Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

NESTUM LANÇA CAMPANHA DE REPOVOAMENTO DE ABELHAS PARA APOIAR A APICULTURA NACIONAL

Juntos pelas Abelhas” apela ao cuidado a ter com os polinizadores

NESTUM® vai doar 400 colmeias a apicultores nacionais, no âmbito da campanha “Juntos Pelas Abelhas”. O principal objetivo é o repovoamento, com novas abelhas, dos territórios afetados pelos incêndios florestais e a sensibilização para os cuidados a ter com este inseto, de importância fulcral para a biodiversidade.

53c00dc85c43a5f806f2f8c2760a49ef.jpg

“Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a Humanidade terá apenas quatro anos de vida. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana”. Esta frase de Albert Einstein representa um alerta para a importância que as abelhas assumem na manutenção dos ecossistemas e para a sustentabilidade da cadeia alimentar, sendo esta uma espécie que urge proteger.

Em Portugal, os graves incêndios florestais que afetaram extensas áreas do território nos últimos anos destruíram também centenas de colmeias e deixaram outras tantas sem o alimento fundamental ao seu desenvolvimento – as plantas melíferas. E foi precisamente para apoiar a reposição deste efetivo e os seus habitats que NESTUM se aliou aos apicultores nacionais, celebrando com as duas principais federações que os representam – FNAP (Federação Nacional dos Apicultores de Portugal) e FENAPICOLA (Federação Nacional de Cooperativas Apícolas e de Produtores de Mel) – um protocolo de colaboração para o desenvolvimento da campanha “Juntos Pelas Abelhas”, através da qual NESTUM vai doar 400 núcleos de abelhas-rainha, que, uma vez colocados no seu habitat natural e tendo alimento em abundância, terão a capacidade de se reproduzir, dando origem a novas colmeias num curto espaço de tempo.

Esta campanha visa ainda sensibilizar toda a sociedade para a extrema importância de cuidar das abelhas, protegê-las e ao seu habitat e, sobretudo, proporcionar-lhes alimento em abundância através do simples gesto de plantar flores melíferas.

Os apicultores elegíveis para esta oferta foram apurados por um concurso que decorreu durante o mês de abril, seguindo os critérios definidos pela Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), a entidade que tutela o sector. Foram assim selecionados 61 apicultores cujos apiários se localizam em regiões afetadas por catástrofes e calamidades naturais registadas em 2020. Com esta iniciativa NESTUM está a contribuir para a reposição da população de abelhas nessas regiões, promovendo também a valorização do mel e dos produtos apícolas nacionais.

“Ajudar à reposição do efetivo de abelhas em Portugal e devolver com celeridade as condições necessárias para que estas voltem a ter o seu habitat natural foi o pressuposto desta parceria entre NESTUM® e as duas principais federações apícolas nacionais”, refere Luis Ferreira Pinto, Diretor da Categoria de Dairy para a Nestlé Zona EMENA (Europa, Médio Oriente e Norte de África).

“Sabemos o papel crucial que as abelhas têm ao serem responsáveis pela polinização e, consequentemente pela produção de mel e de 70% das frutas, vegetais, sementes e outros produtos que chegam diariamente às nossas casas”, comenta o responsável, acrescentando ainda que “para NESTUM o mel é um ingrediente fundamental e é também por isso uma questão de responsabilidade social esta partilha de valor que fazemos com este setor. Contribuir para o bem-estar desta espécie, é um marco importantíssimo na história de mais de 60 anos de NESTUM®”.

Conforme explica Susana Pombo, Diretora-Geral da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), “os benefícios para a apicultura da campanha “Juntos pelas Abelhas” enquadram-se na visão colaborativa da DGAV em relação ao setor apícola, pelo que foi prestado todo o apoio técnico requerido pela Nestlé para assegurar o sucesso desta campanha.”.

A Direção Geral de Alimentação e Veterinária, como Autoridade Sanitária Veterinária Nacional, é responsável pela regulamentação da atividade apícola e das normas sanitárias para defesa contra as doenças das abelhas, mediante estratégias específicas e planos de controlo oficiais. A DGAV tem sempre colaborado com outras entidades institucionais e com as entidades representativas do setor, em várias ações, planos e programas, que visam salvaguardar e apoiar a apicultura nacional.

A entrega dos 400 núcleos de abelhas rainha, oferecidos por NESTUM®, será agora realizada pelas federações apícolas – FENAPÍCOLA e FNAP – aos apicultores seus associados e que, de acordo com a indicação da DGAV, foram elegíveis para esta contribuição.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE GARANTE QUALIDADE E SEGURANÇA DAS REFEIÇÕES ESCOLARES

Não obstante o elevado nível de exigência decorrente do contexto pandémico atual, o Município de Esposende continua a garantir a qualidade e a segurança no fornecimento de refeições nas cantinas escolares do concelho.

DSC06857.JPG

No âmbito do acompanhamento prestado às cantinas escolares e com a preocupação clara de assegurar um reforço efetivo nas práticas de saúde e segurança alimentar, o Município definiu, desde o início do ano letivo, medidas extraordinárias e complementares às já existentes, em articulação com os planos de contingência definidos no plano do combate e controlo da Covid-19.

