Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BARCELOS RECEBE AJUDA PARA COMBATER POBREZA

Barcelos contemplado com verba até 500 mil euros para combater pobreza. Câmara Municipal aprovou manifestação de interesse no desenvolvimento de Contratos Locais de Desenvolvimento Social

A Câmara Municipal de Barcelos manifestou interesse em desenvolver no concelho o programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS-4G), através do qual será contemplado com uma verba entre 400.001 euros a 500.000 euros, com o objetivo de combater a pobreza e a exclusão social.

Barcelos (1).jpg

A manifestação de interesse foi aprovada em reunião ordinária do executivo no dia 10 de maio, designando como entidade coordenadora local a ATAHCA – Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave.

A Portaria n.º 229/2018, de 14 de agosto, procedeu à criação do programa CLDS-4G e aprovou o respetivo regulamento específico. Nos termos do n.º 8, do artigo 2.º desta Portaria, foi publicado o Despacho n.º 3998/2019, de 10.04.2019, do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, o qual determina que o concelho de Barcelos é elegível no âmbito do Programa CLDS-4G, pelo que será alvo de financiamento, cujo limite mínimo é de 400,001 euros e o limite máximo de 500.000 euros.

Os CLDS têm como finalidade promover a inclusão social dos cidadãos, de forma multisetorial e integrada, através de ações a executar em parceria, para combater a pobreza persistente e a exclusão social.

Barcelos teve, e ainda tem, em funcionamento um CLDS 3G na freguesia de Arcozelo e na União de Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescainha de S. Martinho e S. Pedro. O trabalho desenvolvido durante os últimos três anos, pela equipa de técnicos e pela parceria estabelecida com outras instituições de direito privado e com a Câmara e Juntas de Freguesia, permitiu que os objetivos inicialmente estabelecidos fossem implementados com resultados reconhecidos pela comunidade local.

SAMUEL BASTOS, MÚSICO NATURAL DE BARCELOS FOI ENCONTRADO MORTO NA SUÍÇA

Músico de 32 anos era natural de Barcelos e integrava a Orquestra da Ópera de Zurique.

Samuel Bastos, oboísta português que integrava a Orquestra da Ópera de Zurique, foi encontrado morto na manhã deste domingo, na Suíça. A notícia foi avançada pela Rádio Barcelos, sendo ainda desconhecidas as causas da morte do solista de 32 anos.

37892_412762212340_5506311_n.jpg

O músico era natural da freguesia de Oliveira, concelho de Barcelos. Começou a tocar numa banda filarmónica aos sete anos de idade. Passou para o oboé aos dez. Samuel Bastos era oboísta solista na Orquestra da Ópera de Zurique, cidade onde obteve vários graus de educação musical na Universidade de Artes de Zurique, enquanto bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

Samuel Bastos colaborou com diversas orquestras, nas quais se incluem a Tongyeong Festival Orchestra, da Coreia do Sul, e a Mozarteum Orchestra, de Salzburgo. Venceu vários prémios e provas internacionais: em Julho de 2017, Samuel Bastos conseguiu o primeiro lugar no concurso internacional de oboé Fernand Gillet-Hugo Fox, nos Estados Unidos. Foi um dos músicos portugueses na diáspora que integrou a Orquestra XXI, projecto que venceu o primeiro prémio do FAZ – Ideias de Origem Portuguesa, concurso da Fundação Calouste Gulbenkian e da COTEC – Associação Empresarial para a Inovação.

https://www.publico.pt/

1794738_10151932925142341_1229583621_n.jpg

AS CARTAS DO BISPO BARCELENSE ANTÓNIO BARROSO

As cartas do bispo António Barroso: rara lucidez, energia do pioneiro (pré-publicação)

Barroso-4.png

António Barroso e o Vaticano – Correspondência é o título do livro que, recolhendo mais de 400 documentos guardados no Arquivo do Vaticano e pesquisados durante três anos, dá a conhecer diversas facetas do homem que foi missionário no Congo e bispo de Moçambique, de Meliapor (Índia) e do Porto, tendo assumido também a defesa da liberdade religiosa perante as perseguições da República.

Da autoria de Carlos A. Moreira Azevedo, o livro complementa a biografia de que o bispo e historiador é coautor, com Amadeu Gomes de Araújo, intitulada Réu da República (ed. Alêtheia),

António Barroso (Barcelos, 1854) – Porto, 1918) catalisa em si os debates do seu tempo, seja sobre a presença das missões católicas nas então colónias portuguesas, sobre a relação da Igreja com o Estado, a liberdade religiosa ou a renovação da vida religiosa.

O 7MARGENS publica a seguir alguns excertos da introdução da obra e cinco das cartas reproduzidas no livro. A obra será apresentada no Porto nesta sexta-feira, dia 17 de Maio, por Jorge Teixeira da Cunha, professor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa. A sessão, que contará com a presença do autor e do bispo do Porto, realiza-se a partir das 21h00 no Paço Episcopal do Porto e tem entrada livre.

9789898906311_large.jpg

Entrar no ânimo de um bispo santo

(Excertos da Introdução)

Em figuras cristãs de rara lucidez unem-se exemplar determinação e simplicidade evangélica, transparecem unidas a coragem e a fidelidade ao ideal. Não podem, por isso, negligenciar-se esforços para conhecer os detalhes das suas vidas, o itinerário das suas lutas, a clareza do seu pensamento.

Com este livro, não se oferece mais uma biografia do ilustre missionário de Remelhe (Barcelos), mas recolhe-se documentação essencial para entrar no ânimo de um bispo santo[1]. De facto, a correspondência conservada no Arquivo Secreto Vaticano, em grande parte inédita, constituirá fonte primária para analisar posições pastorais, liberdade política e notável discernimento.

