Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO PARTICIPA NA AGROSEMANA NA PÓVOA DE VARZIM

Cerca de 30 empresas famalicenses na AgroSemana

O Município de Vila Nova de Famalicão volta a marcar presença na AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, que decorre a partir de amanhã, 29 de agosto, e até domingo, dia 1 de setembro, no Espaço Agros, em Argivai, na Póvoa de Varzim.

Cerca de 30 empresas famalicenses na AgroSemana.jpg

No stand do projeto Famalicão Made IN estarão representadas 28 empresas do concelho – 9 do setor agrícola e 19 do setor agroalimentar – dando assim a oportunidade aos milhares de visitantes do certame de conhecerem os produtores e produtos locais, tais como os vinhos verdes, os queijos, o fumeiro tradicional, produtos biológicos, entre outros.

A edição de 2019 da AgroSemana conta já com mais de 130 expositores confirmados, entre maquinaria agrícola, alimentação animal, produtos agrícolas, sementes, cooperativas e associações.

A presença do município famalicense está enquadrada na estratégia de desenvolvimento económico e de dinamização do território, através do projeto Famalicão Made IN, no quadro da afirmação e valorização da agricultura e dos produtos locais do setor agroalimentar que a autarquia reconhece como um ativo social e económico muito valioso.

Recorde-se que a AgroSemana – Feira Agrícola do Norte surgiu em 2013 e é atualmente uma das feiras de referência no setor agrícola nacional, contando na última edição com 85 mil visitantes e mais de 180 expositores de diversas áreas de negócio.

PAN GARANTE 1ª VICE-PRESIDÊNCIA DA COMISSÃO DE AGRICULTURA NO PARLAMENTO EUROPEU

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza assegurou a vice-presidência da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural no Parlamento Europeu. Francisco Guerreiro foi hoje eleito primeiro vice-presidente da comissão, depois de uma negociação com os Verdes Europeus, bancada que o partido integra.

Cada comissão tem, além de um presidente, quatro vice-presidentes. No caso da Comissão de Agricultura e de Desenvolvimento Rural, coube à bancada dos Verdes a primeira das quatro vice-presidências, cujo lugar Francisco Guerreiro negociou com os restantes eurodeputados da bancada, acabando por ganhá-lo aos 48 membros efetivos e 48 membros suplentes.

A eleição do eurodeputado decorreu esta tarde durante a primeira sessão da comissão e evidencia uma aposta clara no partido da parte da família europeia.

"Com esta eleição reforçamos a influência do PAN na bancada dos Verdes, dando a Portugal um lugar de destaque em relação aos restantes Estados-Membros. Estamos preparados para assumir cargos de responsabilidade e deixar contributos politicamente relevantes, principalmente num contexto europeu no qual importa priorizar a mitigação das Alterações Climáticas", refere Francisco Guerreiro, eurodeputado do PAN.

Além de assumir a substituição do presidente da comissão em situações de ausência, o cargo confere várias responsabilidades a Francisco Guerreiro, como a representação da comissão em diversos contextos e ocasiões.

A par disso, caberá também ao eurodeputado negociar leis com os Ministros da Agricultura dos vários Estados-Membros, fazendo valer os princípios do PAN em contexto europeu. No âmbito do trabalho como vice-presidente da comissão, esses princípios assumirão especial relevância em alguns contextos: Francisco Guerreiro terá oportunidade, por exemplo, de visitar locais como explorações agropecuárias intensivas e sensibilizar os restantes eurodeputados para a problemática das indústrias altamente poluentes e a sua implicação na deterioração do clima.

MONÇÃO AVANÇA NO EMPARCELAMENTO AGRÍCOLA: CONTRATO DE EMPREITADA ASSINADO. SEGUE-SE VISTO DO TRIBUNAL DE CONTAS PARA INÍCIO DOS TRABALHOS

Emparcelamento Agrícola de Moreira e Barroças e Taias

A Câmara Municipal de Monção e a Empresa “Restradas – Revitalização de Estradas do Norte, Lda”, assinaram, na passada terça-feira, no edifício do Loreto, o contrato de empreitada do Emparcelamento Agrícola de Moreira e Barroças e Taias, no valor de 4.196.954,84 €, IVA incluído.

monçempagr (3).JPG

O lançamento do concurso público, ao qual concorreram 10 empresas, foi aprovado no dia 21 de fevereiro, na reunião do Executivo Municipal, realizada em Moreira. A adjudicação da empreitada à empresa vencedora teve lugar no dia 8 de abril, na reunião do Executivo Municipal, realizada em Badim.

O próximo passo é o visto do Tribunal de Contas, seguindo-se o ato de consignação e o início dos trabalhos, cujo prazo de execução são 730 dias. Com o propósito de prestar todas as informações referentes ao projeto e dissipar eventuais dúvidas das populações locais, realizaram-se, no dia 23 de março, sessões de esclarecimento nas duas freguesias.

Entendido como estruturante para o futuro do setor agrícola/vinícola no concelho de Monção, este projeto de ordenamento fundiário, que envolve terrenos nas freguesias de Moreira e Barroças e Taias, abrange 529 hectares, dos quais 127 de reconversão de vinha, 616 proprietários e 892 lotes.

