Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDE RECEBEU ENCONTRO REGIONAL DAS CPCJ DOS DISTRITOS DE BRAGA, PORTO E VIANA DO CASTELO

Esposende acolheu, na passada sexta-feira, 3 de novembro, um Encontro Regional das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) dos distritos de Braga, Porto e Viana do Castelo.

1699027317384.jpg

A iniciativa contou com a presença da Presidente da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, Rosário Farmhouse, da Vice-Presidente, Maria João Fernandes, e da Equipa Técnica Regional do Norte. Em representação do Município e Presidente da CPCJ de Esposende, esteve a Vice-presidente da Câmara Municipal, Alexandra Roeger.

O evento, que decorreu numa unidade hoteleira da cidade, contou com a participação de cerca de oito dezenas de técnicos/as provenientes de dezenas de CPCJ dos referidos distritos.

Este encontro proporcionou a divulgação de diversos projetos e iniciativas que a Comissão Nacional se encontra a desenvolver, constituindo também um espaço de auscultação dos/as profissionais das CPCJ em diferentes matérias relacionadas com o seu funcionamento e políticas nacionais no âmbito da promoção dos direitos e proteção das crianças e jovens.

A CPCJ é uma instituição oficial não judiciária com autonomia funcional que visa promover os direitos das crianças e jovens e prevenir ou pôr termo a situações suscetíveis de afetar a sua segurança, saúde, formação, educação ou desenvolvimento. Tem competência para intervir sempre que os pais, o representante legal ou quem tenha a guarda de facto de qualquer criança ou jovem ponha(m) em perigo a sua segurança, saúde, formação, educação ou desenvolvimento, ou quando esse perigo resulte de ação ou omissão de terceiros ou da própria criança ou do jovem a que aqueles não se oponham de modo adequado a removê-lo.

IMG_20231103_104049.jpg

CLAV LIVE SESSIONS EM DIGRESSÃO PELO MINHO

53ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I Catarina Branco

22 de Novembro/ 21h30m/ CLAV em Vermil, Guimarães

23 de Novembro/ 21h30m/ Moinho de Moreira de Cónegos, Guimarães

24 de Novembro/ 21h30m/ Salão Nobre da Junta de Freguesia de Ribeirão, V.N. de Famalicão

25 de Novembro/ 21h30m/ APURO, Porto

CATARINA BRANCO

Catarina Branco cresceu no Oeste em São Martinho do Porto. Desde cedo está ligada à música, tendo passado pelo Grupo Coral Popular do hospital das Caldas da Rainha, pelo conservatório da mesma cidade e, enquanto estudante de Artes Plásticas, aventurou-se a escrever as suas canções.

Nos últimos anos faz parte da banda de Luís Severo, colaborou com artistas como Chica, Orca e Luís Catorze.

Em 2022 lançou o seu primeiro disco, Vida Plena.

https://www.instagram.com/catarinabranc0/

https://www.facebook.com/acatarinabranco

https://catarinabranco.bandcamp.com/album/vida-plena

https://catarinabranco.bandcamp.com/album/catarina-branco-e-guarda-rios

https://soundcloud.com/catarinabranc0

https://open.spotify.com/intl-pt/artist/0ZbROtsxLfXnQ4tmBwDixb?si=HVCIj49gRaOtrqizQz7T8g

CLAV LIVE SESSIONS | TOUR

As CLAV LIVE SESSIONS I Tour estão de volta para a emocionante 2ª temporada de 2023, trazendo consigo quatro artistas convidados para um universo de 16 concertos que se espalharão por vários locais de Guimarães, V.N. de Famalicão e ainda no Porto.

Após o encerramento de um ciclo composto por 50 memoráveis CLAV LIVE SESSIONS, o projeto retorna com um novo formato e uma proposta ousada de Vermil para um território mais abrangente. A grande novidade desta temporada é a esperada Tour, que se integra perfeitamente à programação regular do CLAV - Centro e Laboratório Artístico de Vermil.

Nos próximos meses, as CLAV LIVE SESSIONS serão o palco de quatro artistas excepcionais, que unirão seus talentos ao projeto CLAV LIVE SESSIONS para criar um ciclo impressionante de 16 concertos, abrangendo as deslumbrantes paisagens de Guimarães, V.N. de Famalicão e Porto.

Com uma agenda repleta de emoções, os artistas não realizarão apenas um concerto empolgante em formato de streaming no CLAV, mas também registarão essa experiência única para formato televisivo e haverá a criação de novos conteúdos digitais.

E as surpresas não param por aí! O público terá o privilégio de vivenciar três performances ao vivo memoráveis: uma no charmoso "Moinho de Moreira de Cónegos", na encantadora Vila de Moreira de Cónegos, Guimarães; outra como parte do inspirador Projeto "Há Cultura", promovido pelo Município de V.N. de Famalicão; e uma terceira no aconchegante espaço "APURO", situado na cidade do Porto.

Alberto Fernandes, diretor artístico do CLAV, músico, produtor e realizador, destaca que esta nova série das CLAV LIVE SESSIONS reflete anos de esforço e dedicação. Ele enfatiza a crescente relevância dessas sessões no cenário musical, tanto a nível nacional quanto internacional.

Os projetos selecionados para as próximas quatro CLAV LIVE SESSIONS passaram por um criterioso processo de seleção entre 64 propostas artísticas emergentes que responderam à CALL realizada no início do ano.

A tour associada a essa visão arrojada tem como objetivo a concretização de políticas públicas de descentralização cultural e ampliar o acesso à cultura para um público que, de outra forma, poderia não ter essa oportunidade enriquecedora.

Essa ambiciosa empreitada é impulsionada por uma colaboração inspiradora entre diversos parceiros. Os Municípios de Guimarães e V.N. de Famalicão contribuem financeiramente para tornar o projeto uma realidade, enquanto várias Juntas de Freguesias oferecem suporte financeiro e logístico. Parceiros de mídia influentes desempenham papéis cruciais na divulgação e transmissão televisiva e radiofónica destes eventos.

Com um novo ciclo de CLAV LIVE SESSIONS para a 2ª temporada de 2023, repleto de grandes novidades, novos formatos e conteúdos envolventes, prepare-se para uma experiência cultural inesquecível. As "CLAV LIVE SESSIONS I Tour" estão prontas para iluminar os palcos de Guimarães, V.N. de Famalicão e Porto.

