Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDE ADERE À SEMANA EUROPEIA PARA A PREVENÇÃO DOS RESÍDUOS

Com o intuito de sensibilizar a população para a problemática dos resíduos, em particular a prevenção, a Esposende Ambiente vai assinalar a Semana Europeia para a Prevenção dos Resíduos, entre os dias 17 e 22 de novembro.

SEMANA_EUROPEIA_RESIDUOS

A empresa municipal associa-se a este projeto de nível europeu, através da realização de diversas ações, que visam ajudar a compreender o significado da prevenção de resíduos e a motivar a responsabilização de cada cidadão.

Assim, nos dias 20 e 21 de novembro, dirigido às crianças da Educação Pré-Escolar e alunos do 1.º, 2.º e 3.º ciclos, terá lugar a apresentação do Projeto “A Nossa Casa é um Planeta”, em sessões a decorrer no Centro de Educação Ambiental e no Centro Escolar de Forjães. Este projeto é resultado de um trabalho conjunto das empresas ALGAR, ERSUC, RESIESTRELA, RESINORTE, RESULIMA, SULDOURO, VALNOR E VALORMINHO e contou com o apoio do fundo ambiental e da estratégia nacional de educação ambiental 2020. As temáticas de redução, reutilização e reciclagem são abordadas de forma inovadora, recorrendo a planetários itinerantes e três filmes projetados em 360º, o que possibilita uma dinâmica interativa com os alunos e participantes.

Para a comunidade em geral, realiza-se, no dia 17, entre as 14h30 e as 17h30, no Centro de Educação Ambiental, o workshop “Hoje é dia de: reutilizar trapos!”. Trata-se de uma oficina dedicada à reutilização de tecidos em trabalhos de costura criativa, onde serão apresentadas as potencialidades da reutilização de tecidos em novas peças, demonstrando várias possibilidades de uso em objetos pessoais ou decorativos. Os participantes terão oportunidade de proceder à aplicação e transformação de restos de tecidos de outros usos num projeto de tapeçaria.

Também no Centro de Educação Ambiental, entre os dias 17 e 22 de novembro, estará patente a exposição itinerante da Biorumo “Mais Economia, Menos Plástico”. Esta mostra visa sensibilizar a comunidade educativa e população em geral para uma economia circular na temática plásticos, podendo ser visitada das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h30.

Para mais informações ou para fazer a inscrição nas atividades deverá ser contactado o Centro de Educação Ambiental, através do e-mail cea@esposendeambiente.pt ou do telefone 253 967 147.

PAN QUER PORTUGUESES A PEDALAR BICICLETAS ELÉTRICAS

OE2019: PAN negoceia incentivo à aquisição de bicicletas elétricas

  • Incentivo à aquisição de veículos de baixas emissões extensível às bicicletas elétricas
  • Incentivo no valor de 20 % do valor da bicicleta, até ao máximo de 200 euros
  • Políticas de incentivo à mobilidade elétrica têm de ter em conta todos os modos de transporte

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, está a negociar com o Governo uma medida que pretende que o incentivo à Introdução no Consumo de Veículos de Baixas Emissões seja alargado às bicicletas com assistência elétrica com um incentivo no valor de 20 % do valor da bicicleta, até ao máximo de 200 euros.

A utilização da bicicleta como modo de deslocação, isoladamente ou em combinação com os transportes públicos, traz diversos benefícios ambientais, sociais, económicos e de saúde pública. Os benefícios socioeconómicos anuais da utilização da bicicleta na União Europeia estão avaliados em mais de 500 mil milhões de euros (cerca de 3% do PIB da UE, ou 2.5 vezes o PIB de Portugal).

A bicicleta elétrica é o veículo mais rápido em distâncias até 10 km, e até 20 km a diferença para o automóvel é marginal. No entanto, enquanto na Europa 8% das viagens são realizadas em bicicleta, e são discutidos objetivos de duplicar esta taxa, em Portugal a taxa modal é de apenas 1%. Estão fundamentadas as várias razões para uma aposta forte nas bicicletas elétricas enquanto opção no campo da mobilidade, com a inclusão das mesmas nos incentivos do Fundo Ambiental.

O preço médio de uma bicicleta elétrica é inferior 8% ao de um carro elétrico. O incentivo do Estado para a aquisição de bicicletas elétricas é uma forma eficiente de descarbonizar a economia com claras vantagens para o Estado, para o consumidor e para as mudanças que se pretendem introduzir no sistema económico.

O PAN considera que as políticas de incentivo à mobilidade elétrica devem ter em conta todos os modos de transporte, e não ser focadas na redução de emissões de apenas um modo, ou não ter em consideração outros problemas como o sedentarismo da população, congestionamentos ou o uso do espaço público, pelo que, para o partido, a bicicleta elétrica deve ser considerada.

A indústria portuguesa da bicicleta, a terceira maior da Europa com a produção em 2016 de perto de dois milhões de bicicletas, emprega diretamente mais de 5 mil pessoas, sendo que um impulso ao mercado nacional de bicicletas elétricas contribuiria para a estimular a vertente de desenvolvimento tecnológico deste sector da indústria portuguesa.

Países com a Suécia, França, Áustria e Itália introduziram incentivos fiscais a nível nacional para a aquisição de bicicletas elétrica, tendo alguns destes e outros países estabelecido ainda incentivos a nível regional ou local. Em 2017, a Suécia assumiu a liderança e estabeleceu a referência europeia nesta matéria, com um orçamento de 34 milhões de euros anuais, durante três anos, para o incentivo à aquisição de bicicletas elétricas. E este ano, a Comissão de Segurança Rodoviária e Mobilidade Sustentável do Parlamento espanhol aprovou uma moção com a proposta de vários incentivos fiscais para a mobilidade em bicicleta.

ESPOSENDENSES LIMPAM PRAIA DA APÚLIA

Limpeza da praia de Apúlia no dia 31 de outubro

A praia de Apúlia vai ser alvo de uma ação de limpeza, no próximo dia 31 de outubro, no âmbito da Ação Nacional de Limpeza de Praias promovida pela Liga para a Proteção da Natureza (LPN).

Limpeza praias

O Município de Esposende, através da empresa municipal Esposende Ambiente, associa-se a esta campanha que tem como propósito tornar as praias portuguesas mais limpas e o mar menos poluído. Os interessados em participar na ação de limpeza, que decorrerá a partir das 9h30, poderão inscrever-se através do e-mail cea@esposendeambiente.pt ou do telefone 253 967 147.

