Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ APOIA CIDADÃOS QUE ESTERILIZEM OS ANIMAIS DE COMPANHIA

O Município de Arcos de Valdevez, de acordo com a sua estratégia de política de bem-estar animal no combate ao abandono e sobrepopulação de animais errantes, está a promover um Programa Extraordinário de Apoio à esterilização de animais de companhia, cães e gatos, pertencentes a munícipes do Concelho, de 15 de setembro a 23 de novembro.

Campanha de Apoio à esterilização.jpg

Para aceder a este apoio basta efetuar a candidatura no Gabinete de Ação Social, sito na Praça Municipal, com a apresentação da seguinte documentação:

- Declaração do Médico Veterinário responsável com indicação da data da esterilização;

- Documento comprovativo da identificação eletrónica do animal (DIAC) com indicação da data de esterilização;

- Comprovativo de residência do requerente no Concelho de Arcos de Valdevez;

- Comprovativo de IBAN.

As esterilizações podem ser realizadas em qualquer centro veterinário à escolha, sendo que do valor pago o município comparticipa em:

- 55€ para esterilização de cadelas;

- 30€ para esterilização de cães;

- 35€ para esterilização de gatas;

- 15€ para esterilização de gatos.

Para além deste programa de apoio extraordinário, o Município de Arcos de Valdevez, tal como em anos anteriores, está a desenvolver uma campanha de apoio a munícipes carenciados oferecendo a esterilização dos seus animais. Esta oferta também é válida para todos os animais errantes do concelho, sinalizados pelos serviços municipais e que sejam adotados responsavelmente.

Campanha de Apoio à esterilização 1.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA APOIA A ESTERILIZAÇÃO DE ANIMAIS DE COMPANHIA

Integrado no programa Vizela ProAnimal e no seguimento da reestruturação em curso do setor veterinário municipal, a Câmara Municipal de Vizela promove, de 23 de setembro até 23 de novembro, a Campanha de Esterilização de Animais de Companhia.

Apesar das campanhas contra o abandono e dos incentivos à adoção de animais errantes do Abrigo Municipal de Vizela e da campanha em curso de Esterilização Solidária Gratuita, os custos associados aos atos médico veterinários, nomeadamente esterilização, podem inibir o recurso à prestação dos ditos cuidados e em último caso, inibir a cirurgia de esterilização pelos detentores.

Assim, o Município de Vizela está sensível e pró-ativo nas questões do bem-estar animal, saúde animal e saúde pública, não estando alheio às dificuldades sentidas pela população, tendo preparado este programa adicional dirigido a todos os munícipes individuais e associações para controlo da população de canídeos e felídeos.

Esta Campanha de Apoio à Esterilização pressupõe o reembolso financeiro a todos os munícipes, individuais e associações do concelho de Vizela que se candidatem e realizem ou tenham realizado esterilizações aos seus animais de companhia nos seus Centros de Atendimento Médico-Veterinários assistentes, entre o período de 23 de setembro a 23 de novembro de 2020, de acordo com o seguinte valor:

  • Gato macho: 15 euros
  • Cão macho: 30 euros
  • Gata: 35 euros
  • Cadela: 55 euros

 Documentos a juntar à candidatura: 

- Comprovativo de residência em Vizela;

- DIAC do animal atualizado;

- Declaração de esterilização emitida pelo MV executante com a data da esterilização;

- Número de Identificação Bancária.

A candidatura pode ser formulada no site www.cm-vizela.pt, balcão atendimento único e através do email vizelaproanimal@cm-vizela.pt.

Esta medida vem no seguimento da reestruturação em curso do setor veterinário municipal, e da implementação do programa Vizela ProAnimal, um plano integrado para este setor que a Câmara Municipal se encontra a desenvolver no sentido de estruturar, dinamizar e dignificar as políticas municipais relativas aos animais errantes.

O objetivo deste Executivo passa assim por colocar Vizela na primeira linha das autarquias no que toca às políticas municipais relativas aos animais errantes, em contraponto com o que acontecia até agora, em que se verificava uma total ausência de estratégia nesta matéria.

