Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUSEU DE CAMINHA PROMOVE VISITA GUIADA À EXPOSIÇÃO CORPO, ABSTRAÇÃO E LINGUAGEM NA ARTE PORTUGUESA – OBRAS DA SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA NA COLEÇÃO DE SERRALVES

Ambas as iniciativas decorrem sábado

No âmbito da exposição “Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa” – obras da Secretaria de Estado da Cultura (SEC) na Coleção de Serralves, o Museu Municipal de Caminha vai promover sábado, dia 7 de setembro, uma visita guiada e uma oficina destinada às famílias. No dia 20, vai decorrer uma formação para técnicos e professores. As inscrições já estão a decorrer.

A visita guiada à exposição terá lugar já no sábado, dia 7, a partir das 11H00, e dirige-se ao público em geral. A partir das 15H00, vai decorrer a oficina destinada às famílias.

No dia 20 de setembro, decorrerá a formação dirigida a educadores, professores (dos vários níveis de ensino) e técnicos de serviços educativos no sentido de lhes oferecer um enquadramento geral da exposição, assim como algumas ferramentas de mediação com os objetos expositivos que lhes permitam posteriormente conduzir, de modo autónomo, atividades educativas dirigidas a crianças, jovens e adultos.

Ambas as iniciativas carecem de inscrição e são gratuitas.  Esta atividades vão ser dinamizadas pelos serviços educativos do Museu de Serralves.

Recorda-se que a exposição “Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa” – obras da Secretaria de Estado da Cultura (SEC) na Coleção de Serralves, está patente ao público até ao dia 20 de outubro.

“A exposição representa, por um lado, os primórdios da constituição da Coleção de Serralves e, por outro, uma perspetiva muito singular sobre a arte produzida em Portugal entre as décadas de 1960–80. As obras escolhidas atestam os diversos níveis de diálogo e confluência formais que os artistas portugueses souberam estabelecer entre si e com o contexto internacional a partir do pós-guerra. Uma das particularidades mais notáveis da arte portuguesa neste longo período de consolidação das práticas artísticas em Portugal foi a relativa indiferença ou o recurso instrumental aos aspetos mais conceptuais e performativos da arte, não obstante alguns artistas se terem dedicado a eles, como Graça Morais, António Palolo e José de Carvalho, ou até terem sido incontornáveis e essenciais em períodos específicos das carreiras de Alberto Carneiro, Ângelo de Sousa e Julião Sarmento. O que esta exposição procura verificar é o modo como a pintura e a escultura enquanto meios resultaram primordiais a todos estes artistas e às suas indagações artísticas e filosóficas”.

A exposição pode ser visitada de terça-feira a domingo das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00 e a entrada é gratuita.

ELISABETE PAIVA SERVE CHÁ COM ARTE EM FÁTIMA

A segunda temporada da iniciativa "Chá com Arte" terá início já na próxima semana: 11 e 14 de setembro!

Este projeto, resultado de uma parceria entre o Consolata Museu e a sua Liga de Amigos, decorre habitualmente numa das salas da exposição permanente, onde após a degustação de chá e biscoitos, num ambiente intimista,surgirá um momento de tertúlia com convidados especiais de reconhecido mérito do mundo das artes e da cultura.  Uma das particularidades do evento é não haver recurso a imagens projetadas, privilegiando-se a palavra.

Assim, no dia 11 de setembro, quarta-feira, pelas 18h00, teremos como convidada especial Elisabete Paiva, Diretora Artística da Materiais Diversos. A partir do tema "Pôr em comum" as nossas diferenças, abordar-se-ão assuntos relacionados com o seu percurso profissional, as artes no mundo atual, bem como o Festival Materiais Diversos a decorrer entre os dias 27 de setembro e 5 de outubro.

cha_c_arte_set19.jpg

https://2019.materiaisdiversos.com/

NOTA BIOGRÁFICA ELISABETE PAIVA

Elisabete Paiva é Directora Artística da Materiais Diversos desde 2015.

Foi entre 2006 e 2014 responsável pelo Serviço Educativo d’A Oficina, em Guimarães, designadamente do Centro Cultural Vila Flor e do Centro Internacional das Artes José de Guimarães. Colocou nesta programação para públicos jovens a experiência artística ao centro de   uma     prática de questionamento sobre o mundo e sobre a relação entre o individual e o colectivo. Neste contexto criou e editou o LURA – jornal de artes e educação e concebeu o Programa Mais Dois – Programa de Aprendizagem em Artes Performativas para o 1º ciclo.

Criou e programou o Serviço Educativo de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura.

Enquanto produtora independente colaborou com o Teatro O Bando, o Teatro do Vestido, Pedro Sena Nunes e Luís Castro e, entre 2003 e 2005, com o CENTA – Centro de Estudos de Novas Tendências Artísticas, momento fundador da sua actividade actual.Neste contexto        desenvolveu vários projectos artísticos com as comunidades locais, donde se destacam, por serem pioneiros, o Programa de Formação Artística Contínua para o 1º ciclo e o Projecto (R)Existir, com Filipa Francisco, um dos primeiros, a nível nacional, de formação e criação com            reclusos.

Actualmente, lecciona o módulo de Estratégias de Programação, no curso de Gestão e Produção nas Artes Performativas, no Forum Dança, em Lisboa. Leccionou a disciplina de Programação Cultural – Cidade e Território e a disciplina de Públicos das Artes, na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa, entre 2017 e 2019.

É Mestre em Estudos de Teatro, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com a dissertação “Teatro para Crianças: do impulso de jogo ao desejo de ser espectador”, e licenciada em Teatro/ Produção pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa.

Já no dia 14 de setembro, sábado, às 16h00, estará connosco Adelino Pais, autor do livro “Poesia & Sonho”.

Adelino Pais nasceu em Canas de Senhorim. Em criança ouvia o avô a ler e declamar textos de grandes poetas, cujos livros se alinhavam com muito carinho, nas estantes da sua biblioteca.

