Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MAIOR CERTAME DE ARTESANATO E CERÂMICA DE BARCELOS FOI UM SUCESSO

Chegou ao fim na passada quinta-feira a 37.ª Mostra Nacional de Artesanato e Cerâmica em Barcelos, que decorreu de 2 de agosto a 15 de agosto.

Capturarbar1.PNG

Foram 14 dias a destacar o que de melhor se faz em Barcelos na área do artesanato, desde a cestaria à olaria, barro figurativo, trabalhos em madeira, ferro e derivados e bordados. Foram muitas as produções artesanais que puderam ser apreciadas no decorrer do certame, uma iniciativa promovida pelo Município de Barcelos, onde participaram mais de uma centena de artesãos.

Capturarbar2.PNG

A Mostra incluiu um vasto programa de animação diária, com diversos espetáculos musicais ao vivo, arruadas dos grupos folclóricos do concelho de Barcelos e atuações de grupos de folclore estrangeiros, participantes no Festival do Rio, entre outras atividades que animaram os 14 dias do certame. Destaque para o envolvimento das associações do concelho que assumiram a animação cultural e para os workshops com os artesão, muito procurados pelos visitantes.

A Gala do Artesanato, que se realizou no sábado, 10 de agosto, foi um dos pontos altos da Mostra e contou com um espetáculo de excelência, protagonizado em exclusivo por artistas barcelenses  que marcou a cerimónia de entrega dos habituais galardões anuais.

Na categoria principal – Prémio Carreira – foi distinguida Maria Inês Ferreira, artesã da freguesia de Galegos S. Martinho, por toda uma vida dedicada ao bordado tradicional do Minho. Os prémios Revelação foram entregues a Luísa Pereira e a Maria Inês Machado, respetivamente, nas subcategorias de Artesanato Tradicional e Contemporâneo. O artesão Carlos Dias arrecadou o Prémio Inovação.

Com um programa diversificado a Mostra voltou a atrair este ano milhares de visitantes ao concelho, uma adesão que espelha o sucesso de um certame que se realiza há quase quatro décadas.

Capturarbar3.PNG

CELORICO DE BASTO REALIZA FEIRA DE ARTESANATO E GASTRONOMIA

XXII Feira de Artesanato e Gastronomia em Celorico de Basto a decorrer no Mercado Municipal. 22ª edição de um certame de sucesso prolonga-se até domingo

“Estabilizado o crescimento a aposta é na qualidade”

Um dos certames mais atrativos da região de Basto abriu oficialmente ao público no dia 14 de agosto e está a fazer as delicias de visitantes, residentes e turistas.

120 stands de artesanato, espaço das artes, 6 restaurantes, espaços para vinhos verdes do concelho, espaços para iguarias gastronómicas e temperaturas elevadas são os ingredientes desta feira que decorre em Celorico de Basto, no Mercado Municipal até ao próximo domingo. 

_DSC5206.jpg

O Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva, durante a abertura oficial deste evento diz que depois de estabilizado o crescimento a aposta é na qualidade. “A aposta é na qualidade, depois de estabilizado o crescimento deste certame o nosso trabalho está voltado para a qualidade do que é apresentado. O melhor artesanato, gastronomia e vinhos, todos em conjunto tornam este certame um verdadeiro sucesso. É um evento de qualidade que atrai muitos visitantes dos concelhos limítrofes e turistas”. O autarca demarcou o potencial económico desta Feira. “Este evento tem um potencial económico muito grande no concelho e no próprio recinto da feira, aqui são feitos muitos negócios. Um grande investimento do Município, mas com um retorno incomensurável”. Quando questionado sobre o retorno desse investimento o autarca disse que “temos excelentes produtos, são chancelas tão boas que é difícil medir o retorno. Um certame que reforça a imagem de Celorico de Basto que é um concelho cada vez mais atrativo para visitantes e turistas”.

_DSC5288 (1).jpg

Joaquim Mota e Silva não deixou de destacar que este é também o certame que reúne a diáspora celoricense. “É um ponto de encontro, de convívio, de reunião de amigos, daqueles que não se vêm há muito tempo. É um espaço de excelência com belos produtos para degustar, para comprar, para contemplar, onde as pessoas se sentem bem”.

Este certame prima pela excelência no artesanato apresentado com vários artesãos ao vivo a mostrar a arte de bem-fazer aos visitantes. Henrique Rodrigues Pereira é artesão na arte de transformar madeira em verdadeiras obras de arte. “Estou nesta feira há 9 anos e gosto muito. Trabalho em madeira e, com algum engenho, transformo-a nestas peças que estão aqui expostas. É um trabalho demorado, meticuloso, mas que faço com muita dedicação e gosto”. Henrique Pereira é, nos últimos anos, a imagem desta feira do Artesanato e Gastronomia e Mostra de Vinhos.

