Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUTES CRIA CAPA DO ÁLBUM "SUBTERRÂNEOS" DO GAJO

O Gajo é João Morais, musico Português com mais de 30 anos de carreira. Foi guitarrista do Punk Rock, passou pelos Corrosão Caótica, Carbon H, e os Gazua.

11mutespintorarcos.jpg

Quis o destino que um dia o Gajo tropeçasse na viola alentejana campaniça, onde encontrou forma de expurgar a sua criatividade, através dos seus belos acordes, que emanam raízes e tradições Portuguesas.

Mutes é um Operário Plástico Arcoense, que num belo dia, como um outro qualquer, após pintar uma bengala, fez um post nas redes sociais, através de um vídeo, onde passava a música d´O Gajo, “O navio dos Loucos”, a música ficou nesse vídeo.

Dias mais tarde O Gajo contacta Mutes. Desde então cresceu uma bela amizade de parte a parte, uma admiração através do trabalho de ambos. O Gajo fez um convite a Mutes para a capa de um álbum, e Mutes aceitou.

MUNICÍPIO ARCUENSE AJUDA FAMÍLIAS CARENCIADAS

3100 Vales de Natal chegaram a cerca de 1000 famílias arcuenses

Tendo em consideração a época que vivemos devido à situação pandémica, no Natal, o Município decidiu apoiar as famílias em situação de maior vulnerabilidade social através da atribuição de um “Vale de Natal”, para utilizarem no comércio local.

vale de compras 2 - Cópia.png

Nesta ação foram entregues cerca de 3100 vales, no valor global de 31 mil euros, a cerca de 1000 famílias que foram trocados em cerca de 150 estabelecimentos comerciais arcuenses da sede do concelho e freguesias.

Esta foi uma forma do Município unir esforços, apoiando ao mesmo tempo as famílias e o comércio local, e criar condições para proporcionar a estes agregados um Natal que, embora diferente, mantivesse o mesmo espírito de solidariedade e de entreajuda.

ARCOS DE VALDEVEZ: ARRANCARAM AS OBRAS DO CENTRO ETNOGRÁFICO DE SOAJO

A Câmara Municipal procedeu à consignação da empreitada Centro Interpretativo do Soajo - Alteração e adaptação funcional de edifício, a qual tem por objetivo a Alteração e Adaptação Funcional de Edifício a Centro Etnográfico do Soajo.

consignação centro etnográfico de soajo.JPG

A localizar no Largo do Eiró, no edifício da primitiva Casa da Câmara, esta primeira intervenção do Centro Interpretativo e Etnográfico de Soajo foi consignada por 73.197,61 € (com IVA).

Após a realização das obras de construção, seguir-se-á a fase da montagem das exposições temáticas que irão promover o legado histórico e etnográfico deste antigo concelho, através de um discurso interpretativo que seja acessível a escolas, turistas e à própria comunidade local.

Esta segunda fase está estimada em cerca de 80 mil euros e compreende a História, o Território e a Etnografia, que serão comunicadas através de uma multiplicidade de meios, assentes no multimédia, vídeos, objetos e painéis interpretativos.

O Centro será também um ponto de partida, pelo que tentará introduzir o visitante ao espaço maior que vai visitar; com toda a riqueza material, imaterial e natural de Soajo, deseja-se criar conteúdos localizados que permitam a um visitante munido de um smart-phone descobrir in loco as histórias e o património existentes.

Esta primeira fase da empreitada prende-se com a recuperação da estrutura do edifício.

O piso inferior manter-se-á de apoio, com instalação sanitária de acesso público, e zona de arrumos e armazenagem. O piso superior será reorganizado e adaptado ao centro etnográfico, compartimentado com pequeno backoffice e sala de exposição, ampla e adequadamente infraestruturada para receber os conteúdos temáticos do projeto.

Esta empreitada conta com um prazo de execução de 120 Dias.

Com este investimento alarga-se a rede de equipamentos culturais do concelho. Através do mesmo pretende-se valorizar e promover o vasto e rico património cultural de Soajo, bem como reforçar a sua identidade local e atrair visitantes, dinamizar o comércio, a restauração, o artesanato e o turismo.

consignação centro etnográfico de soajo2.JPG

ARCOS DE VALDEVEZ REÚNE EXECUTIVO MUNICIPAL

Camara Municipal r.jpg

REUNIÃO ORDINÁRIA DE 12 DE FEVEREIRO DE 2021

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA:

No Período Antes da Ordem do Dia o sr. Presidente deu nota da situação relativamente à COVID-19, adiantando que os casos estão a diminuir e que à data da reunião o concelho possuía 213 casos ativos;

De igual modo informou que o Centro de Vacinação contra a covid-19, instalado no Centro de Exposições pela Câmara Municipal, em coordenação com a ULSAM, está pronto e que na próxima semana deverá começar o processo de vacinação da população;

Deu nota também que a Câmara Municipal colocou em consulta pública as propostas de "Programa de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego em Arcos de Valdevez", o “Programa de Valorização dos Produtos e Produtores Locais”, e o Programa de Apoio aos Produtores Locais, Comércio e Turismo”, os quais se destinam a apoiar micro e pequenas empresas de vários ramos de atividade a realizarem investimentos em instalações, equipamentos e novas tecnologias; atribuição da marca “Terras do Vez – Sabores e Tradições” como um dos pilares da valorização e promoção dos produtos locais, dos produtores locais, do comércio e do turismo; e a modernização e promoção dos produtores locais, do comércio, da restauração e da hotelaria arcuense, através do incentivo ao consumo de produtos locais e sua utilização predominante na gastronomia arcuense, contribuindo para a fixação e atração de novos clientes e de novos mercados, promovendo a criação de emprego e gerando rendimento.

Também informou que o Município está a apoiar os alunos de famílias mais vulneráveis, garantindo a igualdade no acesso à educação, tendo entregue 130 computadores ao Agrupamento de Escolas de Valdevez.

