Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOCO DE ESQUERDA QUESTIONA NO PARLAMENTO ABATE DE ANIMAIS EM PONTE DE LIMA

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, questionou o Ministério do Ambiente e da Ação Climática sobre o potencial abate de cães assilvestrados, no concelho de Ponte de Lima.

Há 4 anos na zona da Ribeira em Ponte de Lima foi abandonada uma cadela e um cão. , Apesar de várias tentativas iniciais, a cadela não se deixou capturar para esterilizar e foi tendo várias ninhadas. Algumas das crias foram recuperadas e dadas para adoção, mas outras ficaram no local em estado assilvestrado.

O canil municipal, a veterinária municipal e a Junta de Freguesia foram interpeladas para providenciar uma solução para a situação, mas nada fizeram. No entanto, um grupo de voluntários conseguiram capturar todas as fêmeas e esterilizá-las, com a ajuda da Alaar – Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua. Ficaram assim 5 fêmeas e 2 machos assilvestrados a viver nesse local e uma voluntária alimenta diariamente os animais e procede à sua desparasitação interna e externa.

De acordo com relatos, ao longo destes quatro anos, os animais viveram em liberdade sem ter ocorrido qualquer risco para a segurança e saúde pública. No entanto a situação mudou recentemente, havendo relato de perseguição e tentativas de agressão e até mesmo de atropelamento dos animais. Neste contexto, houve um ataque por parte de um dos animais.

Assim, de momento está a ser procedida à tentativa da matilha para posterior abate. O estado de assilvestrados tem obviamente limitações e condições próprias. No entanto e até de acordo com a legislação em vigor, deve ser procurada uma alternativa ao abate.

Os/as deputados/as do Bloco de Esquerda pretendem saber se o Governo tem conhecimento da situação, se confirma a intenção de abate dos animais e que medidas vai o Governo tomar para garantir a proteção animal neste caso, criando uma solução alternativa para manter a vidados animais e assegurar a segurança e saúde pública.

CapturarBECAES.JPG

CÃO DE RAÇA CASTRO LABOREIRO NA FILATELIA PORTUGUESA

O Ministério dos Transportes e Comunicações - Correios e Telecomunicações de Portugal, através da Portaria n.º 329/81 de 4 de Abril, publicada em Diário da República n.º 79/1981, Série I de 1981-04-04, lançou em circulação, cumulativamente com as que estão em vigor, uma emissão de selos com tarja fosforescente alusiva aos «Cães de Raça Portuguesa»

Capturarfilacastrolabor.JPG

Capturarfilateliacao.JPG

XPQ73E45752345955B7D35FEZKU.jpg

MUNICÍPIO DE CELORICO DE BASTO APROVA PROGRAMA DE PROMOÇÃO DE ADOÇÃO DE ANIMAIS DE COMPANHIA

Em reunião de Câmara realizada ontem, quinta-feira, 21 de abril, o executivo Celoricense aprovou, por unanimidade, um programa de incentivo à adoção responsável de animais de companhia.

cro.jpg

A Câmara Municipal de Celorico de Basto, pretende dinamizar o processo de adoção de animais de companhia de uma forma responsável.

A medida, visa dar uma resposta ao elevado número de animais errantes existentes no concelho e aumentar o ritmo de adoções, que é, neste momento, inferior às necessidades de recolha e à capacidade de acolher estes animais de forma condigna no CRO – Centro de Recolha Oficial.

Para dar resposta a este problema, a autarquia irá desenvolver um projeto dinâmico e ações de comunicação que incentivem a população local a adotar um animal de companhia. Nesse sentido, o executivo aprovou um conjunto de medidas que facilitam a adoção animal, nomeadamente a disponibilização, de forma gratuita, aos animais adotados, o registo e identificação eletrónica (chip de identificação), a vacinação anti-rábica, a desparasitação interna e externa e a esterilização, que, no caso de o animal não possuir a idade adequada, o tutor terá direito a um voucher esterilização para a poder realizar no momento adequado.

