Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RUI TEIXEIRA - PRESIDENTE DO MUNICÍPIO CERVEIRENSE - PARTICIPA NA MANIFESTAÇÃO CONTRAOS PROJETOS DE MINERAÇÃO DO LÍTIO NA SERRA D’ARGA

Sábado, 23 outubro, 10h00, Viana do Castelo

Impedir a prospeção e exploração de minérios no concelho é prioridade para o novo autarca de Vila Nova de Cerveira

Amanhã, 23 de outubro, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, participa na manifestação contra os projetos de mineração do lítio na Serra D’Arga. Para o edil cerveirense, impedir a prospeção e exploração de minérios no concelho é uma das prioridades iniciais deste mandato - “vou defender, intransigentemente, o nosso património ambiental, impedindo a exploração (nociva ao ambiente) do lítio e de outros minerais, no espaço territorial da freguesia de Covas ou em qualquer outro local do concelho”.

A manifestação, que decorre sob o mote “O Minho Unido contra as Minas”, está agendada para as 10h00 e é organizada por quatro movimentos cívicos dos distritos de Viana do Castelo e Braga – Corema: Movimento pela Defesa do Ambiente e Património do Alto Minho, Movimento Em Defesa da Serra de Peneda e Soajo, Movimento SOS Serra d’Arga e Movimento SOS Terras do Cávado. O percurso será feito entre a pousada da Juventude de Viana do Castelo e a Praça da República, no centro histórico da cidade.

Em causa está a consulta pública do relatório de avaliação ambiental preliminar do Programa de Prospeção e Pesquisa de Lítio das oito potenciais áreas para lançamento de procedimento concursal, iniciada pela DGEG - Direção Geral de Energia e Geologia dois dias depois das eleições autárquicas. Entre as oito áreas previstas encontra-se a Serra d’Arga, que abrange o concelho de Vila Nova de Cerveira.

PARTIDO "OS VERDES" PROTESTAM AMANHÃ EM VIANA DO CASTELO CONTRA A EXPLORAÇÃO DO LÍTIO

Amanhã - Os Verdes Participarão no Protesto " Minho Unido contra as Minas"

O Partido Ecologista Os Verdes solidariza-se com as populações da região do Minho que agendaram para amanhã, 24 de outubro, um protesto em defesa dos seus territórios face aos impactos previsíveis associados a projetos de mineração de lítio.

Uma delegação do PEV, composta pelos dirigentes Miguel Martins, Filipe Gomes e Ana Sofia Cabeleira e por membros e ativistas do PEV, marcará presença nesta iniciativa de protesto, organizado por movimentos cívicos, sob o lema “Minho Unido contra as Minas”, Amanhã, pelas 10h00, em Viana do Castelo (junto à Pousada da Juventude).

Os Verdes, que desde 2017 têm vindo a dar voz às preocupações das populações e a desenvolver diversas ações e iniciativas parlamentares em defesa de uma maior transparência dos processos associados à exploração de lítio, e reivindicando uma maior participação das populações nos mesmos, reafirmam que a descarbonização do país não pode ser feita à custa da perda de biodiversidade e destruição de áreas naturais, com graves danos para as populações e para o Ambiente.

VIANA DO CASTELO VAI CRIAR COMUNIDADE DE ENERGIAS RENOVÁVEIS

Comunidade de Energias Renováveis de Neiva permite a empresas produzir 47% da energia consumida a partir de fontes renováveis

O Município de Viana do Castelo e quatro empresas situadas na Zona Industrial de Neiva assinaram ontem um memorando de entendimento para a criação de uma Comunidade de Energias Renováveis (CER) naquele parque empresarial, num momento que contou com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba.

ABELO5502_jmc.jpg

O governante congratulou-se com a criação desta CER industrial que junta a Martifer Renewables e três empresas instaladas na Zona Industrial do Neiva – Browning, Lacoviana e Portilame – que, dentro de um ano e meio, “vão passar a produzir 47,6 % da energia que consomem anualmente, a partir de fonte 100% renovável”.

A CER corresponde a um projeto de autoconsumo a partir de fontes de energia renovável em que um conjunto de entidades se une para produzir e consumir energia, com a possibilidade de armazenar e vender a energia excedente. Para tal, está prevista a construção de um parque eólico de 4,2 Megawatt (MW), com uma produção anual estimada de 9.232 Megawatt-hora (MWh). De acordo com o memorando, “este projeto, que resulta de união de esforços entre as empresas e o Município de Viana do Castelo, permitirá uma forte redução da fatura energética das empresas, superior a 25%, com um forte contributo para a descarbonização e para a sustentabilidade da região”.

O governante indicou ainda que a revisão da legislação do setor energético, prestes a ser concluída, prevê a criação de três zonas livres tecnológicas, sendo que Viana do Castelo será consagrada com uma zona livre para as offshore e as energias oceânicas. Segundo João Galamba, a criação de uma Zona Livre Tecnológica em Viana do Castelo visa ir “além de projetos à escala industrial e ter também projetos-piloto, ser uma zona de testes, inovação, um laboratório vivo para energias oceânicas”.

O Presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, referiu que “Portugal está na liderança no que toca a projetos de energia renovável e à produção de energias renováveis”, esperando que esta CER seja “a primeira de muitas” a serem instaladas nas áreas industriais do concelho.