Por último informou que devido à situação pandémica que vivemos o Carnaval não poderá ser celebrado nos moldes habituais e que para assinalar a data, a Câmara Municipal e a Folia prepararam uma programação digital que irá relembrar o Entrudo Arcuense desde o ano de 2003 até 2020, sendo lançado o Documentário 18 ANOS de CARNAVAL ARCUENSE (2003 a 2020) “O MAIOR CARNAVAL DO NORTE DE PORTUGAL”, na terça-feira, pelas 15h, será o momento alto desta celebração digital.

O vereador Dr. Hélder Barros informou a Câmara das exigências que os Municípios têm feito à ADAM no sentido de serem corrigidos os erros ao nível da faturação; informou também do lançamento da aplicação gratuita para smartphones mYAqua, a qual permite aos consumidores consultarem e gerirem os seus dados de contrato, bem como comunicar leituras de acordo com as suas preferências, faltas de água ou comunicar anomalias

Informou também que, na sequência dos atrasos verificados na distribuição da correspondência da parte dos CTT a AdAM – Águas do Alto Minho procedeu ao alargamento do prazo de pagamento das faturas.

ACORDO DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS E AUTO DE TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS ENTRE O MUNICÍPIO E AS FREGUESIAS, NOS TERMOS DO DECRETO-LEI Nº 57/2019, DE 30 DE ABRIL:

Foi aprovado o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Gondoriz, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 12.438,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia do Vale, prevendo a transferência para aquela Freguesia das seguintes competências:

            - Limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros;

            - A utilização e ocupação da via pública;

            - O licenciamento e afixação de publicidade de natureza comercial;

            - A autorização da colocação de recintos improvisados;

            - A autorização da realização de espetáculos desportivos e divertimentos na via pública, jardins e outros lugares públicos;

            - A autorização da realização de acampamentos ocasionais.

            O Auto de Transferência de Recursos prevê a transferência para aquela Freguesia do montante de 13.116,00 Euros.

           

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Guilhadeses e Santar, prevendo a transferência para aquela Freguesia das seguintes competências:

            - Limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros;

            - O licenciamento e afixação de publicidade de natureza comercial;

            - A autorização da realização de espetáculos desportivos e divertimentos na via pública, jardins e outros lugares públicos;

            - A autorização da realização de acampamentos ocasionais.

            O Auto de Transferência de Recursos prevê a transferência para aquela Freguesia do montante de 7.972,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Souto e Tabaçô, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 10.392,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Paçô, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 5.158,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Senharei, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 5.852,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Aboim das Choças, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 2.728,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Portela e Extremo, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 5.408,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Jolda (Madalena) e Rio Cabrão, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 7.926,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Padreiro (Salvador e Santa Cristina), prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 6.380,00 Euros.

Idem, o Acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Eiras e Mei, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 6.584,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia da Miranda, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 4.722,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Grade e Carralcova, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 11.830,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Rio Frio, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 9.254,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Rio de Moinhos, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 7.114,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Vilela, S. Cosme e S. Damião e Sá, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 1.968,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Oliveira, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 3.712,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Monte Redondo, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 3.974,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Cendufe, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 5.972,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Jolda (S. Paio), prevendo a transferência para aquela Freguesia das seguintes competências:

            - Limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros;

            - A manutenção, reparação e substituição de mobiliário instalado no espaço público;

            - O licenciamento e afixação de publicidade de natureza comercial;

            - A autorização da realização de espetáculos desportivos e divertimentos na via pública, jardins e outros lugares públicos;

            - A autorização da realização de acampamentos ocasionais;

            - A autorização da realização de fogueiras e do lançamento e queima de artigos pirotécnicos, bem como a autorização ou receção das comunicações prévias relativas a queimas e queimadas.

            O Auto de Transferência de Recursos prevê a transferência para aquela Freguesia do montante de 1.004,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Cabana Maior, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 7.948,00 Euros.

Idem, o Acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Ázere, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 3.990,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia de Padroso, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 7.872,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a Freguesia do Couto, prevendo a transferência para aquela Freguesia das seguintes competências:

            - Limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros;

            - A manutenção, reparação e substituição de mobiliário instalado no espaço público;

            - A utilização e ocupação da via pública;

            - O licenciamento e afixação de publicidade de natureza comercial;

            - A autorização da realização de espetáculos desportivos e divertimentos na via pública, jardins e outros lugares públicos.

            O Auto de Transferência de Recursos prevê a transferência para aquela Freguesia do montante de 3.610,00 Euros.

Idem, o acordo de Transferência de Competências e Auto de Transferência de Recursos, entre o Município e a União das Freguesias de Álvora e Loureda, prevendo a transferência para aquela Freguesia da competência prevista na aliena b) do nº 1 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 57/2019, de 30 de abril, de limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros, e do montante anual de 6.006,00 Euros.

PROTOCOLOS DE APOIO FINANCEIRO ÀS FREGUESIAS:

