Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO: PAN EXIGE RESPOSTA DA CÂMARA MUNICIPAL SOBRE DESTINO DOS ANIMAIS ENVOLVIDOS EM ATAQUES

Há 3 meses que a Comissão Política Concelhia do PAN solicitou esclarecimentos à Câmara Municipal, sobre o destino do cão que, alegadamente, terá atacado os seus tutores, em Nine, não tendo até ao momento recebido qualquer resposta.

Capturarcaes.JPG

Na altura os órgãos de comunicação social, davam nota que este iria permanecer 15 dias no CROA onde seria “avaliado pelos técnicos do CROA” para “tentar compreender os seus comportamentos” e “perceber se existe viabilidade para um regresso a casa seguro.” 

Assim, o partido questionou, na altura, o executivo sobre que tipo de avaliação é feita para determinar que este animal poderá regressar a casa e se essa intenção foi demonstrada pelos tutores, mas também em que condições é que isso se poderia verificar. 

Importa, também, ao partido saber que tipo de avaliação é feita aos animais que se encontram neste contexto, e quem são os técnicos responsáveis por esta avaliação, assim como quais as suas habilitações na área do comportamento animal.

Durante o período de discussão pública esta Comissão Política alertou para o facto do regulamento do CROA ser um facilitador da realização de eutanásias, em situações relacionadas com animais que, num determinado momento, tiveram um comportamento agressivo, ignorando por completo a condição que levou ao comportamento ou ataque do animal e excluindo a possibilidade de, por via de especialistas em comportamento animal, reeducar, socializar e potenciar uma nova adoção.” refere Sandra Pimenta, acrescentando “perante a recusa, sem fundamentação, de qualquer alteração ao dito regulamento, lembramos que solicitamos, em sede própria, o chumbo do mesmo à Assembleia Municipal.”

O partido reforça que o regulamento de funcionamento do CROA, que ainda não foi aprovado em Assembleia Municipal, tendo já decorridos 5 meses após a consulta pública, está desenquadrado, entre outras coisas, com o artigo 15.º do Decreto-Lei n.º 315/2009, de 29 de Outubro, na sua atual redação, onde se lê que o abate poderá acontecer “uma vez ponderadas as circunstâncias concretas, designadamente o caráter agressivo do animal”, ou seja, não existe obrigação legal para a eutanásia de cães agressores, sendo publicamente conhecido o caso do pitbull Mandela.

Perante a falta de informação relativa às razões que levam à eutanásia dos animais que ocorrem no CROA, o PAN quer saber quantas eutanásias foram realizadas a animais que atacaram os donos, e se existem relatórios sobre essas situações. Paralelamente, quantos animais foram colocados para adoção após ataque a donos, assim como quantos animais estão alojados, neste momento, no canil que resultaram de recolhas neste contexto.

BRAGA REALIZA EXPO ANIMAL 2022

O Município de Braga promove a edição de 2022 da Expo Animal que decorre este fim-de-semana, no Altice Forum Braga.

A tradição volta a repetir-se e o Altice Forum Braga recebe as já habituais exposições caninas, felinas e de animais exóticos. Organizada pela InvestBraga em colaboração com o Clube Português de Canicultura e o Clube Português de Felinicultura, a Expo Animal será ainda palco de competições nacionais e internacionais de cães e gatos, atribuindo nos dois dias os títulos aos melhores animais em concurso.

Ao todo, estarão em disputa na Expo Animal mais de 50 troféus para gatos e 123 troféus para cães, avaliados por 13 juízes, três dedicados à exposição nacional e internacional de gatos e 10 nos concursos caninos.

Além dos concursos, a Expo Animal contará com a exposição de animais exóticos, destacando-se a presença de exemplares geokos, dragões barbudos, cobras de milho, pitões reais, tartarugas, rãs, insectos e aranhas.

Aos espaços de exposição juntam-se ainda os mais de 40 expositores que oferecem serviços e alimentação para os animais.

A Expo Animal 2022 volta a contar, depois de um interregno, com quatro momentos dedicados à dança de cães. Sábado e Domingo, pelas 14h45 e 17h00, o ringue principal da Expo Animal terá espectáculos protagonizados pelo binómio vindo de Espanha.

Ao longo de vários minutos, os cães demonstrarão algumas das suas melhores proezas ao ritmo da música em momentos que irão deixar o público deliciado.

Também os shows didácticos estão de volta ao Altice Forum Braga com o “Show de araras e papagaios”, protagonizado pelo AquaShow.

