Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ATLETAS ARCUENSES DESTACAM-SE NA MODALIDADE DE KAYAK POLO

2 atletas do Clube Náutico na seleção nacional de Kayak polo

As Equipas Nacionais Sénior e Sub-21 de Kayak-Polo deslocaram-se à Bélgica para participar na 2ª Taça de Kayak-Polo da Associação Europeia de Canoagem (ECA CUP), que é também a 26ª edição do Torneio Internacional “Flandres Cup”, o último grande momento competitivo antes da realização do Campeonato do Mundo da especialidade, que decorrerá no Canada de 31 de julho a 5 de agosto.

36340003_1863529687019100_4153886910340661248_n

Na categoria Sénior, a comitiva portuguesa contou com jogadores de vários clubes, entre eles os arcuenses Daniel Silva e Filipe Silva, que representam o Clube Náutico de Arcos de Valdevez.

No torneio estiveram presentes 13 equipas, tendo a equipa nacional ficado num grupo muito difícil, constituído por Portugal, Espanha (Campeões da Europa 2017), Alemanha (Vice-Campeões da Europa 2017) e França “B”.

Em termos desportivos, as coisas não correram bem aos portugueses, pois não ganharam nenhum jogo, ficando em último lugar do torneio. De referir, que a equipa portuguesa estava privada de três atletas fundamentais, que já estarão presentes no mundial, assim com os dois arcuenses.

Os Sub-21 conseguiram posicionar-se em nono lugar.

De referir, que a Câmara Municipal tem apoiado a atividade deste Clube Náutico, o qual tem promovido a modalidade com excelentes resultados, como esta da participação de dois atletas na seleção nacional de kayak Polo, entre outras, através da aquisição de viatura de transporte para os atletas.

7533

DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRUXELAS TERRAS DE MONTE LONGO

No passado sábado (28 de abril), o historiador português Daniel Bastos apresentou o seu mais recente livro “Terras de Monte Longo” na capital da Europa.

LUS_7552

A obra, concebida a partir do espólio de um dos mais aclamados fotógrafos portugueses da sua geração, José de Andrade (1927-2008), fotógrafo de renome internacional, premiado e exposto em vários cantos do mundo, foi apresentada na livraria portuguesa “La petite portugaise”, um novo espaço cultural de referência da comunidade lusa em Bruxelas, junto das instituições europeias.

A apresentação da obra, uma edição trilingue traduzida para português, francês e inglês com prefácio do conhecido fotógrafo franco-haitiano que imortalizou a história da emigração portuguesa, Gérald Bloncourt, esteve a cargo de Francisco Barros Castro, Economista na Comissão Europeia.

LUS_7528

A contar da esquerda, Francisco Barros Castro, Economista na Comissão europeia, o historiador Daniel Bastos, e Eduarda Ribeiro e Annarita Esposito, colaboradoras da livraria “La petite portugaise

 

No decurso da sessão de apresentação, que foi abrilhantada com música tradicional do Norte de Portugal, executada em cavaquinho por António Fernandes, o economista Francisco Barros Castro destacou o contributo do livro, em particular, e dos trabalhos desenvolvidos por Daniel Bastos ao longo dos últimos anos, em geral, na preservação dos modos de vida e das memórias relacionadas com o património cultural, material e imaterial das comunidades locais  do norte de Portugal, elementos importantes de construção identitária individual e coletiva, que são conjugados com uma dedicada divulgação junto das comunidades portuguesas.

Refira-se que neste novo livro, realizado com o apoio do Centro Português de Fotografia, instituição pública que assegura a conservação, valorização e proteção legal do património fotográfico nacional, o investigador da nova geração de historiadores portugueses, cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, esboça um retrato histórico conciso e ilustrado do interior norte de Portugal em meados dos anos 70.

Através de imagens até aqui inéditas, que José de Andrade captou nessa época em povoados rurais entre o Minho e Trás-os-Montes, o historiador e autor de livros sobre a emigração, aborda as memórias do passado, não muito distante, do Portugal profundo e rural na transição da ditadura para a democracia, um período fundamental da história contemporânea portuguesa, marcado por décadas de carências, isolamento, condições de vida duras e incontáveis episódios de emigração “a salto”.

Refira-se que esta iniciativa cultural na livraria “La petite portugaise”, enquadra-se num conjunto de várias sessões de apresentação da obra que estão a ser realizadas, ao longo do presente ano, no seio das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro.

LUS_7474

LUS_7547

LUS_7558

LUS_7598

MANNEKEN PIS EM BRUXELAS TRAJADO À MINHOTA

O monumento Manneken Pis – garoto a urinar – é o ex-líbris da cidade de Bruxelas, na Bélgica. Ele representa uma pequena fonte em bronze mostrando uma criança a urinar para a bacia da fonte.

