Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDE REABRE UNIDADES DE SAÚDE DE APÚLIA E FORJÃES

Unidade de Saúde de Apúlia reabriu hoje. Unidade de Saúde de Forjães reabre amanhã

Conforme foi assumido pelo Município de Esposende, em total articulação com o Agrupamento de Centros de Saúde do Cávado III Barcelos/Esposende (ACES), reabriu, às 8 horas de hoje, a Unidade de Saúde de Apúlia. Amanhã, pelas 8 horas, reabrirá a Unidade de Saúde de Forjães, cumprindo as disposições impostas pela Direção Geral de Saúde.

us apúlia 1.jpg

O Município de Esposende assumiu os encargos necessários com vista à reabertura, nomeadamente suportando encargos financeiros que não são da sua responsabilidade e cumpre, assim, a promessa de disponibilizar os serviços de saúde à população.

Em termos materiais, foi instalada uma rampa de acesso, permitindo que fosse criado o circuito de segurança para os utentes, por forma a ser usada uma porta para entrada e uma outra para saída. Relativamente aos serviços médicos que as Unidades de Saúde vão prestar, a partir desta reabertura, o diretor do ACES Cávado III, Fernando Ferreira informou que “os serviços serão garantidos através de mobilidade de médicos e assistentes”, uma vez que há carência de recursos humanos. Em Apúlia, o atendimento decorrerá entre as 8h00 e as 15h00.

Lembre-se que o facto de ter reaberto a Unidade de Saúde de Apúlia não significa que tudo voltou ao normal. Continuamos sob efeito da pandemia provocada pela COVID-19, numa situação de contingência que obriga ao cumprimento das regras definidas pela Direção Geral de Saúde. Por isso, os utentes devem privilegiar os contactos pelas vias digitais, nomeadamente para solicitar receitas, recorrendo à Unidade de Saúde quando for mesmo essencial, de modo a não sobrecarregar o serviço, deixando-o disponível para quem mais necessita.

Os utentes da Unidade de Saúde de Apúlia podem contatar os serviços através do e-mail ucsp.apulia@arsnorte.min-saude.pt ou pelo telefone 253981338.

us apúlia.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE QUER REABRIR UNIDADES DE SAÚDE

Reabertura das Unidades de Saúde

Sendo certo que a pandemia da COVID-19 ditou profundas alterações no funcionamento das unidades de saúde, o que representou a necessidade de implementação de várias medidas tendentes a resolver os problemas de segurança que se registam nos vários edifícios ainda encerrados, verifica-se, porém, que o atraso nesta reabertura, por razão das dificuldades da ARS Norte em promover tais alterações em tempo útil, tem vindo a gerar uma onda de protestos por parte da comunidade.

visita apúlia.jpg

Atento aos constrangimentos e condicionamentos impostos às populações, decorrentes do encerramento das Unidades de Saúde – Apúlia, Belinho e Forjães -, o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, agendou uma reunião, com visita a algumas daquelas unidades, com o diretor do Agrupamento de Centros de Saúde do Cávado III Barcelos/Esposende (ACES), Fernando Ferreira.

Aguardamos, até à data, serenamente, pela reabertura, no início de agosto, tal como tinha ficado definido, na reunião realizada a 8 de julho, promovida pela Câmara Municipal, com a participação do diretor do ACES Cávado. O Município de Esposende solicitou mesmo, à ACES Cávado, a reabertura, ainda que condicionada, para atender os utentes.

Contudo, e dado que não se procedeu à reabertura das unidades de saúde, o Município de Esposende realizou hoje uma reunião, com o objetivo de fazer um ponto da situação e tentar perceber quais as razões que, efetivamente, obstam à reabertura.

Nesta reunião foi o Município de Esposende confrontado com novas necessidades que nada têm a ver com a situação da pandemia provocada pela COVID-19, mas antes decorrentes do abandono e falta de manutenção que esses edifícios estatais registam.

O Município de Esposende mantém total confiança nos responsáveis do ACES Cávado, mas não deixará de estar ao lado das populações, nomeadamente na adoção de outras medidas de reivindicação dos seus direitos se, no máximo, até final de setembro, não se verificar a reabertura das unidades de saúde em questão.

O Município de Esposende reiterou, ainda, que jamais aceitará que as unidades de saúde que estão encerradas sejam desativadas definitivamente, disponibilizando-se desde logo, para preparar a transferência das valências de saúde para o Município, procedendo à intervenção nessas unidades de saúde, em moldes a definir posteriormente.

