Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOCO DE ESQUERDA RECLAMA AVALIAÇÃO DOS PREJUÍZOS PROVOCADOS PELA DOENÇA DOS CASTANHEIROS E COMPENSAÇÃO AOS AGRICULTORES AFETADOS

O Bloco de Esquerda quer saber se o Governo está a acompanhar o aparecimento de uma nova doença que está a afetar gravemente os castanheiros e se está a fazer o levantamento dos prejuízos provocados na região do Minho e Alto Minho.

Em causa está o aparecimento de uma doença conhecida por  “podridão da castanha", provocada pelo fungo gnomoniopis castanea, que, de acordo com o especialista e docente na UTAD, José Gomes Laranjo, ainda não há um tratamento para o fungo devido à falta de estudos sobre a biologia do fungo que provoca a podridão da castanha e sobre o seu tratamento, sublinhando que em Itália a produção de castanha sofreu quebras de 70% a 80%.

No documento entregue na Assembleia da República, os deputados do Bloco de Esquerda eleitos pelo Minho, José Maria Cardoso e Alexandra Vieira, afirmam que "os produtores de castanha encontram-se numa situação desesperante, pois não existe uma estratégia de ação nem medidas de proteção fitossanitária eficientes para esta cultura e adequadas à sua realidade atual. Muitos deles vivem, em consequência, uma situação de insustentabilidade da sua atividade e merecem o apoio do Estado de forma a conseguirem ultrapassar a perda de rendimentos da cultura e a responder eficientemente a este complexo de pragas e doenças, tornando os seus sistemas culturais mais resilientes".

Por isso, os bloquistas querem saber que medidas pensa o Governo tomar para compensar as perdas destes agricultores e que medidas prevê o Governo tomar para apoiar os produtores de castanha na prevenção e combate a estes problemas fitossanitários no futuro.

Capturarbe1.PNG

Capturarbe2.PNG

PAN QUER PORTUGAL A SEGUIR O EXEMPLO ESPANHOL E A RESTRINGIR A COLHEITA MECANIZADA DE AZEITONAS

  • Espanha determina suspensão da colheita mecanizada de azeitonas, entre o pôr-do-sol e o amanhecer até ao dia 1 de maio de 2019
  • É necessária uma avaliação independente do impacto ambiental que esta atividade exerce sobre a avifauna
  • Em resposta a pergunta do PAN o Governo comprometeu-se com realização de estudo e regulamentação da atividade que ainda não avançaram
  • PAN apresenta requerimento ao Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural que quer medida vinculativa em Portugal

Em Espanha, por intermédio da Junta da Andaluzia, a Consejeria de Agricultura, Ganaderia, Pesca de Desarrollo Sostenible publicou a 15 de Outubro de 2019, com base no princípio da prevenção, uma decisão vinculativa  onde determina a suspensão da colheita mecanizada de azeitonas, entre o pôr-do-sol e o amanhecer até ao dia 1 de Maio de 2019, até que  seja elaborada uma avaliação independente do impacto ambiental que esta atividade exerce sobre a avifauna.

Em pergunta parlamentar n.º 1001/XIII/4ª, o PAN, Pessoas-Animais-Natureza, questionou o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural relativamente às ações que pretendia adotar para a prevenção e minimização do impacto desta atividade. Como resposta, em fevereiro de 2019, o MAFDR informou que através do ICNF, “determinou a realização de um estudo e o acompanhamento desta situação, para avaliar potenciais impactes associados a esta prática de colheita” e que o estudo irá identificar a eventual necessidade de regulamentar a atividade “com vista a minorar o impacto desta prática na biodiversidade”.

No entanto, com o aproximar da nova época da colheita de azeitona, não foi divulgado o estudo nem foi regulamentada a atividade o que resultará, certamente em impactos negativos na biodiversidade, tal como aconteceu na época passada.

O PAN avançou agora para um requerimento ao Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural que quer a suspensão da colheita mecanizada de azeitonas, na época de 2019/2020, entre o pôr-do-sol e o amanhecer, com base no princípio da prevenção.

A reconversão do método de cultivo tradicional dos olivais para intensivo e superintensivo alterou o método de colheita da azeitona, sendo que para otimizar a produção tem vindo a ser adotada, neste tipo de olivais, a colheita mecanizada em modo contínuo, ou seja, durante todo o dia e noite.

Tanto na Andaluzia como no Sul de Portugal, foram detetados casos de grande mortalidade na população de aves migratórias no decorrer da atividade das últimas colheitas noturnas de azeitona em olivais intensivos e superintensivos.

Segundo declarações do presidente do ICNF à comunicação social, através de ações de fiscalização efetuadas a 25 cargas de azeitonas colhidas em 75 hectares, verificou-se a mortalidade de 480 aves, representando uma média de 6,4 aves mortas por hectare. Extrapolando-se este valor para os 15 mil hectares de olival intensivo existentes, esta atividade representa a morte de 96 mil aves migratórias anualmente.