Neste sentido, e mediante as diversas fases da pandemia, a prioridade foi estabelecer orientações de atuação no fornecimento de refeições escolares saudáveis e seguras, nomeadamente no que se refere ao fornecimento de refeições nas cantinas escolares, bem como em regime de take away e/ou de entrega domiciliária, durante o período em que as atividades letivas estiveram suspensas. Realça-se o particular empenho das entidades parceiras do Município na reinvenção de soluções, o que permitiu continuar a beneficiar, de forma particular, os alunos mais carenciados.

Sabendo-se que uma criança passa, em média, oito horas por dia na escola, onde faz uma parte significativa das refeições, a suspensão das atividades letivas e não letivas, enquanto medida excecional e temporária imposta pela pandemia, representa profundas implicações, nomeadamente no acesso a uma alimentação adequada.

A problemática da insegurança alimentar configura uma preocupação efetiva do Município, pelo que foram conjugados esforços para o desenvolvimento de uma estratégia que garanta, de forma sistemática, o acompanhamento das refeições escolares, quer as atividades letivas e não letivas decorram em regime presencial ou em casa. Assim, foi implementado um conjunto de recursos para salvaguardar a segurança alimentar e nutricional das crianças/alunos, em especial os mais vulneráveis, durante o período de encerramento das escolas. Foi assegurado o acompanhamento in loco das refeições produzidas e fornecidas em regime de take away, o controlo analítico com uma maior frequência das refeições, das estruturas e equipamentos e dos manipuladores alimentares. Tal traduziu-se numa evolução favorável e no significativo aumento de resultados positivos no decurso do 1.º para o 2.º período letivo, evidência clara da qualidade e segurança das refeições fornecidas.

Neste âmbito, interessa relevar a abertura e o empenho das entidades parceiras na concretização das ações tendentes à melhoria da qualidade do serviço de refeições escolares.

No atual cenário de retoma das atividades presenciais, o fornecimento das refeições retomou a normalidade presencial, pelo que foi efetuado o reforço das medidas de higiene e segurança dos alimentos, bem como garantidas as condições necessárias para adotar as medidas preventivas recomendadas, tanto ao nível da qualidade e segurança alimentar, como das medidas de prevenção definidas nos planos de contingência para a Covid-19.

Esta postura do Município enquadra-se, de resto, nas metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, que o Município assumiu e vem cumprindo no seu plano de ação.

DSC06861.JPG

EB. Belinho_refeitório.jpg

EB.Góios_refeitório.jpg

COMPRAR LIMIANO LOJA ONLINE DO COMÉRCIO E SERVIÇOS DE PONTE DE LIMA

Face ao atual contexto pandémico, o Municipio de Ponte de Lima em colaboração com a Associação Empresarial de Ponte de Lima promoveu a implementação da loja online - Comprar Limiano - de modo a alavancar o comércio local.

comprarlimiano_4x3_Prancheta 1 (Large).jpg

Trata-se de uma plataforma de venda online, dirigida ao comércio e serviços do concelho, encontrando-se disponível 24h por dia, 7 dias por semana.

O projeto engloba diversas lojas e serviços, que se distribuem pelas seguintes categorias: Alimentação e bebidas; Arte e artesanato; Automóveis; Casa, bricolage e jardim; Eletrodomésticos, informática e recondicionados; Equipamentos, máquinas e ferramentas; Escritório, livraria e papelaria; Instrumentos musicais; Ourivesaria; Restauração e pastelaria; Saúde, higiene e beleza; Têxteis, vestuário e calçado e Turismo.

Através desta plataforma é possível:

- Procurar os seus produtos por categoria ou loja;

- Pagar todos os produtos de lojas diferentes de uma só vez;

- Os comerciantes preparam a encomenda e esta é entregue na sua morada.

Até ao momento a plataforma dispõe de 27 lojas online com mais de 250 artigos disponíveis e com tendência a crescer. Adira à Comprar Limiano em https://comprarlimiano.pt/aderir.

Para mais informações, consulte o site: https://comprarlimiano.pt

PONTE DE LIMA: NESTA PÁSCOA O CABAZ É LIMIANO!

Uma Páscoa com produtos 100% Agrolimianos - escolha o seu cabaz.

Cabaz Páscoa Limiana 2 49,9€

à venda em: https://mercadoagrolimiano.pt/.../cabaz-pascoa-limiana-2/...

Cabaz Páscoa Limiana 2 inclui:

-Folar Limiano By Casa do Folar Limiano – 1 unidade;

-Mel de Eucalipto 290ml By Mel Serra do Formigoso- 1 unidade;

-Chocolate de Leite Imagem Ponte de Lima By Terras do Lima – 1 unidade;

-Presunto da Pá Fumado 250 gr. By Minhofumeiro – 1 unidade;

-Salpicão à Serra D`Arga By Minhofumeiro – 1 unidade;

-Chouriça de Carne Vinha D`Alhos By Minhofumeiro – 1 unidade;

-Chouriço à Serra D`Arga By Quinta de Fumeiros – 1 unidade;

-Chouriço de Frango By Quinta de Fumeiros – 1 unidade;

-Alheira de Presunto de Peru By Quinta de Fumeiros – 1 unidade;

-Alheira de Cogumelos Shiitake com Peru e Galinha do Campo By Etnoglamour – 1 unidade;

-Paté de Cogumelo Shiitake com Castanha Picante By Etnoglamour – 1 unidade.