Capturarbru

Na realidade, trata-se na realidade de uma réplica do original, da autoria do escultor Jerôme Duquesnoy, e que actualmente se encontra na Maison du Roi em virtude de, após várias tentativas de roubo por parte dos exércitos francês e britânico em 1745, ter por fim sido roubada por um antigo condenado que a despedaçou.

Por ocasião das festividades locais, a pequena estátua é vestida sob diferentes disfarces, tendo em 28 de Abril de 2007 a comunidade portuguesa radicada na Bélgica decidido trajá-lo com traje domingueiro à moda do Minho. 

Decorrida mais de uma década, os minhotos decidiram voltar a trajá-lo à moda do Minho, conforme se pode ver pela imagem produzida pelo fotógrafo Tony da Luso Produxctions que aqui reproduzimos.

DANIEL BASTOS LEVA A BRUXELAS “TERRAS DE MONTE LONGO”

No dia 28 de abril (sábado), é apresentada em Bruxelas o livro Terras de Monte Longo”.

A obra, concebida pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio de um dos mais aclamados fotógrafos portugueses da sua geração, José de Andrade (1927-2008), fotógrafo de renome internacional, premiado e exposto em vários cantos do mundo, é apresentada às 15h00 na livraria portuguesa “La petite portugaise”.

Daniel Bastos

A apresentação da obra, uma edição trilingue traduzida para português, francês e inglês com prefácio do conhecido fotógrafo franco-haitiano que imortalizou a história da emigração portuguesa, Gérald Bloncourt, estará a cargo de Francisco Barros Castro, Economista na Comissão Europeia.

Neste novo livro, realizado com o apoio do Centro Português de Fotografia, instituição pública que assegura a conservação, valorização e proteção legal do património fotográfico nacional, Daniel Bastos esboça um retrato histórico conciso e ilustrado do interior norte de Portugal em meados dos anos 70.

Através de imagens até aqui inéditas, que José de Andrade captou nessa época em povoados rurais entre o Minho e Trás-os-Montes, o historiador e autor de livros sobre a emigração, aborda as memórias do passado, não muito distante, do Portugal profundo e rural na transição da ditadura para a democracia, um período fundamental da história contemporânea portuguesa, marcado por décadas de carências, isolamento, condições de vida duras e incontáveis episódios de emigração “a salto”.

Segundo Gérald Bloncourt, neste livro ilustrado pela objetiva humanista de José de Andrade, são-nos reveladas “fotografias sentidas de Portugal, do seu povo, da sua história”, repletas de “sentimentos de dignidade evidenciados por uma forma de estar serena e humana”.

Refira-se que esta iniciativa cultural na livraria “La petite portugaise”, um novo espaço cultural de referência da comunidade portuguesa em Bruxelas, junto das instituições europeias, enquadra-se num conjunto de várias sessões de apresentação da obra que serão realizadas, ao longo do ano, no seio das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro.

CA 7217 Capa Terras Montelongo copy.cdr

CA 7217 Capa Terras Montelongo copy.cdr

DELEGAÇÃO DE PONTE DE LIMA NO PARLAMENTO EUROPEU

Uma delegação de uma dezena de Limianos visitou recentemente a sede do Parlamento Europeu em Bruxelas, no âmbito dum programa que incluiu eventos enogastronómicos, não fosse o grupo constituído por alguns empresários e profissionais do sector da restauração.

Capturarpl

A comitiva foi acolhida na sede da Europa pelo gabinete do eurodeputado português Nuno Melo, seguindo-se o almoço – convívio. No final, ciceroniados por José Eduardo Vieira, Assessor do activo parlamentar português e membro de comissões percorreram durante três horas o palco da democracia no velho continente, onde os 28 estados membros da União Europeia através dos seus 751 representantes discutem as questões inerentes a essa Federação.

Todos os elementos tiveram ocasião de questionar o funcionário daquela instância comunitária sobre a actividade de eurodeputado, assuntos diversificados no âmbito das políticas sócio – económicas, relação com as outras instituições europeias e as importantes áreas e intervenções do eurodeputado Nuno Melo.

O programa incluiu também um encontro com o embaixador de Portugal na Bélgica, e outros diplomatas de Cabo Verde, Guiné Equatorial e Timor Leste, para além de funcionários portugueses nas instâncias comunitárias: Parlamento, Conselho, Comissão e Comité Económico e Social, onde a cultura, gastronomia e vinhos foram temas de conversas.

A estadia terminou com uma deslocação ao Café – Restaurante Portugal na capital belga, onde os aguardava um Bacalhau de Cebolada, confecionado para a respectiva Academia defensora daquele (s) prato (s) pelo Chefe Paulo Santos, da Casa de S. Sebastião, na freguesia de S. Pedro de Arcos, e João Pedro Coelho, natural da de Fornelos, cozinheiro no Vidago Palace Hotel, vencedor do concurso Jovem Talento de Gastronomia em 2017.

