Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO ESTÁ EM LISBOA NA FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO

A partir de hoje e até dia 3 de julho, o Município de Viana do Castelo participa na 34º Feira Internacional de Artesanato (FIA), que decorre na FIL, em Lisboa, naquela que é a maior mostra de artesanato nacional e internacional na Península Ibérica e a segunda maior na Europa.

Esta participação vianense integra apresentação da oferta de alojamento, restauração, serviços de animação turística, artesanato, património natural e cultural, lazer, entre outros, para além de incluir uma mostra do Bordado Certificado de Viana do Castelo pelas artesãs Conceição Pimenta e Augusta Gil.

Neste momento inicial da Feira marcam presença a tocata do Grupo Folclórico das Lavradeiras da Meadela e as artesãs do bordado vianense.

O Secretário de Estado do Trabalho, Miguel Fontes, já teve oportunidade de visitar o stand vianense.

Os Sons do Minho vão ainda atuar neste primeiro dia.

289086219_5543645669000136_7072065894016015116_n.jpg

289049710_5543645975666772_1555579196284259350_n.jpg

289167000_5543646269000076_3210557911196938901_n.jpg

288240847_5543646445666725_3893485705683656313_n.jpg

289184795_5543646932333343_2095839718540890210_n.jpg

BARCELOS EM LISBOA NA FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO

De 25 de junho a 3 de julho

O Município de Barcelos marca presença na FIA - Feira Internacional de Artesanato, que decorre em Lisboa, de 25 de junho a 3 de julho. Esta é mais uma excelente oportunidade para promover e divulgar o artesanato de Barcelos, nas suas mais variadas formas e materiais.

barcgalos.jpg

Barcelos, como o maior centro de produção artesanal no país e membro integrante das Cidades Criativas da UNESCO, pretende com esta participação dar a conhecer o enorme potencial criativo que existe no concelho, sensibilizando o público em geral para a valorização e preservação das artes e ofícios, um património cultural imaterial de valor incalculável que identifica as gentes e as respetivas culturas.

FIA (1).jpg

Para a presença nesta edição, o Município apostou numa nova imagem, mais dinâmica e renovada.

No stand atribuído a Barcelos, serão realizados workshops criativos de pintura de galos e de modelação de barro, potenciadores de novas experiências aos visitantes da feira.

A edição deste ano conta com uma grande representação de artesãos de Barcelos. Contando com o apoio do Instituto de Emprego e Formação Profissional vão estar representados António Ramalho, Conceição Sapateiro, Mina Gallos, Joaquim Messias, Laurinda Pias, Conceição Messias, Irene e António Salgueiro, Júlia e Prazeres Cota e Cidália Trindade todos barristas de figurado. Marcam igualmente presença, Conceição Dias Pereira (tecelagem) e Fátima Miranda e Rosa Cristina Sá (artesanato contemporâneo). O Município de Barcelos também está presente ostentando as produções certificadas da Olaria, Figurado e Bordado de Crivo da Carreira, no stand da “A. certifica” visando a promoção da excelência dos produtos artesanais certificados.

A Feira Internacional de Artesanato é considerado o maior certame do ramo, a nível nacional, servindo de grande montra para a maior parte das artes e ofícios produzidos em Portugal mas também com elevado número de artesãos estrangeiros.

barcrendas.jpg

BARCELOS: MUSEU DE OLARIA RECEBE EXPOSIÇÃO “AQUA 32” DE CARLOS ENXUTO

Exposição na Sala da Capela até 25 de setembro

A Sala da Capela do Museu de Olaria recebe, de 24 de junho a 25 de setembro, a exposição “ Aqua + 32”, do ceramista caldense Carlos Enxuto, que este ano completa 32 anos de carreira.

museolarbar.jpg

A escolha da designação da exposição não foi aleatória; antes tem simbologia especial: “Aqua” porque se trata de um elemento imprescindível para o trabalho na cerâmica e a sua forte ligação à Ria de Aveiro; “+ 32” porque assinala os seus 32 anos de carreira.

As suas peças retratam, maioritariamente, tigelas. Toda a peça começa e termina numa tigela. Inspirado nas técnicas ocidentais e orientais, a sua cerâmica caracteriza-se por ser feita a altas temperaturas, num misto de técnicas antigas e atuais.

Natural das Caldas da Rainha, Cidade Criativa da UNESCO em 2019, Carlos Enxuto vem agora expor noutra “Cidade Criativa”  - Barcelos -, que passou a integrar a  Rede de Cidades Criativas, no ano de  2017.

