Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PÓVOA DE LANHOSO DEBATE ESTÍMULO AO EMPREGO JOVEM

“Queremos orientar uma estratégia que vise, essencialmente, despertar novos empreendedores, criando uma resposta que incentive o surgimento de novos negócios. Essencialmente que ajude os jovens e os desempregados a valorizar as suas ideias, aproveitando o enorme potencial humano que existe na Póvoa de Lanhoso”. As palavras são do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, na sessão de abertura do Seminário "Comunidade Empreendedora: a Sociedade Civil no estímulo ao Emprego Jovem", esta quinta-feira, dia 27 de novembro, no Theatro Club da Póvoa de Lanhoso.

Abertura do Seminario Social Angels 1

Trata-se da primeira iniciativa pública do projeto “Social Angels – Comunidade Empreendedora”, que tem a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso como principal entidade parceira e a Sol do Ave como entidade promotora com o cofinanciamento da Fundação Calouste Gulbenkian. Este Seminário visou debater de que forma se pode estimular o empreendedorismo e o emprego jovem no concelho e qual o papel da sociedade civil nesse desafio. “A Sol do Ave tem sido um parceiro ativo na concretização de projetos que se revelaram uma mais valia para o desenvolvimento deste concelho, especialmente na área social. Espero que os objetivos definidos para este novo projeto de apoio ao empreendedorismo, sejam também um contributo importante para a dinamização económica da Póvoa de Lanhoso”, referiu, por um lado, Manuel Baptista, e, por outro lado, deixou uma palavra de reconhecimento à Fundação Gulbenkian por ter acreditado nesta candidatura. “Estou certo que o financiamento atribuído será plenamente justificado”, afirmou.

O autarca Povoense destacou ainda o papel da Autarquia na promoção da economia local, através da criação do Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento Económico, com a missão de trabalhar diariamente esta área. “Somando aos incentivos fiscais para a fixação de empresas ou às muitas iniciativas de apoio ao comércio local realizadas pela Autarquia era necessário valorizar as capacidades dos mais novos e daqueles que, tendo potencial para fazer o seu caminho empresarial, não tinham ferramentas que os orientassem”, referiu, assegurando: “Hoje a autarquia está melhor preparada para este desafio e estamos a alargar as respostas de forma a centralizar numa incubadora de empresas a alavanca deste e de outros projetos. Esta ambição representa um contributo para que este concelho seja mais competitivo e menos dependente das indústrias tradicionais”.

Na plateia, estavam essencialmente jovens estudantes do concelho, bem como técnicos, investigadores e dirigentes de diversas entidades com abrangência regional. Mas é nos mais jovens que este projeto coloca a tónica. “Vejam neste projeto uma oportunidade para aproveitarem as vossas ideias e, mesmo que não seja possível passar à prática todas as vontades, ganhem o gosto por lutarem pelo vosso emprego em vez de aguardarem que ele surja do nada”, continuou Manuel Baptista, depositando um voto de confiança na juventude. “Eu acredito muito nos jovens Povoenses. Tivemos recentemente bons exemplos de jovens empreendedores que participaram no projeto INAVE e isso dá-nos uma esperança muito grande no futuro. Por isso, apostamos na formação. Investimos muito na requalificação das escolas e nas bolsas de estudo para que nada falte aos jovens nesta fase importante da sua vida”.

Manuel Baptista agradeceu a disponibilidade da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso, cujos estudantes irão participar nas ações do projeto, e dos empresários que aceitaram apoiá-lo. “Só com o envolvimento de todos os agentes do território é que podemos alcançar os objetivos que definimos”. De referir que o Social Angels, que se prolonga até março de 2016, pretende iniciar o trabalho junto de uma base de 50 jovens, mas o objetivo é aumentar esse número. Pretende-se ainda que existam oito projetos de empreendedorismo, no final, três dos quais estruturantes, ou seja, que além de criarem autoemprego possam gerar outros postos de trabalho.

Mafalda Cabral, administradora da Sol do Ave, também esteve presente. “Os projetos que daqui possam resultar e que os respetivos empreendedores que possam estar qualificados para criar outras empresas poderão vir a ter a seu tempo o apoio financeiro por via dos fundos que a Sol do Ave irá gerir ”, salientou aquela responsável, de entre outras considerações, acrescentando: “Pensamos que ainda este ano é possível abrir novos concursos para começarmos a apoiar os primeiros projetos”. José Eleutério, da Fundação Calouste Gulbenkian também interveio, dando a conhecer o programa cidadania ativa enquanto instrumento financeiro de apoio à empregabilidade jovem, por intermédio do lançamento de mais uma edição do concurso deste programa, no decorrer deste ano, o qual, no mesmo domínio de atuação projeto do Social Angels, está já a apoiar cerca de 21 projetos no total superior a 2 milhões de euros.

Os trabalhos prosseguiram com as intervenções do Vice-Reitor da Universidade do Minho, José Mendes, e do Coordenador do Laboratório Social, Luís Miguel, num 1.º painel moderado pela Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Gabriela Fonseca. Para iniciar o 2.º painel, um grupo de jovens da Escola Secundária, utilizando o teatro enquanto ferramenta, apresentou uma pequena reflexão sobre o emprego e o futuro profissional. Moderado pelo empresário Moisés Campos, da Plako, foi apresentado, no 2.º painel, o projeto Querença (via skype) e o projeto Social Angels – Comunidade Empreendedora. Da parte da tarde, foram debatidas as oportunidades do território com jovens, empreendedores e diversas entidades regionais, num painel moderado por António Baptista.