Opções de Vinho:

-Vinhas do Cruzeiro Loureiro & Vil`Antiga Loureiro Colheita 2018;

Ou -Vinhas do Cruzeiro Vinhão & Vil`Antiga Loureiro Colheita 2018

165283497_131591012234056_6618368750398838270_o.jp

BRAGA: CERVEJAS ARTESANAIS "ALMA" E "AMPHORA" NA REDE DE SUPERMERCADOS SPAR

Empresa bracarense Portuguese Craft Beer aposta na distribuição

As cervejas artesanais Alma e Amphora, produzidas em Braga pela Portuguese Craft Beer (PCB), passaram a estar disponíveis em 50 lojas da rede de supermercados SPAR, a maioria delas no sul do país.

ALMA BRASILEIRA Cerveja artesanal portuguesa.jpg

A Portuguese Craft Beer, empresa do humorista João Seabra, começou por colocar as suas cervejas em 16 lojas da cadeia holandesa SPAR. Três meses depois, o número de lojas SPAR com os produtos da PCB mais do que triplicou.

O ano de 2021 começou com as cervejas Alma e Amphora presentes num total de 50 lojas SPAR, num processo de crescimento continuado que entusiasma os responsáveis da PCB.

De acordo com Alexandre Machado, key account manager da cervejeira bracarense, esse crescimento significa “que os clientes dos supermercados SPAR estão a aceitar muito bem as cervejas artesanais Alma e Amphora”.

A SPAR é uma franquia multinacional holandesa, com sede em Amesterdão, que em Portugal gere supermercados de proximidade.

A Amphora dispõe de seis rótulos: a Bracara (Cream Ale), a Imperator (Quadrupel), a Elysivm (Honey Ale), a Gladiator (American IPA), a Centvrivm (Imperial Stout) e a Nemesis (Special Ale).

No segmento premium, a Portuguese Craft Beer detém a Alma, também com diversos rótulos, evocativos das regiões portuguesas.

Mais recentemente, foi lançada a Alma Brasileira, com objetivo inicial de servir a comunidade brasileira residente em Portugal, cujo mercado vale mais de 150 mil pessoas.

Alma MInhota1.JPG

As 6 cervejas da Amphora.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE GARANTE REFEIÇÕES ESCOLARES

A Câmara Municipal de Esposende vai assegurar as refeições escolares para os alunos do concelho, agora que voltou a ser decretado um novo encerramento dos estabelecimentos escolares em todo o país. À semelhança do ocorrido em março de 2020, e em estreita articulação com os Agrupamentos de Escolas António Correia de Oliveira e António Rodrigues Sampaio e a Escola Secundária Henrique Medina, o apoio decorrerá enquanto vigorar a suspensão das atividades letivas, abrangendo todos os alunos posicionados nos escalões A e B, ao nível da Ação Social Escolar, matriculados em estabelecimentos de educação e ensino da rede pública, desde a Educação Pré-Escolar até ao Ensino Secundário.

As refeições são disponibilizadas em regime de take-away, contando com o apoio, para o efeito, de diversas instituições locais, parceiras do Município, tendo por base a área de residência dos alunos. Em situações de comprovada necessidade, nomeadamente em casos de isolamento profilático, poderão ainda ser disponibilizadas refeições em regime de entrega domiciliária. De maneira a garantir as melhores condições de saúde e segurança para todos, o processo de distribuição é assegurado com recurso a recipientes descartáveis.

O fornecimento de refeições teve início no dia de hoje, 22 de janeiro, primeiro do período de suspensão, para as crianças matriculadas na educação pré-escolar e no 1.º ciclo do ensino básico, sendo que para os demais alunos decorrerá a partir da próxima segunda-feira, dia 25 de janeiro, mediante auscultação de necessidades junto das famílias, em curso.

O Município de Esposende assegura a organização e monitorização de todo o serviço, assumindo os custos junto das entidades parceiras, contando com a comparticipação, para o efeito, da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares.

O QUE É BOM... É LIMIANO!

Município de Ponte de Lima promove até 24 de janeiro a edição especial da VI Feira 100% Agrolimiano

A plataforma digital de incentivo e promoção aos produtos locais regista a presença de 18 produtores limianos e já recebeu dezenas de encomendas de vários pontos do país, com destaque para a zona centro, grande porto e do concelho limiano.

IMG-20210113-WA0011.jpg

De acordo com os últimos registas referente aos primeiros oito dias do evento, já foram expedidos centenas de produtos, com destaque para os enchidos e fumados, vinhos, sidra, chocolates, doces, compotas e cogumelos. Os frescos, as hortícolas, são distribuídos apenas na área do concelho de Ponte de Lima.

A iniciativa, numa parceria entre a Câmara Municipal de Ponte de Lima e a Coopalima – Cooperativa Agrícola dos Agricultores do Vale do Lima, tem como missão principal promover a economia local e apoiar os produtores a reerguerem-se através do desenvolvimento de uma plataforma digital que permitirá criar soluções e assegurar a preponderância de compra e venda de produtos locais.