Carlos Enxuto é um autor conceituado na área da cerâmica, pertence à Academia Internacional de Cerâmica, tal como Barcelos, e tem uma forte componente ligada à criatividade.

A exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h00, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Sobre o autor – Carlos Enxuto

Nascido em 1963, desde cedo teve contacto com a cerâmica, e logo na juventude emergiu a sua vontade de criar, manifestando-se através da pintura, do desenho e da escultura.

Em 1988, iniciou a sua formação no CENCAL, nas Caldas da Rainha, cidade reconhecida como um dos principais centros cerâmicos portugueses e hoje reconhecida como Cidade Criativa da UNESCO no panorama do Artesanato e Arte Popular.

Foi ainda em 1989 que se estabeleceu com o seu espaço próprio e, em 1990, obteve o seu primeiro reconhecimento com o prémio “Recuperação de Formas Tradicionais”, no concurso de Design Cerâmico, Caldas da Rainha. Este foi apenas o primeiro de muitos. Dedicou grande parte da década de noventa e do novo milénio ao ensino, à investigação e à experimentação em vários domínios da produção de cerâmica a altas temperaturas e inspirado em técnicas milenares orientais e ocidentais da produção de cerâmica, que associa à sua paixão pela escultura nas suas criações artísticas em cerâmica.

Hoje, conta com 32 anos de uma carreira inteiramente dedicada à cerâmica, e soma dezenas de exposições individuais e coletivas, nacionais e internacionais. Recentemente, foi premiado na Bienal de Aveiro 2021 e é atualmente membro da Academia Internacional de Cerâmica.

PRESIDENTE DA CÂMARA DE BARCELOS OFERECE ARTESANATO BARCELENSE AO PAPA FRANCISCO

Já chegou ao Vaticano a imagem de Santiago que o presidente da Câmara de Barcelos remeteu ao Papa Francisco. Trata-se de uma peça do Figurado de Barcelos que o presidente da Câmara ofereceu a Sua Santidade, aquando da deslocação a Roma de uma delegação da “Região de Turismo do Porto e Norte de Portugal”.

288762615_5770274383005253_60556356425966734_n.jpg

Mário Constantino aproveitou a ocasião para endereçar uma mensagem, na qual saúda Sua Santidade e refere: “A cidade de Barcelos, localizada na região do Minho, norte de Portugal, é o epicentro do Caminho Português de Santiago, sendo atravessada diariamente por dezenas de peregrinos que se dirigem a Compostela, de que dista 195 quilómetros.

Aproveitando a visita que a delegação de Turismo do Porto e Norte de Portugal está a fazer ao Vaticano, remeto a Vossa Santidade pequenas e singelas lembranças da nossa Terra, nomeadamente um galo de Barcelos, o nosso maior ex-libris, a imagem de Santiago e um livro ilustrado por um artista barcelenses relativo ao Caminho de Santiago, e a lenda do milagre das Cruzes de que resultou a construção do Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz e a nossa grande festividade anual, a Festa das Cruzes.

Em nome do povo de Barcelos, que represento enquanto presidente da Câmara Municipal deste concelho, saúdo Vossa Santidade, desejando-lhe muito saúde”.

VIANA DO CASTELO PARTICIPA NA FIA – FEIRA INTERNACIONAL DE ARTESANATO DE 25 DE JUNHO A 3 DE JULHO

O Município de Viana do Castelo participa, entre 25 de junho e 3 de julho, na 34º Feira Internacional de Artesanato (FIA), que decorre na FIL, em Lisboa, naquela que é a maior mostra de artesanato nacional e internacional na Península Ibérica e a segunda maior na Europa.

Assim, Viana do Castelo apresenta-se no Pavilhão 1 da FIL, num stand promocional de 18 metros quadrados (Nº 1B10) que aposta na divulgação turística do concelho. Esta participação vianense integra apresentação da oferta de alojamento, restauração, serviços de animação turística, artesanato, património natural e cultural, lazer, entre outros, para além de incluir uma mostra do Bordado Certificado de Viana do Castelo.

No Espaço Workshop's FIA serão promovidos dois workshops de iniciação à arte de bordar pela artesã Conceição Pimenta: dia 27 de junho com “Bordados de Viana do Castelo” e dia 28 de junho com “Lenços de Namorados do Minho”. Nos dias 25, 26, 29 e 30 de junho serão ainda realizados momentos de degustação de doces tracionais de Viana do Castelo no stand do Município.