Assim, o Município de Esposende vai solicitar, com caráter de urgência, uma reunião com o diretor da Administração Regional de Saúde, ocasião em que também será abordado o problema associado aos recursos humanos, nomeadamente à falta de profissionais para o serviço nas unidades de saúde. O Município de Esposende vai, ainda, convocar uma reunião com os presidentes de Junta, enquanto representantes das populações, no sentido de os esclarecer sobre este processo.

ASSOCIAÇÃO CIDADÃOS DE ESPOSENDE QUER MAIS UMA CAIXA MULTIBANCO NA APÚLIA

Depois de receber várias pedidos, a associação optou por encetar diretamente contacto com várias entidades bancárias.

Associação Cidadãos de Esposende quer mais uma caixa multibanco na Apúlia e contactou entidades bancárias para averiguar essa possibilidade. De acordo com a organização, "não faz sentido" que mais de quatro mil pessoas no inverno e milhares no verão tenham de percorrer vários quilómetros até encontrarem uma caixa automática em pleno funcionamento. É desta forma que a associação vê o estado atual de um dos locais mais emblemáticos do concelho.

Nota de Imprensa fotografia.jpg

Serviço necessário em zona movimentada

De acordo com os responsáveis, a situação da falta de caixas multibanco na Apúlia "não é compatível" com a qualidade que o local oferece.

Recentemente classificada como uma "Family Friendly Destination" (destino de férias familiares), na categoria Balnear, a praia de Apúlia destacou-se entre os destinos nacionais balneares ideais para férias em família, tendo obtido 68% dos votos. São milhares de turistas que visitam as praias, que optam por fazer férias e apesar de uma oferta de qualidade em vários serviços, Apúlia não consegue ter mais que uma caixa multibanco instalada.

Apúlia será provavelmente dos locais mais procurados no concelho de Esposende, diz a Associação, frisando a oferta gastronómica de qualidade aliada a praias de sonho, que considera certamente sinónimo de turismo. É por isso "fundamental" que sejam criadas todas as condições não apenas para a época balnear mas sim para todo o ano.

Depois de receber várias pedidos, a associação optou por encetar diretamente contacto com várias entidades bancárias, expondo a sua preocupação pela insuficiência de caixas automáticos na Apúlia e fazendo ver simultaneamente que uma instalação futura na zona teria benefícios para todas as partes envolvidas.

É preciso agilizar uma solução para um problema que continua a complicar a vida aos residentes e turistas, referem os responsáveis da associação.

Segundo os mesmo, "não se entende" que em pleno 2020 um cidadão tenha problemas para fazer um levantamento em numerário ou um pagamento de serviços porque a caixa existente se encontra sem dinheiro ou está fora de serviço, como acontece várias vezes na Apúlia.

Caixas automáticos em Portugal

Um estudo recente do Banco de Portugal revela que em Portugal 78% da população tem um ATM (caixa multibanco) ou uma agência bancária a menos de um quilómetro da freguesia onde reside e 98% a menos de 5 quilómetros, em média. Diz o estudo, "uma freguesia sem caixa automático ou balcão dista três quilómetros do caixa automático ou balcão mais próximo".

No entanto, referem os responsáveis da associação, seria importante diferenciar locais que são de turismo, como é o caso da Apúlia, que durante todo o ano recebe milhares de visitantes a locais onde a procura é praticamente inexistente.

Para a Associação Cidadãos de Esposende, o mais importante é verificar se existe conhecimento desta situação nas diferentes entidades bancárias e tentar que sejam sensíveis a um problema que afeta milhares de residentes.

ESPOSENDE: PRAIA DE APÚLIA É A PREFERIDA DAS FAMÍLIAS PORTUGUESAS

A praia de Apúlia, Esposende, foi eleita como um dos melhores destinos familiares em 2020. Classificada como uma Family Friendly Destination, na categoria Balnear, a praia de Apúlia destacou-se, entre os destinos nacionais balneares, ideais para férias em família, tendo obtido 68% dos votos. Este projeto liderado pela Vrbo, plataforma especializada em arrendamentos de férias para famílias, pretende reconhecer o grande esforço desenvolvido pelos municípios portugueses para receber famílias e assegurar umas férias memoráveis e em segurança.

praia esposende apúliaapulia.jpg

Na descrição avançada pela Vrbo, é salientada a presença dos antigos Moinhos que embelezam as dunas e rodeiam o extenso areal, protegendo-a dos ventos mais fortes. “Sítio ideal para relaxar na companhia da família, a praia de Apúlia carateriza-se pela abundância de algas que é uma das particularidades mais marcantes da praia, tendo dado origem à emblemática figura do Sargaceiro da Apúlia. A riqueza em iodo, presente no sal e nas algas desta praia, confere inúmeros benefícios para a saúde, sendo por isso muito recomendada.”