_DSC5368 (1).jpg

Na abertura do certame marcaram presença várias individualidades que acompanharam o Presidente na visita a todos os stands da feira. Uma vista oficial ao som dos Tamegaitas que continuaram a atuação pela noite dentro junto com o Grupo de Cavaquinhos de Arnoia e o Rancho Folclórico de Sta. Maria de Canedo.

O certame decorre até dia 18 de agosto. No sábado e domingo abre portas às 14h30 e hoje abre às 18h00, em todos os dias de feira encerra à 1h00. A entrada é livre e a animação é permanente com vários grupos locais e internacionais a animar os presentes.

_DSC5053 (1).jpg

_DSC5076 (1).jpg

_DSC5329 (2).jpg

CELORICO DE BASTO MOSTRA ARTESANATO E GASTRONOMIA

XXII Feira de Artesanato e Gastronomia em Celorico de Basto arranca esta hoje

Está tudo pronto para dar início a mais uma Feira de Artesanato e Gastronomia em Celorico de Basto. A cerimónia de abertura decorre hoje, quarta-feira, pelas 18h00, junto à entrada do Mercado Municipal.

_DSC3969.jpg

De hoje a 18 de Agosto a vila de Celorico de Basto ganha um fator de atração extra com um dos certames mais requisitados por residentes, visitantes e turistas. Um certame que conta com 150 Expositores entre artesãos, produtores de vinho verde local, restauração e outras iguarias.

_DSC3658.jpg

“Está tudo a ser ultimado para darmos início à XXII Feira de Artesanato e Gastronomia, um certame que prima pela excelência, com artesanato da melhor qualidade e representativo de todo o país” disse Joaquim Mota e silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto. O edil celoricense destaca também a gastronomia e os vinhos verdes locais que estarão presentes no certame. “À semelhança do artesanato teremos a melhor gastronomia e vinho verde de excelência representativo de todo o concelho. Este é um certame muito aguardo por todos desde residentes, a visitantes, emigrantes e turistas pelo convívio que o mesmo proporciona, com um cartaz cultural desenvolvido para aumentar ainda mais essa atratividade.”

Serão 5 tardes/noites plenas de animação, degustação de produtos enogastronomicos, convívio e valorização de várias artes. Um certame também importante para a economia local como destaca Joaquim Mota e Silva. “Este certame mexe de forma muito positiva com a economia local. Felizmente, Celorico de Basto é sempre atrativo nos meses quentes de Verão, sobretudo pela chegada dos milhares de emigrantes que regressam à terra, mas também pelos muitos turistas que gostam do conforto do turismo de natureza, da tranquilidade e, particularmente, da riqueza das atividades promovidas. Por estes dias o alojamento está esgotado, a restauração não tem mãos a medir, tal a procura, e o comércio também vê as suas vendas a crescer. Efetivamente, este tipo de iniciativas são muito procuradas por todos e de ano para ano mostram-se um verdadeiro sucesso”.

Pela Feira de Artesanato e Gastronomia passarão o grupo Tamegaitas, o Rancho Folclórico de Sta. Maria de Canedo, o Grupo de Cavaquinhos de Arnoia, o Rancho Folclórico Amigos do Castelo, a Farrafanfarra, o Grupo de Concertinas Viva Moreira, os Zamburra, os Somos Minho, os Amigos das Tainadas, os Raízes do Minho do Luxemburgo, o Cancioneiro do Alto Minho do Luxemburgo, os Antromilho, o Grupo de Concertinas Viva Moreira, os Gruilha e a Tuna de Arnoia.

cartaz2019 - 1.jpg

sem nome.png

FAMALICÃO: REQUIÃO REALIZA FEIRA DA COMPRA E VENDA DE ARTESANATO E PRODUTOS DA TERRA

Feira da Compra e Venda animou fim de semana em Requião

Realizou-se este domingo, 11 de agosto, mais uma edição da Feira da Compra e Venda de Requião. Desde 2011, que o evento reúne, por esta altura, muitas centenas de pessoas que chegam a Requião para vender e para comprar os produtos da terra e o artesanato genuíno da região.

DSC_0118.jpg

Mais do que uma feira é um encontro, onde toda a gente se conhece, com a população da freguesia e do concelho, mas também muitos emigrantes que se encontram a passar férias na região.

Quem também não faltou á festa foi o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que conhece bem este evento.

A Feira de Compra e Venda de Requião é mesmo considerada a “mãe” das Mostras Associativas que todas as semanas animam as várias freguesias do concelho de Famalicão, tendo em conta que foi o primeiro evento do género a realizar-se.

Ao longo do evento, cerca de 80 expositores apresentaram os seus melhores produtos, numa feira que ficou também marcada pela música, pela boa disposição e pelos petiscos da região.

DSC_0143.jpg

DSC_0800.jpg

FAMALICÃO REALIZA FEIRA DE ARTESANATO E GASTRONOMIA

Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão realiza-se de 30 de agosto a 8 de setembro e conta com perto de uma centena de artesãos, produtores, tasquinhas e restaurantes e espetáculos musicais diários.

