Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUNICÍPIO DE VIEIRA DO MINHO ENTREGOU 500 KG DE RAÇÃO AO CANIL

O Município de Vieira do Minho entregou, hoje, 500 kg de ração à Associação Patinhas Abandonadas, que gere o canil local.

DSC_7010.JPG

Esta oferta traduz a preocupação do Município para com a Associação que trata dos animais abandonados, e que também estão a sofrer os efeitos negativos provocados pela Covid-19.

O presidente da Câmara, António Cardoso, deslocou-se esta manhã ao canil para se inteirar das intervenções que necessitam ser realizadas nesta estrutura, por forma a melhorar as condições dos animais.

Refira-se, ainda que para além destas ajudas, o Município de Vieira do Minho tem com a Associação um protocolo anual de colaboração financeira no valor de 9 mil euros, para apoio ao seu plano anual de atividades. O protocolo destina-se a apoiar a associação no que diz respeito ao acolhimento de canídeos e felídeos errantes nas suas instalações.

VACA “PISCA” É IMAGEM DE MARCA DO MINHO – FOTOS DE JOSÉ MARIA PYRRAIT

A vaca de raça barrosã – no Minho vulgarmente conhecida por “pisca” – constitui uma espécie de bovinos que se tornou emblemática da nossa região, muito embora também exista a minhota ou galega como espécie autóctone.

PNPGeresPyrrait (134).jpeg

Dócil mas robusta e corpulenta, com a sua grande barbela e os enormes chifres que a distinguem de outras raças, tem na região da Peneda, do Gerês e do planalto do Barroso o seu habitat de origem, tendo-se disseminado pelo Minho inteiro a partir das feiras de Cabeceiras de Basto e outros concelhos em redor.

A ela deve o agricultor a produção do leite e, após o abate, a carne e o couro. E, ainda, graças à sua imensa força e pujança, a possibilidade de conduzir o carro de bois por leiras e veredas em encostas íngremes onde jamais se atreveria com o tractor, algo inimaginável para aqueles que, a partir dos gabinetes do poder, tentam decidir acerca do país real os mais ínfimos pormenores baseados nas suas crenças ideológicas.

A sua domesticação – do gado bovino, bem entendido! – remonta há mais de 6 mil anos com origem na Europa e Ásia, acreditando-se que as raças existentes entre nós tenham origem no auroque ou “Bos primigenius”, uma espécie extinta em meados do século XVII.

PNPGeresPyrrait (135).jpeg

PNPGeresPyrrait (136).jpeg

PNPGeresPyrrait (137).jpeg

PNPGeresPyrrait (138).jpeg

CAVALO GARRANO É RAÇA AUTÓCTONE DO MINHO QUE URGE PRESERVAR! – FOTOS DE JOSÉ MARIA PYRRAIT

Nas montanhas do Minho, desde o Gerês à Serra d’Arga, de Ponte de Lima a Paredes de Coura, no Soajo e na Cabreira, o cavalo de raça garrana é criado em liberdade e a sua espécie constitui um património da nossa região que importa proteger.

PNPGeresPyrrait (7).jpeg

De cor acastanhada e crinas pretas, trata-se de uma das mais antigas raças de equídeos domesticadas pelo Homem, constitui um animal bastante resistente às intempéries e escassez de alimento, sendo a montanha o seu habitat natural. Dele descende o “baixadeiro brasileiro”, assim designado por ser criado no Maranhão, muito provavelmente resultante do cruzamento dos garranos levados pelos portugueses com o cavalo berbere.

PNPGeresPyrrait (39).jpeg

PNPGeresPyrrait (45).jpeg

PNPGeresPyrrait (62).jpeg

CÂMARA MUNICIPAL DE BARCELOS ADJUDICA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO CANIL E GATIL MUNICIPAL

A Câmara Municipal de Barcelos vai avançar com a construção do Canil e Gatil Municipal, num investimento de 391.444,88€ (IVA incluído), totalmente assegurado pelo Município. A obra, já adjudicada, irá nascer na freguesia de Gamil.