Esta edição conta com mais de 400 expositores de 31 países, tendo contado nos 9 dias da edição de 2021 com mais de 22.000 visitantes, naquela que foi uma edição realizada ainda em situação de pandemia.

Para a edição de 2022, a Feira Internacional do Artesanato irá preencher três pavilhões diferentes, num total de 30.000 m² de área expositiva. No Pavilhão 1, estará presente o Artesanato Nacional, no Pavilhão 2, o Artesanato Internacional e no Pavilhão 3, a Gastronomia e os Vinhos. Os Pavilhões de Exposição (1 e 2) estarão abertos entre as 15h00 e as 24h00. Já o Pavilhão da Gastronomia (3) funcionará das 12h30 às 24h00, com entrada gratuita até às 15h00.

A FIA Lisboa é uma plataforma de excelência para a promoção da identidade e desenvolvimento dos territórios nacionais e estrangeiros designadamente ao nível económico, cultural e turístico. Apoia o desenvolvimento regional e as culturas locais, através de várias vertentes do património cultural material e imaterial – artesanato, gastronomia, recursos naturais, atividades culturais e turísticas, entre outras, procurando evidenciar micro, pequenas e médias empresas nacionais, entidades e organismos oficiais ligados a projetos que visam a promoção e divulgação dos territórios, bem como a venda dos produtos regionais.

FIA.JPG

CONFEITARIA EM PALMELA ADOÇA A TRADIÇÃO VIANENSE

A Confeitaria S.Julião está localizada em Palmela e a sua filosofia baseia-se numa forte aposta na qualidade, inovação e promoção da doçaria regional. Uma das suas especialidades é a fogaça de Palmela em forma de coração de Viana. Mas, o coração de Viana – obra-prima da nossa ourivesaria tradicional – adquire outras formas graças à arte dos mestres confeiteiros palmelenses que lhes conferem um paladar doce e único.

286927588_10218298289843403_7952283790265741983_n.jpg

286392650_10218295722979233_5507625661384598728_n.jpg

Fogaça de Palmela em forma de coração de Viana

ESPOSENDE: TURISMO CRIATIVO VALORIZA E PROMOVE JUNCO DE FORJÃES

Apresentação do livro “Creatour”

 “O Município tem o foco muito bem direcionado para o que é importante”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, na sessão de apresentação do livro “Creatour: catalisando o turismo criativo em cidades de pequena dimensão e em áreas rurais”, que decorreu na manhã de hoje, 21 de maio, no Centro Cultural de Forjães.

_DSC7831.JPG

Trata-se de uma publicação editada pela Imprensa da Universidade de Coimbra e que resulta do trabalho desenvolvido no âmbito do projeto Creatour, que envolveu cinco centros de investigação e 40 organizações que conceberam e implementaram projetos-piloto de turismo criativo em todo o país. Entre estes inclui-se o EScriativo, do Município de Esposende, projeto que, entre outras temáticas, contempla a promoção das atividades de junco, uma arte centrada em Forjães, terra natal do Presidente da Câmara Municipal, que assumiu a sua satisfação por ver esta atividade revitalizada num contexto de turismo criativo.

Este programa enquadra-se no Plano de Ação para a Sustentabilidade, Crescimento e Competitividade do Turismo em Esposende – 2018_2022 e assume um âmbito mais vasto no âmbito da estratégica do Município de valorização e potenciação do seu território, clarificou o autarca Benjamim Pereira, lembrando que Esposende foi o segundo município do Norte que mais cresceu, em resultado de um conjunto de fatores que contribuem para a sua atratividade. Graças à sua situação financeira estável, o Município tem conseguido alavancar e concretizar os mais variados projetos, numa estratégia de desenvolvimento integrada, harmoniosa e sustentável de todo o concelho, referiu o autarca. Neste contexto, a Rede de Museus do Concelho de Esposende ganha um novo impulso com a criação do Centro Interpretativo do Junco, que irá nascer no Centro Cultural de Forjães, e do Museu do Sargaço, que ficará instalado em Apúlia. Benjamim Pereira deu ainda nota de que também os achados arqueológicos do naufrágio de Belinho terão um espaço museológico, no Forte de S. João Batista, integrando esta Rede de Museus.