Todos os anos, no final do mês de agosto, perto de uma centena de artesãos e produtores de todo o país rumam até Vila Nova de Famalicão onde, durante uma semana, apresentam e criam peças e produtos únicos a partir das mais diversas matérias-primas.

O trabalho ao vivo dos artesãos é um dos pontos fortes do certame.jpeg

Este ano não será exceção e já se contam os dias para a 36.ª edição da Feira de Artesanato e Gastronomia, que decorre de 30 de agosto a 8 de setembro, no recinto do antigo campo da feira do município famalicense.

São dez dias de encontros e reencontros com as tradições, usos e costumes mais ancestrais de Portugal, num espaço que “é uma verdadeira montra da riqueza do nosso património ou não estivessem aqui representados o artesanato e a gastronomia de todo o país - do norte ao sul de Portugal”, explica o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na mensagem de apresentação do evento.

O trabalho ao vivo dos artesãos volta a ser um dos pontos fortes do certame, mas animação é coisa que também não vai faltar. De acordo com o autarca, a Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão “é também um palco de excelência para os talentos locais e nacionais”, com espetáculos musicais diários para todos os gostos.

À semelhança da edição anterior, a Feira de Artesanato e Gastronomia deste ano volta a dedicar uma noite à juventude com um concerto do rapper Jimmy P, no dia 5 de setembro, quinta-feira.

Pelo palco do evento vão passar mais de duas dezenas de artistas. Destaque para a presença já habitual dos ranchos folclóricos e grupos etnográficos do concelho, para as concertinas e cantares ao desafio e para os grupos de música popular, com as atuações, entre outros, dos Pedra D’Água, no dia 7, e Terceira Dimensão, no dia 2 de setembro. A música de câmara vai também subir ao palco da Feira, com um concerto da primeira edição da JOF – Jovem Orquestra de Famalicão, no dia 7 de setembro.

Destaque ainda para o concerto do grupo The Goodies Jazz Gang, no dia 31 de agosto, e de Sandy Kilpatrick & The Origins Band, no dia 4, quarta-feira.

Recorde-se que a entrada na Feira é livre.

Mais informações em www.famalicao.pt.  

Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão 2019

Data: 30 de agosto a 08 de setembro de 2019

Entrada Gratuita

Horários:

Artesanato e Produtos locais:

Segunda a Quinta | 18h às 24h

Sexta | 18h às 01h

Sábado | 14h às 01h

Domingo | 14h às 24h

Restaurantes

Segunda a Quinta | 12h às 15h; 19h às 24h

Sexta | 12h às 15h; 19h às 01h

Sábado | 12h às 01h

Domingo | 12h às 24h

(Domingo, 8 de setembro, encerra às 22h30)

PROGRAMA

Dia 30 de Agosto (Sexta-feira)

18h00 – Abertura do Recinto

21h30 – GALANDUM GALUNDAINA

23h00 – Exibição dos finalistas do concurso nacional de bandas “ROCK NA DEVESA”

Dia 31 de Agosto (Sábado)

15h30 - RANCHO FOLCLÓRICO SANTA MARINHA DE LOUSADO

           - RANCHO FOLCLÓRICO DIVINO SALVADOR DE DELÃES

21h30 – Grupo QUATRO CLAVES

22h30 – THE GOODIES JAZZ GANG

Dia 1 de Setembro (Domingo)

15h00 – GRUPO MUSICAL D’AMIZADE

16h00 – CONJUNTO TÍPICO FRANCISCO DE SOUSA

17h00 – Grupo de Percussão “LEND A HAND”

21h30 – Espetáculo “AMOR (IM)POSSÍVEL” – ACADEMIA GINDANÇA

Dia 2 de Setembro (segunda-feira)

21h30 – Grupo TERCEIRA DIMENSÃO

Dia 3 de Setembro (terça-feira)

21h30 – Conjunto A.M. - ALVORADA MUSICAL

Dia 4 de Setembro (quarta-feira)

21h30 – SANDY KILPATRICK & THE ORIGINS BAND

Dia 5 de Setembro (quinta-feira)

21h30 - Jimmy P. & Convidados

Dia 6 de Setembro (sexta-feira)

21h30 –  FOLC D’AVE 

22h30 – ORQUESTRA SINFÓNICA DO AVE 

Dia 7 de Setembro (Sábado)

17h00 – Grupo de CAVAQUINHOS DO LIBERDADE FUTEBOL CLUBE

21h30 – CONCERTO SINFÓNICO “JOF – JOVEM ORQUESTRA DE FAMALICÃO”         

22h30 – PEDRA D’AGUA

Dia 8 de Setembro (Domingo)