  • Foi aprovado apoiar a Junta de freguesia da Miranda no montante de 768€ para a realização das seguintes obras na freguesia, no valor total de 50.471,70 euros + IVA: Pavimentação do Caminho do Padrão; Pavimentação e Construção de Muro no Caminho de Soutelinhos; Pavimentação do Caminho da Rosinha; Pavimentação da Travessa de Padrão; Pavimentação do Caminho do Eido; Pavimentação do Caminho de Santo António; Pavimentação do Caminho de Cendufe; Conservação e Reparação de Vários Caminhos da Freguesia, bem como para apoiar a limpeza da rede Viária Vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia de Sistelo, no montante de 36.808,00€ para as obras de melhoramento do Largo de Porta Cova, beneficiação de caminho no lugar da Estrica, e outras obras diversas de melhoramento e beneficiação em vários pontos da freguesia, em 2021, cujo orçamento ascende a 38.000,00 euros, bem como para apoiar a limpeza da rede Viária Vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia de Cabana Maior, no montante de 35.754€ para a execução de obras de Beneficiação do Caminho do Cemitério, no lugar da Igreja; do Caminho da Veiga, no lugar de Vilela de Lages; e do Caminho de Bostelinhos, cujo orçamento ascende a 38.229,30 euros + IVA, bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia da União de Freguesias de Padreiro (Salvador e Santa Cristina), no montante de 3124,00€ para apoiar o plano de obras para o ano 2021, com orçamento previsto no valor de 60.000 euros, a que acresce o IVA à taxa legal em vigor: Travessa da Fonte; Caminho de Novelhos (alargar, tout-venant de betuminoso); Travessa da Costa (alargar, tout-venant e betuminoso); Caminho das Candeiras (tubos, tout-venant e betuminoso); Caminho do Torrão (betuminoso); Largo do Cemitério (vedação em pedra com 3 magnólias); Fonte do Rei (teto em telha e mesa em pedra), bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia de Jolda (S. Paio), no montante de 3805,00€ para as seguintes obras que pretendem realizar em 2021, cujo orçamento ascende a 58.300,00 euros, com IVA incluído: Requalificação e pavimentação de diversas ruas na freguesia (Rua dos Pregais, Rua da Algarvia, Rua do Outeiro, Rua da Bouça, Rua da Breia, Rua do Carvalhoso, Rua de Fontaninho, Rua do Cemitério, Recanto da Cruz de Pau, Rua da Fábrica e Rua do Xisto), bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia do Vale, no montante de 37.707,00€ para apoiar as intervenções previstas, no valor de 65.175,00 euros, bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia de Paçô, no montante de 40.746,00€ para apoiar a execução das obras/trabalhos que pretende efetuar no corrente ano, no total de 45 497,00 €, a que acresce o IVA, a fim de serem incluídas no protocolo 2021: Pavimentação Caminho da Cruz; Passadiço/escadaria do Assento; Cemitério/criação de sepulturas; Reparação e manutenção da rede viária; Atividades sociais, bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia de Aguiã, montante de 38.989,00€ para apoiar a execução do plano de obras, previstas para o ano de 2021, e cujo valor total ascende a 660,00 euros, acrescido de I.V.A. à taxa legal em vigor. As obras previstas a executar são: requalificação e pavimentação da estrada de Vila Moura, a pavimentação da estrada do Moinho Velho e a implementação da toponímia na freguesia, bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia da União de Freguesias de Vilela, S. Cosme e S. Damião e Sá, montante de 39. 275,00€ para apoiar as obras que indicam: Beneficiação do Caminho de Penelas/Carvalhos (1ª fase) - 25.000,00€; Beneficiação do Caminho Vale da Pereira (1ªfase) - 6.000,00€; Beneficiação dos Cemitérios -7.500,00€; Beneficiação dos Fontanários da Mourinha e Quintães - 6.000,00€, bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem, a Junta de Freguesia de Prozelo, montante de 39. 976,00€ para apoiar a execução das obras de "Alargamento e Pavimentação do Caminho de Estanque à Portelinha e do Caminho de acesso ao Rio Vez" e "Conservação do Lavadouro de Côto Molelo e arranjo do espaço envolvente", cujo orçamento ascende a 48.000,00 euros (IVA incluído), bem como para apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem a Junta de Freguesia da Gavieira em 34.858,00€ para apoiar obras na freguesia e a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;
  • Idem a Junta de Freguesia de Távora (Santa Maria e S. Vicente) em 31.065,00€ para apoiar a execução de obras na freguesia e apoiar a limpeza da rede viária vicinal e outros espaços públicos;

Alteração do acordo de transferência de Competências: foi aprovado o pedido da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Távora (Santa Maria e São Vicente) para a atualização para 2021 do valor da transferência de competências para limpeza das vias municipais.

Projeto da 1ª Alteração ao Regulamento do Programa Municipal de Arrendamento Jovem: foi aprovado o projeto da 1ª Alteração ao Regulamento do Programa Municipal de Arrendamento Jovem, bem como remete-lo para a Assembleia Municipal, para efeitos de aprovação daquele órgão.

Projeto da 1ª Alteração ao Regulamento do Programa Municipal de Arrendamento Jovem

Prorrogação da ISENÇÃO temporária das taxas de ocupação de espaços na feira quinzenal e no terrado do Mercado Municipal:  foi aprovado manter uma isenção temporária das taxas municipais em vigor, devidas pela ocupação do terrado, pela ocupação acidental do recinto da feira quinzenal e pela ocupação do terrado do Mercado Municipal pelos feirantes, pelo período de 1 de março a 30 de junho de 2021, bem como remete-la à Assembleia Municipal, para efeitos de aprovação.

Reabilitação, Construção e Beneficiação de Vias Municipais (Bloco A) - CM 1318-1 em Rôta (Paçô) e Caminho de Acesso ao Cemitério (Prozelo): Foi aprovado o auto de consignação da empreitada referida em epígrafe, adjudicada à empresa Martins & Filhos, S.A., pelo valor de 196.477,77 euros, e prazo de execução de 120 dias.

Oficina de Criatividade Himalaya - Execução de Acabamentos Decorativos: foi aprovada a abertura de procedimento pelo valor base de 27.702,00 euros e prazo de execução de 30 dias.

REPOSIÇÃO DEFINITIVA DE PAVIMENTOS EM VALA (MEIA FAXA): foi aprovado o auto de consignação da empreitada referida em epígrafe, adjudicada à empresa Tera & Pedra - Terraplanagens, Lda., pelo valor de 13.780,00 euros, e prazo de execução de 30 dias.

EXPANSÃO DA REDE DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS – CAMINHO DE PENAGUDE – AGUIÃ: foi aprovado adjudicar o procedimento da empreitada acima referida ao concorrente Planominho, Unipessoal, Lda., pelo valor de 47.895,74 euros, mais IVA.

Expansão da Rede de Abastecimento de Água a Rio Frio (S. Vicente) | ENCERRAMENTO DO PROCESSO: foi aprovado o encerramento do presente procedimento.