A par da criação do Centro Interpretativo, a certificação do junco de Forjães, cujo processo se encontra na reta final, contribuirá para uma maior valorização desta arte e deste produto, vincou o Presidente da Câmara Municipal, considerando que o livro “Creatour: catalisando o turismo criativo em cidades de pequena dimensão e em áreas rurais” irá contribuir para dar visibilidade ao Junco de Forjães. Felicitou todos quantos contribuíram para esta publicação e manifestou total disponibilidade do Município para eventuais parcerias que possam contribuir para promover e valorizar o território concelhio. Neste contexto, deu nota de que, fruto desta estratégia de cooperação, o Município conseguiu captar o Ensino Superior para o concelho por via de um protocolo com o IPCA - Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, e garantir, através de protocolo com a Universidade do Minho, dois polos de investigação, que ficarão instalados no Forte de S. João Baptista e na Estação Radionaval de Apúlia.

Reconhecendo a mais-valia do turismo criativo para a promoção e valorização do território, o Presidente da Câmara Municipal agradeceu o empenho de todos no projeto Creatour, particularmente no que se refere ao Junco de Forjães e à ação de formação que decorre ainda até junho, no Centro Cultural de Forjães.

A apresentação do projeto EScriativo esteve a cargo do técnico do Município responsável pelo Turismo, José Costa, que enquadrou e explicou as várias etapas do programa, onde se insere a revitalização do artesanato do Junco de Forjães. Lançou, a propósito, o desafio ao Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) para uma nova formação, mais direcionada para a componente prática.

O Presidente da Junta de Freguesia de Forjães, Vitor Quintão, manifestou gratidão pelo trabalho desenvolvido no âmbito do projeto Creatour. Ao Município de Esposende agradeceu “pelo trabalho que tem desenvolvido, dando visibilidade a este riquíssimo património que tanto nos identifica”. Expressou, também, uma palavra de reconhecimento às “embaixadoras” do Junco de Forjães, Mena do Rio, Carmo e Isa Joana.

Responsável pelo Caderno de Especificações para a Certificação do Junco de Forjães, o investigador Álvaro Campelo notou que este património não é só de mulheres, dado que inicialmente eram os homens quem se dedicava à arte. “Quando olhamos para uma cesta de junco olhamos para a História e para a Estória”, referiu, confidenciando que “a riqueza está em falar com os artesãos”.

A sessão contou, também, com as intervenções de Sílvia Silva, gestora de investigação nacional do projeto Creatour, e de Paula Remoaldo, coordenadora do projeto na Região Norte, que deram a conhecer o projeto e o livro.

_DSC7644.JPG

_DSC7683.JPG

_DSC7706.JPG

_DSC7733.JPG

_DSC7746.JPG

_DSC7807 (002) (3875 x 2584).jpg

_DSC7602.JPG

_DSC7607.JPG

_DSC7635.JPG

VIANA DO CASTELO: MUSEU DO TRAJE ENSINA A BORDAR

Viana do Castelo certificou o seu bordado com o objetivo de valorizar e preservar a qualidade do mesmo, garantindo assim que estamos na presença de um produto autêntico. O bordado de Viana do Castelo é inspirado em elementos ligados à natureza, motivos que tornam os bordados únicos.

A atividade, a decorrer no Museu do Traje, está a ter enorme sucesso. As participantes mostram-se entusiasmadas e já começaram a sair peças elaboradas pelas suas mãos.

Viana do Castelo certificou o seu bordado com o objetivo de valorizar e preservar a qualidade do mesmo, garantindo assim que estamos na presença de um produto autêntico. O bordado de Viana do Castelo é inspirado em elementos ligados à natureza, motivos que tornam os bordados únicos.

A atividade, a decorrer no Museu do Traje, está a ter enorme sucesso. As participantes mostram-se entusiasmadas e já começaram a sair peças elaboradas pelas suas mãos.

279678165_5389921084372596_1747681645666399537_n.j

 

MUNICÍPIO DE BARCELOS PROMOVE WORKSHOP E TERTÚLIA DE BORDADO DE CRIVO DE SÃO MIGUEL DA CARREIRA

Com o intuito de preservar as atividades tradicionais do Bordado de Crivo, o Município de Barcelos, nos meses de maio a julho de 2022, promove um workshop de Bordado de Crivo de São Miguel da Carreira, com o objetivo de transmitir saberes e técnicas para a elaboração deste bordado, uma arte tradicional enraizada na parte sudeste do concelho de Barcelos.

