Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

"TRAGA PILHAS" DA EPATV PREMIADO PELAS ECO-ESCOLAS

PARABÉNS à Escola Profissional Amar Terra Verde pelo prémio no projeto GERAÇÃO DEPOSITRÃO no escalão escolas com ensino secundário, profissional e superior.

EPATV - Traga pilhas_4.jpg

A Escola Profissional Amar Terra Verde associou-se mais uma vez à Geração Depositrão, no projeto “Constrói o teu Traga Pilhas”. Esta atividade consistiu na construção de um equipamento de recolha de pilhas, usando a reutilização de materiais com criatividade e originalidade.

Num enquadramento de uma aprendizagem baseada em projetos, os alunos RECOLHERAM e REUTILIZARAM componentes eletrónicos de anos anteriores, e criaram um sistema eletrónico que permite a interação do TRAGA PILHAS com as pessoas que dele se aproximem e/ou coloquem pilhas para a reciclagem, por exemplo, a contabilização das pilhas permitirá efetuar uma estimativa da quantidade de produtos perigosos que se irão RECILAR.

Com a construção do TRAGA PILHAS os alunos adquiriram conhecimentos acerca da importância da reciclagem de pilhas e da reutilização de equipamentos – A ECONOMIA CIRCULAR.

A participação nos desafios lançados pela ECO-ESCOLAS promove nos alunos da EPATV a “consciência e responsabilidade ambiental e social, trabalhando colaborativamente para o bem comum, com vista à construção de um futuro sustentável” (Perfil do Aluno – domínio do Bem-Estar, Saúde e Ambiente). 

A RECICLAGEM é fundamental e as escolas representam um papel muito importante na informação, formação e educação dos adultos de AMANHÃ!

EPATV - Traga pilhas_2.jpg

PRIMEIROS SAPADORES DOS RIOS+ PROTEGEM E VALORIZAM O RIO HOMEM EM TERRAS DE BOURO

O Município de Terras de Bouro, em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), iniciou os trabalhos de reabilitação e valorização do rio Homem com uma equipa de sapadores dos rios.

tbourosapadores (6).png

A equipa é constituída por técnicos especializados em limpeza e valorização de margens de rios que desenvolvem tarefas de contenção de espécies exóticas invasoras, nomeadamente, da mimosa (Acacia dealbata), realizam podas de formação, corte de algumas espécies espontâneas, tais como silvados, plantação de árvores autóctones ribeirinhas por raiz nua e estacaria, aplicação de soluções Técnicas de Engenharia Natural para estabilização das margens e limpeza e valorização do património hidráulico, nomeadamente, de poldras, passadeiras e pontes.

Com esta intervenção pretende-se contribuir para a preservação da biodiversidade local, nomeadamente, através da proteção do habitat prioritário 91E0 – Amiais (Alnus glutinosa), bem como dos habitats da lontra, do guarda-rios e do feto-real, assegurando as boas práticas de atuação no corredor ecológico ribeirinho.

A equipa de sapadores dos rios+ recebeu formação teórica e prática in loco pelo Dr. Pedro Teiga estando também habilitados a realizar sensibilização ambiental dos proprietários ribeirinhos durante os trabalhos.

tbourosapadores (1).png

tbourosapadores (2).png

tbourosapadores (3).png

tbourosapadores (4).png

tbourosapadores (5).png

VIANA DO CASTELO: SANTA MARTA DE PORTUZELO HASTEIA BANDEIRA VERDE

A Junta de Freguesia de Santa Marta de Portuzelo realizou ontem, dia 4 de julho, uma singela cerimónia para Hastear a Bandeira Verde. Estiveram presentes o Vereadores Municipais Luís Nobre e Hermenegildo Costa, a Presidente da Assembleia de Freguesia, Dr.ª Alice Antunes, membros da Assembleia, associações e vários Santamartenses que se quiseram juntar ao evento.

Santa Marta de Portuzelo ergue Bandeira verde1.jpg

A freguesia de Santa Marta de Portuzelo foi novamente distinguida pela ABAE com galardão de Eco-Freguesia XXI.

Este galardão, obtido pela 2.ª vez na freguesia, continua a premiar as boas práticas nos domínios social, económico e ambiental realizados pelos Santamartenses e as Instituições da Freguesia de Santa Marta de Portuzelo.

A Freguesia de Santa Marta de Portuzelo e os Santamartenses assumiram de forma clara este compromisso da sustentabilidade.

A sessão de entrega do Galardão Eco-Freguesia XXI decorreu no dia 21 de Junho, em Pombal.

Este é mais um sinal que este é o bom caminho! É importante que cada um faça a sua parte e esteja disposto a ir na direção da responsabilidade ambiental.