FESTA DAS COLHEITAS DE VILA VERDE É A FESTA MAIOR DO MUNDO RURAL

Festa das Colheitas de Vila Verde fervilhou de vida com imensas atividades no Dia da Agropecuária e do Cavaquinho

A agropecuária, a música popular e a gastronomia regional deram o mote para mais um dia (12 de outubro) em que a Festa das Colheitas de Vila Verde fervilhou de vida. As espécies autóctones da região e do país estiveram em destaque no concurso pecuário e de raças avícolas e os produtos do campo cultivados pelos agricultores locais na Feira Tradicional. A gastronomia regional marcou serão. A Festa do Caurdo estava a rebentar pelas costuras e, em simultâneo, o 14º Festival Gastronómico recebia também um mar de gente. Houve ainda muita animação durante todo o dia com vários espetáculos de música ao vivo no recinto e o Encontro Nacional de Tocadores Cavaquinho, na Praça de Santo António.

vvmundrural (3).JPG

A manhã colocou em evidência as raças autóctones regionais e nacionais no Concurso Pecuário Regional e Concelhio e no Concurso de Raças Avícolas Nacionais, organizados pela Caviver e Amiba, respetivamente. Entre largas dezenas de participantes, os melhores produtores foram distinguidos com prémios monetários e com uma lembrança simbólica, uma peça de cerâmica decorada com os motivos dos Lenços de Namorados. No final, os produtores de gado bovino realizaram o tradicional desfile pecuário, com os animais a seguirem entre o Largo da Feiras dos Porcos e a Praça das Comunidades Geminadas.  

Entretanto, os cada vez mais apreciados e galardoados vinhos verdes estiveram em ‘competição’. O concurso organizado pela Loja Interativa de Turismo de Vila Verde, com o apoio a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, distinguiu e premiou a qualidade dos produtores locais, já que se destinou à sub-região do Cávado.

vvmundrural (2).JPG

Mais de 500 tocadores

Do início da manhã ao final da tarde, a Praça de Santo António cantou e dançou ao som da música tradicional. No total, chegaram a Vila Verde 34 grupos e mais de 500 artistas vindos de diferentes pontos do país para o Encontro Nacional de Tocadores de Cavaquinhos. A organização ficou a cargo do Município de Vila Verde e da Fundação INATEL, com a colaboração do Grupo de Cavaquinhos de Soutelo e Estrelas Milenares Associação. Alegria e muita diversão numa iniciativa que contou ainda com a Exposição e Oficina de Instrumentos de Cordas.  

Diretamente do campo para o prato, os produtos da agricultura local foram comercializados durante a tarde na XVI Feira Tradicional – Reviver o Passado. Além das colheitas frescas e viçosas, os trajes tradicionais, cestos em vime e balanças de época, entre outros, ajudaram a reforçar o simbolismo de uma iniciativa revivalista e carismática organizada Associação de Folclore de Vila Verde. Ali perto, a festa estava instalada com a divertida música popular do grupo Amigos da Paródia. A alegria contagiante do concerto extravasou do palco e o público não resistiu a um pezinho de dança.

vvmundrural (4).JPG

Gastronomia e animação musical

Em simultâneo, a Tenda de Conferências recebia o concurso da Broa. Pouco depois, tempo para entregar os respetivos prémios aos vencedores dos concursos da broa, mel, geleia, marmelada, artesanato e vinho. Pelas 17h, as vozes afinadas dos jovens alunos da Academia de Música de Vila Verde ecoaram pelo recinto da Festa das Colheitas em mais um espetáculo magistral. A música continuou de seguida com uma oportunidade soberana para divulgar as potencialidades dos jovens artistas locais na Mostra de Talentos. A festa continuou ao início da noite com a música tradicional portuguesa do grupo Tukanos, que desfilou pelo palco um vasto e diversificado rol de temas.

A gastronomia voltou a ser um dos grandes atrativos do evento e atrair um mar de gente ao recinto. A corrida às tradicionais e deliciosas sopas da Festa do Caurdo foi intensa. No total, havia mais de vinte especialidades à escolha, confecionadas de forma tradicional por diferentes grupos folclóricos do concelho de Vila Verde. O público não se fez rogado e compareceu em massa para degustar os tradicionais sabores locais. Em simultâneo, os restaurantes e tasquinhas do recinto não tinham mãos a medir, numa prova via de que a gastronomia local continua a mover multidões.

A festa encerrou com o Festival Folclórico Concelhio. Milhares de pessoas vibraram com a alegria das danças e cantares da música popular do Minho e aplaudiram entusiasticamente os nove grupos folclóricos que subiram ao Palco das Colheitas.

vvmundrural (1).JPG

vvmundrural (5).JPG

vvmundrural (6).JPG

DSC_0483.JPG

DSC01421.JPG

DSC04050.JPG

QUEIMADAS DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS PREJUDICAM AMBIENTE E SAÚDE

Investigação da Universidade de Aveiro

As queimadas de resíduos agrícolas prejudicam a qualidade do ar, contribuindo para o aquecimento global, e são um perigo para a saúde pública. As conclusões são de um estudo da Universidade de Aveiro (UA) que, pela primeira vez, estudou em Portugal as consequências para o ambiente e para a saúde do fumo das queimadas ao ar livre provenientes dos restos das podas de árvores.

A investigadora Célia Alves 2.jpg

A investigadora Célia Alves, da Universidade de Aveiro

 

“As queimas possuem um efeito significativo na qualidade do ar a nível local e regional, contribuindo para algumas das excedências aos valores limites impostos na legislação”, aponta Célia Alves, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar, uma das unidades de investigação da UA. 

O estudo refere ainda que “a influência no clima representa também um dos impactos das queimas de resíduos agrícolas, devido à emissão de gases com efeito de estufa e a sua consequente contribuição para o aquecimento global”.

Em relação à saúde humana, a “inalação de fumo constitui um perigo”. Este é um alerta que está a ser confirmado em laboratório com a exposição de células do pulmão humano aos compostos químicos contidos nas partículas de fumo emitidas: “A viabilidade celular, determinada através de um ensaio colorimétrico que permite avaliar a atividade metabólica das células, diminuiu com a exposição”. Em colaboração com o Departamento de Biologia da UA, Estela Vicente, estudante de doutoramento orientada por Célia Alves, está ainda a avaliar os processos inflamatórios, o stress oxidativo e os danos genéticos em células de pulmão humano quando expostas aos constituintes químicos extraídos das partículas emitidas durante as queimas.