A assinatura deste documento entre a Câmara Municipal de Viana do Castelo, as empresas da Zona Industrial do Neiva e a Martifer Renewables marca o início da primeira Comunidade de Energia Renovável da região do Alto Minho e é o resultado de um forte compromisso de todas as entidades envolvidas com a sustentabilidade da região.

Esta comunidade vai permitir a auto-produção e o auto-consumo de energias renováveis para as empresas aderentes, reduzindo os custos energéticos das mesmas, aumentando a competitividade e também a produção de energias renováveis através de sistemas eólicos ou fotovoltaicos.

De acordo com o memorando, as partes declaram reciprocamente os respetivos interesses e o seu empenho na prossecução de objetivos comuns que passam por propor, avaliar e discutir e decidir as possibilidades técnicas, económicas e legais tendentes à constituição entre si de uma CER a instalar na Zona Industrial de Neiva ou dela suficientemente próximo, em Viana do Castelo, de fonte eólica e com utilização da rede elétrica de serviço público, bem como o papel e a participação de cada uma das partes enquanto membro da dita CER.

No Parque Empresarial de Lanheses está também a ser constituída uma segunda Comunidade de Energias Renováveis com o mesmo objetivo e envolvendo as empresas Borgwarner, Steep Plastique, Recial, Equinovento e Eurostyle Systems Portugal.

Recorde-se que Viana do Castelo tem acolhido, nos últimos anos, entidades e empresas interessadas no desenvolvimento de projetos inovadores no domínio das energias renováveis oceânicas e também na robótica marinha, promovendo um Cluster das Energias Renováveis Oceânicas que pretende criar mais valor à região.

ABELO6587_joao_galamba.jpg

ABELO6852_empresas.jpg

ABELO5713_martifer.jpg

ABELO5777_joao_galamba_secret_estado_energia.jpg

ABELO5917_assinaturas_jurista.jpg

ABELO6082_grupo_geral.jpg

ABELO6475_Joao_galamba_secret_estado_energia.jpg

MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE FAMALICÃO VOLTA A SER DISTINGUIDO COM A BANDEIRA VERDE ECOXXI

Galardão ambiental recebido pelo quinto ano consecutivo

O Município de Vila Nova de Famalicão recebeu, pelo quinto ano consecutivo, o galardão Bandeira Verde ECOXXI. A cerimónia de entrega do galardão decorreu no passado dia 22 de setembro, na Fábrica Santo Thyrso, em Santo Tirso, tendo a receção da bandeira ficado a cargo do vereador do ambiente, Pedro Sena.

AFS_0285.jpg

No conjunto dos 21 indicadores de sustentabilidade utilizados na medição do desempenho de cada município candidato, no que respeita à educação ambiental e educação para a sustentabilidade, Famalicão alcançou um índice superior a 70%, o que resultou numa melhoria em relação aos 67% obtidos em 2020.

O município famalicense superou a sua classificação em indicadores como «Cidadania, Governança e Participação», «Água Segura e Qualidade dos Serviços de Águas Prestados aos Utilizadores» e «Mobilidade Sustentável», em relação ao ano transato.

Refira-se que o programa ECOXXI é coordenado pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), e visa reconhecer o trabalho desenvolvido pelos municípios no que respeita à educação ambiental e educação para a sustentabilidade, assente nos princípios da «Agenda 21 Local», criada pela Agência Portuguesa do Ambiente.

JOVENS DE FAMALICÃO SÃO REPÓRTERES PARA O AMBIENTE

Alunos da Secundária D. Sancho I vencem prémio na competição internacional Jovens Repórteres para o Ambiente

Alunos da Escola Secundaria D. Sancho I, em parceria com a Secondary Vocational School Spasoje Raspopovic (Montenegro), venceram o 2.º prémio na competição internacional do programa Jovens Repórteres para o Ambiente (JRA) - Young Reporters for the Environment International Competition -, na categoria dos «Artigos 15-18 anos», variante «Colaboração Internacional».

«How Can Traditional Watering Systems Help The Environment?» é o nome da reportagem com a qual venceram o prémio. O artigo debruça-se sobre os esforços locais para a mitigação dos efeitos das alterações climáticas, com foco nos sistemas de rega tradicionais.

Refira-se que Jovens Repórteres para o Ambiente (JRA) é um programa internacional da Foundation for Environmental Education (FEE), promovido pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), secção portuguesa da Foundation for Environmental Education (FEE), que pretende contribuir para o treino do exercício de uma cidadania ativa e participativa, enfatizando a vertente do jornalismo ambiental.

CÂMARA DE VIZELA REPUDIA DEPOSIÇÃO DE LIXO INDEVIDO NOS CONTENTORES ENTERRADOS

A Câmara Municipal deparou-se com a colocação de resíduos indevidos, nomeadamente resíduos de obra, em cerca de uma dezena de contentores enterrados de deposição de resíduos da cidade, pelo que colocou em causa a normal recolha desses contentores, tornando impossível efetuar a recolha pelo camião que usualmente efetua esse serviço.

contentores fórum.JPG

Nesse seguimento, no decorrer do dia de ontem, foi acionado um camião especial pera realizar a respetiva recolha desses contentores, o que implicou uma logística mais elaborada, originando atrasos e custos acrescidos, e não tendo sido possível efetuar a recolha de quatro dos contentores.