Esta será a segunda ação da campanha “Vamos limpar as nossas praias” em território concelhio, sendo que a anterior decorreu na Praia do Fagil, na União das Freguesias de Apúlia e Fão, no passado mês de junho.

A Liga para a Proteção da Natureza e demais parceiros desta Ação Nacional de Limpeza de Praias notam que “amar o mar é um dever de todos nós” e alertam que se nada for feito dentro de pouco tempo os oceanos terão mais plásticos do que peixe. Desafiam, assim, todos a contribuírem para contrariar este cenário, através de pequenos gestos que podem fazer uma grande diferença para o futuro dos oceanos, do planeta e a humanidade, como sejam apanhar o lixo da praia depositando-o nos contentores apropriados, não depositar beatas na areia e, sempre que possível, usar materiais biodegradáveis ou reutilizáveis. “Ajudar também está nas suas mãos”, referem.

limpezapraias

PAN QUER RECUPERAR EMBALAGENS DE TARA RECUPERÁVEL

PAN vê aprovada a criação de um novo sistema de depósito de embalagens (tara recuperável)

  • Medida fundamental para garantir o cumprimento das metas Europeias de reciclagem
  • Taxa de retoma das embalagens (tara recuperável) colocadas no mercado atingirá valores entre os 95% e os 100%
  • Projeto Piloto (1ª Fase) para a devolução de garrafas de plástico, com vista a garantir o seu encaminhamento para reciclagem até 31 de dezembro 2019
  • A partir de 1 de janeiro de 2022 (2ª Fase) é obrigatória a existência de sistema de depósito de embalagens de bebidas de plástico, vidro, metais ferrosos e alumínio

O partido PAN (Pessoas-Animais-Natureza) viu hoje aprovada com os votos contra do PCP, abstenções do PEV e do CDS e votos a favor dos restantes partidos, a proposta que visa a implementação de um novo sistema de depósito de embalagens, vulgo Tara Recuperável. Esta medida será implementada em duas fases sendo a primeira de incentivos e a segunda de implementação plena no mercado nacional.

O sistema de incentivo (1ª Fase) é implementado até ao dia 31 de dezembro 2019 sob a forma de Projeto Piloto, para a devolução de garrafas de plástico, com vista a garantir o seu encaminhamento para reciclagem. Este sistema de incentivo consiste na atribuição de um prémio ao consumidor final, valor a regulamentar pelo governo. Para este efeito, serão disponibilizadas máquinas que permitam a devolução das garrafas a instalar em grandes superfícies comerciais e em outros pontos de retoma que voluntariamente se articulem com o governo. As superfícies comerciais que sejam integradas no projeto piloto ficam obrigadas a implementar nas suas instalações uma área devidamente assinalada e exclusivamente destinada ao comércio de bebidas em embalagens reutilizáveis ou 100% biodegradáveis.

A partir de 1 de janeiro de 2022 (2ª Fase) é obrigatória a existência de sistema de depósito de embalagens de bebidas de plástico, vidro, metais ferrosos e alumínio (Latas). Há uma transição do depósito apenas das garrafas de plástico para todas as embalagens (plástico, vidro, metais ferrosos e alumínio). O valor do depósito (tara) será regulamentado por despacho do governo.

Prevê-se que a taxa de retoma das embalagens colocadas no mercado atinja valores entre os 95% e os 100%, concretizando os princípios da economia circular. Atualmente só uma pequena parte das embalagens é retomada (reciclada), sendo que a maioria está a ser incinerada, aterrada ou perdida na natureza (florestas, rios, mares).

“Portugal deverá atingir em 2020 uma meta de 70% na reciclagem de embalagens. Atualmente estamos muito longe de atingir aquela meta: faltando apenas dois anos, a reciclagem de materiais recicláveis situa-se na ordem dos 30%. É por isso urgente proceder à adoção de políticas que envolvam ativamente as indústrias e que possibilitem aumentar, e muito, os níveis de retoma dos materiais recicláveis”, explica, André Silva.

“Esta sim é uma medida plena de implementação de uma Economia Circular” conclui o deputado do PAN.

PARTIDO "OS VERDES" DENUNCIA NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DESCARGAS POLUENTES NO RIO LIMA

Verdes Denunciam Descargas Poluentes no Rio Lima

800

O Deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma perguntaem que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente, sobre descargas ilegais feitas para o rio Lima e seus afluentes, onde, ao longo do seu leito e margens, crianças e adultos praticam canoagem e usufruem de praias fluviais onde não existem quaisquer avisos da qualidade de água.

Pergunta:

Portugal. Entra no nosso país, próximo do Lindoso e de Soajo e passa por Ponte da Barca e Ponte de Lima, até desaguar no oceano Atlântico junto a Viana do Castelo, após percorrer um total de 135 quilómetros. Pertence à bacia hidrográfica do rio Lima e à região hidrográfica do Minho e Lima. Este rio foi indicado como sendo o mitológico Lete por Estrabão, e fabulado profusamente na mitologia greco-romana como o rio do esquecimento, da dissimulação. Em Portugal, tem um comprimento aproximado 66,9 km e Ponte de Lima, uma das vilas mais antigas de Portugal, é banhada por este rio.

O rio que dá o nome à vila é também o responsável pelo desenvolvimento de Ponte de Lima sobretudo no que diz respeito ao turismo. As praias fluviais ao longo do rio são muito procuradas por locais e visitantes para os seus momentos de lazer.

Infelizmente, os Verdes receberam uma denúncia de descargas poluentes nas margens do rio Lima no centro da vila. E numa visita efetuada, a 31 de julho de 2018, por uma delegação do PEV, foi possível identificar o local de onde são feitas algumas descargas diretas para o rio Lima. Foi possível visualizar um tubo, que parece ser de esgoto, a libertar resíduos diretamente para o rio. Este encontra-se a meio da Avenida dos Plátanos, ao descer umas escadas em direção ao rio é, aliás, possível verificar que aquele local tem sido alvo de várias descargas. Verifica-se pela cor das pedras que formam um pequeno muro e pelo lixo e lamas acumulados nas árvores envolventes e no leito.

Na Ponte do Arquinho, em Arcozelo, muito próximo da foz, também se verifica a existência de 3 tubos, de diâmetro assinalável, a descarregar no Rio Labruja, um afluente do rio Lima. De um desses tubos, escondido pelas silvas, saem resíduos provenientes do que parece ser saneamento, já que a água sai absolutamente conspurcada e, na ramagem que se encontra depositada no leito do rio, junto a estas saídas, estão a ficar depositados sedimentos.