Integraram o grupo na deslocação a Bruxelas, para além dos já referidos mestres de culinária, os cidadãos: João Matos, Presidente da Junta de Fornelos; António Sousa, Presidente da Assembleia de Freguesia de Ponte de Lima e Arca; Armando Melo, Chefe dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima; Carlos e João Carlos Amorim, proprietários da Casa da Cuca, unidade de Turismo Rural e produção de vinhos, em Moreira de Lima; Miguel Amorim, gerente do Restaurante Fátima Amorim, na Correlhã: Filipe Matos, apaixonado pela cozinha tradicional e bancário nos CTT, e o artesão José Coelho.

Adelino Tito de Morais / https://www.luso.eu/

Foto : Tony Da Silva | Luso.eu

SARRABULHO DE PONTE DE LIMA REUNIU 500 APRECIADORES EM BRUXELAS E LOURES

Presidente da República justificou ausência

O conhecido prato típico de Ponte de Lima, o Arroz de Sarrabulho, foi o motivo para reunir quase meio milhar de comensais no passado fim de semana, em Bruxelas e em Loures.

Capturarbelga

Na capital europeia, a iniciativa partiu mais uma vez do Café – Restaurante Portugal, propriedade do estimado elemento da comunidade luso – belga, Albano Figueiredo.

Um salão junto do estádio Fallon foi o local escolhido para entre uma dúzia de mesas se repartirem centena e meia de convidados, principalmente residentes em Bruxelas e Antuérpia.

O programa iniciou-se pelas 20,00 h com um requintado serviço de entradas, onde se salientaram entre os salgados: empadinhas de galinha, cestinhas de massa folhada com sardinha em azeite, bolachinhas com queijo da Ilha (Açores), paio do lombo, chouriça de carne, salpicão da Serra de Arga e Ti Casimiro (Minho Fumeiro, Ponte de Lima), outros folhados diversos, tudo acompanhado de boroa de milho enchidos da Panilima (Ponte de Lima), pão alentejano e francês (Pastelaria Garcia, Bruxelas), tudo regado com fresquinhos brancos loureiros produzidos em Ponte de Lima: Casa da Cuca (Moreira de Lima), Vinhas do Cruzeiro (Escola Profissional em Arca), Adega Cooperativa, Quinta do Ameal (Refóios de Lima), e Quinta das Fontes (Souto de Rebordões).

Seguiu-se, já nas mesas, o ansiado Sarrabulho á moda de Ponte de Lima. O cheirinho de qualidade inundava o salão, a ansiedade para alguns era constante, pois entre os presentes, outras nacionalidades (estreantes) que não portugueses: austríacos, belgas e franceses.

Em ambos os lados do espaço, funcionários anunciavam a abertura do serviço buffet: arroz com a variedade de carnes esfiadas de porco, vaca e galinha: Ao lado, travessas de miudezas, onde pontificavam as belouras, as tripas de farinha e chouriça sarrabulha ou  de cebola/verde, (tudo levado de Portugal na véspera), e mais rojões, fígado e coladas de suíno, etc.

Os comensais comentavam o prato, tecendo-lhe elogios, associado a quem proporcionou mais um evento enogastronómico, raro e de referência na capital da Europa! Substituía-se os recipientes do prato típico, pontelimês, minhoto, nas mesas de buffet, pois muitos, muitos quiseram repetir.

Entretanto, já se provava nas mesas, também o sugerido tinto da casta vinhão para acompanhar o menu, ora produção da cooperativa limiana, ora também da Casa da Cuca, enquanto outros convivas também escolheram néctares das regiões do Douro e do Alentejo, pois a garrafeira do Café Portugal, é diversificada, e qualitativa…

Pelas 22,00h chegou a vez do fado, na interpretação de Carla Linhares e seus guitarristas, que se deslocaram propositadamente de Viseu até à Bélgica.

O programa do convívio prosseguiu com a apresentação das responsáveis pelo manjar: D. Fátima Amorim, do restaurante com seu nome, e D. Goretti Bezerra, do Sonho do Capitão, ambas estabelecidas na freguesia da Correlhã, arredores da vila de Ponte de Lima.

Depois, foi tempo de pé de dança ou simplesmente escutar o som dos Belga Cowboys, uma apreciada banda belga de renome internacional.

Mas, para as cozinheiras o tempo de estadia na Bélgica estava quase terminado.

É que, regressaram, no primeiro voo da manhã para Lisboa, e daí seguiram até Loures, onde já se encontrava o Chefe Paulo Santos, para colaborarem na confecção de mais um Sarrabulho para almoço de Domingo.

O repasto reuniria cerca de três centenas de inscritos, pois o local escolhido, o refeitório municipal estava esgotado, e foi necessário repor algumas mesas.

