Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO: VERÃO DESPORTIVO REGRESSA À PRAIA NORTE EM JULHO E AGOSTO

Nos meses de julho e agosto, a iniciativa Verão Desportivo está de regresso para garantir desporto e animação na Praia Norte nas manhãs de domingo. A iniciativa, que corre nos quatro próximos fins-de-semana, visa incentivar a prática desportiva, promover estilos de vida saudáveis e proporcionar atividades para todos na praia citadina, contando com um horário das 10h00 às 13h00.

A programação desportiva inicia já este domingo, 21 de julho, com as propostas desportivas a incluírem Voleibol e Jogos Pré Desportivos (Hóquei em Campo/ Malha/ Mesa de matraquilhos/ Lançamentos de vortex).

No dia 28 de julho, o programa integra Badminton, Ténis de mesa, Futsal e novamente Jogos Pré Desportivos.

A 4 de agosto, a programação conta com Ténis, Esgrima, Pickleball e Jogos Pré Desportivos (Hóquei em Campo/ Malha/ Mesa de matraquilhos/ Lançamentos de vortex).

O último fim-de-semana desportivo é a 11 de agosto, com Capoeira e Jogos Pré Desportivos (Hóquei em Campo/ Malha/ Mesa de matraquilhos/ Lançamentos de vortex).

Viana do Castelo é um concelho que respira desporto e que promove inúmeras atividades das mais variadas modalidades ao longo do ano. Conta atualmente com 4.500 atletas federados e mais de 10.000 não federados, distribuídos por mais de 100 de clubes e coletividades que promovem regularmente mais de 50 modalidades, atividade física e/ou desporto federado.

VERÃO DESPORTIVO 2024_2.jpg

VERÃO DESPORTIVO24_quadrado1.jpg

VERÃO DESPORTIVO24_quadrado2.jpg

VERÃO DESPORTIVO24_quadrado3.jpg

VERÃO DESPORTIVO24_quadrado4.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA E CONFRARIA ASSINARAM PROTOCOLO PARA INSTALAÇÃO DO QUEIMADOR DE VELAS NO SANTUÁRIO DE S. BENTO DAS PERAS

ass CSB (1).jpg

O Presidente da Câmara, Victor Hugo Salgado, e o Presidente da Confraria de S. Bento das Peras, Xavier de Freitas, assinaram o protocolo de concessão de apoio financeiro para a instalação do Queimador de Velas no Santuário de S. Bento das Peras.

De realçar que o objetivo deste apoio é o de tornar o ato religioso mais digno e oferecer uma maior comodidade aos peregrinos que o utilizam, sendo que a Câmara Municipal atribuiu um apoio de €5.614,95.

De relembrar que a Confraria de S. Bento das Peras foi fundada em 1999, tendo como principal objetivo a dinamização do Santuário, criando em simultâneo, um leque de boas condições para melhor acolher os milhares de peregrinos que se deslocam a este local de devoção ao Padroeiro da Cidade de Vizela, S. Bento das Peras.

O Santuário de Bento das Peras é um dos principais pontos de atração turísticos de Vizela, centro de peregrinação e de significativo sentido religioso e de devoção de multidões de devotos que para aí constantemente convergem. A Confraria de São Bento das Peras, a quem está confiada a gestão do Santuário de São Bento das Peras, promove a festa religiosa em honra deste ilustre Santo, a Romaria de S. Bento das Peras, em julho, e que atrai a Vizela milhares de peregrinos.

Assim, o apoio a esta obra vem no seguimento da estratégia municipal de promoção turística implementada ao longo dos últimos anos, potenciando ao mesmo tempo, dinâmicas que permitam a consolidação da imagem e identidade do Concelho de Vizela enquanto destino turístico, divulgando os segredos de um vale recheado de saberes, sabores e tradições.

MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA PROMOVE ARTE URBANA EM HOMENAGEM A FERNANDO PIMENTA E HÉLIO LUCAS

Capturarpi.JPG

O Município de Ponte de Lima promoveu a execução de um mural de Arte Urbana em homenagem a Fernando Pimenta e Hélio Lucas, num dos pilares da Ponte Nossa Senhora da Guia.

Hélio Lucas treina Fernando Pimenta há mais de 20 anos e grande parte da sua vida foi dedicada à modalidade de canoagem, ao Clube Náutico, de quem foi membro fundador, e a Fernando Pimenta. A garra e a paixão de Fernando Pimenta chamaram a atenção de Hélio Lucas e assim nasceu esta relação canoísta/treinador, que com o tempo se tornou também numa relação de amizade e respeito.