Reuni aqui 400 cartas, sendo metade desconhecidas do processo de canonização, âmbito em que foi realizado um primeiro levantamento. (…)

Aqui despontam as marcas de uma personalidade paradigmática: não é apenas o missionário entregue à catequese e às estruturas da missão. António Barroso atende à geografia, à etnografia; desafia o tipo de política ultramarina reinante e conserva um firme amor à Pátria.

Como missionário no Congo, entre 1881 e 1888, espanta-nos a energia do pioneiro. Diante do total desamparo do ambiente, febres, condições inclementes, escassez de alimentos, rasga caminhos a partir de ruínas e escombros: funda um posto meteorológico, promove uma escola agrícola. Descobre rapidamente que o missionário tende a levar «em uma das mãos a cruz e na outra a enxada […] ser padre e ser artista, pai e mestre, doutor e homem da terra»…[2]Observa a realidade desastrosa, mas não tece lamentos, deita antes mãos à obra. Reconhece o trabalho protestante e sente quanto tem de esforçar-se para lhe estar a par. Não embandeira por caminhos fáceis de eficácia aparente. (…)

Os talentos excecionais revelados no Congo, do qual António Barroso manteria gratíssima recordação para sempre, quis o novo ministro da Marinha e do Ultramar, António Enes, escritor e político anticlerical e da Maçonaria, fossem alargados a uma região mais vasta. Barroso foi, então, nomeadoprelado de Moçambique por decreto real de 12 de fevereiro de1891. O núncio comunica, em carta de 16 de fevereiro de 1891 para o secretário de estado do Vaticano, o acordo do governo “pela nomeação do egrégio missionário Barroso”[3]. (…)

O espírito crítico acerca do modo de colonizar e a intenção de avançar no seu projeto ficam evidentes. De facto, o que anuncia vai cumprir: criou paróquias e deu início a várias missões como Maputo, Lhanguene. Muitas vezes teve de escrever ao ministro do Ultramar para exigir meios para as escolas, porque, como declarava António Barroso: a instrução pública não pesava sobre os seus ombros, mas era condição fundamental para uma evangelização séria e eficaz. (…)

Facto, porém, mais relevante são as quatro grandes viagens a que se aventurou. Constituem verdadeira epopeia missionária. Lançou-se a penosos itinerários pastorais para conhecer de perto a realidade indígena e para incentivar, pela experiência de vida, os seus colaboradores para não se pouparem ao desgaste, nem evitarem os contratempos. Assim podia incentivar a mudança e provocar o marasmo colonial. Os processos de uma errada colonização eram claros para D. António Barroso. (…)

O bispo de Meliapor percorreu inteiramente a diocese deliberando atritos, construindo a almejada comunhão, não obstante a dificuldade de locomoção devida aos antigos caminhos. Na Índia, em menos de dois anos, realizou 14 visitas pastorais às igrejas do Maduré, percorreu o vale do Ganges e fez visita às missões de Calentá, expondo-se às neblinas do grande rio e agravando o impaludismo, já crónico, levado de África. Apesar das frequentes febres, percorria, por dois, três ou quatro dias, geralmente em carros de bois, por entre pântanos ou desertos de calor abrasador, o caminho entre as comunidades cristãs. (…)

Uma questão que podemos verificar nesta correspondência consiste na emergência do lento processo da colegialidade dos bispos. (…) o quadro desarticulado entre os bispos era visto assim pelo Vaticano: “ausência absoluta de organização séria e de posição comum; e portanto de concórdia e de coesão”[4]. Perante tal retrato, aconselhava-se o núncio a insistir em conferências anuais. Curioso que o bispo do Porto, em carta a monsenhor Tonti, em 8 de abril de 1907, lamente, que após reunião de janeiro em Lisboa, na qual tinham manifestado desejo de se reunirem de novo para tratar de um catecismo comum, nada recebeu até agora e está dependente de aviso do patriarca[5]. Novamente, em 1915, esperava reunião, mas “parece ficar para as calendas gregas”[6].

Barroso-2 (1).png

Cinco cartas

Uma desgraça, sobretudo para os pobres

As medidas do Governo de Hintze Ribeiro contra a ação das congregações religiosas querem agradar aos republicanos e situam-se dentro do espírito do Caso Calmon. Ao conhecer o Decreto do Governo de 10 de março de 1901, exigindo estatutos às congregações religiosas, o bispo do Porto manifesta a sua preocupação, pois muitas instituições de ensino e de caridade, dedicadas aos mais pobres, não têm estatutos.

– Carta ao núncio Andrea Aiuti. Porto, 12-03-1901.

Ex.moe Rev.moSenhor de toda a minha consideração e amizade

(reservada)

Publicaram os jornais o Decreto de 10 do corrente com respeito a congregações religiosas. Aqui há um grande número de instituições sobretudo de mulheres para o ensino dos pobres e caridade. Algumas destas instituições tem estatutos aprovados, mas na maior parte não existem tais estatutos; deste modo se o Decreto se executar à letra tem de retirar muita gente, o que significa uma desgraça, sobretudo para os pobres. Quais serão as vistas subliminares do Governo? Era um ponto importante a conhecer, mas importa dar força [?] aos católicos. Que será mais conveniente que eles façam neste momento? Eu desejava ouvir a opinião de V. E. R. em confidência sobre este assunto; e muito agradecia se V. E. me quisesse dizer um destes dias.

Aqui na rua há paz, mas os espíritos estão ainda muito exaltados e não é fácil ainda provar até onde poderá isto levar-nos.

Deus Nosso Senhor se compadeça deste pais que tão desorientado está. A mim tudo isto me tem causado profunda amargura. […]

António, bispo do Porto.

A orientação política divide os católicos

A incapacidade governativa do final do regime monárquico e a falta de uma resposta dos católicos, demasiado divididos em fações partidárias, faz sofrer o bispo do Porto. Antes desta obra que publico não era conhecida a advertência feita, em mensagem breve, ao cardeal Merry del Val, secretário de estado do Vaticano, a 6 de março de 1910: “uma questão gravíssima divide os ânimos entre os católicos portugueses, isto é a orientação política. Creio ser meu dever levar este facto ao conhecimento da Santa Sé, a fim de que determine o que julgue oportuno para a tranquilidade dos espíritos e para o bem da Igreja”[7].