José Peixoto Lima, Presidente da autarquia Celoricense, refere “a importância deste conjunto de medidas, que servem de incentivo para a dinamização do processo de adoção de animais de estimação por parte da população. Este é mais um esforço da autarquia, que já possui uma estrutura com boas condições para o acolhimento de animais errantes e reforçou, recentemente, os recursos humanos de serviço a este equipamento, com a contratação d uma enfermeira veterinária. O Câmara Municipal pretende ir mais longe na resolução de um problema que subsiste há algum tempo. Este é o primeiro conjunto de medidas que vamos implementar de imediato e vamos monitorizar os resultados, preparando outras soluções para uma resolução efetiva desta questão”.

EXPO CANINAS DE PONTE DE LIMA NA ROTA INTERNACIONAL DAS EXPOSIÇÕES CANINAS E FELINAS | III EXPO INTERNACIONAL; V EXPO NACIONAL E A EXPO INTERNACIONAL DE GATOS

Ponte de Lima está na rota internacional das exposições caninas. No último fim-de-semana acolheu a III Expo Internacional; V Expo Nacional e a Expo Internacional de gatos, confirmando a projeção nacional e internacional do evento que reuniu os melhores dos melhores.

expo_canina_ponte_de_lima_2022_1_1_1024_800.jpg

Com o apoio do Município de Ponte de Lima, o evento é promovido pelo Clube Português de Canicultura, único órgão reconhecido oficialmente em Portugal, detentor do Livro de Origens Português e membro da Federação Cinológica Internacional e pelo Clube Português de Felinicultura, órgão dirigente, detentor do Livro de Origens da Felinicultura Nacional.

Assinalando um crescimento significativo de ano para ano, está identificada com uma das maiores exposições organizadas no Norte de Portugal, tendo registado mais de 1500 cães e 100 gatos.

Salvador Janeiro, Diretor da Expo Caninas de Ponte de Lima confirmou o crescimento do evento “esta exposição cresce a cada ano, contando sempre com participantes de vários países. Através da Canicultura divulgamos o nome de Ponte de Lima”. O Diretor da prova considerou ainda que o sucesso deste evento refletiu-se também, e face à conjuntura internacional, no apoio ao povo Ucraniano, com os criadores a ofereceram os seus prémios em alimento, aos canicultores da Ucrânia, bem como o patrocinador da Expo Canina, Dingonatura, ofereceu 1000Kg de alimento  ao projeto CPC / Ucrania.”

As avaliações das raças para campeões de Portugal e campeões internacionais, foram asseguradas por juízes nacionais e internacionais, provenientes da Roménia, Espanha, Itália e Eslováquia. Por sua vez, as duas exposições internacionais de Felinicultura, foram avaliadas pelos juízes vindos de Itália, Polónia e Espanha.

O Vereador do Desenvolvimento Rural, Eng.º Carlos Lago, destacou também o engrandecimento do evento que “mais uma vez superou as expectativas”, considerando que este crescimento resulta do “apoio do Municipio de Ponte de Lima, ao criar e disponibilizar as condições essenciais para a realização do evento”.

Os Juízes apreciaram os diversos exemplares nas diferentes raças, para selecionarem os Melhores dos grupos.

expo_canina_ponte_de_lima_2022_4_1_1366_728.jpg

expo_canina_ponte_de_lima_2022_6_1_1366_728.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ: RAÇA GARRANA EM DESTAQUE NA PORTA DO MEZIO

Operação: Estábulo do Garrano – Oficina Lúdico-Pedagógica

O projeto “Estábulo do Garrano - Oficina Lúdico-Pedagógica”, cofinanciado pela UE, no âmbito do POSEUR - Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, permitiu à ARDAL diversificar a oferta ao nível das atividades de educação ambiental, através da criação de um programa de sensibilização e dinamização original, customizado ao nosso contexto e ao Garrano, como espécie omnipresente no Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Foto_Garrano - Cópia.jpg

Este processo iniciou-se com a criação e design da sua identidade visual, usada em todos os elementos e ações do projeto, onde foram criados e impressos, vários elementos de divulgação e promoção, nomeadamente, um póster, um vídeo, um roll-up e um livro lúdico-pedagógico.

Foi, também, criada uma exposição permanente num dos edifícios da Porta do Mezio, denominada “Oficina Lúdico-Pedagógica do Estábulo do Garrano”, criando um espaço de interpretação e implementação de atividades lúdico-pedagógicas em torno da temática do Garrano.