Considerando a sua dimensão, o emparcelamento agrícola nas duas freguesias do Vale do Gadanha, com lotes destinados maioritariamente à produção de vinho Alvarinho, resultará num acréscimo produtivo daquela casta nobre e singular, potenciando novos investimentos no setor e chamando novas gerações para a viticultura.

monçempagr (1).JPG

monçempagr (2).JPG

MUNICIPIO DE MONÇÃO INVESTE 4.2 ME NA EMPREITADA DO EMPARCELAMENTO AGRÍCOLA DE MOREIRA E BARROÇAS E TAIAS

O Executivo Municipal de Monção aprovou, por unanimidade, em reunião descentralizada realizada, ontem à noite, na freguesia de Badim, a execução do Emparcelamento Agrícola de Moreira e Barroças e Taias, empreendimento fundiário com 529 hectares localizado naquelas duas freguesias do Vale do Gadanha.

valorizar o mundo rural m.JPG

Os trabalhos de execução foram entregues à empresa “Restradas – Revitalização de Estradas do Norte, Lda”, pelo montante de 4.196.954,84 €, IVA incluído. Ao concurso público, aprovado no dia 21 de fevereiro, na sessão camarária realizada em Moreira, concorreram 10 empresas, apresentando a respetiva candidatura na plataforma de contratação pública (Vortal).

Cumpridas as restantes formalidades, entre as quais, assinatura de contrato de empreitada, visto do Tribunal de Contas e ato de consignação, o emparcelamento está em condições de avançar no terreno. Refira-se que, no dia 23 de março, realizaram-se sessões de esclarecimento nas duas freguesias para prestar todas as informações referentes ao projeto e dissipar eventuais dúvidas das populações locais.

Entendido como estruturante para o futuro do setor agrícola/vinícola no concelho de Monção, este projeto de ordenamento fundiário, que envolve terrenos nas freguesias de Moreira e Barroças e Taias, abrange 529 hectares, dos quais 127 de reconversão de vinha, 616 proprietários e 892 lotes.

Considerando a sua dimensão, o emparcelamento agrícola nas duas freguesias do Vale do Gadanha, com lotes destinados maioritariamente à produção de vinho Alvarinho, resultará num acréscimo produtivo daquela casta nobre e singular, potenciando novos investimentos no setor e chamando novas gerações para a viticultura. 

CABECEIRAS DE BASTO RECEBE VISITA DA COMISSÃO DE AGRICULTURA E MAR

Comissão de Agricultura e Mar visitou Cabeceiras de Basto

A Comissão de Agricultura e Mar, presidida pelo Eng.º Joaquim Barreto, deputado do PS na Assembleia da República, visitou no passado sábado, dia 30 de março, uma exploração pecuária de bovinos da raça autóctone barrosã em Vila Boa, freguesia de Bucos, tendo visitado igualmente as instalações da Mútua de Basto/Norte, na vila de Cabeceiras de Basto, sendo recebida, no final da manhã, no Salão Nobre dos Paços do Concelho pelos vereadores, Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa.

Comissão de Agricultura e Mar visitou Cabeceiras de Basto.jpg

O presidente da Comissão de Agricultura e Mar, em declarações aos órgãos de comunicação social locais, destacou a importância dos deputados visitarem os locais onde estas explorações existem, identificando-se com os problemas que os produtores sentem no seu dia-a-dia. Joaquim Barreto realçou, igualmente, “a grande coragem” daqueles que ainda resistem e mantêm estas atividades no mundo rural.

O propósito desta visita foi especialmente o contacto com várias raças autóctones, pelo que os deputados, pertencentes a vários quadrantes políticos, estiveram, na manhã deste sábado, em Arcos de Valdevez a visitar uma exploração de bovinos da raça cachena e terminaram o dia em Mondim de Basto em visita a uma exploração da raça maronesa.

VILA VERDE: PCP DEFENDE REGADIO TRADICIONAL

Deputada do PCP visitou regadio de Cabanelas e reuniu com Presidente da Junta de Agricultores do Regadio 

A deputada do PCP eleita pelo círculo de Braga, Carla Cruz, e o eleito na Assembleia Municipal de Vila Verde, Sérgio Sales, acompanhados por uma delegação da Concelhia de Vila Verde do PCP, visitaram o regadio e a estação elevatória em Cabanelas, após conversa com o Presidente da Junta de Agricultores do Regadio, onde tomaram conhecimento do arranque das obras de requalificação.

visita_regadio_cabanelas.jpg

Uma obra que é essencial e imprescindível para os agricultores do concelho e para a região, que peca por tardia.

O PCP reafirma que é relevante que as obras avancem de forma célere, que haja cumprimento de prazos e dos montantes e que se evitem contendas e derrapagens na execução da mesma. Qualquer atraso pode representar um sério revês nas legítimas expectativas dos agricultores.

A requalificação é há muito uma necessidade defendida e reclamada pelos agricultores locais, reivindicação que contou desde sempre com o apoio incondicional do PCP.

O PCP acompanhará de perto a obra e reitera que ela tem que ser uma realidade.

O Gabinete de Imprensa da DORB do PCP

PONTE DE LIMA PROMOVE EMPREENDEDORIMO E DESENVOLVIMENTO RURAL

Prémio Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural-2018

Destinado a entidades públicas ou privadas com sede social ou com desenvolvimento no concelho de Ponte de Lima, o “Prémio Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural”, distinguiu na sua edição de 2018, as empresas “Etnoglamour – Natureza Gourmet”, “Brutos no Lima”, e “Dog Institute – Ponte de Lima”.

