Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARCOS DE VALDEVEZ EXPANDE REDE DE ECOVIAS

Aprovada a “Expansão da Rede de Ecovias - Ecovia de Loureda a Cabreiro

Na última reunião de Câmara o executivo aprovou dar início ao procedimento concursal relativo à “Expansão da Rede de Ecovias - Ecovia de Loureda/Cabreiro”, pelo preço base de 175.000,00 Euros.

Sistelo2017_0294.JPG

Com o presente projeto pretende-se realizar os trabalhos de implantação de uma ecovia com uma extensão aproximada de cerca de 2000 metros, e que permita a alteração à ecovia existente, desde o Poço das Caldeiras a S. Sebastião, que se desenvolvia ao longo de estrada municipal.

Assim, o trajeto proposto desenvolver-se-á de forma contínua ao longo do rio, em pavimento natural e passadiços.

Esta intervenção é realizada a pensar no melhoramento do percurso, que ficará mais agradável e seguro para quem o quiser realizar e irá, ao mesmo tempo, aumentar o potencial turístico da ecovia, a qual já é procurada por milhares de turistas.

ARCOS DE VALDEVEZ AMPLIA REDE DE SANEAMENTO A COUTO E ÁZERE

A Câmara Municipal aprovou, na última reunião do executivo municipal, adjudicar a “Ampliação da rede de saneamento a Couto e Ázere- lote 1, 2 e 3”, no valor global de 879 841,25€

O Lote 1 foi aprovado adjudicar à empresa Martins & Filhos, SA, pelo valor de 333.691,60, sem IVA; o Lote 2 à empresa Sebastião da Rocha barbosa, Lda, pelo valor de 250.011,80, sem IVA; e o Lote 3 ao Consórcio Terra e pedra – Terraplanagens, Lda e Pedreira da Franqueira, Lda, pelo valor de 296.137,85, sem IVA.

Esta empreitada refere-se à ampliação da rede de saneamento a parte das freguesias de Ázere e Couto, que ainda não se encontram servidos de rede pública, abrangendo ainda algumas habitações em Giela.

O projeto preconiza a execução dos troços principais da rede, numa extensão de cerca de 10.2km, 2 estações elevatórias e 317 ramais.

Esta obra está ligada à empreitada a realizar pelas Águas do Norte de ampliação da rede em alta de saneamento para estas freguesias que está em concurso.

Ao realizar estes investimentos a autarquia está a pensar no bem-estar, salubridade e boa qualidade de vida dos residentes.

ARCOS DE VALDEVEZ APROVA INVESTIGAÇÃO ARQUEOLÓGICA NO ALDA PEDRADA

Aprovada Intervenção Arqueológica no acampamento Romano do Alto da Pedrada

A Câmara municipal aprovou a abertura de um procedimento concursal, tendo em vista a realização de uma intervenção arqueológica no Sítio do Alto da Pedrada, pelo valor base de 11.500,00.

03-geres-soajo-1024x682.jpg

A presente intervenção decorre da importância e singularidade deste Sítio arqueológico, o qual corresponde a um acampamento do período romano ainda muito bem preservado. Este projeto está integrado num projeto ibérico de investigação dedicado ao estudo das relações estabelecidas entre o exército romano e as comunidades indígenas do Noroeste da Península Ibérica, coordenado pelo arqueólogo João Fonte.

Esta intervenção contribuirá para a posterior valorização desta importante estação arqueológica do nosso concelho, e, ao mesmo tempo para a dinamização cultural e turística de Arcos de Valdevez.

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE "MERCADO CIRCULAR"

Mercado Circular: Sorteados 100 carrinhos de compras térmicos pelos clientes do Mercado Municipal

No âmbito da candidatura Mercado Circular, a qual constitui uma nova e inovadora solução que valorizou o Mercado Municipal, transformando-o num agente dinamizador de práticas ambientais e sociais sustentáveis e promotor da circularidade da economia, a Autarquia sorteou 100 carrinhos de compras térmicos pelos clientes do Mercado Municipal, tendo procedido à entrega de alguns esta quarta-feira, 15 de janeiro.

entrega de carrinhos_mercado.JPG

O sorteio destes carrinhos, para além de ter sido uma medida realizada em prol do ambiente e que se pretendeu promotora de boas práticas ambientais, contribuindo para a redução do plástico, também foi muito importante para a dinamização do Mercado Municipal, pois apenas ficavam habilitadas ao sorteio as pessoas que fizessem compras no espaço.