Aos nove anos escreveu a sua primeira poesia que lhe valeu um prémio. Com a mesma idade, declamou a “Cantata de Dido”, de Correia Garção, numa festa escolar. Mantém hoje a paixão pela declamação, elegendo o poema Cântico Negro, de José Régio.

Tendo sido dispensado do serviço militar que estava a cumprir em Coimbra pela morte de seu pai, rumou para Angola. Lá, colaborou em páginas poéticas do jornal de Benguela “O Intransigente” e a Rádio Clube de Benguela, onde António Freire lia os seus poemas com a sua inconfundível voz.

Participando em tertúlias das “Publicações Imbondeiro”, conheceu o poeta angolano Ernesto Lara Filho, irmão da grande poetisa Alda Lara.

Profundo devoto de Nossa Senhora de Fátima, residiu na Cova de Iria onde criou laços e profundas amizades, pelo que fez questão de vir a Fátima apresentar este livro de poesias dispersas, com temas diversos, deixando mensagens à sociedade, sobretudo de Amor.

cha_c_arte_set19_livro (1).jpg

ENCONTRARTE REGRESSOU A AMARES

Encontrarte Amares deu forma e alma ao encontro entre pessoas. Evento celebrou 10 anos de programação artística

O EA regressou a Amares entre 26 e 28 de julho convocando mais de 200 amarenses para a sua construção coletiva. “DIÁLOGO e CONSTRUÇÃO: Poética coletiva dos territórios”, serviu de mote para esta 6ª edição que reuniu mais de 300 participantes num encontro que celebrou o seu décimo aniversário. Numa programação intensa de artes plásticas, cinema, conversas, concertos, performance, oficinas, percursos, instalações e teatro, o EA 2019 provocou o cruzamento entre artistas, participantes, população local e público em geral.

amaresencontrart (1).jpg

“A Câmara Municipal de Amares sente que o Encontrarte é uma parceria para a área da cultura e das artes que cada vez mais nos contenta pela forma como já consegue fazer articular o sentido mais inovador das artes com a sua dimensão mais popular. O espetáculo de abertura foi, precisamente, um bom exemplo de como fazer a aproximação da criação artística às comunidades, sem levar a arte apenas para a sua dimensão mais elitista, ao conseguir envolver centenas de amarenses e várias entidades num mesmo momento de cultura”, referiu o vice-presidente e vereador da Cultura, Isidro Araújo.

“Esta ligação da cultura com a sua matriz mais popular vai de encontro àquilo que o pelouro da Cultura defende e que é procurar sensibilizar a comunidade para a dimensão artística”, acrescentou.

O Encontrarte Amares recriou-se, ao longo destes 10 anos, enquanto espaço e tempo de experimentação entre artistas nacionais e internacionais, população, grupos e entidades de Amares. Deu forma e alma a algo mais que um festival de Arte - ao encontro entre pessoas.

“Acreditamos que o simples facto de estarmos juntos é em si mesmo ato de criação. Que os processos de co-criação e participação conduzem a uma redefinição do lugar, do território, e de como os seus habitantes ou visitantes o reconhecem”, é esta a convicção da organização que, após dez anos de programação artística gratuita, propôs a transformação de vontades, experiências e sonhos em ação coletiva.

“Mais do que nunca o Encontrarte Amares foi um lugar de participação e cruzamento. Um espaço que convocou o encontro entre pessoas, entidades, territórios e ideias. Acolheu, uma vez mais, a possibilidade de re-significar os modelos de produção artística e as múltiplas formas como nos relacionarmos com o "outro". Amares decidiu valorizar as diferenças, provocar o estabelecido, criar em coletivo e almejar uma real democratização cultural”, sublinhou o diretor artístico do EA, Fernando Almeida.

Alguns destaques do EA 2019

A edição 2019 contou com artistas convidados para desenvolver projetos em formato de residência artística dos quais se destaca a criação do novo álbum da harpista espanhola Angélica Salvi: “Phantone”, gravado e apresentado no Mosteiro de Rendufe. A harpista convidou o público a mergulhar nos seus referenciais emocionais e espirituais, servindo-se deles como o guião de um sonho.

De destacar, também, João Rat e César L. Gomes, dois jovens artistas Amarenses que desenvolveram um trabalho de recoleção fotográfica, sonora e de objetos pelas 16 freguesias do concelho que, durante o evento, desafiou o público para uma experiência imersiva sobre o território. Uma viagem pelos rios Cávado e Homem, por Dom Gualdim Pais e António Variações, pela folhagem verdejante e o rochoso granítico.

À semelhança do que aconteceu nas últimas edições, a programação do encontro integrou, ainda, projetos oriundos de um open call nacional e internacional, que desafiou artistas a residir por um período de 10 dia em Amares, experiência que culminou em novas criações artísticas realizadas em colaboração com a população local.

amaresencontrart (2).jpg

amaresencontrart (3).jpg

amaresencontrart (4).jpg

FAMALICÃO: PAULO CUNHA VISITA MURAL ARTÍSTICO DO URBAN YOUTH EM GAVIÃO

Projeto promovido em parceria com A Casa Ao Lado já concretizou representações artísticas em cerca de uma dezena de freguesias do concelho

As lendas, as tradições e as histórias populares das várias freguesias de Vila Nova de Famalicão estão a colorir e embelezar murais por todo o concelho através do Urban Youth, um projeto de intervenção artistica urbana promovido pelo municipio, em conjunto com A Casa ao Lado.

Com pinturas murais já concluídas em quase uma dezena de freguesias, está agendada para amanhã, quarta-feira, 31 de julho, pelas 16h00, uma visita do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, a mais uma pintura mural do projeto Urban Youth, no Parque das Ribeiras , em Gavião, onde serão apresentados os projetos já desenvolvidos.