Empreendedorismo_IMG_8759.JPG

O projeto que lança o desafio ao meio empresarial e a todos aqueles que se sintam capazes de apresentar um projeto estruturante e que garanta a sustentabilidade ambiental, económica e social do concelho, foi lançado em 2011 pelo Município de Ponte de Lima.

Incentivando à emergência de novas ideias de negócio, de projetos de investimento, e de atitudes empreendedoras, o projeto reconhece um conjunto de três iniciativas com prémios monetários.

Aos promotores do projeto vencedor é concedido um valor monetário de 1.500€, e a oferta de um espaço a título gratuito durante um ano em eventos deste setor promovidos pelo Município de Ponte de Lima. Por sua vez, o 2º prémio com um valor de 800€, tem também direito a um espaço a título gratuito durante um ano, sendo a 3ª posição premiada com um valor monetário de 500€.  A todos os concorrentes é atribuído um Certificado de Participação.

Analisados os projetos, o Júri atribuiu, de acordo com o Regulamento, o título de projeto vencedor à iniciativa “Etnoglamour – Natureza Gourmet”. A empresa foca-se na produção em modo biológico de cogumelos Shitake, e na transformação de cogumelos em derivados. A título de exemplo destaquem-se os cogumelos em conserva, as alheiras de cogumelo, a marmelada e as compotas, entre muitos outros.

A 2ª classificação foi atribuída ao projeto “Brutos no Lima”, cujo mote é a produção de chocolates, doces, compotas e marmelada, de forma artesanal, com inspiração na Lenda do Rio Lima.

Já “Dog Institute – Ponte de Lima” conquistou o 3º lugar do Prémio, com o seu serviço para animais de estimação, direcionado ao treino de cães com vista ao seu bem-estar e à sua socialização em espaços públicos.

O Município de Ponte de Lima procura desta forma continuar a apoiar projetos inovadores, e geradores de emprego, que contribuam para a concretização do reforço da identidade e imagem do Concelho bem como para a valorização de produtos/recursos genuinamente locais ou regionais.

PONTE DE LIMA MOSTRA A SUA RIQUEZA AGROALIMENTAR

IV Feira 100% Agrolimiano - 9 e 10 de Fevereiro. Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima

O Município de Ponte de Lima inaugura amanhã, às 10h30, a IV Feira 100% Agrolimiano, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima.

Capturaragr1 (1).PNG

O objetivo deste evento é mostrar, divulgar e promover o que de melhor se produz no setor agroalimentar em Ponte de Lima, sendo esta uma das áreas que mais se tem desenvolvido nos últimos anos, devido a uma maior valorização por parte dos empresários nos recursos endógenos, criando assim novos postos de trabalho e surgindo novos negócios, com produtos inovadores e de excelente qualidade.

Durante estes dois dias serão apresentados e expostos vários produtos produzidos ou transformados no concelho, como mel, sidra, vinho verde, enchidos e fumados, fruta, hortícolas, cogumelos, carne, leite, entre outros produtos limianos, mas também animais criados no concelho limiano.

Com um programa abrangente, dirigido não só a profissionais, mas também ao público em geral, a III Feira 100% Agrolimiano pretende atrair profissionais, distribuidores, empresários e consumidores para a excelência do mundo rural de Ponte de Lima.

Confira os momentos da Feira 100% Agrolimiano

9 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

Grupo de Bombos e Gaitas de Foles de S. Tiago Maior de Poiares

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Visita Oficial à IV Feira 100% Agrolimiano

            Entrega de Prémios de Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural 2018

12h00 Workshop “A Poda e Enxertia nas Macieiras”, Professor Raúl Rodrigues (ESAPL          

14h00 II Agrojogos Limianos

14h30  Doce Inovação de Ponte de Lima (Concurso de doces limianos)

15h00 Associação de Tocadores de Concertina de Ponte de Lima (Animação musical)

17h00 Sensações de Chocolate “Brutus no Lima”, por Sandra e Susana Veiga (Workshop infantil)

18h00 Showcooking “Chanfana de Bovino”, EPAPL

18h00 Grupo de Música Popular da Feitosa Animação musical

19h00 Entrega de Prémios dos II Agrojogos Limianos

19h00 Demonstrações Equestres

21h00 Augusto Canário (Espetáculo musical)

23h00 Encerramento

10 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Grupo de Música Sol Dourado (Animação musical)

11h30 Workshop “Licores com Ervas Aromáticas”, EPAPL

12h30 Mandinho e Amigos (Animação musical)

14h30 Demonstrações Equestres

16h00 Apresentação Final do Curso de Manejadores Preparadores

17h00 Prova de Vinhos de Ponte de Lima

17h30 Entrega de Prémios do Curso de Manejadores Preparadores

18h00 Showcooking “Doces com Texturas Limianas”, EPAPL

20h00 Encerramento

 

OUTRAS ATIVIDADES:

Exposição de Animais

Curso de Manejador Preparador

ESPOSENDE APOIA SECTOR AGRÍCOLA

Município de Esposende já concedeu incentivos ao investimento a 26 empresários do setor agrícola

O Município de Esposende procedeu, no dia 6 de fevereiro, à assinatura de contratos de investimento com vinte empresários agrícolas do concelho. Em causa está a isenção de taxas concedida ao abrigo do Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento, bem como o apoio à legalização de unidades produtivas possibilitando o acesso a fundos comunitários.