O programa criado contempla um plano lúdico-pedagógico vocacionado para o 1º ciclo, com atividades divertidas e práticas, que permitem despertar o interesse nos alunos e criar empatia com o Garrano, e um outro plano lúdico-pedagógico a partir do 2º ciclo, com foco na observação, experimentação e passagem de conhecimento sobre o Garrano, bem como temáticas transversais como a conservação da natureza e biodiversidade, habitats do PNPG ou aspetos culturais.

Neste projeto foi implementado o referido programa junto da comunidade escolar de Arcos de Valdevez, desde o 1º ciclo até ao 12º ano, nomeadamente com a Escola Básica da Eira do Penedo – Soajo, Escola Básica Dr. Manuel da Costa Brandão – Sabadim, Escola Básica Padre Himalaya – Távora, Escola Básica Prof. António de Melo Machado – Arcos de Valdevez, Escola EB 2,3/S de Arcos de Valdevez e com a Escola Profissional do Alto Lima de Arcos de Valdevez. Foram, por isso, realizadas 138 atividades na Porta do Mezio, com a presença de 2323 alunos.

Neste projeto foram também dinamizados 30 eventos pedagógicos direcionados para jovens e instituições juvenis, em contexto extraescolar, que permitiram aos jovens e seus familiares terem um contacto mais direto com esta raça autóctone que é o Garrano. Foram realizados ainda, 20 campos de férias, com atividades pedagógicas, durante as férias escolares, tendo por base o Garrano.

Este projeto teve um investimento global de 119.654,05 euros, com um financiamento do POSEUR - Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, através do eixo prioritário 3 – Proteger o ambiente e promover a eficiência dos recursos, no valor de 110.464,32 euros, correspondente a 92,3% do investimento.

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO E ORDEM DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS RENOVAM PROTOCOLO PARA ATRIBUIÇÃO DE CHEQUES VETERINÁRIOS

“Centro de Recolha Animal de Famalicão é um exemplo para o país”

O Bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) apontou o Centro de Recolha Animal de Famalicão (CROA) como uma inspiração e um exemplo a nível nacional. Jorge Cid esteve na passada sexta-feira, 8 de abril, no concelho famalicense para selar com a autarquia a renovação do protocolo para a atribuição de cheques veterinários.

DSC_1353.jpg

O responsável máximo da OMV visitou o CROA acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, e deixou rasgados elogios ao novo centro de proteção animal do concelho. “O que vi mostra um grande dinamismo e uma grande sensibilidade por parte da Câmara de Famalicão. A maioria das autarquias devia inspirar-se neste modelo. Está tudo muito bem pensado, muito eficiente e, esteticamente, muito bonito”, disse.

Com esta renovação do protocolo para a atribuição de cheques veterinários, a Câmara Municipal vai aumentar o montante disponibilizado para o efeito, passando dos atuais 45 mil euros para 50 mil.

“Este apoio começou com uma verba afeta de 15 mil euros, agora chegamos aos 50 mil e vamos continuar a aumentar se sentirmos que existe essa necessidade. Não queremos que as questões económicas sejam um impedimento para que estes animais tenham os cuidados que precisam”, apontou Mário Passos que, tal como o Bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, acredita que há ainda muito a fazer em Portugal no combate ao abandono animal.

Entre 2018 e 2021, mais de 1000 animais foram esterilizados, desparasitados e vacinados com recurso ao cheque veterinário, medida que arrancou em 2018 para apoiar as famílias famalicenses que não têm condições financeiras para os tratamentos médico-veterinários dos seus animais de companhia.

Recorde-se que o objetivo deste apoio passa por criar uma rede de cuidados primários médico-veterinários para animais em risco, nomeadamente no que se refere à vacinação, desparasitação e esterilização, bem como outros tratamentos e urgências 24 horas. A esta parceria estão associadas seis clínicas veterinárias do concelho.

Os interessados em beneficiar do cheque veterinário devem contactar o Balcão Único do município, que através dos serviços de ação social fará a comprovação da carência económica.
A medida abrange também as pessoas que adotarem animais no CROA de Famalicão e a própria população animal residente no CROA, nomeadamente na vacinação, desparasitação e esterilização para controlar a reprodução.