Santa Marta de Portuzelo ergue Bandeira verde2.jpg

ESPAÇO GUIMARÃES CELEBRA O DIA INTERNACIONAL SEM SACOS DE PLÁSTICO

3 de julho | Espaço Guimarães

O Espaço Guimarães reforça o compromisso com o planeta e promove uma iniciativa green com o intuito de sensibilizar para a reutilização de sacos de plástico e o seu correto encaminhamento para a reciclagem.

espaçoguima.jpg

A proteção do nosso planeta está na ordem do dia para o Espaço Guimarães. No dia 3 de julho, o centro comercial, gerido pela Klépierre, assinala o Dia Internacional Sem Sacos de Plástico com a distribuição gratuita de sacos de algodão aos clientes.

Atualmente, cerca de 8 mil toneladas de plástico são lançadas para o oceano, algo que tem tido um forte impacto na degradação do planeta. Como forma de combater esta problemática, o Espaço Guimarães dinamiza uma ação que pretende apelar à reutilização de sacos de compras e uso de materiais sustentáveis nas práticas do dia-a-dia.

No próximo sábado, dia 3 de julho, nos corredores do centro comercial vai poder recolher um saco de algodão para utilizar nas suas próximas compras. Diga não aos sacos de plástico e opte por uma solução amiga do ambiente.

A nova medida nasce pelo forte compromisso do Espaço Guimarães com a sustentabilidade e proteção do ecossistema, enquadrado no eixo de responsabilidade social e ambiental Act4Planet.

Em 2021 foram várias as iniciativas implementadas pelo centro comercial, desde a introdução da tela purificadora no centro da cidade de Guimarães; o mais recente parque de estacionamento gratuito para bicicletas e trotinetes, como um incentivo ao uso destes veículos ecológicos; e a instalação de eco-pontas e papa-chicletes nas duas entradas principais do centro, os depósitos interativos para as beatas e chicletes.

Assuma o compromisso com o Espaço Guimarães e ajude a cuidar do nosso planeta.

BLOCO DE ESQUERDA EM CAMINHA REÚNE COM ASSOCIAÇÃO COREMA

A Corema é uma das mais antigas associações de defesa do ambiente e património do Norte de Portugal. Tem sede em Lanhelas e recebeu a pedido destes, na sua sede, os 1ºs candidatos das listas do Bloco de Esquerda à Câmara e Assembleia Municipal do Concelho de Caminha e à Assembleia de Freguesia de Caminha e Vilarelho, na passada segunda-feira, dia 28 de junho.

1024px-Flag_of_the_Left_Bloc.svg.png

A reunião permitiu obter uma perspetiva de dirigentes associativos muito bem informados sobre a realidade ambiental do Concelho. 

O tema central e de diálogo mais alargado, pela preocupação que suscita, foi a questão da exploração de Lítio na Serra d’Arga. 

A perspetiva da associação ecologista do concelho de Caminha, que construiu parcerias muito ativas com outras entidades da região do Alto Minho e de outras regiões do país sobre este tema, é que lutar contra a mineração de lítio é uma prioridade que devia unir todos os cidadãos do Alto Minho, num largo consenso das instituições públicas e da sociedade civil. 

E sem ceder à desinformação, que lança, para adormecer a cidadania, a ideia pacificadora de que a zona protegida da Serra não será abrangida e que escamoteia que, à volta dessa zona central, se anunciam enormes projetos de mineração. 

Essa é uma posição em que o Bloco de Esquerda coincide com muitos dos atores da sociedade civil do concelho e das zonas vizinhas. Os nossos eleitos apoiarão sem hesitações a ideia essencial: a Serra d’Arga não pode ser transformada numa área de minas a céu aberto, com centenas de metros de largura e profundidade, com riscos de saúde para os habitantes e de destruição de ecossistema. A aquisição de um passivo ambiental, como o que se deteta noutros países como o Canadá ou Austrália, não será nunca compensada pelos ganhos de curto prazo, que possam fazer seduzir, com cantos de sereia, para o negócio com as companhias de mineração. 

Aliás, foi recordado que, em certas zonas do Alto Minho, já houve projetos de mineração com técnica semelhante, mas menores, com custos ambientais que, ainda hoje, décadas passadas, se pagam em poluição e degradação ambiental. As empresas exploradoras da mina fecharam e o custo de reconstituição dos espaços (renaturalização) acabou por reverter para o Estado e para os cidadãos que estas se esqueceram de indemnizar. 

Muitos outros temas foram abordados numa longa conversa que inclui o registo de muitas propostas e ações da associação, a precisar de apoio e parceria pública, municipal e de outros níveis de decisão: reintrodução de camarinhas no Pinhal do Camarido e projeto de educação ambiental em edifícios abandonados a recuperar nessa mata, o combate a espécies vegetais invasoras ou caça em zonas protegidas ou de elevado interesse ambiental. 

O diálogo será alargado, com outras entidades e com todas aquelas que nos queiram receber, na perspetiva que aconteceu neste caso: ouvir, refletir, prometer estudo e análise, sem promessas precipitadas e ocas que outros já vêm fazendo de obras faraónicas que se anunciam só para encher o olho, sem trazer real desenvolvimento. 

Desenvolvimento não são grandes obras que nem se sabe se algum dia se farão. Desenvolvimento podem ser obras pequenas e de custo modesto, motivadas pela sociedade e associações, com gestão equilibrada dos recursos que existem e que se tem de proteger. 