_DSC2299.jpg

Desde que está em vigor, este regulamento já permitiu apoiar 26 empresários do setor agrícola, sendo que o montante dos benefícios se eleva a 57.826 euros. Esta política de apoio é justificada com a relevância que o setor agrícola assume no contexto empresarial do concelho.

Na sessão realizada nos Paços do Concelho, o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, expressou a sua satisfação pela expressiva adesão dos empresários agrícolas a esta medida, possibilitando a viabilidade de negócios que em muito contribuem para a dinâmica empresarial concelhia.

_DSC2342.jpg

Apesar da isenção de taxas e da concessão de benefícios fiscais se traduzirem numa perda de receita para o Município, para Benjamim Pereira há um benefício maior a considerar, que é a manutenção no concelho das empresas e dos postos de trabalho associados a tão importante setor.

Sobre o Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento, o Presidente Benjamim Pereira lembra que proporciona um conjunto alargado de benefícios, entre os quais reduções e isenções de taxas e concessão de benefícios fiscais, para quem se instale e crie postos de trabalho no concelho, bem como para os agentes que pretendam ampliar os seus negócios ou criar novos projetos.

Estas medidas vão ao encontro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, concretamente o ODS 8 – Trabalho digno e crescimento económico, ODS 9 – Indústria, Inovação e Infraestruturas e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos.

_DSC2344.jpg

PONTE DE LIMA MOSTRA A SUA RIQUEZA AGROALIMENTAR

IV Feira 100% Agrolimiano - 9 e 10 de Fevereiro. Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima

O Município de Ponte de Lima inaugura no dia 9 de fevereiro, às 10h30, a IV Feira 100% Agrolimiano, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima.

Capturaragr1 (1).PNG

O objetivo deste evento é mostrar, divulgar e promover o que de melhor se produz no setor agroalimentar em Ponte de Lima, sendo esta uma das áreas que mais se tem desenvolvido nos últimos anos, devido a uma maior valorização por parte dos empresários nos recursos endógenos, criando assim novos postos de trabalho e surgindo novos negócios, com produtos inovadores e de excelente qualidade.

Durante estes dois dias serão apresentados e expostos vários produtos produzidos ou transformados no concelho, como mel, sidra, vinho verde, enchidos e fumados, fruta, hortícolas, cogumelos, carne, leite, entre outros produtos limianos, mas também animais criados no concelho limiano.

Com um programa abrangente, dirigido não só a profissionais, mas também ao público em geral, a III Feira 100% Agrolimiano pretende atrair profissionais, distribuidores, empresários e consumidores para a excelência do mundo rural de Ponte de Lima.

Confira os momentos da Feira 100% Agrolimiano

9 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

Grupo de Bombos e Gaitas de Foles de S. Tiago Maior de Poiares

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Visita Oficial à IV Feira 100% Agrolimiano

            Entrega de Prémios de Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural 2018

12h00 Workshop “A Poda e Enxertia nas Macieiras”, Professor Raúl Rodrigues (ESAPL          

14h00 II Agrojogos Limianos

14h30  Doce Inovação de Ponte de Lima (Concurso de doces limianos)

15h00 Associação de Tocadores de Concertina de Ponte de Lima (Animação musical)

17h00 Sensações de Chocolate “Brutus no Lima”, por Sandra e Susana Veiga (Workshop infantil)

18h00 Showcooking “Chanfana de Bovino”, EPAPL

18h00 Grupo de Música Popular da Feitosa Animação musical

19h00 Entrega de Prémios dos II Agrojogos Limianos

19h00 Demonstrações Equestres

21h00 Augusto Canário (Espetáculo musical)

23h00 Encerramento

10 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Grupo de Música Sol Dourado (Animação musical)

11h30 Workshop “Licores com Ervas Aromáticas”, EPAPL

12h30 Mandinho e Amigos (Animação musical)

14h30 Demonstrações Equestres

16h00 Apresentação Final do Curso de Manejadores Preparadores

17h00 Prova de Vinhos de Ponte de Lima

17h30 Entrega de Prémios do Curso de Manejadores Preparadores

18h00 Showcooking “Doces com Texturas Limianas”, EPAPL

20h00 Encerramento

OUTRAS ATIVIDADES:

Exposição de Animais

Curso de Manejador Preparador

Capturaragr2.PNG

Capturaragr3.PNG

Capturaragr4.PNG

CELORICO DE BASTO RECUPERA REGADIO TRADICIONAL

Regadios de Celorico de Basto reabilitados a curto prazo

O Regadio de Bouças, o Regadio de Carrazedo e o Regadio de Britelo vão ser reabilitados. O Município de Celorico de Basto submeteu e viu aprovados os projetos candidatos ao Programa de Desenvolvimento rural, PDR 2020, para beneficiação e reabilitação dos respetivos regadios.