A organização, o Grupo Folclórico Verde Minho, dirigido por Teotónio Gonçalves, também Provedor da Misericórdia local, foi o anfitrião da festa. No exterior, muitos aguardavam por uma vaga ou desistência, mas era coisa difícil, pois a ementa e convívio estavam para durar.

Nas entradas, foi sugerida uma alheira de galo produzida pela Minho Fumeiro, acompanhada de um folhado de legumes.

Depois, ninguém queria arredar pé, ora pelo delicioso pitéu, ora pelas danças e cantares dos organizadores.

A abrir os discursos, uma mensagem do Presidente da República justificando a sua ausência por motivos pessoais. Mas, sabemos que o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, deseja provar o Sarrabulho de Ponte de Lima, como fez questão de o dizer em conversa amigável, e isso, sabemos aguarda agendamento … com tempo.

Foi assim, como diz o povo, Dois em Um. Sarrabulho servido numa distância de dois quilómetros, ou como Jantar (Bruxelas), ou como Almoço (em Loures, às portas de Lisboa)

Ponte de Lima esteve assim em Alta, fora de portas, também!

Fonte: Tito Morais / https://www.luso.eu/

Foto: LP Tony da Silva

PONTE DE LIMA LEVA A BRUXELAS UMA MOSTRA DO MELHOR DA SUA GASTRONOMIA

MOSTRA-PROVA ENOGASTRONÓMICA

Decorreu, com requinte e o devido sucesso a segunda prova/mostra de produtos e vinhos oriundos de Ponte de Lima, com o apoio do Café/Restaurante Portugal e os demais representantes vindos de Ponte de Lima e que se fizeram acompanhar dos seus vinhos e produtos autóctones. Desde as charcutarias, Minho fumeiro, aos vinhos verdes; Casa da Cuca; Quinta do Ameal e dos restaurantes: Sonho do Capitão; Sabores do Lima; Casa de São Sebastião; Solar do Taberneiro; Fátima Amorim; Carvalheira.

Prova-MostraEnosgastronómica2018a (1)

Recebidos na Sala Damião de Gois, na presença do Sr. Embaixador de Portugal em Bruxelas, Dr. António Alves Machado, que acolheu a comitiva e demais convidados, dando consistente elogio à iniciativa que pretende, acima de tudo, dar a conhecer a excelência dos produtos daquela região do Alto Minho.

Responderam ao convite cerca de 60 pessoas; do corpo diplomático, dos empresários e funcionários das instituições europeias, importadores.

Este, foi também o momento de apresentar o Melhor Cozinheiro Jovem do ano, João Coelho, vencedor do concurso nacional – Jovem Talento de Gastronomia 2017.

Nos discursos de boas-vindas e apresentação de tão palatáveis guloseimas, ficaram os agradecimentos à Embaixada de Portugal, na pessoa do Sr. Embaixador e a todos os que se envolveram em mais esta prova, tornando possível tão prestigiante iniciativa promotora daquilo que temos e somos! Bem-haja.

DE PONTE DE LIMA PARA BRUXELAS

Bacalhau de cebolada

A Academia do Bacalhau de Bruxelas organizou, no dia seguinte à Mostra de produtos autóctones provindos de Ponte de Lima, um suculento jantar, para cerca de 70 convidados, no Café-Restaurante Portugal. Com a delícia do Bacalhau de Cebolada, receita da mais antiga vila de Portugal, esmeradamente preparada pelo Melhor Cozinheiro Jovem de Portugal, João Pedro Coelho e Chef Paulo Santos da Casa de São Sebastião, Ponte de Lima.

Para além do repasto com toques e paladares da alta cozinha limiana, foi também ocasião de encontro entre os sócios da Academia do Bacalhau e outros simpatizantes que se envolveram em conversas soltas e muita animação. E como não podia deixar de ser, ouviram-se os sons estridentes da concertina, com rasgadas melodias da música popular portuguesa.

Prosseguindo estes encontros em torno da gastronomia limiana, tem lugar já no próximo dia 3 de Fevereiro, (a terceira edição do Sarrabulho à moda de Ponte de Lima, em Bruxelas. Cozinheiras vindas expressamente de Ponte de Lima, numa parceria sempre atuante com o Café-Restaurante Portugal; renovam-se assim os encontros à volta da excelência da gastronomia limiana. Uma noite que promete, sendo animada com o Fado na voz de Carla Linhares, vinda diretamente de Portugal. E da boa música, pelo grupo belga Cowboys; na Salle Rotonde, Woluwue Saint Lambert-1200 Bruxelas, volta-se a viver Portugal, pelas melhores razões do mundo.

Fonte: António Fernandes / https://www.luso.eu/

Fotos: Tony da Silva 

ACADEMIA DO BACALHAU ORGANIZOU BACALHAU DE CEBOLADA NO CAFÉ PORTUGAL EM BRUXELAS

  • Adelino Tito de Morais

Melhorcozinheiro Jovem de Portugal e Chefe Paulo Santos deliciaram Bruxelas

A Academia do Bacalhau de Bruxelas, organizou na passada sexta-feira, um jantar – tertúlia para 80 convidados, dum prato Limiano e minhoto, cuja ementa foi retirada da gaveta há uns anos atrás pelo município de Ponte de Lima.