O que desenvolverá realmente mais o Concelho de Caminha? Será uma obra milionária, que nem depende do município, que até precisa de autorização de 2 Estados e que ainda nem se estudou se é económica ou ambientalmente viável? Será um hotel com pouco mais de uma dezena de quartos, de viabilidade económica remota, em que nem se sabe como será o acesso para os turistas? Ou, simplesmente, recuperar a mata do Camarido ou a zona da foz do Minho, como espaço ecologicamente protegido e equilibrado, com a vegetação natural sem invasoras, com condições para ser conhecido pelos cidadãos, residentes ou visitantes. 

Esta é uma das perguntas em que a candidatura do Bloco de Esquerda vai dar resposta aos eleitores. Basta que escolham mudar. 

VIANA DO CASTELO: CENTRO DE MAR ACOLHEU CERIMÓNIA DE HASTEAMENTO DAS BANDEIRAS AZUIS E OSTENTA TÍTULO DE CENTRO AZUL

O Centro de Mar, instalado no navio Gil Eannes, acolheu a cerimónia simbólica de hasteamento das nove bandeiras azuis do concelho de Viana do Castelo. Os presidentes de junta, o presidente da Câmara Municipal e o vice-presidente da APA marcaram presença no hastear de bandeira do Centro de Mar, que ostenta novamente o título de Centro Azul.

ABELO6740 2.jpg

As praias do concelho, recorde-se, voltaram a ser distinguidas, sendo que há mais um galardão do que nos anos transatos: Arda (Mariana), Afife, Paçô, Carreço, Praia Norte, Cabedelo, Amorosa, Luziamar e Castelo de Neiva. Esta é uma distinção atribuída anualmente pela Fundação para a Educação Ambiental (FEE) a praias (marítimas e fluviais) e marinas que cumpram um conjunto de requisitos de qualidade ambiental, segurança, bem-estar, infraestruturas de apoio, informação aos utentes e sensibilização ambiental.

Já o vice-presidente da Agência Portuguesa do Ambiente descerrou a placa do Centro Azul no Centro de Mar, que é mais uma vez o Posto de Informação Bandeira Azul, uma estrutura onde se prestam informações e se realizam atividades de Educação Ambiental no âmbito do Programa Bandeira Azul.

ABELO6774 2.jpg

ABELO6794 2.jpg

ABELO6677 2.jpg

ABELO6693 2.jpg

ABELO6706 2.jpg

ABELO6716 2.jpg

ABELO6727 2.jpg

ABELO6632 2.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE HASTEOU BANDEIRA AZUL E INAUGUROU TRILHO DO AMBIENTE

Foi ontem hasteada a Bandeira Azul na praia de Suave Mar, cerimónia simbólica que assinala a atribuição do galardão que reconhece a excelência de quatro praias do concelho de Esposende. Apúlia, Ofir, Suave Mar e Cepães voltam a ostentar a distinção da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) para a época balnear 2021. Esta cerimónia, que foi também acompanhada pela Autoridade Marítima, foi complementada com a inauguração do Trilho do Ambiente, no passadiço da Praia de Suave Mar, numa iniciativa conjunta do Município de Esposende, da Esposende Ambiente e da Associação de Pais e Amigos das Crianças Inadaptadas (APACI).

safe_imageESPOSENDEAZUL.jpg

“O Município de Esposende tem uma grande preocupação social e está sempre disponível para colaborar com projetos como este que a APACI desenvolveu. Essa adesão é imediata, quando conjuga iniciativas da área social e de defesa do ambiente”, argumentou Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende, sublinhando que “o bem-estar das pessoas está sempre em primeiro lugar, pelo que o compromisso a este nível é muito grande”.

Maria Eduarda Rego, presidente da APACI, sublinhou a “importância de fazer parte da defesa do Planeta Azul” e lembrou a “fidelidade” que os meninos da APACI empregam a esta causa.

Ao longo do percurso estão colocadas mensagens de sensibilização para a preservação ambiental, incentivando a prática de ações positivas.

Os clientes da APACI estiveram envolvidos em todo o processo de elaboração das placas, desde a escolha das mensagens e imagens, ao tratamento das madeiras e inscrição das frases e fizeram questão de ver o efeito da sua colocação no passadiço da Praia de Suave Mar.

Esposende continua a distinguir-se pelas boas práticas ambientais e pela excelência das suas praias. A atribuição do galardão Bandeira Azul às quatro praias de Esposende representa a confirmação do cumprimento dos critérios de qualidade da água, de segurança e serviços, de gestão ambiental e equipamentos e de informação e educação ambiental.

Esposende mantém-se como excelente destino balnear, corroborado pela Quercus que classificou com “Qualidade Ouro” seis praias do concelho, designadamente Rio de Moinhos, Cepães, Suave Mar, Ofir, Apúlia e Ramalha. A componente das acessibilidades não foi também descurada e Apúlia e Cepães ostentam também o galardão de Praia Acessível.

