dos laboratórios de informática da escola. O objectivo desta atividade passou por treinar, formar e rotinar a comunidade escolar para os Procedimentos de Evacuação constantes no Plano de Emergência Interno da Escola em caso de ocorrência de incêndio.

IMG_4832.JPG

Meios envolvidos:

  • Agrupamento de Escola de Terras de Bouro
  • Município de Terras de Bouro – Serviço Municipal de Proteção Civil
  • Corpo de Bombeiros de Terras de Bouro
  • Guarda Nacional Republicana – PT de Terras de Bouro
  • IMG_4811.JPG

    IMG_4812.JPG

    IMG_4816.JPG

    IMG_4819.JPG

    IMG_4821.JPG

    IMG_4822.JPG

    IMG_4824.JPG

    IMG_4825.JPG

    IMG_4830.JPG

    IMG_4840.JPG

    IMG_4842.JPG

    IMG_4859.JPG

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE APOIA BOMBEIROS DE ESPOSENDE E FÃO

De acordo com deliberação aprovada em reunião do executivo, por unanimidade, a Câmara Municipal de Esposende aprovou a concessão de um apoio financeiro, no montante de 17 500 euros a cada uma das corporações de bombeiros voluntários do concelho, designadamente Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Esposende e Benemérita Associação dos Bombeiros Voluntários de Fão.

DSC00306.JPG

Em causa está o apoio à missão dos soldados da paz no plano da Proteção Civil e o serviço que prestam ao nível da prevenção, proteção e socorro e reposição da normalidade da vida das pessoas em áreas afetadas por acidentes e catástrofes.

Esta verba, que o Município tem vindo a atribuir anualmente, configura um dos diversos apoios municipais concedidos às duas corporações concelhias. Com efeito, a autarquia, dentro da sua disponibilidade financeira, tem comparticipado financeiramente a aquisição de viaturas e de outros equipamentos e a requalificação das instalações dos bombeiros, para além de atender a outras solicitações.

A Câmara Municipal assume igualmente todos os encargos financeiros relativos aos seguros de acidentes de trabalho, frota automóvel, responsabilidade civil de transporte de doentes e de embarcações das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários do concelho, num investimento anual global de 18 745 euros.

Referência também para a recente criação de duas Equipas de Intervenção Permanente (EIP) no concelho, que implica uma comparticipação anual do Município de 70 000 euros (35 000 euros a cada corporação). As EIP são equipas profissionalizadas compostas por cinco elementos e visam assegurar, em permanência e em prontidão, as missões de proteção civil e de socorro às populações, designadamente no combate a incêndios, socorro às populações em caso de incêndios, inundações, desabamentos, abalroamentos e em todos os acidentes ou catástrofes, bem como o socorro a náufragos, socorro complementar, em segunda intervenção, desencarceramento ou apoio a sinistrados no âmbito da urgência pré-hospitalar, não podendo substituir-se aos acordos com o instituto nacional de emergência médica. As EIP atuam, ainda, na minimização de riscos em situações de previsão da ocorrência de acidente grave e colaboração em demais atividades de proteção civil, no âmbito do exercício das funções específicas que são cometidas aos corpos de bombeiros.

Refira-se, ainda, que o Município tem também estabelecidos com os Bombeiros de Esposende e de Fão protocolos de cooperação, respetivamente para as áreas da formação e para a recolha e transporte de animais errantes feridos, que implicam a respetiva comparticipação financeira.

ambulância BVFão.jpg

SAPADORES FLORESTAIS DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO AVE RECEBEM VIATURA

A viatura devidamente equipada foi entregue à equipa de sapadores do concelho de Vieira do Minho que, em conjunto com as equipas de Cabeceiras de Basto e de Mondim de Basto constituem a Brigada de Sapadores Florestais da Comunidade Intermunicipal do Ave.

56428421_1422721307869696_1629665120730742784_n.jpg

O presidente do Município de Vieira do Minho, António Cardoso, entregou a chave da viatura à nova equipa que, a partir deste momento, se junta às três equipas já existentes no concelho.

Esta nova equipa de sapadores florestais vai receber formação específica durante o mês de abril, para, de seguida, iniciar o trabalho de silvicultura e prevenção no território de Vieira do Minho e, quando necessário nos concelhos vizinhos de Cabeceiras de Basto e Mondim de Basto.

SAPADORES FLORESTAIS DO AVE RECEBEM NOVA VIATURA

Sapadores Florestais da CIM do Ave recebem viatura

A viatura devidamente equipada para a prevenção e primeira intervenção em incêndios rurais, foi hoje, dia 2 de abril, entregue à equipa de sapadores de Cabeceiras de Basto que, conjuntamente com as equipas de Vieira do Minho e de Mondim de Basto compõem a Brigada de Sapadores Florestais da CIM do Ave, sediada em Cabeceiras de Basto.

Sapadores Florestais da CIM do Ave recebem viatura.JPG

No momento de entrega do veículo aos sapadores marcaram presença o vice-presidente da Câmara Municipal, Dr. Mário Machado, os vereadores Dra. Carla Lousada e Eng.º Pedro Sousa, bem como o responsável pelo Gabinete Técnico Florestal, Eng.º Luís Freitas.

De salientar que os sapadores florestais vão receber neste mês de abril formação específica, teórica e prática, para poderem, de seguida, dar início ao trabalho de prevenção em todo o território da CIM do Ave, sob orientação da chefe de brigada, Engª Florestal Daniela Martins.

ESPOSENDE AGRADECE A TODOS QUANTOS COMBATEM O FOGO QUE ESTÁ A LAVRAR NO CONCELHO

AGRADECIMENTO

O Município de Esposende vem, por este meio, apresentar o agradecimento público a todas as corporações, instituições, entidades, empresas e cidadãos que estão a colaborar no combate ao incêndio que, desde a passada terça-feira, assolou uma considerável zona florestal do nosso concelho, nomeadamente:V. de Esposende, B. V. de Fão, B. V. de Barcelos, B. V. de Barcelinhos,  B. V. de Viatodos, B. V. da Póvoa de Varzim, B. V. da Póvoa de Lanhoso, B. V. Famalicenses, B. V. de Famalicão, B. V. de Amares, B. V. Tirsenses, B. V. Riba de Ave, Força Especial de Bombeiros, Cruz Vermelha, Autoridade Nacional de Proteção Civil, Associação Florestal do Cávado e ICNF (através da equipa de sapadores florestais), GNR em todas as suas forças (Gips, Sepna, Territorial), agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio, Esposende Ambiente, Juntas de Freguesia e EB António Rodrigues Sampaio. Um agradecimento, também, às empresas Boaventura e Boaventura, Lda e ao supermercado Barbosa e Miranda.

De realçar, ainda, a forma ordeira como a população acatou as recomendações das autoridades, cooperando e ajudando no combate às chamas, não havendo feridos a registar.

cmeespo (1).jpg