Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

NA ESCOLA DE VALENÇA COMER A SOPA TODA DÁ PRÉMIOS

CantinasValença.jpg

Quem come a sopa, nas cantinas escolares de Valença, habilita-se a ganhar vários prémios, ao longo de todo o ano letivo. Foi o que aconteceu ao Rafael Capelas, à Mariana Parente e à Joana Castro.

No sorteio, referente ao mês de maio, estes três alunos foram contemplados com um smartwatch, uma Powerbank e uma bicicleta, respectivamente.

O Sorteio contou com a participação do Presidente da Câmara Municipal, José Manuel Carpinteira e do Vereador da Educação, Arlindo de Sousa, que aproveitando a ocasião, almoçaram na cantina da Escola sede do Agrupamento.

O almoço contou, também, com a participação da direção do Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho, e dos representantes da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento.

O sorteio decorreu no âmbito do concurso “Comer Saudável”, promovido pelo Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho e Câmara Municipal nas cantinas escolares.

Já com dois anos de implementação, o concurso “Comer Saudável” tem refletido o aumento do consumo da sopa e dos legumes com um conjunto de práticas inovadoras e motivadoras do que é comer mais saudável junto dos jovens.

Com um programa de melhoria contínua dos serviços das refeições escolares a Câmara Municipal pretende garantir as melhores refeições possíveis aos alunos nos estabelecimentos de ensino.

A implementação do concurso “Comer Saudável” conta com a colaboração da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho de Valença e da Associação de Estudantes do Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho de Valença.

BRAGA: CDU VISITOU BANCO PORTUGUÊS DE GERMOPLASMA VEGETAL E DEFENDE SOBERANIA ALIMENTAR DO PAÍS

bpgv_1.jpg

Uma delegação da CDU integrando Vítor Rodrigues, candidato ao Parlamento Europeu e vereador da Câmara de Braga, visitou o Banco Português de Germoplasma Vegetal (BPGV), em Braga, testemunhando uma vez mais o valioso trabalho desta estrutura pública dedicada à conservação da biodiversidade, e uma das mais importantes a nível mundial.

Nesta visita, a CDU reafirmou o seu compromisso com a necessidade de ser garantido financiamento via Orçamento do Estado para o normal funcionamento do BPGV, tendo em conta as suas valências de repositório de material genético e vegetal, mas também de inovação e investigação.

A CDU tomou conhecimento da necessidade de reforço do número de trabalhadores nas diversas categorias profissionais, para além se ser necessária a sua devida valorização, de modo a garantir a completa autonomia deste organismo público.

Nesta visita, ficou ainda evidente a justeza da reclamação da CDU de ser revertida a extinção das DRAP – Direções Regionais de Agricultura e Pescas, um processo levado a cabo pelo anterior governo, e mantido pelo actual. Isto porque, entre outras consequências, a passagem de património do Estado central para as CCDR – Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional, decorrentes da extinção das DRAP, tem trazido constrangimentos à actividade do INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária. Para a CDU, é necessário garantir por completo a capacidade e a autonomia do INIAV quanto às suas funções.

Ficou ainda evidente a necessidade de se dotar o Ministério da Agricultura de serviços de apoio técnico e extensão rural capazes de assegurar a transmissão e disseminação do conhecimento científico e tecnológico gerado pela investigação e experimentação.

Numa época em que as alterações climáticas colocam grandes desafios também no domínio da agricultura e da alimentação humana, em que o capitalismo engendrou o monopólio das sementes por um punhado de multinacionais, e em que a aplicação de técnicas de manipulação genética comporta importantes riscos, a CDU entende que se reforça a importância do BPGV como elemento estratégico de soberania, fundamental na conservação da biodiversidade usada para a alimentação, e sobretudo para a soberania alimentar do nosso país.

bpgv_2.jpg

bpgv_3.jpg

bpgv_4.jpg

MINHO: VEM AÍ O CALOR… E O CHAMPARRIÃO!

