Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO AMBICIONA FUTURO “PRÓSPERO” E “CHEIO DE OPORTUNIDADES”

Mário Passos (1).jpg

Medalha de Honra do Município atribuída à Universidade do Minho no 39.º Dia da Cidade

Vila Nova de Famalicão somou ontem mais um ano - o 39.º - de elevação de Vila a Cidade e mais do que a celebração de uma “data histórica”, este é o dia em que se celebra “o progresso e o dinamismo” da comunidade famalicense e se reconhece as “personalidades e instituições que se destacaram” no município.

É o caso da Universidade do Minho (UM), que ao longo dos seus 50 anos de existência contribuiu para a “formação altamente especializada de milhares de famalicenses” e que ontem recebeu a Medalha de Honra do Município. Para o reitor da instituição de ensino, Rui Vieira de Castro, este prémio é sinal do “reconhecimento do papel da universidade enquanto ator fundamental no desenvolvimento económico, social e cultural desta região”.

Atualmente, a UM está focada em consolidar os projetos que desenvolve em Famalicão, mas Rui Vieira de Castro reconhece que a “relação sólida” entre os dois organismos leva a que um dos próximos passos da Universidade do Minho no concelho passe pelo desenvolvimento de formações não conferentes de grau – cursos “mais curtos, de aumento de qualificações e de competências específicas”. 

A homenagem do Município aos Presidentes de Junta eleitos nas primeiras eleições autárquicas do regime democrático e que exerceram funções no mandato de 1977 a 1979 foi outro dos grandes momentos da tarde. Mário Passos falou em “ato de justiça”. “No ano em que se comemoram os 50 anos da conquista da democracia em Portugal, esta é uma homenagem que se impõe. Estes foram os responsáveis por criar as condições necessárias para a resposta à resolução das muitas necessidades básicas das nossas populações e por abrir um novo ciclo de aprendizagem cívica democrática”, disse.

Mário Passos e Rui Vieira de Castro.jpg

Cada passo “é uma alavanca” para o “futuro que procuramos garantir”

Mário Passos aproveitou ainda as comemorações do Dia da Cidade para anunciar a arranque, em 2025, da rede intermunicipal de transporte público rodoviário que está a ser desenvolvida com os municípios da Trofa e Santo Tirso. “O Tribunal de Contas deu luz verde ao projeto MobiAve, o que significa que a partir de janeiro de 2025 teremos em funcionamento a nova rede intermunicipal de transporte público rodoviário”, explicou. Por ano, a autarquia terá 7,5 milhões de euros de investimento municipal para garantir o serviço público de transportes rodoviários de passageiros. Esta nova rede vai implicar a criação de novas linhas e a utilização de “autocarros amigos do ambiente”. 

O presidente da Câmara Municipal adiantou ainda que Famalicão chegou a um acordo “com as Infraestruturas de Portugal para a passagem de 36 quilómetros de estradas nacionais para a esfera municipal”. Estas estradas vão ser sujeitas a uma avaliação e os troços prioritários que necessitem de requalificações vão ser reparados. “As contrapartidas financeiras previstas não são as que reclamávamos, mas o estado das estradas e o superior interesse público municipal, obrigam-nos a não perder mais tempo”, disse.

Enquanto traçava um balanço da atividade autárquica, sobretudo nas áreas da Saúde, Ambiente, Educação e Habitação, Mário Passos anunciou ainda que “após superar contingências de ordem jurídica”, a autarquia “conta agora dar sequência ao concurso para a tão aguardada Pista de Atletismo”.

Mário Passos elencou um conjunto de ações “cruciais para o futuro do nosso concelho”. O edil espera, por isso, que a autarquia e os famalicenses possam construir, em conjunto, um “futuro próspero” para o município, “onde cada cidadão se sinta feliz, valorizado e cheio de oportunidades”.

Famalicão celebrou 39 anos de Cidade.jpg

Outras homenagens que “refletem a qualidade do ADN famalicense”

Na sessão solene do 39.º aniversário da Cidade, a autarquia homenageou ainda, com a Medalha de Mérito Municipal Cultural, o editor das Edições Humus, Rui Fernão de Magalhães, o alfarrabista Rui José Carvalho de Faria Araújo, o intérprete de guitarra portuguesa, autor e compositor Carlos Macedo, o compositor grego radicado em Famalicão Dimitris Andrikopoulos e o Agrupamento n.º 444 de Ruivães, do Corpo Nacional de Escutas.

O Navegador de Ralis e Todo-o-Terreno, Filipe Martins, o atleta da Associação Figueiredo’s Runner’s and Friends, Joaquim Figueiredo e o árbitro João Pinheiro, recentemente eleito Melhor Árbitro da Liga Portuguesa de Futebol na época 2023/2024 receberam a Medalha de Mérito Municipal Desportivo. João Cerejeira, professor e investigador na área da Economia, foi premiado com a Medalha de Mérito Municipal de Ciência.

O estilista famalicense Gonçalo PeixotoAna Patrícia Correia, que em 2023 recebeu o prémio “Chef Pâtissier”, atribuído pela Academia Internacional da Gastronomia, a centenária “Elétrica”, o empresário e consultor Joaquim Rui de Castro Manita e as empresas Xavier’s, Macedo & Macedo e Ribeiro & Antunes, que este ano celebram o seu 50.º aniversário, receberam a Medalha de Mérito Municipal Económico.

A Medalha de Mérito Municipal de Benemerência foi entregue a Carlos de Sousa, da Casa da Memória Viva, à ACIP - Ave Cooperativa Intervenção Psico-Social (25 anos), ao ACB – Associação Cultural Beneficente e Desportiva dos Trabalhadores do Município (25 anos) e ao Centro Social e Paroquial de Avidos (25 anos).

Ex-Autarcas homenageados.jpg