Canil-3-1.jpg

A intervenção prevista contempla limpeza do local e trabalhos de movimento de terras necessários ao nivelamento pretendido para a colocação das plataformas, e a criação de infraestruturas de apoio e de acessos.

Numa primeira fase, o Canil e Gatil Municipal irá contemplar 20 celas individuais, duas de grupos duplas, duas de isolamento, e um gatil, com espaço para quarentena. Haverá, também, uma cela para outras espécies. Num edifício independente, irá nascer uma sala de tratamento e de apoio à triagem, sala de esterilização, espaço de recobro, instalações sanitárias, serviços administrativos, gabinete de apoio técnico e veterinário. No exterior, serão garantidas zonas arborizadas nos espaços disponíveis entre as construções e nas zonas envolventes.

Este equipamento irá permitir responder às necessidades de proteção dos animais. A preocupação da Câmara Municipal com o bem-estar animal havia já sido expressa com a criação de abrigos para acolher os gatos abandonados, numa lógica de controlo de colónias. Esta medida, nascida de um protocolo entre o Município e a Streetdogs – Associação de Proteção Animal, centra-se num programa de esterilização para animais errantes, através de captura, esterilização e devolução dos gatos aos locais de origem. Os abrigos foram colocados na EMEC e na Quinta do Aparício.

CÂMARA DE FAMALICÃO TRIPLICOU VERBA DESTINADA AO CHEQUE-VETERINÁRIO

Apoio destina-se a famílias carenciadas e comparticipa vacinação, desparasitação e esterilização, entre outras despesas

A Câmara Municipal de Famalicão triplicou a verba destinada ao cheque-veterinário, um apoio para as famílias famalicenses com cães ou gatos que não têm condições financeiras para os tratamentos médico-veterinários dos seus animais de companhia.

DSC_5911.jpg

A proposta que foi aprovada na última reunião do executivo municipal, que decorreu na semana passada, permitiu a renovação do protocolo com a Ordem dos Médicos Veterinários para a atribuição de cheques veterinários até ao montante de 45 mil euros, sendo que no ano passado foram disponibilizados 15 mil euros.

“Decidimos reforçar esta verba, porque percebemos que temos que ir mais além nas necessidades dos famalicenses com os seus animais de estimação”, explicou o vereador da Defesa dos Animais, Pedro Sena, acrescentando que “não quer dizer que vamos gastar os 45 mil euros, mas temos esta disponibilidade”.

Refira-se que o “Cheque Veterinário” arrancou em 2018 e tem como objetivo criar uma rede de cuidados primários médico-veterinários para animais em risco, nomeadamente no que se refere à vacinação, desparasitação e esterilização, bem como outros tratamentos e urgências 24 horas. A esta parceria juntou seis clínicas veterinárias do concelho.

Os interessados em beneficiar deste apoio devem contactar o Balcão Único do município, que através dos serviços de ação social fará a comprovação da carência económica.

A medida abrange também as pessoas que adotarem animais no Centro de Recolha Oficial (CRO) de Famalicão e a própria população animal residente no CRO, nomeadamente na vacinação, desparasitação e esterilização para controlar a reprodução.

No ano passado, beneficiaram deste apoio cerca de 400 famílias famalicenses.

DSC_5713.jpg

MUNICÍPIO DE AMARES AVANÇA COM REGULAMENTO DE SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL

O executivo municipal de Amares aprovou, esta manhã, o projeto de Regulamento de Saúde e Bem-Estar Animal do Município de Amares, um documento que vai permitir regular o destino dos animais acolhidos no centro de recolha oficial do concelho, assim como definir medidas para o controlo de animais errantes.

“Médico veterinário do município“, “Circulação na via ou lugares públicos”, “Deveres gerais dos detentores”, “Alojamento”, “Centro de Recolha Oficial de Animais do Município de Amares (CROAMA)”, “Captura, ações de profilaxia médica e sanitária e destino dos animais”, “Receção e recolha voluntária de animais”, são alguns dos itens constantes neste novo regulamento, que surge tendo em conta os benefícios da organização dos procedimentos administrativos subjacentes à saúde e ao bem-estar animal e ao funcionamento do Centro de Recolha Oficial de Animais do Município de Amares (CROAMA).