Capturarcham (12).JPG

O champarrião é uma das bebidas tradicionais do Minho muito apreciada em ambiente de festa no Verão. Provavelmente inspirada no “champerion” francês, foi trazida para Portugal pelas tropas portuguesas da Brigada do Minho que combateram na Flandres durante a Grande Guerra.

Trata-se de uma bebida com teor alcoólico preparada com vinho verde, branco ou tinto, misturado com cerveja, gasosa e açúcar, podendo adicionar-se pau de canela e café. Deve juntar-se gelo para servir-se bem fresco

Foto: https://www.geocaching.com/

VILA VERDE+SAUDÁVEL: IPSS DE VILA VERDE DERAM A PROVAR NA EPATV AS SUAS BOLACHAS SAUDÁVEIS

IMG_6114.jpg

A EPATV recebeu, a 20 de maio, uma degustação de bolachas saudáveis, no âmbito do projeto “Vila Verde+Saudável”, cujo objetivo é a promoção de uma alimentação saudável e sustentável. A iniciativa trouxe até à escola as propostas de várias IPSS locais que deram a provar as suas bolachas confecionadas com ingredientes nutritivos.

A demonstração decorreu ao início da tarde e contou com a presença do vereador do Município de Vila Verde, Manuel Lopes, e de várias IPSS do concelho, entre as quais a APPADCM Braga – Delegação de Vila Verde, o Centro Social do Vale do Homem e o Centro Social Casa do Povo de Escariz.

O projeto “Vila Verde+Saudável” é uma iniciativa da Câmara Municipal de Vila Verde, em parceria com a Escola Profissional Amar Terra Verde, ATHACA, Associação Empresarial do Vale do Homem, Inoventer e Ruverde.

Sensibilizar e inspirar participantes a adotarem hábitos alimentares mais saudáveis, com base na dieta mediterrânica, e que ao mesmo tempo respeitem o meio-ambiente, contribuindo desta forma para o bem-estar individual e coletivo, constituem os propósitos essenciais do projeto.

IMG_6096.jpg

IMG_6110.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

frutart (1).jpg

Município, Agrupamento de Escolas e Epralima ensinam aos mais pequenos a importância de comer saudável

Integrado no programa “Regime de Fruta Escolar”, a Câmara Municipal, em parceria com a equipa da Saúde Escolar e a colaboração da EPRALIMA, realizaram o showcooking Frut’arte, dirigido a todos os alunos do 1ºCiclo do Agrupamento de Escolas de Valdevez, num total de 553 crianças, às quais é distribuída, duas vezes por semana, uma peça de fruta.

Esta iniciativa teve como objetivo ensinar aos mais jovens, culinária saudável e criativa, destacando o papel fundamental das frutas na alimentação diária.

Os mais pequenos e os professores tiveram a oportunidade de aprender a fazer e provar barritas de banana e aveia, bolo de cenoura e sumo de laranja natural, que deixaram todos os presentes satisfeitos e deliciados.

No final os alunos levaram para casa uma brochura que continha uma das receitas confecionadas e o seu valor nutricional.

O objetivo do programa “Regime de Fruta Escolar”, é incentivar a alimentação saudável entre as crianças, mas também, consciencializar as suas famílias para a importância de incluir frutas na dieta, combatendo vários problemas de saúde, especialmente a obesidade infantil.

Esta é uma medida, que com as refeições de carne de cachena nos refeitórios do Agrupamento, representam o compromisso do Município arcuense no incentivo a uma alimentação equilibrada e sustentável.

frutart (2).jpg

frutart (3).jpg

SARDINHAS “MINHOTA” É UMA DAS MARCAS MAIS ANTIGAS DA INDÚSTRIA CONSERVEIRA PORTUGUESA – A RAÇÃO DE COMBATE QUE VIROU GOURMET

Remonta aos começos do século XIX a invenção da comida enlatada, atribuindo-se ao industrial francês Nicolas Appert o invento do método de conservação dos alimentos através do seu aquecimento e acondicionamento em recipientes fechados como forma de interromper o processo de fermentação, segundo Pasteur como forma de eliminar os microrganismos. Durante muito tempo, este invento destinou-se a ser utilizado pelas tropas em campanha como ração de combate, o que ainda se verifica.