FILOMENA COSTA TOMOU POSSE COMO PROVEDORA MUNICIPAL DOS ANIMAIS DE BRAGA

Cerimónia decorreu nos Paços do Concelho

Filomena Costa assumiu esta Sexta-feira o cargo de Provedora Municipal dos Animais de Braga. Trata-se de uma figura externa a todo o universo municipal, que a título de colaboração voluntária e não remunerada, aceitou o convite para assumir as funções, dando continuidade ao trabalho no terreno que a nova provedora tem realizado ao longo dos anos, ao estar activamente envolvida na causa animal.

CMB30412022SERGIOFREITAS00021513812654 (1).jpg

Filomena Costa é docente do ensino secundário na área das ciências matemáticas e físico-químicas, actua regularmente em resgates animais, colaborando nos programas CED (captura, esterilização e devolução), fazendo voluntariado como FAT (Família de Acolhimento Temporário) com o foco na promoção de adopções responsáveis.

E é na vertente da adopção responsável que Filomena Costa quer pautar a sua actuação, apostando na sensibilização da população e na melhoria da comunicação com os cidadãos. “Aceitei este convite com muito gosto. Faço parte da causa animal ainda dos tempos de estudante e tenho articulado o meu trabalho com todas as associações que trabalham no terreno. Espero ajudar a fazer ainda mais pelos animais de Braga, a dar continuidade ao que de bom tem vindo a ser feito no nosso Concelho, a agilizar a comunicação entre munícipes, Município e os diversos agentes do território para que se consiga chegar ao maior número de animais possível. Só assim conseguimos diminuir o abandono e, consequentemente, a aumentar o número de animais esterilizados”, referiu Filomena Costa, demonstrando toda a disponibilidade para desempenhar as novas funções e em cooperar com as diversas associações.

CMB30412022SERGIOFREITAS00021513812653 (3).jpg

Durante a cerimónia de tomada de posse, realizada nos Paços do Concelho, o vereador com o pelouro da Política Animal lembrou o trabalho “consistente” do Município de Braga em matéria da protecção animal que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos últimos anos. Altino Bessa destacou o investimento municipal nos diversos programas CED, na campanha extraordinária de apoio à esterilização de animais de companhia, assim como o trabalho realizado pelo Centro de Recolha Oficial de Braga (CRO) em articulação com as associações. “Temos tido um bom relacionamento com todas as associações, temos procurado instalar equipamentos diferenciadores e projectamos abrir o sétimo parque canino em Braga, além de possuirmos uma viatura de socorro animal. Nesta matéria da política animal rivalizamos com qualquer município a nível nacional. Este cargo de Provedor Municipal dos Animais vem dar continuidade ao que vem sendo realizado em Braga e a professora Filomena Costa vai exercê-lo de forma autónoma e imparcial, com autoridade e legitimidade, para tornar Braga numa Cidade cada vez mais amiga dos animais”, explicou Altino Bessa, adiantando que posteriormente será criado um email institucional para que os cidadãos possam contactar a provedora.

CMB30412022SERGIOFREITAS00021513812646 (4).jpg

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal de Braga agradeceu a disponibilidade da provedora para aceitar o cargo e colaborar voluntariamente para esta causa colectiva. Ricardo Rio lembrou que “este não é um momento avulso”, mas sim a consequência do trabalho que Braga tem feito ao longo dos últimos anos na promoção das políticas de bem-estar animal.

“Esta é uma matéria transversal a todas as forças políticas e que importa a todos os cidadãos. Não é por acaso que esta medida constava no nosso programa eleitoral e com um capítulo inteiro de iniciativas referentes à política animal. Ao longo dos tempos vão surgindo novos desafios e em boa hora surgiu esta proposta de criação da figura do provedor animal. Temos tido uma relação profícua com as diversas associações e a Filomena Costa vem reforçar essa mesma relação e ajudar-nos a melhorar o nosso desempenho”, referiu Ricardo Rio, acreditando que este cargo vem valorizar a causa animal dentro do universo municipal de forma a enquadrar as sugestões e melhorar o diálogo com os cidadãos e com as instituições.

A criação do Provedor Municipal dos Animais de Braga decorre da necessidade de se criar uma figura que garanta a efectiva representação dos interesses relativos ao bem-estar animal e que garanta uma maior ligação entre os munícipes, associações locais de defesa dos animais e o Município.

