Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FUTEBOL DE PRAIA REGRESSA AO AREAL DE APÚLIA

Amanhã, dia 25 de maio, a Praia da Couve, em Apúlia, vai ser palco da segunda jornada da Divisão de Elite de Futebol de Praia, com a presença das melhores equipas nacionais.

futebol de praia.jpeg

Assim, pelas 10h00 será realizado o jogo entre as equipas do Leixões SC e CD Nacional, seguindo-se, pelas 11h15, o desafio entre as equipas do GRAPE e do Sporting CP e, por último, pelas 12h30, jogam as equipas do SC Braga e da Casa Benfica Loures. 

O Campeonato Nacional de Futebol de Praia será disputado nos dias 7, 14 e 21 de junho e 4 de agosto.

Esta jornada, assim como os jogos do Campeonato Nacional de Futebol de Praia são organizados pela Federação Portuguesa de Futebol e pela Associação de Futebol de Braga.

Apoiando esta iniciativa, o Município de Esposende prossegue o projeto que visa posicionar o concelho como destino de referência para a prática e organização de eventos e desportos de praia.

"O TEATRO VAI A... APÚLIA" NO DIA 18 DE MAIO

“O Teatro vai a… Apúlia”, no próximo dia 18 de maio. Integrado na política de descentralização cultural e no programa CREARTE (Crescimento da Arte Teatral em Esposende), a Câmara Municipal de Esposende vai promover a apresentação da peça de teatro “Aqui há Gato” pelo Grupo de Artes Recreativas de Fonte Boa (GARFO). O espetáculo está agendado para as 21h30, na Casa do Povo de Apúlia, e terá entrada livre.

18MAIO_TEATRO_vai.jpg

“Aqui há Gato” é uma peça cómica da autoria de Joaquim Graça do Vale, que abre uma janela sobre a complexidade das relações amorosas e suas aventuras, abordando-as sob perspetivas etária, estrato social ou simplesmente de ordem cronológica. As personagens encontram-se em constante aprendizagem daquilo que é ser-se feliz. As loucuras e peripécias ao longo de dois atos conduzem os espetadores numa viagem de dois sentidos entre a perfeição e a imperfeição enquanto humanos, quanto ao amar e ser amado. Uma comédia divertida onde o amor impera, diverte e surpreende.

Recorde-se que, em parceria com os grupos folclóricos do concelho, o Município vai levar a efeito a iniciativa “O Folclore vai a… Rio Tinto”, no dia 19 de maio, a partir das 15h00, no Largo da Igreja.

A política cultural do município proporciona o cumprimento Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, que o Município de Esposende assumiu no seu plano de gestão, no que se refere às metas Educação de Qualidade (ODS 4), Reduzir as desigualdades (ODS 10) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

COROS PEQUENOS CANTORES DE ESPOSENDE E ARS VOCALIS APRESENTAM CONCERTO DA PÁSCOA

17 abril, 22h00 – Igreja de Apúlia

Integrado na programação cultural da Semana Santa de Esposende, a Câmara Municipal de Esposende vai promover a realização de um concerto de Páscoa com o Coro de Pequenos Cantores de Esposende e Coro Ars Vocalis. Intitulado “SALMO”, o concerto vai decorrer no dia 17 de abril, Quinta-feira Santa, às 22h00, na Igreja de Apúlia, e tem entrada livre.

CPCE.jpg

A Semana Santa de Esposende associa-se, assim, à estreia da obra, com o mesmo nome, de Telmo Marques, uma obra para grande coro juvenil, soprano e decateto de metais. Neste contexto, juntam-se aos coros esposendenses, com Helena Venda Lima como Diretora Coral, Diogo Zão ao Piano e comentários de Nuno Jacinto, nomes grandes do panorama musical nacional como os Portuguese Brass, a Soprano Dora Rodrigues e o Maestro Fernando Marinho.

ars vocalis.jpg

O Coro de Pequenos Cantores de Esposende (CPCE) foi criado em 2009, no âmbito de uma parceria entre a Escola de Música de Esposende e a Câmara Municipal de Esposende. Pretende ser uma fonte de formação de músicos do futuro e, simultaneamente, do público do presente. Desta forma, pretende-se promover a produção nacional de obras dedicadas ao ambiente Pueri Cantores englobando a composição nacional contemporânea, a música para infância e a sonoridade coral. O CPCE editou dois CD’s, o primeiro em julho de 2013, intitulado “Mudam-se os Tempos”, e “É tempo de Natal”, em setembro de 2014, encontrando-se a preparar o seu terceiro disco, inteiramente dedicado à música sacra.

O Coro Ars Vocalis nasceu em 2009 no seio da Escola de Música de Esposende e do seu projeto educativo, tendo como base o trabalho realizado durante cinco anos com alunos da Escola Básica de Forjães, no âmbito do ensino articulado de música. Numa primeira fase, com 35 alunos, o grupo desenvolveu um trabalho musical dedicado à construção de hábitos vocais e corais, recorrendo sobretudo aos compositores portugueses que compuseram para este trabalho pedagógico, como Fernando Lopes-Graça e Sérgio Azevedo. Atualmente constituído por 55 cantores dos 15 aos 20 anos de idade, todos do concelho de Esposende, o grupo trabalha em formação de coro júnior, pretendendo desenvolver este conceito na prática coral portuguesa, com a perspetiva de “escola”.