Centenas de compostos perigosos

A equipa centrou-se na análise química detalhada das partículas e dos gases emitidos durante a queima de ramos de videira, de oliveira, de salgueiro e de acácia. No laboratório, a equipa da UA encontrou centenas de compostos distintos, tais como hidrocarbonetos, álcoois, ácidos, açúcares, esteróis, fenóis, metano, etano, etileno e formaldeído.

Apesar de não haver estatísticas oficiais do número de queimas realizadas anualmente em Portugal, Célia Alves estimou que a queima de vides representava uma emissão total anual de 380 mil toneladas de Dióxido de Carbono, de 12 mil toneladas de Monóxido de Carbono e de 3,3 mil toneladas de partículas inaláveis.

Em relação aos valores para as queimas os restos das podas das oliveiras, a investigadora estima uma libertação anual para a atmosfera de 316 mil toneladas de Dióxido de Carbono, de 18 mil toneladas de Monóxido de Carbono e de 3,4 mil toneladas de partículas.

“Estas estimativas devem ser tomadas como valores máximos, uma vez que uma parte dos resíduos produzidos, apesar de minoritária, não é queimada”, explica a cientista.

Resíduos podiam ajudar à economia circular

Apesar dos resíduos de poda terem potencial para serem convertidos em energia, “os altos custos de transporte e processamento, a produção intermitente e os problemas operatórios gerados durante a combustão em unidades de grande escala, tornam a sua utilização economicamente inviável”. Também a “presença de teores elevados de metais alcalinos nestes resíduos origina normalmente emissões elevadas de partículas e gases ácidos e a formação de incrustações e depósitos nas superfícies onde ocorre transferência de calor”.

Assim, aponta Célia Alves, “devem procurar-se soluções alternativas de pequena escala que representem um nicho de oportunidade para as comunidades rurais”. A transformação dos resíduos de poda numa “opção viável para aquecimento residencial permitiria reduzir os custos energéticos, tornando estas comunidades mais autossuficientes”, há semelhança do que já acontece em autarquias rurais de alguns países onde têm sido testadas e implementadas soluções direcionadas para a produção de pellets para aquecimento doméstico. Antes da pelletização, os resíduos são primeiro lixiviados com água para remover o excesso de metais alcalinos e depois secos. O lixiviado pode ser usado para rega, uma vez que é rico em nutrientes.

“Uma outra solução implementada nalguns países consiste na recolha pelos serviços municipais deste tipo de resíduos, na trituração em equipamentos adequados e no encaminhamento para centrais de compostagem, obtendo-se um material estável, rico em substâncias húmicas e nutrientes minerais para adubar e melhorar as propriedades do solo”, refere.

Ultimamente, diz, alguns grupos de investigação têm-se dedicado também ao estudo da transformação da biomassa residual de atividades agrícolas em biocarvão, através do processo de pirólise lenta, e à introdução deste produto nos solos. “Há indicações de que o biocarvão, para além de ser sequestrador de Dióxido de Carbono, aumenta a matéria orgânica e melhora a biologia do solo, a retenção de nutrientes e de água”, explica Célia Alves.

CDS EM CAMPANHA PELO MINHO DÁ PRIORIDADE À SEGURANÇA E À AGRICULTURA

Segurança e Agricultura: CDS PP passou dia entre Braga e Famalicão.

A dois dias do final da Campanha eleitoral os candidatos do CDS-PP no distrito de Braga acentuaram as acções de campanha, com iniciativas embraga e Famalicão. “Estamos a levar o nosso programa, que temos a convicção de ser aquele que melhor defende as pessoas e a ouvir as suas queixas e expectativas de mudança em políticas sociais e essencialmente à libertação da maior carga fiscal de sempre registada nos últimos quatro anos e imposta pelos partidos à esquerda que governaram o país” começou por dizer Telmo Correia.

Feira Semanal Famalicão 2.jpeg

Em Braga o CDS PP reuniu com o Comando Geral da PSP com Telmo Correia a registar questões já antes levantadas pelo partido. “O número de efetivos, meios e equipamentos no distrito é curto para o crescente número de população, atividade económica e isso tem obrigado ao desdobramento dos efetivos, com subcarga de serviço e algum descontentamento com a carreira. Depois há outra questão que nos preocupa, que tem a ver com os crimes contra as forças de segurança. Se não protegemos quem nos protege entramos numa espiral perigosa…”.

De Braga os candidatos seguiram para Famalicão onde estiveram reunidos com a direção da Fagricoop – Coooperativa de agricultores locais. Telmo Correia ouviu também aqui queixas. “Há um descontentamento pelo valor pago ao produtor e pela distribuição de apoios. Nós no CDS continuamos a defender o investimento na agricultura e atividade produtiva de forma a preservar o território, fixar população e desenvolver a economia primária”.

Na feira de Famalicão Telmo Correio recebeu incentivos e fez balanço do trabalho feito em todos os concelhos do distrito. “Visitamos todo o distrito, escutando as pessoas e as suas preocupações. Estamos certos de que muitas das soluções para os problemas que fomos registando estão no que propomos e no que defendemos no nosso programa eleitoral, na defesa do qual nos vamos bater na próxima legislatura”.

O cabeça de lista do CDS no distrito de Braga deixou ainda o apelo à participação nas eleições  de domingo. “É necessário que este descontentamento que fomos registando se expresse domingo nas urnas”.