26814445_1539921092771311_7876073892423308296_n

Tratou-se do – Bacalhau de Cebolada – receita quase centenária, segundo gerações de cozinheiros e proprietários de restaurantes antigos da vila e arredores.

Para cozinhar a iguaria no Café – Restaurante Portugal, deslocaram-se a Bruxelas, o Chefe Paulo Santos, da Casa de S. Sebastião, na freguesia limiana de S. Pedro de Arcos, e João Pedro Coelho, natural da de Fornelos, eleito o melhor cozinheiro jovem de Portugal 2017, ao vencer o concurso – Jovem Talento de Gastronomia – que se iniciou com quase mil inscritos e várias provas decorridas em escolas de hotelaria e turismo do país. Actualmente, o “ CR 7 da culinária de Ponte de Lima “ como foi apelidado, integra o grupo de cozinheiros do Vigado Palace Hotel, em Chaves.

O pitéu é composto por uma posta do lombo do fiel amigo, individual, e com média de 400 gramas, acompanhado de batata a murro (ou frita), pimento laminado, salada de alface, cebola e molho de azeite, entre outros ingredientes, para além de segredos de cozinheiros.

Ponte de Lima é hoje, novamente considerada uma terra com multisecular tradição na gastronomia portuguesa, mercê de algumas iniciativas, como Feiras e Fins de Semana Temáticas, uma grande oferta de locais da restauração, e promoções nacionais e internacionais, como a que decorreu na véspera do Bacalhau de Cebolada, na embaixada de Portugal na Bélgica, superiormente também organizada pelos dois peritos de cozinha, recorde-se.

Quanto ao historial do Bacalhau por terras limianas, enumeremos, agora, ligeiras notas de pesquisas efectuadas há anos, como sejam:

Em 1497 os portugueses chegaram á Terra Nova, hoje província do Canadá. Em 13 de Março de 1521, o rei D. Manuel I, concede a João Álvares Fagundes, o navegador, o privilégio de donatário do território descoberto, documento guardado na Torre do Tombo.

Em 1670, a Misericórdia de Ponte de Lima, já distribuía bacalhau aos pobres do concelho, no Dia de Fiéis Defuntos, e em 1670, a Câmara Municipal, delibera que quatro peixeiras de Viana do Castelo, abastecessem a vila de “ peixe fresco durante a semana, até às 8,00 h de Sábado”, incluindo bacalhau.

Mas, outra forma de cozinhar o apreciado peixe é praticada em Ponte de Lima. Trata-se do “ Bacalhau á capitão “, com mais de sessenta anos de ementa guardada na família, na variante de assado no formo, também em lombo, acompanhado de castelinhos de puré, presunto, picles, tudo regado com molho de azeite e outros condimentos. Hum… Fica o convite para a Academia e o amigo Albano Figueiredo, agendarem como novo evento.

Foto: Paulo e João Coelho

PONTE DE LIMA LEVA SARRABULHO A BRUXELAS

MOSTRA-PROVA ENOGASTRONÓMICA

Sala Damião de Góis – Embaixada de Portugal, Bruxelas

Decorreu, de forma superior e com todo o requinte a segunda mostra/prova de produtos e vinhos oriundos de Ponte de Lima, com o apoio do Café/Restaurante Portugal e os demais representantes vindos de Ponte de Lima com os seus vinhos e produtos autóctones.

Capturarsbrux

Desde as charcutarias, Minho fumeiro, aos vinhos verdes; Casa da Cuca; Quinta do Ameal e dos restaurantes: Sonho do Capitão; Sabores do Lima; Casa de São Sebastião; Solar do Taberneiro; Fátima Amorim; Carvalheira. Recebidos na Sala Damião de Gois, na presença do Sr. Embaixador de Portugal em Bruxelas, Dr. António Alves Machado, que acolheu a comitiva e demais convidados, dando consistente elogio à iniciativa que pretende, acima de tudo, dar a conhecer a excelência dos produtos daquela região do Alto Minho.

Responderam ao convite cerca de 60 pessoas; do corpo diplomático, empresários, funcionários das instituições europeias, importadores.

Foi também o momento de apresentar o Melhor Cozinheiro Jovem do ano, João Coelho, vencedor do concurso nacional – Jovem Talento de Gastronomia 2017.

Finalmente uma nota de agradecimento à Embaixada de Portugal, na pessoa do Sr. Embaixador e a todos os que colaboraram, tornando possível tão prestigiante iniciativa promotora daquilo que temos e somos! Bem  haja.

