Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

TERRAS DE BOURO ENSINA APICULTURA

Revitagri promoveu formação em apicultura em Terras de Bouro

No dia 8 de Fevereiro, o Salão Nobre dos Paços do Concelho acolheu um workshop sobre certificação e rotulagem do mel e seus derivados. A acção decorreu no âmbito do Projeto Revitagri-PNPG e contou com o apoio do Município de Terras de Bouro.

CAPAtnbou.jpg

Depois dos agradecimentos iniciais pela disponibilidade e interesse manifestados, apresentados pela da Dr.ª Ana Vale, Coordenadora do Projeto REVITAGRI, o Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, agradeceu igualmente e realçou a presença dos produtores que estiveram na reunião, além do trabalho dos técnicos municipais na concretização desta actividade, aproveitando a ocasião para deixar um repto aos apicultores: que participem ativamente no Concurso de Mel que se realiza no âmbito da Feira de S. Martinho, tendo assim uma excelente oportunidade para valorizar o seu produto oficial e demonstrar a qualidade do seu trabalho.

20190208_151439.jpg

Presença importante foi também a do Prof. Mota Alves, Presidente da ATAHCA, parceira estratégica e fundamental do Município de Terras de Bouro, que agradeceu o convite e realçou as enormes potencialidades naturais do nosso concelho, além de ser uma referência turística única. Terras de Bouro, afirmou, reúne uma enorme capacidade de produzir e revitalizar este setor, sendo, igualmente, capaz de atrair uma população mais jovem para este tipo de produção. Será, sem dúvida, muito importante a certificação do nome “Mel do Gerês”, até pela tradição secular que Terras de Bouro tem produzir produtos endógenos de excelente qualidade, realçou o Prof. Mota Alves.

20190208_144452.jpg

A “Certificação e Rotulagem de mel e seus derivados” foram assim os temas centrais do encontro onde se procurou realçar e alertar para certificação como prática cada vez mais utilizada para proteger e valorizar os produtos, além da estratégica rotulagem oficial, aspetos apresentados pela pela Engª Agrária Eduarda Oliveira e pelo Engº Eduardo Martins, Técnico da CERTIPLANET.

20190208_144503.jpg

TERRAS DE BOURO ENSINA APICULTURA

Projeto Revitagri promoverá formação em apicultura a 8 de Fevereiro na Câmara Municipal de Terras de Bouro

O Salão Nobre dos Paços do Concelho irá acolher na tarde do dia 8 de fevereiro um workshop sobre certificação e rotulagem do mel e seus derivados. Esta actividade irá decorrer no âmbito do Projeto Revitagri-PNPG e conta com o apoio do Município de Terras de Bouro na sua organização e divulgação.

CAPAapiterrbou.PNG

Subordinada ao tema “Certificação e Rotulagem de mel e seus derivados”, a sessão, que contará na abertura com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, do  Presidente da ATAHCA, Prof. Mota Alves, além da Dr.ª Ana Vale, Coordenadora do Projeto REVITAGRI, será conduzida pela Engª Eduarda Oliveira e pelo Engº Eduardo Martins e irá abordar a certificação dos produtos como prática cada vez mais utilizada para proteger e valorizar os produtos utilizando uma estratégia que passa também pela rotulagem oficial.

Coordenado pela Escola Superior Agrária e de Ciências Empresariais do IPVC (Instituto Politécnico de Viana do Castelo), o Projeto Revitagri tem proporcionado aos produtores do Parque Nacional da Peneda- Gerês o acesso a um conjunto de ações de formação no domínio da apicultura. Considerando a fileira do mel uma área de grande importância ecológica e económica como motor de crescimento e desenvolvimento das comunidades rurais do Parque Nacional da Peneda- Gerês e região do Minho, o projeto Revitagri tem vindo a desenvolver várias ações de caráter formativo com o objectivo de detetar os principais problemas na apicultura e encontrar soluções capazes de os solucionar. Estas iniciativas visam assim  potencializar e dinamizar o setor com vista ao seu crescimento num futuro próximo.

Capturarapitbou.PNG

REVITAGRI VAI RECUPERAR A DOP DO MEL DAS TERRAS ALTAS DO MINHO

Os territórios do interior necessitam de potencializar todos os recursos de maneira a garantir o nível de vida necessário a todos aqueles que pretendam optar por cá residir.