Barroso-5 (1).png

“Saúde e fraternidade” numa carta para Afonso Costa

Reveladora da responsabilidade pastoral e da audácia apostólica, com pés bem assentes nas dificuldades, mas sem qualquer temor, é a atitude com que Barroso encara a mudança de regime e a perseguição do governo republicano.

Não foi só no auge republicano de 1910 que teve início a luta de António Barroso a favor da liberdade religiosa e que começou a sua firmeza corajosa. Chegaria, contudo, a ocasião para revelar o carácter destemido da sua fé e amor à liberdade da Igreja. O Governo republicano apressou-se a lançar legislação abundante, destinada a erradicar o catolicismo em Portugal. As medidas legais contra a Igreja Católica multiplicam-se na incipiente República. O bispo escreve, em 12 de outubro, a Afonso Costa apelando para o fim da legislação contra a Igreja, uma vez que não está a ser submetida à aprovação da Assembleia Constituinte[8]. Os termos são hábeis e medidos. No entanto, o ministro não atende à carta e as medidas sucedem-se em crescendo.

– Carta ao ministro da Justiça, Porto, 12-10-1910.

Ex.mo Senhor Ministro da Justiça

Permita V. E. que, com vista nos altos interesses morais que me estão confiados, e que tanto importam ao Estado português, eu venha pedir a V. E. que as medidas, que se diz o Governo Provisório da República Portuguesa tenciona tomar, com respeito a assuntos eclesiásticos, não sejam decretadas antes da reunião da Assembleia constituinte, mas sim sejam a ela presentes.

Como cidadão português, ouso esperar que o Governo do meu país, nas medidas que sobre tais assuntos houver de tomar ou propor, se inspirará nos elevados princípios e sentimentos de liberdade, de justiça e de equidade, que podem concorrer para a ordem pública e para a tranquilidade e bem de todos, o que certamente constitui a aspiração do Governo.

Fico fazendo votos para que este pedido, que assim faço, seja benevolamente acolhido, se não por atenção a mim, pela consideração dos vitais interesses, a que respeita e cuja importância não careço expender, porque de sobejo a reconhece o esclarecidíssimo espírito de V. E., que, na actual conjuntura, quererá por certo proceder com aquela cordura e ponderação, que tão bem quadram a um homem de Estado.

Saúde e fraternidade.

Porto e Paço Episcopal 12 de Outubro de 1910.

António, bispo do Porto.

Abstenção é uma doce forma de nada se fazer

– Carta a monsenhor Masella. Porto, 06-06-1915

Porto 6-6-915

Ex.moe Rev.moSenhor

(…) Continuo com a opinião de que a abstenção é um erro e uma doce forma de nada se fazer.

Assim vimos sempre contemporizando com monárquicos e com republicanos; uns dizem que estamos enfeudados aos primeiros e os outros que tememos os segundos. Isto assim é talvez cómodo, mas não é digno e quem perde é a Igreja e também a Pátria.

Disponha sempre V. E. R. do que é […]

António, bispo do Porto.

Barroso-6 (2).png

Monárquicos e republicanos, a distinção necessária

Em 1917, os bispos escrevem uma carta pastoral coletiva e em resposta a recomendações de Masella, referentes à imprensa católica, Barroso escreve: “Sempre me tenho esforçado por manter a necessária distinção e todos os dias verifico que é um erro muito grave imputar à monarquia ou à república, o que por sua natureza deve estar sempre acima do que pertence às disputas e paixões dos homens. Parece-me que a imprensa católica do Porto, que bem reduzida é, se tem mantido quanto possível nesta linha de conduta. O que às vezes lhe causa sacrifícios, pois a corrente mais forte deseja que a religião se ponha ao serviço dos interesses monárquicos[9].

Notas

[1]Os escritos oficiais de António Barroso, como missionário em África e Ásia, já mereceram uma publicação de António Brásio – D. António Barroso, missionário, cientista, missiólogo. Lisboa: Centro de estudos históricos ultramarinos, 1961.

[2] BARROSO, A. – O Congo: seu passado, presente e futuro. Lisboa: Imprensa Nacional, 1889, p. 70.

[3] Ver ANL 312, fasc. 2, f. 243. A apresentação do rei data de 14-02-1891. Existe cópia em ASV, Segreteria di Stato1891, rub. 250, f. 139.

[4] ANL 363, fasc. 1, f. 20.

[5] ANL 365, fasc. 3, ff. 21-22.

[6] ANL 397, fasc. 3, ff. 44-45v.

[7] Ver carta de 06-03-1910.

[8] Ver carta de 12-10-1910.

[9] ANL 393, fasc. 2, f. 72 (10-03-1917).

Fonte: https://setemargens.com/

FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DO RIO NA GALA CIOFF EM LISBOA

A Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Barcelos, Armandina Saleiro, esteve presente sábado, 11 de maio, na primeira edição da Gala CIOFF Portugal (espetáculo de etnografia e folclore), que decorreu na Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa.

Cioff.jpg

Tratou-se de um espetáculo produzido pela Associação CIOFF Portugal que contou com a colaboração da Fundação INATEL e da Federação do Folclore Português e, do concelho de Barcelos atuou o Grupo Folclórico de Barcelinhos em representação do Festival Internacional de Folclore do Rio (Barcelinhos).