O vereador do Ambiente, Vítor Ribeiro, explica que o Município de Amares vai passar a estar dotado com um regulamento para o bem-estar animal “em consonância com a legislação em vigor”. “Em breve vamos inaugurar o centro de recolha oficial de animais do município de Amares onde já temos o nosso Ecocanil – espaço circular, cujo modelo é pioneiro em Portugal e que tem sido referenciado como um exemplo nacional, e cujo regulamento nos colocará em linha com as melhores práticas para o bem-estar animal”, conclui.

Na prossecução dos grandes princípios orientadores da proteção dos animais, têm vindo a ser adotadas medidas efetivas de criminalização dos maus tratos a animais de companhia, de proibição do seu abandono e da promoção do bem-estar e saúde animal, reforçando-se ainda a promoção ativa da adoção. Conscientes das competências que lhe incumbem neste domínio, o Município de Amares pretende desenvolver esforços conjuntos para a gestão e manutenção do Centro de Recolha Oficial de Animais do Município de Amares (CROAMA) que inclui o espaço de sensibilização para economia circular, o ECOCANIL – Espaço circular, localizados na freguesia de Dornelas cujas normas de funcionamento e organização constam no projeto de “REGULAMENTO DE SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL DO MUNICÍPIO DE AMARES”.

O Projeto de Regulamento será submetido a consulta pública para recolha de sugestões no prazo de 30 dias a contar da publicação do mesmo em conformidade do disposto no n.º 1 e no n.º 2 do artigo 101.º do novo Código do Procedimento Administrativo, sendo para o efeito publicado no Diário da República, 2.ª série e no sítio eletrónico oficial do Município em http://municipioamares.pt/

CAMINHA: CAMPANHAS PERMITIRAM JÁ ESTERILIZAR CERCA DE 350 ANIMAIS

CED e Regime especial para agregados carenciados mantêm-se em vigor

Até ao final do ano de 2020, através das duas campanhas lançadas pela Câmara Municipal, foram esterilizados cerca de 350 animais, maioritariamente felídeos (fêmeas), havendo por enquanto pouca adesão no que se refere a canídeos, designadamente na campanha que apoia agregados financeiramente carenciados, e que é operacionalizada diretamente pelo Município, onde apenas foram realizadas três cirurgias em canídeos.

137352817_3567799776607859_971096225818731500_n.jp

Os números apurados demonstram que, até 31 de dezembro, foram esterilizados cerca de 300 animais de rua (campanha CED - captura, esterilização e devolução) sendo maioritariamente, como referimos, fêmeas. Esta campanha é desenvolvida em colaboração com a Associação Selva dos Animais Domésticos.

Por outro lado, na campanha de esterilização de animais de companhia diretamente realizada pela Câmara estão aprovadas/concretizadas 47 esterilizações de animais, sendo apenas três canídeos e os restantes felídeos.

De referir que ambas as campanhas se mantêm em vigor e visam promover o bem-estar animal, alterar comportamentos e diminuir o abandono e a proliferação de animais vadios e errantes. A adoção responsável é também um objetivo.

Relativamente à campanha CED, realizada como sublinhámos atrás em conjunto com a Associação Selva dos Animais Domésticos, esta visa essencialmente os gatos silvestres e as colónias e resultou do Orçamento Participativo. A associação é a responsável pela operacionalização do projeto, cabendo também ao Município, além da transferência da verba, a monitorização do trabalho, função da responsabilidade do veterinário municipal.

Já em relação ao Regime Especial de Esterilização de Animais de Companhia, a Câmara possui um normativo - Regulamento do Regime Especial de Esterilização de Animais de Companhia. Este regime é aplicável aos animais de companhia, cães e gatos, cujo detentor faça parte de um agregado familiar com carências económicas, devidamente comprovadas pelos Serviços de Ação Social do Município, mas também se aplica a animais que sejam resgatados das ruas por populares ou associações zoófilas legalmente constituídas.