O Coro Ars Vocalis gravou o seu primeiro disco em 2016, que integrou a publicação “Mare Nostrum”, do Município de Esposende, com obras originais encomendadas ao compositor Telmo Marques, sob poesia de autores portugueses ligada ao mar. Do mesmo compositor, estreou na Semana Santa de 2018 a obra “Procura”.

O Coro Ars Vocalis representa a continuidade do projeto de formação do Coro de Pequenos Cantores de Esposende. Os dois projetos estão, portanto, intimamente relacionados, numa lógica de sequencialidade etária e formativa. Sob a coordenação artística da Escola de Música de Esposende, o Coro Ars Vocalis é financeiramente apoiado, desde 2013, pelo Município de Esposende.

Estes projetos e o trabalho artístico que desenvolvem encontram-se refletidos no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, que o Município de Esposende assumiu no seu plano de gestão, nomeadamente no que concerne ao ODS 4 - Educação de Qualidade, ODS 5 – Igualdade de Género e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

CONCERTO SALMO.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE FINANCIA PARQUE INFANTIL PARA A ASSOCIAÇÃO ASCRA DE APÚLIA

A Câmara Municipal de Esposende vai apoiar a ASCRA – Associação Social, Cultural e Recreativa de Apúlia na instalação de um parque infantil para usufruto das crianças utentes da instituição.

dav

De acordo com deliberação aprovada, por unanimidade, em reunião do executivo, o Município atribuiu um apoio financeiro, no montante de 19.416 euros, destinado a financiar o equipamento.  

Considerando o valor do equipamento, e não dispondo a ASCRA de recursos financeiros para fazer face a tal investimento, o Município, no âmbito do apoio às instituições do concelho, entendeu conceder esta verba atendendo também ao papel da Associação Social, Cultural e Recreativa de Apúlia no contexto da Rede Social concelhia.

A ASCRA é uma entidade sem fins lucrativos que há 27 anos atua no apoio a crianças e idosos e respetivas famílias. Além das valências de Creche, Jardim de Infância, ATL, Centro de Dia e Apoio Domiciliário, a ASCRA tem também em funcionamento, desde janeiro de 2003, um Centro de Acolhimento Temporário, com capacidade para acolher até 20 crianças em situação de risco.

A instalação de um parque infantil irá valorizar o espaço exterior da instituição, contribuindo para potenciar, a par do trabalho desenvolvido no espaço sala, o desenvolvimento e aprendizagem das crianças.

ESPOSENDE: APÚLIA VAI TER MUSEU DO SARGAÇO

Já arrancou obra do Museu do Sargaço em Apúlia. Investimento do Município eleva-se a 275 584 euros

Já arrancaram as obras de reabilitação da antiga Escola Básica de Areia-Apúlia para Museu do Sargaço, um projeto do Município de Esposende que trará à memória da população e da cultura local, a “apanha do sargaço”, aquela que foi, e ainda é, uma tradição de grande relevo para o povo apuliense.

IMG_0131

A obra corresponde a um investimento de 275 584 euros e tem um prazo de 198 dias (aproximadamente seis meses e meio), enquadrando-se no PARU (Plano de Ação de Regeneração Urbana) para a área de Apúlia. Sob a premissa “remodelar para recrear”, a intervenção passa pela remodelação de um espaço também ele com história, mantendo intactas as linhas mestras e os marcos arquitetónicos do edifício, com o objetivo de recrear espaços e tradições de um dos pilares da economia de Apúlia.

IMG_0104

No primeiro piso ficará situada a receção/zona de acolhimento, os sanitários, uma sala polivalente, bem como um espaço destinado à guarda de material expositivo e reparação/restauração de peças de arte em exposição, localizando-se, no piso superior, a sala de exposição geral. O acesso ao piso superior, além de ser pelas escadas, será ainda feito através de um elevador, garantindo, assim, o acesso a pessoas com mobilidade reduzida a todos os espaços do museu.

No exterior, será criada uma “praça temática” relacionada com a apanha do sargaço, bem como um pequeno “auditório” ao ar livre, que permitirá acolher todo o tipo de palestras e eventuais espetáculos relacionados com o tema da apanha do sargaço e das exposições.

O projeto prevê, ainda, a criação de onze lugares de estacionamento públicos, dois dos quais destinados a pessoas com mobilidade condicionada, além de cinco lugares de estacionamento privativos, sendo um destinado a pessoas com mobilidade condicionada.

“É intenção do Município manter vivas as memórias da tradição da prática desse ofício de grande valor cultural de Apúlia e do próprio concelho”, sublinha o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, clarificando que o Museu do Sargaço se insere num “projeto mais vasto de valorização do património do concelho, que integra entre outras iniciativas, a criação do Centro Interpretativo do Junco, na freguesia de Forjães”. O Autarca realça a mais-valia destes projetos, lembrando ainda que o Município tem na forja outros importantes investimentos que posicionarão Esposende tanto no plano cultural como turístico, bem como a nível económico.

escola de areia apúlia (002)