A elevada utilização da comida enlatada nas trincheiras da Primeira Grande Guerra, assistiu-se a um grande incremento da indústria conserveira. Em Portugal, devido à sua localização costeira, esta atividade centrou-se preferencialmente no embalamento de espécies piscícolas como o atum e a sardinha. Com o decorrer do tempo, o consumo de produtos alimentares em embalagens de metal generalizou-se como uma forma nomeadamente de reduzir os inconvenientes resultantes do armazenamento das embalagens, aumentando contudo os custos ambientais e a necessidade de se proceder à reciclagem.

O consumo das conservas veio a generalizar-se e a ser usado também pela população civil no seu consumo diário, facto a que não é alheio, entre outros aspetos, a publicidade que foi criada à sua volta, associando inclusive o produto a uma ideia de tradição que na realidade não existia. Exemplo disso, são as latas de sardinhas “Minhota”, com a sua embalagem colorida e atraente exibindo uma lavradeira minhota.

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ ADERE AO “REGIME DE FRUTA ESCOLAR”

fruta_escolar.jpg

O Município de Arcos de Valdevez, aderiu ao “Regime de Fruta Escolar”, um programa co-financiado pelo Instituto de Financiamento de Agricultura e Pescas (IFAP). 

O objetivo do programa é incentivar a alimentação saudável entre as crianças, mas também, consciencializar as suas famílias para a importância de incluir frutas na dieta, combatendo vários problemas de saúde, especialmente a obesidade infantil.

O Regime de Fruta Escolar abrange as escolas básicas do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas de Valdevez, num total de 553 crianças e será distribuída a cada uma destas crianças, duas vezes por semana, uma peça de fruta.

A implementação do Regime Fruta Escolar pressupõe ainda a aplicação de medidas de acompanhamento/atividades pedagógicas, em estreita colaboração com o Agrupamento de Escolas de Valdevez.

Esta é uma medida, que vem juntar-se á distribuição de carne de cachena nos refeitórios do Agrupamento, representam o compromisso do Município no incentivo a uma alimentação equilibrada e sustentável.

MUNICÍPIO ARCUENSE APROVA PROTOCOLO PARA FORNECIMENTO DE CARNE CACHENA NAS ESCOLAS DE ARCOS DE VALDEVEZ

Capturarcac.JPG

Na última reunião de Câmara foi aprovada a renovação do protocolo de colaboração a celebrar entre o Município, a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez, o Agrupamento de Escolas de Valdevez, a Associação de Pais e Encarregados de Educação dos Alunos do Agrupamento de Escolas de Valdevez e a UNISELF, com vista à continuidade do fornecimento de carne de cachena nos refeitórios escolares, cujo custo total estimado, para este ano letivo é no valor de 25 mil euros.

Esta medida está enquadrada no Programa de Valorização dos Produtos e Produtores Locais – “Terras do Vez – Sabores e Tradições”, implementado pela autarquia. O município e os seus parceiros pretendem promover, valorizar e divulgar os produtos locais, bem como melhorar a qualidade e o valor nutricional das refeições servidas aos alunos do agrupamento de escolas de Valdevez.

Esta medida foi elogiada pelo Ministério da Educação, através da Direção Geral da Educação e Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares, e pela DGAV - Direção Geral de Alimentação e Veterinária, do Ministério da Agricultura.

A Autarquia e os parceiros pretendem com esta iniciativa promover e valorizar o consumo de produtos locais de qualidade nas escolas, o trabalho dos produtores locais, e dinamizar a economia local.