Texto: António Fernandes; Fotos: @ LP | Tony da Silva

Fonte: https://www.luso.eu/

VIANA DO CASTELO ACOLHE 14 MEMBROS DO GOVERNO PARA ENCONTRAR INVESTIDORES DA DIÁSPORA

Catorze membros do Governo e mais de 20 entidades estatais vão participar no II Encontro dos Investidores da Diáspora, dias 15 e 16 de dezembro, em Viana do Castelo, anunciou o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Viana-do-Castelo-759x500

José Luís Carneiro, que falava em conferência de imprensa na Câmara da capital do Alto Minho, adiantou que «já há mais de 220 inscritos, de 32 países», sendo que as inscrições terminam no final deste mês. «Estamos convictos de que será o maior encontro dos empresários da diáspora», disse, referindo que a edição realizada em 2016, em Sintra, contou com mais de 300 participantes de 38 países.

Além dos 14 membros do Governo, entre eles, os Ministros dos Negócios Estrangeiros e da Economia, estarão presentes «entidades responsáveis pela informação, pelo conhecimento e pelos instrumentos de apoio ao investimento em Portugal e, muito particularmente, as instituições geradoras de oportunidades de investimento em Portugal».

José Luís Carneiro, que falava aos jornalistas durante a apresentação do programa da iniciativa, realçou que, em 2016, foi registado «o maior valor de sempre das transferências dos emigrantes para Portugal, mais de 3.300 milhões euros». Destacou ainda o aumento, «incessante, na procura de cartões de cidadão, na renovação, na procura de passaportes, de vistos para Portugal, para turismo e para investir em Portugal».

«Em 2016 alcançámos mais de 1.960 milhões de atos consulares na rede de todo o mundo e que este ano ultrapassaremos, significativamente, os dois milhões de atos consulares», referiu, sublinhando que aqueles valores que «os Portugueses que saíram, nas diferentes gerações, continuam a acreditar e a olhar para o futuro do seu país com muita esperança».

Com o tema «Conhecer para Investir», o encontro resulta de uma iniciativa conjunta da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, do Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora (GAID) e da Câmara de Viana do Castelo.

O Presidente da Câmara local e líder da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, José Maria Costa (na foto) disse que este encontro vai servir para «mostrar o trabalho que tem vindo a ser feito na captação de investimento e a estratégia de internacionalização de Viana do Castelo».

«Segundo números do Instituto Nacional de Estatística (INE), Viana do Castelo foi, em 2016, o oitavo município mais exportador do norte do país. Em 2011 tínhamos exportações no valor de 400 milhões de euros e, em 2016, ultrapassámos os 800 milhões de euros. Sendo uma região amiga do investimento e amiga de oportunidades de investimento esta é uma oportunidade de ouro», frisou.

Promover a dinamização do tecido empresarial da diáspora portuguesa e do seu duplo potencial, enquanto origem de fluxos de investimento e destino de iniciativas de diversificação de mercados por parte de empresários portugueses, ao nível das micro e pequenas empresas, partilhar experiências e criar uma rede de trabalho são os objetivos do encontro.

O programa foi concebido em torno de painéis dedicados a oportunidades, instituições e instrumentos de apoio ao investimento, modelos de associação e participação em rede, focados nas universidades, câmaras de comércio e indústria portuguesas no estrangeiro e outras formas de associativismo empresarial da diáspora.

O papel das autarquias, regiões, cooperação regional e transfronteiriça serão outros dos temas dos painéis a lançar por membros do Governo com a participação de instituições e entidades nacionais nas áreas do investimento e empreendedorismo com origem ou destino na diáspora.

Há ainda dois painéis adicionais para apresentação de iniciativas e casos concretos de empreendedorismo da diáspora.

Fonte: http://belgica.lusojornal.com/

ANTUÉRPIA’2017: SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA

Restaurantes de Ponte de Lima e Vinho Casa da Cuca apresentaram Sarrabulho em Antuérpia (Bélgica)

Numa iniciativa de restaurantes limianos, onde o Sarrabulho é prato obrigatório de suas ementas, realizou-se na cidade de Antuérpia, a escassa meia centena de quilómetros da capital europeia - Bruxelas - um jantar cuja ementa foi o típico prato de Ponte de Lima.

Sarrabulho-02

Mas, para a confecção do menú tradicional com cozinheiros(as) especializados, os ingredientes necessários e vinho, principalmente das castas Loureiro e Vinhão, tudo foi transportado de Portugal. Assim, há a salientar a colaboração dos Restaurantes : Casa de S. Sebastião, em S. Pedro de Arcos; Fátima Amorim e Sonho do Capitão, na Correlhã, e Solar do Taberneiro, na vila, para além do produtor vinícola Casa da Cuca, de Moreira de Lima. A comitiva integrou ainda o Presidente da Assembleia de Freguesia de Ponte de Lima, António Sousa e o Chefe dos Bombeiros Voluntários, Armando Melo.