Este mural da autoria de 16 jovens famalicenses interligou a imagem da águia Gavião, com a imagem de nascimento de uma árvore, e do seu crescimento como que a proteger a população da Freguesia. A imagem da árvore surgiu de uma lenda da Freguesia que relatava que uma árvore de grande porte que não passava despercebida a ninguém, era o marco da Freguesia. A imagem criada pelos jovens participantes conta uma narrativa do aparecimento da árvore, através de um ADN próprio da Freguesia, que se vai construindo e reconstruindo, nascendo no seu seio o ave Gavião, a protetora.

Refira-se que o projeto “Urban Youth” é desenvolvido através do pelouro da Juventude do municipio e tem como objetivo promover o encontro e diálogo, entre jovens dos 12 aos 35 anos, no sentido de reforçar a coesão social e territorial através da arte.

No sentido de promover a atividade artística como instrumento de desenvolvimento económico, social e cultural, o projeto “Urban Youth” pretende ainda proceder à valorização de espaços urbanos através de intervenções artísticas como grafite e pintura.

VIEIRA DO MINHO ACOLHE ENCONTRO DE ARTES

Casa Museu Adelino Ângelo acolheu II Encontro de Artes durante três dias

Terminou, este domingo, o II  Encontro de Artes de Vieira do Minho. A Iniciativa  foi promovida  pelos Artistas plásticos Álvaro Costa e Inês Lopes e pelo Município de Vieira do Minho e reuniu mais de meia centena de trabalhos de artistas de Vieira do Minho e de outras regiões do país.

67301036_1509383232536836_8025991667909656576_n.jpg

O II Encontro de Artes de Vieira do Minho foi  um momento de intercâmbio cultural entre os vários artistas presentes, um espaço de diálogo entre os profissionais das artes, num espetáculo de variedades onde se conjugaram várias formas de expressão artística e cujo objectivo passou por  mostrar ao público algumas dimensões do movimento artístico, abordando a temática em vários estilos, técnicas e dimensões.

Para além da vertente artística e cultural, demonstrada nos ateliers de pintura, de mandalas, pinturas ao vivo, poesia, e retratos ao vivo, o público assistiu também a vários momentos recreativos com destaque para o folclore, a musica medieval e a sefardita.

O presidente da Câmara Municipal,António Cardoso esteve presente na cerimónia de arranque deste encontro, tendo enaltecido o trabalho que os artistas plásticos Álvaro e Inês têm desenvolvido em Vieira do Minho, nos ateliers de pintura e de desenho que decorrem na Casa Museu Adelino Ângelo.

Tratou-se de um evento grandioso pelo enorme contributo cultural que trouxe a Vieira do Minho.

VIEIRA DO MINHO REALIZA ENCONTRO DE ARTES NA CASA MUSEU ADELINO ÂNGELO

A Casa Museu Adelino Ângelo acolhe, este fim-de-semana, dias 26, 27 e 28 de julho o II Encontro de Artes de Vieira do Minho.

37759048_1233005600174602_4282219979094360064_n.jpg

Trata-se de uma iniciativa promovida pelos artistas plásticos Álvaro Costa e Inês Lopes e que tem o apoio do Município de Vieira do Minho.

Neste Encontro de Artes participam vários artistas locais, nomeadamente, Domingos Silva, Maria da Fé, Isabel Moutinho e Grupo de alunos de Pintura da Universidade Sénior de Vieira do Minho, Manuel Rebelo, Rui Gabriel e Sameiro Pimentel, grupo de Pintura da Santa Casa da Misericórdia, e Grupo de Crianças, desenho.

Para além destes artistas participam também neste encontro outros artistas convidados com destaque para as presenças de  Santiagu, Milita Marinho, Danny Van Assendelft, Elvira Ramalho, Joaquim Pinto Leocádio, Luis Pereira e muitos outros.

O Encontro de Artes abre ao público, na sexta-feira, dia 26 de julho, pelas 21h30 . O momento vai contar com a animação de “ Outros Cantares”, musica folclórica de várias épocas, medieval, sefardita.

Sábado, dia 27 de julho acontece, a partir das 15h00 caricatura ao vivo com Santiagu, e pintura e retrato ao vivo. Este dia será animado pelo grupo de Cavaquinhos e Cantares da Universidade Sénior de Vieira do Minho.

No último dia do encontro realizam-se os ateliers de  mandalas, ateliers abertos, animação livre com marionetas e pintura e esculpidos ao vivo.

Refira-se que esta iniciativa pretende mostrar ao público algumas dimensões do movimento artístico, abordando a temática em vários estilos, técnicas e dimensões.

Para além da vertente artística e cultural, este encontro pretende ainda contribuir para a causa solidária, uma vez que vai sortear uma pintura de Inês Lopes, intitulada “ Lobo Ibérico”, a favor da APAV -  Associação Patinhas Abandonadas de Vieira do Minho.

CRIARTE CHHEGA A PONTE DE LIMA

9ª Edição do CRIARTE chega a Ponte de Lima. Delegação de Ponte de Lima da APPACDM

Ponte de Lima será palco da 9ª edição do CRIARTE. Um projeto dinamizado pela Delegação de Ponte de Lima da APPACDM de Viana do Castelo, com o apoio de diversas parcerias e cofinanciado pelo programa de financiamento do INR.

cartaz criarte 2019 cinza2.jpg

De 23 a 27 de julho de 2019, pretende-se reunir todos os que têm em comum o interesse e gosto pelo universo artístico na sua multiplicidade de saberes e tecnologias, numa Residência artística com vários workshops: cenografia, expressão dramática, música, canto, dança contemporânea; esculturas de rua e espetáculos de rua.

Desenrolando-se na esfera dos Confrontos, onde o Eu se cruza na alma do Ser, numa crescente harmonia entre os sonhos, as expetativas, os desejos de ter, ver, mudar, arriscar… Onde o estranho afirma o seu lugar e a criatividade não termina na sua essência… A arte surge e emerge numa esfera de confrontos, onde eu sei quem sou, mas anseio encontrar-me.