“É uma honra para o Município de Esposende ver a praia de Apúlia distinguida como um dos melhores destinos familiares em 2020. Atendendo aos parâmetros que são avaliados nesta seleção, constatamos com regozijo, o reconhecimento das famílias, pelo esforço dos municípios portugueses em proporcionar férias memoráveis e em segurança”, vincou o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, para quem este galardão “também evidencia o esforço da população de Apúlia, nomeadamente na manutenção do espaço público e no cumprimento das normas exigidas para que a qualidade da praia se mantenha”.

Os destinos nacionais sujeitos à escolha do público estão divididos em três categorias que representam a diversidade e a tipologia dos destinos nacionais: balneares, citadinos e campestres.

Os destinos que foram propostos para votação, foram identificados através de um inquérito realizado a mais de 200 famílias residentes em Portugal, com base em seis critérios específicos que as mesmas consideram fundamentais na hora de escolherem o seu destino de férias: a segurança na praia (posto de primeiros socorros, proteção da zona de banhos), limpeza e manutenção (da praia, qualidade da água), segurança pública; oferta de restauração variada (restaurantes, cafés, gelatarias), serviços sanitários (centros de saúde, hospitais) e áreas de lazer/entretenimento para todas as idades (parques infantis, jardins, parques de skate e piscinas).

A praia de Apúlia é um dos quatro destinos balneares do concelho de Esposende que ostenta a Bandeira Azul, símbolo de reconhecimento da qualidade da água balnear e o cumprimento de uma série de critérios ao nível das infraestruturas de apoio à praia, gestão de resíduos, limpeza do areal, assistência a banhistas, acessibilidades e informação pública.

Lembre-se que a praia de Apúlia foi distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Regiões, na categoria de Praias, após a votação nacional que registou a participação de mais de 300 mil pessoas, reconhecendo a excelência em áreas tão distintas como recursos naturais, gastronomia, arte e cultura, património e outras referências regionais e nacional.

Em tempos marcados pela incerteza, decorrente da pandemia provocada pela COVID-19, a escolha esmagadora das famílias portuguesas constitui o reconhecimento pelas boas práticas e pelo respeito aos mais altos critérios de qualidade e segurança que caraterizam os destinos turísticos do Município de Esposende.

Apúlia_Vrbo2020_balnear_pt.png

ESPOSENDE: FORJÃES E APÚLIA VÃO DISPOR DE ESPAÇOS DO CIDADÃO

O Município de Esposende vai dispor de dois novos Espaços do Cidadão, que ficarão instalados em Forjães e em Apúlia, tendo o protocolo a estabelecer com a AMA – Agência para a Modernização Administrativa, sido aprovado, por unanimidade, ontem, em reunião de câmara.

DSC02276.JPG

A medida enquadra-se numa política de modernização e simplificação na prestação de serviços ao cidadão, e acontece numa ótica de descentralização e de proximidade, com o intuito de melhorar a resposta às suas necessidades, através do acesso a um atendimento digital assistido que, até agora, lhe era disponibilizado apenas em Esposende, no edifício dos Paços do Concelho

Através da instalação destes Balcões, o Município visa melhor servir o cidadão, proporcionando-lhe um modelo de atendimento mais conveniente, mais rápido e mais próximo, proporcionando-lhe o acesso imediato e assistido de serviços públicos que se encontram ou venham a ser disponibilizados eletronicamente pela Administração Central. Subjacente a esta medida está também o reforço da coesão territorial e social, o aumento da qualidade da prestação de serviços públicos e o combate à infoexclusão, na medida em que este atendimento promove a literacia digital.

De acordo com os termos do protocolo, a AMA disponibilizará o software, garantirá a formação dos recursos humanos e prestará o necessário apoio técnico e funcional, enquanto que o Município assegura a disponibilização dos espaços e respetivo apetrechamento, bem como os recursos humanos necessários.

O Espaço do Cidadão a implementar na zona norte do concelho, designado por “EdC Esposende Norte” ficará instalado num estabelecimento localizado no “Centro Comercial Duas Rosas”, na Avenida de Santa Marinha, em Forjães. O Espaço do Cidadão “EdC Esposende Sul” ficará situado num estabelecimento comercial na Avenida da Praia, na União das Freguesias de Apúlia e Fão.

A instalação destes Espaços do Cidadão resulta de uma candidatura ao Programa Operacional Regional Norte, no valor de investimento total de 72.601,26 euros, com taxa de comparticipação de 85%. Este projeto enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 10 - Reduzir as Desigualdades, por via da eliminação de barreiras no acesso aos serviços públicos, bem como o ODS 11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis, tornando mais inclusiva, segura, resiliente e sustentável na medida em que se pretende, nomeadamente, disponibilizar um serviço de proximidade.