Através de um formato totalmente digital - https://mercadoagrolimiano.pt - este evento pretende mostrar, divulgar e difundir o setor agroalimentar de Ponte de Lima num momento em que os profissionais enfrentam um dos maiores desafios de sempre, e que tem sido severamente penalizado com a atual situação pandémica que o país e o mundo atravessa.

Vales de descontos e entregas gratuitas em todo o território nacional, e durante o período da feira, através de um simples clique poderá aceder a mercadoagrolimiano.pt e no conforto do seu lar, receber e consumir os produtos que adquirir nas melhores condições.

MUNICÍPIO DE CERVEIRA SERVE REFEIÇÕES ESCOLARES

Autarquia assegura refeições escolares durante suspensão letiva

À semelhança do praticado no decorrer do primeiro confinamento em março e abril, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira volta a assegurar as refeições escolares a todos os alunos que se enquadram nos critérios de apoio social definidos pelo Governo, durante o período de interrupção letiva expetável de, pelo menos, 15 dias, anunciado, esta quinta-feira, pelo Governo como medida de contenção do novo coronavírus.

refeiçoes escolares.jpg

Os professores titulares de cada turma e os diretores de turma do Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cerveira vão entrar em contato com os pais e encarregados de educação para aferir das necessidades em receber este apoio de distribuição de refeições diárias.

De sublinhar ainda que o edifício sede do Agrupamento de Escola de Vila Nova de Cerveira vai manter-se de portas abertas para funcionar como local de acolhimento dos filhos menores de 12 anos, cujos pais trabalhem num dos 32 serviços considerados essenciais, mediante o Decreto-Lei n.º 10-A/2020.

FAMALICÃO: PÃO FRESCO À PORTA DE CASA CHEGA AO DIGITAL

Ipão.pt é o nome de uma plataforma online que nasceu em Vila Nova de Famalicão para recuperar a tradição da entrega de pão fresco porta a porta. O autor deste novo negócio de proximidade é Pedro Marques, 35 anos, gestor de projetos web.

Pedro_Marques_iPao.jpeg

Foi durante um jantar de amigos, em outubro de 2019, que o empreendedor percebeu que havia uma área no mercado das plataformas de distribuição online ainda por completar: a entrega de pão fresco ao domicílio. Após reunir com uma padaria parceira interessada no projeto, decidiu começar a desenvolver a plataforma, o que demorou cerca de 3 meses.

O serviço arrancou a 2 maio de 2020, em contexto de pandemia, em 32 freguesias famalicenses e garante entrega gratuita entre as 5h00 e as 9h00 da manhã. Entretanto, já chegou a outras cidades, como Porto, Matosinhos, Leça da Palmeira, Maia, Vila Nova de Gaia, Valongo, Ermesinde e Vila do Conde. "A curto prazo, o objetivo passa por aumentar a cobertura nos concelhos onde já estamos, procurando chegar ao máximo de freguesias possível, e abrir mais cinco grandes cidades, nomeadamente Lisboa”, revela Pedro Marques, acrescentando que a plataforma está preparada para começar a vender, de um dia para o outro, em qualquer cidade. “O que demora mais é encontrar o parceiro ideal”, admite, “mas depois disso acontecer e de a informação ser ativada na plataforma, ele começa a vender pão no dia a seguir”.

Ainda de acordo com Pedro Maques, em oito meses de negócio, não houve um único dia em que os parceiros não tivessem pedidos de clientes novos. “Temos uma estratégia de exclusividade que lhes dá segurança para acreditarem no projeto", aponta.

O certo é que o confinamento deu um impulso inesperado ao negócio: "O projeto foi pensado muito antes de se falar em pandemia e não foi lançado com esse propósito. Contudo, com a população confinada, tive a certeza que mais pessoas iriam precisar do serviço. Acabei por lançar a plataforma sem várias funcionalidades para os parceiros, ainda que para os clientes estivesse tudo já a funcionar como queria. Não tinha nem tenho uma grande equipa, portanto, era importante preparar a automação da plataforma para que todos os processos de encomendas, aceitação, renovações e pagamentos fossem automatizados”, conta, sem no entanto desvendar o investimento inicial do projeto, nem o valor mensal em publicidade.

O utilizador da plataforma iPão, disponível em www.ipao.pt, pode escolher o tipo de produtos que quer receber, as quantidades e uma hora máxima de entrega (até às 6h00, 7h00, 08h00 ou 09h00). Neste momento, no conjunto das cidades cobertas pelo serviço, há mais de 200 produtos disponíveis, de padaria e pastelaria.

A entrega, assim como a produção do pão e de outros produtos de pastelaria, é assegurada pelas padarias parceiras do serviço, um processo parecido ao utilizado por plataformas como Uber Eats ou Glovo. Na prática, a iPão serve como ponte que liga padarias que fazem entrega de pão fresco e têm frotas definidas aos clientes que estão interessados em receber o produto nas suas casas.