Todas estas ações enquadram-se no compromisso de contributo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, nomeadamente os referentes a Educação de Qualidade (ODS 4), Água Potável e Saneamento (ODS 6), Ação Climática (ODS 13), Proteger a Vida Marinha (ODS 14), Proteger a Vida Terrestre (ODS 15) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

ARCOS DE VALDEVEZ: MUSEU DA ÁGUA AO AR LIVRE ASSINALOU DIA MUNDIAL DO AMBIENTE

No âmbito do Dia Mundial do Ambiente, o Museu da Água ao Ar Livre do Rio Vez recebeu 75 alunos da Escola Sede da EPRALIMA – Escola Profissional do Alto Lima.

Dia Mundial do Ambiente - Museu da Água (1).jpg

A iniciativa envolveu a participação dos alunos em diversas saídas de campo, onde puderam conhecer melhor a riqueza da flora autóctone do rio Vez, mas também as ameaças que enfrentam, em particular das Plantas Invasoras.

Esta atividade permitiu sensibilizar os participantes para a importância da flora autóctone, assim como a sua preservação, e os impactes negativos das Plantas Invasoras nos ecossistemas, bem como os métodos existentes para a prevenção e controlo da proliferação das mesmas.

Dia Mundial do Ambiente - Museu da Água (2).jpg

Dia Mundial do Ambiente - Museu da Água (3).jpg

Dia Mundial do Ambiente - Museu da Água (4).jpg

MUNICÍPIO DE BARCELOS CONTINUA A APOSTAR NA RECOLHA SELETIVA DE RESÍDUOS

O Município tem feito uma forte aposta no setor ambiental, promovendo, cada vez mais, a recolha seletiva de resíduos. Só nos últimos dois anos, foram investidos mais de 300 mil euros na compra de um número superior a 750 novos contentores e ecopontos.

A par desta aposta, a Câmara Municipal tem vindo também a proceder à alteração da tipologia dos equipamentos de deposição de resíduos urbanos indiferenciados, de forma a melhorar o desempenho do concelho e, consequentemente, reduzir este tipo de resíduos.

Recentemente, a autarquia adquiriu 12 novos contentores subterrâneos, num investimento de quase 16 mil euros (IVA incluído). Trata-se de equipamentos com uma capacidade de deposição superior à habitual, chegando aos 3.000 litros cada. Estes novos contentores, de três metros cúbicos, são recolhidos por viatura de carga lateral, com processo de recolha automatizado.

A autarquia procede, desta forma, à reconversão de 12 contentores  subterrâneos de resíduos indiferenciados, passando a ficar disponíveis e devidamente sinalizados equipamentos para deposição de resíduos valorizáveis.

Com esta medida, o Município aumenta a disponibilidade e a acessibilidade a mais contentores de deposição seletiva de resíduos, facilitando a separação por parte do munícipe e promovendo, igualmente, a melhoria contínua dos índices de reciclagem no concelho.

ESPOSENDE AMBIENTE COM SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL MODELO

A empresa municipal Esposende Ambiente mantém-se como um exemplo de conformidade na adoção de ferramentas de gestão na área da Qualidade, do Ambiente, da Saúde e Segurança no Trabalho e da Responsabilidade Social.

sede Esposende Ambiente.JPG

A empresa, cujo Sistema de Gestão Empresarial foi recentemente reestruturado, de modo a melhor adequar-se à sua realidade atual, foi alvo de uma auditoria por parte da entidade certificadora, que atestou que “o Sistema implementado está, globalmente, concebido, implementado e mantido de acordo com os requisitos das normas de referência, e demonstra aptidão para, de forma consistente, cumprir com os requisitos aplicáveis, atingir os objetivos e realizar a política da organização”.

Ao longo de três dias, a equipa auditora acompanhou os trabalhos desenvolvidos pela Esposende Ambiente, nomeadamente no exterior, como a regularização de areal, o corte de ervas daninhas, a varredura de ruas, os trabalhos em curso na primeira fase do saneamento básico e requalificação urbana no Lugar do Outeiro-Marinhas, bem como a sua resposta ao rebentamento de uma junta cega, com o pressuposto da obrigatoriedade do cumprimento dos requisitos ao nível da Qualidade, Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho e da Responsabilidade Social.

A auditoria decorreu, ainda, em vários espaços da empresa - Sede, Armazém, Centro de Educação Ambiental e Parque de Compostagem - numa perspetiva da qualidade do serviço prestado pela empresa aos seus clientes, o seu respeito pelo ambiente e pelas condições de trabalho e bem-estar dos seus colaboradores. Para o efeito, analisou os suportes documentais utilizados, os indicadores recolhidos, bem como a gestão das reclamações e insatisfações recebidas e a forma como avalia a satisfação dos seus clientes e colaboradores. O objetivo, em suma, era avaliar de que modo a Esposende Ambiente evidencia o seu percurso de melhoria contínua.

Como pontos fortes, a entidade certificadora destacou o envolvimento e acompanhamento do sistema pela Administração, a competência da equipa da qualidade, ambiente e segurança, a utilização de ferramentas informáticas, a aposta contínua na formação/sensibilização dos colaboradores, a procura de soluções para a melhoria das condições existentes nos locais de trabalho, os procedimentos estabelecidos na resposta à Covid-19, bem como melhorias várias em diversos setores.