O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, sublinha que, pese embora o investimento já realizado no plano da modernização administrativa, que tornou o Município de Esposende mais eficiente e habilitado a prestar serviços de maior qualidade e eficácia, torna-se necessário expandir o conceito tornando-o mais capaz de gerar e disponibilizar bens públicos de qualidade ao mais baixo custo.

DSC02324 (1).JPG

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE VAI CONCLUIR OBRAS DE BENEFICIAÇÃO DA ESCOLA BÁSICA DO FACHO

O Município de Esposende vai avançar com a conclusão da empreitada de ampliação e beneficiação da Escola Básica do Facho, em Apúlia.

IMG_20190111_154528.jpg

Ultrapassados que estão os procedimentos relativos à rescisão do contrato da empreitada, motivada por incumprimento da empresa a quem tinha sido adjudicada a obra, os trabalhos serão retomados em breve, tendo um prazo de execução de 210 dias e correspondendo a um investimento de 455.800 euros, IVA incluído.

Aproveitando a circunstância da realização de uma nova empreitada, o Município acrescentou outras melhorias ao projeto inicialmente previsto, nomeadamente a beneficiação do logradouro do recinto escolar e a execução de obras de conservação do edifício existente.

Considerando o investimento já efetuado e executado na primeira empreitada, esta obra ultrapassará o meio milhão de euros, elevando este estabelecimento de educação e ensino ao patamar de qualidade que o Município pretende e vem concretizando no parque escolar do concelho, para proporcionar melhores condições a toda a comunidade escolar.

A intervenção prevê a criação de duas salas de ATL, a reformulação das instalações sanitárias existentes e a construção de sanitários para pessoas com mobilidade condicionada, requalificação e ampliação da zona de recreio coberto e criação de uma zona de arrumos exterior. A empreitada contempla, também, a substituição da atual cobertura em fibrocimento do edifício por cobertura com isolamento térmico e a infraestruturação do edifício com rede de gás natural e equipamentos de emergência, bem como melhoramentos com vista ao cumprimento das normas de segurança contra incêndios. Serão igualmente executadas obras de adaptação para garantir o acesso a pessoas com mobilidade condicionada ao recinto escolar e instalado um novo parque infantil e um campo de jogos, procedendo-se, igualmente, à arborização destas áreas. A obra contempla, ainda, a pintura total do edifício.

O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, refere que “apesar de todas as dificuldades e constrangimentos, todos ficarão a ganhar com as melhorias que resultarão desta obra”. O autarca lembra que “o Município assumiu o desafio e o risco de concretizar esta empreitada, por todos reconhecida como da maior relevância, sem garantias iniciais de qualquer apoio de fundos comunitários”. Sublinha, ainda, relativamente à necessidade de rescisão do contrato inicial que “a Câmara Municipal se empenhou sempre na resolução da situação, desenvolvendo todas as diligências possíveis para que a empresa desse andamento aos trabalhos, o que, infelizmente, acabou por não acontecer”. Expressa uma palavra de agradecimento aos pais, Associação de Pais e restante comunidade escolar pela compreensão e cooperação ao longo deste moroso processo, bem como à comunidade em geral que demonstrou confiança no compromisso do Município.

IMG_20190111_154646.jpg

APÚLIA – TERRA DE SARGACEIROS – É UMA DAS MAIS BELAS ESTÂNCIAS BALNEARES DO MINHO

Apúlia, no concelho de Esposende, constituí uma das mais magníficas praias do Minho. Sobre as suas zonas rochosas, os moinhos dominam a paisagem do extenso areal. Terra de sargaceiros, é célebre pelas suas tradições e trajes característicos ligados à faina da apanha do sargaço.

800px-Apulia_Sargaco_(2).jpg

A branqueta usada pelo sargaceiro lembra-nos o saio romano. De igual modo, o nome da localidade – Apúlia – remete-nos para a região da Itália meridional que dá pelo mesmo nome. Puglia, assim se denomina em italiano, deverá ter origem nos povos que outrora habitaram aquela região numa época pré-romana, provavelmente oriundos da outra costa do mar Adriático.

Sargaço! Sargaço! – grita o sargaceiro ao avistar de longe as algas que a marejada arroja, exortando os companheiros a entrarem mar dentro e enfrentarem com arrojo a rebentação das ondas. O grito do sargaceiro ecoa longínquo na praia.

Após a maresia, a mareada é invariavelmente mais abundante, arrojando o mar as algas que se desprendem dos rochedos quase submersos. Os homens, vestidos de branqueta e a cabeça e pescoço protegido com o sueste, levam consigo o galhapão ou a gaiteira se o sargaço estiver próximo da praia.