Ao Provedor Municipal dos Animais de Braga pede-se que exerça o cargo de forma independente, imparcial e autónoma em relação aos Órgãos Autárquicos, em colaboração com os serviços municipais, movimentos de cidadãos, associações, instituições ou outras entidades cujo objecto seja a protecção, o bem-estar e a defesa dos direitos dos animais e que actuem na área do Município de Braga.

Capturaranibra1 (1).JPG

Capturaranibra2 (2).JPG

CELORICO DE BASTO COM PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS TEMPORÁRIOS COM VISTA À ESTERILIZAÇÃO DE CÃES E GATOS

Projeto de Regulamento ficará, em breve, disponível para consulta pública em www.mun-celoricodebasto.pt

O regulamento entrará em vigor no início de 2023

O referido projeto de regulamento foi aprovado ontem, 02 de novembro, em reunião do Executivo Municipal, no qual consta um apoio materializado num “voucher esterilização” a utilizar numa clinica indicada pelo Município com a comparticipação total da despesa, no caso dos beneficiários da Tarifa Social de Água ou Tarifa Social de Energia. A restante população receberá um “voucher esterilização” com o valor de acordo com o género e tipologia do animal, neste caso os procedimentos de esterilização poderão ser realizados em clinicas médico-veterinárias da livre escolha do tutor animal.

gato (3).jpg

Pretende-se com este regulamento valorizar a promoção animal, conter o número de cães e gatos abandonados na rua, entregues em associações de proteção animal ou em centros de recolha oficial de animais, estimular a melhoria da qualidade de vida das famílias, promover um ambiente mais higiénico e saudável nesses lares, sensibilizar os donos para a responsabilidade de ter cães e gatos e, em caso de abandono, evitar a procriação descontrolada.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, José Peixoto Lima, este é um regulamento que tem como objetivo principal promover o verdadeiro bem-estar dos animais de estimação e das famílias que os acolhem. Queremos incutir uma maior responsabilização nos cuidados com os animais com a adoção de condutas preventivas que visem, primariamente, proteger o animal”. Contudo, diz o autarca, “reconhecemos que existem procedimentos que são dispendiosas e praticamente incomportáveis para muitas famílias por isso, atuamos no sentido de mitigar essas dificuldades pelo bem dos animais e das famílias”.

Todos os que pretendam aderir a estes apoios deverão, quando o regulamento entrar em vigor, consultar as normas afetas ao mesmo e apresentar candidatura com preenchimento de formulário próprio, e remeter o mesmo, juntamente com os documentos introdutórios, para endereço eletrónico geral@mun-celoricodebasto.pt, por correio ou presencialmente no balcão único de Atendimento Municipal.

Todos os aderentes aos apoios referidos no regulamento terão obrigatoriamente de ser residentes no concelho de Celorico de Basto, e os animais terão de ter obrigatoriamente o registo atualizado no sistema de informação de animais de companhia (SIAC).

cão (1).jpg

FAMALICÃO: CÂMARA MUNICIPAL IMPLEMENTA MEDIDA PROPOSTA PELO PAN

A Comissão Política Concelhia do PAN solicitou esclarecimentos à Câmara Municipal sobre a criação da Brigada de Resgate Animal de Famalicão.

Considerando a realidade famalicense, a criação desta equipa é da mais elementar importância, e vem dar resposta a parte das nossas preocupações refletidas no nosso programa autárquico, onde defendemos, a criação de um Serviço Veterinário Público que garantisse um Centro de Atendimento Permanente no Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA), destinado a animais errantes, abandonados ou detidos por pessoas em situação de especial vulnerabilidade socioeconómica que não tenham capacidade para assegurar aos seus animais de companhia os cuidados básicos de saúde ou socorrê-los em situação de emergência. 

Neste sentido, a concelhia famalicense do PAN endereçou ao executivo municipal uma série de questões onde pretende perceber, por exemplo, se as novas instalações do CROA terão capacidade física para albergar todos os animais recolhidos de forma segura, assim como, qual o destino dos animais, feridos ou em risco iminente de vida, resgatados durante a noite/madrugada. 

“Como é habitual, a informação publicada é quase nula, não sabemos, perante a ausência de um hospital veterinário no concelho, que tipo de protocolos foram elaborados com as clínicas do Concelho, e onde podemos consultar os mesmos, ou até qual a verba financeira atribuída para estes acordos. Não podemos resgatar os animais e, caso se verifique uma situação mais grave, deixá-los no canil até de manhã sem supervisão veterinária. Devemos relembrar que o staff veterinário da Câmara Municipal de Famalicão é reduzido.” refere Sandra Pimenta, acrescentando que “as falhas de resposta durante o período da noite, onde se esperava, provavelmente, que os abandonos ou acidentes não acontecessem, e que deixavam muitas pessoas sem resposta, têm de efetivamente acabar e garantir, de uma vez, eficazes respostas.” 