15h00 – ASSOCIAÇÃO DE TOCADORES E CANTADORES AO DESAFIO FAMALICENSE

16h00  - GRUPO ETNOGRÁFICO DE S.TIAGO DA CRUZ

            - GRUPO ETNOGRÁFICO RUSGA DE JOANE

18h00 – Concerto pela BANDA MARCIAL DE ARNOSO SANTA MARIA

Feira realiza-se no recinto do antigo campo da feira.jpg

BARCELOS MOSTRA ARTESANATO E CERÂMICA

37.ª edição da Mostra de Artesanato e Cerâmica reforça identidade cultural do concelho

Catorze dias em que o Artesanato é o Rei e o destaque são os artesãos

A 37.ª Mostra de Artesanato e Cerâmica de Barcelos, que decorre de 2 a 15 de agosto, no Parque da Cidade, apresenta, mais uma vez, um programa de qualidade, em que o principal objetivo é a promoção do artesanato e dos artesãos.

Júlia Côta_workshop.JPG

A Mostra continua a ser o evento do ano na área do artesanato, afirmando Barcelos como Cidade Criativa da UNESCO trazendo à cidade muitos milhares de pessoas, mantendo um cruzamento harmonioso com a gastronomia e os vinhos, a música popular e o folclore nacional e internacional. Este ano a mostra conta também com a presença de uma representação da Cidade Criativa de Gabrovo da Bulgária.

São mais de 130 artesãos, 86 dos quais de Barcelos,  que estão representados neste certame, que conta com cerca de 140 stands espalhados pelas várias áreas do recinto do Parque e com um vasto programa de animação, do qual se destacam os espetáculos de Carminho, do barcelense Victor Rodrigues, Tânia Sampaio ou Zézé Fernandes e o já habitual folclore internacional.

A abertura oficial acontece no dia 2 de agosto, às 18h00, com visita aos expositores e desfile dos grupos de folclore internacional que participam no Festival do Rio 2019 e que também atuam no palco principal da Mostra, no dia de abertura, às 22h00, e também nos dias 5, 6 e 8.

A maior mostra de criatividade em Portugal vai ser novamente um palco de criatividade e de afirmação de Barcelos como grande polo criativo das artes e ofícios tradicionais em Portugal, nos domínios tradicionais e no artesanato contemporâneo, bem como das Queijadinhas de Barcelos e Vinhos verdes.

À semelhança dos anos anteriores, a edição deste ano da Mostra vai brindar o público com diversos espetáculos musicais, arruadas pelos grupos folclóricos e etnográficos, animação de rua e outras atividades que, ao longo da iniciativa, vão animar quem visita o concelho. Depois do sucesso dos dois anos anteriores,  os workshops diários com artesãos do concelho de diversas áreas, dedicados a vários temas, voltam a marcar presença uma vez que conquistaram um lugar de destaque nesta Mostra.

O ponto alto da Mostra é a 9.ª edição da Gala do Artesanato, no dia 10, às 22h00, na qual serão entregues os prémios Carreira, Inovação, Revelação Artesanato Contemporâneo e Revelação Artesanato Tradicional.

A Praça da Alimentação, com a aposta nos sabores tradicionais da região e com música ao vivo, mantém-se como uma das principais atrações do evento.

No plano musical, são muitos os destaques do cartaz. A cantora Carminho atua no dia 3; a música folk portuguesa volta a estar em evidência com os espetáculos de Sérgio Mirra, no dia 4, e do barcelense Victor Rodrigues no dia 9; a música tradicional estará em destaque com o espetáculo de Trastes que atuam no dia 7; no dia 12 é a vez de  Tânia Sampaio; o folk popular destaca-se com Zezé Fernandes no dia 13 e, o evento terminará em grande euforia com o festivo Amigo Loureiro de Barcelos, e muitos outros que farão desta edição um verdadeiro sucesso.

Diariamente, haverá animação de rua e arruadas pelo recinto protagonizadas por grupos de folclore do concelho. Os mais novos poderão divertir-se no parque de insufláveis colocado no Pavilhão Municipal.

Este ano a Feira do Melão, ainda que na Avenida da Liberdade, volta a fazer parte da Mostra nos dias 3 e 4 de agosto o que reforça ainda mais a vertente eclética da Mostra de Artesanato.

A Mostra Nacional de Artesanato e Cerâmica de Barcelos estará aberta de segunda a sexta-feira, das 18h00 às 24h00, e ao fim de semana e no feriado 15 de agosto, das 16h00 às 24h00.

O certame tem como objetivo promover o artesanato e os artesãos, sendo o grande evento anual, afirmando Barcelos como capital do artesanato e trazendo à cidade muitos milhares de pessoas, mantendo um cruzamento harmonioso com a gastronomia e os vinhos, a música popular e o folclore nacional e internacional.