ESA-PONTE-LIMA.png

Nas Terras Altas do Minho, produz-se um mel com qualidades únicas  específicas que importa proteger e potencializar a sua produção, garantindo a subsistência das pessoas e aumentando assim os benefícios que o setor traz para o equilíbrio dos ecossistemas, num momento em que a abelha é considerada o animal mais importante do planeta.

Com o objetivo de ajudar a revitalizar e potencializar o setor, o Projeto Revitagri - PNPG realizará dois Workshops na fileira do mel, para os quais convidamos vossas excelências a estarem presentes:

1 de fevereiro - 14h - Auditório da Casa da Cultura de Ponte da Barca

"A DOP do Mel das Terras Altas do Minho"

Esta sessão, conta com: 

Eng. Carlos Batista - Fundador da DOP do Mel das Terras Altas do Minho

Engª. Carla Alves - Presidente da DRAPN

Eng. Alfredo Marques - Presidente da APICAVE

8 de fevereiro - 14h - Auditório da Câmara Municipal de Terras de Bouro

"Certificação e Rotulagem do Mel e seus derivados"

(cartazes em anexo)

Este projeto visa uma clara transferência de conhecimento de uma entidade do sistema científico e tecnológico (IPVC) para os atores locais do PNPG, mais concretamente para as empresas ligadas ao agronegócio, tendo sempre como metas a capacitação dos agentes locais, a valorização dos recursos endógenos do PNPG e o acréscimo de valor a estes recursos.

 Mapear e caracterizar o Agronegócio no PNPG, numa plataforma acessível e atualizada, facilitando o acesso à informação da fileira, permitindo um conhecimento de debilidades e potencialidades técnicas e de mercado é um dos objetivos do RevitAGRI-PNPG. A descrição do projeto, cujo documento se anexa, identifica todas as linhas orientadoras.

A coordenação do projeto está afeta à Escola Superior Agrária do IPVC estando também integrada nesta candidatura a Escola Superior de Ciências Empresariais do Politécnico de Viana.

Capturarmelvia1.PNG

Capturarmelvi2.PNG

Capturarmelvi3.PNG

TERRAS DE BOURO PROMOVE FORMAÇÃO EM APICULTURA

Projeto Revitagri promoverá formação em apicultura a 8 de Fevereiro na Câmara Municipal de Terras de Bouro

O Salão Nobre dos Paços do Concelho irá acolher na tarde do dia 8 de fevereiro um workshop sobre certificação e rotulagem do mel e seus derivados. Esta actividade irá decorrer no âmbito do Projeto Revitagri-PNPG e conta com o apoio do Município de Terras de Bouro na sua organização e divulgação.

CAPAtbapic.PNG

Subordinada ao tema “Certificação e Rotulagem de mel e seus derivados”, a sessão, que contará na abertura com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, do  Presidente da ATAHCA, Prof. Mota Alves, além da Dr.ª Ana Vale, Coordenadora do Projeto REVITAGRI, será conduzida pela Engª Eduarda Oliveira e pelo Engº Eduardo Martins e irá abordar a certificação dos produtos como prática cada vez mais utilizada para proteger e valorizar os produtos utilizando uma estratégia que passa também pela rotulagem oficial.

Coordenado pela Escola Superior Agrária e de Ciências Empresariais do IPVC (Instituto Politécnico de Viana do Castelo), o Projeto Revitagri tem proporcionado aos produtores do Parque Nacional da Peneda- Gerês o acesso a um conjunto de ações de formação no domínio da apicultura. Considerando a fileira do mel uma área de grande importância ecológica e económica como motor de crescimento e desenvolvimento das comunidades rurais do Parque Nacional da Peneda- Gerês e região do Minho, o projeto Revitagri tem vindo a desenvolver várias ações de caráter formativo com o objectivo de detetar os principais problemas na apicultura e encontrar soluções capazes de os solucionar. Estas iniciativas visam assim  potencializar e dinamizar o setor com vista ao seu crescimento num futuro próximo.

GERÊS REALIZA CONCURSO DO MEL

Concurso de Mel da Serra do Gerês e Desfolhada e Magusto tradicional a 10 de novembro

No âmbito da XVIIIª edição da Feira Mostra de S. Martinho nas Terras do Gerês irá decorrer na Vila de Terras de Bouro, a 10 de novembro, mais uma edição do Concurso de Mel da Serra do Gerês, cujas inscrições decorrem até dia 7 de novembro na Divisão da Cultura. No mesmo dia terão também lugar a Desfolhada e o Magusto tradicional.