Campanha_esterilização.jpg

PAN QUER CRIAR UNIDADE DE SALVAÇÃO E RESGATE ANIMAL

O PAN - Pessoas -Animais-Natureza leva a debate na Assembleia da República, na próxima quinta-feira, 17 de setembro a partir das 15h00, um projeto de lei que visa criar uma unidade especial de salvação e resgate animal.

Com a presente iniciativa, o PAN pretende assegurar a existência de uma força de resgate, socorro e assistência a animais em áreas afetadas por acidente grave ou catástrofe, cuja composição e organização interna deverá integrar licenciados em Medicina Veterinária, licenciados em Engenharia Zootécnica e licenciados em enfermagem veterinária, assim como outros especialistas que se considerem pertinentes para o efeito.

Esta iniciativa tem ainda o objetivo de proceder à reformulação da estrutura da Proteção Civil, com a respetiva integração de médicos-veterinários municipais e ou ao serviço do município como agentes de proteção civil, criando para tal equipas de salvação e resgate animal que permitam uma resposta em tempo útil. Por último, pretende-se ainda incluir nos planos de emergência de proteção civil orientações aplicáveis ao resgate, socorro e assistência de animais.

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE CAMPANHAS DE APOIO A ANIMAIS DE COMPANHIA

O Município de Arcos de Valdevez, de acordo com a sua estratégia de política de bem-estar animal no combate ao abandono e sobrepopulação de animais errantes, está a promover um Programa Extraordinário de Apoio à esterilização de animais de companhia, cães e gatos, pertencentes a munícipes do Concelho, de 15 de setembro a 23 de novembro.

Vacinação_Cães.jpg

Para aceder a este apoio basta efetuar a candidatura no Gabinete de Ação Social do Município.

Para além deste programa de apoio extraordinário, o Município de Arcos de Valdevez, tal como em anos anteriores, retomou a campanha de vacinação antirrábica e de identificação eletrónica de cães.

A campanha de vacinação antirrábica e identificação eletrónica decorre, para residentes do concelho, em diferentes locais de Arcos de Valdevez, conforme o calendário estabelecido.

A vacinação antirrábica é obrigatória para todos os cães com três meses ou mais de idade, devendo ser vacinados todos os anos, procedendo também ao seu registo na Junta de Freguesia da área de residência.

As entradas nos locais de vacinação são sujeitas ao cumprimento das regras impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nomeadamente o uso obrigatório de máscara, o cumprimento das regras de etiqueta respiratória e de distanciamento social.

Para mais esclarecimentos, os interessados devem contactar o Gabinete da Veterinária Municipal através do número de telefone 258 520 500 ou do email smfalcao@cmav.pt e verificar o calendário do serviço.

Campanha de Apoio à esterilização 1.jpg

PAN ALERTA PARA INCUMPRIMENTO DA DIRECTIVA COMUNITÁRIA EM MATÉRIA DE EXPERIMENTAÇÃO COM ANIMAIS

O Grupo Parlamentar do PAN – Pessoas-Animais-Natureza pretende que o Governo venha prestar esclarecimentos sobre projetos que recorrem a experimentação com animais, com recurso a opções que podem estar em incumprimento com a diretiva comunitária, bem como da lei transposta para o território nacional.

Em causa está, entre outros aspetos,  o facto de não estarem a ser cumpridas as seguintes disposições da Diretiva Europeia 63/2010/EU, relativa à proteção dos animais utilizados para fins científicos, a qual assume a existência de um limite ético para a dor, sofrimento e stress, propondo assim a proibição de procedimentos científicos que sejam passíveis de causar dor severa e prolongada que não possa ser alvo de mitigação e alívio. A diretiva reforça ainda, com particular preocupação, a necessidade de “ser evitada a duplicação desnecessária de ensaios e de estudos”.

Em paralelo, são vários os relatos de estudantes e investigadores que veem com preocupação a forma como decorre a investigação com recurso a animais em Portugal, considerando igualmente que não estão a ser cumpridas as orientações da diretiva comunitária nem a lei transposta para o território nacional. Nesse sentido, o PAN sustenta que continuam a haver diversas lacunas na implementação desta lei, com uma ausente fiscalização dos procedimentos depois de aprovados. Inclusivamente, estarão a decorrer projetos de investigação que, mesmo não tendo tido a aprovação da entidade responsável, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, avançaram com os procedimentos que implicam a utilização de animais.

