Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO TESTA PLANO DE EVACUAÇÃO DA ALDEIA DE GONDIÃES

Primeiro simulacro de incêndio florestal no distrito

Realiza-se no próximo sábado, dia 2 de junho, a partir das 9h30, em Gondiães, Cabeceiras de Basto, o primeiro simulacro de incêndio de grande proporções no distrito que tem como grande objetivo testar o Plano de Evacuação elaborado pelos Serviços Municipais da Proteção Civil e do Gabinete Técnico Florestal para a aldeia de Gondiães.

Aldeia de Gondiães (1)

Este simulacro insere-se no âmbito do Programa ‘Aldeia Segura, Pessoas Seguras’ apresentado no mês de abril pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, Associação Nacional de Municípios Portugueses e Associação Nacional de Freguesias. O programa tem como objetivos incentivar à participação das populações e reforçar a consciência da responsabilidade partilhada, contribuir para a salvaguarda de pessoas e bens e implementar estratégias de proteção para aglomerados populacionais.

Este primeiro simulacro a decorrer no distrito, mais concretamente na aldeia de Gondiães, em Cabeceiras de Basto, pretende, para além de testar a operacionalidade de recursos e meios, preparar a população para eventuais incêndios florestais graves, aumentando a proteção das populações contra o inesperado.

Estarão envolvidos no simulacro de incêndio a Proteção Civil Distrital e Municipal, o Gabinete Técnico Florestal (GTF), a Junta de Freguesia de Gondiães e Vilar de Cunhas, os Bombeiros Cabeceirenses, a Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), a Polícia Municipal, a GNR e o Oficial de Segurança Local, entretanto já indicado para a aldeia de Gondiães.

De salientar, a este propósito, que Cabeceiras de Basto tem, até ao momento, já indicados 27 oficiais de segurança local, cargo este criado no âmbito do Programa ‘Aldeia Segura, Pessoas Seguras’. Caberá a este oficial de segurança local avisar a população do perigo e, se for o caso disso, encaminhar as pessoas para o abrigo coletivo, evitando fugas descontroladas.

Nota, ainda, para o facto do Programa ‘Aldeia Segura, Pessoas Seguras’ ter como principais destinatários os 189 municípios com freguesias de risco no âmbito da defesa da floresta contra incêndios, assente em eixos estratégicos como a gestão de combustível, o plano de evacuação de aldeias e uma campanha de sensibilização.