Tendo subjacente o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, a Esposende Ambiente mantém, assim, a estratégia de qualidade de serviço, respeito pelo ambiente e garantia de boas condições de trabalho.

VIANA DO CASTELO: ALVARÃES E SANTA MARTA DE PORTUZELO VÃO RECEBER BANDEIRA VERDE ECO-FREGUESIAS XXI

A Câmara Municipal de Viana do Castelo congratula-se com o facto de as freguesias de Alvarães e Santa Marta de Portuzelo terem sido selecionadas para receberem a Bandeira Verde Eco-Freguesias XXI. A entrega das bandeiras acontece a 21 de junho, numa cerimónia que acontece no Teatro-Cine de Pombal.

A Bandeira Verde é simultaneamente um reconhecimento e uma responsabilidade. Simboliza o compromisso em continuar a trabalhar por um território e uma comunidade mais sustentáveis.

O ECOFREGUESIAS XXI visa trabalhar com as freguesias a fim de contribuir para implementação da sustentabilidade ambiental, social e económica a nível local, reconhecendo e divulgando as melhores práticas associadas à cidadania participativa e à gestão sustentável do território.

Este é um conceito agregador que identifica os municípios (ECOXXI), as freguesias (Eco-Freguesias XXI), assim como os destinos turísticos (Green Destinations) que são parte integrante deste movimento de mudança e, por isso mesmo, cumprem um conjunto de critérios de sustentabilidade.

CAMINHA: PRAIA DO FORTE DO CÃO DISTINGUIDA COMO PRAIA ZERO POLUIÇÃO

A Praia do Forte do Cão, na freguesia de Âncora, é uma das 53 praias portuguesas de Zero Poluição. A distinção foi divulgada ontem pela associação ambientalista ZERO, e traduz uma classificação de excelência, por resultar de análises realizadas em três épocas balneares sucessivas, em que não foi detetada qualquer contaminação microbiológica.

198761537_3990960957625070_1228369041043593006_n.j

A própria associação reconhece que não é fácil atingir este grau de qualidade e explica que a classificação das praias é conseguida a partir de dados solicitados à Agência Portuguesa do Ambiente: “a associação ZERO identificou as praias que, ao longo das três últimas épocas balneares (2018, 2019 e 2020), não só tiveram sempre classificação excelente como apresentaram valores zero ou inferiores ao limite de deteção em todas as análises efetuadas aos dois parâmetros microbiológicos controlados e previstos na legislação”.

As praias distinguidas, onde se inclui a praia caminhense, representam 8% do total das 643 zonas balneares que vão estar em funcionamento nesta época.

Recorde-se que o concelho de Caminha mantém também, nesta época balnear, as cinco Bandeiras Azuis. Todas as praias marítimas hasteiam a Bandeira Azul em 2021: Praia da Foz do Minho, Praia de Moledo, Praia de Vila Praia de Âncora e Praia do Forte do Cão, assim como a praia fluvial das Azenhas, em Vilar de Mouros.

Este ano haverá uma nova praia, Pedras Ruivas, na freguesia de Seixas, incluída oficialmente na listagem nacional de praias de banhos.

A época balnear para as praias da Foz do Minho, Moledo, Vila Praia de Âncora e Forte do Cão, começa este sábado, dia 12 de junho e termina a 12 de setembro. No caso das Azenhas, em Vilar de Mouros e da nova Praia de Pedras Ruivas, a época inicia-se a 1 de julho terminando a 31 de agosto.

Sábado, Moledo acolherá também a cerimónia oficial de hastear da primeira Bandeira Azul da Região Norte. terá lugar em Moledo, no dia 12 de junho (sábado), no Auditório António Pedro, pelas 11h30. A sessão contará com a presença das forças vivas do território que trabalham na praia e será presidida pela Secretária de Estado do Turismo, Mestre Rita Mendes.

MOLEDO ACOLHE SÁBADO A CERIMÓNIA OFICIAL DE HASTEAR DA PRIMEIRA BANDEIRA AZUL DA REGIÃO NORTE

Secretária de Estado do Turismo, Mestre Rita Mendes, preside à sessão

A cerimónia oficial de hastear da primeira Bandeira Azul da Região Norte terá lugar em Moledo, no dia 12 de junho (sábado), no Auditório António Pedro, pelas 11h30. A sessão contará com a presença das forças vivas do território que trabalham na praia e será presidida pela Secretária de Estado do Turismo, Mestre Rita Mendes.

imagem  (1)moledo.jpg

O concelho de Caminha mantém, nesta época balnear, as cinco Bandeiras Azuis. Todas as praias marítimas hasteiam a Bandeira Azul em 2021: Praia da Foz do Minho, Praia de Moledo, Praia de Vila Praia de Âncora e Praia do Forte do Cão, assim como a praia fluvial das Azenhas, em Vilar de Mouros.