AMARES ENVOLVE JOVENS NO PROJETO PELOS ANIMAIS E A COMUNIDADE

“Eco canil – Espaço Circular” envolveu grupo de voluntários jovens em prol dos animais e da comunidade

O presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, e do Diretor Regional do Norte do IPDJ, Vítor Dias, assinalaram, no passado dia 7 de agosto, o encerramento Programa de Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas do IPDJ promovido pela própria autarquia em articulação com a Junta de Freguesia de Dornelas. Ao longo de uma quinzena do mês de julho, 8 jovens voluntários estiveram envolvidos num conjunto de atividades, dinamizando o “Eco canil – Espaço Circular”, em Dornelas, o primeiro canil ecológico de Portugal.

IMG_5525.jpg

A demarcação de um trilho para passear animais, um dia aberto à comunidade para dar conhecer o espaço, ações de reflorestação e plantação de ervas aromáticas e caminhadas caninas foram algumas das iniciativas levadas a cabo pelo grupo de jovens. 

Manuel Moreira enaltece voluntariado como um “dom”

Na sessão de encerramento, o presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, congratulou-se pelo dinamismo e entusiasmo demonstrado pelos jovens voluntários que, na sua opinião, fizeram um “excelente trabalho”. “Esta foi uma candidatura muito importante para o concelho de Amares. Estou muito grato a todos vocês pelo vosso trabalho. Quem cá vier vê a alegria dos animais e das pessoas e essa é também uma das razões pelas quais vamos continuar com este tipo de iniciativas. É muito nobre dar um pouco de nós a estas iniciativas”, referiu Manuel Moreira que considera que o voluntariado é “um dom”.

Trabalho desenvolvido em prol da comunidade

Também o Director Regional do Norte do IPDJ, Vítor Dias, deixou uma palavra de apreço aos jovens, destacando os resultados do programa. “Uma palavra para os jovens, que deram um pouco do seu tempo, das suas férias para trabalhar em prol da comunidade, da melhoria da qualidade de vida das pessoas e dos animais”.

Lembrando que o IPDJ tem vários programas que as entidades podem e devem aproveitar e que privilegiam sempre aqueles em que sabem que o resultado vai ser positivo, uma mais-valia para a comunidade, Vítor Dias disse que é precisamente isso que tem acontecido em Amares. “Este projeto junta duas coisas, a parte ambiental e a dos animais, pois hoje temos de ver o espaço público nesta perspetiva, como algo abrangente, global e que interessa a todos. Tem sido um programa que tem tido resultados muito interessantes”, conclui.

Dornelas contente por acolher estes projetos

Para finalizar, o presidente da Junta da Freguesia de Dornelas, António Paredes, agradeceu a participação e emprenho dos voluntários. “Muito obrigado a todos. É uma iniciativa muito interessante e temos todo o prazer de receber estes projetos. Tanto para o concelho como para a freguesia é algo ótimo, aproveitando assim para usufruir das condições para receber os animais que agora aqui temos”.

Calendário solidário e novo programa marcado para 17 de agosto

Um dos resultados finais deste programa de voluntariado foi a criação de um calendário solidário alusivo ao Eco Canil, que conta com fotos dos voluntários com o seu respetivo afilhado (amigo de quatro patas) ou então outras fotos representativas deste período.

Todos aqueles que, a partir de agora, procederem à doação de comida/ração para os animais vão ser brindados com a oferta de um exemplar dos respetivos calendários como forma de agradecimento.

O Programa de Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas do IPDJ já tem marcado uma nova edição, de 17 a 31 de agosto, para dar continuidade aos projetos já desenvolvidos e realizar, ainda, novas atividades.

IMG_5577 (1).jpg

PAN QUESTIONA MUNICÍPIO DE FAMALICÃO SOBRE FUNCIONAMENTO DE SUINICULTURA EM FRADELOS

A Comissão Política Concelhia do PAN – Pessoas-Animais-Natureza em Famalicão, solicitou esclarecimentos à Câmara Municipal sobre a atividade danosa associada à exploração suinícola de Fradelos, esta que procede a uma contínua emissão de cheiros intensos que colocam em causa o bem-estar da população.

animal-1867180_960_720.jpg

Este caso, que remonta a 2016, agravou-se nos últimos dois anos e constitui por si só um incumprimento do Decreto-Lei nº 81/2013 de 14 de junho, uma vez que: “O produtor deve orientar a sua atividade de forma equilibrada, adotando medidas de prevenção e controlo no sentido de eliminar ou reduzir os riscos suscetíveis de afetar pessoas, animais, bens e ambiente, no respeito pelas normas de bem-estar animal, na defesa sanitária dos efetivos e das populações animais e na prevenção de risco de saúde pública e para o ambiente.”