Print

De destacar, mais uma vez, que ao longo dos três dias do certame, todos aqueles que visitarem Terras de Bouro terão ao seu dispor não só um programa de animação com atividades culturais/musicais e onde a gastronomia será uma das marcas de autenticidade deste evento com sabores da região, mas também todos aqueles que associam a boa mesa ao conhecimento do património cultural, monumental e natural.

Print

CERVEIRA REALIZA JORNADAS DO MEL

XI Jornadas do Mel do Alto Minho analisam impacto da Inovação e Tecnologia no setor

Tendo como objetivo delinear um futuro sustentável para a apicultura, a Associação Apícola de Entre Minho e Lima (APIMIL), com o apoio do Município cerveirense, promove mais uma edição das Jornadas do Mel do Alto Minho, agendada para este sábado, no Auditório do Centro de Apoio às Empresas (CAE). Encontro visa a apresentação pública de projetos inovadores e de desenvolvimento tecnológico que impulsionarão o setor.

Cartaz jornadas do mel 2018 1

À semelhança dos anos anteriores, as Jornadas do Mel do Alto Minho reúnem, no mesmo espaço e em torno da apicultura, vários representantes de entidades públicas e privadas. Se na edição de 2017, a organização desafiou os presentes de vários quadrantes profissionais a refletir sobre a sustentabilidade futura do setor apícola, no presente ano o objetivo é dar a conhecer os desenvolvimentos alcançados e outros idealizados.

“Temos um programa muito atrativo, com a apresentação de projetos específicos que vão ser tornados públicos de forma a serem implementados no terreno”, explica o presidente da APIMIL, Alberto Dias, realçando ainda a realização de um debate de cariz internacional, “porque como a apicultura é uma atividade sem fronteiras obriga-nos a ter um outro tipo de visão, com uma introspeção do passado e do presente mais aberta e mais consensualizada com outras entidades para uma sustentabilidade futura da apicultura, que vise a delineação de metas e estratégias”.

Para o autarca cerveirense, “num mercado cada vez mais competitivo, a inovação e o desenvolvimento tecnológico tornam-se imprescindíveis a qualquer área de intervenção, acrescentando valor”. Fernando Nogueira sublinha que “é muito inteligente alavancar o sector apícola para este nível, de acompanhar os tempos modernos, com uma atitude pragmática e proativa”.

Os trabalhos desenvolvem-se ao longo do dia, distribuídos por quatro painéis temáticos, nomeadamente: I - “Estudo do Potencial de Inovação e Valorização do Setor Agroalimentar do Mel no Alto Minho”, com intervenções específicas sobre “Antioxidantes e HMF do Mel”, “Georreferenciação”, “Marketing e Comunicação”, “Audiovisuais e Imagem” e Colaboração da DRAPN”; II – “Desafios Futuros”, com duas apresentações “Plataforma Alto Minho 2 Market” e “Localização de Colmeias Roubadas”; III – “Criação de Rainhas Autóctenes”, dando a conhecer o “Centro de criação e seleção genética de rainhas de raça ibérica”; e IV – “Que futuro para os produtos apícolas a nível da comercialização”, com a presença da APIMIL, da Associação Galega de Apicultores, da Associação de Apicultores de la Provincia de Pontevedra e Agrupacion Apícola de Galicia, da Federação Nacional de Apicultores de Portugal, da Federação de Cooperativas Apícolas e da Urzemel.

A sessão de encerramento será presidida pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, pelo Presidente da Comissão de Agricultura e Mar, Eng.º Joaquim Barreto, e pelo Presidente da APIMIL, Alberto Dias.

A XI edição das Jornadas do Mel Alto Minho decorre, este sábado, 27 de outubro, entre as 09h30 e as 18h00, no Auditório do Centro de Apoio às Empresas, com entrada livre.

Cartaz jornadas do mel 2018 2

BRACARENSES COMBATEM VESPA DAS GALHAS DO CASTANHEIRO

Município de Braga reforça combate à ‘Vespa das galhas do castanheiro’

O Município de Braga apoiou, este ano, seis largadas de combate à ‘Vespa das galhas do castanheiro’, uma praga que tem afectado a produção de castanha. Esta acção, realizada em cinco locais do Concelho (Escudeiros, Morreira, Crespos, Palmeira, Este S. Pedro) validados com um nível de infestação elevado, tem a colaboração da RefCast (Associação Portuguesa da Castanha) e da Direcção Regional de Agricultura do Norte, fruto da adesão do Município de Braga ao protocolo BioVespa, que visa a luta biológica em focos de infestação.