EXPANSÃO DA REDE DE ÁGUA A RIO FRIO (S. VICENTE): considerando que o Procedimento Concursal para "EXPANSÃO DA REDE DE ÁGUA A RIO FRIO (S.VICENTE) ", ficou deserto, foi autorizada a reabertura do mesmo, pelo preço base de 31.000,00 Euros, e prazo contratual de 90 dias;

Reabilitação, construção e beneficiação de vias municipais - Construção de muros de suporte: foi aprovado adjudicar o procedimento acima referido ao concorrente Planominho - Unipessoal, Lda., pelo valor de € 49.170,21, mais IVA

6ª ALTERAÇÃO DO 3º LOTEAMENTO DO PARQUE EMPRESARIAL DAS MOGUEIRAS: foi aprovada a abertura de procedimento para a 6.ª Alteração do 3.º Loteamento do Parque Empresarial das Mogueiras. Esta alteração decorre das dinâmicas instalada, nomeadamente da necessidade da expansão da área subjacente ao 3.º loteamento do Parque Empresarial das Mogueiras, com vista à ampliação do lote B13, bem como do redimensionamento das infraestruturas viárias e dos espaços confinantes de domínio público.

EN (M) 202 - km 35,550 - Instalação de conduta: foi aprovada a informação da Infraestruturas de Portugal, IP, da intenção de deferimento do pedido de instalação de CONDUTA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM EN(M)202 km 35,550, no âmbito da empreitada de "Reforço da Rede de Abastecimento de Água ao Parque Empresarial de Padreiro”.

É devida a prestação de uma caução no valor de 3.000,00€, que deve ser paga no prazo de 30 dias a partir da notificação.

Foi ainda aprovado o contrato a celebrar entre o IP e Município relativo à instalação da infraestrutura.

APOIOS

Foi aprovado um financeiro no valor de 75.000,00 euros para a ARDAL – Associação Regional de Desenvolvimento do Alto Minho para esta fazer face aos custos associados com a execução das atividades previstas para 2021.

Foi aprovado o pagamento à ADERE-PG – Associação de Desenvolvimento das Regiões do Parque Nacional da Peneda-Gerês, das quotas e comparticipações, no total de 15.557,11 €, considerando os projetos em desenvolvimento, constantes do Plano de Atividades, e de modo a conseguir assegurar a execução física e financeira dos mesmos. De igual modo foi aprovado o pagamento do valor da quota correspondente ao ano de 2021.

ACÓRDÃO DA ARBITRAGEM DE PRÉDIO RÚSTICO EM SECAS – GIELA: - foi autorizado o processamento do depósito do valor de 89,665,50 Euros, à ordem do Juiz do Juízo Local Cível de Arcos de Valdevez, bem como a remessa do processo de expropriação àquele tribunal para efeitos de adjudicação da propriedade do Imóvel, concedendo ainda poderes à Presidência para promover as diligências necessárias à apresentação de recurso da decisão arbitral que fixou o valor da indeminização.

Aquisição de gasóleo rodoviário para a frota municipal (Ano 2021): foi aprovado adjudicar o procedimento acima referido ao concorrente Petroibérica – Sociedade de Petróleos Ibero Latinos, S.A., Lda., pelo valor do desconto de 0,2154 €/Lt, mais IVA.

Reconversão de Arruamento da Margem Esquerda do Rio Vez – Lamela: foi aprovada a prorrogação de prazo a título gracioso, por mais 28 dias por forma a concluir os trabalhos da empreitada.

Expansão da Rede de Abastecimento a Oliveira (Travassos) e Instalação do Coletor de águas Residuais na EM 530-1: Foi aprovado o pedido de prorrogação de prazo da obra por mais 39 dias, a titulo gracioso.

AMPLIAÇÃO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA A PAREDES DO VALE A PARTIR DO SISTEMA DO MEZIO: foi aprovado o o auto de vistoria para efeitos de receção provisória.

CONSTRUÇÃO DE PASSEIO E REDIMENSIONAMENTO DE CALDEIRAS / ESPAÇO VERDE - FASE II: foi aprovado o auto de vistoria para efeitos de receção provisória.

ARCOS DE VALDEVEZ: ESTÁ EM CURSO A “AMPLIAÇÃO DA REDE DE SANEAMENTO A GIELA, ÁZERE E COUTO” LOTES 1, 2 E 3

A Câmara Municipal continua a prosseguir com os investimentos na ampliação da rede de saneamento, tendo em curso a empreitada de “ampliação da rede de Saneamento a Giela, Ázere e Couto” lotes 1, 2 e 3, no valor de 932 631,72 Euros.

IMG_20210115_094953_1.jpg

Com este investimento está a ser concretizada a ampliação da rede de SANEAMENTO à parte das freguesias de Giela, Ázere e Couto, que ainda não se encontra servida de rede pública, drenando para o emissário que está a ser construído pelas Águas do Norte.

Assim, o projeto preconiza a execução dos troços principais da rede, numa extensão de cerca de 10.2km, 2 estações elevatórias e serão executados 317 ramais.

De referir que o Lote 1 foi adjudicado à Firma Martins & Filhos, S.A., por 353 713,09€; o Lote 2 foi adjudicado à Firma Sebastião da Rocha Barbosa, Lda., por 265 012,50€ e o Lote 3 foi adjudicado ao Consórcio Terra e Pedra, Lda. e Pedreira da Franqueira, Lda., por 313 906,12 €.

Esta obra junta-se a outras de ampliação da rede de saneamento em Oliveira, Prova - Paçô e Soajo.

O bem-estar e qualidade de vida dos arcuenses são os principais objetivos destas intervenções levadas a cabo pela Câmara Municipal.

IMG_20210115_094926.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ: 3 PROGRAMAS DE RETOMA DA ECONOMIA ARCUENSE ESTÃO EM CONSULTA PÚBLICA

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez colocou em consulta pública 3 Programas de Apoio ao Emprego, Investimento Empresarial e de Valorização de Produtos Locais.

Poderá aceder a esta consulta pública no site do Município em www.cmav.pt.

Estes programas inserem-se nas medidas de apoio às pessoas, instituições e economia, que a Autarquia Arcuense lançou.

Com estes apoios pretende-se contribuir para a fixação e atração de novos clientes e de novos mercados, promover a criação de emprego e rendimento.