O PAN tem acompanhado este processo e já procedeu a várias diligências a nível parlamentar, seja através de perguntas ao Governo, seja em sede de comissão de especialidade. Agora a estrutura local do partido em Famalicão questiona a Câmara Municipal, no âmbito das suas competências locais, de forma a averiguar que procedimentos institucionais foram iniciados, garantindo que esta situação seja definitivamente resolvida.

“As condições em que nos encontramos atualmente, decorrentes do confinamento, provocaram um acréscimo de problemas no quotidiano de todos nós e especialmente dos Fradelenses, que se viram obrigados a viverem como se dentro de uma pocilga se encontrassem.” refere Sandra Pimenta, acrescentando que “estamos completamente solidários com estes cidadãos, já o reiteramos e voltamos a fazer, é incompreensível que passados estes anos ainda não se tenha resolvido este caso. Assim, solicitamos esclarecimentos à Câmara Municipal, pois esta como entidade competente territorialmente, tem ela própria meios de iniciar processos de denúncia.”

O PAN Famalicão considera desadequada a decisão da Câmara Municipal em licenciar um pavilhão para aumento de produção sem as devidas declarações legais. “Queremos ter uma  resposta urgente, nomeadamente sobre se a Câmara solicitou pareceres às entidades  competentes de forma a garantir que esse aumento não colocaria em causa a qualidade de vida das populações.” reforça a porta voz.

Paralelamente, o PAN quer ver esclarecido por parte da Câmara que medidas foram tomadas por esta no seguimento das queixas apresentadas pelos cidadãos; se em algum momento, foi solicitado às entidades competentes em matéria de fiscalização a adoção de medidas a impor ao produtor para prevenir riscos e inconvenientes suscetíveis de afetar as pessoas e os bens, as condições de trabalho e o ambiente, bem como as normas de bem-estar ou as condições higiossanitárias dos animais, assim como, importa também ver esclarecido se a Câmara Municipal, solicitou junto das restantes entidades uma ação de controlo com vista à realização de ação conjunta, de forma a garantir a resolução dos incumprimentos.

CELORICO DE BASTO CONSTRÓI CENTRO DE RECOLHA OFICIAL DE ANIMAIS DE COMPANHIA

Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia em fase de construção em Celorico de Basto. Obras decorrem a ritmo acelerado, com um investimento superior a 100 000 euros

Com esta obra, o Município pretende dotar o concelho de um centro de recolha moderno, com todas as condições para o acolhimento e bem-estar dos animais de companhia.

cameliass (2).jpg

“Este CRO pretende fomentar o bem-estar animal, promovendo a defesa da saúde animal e da saúde pública, e em simultâneo, assegurar maior segurança e tranquilidade das populações. Ao mesmo tempo, este Centro de Recolha irá contribuir para a sensibilização e consciencialização dos cidadãos para os direitos dos animais” disse Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto. O autarca referiu ainda que as obras estão a decorrer a bom ritmo prevendo-se a sua conclusão antes do final deste ano. 

O Centro de Recolha de Animais contará com um bloco cirúrgico para esterilização de cães e gatos, sala de enfermagem independente para tratamento e acompanhamento clínico dos animais alojados, zonas de exercício e sociabilização e área de tosquia e higienização são valências contempladas. É de ressalvar que o centro terá as condições devidas para acolher, sempre que necessário, outras espécies animais.