37mostra_cartaz (1).jpg

Chapéus de palha de Cambeses.jpg

Galos de Barcelos.JPG

GRUPO “O CANCIONEIRO DO ALTO MINHO” VEM DO LUXEMBURGO PARA ATUAR EM CELORICO DE BASTO

Celorico de Basto recebe no próximo dia 17 de Agosto o grupo folclórico “O Cancioneiro do Alto Minho”, o qual vai actuar na XXII Feira do Artesanato que se realiza naquela localidade minhota.

67334380_345281133024649_6306608386922250240_n.jpg

Justamente considerado um dos melhores grupos folclóricos constituídos no seio das comunidades portuguesas, “O Cancioneiro do Alto Minho encontra-se sediado no Luxemburgo, um dos países europeus no qual os nossos compatriotas possuem maior representatividade em termos populacionais atendendo à dimensão do país.

67401796_496630164488642_1057538256716955648_n.jpg

Fundado em 14 de janeiro de 2014 por Berto Silva, Steven Gaspar e Cindy Rocha, “O Cancioneiro do Alto Minho” tem-se destacado na defesa e divulgação das nossas raízes minhotas, contribuindo de forma notável também para a preservação da identidade das nossas gentes ali radicadas e assumindo-se como elo de união da comunidade portuguesa.
Com apenas 5 anos de existência, obteve por parte da Federação do Folclore Português o reconhecimento que lhe permitiu ser aceite como membro aderente, esperando que o caminho traçado o conduza a seu tempo a ser admitido como sócio efectivo.
Os trajes são do espólio do grupo e os lenços são todos antigos, portanto originais e não reproduções.
Realizam regularmente os seus ensaios em Bettembourg, no Café “As Minhotas” e tem como dirigentes os seguintes nossos conterrâneos:
Direção:
- Berto Silva: Presidente
- Christine Silva: Vice-Presidente
- Leonor Mota: Tesoureiro
- Sandra Mota: Secretaria
- Sandrine Antunes: Secretaria
- Ensaiador e responsável pelos trajes: Berto Silva
Em 2018, O Cancioneiro do Alto Minho desloca-se à Alemanha para representar Portugal no Europäischer Folklorefestival em Bitburg.
No próximo dia 14 de Janeiro, organiza no Centre Culturel de Cessange, no Luxemburgo, o seu festival de folclore para assinalar o seu 4º aniversário. E, para o felicitar, cantar e dançar, lá estarão também o grupo “Os Minhotos do Distrito de Viana (Vitry/Seine), de França; o Grupo Etnográfico “O Ribatejo”, de Bruxelas – Bélgica; o Grupo Folclórico de Gross, de Umstadt, da Alemanha; o Alegria do Minho, de Wiltz – Luxemburgo e o grupo As Lavradeiras do Minho, de Mersch – Luxemburgo.
Situado em plena Europa central, entre a França, a Bélgica e a Alemanha, o Grão-Ducado do Luxemburgo é um pequeno país com pouco mais de meio milhão de pessoas, de entre os quais conta com 17% de emigrantes portugueses e seus descendentes.
A actuação em Celorico de Basto do grupo “O Cancioneiro do Alto Minho” contitui uma excelente oportunidade de assistir à sua actuação e aplaudir um rancho que deve constituir uma referência também para muitos agrupamentos folclóricos da nossa própria região ou seja, criados e mantidos no Minho!

67480173_479527025925564_2395438981945753600_n.jpg

66649240_2331369203746588_6107276339079806976_n.jpg

66840671_385093172211823_9032629562827079680_n.jpg

67092555_2524686994229496_5702415284191625216_n.jpg

67151292_1475265029277625_862238564690165760_n.jpg

67175628_478392432990816_661024659747110912_n.jpg

67279504_2307868456194499_727340574000021504_n (1).jpg

CERVEIRA RECEBE ARTES E OFÍCIOS TRADICIONAIS

III BIA – Artes e Ofícios Tradicionais: 4 dias de tradição e valorização do artesanato

Entre 18 e 21 de julho, 34 artesãos de Portugal e Espanha participam na terceira edição da BIA – Artes e Ofícios Tradicionais, em pleno centro histórico. Pelo forte cariz tradicional, este evento conta ainda com a realização de nove showcookings, três workshops temáticos e quatro concertos. Inauguração está marcada para as 16h00, da próxima quinta-feira.

Cartaz BIENAL ARTESANATO.jpg

Palco de fomento e dinamização de práticas e expressões culturais populares nacionais e internacionais, a BIA – Artes e Ofícios Tradicionais de Vila Nova de Cerveira assume-se como um espaço de intercâmbio singular que procura reavivar antigas tradições e costumes, preservando-as e harmonizando-as com a modernidade.

A terceira edição da BIA conta com uma programação diversificada e transversal a todos os públicos, proporcionando quatro dias de festa em torno da valorização do artesanato e das artes decorativas.