As encomendas têm uma duração de quatro semanas e, no final desse período, a encomenda é automaticamente renovada para as quatro semanas seguintes. Nessa altura, o cliente pode cancelar ou alterar a encomenda.

Recorde-se que a iPão foi o projeto terceiro classificado do JUMP – Concurso para Novas Ideias de Negócio, promovido pela Câmara Municipal de Famalicão, através do Famalicão Made IN, em parceria com a UPTEC, cuja última edição teve como tema o E-commerce.

FAMALICÃO ENTREGA GRATUITAMENTE REFEIÇÕES AO DOMICÍLIO

Take Away gratuito em Famalicão permanece nos dias 26 e 27 de dezembro e 2 e 3 de Janeiro

Atendendo à manutenção do Estado de Emergência Nacional, vai permanecer ativo em Famalicão o  serviço gratuito de entrega de refeições ao domicílio montado para o concelho pela Câmara Municipal e Associação de Restaurantes de Famalicão para os próximos dias 26 e 27 de dezembro e 2 e 3 de janeiro, à hora do jantar.

takfam.jpg

Assim, entre as 19h00 e as 22h30, os famalicenses podem encomendar o seu jantar num dos 70 restaurantes aderentes e desfrutar da refeição no conforto do lar sem necessidade de se deslocarem para levantarem a sua encomenda.

O serviço começou a funcionar no dia 14 de novembro na sequência do Estado de Emergência decretado pelo Governo e desde então tem-se mantido ativo ao fim de semana. Ao todo, já foram servidas em casa dos famalicenses 7200 refeições.

A rede criada para o efeito já conta com a colaboração de 70 estafetas, dos quais oito são taxistas que aderiram ao serviço. Perto de setenta restaurantes aderiram a esta dinâmica.

Refira-se que os restaurantes aderentes estão no site do município em www.famalicao.pt. Aos consumidores, basta contactar o restaurante e encomendar a refeição. A campanha é válida para encomendas de valor superior a 10 euros. O pagamento deverá ser efetuado diretamente ao restaurante por MB WAY ou transferência bancária, não sendo admitidos pagamentos diretamente ao estafeta.

1_Mikado (3).jpg

PONTE DE LIMA PROMOVE AGROLIMIANO

130827397_3502582313129160_1450798696443443488_o.j

VI Feira 100% Agrolimiano apresenta edição especial em formato online

O Município de Ponte de Lima promove, entre os dias 15 e 24 de janeiro de 2021, uma edição especial da VI Feira 100% Agrolimiano que vai decorrer este ano exclusivamente em modalidade online.

A autarquia reinventou uma solução para promover a economia local e apoiar os produtores a reerguerem-se através do desenvolvimento de uma plataforma digital que permitirá criar soluções e assegurar a preponderância de compra e venda de produtos locais.

Assumindo um formato totalmente digital este evento pretende mostrar, divulgar e difundir o setor agroalimentar de Ponte de Lima num momento em que os profissionais enfrentam um dos maiores desafios de sempre, e que tem sido severamente penalizado com a atual situação pandémica que o país e o mundo atravessa.

Durante este período e, através desta iniciativa inédita no setor agroalimentar, serão apresentados e promovidos vários produtores e os produtos do território, facilitando a realização de negócios, criando campanhas exclusivas e fornecendo todas as informações necessárias, levando Ponte de Lima numa viagem aos quatro cantos do mundo.

Com um simples clique poderá aceder a www.mercadoagrolimiano.pt e participar nos programas online existentes e organizados no âmbito deste evento. Terá oportunidade de conhecer e adquirir uma diversidade de produtos únicos e endógenos como o mel, a sidra, o vinho verde, enchidos e fumados, fruta, hortícolas, cogumelos, carne, doces e chocolates, entre outros, e no conforto do seu lar, recebe-los e consumi-los nas melhores condições.

Contamos com a vossa participação nesta edição especial!

FAMALICÃO: NUTRE JOVEM ACONSELHA PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Antetítulo Próxima sessão acontece a 25 de novembro e tem como tema “Leitura de rótulos alimentares”

Estudos recentes apontam que um grande número de jovens e adolescentes portugueses têm uma alimentação inadequada, apresentando maus hábitos nutritivos. Foi a pensar nisso mesmo, que a Casa da Juventude de Famalicão lançou há já três anos, consultas de nutrição gratuitas para os jovens.

famalialim.jpg

Com o mesmo objetivo, mas procurando intervir ao nível da prevenção e aconselhamento específico, a Casa da Juventude lançou no passado mês de outubro o programa Nutre Jovem, com várias sessões que vão decorrer durante os próximos meses e que podem ser assistidas presencialmente ou online.

Tendo como facilitadoras de conversa a nutricionista Ana Isabel Monteiro e a psicóloga Vânia Faria, os temas pretendem abordar para além da obesidade e do excesso de peso, a crescente procura por dietas vegetarianas, o controlo de sintomas gastrointestinais (obstipação, inchaço…), e tratamento de distúrbios alimentares.

O programa destina-se essencialmente ao público escolar, universitário e jovens trabalhadores.