A aguardar a delegação no aeroporto, estava o director de imprensa do Comité Económico e Social Europeu, um apreciador do Arroz de Sarrabulho, e um elemento preponderante na comunidade portuguesa na Bélgica. Mas, para balanço do evento, aconselhamos a leitura do artigo no LUSO Jornal, publicação digital diária com sede em Bruxelas.

Adelino Tito de Morais

 

Sarrabulho-00

Decorreu de forma exemplar e com o devido sucesso, mais um jantar com especialidade vinda de Ponte de Lima: o Sarrabulho veio a Antuérpia e fez vingar a sua fama, tão esmerado que estava!

Um feito histórico que Paula Castro, proprietária do café/restaurante Espigueiro, evidenciou, realçando a bem sucedida iniciativa, que pretende divulgar esta especialidade, também junto da Comunidade de acolhimento.

Outros eventos com os mesmos protagonistes e moldes semelhantes, tiveram lugar na capital belga.

Sarrabulho-01

Pelas suas caraterísticas e paladares, pela sua qualidade nutritiva, especialmente no outono/inverno, o Sarrabulho encontra nas pessoas a sua razão de ser! Muito apreciado, seduz também outras Comunidades com culturas gastronómicas diferentes. Cumpre-se assim um dos objetivos em trazer para fora a especialidade limiana.

Um aprato que acompanhou com o melhor vinho verde/vinhão «Casa da Cuca», Ponte de Lima!

Muitos parabéns também às cozinheiras que se deslocaram expressamente de Portugal para uma confeção perfeita deste prato típico, apetecido e apreciado. E onde não podia faltar a música tradicional portuguesa tocada a preceito pelo dueto «SolMinho»/concertinas.

Finalmente, uma palavra de gratidão para com todos aqueles que, de formas diversas, contribuiram para o sucesso deste evento, na capital da Flandres.

Aqui fica o pequeno registo de uma grande noite, em torno daquilo que de melhor temos e somos.

Texto: António Fernandes; Fotos: LusoProductions / Tony da Silva

Fonte: http://belgica.lusojornal.com/

Sarrabulho-03

Sarrabulho-04

Sarrabulho-05 (1)

Sarrabulho-05

Sarrabulho-06

Sarrabulho-07

Sarrabulho-08

BÉLGICA: MANNEKEN-PIS FESTEJA O 25 DE ABRIL COM TRAJE MINHOTO

Manneken-Pis veste-se de minhoto para comemorar o 25 de abril

Pelo décimo ano consecutivo, o símbolo da cidade de Bruxelas vestiu-se para homenagear Portugal.

18119654_1630307453649310_645165417_o-925x578.jpg

O Manneken-Pis, o famoso menino a fazer chichi que é um dos símbolos da Bélgica, está vestido de minhoto este domingo. Situada junto a uma das principais praças de Bruxelas, a estátua de bronze de 61 centímetros tem mais de 900 fatos diferentes e hoje foi a vez de vestir o fato em honra de Portugal, para comemorar antecipadamente o 25 de abril.

É o décimo ano consecutivo que a atração turística e ícone da capital belga se veste com o fato da confraria dos vinhos do Porto, que inclui uma camisa branca com o tradicional bordado minhoto e uma bandeira nacional. Todos os anos por esta altura a estátua é vestida com esta roupa para coincidir com o 25 de abril e como forma de comemoração.

Este domingo, para assinalar o momento, houve ainda uma atuação do rancho folclórico da Associação de Emaús e uma prova de vinhos. O Manneken Pis, nome que significa literalmente “o miúdo que faz chichi”, situa-se junto à célebre praça Grand’Place e a sua origem exata não é conhecida, pelo que várias lendas giram em torno da pequena estátua.

Fonte: http://www.jornaleconomico.sapo.pt/

DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRUXELAS LIVRO DEDICADO À EMIGRAÇÃO PORTUGUESA

No passado dia 24 de março (sexta-feira), foi apresentado na capital da Europa o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.

© Tony Da SIlva _ LusoProductions 1.jpg

Da esquerda para a direita, o historiador Daniel Bastos, a socióloga Maria Beatriz Rocha-Trindade, o embaixador António Alves Machado, o fotógrafo Gérald Bloncourt e o editor Joaquim Pinto da Silva

 

A obra, concebida pelo historiador minhoto Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a gesta da emigração lusitana para França nos anos 60 e 70, foi apresentada na Embaixada de Portugal em Bruxelas, numa sessão que encheu a Sala Damião de Goes, e que esteve a cargo do editor da Orfeu, Joaquim Pinto da Silva, e da socióloga das migrações Maria Beatriz Rocha – Trindade.

O livro traduzido para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, com posfácio da petite portugaise Conceição Tina, e prefaciado pelo reputado pensador Eduardo Lourenço, reúne memórias, testemunhos e mais de centena e meia de fotografias originais da maior importância para a história portuguesa do último meio século. 

