Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CASA DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO EM BRAGA DÁ POSSE AOS NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS

21761666_1661913757213908_3633903627175732269_n.jpg

A Direção da Casa de Trás-os-Montes e Alto-Douro vem por este meio informar que no próximo sábado dia 13 de abril, pelas 12:30 horas, nas instalações da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro em Braga, sita à Praça General Humberto Delgado, desta cidade de Braga, realiza-se o acto solene da tomada de posse dos órgãos sociais recentemente eleitos em Assembleia Geral do pretérito dia 23 de Março para o biénio 2019-2020.

A esta cerimónia seguir-se-á um almoço de confraternização onde não faltará a tradicional feijoada à transmontana entre outras iguarias.

MARRABENTA E FOLCLORE DO MINHO JUNTAM HOJE EM ARCOS DE VALDEVEZ MINHOTOS DA EX-CASA DO MINHO EM LOURENÇO MARQUES... E NÃO FALTAM AS TÍPICAS CAPULANAS DE MOÇAMBIQUE!

Hoje é dia de Festa em Arcos de Valdevez! Os nossos conterrâneos que viveram em Moçambique e fizeram parte da Casa do Minho em Lourenço Marques juntam-se hoje neste concelho minhoto para mais uma jornada de convívio a assinalar a data de fundação daquela associação regionalista, reencontrar amigos partilhar recordações.

47299239_10210322078487919_8525134921461661696_n

Esta festa irá servir também de Homenagem a todos aqueles que sendo Arcuenses também militaram no Rancho de S. Paio e também no Rancho da ex-Casa do Minho em Lourenço Marques, Moçambique.

A Missa na Freguesia de S. Paio e a Festa na quinta de Fijó na freguesia de Vila Fonche, não foram escolhidas por um acaso, será apenas um reconhecimento e agradecimento aqueles que partindo destas duas freguesias ainda em numero considerável deram uma mais valia Folclórica ao Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lourenço Marques.

O almoço irá decorrer numa Quinta de Turismo Rural, Quinta de Fijó onde e para quem pretender pernoitar nos quartos que nela existem. Também possui um centro Equestre com bastantes cavalos com uma escola de Equitação e quem pretender poderá obter mais uma nova experiência de montar a cavalo.

Vamos haver música para dançar durante toda a tarde e noite, mas também uma exibição da Tocata do Rancho de S. Paio que se pretende que todos os presentes tenham de dar ao pé, mesmo para quem não souber, vai ter que se esforçar a dançar a típica música daquele cantinho.

Portanto razões bem fortes para que todos venham a festa e podem trazer os Amigos e Familiares pelo menos para se respirar um pouco de ar puro e observarem as bonitas paisagens da Linda Vila dos Arcos de Valdevez, que foi onde Portugal se fez.

50699210_10210607463502366_7023946458831257600_n.jpg

REGIONALISMO MINHOTO EM LISBOA: CASAS REGIONAIS OU “CASAS DE PASTO”?

As casas regionais – provinciais, comarcãs ou concelhias – definem-se geralmente como pessoas colectivas, com personalidade jurídica, sem fins lucrativos, e têm como objetivo principal a defesa e valorização dos interesses económicos, sociais e culturais da região que dizem representar, conforme é aliás invariavelmente consagrado nos respectivos estatutos.

!(Rafael-Bordalo-Pinheiro-Ze-Povinho-ou-Joao-Bitor-grande-amante-de-binho-e-xixas.jpg

Invariavelmente, todas essas associações propõem-se, de acordo com os seus próprios fins estatutários, promover o estudo dos recursos naturais, com vista a fomentar o desenvolvimento económico, social e cultural da região; defender e valorizar o património histórico-monumental e artístico do Concelho; patrocinar realizações de caráter cultural, artístico e recreativo, concorrendo assim para uma maior formação dos sócios e habitantes da região; solicitar a colaboração dos organismos oficiais, no sentido de fazer acelerar e executar os fins da Associação; prestar toda a colaboração às iniciativas que visem o desenvolvimento do concelho; fomentar a solidariedade de todos os sócios e habitantes da região e concorrer para a sua maior formação, designadamente através da aproximação das associações locais.