Programação Setembro a Dezembro de 2023

2 ª temporada

51ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I A Urtiga

27 de Setembro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

28 de Setembro/ 21h30m - Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

29 de Setembro/ 22h00m - Parque de Lazer de Gondifelos - V.N. de Famalicão

30 de Setembro/ 21h30m - Auditório da Junta de Airão S. João - Guimarães

52ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I Pedro Branco

25 de Outubro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

26 de Outubro/ 21h30m - Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

27 de Outubro/ 21h30m - Salão Nobre da Junta de Mogege - V.N. de Famalicão

28 de Outubro/ 21h30m APURO - Porto

53ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I Catarina Branco

22 de Novembro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

23 de Novembro/ 21h30m - Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

24 de Novembro/ 21h30m - Salão Nobre da Junta de Freguesia de Ribeirão - V.N. de Famalicão

25 de Novembro/ 21h30m - APURO - Porto

54ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I -  José Valente

13 de Dezembro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

14 de Dezembro/ 21h30m Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

15 de Dezembro/ 21h30m Auditório António Gomes- Avidos - V.N. de Famalicão

16 de Dezembro/ 21h30m Auditório da Junta de Airão S. João - Guimarães

FUNDAÇÃO MARQUES DA SILVA HOMENAGEIA ARQUITETO FERNANDO TÁVORA

Exposição de homenagem aos 100 anos do arquiteto Fernando Távora estreia amanhã no Porto

É já esta sexta-feira que é inaugurada, no Porto, a exposição “Fernando Távora. Pensamento Livre”, uma homenagem à vida e obra do arquiteto portuense que celebraria, este ano, 100 anos. Esta iniciativa da Fundação Marques da Silva integra o vasto programa das Comemorações do Centenário de Nascimento de Fernando Távora.

A exposição itinerante “Fernando Távora. Pensamento Livre” abre portas amanhã, às 18h30, no Porto, para dar a conhecer a vida e obra do arquiteto Fernando Távora (1923-2005). A mostra, integrada nas celebrações do centenário de nascimento do arquiteto, é inédita e conta apenas com originais. A Fundação Marques da Silva (FIMS), responsável pela organização desta iniciativa e detentora do acervo do Mestre, vai acolher esta mostra que conta com Alexandre Alves Costa como curador e coordenador. Ana Alves Costa, Jorge Figueira, José António Bandeirinha, Luís Martinho Urbano e Maria Manuel Oliveira completam a equipa de curadoria.

A Casa de Ofir (1957/1958), o Mercado da Feira (1953/1959), o Pavilhão de Ténis na Quinta da Conceição (1956/1960), a Escola do Cedro (1957/1961), a Pousada de Santa Marinha da Costa (1972/1985), o Anfiteatro da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (1993/2000) e a Casa dos 24 (1995/2003) são as sete obras que vão estar em destaque. Estes projetos de Távora, representados com desenhos e maquetas originais, pertencentes ao acervo de Fernando Távora, e também por novas imagens, captadas pela lente de Paulo Catrica, marcaram não só o seu percurso profissional como a Arquitetura portuguesa.

Para além das obras selecionadas, que ocupam o piso superior do Palacete Lopes Martins, é possível visitar, no piso da entrada, cinco miniexposições temáticas complementares à exposição principal, que visam retratar a personagem, a sua vastíssima cultura, o seu método de trabalho, a forma como usou o Desenho e a História na prática projetual, e de como as suas aulas foram fundamentais para sucessivas gerações de estudantes entenderem o que é a Arquitetura e o seu exercício profissional, tudo isto sem intenção de se aproximar de uma mostra retrospetiva.

Cada entrada temática conta com um espaço dedicado e curadoria própria, reflexo da complexidade intelectual e cultural de Fernando Távora: "Referências", Ana Tostões; "Viagens", Sergio Fernandez; "Tratados de Arquitetura", Domingos Tavares; "Literatura Modernista", Celeste Natário; e "Aulas", Manuel Correia Fernandes, com este último núcleo a estender-se à Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, já que será inaugurado no dia seguinte, entre as 11h00 e as 11h30, na Galeria da FAUP, no âmbito dos encontros “Távora no Tempo”.

O evento de inauguração, marcado para amanhã, às 18h30, vai contar com a presença da Vice-Reitora para a Cultura da Universidade do Porto e presidente do Conselho Diretivo da FIMS, Fátima Vieira, do curador Alexandre Alves Costa e do arquiteto Álvaro Siza. A mostra fica patente, no Porto, até 3 de fevereiro de 2024 e pode ser visitada de segunda a sábado, das 14h00 às 18h00. O bilhete é gratuito, até aos 18 anos, e tem o custo de 1,5 euros para seniores e de 3 euros, para o público em geral. No dia da inauguração, a entrada é livre.

Esta exposição que é itinerante viaja depois até Coimbra, com organização assegurada pelo Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (DARQ); segue-se a cidade de Guimarães, em maio de 2024, sendo a Escola de Arquitetura, Arte e Design (EAAD) responsável por esta itinerância. Está ainda em aberto se vai depois também para a Assembleia da República, em Lisboa.

“Fernando Távora. Pensamento Livre” é uma iniciativa da FIMS e a ação central de “Távora 100”, um programa organizado pela Ordem dos Arquitectos, a Fundação Marques da Silva, a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, o Departamento de Arquitetura da Universidade de Coimbra e a Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho, para assinalar 100 anos de nascimento do arquiteto, e que conta com cerca de 30 iniciativas, ao longo de um ano, para celebrar a efeméride. A programação completa pode ser consultada em tavora100.pt com várias iniciativas agendadas, organizadas tanto pelas entidades que constituem a comissão organizadora do centenário como por diversas instituições parceiras, designadamente visitas guiadas, aulas abertas, lançamentos de livros, encontros, colóquios, workshops, entre outras atividades.

”Foi com muito gosto que aceitei o desafio lançado pela Seção Regional Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) e restante comissão organizadora do centenário de Fernando Távora para ser o responsável pela coordenação e curadoria desta mostra tão relevante. Celebrar a vida e obra desta figura incontornável da Arquitetura portuguesa e fundador da mundialmente conhecida Escola do Porto é uma enorme responsabilidade e uma riquíssima experiência, pela dimensão, qualidade e excelência que Távora impôs em tudo o que nos deixou, e que foi tanto. Esta exposição é um ponto de paragem obrigatório para quem gosta de Arquitetura e se revê no espírito visionário que só Távora tinha.”, refere Alexandre Alves Costa.

A respeito das celebrações do centenário, importa destacar ainda os encontros “Távora no Tempo”, uma iniciativa sobre a obra e a personalidade de Fernando Távora, que se realizam no Porto, Braga, Coimbra e Guimarães, acompanhando o calendário de itinerância da exposição principal. Destinado a investigadores, estudantes e profissionais da área da arquitetura e urbanismo, o primeiro encontro terá lugar na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto já no próximo dia 21 de outubro, das 9h30 às 17h30, com um amplo painel de personalidades convidadas a fazer uma reflexão crítica conjunta sobre a obra do Mestre nas suas múltiplas dimensões, consolidando o seu legado como uma referência incontornável no panorama da Arquitetura, em Portugal e no mundo. Entre os conferencistas estão Alexandre Alves Costa, Ana Vaz Milheiro, Carlotta Torricelli, Emílio Tuñón, Fernanda Barbara, Gonçalo Byrne, João Belo Rodeia, Jorge Figueira, José António Bandeirinha, José Miguel Rodrigues, Luís Soares Carneiro, Maria Manuel Oliveira, Ricardo Pais e Teresa Cálix. A entrada é livre, apenas sujeita à limitação do espaço.