Assim sendo, a Câmara Municipal irá apresentar à GNR uma queixa contra desconhecidos, por aquilo que considera um ato lamentável, que vem colocar em causa a normal recolha destes equipamentos públicos, que representaram um investimento da Autarquia de mais de 500 mil euros, tendo como objetivo fundamental a melhoria substancial da qualidade de vida de Vizela e dos vizelenses.

A Câmara Municipal de Vizela irá assim acionar os meios legais, através de uma denúncia à GNR, tendo em vista a abertura de um processo de investigação, tendo em vista instituir arguidos e respetivo julgamento dos responsáveis por tais factos, com aplicação de medidas penais associadas.

A Câmara Municipal de Vizela apela a todos os munícipes para o uso responsável destes equipamentos, destinados apenas ao lixo doméstico, não colocando lixo indevido nos mesmos e que estejam atentos a estes atos e que os denunciem junto das autoridades policiais ou da Autarquia.

De relembrar que a Câmara Municipal de Vizela disponibiliza um serviço de recolha de monos e monstros gratuito, através da recolha personalizada e exclusiva para cada munícipe, bastando enviar um email para vizela@ecoambiente.pt ou ligar grátis para 800 204 505. A Autarquia disponibiliza ainda um Ecocentro na freguesia de Infias para a deposição de resíduos verdes, plásticos, papel cartão, metal, vidro, madeira, pilhas e acumuladores, monstros, lâmpadas fluorescentes, resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos.

De destacar que, desde que este Executivo assumiu funções, decidiu alterar por completo a política de gestão de resíduos em vigor na Autarquia, através da implementação do programa ‘Vizela Mais Limpa’, que tem como objetivo fundamental a melhoria substancial da qualidade de vida de Vizela e dos vizelenses.

Este programa integra a implementação do serviço de recolha por contentorização, que é, por vários motivos, técnica e ambientalmente mais vantajoso face ao sistema que existia, permitindo não só uma redução com os custos de recolha, mas, acima de tudo, proporciona um ambiente mais limpo e agradável.

YOUth Grow REÚNE JOVENS DE 3 PAÍSES EM PAREDES DE COURA

até 10 set | CEIA – Paisagem Protegida Corno do Bico

Quinze jovens de Itália, Espanha e Portugal estão reunidos até sexta-feira, dia 10 de setembro, no Centro de Educação e Interpretação Ambiental, de Paredes de Coura, no âmbito do bootcamp musical YOUth Grow promovido pelo projeto Play2Grow! - Development of Key Skills and Values for Youth through music, apoiado pelo programa Erasmus+. 

“Paredes de Coura aposta muito na formação através da arte, neste caso, através da música que faz parte da nossa identidade. Este evento internacional é uma boa forma de aprofundar as relações entre países e reforçar a ideia de uma Europa Cultural que passa pela partilha dos bons projetos”, enfatizou o Presidente da Câmara, Vitor Paulo Pereira, não escondendo o orgulho em liderar uma autarquia com uma forte marca na cultura.

“Nós como felizmente temos bons projetos culturais, temos muito gosto em partilhar aquilo que fazemos muito bem: educar através da cultura. E tudo isto acontece na maravilhosa paisagem protegida que queremos valorizar e promover. Acho que os jovens estrangeiros levarão de Paredes de Coura uma ideia muito positiva. Em que a cultura e a formação são de facto centrais na nossa vida”, sublinhou.

No meio da floresta e rodeados por uma das mais belas paisagens do norte de Portugal, na Paisagem Protegida Cordo do Bico, os cinco jovens de cada país parceiro vão trabalhar aspetos como a improvisação dirigida e como musicar filmes ao vivo, e ainda frequentar workshops sobre a saúde do músico e como comunicar uma banda ou um projeto musical, entre outras boas práticas no ensino da música.

Essencialmente, nesta iniciativa com os formadores do Play2Grow estes jovens irão abordar algumas boas práticas no ensino da música desenvolvidas pelos parceiros deste projeto europeu em Paredes de Coura (Portugal), Tomiño (Galiza) e Aosta (Itália). Complementarmente, os participantes poderão também usufruir de atividades de lazer, conhecer estudantes de outros locais e aprender com eles sobre como a música é vivida e experienciada no seu país. 

Play2Grow:

A Escola do Rock de Paredes de Coura, promovida pelo Município, é um case studies/best practices do projeto e um dos parceiros do Play2Grow! desde 2014   

O Play2Grow! junta cinco instituições de diferentes nacionalidades - Município de Paredes de Coura, Space Ensemble (Portugal), Concello de Tomiño, EOSA Estratégia y Organización S.A. (Galiza) e SFOM - Scuola di Formazione e Orientamento Musicale (Itália), que ao longo de 2 anos têm mapeado uma série de boas práticas no ensino da música em vários países.

O Play2Grow! demarca-se do ensino regular de música pelas metodologias aplicadas, por permitir que os jovens desenvolvam capacidades fundamentais através da música, como a comunicação, o trabalho em equipa, perder o medo do palco, entre outras.