O PAN questionou também de que forma foi acordada a intervenção, caso seja necessária, dos bombeiros e forças de segurança numa situação de maior complexidade, uma vez que a inclusão da existência e funcionamento da Brigada de Resgate Animal de Famalicão não se encontra enquadrada no regulamento do CROA. 

FILOMENA COSTA PROPOSTA PARA PROVEDORA MUNICIPAL DOS ANIMAIS DE BRAGA

Amplamente reconhecida pelo seu envolvimento na causa animal

Filomena Costa será o nome proposto para o cargo de Provedora dos Animais de Braga na próxima Reunião do Executivo Municipal, que se realiza na Segunda-feira, dia 17 de Outubro.

Filomena Costa (2).jpeg

Doutorada em Engenharia Química e Biológica e exercer funções enquanto docente do 2º e 3º ciclo e do ensino secundário na área das ciências matemáticas e físico-químicas, Filomena Costa está, desde 2006, envolvida activamente na causa animal, actuando regularmente, no terreno, em resgates animais, colaborando com os programas CED (captura, esterilização e devolução) e fazendo também voluntariado como FAT (Família de Acolhimento Temporário) na promoção de adopções. É amplamente reconhecida pela comunidade pela sua acção em prol do bem-estar e da defesa dos direitos dos animais em Braga.

A juntar a esses factores, não exerce funções em cargos de nomeação política na Câmara Municipal, nem de dirigente municipal, não é membro de órgãos de empresa municipal, funcionária municipal ou de empresa municipal; não exerce funções como fornecedora ou prestador de serviços do Município de Braga, nem tem qualquer ligação económica aos serviços municipais ou empresas municipais e não integra os órgãos sociais de movimentos associativos cujo objectivo seja a protecção da defesa dos animais.

A criação do Provedor Municipal dos Animais de Braga decorre da necessidade de se criar uma figura que garanta a efectiva representação dos interesses relativos ao bem-estar animal e que garanta uma maior ligação entre os munícipes, associações locais de defesa dos animais e o Município.

Ao Provedor Municipal dos Animais de Braga pede-se que exerça o cargo de forma independente, imparcial e autónoma em relação aos Órgãos Autárquicos, em colaboração com os serviços municipais, movimentos de cidadãos, associações, instituições ou outras entidades cujo objecto seja a protecção, o bem-estar e a defesa dos direitos dos animais e que actuem na área do Município de Braga.

CÂMARA DE CAMINHA APOSTA NUMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA COM TERAPIA ASSISTIDA POR CÃES

Protocolo com a associação ETHOS beneficia alunos com necessidades educativas especiais

Neste ano letivo, a Câmara Municipal de Caminha vai continuar a apostar numa educação inclusiva, e a incluir a terapia assistida por cães nos seus programas, beneficiando alunos identificados pelo Agrupamento de Escolas de Caminha, com necessidades educativas especiais. O respetivo protocolo, a celebrar com uma associação especializada, foi aprovado na última reunião do Executivo e abrangerá nove alunos.

3M1A7509 (3).jpg

A parceria entre o Município de Caminha e a Associação de Ação Social ETHOS, vai ser renovada no ano letivo de 2022/2023. Está aprovada a celebração de um novo protocolo entre o Município de Caminha e a Associação de Ação Social ETHOS para promoção de intervenção educativa e terapêutica assistida por animais, no caso cães.

A Associação irá realizar uma sessão por semana, estimando-se que, em função do calendário escolar, cada aluno beneficie de 33 sessões. Esta prática educativa tem benefícios cientificamente reconhecidos, mas ainda não é generalizada no nosso país, sendo, porém, há alguns anos, uma aposta do Executivo e do Agrupamento de Escolas de Caminha.

O objetivo do Município é apoiar a promoção de um processo de ensino/aprendizagem inclusivo, que permita responder à diversidade de caraterísticas e necessidades de todos os alunos, sem exceção, tendo em vista o sucesso educativo. Neste ano letivo, e com este protocolo, o Município vai investir aproximadamente 13 mil euros.