Esta obra tem parecer favorável da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e foi adjudicada por 101 161,10€. Conta com um apoio de 43 782,24€, financiada por Orçamento de Estado, através de um contrato-programa assinado entre o Município de Celorico de Basto, a Direção-Geral das Autarquias Locais e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

cameliass (1).jpg

ESPOSENDE VAI TER CENTRO DE RECOLHA ANIMAL

Plano Estratégico Municipal para o Bem-Estar Animal: Município prepara instalação de um Centro de Recolha Animal em Esposende

O Município de Esposende vai avançar com a implementação no concelho de um Centro de Recolha Oficial (CRO) de animais, estando já a preparar os procedimentos do processo.

praia caesa.jpg

O equipamento, previsto no Plano Estratégico Municipal para o Bem-Estar Animal, permitirá dar cumprimento à legislação referente à proibição do abate de animais errantes como forma de controlo, permitindo a sua recolha, o estabelecimento de apoio clínico, identificação e esterilização e providenciando as melhores condições de vida possíveis até a sua adoção.

Nos últimos anos, verificou-se uma mudança de paradigma no que toca à proteção e bem-estar dos animais, em particular no que se refere aos animais de companhia. As alterações legislativas registadas são disso um claro reflexo, nomeadamente no que se refere às competências do Estado e, em particular, das autarquias locais, que são agora desafiadas a assumir uma posição de garante do bem-estar dos animais.

Neste intuito, e dando cumprimento aos compromissos assumidos em 2018 no âmbito do Plano Estratégico Municipal para o Bem-Estar Animal, o Município tem vindo a desenvolver um amplo conjunto de ações e projetos. Entre estes conta-se o estabelecimento de parcerias e protocolos com a ANIESP - Associação Animal de Esposende, os Bombeiros Voluntários de Fão, as Clínicas Veterinárias concelhias, a Ordem dos Veterinários e a MIACIS - Proteção e Integração Animal, que têm permitido a implementação de um vasto trabalho no âmbito da sensibilização de toda a comunidade, do socorro animal, da adoção de animais abandonados e, ainda, de campanhas de identificação, vacinação e esterilização. Em resultado do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao nível da promoção da adoção, já foi concretizada, só este ano, a adoção responsável de 92 animais de companhia, o que demonstra a crescente consciência e sensibilização da população relativamente a esta temática.

Para além da criação de WCs caninos, foram também instalados, em todo o concelho, dispensadores de sacos de recolha de dejetos caninos associados às papeleiras urbanas nas principais áreas de circulação de pessoas com animais de companhia. É da maior importância que toda a comunidade utilize estes recursos e colabore, assim, na promoção de melhores condições de salubridade do espaço público.

Uma outra Iniciativa que visa a promoção da interação dos cães com o seu detentor, promovendo igualmente o convívio com outros animais, foi a criação das Praias para Cães. Agora em época balnear, todos poderão usufruir da companhia dos seus amigos patudos enquanto desfrutam da praia da Ramalha Sul, em Apúlia, e a norte de Suave Mar. Este projeto tem também forte impacto ambiental e de saúde pública, uma vez que evita o acesso dos animais com detentor a zonas concessionadas.

Em perspetiva está também a implementação de projetos de terapia assistida por cães e a criação de um Parque de Agility, prevendo-se, ainda, outras iniciativas ao nível da implementação do Plano Municipal de Bem-Estar Animal.

DSC_0031a.JPG

praia_caes.jpg

BEA.jpg

CAMINHA: PAPEL DO CONHECIMENTO E DOS ANIMAIS DE TRABALHO DESTACADOS NA GESTÃO E CONSERVAÇÃO DAS ÁREAS DE ELEVADO VALOR NATURAL

Jornadas focaram o cordão dunar e a Mata Nacional do Camarido

A gestão e conservação de áreas de elevado valor natural, com o foco no cordão dunar e a na Mata Nacional do Camarido foi tema das Jornadas realizadas este sábado, por iniciativa conjunta da APTRAN - Associação Portuguesa de Tracção Animal, Município de Caminha e Amigos da Rede de Bibliotecas de Caminha.

Jornadas 5.jpg

O auditório da Biblioteca Municipal de Caminha acolheu os trabalhos no período da manhã. O presidente da Câmara Municipal de Caminha abriu as jornadas. Miguel Alves destacou que existem desde logo três formas de olhar para o território, qualquer delas pouco ou nada válida por si só. Por um lado, os fundamentalistas, que defendem que nada deve ser feito; e o seu oposto, quem pretende a exploração ao máximo dos recursos sem olhar à sustentabilidade. Por fim, “os especialistas” das redes sociais, que defendem tudo e o seu contrário. O verdadeiro debate tem de ser feito com especialistas a sério e foi isso que aconteceu. Hélia Marchante, numa palestra on-line, explicou e ilustrou profusamente o tema das “Plantas invasoras nos sistemas dunares: seus impactes e desafios para a conservação”.