_DSC7137

Três projetos distintos todos com o mesmo objeto. Observadas as patologias que se prendem sobretudo com a degradação dos canais, que levam a perdas significativas de água, a falta de sistemas eficientes de comportas e falta de limpeza dos canais que dificultam o normal escoamento das águas pretende-se com estes projetos proceder à limpeza dos regadios e à melhoria das condições de escoamento, nomeadamente a reparação dos canais existentes e em alguns casos a realização de novos. A colocação de comportas para uma melhor gestão da água, e a desmatação e limpeza do traçado de cada regadio, na largura de 2mts para cada lado, de forma a permitir a boa execução dos trabalhos no leito.

“A agricultura é cada vez mais um setor de sustentabilidade para muitas famílias, um setor cada vez mais competitivo e atrativo mas ainda, francamente desaproveitado, pela falta de apoios e incentivos. Com a reabilitação destes regadios prevê-se um aumento significativo dos caudais disponíveis para rega mas também uma melhoria significativa das condições de exploração das terras” disse Joaquim Mota e Silva, presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto.

O Regadio de Carrazedo situa-se na união de freguesias de Britelo Gémeos e Ourilhe, apresenta uma extensão de 1263m em dois ramais e cotas distintas, rega uma área de cerca de 20,02 hectares pertencentes a 11 proprietários e explorada por 12 agricultores e a sua reabilitação terá um custo de 49.999,95€, cofinanciado pelo Fundo Europeu Agrícola do Desenvolvimento Rural, FEADER.

O Regadio de Britelo situa-se também na união de freguesias de Britelo, Gémeos e Ourilhe, com uma extensão de 2696m, rega uma área de cerca de 31,36 hectares, pertence a 28 proprietários e é explorada por 15 agricultores. A reabilitação deste regadio custará 114.999,94€ cofinanciado pelo FEADER.

O Regadio de Bouças fica situado na união de freguesias de Canedo de Basto e Corgo, apresenta uma extensão total de 652m, rega uma área de cerca de 15 hectares pertencentes a 9 proprietários e explorada por 10 agricultores. A reabilitação deste regadio foi orçamentada em 37.500,00€ cofinanciado pelo FEADER.

NOVA AGRICULTURA MOTIVA FÓRUM BIO CAPITAL QUE SE REALIZA EM FAMALICÃO

Conferência realiza-se no dia 23 de outubro com a presença do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural

Capacitar parceiros e fomentar o aparecimento de novos negócios no setor agrícola e agroalimentar, refletindo sobre as políticas públicas e os desafios colocados à produção biológica e analisando dinâmicas e tendências de consumo e comercialização de produtos.

AFS_2143

São estes os grandes objetivos do II Fórum Bio Capital que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão promove no próximo dia  23 de outubro, a partir das 9h00, no auditório da Fagricoop – Cooperativa Agrícola dos Produtores de Leite de Vila Nova de Famalicão, com a presença do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas.

Políticas públicas do modo de produção biológica,  os novos desafios à produção em Agricultura biológica e o debate sobre mercados e comercialização de produtos biológicos são os temas de cada um dos três painéis que constituem a conferência, que traz a Vila Nova de Famalicão um conjunto de especialistas sobre a matéria e um conjunto de personalidades que trabalham com reconhecidas boas práticas nacionais no setor para darem testemunho das suas experiências.

A iniciativa está inserida no Festival Famalicão Visão’ 25. Programa completo e inscriçõeshttp://www.vilanovadefamalicao.org/_forum_bio_capital.

AFS_2146

PAN QUER RÓTULOS DE AZEITE COM INDICAÇÃO DO SISTEMA AGRÍCOLA NA ORIGEM DA SUA PRODUÇÃO

PAN quer que os rótulos de azeite informem sobre o sistema agrícola que esteve na origem da produção

  • Informação relativa ao sistema agrícola de onde provêm as azeitonas - tradicional, intensivo ou superintensivo
  • Cultivo de olival tradicional encontra-se em desvantagem económica face aos olivais intensivos e superintensivos
  • Pretende assegurar aos agricultores o direito a praticar uma agricultura convencional com menor impacto ambiental
  • Direito à informação dos consumidores relativamente aos impactes ambientais, territoriais e paisagísticos decorrentes do tipo de produção

O PAN, Pessoas – Animais – Natureza, acaba de apresentar uma iniciativa legislativa que pretende reforçar os direitos dos consumidores através da inclusão nos rótulos de azeite de informação relativa ao sistema agrícola de onde provêm as azeitonas, seja este tradicional, intensivo ou superintensivo.

Atualmente, o azeite que chega ao mercado é diferenciado no rótulo pelo tipo de processamento (virgem ou refinado), proveniência da azeitona (nacional, internacional ou de região cuja denominação se encontra protegida (DOP)) e modo de produção biológica. Contudo, não há qualquer referência ao tipo de sistema agrícola, se tradicional, intensivo ou superintensivo.

Nas últimas décadas tem-se verificado uma crescente reconversão do olival tradicional em plantações intensivas, resultando num aumento da disponibilidade de azeite no mercado nacional. Em 2016 a área total de olival era de 347 093 ha tendo crescido mais do dobro desde 2009 (159 915 ha) sendo que a maioria se reporta a olivais intensivos. O método de cultivo de olival tradicional encontra-se em desvantagem económica face aos olivais intensivos e superintensivos, uma vez que apresenta custos de produção elevados, com limitação na utilização de mecanização e produtividade inferior, visto estar associada à agricultura de sequeiro.  Contudo o olival tradicional, face ao intensivo, tem menor impacto ambiental no ecossistema onde está inserido, uma vez que pouco recorre a fertilizantes e produtos fitofarmacêuticos.