Atuaram também grupos de folclore em representação dos Festivais Folk Monção, Festarte (Leça da Palmeira – Matosinhos), Folk Cinfães – Art’s e Danças do Mundo, Festival de Folclore Internacional do Alto Minho (Viana do Castelo), Folk Cantanhede, Festival Celestino Graça – A Festa das Artes e das Tradições Populares do Mundo (Santarém), , Festimaiorca (Maiorca – Figueira da Foz) e FolkFaro – Folclore Internacional Cidade de Faro. Apenas não estiveram presentes, por razões perfeitamente ponderosas, as representações do Folk Azores (Angra do Heroísmo) e Danças do Mundo, de Santa Maria da Feira.

Nesta primeira Gala CIOFF Portugal houve também lugar para a participação do CIOFF Jovem, que apresentou um vídeo sobre a sua estrutura organizativa e apresentou uma interessante coreografia sobre um tema do reportório de Mariza, tendo representado o Festival Celestino Graça os jovens Francisco Reis e Ana Teresa Guedes.

A Associação CIOFF© Portugal, atualmente presidida pela Fundação INATEL, tem como principais objetivos estabelecer a cooperação e a solidariedade entre os seus membros, nas atividades de carácter desinteressado que desenvolvem no âmbito da organização e participação em Festivais Internacionais de Folclore, bem como na preservação e divulgação da arte e cultura tradicional portuguesa.

ALUNOS BRACARENSES COM FORTE PARTICIPAÇÃO NO PROJECTO "UP CÁVADO"

Empreendedorismo nas Escolas foi o tema da 2.ª edição

A Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva acolheu, esta Quinta-feira a final do concurso municipal da 2.ª edição do projecto ‘UP Cávado: Empreendedorismo nas Escolas’, do qual saíram vencedores dois projectos. ‘Viagem no Tempo’, da Escola Secundária Carlos Amarante e ‘MultiPro’, da Escola Secundária Sá de Miranda, foram os projectos escolhidos para representar Braga no concurso intermunicipal, que irá decorrer a 7 de Junho, em Amares.

Viagem no Tempo - Escola Secundária Carlos Amarante (2).jpg

Neste concurso foram apresentados 12 projectos que envolveram 42 alunos do secundário e do ensino profissional em torno de uma iniciativa que tem como objectivo promover uma cultura empreendedora, a pró actividade, a cooperação e criatividade junto das comunidades educativas, permitindo aos jovens em idade escolar o desenvolvimento de projectos empreendedores.

Trata-se de um projecto que resulta da parceria entre a CIM do Cávado e o Município de Braga, resultando num programa de educação e sensibilização para o empreendedorismo, destinado aos alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário regular e profissional. “Esta é uma oportunidade para os alunos envolvidos estimularem uma cultura empreendedora, exercitando a capacidade de desenvolver projectos e promover a aquisição de conhecimento, fortalecendo uma identidade regional de pertença para com o território”, refere Lídia Dias, vereadora da Educação da Câmara Municipal de Braga, sublinhando que “para ser empreendedor não basta apenas ter uma boa ideia e querer transformá-la numa empresa sem antes trabalhar e estudar muito”.

“Conhecer o que se quer é o primeiro passo de um longo caminho e o projecto ‘UP Cávado’ permite aos nossos alunos a aquisição de competências que, mais tarde, lhes permitirão tomar decisões profissionais mais conscientes e ponderadas”, salienta a vereadora.

O ‘UP Cávado’ encontra-se a ser desenvolvido nos seis Municípios e Agrupamentos de Escola, Escolas não Agrupadas e Escolas de Ensino Profissional da NUT III do Cávado, reunindo um total de 28 escolas, cerca de 1600 alunos e 65 professores, de um universo de 65 turmas, 32 do 3º ciclo do ensino básico e 33 do ensino secundário e profissional.

O Concelho de Braga vê a participar no projecto oito Agrupamentos de Escola e a Escola Profissional de Braga, envolvendo um total 26 turmas, 21 Professores e 596 alunos.

O programa contempla ao longo do ano lectivo o desenvolvimento de oficinas de formação creditadas pelo Ministério da Educação para os professores envolvidos, sessões de acompanhamento e de preparação dos alunos em contexto educativo, culminando com um conjunto de eventos finais organizados por nível de ensino e escala territorial.

São seis Concursos de Ideias Municipais dos projectos desenvolvidos pelos alunos do 3º ciclo, Ensino Secundário e Profissional com ideias de negócio inovadoras. As duas equipas vencedoras de cada concurso municipal são seleccionadas para a fase intermunicipal.

CMB16052019SERGIOFREITAS00000019078 (1).jpg

CMB16052019SERGIOFREITAS00000019072 (1).jpg

MultiPro - Escola Secundária Sá de Miranda (1).jpg

BARCELOS APOIA FREGUESIAS

Câmara Municipal atribui mais de 220 mil euros às freguesias

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou, em reunião ordinária realizada no dia 10 de maio, um conjunto de apoios financeiros a 16 freguesias do concelho, no valor global de 223.000,00€, como comparticipação nas obras de reparação e pavimentação de diversas vias de comunicação e arranjos urbanísticos, obras num cemitério e casa mortuária, levadas a cabo pelas respetivas juntas.

Paços do Concelhobarc.jpg

Ainda na mesma reunião, o executivo municipal aprovou acordos de colaboração com quatro agrupamentos escolares (Alcaides de Faria, Fragoso, Vale do Tamel e Vila Cova) que fixam os termos do apoio financeiro do Município no pagamento de despesas correntes daqueles agrupamentos, num valor global de 31.500,00€.

Ainda na área da educação, foi aprovado o seguinte: a atribuição de um subsídio no valor de 1.500,00€ ao Agrupamento de Escolas de Fragoso, como comparticipação nas despesas da edição da revista escolar e de pequenas reparações nas salas de aula da EBI de Fragoso; a atribuição de um subsídio à Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB1 e JI de Martim, no valor de 2.500,00€, como comparticipação na despesa de colocação de recursos humanos necessários ao apoio permanente a crianças com necessidades educativas especiais; a minuta do acordo de colaboração entre o Município de Barcelos e a Universidade do Porto, tendo em vista a implementação do programa Universidade Júnior, que tem como finalidade a sensibilização dos jovens para a formação superior nas áreas das Ciências, Letras e Artes.