Para além do sucesso educativo, através deste protocolo pretende-se melhorar a qualidade de vida de crianças e jovens com deficiência, incapacidades, em risco de exclusão social, expostos a episódios traumáticos, hospitalizados de longa duração, ou outras necessidades especiais suscetíveis de intervenção, no âmbito da educação, da saúde ou da assistência social.

De acordo com a ETHOS, a Intervenção Educativa e Terapêutica Assistida por Cães (IETAC) “são interações nas quais um cão de terapia é incorporado como parte do processo educativo ou terapêutico, com o objetivo direto de promover a melhoria nas funções físicas, sociais, emocionais e cognitivas do utente. Sempre devem estar dirigidas por profissionais da saúde ou da educação”.

Conforme explica a Associação, as investigações “provam que a presença do cão de terapia associa-se a sensações de tranquilidade e relaxamento assim como à redução do ritmo cardíaco e da pressão sanguínea. Também se associa a um aumento da interação social, atuando ao que parece, como catalisadores sociais, realizado em grande variedade de meios, de maneira individual ou em grupo. É importante ter em conta que não falamos da substituição das terapias clínicas nem dos métodos educativos, mas sim como complemento aos mesmos. Ao contrário do que acontece noutros países e apesar da quantidade de referências históricas que documentam este tipo de terapia associada a uma grande variedade de patologias clínicas, todavia é uma prática pouco utilizada em Portugal. As investigações estão a evoluir de maneira notória e este é um bom caminho para seguir a desenvolver as terapias e a melhorar o vínculo humano-cão assim como a ponte que os cães de terapia criam entre o terapeuta e o utente”.

FAMALICÃO GANHA BRIGADA DE RESGATE ANIMAL

Equipa do Centro de Recolha Oficial de Animais de Famalicão funciona 24 horas por dia

Famalicão tem uma Brigada de Resgate Animal disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana para serviços de socorro e recolha de animais abandonados ou em situação de perigo.

DSC_0149 (7).jpg

Associada ao CROA - Centro de Recolha Oficial Animal de Famalicão, e a funcionar em articulação com  

as forças de segurança e de socorro do concelho para uma resposta mais célere e eficaz, a nova equipa, e recursos associados, foi apresentada pelo Presidente da Câmara Municipal nesta terça-feira, dia 4 de outubro, Dia Mundial do Animal.

Como recursos, a Brigada de Resgate Animal possui uma carrinha com os equipamentos necessários para socorrer quer em profundidade, quer em altura, e de forma segura, os animais abandonados ou em situação perigosa.

“Com mais este serviço, evidenciamos bem o nosso compromisso com o bem-estar e a defesa do animal” destacou o Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos. “É um bom exemplo a nível regional, e que acredito que vai inspirar outros municípios a apostar nestes serviços, por forma a poder socorrer eficazmente os animais abandonados”, realça.

A par da apresentação da Brigada de Resgate Animal de Famalicão foi também inaugurada a «Aldeia dos Gatos», um espaço situado nos jardins do CROA dedicado aos pequenos felinos, que servirá para albergar os animais e fazer face á sobrelotação existente, com as melhores condições de segurança e bem-estar. Também foram entregues distinções aos voluntários e aos representantes das autoridades locais parceiras do CROA, como gesto de agradecimento pelo apoio prestado.

Caso verifique uma situação de abandono ou um animal em risco, poderá alertar a equipa do CROA através dos contactos 252 322 235 e 934 037 817, ou enviando mensagem para a página de Facebook e de Instagram do @croafamalicao

DSC_0118.jpg

DSC_0061 (3).jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE PROMOVE SEMANA DO ANIMAL ENTRE 4 E 7 DE OUTUBRO

À semelhança de anos anteriores, o Município de Esposende vai assinalar o Dia Mundial do Animal, que se comemora amanhã, 4 de outubro. Neste sentido, a autarquia vai levar a efeito a Semana do Animal, com atividades entre os dias 4 e 7 de outubro, com o intuito de chamar a atenção para o bem-estar dos animais e de promover a sua adoção responsável.

Semana Animal (3).jpg

Assim, amanhã, Dia Mundial do Animal, a data será assinalada com a inauguração de pontos de água destinados aos animais, ao longo da avenida marginal de Esposende, frente marítima de Apúlia e Ecovia de Fão, disponibilizando, deste modo, este bem essencial em pontos estratégicos, habitualmente procurado para passear animais. O feriado 5 de outubro ficará marcado pela realização de uma cãominhada e uma Feira de Adoção, evento que decorrerá a partir das 10h00, no parque junto às Piscinas Foz do Cávado, em Esposende. Nos dias 6 e 7, com o apoio da Associação AMAR21 (projeto Patinhas) e da Equipa Cinotécnica da Guarda Nacional Republicana (GNR), o Município vai promover atividades de demonstração e sensibilização.