O regulamento, que explica mais detalhadamente o procedimento para os candidatos poderem beneficiar deste regime, está disponível no Sítio Oficial do Município de Caminha na Internet. Encontra-se na área “Viver”, devendo ser selecionada a componente “Documentação” e seguidamente “Regulamentos” https://www.cm-caminha.pt/pages/726.

ARCOS DE VALDEVEZ: JOSÉ COSTA LIMA DÁ-NOS A CONHECER O CAVALO GARRANO DA SERRA DA PENEDA

A raça Garrana é uma raça ibérica autóctone de equídeos. O Garrano, palavra provável de origem proto-celta gearran, é uma raça de equideo muito antiga, separada das restantes desde o período Quaternário, que se enquadra num grupo alargado conhecido por Cavalo Ibérico devido às características comuns e à sua origem.

137211516_4026914020672267_8885782824049726332_o.j

Depois o Garrano, propriamente dito, é o mais antigo por entre os seus, entre as restantes raças irmãs do Norte da Península Ibérica e Sudoeste da França que são identificados como fazendo parto do mesmo Tronco Celta (sendo incluído na subespécie Equus caballus celticus, segundo a classificação de Ewart de 1911). Desses, pela sua filogenia e morfologia, fazem parte nomeadamente o Exmoor Poney da Inglaterra, o Cavalo do Monte da Galiza, o Asturcón das Astúrias ou o Potok da Biscaia.

Nativo do Minho e Trás-os-Montes, em Portugal, é um dos grandes herbívoros desempenha um papel fundamental na prevenção de incêndios rurais, consumindo material combustível em grandes áreas e foi também utilizado durante muitos séculos como animal de carga e trabalho.

Devido ao seu tamanho, menor que um cavalo comum, é considerado um pónei e porque muitos deles descendem de garranos que já estavam ao serviço do homem e foram soltos por ele é também considerado um cavalo assilvestrado. Habita actualmente em estado semisselvagem nas zonas da serra do Gerês, serra do Soajo, serra da Arga e da serra da Cabreira, tendo em tempos habitado todo o Norte de Portugal donde é oriundo.

É uma raça protegida devido ao risco de extinção a que esteve sujeito até há pouco tempo.

É considerado um cavalo rústico, de montanha e não da planície, e assim seu passo é muito firme sobre terrenos acidentados e ter os cascos muito fortes. Também resulta muito resistente às intempéries e à falta de alimento.

A sua cor é castanho, as suas crinas e rabada de cor preta. O seu tamanho não ultrapassa 1,35 m.

Além de animal de tiro também tem aptidão para sela.

O facto de ter sido criado em regime extensivo (em liberdade) permitiu a manutenção de todas as suas características genotípicas, fisiológicas e psíquicas, permitindo simultaneamente a actuação de uma forte selecção natural.

As suas características padrão são:

  • Tipo – Perfil recto, por vezes côncavo. Animais de corpo atarracado, pernicurtos, de sólida constituição óssea. O seu peso rondará os 150 quilos. O pêlo de Inverno dá-lhe o aspecto ursino.
  • Altura média – Medida ao garrote, com hipómetro, nos animais adultos: Fêmeas 1,23m; Machos 1,28m.
  • Pelagem – Castanha comum, podendo tender para o escuro. Quase sempre sem sinais. Mais clara no focinho puxando para o bocalvo, por vezes também mais clara no ventre e nos membros. Topetefarto, crinas pretas tombando para ambos os lados. Cauda também preta, com borla de pêlos encrespados na raiz.
  • Temperamento – De carácter bravio e arisco por natureza. O macho inteiro tem muita vivacidade, mas após o desbaste, torna-se tolerante no trabalho e manso. É um cavalo de fundo, resistente, sóbrio, dócil e fácil de ensinar.
  • Andamentos – Geralmente fáceis, rápidos, de pequena amplitude mas altos. Nos caminhos de montanha são firmes, a subir e a descer, e cuidadosos com as pedras e obstáculos das estradas acidentadas. Ensinados a andar em andadura(“molliter incedere”) e passo travado (“numeratim”).
  • Aptidão – Sela e transporte de carga, com especial aptidão para caminhos de montanha e pequenos trabalhos agrícolas.
  • Cabeça – Fina, mas vigorosa e máscula. Nos machos é grande em relação ao corpo, proporcionalmente maior que nos cavalos. Perfil recto, por vezes côncavo. O crânio insere-se sempre na face com grande inclinação, de forma que a parte superior da fronte é convexa de perfil, a crista occipital é pouco saliente em relação aos côndilos. Órbitas salientes sobre a fronte, transversalmente plana. Os olhos são redondos e expressivos. Largas narinas. Orelhas médias. Os dentes são característicos. As ganachassão fortes e musculosas.
  • Pescoço – Bem dirigido e musculoso, mas curto e grosso, especialmente nos garanhões.
  • Garrote– Baixo e dorso recto.
  • Peitoral – Amplo.
  • Costado – Tronco de costelas, em geral, chatas e verticais.
  • Garupa– De ancas saídas, é forte, larga, tendente para o horizontal.
  • Espádua– Vertical e curta.
  • Membros – Aprumados, curtos mas grossos. Fortes, de quartelasdireitas, vestidas de pêlo grosso e alguma garra. Cascos cilíndricos.

O Garrano foi utilizado como animal de transporte pelo exército português e continua a ser utilizado para carregar madeira e no desempenho de tarefas agrícolas, mas também é utilizado para montar, tendo sido o meio de locomoção ideal nas veredas do alto Portugal. Chegou mesmo a ser utilizado para carregar minérios das minas mais recônditas das serras do Norte durante a II Guerra Mundial.

Encontra-se não apenas no meio selvagem mas também na posse de alguns criadores particulares, que actualmente já vem a aumentar o seu número devido às características do cavalo (dócil para com as crianças, inteligente, trabalhador, de fácil treino..). Daí actualmente participar também no turismo equestre e ser, ainda hoje, utilizado num tipo de corrida de cavalos muito peculiar e muito popular, especialmente em Trás-os-Montes e no Minho, onde é muito admirado. Trata-se da corrida em passo travado, conhecida somente por travado ou travadinho, correspondente em velocidade entre o trote e o galope mas que dá mais conforto ao cavaleiro por fazê-lo saltar pouco da montada. O Garrano aqui demonstra uma aptidão fora do vulgar para a aprendizagem e execução deste tipo de andamento, que antigamente era usado para percorrer grandes distancias com rapidez sem fatigar o viajante.

Em termos ambientais, o efeito da herbivoria dos cavalos assilvestrados, como os garranos, na dinâmica da vegetação actual é semelhante à exercida pelos cavalos selvagens nas paisagens pristinas da primeira metade do Holocénico.

Um dos seus maiores predadores é o lobo-ibérico, levando-os, normalmente, a adoptarem um sistema defensivo em círculo com as crias no interior, repudiando o seu ataque a coice.

Muitos terão sido os garranos que partiram de Portugal nas Descobertas. Sendo o país que na altura melhor dominava os mares e que tinha óptimos cavaleiros seria natural que tal acontecesse. É preciso ver que esta raça tinha várias vantagens entre as demais. É o facto de ser de porte pequeno, o que fazia não ocupar tanto espaço, comer menos e sujar menos. Não é muito exigente na alimentação e muito resistente a doenças. Tem cascos mais duros o que possibilitaria a ausência de ferraduras numa distancia cujo percurso fosse maior. Depois é capaz de levar muito peso em cima e andar por caminhos muito íngremes e cheios de obstáculos naturais.

Uma das raças que não engana ter o seu sangue é o Baixadeiro brasileiro.