Feira Semanal Famalicão.jpeg

Fagricoop.jpeg

Comando PSP.jpeg

DIRETORA DE AGRICULTURA E PESCAS INAUGUROU AGROBASTO

A Diretora Regional de Agricultura e Pescas do Norte, Eng.ª Carla Alves, inaugurou ontem à tarde, 26 de setembro, a 43.ª edição da Agrobasto – Exposição/Feira das Atividades Económicas de Cabeceiras de Basto, certame que decorre até ao dia 30 de setembro na Praça Arcipreste Francisco Xavier de Almeida Barreto e na cave da Casa da Juventude de Cabeceiras de Basto (Mercado Municipal). Estiveram também presentes nesta cerimónia os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, vereadores, presidentes de Juntas de Freguesia, membros da Assembleia Municipal, entre outros autarcas.

Diretora de Agricultura e Pescas do Norte inaugurou Agrobasto (1).JPG

A Agrobasto para além de se assumir como uma grande montra de equipamentos, produtos e serviços, tem também como objetivo a promoção socioeconómica das Terras de Basto. Cerca de 100 expositores marcam presença nesta edição 2019 do certame.

Tratores e alfaias agrícolas, viaturas automóveis, artesanato urbano, produtos do lar, tasquinhas, produtos agroalimentares, artesanato local, instituições, criadores de gado bovino (Barrosã, Maronesa e Minhota), caprino (Bravia), ovino (Bordaleira D’entre Douro e Minho), cavalar (Garrano) e suíno (Porco Bísaro) estão, mais uma vez, em destaque nesta 43.ª exposição. O fumeiro tradicional, os vinhos, a doçaria tradicional, o mel, as compotas, os licores, o artesanato de lã, linhos e tanoaria também estão representados. O recinto compreende ainda espaços destinados à exposição pecuária, à fauna e flora. De salientar que a promoção gastronómica acontece nas tasquinhas, num espaço montado para o efeito no recinto da feira, onde são servidos os pratos tradicionais da região acompanhados pelos vinhos verdes de Basto.

Ontem à noite subiram ao palco da Agrobasto os Cantadores ao Desafio – Borguinha de Braga, Naty Vieira da Póvoa de Lanhoso e Carvalho de Cucana – enquanto no Centro Hípico de Cabeceiras de Basto foi apresentada ao público a encenação teatral ‘Todas Somos Tu’, uma magnífica produção do CTCMCB – Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que juntou centenas de pessoas.

Esta noite noite, às 20h30, sobem ao palco da Agrobasto, no âmbito da iniciativa ‘Cabeceiras Sem Parar’, a Academia Sempre em Forma e o Ginásio Bodygate e, a partir das 22h00, os Cavaquinhos da Raposeira. No Parque do Mosteiro, a partir das 21h30, atua o grupo Enlace e às 23h00 o palco é dos UHF. A partir da 00h30 a festa continua no Pavilhão Gimnodesportivo de Refojos com a ‘Noite de Estrelas’.

Amanhã, dia 28 de setembro, sábado, decorrem ao longo do dia diversas iniciativas no Parque do Mosteiro, desde logo o Concurso pecuário e desfile de gado, demonstrações do Jogo do Pau e Chegas de Bois e à noite, a partir das 21h00, pelas ruas da vila a grande ‘Noite de Arraial’ com a Ronda das Concertinas e o concerto de ‘Cláudia Martins & Minhotos Marotos’, a partir das 23h00.

No dia 29 de setembro, Dia do Município, realiza-se às 09h30 a Sessão Solene nos Paços do Concelho, saindo à rua, a partir das 17h00, a Majestosa Procissão em honra de S. Miguel, uma organização da Paróquia de Refojos.

A Feira e Festas de S. Miguel encerram dia 30 de setembro, segunda-feira.

Diretora de Agricultura e Pescas do Norte inaugurou Agrobasto (2).JPG

Diretora de Agricultura e Pescas do Norte inaugurou Agrobasto (3).JPG

Diretora de Agricultura e Pescas do Norte inaugurou Agrobasto (4) (1).JPG

 

FAMALICÃO PARTICIPA NA AGROSEMANA NA PÓVOA DE VARZIM

Cerca de 30 empresas famalicenses na AgroSemana

O Município de Vila Nova de Famalicão volta a marcar presença na AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, que decorre a partir de amanhã, 29 de agosto, e até domingo, dia 1 de setembro, no Espaço Agros, em Argivai, na Póvoa de Varzim.

Cerca de 30 empresas famalicenses na AgroSemana.jpg

No stand do projeto Famalicão Made IN estarão representadas 28 empresas do concelho – 9 do setor agrícola e 19 do setor agroalimentar – dando assim a oportunidade aos milhares de visitantes do certame de conhecerem os produtores e produtos locais, tais como os vinhos verdes, os queijos, o fumeiro tradicional, produtos biológicos, entre outros.

A edição de 2019 da AgroSemana conta já com mais de 130 expositores confirmados, entre maquinaria agrícola, alimentação animal, produtos agrícolas, sementes, cooperativas e associações.

A presença do município famalicense está enquadrada na estratégia de desenvolvimento económico e de dinamização do território, através do projeto Famalicão Made IN, no quadro da afirmação e valorização da agricultura e dos produtos locais do setor agroalimentar que a autarquia reconhece como um ativo social e económico muito valioso.

Recorde-se que a AgroSemana – Feira Agrícola do Norte surgiu em 2013 e é atualmente uma das feiras de referência no setor agrícola nacional, contando na última edição com 85 mil visitantes e mais de 180 expositores de diversas áreas de negócio.

PAN GARANTE 1ª VICE-PRESIDÊNCIA DA COMISSÃO DE AGRICULTURA NO PARLAMENTO EUROPEU

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza assegurou a vice-presidência da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural no Parlamento Europeu. Francisco Guerreiro foi hoje eleito primeiro vice-presidente da comissão, depois de uma negociação com os Verdes Europeus, bancada que o partido integra.