No Largo do Terreiro, 34 artesãos portugueses e espanhóis vão colocar à venda peças genuínas de áreas tão diversas como cestaria, cerâmica figurativa, artefactos em madeira, a arte em cobre, olaria, joalharia contemporânea, cosméticos artesanais, pintura, artigos de decoração, rendas e bordados.

À semelhança da edição anterior, está prevista a demonstração ao vivo da elaboração de cestos em vime e, na categoria de olaria, este ano está patente, na Loja do Crochet (Terreiro), a exposição para venda de peças da geração Ramalho, nomeadamente de António Ramalho que, por estes dias, está a conceber peças exclusivas para a BIA. O programa integra ainda a dinamização de três workshops de participação gratuita, dedicados ao Crochet, à Renda de Bilros (Goian, Tomiño) e à Fadas de Lã. O objetivo é transmitir conhecimentos de técnicas, incentivando à sua aprendizagem, em particular envolvendo as novas gerações.

Ao nível gastronómico, há nove participantes com propostas muito sugestivas dos sabores e hábitos alimentares característicos da região alto-minhota, como a confeção da Bôla de Sardinha, da Broa de Milho, do Bolo do Tacho, dos Biscoitos de Milho (demostração ao vivo), do Caldo Verde e da Cerveja Artesanal.

A animação também não foi descurada, havendo quatro concertos de música tradicional com quatro cabeças de cartaz que vão subir ao palco instalado na Praça do Alto Minho, a saber: Sons do Minho (dia 18), Cristina Sá (dia 19), 6TÀS9 (dia 20) e Sérgio Mirra (dia 21). Os espetáculos estão agendados para as 22h00, com exceção do sábado à noite que inicia uma hora mais cedo.

A inauguração da III BIA – Artes e Ofícios Tradicionais decorre às 16h00, da próxima quinta-feira, dia 18, prolongando-se até às 24h00, sendo o horário de funcionamento replicado no segundo dia, 19 de julho. Para o fim-de-semana, no sábado, dia 20 de julho, o evento decorre entre as 11h00 e as 24h00; e no último dia, entre as 11h00 e com encerramento às 23h00.

FOLKLOURES'19: GASTRONOMIA TAMBÉM É FOLCLORE!

O FolkLoures’19 inclui uma prova de vinhos arintos de Loures e de Ponte de Lima, a que se junta o Folar Limiano, o chouriço e o presunto. A liderar a degustação estará o Chef João Pedro que foi eleito o Melhor Cozinheiro Jovem Portugal 2017.

João-Pedro-Coelho-no-Concurso-Cook-Off

O evento conta com a participação dos confrades da Confraria dos Vinhos de Bucelas do qual Teotónio Gonçalves – Presidente do Grupo Folclórico Verde Minho – também é membro. Espera-se que idêntica iniciativa venha a ter lugar oportunamente em Ponte de Lima.

Trata-se de uma iniciativa que celebra a amizade entre os dois concelhos – Loures e Ponte de Lima – que através de eventos como este e a promoção do arroz de sarrabulho com rojões, estão a caminhar no sentido de uma estreita colaboração e, quem sabe, na geminação dos dois municípios.

FOLKLOURES DÁ PRIMAZIA AO ARTESANATO TRADICIONAL

FolkLoures’19 canta de galo à moda de Barcelos

O Galo de Barcelos vai constituir a principal lembrança que o Grupo Folclórico Verde Minho oferecerá aos participantes na edição deste ano do FolkLoures. Tta-se de uma peça que saiu directamente das mãos da conceituada ceramista barcelense Júlia Côta para a organização do FolkLoures.

IMG_9165.JPG

Ciente da sua responsabilidade no que à divulgação do folclore diz respeito, incluindo o artesanato tradicional, o Grupo Folcórico Verde Minho não deixa os seus créditos por mãos alheias.

O folclore não se restringe à representação do traje, das danças e cantares do povo de antigamente. Ele também abrange outras manifestações da sabedoria popular, inclusive o artesanato, porventura a que melhor caracteriza o talento artístico e desenvolvimento psíquico do povo.

Numa altura em que as peças em acrílico e outros materiais recentes, não raras as vezes produzidas através de meios informáticos ou industriais, se tornaram escolha habitual das organizações de vários festivais de folclore, a preferência do artesanato tradicional por parte da organização do FolkLoures é um exemplo a seguir!

IMG_9164.JPGDSCF4734.JPG

ARTESÃOS LIMIANOS LEVAM AS SUAS ESCULTURAS À FEIRA INTERNACIONAL DO ARTESANATO

“Pedras Sequeiros” é uma marca conceituada em Ponte de Lima e, de uma maneira geral, em todo o Minho. São artesãos que do mais tosco bloco de pedra arranca as mais esplêndidas representações escultóricas e outros motivos artísticos.

DSCF4730.JPG

É o maçon que da pedra bruta procura a perfeição humana, o artesão é como o ourives que com a maceta, escôpro e cinzel, burilam as mais magníficas peças da nossa cantaria como se da mais requintada ourivesaria se tratasse – é a filigrana feita a partir da rocha bruta do nosso mais duro granito!