Integrado no programa do Festival Percursos da Música, projeto dinamizado pelo Município de Ponte de Lima, serão apresentados dois espetáculos: no dia 26 de julho, o resultado da Residência artística, que decorre durante a semana e conta com a presença de participantes de vários pontos do país, e de um grupo de Itália. O espetáculo de encerramento – Tendências em confronto, a ter lugar no dia 27 de julho, resulta da parceria com autores de diversas áreas (moda, música, dança, artes plásticas) e promete ser um evento multifacetado, onde se confrontam e coexistem diversas manifestações artísticas.

cartaz TENDENCIAS em Confronto.jpg

ARGA DE BAIXO: ARTE NA LEIRA 2019 “ABRE PORTAS” SÁBADO NA CASA DO MARCO

Mais de 40 artistas expõem na 21ª edição, em plena Serra D’Arga

Arranca este sábado, dia 20 de julho, mais uma edição da Arte na Leira, a 21ª, que ficará até 25 de agosto na Casa do Marco, em Arga de Baixo. A inauguração decorrerá pelas 18h30, e incluirá um conjunto de atividades de animação e fogo de artifício. Mário Rocha é, desde o início, o mentor do evento, que este ano junta mais de 40 nomes ligados às várias expressões artísticas, com destaque para a pintura, escultura, fotografia e cerâmica.

Arte na Leira19.jpg

Nome maior na pintura portuguesa contemporânea, Mário Rocha é um artista multifacetado que se exprime em múltiplas áreas, da cerâmica à escultura. Há 21 anos decidiu fazer da sua casa, em plena Serra d’Arga, uma galeria de arte moderna, contrariando opiniões que não conseguiam vislumbrar hipóteses de harmonia entre a arte moderna e a serra agreste e quase deserta. A incredulidade de alguns foi vencida logo nas primeiras edições e hoje a Arte na Leira está consolidada e é um sucesso todos os anos.

“A Serra d’Arga é hoje o centro das atenções, em parte devido ao intenso trabalho de defesa e valorização que estamos a desenvolver, com vista à sua classificação como área de paisagem protegida. É um esforço que iniciámos, de forma enérgica, há pouco mais de cinco anos, e que adquiriu maior visibilidade com a recuperação do Mosteiro de São João d'Arga, em 2014, ele próprio uma joia, agora ainda mais rica e mais brilhante, inserida no coração do riquíssimo património que constitui a nossa serra. Tivessem os políticos a sensibilidade dos artistas, e de um artista em particular, o nosso querido Mário Rocha, e a classificação da Serra d’Arga como área de paisagem protegida, com todos os benefícios que estão associados a esta categoria, já seria mais um capítulo da nossa memória enquanto território”, sublinha o presidente da Câmara.

Miguel Alves acrescenta: “e se é verdade que, como disse Fernando Pessoa, que ‘a arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos’, então Mário Rocha ficará para a história do concelho de Caminha como um dos nossos grandes inspiradores. Porque ele viu primeiro. Porque ele sentiu primeiro”. O presidente reconhece, assim, o contributo do artista Mário Rocha para a visibilidade e valorização, nacional e internacional, da Serra d’Arga.

“Ao instalar na Casa do Marco, em 1999, a ‘Arte na Leira’ - uma exposição de características inéditas, que soma sucessos desde a primeira edição – o artista contagiou-nos, fez-nos sentir que, não apenas a sua casa/galeria como toda a belíssima serra que a envolve, formam um património que nos torna mais ricos enquanto comunidade e enquanto território. Devemos-lhe também isso. Mário Rocha é um exemplo de inteligência e sensibilidade, combinados, diria, em igual medida, com humildade e profissionalismo”, conclui o presidente da Câmara de Caminha.

Mais de quatro dezenas de artistas terão a partir do próximo sábado, nesta 21ª edição, obras expostas na Arte na Leira, casos, entre outros, de Jaime Isidoro, Henrique Silva, Jaime Silva, Luís Coquenão e Henrique Sequeira.

AMOR MINHOTO: A MAIOR PEÇA DE ARTE EM IMPRESSÃO 3D CHEGA A VIANA DO CASTELO

Instalação inovadora inaugura dia 18 de julho no Estação Viana Shopping

É já dia 18 de julho que a maior peça de arte pública em impressão em 3D feita em Portugal chega ao Estação Viana Shopping.

Capturaramorminhoto.JPG

A instalação Amor Minhoto nasce no âmbito do projeto Pulsar Viana – programa cultural do Estação Viana Shopping - e estará patente no Centro até dia 15 de outubro. Da autoria de Pedro Amaral Ribeiro, a instalação é inspirada naquele que é o principal lema da cidade: Viana é Amor.

Trata-se de uma união entre diferentes artes: escultura, pintura, arquitetura, música e luz, com um forte cariz tecnológico. O projeto culminou num exaustivo trabalho de 2500 horas de impressão 3D, com 4648 LEDS e com 350 metros de cabo elétrico. A sua execução passou por alguns dos métodos mais avançados de fabricação digital, nomeadamente, a impressão 3D, da qual foram aproveitadas algumas das suas possibilidades catalisadas pela imagem, cor, luz e som.

O coração, símbolo da cidade e do amor, é o centro da instalação onde estão presentes duas personagens vestidas com o traje regional, em formato estilizado – uma mulher à janela e um homem sentado num banco a admirá-la – que simbolizam o namoro, a cumplicidade e o Amor. Eles são os intérpretes principais desse Amor, tantas vezes presente nas raízes culturais da região como o folclore, representando o que é Minhoto.