Fonte: Wikipédia

136391962_4026913834005619_3903519026209295522_o.j

136335342_4026913817338954_961101689331468259_o.jp

136372957_4026913827338953_3080239997476470386_o.j

136437895_4026914067338929_2046425076456480850_o.j

136360338_4026914080672261_4186787076971072435_o.j

136353721_4026914184005584_9044238492324815034_o.j

136683470_4026914224005580_5439025808642024375_o.j

Fotos: José Costa Lima

VIZELA: CAMPANHA DE VACINAÇÃO ANTIRRÁBICA SUSPENSA DE 21 DE DEZEMBRO A 1 DE JANEIRO

Integrado no programa Vizela ProAnimal e no seguimento da reestruturação em curso do setor veterinário municipal, a Câmara Municipal de Vizela informa que o “Calendário de Serviço Oficial de Vacinação Antirrábica e de Identificação Eletrónica” será suspenso de 21 de dezembro a 1 de janeiro, retomando o calendário habitual a 4 de janeiro.

banner campanha vacinação.jpg

A Câmara Municipal informa ainda que será realizada a Campanha de Vacinação Antirrábica e de Identificação Eletrónica será realizada em datas extra calendário, a saber:

  • 14 de dezembro – Santo Adrião;
  • 16 de dezembro – S. Paio e Tagilde.

De destacar que a Vacinação Antirrábica e Identificação Eletrónica é agora efetuada no veículo de socorro móvel animal, inserido no programa Vizela ProAnimal, um plano integrado para este setor que a Câmara Municipal se encontra a desenvolver no sentido de estruturar, dinamizar e dignificar as políticas municipais relativas aos animais errantes.

O atendimento é efetuado individualmente no interior do novo veículo de socorro móvel animal, com condições físicas semelhantes a um consultório, melhorando substancialmente a qualidade no serviço.

Para enorme benefício dos munícipes, a periodicidade da campanha, que era anteriormente mensal, é agora semanal (1 vez por semana - 48 vezes/ano) no centro urbano (S. Miguel e S. João), e anteriormente anual, é agora mensal (1 vez por mês - 12 vezes/ano) nas freguesias de Santa Eulália, Infias, Tagilde, São Paio e Santo Adrião, nos dias e horas indicados no calendário.

Assim, o novo veículo apoia na Campanha Municipal de Vacinação Antirrábica e Identificação Eletrónica, através da deslocação às freguesias – 1 vez por mês (12 vezes/ano) e ao centro urbano – 1 vez por semana (48 vezes/ano).

O objetivo deste Executivo passa assim por colocar Vizela na primeira linha das autarquias no que toca às políticas municipais relativas aos animais errantes, em contraponto com o que acontecia até agora, em que se verificava uma total ausência de estratégia nesta matéria.

ANIMAIS EXÓTICOS ENCONTRADOS NO RIO MINHO

O Aquamuseu do Rio Minho recebeu, há algumas semanas um réptil, conhecido como a tartaruga corcunda do Mississipi (Graptemys pseudogeographica), de uma família que não podia continuar a prestar os devidos cuidados. Trata-se de uma prática recomendado, ao invés do abandono.

Tartaruga.jpg

No entanto, uma tartaruga pertencente à mesma espécie foi apanhada no rio Minho, o que é preocupante pois não se conhecem registos da presença desta espécie neste troço internacional de água. Por ser uma espécie exótica pode criar alguns desequilíbrios no ecossistema porque compete diretamente com as espécies nativas. Certamente, que a presença deste animal no rio Minho resulta de uma libertação, dado que estes animais são nativos do continente americano.