Foto_2.png

ESPOSENDE DÁ FORMAÇÃO AGENTES DESPORTIVOS SOBRE “EXERCÍCIO FÍSICO E DIETA PARA EMAGRECIMENTO”

ação formação (2310 x 1541).jpg

No âmbito do Plano de Formação de Agentes Desportivos para 2024, o Município de Esposende e a empresa municipal Esposende 2000 vão realizar uma ação de formação, subordinada ao tema “Um Olhar Real Sobre o Exercício Físico e Dieta para Emagrecimento”.

Esta ação vai decorrer no próximo dia 13 de abril, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, em Esposende, das 9h30 às 18h30, e será ministrada por dois reputados  especialistas: José Vilaça, licenciado em Educação Física e Desporto, Doutorado em Ciências do Desporto e Mestre em Ciências do Desporto com Especialização em Treino de Alto Rendimento Desportivo; e Sérgio Veloso, Mestre em Biologia Humana, Mestrando em Nutrição Clínica, Licenciado em Biologia Celular e Biotecnologia, Especialista em Metabolismo, Obesidade e Nutrição Desportiva, e Fundador do blog Fat New World.

No período da manhã, José Vilaça abordará a “Contribuição do Exercício Físico no Emagrecimento” e, da parte de tarde, Sérgio Veloso falará sobre “Nutrição”. Relativamente ao primeiro módulo, versará sobre: Fatores que influenciam o ganho de massa gorda e dificultam a sua perda; De que forma o ganho de massa gorda afeta os sistemas do corpo; Contribuição do exercício físico no emagrecimento; Planeamento do exercício físico com objetivo de emagrecimento; Elaboração de plano de ação tendo em conta a hierarquia dos objetivos da intervenção. No segundo módulo, serão abordadas questões como: Balanço e homeostase energética; Restrição de hidratos de carbono vs gordura; Jejum intermitente e crononutrição; Dietas hiperproteicas na perda de peso.

Esta ação enquadra-se no Plano Estratégico de Desenvolvimento Desportivo de Esposende (PEDDE), tendo subjacente o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), nomeadamente no que concerne a Saúde de Qualidade (ODS 3) Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

Mais informação e inscrições disponíveis em www.desporto.esposende.pt e em www.esposende2000.pt.

ação de formação.jpg

ESPOSENDE:CANTINAS ESCOLARES DO CONCELHO A CONCURSO NO “MARÇO COM SABORES DO MAR”

IMG_0393.jpg

Até ao próximo dia 12, está a decorrer o Concurso “Cantinas Escolares Sustentáveis com Sabores do Mar”, que constitui uma atividade associada ao Programa de Alimentação Sustentável - Geração S e que se integra na edição comemorativa dos 25 anos do evento “Março com Sabores do Mar”.

Após um interregno, o Município de Esposende retoma este concurso com o intuito de promover o consumo de peixe junto da comunidade escolar, numa ação que pretende também constituir-se como um incentivo pedagógico para o consumo deste importante alimento que é, muitas vezes, rejeitado pelas crianças. Esta estratégia enquadra-se no cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.

Nesta edição concorrem 16 cantinas escolares. O júri, constituído por Goretti Fernandes, docente do Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA), Rui Lima, nutricionista da Direção Geral de Educação, e pela nutricionista Rita Lopes, avalia o cumprimento dos requisitos de higiene e segurança alimentar e nutricionais aplicados às cantinas, bem como a criatividade e inovação na elaboração dos pratos e estratégias para a redução do desperdício alimentar na preparação das refeições.