As próximas sessões estão agendadas para 25 de novembro e 16 de dezembro, pelas 21h0,0 e têm como tema “Leitura de rótulos alimentares” e “Como lidar com os excessos das festas”, respetivamente. Ambas as sessões estão limitadas a 12 participantes, respeitando as normas da DGS. Os interessados podem ainda participar através das páginas de facebook (https://www.facebook.com/juventudefamalicao) e instagram (@juventudefamalicao) da Juventude de Famalicão.

Para 2021, estão já agendadas as temáticas “Planeamento e confeção de refeições”, em janeiro; “Alimentação à base de plantas”, para fevereiro; “Refeições vegetarianas na prática”, para março; “Intestino são, corpo são” para abril; “Alimentação em época de exames”, para maio e “A relação com a comida” para junho.

A participação é livre e gratuita.

PADRÕES ALIMENTARES DOS PORTUGUESES SÃO INSUSTENTÁVEIS

Conclusão de investigação da Universidade de Aveiro

A alimentação pesa 30 por cento na pegada ecológica dos portugueses, mais do que os transportes ou o consumo de energia. A percentagem faz de Portugal o país mediterrânico com a maior pegada alimentar per capita. A conclusão é de um estudo da Universidade de Aveiro (UA) que deixa o alerta para uma balança muito desequilibrada: “Portugal importa 73 por cento dos alimentos e só o peixe e a carne ocupam cerca de metade do peso da pegada alimentar nacional”.

Os investigadores Filipe Teles, Sara Moreno Pires

Os investigadores Filipe Teles, Sara Moreno Pires e Armando Alves

 

A Pegada Ecológica nacional, por habitante, é superior à biocapacidade do país ou do próprio planeta, o que siginifica que se todas as pessoas no mundo consumissem como os Portugueses, precisaríamos de 2,3 planetas Terra.  29 por cento dessa pegada diz respeito à alimentação, 20 por cento aos transportes e 10 por cento à habitação.

“A pegada alimentar avalia em hectares globais (gha) a quantidade de recursos naturais que necessitamos para produzir o que comemos num ano. Sabendo que o país tem anualmente um ‘orçamento natural’ de 1,28 gha por habitante [valor de 2016], percebemos que só para nos alimentarmos ‘gastamos’ 1,08gha, ou seja, 84 por cento desse orçamento”, aponta Sara Moreno Pires, professora do Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território da UA.

Se dependêssemos exclusivamente da biocapacidade de Portugal para nos alimentarmos, refere a coautora do estudo, “ficaríamos com um saldo de 0,20 gha para todas as restantes atividades de consumo [transporte, habitação, energia, vestuário, etc.], se não quiséssemos ter défice ecológico”.

Mas grande parte da biocapacidade necessária para a nossa alimentação provém de outros países, como Espanha, França, Ucrânia ou mesmo China Senegal, o que implica uma pressão e uma dependência desses ecossistemas.

“Portugal é, por esses motivos, o pior país de 15 países do Mediterrâneo no que diz respeito à Pegada Alimentar”, alerta Sara Moreno Pires.

Publicado recentemente na reconhecida revista científica internacional Science of the Total Environment, o estudo intitulado “Transição alimentar sustentável em Portugal: uma avaliação da pegada das escolhas alimentares e das lacunas nas políticas de alimentação nacionais e locais”, assinado por investigadores da UA e da Global Footprint Network, apresenta conclusões relevantes sobre a insustentabilidade dos padrões alimentares dos portugueses e a ainda frágil estrutura de políticas públicas para inverter esta tendência. Para além de Sara Moreno Pires, também pela UA Armando Alves e Filipe Teles assinam o trabalho.

Peixe nosso de cada dia

Portugal é o terceiro maior consumidor de pescado do mundo, com cerca de 61,7 quilos consumidos por pessoa em 2017 e 60 por cento da biocapacidade para produzir esse pescado vem de outros países, sendo Espanha um dos parceiros comerciais mais evidente. A elevada intensidade da Pegada Ecológica de peixes como o atum, espadarte e bacalhau (não considerando a Pegada associada ao seu transporte) são outra evidência, que aliados à sua força cultural na alimentação portuguesa, salientam ainda mais o impacto elevado do consumo de peixe na Pegada Alimentar.

Além disso, o estudo identifica uma dependência da biocapacidade de países estrangeiros (como a Espanha, França, Brasil, ou mesmo a China) para produzir recursos alimentares, de modo a satisfazer a procura dos portugueses, sendo as categorias mais dependentes as de “pão e cereais” (em que se importa quase 90 por cento dos hectares globais necessários à sua produção), “açúcar, mel, doces, chocolate, etc.” (com um importação na ordem dos 80 por cento) ou “gorduras alimentares” (com cerca de 73 por cento).

Para além da esperada relação comercial com Países Europeus, o estudo aponta uma dependência de países como Uruguai (na carne), África Ocidental e Senegal (no peixe), EUA (no leite e produtos lácteos), Argentina, Canadá e Brasil (nas gorduras alimentares ou frutos), ou China (nos frutos e nos vegetais).