A preocupação dos crimes ambientais que podem estar a ser cometidos no rio Lima, à semelhança de outros rios ao longo de todo o país, é denunciada pela população que está cada vez mais sensível à preservação dos seus rios e da natureza.

Assim, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, solicito a S. Exª O Presidente da Assembleia da República que remeta ao Governo a seguinte Pergunta, para que o Ministério do Ambiente, possa prestar os seguintes esclarecimentos:

1 – O Ministério do Ambiente tem conhecimento da existência de denúncias na SEPNA de Arcos de Valdevez sobre descargas ilegais feitas para o rio Lima e seus afluentes no presente ano?

2 – O Governo tem ou teve conhecimento de denúncias de crimes ambientais que ocorreram nas margens do rio Lima onde crianças e adultos praticam canoagem e ao longo do qual é possível usufruir de praias fluviais onde não existem quaisquer avisos da qualidade de água?

3 – A Agência Portuguesa do Ambiente acompanha a situação da qualidade da água do rio Lima? Existe algum plano com o município de Ponte de Lima para que seja revisto o saneamento da vila?

4 – Que medidas vai tomar o Governo para defender o rio Lima?

O Grupo Parlamentar Os Verdes

TRUTAS REPOVOAM RIOS DO CONCELHO DE VIEIRA DO MINHO

A Câmara Municipal de Vieira do Minho e o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas procederam, recentemente, ao repovoamento dos rios do Concelho com 10 mil Trutas.

WIN_20181008_114419

Com este repovoamento piscícola a Autarquia Vieirense pretende criar condições que valorizem os seus recursos naturais e potenciem a prática de atividades lúdico – ambientais. A iniciativa teve, ainda por objetivo dotar os rios do concelho com esta espécie autóctone, contribuindo para a manutenção dos recursos naturais endógenos, bem como potenciar a prática turística.

A iniciativa, para além da sua vertente de preservação e conservação do património piscícola dos rios da região, visou também alertar as gerações mais novas para as questões ambientais, sobretudo aquelas que afectam a saúde dos nossos rios.

No que diz respeito ao nível do repovoamento propriamente dito, o mesmo consistiu na largada de 10 mil trutas em zonas específicas dos rios do concelho.

FAMALICÃO QUER CRIAR RESERVA PROTEGIDA PARA AVES MIGRATÓRIAS NO BAIXO AVE

Quarta semana do Festival Famalicão Visão’25 com inúmeras iniciativas para a comunidade

O locutor do programa televisivo “Vida Selvagem”, Eduardo Rêgo, é uma das presenças asseguradas na apresentação do projeto para a criação de uma paisagem protegida no baixo Ave, que vai realizar-se no próximo domingo, 14 de outubro, a partir das 9h00 no Salão Paroquial de Fradelos. O encontro promovido pela CSIF de Fradelos, Ribeirão e Vilarinho das Cambas pretende envolver e mobilizar as comunidades locais na recuperação e valorização das antigas pateiras do baixo Ave, um espaço de reserva para aves migratórias, onde foram já identificadas cerca de 190 espécies.

Galinha água

A iniciativa insere-se na quarta semana do Festival Famalicão Visão’25 que decorre sob o tema Comunidade de Futuro. Até 27 de outubro, mais de 60 entidades do concelho estão a colaborar e são parceiras deste projeto, proporcionando um conjunto diversificado de ações descentralizadas, que envolvem diretamente muitas centenas de pessoas.

Entretanto, já amanhã, terça-feira, a CSIF da Área Urbana em colaboração com o departamento do Urbanismo da Câmara Municipal vai dar início a um projeto-piloto para a mobilidade sustentável para o campus escolar. O encontro com duas turmas do 6º ano do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, vai acontecer na Escola Básica 2,3 Júlio Brandão, a partir das 18h30 e vai envolver pais e alunos, na sinalização e promoção de cursos alternativos, ao mesmo tempo promotores de modos de vida saudáveis.

Na quarta-feira, pelas 14h00, a Escola Camilo Castelo Branco acolhe a Agenda 21 Famalicão. A Agenda 21 Local de Famalicão constitui-se como uma parceria para acompanhamento dos indicadores de desenvolvimento sustentável e das ações e projetos que estamos a desenvolver para melhorar os resultados do planeta. Assim tem lugar o encontro da Comissão de Acompanhamento tomando também conhecimento das melhores práticas em curso.

Na quinta-feira, a partir das 9h00 é a vez da CSIF de Joane, Vermoim, Pousada de Saramagos e Mogege promover na Casa do Território a comunidade incubadora “Job Coach”, com a capacitação dos técnicos das organizações da economia social com novos modelos de inserção pelo trabalho.

No sábado, decorre a segunda edição da iniciativa “Escola Sem Muros”, a partir das 9h30, no Centro de Estudos Camilianos. Desde alguns anos, a rede das “Cidades Educadoras” vem afirmando de que as cidades e os territórios já detêm muitos espaços e saberes que devem ser mobilizados como recursos pedagógicos. A CSIF de Landim, Avidos, Lagoa e Seide lança-se, pois, na descoberta desses recursos para além dos muros da escola. Sabendo que é necessária toda uma aldeia para educar uma criança.

Recorde-se que o projeto Famalicão Visão 25 nasceu em 2014 no enquadramento da elaboração do Plano Estratégico 2014-2025 para o concelho, que apontou para o desenvolvimento de uma comunidade verde tecno-industrial global, num território verde multifuncional. Na altura, a autarquia utilizou o sofá para questionar os famalicenses sobre “como gostariam de ver Famalicão daqui a 10 anos?”, envolvendo-os num verdadeiro ato de cidadania e de participação cívica. Mais de mil pessoas sentaram-se no sofá e partilharam os seus projetos para o futuro com a comunidade.

Entretanto, em 2016, realizou-se a segunda edição do festival, sob o lema “Marcas de Futuro”, com um pedido sério de compromisso e envolvimento dos famalicenses com a comunidade. A questão colocada era “O que podes fazer por Famalicão”, sendo que a resposta implicava diretamente uma vontade e um compromisso. Compromisso esse que se pretende agora renovar com a pergunta “O que mais gosta de Famalicão?” a dar a ignição para uma grande reflexão coletiva sobre o futuro da comunidade.

O sofá amarelo acompanhará as várias iniciativas interpelando e interagindo com os famalicenses.

