Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO LAMENTA O FALECIMENTO DE JOAQUIM RORIZ – FOTÓGRAFO DE REFERÊNCIA DA CIDADE

417445356_8012864415401236_1482599046524248465_n.jpg

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, em nome do executivo municipal, lamenta o falecimento de Joaquim Roriz, fotógrafo e empresário de referência e representante da «Fotografia Roriz», Instituição de Mérito da cidade desde 2012. O autarca vai apresentar, na próxima reunião de Câmara, um voto de pesar a endereçar à família.

O fotógrafo Joaquim Roriz começou a trabalhar com 10 anos no estúdio de fotografia do tio-avó, a Fotografia Roriz, o mais antigo da cidade. A casa conta atualmente com 113 anos de história, sempre na mesma família, sendo ainda Loja Memória de Viana do Castelo.

A 20 de janeiro de 2016, Joaquim Roriz doou o espólio ao Município, sendo que a empresa familiar, com mais de um século de história, possuía um arquivo de negativos em vidro e em película, a preto e branco e a cores, de vários formatos com milhares de imagens. Foram, na altura, doadas mais de 10 mil fotografias que retratam usos, costumes, tradições, habitantes e história de Viana do Castelo.

A Fotografia Roriz inaugurou a 10 de outubro de 1911, localizando-se na Rua Gago Coutinho, uma das ruas mais prestigiadas e movimentadas da cidade. A casa fundada por Domingos Sousa Roriz era bastante inovadora à data, uma vez que eram muito poucos os estabelecimentos do mesmo ramo em Viana do Castelo ou mesmo em todo o Minho.

O fundador estaria longe de imaginar que, mais de um século depois, o negócio que lançara num espaço arrendado por 1$50 escudos se tornaria numa referência de Viana do Castelo.

Em meados do século, a Fotografia Roriz era já considerada uma das melhores casas de fotografia, amplamente procurada para serviços como casamentos, batizados ou os tradicionais retratos de família, muito populares na altura, em especial nas famílias com maior poder económico.

Em 1979, Joaquim Roriz foi mesmo distinguido com o prémio Kodak de “Melhor Fotógrafo Noivas do Mês”.