Constata-se, porém, quem nem todas as casas regionais minhotas – são estas que particularmente nos interessa tendo em vista a nossa abrangência geográfica! – perseguem as finalidades a que se propuseram, funcionando nalguns casos como meras “casas de pasto” para refastelo de alguns comensais. Não vamos aqui identificar essas tabernas – pelo menos por enquanto! – porque fazemos votos que as mesmas venham a encontrar o rumo que lhes é devido…

Existem associações ditas regionalistas que, à maneira dos velhos “grupos almoçaristas” que se juntavam nas tabernas dos bairros lisboetas, não fazem mais do que uma patuscada anual para os amigos e quanto muito uma “suecada”. Mas, aos seus responsáveis não lhes falta o descaramento em afirmar-se regionalistas e garantir a pés juntos que estão a defender a região… sempre que engolem mais uma malga de verdasco! E, na hora devida, nunca se descuidam em aprontarem-se de plantão à porta da respectiva câmara municipal, de mão estendida, à espera do habitual subsídio… muito embora, em parte dos casos, já nem ligação tenham a esse concelho que dizem representar: os originários e seus descendentes já foram abandonando tais associações, deixando-as entregues a estranhos!

Os subsídios atribuídos pelas autarquias locais resultam dos impostos dos contribuintes e bem poderiam ser melhor aplicados em associações locais que prestam relevantes serviços à comunidade, que apresentam e cumprem projectos válidos para a região. Pois, quem quer comer e beber deve pagar do seu próprio bolso!

Se uma associação não cumpre os objectivos para que foi criada, não tem mais razão de existir. E, muito menos, usar indevidamente a denominação e símbolos de uma região para fins estranhos àqueles a que se propôs no acto da sua fundação. Elas constituem um meio e não um fim em si mesmas. Fazemos votos para que, das duas uma: corrijam o rumo em proveito da região que dizem representar ou simplesmente desapareçam e deixem de constituir mais um fardo para a nossa região!

Carlos Gomes

MARRABENTA E FOLCLORE DO MINHO JUNTAM EM ARCOS DE VALDEVEZ MINHOTOS DA EX-CASA DO MINHO EM LOURENÇO MARQUES... E NÃO FALTAM AS TÍPICAS CAPULANAS DE MOÇAMBIQUE!

Conforme o deliberado no XXII convívio da Casa do Minho em Paredes de Coura, o próximo convívio ficou marcado para ter lugar em Arcos de Valdevez, no próximo dia 6 de Abril.

47299239_10210322078487919_8525134921461661696_n

Esta festa irá servir também de Homenagem a todos aqueles que sendo Arcuenses também militaram no Rancho de S. Paio e também no Rancho da ex-Casa do Minho em Lourenço Marques, Moçambique.

A Missa na Freguesia de S. Paio e a Festa na quinta de Fijó na freguesia de Vila Fonche, não foram escolhidas por um acaso, será apenas um reconhecimento e agradecimento aqueles que partindo destas duas freguesias ainda em numero considerável deram uma mais valia Folclórica ao Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lourenço Marques.

O almoço irá decorrer numa Quinta de Turismo Rural, Quinta de Fijó onde e para quem pretender pernoitar nos quartos que nela existem. Também possui um centro Equestre com bastantes cavalos com uma escola de Equitação e quem pretender poderá obter mais uma nova experiência de montar a cavalo.

Vamos haver música para dançar durante toda a tarde e noite, mas também uma exibição da Tocata do Rancho de S. Paio que se pretende que todos os presentes tenham de dar ao pé, mesmo para quem não souber, vai ter que se esforçar a dançar a típica música daquele cantinho.

Portanto razões bem fortes para que todos venham a festa e podem trazer os Amigos e Familiares pelo menos para se respirar um pouco de ar puro e observarem as bonitas paisagens da Linda Vila dos Arcos de Valdevez, que foi onde Portugal se fez.

50699210_10210607463502366_7023946458831257600_n.jpg

Uma quinta dedicada ao Turismo Rural onde todos estão convidados a mergulhar na piscina, jogar ténis mas principalmente montar a cavalo, pois também existe um Centro Equestre com Escola de Equitação para quem quiser dar um passeio a cavalo na própria quinta.

Existem aqui também quartos para quem quiser pernoitar no dia da Festa, apenas terão de efectuar as reservas com bastante antecedência, pois acho que irão esgotar.

Um local magnífico com Belas paisagens, com Lindas vistas para o centro da Vila, serras do Soajo e Peneda Gêres digno de serem visitadas.

Esta espectacular quinta de Turismo Rural com boas estradas, também é uma das razões interessantes para que todos aqueles que passaram pela Casa do Minho, Componentes do Rancho, directores, sócios e seus Familiares e Amigos. Não faltem a este grandioso convívio que tenho a certeza que promete.

Aproveito para poder expandir esta festa a todos os meus Amigos de Infância, de Escola que nasceram e viveram em Lourenço Marques.

Quero também aproveitar para fazer lembrar que todos os convivas deverão trajar com as Capulanas, porque também temos "Maningue Marrabenta" KANIMAMBO AMBANINE. Até dia 6 de Abril 2019 nos "Arcos de Valdevez onde Portugal se Fez".

51502863_10210610218451238_6141337809148968960_n.jpg