Estas ações integram o Plano Estratégico para o Bem-Estar Animal delineado pelo Município, em articulação com as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da ONU.

No âmbito desta estratégia, no presente ano, o Gabinete de Proteção Animal e Veterinária (GPAV) da Câmara Municipal de Esposende, em associação com o Canil Intermunicipal de Ponte de Lima e com o apoio da ANIESP - Associação Animal de Esposende, já efetuou um total de 146 adoções (101 cães e 45 gatos).

No que concerne à prestação de cuidados médico-veterinários de animais errantes, feridos e atropelados, no mesmo período, o Município e os Bombeiros Voluntários de Fão através do protocolo ‘’SOS Animal’’ prestaram, na totalidade, cuidados a 134 animais.

No âmbito do protocolo CED (Capturar-Esterilizar-Devolver), foram intervencionados 50 animais, medida que tem como objetivo controlar a população felina, sem dono, silvestre ou assilvestrado.

No seguimento da execução do Programa Nacional de Luta e Vigilância Epidemiológica da Raiva Animal e Outras Zoonoses procedeu-se à vacinação de 226 cães e à aplicação de 61 microchips, procedimentos estes obrigatórios por lei (DL nº 313/2003 de 17 de dezembro).

Estes resultados expressam o empenho e atenção que o Município de Esposende tem vindo a dispensar na implementação de medidas de proteção. Neste contexto, igualmente no âmbito do Plano Estratégico para o Bem-Estar Animal e no âmbito das comemorações da Semana do Animal, o Município de Esposende, a título extraordinário e durante o mês de outubro, isentará da taxa de adoção, com o intuito de incentivar a adoção. Assim, durante este período, o Município garante, a título totalmente gratuito, a esterilização/castração, aplicação de microchip, boletim sanitário, vacina antirrábica e desparasitação.

Para qualquer informação sobre adoção ou outro assunto, os interessados deverão contactar o Gabinete de Proteção Animal e Veterinária, através do endereço eletrónico veterinaria@cm-esposende.pt.

O Dia do Animal é celebrado anualmente a 4 de outubro, data que corresponde ao dia de São Francisco de Assis, o santo padroeiro da ecologia e dos animais.

CÂMARA DE FAMALICÃO APRESENTA BRIGADA DE RESGATE ANIMAL NO DIA MUNDIAL DO ANIMAL

Amanhã, terça-feira, pelas 16h00, no Centro de Recolha Oficial de Animais de Famalicão

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão apresenta amanhã, 4 de outubro, Dia Mundial do Animal, a Brigada de Resgaste Animal de Famalicão, uma equipa associada ao CROA - Centro de Recolha Oficial Animal de Famalicão com prontidão de resposta 24 horas por dia, 7 dias por semana, para a recolha de animais abandonados.

A apresentação dos recursos e meios associados a esta equipa acontece às 16h00, no CROA, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos.

Na mesma altura será inaugurada no CROA a «Aldeia dos Gatos», um espaço naturalizado, situado nos jardins do CROA, que servirá para albergar os gatos e fazer face á sobrelotação existente, com as melhores condições de segurança para os pequenos felinos.

O evento terá a presença dos representantes das forças de autoridade e de socorro do concelho, dada a relação de trabalho que existe com a equipa do CROA. Ao longo de todo o dia o CROA estará a funcionar em modo «Casa Aberta», das 10h30 às 18h30, para os interessados em adotar um animal.

CROA (2).jpg

VIEIRA DO MINHO REALIZA CONCURSO NACIONAL DO GARRANO

Animal vencedor pertence a criador arcuense

Vinte e nove animais de raça garrana (19 éguas e 10 garanhões) participaram no Concurso Nacional. Os exemplares são oriundos dos concelhos de Vieira do Minho, Terras de Bouro, Arcos de Valdevez, Viana do Castelo, Cabeceiras de Basto e Póvoa de Varzim.

Na classe das éguas, o animal vencedor pertence ao criador Filipe Morais, do concelho de Vieira do Minho.