O Presidente da Câmara Municipal, João Esteves, esteve presente na entrega destes carrinhos, onde enfatizou a importância da iniciativa para a dinamização do mercado e valorização do ambiente, e apelou aos presentes para que continuem a fazer as suas compras no Mercado, reforçando a ideia de que o que lá se vende “é nosso, e ao comprarem no Mercado estão também a ajudar a economia local e o ambiente”.

*A lista dos vencedores encontra-se disponível no Mercado Municipal e na página do Facebook do Município.

Veja se foi um dos contemplados e vá receber o seu prémio!

Os principais objetivos do projeto Mercado Circular são reduzir os impactes ambientais gerados, particularmente associados aos resíduos; reduzir o uso de embalagens de plástico na exposição e na comercialização de produtos; gerir bens alimentares excedentes ou em fim de prazo de validade, bem como adotar princípios de sustentabilidade, economia circular, economia de partilha e economia social.

De referir também que em substituição dos sacos de plástico a Câmara Municipal também distribuiu em dezembro transato sacos de papel pelos comerciantes de frutas, legumes e peixe, bem como recipientes para recolha de óleo alimentar usado que poderá depois ser entregue no Mercado Municipal, onde estão disponíveis 4 unidades de oleões.

O Mercado Municipal também se encontra munido de ecopontos e compostores na zona exterior, bem como de quatro estações de ecopontos interiores.

No âmbito desta candidatura os baldes de plástico de exposição de flores foram substituídos por baldes de metal e as caixas expositoras de frutas e legumes por caixas de vime. O Mercado Municipal ficou servido de um triciclo elétrico que faz o transporte de mercadorias dos comerciantes para os locais necessários.

Este projeto fomenta o envolvimento e participação de comerciantes, clientes e forças da comunidade local, num contexto de promoção e incentivo à circularidade de materiais, à redução do uso indiscriminado de “soluções plastificadas”, à utilização partilhada de bens e à diminuição do desperdício alimentar e material.

O projeto “Mercado Circular” promove:

Qualidade em Arcos de valdevez

Economia Circular

Responsabilidade Social

Combate ao desperdício alimentar

Desplastificação da economia

A operação Mercado Circular, financiada pelo Fundo Ambiental, tem como objetivo principal valorizar e promover os Mercados Municipais de Frescos dos centros urbanos como equipamentos emblemáticos, polos estruturantes e indutores de boas práticas ambientais e socialmente sustentáveis e conta com um custo total elegível de 50.011,80€.

entrega de carrinhos_mercado2 (1).jpg

entrega de carrinhos_mercado3.JPG

entrega de carrinhos_mercado4.JPG

ARCOS DE VALDEVEZ: CÁ SE FAZEM CÁ SE COMEM!

No fim-de-semana de 18 e 19 de janeiro vá almoçar ou jantar à Porta do Mezio e delicie-se com o melhor da nossa gastronomia.

Cá se fazem cá se comem.jpg

Através da iniciativa “Cá se fazem, cá se comem”, a Porta do Mezio procura incentivar o consumo de produtos locais, produzidos de forma sustentável. Procura ainda contribuir para a conservação das variedades regionais e das raças autóctones, das artes e ofícios e do receituário tradicional, marca identitária das gentes do Minho.

Ementa:

Entradas: presunto fatiado, queijo de Melgaço, pataniscas de bacalhau, broa de milho tostada e alheira dos Arcos.

Prato principal: Costela mendinha de vitela cachena com batata assada e arroz de feijão tarreste.

Sobremesa: Leite-creme queimado e aletria doce.

Bebidas: Vinho verde branco e tinto, café e digestivo

Tipo de evento: Almoços e jantares

Data e hora: 18 de janeiro de 2020 das 10:00h às 16:00h e das 18:00h às 22:00h

Inscrições/Informações: 258 510 100 / portadomezio@ardal.pt

http://www.portadomezio.com

ARCUENSES CANTARAM AO MENINO JESUS

“Cantares ao Menino” no Centro Interpretativo do Barroco

No passado dia 11 de Janeiro realizou-se o “Cantares ao Menino” no Centro Interpretativo do Barroco.

cantares ao meninoarcus (1).JPG

Numa parceria com o Município de Arcos de Valdevez, o Rancho Folclórico da Associação de Vilarinho das Quartas, de Soajo, convidou o Grupo Folclórico Santa Maria de Moure, de Barcelos, e o Grupo das Cantadeiras do Vale do Neiva, de Viana do Castelo, para um concerto de celebração da quadra festiva do nascimento do menino Jesus.

