Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

A OBRA DE MARQUÊS DE POMBAL EM GUIMARÃES

Todos reconhecemos o estilo pombalino nas fachadas dos prédios do Largo do Toural em frente à Basílica de S. Pedro.

CNF0040

Esta foi a grande obra do Marquês de Pombal, a mando do seu Rei D. José I, em Guimarães.

Quer acreditemos ou não, a influência muçulmana na península ibérica originou uma vitalidade urbana maior no sul do país do que no norte, onde Porto, Braga e Guimarães eram excepção. No entanto o grande aumento populacional durante a segunda metade do Século XV ocorrido no norte do país em cidades como Lamego, Viseu e Guimarães veio trazer a necessidade mais tardia de Marquês de Pombal criar estruturas para habitação da população e de marcá-las com o estilo semelhante ao que se fazia no resto da Europa, o nosso urbanismo.

A edificação dos prédios pombalinos por volta do ano de 1791 em Guimarães não foi no entanto fácil, a nível do consentimento da comunidade vimaranense.

Os médicos da cidade de Guimarães, apoiados em certa medida pela Igreja que administrava o hospital da Santa Casa situado no Terreiro da Misericórdia, não achavam correcto a edificação de prédios com uma altura "gigante" que iria retirar a luz do dia e o ar, aos doentes de sífilis, tuberculose e outras doenças contagiosas que se encontravam no rés do chão do Hospital (onde hoje é a livraria ideal e a Adega dos Caquinhos).

No entanto, este estilo pombalino tem muita inspiração estrangeira e marca de forma determinante aquilo que se consideram de cidades de influência cristã e de influência muçulmana.

Contudo a obra de Pombal é impressionante, não só pela qualidade arquitectónica mas também pela densidade de quantidade de construções; edificações por todo o Portugal Continental e nos países de língua portuguesa, com enfoque no Brasil.

Marquês de pombal promove por certas cidades do país, espaços urbanos geometrizados e esclarecidos, com uma produção em série de materiais completamente inovadora.

Faz reformas na Universidade criando a especialização em arquitectura.

Guimarães não é excepção das suas políticas e realmente é fantástica a visão deste primeiro ministro iluminado que num vasto Império, não se esqueceu de Guimarães.

Paulo Freitas do Amaral / https://www.facebook.com/correiodahistoria.pt

168246887_2994317944136022_6008354268540211949_n.j