Porto, 19 de outubro de 2023

Para mais informações: Catarina Reis Correia // 912 360 755 // crc@catarinareiscorreia.pt

Materiais de apoio: https://we.tl/t-TEAH6vg5kJ

Comissão organizadora centenário: Ordem dos Arquitectos (OA), Fundação Marques da Silva (FIMS), Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), Departamento de Arquitetura da Universidade de Coimbra (DARQ) e Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD)

Apoio institucional: Assembleia da República, Câmara Municipal do Porto, Câmara Municipal de Aveiro, Câmara Municipal de Coimbra, Câmara Municipal de Esposende, Câmara Municipal de Guimarães, Câmara Municipal de Matosinhos, Câmara Municipal de Viana do Castelo, Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Direção Regional de Cultura do Norte, Museu Nacional Soares dos Reis e Turismo do Porto e Norte de Portugal

Mecenas: BPI/Fundação La Caixa

Apoios: DST Group, CIN e Efapel

Ficha técnica exposição “Fernando Távora. Pensamento Livre”:

Curadoria

Alexandre Alves Costa (coordenador)

Ana Alves Costa

Jorge Figueira

José António Bandeirinha

Luís Martinho Urbano

Maria Manuel Oliveira

Curadorias temáticas

Ana Tostões - "Referências"

Sergio Fernandez - "Viagens"

Domingos Tavares - "Tratados de Arquitetura"

Celeste Natário - "Literatura Modernista"

Manuel Correia Fernandes - "Aulas" (Fundação Marques da Silva/FAUP)

Fotografia

Paulo Catrica

Design expositivo

João Mendes Ribeiro, com Filipe Catarino e Catarina Fortuna

Design gráfico

FBA./ Daniel Santos, João Bicker

Produção

Luís Martinho Urbano

Paula Abrunhosa

João Ferreira Alves

Hugo Oliveira

Documentação

Conceição Pratas

Ana Ramos

Guilherme Gouveia

Adriana Martins

Conservação e Restauro

Ana Freitas

CLAV LIVE SESSIONS | TOUR GUIMARÃES, FAMALICÃO E PORTO

Pedro Branco é o artista da 52ª CLAV Live Sessions | Tour: 25 a 28 de Outubro, em Guimarães, V. N. Famalicão e Porto

52ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I Pedro Branco

25 de Outubro/ 21h30m/ CLAV em Vermil, Guimarães

26 de Outubro/ 21h30m/ Moinho de Moreira de Cónegos, Guimarães

27 de Outubro/ 21h30m/ Salão Nobre da Junta de Mogege, V.N. de Famalicão

28 de Outubro/ 21h30m/ APURO, Porto

PEDRO BRANCO

A Narrativa Épica do Quotidiano é o disco de estreia do guitarrista Pedro Branco e que espelha o período conturbado em que foi criado. Gravado na íntegra no seu quarto de infância, em casa dos pais, em plena pandemia, as canções são despidas à sua essência, navegando por diferentes influências e abordagens, mas tentando manter uma estética homogénea que o ligue no seu todo, com a guitarra acústica a fazer de fio condutor entre as faixas.

Depois de vários discos como co-líder em diversos projectos tais como Old Mountain, EEL SLAP! ou mesmo João Hasselberg & Pedro Branco e uma vasta carreira onde faz parte de bandas como Tiago Bettencourt ou You Can’t Win, Charlie Brown e onde já partilhou palco com artistas tão diferentes como Noiserv, Lena D’Água, Benjamim ou Fausto, esta é a primeira vez que o artista lança algo totalmente em nome próprio.

“Este disco serve como emancipação e um salto para fora de pé. É um resultado de escolhas inconscientes que foram feitas ao longo dos anos, tanto artísticas como pessoais. Não esperava que o meu primeiro disco fosse gravado maioritariamente com uma guitarra clássica, muito menos no quarto em que cresci e onde aprendi a tocar. Mas essa é a beleza da arte, da música e dos seus processos, é ser cristalizada num momento de plena transformação. A pandemia trouxe-me a solidão e a incerteza, a música trouxe-me um porto de abrigo e uma razão.”

O disco foi gravado e misturado por Pedro Branco e masterizado pelo Nuno Monteiro no Bela Flor Estúdios. Todas as músicas e letras são da autoria de Pedro Branco à exceção da música “Cinco Minutos Antes” com música e letra de Pedro Branco e Noiserv. Cantam no disco os músicos Tipo na música “A Composição da Fuga” e Noiserv na música “Cinco Minutos Antes”. Os dois vídeos dos dois primeiros singles foram realizados por Salvador Menezes e as capas dos singles bem como a capa do disco são fotografias gentilmente cedidas pela Teresa Lopes da Silva.

CLAV LIVE SESSIONS | TOUR

As CLAV LIVE SESSIONS I Tour estão de volta para a emocionante 2ª temporada de 2023, trazendo consigo quatro artistas convidados para um universo de 16 concertos que se espalharão por vários locais de Guimarães, V.N. de Famalicão e ainda no Porto.

Após o encerramento de um ciclo composto por 50 memoráveis CLAV LIVE SESSIONS, o projeto retorna com um novo formato e uma proposta ousada de Vermil para um território mais abrangente. A grande novidade desta temporada é a esperada Tour, que se integra perfeitamente à programação regular do CLAV - Centro e Laboratório Artístico de Vermil.

Nos próximos meses, as CLAV LIVE SESSIONS serão o palco de quatro artistas excepcionais, que unirão seus talentos ao projeto CLAV LIVE SESSIONS para criar um ciclo impressionante de 16 concertos, abrangendo as deslumbrantes paisagens de Guimarães, V.N. de Famalicão e Porto.

Com uma agenda repleta de emoções, os artistas não realizarão apenas um concerto empolgante em formato de streaming no CLAV, mas também registarão essa experiência única para formato televisivo e haverá a criação de novos conteúdos digitais.

E as surpresas não param por aí! O público terá o privilégio de vivenciar três performances ao vivo memoráveis: uma no charmoso "Moinho de Moreira de Cónegos", na encantadora Vila de Moreira de Cónegos, Guimarães; outra como parte do inspirador Projeto "Há Cultura", promovido pelo Município de V.N. de Famalicão; e uma terceira no aconchegante espaço "APURO", situado na cidade do Porto.