Festival Famalicão Visão’25

Comunidade de Futuro

4.ª Semana _ Programa

Mobilidade Sustentável para o Campus Escolar

Dia: 9 outubro

Local: Escola Secundária Camilo Castelo Branco - Auditório

Caraterização das condições de acessibilidade pedonal ao campus escolar, recolha de contributos para o projeto de mobilidade urbana da cidade, definição de rede de percursos pedonais para a escola (complexo escolar da cidade) e promoção dos modos suave de transporte nas crianças e jovens, para aumento da sua autonomia e hábitos de vida saudável.

Programa:

18h30 – Abertura da sessão

18h40 – Apresentação do projeto-piloto aos pais/tutores dos alunos

19h30 – Mapeamento dos percursos realizados e desejáveis na deslocação para a escola

20h00 – Encerramento

Agenda 21 Famalicão

Dia: 10 outubro

Local: Escola Camilo Castelo Branco

Sinalização das ações implementadas e em implementação, das necessidades e do potencial do território, e reforço das dinâmicas de cooperação entre parceiros, para troca de conhecimento e experiências, para disseminação de boas práticas e inspiração para a ação qualificada e conjunta.

Programa:

14h00 – Receção dos participantes

14h15 – Abertura da sessão

14h30 – Apresentação da síntese dos resultados/produtos do grupo de trabalho temático e de boas práticas: Mobilidade; Metabolismo; Economia e Morfologia

17h45 – Encerramento da sessão

Comunidade Incubadora ‘Job Coach’

Dia: 11 outubro

Local: Serviços Educativos do Parque da Devesa

Hora: 9h00

Capacitação dos técnicos das organizações da economia social com novos modelos de inserção pelo trabalho.

Escola sem muros

Dia: 13 outubro

Local: Centro de Estudos Camilianos

Construção de Projeto Educativo (em conjunto) com a comunidade, enquanto suporte para o aumento de competências pessoais com a interiorização de valores e atitudes e humanizando os recursos locais que pertencem à comunidade

Programa:

9h30 – Abertura: Carlos Teixeira (Diretor do AECCB)

10h00 – Apresentação dos resultados da Oficina: Mapa Educativo

10h45 – CoffeBreak

11h00 – Intervenção de Andrea Duarte (Instituto das Comunidades Educativas)

11h30 – Intervenção de Carlos Neto (Faculdade de Motricidade Humana)

12h00 – Encerramento: Leonel Rocha (Vereador da Educação)

Paisagem Protegida Local das Pateiras do Ave

Dia: 14 outubro

Local: Salão Paroquial de Fradelos

Criação comunitária de uma reserva biológica enquanto herança local de e para a região, enquanto ferramenta valorizadora do território e dos seus recursos.

Programa

9h00 – Acolhimento

9h15 – Abertura da sessão: Pedro Sena (Vereador do Ambiente)

9h20 – Apresentação do projeto da PPL das Pateiras do Ave à Comunidade, Vasco Cruz

Moderadora: Judite Costa (Presidente da Junta de Freguesia de Vilarinho das Cambas)

09h40 – “A importância de uma paisagem protegida local na qualidade de vida dos munícipes. O que oferece e o que potencia uma paisagem protegida local na economia local” Gonçalo Rodrigues (PPL das Lagoas de S. Pedro de Arcos e Bertiandos de Ponte de Lima)

10h00 – “A importância das paisagens protegidas locais para a conservação do património natural, nomeadamente em área densamente povoadas como o litoral norte” Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (a confirmar)

10h20 – “Perspetiva de um autarca local face a um projeto desta tipologia” Adelino Oliveira (Presidente de Junta de Ribeirão)

10h40 – “Dinâmicas e evolução do negócio de turismo de natureza e birdwatching no litoral norte de Portugal” Carlos Palma Rio e Carla Couto (North Birding Tours)

11h00 – “Planeamento, estratégias de promoção de visitação, gestão, manutenção e resultados de espaços de visitação e observação de aves” Sandra Paiva Silva (EVOA, Espaço de Visitação e Observação de Aves no Estuário do Tejo)

11h20 – Encerramento: Adelino Costa (Presidente da Junta de Freguesia de Fradelos)

11h30 – Visita guiada aos principais habitats da área de estudo

13h00 – Merenda comunitária

Rio Ave

CERVEIRA ESTIMULA SEPARAÇÃO DE RESÍDUOS

Valorminho e Câmara Municipal sensibilizam comércio local para maior separação de resíduos

Arrancou esta sexta-feira, em Vila Nova de Cerveira, a mais recente Campanha de Sensibilização Ambiental da Valorminho denominada “Comércio a Reciclar”, cujo objetivo passa por visitar os comércios sensibilizando-os para os modos corretos da separação dos resíduos, disponibilizando um serviço gratuito de recolha.

IMG_7858

A ação teve início na Câmara Municipal com uma reunião de apresentação do impacto do projeto, e que contou com a presença do Presidente da autarquia, Fernando Nogueira, do Vereador Vitor Costa, da Vereadora Aurora Viães, do Administrador Delegado da Valorminho, Eng.º Rui Silva, da responsável de Comunicação e Sensibilização da Valorminho, Eng.ª Dora Guterres, e da responsável de Recolha Seletiva, Eng.ª Ana Silva. Posteriormente, seguiu-se uma visita conjunta aos estabelecimentos comerciais de restauração, de forma a dar a conhecer a campanha, bem como os benefícios e vantagens de um serviço de recolha dedicada e gratuita.

As ações de sensibilização visam educar, sensibilizar e promover, junto do comércio e serviços, uma maior informação sobre as vantagens de adotar comportamentos ambientalmente corretos no âmbito da valorização dos resíduos urbanos. Através do contacto direto, associado de forma concreta aos serviços de recolha seletiva, pretende-se motivar assim alteração de comportamentos que permitam melhorar o desempenho ambiental do município.

O presente projeto tem o apoio do Fundo de Coesão da União Europeia através do PO SEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

PAN QUESTIONA EMISSÕES DE GASES POLUENTES

PAN questiona Governo sobre emissões de gases poluentes provenientes de barragens e de lagos

  • Barragens, lagos e reservatórios de água contribuem para o aumento das temperaturas médias globais
  • Saber o impacto real desta forma de produção de energia e qual o seu contributo em termos de emissões de gases com efeitos de estufa
  • Impactos não estão quantificados no Roteiro para a Neutralidade Carbónica
  • Se não forem conhecidos os reais impactos não é possível criar modelos de adaptação e mitigação científicos rigorosos

No seguimento das mais recentes evidências sobre o facto das barragens, lagos e reservatórios de água contribuírem substancialmente para o aumento das temperaturas médias globais devido à libertação de Dióxido de Carbono (CO2) e de Metano (CH4) através de bolhas criadas no fundo da água por ação da decomposição de matéria orgânica, o PAN, Pessoas-Animais-Natureza, avançou com uma série de questões ao Ministério do Ambiente.

