Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO VAI TER DOCE

Ação de Formação lança desafio para a criação do Doce Cabeceirense

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, marcou ontem, dia 8 de maio, presença no início da ação modular Vida Ativa Emprego Qualificado de Pastelaria Conventual, promovida pelo IEFP através do Centro de Emprego, que tem como objetivo capacitar as formandas para que, numa fase posterior, o saber adquirido e a inspiração as possa motivar para a criação de um futuro Doce Cabeceirense.

Ação de Formação lança desafio para a criação do Doce Cabeceirense

Estiveram também presentes na sessão, a diretora do Centro de Emprego do Médio Ave, Dra. Helena Chaves, bem como a Dra. Raquel Sampaio da Academia das Emoções.

Na oportunidade, o presidente da Câmara, depois de explicar a importância desta ação de formação enquadrada no âmbito do programa cultural ‘Mosteiro de Emoções, desafiou as formandas a inscreverem-se no concurso para a criação do Doce Cabeceirense que será lançado no 2º semestre deste ano.

Francisco Alves desejou que as formandas possam aproveitar e usufruir da melhor forma possível dos ensinamentos obtidos que no futuro lhes poderão, também, trazer algumas oportunidades de emprego.

Nas suas palavras, a diretora do Centro de Emprego agradeceu à Câmara Municipal a oportunidade do IEFP se poder associar ao programa Mosteiro de Emoções através da promoção desta ação de formação de Pastelaria Conventual. E sublinhou: “queremos que daqui resultem ótimas ideias para a criação de um Doce Cabeceirense”, disse Helena Chaves, lembrando que “o desafio é elevado mas muito aliciante”.

Por seu turno, a Dra. Raquel Sampaio da Academia das Emoções começou por fazer um enquadramento do programa cultural Mosteiro de Emoções que contempla 23 atividades repartidas por 3 grandes eixos: Cultura/Artes Performativas; Gastronomia/Sabores; e Saúde e Bem-Estar. Sobre o concurso criativo para a elaboração do Doce Cabeceirense, Raquel Sampaio referiu que está em preparação o regulamento e que é certo que na futura ementa do doce será condição obrigatória a utilização de um ou mais produtos desta terra de Basto.

Integrada no programa cultural ‘Mosteiro de Emoções’, a ação de formação tem inscritas 23 formandas que desenvolverão, numa fase posterior do curso, propostas para o futuro Doce Cabeceirense.

A formação decorrerá no Pólo de Formação Profissional de Basto, na antiga Escola Tecnológica de Lameiros, em Refojos de Basto.

Neste programa formativo irão participar alguns convidados especiais, para enriquecerem e inspirarem os participantes, como Chefs e Mestres Pasteleiros.

Esta iniciativa da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto pretende aliar a memória de uma alimentação de afetos ao uso dos produtos da terra, reforçando e valorizando o que se fazia no núcleo familiar, principalmente pelos avós.

Pretende-se igualmente incentivar a inovação das pastelarias cabeceirenses bem como sensibilizar os agentes económicos e a população para a importância estratégica dos produtos endógenos, em especial o codorno, o mel, as ervas aromáticas, o vinho verde, as frutas e seus derivados, no contexto do desenvolvimento do território de Cabeceiras de Basto.

A ação de formação irá com toda a certeza incentivar a inovação e o empreendedorismo ao nível do aproveitamento daqueles produtos para a criação original de um doce ou bolo regional.

O Concurso Criativo para adaptação e/ou invenção de um Doce Cabeceirense que terminará no final de maio de 2019, será desenvolvido sob o comissariado de um crítico gastronómico e jornalista, este concurso contará com a colaboração da Escola de Hotelaria e Turismo do Porto/ Turismo de Portugal, da Escola Profissional AMAR TERRA VERDE, bem como do IEFP.