Alberto Fernandes, diretor artístico do CLAV, músico, produtor e realizador, destaca que esta nova série das CLAV LIVE SESSIONS reflete anos de esforço e dedicação. Ele enfatiza a crescente relevância dessas sessões no cenário musical, tanto a nível nacional quanto internacional.

Os projetos selecionados para as próximas quatro CLAV LIVE SESSIONS passaram por um criterioso processo de seleção entre 64 propostas artísticas emergentes que responderam à CALL realizada no início do ano.

A tour associada a essa visão arrojada tem como objetivo a concretização de políticas públicas de descentralização cultural e ampliar o acesso à cultura para um público que, de outra forma, poderia não ter essa oportunidade enriquecedora.

Essa ambiciosa empreitada é impulsionada por uma colaboração inspiradora entre diversos parceiros. Os Municípios de Guimarães e V.N. de Famalicão contribuem financeiramente para tornar o projeto uma realidade, enquanto várias Juntas de Freguesias oferecem suporte financeiro e logístico. Parceiros de mídia influentes desempenham papéis cruciais na divulgação e transmissão televisiva e radiofónica destes eventos.

Com um novo ciclo de CLAV LIVE SESSIONS para a 2ª temporada de 2023, repleto de grandes novidades, novos formatos e conteúdos envolventes, prepare-se para uma experiência cultural inesquecível. As "CLAV LIVE SESSIONS I Tour" estão prontas para iluminar os palcos de Guimarães, V.N. de Famalicão e Porto.

Programação Setembro a Dezembro de 2023

 2 ª temporada

51ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I A Urtiga

27 de Setembro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

28 de Setembro/ 21h30m - Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

29 de Setembro/ 22h00m - Parque de Lazer de Gondifelos - V.N. de Famalicão

30 de Setembro/ 21h30m - Auditório da Junta de Airão S. João - Guimarães

52ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I Pedro Branco

25 de Outubro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

26 de Outubro/ 21h30m - Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

27 de Outubro/ 21h30m - Salão Nobre da Junta de Mogege - V.N. de Famalicão

28 de Outubro/ 21h30m APURO - Porto

53ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I Catarina Branco

22 de Novembro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

23 de Novembro/ 21h30m - Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

24 de Novembro/ 21h30m - Salão Nobre da Junta de Freguesia de Ribeirão - V.N. de Famalicão

25 de Novembro/ 21h30m - APURO - Porto

54ª CLAV LIVE SESSIONS I TOUR I -  José Valente

13 de Dezembro/ 21h30m - CLAV em Vermil - Guimarães

14 de Dezembro/ 21h30m Moinho de Moreira de Cónegos - Guimarães

15 de Dezembro/ 21h30m Auditório António Gomes- Avidos - V.N. de Famalicão

16 de Dezembro/ 21h30m Auditório da Junta de Airão S. João - Guimarães

CASA DO DISTRITO DO PORTO – UMA CISÃO NA CASA DO MINHO – AGRADECEU AO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, GENERAL ÓSCAR CARMONA, A VISITA QUE EFETUOU ÀS SUAS INSTALAÇÕES EM 1945

mpr_apoc_cx082_doc027_001 (2).tif

Carta do Secretário-geral da Casa do Distrito do Porto José de Meireles para o Presidente da República Portuguesa General Óscar Carmona, informando o envio do quadro intitulado "Porta da Batalha", oferta do pintor Manuel Gouveia Portuense e agradecendo a visita à primeira exposição realizada na Casa do Distrito do Porto." Datada de 30 de Março de 1945.

Fonte: Museu da Presidência da República

CP DISPONIBILIZA COMBOIOS PARA A NOITE BRANCA DE BRAGA POR APENAS 2 EUROS IDA E VOLTA

De 8 a 10 de setembro, de comboio até à cidade dos Arcebispos.

A Noite Branca está de regresso a Braga, com 48 horas de propostas culturais imperdíveis. O evento decorre no ambiente citadino, criando uma atmosfera única a todos os aqueles que enchem as praças e ruas centrais da cidade.

A iniciativa conta com grandes concertos, instalações e performances inovadoras, visitas a museus de dia ou de noite e atividades preparadas para as famílias (incluindo os mais pequenos). Poderá também simplesmente deambular pelas ruas do centro histórico e deixar-se guiar pelas dezenas de eventos que vão animar o fim de semana.

Venha fazer parte de um evento de intensa atividade cultural dedicado a todos os públicos e que não vai querer perder!

Capturarcpbraga (4).JPG

CASA DO DISTRITO DO PORTO – INSTITUIÇÃO QUE RESULTOU DE UMA CISÃO NA CASA DO MINHO – FOI EM 1945 RECEBIDA NOS PAÇOS DO CONCELHO PELO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

Em 26 de Setembro de 1945, a Casa do Distrito do Porto, em Lisboa, foi recebida nos Paços do Concelho da capital pelo Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Álvaro Salvação Barreto. O acontecimento encontra-se registado nos “Anais da Câmara Municipal de Lisboa” referente ao ano de 1945, no capítulo da Direcção dos Serviços de Urbanização e Obras.

A Casa do Distrito do Porto, em Lisboa, constituiu uma cisão ocorrida na década de quarenta do século passado, na Casa de Entre-o-Douro-e-Minho (ex-Grémio do Minho), quando aquela agremiação regionalista decidiu alterar a sua denominação para Casa do Minho.

Capturarcdp1 (4).JPG

Capturarcdp3 (4).JPG

MUNICÍPIO DE FAFE PROMOVE-SE NO AEROPORTO SÁ CARNEIRO

O Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Antero Barbosa, acompanhado pela Vereadora do Turismo, Paula Nogueira, e pelo presidente do Turismo do Porto e Norte, Luís Pedro Martins, assinalou o arranque da campanha de promoção turística de Fafe na Loja Interativa do Turismo do Porto e Norte instalada no Aeroporto Sá Carneiro.

Capturarfafecarneiro (14).JPG

Uma tela gigante, que fica voltada para a saída dos turistas, assume-se como um cartão de visita para quem chega e que é imediatamente impactado com uma imagem de Fafe enquanto destino de experiências – da gastronomia à natureza, passando pelo alojamento peculiar (com a icónica «Casa do Penedo») e o Rali (Fafe assume-se como a Capital do Rali). O painel disponibiliza um QRCode através do qual se acede ao guia turístico de Fafe no qual constam todas as informações necessárias à boa orientação para uma visita. No ecrã vídeo no interior da Loja do Turismo do Porto e Norte está em exibição permanente um compacto com as melhores imagens das experiências e pontos de interesse de Fafe. Os turistas que entram no espaço são ainda brindados com alguns elementos alusivos ao artesanato local, vinhos e doces, como expressão de bem receber fafense.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Fafe, ”esta é uma oportunidade de promoção muito importante para Fafe e para o seu setor do turismo”. Antero Barbosa considerou que “dispor da imagem de Fafe neste local e nestas condições de destaque é algo que certamente impactará não só os turistas, mas também os operadores. Esta é uma porta de entrada para milhares de pessoas e estamos certos que a mensagem vai passar. Esperamos potenciar todo o esforço e promoção que estamos a desenvolver no sentido de atrair mais investimento para o nosso concelho e com esse foco de atenção mais alargado, certamente, todos sairão a ganhar”.