1

Já em 2016 e 2017, o Município apoiou três largadas deste parasitóide nas freguesias de Escudeiros, Mire de Tibães e Palmeira. “Atendendo a que é uma praga muito recente, agressiva e, perante os conhecimentos técnicos actuais, o tratamento químico é ineficaz e tem um impacto negativo no ambiente. Até ao momento, a luta biológica apresenta-se como o meio mais eficaz com a realização de largadas sucessivas de populações do himenóptero Torymus Sinensis, que é o parasitóide das larvas da vespa da galha do castanheiro”, explica Altino Bessa, vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Braga.

2

A vespa da galha do castanheiro (Dryocosmus kuriphilus Yasumatsu) é um insecto minúsculo, originário da China, que ataca os castanheiros, causando a formação de galhas nos gomos e nas folhas. Provoca, assim, a diminuição do crescimento dos ramos e impede a frutificação, conduzindo ao declínio e morte dos castanheiros. Foi detectado em Portugal, no Entre Douro e Minho em 2014 e em Trás-os-Montes em 2015.

“Este será um trabalho que poderá durar anos, até que a natureza atinja o seu próprio equilíbrio ecológico e esta praga se situe em níveis que não sejam tão nefastos para a produção local”, sustenta Altino Bessa, adiantando que estão a ser desenvolvidos estudos por especialistas com espécies nativas para uso futuro na limitação natural desta praga.

Foi ainda criada uma “Comissão de Acompanhamento, Prevenção e Combate à Vespa-das galhas do castanheiro”, criada pelo Despacho n.º 5696/2017, de 29 de Junho de 2017, do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

“ O Município de Braga está atento a estas situações no panorama agrícola e esta é mais uma praga que beneficia das alterações climáticas cada vez mais presentes e às quais temos todos que estar vigilantes”, conclui Altino Bessa.

3

O MEL E A COLMEIA: ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE APICULTURA

A iniciativa “Acontece no Parque” continua nos próximos dias 1, 2 e 3 de Dezembro, desta vez sob o tema "O mel e a colmeia".

Durante estes três dias quem visitar o complexo da Porta do Mezio terá a oportunidade de partilhar experiências e conhecimentos sobre o mundo das abelhas e a utilização do mel na culinária.

No sábado, dia 2 de Dezembro, pelas 15h00, será organizada uma atividade relacionada com a produção de mel, a estrutura e organização da colmeia e as plantas melíferas, assim como uma degustação de produtos confecionados com este precioso néctar. Esta atividade irá decorrer no Centro de Promoção e Valorização dos Produtos Locais, da Porta do Mezio e é direcionada ao público em geral.

Os interessados em participar na atividade do sábado devem inscrever-se em https://goo.gl/jJAAiF, através do email portadomezio@ardal.pt

 ou do telefone 258 510 100.

Mel e as colmeias

CERVEIRA REALIZA JORNADAS DO MEL

X Jornadas do Mel visam reflexão urgente sobre sustentabilidade futura

É com um vasto e prestigiado leque de entidades público-privadas, de várias áreas de intervenção, que a Associação Apícola de Entre Minho e Lima (APIMIL), com o apoio do Município de Vila Nova de Cerveira, assinala os 10 anos da Feira do Mel Alto Minho. A realização das X Jornadas do Mel, que conjugam reflexão e confraternização, está agendada para o próximo sábado, no Auditório do Centro de Apoio às Empresas.

Com uma grande vertente comemorativa, as X Jornadas do Mel conseguem juntar, no mesmo espaço e em torno da apicultura, entidades público-privadas de diversos setores, desde o ensino, o empresarial, o económico-financeiro, o político e, obviamente, o agrícola, nomeadamente referência para a presença do Presidente da CCDR-Norte, Professor Doutor Fernando Freire, do Presidente da Comissão de Agricultura e Mar, Eng.º Joaquim Barreto, e de alguns eurodeputados.

programa 2017 feira mel

MELGACENSES FAZEM A PROVA DO FAVO

11 de junho, na Branda da Aveleira

‘A prova do favo’ promete animar a Branda da Aveleira no próximo dia 11 de junho, num evento que vai reunir associações do concelho Mais a Norte de Portugal. A ação está inserida no projeto Associações - Associativismo em Melgaço, que acontece desde 2010 e que ao longo do ano promove vários eventos com o objetivo de promover o convívio. O evento tem encontro marcado às 09h30, junto ao restaurante O Brandeio, na Branda da Aveleira.

