Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO VIVE NOITE DE EMOÇÕES NO CINE TEATRO JOÃO VERDE

01 (11).JPG

Espetáculo multidisciplinar, com direção artística de Sandra Barros e participação comunitária, contou-nos a história de 75 anos daquele equipamento emblemático para os monçanenses.

O Cine Teatro João Verde (CTJV), recebeu, no passado sábado, 15 de junho, o espetáculo comemorativo dos seus 75 anos. Numa noite marcada por grandes emoções, contou-se a história deste equipamento cultural, através de um espetáculo surpreendente com a direção artística de Sandra Barros e a participação de mais de 80 pessoas da comunidade local.

Um grupo de 6 jovens monçanenses, entre os 16 e os 18 anos de idade, Afonso Campos, David Oliveira, David Sousa, Camila Campos, Clara Santos e Maria Paiva, foi o motor deste projeto de meta-teatro. À medida que avançava, entravam em cena outros intervenientes.

A partir da ficcionada Rádio MON, desenvolveu-se uma narrativa que, temporalmente, percorreu a vasta história do nosso “cinema”, tomando como espaço as próprias instalações do CTJV. Houve apelos à memória coletiva e sensações agradáveis, traduzidas em palmas, que revelaram, a cada passo, a empatia do público com os participantes.

Ao fundo do palco, em permanência durante todo o espetáculo, esteve um grupo de adultos da Oficina de Artes Visuais da PAC, a pintar ao vivo uma tela gigante que servia de cenografia da peça. Pelo ecrã, passou uma “curta metragem” gravada com as camadas infantojuvenis da PAC.

A poesia de João Verde marcou presença na voz de Fernanda Salgado, da Universidade Sénior de Monção, cabendo à Associação Lá-Mi-Ré, a interpretação de “You're The One That Want”, tema imortalizado pela dupla Olivia Newton John e John Travolta no filme “Grease”.

 A performance de um grupo de utentes da APPACDM de Monção, trouxe ao palco do CTJV valores como a inclusão, a ternura, o afeto e a sensibilidade, mostrando que “somos iguais no direito à cultura… e nunca são demais as ações que sensibilizam para a diferença”.

Neste périplo pela vasta história do CTJV, parou-se em 1984, para celebrar os 10 anos da “Revolução de Abril”, momento assinalado com a interpretação do tema “Somos livres”, de Ermelinda Duarte, pelas vozes do Coro Infantil da Academia de Música da Banda Musical de Monção, que surpreendeu o público com uma atuação magnifica, a partir da própria plateia.

O momento do encerramento do CTJV, em 1986, assinalou-se com a performance da famosa atriz francesa Élise Poulin, interpretada por Chantal Hauffin, da Universidade Sénior de Monção.

Mas, ainda estavam reservadas mais surpresas nesta noite memorável, quando surgiram os elementos do antigo Rancho ROCONORTE, a entoar os conhecidos temas “Ó do Roconorte” e “O Castelo de Lapela”, seguindo-se a atuação do grupo Cova do Cão, constituído pelos seis atores de serviço.

O espetáculo terminou num ambiente intimista, à meia luz, com a colocação simbólica de 75 velas acesas no palco do CTJV, numa noite feita de sonhos, memórias e emoções fortes, onde o semblante de cada participante, de cada espetador, evidenciava o contentamento de todos/as.

De referir que as comemorações dos 75 anos do CTJV, contaram com o concerto da Orquestra Sinfonietta de Braga, no dia 11 de junho, com a exibição do Documentário dos 75 anos do CTJV, no dia 12, e com este espetáculo no dia 15, seguindo-se mais dois momentos: no dia 26, o concerto da Orquestra de Jazz ARTEAM, de Viana do Castelo, e no dia 27,  a exibição de curtas metragens do Festival de Cans.

02 (13).JPG

03 (10).JPG

04 (10).JPG

05 (7).JPG

09 (5).JPG