Ele é o verdadeiro poeta que da pedra fez poema e na Feira Internacional do Artesanato fez um autêntico sarau, fazendo das suas pedras verdadeiros poemas e da Feira Internacional do Artesanato um granndioso recital de poesia à sua arte de transformar a pedra em poema!

DSCF4730 (1).JPG

DSCF4731.JPG

BARCELOS CANTA DE GALO EM LISBOA NA FEIRA INTERNACIONAL DO ARTESANATO

O concelho de Barcelos continua a afirmar-se como a capital portuguesa do artesanato. Dezenas de artesãos montaram os seus expositores na Feira Internacional de Artesanato que foi hoje inaugurada em lisboa, nos pavilhões da FIL. E não foi apenas a olaria… os artesãos de Barcelos mostram o que valem em todas as formas de artesanato!

DSCF4714.JPG

Contam-se às dezenas os artesãos barcelenses que todos os anos marcam presença neste grandioso evento. Apenas a registar que, ao contrário de anos anteriores, os barcelenses não garantiram uma área de exposição comum, encontrando-se os seus expositores dispersos por todo o pavilhão, o que dificultou de alguma maneira a sua localização por parte dos visitantes. De resto, todo o Minho bem poderia falar a uma só voz, assegurando um espaço comum para todos os artesãos e representações da nossa região.

Não obstante a dispersão verificada, Barcelos não deixou de cantar de galo que é como quem diz: quanto ao artesanato diz respeito, ninguém carcareja mais alto do que o galo de Barcelos!

DSCF4717.JPG

DSCF4720.JPG

DSCF4721.JPG

DSCF4722.JPG

DSCF4723.JPG

DSCF4724.JPG

DSCF4727.JPG

DSCF4733.JPG

DSCF4734.JPG

DSCF4737.JPG

DSCF4738.JPG

DSCF4739.JPG

ESCOLA DE CONCERTINAS FILIPE OLIVEIRA DÁ MÚSICA NA FEIRA INTERNACIONAL DO ARTESANATO

A Escola de Concertinas Filipe Oliveira animou a tarde no pavilhão dos restaurantes da Feira Internacional de Artesanato, com as suas modas bem ao jeito da nossa região.

Seja onde for, a alegria minhota é indispensável para que a festa seja um sucesso. E, com tão exímios tocadores de concertina, é caso para proclamar: E viva o Minho!

DSCF4755.JPG

DSCF4786.JPG

DSCF4793.JPG

DSCF4794.JPG

DSCF4795.JPG

DSCF4796.JPG

VIANAFESTAS LEVA À FEIRA INTERNACIONAL DO ARTESANATO AS ROMARIAS DE VIANA DO CASTELO

As portas de mais uma edição da Feira Internacional do Artesanato abriram-se e, eis que a receber à entrada o numeroso público, dois manequins de grandes dimensões a representar um casal minhoto com os seus trajes domingueiros de lavrador e lavradeira, à moda vianense, davam as boas-vindas aos visitantes: Somos todos Romaria!

DSCF4710.JPG

O pavilhão da VianaFestas situa-se quase à entrada do pavilhão 1, do lado direito, e é um dos mais deslumbrantes e completos de todo o certame – uma excelente representação da nossa região naquela que é considerada uma das mais importantes feiras de artesanato que se realizam na Europa.

DSCF4743.JPG

A simpatia e graciosidade de duas moças vianenses trajadas a rigor cativam os visitantes. E, quanto ao artesanato propriamente dito, desde a tecelagem e o traje aos bordados, é uma panóplia de peças que só atestam a qualidade artística e o lavor requintado da mulher vianense.

Tal como um dia o escritor Ramalho Ortigão descreveu na sua obra “As Farpas”, “O marido minhoto, por mais boçal e mais grosseiro que seja, tem pela mulher assim produtiva um respeito de subalterno para superior, e não a explora tão rudemente aqui como em outras regiões onde a fêmea do campónio se embrutece de espírito e proporcionalmente se desforma de corpo acompanhando o homem na lavra, na sacha e na escava, acarretando o estrume, rachando a lenha, matando o porco, pegando à soga dos bois ou à rabiça do arado, e fazendo zoar o mangual nas eiras, sob o sol a pino, à malha ciclópica da espiga zaburra.”

DSCF4740.JPG

DSCF4746.JPG

DSCF4756.JPG

DSCF4805.JPG

DSCF4806.JPG

DSCF4818.JPG

FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO ABRE HOJE AS PORTAS

A maior feira de artesanato da Península Ibérica promove o artesanato nacional e de várias partes do Mundo

Inicia-se este sábado, dia 29, e prolonga-se até dia 7 de Julho, a 32ª edição da FIA – Feira Internacional do Artesanato, a maior feira de artesanato da Península Ibérica e a segunda maior da Europa, na FIL. Durante nove dias, a feira abre portas às 15h00 e encerra às 24h00, com três pavilhões ocupados e mais de 600 expositores.