Políticas locais imprescindíveis

“Urge mudar hábitos alimentares e ter tolerância zero quanto ao desperdício”, sublinha Sara Moreno Pires garantindo que “o papel das políticas públicas é igualmente crítico para promover sistemas alimentares mais sustentáveis, desde a produção agrícola, ao processamento, à distribuição, ao consumo ou ao reaproveitamento dos alimentos, e para envolver todos nesta mudança”.

Dada a relevância de se estruturar e apoiar a governação das cidades em torno de sistemas alimentares mais sustentáveis, por estas desempenharem um papel fundamental na promoção de padrões alimentares resilientes e economicamente prósperos, pela sua proximidade e interação com diversos atores, este estudo identifica um conjunto de pontos fortes e fracos nas políticas de alimentação em seis cidades portuguesas:  Almada, Bragança, Castelo Branco, Guimarães, Lagoa e Vila Nova de Gaia.

Como importantes contributos dos municípios, o estudo destaca a sensibilização da população para a Pegada Ecológica da alimentação através de Calculadoras Municipais da Pegada Ecológica disponíveis nos websites destas Câmaras Municipais, a promoção de hortas urbanas, hortas sociais e hortas pedagógicas, ou iniciativas inovadoras como o Banco de Terra em Guimarães, através da sua Incubadora de Base Rural, ou a investigação agroalimentar, promovida pelo Município de Castelo Branco em parceria com o CATAA – Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar.

O Município de Vila Nova de Gaia destaca-se por inúmeras ações importantes, desde a divulgação de infografias de sustentabilidade alimentar na plataforma de educação a todos os encarregados de educação, a ações de avaliação do desperdício alimentar nas escolas ou cadernos de encargos para o fornecimento de refeições escolares promotoras da sustentabilidade alimentar. Este município é ainda signatário do Pacto de Milão sobre Política de Alimentação Urbana, um importante compromisso político assumido por muitos autarcas do mundo inteiro em 2015, para o desenvolvimento de sistemas alimentares baseados nos princípios da sustentabilidade e da justiça social.

Das principais fragilidades identificadas pelos investigadores, a falta de recursos humanos adequados e com conhecimento especializado para trabalharem estas temáticas (com grupos multidisciplinares de profissionais qualificados, de nutricionistas a engenheiros florestais e agrícolas) ou de estruturas municipais para a promoção integrada de uma política de alimentação, são alguns dos fatores mais críticos. Destacam-se ainda o frágil suporte a circuitos agroalimentares curtos, que aproximem os produtores dos consumidores e a produção alimentar periurbana às cidades; a falta de regulamentação que promova compras públicas sustentáveis e a redução do desperdício alimentar; a ainda frágil colaboração entre as autarquias e diferentes setores (produtores, escolas profissionais, terceiro setor, empresas), bem como a falta de um compromisso político forte orientado para políticas alimentares locais. A falta de estratégias alimentares municipais ou de políticas integradas dedicadas à alimentação saudável e sustentável é disso um exemplo.

O estudo mostra que é necessário e urgente investir em mais informação (que identifique e avalie os impactos das iniciativas locais), mais recursos humanos, bem como na capacidade dos governos locais para promoverem sistemas alimentares equitativos, resilientes e sustentáveis. A coordenação entre atores e políticas, sobretudo a nível intermunicipal, ou mesmo nacional (nomeadamente com o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional) é um passo necessário, bem como a sensibilização de todos os intervenientes na cadeia alimentar (da produção, ao processamento, distribuição, consumo e resíduos) para a mudança de comportamentos, de forma permitir um olhar renovado sobre como os sistemas alimentares se podem tornar mais sustentáveis em Portugal.

EPATV ASSINALA DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

Atualmente dispomos de muito pouco tempo e somos confrontados com uma grande oferta de produtos alimentares, muitas vezes acompanhada de campanhas de marketing muito agressivas e apelativas, dificultando assim uma escolha correta e acertada sob o ponto de vista nutricional. Dessa forma, é cada vez mais importante saber ler corretamente os rótulos nutricionais dos alimentos.

121777414_10158652887413116_1891047034820191879_o.

Neste contexto, a Escola Profissional Amar Terra Verde assinalou o Dia Mundial da Alimentação com todos os alunos visando alertar toda a comunidade escolar para as consequências de uma alimentação desequilibrada na saúde.

O dia iniciou com todas as turmas a visualizarem uma apresentação sobre a importância da alimentação na saúde, onde se alertou para o excesso do consumo diário de açúcar, sal e gorduras. Durante as atividades, os alunos da EPATV assistiram à explicação da importância da análise correta dos rótulos dos alimentos, podendo depois praticar os conhecimentos adquiridos através da análise nutricional de vários alimentos, recorrendo a um descodificador de rótulos que a EPATV forneceu a cada um dos alunos.

Alertando toda a comunidade escolar para o abuso que a indústria alimentar faz do açúcar, na zona do bar da escola foi colocada uma mesa com alguns dos alimentos escolhidos pelos alunos, com a respetiva tabela nutricional e o açúcar que cada alimento contém.

As atividades do Dia Mundial da Alimentação foram realizadas colaborativamente entre os diversos cursos e grupos da EPATV, capitalizando as distintas competências na realização de diversas ações e atividades promovendo uma alimentação saudável.