Cada comissão tem, além de um presidente, quatro vice-presidentes. No caso da Comissão de Agricultura e de Desenvolvimento Rural, coube à bancada dos Verdes a primeira das quatro vice-presidências, cujo lugar Francisco Guerreiro negociou com os restantes eurodeputados da bancada, acabando por ganhá-lo aos 48 membros efetivos e 48 membros suplentes.

A eleição do eurodeputado decorreu esta tarde durante a primeira sessão da comissão e evidencia uma aposta clara no partido da parte da família europeia.

"Com esta eleição reforçamos a influência do PAN na bancada dos Verdes, dando a Portugal um lugar de destaque em relação aos restantes Estados-Membros. Estamos preparados para assumir cargos de responsabilidade e deixar contributos politicamente relevantes, principalmente num contexto europeu no qual importa priorizar a mitigação das Alterações Climáticas", refere Francisco Guerreiro, eurodeputado do PAN.

Além de assumir a substituição do presidente da comissão em situações de ausência, o cargo confere várias responsabilidades a Francisco Guerreiro, como a representação da comissão em diversos contextos e ocasiões.

A par disso, caberá também ao eurodeputado negociar leis com os Ministros da Agricultura dos vários Estados-Membros, fazendo valer os princípios do PAN em contexto europeu. No âmbito do trabalho como vice-presidente da comissão, esses princípios assumirão especial relevância em alguns contextos: Francisco Guerreiro terá oportunidade, por exemplo, de visitar locais como explorações agropecuárias intensivas e sensibilizar os restantes eurodeputados para a problemática das indústrias altamente poluentes e a sua implicação na deterioração do clima.

MONÇÃO AVANÇA NO EMPARCELAMENTO AGRÍCOLA: CONTRATO DE EMPREITADA ASSINADO. SEGUE-SE VISTO DO TRIBUNAL DE CONTAS PARA INÍCIO DOS TRABALHOS

Emparcelamento Agrícola de Moreira e Barroças e Taias

A Câmara Municipal de Monção e a Empresa “Restradas – Revitalização de Estradas do Norte, Lda”, assinaram, na passada terça-feira, no edifício do Loreto, o contrato de empreitada do Emparcelamento Agrícola de Moreira e Barroças e Taias, no valor de 4.196.954,84 €, IVA incluído.

monçempagr (3).JPG

O lançamento do concurso público, ao qual concorreram 10 empresas, foi aprovado no dia 21 de fevereiro, na reunião do Executivo Municipal, realizada em Moreira. A adjudicação da empreitada à empresa vencedora teve lugar no dia 8 de abril, na reunião do Executivo Municipal, realizada em Badim.

O próximo passo é o visto do Tribunal de Contas, seguindo-se o ato de consignação e o início dos trabalhos, cujo prazo de execução são 730 dias. Com o propósito de prestar todas as informações referentes ao projeto e dissipar eventuais dúvidas das populações locais, realizaram-se, no dia 23 de março, sessões de esclarecimento nas duas freguesias.

Entendido como estruturante para o futuro do setor agrícola/vinícola no concelho de Monção, este projeto de ordenamento fundiário, que envolve terrenos nas freguesias de Moreira e Barroças e Taias, abrange 529 hectares, dos quais 127 de reconversão de vinha, 616 proprietários e 892 lotes.

Considerando a sua dimensão, o emparcelamento agrícola nas duas freguesias do Vale do Gadanha, com lotes destinados maioritariamente à produção de vinho Alvarinho, resultará num acréscimo produtivo daquela casta nobre e singular, potenciando novos investimentos no setor e chamando novas gerações para a viticultura.

monçempagr (1).JPG

monçempagr (2).JPG

MUNICIPIO DE MONÇÃO INVESTE 4.2 ME NA EMPREITADA DO EMPARCELAMENTO AGRÍCOLA DE MOREIRA E BARROÇAS E TAIAS

O Executivo Municipal de Monção aprovou, por unanimidade, em reunião descentralizada realizada, ontem à noite, na freguesia de Badim, a execução do Emparcelamento Agrícola de Moreira e Barroças e Taias, empreendimento fundiário com 529 hectares localizado naquelas duas freguesias do Vale do Gadanha.

valorizar o mundo rural m.JPG

Os trabalhos de execução foram entregues à empresa “Restradas – Revitalização de Estradas do Norte, Lda”, pelo montante de 4.196.954,84 €, IVA incluído. Ao concurso público, aprovado no dia 21 de fevereiro, na sessão camarária realizada em Moreira, concorreram 10 empresas, apresentando a respetiva candidatura na plataforma de contratação pública (Vortal).

Cumpridas as restantes formalidades, entre as quais, assinatura de contrato de empreitada, visto do Tribunal de Contas e ato de consignação, o emparcelamento está em condições de avançar no terreno. Refira-se que, no dia 23 de março, realizaram-se sessões de esclarecimento nas duas freguesias para prestar todas as informações referentes ao projeto e dissipar eventuais dúvidas das populações locais.

Entendido como estruturante para o futuro do setor agrícola/vinícola no concelho de Monção, este projeto de ordenamento fundiário, que envolve terrenos nas freguesias de Moreira e Barroças e Taias, abrange 529 hectares, dos quais 127 de reconversão de vinha, 616 proprietários e 892 lotes.

Considerando a sua dimensão, o emparcelamento agrícola nas duas freguesias do Vale do Gadanha, com lotes destinados maioritariamente à produção de vinho Alvarinho, resultará num acréscimo produtivo daquela casta nobre e singular, potenciando novos investimentos no setor e chamando novas gerações para a viticultura. 