Luís Pedro Martins, presidente do Turismo do Porto e Norte (TPN), sublinhou o papel e responsabilidade que a entidade regional de turismo tem como incumbência, designadamente na promoção de todo o território regional do norte, envolvendo 86 municípios e quatro sub-destinos - Porto, Douro, Minho e Trás os Montes.

“Aproveitando a existência de uma loja nas portas de entrada da região, situada no aeroporto Francisco Sá Carneiro, o que tentamos fazer aqui é dar o máximo de visibilidade ao território. Esta ação já estava prevista com o Município de Fafe, no seguimento de reuniões que temos feito, visitas ao concelho onde estamos a ativar novos produtos turísticos e a realizar algumas ações de formação para empresários e esta presença aqui é parte desse trabalho que está a ser desenvolvido. Hoje aqui o que queremos relevar é a apresentação desta imagem que é um apelo para que os turistas possam ir a Fafe, mostrando alguns dos seus ativos”, afirmou Luís Pedro Martins.

Para reforçar a sua presença na loja do TNP, o Município de Fafe vai mobilizar os operadores e empresas locais de turismo de forma a que promovam os seus produtos e serviços turísticos junto dos turistas que acabam de aterrar em solo português.

BRAGA E PORTO JUNTARAM-SE PARA O 2º ENCONTRO NACIONAL DE CONSELHOS MUNICIPAIS DA JUVENTUDE

Nos passados dias 16 e 17 de Junho, os Municípios de Braga e do Porto co-organizaram a 2.ª Edição do Encontro Nacional de Conselhos Municipais da Juventude (ENCMJ), reunindo Municípios, Vereadores, técnicos de juventude e jovens, tendo como mote “Impacto dos CMJ nos Municípios Portugueses”. Este 2.º ENCMJ teve lugar na Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, na cidade do Porto, sucedendo-se ao 1.º ENCMJ que se realizou no ano de 2021, em formato online.

ENCMJ-2-1617x1080 (3).jpg

O 2.º ENCMJ iniciou com a Cerimónia de Abertura que contou com uma intervenção/vídeo do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que saudou os Municípios de Braga e do Porto pela promoção deste evento, colocando, novamente, em cima da mesa da discussão a relevância dos Conselhos Municipais da Juventude como fóruns de debate, participação e acção.

Na Cerimónia de Abertura, a vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, Sameiro Araújo, sublinhou “o papel fundamental desempenhado pelos Conselhos Municipais da Juventude”, bem como “a participação imprescindível dos jovens para a construção do presente e do futuro”, referindo que “Muito mais do que o mero exercício de cumprimento do que está estabelecido na lei, os Conselhos Municipais de Juventude devem ser elevados, isto é, têm necessariamente de ser elevados a uma posição central na determinação e concretização das políticas no âmbito local. É imperativo perspectivar a globalidade da vida do Município, nos seus variados domínios, dimensões, problemáticas e desafios, de acordo com a visão dos mais jovens. Ou seja, ver a transversalidade da acção municipal com os olhos da juventude. Aproximando, auscultando, cooperando, debatendo, decidindo e fazendo lado a lado, conjuntamente. Porque preparar o futuro é trabalhá-lo já hoje, no imediato”.

A Cerimónia contou, também, com a intervenção da Vereadora da Câmara Municipal do Porto, Catarina Araújo, que realçou a importância do Encontro, abrindo à reflexão de todas as ideias constantes da Carta A3 de 2021, tendo em vista os desafios que o futuro coloca; assim como com a intervenção do Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Correia, que mencionou que os jovens estão no centro das políticas de futuro, sendo essencial incrementar a sua participação, tendo nos CMJ um espaço privilegiado.

O 2.º ENCMJ contou com a presença de, aproximadamente, 200 participantes – decisores políticos, técnicos de juventude e jovens –, provenientes de cerca de 60 Municípios de todo o País. Do programa de trabalhos desta iniciativa, constaram momentos de reflexão sobre a importância da participação dos jovens na sociedade e para a democracia, momentos de trabalho em grupo acerca dos Conselhos Municipais da Juventude e do respectivo impacto nas comunidades, momentos de networking e de partilha de conhecimentos e boas práticas, e momentos de debate e geração de ideias no quadro das políticas de juventude.

Os trabalhos deste ENCMJ contaram, ainda, com a participação activa do Presidente do Conselho Nacional de Juventude, Rui Oliveira, e do Presidente da Federação Nacional das Associações Juvenis, Marco Santos, que partilharam a sua visão no que diz respeito a futuras alterações à legislação e ao funcionamento dos Conselhos Municipais da Juventude.

O acompanhamento dos trabalhos do Encontro foi assegurado por uma task force constituída pela Associação Académica da Universidade do Minho, a Federação das Associações Juvenis do Distrito de Braga, a Federação Académica do Porto e a Federação das Associações Juvenis do Distrito do Porto.

ENCMJ-57-1617x1080.jpg

ENCMJ-65-1617x1080.jpg

ENCMJ-6-1920x1282 (2).jpg

ENCMJ-55-1617x1080 (2).jpg

ESPOSENDE: AUTOCARRO DA CARREIRA “VIANA – PORTO” POR VOLTA DE 1940

1940-Autocarro (2).jpg

Imagem de um autocarro de carreira “Viana - Porto”, por volta de 1940. A fotografia foi captada na Estrada Nacional 13 (Km 53), na freguesia de Antas, concelho de Esposende, junto à casa do Padre António Dias Ferreira (Pároco de S. Paio de Antas entre 1935 e 1949). O veículo ostenta um letreiro no tejadilho com a inscrição “Transporte colectivo de 22 passageiros” e na lateral “Viana - Porto”. São visíveis vários passageiros no interior do veículo e alguma carga no tejadilho.

Fonte: Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura / Entidade detentora: António Azevedo

CDU RECLAMA TÍTULO ÚNICO INTERMODAL DE TRANSPORTE PARA OS TERRITÓRIOS DA CIM DO CÁVADO E DA CIM DO AVE E DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO

Guimarães junta-se a Braga, Famalicão e Fafe na exigência de Título Único Intermodal de Transporte para os territórios da CIM do Cávado e da CIM do Ave, abrangendo também a Área Metropolitana do Porto. Proposta da CDU aprovada por unanimidade na Assembleia Municipal de Guimarães

Depois de as assembleias municipais de Braga, Vila Nova de Famalicão e Fafe terem aprovado a proposta da CDU reclamando a concretização de um Título Único Intermodal de Transporte para os territórios da CIM do Cávado e da CIM do Ave, abrangendo também a Área Metropolitana do Porto, na passada 2ªf, dia 8 Maio, a Assembleia Municipal de Guimarães, por unanimidade, aprovou a mesma reivindicação.