Prova_Favo

Os participantes terão a oportunidade de participar numa caminhada, que mostrará as magníficas paisagens da Branda da Aveleira, uma das candidatas, juntamente com Castro Laboreiro, às 7 Maravilhas de Portugal® – Aldeias, as únicas no Norte de Portugal na categoria de Aldeias Remotas; e em jogos tradicionais. Pelo meio haverá prova do favo de mel e à tarde não faltará animação musical.

Esta é a primeira atividade de 2017 e é organizada por várias entidades: Associação Branda da Aveleira, Grupo de Teatro Os Simples, Associação Melgaço Radical, Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Melgaço, Associação Os Cucos e pela Câmara Municipal de Melgaço.

As inscrições deverão ser efetuadas para o e-mail mcodesso@cm-melgaco.pt até dia 05 de junho. O preço do almoço tem um custo de 10 favos (10 euros).

MEL DE VILE É UMA DÁDIVA DOS DEUSES

Por isso desci para livrá-los das mãos dos egípcios e tirá-los daqui para uma terra boa e vasta, onde há leite e mel com fartura: a terra dos cananeus, dos hititas, dos amorreus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus.

- Escrituras Sagradas. Êxodo: 3-8

 Tal como o povo de Israel foi conduzido à terra prometida onde jorraria o leite e o mel, também os vilenses foram abençoados com uma terra fértil na qual se produz uma das maiores riquezas do Minho – o mel!

De características multiflorais, o mel de Vile, no concelho de Caminha, possui uma doçura ímpar aliado a uma fluidez e suavidade no paladar que lhe conferem uma qualidade que o torna num produto que se encontra ao nível daquilo que de melhor se produz em todo o Minho.

DSCF3128.JPG

De acordo com pesquisas científicas, a produção do mel por abelhas remonta há quase 20 milhões de anos, portanto a uma época bastante mais recuada à existência do próprio Homem. Porém, o começo da apicultura deverá ter ocorrido há mais de 4 mil anos no Antigo Egipto. De resto, foram em 1922 encontradas no túmulo de Tutankhamón várias vasilhas com mel em perfeitas condições, apesar do tempo decorrido.

No século I, os Chineses, Hindus, Árabes e Celtas tratavam a hidrofobia com o recurso ao chá de abelhas. De igual mdo, os Romanos utilizavam-no para a conservação de frutas e peixe que era guardado em ânforas e coberto de mel. E, finalmente, é num antigo costume romano que tem origem a designação “Lua de Mel”. A mãe da noiva tinha por regra deixar na alcova nupcial um pote de mel para os recém-casados recuperarem energias, mantendo-se esta prática durante toda a lua ou seja, a semana lunar.

A produção de mel ocupa um lugar de destaque na economia, da mesma forma que a apicultura é da maior importância para o aumento da produção frutúcula e riqueza dos pomares.

Por tudo quanto o mel representa na vida da sociedade e atendendo à elevada qualidade daquele que é produzido na Freguesia de Vile, bem merece uma maior atenção e o empenho na sua divulgação. O mel de Vile é uma dádiva dos deuses!

PONTE DA BARCA REALIZA FEIRA DO MEL

Quinta- Feira | 22 Dezembro | 09h00 | Praça da República. Tradicional Feira do Mel de Ponte da Barca. Os Concursos de Mel, Rabanadas e Bolo de Mel são algumas das propostas para este dia
A Câmara Municipal de Ponte da Barca promove na quinta-feira, dia 22 de dezembro, a partir das 09h00, na Praça da República, a tradicional Feira do Mel. O certame, que integra a iniciativa Mercado de Natal, a realizar a partir do dia 17 de dezembro com a comercialização de vários produtos tradicionais e animação variada, conta com a presença dos produtores desta região na exposição e venda de mel. Como salienta o autarca de Ponte da Barca, Vassalo Abreu, com esta feira, que todos os anos atrai muitos visitantes,“procuramos apoiar os apicultores na venda do mel, produto tão utilizado na quadra natalícia, facultando-lhes um local com condições adequadas para o efeito.”
Concursos de Mel, Rabanadas e Bolo de Mel a partir das 10h30
A par da feira ocupa também lugar de destaque a partir das 10h30, com o apoio da ADERE- Peneda Gerês, Associação de Desenvolvimento das Regiões do Parque Nacional da Peneda Gerês, os concursos de mel e de doçaria confecionada com mel, nomeadamente bolo e rabanadas. Os regulamentos e respetivas fichas de inscrição estão disponíveis no site do município emwww.cmpb.pt. Os interessados devem enviar a inscrição por correio ou entregar pessoalmente na seguinte morada: Câmara Municipal de Ponte da Barca, Praça Dr. António Lacerda 4980-626 Ponte da Barca, até ao dia 21 de dezembro.