Recorde-se que, em 2015, pela primeira vez em 26 anos, desde que a Bandeira Azul era atribuída, o concelho de Caminha conseguiu conquistar a Bandeira Azul nas quatro praias marítimas, incluindo a de Vila Praia de Âncora nas praias galardoadas.

Em 2018 atingiu-se outra importante conquista, com o sucesso da candidatura da Praia das Azenhas, em Vilar de Mouros. Em 2019 voltou a ser “tudo azul”, assim como em 2020 e agora.

Este ano, em matéria de praias, há mais uma boa novidade. O Município viu coroado o seu trabalho, desenvolvido ao longo dos últimos anos, para incluir Pedras Ruivas na listagem nacional de praias de banhos e o resultado chegou em 2021. Pedras Ruivas é uma das praias oficiais e nela será assegurada a presença de nadadores-salvadores durante a época balnear de 2021, monitorizando-se a qualidade da água e definindo-se regras relativamente à ocupação e utilização da área balnear.

No sábado, antes da cerimónia em Moledo, serão hasteadas, a partir das 9h30, as Bandeiras Azuis nas praias da Foz do Minho, Forte do Cão e Vila Praia de Âncora, respetivamente. Após a sessão em Moledo, decorrerá um passeio inaugural da Ecovia Caminha – Caminho do Rio Minho – Troço Pedras Ruivas/Cais de S. Bento, em Seixas. Esta obra resultou de uma parceria entre o Município de Caminha e a Agência Portuguesa do Ambiente. O ponto de encontro será no Cais de S. Bento, na Avenida da Marginal de Seixas. O passeio a pé terá a duração máxima de 15 minutos.

A época balnear para as praias da Foz do Minho, Moledo, Vila Praia de Âncora e Forte do Cão, começa no dia 12 de junho e termina a 12 de setembro. No caso das Azenhas, em Vilar de Mouros e da nova Praia de Pedras Ruivas, a época inicia-se a 1 de julho terminando a 31 de agosto.

BRAGA EXPÕE "O MEU CAVAQUINHO É ÉCOLÓGICO"

EXPOSIÇÃO "O MEU CAVAQUINHO É ÉCOLÓGICO" de 18 a 30 de Junho de2021.

Vimos convidar todos os participantes do Concurso Braga á Janela, organizado em 2015, a participarem com as suas peças, na exposição O Meu Cavaquinho é Ecológico, que terá lugar no Museu dos Biscainhos de 18 a 30 de Junho de 2021.Somente tem que entregar as peças na recepção do Museu, onde serão etiquetadas para a exposição e posterior devolução.

Ficamos a aguardar as vossas peças.

197366179_2557514237891502_2691705980863906728_n.j

MUNICÍPIO DE VIANA DO CASTELO APOIA JUNTAS DE FREGUESIA NA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

Município investe 206 mil euros para conservação, requalificação e valorização ambiental com Juntas de Freguesia

O Município de Viana do Castelo estabeleceu um conjunto de protocolos de conservação, requalificação e valorização ambiental com as Juntas e Uniões de Freguesia do concelho, num investimento global superior a 206 mil euros, assinalando também o Dia Mundial dos Oceanos. Na cerimónia de assinatura dos protocolos, que aconteceu nos Antigos Paços do Concelho, marcaram presença o Presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, e o Vereador da Coesão Territorial, Luís Nobre, bem como autarcas das diversas freguesias abrangidas.

ABELO8977 2.jpg

Assim, para o Programa de Conservação e Valorização Ambiental dos espaços da orla costeira envolvendo os territórios e as zonas balneares, a verba global é de 169.487 euros. Este programa irá apoiar as Juntas e Uniões de Freguesias com zona balnear, nomeadamente Afife – Praias da Arda e Ínsua (33.087 euros), Areosa – Praia Norte (20 mil euros), Carreço – Praia de Carreço e Paçô (30 mil euros), Castelo do Neiva – Praia de Castelo do Neiva (17.600 euros), Chafé – Praia da Amorosa (32.200 euros), Darque – Praia do Cabedelo e Luziamar (18 mil euros), União de Freguesias de Viana do Castelo e Meadela – Praia Norte e Praia do Coral (3.000 euros) e Vila Nova de Anha – Praia do Rodanho (15.600 euros).

Já para o Programa de Conservação, Requalificação e Valorização Ambiental dos espaços naturais envolvendo os territórios das praias, espaços de recreio e lazer, foram atribuídas verbas a freguesias variadas, num apoio global de 37.500 euros.

Assim, foram protocolados apoios a Alvarães – Azenha da Almerinda (2.500 euros), Amonde – Pincho (2.500 euros), Darque – São Lourenço (2.500 euros), Lanheses – Parque Verde (2.500 euros), Santa Marta de Portuzelo – Parque de Merendas da Preguiça (2.500 euros), União de Freguesias de Geraz do Lima e Deão – Candeias (2.500 euros), União de Freguesias de Subportela, Deocriste e Portela Susã – Torrenta (5.000 euros), União de Freguesias de Cardielos e Serreleis – Cardielos, Parque de Merendas; Serreleis, Barco do Porto (2.500 euros), União de Freguesias de Mazarefes e Vila Fria – Praia Fluvial de São Simão (2.500 euros), União de Freguesias de Viana do Castelo e Meadela – Argaçosa (10 mil euros) e Vila Franca – Barco do Porto (2.500 euros).

