Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

NOVA PRAÇA DO CENTRO HISTÓRICO DE GUIMARÃES RECEBE CONCERTO DE ESTREIA

ESTE SÁBADO, 02 DE JULHO, 22 HORAS

Largo de Donães é palco do primeiro espetáculo de grupo vimaranense. Concerto realiza-se este sábado à noite. Entrada livre.

Guimaraes_Largo_Donaes.JPG

O “TetrAcord’Ensemble”, grupo de música criado por cinco jovens vimaranenses, vai estrear o Largo de Donães, no Centro Histórico de Guimarães, como recinto para a realização de espetáculos, este sábado, 02 de julho, a partir das 22 horas. O concerto, promovido pela Câmara Municipal, no âmbito da sua programação cultural, é o primeiro da carreira do grupo constituído por Sandra Azevedo (soprano), Marisa Oliveira (contralto), Leonel Gomes (tenor), Guilherme Moreira (baixo) e Simão Neto (piano).

Fundado a 12 de março de 2016, o “TetrAcord’Ensemble” conta já com várias apresentações em público, podendo destacar-se a participação na sessão solene evocativa do “Dia da Liberdade”, nas comemorações do 25 de Abril, na cerimónia de abertura da 50ª edição do Rally de Portugal, além da participação no “Mês Cultural Raul Brandão”. Com um vasto repertório que abrange variados estilos, característica que define o grupo, o concerto deste sábado pretende proporcionar ao público uma viagem pelo mundo da música.

O Largo de Donães foi inaugurado há precisamente uma semana, no âmbito das comemorações do 888º aniversário da Batalha de São Mamede, depois de uma intervenção efetuada pela Câmara Municipal, que devolveu à fruição pública um quarteirão situado entre a Rua da Rainha e a Rua Egas Moniz. Com a demolição do edifício ali existente, Guimarães consolidou o processo de regeneração do seu Centro Histórico classificado com o título da UNESCO e ganhou uma nova praça, recuperando a centralidade que teve no século XIV, ponto de encontro de figuras eclesiásticas e outras classes de prestígio no tecido negocial urbano do então burgo.