CERVEIRA REALIZA FEIRA DO MEL

IX Feira do Mel do Alto Minho: Apicultura, Floresta e Incêndios em debate

Depois de mais um verão marcado pelo flagelo dos incêndios florestais, a APIMIL – Associação dos Apicultores do Entre Minho e Lima, com o apoio do Município de Vila Nova de Cerveira, desafiou um vasto conjunto de entidades locais, regionais e nacionais para uma abordagem “sem tabus” em torno desta problemática, o impacto e, acima de tudo, encontrar sinergias “concretas e reais” para a sua mitigação. A IX Feira do Mel do Alto Minho decorre de 04 a 06 de novembro, no Fórum Cultural de Cerveira.

Cartaz Feira Mel 2016.JPG

São cerca de 20 as entidades e associações que vão marcar presença, durante três dias, em Vila Nova de Cerveira, para partilhar experiências e dar um contributo muito específico. Mais do que uma mera mostra e venda de produtos, a IX Feira do Mel do Alto Minho procura envolver a região e criar compromissos em prol da sustentabilidade ambiental, bem-estar e segurança das populações, daí uma aposta mais incisiva na vertente de debate público.

“Ao longo dos anos, este evento tem confirmado que é no coletivo que reside a mais-valiados trabalhos esta edição marca uma mudança de paradigma no sentido de procurar posições concertadas e concretizá-las, não ficando apenas no papel.Queremos passar do planeamento à ação, onde efetivamente precisamos de mais entidades para tornarmos este Alto Minho um ponto de referência, quer a nível de paisagem e floresta, quer na melhoria da qualidade de vida dos que residem e dos que nos visitam”, assegura o presidente da APIMIL, Alberto Dias.

O edil cerveirense, Fernando Nogueira, refere que “o impacto dos incêndios florestais é muito abrangente, e no caso da apicultura não é exceção. Tem-se realizado um intenso trabalho de promoção e valorização destes produtos no mercado que, com o cenário dos fogos, pode vir a perder-se, nomeadamente o produto e a sustentabilidade da atividade. Há que reagir de forma definitiva e este certame, com uma versão direcionada para o debate, apresenta-se como um grande contributo ao reunir tantas entidades por um objetivo comum”.

O debate está dividido por subtemas, sendo que o primeiro dia, 04 de novembro, o período da tarde está reservado à apresentação de trabalhos e estudos de investigação associados à valorizaçãoflorestal e defesa contra incêndios por entidades como a CIM Alto Minho, o ICNF, Associação para a CertificaçãoFlorestal do Minho-Lima, IPVC e Bombeiros Municipais de Viana do Castelo.

No sábado, 05 de novembro, o programa está mais vocacionado para a reflexão apícola, nomeadamente com a apresentação dos apoios futuros com representantes da DRAP-Norte, também expor aevolução apícola e valorização dos produtos com intervenções da DARN, GPP e ASAE, e ainda a dinamização de workshops relacionados com a produção apícola e suas variantes, com moderação do presidente da Comissão de Agricultura e Pescas, Eng.º Joaquim Barreto.

O terceiro e último dia, domingo 06 de novembro, apresenta uma manhã política e associativa com duas mesas redondas complementares. Numa primeira fase, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, o presidente da CIM Alto Minho, José Manuel Costa, o eurodeputado José Manuel Fernandes, o Coordenador da Proteção Civil Norte, Tenente Coronel Paulo Esteves, e um representante da Xunta da Galicia apontamuma visão e estratégia políticaflorestal. Segue-se uma segunda etapa, onde três associações – Comvida, Unidade Local de Covas e Baldios de Riba de âncora – e a UTAD vão dar a conhecer projetos pioneiros ao nível da preservação florestal e da prevenção de incêndios para que possam servir de exemplos.