DSC_1402.jpg

DSC_1408.jpg

FAMALICÃO: PAN VISITA CENTRO DE RECOLHA OFICIAL DE ANIMAIS

Na passada segunda-feira o PAN Famalicão visitou o Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA), em Vila Nova de Famalicão.

croa.jpeg

Na visita guiada às instalações, realizada pela médica veterinária Dra. Fidélia Aboim e por um dos colaboradores, Paulo Lopes, “foi possível aferir da dinâmica diária do funcionamento do CROA e as necessidades que ainda persistem em matéria de respostas de prevenção com vista a atenuar a pressão diária a que estes profissionais estão sujeitos” refere Sandra Pimenta, porta-voz da Comissão Política Concelhia. 

As instalações que foram inauguradas em setembro do ano passado e cujo valor ascende a mais de meio milhão de euros, com várias correções orçamentais, revela-se na opinião de Sandra Pimenta “um projeto com pouca ambição e visão no que concerne ao bem estar animal” acrescentando que “quando visitamos instalações criadas de raiz e estas não garantem que todos os animais tenham acesso ao exterior, é, no nosso entender, desde logo uma falha grave. Os animais de companhia são seres sociais, aliás como quase todos, e verificar que não existiu o mínimo de sensibilidade para esse facto na elaboração de um projeto, comprometendo a própria perceção que o animal tenha do meio envolvente, é de lamentar”. 

O partido salienta outras falhas incompreensíveis, nomeadamente, os acabamentos da própria estrutura, a inexistência de painéis fotovoltaicos para garantir independência energética e o facto de passados 6 meses da inauguração, o espaço exterior ainda não tenha condições para que os animais possam circular livremente, atendendo que só agora se procedeu à sementeira da relva, ora, lembra o partido que existem soluções mais rápidas, nomeadamente tapetes de relva prontos a serem colocados.

Relativamente aos programas CED (Capturar-Esterilizar-Devolver), o partido lembra que desde a publicação da Lei 27/2016, de 23 de agosto que a autarquia deveria ter diligenciado para proceder às adaptações necessárias e implementar estes programas para gatos em todo o concelho, algo que só recentemente iniciou e muito timidamente.  

No recente conjunto de medidas enviadas à Câmara Municipal o partido reforçou o que considera prioritário em matéria de proteção e bem-estar animal onde se assinala a criação da figura do/a Provedor/a Municipal dos Animais, a realização de campanhas de esterilização, com caráter frequente, mas também a isenção do pagamento das taxas de licenciamento anual dos animais esterilizados e a realização de campanhas de identificação eletrónica dos animais de companhia, dotando, igualmente,  as diferentes forças policiais de atuação municipal e associações zoófilas de leitores de microchip.

Existem outras realidades que para Sandra Pimenta é fundamental trabalhar, “é urgente identificar os pontos problemáticos de cada freguesia no que diz respeito à acumulação de animais. Para nós seria essencial a criação de um grupo de trabalho para a elaboração de um manual de procedimentos para as situações de perturbação de acumulação de animais, vulgarmente chamado de Síndrome de Noé”.

MUNICÍPIO VIEIRENSE VAI CONSTRUIR CENTRO MUNICIPAL DE RECOLHA DE ANIMAIS DE COMPANHIA (CANIL MUNICIPAL)

Conscientes de que o concelho de Vieira do Minho possui um grande número de animais errantes, o Município vai proceder à Construção do Centro Municipal de Recolha de Animais de Companhia de Vieira do Minho e cujo objetivo passa por promover o bem-estar animal e assegurar a segurança e tranquilidade da população.

canilviminho.JPG

Esta intervenção tem, ainda por objetivo sensibilizar a comunidade local para o respeito dos direitos dos animais.

A infraestrutura, cujo investimento ultrapassa os 150 mil euros vai ser criada na freguesia de Eira-Vedra e vai ter a capacidade para albergar cães, gatos e outros animais.

A infraestrutura vai dispor de 75 celas para cães, 18 celas para gatos, 2 celas para outros animais, 2 celas para cavalos, 3 celas para isolamento ou quarentena, 3 salas parque de bem-estar para cães, 1 sala parque bem-estar para gatos, 3 salas de tratamento e uma sala de esterilização.