No areal, as mulheres transportam o sargaço nas carrelas para mais longe do alcance do mar, fazendo as camas onde fica a secar. Após a secagem, as algas serão empregues como fertilizantes das terras, sobretudo nas masseiras. Entretanto, foram revelando-se outras propriedades que as levam a ser utilizadas em produtos fito-sanitários e cosméticos, sendo cada vez mais conhecidas também as suas virtudes alimentares.

- Quem nunca visitou a Apúlia, no concelho de Esposende, jamais conhece uma das mais encantadoras e pitorescas estâncias balneares do Minho!

Texto: Carlos Gomes. Fotos: Luís Eiras / Esposende Altruísta e Wikipédia

800px-Apulia_Sargaco_(4) (1).jpg

96771439_3161141530615561_5204711261295607808_o.jpg

96672407_3161142923948755_4494568895989940224_o.jpg

96780436_3161141110615603_6241692683547443200_o.jpg

96768822_3161140680615646_2645069177043288064_o.jpg

96675392_3161140670615647_260777658160250880_o.jpg

96723647_3161140937282287_2028178952689811456_o.jpg

96583474_3161140983948949_2127695612680863744_o.jpg

96814220_3161140947282286_2698231358815207424_o.jpg

96687507_3161141363948911_2229367749254053888_o.jpg

96670773_3161143257282055_4986642083616915456_o.jpg

96693207_3161141723948875_7132915439897673728_o.jpg

96760108_3161141710615543_4634501855366348800_o.jpg

96691438_3161141773948870_8052988127230296064_o.jpg

96586271_3161141890615525_2704192038982647808_o.jpg

96909820_3161141880615526_1564856997696765952_o.jpg

96680557_3161143167282064_162736538478706688_o.jpg

96828531_3161142063948841_2602508555105861632_o.jpg

96757788_3161142003948847_1259551141541183488_o.jpg

96417969_3161142213948826_185017437240950784_o.jpg

97125090_3161143233948724_385291882512515072_o.jpg

96731268_3161142660615448_1780125495921213440_o.jpg

96600398_3161143290615385_1949717283240673280_o.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE INAUGURA RUA DA IGREJA EM APÚLIA

O Município de Esposende inaugurou hoje, virtualmente, a obra de requalificação da rua da Igreja, em Apúlia. A intervenção realizada pelo Município de Esposende, entre a Avenida da Praia e a Avenida do Mar, representou um investimento que ronda os 400 mil euros.

O vídeoestá disponível nos canais digitais do Município de Esposende e em: https://youtu.be/tBDIw_ODIyU

rua igrejaesposende.jpg

Esta é uma das principais e mais antigas artérias da Vila de Apúlia, acolhendo edifícios de grande valor histórico e religioso, como a Capela de Nossa Senhora da Caridade e a Igreja Matriz. A obra teve como principal objetivo assegurar melhores condições para o trânsito automóvel, substituindo um pavimento antigo em calçada à portuguesa que dificultava imenso a circulação de peões.

A obra contemplou a beneficiação das redes de abastecimento de água, de drenagem de águas pluviais e de saneamento e a instalação das redes de infraestruturas elétricas e de telecomunicações, assim como a execução de sobrelarguras e a consolidação do muro de contenção, com substituição do rail de proteção.

“Investindo na requalificação das infraestruturas rodoviárias, estamos a investir na valorização urbanística da Vila de Apúlia. O Município de Esposende olha para as freguesias como um todo e procura atender a todas as solicitações, principalmente aquelas que nos chegam das populações. Esta era uma obra reclamada há muito tempo pela população de Apúlia”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

Foi, precisamente, para responder aos anseios das populações e das Juntas de Freguesia, que o Município de Esposende criou o Plano de Investimento nas Freguesias. Este instrumento tem-se revelado altamente eficaz, correspondendo com a concretização de obras de grande relevância para os habitantes do concelho.

Lembre-se que este investimento na zona central da Vila de Apúlia insere-se num plano mais vasto para a freguesia e para aquela área em particular.

Sendo ponto de passagem dos Caminhos de Santiago, há todo um investimento transversal, que se iniciou com o melhoramento do percurso, mais a sul, nomeadamente a pavimentação da Rua do Pinhal e passou pela colocação de sinalética e da construção dos sanitários públicos no parque de estacionamento da Igreja Matriz.

“Esta é uma obra extremamente importante e que deve ser analisada de uma forma mais abrangente, sendo complementar da intervenção que já tinha decorrido junto à Escola Básica Integrada de Apúlia. Com a reorganização do parque de estacionamento, e com a construção de um passeio e passadeiras sobre-elevadas, sinalizadas com leds, conseguimos, nessa intervenção, melhorar as condições de circulação de viaturas e a segurança dos peões”, adiantou Benjamim Pereira.