Quanto aos pratos a concurso, a Escola Básica (EB) António Correia de Oliveira apresenta “Lombo de salmão em cama de legumes com crosta de broa e azeitona”, a EB António Rodrigues Sampaio concorre com “Centros de pescada à moleira com arroz de cenoura”, a EB de Apúlia com “Lasanha de pescada e cogumelos com legumes”, a Escola Básica de Criaz com “Filetes no forno com arroz de cenoura”, a Escola Básica do Facho com “Caldeirada de peixes da nossa costa”, a Escola Básica de Fonte Boa com “Massada de lulas”, a EB de Forjães com “Centros de pescada à moleira com arroz colorido”, e a Escola Básica da Guilheta com “Medalhões de pescada com broa e espinafres”. Quanto às instituições, a ASCRA concorre com “Filetes de verdinho com arroz colorido”, o Centro Comunitário de Vila Chã com “Solha no forno com arroz de ervilhas e tomate”, o Centro Social da Juventude de Mar com “Medalhões de pescada à minhota”, o Centro Social e Paroquial de Curvos com “Escondidinho de pescada com legumes”, o Centro Social da Juventude Unida das Marinhas com “Filetes de pescada com salada russa”, o Centro Social de Gandra com “Massa de polvo”, a Santa Casa Misericórdia de Esposende com “Filete de carapau corado com beterraba, batata rústica e migas de brócolos” e o Centro Social de Belinho com “Arroz dA´Mar”

Ciente de que o fornecimento de refeições completas, equilibradas, variadas e seguras nas escolas constitui um meio de promoção de estilos de vida saudáveis e de valorização dos produtos endógenos locais, a Câmara Municipal continua a assegurar um conjunto de serviços à rede de cantinas do concelho com preparação de refeições escolares.

IMG_0401.jpg

IMG_0404.jpg

IMG_0439.jpg

IMG_0471.jpg

IMG_0475.jpg

ESPOSENDE: “MARÇO COM SABORES DO MAR” SEDUZ JOVENS PARA O CONSUMO DE PEIXE

DSC_0104.jpg

Pelo terceiro ano consecutivo, a “Street Fish Food” integra a programação do “Março com Sabores do Mar”, evento que o Município de Esposende promove ao longo de todo este mês, com particular enfoque nas unidades de restauração do concelho, mas com uma abrangência mais ampla de modo a envolver toda a comunidade.

Nesta que é a edição comemorativa dos 25 anos do evento, a “Cozinha Viajante” aposta em levar uma pequena parte do receituário da cozinha atlântica junto da comunidade escolar.

Assim, ontem a “Street Fish Food” deslocou-se à Escola Básica António Correia de Oliveira, de Esposende, proporcionando aos mais de 100 alunos a oportunidade de provar uns deliciosos “Hambúrgueres de Cavala”.

Mais uma vez, foi possível demonstrar que o peixe, mesmo quando utilizado de forma mais alternativa, pode cativar sobremaneira os mais jovens, pela sua atratividade, mas, sobretudo, pelo seu sabor e valor nutricional.

Esta atividade conta com a colaboração da Docapesca, numa estratégia de promoção do pescado da nossa costa, vincando, como tem sido apanágio do Município, a sazonalidade e sustentabilidade das espécies, em linha com as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU. Esta ação integra, de resto, o Plano de Ação para a Sustentabilidade, Crescimento e Competitividade do Turismo em Esposende – 2023_2027.

A “Street Fish Food” visita, no próximo dia 12, a Escola Básica de Apúlia para uma nova abordagem de consumo de peixe.

DSC_0067.jpg

DSC_0123.jpg

FAMALICÃO: CASTELÕES ACOLHE OFICINA SOBRE DESPERDÍCIO ALIMENTAR

Dias_Organicos.jpg

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai promover um conjunto de novas oficinas sobre biorresíduos.

A primeira terá como tema o combate ao desperdício alimentar e acontece já neste sábado, dia 9 de março, na Junta de Freguesia de Castelões, entre as 15h00 e as 18h00, com entrada livre.

Durante a iniciativa serão apresentadas técnicas e estratégias para otimizar o uso de alimentos e reduzir o desperdício.