O concerto contou com um repertório musical representativo deste ciclo festivo, que vai desde a preparação para o Natal, à comemoração do nascimento do menino Jesus, passando pelas Janeiras e terminando nos Reis, com músicas tradicionalmente típicas da época.

Este encontro trouxe até ao público os cantares de outrora de celebração desta época, numa noite que nos transportou para os finais do século XIX, uma época considerada socialmente rigorosa, mas compensada pela alegria e pelas vozes do povo minhoto.

cantares ao meninoarcus (2).JPG

cantares ao meninoarcus (3).JPG

JOGO INTERNACIONAL DE RUGBY EM ARCOS DE VALDEVEZ

No dia 12 de janeiro, no Estádio Municipal de Arcos de Valdevez, disputou-se um jogo particular entre a seleção Norte de Portugal e a Seleção da vizinha Galiza, respeitante ao escalão sub 14.

_DSC_0654.JPG

Apesar de ser um jogo entre seleções serviu sobretudo para dar uma nova experiência de jogo aos jovens atletas, servindo também de preparação para torneios em que as equipas em causa terão de participar.

Sobre o jogo propriamente dito, o equilíbrio foi a nota dominante. As equipas técnicas tiveram a preocupação de fazer rodar todos os jogadores, para melhor is observarem e para os familiarizar com a dinâmica das respectivas equipas. Isto fez com que as organizações defensivas na estivessem no seu máximo, fazendo com que o jogo fosse muito aberto, com muitos ensaios para cada um dos lados. Houve ao todo 14 ensaios, sendo que 5 para a Associação de Rugby do Norte e 9 ara a Federação Regional da Galiza.

A realização deste jogo é prova real do dinamismo do Rugby em Arcos de Valdevez, só trazer para o seu concelho este tipo de eventos, com imensas potencialidades ao nível de futuros intercâmbios transfronteiriços .

_DSC_0694.JPG

CRAV VENCE NA LOUSÃ

RC Lousã 21 vs CRAV 22

O jogo era para ganhar e o CRAV ganhou, esta era sua a missão principal. Não foi um jogo bonito,  os arcuenses fizeram um jogo sofrível, com muitos erros próprios não forçados a atrapalhar a sua missão. Ainda assim, os 4 pontos conseguidos são muito importantes na luta pela manutenção na principal divisão do rugby português. Mas no final do jogo  a sensação que permanecia na equipa e adeptos foi de um misto entre a euforia da vitória e a impressão de que o jogo esteve longe do esperado.

CRAV_Seniores_063.jpg

A primeira parte começou com erros da equipa do CRAV, que a jogar com muitos nervos, deixou que o adversário em duas investidas à sua área de 22 metros marcasse. Assim, rapidamente ficou a perder por 15-0. A meio da primeira metade, os arcuenses tentavam chegar com perigo à área de validação beirã, o certo é que iam conseguindo, mas um passe adiantado, uma má opção ou uma falta, invariavelmente impediam o seu objectivo. Ainda assim, conseguiram forçar e marcar dois ensaios que lhes dava alento para a recuperação na segunda parte. Ao intervalo 18-12.

Na segunda parte continuou da parte do CRAV, o jogo trapalhão e sem objetividade no ataque, com muitos erros próprios em situações claras de marcar, que foi, apesar da pressão territorial que exercia, adiando o seu ensaio que deu a volta ao marcador (18-19) e que aconteceu já nos últimos 10 minutos da partida. Poucos minutos depois o RC Lousã voltaria para a frente do marcador (21-19), através de um pontapé de penalidade a castigar uma falta arcuense no seu meio campo. Num final eletrizante, dois minutos depois,  o CRAV, também com uma penalidade voltaria a passar para a frente do marcador e desta vez conseguindo controlar o jogo até final. No final 21-22, vitória merecida dos arcuenses, que conseguiram assim uma vitória que já há muito perseguiam.