O cenário que envolve os protagonistas é ainda constituído por um painel de 356 cubos 3D, retro iluminados e coloridos, com imagens icónicas da cidade de Viana do Castelo, dos fotógrafos Rui Carvalho e Guadalberto Boa-Morte. Essas imagens da Romaria D’Agonia, do traje e da filigrana transformam-se quando retro iluminados, algo que poderá ser observado todos os dias a partir do pôr de sol.

O público terá a possibilidade de interagir com a peça através de um painel de controlo onde será possível mudar as cores e efeitos de luz da composição. Mas também no verso da peça, os visitantes serão convidados a interagir e desenhar, aproximando-se e envolvendo-se com a peça que tem como foco principal a cocriação.

O artista plástico Cipriano Oquiniame foi o responsável por dar início ao desenho que será continuado por toda a comunidade, tendo como fonte de inspiração as palavras Amor, Viana, Trajes e Romaria. Durante todo este período, contaremos com as intervenções de Cipriano Oquiniame mas também de João Cristino, que, com características e técnicas distintas, darão a sua contribuição artística para a obra, incentivando continuamente a comunidade local a participar.

Até dia 15 de outubro, os visitantes poderão então conhecer esta peça concebida pela Diverte – atelier de artesanato tecnológico de Pedro Amaral Ribeiro - e ainda contemplar, diariamente, um curto espetáculo de luz e música designado “Um amor de Outro Mundo” concebido, propositadamente, para esta instalação.

O momento inaugural de Amor Minhoto acontece no dia 18 de julho, às 21h30 na zona exterior da Entrada Sul, onde decorrerá então, pela primeira vez, o espetáculo “Um Amor de Outro Mundo” de João Gigante, o artista responsável pela sonoplastia da peça, que se apresenta através do seu projeto PHOLE. Projeto esse que resulta da pesquisa do artista sobre a Concertina e com o seu encontro com a memória, com o seu passado e as histórias do lugar de onde pertence. Diariamente, pelas 22h00, a luz do Amor Minhoto sintonizar-se-á nas frequências do som de PHOLE.

Ainda integrado nesta edição do Pulsar Viana, apresentar-se-á Chieira, uma performance da Arte em Movimento, que terá lugar na Praça Central do Estação Viana Shopping no dia 26 de julho às 21h30, e que encarna também uma homenagem a este Amor Minhoto.

Até dia 15 de outubro, os visitantes podem conhecer a maior peça de arte pública participativa em impressão 3D desenvolvida em Portugal, instalada na zona exterior do Centro, e assistir, diariamente, a um momento de contemplação sobre o que representa o verdadeiro Amor Minhoto.

O Pulsar Viana é um projeto que visa aproximar a comunidade local, oferecendo aos visitantes do Estação Viana Shopping uma oportunidade única descobrir mais sobre as regiões de Viana do Castelo e do Minho. Ao abraçar esta iniciativa, o Centro pretende tornar-se no ponto de encontro da arte, cultura e tradição.

SOBRE OS ARTISTAS

Pedro Amaral Ribeiro e Diverte

Pedro Ribeiro é arquiteto de formação, criador por convicção, explorador por paixão. Fruto da sua formação, dedica-se à visualização arquitetónica em 2008. Em 2014 inicia-se no meio da impressão 3D, e funda a Diverte em 2016, a qual dirige criativamente desde então e que se destaca na impressão 3D pela sua componente artística e cultural. Desde então, tem explorado múltiplos dos campos que a fabricação digital proporciona.

A sua empresa, Diverte, nasce com o foco na impressão 3D, lançando o projeto “Imprimimos Tradições” que regista o património do traje regional de Viana do Castelo. Neste momento foca-se na criação de instalações artísticas e de escultura digital absolutamente personalizada, fabricando-a através dos mais evoluídos meios de fabricação digital, conjugados com os métodos mais tradicionais e artesanais, dando seguimento ao conceito de “artesanato tecnológico”. Paralelamente, desenvolve projetos noutras áreas como a alimentar, médica e social.

Cipriano Oquiniame

Professor, artista plástico, ilustrador e ator de nacionalidade portuguesa, Cipriano Oquiniame nasceu em Cachéu, Guiné Bissau. É membro do Conselho Consultivo e Curador na Galeria Noroeste da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste e também da Academia de Letras e Artes de Portugal (Classe das Artes). Em 2000 integra o “Projeto ARTAFRICA – Plataforma de Jovens Artistas africanos” do Serviço de Belas Artes da Fundação Calouste Gulbenkian. Tem ainda realizado várias exposições a título individual e coletivas, com obras em coleções particulares.

No projeto “Amor Minhoto”, para além da pintura inicial, terá ainda intervenções complementares nas quais irá pintar motivos regionais com tinta acrílica.

João Cristino

Natural de Viana do Castelo, com formação na área das artes, João Cristino foi dirigente de uma associação social, cultural e artística e ainda um dos organizadores do festival Urbiana, que integrava o evento Lapidaris, a maior exposição de arte urbana realizada em Viana do Castelo. Com uma paixão antiga pelo graffiti, integra a mais importante crew de graffiti vianense.

No projeto “Amor Minhoto”, fará diversas intervenções na obra em spray e marcadores com motivos abstratos.

João Gigante

João Gigante, “tocador” do projeto PHOLE, nasce em Viana do Castelo em 1986. Licenciado em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes do Porto e com Mestrado em Comunicação Audiovisual (Fotografia) na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto, começa desde muito novo a interessar-se pelas pessoas e pelas vivências do seu lugar de origem, Perre (Viana do Castelo), tornando estes conceitos parte do seu trabalho e do seu percurso artístico.

É um tocador que quer viajar da eira para um outro espaço, das suas memórias para um presente em construção. O projeto PHOLE é uma pesquisa sobre o acordeão, neste caso em particular o acordeão diatónico, chamado de concertina. Na sua pesquisa existe uma ligação permanente, que advém também da sua pesquisa visual e que tem a ver com o encontro com a memória, com o seu passado e as histórias do lugar de onde pertence. Uma ligação permanente e construtiva sobre quem habita o seu quotidiano ou já habitou.

