Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINHO COMEMORA DIA NACIONAL DOS MOINHOS

MOINHOS ABERTOS - 201507 de Abril (Terça Feira) – Dia Nacional dos Moinhos11 (Sábado) e 12 de Abril (Domingo) – Dia dos Moinhos Abertos

Consulte o programa completo em www.moinhosdeportugal.org

É já a seguir à Páscoa: 327 moinhos de portas abertas em todo o País!

Após o sucesso de 2014 voltamos a assinalar o Dia Nacional dos Moinhos e a organizar, em todos o país, a iniciativa Moinhos Abertos de Portugal nos dias 7, 11 e 12 de Abril (terça, sábado e domingo) de forma a permitir a participação de todos.

2015 é um ANO RECORD!

Esta iniciativa realiza-se já pelo oitavo ano consecutivo e a adesão continua a aumentar.

Este ano participam nos Moinhos Abertos 327 moinhos (mais 47% que em 2014) moinhos em 141 núcleos moageiros de 17 Distritos em 64 Municípios do Continente e Região Autónoma dos Açores.

7 de Abril 2015 - kickoff (pré-inscrições e candidaturas de projectos de reabilitação de moinhos workshop “Já – Viveiro de Projectos”)

Maio a Setembro (desenvolvimento conjunto dos projectos a apresentar no encontro)

7 e 8 de Novembro- Realização Painel Molinologia e Workshop “Já – Viveiro de Projectos”

Após uma década de interregno sobre a realização do II Encontro Nacional e do Simpósio Mundial de Molinologia, a Etnoideia organiza o III Encontro Nacional de Molinologia dada a pertinência e urgência do tema na conjuntura actual.

A Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha é co-organizadora, perspectivando-se um programa de bom nível dado o rico património molinológico local e o dinamismo municipal na sua preservação e valorização. Porquê o Encontro?

Portugal precisa como nunca de desenvolver o seu interior e de qualificar as suas cidades. Os nossos moinhos são importantes activos para o desenvolvimento sustentável, qualificação dos territórios, empreendedorismo ao nível das indústrias criativas e do turismo, por exemplo. Mas também para a construção da designada economia verde e para a qualificação ambiental das regiões e requalificação urbana, não esquecendoas importantes funções educativa, de lazer e de interacção e coesão social. No entanto, o seu declínio acentuado pela crise e pelo envelhecimento dos detentores dos saberes tradicionais coloca em risco este importante património.

O que buscamos?

Por isso, mais do que nunca, é oportuno convocar a cidadania dos portugueses e as suas instituições autárquicas, associativas e económicas para a sua recuperação e valorização numa perspectiva de criação de riqueza e geração de oportunidades, tendo os jovens como prioridade e a estratégia Portugal 2020, em que os moinhos se integram claramente, como oportunidade de financiamento e activação de processos de desenvolvimento comunitário de base local integrando os moinhos tradicionais portugueses nas novas soluções para os territórios.

Como faremos para conseguir acção Já?

Deste modo, o III Encontro Nacional de Molinologia desenvolve-se em duas vertentes. Por um lado, na recolha, aprofundamento e partilha do Saber e do Saber Fazer tradicionais ao nível da Etnotecnologia e da Molinologia Portuguesa. Por outro, na reflecção-acção conjunta através do desenvolvimento de projectos viáveis de reabilitação e valorização de moinhos tendo em vista a intervenção imediata e urgente. Esta segunda vertente desenvolve-se´no âmbito do Workshop “Já – Viveiro de Projectos”, através de uma metodologia inovadora em duas fases.

A primeira tem início no Dia Nacional dos Moinhos e pretende-se que os promotores das iniciativas dos Moinhos Abertos e os seus visitantes discutam este tema, debatam perspectivas e tenham ideias que serão propostas pelos mesmos à organização do Encontro.

Depois de seleccionadas as ideias de projecto irão ser trabalhadas (Maio a Setembro) pela Etnoideia em conjunto com os promotores tendo em vista o seu desenvolvimento ao ponto de poderem ser apresentadas pelos promotores no workshop para buscas de projectos e financiamentos onde serão convidados a participar os GAL- Grupos de Acção local / ADL – Associações de Desenvolvimento Local, CCDRs e Municípios respectivos, bem como empresários e potenciais investidores.

O que é o “Dia dos Moinhos Abertos”?

O conceito desta actividade é extremamente simples:

Fazer funcionar em simultâneo e abrir ao público para acesso livre tantos moinhos quantos for possível em todo o país!

Moinhos Abertos é uma iniciativa de alcance nacional e ampla divulgação com o objectivo de chamar a atenção dos Portugueses para o inestimável valor patrimonial dos nossos moinhos tradicionais, por forma a motivar e coordenar vontades e esforços de proprietários, organizações associativas, autarquias locais, museus, investigadores, molinólogos, entusiastas e amigos dos moinhos.

Esta iniciativa promovida pela Etnoideia tem o apoio da TIMS, Sociedade Internacional de Molinologia, cujos membros não pertencentes à Rede Portuguesa são convidados a aderir e colaborar. A TIMS colabora ainda ao nível da divulgação internacional do evento por todo o mundo.

Os Moinho contam com a participação activa de inúmeros proprietários de moinhos, moleiros, entusiastas, investigadores, empresários, autarquias, museus… em todo o território nacional!

Este dia, além de chamar a atenção para os moinhos tradicionais portugueses serve também para identificar problemas e oportunidades, germinar projectos e ideias, ou mesmo para levar a cabo pequenas beneficiações (limpezas, pinturas, consertos de coberturas, etc) com a participação de activistas e visitantes que o pretendam, preservando os moinhos e criando dinâmicas em torno deles.

Mas este dia constitui também uma oportunidade única para aumentar o número de pessoas e instituições que constituem a Rede Portuguesa de Moinhos reforçando a sua implantação e representatividade nacional e, consequentemente, a sua capacidade de acção a favor dos moinhos tradicionais portugueses.