Na área social, destacam-se as seguintes deliberações: apoio ao transporte em ambulância de uma munícipe, para tratamentos no Hospital de Braga, bem como a aquisição de serviço de transporte de mulheres com idades entre os 45 e os 69 anos, para o Instituto Português de Oncologia, no âmbito do rastreio do cancro da mama, promovido pelo ACES Cávado e Liga Portuguesa Contra o Cancro; apoio financeiro nas refeições escolares de seis alunos do 1.º ciclo e jardins de infância; apoio financeiro à renda de casa a 29 agregados familiares; atribuição de um subsídio à Associação Portuguesa de Paramiloidose, no valor de 3.000,00€, como comparticipação nas despesas da renda da sede da instituição; atribuição de um subsídio à Cruz Vermelha de Macieira de Rates, no valor de 1.400,00€, como comparticipação na aquisição de fardamento.

Quanto às restantes deliberações, destaque para a aprovação das normas e termos de participação no Apoio Operacional à Comunidade Artesanal; o interesse no prolongamento do desenvolvimento do programa Contratos Locais de Desenvolvimento Social; o acordo de colaboração com a Streetdogs – Associação de Proteção Animal, que proporciona condições para a adoção e esterilização de animais; o acordo com a Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável, que visa medir a pegada ecológica do Município de Barcelos.

BARCELOS QUER OBTER CERTIFICAÇÃO DO BORDADO DE CRIVO DE S. MIGUEL DA CARREIRA

Certificação do bordado de crivo de S. Miguel da Carreira entra na etapa final. Município de Barcelos promoveu sessão de esclarecimento para os artesãos

O processo de certificação do bordado de crivo de S. Miguel da Carreira vai entrar na etapa final, que consiste nas visitas técnicas às unidades de produção para verificar o cumprimento do caderno de especificações.

Bordado de Crivo.jpg

Nesse âmbito, com o objetivo de elucidar os artesãos interessados em aderir à certificação do bordado de crivo, a Câmara de Barcelos e a União de Freguesias de Carreira e Fonte Coberta promoveram, na terça-feira, 14 de maio, uma sessão de esclarecimento, na Junta de Freguesia de Carreira.

O Vereador do Artesanato, José Beleza, realçou a “aposta do Município no bordado de crivo de S. Miguel da Carreira”, notando que “a certificação é um processo que dá uma garantia de qualidade do produto”.

Agradecendo “a todos os que participam neste processo”, o Vereador do Artesanato considera que, “para Barcelos, é um orgulho haver gente que, com muita dedicação, mantém esta tradição”, desejando que “o processo de certificação venha dar mais motivação na comunidade para continuar a dar valor ao que é nosso”.

Rui Faria, Presidente da União de Freguesias de Carreira e Fonte Coberta, agradeceu “à Câmara Municipal todo o trabalho desenvolvido neste processo e aos artesãos envolvidos”. O autarca local espera que a certificação sirva para “exponenciar o bordado de crivo de S. Miguel da Carreira”.

A sessão contou, ainda, com as intervenções de Fernando Gaspar, representante do CEARTE - Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património, Teresa Costa e Graça Ramos, respetivamente diretora executiva e agente de controlo da ADERE - Certifica, organismo de certificação responsável pelo processo.

Os oradores explicaram os procedimentos que os artesãos terão agora que seguir para certificarem a sua produção, nomeadamente como se processarão as visitas técnicas e a documentação necessária para fazer o pedido de adesão.

O Bordado de Crivo de S. Miguel da Carreira já está inscrito no Registo Nacional de Produções Certificadas desde 29 de junho do ano passado, após a aprovação do caderno de especificações.

No passado dia 23 de janeiro, o Município e a ADERE – Certifica assinaram um acordo de colaboração para a concessão da certificação do bordado de crivo de S. Miguel da Carreira, tornando-se Barcelos o primeiro concelho do país com três produções artesanais certificadas.

Bordado de Crivo 2.JPG

MUNICÍPIO DE BARCELOS PROMOVE JORNADAS DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

Filosofia de Louise Hay em debate nos dias 24 e 25 de maio no Auditório Municipal

As Jornadas de Educação para Saúde realizam-se em Barcelos, nos dias 24 e 25 de maio, no Auditório dos Paços do Concelho e no Paço dos Condes.

Cartaz A4_JornadasEducacaoparaaSaud.jpg

A iniciativa, que irá abordar o tema “Filosofia de Louise Hay”, tem como objetivo abarcar temáticas fundamentais nos domínios da educação, da saúde, da prevenção, informação à comunidade geral com a participação de oradores de diversas áreas ao nível local, regional e nacional, nomeadamente de Vera Faria Leal, Certificadora Mundial de Facilitadores e Coachs do Método “Heal Tour Life” na Filosofia de Louise Hay.

Ao longo do dia 24, serão apresentados vários painéis que irão versar sobre a apresentação do método “Heal your Life” na educação para a saúde; o método “Heal your life” ao serviço da comunidade do Funchal, criando melhor qualidade de vida no concelho; gestão de conflitos e relações interpessoais; como superar o medo, ansiedade e síndrome de pânico na adolescência; dependência afetiva, autoestima e a influência das redes sociais; e padrões de ressentimento, crítica e culpa.

À noite, decorre, no Paço dos Condes, uma cerimónia de homenagem a Louise Hay que contará com a participação da Ordem Templária e  com a atuação do Coral “Magistrói”.

No dia 25, os intervenientes irão debruçar-se sobre a saúde da mulher e as emoções; como as emoções negativas condicionam a saúde; crescer e envelhecer com saúde; ansiedade e novos hábitos saudáveis; relacionamentos: como resgatar o poder pessoal em relações abusivas; o corpo e o poder da mente; a alquimia da felicidade.