A professora na Escola Superior Agrária de Coimbra e investigadora no Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra distinguiu os vários tipos de espécies e mostrou as que existem no concelho, acabando por concluir que, apesar de não existirem espécies más por natureza, as espécies exóticas invasoras são uma das principais causas da perda da biodiversidade a nível global.

A especialista também apresentou respostas, nomeadamente o controlo natural (por exemplo através dos insetos), o correto e profundo conhecimento das espécies e o ajustamento constante dos métodos de controlo. Além, disso, defendeu, é sempre necessário garantir a continuidade do controlo inicial, fazer uma gestão adaptativa, apostar nas espécies nativas, evitar a perturbação do meio e a facilitação, e finalmente destacou a importância da prevenção e da deteção precoce dos problemas, contando com todos, com os cidadãos, que podem e devem participar nesta defesa do ambiente, fornecendo informação do território, que pode ser captada através de um simples telemóvel.  Hélia Marchante mostrou por diversas vezes o site https://invasoras.pt/, onde se encontra muita informação disponível.

“O potencial da tracção animal na gestão florestal sustentável” foi o tema seguinte, desenvolvido por João Brandão Rodrigues, presidente da Associação Portuguesa de Tracção Animal. O responsável utilizou dados oficiais, da FAO, para mostrar desde logo a importância atual dos animais neste âmbito. Por exemplo, segundo aquele organismo, existem 300 milhões de animais de trabalho no mundo, dos quais 112 milhões são equídeos (cavalos, burros e híbridos). Frisou também que 300 a 500 milhões de pessoas no mundo dependem dos animais de trabalho.

É todo um universo desconhecido para muitos, que João Brandão Rodrigues expôs e ilustrou profusamente, trazendo à Biblioteca de Caminha exemplos de todo o mundo. A égua Lola, que seria a protagonista dos trabalhos na parte da tarde e já no exterior, foi um exemplo apresentado também pelo especialista, enquanto “parceira” do trabalho da Associação, atuando na demostração prática. 

Ainda durante o período da manhã realizou-se uma mesa redonda, com o tema “Desafios na gestão de áreas de alto valor natural., com Vilma Silva, da empresa Território XXI, como  moderadora, com as intervenções dos dois palestrantes - Hélia Marchante e João Brandão Rodrigues, a que se juntaram Emanuel Oliveira (técnico consultor na área dos Fogos Florestais) e Rui Batista, do ICNF.

Na parte da tarde, na praia, houve uma demonstração focada no potencial uso da tração animal na gestão de áreas de elevado valor natural, como o cordão dunar.

Jornadas 2.jpg

Jornadas 3.jpg

Jornadas 4.jpg

Jornadas 6.jpg

Jornadas 7.jpg

Jornadas 8.jpg

Jornadas 1.jpg

MUNICÍPIO DE VIEIRA DO MINHO DOOU RAÇÕES AO CANIL

Associação Patinhas Abandonada (APAV) recebeu, esta manhã,  a doação de 900 kg de ração por parte do Município de Vieira do Minho.

108851400_1136297903407164_889726145940830314_n.jpg

Esta oferta traduz a preocupação do Município para com a Associação que trata dos animais abandonados, que também estão a sofrer os efeitos negativos provocados pela COVID – 19.

Para além desta oferta, o Município de Vieira do Minho tem com a Associação um protocolo anual de colaboração financeira no valor de 9 mil euros, pago em doze prestações, para apoio ao seu plano anual de atividades. O protocolo destina-se a apoiar a associação no que diz respeito ao acolhimento de canídeos e felídeos errantes nas suas instalações.

O presidente da Câmara agradece o esforço que a Associação Patinhas Abandonadas tem realizado em prol do bem-estar dos animais, em especial neste contexto de pandemia.

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA PROMOVE CAMPANHA MUNICIPAL GRATUITA DE ESTERILIZAÇÃO SOLIDÁRIA

Integrado no programa Vizela ProAnimal e no seguimento da reestruturação em curso do setor veterinário municipal, a Câmara Municipal de Vizela promove, a partir do próximo dia 15 de julho, a Campanha Municipal de Esterilização Solidária.