CABECEIRAS DE BASTO RECEBE VISITA DA COMISSÃO DE AGRICULTURA E MAR

Comissão de Agricultura e Mar visitou Cabeceiras de Basto

A Comissão de Agricultura e Mar, presidida pelo Eng.º Joaquim Barreto, deputado do PS na Assembleia da República, visitou no passado sábado, dia 30 de março, uma exploração pecuária de bovinos da raça autóctone barrosã em Vila Boa, freguesia de Bucos, tendo visitado igualmente as instalações da Mútua de Basto/Norte, na vila de Cabeceiras de Basto, sendo recebida, no final da manhã, no Salão Nobre dos Paços do Concelho pelos vereadores, Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa.

Comissão de Agricultura e Mar visitou Cabeceiras de Basto.jpg

O presidente da Comissão de Agricultura e Mar, em declarações aos órgãos de comunicação social locais, destacou a importância dos deputados visitarem os locais onde estas explorações existem, identificando-se com os problemas que os produtores sentem no seu dia-a-dia. Joaquim Barreto realçou, igualmente, “a grande coragem” daqueles que ainda resistem e mantêm estas atividades no mundo rural.

O propósito desta visita foi especialmente o contacto com várias raças autóctones, pelo que os deputados, pertencentes a vários quadrantes políticos, estiveram, na manhã deste sábado, em Arcos de Valdevez a visitar uma exploração de bovinos da raça cachena e terminaram o dia em Mondim de Basto em visita a uma exploração da raça maronesa.

VILA VERDE: PCP DEFENDE REGADIO TRADICIONAL

Deputada do PCP visitou regadio de Cabanelas e reuniu com Presidente da Junta de Agricultores do Regadio 

A deputada do PCP eleita pelo círculo de Braga, Carla Cruz, e o eleito na Assembleia Municipal de Vila Verde, Sérgio Sales, acompanhados por uma delegação da Concelhia de Vila Verde do PCP, visitaram o regadio e a estação elevatória em Cabanelas, após conversa com o Presidente da Junta de Agricultores do Regadio, onde tomaram conhecimento do arranque das obras de requalificação.

visita_regadio_cabanelas.jpg

Uma obra que é essencial e imprescindível para os agricultores do concelho e para a região, que peca por tardia.

O PCP reafirma que é relevante que as obras avancem de forma célere, que haja cumprimento de prazos e dos montantes e que se evitem contendas e derrapagens na execução da mesma. Qualquer atraso pode representar um sério revês nas legítimas expectativas dos agricultores.

A requalificação é há muito uma necessidade defendida e reclamada pelos agricultores locais, reivindicação que contou desde sempre com o apoio incondicional do PCP.

O PCP acompanhará de perto a obra e reitera que ela tem que ser uma realidade.

O Gabinete de Imprensa da DORB do PCP

PONTE DE LIMA PROMOVE EMPREENDEDORIMO E DESENVOLVIMENTO RURAL

Prémio Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural-2018

Destinado a entidades públicas ou privadas com sede social ou com desenvolvimento no concelho de Ponte de Lima, o “Prémio Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural”, distinguiu na sua edição de 2018, as empresas “Etnoglamour – Natureza Gourmet”, “Brutos no Lima”, e “Dog Institute – Ponte de Lima”.

Empreendedorismo_IMG_8759.JPG

O projeto que lança o desafio ao meio empresarial e a todos aqueles que se sintam capazes de apresentar um projeto estruturante e que garanta a sustentabilidade ambiental, económica e social do concelho, foi lançado em 2011 pelo Município de Ponte de Lima.

Incentivando à emergência de novas ideias de negócio, de projetos de investimento, e de atitudes empreendedoras, o projeto reconhece um conjunto de três iniciativas com prémios monetários.

Aos promotores do projeto vencedor é concedido um valor monetário de 1.500€, e a oferta de um espaço a título gratuito durante um ano em eventos deste setor promovidos pelo Município de Ponte de Lima. Por sua vez, o 2º prémio com um valor de 800€, tem também direito a um espaço a título gratuito durante um ano, sendo a 3ª posição premiada com um valor monetário de 500€.  A todos os concorrentes é atribuído um Certificado de Participação.

Analisados os projetos, o Júri atribuiu, de acordo com o Regulamento, o título de projeto vencedor à iniciativa “Etnoglamour – Natureza Gourmet”. A empresa foca-se na produção em modo biológico de cogumelos Shitake, e na transformação de cogumelos em derivados. A título de exemplo destaquem-se os cogumelos em conserva, as alheiras de cogumelo, a marmelada e as compotas, entre muitos outros.

A 2ª classificação foi atribuída ao projeto “Brutos no Lima”, cujo mote é a produção de chocolates, doces, compotas e marmelada, de forma artesanal, com inspiração na Lenda do Rio Lima.

Já “Dog Institute – Ponte de Lima” conquistou o 3º lugar do Prémio, com o seu serviço para animais de estimação, direcionado ao treino de cães com vista ao seu bem-estar e à sua socialização em espaços públicos.

O Município de Ponte de Lima procura desta forma continuar a apoiar projetos inovadores, e geradores de emprego, que contribuam para a concretização do reforço da identidade e imagem do Concelho bem como para a valorização de produtos/recursos genuinamente locais ou regionais.

PONTE DE LIMA MOSTRA A SUA RIQUEZA AGROALIMENTAR

IV Feira 100% Agrolimiano - 9 e 10 de Fevereiro. Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima

O Município de Ponte de Lima inaugura amanhã, às 10h30, a IV Feira 100% Agrolimiano, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima.