CRAV_Seniores_065.jpg

CRAV_Seniores_072.jpg

CRAV_Seniores_110.jpg

SUB 18 – DERROTA NO LIMITE - SUB 18 DO CRAV ESTIVERAM MUITO PERTO DA VITÓRIA

Na 6ª jornada do campeonato nacional, realizada no Estádio Municipal de Arcos de Valdevez, neste domingo dia 12 de janeiro, frente ao clube de rugby S.Miguel, o Crav teve a possibilidade de alcançar a primeira vitória, após uma reviravolta no marcador, mas que não soube aproveitar a vantagem.

CRAV_SUB_18_0037.jpg

O Crav entrou em jogo muito tenso, e logo nos instantes iniciais do encontro sofria o primeiro ensaio, facto que abalou a estrutura de jogo e intimidou os seus defesas que ao longo da primeira parte cometeram muitas falhas, possibilitando a progressão da equipa adversária. Assim o Crav saia para intervalo a perder por 15-20.

Com a ida aos balneários, o Crav entrou mais organizado e otimista para a segunda parte, criando mais pressão sobre o adversário que se refletiu numa tremenda reviravolta no resultado, tendo a equipa arcuense passado para a frente do marcador.

Mesmo nos instantes finais, e estando o Crav a vencer por 29-25, a equipa não soube gerir a superioridade e acabou por cometer várias faltas, que foram penalizadas com duas faltas convertidas pela equipa do S.Miguel, o que originou uma derrota inesperada por 29-31.

No final do encontro a equipa técnica do Crav “lamentou a perda da possibilidade de vitória, que a equipa tenha vacilado nos momentos mais importantes da partida, mas assume que a experiência neste campeonato tem reforçado a equipa”.

Na próxima jornada os sub 18 descolam-se a Évora, mais uma deslocação longa e complicada.

CRAV_SUB_18_0050.jpg

CRAV-SUB_18_0027.jpg

ARCUENSES REVIVEM RITUAL DO PÃO

12 Meses 12 Experiências 2020: 12 de Janeiro de 2020 - “Rituais do Pão no Alto Minho - do grão à mesa”

Nas aldeias, o pão que se comia era a broa, que se fazia com bastante regularidade em casa, para consumo próprio. Nos campos, cultivava-se o milho e o centeio. Por isso, eram estes os cereais com que se fazia a broa.
Devagar, muito devagar, vamos peneirar a farinha, juntar o fermento, a água e o sal e amassar. Depois de amassar vamos deixar levedar. Entretanto, temos tempo para preparar o forno e petiscar.

12 meses.jpg

Tiram-se as brasas do forno com a pá de ferro, e varre-se o interior com uma vassoura de giesta.

É hora de fazer as broas, colocá-las no forno e esperar até que estejam cozidas.

Programa:

9h00 – Concentração na Porta do Mezio, Arcos de Valdevez

9h30 – Visita ao moinho de água de Bouças Donas

10h30 – Regresso à Porta do Mezio

Parte 1: Preparar e amassar a farinha de milho e centeio e acender o forno

11h15 - Hora do lanche

11h30 – Parte 2: Fazer as broas e colocá-las no forno

12h30 – Parte 3 – Retirar as broas do forno

13h00 – Almoço regional 

Informações/Inscrições: www.portadomezio.com / 258 510 100 / portadomezio@ardal.pt

ARCOS DE VALDEVEZ RECEBE O CREACTIVITY

Creactivity é um espaço interativo que fomenta o desenho e a criatividade junto dos alunos da escola

Um novo projeto itinerante que propõe ateliers para despertar o engenho dos jovens para que se sintam à vontade numa sociedade em mutação.

Exterioracus (1).jpg

De 8 a 10 de janeiro Arcos de Valdevez vai receber o Creactivity, um espaço desenhado para despertar o engenho, a habilidade e a criatividade das crianças. Este novo projeto itinerante tem como objetivo encorajar o desenho e desenvolvimento de soluções originais para problemas simples. Os alunos participam em ateliers com materiais comuns, ferramentas de baixa e alta tecnologia para dar vida às suas próprias ideias.

Creactivity apresenta-se dentro de um autocarro que se converte numa unidade móvel totalmente adaptada para pessoas com mobilidade reduzida, facilitando tanto o seu acesso como a sua participação durante a atividade.

