Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CENTRO DE FORMAÇÃO DO CALÇADO LABORA EM CELORICO DE BASTO

Num concelho onde existem bastantes pessoas a trabalhar na indústria do calçado e estando iminente a fixação de outras empresas do mesmo setor nas zonas industriais de Celorico de Basto, fixou-se na zona industrial de Crespos um centro de formação do Calçado que ensina os desempregados a “arte do Calçado”. São 4 meses de formação inicial intensa que dará aos formandos as qualificações necessárias para trabalhar em qualquer fábrica de calçado. Durante este período recebem uma bolsa que os ajuda nas suas despesas diárias.

_DSC3354.jpg

O presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva, visitou, hoje, 29 de novembro, o Centro de formação, para verificar as condições do mesmo e o ensino facultado aos formandos.

“Unimos esforços para dar aos nossos desempregados a formação necessária para que possam ingressar nas fábricas do setor do calçado com a devida qualificação para puderem trabalhar em toda a linha. O nosso trabalho centra-se em criar as melhores condições para os trabalhadores e para a fixação de empresas no concelho” disse o autarca.

Este centro de formação resultou de um protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal de Celorico de Basto, a Qualidade de Basto E.M. S.A, e o Centro de Formação Profissional da Indústria do Calçado no âmbito do Programa Operacional de Investimento Privado – POIP para formar desempregados. O objetivo centra-se em proporcionar a todos os interessados formação para que possam ingressar nas empresas de calçado fixadas em Celorico de Basto.

Fátima Mota, a tirar formação neste centro mostrou-se satisfeita e ansiosa para terminar a formação e começar a trabalhar efetivamente. “Já sei trabalhar em quase toda a linha e estou ansiosa para terminar a formação e começar a trabalhar numa fábrica. Não é difícil mas é preciso estarmos atentos e fazer o trabalho em condições desde o corte para que não falhe nada”.

 

_DSC3372.jpg

_DSC3395.jpg