Assim sendo, para além de os sistemas agrícolas tradicionais de sequeiro seguirem práticas tradicionais de agricultura, que contribuem para a heterogeneidade de culturas agrícolas que ajudam a preservar a paisagem rural, a identidade do território, em comparação com os sistemas agrícolas intensivos e superintensivos têm uma contribuição significativamente inferior na contaminação dos solos e recursos hídricos do território português. É fundamental assegurar aos agricultores o direito a praticar uma agricultura convencional, não só para preservar a identidade cultural do nosso país, mas também o património genético que tem perdurado durante séculos.

A uniformização mundial da produção agrícola está a destruir o nosso património agrobiodiverso e nutricional, bem como as nossas tradições gastronómicas; é, por isso, de extrema importância preservar a biodiversidade local, a sustentabilidade dos ecossistemas bem como as nossas características paisagísticas.

Devido aos impactes ambientais, territoriais e paisagísticos o PAN defende a relevância de se diferenciar, junto do consumidor, o tipo de sistema de cultivo de onde o azeite provém, permitindo o direito à informação, que tem expressão constitucional desde 1982, e a possibilidade de uma escolha consciente e responsável.

FAMALICÃO PROMOVE ENCONTRO INTERNACIONAL PARA O AGROALIMENTAR

3.º Encontro Empresarial Atlantic Food Export decorre nos dias 25 e 26 de setembro

O Município de Vila Nova de Famalicão promove nos próximos dias 25 e 26 de setembro, terça e quarta-feira, o 3.º Encontro Empresarial Atlantic Food Export, que vai contar com a presença de quase meia centena de empresas nacionais e internacionais do setor do Agroalimentar.

AFS_2144

O evento decorrerá nas instalações do CITEVE e reunirá empresas do setor oriundas de países como França, Irlanda, Espanha, Irlanda do Norte e País de Gales.

Lourofood, Yogan e Amálgama são algumas das empresas famalicenses que vão participar neste encontro empresarial, organizado no âmbito do Atlantic Food Export, projeto do qual o município de Famalicão é parceiro no seguimento da sua estratégia para o desenvolvimento e internacionalização das empresas agroalimentares do concelho.  

Melhorar a competitividade e promover a internacionalização das pequenas e médias empresas do setor, do Espaço Atlântico, através do desenvolvimento de ações de cooperação entre empresas, designadamente pela criação de consórcios de exportação, é o principal objeto do Atlantic Food Export.

Este projeto é cofinanciado pela União Europeia no âmbito do programa INTERREG Espaço Atlântico. Através de um programa de assessoria, formação, encontros e eventos empresariais, as empresas beneficiárias investigam novos mercados, testam os seus produtos, adquirem conhecimentos, parcerias e contatos que serão fundamentais para uma internacionalização bem-sucedida.

VILA VERDE: CABANELAS ESTÁ NA ROTA DAS COLHEITAS

Agridoce: A Feira de Agricultura e Doçaria está de volta a Cabanelas com grande pujança!

Não há dúvidas. Este ano, a Feira de Agricultura e Doçaria em Cabanelas regressa em força com um programa repleto de múltiplas e variadas atividades, que antecipam um fim de semana de grande convívio e boa disposição.

A (1)

A Agridoce decorre de 31 de agosto a 2 de setembro, no largo da igreja da freguesia, e prepara-se para estar no centro das atenções pela excelência dos produtos do campo (legumes e animais vivos) e dos deliciosos doces caseiros.

Além das compotas e de geleias de diferentes sabores, a gastronomia vai também passar por outras iguarias. A famosa broa com sardinha e o tradicional vinho doce são dois bons exemplos disso mesmo.

Mas a verdade é que o evento não fica só por aqui. Haverá muito mais para conhecer e apreciar durante três dias consecutivos. Cinquenta stands, diferentes atuações de música ao vivo, recriação de práticas ancestrais, fumeiro, insufláveis, entre muitos outros, serão outros dos atrativos da iniciativa.

A (3)

Para o presidente da Junta a Feira está no bom caminho: “o nosso objetivo é fazer igual ou melhor que no ano anterior!”. António Esquível diz que, apesar de a iniciativa já estar consolidada, mantém-se a aposta no aumento de motivos de interesse. “Desta vez, criámos o 1º passeio de carros clássicos precisamente para atrair pessoas com diferentes gostos”, refere.

Na visão do presidente, a iniciativa “dá uma dinâmica muito boa à freguesia” e acredita que tem mostrado, de ano para ano, um caráter sustentável e até “dá lucro todos os anos”, receita que reverte para serviços de benefício da freguesia. Algo que só é possível com o apoio massivo da população local: “A Agridoce conta com mais de uma centena de voluntários. A Junta de Freguesia, a Paróquia, várias associações e muitas pessoas a título individual… é graças a todos que esta festa acontece”.