Para além da construção dos abrigos (celas) para os animais, o projeto prevê, ainda o abastecimento de água corrente e as convenientes operações de limpeza, bem como uma estrutura de esgotos para drenagem de águas residuais e detritos dos animais.

O novo equipamento vai permitir ao município de Vieira do Minho uma gestão das capturas, controlo e recolha de animais errantes de uma forma mais eficiente e estará articulado com a Associação Patinhas Abandonadas de Vieira.

O equipamento vai ser complementado com a criação de um programa de adoções responsáveis e campanhas de sensibilização e educação orientadas para o bem-estar animal.

MUNICÍPIO DE FAMALICÃO SENSIBILIZA PARA A ADOÇÃO RESPONSÁVEL DE ANIMAIS DE COMPANHIA

“Um animal não é um presente. Não adote por impulso” alerta a Câmara de Famalicão

Ter um animal de estimação na família é uma experiência fantástica, principalmente quando existem crianças no agregado! Os animais são sinónimo de brincadeira, alegria, lealdade e amizade incondicional. Mas a decisão de adotar ou adquirir um amigo de quatro patas deve ser bem ponderada e planeada, não pode ser um impulso do momento. Por isso, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão está a lançar uma campanha de sensibilização para uma adoção responsável e consciente de animais de estimação, de forma a evitar as decisões impulsivas, tão comuns nesta quadra natalícia.

Campanha_Natal_CROA.jpg

Sob o mote “Um animal não é um presente. Não adote por impulso”, a campanha incita as pessoas a refletirem antes de levarem um animal para casa. Trata-se de vidas que merecem o nosso respeito e que para além da felicidade que geram, exigem também responsabilidade e muita dedicação.

Neste sentido, oferecer um animal a um amigo ou familiar, como se fosse um presente de Natal, sem antes ter a certeza de que estes estão preparados para assumir essa responsabilidade é desaconselhável. A adoção ou aquisição de animais de companhia “por impulso” é muito arriscado e contribui, muitas vezes, para o aumento dos casos de abandono e devolução de animais ao canil.

Ter um animal de estimação não é apenas um privilégio, é uma grande responsabilidade.

PAN QUER PRORROGAR POR MAIS 5 ANOS INDEMINIZAÇÃO A DANOS CAUSADOS PELO LOBO-IBÉRICO

O Grupo Parlamentar do PAN – Pessoas-Animais-Natureza apresentou hoje, na Assembleia da República, uma iniciativa legislativa que visa recomendar ao Governo a prorrogação do prazo por mais cinco anos para indemnização por danos em animais causados pelo lobo-ibérico, bem como propõe a adoção de medidas preventivas que evitem possíveis ataques de lobo, com vista a que sejam evitadas situações de abate de lobos por receio ou retaliação por parte de criadores de animais, o que pode levar à extinção desta espécie.

No final deste ano, ao abrigo da legislação em vigor, termina o prazo que vincula o Estado a indemnizar os produtores (criadores de animais, agricultores, pastores) pelos danos que o lobo-ibérico causa aos seus animais, nos casos em que estes produtores não têm medidas de proteção dos seus animais contra possíveis ataques de lobos, tais como cercas ou cães de proteção. Por outro lado, o Estado tem a obrigação de pugnar pela conservação do lobo-ibérico, espécie considerada “em perigo”, e de garantir as condições favoráveis à conservação do lobo, preservando o seu habitat e combatendo a escassez de presas silvestres para que o lobo-ibérico não tenha de se ver forçado a alimentar-se dos animais destes produtores. Por esta razão, o PAN entende que cabe também ao Estado continuar a indemnizar este produtores, não só os que já adotam medidas preventivas dos ataques mas também aqueles que ainda não o fazem

Com este projeto de resolução , o Grupo Parlamentar do PAN pretende então, com carácter de urgência, e no âmbito das medidas de proteção do Lobo-Ibérico, prorrogar o prazo previsto para indemnizar os cidadãos lesados por danos causados pelo Lobo-Ibérico aos animais de que sejam proprietários, ainda que não se encontrem devidamente protegidos de possíveis ataques. Por outro lado, o PAN recomenda que se dê efetivo cumprimento às medidas do “Plano de Ação para a Conservação do Lobo-Ibérico”, de forma a prevenir a predação do lobo sobre efetivos pecuários, divulgando e promovendo junto dos criadores destes a necessidade de adotarem medidas preventivas dos ataques de lobo.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE REFORÇA VALOR ANUAL PARA O CHEQUE VETERINÁRIO

O Município de Esposende duplicou a verba protocolada com a Ordem dos Médicos Veterinários para o Cheque Veterinário, passando de 7 500 para 15 000 euros anuais.