Na classe garanhões, o animal vencedor pertence ao criador Alberto Guimarães, do concelho de Arcos de Valdevez.

Foram, ainda, atribuídos prémios aos seis melhores exemplares.

309256261_2529045853903897_6788085669782463759_n.jpg

309349706_2529045733903909_2401800050453110765_n.jpg

309538316_2529046277237188_23335324470703434_n.jpg

309844326_2529046680570481_2754174507745247359_n.jpg

310331398_2529046290570520_4721638440723938388_n.jpg

309049961_2529046273903855_1922334432618703850_n (1).jpg

309161217_2529046550570494_1747436022488900590_n (1).jpg

309545541_2529046527237163_6048898932808046541_n (2).jpg

VIEIRA DO MINHO: FEIRA DA LADRA DEDICA DIA AO GARRANO

Este ano, as festas concelhias de Vieira do Minho, designadas por” Feira da Ladra” vão dedicar um dia ao Cavalo Garrano, uma espécie autóctone da Região. O dia escolhido para homenagear a espécie foi, sábado, dia 1 de Outubro.

garrano (1).jpg

Neste dia, quer vieirenses quer visitantes vão poder assistir a um vasto conjunto de atividades dedicado à Raça Garrana. Assim, pelas 9h30 preceder-se-á à apresentação da Raça Garrana seguindo-se-lhe o concurso Nacional da Raça Garrana. Pelas 14h00 realizam-se as provas de atrelagem e pelas 15h00 as provas de obstáculos. A partir das 16h00 decorrem as corridas a passo travado e as corridas a galope. Às 18h00 acontece o jogo do cabrito.

De referir, ainda que no decorrer do Dia decorre a Exposição Pecuária tão característica destas festividades. Para além de todas estas atividades que dignificam a Raça Garrana, a Feira da Ladra oferece também um excelente cartaz recreativo, com destaque, neste dia para a atuação do grupo musical Resistência.

BARCELOS ESTERILIZA CÃES E GATOS

Campanha de esterilização de cães e gatos

No âmbito do acordo de colaboração entre a Streetdogs e o Município de Barcelos, a associação Streetdogs vai efetuar uma campanha de esterilização de animais, cujo prazo de inscrição decorre entre os dias 1 e 15 de outubro.

Recorde-se que no âmbito do referido protocolo a esterilização é gratuita para os animais cujos donos tenham um rendimento per capita igual ou inferior ao indexante dos apoios sociais, que este ano está fixado nos 443 euros.

Para que possam ser esterilizados, os animais terão que ter microchip registado no Concelho de Barcelos, estar desparasitados, e os cães terão que possuir vacina antirrábica.

Para inscrições e mais informações deve ser consultado o site www.streetdogs.pt.

Campanha Esterilização (1).jpg

PAN DEFENDE O FIM DA UTILIZAÇÃO DE ANIMAIS EM VEÍCULOS DE TRAÇÃO

O Pessoas-Animais-Natureza (PAN) vai dar hoje entrada no Parlamento de uma iniciativa que pretende interditar a utilização de animais como meio de tração de veículos, em Portugal.

“A nossa proposta pretende pôr fim ao uso de animais como meio de tração de veículos de passageiros ou carga e ao sofrimento que tal acarreta, sejam os usados para fins turísticos, lúdicos, de trabalho, de transporte pessoal ou agrícolas. Em causa estão não só questões óbvias de bem-estar animal, que não podem continuar a ser ignoradas mas também socioeconómicas”, afirma a porta-voz e deputada do PAN, Inês de Sousa Real.

Apesar da crescente sensibilidade social, em Portugal ainda é permitido que os animais sejam forçados a puxar charretes para fins lúdicos ou de trabalho, sendo sujeitos a esforços decorrentes de ter de puxar o peso da charrete, dos passageiros transportados, bem como à sinuosidade das vias, à exposição durante longas horas a temperaturas elevadas ou até a acidentes. Inês de Sousa Real lembra, por exemplo, o recente acidente em Sintra ou na procissão em Lamego, “em que inusitadamente um cavalo caiu dentro de um contentor, tendo de ser retirado com recurso a uma grua ou bovinos que foram forçados a puxar andores extremamente pesados, durante horas em subidas e descidas pela cidade de Lamego, a maior parte do percurso de olhos vendados e ainda sujeitos a vergastadas, o que viola não só a Lei de Proteção Animal em vigor, como as normas previstas no Código Civil decorrentes do Estatuto Jurídico próprio dos Animais.”.