O autarca sublinha que a vertente financeira não é a mais importante. O que realmente importa é divulgar as potencialidades da freguesia e promover a cultura e as tradições locais. “A feira é uma grande impulsionadora na divulgação do nome da nossa terra e dos nossos costumes”, afirma António Esquível, sublinhando ainda importância da programação turístico-cultural para o concelho de Vila Verde: “As freguesias só ganham em pertencer à Rota das Colheitas”. E se o presente é sorridente, o presidente da Junta sabe que é tempo de assegurar o futuro e deixa o apelo: “Não podemos deixar estas atividades acabar, mas a verdade é que são quase sempre os mesmo a trabalhar. Se cada um der um bocadinho, a freguesia cresce e todos beneficiam com isso”.

B

Programa rico e diversificado para três dias de festa

O 31 de agosto é o dia que encerra o mês, mas é também dia de abrir as portas da popular Feira de Agricultura e Doçaria. A partir das 20h, o público terá a oportunidade de adquirir os diferentes produtos agrícolas e saborear as delícias gastronómicas. Passada uma hora da abertura, haverá tempo para a concentração de rusgas com cantares típicos da região, que garantem dar momentos de enorme animação.

DSC_0100

No segundo dia de festa (1 de setembro), as atividades começam logo pela manhã. Às 10h, há um workshop de bonsais que permitirá a cada participante aprender a fazer o seu próprio bonsai. O custo é de ‘15 bonsais’, com o almoço incluído. A primeira parte da tarde fica reservada para dois momentos de lazer, o torneio de sueca (com direito a três prémios) e jogos para reviver o passado (berlindes, peão, arco e macaca, entre outros).

Ambas as atividades iniciam às 14h. Uma hora depois, a jovem artesã local Joana Fernandes dirige um workshop de cortiça. No fim do dia haverá dança aberta com uma mega-aula de zumba e muita espuma à mistura. Já com a espiga no ponto, é tempo de fazer a desfolhada. Marcada para às 21h, a recriação da prática agrícola é uma forma de divulgar e valorizar da tradição minhota.

O primeiro nome da música vai para Carlos Ribeiro, com a atuação agendada para 22h. O artista proporcionará a todos os espectadores uma noite repleta de boa energia. O encerramento acontece com uma festa da caipirinha com after party com DJ e, ainda, uma festa da espuma.

DSC_0520

Desfile Etnográfico para valorizar a tradição e costumes locais

O último dia, 2 de setembro, começa com uma ação religiosa pela manhã (Eucaristia, 08h00) e segue com os passeios de motorizadas e de carros clássicos, sendo este último a primeira aventura das quatro rodas na Agridoce.

A participação tem o custo de ‘10 carros’, com almoço incluído. Ainda durante a manhã, dá-se um grande encontro de cavaquinhos, com dez grupos a subirem ao palco. Às 14h, há atuação do cantor Tony Costa, que promete animar a tarde. Um dos pontos mais altos da feira chega com a apresentação do cortejo etnográfico, que pretende demonstrar as diversas profissões antigas e tradições locais. A fechar há um encontro de folclore pelas 17h.

A Agridoce convida também toda a população cabanelense e visitantes a passear pelos jardins de bonsais e admirar a ornamentação dos altares da igreja paroquial. Inserida na Rota das Colheitas, a Feira de Agricultura e Doçaria é organizada pela Junta de Freguesia, pela Paróquia e também por vários voluntários, que se trabalham com afinco para ajudar a tornar o evento um sucesso.

38002636_335082183698541_6319190674004508672_o

VILA VERDE: CABANELAS ESTÁ NA ROTA DAS COLHEITAS

Agridoce: A Feira de Agricultura e Doçaria está de volta a Cabanelas com grande pujança!

Não há dúvidas. Este ano, a Feira de Agricultura e Doçaria em Cabanelas regressa em força com um programa repleto de múltiplas e variadas atividades, que antecipam um fim de semana de grande convívio e boa disposição.

A (1)

A Agridoce decorre de 31 de agosto a 2 de setembro, no largo da igreja da freguesia, e prepara-se para estar no centro das atenções pela excelência dos produtos do campo (legumes e animais vivos) e dos deliciosos doces caseiros.

Além das compotas e de geleias de diferentes sabores, a gastronomia vai também passar por outras iguarias. A famosa broa com sardinha e o tradicional vinho doce são dois bons exemplos disso mesmo.

Mas a verdade é que o evento não fica só por aqui. Haverá muito mais para conhecer e apreciar durante três dias consecutivos. Cinquenta stands, diferentes atuações de música ao vivo, recriação de práticas ancestrais, fumeiro, insufláveis, entre muitos outros, serão outros dos atrativos da iniciativa.

A (3)

Para o presidente da Junta a Feira está no bom caminho: “o nosso objetivo é fazer igual ou melhor que no ano anterior!”. António Esquível diz que, apesar de a iniciativa já estar consolidada, mantém-se a aposta no aumento de motivos de interesse. “Desta vez, criámos o 1º passeio de carros clássicos precisamente para atrair pessoas com diferentes gostos”, refere.

Na visão do presidente, a iniciativa “dá uma dinâmica muito boa à freguesia” e acredita que tem mostrado, de ano para ano, um caráter sustentável e até “dá lucro todos os anos”, receita que reverte para serviços de benefício da freguesia. Algo que só é possível com o apoio massivo da população local: “A Agridoce conta com mais de uma centena de voluntários. A Junta de Freguesia, a Paróquia, várias associações e muitas pessoas a título individual… é graças a todos que esta festa acontece”.