O objetivo principal é o desenvolvimento de estratégias e documentos (trainning curricula) sobre estas boas práticas, para ajudar qualquer pessoa, nomeadamente os chamados youthworkers de cada país a replicar estas práticas no seu contexto. Todas as práticas visam a aquisição de valores e competências fundamentais através da música.

AMARES: JOVENS ADEREM A PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO AMBIENTAL

Centro de Valorização Ambiental de Amares acolheu 7 jovens em programa de voluntariado

Um grupo de 7 jovens participou, recentemente em Amares, no programa de voluntariado jovem para a natureza e florestas “Biodiversidade de Amares”, promovido pelo IPDJ e dinamizado pelo Município de Amares em parceria com a Junta de Freguesia de Dornelas. As atividades decorreram entre 4 e 21 de agosto, no Centro de Valorização Ambiental de Amares onde se encontra o Ecocanil- Espaço Circular e o Centro de Recolha Oficial de Animais do Município de Amares.

20210810_101907.jpg

Os jovens realizaram, entre outras, iniciativas de controlo de espécies invasoras e sinalização e manutenção de caminhos florestais. Durante este período de tempo, os participantes tiveram oportunidade, ainda, de contactar e envolver-se com a dinâmica do Ecocanil.

Recorde-se que, o programa do IPDJ é "O Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas" que é um programa de voluntariado juvenil, que decorre todo o ano, no âmbito da preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas.

amaresambi.jpg

PARTIDO SOCIALISTA APOSTA NO AMBIENTE E NO TURISMO EM VIEIRA DO MINHO

Filipe de Oliveira quer serra da Cabreira como zona protegida

VÍDEO: Link para o discurso de Filipe de Oliveira em https://fb.watch/7Is1dlIw4B/

Filipe de Oliveira, candidato do Partido Socialista (PS) à presidência da Câmara Municipal de Vieira do Minho, anunciou este domingo que vai criar “a Zona Protegida da Serra da Cabreira”,  caso seja eleito presidente do município no próximo dia 26 de setembro.

Filipe de Oliveira discursando_Caniçada e Soengas

“Temos que olhar para a Serra da Cabreira como um grande recurso natural de Vieira do Minho, essencial para o ambiente, para o turismo e para a economia verde do concelho”, preconizou Filipe de Oliveira, que falava ao princípio da noite deste domingo, perante dezenas de pessoas, na sessão de apresentação de Alda Gomes como candidata à presidência da Junta de Anjos e Vilar Chão, uma união de freguesias abrangida pela serra da Cabreira.

Lembrando que “a maior parte do território da Serra da Cabreira está inserida no concelho de Vieira do Minho”, Filipe de Oliveira adiantou que, em caso de vitória eleitoral, criará “uma equipa de trabalho, envolvendo centros de investigação, como a Universidade do Minho, e o Ministério do Ambiente”.

Esse trabalho de investigação analisará “os valores florísticos e faunísticos” da serra da Cabreira, explicou, o que conduzirá à criação de uma área protegida, podendo ser de âmbito nacional ou local.

“Vieira do Minho faz fronteira com o único parque nacional do país, a Peneda-Gerês, e a Serra da Cabreira nunca foi devidamente valorizada”, lamentou o candidato do PS, acrescentando que a criação de uma zona protegida “será uma medida estratégica sem precedentes em Vieira do Minho que vai qualificar o nosso ambiente, o nosso território e o nosso turismo”.

De acordo com o plano de Filipe de Oliveira, a valorização ambiental da serra da Cabreira através da criação de uma zona protegida é um passo importante no processo de “qualificação da oferta turística de Vieira do Minho” e “sua internacionalização”, outra das metas do candidato socialista à presidência da Câmara vieirense.

“O turismo de Vieira do Minho não pode estar isolado. Ninguém faz nada sozinho. A serra da Cabreira e a serra do Gerês só terão valor turístico internacional se todo o território for devidamente promovido. Temos de internacionalizar o nosso turismo para acabar com o problema da sazonalidade”, defendeu Filipe de Oliveira, considerando que “o turismo é fundamental para a nossa economia, mas tem de funcionar durante o ano inteiro”.

“Queremos fazer de Vieira do Minho uma referência ibérica em matéria de turismo e ambiente. Comigo na presidência da Câmara, Vieira do Minho vai aumentar a dimensão e o valor da oferta turística. E vamos trabalhar em articulação com os municípios vizinhos”, acrescentou Filipe de Oliveira.

O candidato socialista teve um fim de semana intenso de pré-campanha, com apresentações de candidatos às Juntas de Freguesia de Anissó e Soutelo (Jorge da Silva Vieira), Eira Vedra (José Lemos), Parada de Bouro (Liliane Pereira), Ventosa e Cova (Delfim Martins), Caniçada e Soengas (Clara Malainho Carneiro) e Anjos e Vilar Chão (Alda Gomes).

O PS apresenta listas próprias em 14 das 16 freguesias do concelho, sendo a força política com mais candidaturas. O PSD concorre em 13 das 16 freguesias.