Este workshop irá realizar-se às sextas-feiras à noite e aos sábados de manhã, na Junta de Freguesia de Carreira, durante os meses de maio e junho (40 horas). Saliente-se que o Bordado de Crivo de São Miguel da Carreira é uma arte em processo de candidatura a Património Imaterial Português, pelo que é de extrema importância a realização deste tipo de ações, no sentido de promover a sua sustentabilidade, bem como garantir a sua continuidade em gerações futuras.

Entretanto, no mesmo âmbito vai realizar-se, já na próxima sexta-feira, 6 de maio, às 21h30, no Salão Paroquial de Cambeses, a Tertúlia "Tradição e Inovação do Bordado de Crivo - Estratégias eco-conscientes."

As inscrições são obrigatórias e limitadas para: turismo@cm-barcelos.pt ou telefone 253811882.

Cartaz_ Bordado de Crivo.jpg

VIANA DO CASTELO: GRUPO ETNOGRÁFICO DA AREOSA PROMOVE ESCOLA DE LAVORES

15ª Escola de Lavores | MEIAS RENDADAS

Todas as quintas-feiras, de 12 de maio a 30 de junho – das 17h30 às 19h30 – sede do Grupo Etnográfico de Areosa | Formadora: Giseli Jácome

Sabiam que todas as meias e peúcas que as lavradeiras do Grupo Etnográfico de Areosa_Oficial usam, são feitas à mão? Sabiam que são precisas 4 ou 5 agulhas para fazer um par de meias ou peúcas?

Se gostas de fazer tricô (ou tens conhecimentos básicos de como se faz) e tens vontade de aprender a fazer meias ou peúcas rendadas, inscreve-te!!!

Há muita necessidade de pessoas que as saibam fazer… muitos pés para calçar!!!

Inscrições: https://docs.google.com/.../1FAIpQLSfrpEmBF6vYEV.../viewform

279708674_542259217289933_5425779236568230202_n.jp

BARCELOS: EXPOSIÇÃO “O MUNDO COLORIDO DE MINA GALLOS” NA TORRE MEDIEVAL

Abre ao público, sábado, (23 de abril), pelas 11h00, na Torre Medieval de Barcelos, a exposição “O mundo colorido de Mina Gallos”. A mostra apresenta uma vasta coleção de peças que se diferenciam pela cor e alegria, criatividade e imaginação. As peças ostentam a etiqueta de Figurado de Barcelos certificado, conferindo-lhe uma mais-valia que garante a qualidade e autenticidade.

Mina Gallos .jpg

Felismina Silva é uma artesã de grande capacidade artística e criativa que engrandece a comunidade artesanal de Barcelos, confirmando assim, mais uma vez, que Barcelos é um concelho criativo e com um sentido artístico singular, justificando a distinção de “Cidade Criativa da UNESCO” e “Capital do Artesanato” em Portugal.

Natural da freguesia de Tamel S. Veríssimo, Felismina Faria da Silva decidiu por opção própria, após terminar o 5.º ano de escolaridade, com apenas 11 anos de idade,  ir trabalhar numa empresa cerâmica, a Galante, cerâmica que se dedicava à produção de figurado de molde. Nesta empresa, teve como funções o fabrico de peças e, posteriormente, a pintura. Mais tarde, ainda na juventude, muda-se para a Cerâmica Magrou, onde desenvolve atividades semelhantes às que desenvolvia anteriormente.

Aos 17 anos, a convite de Francisco da Costa Pinto (atual marido), foi trabalhar para uma empresa de porcelanas, a primeira a instalar-se no concelho de Barcelos. Faz carreira nesta empresa.

Em 2015, após o falecimento da mãe, a sua vida sofre uma reviravolta. Felismina, como forma de vencer a perda da mãe, decide pela primeira vez pintar um Galo de Barcelos e publica-o nas redes sociais. Este galo recolhe muita simpatia e gera encomendas. Este momento serviu de motivação para assumir uma identidade própria e um caminho no artesanato barcelense.

Felismina, habituada à delicadeza e à perfeição das porcelanas, considerava o figurado tradicional demasiado tosco para o seu gosto, mas depressa se apaixonou pelo ofício, tão enraizado no território e na identidade das gentes de Barcelos. A artesã compreendeu que o valor do artesanato não se cinge apenas ao resultado final, mas também às “estórias” e sentimentos de quem criou as peças. É uma arte com forte componente simbólica.