Enviamos a versão integral do texto aprovado na Assembleia Municipal de Guimarães:

“Num momento em que é crescente a preocupação da população com os problemas ambientais, em que os preços dos combustíveis atingem valores muito altos e se verifica uma perda real de rendimentos da população do nosso concelho, torna-se obrigatório um maior incentivo à utilização dos meios de transportes coletivos.

É sabido que quando se criam condições vantajosas as pessoas reduzem a utilização de transporte particular, como se verificou com o Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes Públicos, iniciado em 2019, e que levou a um aumento global de passageiros nos transportes públicos e teve um impacto significativo no financiamento do sistema de transportes, na poupança das famílias e na simplificação dos sistemas tarifários, atraindo assim novos passageiros para o transporte público.

A criação de um passe intermodal que permita uma utilização comum dos transportes públicos geridos pelas diferentes operadoras é uma necessidade sentida pela população. O exemplo que foi dado nas Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa com a criação de um passe no valor máximo de 40€ que permite viajar em toda a área metropolitana sem ter de adquirir diferentes passes conforme as operadoras que gerem o serviço, pode e deve ser replicado no nosso distrito. Esta medida potenciaria uma melhoria no acesso aos transportes públicos e permitiria simplificar o sistema tarifário existente.

A articulação com o sistema de transportes entre as CIM do Cávado, CIM do Ave e a Área Metropolitana do Porto seria uma mais-valia para toda a população do nosso concelho e do nosso distrito, e deve também ser planeada e efetivada.

Assim, a Assembleia Municipal de Guimarães, delibera enviar à CIM do Ave, à CIM do Cávado, à Área Metropolitana do Porto, às Câmaras e Assembleias Municipais do Baixo Minho, ao Ministro do Ambiente e da Transição Climática e ao Primeiro Ministro, as seguintes exigências:

1) A concretização no Baixo Minho, abrangendo os territórios das CIM do Ave e CIM do Cávado, de um passe social intermodal, um único título intermodal de transporte, com mais oferta, mais qualidade, segurança e fiabilidade dos transportes, à semelhança que já hoje acontece nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.

2) Considerando o elevado número de viagens os concelhos do Baixo Minho e o distrito do Porto, é fundamental que as soluções de tarifário a adoptar, para além de servir os territórios correspondente às CIM do Cávado e CIM Ave, abranjam também a Área Metropolitana do Porto.”

Só a falta de vontade política explica que aquilo que já é há anos uma realidade no Porto e em Lisboa não tenha sido já concretizado na região de Braga e no resto do País.

A aprovação da proposta da CDU em Guimarães, Braga, Famalicão e Fafe reveste-se de uma grande importância e reforça a necessidade de o Governo de maioria absoluta do PS e os autarcas do PSD e do PS que dirigem as CIM do Cávado e do Ave assumirem as suas responsabilidades políticas e concretizarem o passe social intermodal na região.

É incompreensível que se tenha realizado em Braga a iniciativa Governo Mais Próximo e não se tenha ouvido uma palavra sobre este assunto por parte de um membro do Governo ou de qualquer presidente de câmara.

A aprovação da proposta da CDU confronta os respectivos presidentes das câmaras municipais e das CIM do Cávado e do Ave com o imperativo de se empenharem efectivamente na concretização desta justa reivindicação das populações, mudando a postura passiva que lamentavelmente têm mantido ao longo do tempo.

MENINAS DO CRAV VENCEM AS LISBOETAS

Na 9° jornada do Campeonato Nacional da Divisão de Honra, a equipa feminina do CRAV defrontou a equipa Ubuntu/CDUL, de Lisboa.

JML_1831.jpg

O jogo teve lugar no Parque Desportivo de Ramalde, Porto, no passado Domingo 22 de Janeiro.

A equipa minhota, formada por uma parceria entre o Sport C. P. e o C.R. Arcos de Valdevez venceu a equipa visitante por 135-5.

Com este resultado a equipa mantém-se no 3° lugar da tabela classificativa, com uma jornada em atraso, que se realizará no próximo Domingo, 29 de Janeiro, contra a equipa da M. C. R. Bairrada.

Foto: João Lima

ESPOSENDE: AUTOCARRO DE ALUGUER QUE FAZIA A LIGAÇÃO ENTRE PORTO E ESPOSENDE EM 1926

Autocarro_1926 (2).jpg

Esta imagem, datada de agosto de 1926, mostra o autocarro de aluguer que a família Azevedo, da freguesia de Antas, concelho de Esposende, utilizava nas férias para a deslocação do Porto para Antas. No veículo encontram-se vários membros da família, entre os quais um bebé e um homem no exterior, em pose

Fonte: Biblioteca Digital do Cávado

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ESPOSENDE PRESENTE NO PORTO EM HOMENAGEM A ANTÓNIO RODRIGUES SAMPAIO

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, marcou, ontem, presença nas comemorações dos 140 anos da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, que tem como patrono a figura de António Rodrigues Sampaio, esposendense que foi um dos maiores vultos do liberalismo português de oitocentos, jornalista e parlamentar. O programa comemorativo fica marcado pelo descerramento de um monumento dedicado a Rodrigues Sampaio, junto ao edifício sede da Associação, na rua com o mesmo nome.

Homenagem Rodrigues Sampaio (5).jpg

Em sessão realizada na sede da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, fez a apresentação do Prémio Rodrigues Sampaio, galardão instituído pela Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto e que o Município de Esposende, em parceria com esta instituição, relançou este ano, com periocidade bienal.

Benjamim Pereira referiu que o Prémio visa distinguir personalidades que, pelo seu trabalho, nas áreas da cultura e da comunicação social, contribuam para uma sociedade mais inclusiva e mais crítica. A instituição deste galardão enquadra-se na política cultural do Município e nas metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Aludindo aos importantes cargos que António Rodrigues Sampaio ocupou e à sua relevante intervenção, nomeadamente a nível político, “tendo atingido os mais altos cargos da Nação”, o autarca assinalou que o reconhecimento do Município a tão ilustre figura se encontra refletido na toponímia do concelho (Largo Rodrigues Sampaio, em Esposende, onde se ergue o busto de António Rodrigues Sampaio, espaço que está a ser alvo de uma intervenção de requalificação), e na atribuição do seu nome a um Agrupamento de Escolas e ao Fórum Municipal, atual sede da Assembleia Municipal.

Na sessão interveio também o presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, Francisco Mangas, e o Vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, Filipe Araújo, que realçaram a grandiosidade da personalidade de António Rodrigues Sampaio. Germano Silva, historiador e membro da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, contextualizou a colocação do busto de António Rodrigues Sampaio, peça que a associação encomendara ao escultor Teixeira Lopes aquando da sua fundação, em 1882.