59777647_2487428084603717_8944555666375180288_n (6).jpg

O convidado especial desta edição é o Município de Caldas da Rainha, cidade com história e famosa pelo seu artesanato único no país, que foi uma escolha óbvia da organização da FIA: “enquanto centro de produção artesanal, o Concelho das Caldas da Rainha apresenta o melhor do artesanato popular, possuindo no seu património diferentes tipos de peças que são reconhecidamente do agrado dos portugueses, seja pela sua conotação humorística ou pela simbologia de reacção ao sistema”.

Caldas da Rainha estará assim destacada no pavilhão do artesanato português, que reúne 235 entidades, empresas e artesãos a título individual, com o objectivo de promover e divulgar o que de melhor se faz no artesanato português e servindo de montra para os artesãos portugueses mostrarem o seu trabalho. As entidades regionais do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve estarão igualmente representadas, assim como a Região Autónoma da Madeira e dos Açores.

A FIA, enquanto feira promotora do encontro entre culturas, apresenta também artesanato de todo o Mundo. No pavilhão internacional estão reunidos cerca de 40 países da América do Sul, África, Ásia e Europa, num total de mais de 300 expositores.

Promover o artesanato é também possibilitar ao visitante a hipótese de comprar peças únicas a preços exclusivos, sejam echarpes, biquínis, tapeçaria, tecidos, bijuteria, marroquinaria, peças de vestuário e de artesanato, entre outras. O factor distinto e personalizado destaca-se, uma vez que na FIA é possível adquirir peças feitas ao gosto pessoal do visitante.

Complementariamente à oferta de artesanato, a FIA é também gastronomia. No terceiro pavilhão da FIL encontra toda uma variedade de produtos gastronómicos das diferentes regiões do país e os visitantes podem ainda almoçar e jantar em restaurantes regionais dentro da feira! Ao todo, são mais de 40 expositores que se dedicam às delícias gastronómicas, desde as alheiras de Mirandela, às cerejas do Fundão, ao presunto e queijo da Serra, aos ovos moles de Aveiro passando pelo pão de Mafra, os enchidos do Alentejo e terminando com alguma doçaria algarvia, entre outros.

A grande novidade é a introdução de uma área intitulada “Peixe na FIA”, que segue a linha de promoção, não só do Património Artesanal, mas também do Gastronómico Regional, cada vez mais um importante atractivo turístico-cultural e um factor impulsionador do desenvolvimento e da riqueza local e nacional.

Pavilhão da Gastronomia com entrada livre entre as 12h30 e as 14h30

A FIA está aberta todos os dias e 29 de Junho a 7 de Julho das 15h00 às 24h00 – o pavilhão 3, da gastronomia, está aberto a partir das 12h30, com entrada livre entre essa hora e as 14h30.

Os bilhetes podem ser adquiridos online, a 7€, com desconto em relação aos bilhetes adquiridos nas bilheteiras da FIL. Existe também desconto para jovens e seniores (apenas se comprados nas bilheteiras físicas, por ser necessário comprovativo de condição) e packs familiares de 3 e 4 pessoas (se comprados online).

BARCELOS VOLTA A PARTICIPAR NA FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO

Bordado de Crivo de S. Miguel da Carreira estará em destaque

O Município de Barcelos estará representado, pela 14.ª vez consecutiva, na Feira Internacional de Artesanato – FIA, em Lisboa, de 29 de junho a 7 de julho. A FIA é um certame de referência na Península Ibérica no âmbito da promoção do artesanato português e estrangeiro.

Bordado de Crivobarcel.JPG

A imagem do stand de Barcelos consistirá num conjunto de várias produções artesanais locais, ao nível tradicional e contemporâneo, com especial destaque para o Bordado de Crivo de S. Miguel da Carreira, que se encontra em processo de certificação, já inscrito no Registo Nacional de Produções Certificadas, desde 29 de junho do ano passado. Trata-se de uma produção tradicional de qualidade excecional com características muito próprias e diferenciadoras de produções congéneres e com muita notoriedade no mercado de Lisboa.

Barcelos, enquanto Cidade Criativa da UNESCO, assume maior responsabilidade relativamente à promoção, preservação e valorização do artesanato barcelense em certames desta magnitude, no sentido de tornar realidade a sua internacionalização e promover o desenvolvimento  sustentável deste setor económico que promove a empregabilidade de dezenas de famílias.

A participação na FIA integra-se na estratégia de promoção do turismo criativo com artes tradicionais, registo no qual Barcelos se quer posicionar também como referência a nível nacional.

O Município espera ainda envolver a comunidade artesanal neste evento transformando-o num palco de divulgação da excelência do artesanato produzido em Barcelos.

FIABarcelos.jpg