A intervenção na rua da Igreja, contemplou, ainda, a introdução de uma passadeira na extremidade sul do arruamento e a recuperação do fontanário existente junto à Capela de Nossa Senhora da Caridade e da Igreja Matriz.

Nesta zona envolvente à Rua da Igreja, a Câmara Municipal de Esposende procedeu, também, à pavimentação e arborização do Largo Padre Manuel Alberto. 

Na Vila de Apúlia há um investimento significativo, da parte do Município de Esposende, reconhecendo a importância turística da vila, nomeadamente na atração de veraneantes.

Tal esforço do Município capitaliza-se no reconhecimento de entidades externas, como a constante atribuição da Bandeira Azul, galardão de mérito pela qualidade superior das praias, mas também o prémio de melhor praia, alcançado recentemente na 3.ª edição do Prémio Cinco Estrelas Regiões.

As intervenções acima descritas, onde se inclui ainda um apoio concedido à Fábrica da Igreja de S. Miguel de Apúlia para a requalificação da Capela da Senhora da Caridade, utilizada como Casa Mortuária, representam um investimento global superior a meio milhão de euros.  Mas há ainda mais obras a inaugurar ou prestes a iniciar em Apúlia, das quais daremos conta à medida que forem lançadas e concluídas.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE AVANÇA COM INAUGURAÇÃO DA RUA DA IGREJA EM APÚLIA

O Município de Esposende tem concluídas, em execução e prestes a serem lançadas, cerca de três dezenas de obras. Devido às condicionantes, decorrentes da pandemia, provocada pelo novo coronavírus, decidimos avançar com um conceito inovador de interação com os esposendenses, adaptada à nova realidade e em linha com a filosofia subjacente ao projeto Esposende Smart City.

Igreja Paroquial - Apúlia .jpg

Assim, no sentido de prestar contas aos munícipes, a Câmara Municipal de Esposende vai inaugurar, virtualmente, a partir da próxima sexta-feira, dia 15 de maio, todas as obras concluídas e o início de empreitadas.

Repartidas pelas 15 freguesias do concelho, as obras inserem-se no Plano de Investimento nas Freguesias, instrumento adotado pelo Município de Esposende para, em parceria com as Juntas de Freguesia, responder aos anseios das populações, concretizando assim o seu programa eleitoral.

O confinamento decorrente da pandemia e as persistentes regras de afastamento social, impedem que façamos uma apresentação pública das obras da forma mais convencional. O facto é que existem intervenções que já estão concluídas e queremos que as populações tenham conhecimento das valências que têm ao seu dispor. Posteriormente, teremos oportunidade de visitar o local, mas para já, ficamos pela inauguração virtual da obra.

A obra na rua da Igreja, em Apúlia, realizada pelo Município de Esposende, entre a Avenida da Praia e a Avenida do Mar insere-se num investimento global na zona central da Vila de Apúlia que ultrapassou o meio milhão de euros.

APÚLIA E SARGAÇO

Hélder_Cardoso.jpg

  • Crónica de Helder Cardoso

Diz o povo que além das aptidões e das qualidades herdadas, é a tradição que faz de nós aquilo que somos. Apúlia e as tradições da apanha do sargaço estão intimamente ligadas dada a importância do Sargaço na sua História tendo, principalmente nos últimos 100 anos, a transformado.

De tal forma ligadas que, já por volta de 1300, há registos acerca desta atividade.

 A importância económica nesta atividade agro-maritima foi de tal ordem grande que a área de influência se alargava às freguesias vizinhas (fig.1) devido não só ao seu uso predominante, desde tempos imemoriais, na agricultura biológica mas também à venda do sargaço para outras localidades.

Por volta de 1730, o clero ordenou que a apanha do sargaço só seria legal depois da obtenção de uma licença por parte dos párocos locais e que a mesma apanha do sargaço estava vedada às mulheres na apanha noturna devido ao medo dos comportamentos imorais. Mesmo durante o dia, ordenou o Bispo “que deviam levar os homens as suas calças e as mulheres os seus mantéus a cobrir-lhes as partes pudendas sob pena de multa de duzentos reis para as obras da igreja”.

A agricultura biológica, algo tão em voga nos dias que correm, é a mais antiga e foi a mais importante forma de adubar as terras devido à constituição química do sargaço que é rico em iodo, cal, potássio, ácido fosfórico e azoto e constituindo assim um excelente adubo natural, excelente para a utilização nos campos, que eram longe da costa (como mais abaixo poderemos constatar). A necessidade da utilização do sargaço “obrigava” à apanha independentemente das condições do mar e isso, muitas vezes, custou a vida aos agricultores.