O veículo está equipado por dentro com bancos, mesas de trabalho e diversas provas preparadas para os alunos.

O espaço dispõe de várias áreas para pôr em prática diferentes competências: a zona da Mecânica, com espaços de engrenagens, máquinas, berlindes e paintballs; a zona do Vento, com tubos de vento; a zona da Eletricidade, e a zona da Luz, com o sistema stopmotion. Caracterizado pela sua componente lúdica e de colaboração, o espaço permite investigar, planificar, criar novos desenhos, usar materiais comuns e procurar novas funções para eles, através de propostas abertas e interdisciplinares que englobam a ciência, a tecnologia, a engenharia, a arte e a matemática. Também se trabalham outras competências mais transversais, como hábitos de aprendizagem cooperativa, autoconhecimento para a aprendizagem, criação e realização de projetos.

No Creactivity, as crianças exploram os materiais, estabelecem metas, experimentam, testam, compartilham

Os ateliers são dirigidos a grupos escolares do ensino básico e secundário, entre os 6 e os 16 anos principalmente, bem como a grupos familiares. Um monitor acompanha as crianças através de um processo de criação em que os adultos acompanhantes, quer sejam professores ou familiares, também são convidados a participar. As sessões têm uma duração estimada de 90 minutos.

Movimento Tinkering: a capacidade de improvisar com criatividade

O sistema de aprendizagem do Creactivity é inspirado no movimento Tinkering do Exploratorium de San Francisco, que nasce do movimento Maker (ou Making), que mistura tecnologias digitais e físicas para o desenho criativo, a construção e a personalização de objetos e artefactos com um objetivo lúdico ou utilitário.

Trata-se de um novo paradigma que coloca a criatividade e o desenho num plano central. Os jogos que propõem resolver problemas de forma improvisada preparam as crianças para enfrentarem novos desafios de forma criativa, e prepara-os igualmente para que se sintam à vontade numa sociedade em constante mutação.

EduCaixa, rumo à educação do século XXI

EduCaixa é o programa que engloba toda a oferta educativa do BPI e da Fundação” la Caixa”, promovendo e impulsionando a transformação educativa com a finalidade de responder às necessidades da sociedade do século XXI.

EduCaixa dirige-se aos alunos e aos professores de educação pré-escolar, ensino básico e secundário e formação profissional. O seu principal objetivo é promover o desenvolvimento das competências dos alunos e oferecer à comunidade educativa recursos, atividades e práticas educativas que cumpram esse objetivo.

8 a 10 de janeiro de 2020

Rua Dr. Joaquim Carlos da Cunha

9h00 - 12h00 e 13h30 -18h30Workshops grupos* | reserva prévia

Visitas de exploração livre | 16h30-18h30

Exterioracus (2).jpg

ARCOS DE VALDEVEZ É O MUNICÍPIO COM MAIOR REDUÇÃO DA DÍVIDA NO MINHO

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez foi, entre as 24 Câmaras do Minho, a que mais se destacou na diminuição da dívida entre 2014 e 2018, segundo o Instituto Nacional de Estatística.

vista aerea_001 - Cópiaarcoas.jpg

Neste período o executivo municipal alcançou uma diminuição de 57% da dívida, sendo de referir que no fim de 2014 a autarquia acumulava uma dívida no valor de 11,3 milhões e no fim de 2018 atingiu os 4 milhões de euros.

O Município de Arcos de Valdevez ocupa também a 3ª posição no ranking ao nível da eficiência financeira dos municípios do distrito de Viana do Castelo, e a 63ª posição a nível nacional dos municípios de média dimensão, tendo subido cinco posições face ao ano anterior. Esta informação é do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, referente à prestação de Contas de 2018, divulgado pela Ordem dos Contabilistas Certificados.

Este posicionamento é fruto de uma gestão responsável, criteriosa e transparente, indispensável à sustentabilidade económica e financeira do Município para o reforço das políticas públicas e da confiança na governação local.

Para o Presidente da Câmara Municipal “Este resultado reflete o esforço do Executivo na boa gestão das contas, sem descurar a realização de investimento na melhoria da qualidade de vida e no reforço da atratividade e competitividade de Arcos de Valdevez.”