Segundo um estudo que relacionou mais de 200 artigos sobre a matéria, publicado na revista científica BioScience, existem fortes indícios que se esteja a subvalorizar o impacto destas emissões nos cenários de mitigação e adaptação às alterações climáticas. O estudo concluiu ainda que as emissões de gases poluentes através das barragens e lagos são 25% mais elevadas do que aquilo que era estimado isto porque o Metano é sensivelmente 25 vezes mais poluente que o Dióxido de Carbono.

Tendo em consideração que existe um Roteiro para a Neutralidade Carbónica, que o Estado tem levado a cabo investimento nesta área, nomeadamente com o Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroelétrico (PNBEPH), e que Portugal tem mais de 250 grandes barragens, com altura superior a 15 metros ou armazenamento superior a 1 hm3 (1 milhão de metros cúbicos), segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), impera saber o impacto real destas escolhas Governamentais tal como o seu contributo em termos de emissões de gases com efeitos de estufa para podermos, científica e rigorosamente, criar modelos de mitigação e adaptação.

Posto isto o PAN quer saber que estudos foram feitos no PNBEPH para quantificar estes gases e que medidas foram implementadas para neutralizar as emissões decorrentes deste plano nacional; Qual o impacto global destas emissões em território nacional tendo em conta todas as barragens, reservatórios e lagos registados; Qual a justificação para que estes impactos não estejam quantificados no Roteiro para a Neutralidade Carbónica e que medidas de adaptações e de mitigação têm sido tomadas para neutralizar os impactos das emissões destes gases com efeito de estufa em Portugal.

Para consultar o documento:

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalhePerguntaRequerimento.aspx?BID=108370

FAMALICÃO ASSINALA DIA EUROPEU SEM CARROS

Dia Europeu sem Carros foi laboratório de ensaio para o futuro. A cidade sem carros arrancou sorrisos às pessoas

Houve muitos mais sorrisos do que o habitual e muitas expressões de contentamento. A cidade de Vila Nova de Famalicão viveu um dia diferente no último sábado, dia 22, com as principais ruas do centro urbano fechadas ao trânsito automóvel em virtude da comemoração do Dia Europeu sem Carros.  Cerca de 60 parceiros do município animaram o centro de Famalicão e ajudaram a mostrar o quanto uma cidade mais humana pode ser mais convidativa e atrativa.

DSC_7675

Dinamizado pelo pelouro da Mobilidade e Segurança Rodoviária, no âmbito do Festival Famalicão Visão 25,  a iniciativa explorou novos modos de mobilidade suave e novas formas de ocupação e fruição do espaço público numa espécie de laboratório de ensaio para uma cidade mais amiga do ambiente e dos peões. Milhares de pessoas desfrutaram assim de um dia diferente em Vila Nova de Famalicão e a sensação de tranquilidade  e de alegria era bem notória nos rostos dos transeuntes.

“O futuro terá que ser necessariamente diferente”, assinalou o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, lembrando que a Câmara Municipal tem em fase de concurso público um conjunto de obras relacionadas com o PEDU - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), que vão ajudar a criar uma cidade mais amiga das pessoas e do ambiente.

DSC_7824

BRAGA APOSTA NA DESCARBONIZAÇÃO

Projecto inovador promove novas tecnologias em contexto real: BUILD une parceiros no desenvolvimento de soluções tecnológicas para descarbonização das Cidades

Decorreu hoje, dia 17 de Setembro, a sessão de apresentação pública do BUILD - Braga Urban Innovation Laboratory Demonstrator e a assinatura do acordo de cooperação entre o Município de Braga e os seus diversos parceiros.

CMB17092018SERGIOFREITAS00000014426

Integrado no programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização, apoiado pelo Ministério do Ambiente através do Fundo Ambiental, o BUILD é um projecto de inteligência urbana que cria um ambiente de inovação com o suporte de parceiros científicos - Universidade do Minho (UMinho), o Centro de Computação Gráfica (CCG) e o Laboratório Internacional de Nanotecnologia (INL) – e parceiros estratégicos - Transportes Urbanos de Braga, Braval, Agere e Juntas de Freguesia de S. Victor e S. Vicente.

A área de intervenção é localizada nas freguesias de São Vicente e de São Victor, junto às Escolas D. Diogo de Sousa, Leonardo Da Vinci, Enguardas e Francisco Sanches. Abrange a Urbanização do Pachancho e o Areal de Baixo, estendendo-se ao nó de Infias e ao Bairro das Enguardas.

O projecto, que tem um custo de 800 mil euros e é co-financiado a 49,4%, iniciou-se em Abril do presente ano e termina no final de Maio de 2019. Promove o desenvolvimento, validação e teste de novas tecnologias, serviços e respectivas aplicações em contexto real, tendo em vista reduzir as emissões de gases com efeito estufa e a intensidade carbónica provenientes das actividades e serviços realizados neste espaço. 

Como referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o Município assume a sustentabilidade como uma área de primordial importância e pretende contribuir, de forma concreta, para o desenvolvimento sustentado do Concelho e dar o exemplo na resposta às metas nacionais estabelecidas no âmbito do Acordo de Paris e do Programa Nacional para as Alterações Climáticas 2020/2030.

“Estes são objectivos desafiantes e cruciais para o futuro que devem marcar a actuação dos poderes públicos, estimulando dessa forma a própria sociedade civil a desenvolver iniciativas que invertam o ciclo negativo de degradação do meio ambiente e ameaça da sustentabilidade futura”, referiu, apontando ainda a capacidade demonstrada por Braga em transferir conhecimento para a dimensão da gestão urbana, aproveitando o espirito inovador das diversas entidades envolvidas: “No final do projecto queremos replicar estas boas práticas a nível concelhio e esperamos que as soluções aqui encontradas sejam adoptadas também a nível nacional”.

CMB17092018SERGIOFREITAS00000014427

Tecnologias nas áreas da mobilidade, eficiência energética e hídrica

O potencial de inovação está directamente ligado aos parceiros envolvidos e a um conjunto de iniciativas capazes de introduzir tecnologias ao nível dos sistemas de informação, tais como: carregamento de veículos eléctricos; Iluminação pública eficiente e inteligente; gestão de trafego; contadores inteligentes; produção de energia para autoconsumo; compostagem/aproveitamento de águas pluviais e monitorização de consumos.