Nas comemorações marcaram também presença Franquelim Neiva Soares e Francisco Marques, descendentes de António Rodrigues Sampaio.

Nascido em S. Bartolomeu do Mar, Esposende, António Rodrigues Sampaio (1806-1882) foi jornalista e político que, entre outras funções, foi deputado, par do Reino, ministro e presidente do Conselho (chefe de governo). Foi um dos maiores vultos do liberalismo português do século XIX, jornalista ímpar e parlamentar de exceção. Personalidade controversa, polémica, mesmo revolucionária, mas sempre coerente e fiel aos seus princípios e desígnios, foi um agitador de renome nacional, o que lhe valeria a alcunha d’ O Sampaio da Revolução, em virtude de se ter notabilizando como redator principal do periódico A Revolução de Setembro.

Homenagem Rodrigues Sampaio (1) (3).jpg

Homenagem Rodrigues Sampaio (2) (2).jpg

Capturarrs1 (5).JPG

Capturarrs2 (1).JPG

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE GESTÃO DAS PESSOAS VAI REALIZAR 53º ENCONTRO NACIONAL COM LÍDERES MUNDIAIS NO PORTO EM NOVEMBRO

  • Entrevista conduzida por Ígor Lopes

A cidade do Porto, em Portugal, vai ser palco, no dia 11 de novembro, do 53º Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas (APG) by Pessoas | International People Conference, um evento que vai trazer a Portugal os maiores líderes mundiais na área de gestão de pessoas e recursos humanos, muitos oriundos de zonas lusófonas, como o Brasil, para discutir os desafios atuais nas empresas e nas organizações, mas também as questões que envolvem o mercado de trabalho.

marcAsérioReport4APGPeopleHub@ISCAC(20-05-2022)-06697 (1).jpg

Esta iniciativa, que terá lugar no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, será organizada pela APG e prevê receber um grande público. Para saber mais sobre o tema, conversamos com Pedro Ramos, presidente da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas, que falou sobre a programação, desvendou alguns dos nomes nacionais e internacionais que estarão presentes e explicou a importância do encontro para afirmar Portugal no mundo.

O que é o evento?

Trata-se do 53º Encontro Nacional da APG (Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas) que, este ano, pela dua dimensão internacional, tem uma designação acrescida com o subtítulo “International People Conferece”. Decorrerá no dia 11 de novembro na premiada cidade do Porto, mais concretamente, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto. A Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas existe a representar os Gestores de Pessoas desde 1964, mas está cada vez mais atual na ligação aos países de língua portuguesa, à Europa e ao Mundo da Liderança e da Gestão de Pessoas nas empresas e organizações.

Quem irá participar?

Vamos ter connosco os maiores gurus da atualidade da Liderança e da Gestão de RH. Desde logo, os americanos Ken Blanchard, o autor de maior referência internacional sobre liderança e Dave Ulrich, o chamado “pai” da Gestão de Recursos Humanos moderna. Também contaremos com nomes sonantes do nosso mundo lusófono: a brasileira Leyla Nascimento, uma “autoridade” mundial na gestão das pessoas. Ainda, contaremos com vários outros palestrantes do Brasil (Marcelo Pirani, Paulo Sardinha, Denize Dutra, entre outros), outros de Espanha, da Alemanha, da Colômbia, da China, dos nossos países irmãos Moçambique, Angola e Cabo Verde. E, claro, vamos ter vários renomados palestrantes portugueses. As duas palestras de abertura e encerramento serão efetuadas por 2 dos mais importantes CEOs nacionais, o Ricardo Costa e o Nelson Ferreira Pires. Nunca um evento em Portugal, num só dia, reuniu tantas estrelas cintilantes no que toca à gestão de RH no Mundo.

IMG_9036.jpg

Quais os objetivos do certame?

O grande objetivo deste nosso grande evento é descrito no nosso título do congresso: “Taking People & Business to the next level”. Ou seja, chegou o momento de passar de nível, elevar o papel da Gestão das Pessoas no mundo e associar essa nova dimensão à própria Gestão das Empresas. Se, no fim do dia 11 de novembro, conseguirmos saber qual é esse nível e como poderemos chegar lá rapidamente, o objetivo da APG terá sido atingido.

O que se pretende discutir?

Para atingir o grande objetivo, serão discutidos os grandes e principais temas que afetam hoje a Gestão e a Gestão de Pessoas nas nossas empresas e organizações. Os temas relacionados com uma nova liderança necessária nas organizações, aos temas da saúde mental, da felicidade corporativa, do envolvimento das Pessoas e do seu novo papel no desenvolvimento do Negócio, à Experiência do colaborador que exige um posicionamento das pessoas no centro das decisões, até aos novos modelos de aprendizagem nas organizações, aos novos fenómenos de humanização nas empresas com e sem a tecnologia, tema absolutamente critico sobretudo neste pós-pandemia, entre outros. Discutiremos o que hoje faz realmente a diferença para o sucesso das empresas com as Pessoas a Bordo!

Que resultados espera?

Uma partilha de ideias, reflexões, conhecimentos, mas, sobretudo, uma dimensão experiencial tão importante nos nossos dias, que ligue, como nós dizemos na promoção, “de Portugal para o Mundo e do Mundo para Portugal”! Uma partilha gigante, à dimensão do globo, com epicentro aqui em Portugal, na nossa charmosa cidade do Porto.

Como está o mundo do trabalho neste momento?

O mundo do trabalho está profundamente desafiador. A pandemia e agora a pós-pandemia veio “trazer ao cimo” uma serie de novos e renovados desafios. Desde a necessidade de repensar os modelos de trabalho, cada vez mais híbridos, até à necessidade de capacitar as pessoas e a alocar aos projetos de forma diferente, alinhando novas estratégias e novas formas de gerir os seus desempenhos e performances. Existe hoje a necessidade de, para além do trabalho, pensar “o próprio trabalho” para além das fronteiras físicas e temporais das empresas e das pessoas. Uma nova visão holística do trabalho e dos trabalhadores, uma necessidade de atrair o talento de forma continuada e esquecer os velhos modelos de retenção das pessoas e dos talentos, são marcantes nos nossos dias. E, não menos importante, a necessidade “arranjar pessoas” para as várias funções, não existem hoje trabalhadores disponíveis e a necessidade de atração atingiu níveis nunca antes imagináveis. Este é o novo mundo do trabalho! Bem-vindos. Estes desafios são mesmo à escala mundial.

O que motiva ações e eventos como este?