  • Programa de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego destina-se a apoiar micro e pequenas empresas de vários ramos de atividade a realizarem investimentos em instalações, equipamentos e novas tecnologias.
  • Programa de Apoio aos Produtores Locais, Comércio e Turismo tem por objetivo o apoio à modernização e promoção dos produtores locais, do comércio, da restauração e da hotelaria arcuense, através do incentivo ao consumo de produtos genuínos e de qualidade superior, à sua utilização na gastronomia arcuense, incrementar a valorização e a comercialização dos produtos e dinamizar a restauração e o comércio,
  • Programa de Valorização dos Produtos e Produtores Locais, pretende promover os produtores e os produtos locais com a marca “Terras do Vez – Sabores e Tradições”. Com esta marca pretende-se impulsionar a valorização e promoção dos produtos arcuenses, de qualidade superior, genuínos e certificados, contribuindo para a sua divulgação e valorização, bem como para a valorização dos seus produtores e para o fomento da agricultura, comércio e do turismo

Com mais esta aposta do Município Arcuense na dinamização económica, na valorização da Biodiversidade e Paisagem e na qualidade alimentar, procura-se reforçar o posicionamento de Arcos de Valdevez como um Território para viver, trabalhar investir e visitar.

Dê os seus contributos!

Participe em www.cmav.pt

programas de apoio ao investimento2.png

ARCOS DE VALDEVEZ: CENTRO DE VACINAÇÃO COVID-19 ESTÁ PRONTO A FUNCIONAR

A Câmara Municipal concluiu a instalação do Centro de vacinação da Covid-19 no Centro de Exposições de Arcos de Valdevez.

centro de vacinação (3).png

Este espaço, que resulta da articulação entre o Município e a ULSAM - Unidade Local de Saúde do Alto Minho, está pronto para iniciar a vacinação, conforme o programa de vacinação da Covid-19 das Autoridades de Saúde.

O Centro é composto por quatro salas de vacinação, uma sala de recobro, uma sala de preparação de vacinas e uma área de receção das pessoas.

De acordo com a informação da ULSAM a vacinação das pessoas de Arcos de Valdevez terá início esta semana.

As pessoas deverão aguardar o contato dos Serviços de Saúde, que lhes indicarão a data da vacinação a realizar no Centro.

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, desde a primeira hora, que está na linha da frente, a trabalhar em prol da saúde, apoiando arcuenses e instituições no combate a esta pandemia.

centro de vacinação (4).png

centro de vacinação (5).png

centro de vacinação (1).png

ESTÁ EM CURSO A “AMPLIAÇÃO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA A CARRALCOVA E GRADE- ARCOS DE VALDEVEZ”

Encontra-se em execução a empreitada de “Ampliação da rede de Abastecimento de Água a Carralcova e Vilela de Grade” lotes 1, 2 e 3, pelo valor de 1 373 768,71 Euros.

1612802199077.JPEG

Com o projeto de execução em referência, pretende-se a ampliação da rede de abastecimento de água a Nascente do concelho, à União de Freguesias de Grade e Carralcova, que ainda não se encontram servidas pela rede. Com estas obras, todas as freguesias do concelho tem cobertura de rede de abastecimento de água.

O projeto preconiza: adução a partir de Vila Boa: Construção de Estação elevatória (Vila Boa) e conduta de adução, numa extensão de cerca de 5.00 km; rede de distribuição: construção de um reservatório com capacidade para 50m3, bem como a instalação de condutas, numa extensão de cerca de 16 km, 2 estações elevatórias, 10 redutoras de pressão e 246 ramais domiciliários.

O Lote1 foi adjudicado à Firma Martins & Filhos, S.A., por 503 048,57 €; o Lote 2 foi adjudicado à Firma Niverfix, Lda., por 467 445,55€; e o Lote 3 foi adjudicado à Habimonção, Lda., por 403 274,58 €.

Fazer chegar água da rede pública de abastecimento à população do concelho é uma das grandes prioridades do Município, sendo reflexo disso os investimentos realizados no último ano, em curso, ou a iniciar no montante global de 5,5 milhões de euros.

Neste momento estão em curso ou em fase de conclusão, obras de ampliação e reforço do abastecimento de água em Vilar de Lobos, Gração, Vilarinho de Souto, Ermelo, Paredes do Vale, Mezio e Soajo.

1612802035274.JPEG

image_2021_02_08T16_28_00_093Z.png

SOAJO: TERRA DE PÃO QUE A CRUZ ABENÇOA E PROTEGE! – ATRAVÉS DA OBJECTIVA DE JOSÉ COSTA LIMA

Os espigueiros são construções de arte popular ligadas à cultura do milho

Um pouco por toda a região do noroeste peninsular, surge frequentemente na paisagem rural, um tipo de construção bastante característica que, pela graciosidade que possui, tornou-se num elemento emblemático daquela região – o espigueiro!

149170402_4124148167615518_9130797267947268129_o.j

Também designado por canastro ou caniceiro em função dos materiais empregues na sua construção, o espigueiro constitui um celeiro onde o lavrador guarda as espigas. De posse particular ou comunitária, a dimensão do espigueiro reflete a grandeza da produção que normalmente é efetuada. De modo idêntico, a sua ornamentação depende da fantasia do construtor e dos recursos do proprietário.

Os espigueiros encontram-se, em regra, implantados em zonas onde o terreno é mais elevado de forma a permitir a secagem do milho. Nas imediações, encontra-se a eira que aproveita as características de um solo mais plano e lajeado. É aí que se malha o centeio onde se desfolha o milho, dando lugar às alegres descamisadas que constituíam um pretexto para a escolha do namorico.

A origem deste género de construções encontra-se principalmente ligada à introdução da cultura do milho na Península Ibérica de onde irradiou para o resto do mundo. Outrora designado por “trigo índio”, o milho deverá ter-se originado do México de onde, há cerca de quinhentos anos, foi trazido nas naus de Cristóvão Colombo. Desde tempos imemoriais, o milho constituiu a base da dieta alimentar dos maias, incas e aztecas que o incluíam nos seus ritos ancestrais e o celebraram nas suas manifestações artísticas.

A sua implantação, entre nós, registou-se sobretudo na região do Minho e da Galiza, facto a que certamente não foram alheias as condições favoráveis à sua produção e onde prevalece a cultura de regadio. Com o decorrer do tempo, o cultivo do milho passou a estender-se a outras regiões, nomeadamente no centro do país onde predomina a cultura de sequeiro.