O drama dos incêndios tem sido uma constante preocupação da APIMIL, e esta IX Feira do Mel do AltoMinho, assente nosconceitos“reflexão e ação”, reforça essa posição. Dados da CIM Alto Minho, referentes a agosto passado, indicam que a área ardida total na região foi de 25.633 hectares, correspondente a 12% do território do Alto Minho, sendo que espaço florestal afetado foi de 17%.

programa feira do mel 1.jpg

PONTE DE LIMA REALIZA JORNADAS APÍCOLAS

Ponte de Lima - IV Jornadas Apícolas. 25 de junho / Auditório Rio Lima

O Município de Ponte de Lima e a Apimil - Associação Apícola do Minho organizam as IV Jornadas Apícolas do Minho, no próximo dia 25 de junho.

programa_jornadas_apicolas_ponte_lima.jpg

Proporcionar um encontro/debate sobre a atividade apícola é o principal objetivo das jornadas, que se realizam no Auditório Rio Lima, a partir das 9 horas.

Legislação apícola; Como funciona uma Zona Controlada? Como se faz o Boletim de Apiário? EiBee» - Sistema Integrado de Monitorização e Controlo de Atividades Apícolas; Biologia da abelha: O veneno da abelha e o apicultor; Veneno da abelha /tratamento e a Problemática do veneno são os principais temas das jornadas.

Confira o programa das IV Jornadas Apícolas Ponte Lima:

O que é preciso saber na apicultura: Legislação e biologia

8h30 - Abertura de seminário

9h00 - Inscrições seminário e registo apícola anual

9h30 - Abertura oficial: Presidente da Câmara // Presidente da APIMIL/

MESA I: Legislação apícola

Moderador Prof Doutor José Aranha (UTAD)

10h00 – 10h40 - Como funciona uma Zona Controlada? Dr. Armada Nunes

10h40 – 11h20 - Como se faz o Boletim de Apiário? - Um dever e um apoio apícola: Engª Miguel Maia (Técnico APIMIL)

11h30 – 12h30 - «EiBee» - Sistema Integrado de Monitorização e Controlo de Atividades Apícolas - Professor Doutor Luís Ferreira (IPCA)

12h30 – 13h00 - Discussão dos trabalhos

13h00 – 15h00 – Almoço

MESA II: Biologia da abelha: O veneno da abelha e o apicultor

Moderador – Dr. António Franklim (Presidente Conselho de Administração USAM)

15h00 – 16h00- Veneno da abelha /tratamento: Dra. Teresa Vieira (Alergologista)

16h00 – 16h45 - A problemática do veneno - Uma experiência de campo: Sérgio Jácome (Apicultor - APIMIL)

Apresentação e assinatura do protocolo ULSAM e a APIMIL

16h45 - Discussão dos trabalhos

17h00 - Moderador (Dr. Paulo Sousa)

Prosegur (Novo equipamento de segurança para os apiários)

17h30 – 18h00 - Sorteio de rainhas e material apícola

18h00 - Encerramento

No final serão entregues os diplomas dos cursos apícolas realizados pela Apimil. Para mais informações contate através do correio eletrónico: apimil@sapo.pt

CERVEIRA REÚNE APICULTORES DE TODO O PAÍS

 

Cerveira é por estes dias a capital dos ‘méis’

Stands totalmente preenchidos, unidades hoteleiras do concelho esgotadas e o período de inscrições a superar as expetativas. O XVI Fórum Nacional de Apicultura e a XIV Feira do Mel de Vila Nova de Cerveira está a ter uma enorme recetividade nacional e internacional. Encontro de profissionais, amadores e aficionados pelo setor apícola, que decorre entre esta sexta-feira e domingo, prevê gerar um grande retorno económico e turístico para Cerveira. Secretário de Estado, Dr. Nuno Vieira e Brito presente na cerimónia de abertura.

Não há dúvidas que a apicultura está em constante crescimento e este certame é exemplo disso mesmo. Ao longo de três dias, Cerveira será a capital não só do mel, mas acima de tudo dos ‘méis’, ou seja, vai ser possível conhecer e contactar com as suas potencialidades nos domínios da cosmética, botânica, farmacêutica e gastronomia.