BEA.jpg

A medida, aprovada por unanimidade em reunião de Câmara, tem em conta o crescente número de animais que têm vindo a ser intervencionados no âmbito dos projetos e protocolos celebrados com as várias entidades intervenientes no território em matéria de saúde pública e de bem-estar animal, em vigor desde 2018. Com efeito, em causa está não só a prestação de cuidados médicos a animais socorridos pelo veículo de socorro animal do Bombeiros Voluntários de Fão e encaminhados pela equipa do Gabinete Municipal de Proteção Animal e Veterinária, mas também a realização da esterilização de todos os animais adotados e do programa CED (Captura, Esterilização e Devolução de felinos). Além disso, há a considerar a permanência nas clínicas de ninhadas e outros animais, durante pequenos períodos de tempo, devido à inexistência de instalações para a sua permanência e enquanto aguardam encaminhamento para adoção.

Em 2020 foram esterilizados aproximadamente centena e meia de animais e, este ano e até ao momento, já foram intervencionados 121 animais, sendo que o preço pago pelas esterilizações (definido no protocolo celebrado com a Ordem dos Médicos Veterinários), varia com a espécie, género e peso, sendo acrescido de IVA (23%), podendo uma esterilização variar entre os 40 e os 200 euros.

Acresce a isto que o número de denúncias/pedidos de esterilização de gatos cresce diariamente, sendo que, em 2021, o programa CED abrandou na sua execução e é agora prioritário o seu reinício, pelo que se impunha o reforço do montante afeto ao Cheque Veterinário.

Esta medida enquadra-se no Plano Municipal para o Bem-Estar Animal e pretende contribuir para a concretização dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, que o Município subscreveu.

Associada a este desígnio está também a campanha de incentivo à adoção de animais que o Município tem em curso, a qual visa enfatizar a importância da adoção consciente e valorização da proteção dos animais e pretende sensibilizar a comunidade para a realidade dos animais de rua, alertando os munícipes para a importância de lhes garantir um lar, onde possam ser acolhidos e acarinhados (vídeo em: https://www.youtube.com/watch?v=Yu25MDkI5Kk). Para mais informações, as pessoas interessadas deverão contactar a autarquia, através do e-mail: veterinaria@cm-esposende.pt.

CÂMARA DE CAMINHA MANTÉM APOSTA NO BEM-ESTAR ANIMAL

Com mais de sete centenas de esterilizações

As duas campanhas de esterilização de animais de companhia (cães e gatos) lançadas pela Câmara Municipal de Caminha já ultrapassaram as sete centenas de intervenções. A associação Selva dos Animais Domésticos registou uma taxa de execução de 100% relativamente à verba atribuída em função do Orçamento Participativo, somando 630 casos. O Município continua, por outro lado, a apoiar diretamente os munícipes e associações zoófilas legalmente constituídas, nesta área, no quadro do Regulamento do Regime Especial de Esterilização de Animais de Companhia, totalizando mais de quatro dezenas de animais de companhia intervencionados - e a aposta no bem-estar animal é naturalmente para continuar.

243895426_4329126170475212_1612946766449878945_n.j

O "Programa de Esterilização Animal – Freguesia de Caminha e Vilarelho" (com uma dotação de 30 mil euros) foi um dos projetos vencedores do III Orçamento Participativo de Caminha. Este e os restantes projetos vencedores, votados pela população entre os dias 19 de junho e 14 de julho de 2017 foram anunciados ainda nesse mês e trabalhados a seguir, por forma a poderem ser implementados. A associação Selva dos Animais Domésticos tem trabalhado afincadamente, executando o projeto com total sucesso.