Em relação ao espigueiro, estes apresentam-se das mais variadas formas e dimensões de acordo com as quantidades de grão a armazenar, as regiões onde se encontram e os materiais disponíveis para a sua construção. Em localidades onde a pedra escasseia, os espigueiros são geralmente construídos em madeira. Porém, atendendo à sua predominante distribuição espacial, a maior parte encontra-se construída em pedra e madeira. A sua fisionomia é variada, existindo sob formas retangulares, quadradas e redondas. Contudo, ele apresentou-se inicialmente sob uma forma mais rudimentar, na maioria das vezes feito apenas de caniços com cobertura de colmo, tal como aliás sucedia com as habitações mais humildes. E, as técnicas empregues na sua construção evoluíram à medida que se foi constatando a melhor forma de secar o cereal mantendo-o simultaneamente fora do alcance de elementos indesejáveis.

Constituindo a secagem a sua principal função, o espigueiro é construído de molde a proteger as espigas da humidade, salvaguardando-as da intromissão dos pássaros, insetos e roedores, assegurando ao mesmo tempo o necessário arejamento do seu interior. E, este cuidado é tão importante quanto adverso poderá ser o inverno que se aguarda pouco tempo após a colheita do milho e as suas descamisadas.

Tomando como modelo de referência os existentes no Minho, o espigueiro é geralmente construído em madeira e pedra, quase sempre em granito extraído na região. Encontra-se frequentemente assente em pilares que o elevam do solo, sobre os quais assentam os dinteles que são os esteios que suportam toda a estrutura e onde se encaixam as aduelas. Estas apresentam-se de forma intervalada para permitir, através das fissuras propositadamente deixadas abertas, efetuar-se o arejamento do seu interior. Para prevenir o acesso das formigas, uma pequena fossa com água rodeia as sapatas onde assentam os pilares do espigueiro. De igual modo, os “torna-ratos” protegem-no dos roedores. Regra geral, são cobertos de telha, existindo porém alguns que se apresentam com cobertura de colmo ou em pedra, sendo mais frequentes nestes casos em lousa e piçarra.

Para além dos elementos arquitetónicos que caracterizam o espigueiro, este é frequentemente encimado por algum elemento de adorno, na maioria das vezes uma cruz, pretendendo-se assim abençoar o milho que se irá transformar, tal como o padeiro que, antes de levar o pão ao forno, procede de forma solene a acompanhar a ladainha.

Persistem em diversas localidades hábitos ancestrais que levam à utilização comum dos espigueiros de acordo com costumes e leis comunitárias. Encontram-se neste caso a eira que se aninha junto às muralhas do castelo do Lindoso, em Ponte da Barca, e no Soajo, em Arcos de Valdevez, onde o seu uso se estende ainda a práticas iniciáticas que contemplam o alojamento dos noivos que aí vão dormir juntos antes da celebração do casamento.

Mais do que propriamente meros celeiros onde se guardam as espigas das quais se produzirá o pão que vai à mesa do agricultor, amassado com o suor do seu próprio rosto e benzido com a sua Fé, os espigueiros constituem verdadeiras obras de arte popular que reúnem uma elevada carga simbólica, quais sacrários onde o povo guarda o alimento para o ano inteiro e, como tal, sinalizado com a cruz que o protege e resguarda de toda a maldição. Como tal, devem ser preservados como um dos mais ricos elementos do nosso património cultural de interesse etnográfico.

- GOMES. Carlos http://www.folclore-online.com/index.html

149293401_4124147590948909_2791649689478053121_o.j

149660550_4124147900948878_4934088426484558084_o.j

149694435_4124148040948864_5380548998970649861_o.j

149173428_4124148284282173_3848911308705036255_o.j

149507833_4124148060948862_8922335309890948554_o.j

149025628_4124147744282227_4203428119490096857_o.j

149494666_4124148520948816_1250708587971731294_o.j

149228620_4124148477615487_3560323857281876916_o.j

149670325_4124148637615471_5743838328828382366_o.j

149139202_4124148807615454_408919943655269852_o.jp

149670325_4124149097615425_7736424465606719527_o.j

149120266_4124148950948773_2906291146644268976_o.j

149429672_4124149297615405_7552063488481051332_o.j

ARCOS DE VALDEVEZ INVESTE NA DEFESA DA FLORESTA

320 mil euros na defesa da Floresta Contra incêndios em Arcos de Valdevez

No último ano, o Município investiu cerca de 320 mil euros em obras e limpezas de terrenos.

IMG_20201125_104315.jpg

A Câmara Municipal, de acordo com o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, neste último ano procedeu à intervenção em pontos de água, caminhos florestais e à realização de limpezas de terrenos, no valor de cerca de 320 mil euros.

Naquilo que toca aos pontos de água, a intervenção da Câmara Municipal teve como finalidade garantir a operacionalidade de 10 pontos de água distribuídos pelo concelho, nomeadamente em Paradela, São Braz da Anta, Monte do Castelo, Miranda, São Jorge, Sabadim, Carralcova e Paradela.

No âmbito, da limpeza de mato, trilhos e limpezas coercivas, foram intervencionados 270 mil m2. Foram também celebrados protocolos com 5 equipas de Sapadores Florestais que realizaram ações de limpeza de mato e vias, bem como de vigilância e apoio ao combate de incêndios.

Estas medidas potenciam a funcionalidade de toda a rede de defesa da floresta contra incêndio e apoiam a prevenção e o combate a incêndios florestais.

IMG_20201125_131333.jpg

IMG-20210114-WA0000.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ CELEBRA CARNAVAL DIGITAL

Devido à situação pandémica atual, o Carnaval arcuense não poderá ser celebrado nos moldes habituais. Normalmente seriam dias vividos intensamente pelos foliões, desde os mais pequenos aos mais graúdos.

outdoor-780x280.png

Assim, para assinalar a data, a Câmara Municipal e a Associação de Festas Folia prepararam uma programação que irá relembrar o Entrudo Arcuense desde o ano de 2003 até 2020.