ABELO8990 2.jpg

ABELO9116 2.jpg

ABELO9122 2.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ASSINALA DIA MUNDIAL DO AMBIENTE

Apresentado Estudo Municipal para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos de Esposende

Como forma de assinalar o Dia Mundial do Ambiente, que se comemora a 5 de junho, o Município de Esposende promoveu uma sessão de apresentação pública da versão preliminar do Estudo Municipal para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos de Esposende, que se encontra em consulta pública.

compostagem.jpg

A sessão, que decorreu em formato online, pretendeu inteirar os munícipes sobre este estudo, elaborado no âmbito da aprovação de uma candidatura ao Programa do Fundo Ambiental.

Este estudo decorre de uma diretiva da União Europeia, que estabelece a obrigatoriedade de os estados membros assegurarem, até final de 2023, que os biorresíduos sejam separados e reciclados na origem, ou recolhidos seletivamente, evitando o seu envio para aterro.

Neste sentido, Esposende teve que definir o modelo de recolha seletiva e valorização de resíduos alimentares e de jardim (verdes), os quais representam mais de 40% do total dos resíduos gerados, tendo optado por um modelo de recolha seletiva porta-a-porta e compostagem.

A elevada abrangência e uma captura de quase 60% dos biorresíduos a recolher em 2030, são objetivos tão ambiciosos quanto necessário à evolução para uma economia mais circular. Uma importante fonte de resíduos alimentares é o setor não doméstico (cerca de 700 toneladas/ano), canal HORECA e instituições (lares de idosos, supermercados, etc.), sendo que a recolha dedicada melhorará a salubridade do serviço e aumentará a responsabilização individual de cada um dos agentes económicos neste esforço coletivo de separação dos resíduos alimentares na origem. A sensibilização assume, neste particular, uma grande relevância e constitui uma peça importante da mudança necessária.

A recolha seletiva de biorresíduos e a sua valorização resultará, ainda, em benefícios económicos locais, fomentando-se a compostagem doméstica e comunitária, sendo que o fruto desse trabalho será o fertilizante a distribuir pelos próprios utilizadores e a ser aplicado nos espaços verdes das freguesias e do município.

O investimento (valor acumulado descontado) é de 702 mil euros em 21euros/habitante, esforço financeiro que terá que ser visto numa perspetiva de médio e longo e prazo, e como otimização no âmbito da recolha integrada com os resíduos indiferenciados.

Recorde-se que o Estudo Municipal para o Desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos de Esposende encontra-se em consulta pública até 17 de junho. Os interessados podem aceder a www.biorresiduos.esposende.pt e participar na consulta pública, através do preenchimento do formulário submetendo, assim, o seu contributo.

Este estudo insere-se na estratégia ambiental do Município e contribui para o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 11 - Cidades e comunidades sustentáveis, ODS 12 – Produção e consumos sustentáveis, ODS 13 - Ação Climática e ao ODS 17 - Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável.

compostores.jpg

240920081397.jpg

ESPOSENDE: VOLUNTÁRIOS RECOLHEM 1,35 TONELADAS DE RESÍDUOS NAS PRAIAS E ZONAS RIBEIRINHAS

Mais de 150 voluntários recolheram cerca de 1,35 toneladas de resíduos no litoral e zonas ribeirinhas do concelho de Esposende, desde o limite norte do concelho, na Foz do Rio Neiva, em Antas, até à Praia da Ramalha, em Apúlia.

limpeza praia (1).jpeg

Abrangendo cerca de 8 quilómetros de praias, dunas e zonas ribeirinhas, correspondente a metade do litoral de Esposende, esta ação de voluntariado ambiental teve lugar no dia 29 de maio e foi realizada no âmbito do projeto E-Redes (aprovado ao abrigo do Aviso para Apresentação de Candidaturas Small Grants Scheme #1 – Projetos para a prevenção e sensibilização para a redução do lixo marinho), constituindo uma das muitas iniciativas previstas e realizadas durante a Semana da Biodiversidade 2021.

Para além da Câmara Municipal de Esposende, da Esposende Ambiente e da Associação Rio Neiva, respetivamente, promotor e parceiros do projeto E-Redes, esta ação contou também com a preciosa colaboração e/ou participação do Parque Natural do Litoral Norte, da Junta de Freguesia de Antas, da União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, do Agrupamento de Escuteiros de Marinhas, de escolas de surf e kitesurf do concelho (Element Fish, GKS Clube, Salt Flow e Esposende Surf Team), da Atlantic Diving Esposende, da Associação Cívica Mais Esposende, da Zouri Shoes, da Associação de Trabalhadores do Município (ADCRSME) e de vários voluntários que, individualmente, quiseram dar o seu contributo para a melhoria da qualidade das praias do concelho.