Arte em Movimento

Inspirada pelo desassossego do corpo em movimento que a dança representa, surgiu a Associação Cultural Artística ARTE EM MOVIMENTO, em setembro de 2010. Na sua origem esteve uma jovem que, enfeitiçada pela dança e pela força das suas ideias, quis desenvolver a cultura hip-hop no Concelho de Viana do Castelo. A recente Associação então formada pretende identificar, promover, criar e divulgar a Dança, empreender formação no mesmo âmbito, e promover culturalmente o Concelho de Viana do Castelo.

Sobre o Estação Viana Shopping

Inaugurado em 2003, o Estação Viana Shopping é a superfície comercial de referência na cidade de Viana do Castelo e na região Minho litoral. Com 92 lojas, distribuídas por três pisos, tem cerca de 19.182 m2 de Área Bruta Locável (ABL). A arquitetura do Centro é única, com a linha do comboio a atravessá-lo. A par com as lojas de roupa, acessórios, sapatarias, decoração, telecomunicações e serviços os visitantes podem usufruir da zona de restauração e dos mais de 600 lugares de estacionamento. O Estação Viana Shopping oferece ainda aos visitantes uma esplanada panorâmica e o vianamini, um espaço infantil gratuito, inspirado na temática dos comboios e destinado a crianças entre os 2 e os 9 anos de idade.

A par da experiência única de compras e de lazer que oferece aos seus clientes, o Estação Viana Shopping assume a responsabilidade de dar um contributo positivo para um mundo mais sustentável, trabalhando ativamente para um desempenho excecional nas áreas ambiental e social. Todas as iniciativas e novidades sobre o Centro podem ser consultadas no site www.estacaoviana.pt e na página de Facebook disponível em www.facebook.com/estacao.viana.

PONTE DE LIMA: ART'IN LIMA ABRIU AO PÚBLICO

A Mostra de Arte Contemporânea Art’in Lima 2019 – Sob o Signo de Baco já se encontra aberta ao público, após uma muito concorrida e festiva sessão de abertura que contou com a presença do Diretor Regional da Cultura do Norte, Dr. António Ponte, no passado sábado, dia 29 de junho.

P2260594.jpg

Até ao final do mês de setembro todos os que estão de visita a Ponte de Lima poderão apreciar cerca de uma centena de obras de 65 artistas, nacionais e internacionais, dispersas pelos espaços expositivos de vários edifícios municipais, como a Capela das Pereiras, o Museu dos Terceiros, o Museu do Brinquedo Português, o Centro de Interpretação do Território e o Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde.

Os visitantes podem solicitar à entrada de cada um destes edifícios um roteiro da exposição que os habilita a aceder gratuitamente aos restantes espaços incluídos na mostra Art’in Lima.

Este projeto promovido pelo Município amplia o leque de oferta cultural, atraindo também ao Centro Histórico de Ponte de Lima os amantes da arte contemporânea, que em paralelo podem desfrutar da exposição da Fundação de Serralves A minha Casa é a tua Casa, patente na Torre da Cadeia Velha/Loja de Turismo e no Palacete Villa Moraes.

P2260207.jpg

P2260326.jpg

P2260433.jpg

P2260488.jpg

P2260578.jpg

FAMALICÃO LEVA ARTE AO PARQUE DA DEVESA

Arte no Parque regressa este domingo à Devesa

Depois do sucesso da primeira edição, o Parque da Devesa volta a acolher a iniciativa “Arte no Parque”, num dia dedicado às artes, com diversos artistas a trabalhar ao vivo nas áreas da pintura, desenho, escultura, fotografia e com momentos de poesia.

Parque da Devesa.JPG

Este domingo, dia 30 de junho, entre as 10h00 e as 18h00, o público é convidado a interagir com os cerca de 30 artistas presentes no evento, podendo, também, demonstrar os seus dotes artísticos e/ou literários.

A natureza junta-se à arte e à literatura com o objetivo de criar e divulgar diferentes expressões artísticas, promovendo, assim, uma interação cultural saudável.

Os artistas terão como tema preferencial a História Local e os elementos identitários que marcam Famalicão, desenvolvendo trabalhos que exprimam o percurso e o desenvolvimento do território famalicense.

As crianças terão ao seu dispor um espaço denominado de “pequenos artistas” onde podem, também, desenvolver alguns trabalhos de desenho e pintura.

A iniciativa é coorganizada pelo Município de Famalicão, o Grupo de Artistas Arte Celano e a Galeria Matriz Arte.

PONTE DE LIMA APRESENTA ARTE CONTEMPORÂNEA

Art’in Lima – Mostra de Arte Contemporânea com Abertura a 29 de Junho

A Mostra de Arte Contemporânea Art’in Lima-Sob o Signo de Baco será inaugurada no próximo dia 29 de junho, pelas 18h00, com sessão a ter início na Capela das Pereiras e continuação no Museu dos Terceiros.

Capturarlimmia.PNG

Dando seguimento a outros projetos promovidos pelo Município em anos pretéritos, Ponte de Lima pretende, através do Art’in Lima, manter-se na rota da arte contemporânea, que é cada vez mais um campo sem fronteiras, lugar de experimentação de novas técnicas e linguagens.