Cada vez mais, estamos menos só no mundo! É essencial juntar todas as vozes, mas, sobretudo, todos os protagonistas que vivem com as mesmas “dores” e sentem os mesmos desafios. Depois, é importantíssimo acrescentar valor e elevar o nível da discussão entre os Gestores de Pessoas por forma a ajudar a desenhar os percursos mais eficazes na obtenção de resultados nas empresas. A APG tem esta missão. Potenciar o melhor que as empresas têm – as suas Pessoas!

Qual a importância deste encontro para o mercado de trabalho e empresarial de Portugal?

É de extraordinária importância como hub de conhecimento e experiência para reunir as melhor experiências e conhecimentos e distribuir essas mesmas experiências transformando-as em melhores práticas de gestão das pessoas. Logo, é essencial para um país como Portugal, que está hoje no centro do mundo das decisões e ligações à Europa, a África e às Américas, liderar esta confluência das melhores práticas da Gestão de RH.

Entidades de que países estarão presentes?

Temos, para além das individualidades que participação a título individual, vários palestrantes que nos trarão cases internacionais extraordinários. Da Alemanha, o Philipp Zimmerman vai trazer-nos o case do processo de transformação global da Siemens, da China, teremos a Renata Thiebaut que apresentará o que a super renomada Alibaba está a fazer no que toca à transformação das competências na era digital, do Brasil, a Camila Almeida da Companhia Aérea Azul vem apresentar-nos o case de como se tornou numa das mais premiadas companhias aéreas do mundo sempre com  foco nas Pessoas e na dimensão “employee experience”, só para dar alguns exemplos. E não podemos esquecer a presença das empresas que em Portugal fazem a diferença nestas matérias como a Adecco, a Randstad, a Multipessoal, a Swaifor, a Cegoc, a Coverflex, a Ticket Restaurant, a The Key Talent, a Keep, entre outras que estarão presentes connosco e que nos apoio nesta “viagem”.

Quantos participantes são esperados?

Esperamos várias centenas de participantes naquele que marcará o primeiro grande Encontro Internacional de Gestão de Pessoas em Portugal nesta pós-pandemia. Para se inscrever baste aceder a este site: https://eventos.eco.pt/enapg/. Neste site do evento, encontrará todas as informações necessárias sobre este nosso 53º Encontro Nacional da APG | International People Conference.

Como a APG avalia a pertinência desta iniciativa?

Este é “o” Encontro de Gestores de Pessoas no Mundo que marcará o início daquilo que será a nova Gestão de Pessoas no Mundo. Logo, a nossa APG | Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas está muito animada e com um enorme sentido de responsabilidade sobre esta nossa missão. Expetativa em alta, animação na preparação ao rubro. Vamos lá acolher a Gestão de Pessoas de “Portugal para o Mundo e do Mundo para Portugal”.

Qual o valor das pessoas para o mercado de trabalho?

Para responder a esta questão, vou parafrasear o meu amigo Ricardo Costa que fará o discurso de abertura do nosso congresso: “As Empresas não são feitas de Pessoas, as Empresas SÃO as Pessoas”! Tudo dito…

Por que realizar no Porto?

Um dos objetivos da atual Direção da APG é, precisamente, apostar numa #APGdeTodos! Por isso, é preciso descentralizar, ir para junto dos Gestores de Pessoas e das Empresas e deixar de considerar Lisboa como o único epicentro das decisões e das partilhas. Assim, só poderíamos este ano fazer o nosso Encontro Nacional noutra cidade que não Lisboa. O Porto é, desta forma, o nosso próximo destino. A cidade do Porto é uma das mais premiadas da Europa, tem meios e uma atratividade incrível, e sabe receber “como ninguém”. Assim, diria, “todos os caminhos da Gestão de Pessoas” vão dar ao Porto no dia 11 de novembro!

Qual a diferença desta edição para as anteriores?

A edição anterior do nosso Encontro Nacional foi on-line devido à pandemia. Ainda assim, tratou-se de um evento verdadeiramente nacional. Tivemos participações e mesas redondas das várias regiões de Portugal, de norte a sul, incluindo as ilhas. Este ano, a APG resolveu arrojar bem mais e partir à conquista do Mundo. Estamos na edição nº 53 do Encontro Nacional, um evento promovido anualmente pela Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas (APG).

Qual o perfil esperado dos participantes?

O perfil dos participantes é bem eclético. Basicamente, esperamos Líderes de topo das empresas e Gestores de Pessoas de diferentes setores de atividade e de empresas nacionais, multinacionais, grande, médias e pequenas empresas, bem como Gestores com diversos perfis académicos e profissionais. Uma enorme riqueza para a discussão, análise e debate de ideias e partilha de experiências.

IMG_9021 (7).jpg

QUEM FOI O JORNALISTA LIMIANO SEVERINO COSTA?

severino_costa (4).jpg

Severino Costa nasceu em Ponte de Lima, em 1912 e foi viver para Viana do Castelo, onde concluiu o Curso Geral dos Liceus.

Em 1918, assume a direcção do semanário "Correio do Minho" e em 1920 subscreve o primeiro editorial no "Correio do Minho", defendendo as suas convicções democráticas e republicanas. Neste mesmo ano é admitido como funcionário do Banco Nacional Ultramarino, produzindo vários trabalhos ligados a esta área: "A Conversão da Dívida Pública Portuguesa", "Crédito Documentário" e "Operações da Bolsa".

A partir de 1925, passa a correspondente regional do diário "O Século".

Em 1945, torna-se Delegado Distrital do Jornal "Comércio do Porto", com as colunas: "Flagrantes do Momento", "Documentos Limianos", "Vinhetas Vianenses" e "Dia a Dia no Cidade".

Colaborou ainda no "Faro de Vigo", "Pueblo Gallego", "Diário de Valladolid", "A Aurora do Lima", "Notícias de Viana" e na Revista "Cadernos Vianenses".

Fundou a Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Alto Minho e o Cine-Clube em 1955. Foi 2º Secretário do Instituto Histórico do Minho e membro da secção vianense do Rotary Clube (do qual também foi presidente).

Em 1976, publicou um ensaio "Eça de Queiroz - Subsídios Biográficos" no qual analisou a ligação de Eça com Viana e em Abril deste mesmo ano, a Câmara Municipal de Viana do Castelo atribui-lhe a Medalha de Ouro da Cidade.

Faleceu em 14 de Abril de 1990, tendo o seu nome perpetuado numa artéria da cidade, por deliberação da Câmara Municipal, em 16 de Novembro de 1992.

O Arquivo Privado de Severino Costa foi oferecido ao Arquivo Municipal em 1997, pelo seu filho Carlos Eurico da Costa e em 2006, por sua nora D. Maria Bernardete Moreira da Cruz.

Este espólio é uma referência única da história etnográfica e monumental contemporânea vianense, constituído por cerca de 1400 fotografias (da sua autoria e colecionadas de outros autores) e 3100 negativos.

Fonte: Arquivo Municipal de Viana do Castelo