Capturaragr1 (1).PNG

O objetivo deste evento é mostrar, divulgar e promover o que de melhor se produz no setor agroalimentar em Ponte de Lima, sendo esta uma das áreas que mais se tem desenvolvido nos últimos anos, devido a uma maior valorização por parte dos empresários nos recursos endógenos, criando assim novos postos de trabalho e surgindo novos negócios, com produtos inovadores e de excelente qualidade.

Durante estes dois dias serão apresentados e expostos vários produtos produzidos ou transformados no concelho, como mel, sidra, vinho verde, enchidos e fumados, fruta, hortícolas, cogumelos, carne, leite, entre outros produtos limianos, mas também animais criados no concelho limiano.

Com um programa abrangente, dirigido não só a profissionais, mas também ao público em geral, a III Feira 100% Agrolimiano pretende atrair profissionais, distribuidores, empresários e consumidores para a excelência do mundo rural de Ponte de Lima.

Confira os momentos da Feira 100% Agrolimiano

9 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

Grupo de Bombos e Gaitas de Foles de S. Tiago Maior de Poiares

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Visita Oficial à IV Feira 100% Agrolimiano

            Entrega de Prémios de Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural 2018

12h00 Workshop “A Poda e Enxertia nas Macieiras”, Professor Raúl Rodrigues (ESAPL          

14h00 II Agrojogos Limianos

14h30  Doce Inovação de Ponte de Lima (Concurso de doces limianos)

15h00 Associação de Tocadores de Concertina de Ponte de Lima (Animação musical)

17h00 Sensações de Chocolate “Brutus no Lima”, por Sandra e Susana Veiga (Workshop infantil)

18h00 Showcooking “Chanfana de Bovino”, EPAPL

18h00 Grupo de Música Popular da Feitosa Animação musical

19h00 Entrega de Prémios dos II Agrojogos Limianos

19h00 Demonstrações Equestres

21h00 Augusto Canário (Espetáculo musical)

23h00 Encerramento

10 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Grupo de Música Sol Dourado (Animação musical)

11h30 Workshop “Licores com Ervas Aromáticas”, EPAPL

12h30 Mandinho e Amigos (Animação musical)

14h30 Demonstrações Equestres

16h00 Apresentação Final do Curso de Manejadores Preparadores

17h00 Prova de Vinhos de Ponte de Lima

17h30 Entrega de Prémios do Curso de Manejadores Preparadores

18h00 Showcooking “Doces com Texturas Limianas”, EPAPL

20h00 Encerramento

 

OUTRAS ATIVIDADES:

Exposição de Animais

Curso de Manejador Preparador

ESPOSENDE APOIA SECTOR AGRÍCOLA

Município de Esposende já concedeu incentivos ao investimento a 26 empresários do setor agrícola

O Município de Esposende procedeu, no dia 6 de fevereiro, à assinatura de contratos de investimento com vinte empresários agrícolas do concelho. Em causa está a isenção de taxas concedida ao abrigo do Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento, bem como o apoio à legalização de unidades produtivas possibilitando o acesso a fundos comunitários.

_DSC2299.jpg

Desde que está em vigor, este regulamento já permitiu apoiar 26 empresários do setor agrícola, sendo que o montante dos benefícios se eleva a 57.826 euros. Esta política de apoio é justificada com a relevância que o setor agrícola assume no contexto empresarial do concelho.

Na sessão realizada nos Paços do Concelho, o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, expressou a sua satisfação pela expressiva adesão dos empresários agrícolas a esta medida, possibilitando a viabilidade de negócios que em muito contribuem para a dinâmica empresarial concelhia.

_DSC2342.jpg

Apesar da isenção de taxas e da concessão de benefícios fiscais se traduzirem numa perda de receita para o Município, para Benjamim Pereira há um benefício maior a considerar, que é a manutenção no concelho das empresas e dos postos de trabalho associados a tão importante setor.

Sobre o Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento, o Presidente Benjamim Pereira lembra que proporciona um conjunto alargado de benefícios, entre os quais reduções e isenções de taxas e concessão de benefícios fiscais, para quem se instale e crie postos de trabalho no concelho, bem como para os agentes que pretendam ampliar os seus negócios ou criar novos projetos.

Estas medidas vão ao encontro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, concretamente o ODS 8 – Trabalho digno e crescimento económico, ODS 9 – Indústria, Inovação e Infraestruturas e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos.

_DSC2344.jpg

PONTE DE LIMA MOSTRA A SUA RIQUEZA AGROALIMENTAR

IV Feira 100% Agrolimiano - 9 e 10 de Fevereiro. Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima

O Município de Ponte de Lima inaugura no dia 9 de fevereiro, às 10h30, a IV Feira 100% Agrolimiano, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima.

Capturaragr1 (1).PNG

O objetivo deste evento é mostrar, divulgar e promover o que de melhor se produz no setor agroalimentar em Ponte de Lima, sendo esta uma das áreas que mais se tem desenvolvido nos últimos anos, devido a uma maior valorização por parte dos empresários nos recursos endógenos, criando assim novos postos de trabalho e surgindo novos negócios, com produtos inovadores e de excelente qualidade.

Durante estes dois dias serão apresentados e expostos vários produtos produzidos ou transformados no concelho, como mel, sidra, vinho verde, enchidos e fumados, fruta, hortícolas, cogumelos, carne, leite, entre outros produtos limianos, mas também animais criados no concelho limiano.

Com um programa abrangente, dirigido não só a profissionais, mas também ao público em geral, a III Feira 100% Agrolimiano pretende atrair profissionais, distribuidores, empresários e consumidores para a excelência do mundo rural de Ponte de Lima.