Filipe de Oliveira com apoiantes_Caniçada e Soeng

Filipe de Oliveira com apoiantes_Parada de Bouro 2

Filipe de Oliveira com apoiantes_Parada de Bouro 2

Filipe de Oliveira cumprimenta apoiantes_Anjos e V

FAMALICÃO: SEIDE, CASTELÕES, RUIVÃES E NOVAIS CONTEMPLADAS PELO FUNDO AMBIENTAL JUNTAr+

Freguesias vão receber um apoio governamental no valor de 31.250,00€

As freguesias famalicenses de Seide, Castelões, Ruivães e Novais vão ter projetos de economia circular financiados pelo Fundo Ambiental «Economia Circular em Freguesias (JUNTAr+)», uma iniciativa governamental que, através do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, apoia projetos de economia circular nas Juntas de Freguesia. As freguesias estão entre as 19 elegíveis para financiamento, de um total de 48 candidaturas admitidas para avaliação, estando definida uma comparticipação estatal fixa no valor de 31.250,00€, por projeto, o que corresponde a um cofinanciamento de 85% pelo Fundo Ambiental.

IMG_4241.jpg

Nesta 3ª edição do JUNTAr+, criado em 2018, no âmbito do Plano de Ação para a Economia Circular (PAEC), o foco foi para a implementação de soluções locais de economia circular que incidam no sector da construção, nos têxteis, no mobiliário pós-consumo e nos equipamentos elétricos e eletrónicos com potencial de reutilização. No caso do concelho de Vila Nova de Famalicão, foram contemplados os projetos: «Pano p’ra Mangas – Têxteis a Circular» das freguesias de Seide S. Miguel e S. Paio, «4 R’s – Recuperação, Renovação e Reutilização de Roupa» da freguesia de Castelões, «Cápsula Circular» das freguesias de Ruivães e Novais.

Os projetos, aprovados serão desenvolvidos pelas respetivas Juntas de Freguesia juntamente com parceiros estratégicos locais. Dentro das iniciativas previstas, é possível verificar a realização de Oficinas de Conservação, Recuperação e Transformação de Roupas e Tecidos Usados e Ateliers de Reaproveitamento de Roupas e Têxteis, a criação do Banco de Roupa e realização do Mercado de Trocas, para enumerar algumas delas. A par destas ações, está, de igual modo, prevista a reabilitação de espaços desocupados nas freguesias abrangidas, para servirem de recurso de apoio à concretização das atividades previstas na candidatura.

Refira-se que o programa «Economia Circular em Freguesias (JUNTAr+)» visa conceder apoio financeiro a projetos no âmbito da economia circular em freguesias portuguesas, evidenciando as preocupações das comunidades no que refere ao uso eficiente dos recursos locais e potenciar a aproximação dos agentes comunitários em torno deste tema. Com este apoio, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática pretende incentivar a implementação de soluções de economia circular que demonstrem benefícios económicos, sociais e ambientais.

Nas edições anteriores, foram contemplados neste fundo os projetos: «Aldeia Circular» (2018) em Seide, «Reciclagem e Reutilização de Produtos de Apoio – Sem Fim» (2018) em Brufe e «Contigo Vale Mais – Compostagem para Valorização Ambiental» em Esmeriz e Cabeçudos (2019).

image50323.jpeg

CERVEIRA-TOMIÑO PROMOVEM PATRIMÓNIO CULTURAL, NATURAL E PAISAGÍSTICO ATRAVÉS DOS TRILHOS PEDESTRES

A Eurocidade Cerveira-Tomiño está a dinamizar o projeto ‘Rotas Minho-Roteiros Miño’, um conjunto de percursos pedestres que têm como objetivo dar a conhecer a riqueza paisagística, patrimonial, ambiental e natural deste território transfronteiriço, através de caminhadas interpretativas e conversas. Resultado do projeto vencedor do IV Orçamento Participativo Transfronteiriço, as atividades são gratuitas, mas sujeitas a inscrição prévia.

Rota 29 agosto.JPG

Submetido pelo Clube Celtas do Minho (Vila Nova de Cerveira) e por Carlos Xabier Oliveira Ortega (Tomiño), esta iniciativa tem ainda como prioridade fomentar os hábitos de vida saudáveis de caminhar, promover ações de sensibilização ambiental ou patrimonial.

Devido aos condicionalismos provocados pela pandemia Covid-19, a participação nestas rotas transfronteiriças é limitada a 20 pessoas, sendo de caráter gratuito, mas sujeita a inscrição prévia no website da Eurocidade Cerveira-Tomiño ( https://eurocidadeonline.cm-vncerveira.pt/#/home ). Para mais informação contacte via eletrónica através de email ( roteirosminho@gmail.com ) ou por telemóvel (934 440 770).