A associação foi de facto a responsável pela operacionalização do projeto, cabendo também ao Município, além da transferência da verba, a monitorização do trabalho, função da responsabilidade do veterinário municipal.

De acordo com aquela associação, foram esterilizados no quadro do Orçamento Participativo de Caminha centenas de felídeos, designadamente 455 fêmeas e 175 machos, no âmbito da campanha CED -   captura, esterilização e devolução (que vai continuar), somando um total de 630 animais. Ainda segundo a associação, as freguesias em que mais animais foram esterilizados foram Vila Praia de Âncora, Caminha, Seixas, Moledo, Venade e Lanhelas.   

Entretanto, a Câmara não ficou por aqui e lançou uma segunda campanha, aprovando (em fevereiro de 2019) e pondo em prática o Regime Especial de Esterilização de Animais de Companhia. Como temos referido, este regime é aplicável aos animais de companhia, cães e gatos, cujo detentor faça parte de um agregado familiar com carências económicas, devidamente comprovadas pelos Serviços de Ação Social do Município, mas também se aplica a animais que sejam resgatados das ruas por populares ou associações zoófilas legalmente constituídas. A campanha continua em execução e o documento (regulamento), online no sítio oficial do Município na Internet, explica detalhadamente o procedimento a seguir para os candidatos poderem beneficiar deste regime. Está disponível na área “Viver”, devendo ser selecionada a componente “Documentação” e seguidamente “Regulamentos” (https://www.cm-caminha.pt/pages/726).

Neste âmbito foram intervencionados maioritariamente felídeos, mas também canídeos, ultrapassando já as oito dezenas. Este regime garante a esterilização gratuita dos animais, desde que cumpridos os pressupostos.

FAMALICÃO É UM DOS MUNICÍPIOS DO PAÍS QUE MELHOR CUIDA DOS ANIMAIS ERRANTES

Segundo dados da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV)

Segundo a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) citada, esta quinta-feira, pelo Jornal de Notícias, Vila Nova de Famalicão é um dos municípios portugueses que melhor cuida dos animais errantes, ocupando uma posição cimeira no top 10 dos municípios que mais animais recolhe da rua e também um dos que mais promove a sua adoção.

Croa de Famalicão.jpg

A informação vem confirmar o bom trabalho desenvolvido através do Centro de Recolha Animal (CROA) de Vila Nova de Famalicão, um equipamento municipal focado no acolhimento e tratamento de animais errantes.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “a proteção dos animais tem sido uma aposta estratégica do município que desde o início deste mandato dedica um pelouro à Defesa dos Animais e tem desenvolvido um conjunto de ações no âmbito da sensibilização, acolhimento, responsabilidade e dedicação animal”.

“Mas o trabalho da proteção dos animais em Famalicão não se esgota na Câmara Municipal há voluntariado, há dever cívico e há grupos informais, associações e até cidadãos neste setor com desempenho de exemplaridade nesta matéria”, acrescenta o autarca.

Refira-se que ainda a Câmara Municipal inaugurou no inicio deste mês de setembro o novo Centro de Recolha Oficial Animal de Vila Nova de Famalicão, que está instalado numa área de cerca de 5500 metros quadrados e envolveu um investimento total superior a meio milhão de euros.

Assume-se como um equipamento de qualidade que dota o concelho de um espaço com condições para acolhimento e tratamento de animais errantes, garantindo a segurança e o bem-estar animal. Permite também o desenvolvimento de ações educativas e de defesa animal.

O CROA estará equipado com todas as condições para o cumprimento dos seus objetivos e das exigências e obrigações legais inerentes a um equipamento desta natureza. Entre outras valências, o espaço está dividido em instalações por espécie (canil, gatil e outras espécies), instalações individuais e de grupo, celas de quarentena e de ninhadas, enfermaria, armazéns, gabinete veterinário, zona de desinfeção e zona de recreio e atividade física para cães e gatos.