No decurso da sessão, que contou com a presença do consagrado fotógrafo, e vários representantes da comunidade e diplomacia portuguesa na capital da Europa, como o Embaixador de Portugal na Bélgica, António Vasco Alves Machado, e a coordenadora da rede de ensino na Bélgica, Carina Gaspar, todos foram unânimes em considerar que as fotografias de Gérald Bloncourt retratam um período marcante da história da emigração portuguesa. Segundo Daniel Bastos, a edição do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt constitui “um justo reconhecimento aos protagonistas anónimos da história portuguesa que lutaram aquém e além-fronteiras pelo direito a uma vida melhor e à liberdade”.

Refira-se que a sessão de apresentação incluiu uma prova de vinho de Porto, um produto emblemático da cultura portuguesa, promovida pela De Wijn Fontein Bvba – A Fonte do Vinho, uma empresa portuguesa sediada na Bélgica que se dedica à distribuição de produtos nacionais.

© Tony Da SIlva _ LusoProductions 2.jpg

ESCRITOR FAFENSE DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRUXELAS O LIVRO “TERRA”

O escritor português Daniel Bastos apresentou ontem o seu novo livro de poesia “Terra” na Embaixada de Portugal em Bruxelas. A obra com chancela da Editora Converso, uma edição bilingue em Português e Francês, com tradução do docente Paulo Teixeira, e que conta com ilustrações do artista plástico Orlando Pompeu e prefácio do fotógrafo e pintor Gérald Bloncourt, Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França, foi apresentada pelo poeta Fernando Camilo Ferreira.

2

No decurso da sessão de apresentação, promovida pela Editora e Livraria Orfeu, um centro cultural de referência da língua portuguesa na capital da Europa, o poeta Fernando Camilo Ferreira, e o promotor das atividades organizadas pela Orfeu em Bruxelas, Joaquim Pinto da Silva, destacaram a presença de muitos compatriotas na iniciativa, sintomática da ligação profunda do percurso literário do escritor minhoto às comunidades lusófonas. Segundo os mesmos, a estreia de Daniel Bastos na poesia constitui uma agradável surpresa literária que invoca um sentimento telúrico de amor à terra e às raízes.

4

Por seu lado, o escritor português, que agradeceu a receção e amabilidade da comunidade emigrante, revelou que a sua incursão na poesia proveio da necessidade intrínseca de encontrar uma nova forma de expressar a sua visão da vida em comunidade e dos valores culturais da nossa sociedade.

Refira-se que esta sessão cultural na Embaixada de Portugal em Bruxelas incluiu uma prova de vinhos de diferentes regiões do país, promovida pela empresa BVBA Guimarães, uma empresa sediada na Bélgica que se dedica à distribuição de produtos nacionais, e que estão previstas ao longo dos próximos meses novas apresentações oficiais do livro no espaço francófono europeu, assim como em diversas cidades portuguesas.

13

15

ESCRITOR FAFENSE DANIEL BASTOS APRESENTA NA BÉLGICA O SEU LIVRO DE POESIA “TERRA”

No próximo dia 20 de Março (sexta-feira), o escritor português Daniel Bastos apresenta às 18h30, na Embaixada de Portugal em Bruxelas, o seu mais recente livro de poesia “Terra”.

Daniel Bastos 2

A apresentação da obra, uma edição bilingue em Português e Francês, com tradução do docente Paulo Teixeira, e que conta com ilustrações do artista plástico português Orlando Pompeu, cuja obra consta de variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Japão e Dubai, e prefácio do fotógrafo, poeta e pintor francês Gérald Bloncourt, está a cargo da Editora e Livraria Orfeu, um centro cultural de referência da língua portuguesa na capital da Europa.

Os poemas do escritor natural do concelho de Fafe, cujo percurso literário tem sido distinguido com vários prémios, publicações e apresentações de obras de carácter histórico junto das comunidades lusófonas espalhadas pelo mundo, revelam uma simplicidade poética inspirada nas raízes, no forte apego à terra, na procura do sentido da vida e na sabedoria do tempo.

Segundo Gérald Bloncourt, Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França, o livro de estreia do autor minhoto no campo da poesia, é atravessado por vibrações humanas de alegria e felicidade que suscitam as profundezas do ser.

Refira-se que esta apresentação enquadra-se num conjunto de apresentações oficiais do livro no espaço francófono europeu, particularmente junto das comunidades lusófonas emigrantes, no seguimento da que decorreu no mês transato no espaço cultural Lusofolies em Paris. Sendo que esta sessão cultural na Embaixada de Portugal em Bruxelas incluirá uma prova de vinhos de diferentes regiões do país, promovida pela empresa BVBA Guimarães, uma empresa sediada na Bélgica que se dedica à distribuição de produtos portugueses.