A calendarização das rotas é a seguinte:

  • 29 de agosto: Rota dos Fortes da Guerra de Restauração (09h30h. PT);
  • 4 de setembro: Rota noturna do Cervo ao Niño do Corvo (23.30h. PT);
  • 12 de setembro: Rota do Vale das Donas (09h00. PT);
  • 26 de setembro: Rota da Pedra Furada (09.30h GAL);
  • 10 de outubro: Rota do Alto da Pena (9h. PT);
  • 23 de outubro: Rota das Fontes (09.30h. GAL)

ESPOSENDE: APÚLIA DEFENDE AMBIENTE E TRADIÇÕES

Mareada - Associação Cultural, celebrou Protocolo de Cooperação para o desenvolvimento do projeto: "CRUZ, CONCHA E AREIA " 

9 de Agosto

Quinta da Ramalha, 

Apúlia

mareadaesposapulia (2).jpg

Associações envolvidas:

PATRIPOVE - Associação de Defesa e Consolidação do Património Poveiro;

Federação Portuguesa do Caminho de Santiago (Entidade Promotora);

Juntos Pelo Mundo Rural - Associação Ibérica de Defesa de Caça, Pesca, Tradições e do Mundo Rural;

Mareada - Associação Cultural

mareadaesposapulia (3).jpg

Objetivos: 

  1. Defesa e Promoção da Cultura Tradicional Portuguesa;
  2. Defesa e Promoção do Caminho de Santiago;
  3. Defesa e Promoção dos Campos Masseiras. 

Dinâmicas:

  1. turismo regional e religioso (restauração, hotelaria, alojamento local)
  2. gastronomia e vinicultura;
  3. artesanato e moda;
  4. agricultura biológica 
  5. saúde e bem-estar
  6. empreendedorismo
  7. ações solidárias

Presenças:

Dirigentes de diversas associações e entidades locais e nacionais para as áreas do turismo, agricultura e história, para além de empresários da região.

Apresentação de alguns dos produtos que farão parte do projeto: 

  1. Camisola Tradicional Poveira e o GORRO com motivos alusivos a Santiago
  2. Vinho "Tubarão", produzido com uvas das masseiras

mareadaesposapulia (4).jpg

Programa:

  1. Receção na Quinta da Ramalha, Apúlia;
  2. Leitura e Assinatura do Protocolo; 
  3. Inauguração do Nicho de Santiago;
  4. Visita ao Campo da Masseira desta quinta;

Informação complementar sobre o projeto:

O primeiro passo para o projeto "CRUZ, CONCHA E AREIA" PATRIPOVE - Portugal, foi dado em Maio deste ano, com a assinatura de um protocolo de cooperação entre a Federação Portuguesa do Caminho de Santiago e a Patripove, assinado em Vila do Conde, numa unidade hoteleira que acolhe peregrinos.

O segundo passo - dos mais importantes - foi envolver reputadas associações locais e nacionais no projeto (Mareada - Associação Cultural; Juntos Pelo Mundo Rural - Associação Ibérica), no dia 9 de Agosto em Apúlia. 

O terceiro passo será a internacionalização do projeto, com a entrada de novos parceiros estrangeiros, e que está a ser finalizado neste momento. Será uma parceria impactante, mas que só será revelado em setembro.

mareadaesposapulia (5).jpg

EURODEPUTADO E CANDIDATURAS DO BLOCO DE ESQUERDA VISITARAM A SERRA D’ARGA

No fim-de-semana passado, o Eurodeputado José Gusmão, as candidaturas de Viana do Castelo, Caminha e Vila Nova de Cerveira  e a Corema - Associação de Defesa do Património visitaram a Serra d’Arga.

serra d argabloesq.jpg

Percebemos no local duas coisas:

1) o privilégio de habitarmos um país com esta beleza natural

2) a responsabilidade que recai sobre nós para preservá-la.

Vimos os efeitos da exploração de volfrâmio (criada para alimentar a máquina da II Guerra, só terminando nos anos 90) na contaminação da água e dos solos, transformando o verde de alguns locais em cenário pós-apocalíptico.

A empresa de extração mineira foi processada e pagou uma multa irrisória quando comparada com

1) os custos do Estado português na tentativa de minimizar os danos

2) os custos ambientais incalculáveis.

Quando falamos de recursos estratégicos e do interesse nacional, como no debate do lítio, muitas vezes nos esquecemos que eles conflituam com outros interesses nacionais, em particular daquele que será o nosso maior bem num planeta em crise climática: a água.

A contaminação resultante da violência da extração é incontrolável, as chuvas arrastam por dezenas de quilómetros os resíduos tóxicos, impedindo que os solos regenerem, secando cursos de água e tornando a restante água imprópria para consumo pelas populações.

O facto de as explorações serem feitas em zonas fora das áreas protegidas não significa que as áreas protegidas (e tantas outras) não sejam afetadas pelo impacto destes processos.

A Diretiva Quadro da Água, entre outras, serve para proteger todos os recursos, não apenas os que se encontram em áreas ditas protegidas.

A preservação do ambiente devia ser uma batalha coletiva da sociedade, em vez de constantes apelos de ativistas às tutelas que tantas vezes permitem que as situações se arrastem até os danos serem irreversíveis.

Denunciar estas situações não é só um compromisso do Bloco, é uma responsabilidade.

"TRAGA PILHAS" DA EPATV PREMIADO PELAS ECO-ESCOLAS

PARABÉNS à Escola Profissional Amar Terra Verde pelo prémio no projeto GERAÇÃO DEPOSITRÃO no escalão escolas com ensino secundário, profissional e superior.