Ao longo dos dois dias pretende promover-se o debate, o conhecimento, a partilha de ideias, aprofundando o tema ‘saúde’ e os vários conteúdos que lhes são inerentes.

A ação é promovida pelo Município de Barcelos, no âmbito do projeto de educação para a Saúde da Casa da Juventude, o "Agarra-te à Vida".

As inscrições podem ser feitas até 22 de maio através do preenchimento de ficha de inscrição que pode ser enviada por email através de casadajuventude@cm-barcelos.pt.

Mais informações em www.cm-barcelos.pt

Programabarc.jpg

BARCELOS VAI CALCULAR PEGADA ECOLÓGICA

Município reforça aposta na sustentabilidade

O Município de Barcelos aprovou, em reunião ordinária de 10 de maio, o acordo de colaboração com a ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável para desenvolver o projeto “Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses”, em parceria com a Universidade de Aveiro e a Global Footprint Network.

Barcelos.jpg

A pegada ecológica é uma importante ferramenta de avaliação e monitorização para os governos nacionais e locais que procuram reduzir os riscos e adaptarem-se às alterações climáticas, fomentando uma sustentabilidade global. O cálculo da pegada ecológica pode fornecer um roteiro para uma comunidade que, agora e num horizonte de 20 anos, está a tentar tornar-se ambientalmente saudável, economicamente próspera e equitativa.

O método base a utilizar para calcular a pegada global será o da Global Footprint Network, o mais reconhecido à escala global, permitindo, desta forma, a comparação dos resultados obtidos com qualquer outra cidade ou região do mundo.

As principais vantagens da avaliação e monitorização da pegada ecológica ao nível local são: obter um índice de sustentabilidade ambiental mundial e cientificamente reconhecido para o nível municipal, que prova ser eficaz na sensibilização dos cidadãos e no aumento do envolvimento da comunidade; destacar o papel das cidades / municípios nos debates globais e nacionais sobre sustentabilidade; ajudar os governos locais a acompanhar a procura de capital natural de uma população num dado município ou região e comparar essa procura com o capital natural disponível; informar sobre um amplo conjunto de políticas, que vão desde os transportes, à alimentação, à construção de infraestruturas e ao desenvolvimento do parque habitacional, por forma a determinar quais as propostas e ações mais relevantes; destacar a importância das decisões de infraestruturas de longo prazo; adicionar valor aos conjuntos de dados existentes sobre produção, comércio e desempenho ambiental, fornecendo uma estrutura abrangente para os interpretar.

No seguimento da política desenvolvida pela Câmara de Barcelos no âmbito de adaptação às alterações climáticas, o projeto “Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses” visa, ainda, desenvolver investigação inovadora, não só ao nível da informação sobre a biocapacidade local, bem como na construção de políticas públicas que permitam a coesão territorial, a sustentabilidade e a equidade entre as diversas regiões do país.

O estudo decorrerá por um período de dois anos. No primeiro, será feita a avaliação da pegada ecológica e da biocapacidade de Barcelos e a sua contribuição para a média nacional; no segundo, será desenvolvida a calculadora da pegada ecológica online, específica para o concelho de Barcelos, permitindo que a sociedade civil calcule a sua própria pegada ecológica. Esta ferramenta será hospedada no site do Município e poderá ser usada em vários projetos pelas autoridades locais. O acordo de colaboração prevê, também, um workshop para discutir os resultados da pegada ecológica e opções de mitigação.

O projeto será financiado pelo Município de Barcelos em 20 mil euros por cada ano.

MUNICÍPIO DE BARCELOS PROPORCIONA CONDIÇÕES PARA ADOÇÃO E ESTERELIZAÇÃO DE ANIMAIS

A Câmara Municipal de Barcelos deliberou, em reunião ordinária de 10 de maio, aprovar a minuta do acordo de colaboração com a Associação de Proteção Animal – Streetdogs, que visa a aplicação de um programa de esterilização de animais errantes, bem como a promoção de campanhas de sensibilização para a esterilização, não abandono e adoção de animais.

Cães.jpg

A publicação da Lei n.º 27/2016 de 23 de agosto estabelece a proibição do abate de animais errantes como forma de controlo da população, privilegiando a esterilização, e determina que o Estado, por razões de saúde pública, deve assegurar, por intermédio dos centros de recolha oficial de animais, a captura, vacinação e esterilização dos animais errantes sempre que necessário, assim como a concretização de programas de captura, esterilização e devolução ao local de origem (CED) para gatos. 

Além disso, determina que as câmaras municipais e os centros de recolha oficial de animais devem divulgar ao público, de forma adequada e regular, os animais disponíveis para adoção, nomeadamente através de plataforma informática.

Assim, com este acordo, o Município e a Associação comprometem-se a aplicar um programa de esterilização de animais errantes; aplicar programas de captura, esterilização e devolução de gatos silvestres e assilvestrados aos locais de origem; criar zonas de abrigo adequadas que promovam o bem-estar dos gatos silvestres e assilvestrados e  garantir a sua manutenção através de cuidadores ou voluntários; promover campanhas de sensibilização da população para a esterilização, não abandono e adoção de animais errantes e participar em ações de formação de voluntários, campanhas específicas de adoção, ações de educação nas escolas e noutras iniciativas que sensibilizem os diversos públicos para a temática da defesa dos animais e da sua dignidade como seres vivos sencientes; suportar uma percentagem dos custos de esterilização de animais de companhia detidos por particulares ou famílias ao abrigo de campanhas pontuais de sensibilização; e criar uma base de dados comum com informação relativa a todos os animais intervencionados.

Esta parceria entre o Município de Barcelos e a Associação vem assegurar a proteção, bem-estar e sanidade animal em todo o concelho.