O autarca sublinha que a vertente financeira não é a mais importante. O que realmente importa é divulgar as potencialidades da freguesia e promover a cultura e as tradições locais. “A feira é uma grande impulsionadora na divulgação do nome da nossa terra e dos nossos costumes”, afirma António Esquível, sublinhando ainda importância da programação turístico-cultural para o concelho de Vila Verde: “As freguesias só ganham em pertencer à Rota das Colheitas”. E se o presente é sorridente, o presidente da Junta sabe que é tempo de assegurar o futuro e deixa o apelo: “Não podemos deixar estas atividades acabar, mas a verdade é que são quase sempre os mesmo a trabalhar. Se cada um der um bocadinho, a freguesia cresce e todos beneficiam com isso”.

B

Programa rico e diversificado para três dias de festa

O 31 de agosto é o dia que encerra o mês, mas é também dia de abrir as portas da popular Feira de Agricultura e Doçaria. A partir das 20h, o público terá a oportunidade de adquirir os diferentes produtos agrícolas e saborear as delícias gastronómicas. Passada uma hora da abertura, haverá tempo para a concentração de rusgas com cantares típicos da região, que garantem dar momentos de enorme animação.

DSC_0100

No segundo dia de festa (1 de setembro), as atividades começam logo pela manhã. Às 10h, há um workshop de bonsais que permitirá a cada participante aprender a fazer o seu próprio bonsai. O custo é de ‘15 bonsais’, com o almoço incluído. A primeira parte da tarde fica reservada para dois momentos de lazer, o torneio de sueca (com direito a três prémios) e jogos para reviver o passado (berlindes, peão, arco e macaca, entre outros).

Ambas as atividades iniciam às 14h. Uma hora depois, a jovem artesã local Joana Fernandes dirige um workshop de cortiça. No fim do dia haverá dança aberta com uma mega-aula de zumba e muita espuma à mistura. Já com a espiga no ponto, é tempo de fazer a desfolhada. Marcada para às 21h, a recriação da prática agrícola é uma forma de divulgar e valorizar da tradição minhota.

O primeiro nome da música vai para Carlos Ribeiro, com a atuação agendada para 22h. O artista proporcionará a todos os espectadores uma noite repleta de boa energia. O encerramento acontece com uma festa da caipirinha com after party com DJ e, ainda, uma festa da espuma.

DSC_0520

Desfile Etnográfico para valorizar a tradição e costumes locais

O último dia, 2 de setembro, começa com uma ação religiosa pela manhã (Eucaristia, 08h00) e segue com os passeios de motorizadas e de carros clássicos, sendo este último a primeira aventura das quatro rodas na Agridoce.

A participação tem o custo de ‘10 carros’, com almoço incluído. Ainda durante a manhã, dá-se um grande encontro de cavaquinhos, com dez grupos a subirem ao palco. Às 14h, há atuação do cantor Tony Costa, que promete animar a tarde. Um dos pontos mais altos da feira chega com a apresentação do cortejo etnográfico, que pretende demonstrar as diversas profissões antigas e tradições locais. A fechar há um encontro de folclore pelas 17h.

A Agridoce convida também toda a população cabanelense e visitantes a passear pelos jardins de bonsais e admirar a ornamentação dos altares da igreja paroquial. Inserida na Rota das Colheitas, a Feira de Agricultura e Doçaria é organizada pela Junta de Freguesia, pela Paróquia e também por vários voluntários, que se trabalham com afinco para ajudar a tornar o evento um sucesso.

38002636_335082183698541_6319190674004508672_o

PRODUTORES DO PARQUE NACIONAL PENEDA GERÊS VISITAM EMPRESAS DE SUCESSO NA GALIZA

No âmbito do Projeto Revitagri-PNPG, Coordenado pelas Escola Superior Agrária e de Ciências Empresariais do IPVC, os produtores dos Parque Nacional da Peneda Gerês fizeram ontem uma visita técnica de produtores agroalimentares e de investigadores à Galiza.

DSC_0350

A visita teve por objetivo visitar empresas de sucesso do setor agroalimentar, permitindo assim perceber modelos de negócio e processos de fabrico.

O programa começou pela visita à Cooperativa Sta Mariña de Loureiro, uma empresa que se dedica aos Produtos Lácteos. O grupo seguiu para visitar a Lalinense, empresa que trabalha na área do fumeiro.

Da parte da tarde, as visitas dedicaram-se às plantas aromáticas e medicinais, através da visita à Milhulloa S.Coop.Galega e terminou com a visita ao Museu do Mel.

DSC_0382

Mais de meia centena de produtores e investigadores tiveram a oportunidade de ver em loco, empresas similares às existentes no parque e a forma de produção/comercialização.

Esta visita serviu ainda para contactos comerciais entre produtores, e revelou-se muito produtiva para as empresas visitadas e para os produtores.

O projeto, vai continuar a desenvolver ações, continuando a promover sinergias de forma a encontrar soluções de sustentabilidade e novas oportunidades de negócio com os produtos endógenos do Parque Nacional da Peneda Gerês.

DSC_0136