A um dia para a realização do XVI Fórum Nacional de Apicultura e da XIV Feira do Mel, os números falam por si. Mais de 70 expositores oriundos de várias regiões do país, da Galiza e de outros países europeus (França, Dinamarca, Bélgica, entre outros) vão apresentar produtos, materiais e tecnologias, agregando a tradição e as últimas tendências da apicultura nos vários espaços do Fórum Cultural.

Entre as várias novidades que vão ser expostas e debatidas, destaque para a cerveja com mel, um produto único pela sua leveza e sabor, bem como um conjunto de materiais inovadores criados para a apicultura, desde linhas de extração de última geração a nível mundial a sistemas de gestão de colmeia e centrais meleiras com programas de fácil execução e/ou sofisticados.

As unidades hoteleiras do concelho de Vila Nova de Cerveira encontram-se com ocupação esgotada para os dias do certame, o que revela o interesse neste setor e o seu potencial na região alto-minhota. A organização estima uma presença superior a 400 participantes, sendo que o período de inscrições está a decorrer até ao próprio dia. Apesar de não existir dados científicos, há a certeza de que o retorno económico para o concelho é muito significativo, além da atividade turística que se fará sentir no presente e no futuro, ao associar o nome de Vila Nova de Cerveira a uma área em clara expansão.

Quanto ao programa, a sexta-feira versa workshops de “Provas Organoléticas”, “Ceras e o seu Maneio”, “Flora com potencial apícola na região Norte” e “Maneio Alimentar”. No segundo dia, sábado, têm lugar as palestras em torno dos resultados de projetos em curso, do presente e do futuro da apicultura, da comercialização de produtos apícolas e da atual situação provocada pela vespa velutina. Já o último dia é uma novidade, pois será mais dedicado à criatividade e invenções relacionadas com o setor.

Mas o certame não se fica apenas pela venda e exposição de mel. Os participantes e visitantes poderão ainda assistir a um programa de animação cultural, nomeadamente com a atuação da Tuna da Unisénior, cavaquinhos de Lovelhe e Escolas de Concertina, além de jantar convívio.

Organizado pela APIMIL - Associação de Apicultores entre o Minho e Lima, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e a chancela da FNAP - Federação Portuguesa de Apicultores de Portugal, o XVI Fórum Nacional de Apicultura e a XIV Feira Nacional do Mel será oficialmente aberto pelas 16H00 de sexta-feira, 20 de novembro, altura em que será realizada a visita ao certame pelas entidades oficiais, com a presença do Dr. Nuno Vieira e Brito, Secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar.

Os interessados em participar ainda podem efetuar a sua inscrição através da web, quer no portal da FNAP quer no Blog da APIMIL, ou então no próprio dia nas instalações do Fórum Cultural de Vila Nova de Cerveira.

BRAGA INTENSIFICA COMBATE À VESPA ASIÁTICA

Este ano já foram destruídos 370 ninhos em todo o Concelho

Durante o corrente ano, os Bombeiros Municipais de Braga procederam à destruição de 370 ninhos de Vespas Asiáticas (Velutina) que tinham sido assinalados em diversas freguesias do Concelho. Este número ultrapassa já o total de ninhos destruídos em 2014, dado que, durante o ano transacto, os Bombeiros Municipais destruíram 333 ninhos.

Ninho2332

Este dado, vem reforçar a preocupação da Autarquia Bracarense que tem desenvolvido todos os esforços para debelar e extinguir esta praga, estejam os ninhos em locais públicos ou privados.

Quando existe uma comunicação a relatar o aparecimento de um ninho, os Bombeiros Sapadores desenvolvem um plano de combate, atribuindo o serviço a um dos turnos. Após efectuado o reconhecimento do local, das acessibilidades, da altura do ninho e dos meios adequados a empenhar, são despoletados os procedimentos de destruição dos ninhos, que em regra são por incineração, durante a noite. Actualmente os Bombeiros Sapadores têm destruído, em média, entre cinco a seis ninhos por noite.

Para tal é utilizado um Kit de incineração (Vara telescópica com cerca de 20m, munida de gás propano e de um maçarico na extremidade). Os elementos intervenientes usam equipamento de apicultor e utilizam Lanços de escada, apoiados em Viaturas Ligeiras de Combate a Incêndios (VLCI) ou mesmo o Veículo Auto-escada.

Recorde-se que a Vespa Velutina constitui um problema de saúde animal (na Apicultura), de saúde agrícola (na produção agrícola), de saúde ambiental (impactos graves na Biodiversidade) e de segurança pública (reacção agressiva).