Assim, o Aquamuseu do rio Minho partilha uma mensagem importante para que a população não liberte animais exóticos para a natureza, procurando em alternativa entregar a uma instituição, oferecer a um familiar ou um amigo que tenha condições para o cuidar convenientemente.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE PROMOVE CAMPANHA DE ESTERILIZAÇÃO DE ANIMAIS DE COMPANHIA

Integrado no Plano Estratégico para o Bem-Estar Animal, iniciado em 2018, o Município de Esposende desenvolve, ao longo deste mês de novembro, uma campanha de apoio à esterilização de animais de companhia.

campanha esterilização.jpg

Com esta medida, hoje aprovada, por unanimidade, em reunião do executivo, a Câmara Municipal reforça a sua ação neste domínio, possibilitando que os detentores de animais, residentes no concelho, possam beneficiar destes apoios, que é 15 euros por Gato, 35 euros por Gata, 30 euros por Cão, 55 euros por Cadela

Para usufruir destes apoios os candidatos deverão apresentar, no Balcão de Atendimento ao Cidadão da Câmara Municipal de Esposende ou para o e-mail veterinaria@cm-esposende.pt, até ao dia 27 de novembro, os seguintes documentos: formulário de candidatura (disponibilizado na página do Município), documento comprovativo da marcação animal com dispositivo de identificação eletrónica e da vacina antirrábica atualizada (DIAC); declaração de esterilização, ocorrida no período entre 1 agosto e 27 de novembro (inserida pelo Médico Veterinário responsável pelo animal); atestado de residência no concelho; e comprovativo de IBAN.

As candidaturas serão elegíveis com a apresentação de todos os documentos referidos e unicamente no período temporal estabelecido.

Esta campanha assume-se da maior relevância, na medida em que configura um importante apoio à comunidade que pretenda proceder à esterilização dos seus animais de companhia, constituindo uma medida essencial na redução do número de animais errantes, minimizando o flagelo do abandono. Uma medida iniciada no ano de 2020 e com o objetivo de permanecer, dando continuidade ao trabalho desenvolvido.

A premência do combate ao abandono foi, de resto, há muito assumida pelo Município que, a par de outras ações, vai avançar com a construção de um Centro de Recolha Oficial (CRO) de animais. Refira-se que o Plano Estratégico para o Bem-Estar Animal, engloba diversos eixos de intervenção tendo em vista a melhoria das condições de bem-estar animal e a sua integração na sociedade.

PAN PROPÕE REFORÇO DAS VERBAS PARA CENTROS DE RECOLHA OFICIAL DE ANIMAIS

  • A proposta prevê um reforço de €10.000.000,00 a transferir para a Administração Local para dar resposta às necessidades, incluindo a de assistência a animais detidos por famílias carenciadas e associações zoófilas legalmente constituídas.

O Grupo Parlamentar do PAN - Pessoas-Animais-Natureza submeteu uma proposta de alteração, no âmbito da discussão em especialidade do Orçamento do Estado para 2021, que pretende o reforço da verba disponibilizada para os centros de recolha oficial de animais (CROA). O PAN quer ver também o alargamento da verba às associações zoófilas legalmente constituídas, atendendo à circunstância de estas prosseguirem fins públicos, dando um contributo fundamental no controlo da população de animais de companhia e na proteção e bem-estar.

A proposta do PAN vai no sentido de que, em 2021, o Governo transfira para a Administração Local a verba de €10.000.000,00 a aplicar da seguinte forma:

  • €7.000.000,00 para investimento nos centros de recolha oficial e no apoio para melhoria das instalações das associações zoófilas legalmente constituídas;
  • €1.800.000,00 para promover a melhoria da prestação de serviços veterinários de assistência a animais detidos por famílias carenciadas e associações zoófilas, através de protocolos com os hospitais veterinários universitários;
  • e €.1.200.000,00 a distribuir, por sua vez, por:
  1. a) €1.000.000,00 para apoiar os CROA nos processos de esterilização de animais, no âmbito de uma campanha nacional de esterilização;
  2. b) €100.000,00 destinados à sensibilização para os benefícios da esterilização, para o interesse da internalização destes serviços nos serviços municipais de apoio animal e ainda para avaliação da medida e de possíveis melhorias através de inquéritos e outro tipo de apoios aos profissionais do bem-estar animal e autarcas;
  3. c) e ainda €100.000,00 para serem investidos no registo eletrónico de animais de companhia.

Consulte aqui a proposta em detalhe.