Durante a manhã, toda a comunidade escolar teve oportunidade de escolher um lanche saudável, constituído por umas bolachas nutritivas de maçã, aveia, amêndoas e sementes de sésamo e papoila, produzidas e servidas pelos alunos do curso de Restaurante/Bar, acompanhadas por um sumo natural de frutas. Para o almoço, o curso de Restauração-Cozinha/Pastelaria confecionou uma ementa deliciosa e bastante saudável constituída por uma salada de peito de pato e citrinos para entrada, uma espetadinha de frango e legumes, acompanhada de arroz e cogumelo recheado, e para a sobremesa uma salada de frutas diferente e bastante colorida. O almoço foi servido pelos alunos do curso de Restaurante/Bar. O terceiro ano do curso de Restauração-Cozinha/Pastelaria produziu ainda um vídeo com a confeção de uma proposta para um pequeno almoço ou lanche saudável: aveia com fruta e iogurte natural.

Esta ação envolveu grande parte da comunidade escolar da EPATV e está inserida no domínio saúde da componente de cidadania e desenvolvimento.

121728509_10158652887378116_5705866182489035121_o.

AMARES ASSINALA DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

Dia Mundial da Alimentação: Município de Amares promove reflexão sobre alimentação saudável em tempos de pandemia

No Dia Mundial da Alimentação, que se comemora hoje, 16 de outubro, o Município de Amares desafia os mais novos a refletir sobre a temática “Alimentação saudável e COVID-19”, através da distribuição de um cartaz com algumas “regras de ouro” para uma alimentação saudável, por todas as turmas dos centros escolares do concelho.

CARTAZ - dia mundial alimentacão imp.jpg

A intenção é que essas regras sejam exploradas em contexto de sala durante o presente ano letivo, levando a cabo a produção de trabalhos lúdico-pedagógicos (histórias/textos, desenhos, entre outros) para que mais facilmente assimilem essas dicas nutricionais e possam aplicá-las no seu quotidiano.

No que respeita à COVID-19, recorde-se que os especialistas na matéria defendem que as boas práticas de higiene continuam a ser a melhor forma de prevenir a doença, porém, ao mesmo tempo, é desejável que o sistema imunitário de cada um esteja em pleno funcionamento, sendo, por isso, necessário adotar determinados comportamentos que promovam a alimentação saudável, garantindo mais saúde e bem-estar.

CÂMARA DE VIZELA ASSINALA DIA DA ALIMENTAÇÃO

A Câmara Municipal de Vizela assinala, nos dias 14 e 16 de outubro, o Dia Mundial da Alimentação com um programa de atividades de sensibilização que pretendem alertar a comunidade escolar para a importância da nutrição e de uma alimentação saudável.

Hoje, dia 14 de outubro, decorre o desafio online de Escrita Criativa sobre os alimentos, e na próxima sexta-feira, dia 16 de outubro, terá lugar a iniciativa ‘Sugestão de livros online’ subordinado ao tema da Alimentação. Estas atividades são promovidas pela Biblioteca Municipal no Facebook da Câmara Municipal.

Nesse dia, a Câmara Municipal vai também fazer a distribuição de material de sensibilização em todas as escolas do Concelho, alusivo ao tema da Alimentação.

O dia 16 de outubro termina com uma oficina de culinária online - Showcooking vegetariano, promovido pela Biblioteca Municipal no Facebook da Câmara Municipal, às 19:30h.

Com estas atividades pretende-se contribuir e incentivar a promoção de hábitos alimentares saudáveis nas nossas crianças, procurando o envolvimento de professores, mas também, de encarregados de educação por se considerar que estes têm um papel fundamental na promoção de hábitos alimentares saudáveis das crianças e jovens.

Cartaz_programa_alimentação-01.jpg

MUNICÍPIO DE AMARES PROMOVE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Município de Amares continua a promover alimentação saudável nas escolas: Fruta e/ou produtos hortícolas distribuídos duas vezes por semana

No ano letivo 2020/2021, o Município de Amares volta a dar continuidade ao Regime Escolar de distribuição de fruta e produtos hortícolas nas escolas, iniciativa de âmbito europeu que consiste na distribuição de fruta e/ou produtos hortícolas, duas vezes por semana, aos alunos do 1.º ciclo do ensino básico. A medida será novamente alargada à educação pré-escolar, fruto de um esforço financeiro da autarquia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda um consumo mínimo de 400g de hortofrutícolas/dia, no entanto várias investigações sugerem que as crianças portuguesas consomem quantidades inferiores aos valores recomendados. Simultaneamente, Portugal é um dos países com maior prevalência de obesidade infantil, que atinge dimensão preocupante. Perante estas evidências, torna-se necessário o reforço de consumo de alimentos nutricionalmente mais ricos, tais como frutas e hortícolas. É com este objetivo que o Município de Amares, em parceria com o Agrupamento de Escolas continua a apostar na promoção de um ambiente escolar mais saudável, disponibilizando, desde o dia de ontem, fruta/hortícolas no lanche de todas as crianças dos centros escolares, às terças e quintas-feiras, até ao final do ano letivo.

Junte-se a nós nesta causa, colocando fruta na lancheira dos seus filhos nos restantes dias da semana.