Confira os momentos da Feira 100% Agrolimiano

9 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

Grupo de Bombos e Gaitas de Foles de S. Tiago Maior de Poiares

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Visita Oficial à IV Feira 100% Agrolimiano

            Entrega de Prémios de Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural 2018

12h00 Workshop “A Poda e Enxertia nas Macieiras”, Professor Raúl Rodrigues (ESAPL          

14h00 II Agrojogos Limianos

14h30  Doce Inovação de Ponte de Lima (Concurso de doces limianos)

15h00 Associação de Tocadores de Concertina de Ponte de Lima (Animação musical)

17h00 Sensações de Chocolate “Brutus no Lima”, por Sandra e Susana Veiga (Workshop infantil)

18h00 Showcooking “Chanfana de Bovino”, EPAPL

18h00 Grupo de Música Popular da Feitosa Animação musical

19h00 Entrega de Prémios dos II Agrojogos Limianos

19h00 Demonstrações Equestres

21h00 Augusto Canário (Espetáculo musical)

23h00 Encerramento

10 DE FEVEREIRO

10h00 Abertura

10h00 Demonstrações Equestres

10h30 Grupo de Música Sol Dourado (Animação musical)

11h30 Workshop “Licores com Ervas Aromáticas”, EPAPL

12h30 Mandinho e Amigos (Animação musical)

14h30 Demonstrações Equestres

16h00 Apresentação Final do Curso de Manejadores Preparadores

17h00 Prova de Vinhos de Ponte de Lima

17h30 Entrega de Prémios do Curso de Manejadores Preparadores

18h00 Showcooking “Doces com Texturas Limianas”, EPAPL

20h00 Encerramento

OUTRAS ATIVIDADES:

Exposição de Animais

Curso de Manejador Preparador

Capturaragr2.PNG

Capturaragr3.PNG

Capturaragr4.PNG

CELORICO DE BASTO RECUPERA REGADIO TRADICIONAL

Regadios de Celorico de Basto reabilitados a curto prazo

O Regadio de Bouças, o Regadio de Carrazedo e o Regadio de Britelo vão ser reabilitados. O Município de Celorico de Basto submeteu e viu aprovados os projetos candidatos ao Programa de Desenvolvimento rural, PDR 2020, para beneficiação e reabilitação dos respetivos regadios.

_DSC7137

Três projetos distintos todos com o mesmo objeto. Observadas as patologias que se prendem sobretudo com a degradação dos canais, que levam a perdas significativas de água, a falta de sistemas eficientes de comportas e falta de limpeza dos canais que dificultam o normal escoamento das águas pretende-se com estes projetos proceder à limpeza dos regadios e à melhoria das condições de escoamento, nomeadamente a reparação dos canais existentes e em alguns casos a realização de novos. A colocação de comportas para uma melhor gestão da água, e a desmatação e limpeza do traçado de cada regadio, na largura de 2mts para cada lado, de forma a permitir a boa execução dos trabalhos no leito.

“A agricultura é cada vez mais um setor de sustentabilidade para muitas famílias, um setor cada vez mais competitivo e atrativo mas ainda, francamente desaproveitado, pela falta de apoios e incentivos. Com a reabilitação destes regadios prevê-se um aumento significativo dos caudais disponíveis para rega mas também uma melhoria significativa das condições de exploração das terras” disse Joaquim Mota e Silva, presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto.

O Regadio de Carrazedo situa-se na união de freguesias de Britelo Gémeos e Ourilhe, apresenta uma extensão de 1263m em dois ramais e cotas distintas, rega uma área de cerca de 20,02 hectares pertencentes a 11 proprietários e explorada por 12 agricultores e a sua reabilitação terá um custo de 49.999,95€, cofinanciado pelo Fundo Europeu Agrícola do Desenvolvimento Rural, FEADER.

O Regadio de Britelo situa-se também na união de freguesias de Britelo, Gémeos e Ourilhe, com uma extensão de 2696m, rega uma área de cerca de 31,36 hectares, pertence a 28 proprietários e é explorada por 15 agricultores. A reabilitação deste regadio custará 114.999,94€ cofinanciado pelo FEADER.

O Regadio de Bouças fica situado na união de freguesias de Canedo de Basto e Corgo, apresenta uma extensão total de 652m, rega uma área de cerca de 15 hectares pertencentes a 9 proprietários e explorada por 10 agricultores. A reabilitação deste regadio foi orçamentada em 37.500,00€ cofinanciado pelo FEADER.

NOVA AGRICULTURA MOTIVA FÓRUM BIO CAPITAL QUE SE REALIZA EM FAMALICÃO

Conferência realiza-se no dia 23 de outubro com a presença do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural

Capacitar parceiros e fomentar o aparecimento de novos negócios no setor agrícola e agroalimentar, refletindo sobre as políticas públicas e os desafios colocados à produção biológica e analisando dinâmicas e tendências de consumo e comercialização de produtos.

AFS_2143

São estes os grandes objetivos do II Fórum Bio Capital que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão promove no próximo dia  23 de outubro, a partir das 9h00, no auditório da Fagricoop – Cooperativa Agrícola dos Produtores de Leite de Vila Nova de Famalicão, com a presença do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas.

Políticas públicas do modo de produção biológica,  os novos desafios à produção em Agricultura biológica e o debate sobre mercados e comercialização de produtos biológicos são os temas de cada um dos três painéis que constituem a conferência, que traz a Vila Nova de Famalicão um conjunto de especialistas sobre a matéria e um conjunto de personalidades que trabalham com reconhecidas boas práticas nacionais no setor para darem testemunho das suas experiências.

A iniciativa está inserida no Festival Famalicão Visão’ 25. Programa completo e inscriçõeshttp://www.vilanovadefamalicao.org/_forum_bio_capital.

AFS_2146