A oficina insere-se no âmbito do projeto municipal de recolha e valorização de biorresíduos - “Dias Orgânicos”.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE APELA AO COMBATE AO DESPERDÍCIO ALIMENTAR

Campanha de sensibilização “Leva-me contigo”

Aproveitando a iniciativa “Março com Sabores do Mar”, o Município de Esposende vai desenvolver uma campanha de sensibilização com vista ao combate ao desperdício alimentar na restauração.

Intitulada “Leva-me contigo”, esta campanha visa incentivar os clientes a consumirem na restauração concelhia e a levarem consigo as sobras das refeições.

Pretende-se, deste modo, desfazer o mito de levar sobras para casa, salvaguardando a questão ambiental e a economia das famílias. Os empresários, por outro lado, darão o seu contributo ao assumir este compromisso socialmente responsável e amigo do ambiente.

Não obstante esta pática já ter sido adotada por algumas unidades de restauração concelhias, a expetativa do Município é que a medida alcance maior escala, com cada vez mais clientes a aproveitaram os excedentes das refeições. Aos restaurantes aderentes, a Câmara Municipal vai oferecer embalagens (couvetes) caraterizadas alusivas à campanha.

O Município assume, assim, o determinante papel de apelar a um consumo mais consciente e sustentável. O desperdício alimentar é responsável pelo desperdício de recursos como a água. Efetivamente, 25% da água doce do mundo é utilizada para cultivar alimentos que nunca vão ser consumidos, sendo que 1/3 de todos os alimentos produzidos anualmente no planeta não são consumidos. Em média, cada português desperdiça, por ano, mais de 180 kg de comida. Em 2023, cada português perdeu, em média, 28 euros por mês com o seu desperdício alimentar. Ou seja, num agregado familiar de 3 pessoas corresponde a mais de 1000 mil por ano.

Esta estratégia enquadra-se no Plano de Ação para a Sustentabilidade, Crescimento e Competitividade do Turismo em Esposende – 2023_2027 e visa também o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

embalagem.jpg

CRIANÇAS DE AMARES APRENDEM A IMPORTÂNCIA DOS INSETOS NA ALIMENTAÇÃO

𝐀𝐥𝐮𝐧𝐨𝐬 𝐝𝐨 𝐩𝐫é-𝐞𝐬𝐜𝐨𝐥𝐚𝐫 𝐝𝐨 𝐀𝐠𝐫𝐮𝐩𝐚𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 𝐝𝐞 𝐄𝐬𝐜𝐨𝐥𝐚𝐬 𝐝𝐞 𝐀𝐦𝐚𝐫𝐞𝐬 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐜𝐢𝐩𝐚𝐦 𝐞𝐦 𝐚𝐭𝐢𝐯𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞𝐬 𝐝𝐞 𝐜𝐨𝐧𝐬𝐞𝐫𝐯𝐚çã𝐨 𝐝𝐚 𝐧𝐚𝐭𝐮𝐫𝐞𝐳𝐚 𝐞 𝐛𝐢𝐨𝐝𝐢𝐯𝐞𝐫𝐬𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞. Os insetos e alimentação foram tema de reflexão entre a pequenada.

Os insetos e a alimentação.jpg

O Agrupamento de Escolas de Amares, em articulação com o Município de Amares, deu início a uma série de atividades de educação e formação em matéria de conservação da natureza e biodiversidade, direcionadas para as crianças do Pré-escolar dos centros escolares do concelho. As iniciativas vão ser desenvolvidas durante este ano letivo 2023/24 e contam com a participação de cerca de 300 crianças da educação pré-escolar.