Este projeto de divulgação da produção artística contemporânea reunirá em Ponte de Lima artistas nacionais e estrangeiros, representados pelos seus trabalhos nas áreas da pintura, escultura, ilustração, fotografia e em outros domínios como o vídeo e a instalação de arte. Cerca de uma centena de obras estarão expostas até 30 de setembro, em monumentos históricos da vila e diversos espaços museológicos, como a Capela das Pereiras, o Museu dos Terceiros, o Museu do Brinquedo Português, o Centro de Interpretação do Território e o Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CRIA ROTEIRO DA ARTE NA RUA

Museu Municipal apresenta exposição de esculturas do concelho

Abriu hoje ao público, no Museu Municipal de Esposende, a exposição “A Arte na Rua”, para visitar até ao final do ano, na Sala dos Azulejos. Trata-se de uma exposição temporária que se divide em duas fases; até final de setembro centra-se nas esculturas que se encontram espalhadas pelo concelho de Esposende, integrando depois uma série de exposições de diferentes artistas do concelho.

_DSC9626.JPG

São 55 as peças escultóricas espalhadas pelas freguesias do concelho, retratadas nesta exposição. O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, realçou que “são trabalhos escultóricos de grande valor cultural, representando várias correntes artísticas e épocas, realizadas por artistas de referência local, nacional e mesmo mundial” que, simbolicamente, visam homenagear individualidades e/ou factos histórico-culturais ligados ao nosso concelho. 

Benjamim Pereira explicou que foi neste contexto que o Município desenvolveu esta iniciativa “A Arte na Rua”, continuando à Descoberta do nosso Património, com o duplo objetivo de, por um lado, proceder ao levantamento exaustivo deste património, identificá-lo, fotografá-lo, cartografá-lo e estudar as peças, e, por outro, proceder divulgação do mesmo, itinerando, se possível, pelas escolas, por forma a sensibilizar, despertar e dar a conhecer à comunidade escolar, em particular, este património local.

“Estamos em crer que a criação de um roteiro pelas esculturas espalhadas pelo aro concelhio será sempre uma mais-valia para a cultura e turismo de Esposende”, afirmou o autarca. Lembrou, a propósito que o Município criou o “Roteiro da Arquitetura Modernista”, propondo uma viagem por quase duas dezenas de exemplares arquitetónicos do concelho, construídos entre os anos 40 e 70 do século XX e que localizam em Marinhas, Esposende e em Fão.

“A Arte na Rua” poderá ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, e, sábado e domingo, entre as 14h00 e as 18h00, sendo a entrada gratuita. O Museu Municipal proporciona também visitas guiadas, mediante marcação antecipada prévia, através do e-mail museu.municipal@cm-esposende.pt

Esta ação enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, no que concerne a Educação de Qualidade (ODS 4) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

_DSC9716.JPG

_DSC9733.JPG

_DSC9747.JPG

_DSC9636.JPG

_DSC9621.JPG

CERVEIRA PROMOVE MOSTRA DE ARTE INFANTO-JUVENIL

IX EDUCARTE reforça atratividade internacional com presença de escolas do Brasil, Espanha, Itália, Qatar e Portugal

Porque é de pequenino que se deve começar a estimular a criatividade e o sentido crítico, Cerveira ‘Vila das Artes’ volta a dinamizar mais um EDUCARTE - Mostra de Arte Infantojuvenil. De portas abertas entre esta quarta-feira e sábado no período da manhã, no Salão Multiusos do Cineteatro de Cerveira, a IX edição assume uma maior internacionalização, com a presença de 952 trabalhos de 14 escolas de cinco países, num total de 5 mil alunos envolvidos.

IMG_1730 (1).jpg

Com o intuito de desenvolver competências, habilidades e talentos nas áreas artísticas, numa perspetiva de inclusão, o Município de Vila Nova de Cerveira, com a colaboração das escolas do concelho e demais entidades, organiza bienalmente esta exposição de trabalhos artísticos exclusivamente elaborados por crianças e jovens, já conhecida como a ‘Bienal dos Pequeninos’.

Considerado um evento- referência no seio da comunidade educativa do concelho de Vila Nova de Cerveira, o EDUCARTE – Mostra de Arte Infantojuvenil tem despertado o interesse de concelhos vizinhos como Caminha e Valença, assim como ultrapassou fronteiras, pela primeira vez em 2016, com a presença do Concello de Tomiño, Galiza.

Após a consolidação a nível concelhio e a descentralização intermunicipal, a aposta da autarquia centra-se na internacionalização, potenciando a troca de experiências e o intercâmbio sociocultural entre estudantes de várias escolas. Desta forma, e aproveitando a ligação da Fundação Bienal de Arte de Cerveira com artistas e entidades internacionais, a Câmara Municipal lançou o desafio a alguns países, imediatamente aceite por considerarem a iniciativa interessante e aliciante para os jovens que gostam de arte. A IX edição conta com 952 trabalhos expostos de 14 escolas de cinco nacionalidades – Brasil, Espanha, Itália, Qatar e Portugal, envolvendo um universo de 5 mil alunos.

Para o Presidente da Câmara Municipal, “não há nada melhor do que despertar o ‘bichinho’ pela arte e exercitar a veia artística entre as crianças e jovens. A sua criatividade e os seus sonhos não conhecem limites e as entidades públicas têm a obrigação de fomentar essa vontade, através da oferta de recursos para alavancar muito potencial por descobrir”. Durante a cerimónia de abertura, esta quarta-feira, Fernando Nogueira assegurou ainda “esta é uma festa protagonizada pelas crianças, mas atrativa para toda a comunidade, na qual os pequenos artistas chegam a expressar as suas preocupações e inquietações para com diversas temáticas que estão na ordem do dia”.

Organizado pela Câmara Municipal, são parceiros o Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cerveira, a Creche do Centro Social e Paroquial de Campos, o Jardim-de-Infância da Santa Casa da Misericórdia, a Etap Cerveira - Escola Profissional, a Escola Superior Gallaecia; como convidados nacionais o Agrupamento de Escolas de Sidónio Pais (Caminha), o Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho (Valença), Casa dos Choupos - Cooperativa Multissectorial de Solidariedade Social; e como convidados internacionais o Colégio CEIP de Sobrada (Tomiño), o CEIP Pintor António Fernández (Goián, Tomiño), a Fundação das Artes São Caetano do Sul (Brasil), o Centro Educacional Marista São José (Brasil), o L’Istituto Comprensivo Statale Grazia Deledda di San Sperate (Itália) e o Al Nebras - The Montessori Way (Qatar).