Pela composição química do sargaço, aliada aos campos de masseira, foi conseguida uma simbiose na natureza que tornou os terrenos produtivos e rentáveis, brotando deles legumes de reconhecida qualidade.

Estes campos de masseira, são a combinação perfeita entre a Terra e o Mar, pois num solo impróprio e improdutivo, habitualmente fustigado pelo vento, os nativos encontraram forma de tornar estes terrenos produtivos. As Masseiras (fig.2) são campos escavados na areia até ao nível freático e funcionam como uma espécie de estufa natural. Os valos (lados das masseiras) protegem a área central dos ventos criando assim um microclima. Nestes valos são cultivadas vinhas de forma a sustentar os mesmos.

Por força dos constantes ataques na costa, as povoações eram localizadas mais no interior. No entanto, dada a importância do mar no quotidiano da população, havia a necessidade de fazer o mesmo percurso várias vezes. O percurso, esse, era o mais simples e prático – linhas retas até ao mar – desde os principais núcleos populacionais (fig.3). Estes caminhos ainda hoje existem, alguns ainda como caminhos, outros como vias principais de acesso à vila, como é o caso da Avenida da Praia. Posteriormente, com a evolução e fixação das populações junto ao litoral, o crescimento foi condicionado por estas vias de acesso, sendo criados apenas pequenos caminhos ou becos sem grande fluidez ou critério sendo bastante visível este problema especialmente no Verão.

O Verão, que é a altura do ano em que Apúlia, um pouco à semelhança de muitas localidades costeiras, triplica a sua população dada a afluência sazonal. Isto levou a que o crescimento urbanístico fosse desorganizado e descuidado.

Em 1850 o centro era a rua da igreja e a zona da igreja com apenas uma via de comunicação até à praia. Em 1900 a via de comunicação existente já liga à vila de Fão e já existem construções ao longo do caminho. Chegamos a 1950 já com pequenos caminhos, becos e travessas sem grande fluidez ou critério (fig.4).

Esta mudança “repentina” no urbanismo deveu-se, sobretudo, à grande procura sazonal, o que fez crescer as construções sem planeamento urbanístico (pois no Verão tudo se alugava aos banhistas: quartos, caves garagens adaptadas a residências, quintais e terrenos para campismo…). Por outro lado, foram deixadas construções peculiares e únicas, como é o caso dos moinhos, ou as casas de xisto nas Pedrinhas). Estas casas de xisto eram, inicialmente, abrigos onde os agricultores deixavam os seus utensílios da apanha do Sargaço. Na fase da construção, para tornarem eficiente as suas deslocações, nos dias de mareada traziam para a beira da praia o xisto no carro de bois e iam embora com o sargaço.

Toda esta mudança urbanística deveu-se sobretudo à, ainda hoje, excelente praia medicinal recomendada dos 8 aos 80. É uma das praias portuguesas mais rica em iodo devido à presença do Sargaço, em que a espécie mais abundante é a Feofícia, aqui conhecida como bodelha, cintas, cordas, folha de Maio ou taborra.

Esta parte medicinal das águas de Apúlia levou a que, desde o século XIX, esta praia fosse frequentada por famílias sobejamente importantes e conhecidas e cá se construíssem importantes casas senhoriais, como é o caso da família Sá Carneiro, a família Sameiro (do famoso piloto Vasco Sameiro, que deu nome à pista automóvel de Braga), do Visconde de São Januário – Ministro do Exército a quem os fangueiros pediram para que intercedesse junto do Rei para a construção da Ponte de Fão sobre o rio Cavado, ou o Visconde da Fervença de quem Camilo Castelo Branco era amigo e visita frequente à sua residência em Apúlia. Além destas, muitas outras famílias de casas senhoriais das terras de Barcelos, Braga, Vila Verde, Amares, Fafe tinham cá habitação. E a grande maioria destes edifícios ainda hoje existe.

Esta ligação de Apúlia ao Sargaço acontece já desde tempos imemoriais e é uma riqueza cultural única que em tempos integrou uma candidatura a Património Imaterial da Unesco. Os Sargaceiros de Apúlia têm sido, ao longo dos anos, fiéis embaixadores desta tradição e também um dos maiores embaixadores do Concelho de Esposende.

Com a mudança dos tempos, das necessidades e das tecnologias a aposta a fazer pelas novas gerações deverá ser no sentido de promover (ainda mais) a utilização do sargaço na agricultura e inovar na sua utilização. Esta seria, sem dúvida, uma valiosa aposta no Eco-turismo e no Turismo Histórico onde há um grande potencial por explorar.