Sucede ainda que, ao contrário do que se verifica noutras atividades que envolvem animais e quanto aos demais veículos que circulam nas estradas, os veículos de tração animal não estão homologados, sinalizados ou mesmo segurados para circular na via pública. “Esta situação põe não só em causa o bem-estar animal como a própria segurança rodoviária, representando, por isso, um perigo para os outros condutores, para os próprios condutores dos veículos de tração animal e seus ocupantes, bem como para os animais que os puxam, normalmente equídeos, asininos ou muares”, alerta.

A iniciativa do PAN estabelece uma moratória de um ano, durante a qual a circulação destes veículos é apenas impedida em dias em que se verifiquem fenómenos meteorológicos adversos, pelas consequências que os mesmos têm na saúde e bem-estar dos animais. Além disso, o PAN prevê ainda a disponibilização de verbas financeiras para apoiar a reconversão do recurso a veículos de tração animal por veículos elétricos, como modo alternativo de transporte, com vista a colmatar as situações de vulnerabilidade social, que estão algumas das vezes associadas ao uso dos animais como meio de tração, ao invés do recurso a veículos, por exemplo, elétricos.

“Desta forma, pretendemos, promover, de forma gradual, a reconversão deste modo de transporte por veículos elétricos, a qual não é  só  possível, como será inevitável a prazo, não existindo a necessidade, de numa sociedade moderna, mantermos a utilização de animais em funções que não lhes são naturais, que lhes causam sofrimento e risco de lesões e que a evolução tecnológica veio tornar obsoleta”, remata Inês de Sousa Real.

PAN ENVIA SUGESTÕES PARA REGULAMENTO DO ARVOREDO URBANO DE FAMALICÃO

A Comissão Política Concelhia do PAN Famalicão enviou várias sugestões e alterações ao projeto de Regulamento do Arvoredo Urbano de Famalicão.Este regulamento, que carece de aprovação na Assembleia Municipal, decorre de um projeto de lei apresentado pelo PAN na Assembleia da República e deveria estar publicado até 18 de agosto, algo que não está cumprido. “Em abril questionamos o executivo sobre este regulamento, atendendo à elevada importância da elaboração do mesmo” lembra Sandra Pimenta, porta-voz da concelhia, acrescentando que “as questões relacionadas com o ambiente e as alterações climáticas devem ocupar um lugar cimeiro nas preocupações das sociedades contemporâneas e, com elas, é imperioso que sejam implementadas medidas necessárias e adequadas à sua mitigação, sendo o património arbóreo uma peça fundamental nesta matéria.”

Das propostas sugeridas o partido destaca a introdução da possibilidade do pedido de classificação de arvoredo de interesse municipal ser realizado por qualquer cidadão ou associação, ao invés dessa iniciativa ficar exclusivamente nas mãos do executivo, dando assim cumprimento ao princípio da informação e da participação, que promove o envolvimento dos cidadãos e das cidadãs no desenvolvimento de políticas ambientais e o acompanhamento da concretização dessas políticas.

Também o levantamento de materiais que impeçam a permeabilização do solo nas caldeiras, espaços verdes, jardins ou outros existentes no concelho e a utilização de produtos biológicos no tratamento fitossanitário, são medidas considerada no documento enviado.No caso de terrenos privados a concelhia sugeriu que seja garantido aconselhamento técnico, formação a todos os proprietários que tenham o dever especial de  preservar, tratar e gerir, espécies ou áreas de interesse, por forma a evitar a degradação ou destruição dos mesmos. Ao que acrescem apoios financeiros em caso de comprovada insuficiência económica.

Relativamente aos critérios gerais de classificação de arvoredo de Interesse Municipal, o partido considera relevante que se atenda a fatores como o  valor ecológico e ambiental; a manutenção da qualidade do ar ou a conservação da biodiversidade, indo mais além que apenas o porte ou idade dos exemplares.

Para Sandra Pimenta será relevante a criação de um fundo ambiental com vista a arrecadar o produto das possíveis coimas, além de outras verbas municipais, e que “deverá ser utilizado na conservação, proteção e aumento do património ambiental do município.”

Para finalizar a concelhia lamenta que a falta de sensibilidade com o bem-estar animal leve a classificar como mais grave o ato de quem retira uma folha de uma árvore do que o ato de retirar ninhos ou mexer nas aves ou nos ovos que neles se encontrem, assim como em momento algum as situações de emergência tivessem em conta a salvaguarda da vida dos animais.