As tecnologias a implementar são, maioritariamente, nas áreas temáticas da mobilidade, eficiência energética e hídrica. Estão também previstas acções de cidadania e da dimensão social.

Através do BUILD, e por forma a articular todas as actividades previstas, será criado o Laboratório de Inovação Urbana (LIU) – um projecto estratégico ao nível da relação com as Universidades e que procura explorar o potencial de inovação que acontece nos laboratórios em Braga. Trata-se de um laboratório de experimentação especificamente dedicado à territorialização em ambiente urbano, com o suporte da investigação produzida pelos parceiros científicos deste projecto, fundamental para garantir o funcionamento da infra-estrutura tecnológica que será implementada e os serviços associados.

A implementação do projecto BUILD e, em particular, a criação do LIU é considerada estratégica a longo prazo. Após o término do BUILD será dada prioridade à aplicação dos resultados bem-sucedidos deste projecto a toda a cidade e concelho de Braga, contexto no qual o LIU constituirá uma estrutura permanente que irá contar com a Universidade do Minho, o Centro de Computação Gráfica e o Laboratório Internacional de Nanotecnologia como parceiros científicos estratégicos, aberta a outras instituições e universidades.

O School Bus é um exemplo dos projectos financiados no âmbito do BUILD e será o maior responsável pela impacto ambiental da alteração de comportamentos que o projecto visa atingir através da redução do congestionamento automóvel no perímetro das escolas.

CMB17092018SERGIOFREITAS00000014429

FAFE ASSINALA DIA EUROPEU SEM CARROS

O Município de Fafe vai assinalar o Dia Europeu Sem Carros, no próximo sábado, 22 de setembro, com um conjunto de iniciativas no centro da cidade.

convite-digital-22set-06-06

Com a parceria de várias associações locais, o programa, integrado na Semana Europeia da Mobilidade, contempla sessões de dança, karaté, kickboxing, patinagem, música, mass-training, atletismo, ciclismo, Workshops de segurança e proteção ambiental, entre muitas outras iniciativas de entrada livre e abertas a toda a população.

Durante a manhã, a partir das 10h00, decorrerá ainda o Peddy Paper subordinado ao tema 'O Património Local', com prémios para os três primeiros grupos vencedores. A participação nesta atividade implica a inscrição através do email geral@cm-fafe.pt ou na Loja Interactiva de Turismo.

O Museu das Migrações e das comunidades e o Museu Regional da Imprensa estarão abertos ao público, com entrada livre.

A Semana Europeia da Mobilidade pretende encorajar as autoridades locais e os cidadãos a olhar para a mobilidade sustentável e inteligente como um investimento para a Europa. A investigação mostra que, através de escolhas de mobilidade mais inteligentes, podemos contribuir de forma determinante para a economia coletiva.

2018 é o “ano da multimodalidade”. Sob o mote “Combina e Move-te”, a Comissão pretende fomentar a importância da multimodalidade no sistema de transporte da União Europeia.

Raul Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Fafe, explica que “estas iniciativas procuram alertar para a necessidade de uma mobilidade sustentável e vão trazer um ritmo diferente ao tecido urbano. Este ano, em parceria com várias associações locais, vamos proporcionar um dia repleto de atividades em que todos podem participar.

Com isto, queremos promover formas de deslocação mais saudáveis e amigas do ambiente.

São iniciativas que o Município procura que ganhem visibilidade e que despertem consciências para as questões da mobilidade e da qualidade de vida urbana.”

Recorde-se que, no dia 22 de Setembro, o trânsito estará interdito no centro da cidade. 

Planta ZSTA - Dia Europeu Sem Carros

FAMALICÃO ASSINALA DIA EUROPEU SEM CARROS

Comemorações decorrem este sábado, dia 22, com várias atividades no centro da cidade. Famalicão a pedalar no Dia Europeu Sem Carros

Pedalar calmamente pela cidade, com estilo e sem stress. Este é o lema do “Cycle Chic”, o movimento internacional que regressa a Vila Nova de Famalicão este sábado, 22 de setembro, para as comemorações do Dia Europeu Sem Carros, promovidas pelo pelouro da Mobilidade da autarquia no âmbito do Festival Famalicão Visão 25.

DSC_8618

O passeio de bicicleta, organizado pela associação juvenil YUPI, vai já para a sua quarta edição e está marcado para as 17h00, com saída da Rua de Santo António. A inscrição é obrigatória e pode ser efetuada no site do Município, em www.vilanovadefamalicao.org.

Esta é uma das muitas atividades promovidas pela autarquia para celebrar o Dia Europeu Sem Carros, assinalado anualmente no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade, que este ano decorre sob o lema “Combina e Move-te”.

O dia promete ser longo, com a realização de várias atividades promotoras de novos modos de mobilidade suave e de novas formas de ocupação e fruição do espaço público. É nesse sentido que as principais artérias do núcleo urbano da cidade vão estar encerradas ao trânsito este sábado, numa espécie de laboratório de ensaio para uma cidade mais amiga do ambiente e dos peões.

Entre as inúmeras atividades agendadas, destaque, por exemplo, para a realização de um workshop de Geocaching, às 10h00, promovido pela associação PASEC e pela CSIF da Área Urbana. A iniciativa, de inscrição obrigatória no site do Município, terá como local de concentração a Praça D. Maria II.

A Escola de Educação Rodoviária vai também associar-se à iniciativa com uma atividade que tem por objetivo ensinar os mais pequenos a circular de bicicleta na via pública.

Nota ainda para uma demonstração de bicicletas elétricas, para a inauguração da exposição “Ciclovia como motor de desenvolvimento do nosso território”, na Rua de Santo António, e a realização de vários momentos culturais, com oficinas e leituras ao ar livre e a presença do Teatro Bus.

A realização destas atividades implicará assim os seguintes cortes de trânsito: Praça D. Maria II (Topo Norte, em frente à Fundação Cupertino Miranda), das 14h00 do dia 21 de setembro até às 20h00 do dia 22 de setembro; Rua Adriano Pinto Basto (a partir do entroncamento com a Rua Daniel Santos/ a seguir à Iris) e Rua de Santo António, das 20h00 do dia 21 de setembro até às 20h00 do dia 22 de setembro.

Programa completo da iniciativa disponível para consulta no site do município.

DSC_8621

AÇÃO DE LIMPEZA NA PRAIA DA FOZ DO MINHO ALERTA PARA OS PERIGOS DO LIXO MARINHO

O Aquamuseu do rio Minho e a APLM – Associação Portuguesa de Lixo Marinho promovem a realização de uma ação de limpeza especial, no âmbito do Dia Internacional da Limpeza Costeira. A Praia da Foz do Minho, em Caminha, (praia marítima), foi o espaço selecionado para acolher uma atividade dinamizada por voluntários, agendada para sábado, 15 de setembro, a partir das 17h00.