EPATV - Traga pilhas_4.jpg

A Escola Profissional Amar Terra Verde associou-se mais uma vez à Geração Depositrão, no projeto “Constrói o teu Traga Pilhas”. Esta atividade consistiu na construção de um equipamento de recolha de pilhas, usando a reutilização de materiais com criatividade e originalidade.

Num enquadramento de uma aprendizagem baseada em projetos, os alunos RECOLHERAM e REUTILIZARAM componentes eletrónicos de anos anteriores, e criaram um sistema eletrónico que permite a interação do TRAGA PILHAS com as pessoas que dele se aproximem e/ou coloquem pilhas para a reciclagem, por exemplo, a contabilização das pilhas permitirá efetuar uma estimativa da quantidade de produtos perigosos que se irão RECILAR.

Com a construção do TRAGA PILHAS os alunos adquiriram conhecimentos acerca da importância da reciclagem de pilhas e da reutilização de equipamentos – A ECONOMIA CIRCULAR.

A participação nos desafios lançados pela ECO-ESCOLAS promove nos alunos da EPATV a “consciência e responsabilidade ambiental e social, trabalhando colaborativamente para o bem comum, com vista à construção de um futuro sustentável” (Perfil do Aluno – domínio do Bem-Estar, Saúde e Ambiente). 

A RECICLAGEM é fundamental e as escolas representam um papel muito importante na informação, formação e educação dos adultos de AMANHÃ!

EPATV - Traga pilhas_2.jpg

PRIMEIROS SAPADORES DOS RIOS+ PROTEGEM E VALORIZAM O RIO HOMEM EM TERRAS DE BOURO

O Município de Terras de Bouro, em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), iniciou os trabalhos de reabilitação e valorização do rio Homem com uma equipa de sapadores dos rios.

tbourosapadores (6).png

A equipa é constituída por técnicos especializados em limpeza e valorização de margens de rios que desenvolvem tarefas de contenção de espécies exóticas invasoras, nomeadamente, da mimosa (Acacia dealbata), realizam podas de formação, corte de algumas espécies espontâneas, tais como silvados, plantação de árvores autóctones ribeirinhas por raiz nua e estacaria, aplicação de soluções Técnicas de Engenharia Natural para estabilização das margens e limpeza e valorização do património hidráulico, nomeadamente, de poldras, passadeiras e pontes.

Com esta intervenção pretende-se contribuir para a preservação da biodiversidade local, nomeadamente, através da proteção do habitat prioritário 91E0 – Amiais (Alnus glutinosa), bem como dos habitats da lontra, do guarda-rios e do feto-real, assegurando as boas práticas de atuação no corredor ecológico ribeirinho.

A equipa de sapadores dos rios+ recebeu formação teórica e prática in loco pelo Dr. Pedro Teiga estando também habilitados a realizar sensibilização ambiental dos proprietários ribeirinhos durante os trabalhos.

tbourosapadores (1).png

tbourosapadores (2).png

tbourosapadores (3).png

tbourosapadores (4).png

tbourosapadores (5).png

VIANA DO CASTELO: SANTA MARTA DE PORTUZELO HASTEIA BANDEIRA VERDE

A Junta de Freguesia de Santa Marta de Portuzelo realizou ontem, dia 4 de julho, uma singela cerimónia para Hastear a Bandeira Verde. Estiveram presentes o Vereadores Municipais Luís Nobre e Hermenegildo Costa, a Presidente da Assembleia de Freguesia, Dr.ª Alice Antunes, membros da Assembleia, associações e vários Santamartenses que se quiseram juntar ao evento.

Santa Marta de Portuzelo ergue Bandeira verde1.jpg

A freguesia de Santa Marta de Portuzelo foi novamente distinguida pela ABAE com galardão de Eco-Freguesia XXI.

Este galardão, obtido pela 2.ª vez na freguesia, continua a premiar as boas práticas nos domínios social, económico e ambiental realizados pelos Santamartenses e as Instituições da Freguesia de Santa Marta de Portuzelo.

A Freguesia de Santa Marta de Portuzelo e os Santamartenses assumiram de forma clara este compromisso da sustentabilidade.

A sessão de entrega do Galardão Eco-Freguesia XXI decorreu no dia 21 de Junho, em Pombal.

Este é mais um sinal que este é o bom caminho! É importante que cada um faça a sua parte e esteja disposto a ir na direção da responsabilidade ambiental.

Santa Marta de Portuzelo ergue Bandeira verde2.jpg

ESPAÇO GUIMARÃES CELEBRA O DIA INTERNACIONAL SEM SACOS DE PLÁSTICO

3 de julho | Espaço Guimarães

O Espaço Guimarães reforça o compromisso com o planeta e promove uma iniciativa green com o intuito de sensibilizar para a reutilização de sacos de plástico e o seu correto encaminhamento para a reciclagem.

espaçoguima.jpg

A proteção do nosso planeta está na ordem do dia para o Espaço Guimarães. No dia 3 de julho, o centro comercial, gerido pela Klépierre, assinala o Dia Internacional Sem Sacos de Plástico com a distribuição gratuita de sacos de algodão aos clientes.

Atualmente, cerca de 8 mil toneladas de plástico são lançadas para o oceano, algo que tem tido um forte impacto na degradação do planeta. Como forma de combater esta problemática, o Espaço Guimarães dinamiza uma ação que pretende apelar à reutilização de sacos de compras e uso de materiais sustentáveis nas práticas do dia-a-dia.