Com esta ação, adiada por duas vezes no último ano devido à pandemia, foi possível recolher resíduos trazidos pelo mar para o areal ou “esquecidos” pelos utilizadores, arrastados pelos rios e linhas de água, assim como artefactos utilizados normalmente pelos pescadores, contribuindo para preservar os habitats abrangidos e melhorar significativamente a imagem destes locais.

Além da comunidade em geral, também a comunidade educativa tem vindo a participar ativamente em ações de voluntariado ambiental visando a recolha de resíduos nas praias, dunas e espaços ribeirinhos. No passado dia 14 de maio foram realizadas ações de limpeza em três áreas do concelho, que contaram com a participação de 87 voluntários da Escola Profissional de Esposende, Escola Básica de Gemeses e alunos com necessidades educativas especiais, e que resultaram na recolha de quase 300 quilos de resíduos. Já no dia 24 de maio, com a colaboração de uma turma da Escola Básica António Rodrigues Sampaio, foram recolhidos mais cerca de 170 quilos de resíduos, entre as praias de Cepães e de Suave Mar.

Pretende-se, assim, alertar a população mais jovem para a problemática dos resíduos nas praias e oceanos, reduzir o impacto dos plásticos descartáveis no ambiente marinho, contribuir para a preservação dos habitats abrangidos e fomentar o voluntariado ambiental junto dos munícipes.

Durante as iniciativas foram acauteladas as medidas de prevenção da Covid-19 em vigor, nomeadamente no que diz respeito ao cumprimento do distanciamento social, higienização, número máximo de elementos por grupo e utilização de máscara durante a atividade.

O projeto E-Redes é um estudo-piloto promovido pelo Município, em parceria com a empresa municipal Esposende Ambiente, a Universidade do Minho e a Associação de Defesa do Ambiente - Rio Neiva, que visa fomentar o uso de redes biodegradáveis e, paralelamente, recolher, quantificar e monitorizar o lixo marinho presente nas praias do concelho.

Por esta via, o Município de Esposende está a contribuir para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 12 – Produção e Consumo Sustentáveis, ODS14 – Proteger a Vida Marinha, e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

limpeza praia (1).jpg

limpeza praia (2).jpg

limpeza praia (3).jpg

TERRAS DE BOURO CONTROLA INVASORAS LENHOSAS

No próximo dia 18 de junho realizar-se-á, no Auditório do Centro de Animação Turística da Vila do Gerês, um seminário relativo ao "Controlo de Invasoras Lenhosas em Terras de Bouro ", constituído por um painel de oradores que irão falar desde o grande projeto de controlo de mimosas realizado em Vilar da Veiga, assim como á cerca de algumas temáticas, desde técnicas e modos de combate e o historial de invasoras em pleno PNPG.
Um programa bastante interessante que aborda uns dos assuntos que mais afetam as espécies autóctones e biodiversidade desta região, as espécies invasoras.
Inscrições podem ser feitas até dia de 16 de junho e devido as regras em vigor, terá limitação de pessoas.

193398239_212880843985214_415669257412702581_n.jpg

ABAE ESCOLHE PRAIA DE MOLEDO PARA A CERIMÓNIA DE INÍCIO DA ÉPOCA BALNEAR 2021

Concelho com cinco Bandeiras Azuis, quatro praias Qualidade Ouro e uma nova praia fluvial

A Associação Bandeira Azul da Europa – ABAE escolheu a Praia de Moledo para a realização da cerimónia que vai assinalar o início formal da época balnear 2021. A informação foi prestada pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal, Guilherme Lagido, na última reunião do Executivo. O concelho de Caminha prepara-se para uma época balnear excecional, mantendo as cinco Bandeiras Azuis, mas conquistando também quatro bandeiras Qualidade Ouro. Este ano há também uma nova praia fluvial, Pedras Ruivas, em Seixas.

93485978_2837348276319683_1416253109235089408_o.jp

Apesar das restrições que vão ainda marcar a próxima época balnear, o concelho de Caminha reúne todas as condições para uma temporada de elevada qualidade, vendo todas as suas praias distinguidas com os mais importantes galardões. Desde logo as cinco Bandeiras Azuis, que distinguem todas as praias marítimas: Praia da Foz do Minho, Praia de Moledo, Praia de Vila Praia de Âncora e Praia do Forte do Cão, assim como a Praia Fluvial das Azenhas, em Vilar de Mouros.

Conforme explicou Guilherme Lagido, as quatro bandeiras Qualidade de Ouro vão ser também hasteadas nas quatro praias marítimas. Trata-se de um galardão atribuído pela Quercus, que visa distinguir a qualidade da água balnear das praias de portuguesas.

A Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza possui critérios apertados, avaliando, desde logo, a qualidade da água nas últimas cinco épocas balneares (de 2016 a 2020) e as análises realizadas na última época balnear (2020) em especial.

Guilherme Lagido referiu-se também à nova praia fluvial, em Seixas, informando que está a ser realizada a sua monitorização, assim como a criação de infraestruturas, por forma a que o concelho possa ter uma oferta mais alargada.