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ APOIA CIDADÃOS QUE ESTERILIZEM OS ANIMAIS DE COMPANHIA

O Município de Arcos de Valdevez, de acordo com a sua estratégia de política de bem-estar animal no combate ao abandono e sobrepopulação de animais errantes, está a promover um Programa Extraordinário de Apoio à esterilização de animais de companhia, cães e gatos, pertencentes a munícipes do Concelho, de 15 de setembro a 23 de novembro.

Campanha de Apoio à esterilização.jpg

Para aceder a este apoio basta efetuar a candidatura no Gabinete de Ação Social, sito na Praça Municipal, com a apresentação da seguinte documentação:

- Declaração do Médico Veterinário responsável com indicação da data da esterilização;

- Documento comprovativo da identificação eletrónica do animal (DIAC) com indicação da data de esterilização;

- Comprovativo de residência do requerente no Concelho de Arcos de Valdevez;

- Comprovativo de IBAN.

As esterilizações podem ser realizadas em qualquer centro veterinário à escolha, sendo que do valor pago o município comparticipa em:

- 55€ para esterilização de cadelas;

- 30€ para esterilização de cães;

- 35€ para esterilização de gatas;

- 15€ para esterilização de gatos.

Para além deste programa de apoio extraordinário, o Município de Arcos de Valdevez, tal como em anos anteriores, está a desenvolver uma campanha de apoio a munícipes carenciados oferecendo a esterilização dos seus animais. Esta oferta também é válida para todos os animais errantes do concelho, sinalizados pelos serviços municipais e que sejam adotados responsavelmente.

Campanha de Apoio à esterilização 1.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA APOIA A ESTERILIZAÇÃO DE ANIMAIS DE COMPANHIA

Integrado no programa Vizela ProAnimal e no seguimento da reestruturação em curso do setor veterinário municipal, a Câmara Municipal de Vizela promove, de 23 de setembro até 23 de novembro, a Campanha de Esterilização de Animais de Companhia.

Apesar das campanhas contra o abandono e dos incentivos à adoção de animais errantes do Abrigo Municipal de Vizela e da campanha em curso de Esterilização Solidária Gratuita, os custos associados aos atos médico veterinários, nomeadamente esterilização, podem inibir o recurso à prestação dos ditos cuidados e em último caso, inibir a cirurgia de esterilização pelos detentores.

Assim, o Município de Vizela está sensível e pró-ativo nas questões do bem-estar animal, saúde animal e saúde pública, não estando alheio às dificuldades sentidas pela população, tendo preparado este programa adicional dirigido a todos os munícipes individuais e associações para controlo da população de canídeos e felídeos.

Esta Campanha de Apoio à Esterilização pressupõe o reembolso financeiro a todos os munícipes, individuais e associações do concelho de Vizela que se candidatem e realizem ou tenham realizado esterilizações aos seus animais de companhia nos seus Centros de Atendimento Médico-Veterinários assistentes, entre o período de 23 de setembro a 23 de novembro de 2020, de acordo com o seguinte valor:

  • Gato macho: 15 euros
  • Cão macho: 30 euros
  • Gata: 35 euros
  • Cadela: 55 euros

 Documentos a juntar à candidatura: 

- Comprovativo de residência em Vizela;

- DIAC do animal atualizado;

- Declaração de esterilização emitida pelo MV executante com a data da esterilização;

- Número de Identificação Bancária.

A candidatura pode ser formulada no site www.cm-vizela.pt, balcão atendimento único e através do email vizelaproanimal@cm-vizela.pt.

Esta medida vem no seguimento da reestruturação em curso do setor veterinário municipal, e da implementação do programa Vizela ProAnimal, um plano integrado para este setor que a Câmara Municipal se encontra a desenvolver no sentido de estruturar, dinamizar e dignificar as políticas municipais relativas aos animais errantes.

O objetivo deste Executivo passa assim por colocar Vizela na primeira linha das autarquias no que toca às políticas municipais relativas aos animais errantes, em contraponto com o que acontecia até agora, em que se verificava uma total ausência de estratégia nesta matéria.

Campanha_esterilização.jpg