Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO ALTO TÂMEGA DÁ FORMAÇÃO EM "CAPACITAÇÃO PARA A INCLUSÃO"

ADIAT concluiu formação em “Capacitação para a Inclusão” para beneficiários do RSI e desempregados de longa duração

“Na rota da Inclusão” é uma iniciativa da Associação para o Desenvolvimento Integrado do Alto Tâmega (ADIAT), uma entidade promotora de inúmeras atividades em prol do desenvolvimento local. A iniciativa, destinada a pessoas em situação de exclusão social, contemplou duas dimensões do desenvolvimento humano (pessoal e social), numa lógica de aquisição de capacidades que permitiram criar condições efetivas para a inclusão social.

IMG_20180504_102819.jpg

A população alvo do Curso foi constituída por pessoas altamente vulneráveis, desprovidas de competências pessoais e sociais e, por conseguinte, com severas dificuldades de inserção social e profissional. Dentro daquela população destacaram-se DLD`s e beneficiários do RSI. A referida ação, com duração de 900 horas, foi ministrada em período laboral (9h00-13h00 e das 14h00 às 17h00), contando com o apoio do POISE (Programa Operacional Inclusão Social e Emprego), pelo Programa Portugal 2020, União Europeia e Fundo Social Europeu.

A ação teve, entre outros, como objetivo “reconhecer a importância da imagem, autoestima e autoconceito na inversão de trajetórias de vida negativas e capacitar os formandos para a interiorização de competências necessárias ao exercício de uma cidadania ativa e responsável, que valorize as diferenças, nomeadamente a nível do género”, referiu Luís Correia, técnico de serviço social e formador do Curso.

Benedita Aguiar, diretora da Die Apfel, sublinhou que ao longo do Curso houve uma preocupação em “assegurar o acompanhamento do desenvolvimento das aprendizagens e controlar o progresso ao nível dos saberes e comportamentos, atendendo aos objetivos pedagógicos propostos e às singularidades de cada formando; prestar apoio psicológico a cada formando, para que sejam debeladas eventuais variáveis intrapsicológicas que impeçam a concretização dos objetivos, bem como acompanhar os formandos no momento pós-formação”.