Poster_VNC

O Dia Internacional da Limpeza Costeira foi criado por iniciativa da organização Ocean Conservancy e é celebrado anualmente no terceiro sábado de setembro. O objetivo é “promover a proteção dos oceanos, o sistema de sustento à vida do planeta, que representa 70% da extensão da Terra e que alimenta mil milhões de pessoas”.

Assim, todos os anos organiza-se a maior limpeza voluntária do globo, envolvendo milhões de pessoas espalhadas pelo mundo, e o Vale do Minho não fica indiferente. No próximo sábado, na Praia da Foz do Minho, os voluntários vão dar o seu contributo em prol do ambiente, associando-se ao lema ‘Por ti, por todos, por um mar sem lixo. O Oceano precisa de ti!’

O ponto de encontro decorre junto ao mastro da Bandeira Azul, uma hora antes da atividade se iniciar, ou seja, pelas 16h00. Para quem precisar de transporte, há autocarro com ida (16h00) e regresso (19h00) marcado desde o Centro Coordenador de Transportes. A participação é livre e gratuita, e as inscrições devem ser realizadas através dos endereços de email ambiente@cm-caminha.pt ou aquamuseu@cm-vncerveira.pt

A associação promotora, APLM, recorda que o lixo marinho que vemos nas nossas praias é apenas uma pequena percentagem de todo o lixo que existe nos oceanos (15%) e, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio-Ambiente (UNEP), 15% do lixo marinho flutua à superfície ou está na coluna de água (a mais de 40 centímetros de profundidade). Os restantes 70% estão nos fundos marinhos, fora da nossa vista.

A iniciativa conta ainda com a parceria do Município de Caminha, da Capitania do Porto de Caminha, da Agência Portuguesa do Ambiente, da Associação Transfronteiriça de Educação Ambiental e da Corema.

ESPOSENDE AMBIENTE DIVERTIU AS CRIANÇAS NAS FÉRIAS LETIVAS DE VERÃO

Esposende Ambiente envolveu um milhar de crianças e jovens em atividades de verão

Com o objetivo de ocupar os tempos livres das crianças e jovens durante as férias letivas do verão, a empresa municipal Esposende Ambiente, no âmbito do Plano de Atividades do Centro de Educação Ambiental (CEA) e do Programa da Campanha Bandeira Azul, promoveu, ao longo dos meses de julho e agosto, um conjunto diversificado de atividades ligadas a temáticas ambientais.

CIG_IMG011

Perto de um milhar de crianças e jovens, a título particular ou integrados em instituições concelhias e extra concelhias, tiveram, assim, oportunidade de participar em atividades orientadas para a gestão da rede hídrica do concelho, a politica dos 3 R’s com particular enfoque na reutilização de resíduos e materiais, a importância dos oceanos, a problemática do lixo marinho e os impactes do plástico nos mares e oceanos, a manutenção da biodiversidade marinha, as ciências experimentais e a sustentabilidade das praias.

O programa das Oficinas de Férias de Verão no CEA contemplou a realização de workshops ligados não só à reutilização de materiais, mas também às expressões dramática e plástica, à ilustração e escrita criativas, jogos ambientais dedicados à gestão sustentável do recurso água, bem como atividades relacionadas com as áreas das ciências, onde não faltou a monitorização das margens e da qualidade da água de linhas de água, e a observação de macroinvertebrados. Foram também realizadas várias sessões da peça de teatro de marionetas “Viagem ao fundo do mar”, oficinas de ciências experimentais e ações de limpeza de praias que foram complementadas com trabalho de monitorização da tipologia e quantidade de resíduos recolhidos. Ao nível das ações de limpeza desenvolvidas no espaço praia, e para além das centenas de quilos de resíduos recolhidos pelos voluntários, de destacar a iniciativa “Caça-Beatas” desenvolvida na praia de Ofir, com a colaboração da Onda Magna, e que resultou na recolha de mais de 5000 pontas de cigarros do areal.

CIG_IMG023

Ao longo do ano letivo de 2017/2018, o Centro de Educação Ambiental de Esposende mobilizou milhares de visitantes nas mais variadas atividades e serviços que este equipamento de promoção para a sustentabilidade oferece à população.

Para além da visita à exposição permanente “Ambiente Interativo”, o Plano de Atividades contemplou um vasto leque de propostas de atividades e iniciativas abrangendo várias temáticas e dirigidas a vários públicos-alvo, como oficinas lúdico-pedagógicas, workshops, palestras, disponibilização dos espaços para dinamização de eventos, entre outras iniciativas. Entre setembro e junho, estas atividades contaram cerca de 6000 participantes de todas as faixas etárias.

Já o Programa de Educação para a Sustentabilidade, também da responsabilidade da Esposende Ambiente, e que vem complementar o trabalho educativo realizado no Centro de Educação Ambiental, integrou, ao longo do ano letivo, um conjunto diversificado de iniciativas e projetos educativos dirigidos a diversos grupos da comunidade, com especial destaque para a comunidade educativa, com vista à sensibilização, formação e educação para o ambiente dos munícipes. Muitas das iniciativas foram desenvolvidas em colaboração com várias entidades, das quais se destacam a Resulima, o Parque Natural do Litoral Norte e a empresa municipal Esposende 2000. Nas várias ações realizadas estiveram envolvidos mais de 4000 participantes.

O Programa de Educação para a Sustentabilidade para o ano letivo que agora se inicia estará disponível no próximo mês de outubro, no site da Esposende Ambiente www.esposendeambiente.pt e no no blogue CEA http://www.esposendeambiente.pt/cea/.

CIG_IMG027

ESPOSENDE SENSIBILIZA PARA O AMBIENTE

Município de Esposende prossegue sensibilização ambiental

Constituiu um enorme sucesso, a iniciativa de sensibilização “Ecopontos Humanos” que decorreu durante a Festa da História – Esposende, Terra de Mareantes, entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro.

2

Esta iniciativa resultou da parceria do Município de Esposende com a Resulima e a Sociedade Ponto Verde e teve o intuito de contribuir para a consciencialização ambiental.

Em função do material de sensibilização ambiental distribuído pelos monitores, estima-se que foramalcançadas cerca de 300 famílias/grupos de pessoas. Foram, ainda, recolhidos cerca de 15 quilogramas de plástico e metal, nas mochilas-embalão que os monitores transportavam às costas, onde eram depositadas embalagens usadas.