BARCELOS COMEMORA DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS

Câmara Municipal comemora Dia Internacional dos Museus e Noite Europeia dos Museus

A Câmara Municipal de Barcelos associa-se uma vez mais às comemorações do Dia Internacional dos Museus e da Noite Europeia dos Museus, e de forma a assinalar esta data realiza-se, no Museu de Olaria, um conjunto diversificado de atividades para todas as idades. O programa abre no dia 18 com atividades durante a tarde para a comunidade escolar e, às 22h00, tem lugar a exibição da performance audiovisual “An Essence of a Legacy” inspirada na arte e na criatividade do Figurado de Barcelos que tem como objetivo desenvolver uma viagem de experiências percetivas, procurando representar as suas caraterísticas identitárias mais particulares.

Dia Internacional dos Museus_CartazA4barc.jpg

No âmbito da atividade da Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas (AptCC), em que Barcelos está incluído, realiza-se, no dia 19 de maio, a iniciativa  “Bom Dia Cerâmica!”. Barcelos participa no evento, dando particular destaque às artes e ofícios tradicionais, mais especificamente à olaria e ao figurado.

Durante a tarde, no dia 19 de maio, às 14h30, o Campo 5 de Outubro recebe uma Mostra de Olaria e Gastronomia Local. Às 16h00, tem lugar, no Theatro Gil Vicente, o espetáculo de teatro “Argila”, pela Companhia de Teatro da Didascália e, às 17h00, o Campo 5 de Outubro recebe o concerto “Sons do Barro” pelo Grupo de Ocarinas da Banda Musical de Oliveira.

Quanto às restantes exposições patentes no Museu de Olaria, mantém-se, na sala de exposições temporárias “Geração Mistério”, até finais de dezembro e “Abordagens” de Joaquim Esteves, uma exposição de cerâmica, na sala da capela do Museu, até finais de junho.

As exposições têm entrada grátis e podem ser vistas de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 18h00; aos sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00.

YOUTUBER MARCELA TAVARES VEM A BARCELOS

“Youtubers Challenge” traz maior youtuber do Brasil a Barcelos. Marcela Tavares atua no dia 31 de maio, às 21h30, no Auditório Municipal

Marcela Tavares, uma das maiores Youtubers do Brasil, com mais de 500 milhões de visualizações nos seus vídeos, estará em Barcelos, no Auditório Municipal, no próximo dia 31 de maio, às 21h30, onde terá lugar a terceira eliminatória do “Youtubers Challenge”.

Marcela Tavares.jpg

O “Youtubers Challenge”, cuja entrada é gratuita, é um concurso composto por três eliminatórias, onde os concorrentes terão o palco ao seu dispor durante 10 minutos para apresentar o seu número artístico.

O vencedor do “Youtubers Challenge” será aquele cujo vídeo da sua atuação obtiver mais visualizações. A contagem das visualizações termina as 23h59 do dia 23 de junho e o vencedor será anunciado no dia 25 de junho, em direto na Rádio Nova Era, nas redes sociais e site.

Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de Barcelos em parceria com a Layjan e a Rádio Nova Era.

BARCELOS JUNTA COLECIONADORES

As inscrições para o XV Encontro Internacional de Coleccionadores em Barcelos, no próximo dia 25 de maio de 2019, no Estádio Cidade de Barcelos, decorrem a bom ritmo.

instagram.jpg

Devido a uma "dislexia" entre o código de segurança e a sua inserção, bem como a diferença de versões de browser´s de alguns utilizadores tiveram dificuldade na sua inscrição. Para colmatar o problema foi retirado o código de segurança, podendo desde já a continuação das inscrições normalmente. Por tal fato pedimos a vossa máxima compreensão.

Para qualquer esclarecimento adicional ou problema a apontar, por favor contatar acobar@sapo.pt

Para quem tiver encomendas de peças editadas em anos anteriores, podem já realizar as mesmas para agilizar as encomendas e entregas no próprio dia, o pagamento será feito no ato da entrega.

BARCELOS REMOVE JACINTOS NO RIO CÁVADO

A Câmara Municipal de Barcelos promove a remoção de jacintos e de espécies invasoras em todo o perímetro do rio Cávado e lagoas bem como o desvaste na margem do rio, amanhã, dia 8 de maio.

A autarquia convidou os órgãos de comunicação social para uma visita ao local, antecedida de uma reunião no edifício dos Paços do Concelho, com uma sessão explicativa na sala de reuniões da Câmara Municipal, durante a qual será apresentado um vídeo dos trabalhos realizados até ao momento.

Seguidamente, os participantes deslocam-se em viaturas da Câmara Municipal para o local da visita ao Rio.

No local, serão facultadas todas as explicações sobre o planeamento e andamento dos trabalhos, bem como sobre o desenvolvimento da espécie invasora e a sua monitorização.

A Câmara Municipal tem feito uma intervenção no rio Cávado para limpeza dos jacintos de água, uma espécie invasora que se tem desenvolvido rapidamente, particularmente nas zonas mais abrigadas do Rio, cuja presença se nota desde 2003. 

FESTA DAS CRUZES ATRAI MILHARES DE PESSOAS A BARCELOS

Um sucesso com lotação esgotada em todos os eventos! É o balanço que se pode fazer da Festa das Cruzes de 2019. Foram milhares aqueles que escolheram como local de eleição a Festa das Cruzes – um programa deonze dias, que proporcionou a todos grandes momentos de extraordinária adesão popular, como os concertosdo Agir, de Dulce Pontes, do Toy, do Tito Paris, a Batalha das Flores, os fogos de artifício, os tapetes de pétalas e a procissão da Invenção da Santa Cruz.

Arraial Bamos às Cruzes - Espetáculo Blaya.jpg

Com um programa pensado para todos e para todas as idades, e que mobilizou dezenas de coletividades na cidade e no concelho, a edição deste ano foi um verdadeiro sucesso.

