Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GESTÃO FINANCEIRA EQUILIBRADA DIMINUI PASSIVO EM CERCA DE 1 MILHÃO DE EUROS E ASSEGURA POUPANÇA CORRENTE DE 2.8 MILHÕES DE EUROS

Numa década, o executivo municipal desceu a dívida de médio e longo prazo em 8.1 milhões de euros, não tendo, no atual mandato, solicitado novos empréstimos deste tipo de endividamento. Com a divida de curto prazo consolidada, também não houve necessidade de recorrer a qualquer empréstimo no presente exercício. Poupança corrente, que resulta do diferencial entre a receita cobrada e a despesa faturada, será canalizada para investimento.

Danaide 01.JPG

Gestão financeira rigorosa e equilibrada distinguida no Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2015, colocando o nosso concelho como um dos melhores no equilíbrio financeiro: 2º lugar na região do Minho, 9º lugar nos municípios portugueses de pequena dimensão (até 20 mil habitantes) e 26º lugar entre todos os municípios portugueses.

Sem descurar o bem-estar e conforto da população e o desenvolvimento estrutural em diferentes setores, o executivo monçanense, presidido pelo socialista Augusto de Oliveira Domingues, tem como prioridade a consolidação dos principais indicadores económicos e financeiros do município de Monção.

O plano de atividades e orçamento municipal para 2017, aprovadono executivo municipal no dia 30 de novembro e objeto de análise e votação na Assembleia Municipal do dia 16 de dezembro, é revelador desta linha estratégica de intervenção, apresentando resultados excelentes tanto na diminuição do passivo como na poupança corrente,

Com o endividamento de curto prazo perfeitamente consolidado, ao ponto de no presente exercício não ter sido necessário recorrer a qualquer empréstimo, assinala-se a diminuição do endividamento de médio e longo prazo. Em 30 de setembro, representava um encargo de 6.124.655,20 €. No final do ano, será de 5.924.063,00 €.

Relativamente a 31 de dezembro de 2015, assiste-se a uma variação positiva de 950.883,64 €, correspondendo a menos 13,83 €. Considerando a trajetória dasamortizações médias anuais dos empréstimos atuais, perspetiva-se que no final de 2017 a dívida de médio e longo prazo seja de 5.011.698,00 €.

Resumindo, o endividamento de médio e longo prazo desceu 8.1 milhões de euros no período de uma década (14.064.342,94 € em 2006), não representando um problema intergeracional, uma vez que corresponde, em média, a apenas 5% do orçamento global.

Esta política de equilíbrio e rigor orçamental resulta, a 30 de setembro de 2016, numa poupança corrente de 2.820.513,49 € 0 €, com previsível aumento até ao final do ano, sendo canalizada para investimento. A margem de endividamento é de 11.287.530,48 €, assegurando uma posição confortável face a eventuais candidaturas a programas comunitários.

Refira-se ainda que o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2015, coloca o nosso concelho como um dos melhores no equilíbrio financeiro: 2º lugar na região do Minho, 9º lugar nos municípios portugueses de pequena dimensão (até 20 mil habitantes) e 26º lugar entre todos os municípios portugueses.