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ APOIA CIDADÃOS QUE ESTERLIZEM OS ANIMAIS DE COMPANHIA

Tal como no ano transato, o Município de Arcos de Valdevez, de acordo com a sua estratégia de política de bem-estar animal no combate ao abandono e sobrepopulação de animais errantes, está a promover um Programa Extraordinário de Apoio à esterilização de animais de companhia, cães e gatos, pertencentes a munícipes do Concelho, até dia 30 de setembro.

esterilização de animais.jpg

Para aceder a este apoio basta efetuar a candidatura no Gabinete de Ação Social, sito na Praça Municipal, com a apresentação da seguinte documentação:

- Declaração do Médico Veterinário responsável com indicação da data da esterilização;

- Documento comprovativo da identificação eletrónica do animal (DIAC) com indicação da data de esterilização;

- Comprovativo de residência do requerente no Concelho de Arcos de Valdevez;

- Comprovativo de IBAN.

As esterilizações podem ser realizadas em qualquer centro veterinário à escolha, sendo que do valor pago o município comparticipa em:

- 55€ para esterilização de cadelas;

- 30€ para esterilização de cães;

- 35€ para esterilização de gatas;

- 15€ para esterilização de gatos.

Para além deste programa de apoio extraordinário, o Município de Arcos de Valdevez, tal como em anos anteriores, está a desenvolver uma campanha de apoio a munícipes carenciados oferecendo a esterilização dos seus animais. Esta oferta também é válida para todos os animais errantes do concelho, sinalizados pelos serviços municipais e que sejam adotados responsavelmente.

NOVA CASA PARA OS MELHORES AMIGOS JÁ ESTÁ A FUNCIONAR EM FAMALICÃO

Equipamento de proteção e tratamento de animais errantes abriu esta segunda-feira

A Defesa dos Animais é uma das áreas de intervenção municipal “onde o mandato autárquico se cumpre com superação”. Foi com sentimento de orgulho e de trabalho feito que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, assinalou, esta segunda-feira, a abertura do novo Centro de Recolha Oficial Animal, uma ferramenta ao serviço da política municipal para proteção dos animais.

AFS_5515.jpg

O novo espaço afirma-se como um centro de proteção animal, diferente dos canis existentes, que não se circunscreve ao edifício físico, mas que segue toda uma dinâmica de sensibilização, acolhimento, responsabilidade e dedicação animal.

“É claro que não podemos encerrar no Centro de Recolha Oficial Animal de Famalicão todas as políticas de defesa animal, mas é inegável que a criação desta estrutura é um passo muito relevante para que possamos estar num patamar elevado dessas políticas. É uma das áreas onde o mandato se cumpre com superação, porque conseguimos implementar medidas, conseguimos trazer propostas, conseguimos executar tarefas, conseguimos construir edificios e criar condições para que, no futuro outras ações e outras valências possam aqui ser realizadas”, destacou Paulo Cunha durante a visita às instalações.

Construído junto às instalações do antigo Canil Municipal, numa área de cerca de 5500 metros quadrados, o CROA envolveu um investimento total superior a meio milhão de euros.

Assume-se como um equipamento de qualidade que dota o concelho de um espaço com condições para acolhimento e tratamento de animais errantes, garantindo a segurança e o bem estar animal. Permite também o desenvolvimento de ações educativas e de defesa animal.

O CROA estará equipado com todas as condições para o cumprimento dos seus objetivos e das exigências e obrigações legais inerentes a um equipamento desta natureza. Entre outras valências, o espaço está dividido em instalações por espécie (canil, gatil e outras espécies), instalações individuais e de grupo, celas de quarentena e de ninhadas, enfermaria, armazéns, gabinete veterinário, zona de desinfeção e zona de recreio e atividade física para cães e gatos.

ADOÇÕES ULTRAPASSAM 30 ANIMAIS POR DIA

A promoção de políticas municipais amigas dos animais reflete-se nos comportamentos da comunidade. Paulo Cunha destacou isso mesmo, adiantando que “a envolvência da comunidade tem registado uma evolução muito positiva. Temos números de adoções de cerca de 30 animais por mês, o que é fantástico, o que dá cerca de um animal por dia. É um número excelente”, referiu, acrescentando que “o cuidado das pessoas em relação aos animais não se mede só com a adoção mede-se também no não abandono e nos cuidados a ter com os animais. O ato de ter um animal em casa, é um ato de grande responsabilidade e os famalicenses estão muitos conscientes disso”.

AFS_5509.jpg