No próximo sábado, dia 3 de julho, nos corredores do centro comercial vai poder recolher um saco de algodão para utilizar nas suas próximas compras. Diga não aos sacos de plástico e opte por uma solução amiga do ambiente.

A nova medida nasce pelo forte compromisso do Espaço Guimarães com a sustentabilidade e proteção do ecossistema, enquadrado no eixo de responsabilidade social e ambiental Act4Planet.

Em 2021 foram várias as iniciativas implementadas pelo centro comercial, desde a introdução da tela purificadora no centro da cidade de Guimarães; o mais recente parque de estacionamento gratuito para bicicletas e trotinetes, como um incentivo ao uso destes veículos ecológicos; e a instalação de eco-pontas e papa-chicletes nas duas entradas principais do centro, os depósitos interativos para as beatas e chicletes.

Assuma o compromisso com o Espaço Guimarães e ajude a cuidar do nosso planeta.

BLOCO DE ESQUERDA EM CAMINHA REÚNE COM ASSOCIAÇÃO COREMA

A Corema é uma das mais antigas associações de defesa do ambiente e património do Norte de Portugal. Tem sede em Lanhelas e recebeu a pedido destes, na sua sede, os 1ºs candidatos das listas do Bloco de Esquerda à Câmara e Assembleia Municipal do Concelho de Caminha e à Assembleia de Freguesia de Caminha e Vilarelho, na passada segunda-feira, dia 28 de junho.

1024px-Flag_of_the_Left_Bloc.svg.png

A reunião permitiu obter uma perspetiva de dirigentes associativos muito bem informados sobre a realidade ambiental do Concelho. 

O tema central e de diálogo mais alargado, pela preocupação que suscita, foi a questão da exploração de Lítio na Serra d’Arga. 

A perspetiva da associação ecologista do concelho de Caminha, que construiu parcerias muito ativas com outras entidades da região do Alto Minho e de outras regiões do país sobre este tema, é que lutar contra a mineração de lítio é uma prioridade que devia unir todos os cidadãos do Alto Minho, num largo consenso das instituições públicas e da sociedade civil. 

E sem ceder à desinformação, que lança, para adormecer a cidadania, a ideia pacificadora de que a zona protegida da Serra não será abrangida e que escamoteia que, à volta dessa zona central, se anunciam enormes projetos de mineração. 

Essa é uma posição em que o Bloco de Esquerda coincide com muitos dos atores da sociedade civil do concelho e das zonas vizinhas. Os nossos eleitos apoiarão sem hesitações a ideia essencial: a Serra d’Arga não pode ser transformada numa área de minas a céu aberto, com centenas de metros de largura e profundidade, com riscos de saúde para os habitantes e de destruição de ecossistema. A aquisição de um passivo ambiental, como o que se deteta noutros países como o Canadá ou Austrália, não será nunca compensada pelos ganhos de curto prazo, que possam fazer seduzir, com cantos de sereia, para o negócio com as companhias de mineração. 

Aliás, foi recordado que, em certas zonas do Alto Minho, já houve projetos de mineração com técnica semelhante, mas menores, com custos ambientais que, ainda hoje, décadas passadas, se pagam em poluição e degradação ambiental. As empresas exploradoras da mina fecharam e o custo de reconstituição dos espaços (renaturalização) acabou por reverter para o Estado e para os cidadãos que estas se esqueceram de indemnizar. 

Muitos outros temas foram abordados numa longa conversa que inclui o registo de muitas propostas e ações da associação, a precisar de apoio e parceria pública, municipal e de outros níveis de decisão: reintrodução de camarinhas no Pinhal do Camarido e projeto de educação ambiental em edifícios abandonados a recuperar nessa mata, o combate a espécies vegetais invasoras ou caça em zonas protegidas ou de elevado interesse ambiental. 

O diálogo será alargado, com outras entidades e com todas aquelas que nos queiram receber, na perspetiva que aconteceu neste caso: ouvir, refletir, prometer estudo e análise, sem promessas precipitadas e ocas que outros já vêm fazendo de obras faraónicas que se anunciam só para encher o olho, sem trazer real desenvolvimento. 

Desenvolvimento não são grandes obras que nem se sabe se algum dia se farão. Desenvolvimento podem ser obras pequenas e de custo modesto, motivadas pela sociedade e associações, com gestão equilibrada dos recursos que existem e que se tem de proteger. 

O que desenvolverá realmente mais o Concelho de Caminha? Será uma obra milionária, que nem depende do município, que até precisa de autorização de 2 Estados e que ainda nem se estudou se é económica ou ambientalmente viável? Será um hotel com pouco mais de uma dezena de quartos, de viabilidade económica remota, em que nem se sabe como será o acesso para os turistas? Ou, simplesmente, recuperar a mata do Camarido ou a zona da foz do Minho, como espaço ecologicamente protegido e equilibrado, com a vegetação natural sem invasoras, com condições para ser conhecido pelos cidadãos, residentes ou visitantes. 

Esta é uma das perguntas em que a candidatura do Bloco de Esquerda vai dar resposta aos eleitores. Basta que escolham mudar.