Entretanto, as entidades envolvidas nesta parceria já retomaram os contactos junto do comércio e dos serviços do concelho de Esposende, no âmbito da iniciativa “Comércio a reciclar”, divulgando o serviço de recolha gratuita de resíduos valorizáveis.

3

AÇÃO DE LIMPEZA NA PRAIA DA FOZ DO MINHO ALERTA PARA OS PERIGOS DO LIXO MARINHO

Município de Caminha associa-se a iniciativa no âmbito do Dia Internacional da Limpeza Costeira

O Município de Caminha associou-se àAPLM - Associação Portuguesa de Lixo Marinho e ao Aquamuseu do Rio Minho para a realização de uma ação de limpeza especial, no âmbito do Dia Internacional da Limpeza Costeira.O espaço selecionado foi a Praia da Foz do Minho, em Caminha, (praia marítima), e a atividade vai ser levada a cabo por voluntários, sábado, dia 15 de setembro, a partir das 17h00.

Foz_do_minho

O Dia Internacional da Limpeza Costeira foi criado por iniciativa da organização OceanConservancy e é celebrado anualmente no terceiro sábado de setembro.O objetivo é “promover a proteção dos oceanos, o sistema de sustento à vida do planeta, que representa 70% da extensão da Terra e que alimenta mil milhões de pessoas”.

Assim, todos os anos neste dia organiza-se a maior limpeza voluntária do globo, envolvendo milhões de pessoas espalhadas pelo mundo.

Caminha junta-se a esta iniciativa de caráter cívico A participação é livre e gratuita, e as inscrições devem ser realizadas através dos endereços de email ambiente@cm-caminha.pt ou aquamuseu@cm-vncerveira.pt

No próximo dia 15, na Praia da Foz do Minho, o ponto de encontro será junto ao mastro da Bandeira Azul, uma hora antes da atividade se iniciar, ou seja, pelas 16h00.

O Município de Caminha apoiará com a recolha dos resíduos, lanches e fornecimento de sacos e luvas.

Recorde-se que a associação promotora, APLM, tem por missão a defesa, conservação, e preservação do ambiente face aos impactes do lixo nos ecossistemas marinhos, costeiros, estuarinos e os associados a águas interiores; a sensibilização, consciencialização e coresponsabilização da sociedade para valores de consumo sustentável e cidadania, solidariedade e preservação ambiental. Visa ainda a prossecução de atividades formativas, bem como a elaboração, edição e divulgação de estudos e outras publicações relevantes nesta área

A associação lembra que o lixo marinho que vemos nas nossas praias é apenas uma pequena percentagem de todo o lixo que existe nos oceanos (15%) e,de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio-Ambiente (UNEP), 15% do lixo marinho flutua à superfície ou está na coluna de água (a mais de 40 centímetros de profundidade). Os restantes 70% estão nos fundos marinhos, fora da nossa vista.

PAN VAI NA MARCHA MUNDIAL DO CLIMA

No próximo dia 8 de setembro, sábado, o PAN juntar-se-á à Marcha Mundial do Clima em Lisboa, no Porto e em Faro.

Em Lisboa, esta marcha terá início às 17h00 no Cais do Sodré e contará com a presença de Francisco Guerreiro, Membro da Comissão Política Nacional e Porta voz do PAN. No Porto inicia-se à mesma hora na Praça da Liberdade com a presença do Deputado André Silva e de Bebiana Cunha, Deputada Municipal do PAN no Porto. No mesmo horário o PAN Algarve junta-se no Largo da Sé com a presença de Paulo Batista, Deputado Municipal do PAN em Faro.

Sob o mote “Parar o petróleo! Pelo clima, justiça e emprego!” o PAN junta-se à mobilização internacional “Rise for Climate”. As preocupações ambientais do PAN têm-se vindo a destacar desde o início da legislatura. O partido questionou recentemente o Ministério do Mar sobre o que fundamentou a apresentação de recurso que visa travar a decisão de suspensão da exploração de hidrocarbonetos em Aljezur, tomada pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé no passado dia 2 de julho, decorrente de providência cautelar intentada pela PALP.

Em causa estão os mais recentes desenvolvimentos por parte do Governo que, no dia 14 de agosto, apresentou recurso para travar a decisão do Tribunal de Loulé que suspendia preventivamente todas as ações do consórcio ENI/GALP, ao largo de Aljezur, visto que não existiam argumentos que justificassem o interesse público para além dos alegados pelo Governo de interesses económicos e contratuais.

Dando continuidade ao trabalho que tem sido desenvolvido, o PAN tem apostado de forma convicta em relações de proximidade com cidadãos e está a mobilizar todos aqueles que, de alguma forma, se reveem na necessidade de repensar o modelo socioeconómico de crescimento infinito, uma impossibilidade física que conduz à degradação do planeta. Nesta Marcha Mundial pelo Clima, o partido junta-se assim a um movimento global de alerta e sensibilização dos líderes políticos e das instituições nacionais e internacionais para a urgência de travar e de minimizar as catastróficas alterações climáticas que já são uma realidade. O objetivo será, tal como proposto pela organização, alcançar uma vez mais a maior mobilização pelo clima de sempre.

BRAGA: DESCARGA NO RIO ESTE É CRIME CRIME AMBIENTAL

COMUNICADO

«Acto criminoso provoca descarga no Rio Este»

A AGERE E.M. vem por este meio informar que foi confrontada hoje, dia 23 de Agosto, com alertas públicos dando conta da obstrução do colector de Saneamento de Águas Residuais junta à Rua do Vilar em Este S. Mamede, provocando esta situação a descarga de águas residuais no Rio Este.

A situação foi confirmada pelos serviços da AGERE e resultou de um acto deliberado e criminoso de vandalismo de alguém que ostensivamente colocou sacos de areia na conduta, provocando deste modo o retorno do efluente e originando o transbordo do mesmo para a linha de água.

A AGERE mobilizou imediatamente todos os meios de escoamento e de limpeza para minimizar o impacto deste acto de vandalismo. No terreno estão a Agere, Proteção Civil, Bombeiros Voluntários de Braga, Bombeiros Municipais de Braga e Bombeiros Famalicences, num total de 10 viaturas e 20 operacionais. Neste momento o escoamento do efluente encontra-se normalizado. No terreno não se identificou o autor desta acção e a AGERE irá efectuar uma participação criminal contra terceiros.

AGERE EM, 23 de Agosto de 2018