A exposição apresenta também uma componenete interativa com a dinamização de ateliers, sob orientação da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, do Aquamuseu do rio Minho, do Convento San Payo e do CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar da Universidade do Porto.

Em pleno Salão Multiusos do Cineteatro de Cerveira, o IX EDUCARTE – Mostra de Arte InfantoJuvenil decorre entre esta quarta-feira, 29 de maio, prolongando-se até sábado, dia 1 de junho, só durante o período da manhã, de forma a assinalar o Dia Mundial da Criança, e facilitar a visita de pais e crianças.

Horários de funcionamento:

Dias 29 e 30 de maio: 10h00 – 12h00 e 14h00 - 16h30

Dia 31 de maio: 10h00 – 12h00 | 14h00 - 16h30 | 21h00 – 23h00

Dia 1 de junho: 09h30 – 13h00

IMG_1744.jpg

IMG_1759.jpg

IMG_1796.jpg

IMG_1799.jpg

FAMALICÃO ESTIMULA TALENTOS ARTÍSTICOS

No âmbito do Mart.eDESIGN - Mostra de Arte e Design do Subdepartamento de Artes do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, irão realizar-se, no dia 26 e 27 de abril de 2019, nos espaços da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, inúmeras atividades que tencionam impulsionar o desenvolvimento das capacidades artísticas de cada aluno, através de formas alternativas de formação e de aprendizagem.

Logo_Mart.eDESIGN.png

As diversas atividades que se encontram englobadas no programa destes dois dias enquadram-se, sobretudo, em conferências e workshops sobre Arte e Design. O objetivo é a promoção do debate e discussão a respeito das problemáticas do universo das Artes Plásticas, Design, Ilustração e Animação. Paralelamente, numa perspetiva de formação integral e global, os alunos dos Cursos de Artes Visuais e dos Cursos Profissionais de Técnicos de Design Gráfico e Design de Moda, serão convidados a participarem em oficinas práticas nos domínios das Artes Plásticas, do Design, da Ilustração e Animação.

De realçar as Mesas-redondas com alunos e ex-alunos do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco sobre os percursos académicos e profissionais que cada um, numa perspetiva vivenciada e pessoal, vai explorando e desenvolvendo.

BARCELOS TEM PROJETO ARTÍSTICO

Abertas as inscrições para o P. A. - Projeto Artístico 2019

A Câmara Municipal de Barcelos, através do pelouro da Juventude, abriu as inscrições para a primeira fase do Projeto Artístico (PA) Barcelos 2019, uma iniciativa de educação pela arte que pretende criar condições de realização, revelação e valorização das capacidades artísticas dos jovens barcelenses.

P.A..JPG

O Festival da Canção decorre nos dias 21 e 22 de junho, às 21h30, no Largo da Porta Nova, e tem duas categorias: versão original e versão de artista/ cover. Os candidatos deverão inscrever-se até ao dia 8 de maio e comparecer no casting, no dia 18, às 16h, na Casa da Juventude. Destina-se a jovens dos 12 aos 30 anos, inclusive, a participação em grupo admite elementos até aos 12 anos e dos 13 aos 35 anos, sendo que a média de idades do grupo não pode ultrapassar os 30 anos.

Já em julho, no dia 18, decorre o Festival de Bandas de Barcelos, às 21h30, na Alameda das Barrocas, onde também decorrerá, no dia 21, às 18h00, o Festival de Dança. As inscrições para estas duas iniciativas estão abertas até dia 28 de junho.

O projeto regressa com o Encontro de Coros no Teatro Gil Vicente, nos dias 22 e 23 de novembro, às 21h30, e cujas inscrições estarão abertas até dia 31 de outubro. O auditório do Teatro receberá ainda até ao final do ano a Noite de Fados, no dia 30 de novembro, às 21h30, cujas inscrições decorrem até ao dia 23 de outubro e o casting de seleção no dia 26 de outubro, às 14h30, na Casa da Juventude.

O Projeto Artístico é uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Barcelos e pela Casa da Juventude decorre entre junho e dezembro e tem como objetivos criar, incentivar e proporcionar a realização, revelação e a valorização dos jovens barcelenses em diferentes áreas artísticas.

As inscrições devem ser feitas na Casa da Juventude (Rua da Madalena, n.º 37, Barcelos), pelo telefone 253 814 307 ou 253 814 308, fax: 253 814 309 ou email: casadajuventude@cm-barcelos.pt.

Mais informações em www.cm-barcelos.pt

Capturarbaartic.PNG

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE MOSTRA PINTURA DE FERNANDO ROSÁRIO

Abriu esta sexta-feira ao público, no Museu Municipal de Esposende, a exposição "Vita Christi", do pintor esposendense Fernando Rosário. A mostra é complementada com peças de arte sacra de autores consagrados, inserindo-se nas solenidades da Semana Santa, mas a exposição estará patente até 31 de maio.

_DSC7059 (1).JPG

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Esposende, "o apoio à cultura local é uma obrigação do Município", razão pela qual há um projeto para o concelho que passa pela valorização do espólio de Ventura Terra, Viana de Lima, Henrique Medina, Manuel Boaventura e Belemino Ribeiro, entre outros, mas que contempla o apoio a artistas contemporâneos.

_DSC7045 (1).JPG

"As medidas adotadas visam o benefício da comunidade. As políticas são direcionadas na educação para a cultura e preservação do património que é nosso", sublinhou Benjamim Pereira, agradecendo a Fernando Rosário por disponibilizar a sua obra à fruição da população.

O pintor revelou o seu sonho de ver as suas obras "reunidas num local próprio, principalmente as que versam temas locais".

_DSC7064.JPG