Estão a ser preparados vídeos promocionais sobre o Carnaval Digital que serão divulgados nas redes sociais da Câmara Municipal e da Folia, bem como nos sites oficiais.

A organização incentiva ainda os Foliões a colocarem fotografias de recordações dos Carnavais em que participaram com a #18anoscarnavalavv, bem como a utilizarem nas suas fotos de perfil das redes sociais a moldura sobre a presença dos 18 anos do Carnaval, criada especificamente para o efeito.

O lançamento do Documentário 18 ANOS de CARNAVAL ARCUENSE (2003 a 2020) “O MAIOR CARNAVAL DO NORTE DE PORTUGAL”, na terça-feira, pelas 15h, será o momento alto desta celebração digital.

Participe no Carnaval Digital! Partilhe as suas fotografias e assista ao documentário do maior Carnaval do Norte de Portugal!

CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ APOIA CENTRO DE ATIVIDADES OCUPACIONAIS PARA JOVENS E ADULTOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

A Câmara Municipal, tendo presente o superior interesse dos jovens e adultos portadores de deficiência, estabeleceu uma parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez para o transporte de 14 utentes que frequentam a valência CAO (Centro de Atividades ocupacionais), instalado no Hospital de S. José, residentes nas freguesias de Gondoriz, Cabreiro, Loureda, Aguiã, Proselo, Vila Fonche, Paçô, Guilhadeses e Miranda.

Capturarhosparcval.PNG

Esta comparticipação financeira, no montante anual estimado de 28.237,44€, será paga mensalmente.

O Município, através do apoio a esta resposta social, que colabora no desenvolvimento e manutenção das autonomias pessoais, sociais e no equilíbrio emocional destes jovens e adultos, tornando-os mais independentes e consequentemente mais felizes, está também a contribuir para a construção de uma sociedade mais solidária e inclusiva.

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ ENTREGA 130 COMPUTADORES AO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALDEVEZ

O Município está a apoiar os alunos e as famílias mais vulneráveis pois é fundamental garantir a igualdade no acesso à educação a todos os alunos. Assim, hoje entregou 120 computadores ao Agrupamento de Escolas de Valdevez, que se juntaram aos 10 que já tinha entregue, fruto da parceria com os Empreendimentos Eólicos do Vale do Minho.

2e63ba19-1ca2-4909-aa47-748307aad236.jpg

Mais uma vez o Município, em parceria com o Agrupamento de Escolas e a Associação de Pais e Encarregados de Educação, está atento às necessidades das famílias, ao bem-estar e a qualidade de ensino dos seus alunos, e empenhado em garantir o acesso à educação de todos os alunos, no âmbito do novo modelo de “Ensino À Distância” através do computador e internet, provocado pela pandemia do novo coronavírus.

Com este apoio perfaz-se um total de cerca de 100 000 euros no apoio ao “Ensino À Distância”, uma vez que vem complementar os dois protocolos de apoio de cerca de 60 000 euros atribuídos à Associação de Pais e Encarregados de Educação e ao Agrupamento de Escolas de Valdevez, no primeiro período de confinamento.

Esta é mais uma medida do Município que surge no âmbito do combate à COVID-19 no apoio às pessoas, especialmente às famílias arcuenses.

a90467cf-6d79-40fd-9861-d25cc9ef4c36.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE HABITAÇÃO APRA JOVENS

Habitação para jovens: Reconstrução de edifício com 5 apartamentos decorre a bom ritmo

Investimento municipal incentiva a fixação de jovens no concelho, através da reconstrução de edifícios para arrendamento jovem.

IMG_3261.JPG

Está em andamento a reconstrução e ampliação de um edifício para habitação, constituído por 5 apartamentos, no centro histórico da Vila, mais precisamente na Rua do Lira, no valor de cerca de 295 mil euros.

Com o objetivo de apoiar a fixação dos jovens e famílias em Arcos de Valdevez, o edifício será reabilitado para a função habitacional com a construção de 5 fogos, sendo 2 apartamentos T1, 1 apartamento T2 e 2 apartamentos T3. De referir que o Municipio Já tinha recuperado anteriormente um outro edifício com 4 apartamentos para apoiar os jovens no arrendamento de apartamentos a valores inferiores aos do mercado.

Esta obra insere-se no Plano de Ação para a Regeneração Urbana de Arcos de Valdevez, com o qual se pretende incentivar e facilitar a reabilitação do edificado e dinamizar a reabilitação do tecido urbano; promover a atratividade do centro histórico, e, consequentemente conseguir mais moradores para este local e qualificar o espaço público.

A reabilitação do edifício contribuirá para dar um impulso à reabilitação e dinamização urbana, contribuindo para a atração e fixação de jovens e famílias em Arcos de Valdevez.

WhatsApp Image 2021-01-29 at 12.34.29 (2).jpeg

WhatsApp Image 2021-01-29 at 12.32.19.jpeg

WhatsApp Image 2021-01-29 at 12.32.20.jpeg

ARCOS DE VALDEVEZ E A CAPELA A SANTA APOLÓNIA NO PAÇO DE GIELA

148255630_1406939052987202_4895970165943581863_o.j

Celebra-se hoje, 9 de fevereiro, o Dia de Santa Apolónia

Esta Santa foi muito popular na Idade Média como padroeira dos dentes e, consequentemente, dos médicos dentistas e daqueles que sofrem de dores na boca e problemas dentários.

No Paço de Giela temos uma capela consagrada a Santa Apolónia, construída nos finais do século XVI por iniciativa de D. Lourenço de Lima Brito e Nogueira, 6º Visconde de Vila Nova de Cerveira e de sua mulher, D. Luísa de Távora.

A capela encontrava-se num avançado estado de degradação e ruína, tendo o culto deixado de ser autorizado desde 1825, ano em que o Paço de Giela deixa de ser ocupado pela família Lima.

É um espaço muito simples: planta retangular, com uma só nave, dividida em dois espaços por um degrau que separa o altar-mor do restante corpo.