Hélder Cardoso (com Filipe Queiroga e João Cândido Veloso)

fig (1).jpg

fig (3).jpg

fig (4).jpg

fig (2).jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE VAI CRIAR ESPAÇOS DO CIDADÃO EM FORJÃES E APÚLIA

A Câmara Municipal de Esposende pretende criar dois novos Espaços do Cidadão no concelho, nomeadamente em Forjães e em Apúlia. A iniciativa surge da necessidade de oferecer aos munícipes do concelho uma oferta de serviços públicos descentralizada, proporcionando maior proximidade e melhoria no acesso a um atendimento digital assistido. Esposende dispõe atualmente de um Espaço do Cidadão, com atendimento nos Paços do Concelho.

DSC02324.JPG

O Espaço do Cidadão a implementar na zona norte, designado por “EdC Esposende Norte” será instalado num estabelecimento localizado no “Centro Comercial Duas Rosas”, na Avenida de Santa Marinha, em Forjães. O Espaço do Cidadão “EdC Esposende Sul” ficará situado num estabelecimento comercial na Avenida da Praia, na União das Freguesias de Apúlia e Fão.

Para concretizar a instalação destes Espaços do Cidadão, o Município vai apresentar candidatura ao Programa Operacional Regional Norte, no valor de investimento total de 72.601,26 euros, com taxa de comparticipação de 85%. Esta candidatura encontra-se articulada com o previsto no Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial (PDCT) do Cávado, que se encontra devidamente ancorada numa estratégia de desenvolvimento territorial estabelecida para a NUT III do Cávado.

“Pese embora o investimento já realizado no âmbito de modernização administrativa, que tornou o Município de Esposende mais eficiente e habilitado a prestar serviços de maior qualidade e eficácia, torna-se necessário expandir o conceito à totalidade do enquadramento interno e externo, e relacionar com as principais tendências do meio envolvente, de forma a tornar o Município mais capaz de gerar e disponibilizar bens públicos de qualidade ao mais baixo custo”, refere o Presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Benjamim Pereira acrescenta que nestes Espaços do Cidadão, para além da possibilidade de tratar de processos relacionados com a renovação da Carta de Condução, alteração de residência no Cartão do Cidadão, pedido da chave móvel digital, pedidos de segunda via dos cartões da ADSE, entre muitos outros, pretende-se que os munícipes possam, numa ótica de aproximar os serviços camarários às pessoas, evitando deslocações à sede do concelho, tratar de procedimentos tendentes à resolução de questões administrativas no âmbito dos seus processos.

Este projeto enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 10 - Reduzir as Desigualdades, por via da eliminação de barreiras no acesso aos serviços públicos, bem assim ao ODS 11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis, tornando mais inclusiva, segura, resiliente e sustentável na medida em que se pretende, nomeadamente, disponibilizar um serviço de proximidade.

ESPOSENDENSES MERGULHARAM NO ANO NOVO

1ª Corrida e Mergulho do Ano - 3ª Edição
Neste primeiro dia de 2020, o grupo de corrida "Apúlia a Correr" juntou cerca de cento e cinquenta amigos para a 1ª Corrida e Mergulho do Ano, em Apúlia.

A actividade iniciou as 10h15 junto ao castelinho, com uma corrida de 5km pela frente marítima de Apúlia e culminou com o primeiro mergulho do ano na Praia de Apúlia.
Esta é uma iniciativa livre e espontânea em que se pretende promover o convívio entre entusiastas da corrida, familiares, amigos e conhecidos, dando início a um novo ano de corridas.
Apúlia a Correr

received_1915238648621688 (1).jpeg

PSX_20200101_215053 (1).jpg

received_2442818165958404 (1).jpeg

ESPOSENDENSES MERGULHAM NA PRAIA DA APÚLIA PARA DAR AS BOAS VINDAS AO ANO NOVO

1ª Corrida e Mergulho do Ano 2020 – 3ª Edição

No próximo dia 1 de Janeiro de 2020 irá cumprir-se a tradição em Apúlia

FB_IMG_1576427847071.jpg

Apúlia a Correr vai juntar os seus amigos, familiares e conhecidos para a 1ª Corrida e Mergulho do Ano 2020.

A actividade terá início às 10h00, junto ao Castelinho de Apúlia, com uma corrida de cerca de 5km pela frente marítima de Apúlia (Ecovia), culminando com um mergulho na Praia de Apúlia.

Programa:

10h15: Corrida – 5km – Ponto de Encontro: Castelinho de Apúlia

11h00: 1.º Mergulho do Ano – Praia de Couve, Apúlia

11h15: Lanche Convívio

Esta é uma iniciativa livre e espontânea em que se pretende promover o convívio entre entusiastas da corrida, familiares, amigos e conhecidos, dando início a um novo ano de corridas.

PSX_20191218_211034.jpg