Vizela ProAnimal (1).jpg

No âmbito do “Vizela ProAnimal”, pretende a Câmara Municipal desenvolver incentivos à esterilização de animais de companhia, uma medida de fulcral importância para o controlo do crescimento populacional animal desmedido em meio urbano, e, como consequência, para a profilaxia sanitária e aumento da qualidade de vida e da longevidade animal. O apoio à esterilização de animais de companhia constitui uma ferramenta fundamental no controlo da atividade deambulatória animal descontrolada e, como tal, uma medida de combate ao número excessivo de animais errantes.

Esta campanha resulta da adesão da Câmara de Vizela ao Programa Cheque Veterinário, que promove a articulação entre os Municípios e os CAMV’s aderentes, sob coordenação da Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) e que permitirá iniciar a execução das esterilizações dos animais “em risco” – errantes, de famílias carenciadas e colónias municipais de gatos –, até que esteja concluído o futuro Centro de Recolha de animais errantes, que incorporará uma sala de cirurgias para o efeito. 

Assim, os munícipes que se encontrem em situação de comprovada carência económica e tiverem um cão ou um gato que queiram esterilizar, a Câmara Municipal atribui cheques de esterilização (Cheque Veterinário), podendo os seus detentores usufruir da esterilização dos seus animais, de forma gratuita, através da entrega dos referidos cheques, em CAMV’s aderentes ao projecto. Todas as informações estão disponíveis nos serviços municipais ou através do email vizelaproanimal@cm-vizela.pt.

De realçar que, desde que este Executivo tomou posse, a Câmara Municipal de Vizela entregou uma maior atenção a esta matéria, que foi completamente descurada nos mandatos anteriores, mas que é, sem dúvida, uma situação preocupante de preservação do bem-estar animal.

O objetivo deste Executivo passa assim por colocar Vizela na primeira linha das autarquias no que toca às políticas municipais relativas aos animais errantes, em contraponto com o que acontecia até agora nesta matéria.

MUNICÍPIO DE BARCELOS CRIA ABRIGOS PARA CONTROLAR COLÓNIAS DE GATOS

São dois os novos abrigos criados para acolher os gatos abandonados no concelho de Barcelos, com o objetivo de controlar esta população e garantir o bem-estar animal. Esta medida, que facilita a captura dos gatos para esterilização e integra a política do Município de controlo das colónias de gatos existentes, faz parte do acordo de colaboração entre o Município de Barcelos e a Strettdogs - Associação de Proteção Animal.

Abrigo_EMEC.JPG

O acordo prevê que o Município de Barcelos cumpra os objetivos de aplicação de um programa de esterilização para animais errantes, de programas de captura, esterilização e devolução de gatos silvestres e assilvestrados aos locais de origem, vulgarmente designados por Programas CED (capturar, esterilizar e devolver), e, desta forma, controlar as colónias de gatos e reduzir a população felina silvestre, através de um método ético e eficaz.

Assim, na passada sexta-feira, 11 de julho, o Município inaugurou dois abrigos para colónias de gatos, um projeto-piloto integrado na estratégia de controlo de gatos errantes, que vão permitir alimentá-los com qualidade e executar a política de controlo através das medidas sanitárias, para que esta população não cresça desmesuradamente.

Estes abrigos situam-se em áreas devidamente especificadas e que não ponham em causa a salubridade, a saúde pública e a segurança de pessoas, animais e bens.

Cada colónia terá um conjunto de responsáveis, que irão zelar pela qualidade do bem-estar animal. O primeiro abrigo situa-se na EMEC e tem como responsável a cuidadora Emília Gonçalves; o segundo abrigo situa-se na Rua Silva Vieira (Quinta do Aparício) e tem como responsável o cuidador João Pedro Ferreira, ambos voluntários na Streetdogs.

Em resultado da parceria entre o Município de Barcelos e a Streetdogs, até 30 de julho, foram esterilizados 166 gatos adultos, retirados de colónias e encaminhados para adoção cinco gatos adultos e vinte e um gatos bebés.

Abrigo_Rua Silva Vieira.JPG