De 30 de janeiro a 1 de fevereiro, desenvolveu-se a primeira atividade nos Centros Escolares do Vale do Cávado, Caldelas, Ferreiros e D. Gualdim Pais, dedicada ao tema “Os insetos e a alimentação”. Atendendo ao desafio lançado pelas Educadoras de Infância envolvidas neste projeto, a Bióloga/Geóloga, Marina Mendes, e a Nutricionista, Marina Rodrigues, do Município de Amares, realizaram uma palestra de sensibilização ambiental, direcionada para a proteção dos insetos e a sua valorização enquanto agentes polinizadores, nomeadamente, no controlo biológico de pragas e consequente aumento da produção de hortofrutícolas e cereais. Neste contexto, foi também reforçado o projeto "Heróis da fruta" já existente em alguns centros escolares.

A segunda atividade a explorar com as crianças será uma aula de campo, para identificar os insetos que se encontram no recreio da escola, e a terceira será a construção de uma casa para insetos.

Insetos e alimentação.jpg

Insetos e alimentação2.jpg

Insetos e alimentação4.jpg

Insetos e alimentação5.jpg

PROJETO ESCOLAR “HERÓIS DA FRUTA” NO MUNICÍPIO DE AMARES

Sete turmas do ensino pré-escolar e três turmas do 1º ciclo dos centros escolares do Município de Amares participam em mais uma edição do projeto ‘Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável’, um programa de educação para a saúde desenvolvido pela Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI).

O principal papel deste projeto é incentivar hábitos alimentares saudáveis, promovendo a ingestão de “Super Alimentos” (frutas e hortícolas) junto das crianças, para alcançar as quantidades mínimas diárias recomendadas pela Organização Mundial da Saúde.

Este projeto, é atualmente o maior programa gratuito de educação para a saúde concebido para motivar as crianças a adotar e a manter hábitos saudáveis, tendo por base um modelo pedagógico inovador, com a duração de 5 semanas.

Ano após ano, este projeto tem criado verdadeiros “heróis” com o poder de contagiar e alertar para a importância de uma alimentação saudável nos mais novos e também, nos mais crescidos.

Mais informações no site www.heroisdafruta.com

Heróis da Fruta.jpg

SABIA QUE NOS AÇORES AOS INHAMES CHAMAM DE “MINHOTOS”?

Remonta muito provavelmente ao século XV a introdução da cultura do inhame nos Açores pelos portugueses. O inhame é um tubérculo cujo nome científico é Colocasia esculenta (L.) Schott cujo sabor e textura lembra a batata doce. Trata-se de um alimento bastante recomendado para prevenir a prisão de ventre, controlar a diabetes e evitar doenças cardiovascolares, podendo ser ingerido nomeadamente em saladas, sopas e chás.

De acordo com a região, é identificado através de várias designações como taro, ciamo, fava-do-egipto, coco… e, na Ilha de São Miguel, toda a denominação de “minhoto”!

O termo inhame – do qual deriva a denominação de “minhoto” por aproximação fonética – parece ter-se originado de línguas africanas através de vocábulos como yamyam e nyama, não sendo plausivel a sua origem no galicismo mignon como alguns autores pretendem, até por razões históricas associadas às navegações quinhentistas. Aliás, nem sequer possui correspondência com o idioma dos flamengos que contribuíram para o povoamento do arquipélago dos Açores.

Taro_corms_2.jpg

Foto: Wikipédia

MONÇÃO PROMOVE “ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: QUAIS AS MELHORES ESCOLHAS NA INFÂNCIA E JUVENTUDE”

CapturarALISAUD (8).JPG

27 de outubro, sexta-feira, pelas 21h00, na Biblioteca Municipal de Monção.

Na iniciativa “Outubro, Mês da Alimentação Saudável”, o Município de Monção promove, ao longo do mês, várias atividades alusivas à temática da alimentação responsável e sustentável, sendo dirigidas a todos os públicos.

Neste contexto, no dia 27 de outubro, sexta-feira, pelas 21h00, realiza-se, na Biblioteca Municipal de Monção, a sessão informativa “Alimentação Saudável: quais as melhores escolhas na infância e juventude”. Aberta à comunidade, a sessão será dinamizada pela Drª Liliana Fernandes, nutricionista da ULSAM.