Aquando as intervenções de reabilitação do espaço (2014 e 2015) as sondagens arqueológicas no interior da capela colocaram a descoberto um duplo enterramento próximo dos degraus de transição para o altar, correspondente a um adulto do sexo feminino e uma criança de tenra idade.

O edifício foi consolidado e reconstruído integralmente.

Fonte: https://www.facebook.com/pacodegiela

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE ARRENDAMENTO JOVEM

Abertas candidaturas ao sorteio para atribuição de 1 fogo

A Câmara Municipal informa que, ao abrigo do Regulamento do Programa Municipal de Arrendamento Jovem, se encontram abertas entre os dias 5 de fevereiro e 1 de março de 2021, candidaturas ao sorteio para atribuição de 1 fogo de tipologia T1, situado na Rua Dr. Carlos Cunha, edifício 1, entrada 47, cuja renda mensal é no valor de 125€.

casa_arendamento_jovem_valeta2.JPG

Para efetuarem a sua candidatura, os interessados deverão proceder ao preenchimento eletrónico do correspondente formulário, disponível no sítio da internet em www.cmav.pt

As candidaturas devem ser apresentadas nos termos do art.º 8º do Regulamento Municipal de Arrendamento Jovem até às 24 h do dia 1 de março de 2021.

As condições gerais do concurso podem ser consultadas no mesmo sítio da internet www.cmav.pt, encontrando-se também para consulta no Serviço de Atendimento ao Público do Município de Arcos de Valdevez, nos dias úteis entre as 9h e as 12h15 e as 14h e as 16h30, desde a data de publicação do presente aviso até ao último dia útil anterior ao da realização do sorteio.

Os esclarecimentos e visitas às habitações, devem ser solicitados por correio eletrónico (geral@cmav.pt) ou por carta, até ao 10º dia útil a contar da publicação do presente aviso, devendo o júri responder no prazo de 10 dias.

Decorrido o prazo de candidatura o Júri do concurso analisa as propostas e comunica aos respetivos candidatos se ficam admitidos ou excluídos do concurso.

A data do sorteio será anunciada a todos os candidatos após análise das candidaturas pelo Júri do concurso e publicada no sítio da internet www.cmav.pt

MUNICÍPIO ARCUENSE PROMOVE COMBATE À PANDEMIA

Municipio arcuense aprovou 20 medidas de apoio às Pessoas, Instituições e Economia no âmbito da Pandemia COVID-19

Em virtude da evolução da situação pandémica da COVID-19 e da renovação do Estado de Emergência, a Câmara Municipal, atenta a esta situação, e no sentido de minorar o impacto da pandemia junto das famílias, empresas e Instituições, aprovou a criação e a renovação de 20 medidas de apoio.

covid 19.jpg

A Autarquia reforçou a Linha de Apoio às pessoas com necessidades sociais (idosos isolados, pessoas com necessidades especiais sem retaguarda familiar e pessoas carenciadas), através da qual pode ser solicitado o apoio para posterior encaminhamento para entidades e serviços competentes.

Aprovou a abertura de um novo período de candidaturas ao Vale de Compras Recontro, para apoio a famílias e micro e pequenos empresários.

Apoiou a Instalação do Centro de Vacinação em articulação com a ULSAM, no Centro de Exposições, o qual está equipado com 4 salas de vacinação, uma de recobro, uma de preparação da vacina e outra para atendimento à população.

Promoveu a disponibilização de espaços com camas para alojamento de pessoas em quarentena.

Em apoio às IPSS´s paga os testes de rastreio do COVID-19 aos utentes e aos colaboradores diretos das instituições sociais, bem como promove a entrega gratuita de equipamentos de proteção individual a instituições sociais consoante as necessidades.

Ao nível do apoio à Educação tem apoiado o ensino à distância naquilo que toca à aquisição de computadores e acesso à internet aos alunos ao Agrupamento de Escolas de Valdevez e da EPRALIMA; e apoiou o programa “Escola de Acolhimento” e distribuição de refeições aos alunos com carência económica, no Centro Escolar de Távora.

O reforço das ações de sensibilização à população também tem sido realizado, assim como a forte dinamização da campanha de angariação de voluntários para apoio às instituições sociais.

De igual modo tem realizado ações de desinfeção dos espaços públicos.

Naquilo que se refere aos apoios à economia e empresários, promoveu o reforço da liquidez das instituições, antecipando o pagamento dos protocolos com as Juntas de Freguesia, Instituições Sociais, Bombeiros Voluntários e associações; o reforço da liquidez das empresas pagando, em menos de um mês, todas as faturas dos fornecedores do Município; a isenção do pagamento da renda dos espaços comerciais do Município, devido ao encerramento dos estabelecimentos durante o período de confinamento geral; a isenção do pagamento da taxa de terrado na Feira Quinzenal e no Mercado Municipal.

De forma a minorar os contactos e ajudar a travar a pandemia, aprovou a suspensão da atividade em equipamentos municipais, desportivos, culturais e parques infantis; a suspensão de todas as atividades ou eventos culturais presenciais, recreativos, desportivos e de lazer, incluindo as realizadas em articulação com outras entidades; a suspensão das feiras quinzenais durante o período de confinamento geral; e a suspensão da emissão de licenças de ruído para festas, alargamento de horário, arraial e para lançamento de fogo-de-artifício.

Está também a desenvolver um programa de apoio ao relançamento da economia e do emprego, como são exemplos o PROCOM - Programa de Apoio ao Comércio. Neste âmbito, recentemente, aprovou alterações ao regulamento, simplificando-o, e vai alargar a categoria de empresas, permitindo, também, que se candidatem Empresários em Nome Individual com contabilidade simples.

Colocou ainda em consulta pública o Programa de Incentivo ao Empreendedorismo e ao Emprego, que se destina a apoiar micro e pequenas empresas de vários ramos de atividade a realizarem investimentos em instalações, equipamentos e novas tecnologias, e o Programa de Valorização dos Produtos e Produtores Locais, que tem por objeto a promoção da competitividade e inovação nos setores dos produtos locais, comércio, restauração e hotelaria arcuense, através da utilização de produtos com o selo da marca “Terras do Vez – Sabores e Tradições”.