Uma das novidades desta edição da Festa das Cruzes 2019 foi a criação do Barcelos Bus Especial com quatro linhas de ligação entre o centro e zonas de estacionamento na periferia o que permitiu reduzir o tráfego nos principais dias de romaria.

Grandiosa Procissão da Invenção da Santa Cruz.jpg

Aquela que é a primeira grande romaria do Minho mantém a matriz religiosa e popular, constituindo uma referência nas tradições culturais da região e do país e que teve, na Procissão da Invenção da Santa Cruz, no dia 3 de maio, feriado municipal, com as cruzes das 89 paróquias do concelho de Barcelos, a sua máxima expressão.

Debaixo de um sol radiante, foram milhares as pessoas que rumaram à cidade para assistirem à Batalha das Flores. A cidade tornou-se pequena para tanta gente que quis participar na “guerra” de pétalas que sobrevoou a Avenida da Liberdade, no dia 1 de maio. A alegria e a diversão foram imensas, ao longo de uma hora, em plena Avenida da Liberdade, na mais saudável de todas as batalhas.

A tradição esteve sempre presente, caso dos tapetes de pétalas na Igreja do Senhor da Cruz, cuja beleza deslumbrou os muitos milhares que, neste dias, visitaram aquele templo. Por outro lado, o arraial “Bamos às Cruzes” que teve este ano como novidade copos de plástico reutilizáveis tornou-se um modelo de sucesso com o recinto a ficar muito mais limpo e arrastou milhares de jovens à Alameda das Barrocas para se divertirem ao longo de seis noites com muita música até de madrugada ao som dos sempre excêntricos Cláudia Martins & Minhotos Marotos, Melão, Blaya, David Antunes, Zé Amaro e Luciana Abreu.

Os arcos de romaria de 52 freguesias do concelho, o folclore de rua, o fogo de artifício (fogo do ar, fogo da ponte, fogo do rio e fogo preso), o Festival de Folclore, das bandas filarmónicas, as rusgas ao Senhor da Cruz,o extenso parque de diversões, bem como a animação constante e diversificada um pouco por toda a cidade, o folclore nacional e galego e os Zés P’reiras, trouxeram milhares de pessoas a Barcelos, contribuindo de igual modo para o êxito de mais uma edição da festa o que permitiu continuar a afirmar-se como a primeira grande romaria do Minho e uma das maiores do país.

A Festa das Cruzes encerrou com um grande concerto de João Fernandes e Amigos e com uma sessão de fogo de artifício no Largo da Porta Nova.

Batalha das Flores.jpg

Espetáculo AGIR.jpg

Espetáculo Dulce Pontes.jpg

BARCELOS RECEBE ESPECTÁCULOS DIVERSIFICADOS

Diversidade marca programação de maio do Theatro Gil Vicente

O Theatro Gil Vicente apresenta no mês de maio uma programação diversificada com cinema, música teatro e magia.

Cartaz Programação TGV maio. jpeg.jpg

O Zoom Cineclube continua a levar o cinema ao Theatro Gil Vicente, com a exibição, no dia 7, às 21h30, do filme “La Pointe Courte”, de Agnés Varda, no dia 14, “Sem Eira Nem Beira”, de Agnés Varda e, no dia 21, “Daguerreótipos” de Agnés Varda. As sessões têm início às 21h30 e têm entrada paga.

No domínio musical, o espaço vicentino recebe, nos dias 11 e 24 de maio, dois concertos no âmbito do triciclo.

Os barcelenses Indignu, porta-estandartes do pós-rock nacional, regressam à sua cidade natal para levar ao palco, dia 11, às 22h00, o quarto disco da sua carreira, “Umbra” (2018). A entrada é livre.

Os espanhóis Za! já são bem conhecidos do público barcelense, após terem dado nas vistas no festival Milhões de Festa. O duo catalão regressa agora a Barcelos no âmbito do triciclo para um concerto na “blackbox” do Teatro Gil Vicente, dia 24 de maio, às 22h00. O bilhete custa cinco euros.

Ainda no âmbito musical, o Ciclo Jazz ao Largo está de volta ao Theatro Gil Vicente e promete uma dinâmica musical no dia 17, às 22h00, com o espetáculo de Mário Delgado Solo.

A sétima arte sobe ao palco do Gil Vicente no dia 12, às 16h00, com a peça “BOCAge” O Mais Honesto Homem para se Amar, uma comédia de escárnio e bem dizer, numa celebração de homenagem que pretende brindar ao poeta “maldito”. BOCAge, com produção de MagiAbrangente (Rita Ribeiro) e encenação de João Ascenso, é um espetáculo onde as atrizes Rita Ribeiro, Sandra José e Alexandra Pato darão vida ao texto de Sandra José.

No dia 19, às 16h00, no âmbito da Comemoração do Dia Internacional dos Museus, o espaço vicentino recebe a peça de teatro “Argila” pelo Teatro de Didascália.

No dia 25, às 21h30, o Theatro Gil Vicente acolhe o XIII Capas Traçadas – Festival de Tunas Femininas Cidade de Barcelos, organizado pela Tuna Feminina do IPCA.

A rubrica “Em família no TGV” reserva a tarde de domingo, dia 26, às 16h, com o espetáculo de magia “Aqui Há magia” de Gustavo Sereno.

Ainda no âmbito da programação cultural do mês de maio, o Município de Barcelos comemora no dia 18 de maio, às 22h00, no Museu de Olaria, o Dia Internacional dos Museus e Noite Europeia dos Museus com a exibição da performance audiovisual“An Essence of a Legacy” inspirada na arte e na criatividade do Figurado de Barcelos que tem como objetivo desenvolver uma viagem de experiências percetivas, procurando representar as suas caraterísticas identitárias mais particulares.

Ainda no dia 31, às 22h00, o Auditório Municipal dos Paços do Concelho recebe a 3.ª eliminatória do “Youtubers Challenge” pela Youtuber brasileira Marcela Tavares.