Fernando Pimenta, consagrado atleta limiano, detentor de dezenas de títulos europeus, mundiais e olímpicos, é o atleta português de canoagem mais galardoado, será porta-estandarte de Portugal na Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos Paris 2024. O Município de Ponte de Lima aproveita a oportunidade para, publicamente, desejar a estes dois grandes embaixadores de Ponte de Lima uma participação extraordinária nos Jogos Olímpicos.

O mural que homenageia estes dois limianos campeões, apaixonados pela canoagem e pelas águas do Rio Lima, foi pintado pela artista Daniela Guerreiro e situa-se num dos pilares da Ponte Nossa Senhora da Guia, junto ao Centro Náutico Fernando Pimenta.

VIANA DO CASTELO: VOLUNTÁRIOS DA ASSOCIAÇÃO JUST A CHANGE REABILITAM MAIS DUAS HABITAÇÕES NO CONCELHO

20240718_101612.jpg

A Associação Just a Change – Reabilitação de casas está, neste momento, a reabilitar mais duas habitações no concelho. O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, e a Vereadora da Coesão Social, Carlota Borges, acompanharam hoje os trabalhos que estão a ser promovidos por jovens voluntários para a requalificação das residências de duas famílias carenciadas.

A associação está a reabilitar uma habitação na Rua Prior do Crato, na União de Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela e outra habitação no Caminho do Mar, freguesia de Chafé.

O Município apoiou a Just a Change logisticamente, garantindo as dormidas e refeições dos voluntários, que devem concluir as requalificações no final desta semana.

A Associação Just a Change é uma IPSS que se dedica a reabilitar casas de pessoas em situação de pobreza habitacional. A sua operacionalização no terreno é realizada através da mobilização de voluntários que transformam casas em elevado estado de degradação em lugares dignos de serem vividos.

O trabalho da Just a Change tem como missão a melhoria das condições de vida e de habitabilidade, junto da população em maior vulnerabilidade socioeconómica, tem impacto direto na redução da pobreza e traz também melhorias significativas em termos de saúde pública e eficiência energética.

20240718_102051.jpg

20240718_104500.jpg

20240718_104543.jpg

20240718_104729.jpg

20240718_104748.jpg

MAIS DE 2500 FAMALICENSES PARTICIPARAM NAS AULAS GRATUITAS DO MOVE-TE

AFS_9699 (1).jpg

Iniciativa decorreu ao longo de um mês, entre 17 de junho e 12 de julho

Mais de 2500 famalicenses usufruíram das aulas gratuitas do Move-Te que aconteceram nas últimas quatro semanas. A edição de 2024 do programa municipal de promoção do desporto ao ar livre arrancou no dia 17 de junho e terminou na passada sexta-feira, 12 de julho, com a realização da 2.ª Caminhada Noturna que contou com a participação de mais de duas centenas de pessoas, que percorreram o trilho de 12 quilómetros com passagem pelas freguesias de Seide, Vermoim e Requião.

O programa desportivo Move-te, promovido pelo Município de Vila Nova de Famalicão em parceria com mais de 70 instituições locais, nomeadamente, juntas de freguesia, associações e ginásios do concelho, passou por três dezenas de freguesias famalicenses, com uma programação composta por 160 horas de exercício físico ao ar livre, distribuídas por 33 modalidades desportivas.

Recorde-se que estava inicialmente prevista a realização de 187 aulas gratuitas no âmbito do Move-Te 2024, contudo, por não estarem reunidas as condições climatéricas necessárias para a realização das sessões ao ar livre em alguns dos dias programados, houve a necessidade de suprimir algumas das sessões previstas em diferentes freguesias.

AFS_9688 (1).jpg

“ARCOS FADO FEST” TRAZ GRANDES NOMES DO FADO A ARCOS DE VALDEVEZ

Durante três dias Arcos de Valdevez vai ser a capital do Fado, com "Fado DJ", concertos de guitarra portuguesa e os fadistas Marco Rodrigues e Sara Correia, sempre acompanhados com os melhores vinhos do já habitual Festivinhão.

Arcos de Valdevez recebe, nos dias 19, 20 e 21 de julho, a primeira edição do “Arcos Fado Fest”, um evento único no Norte do país e que coloca nesses dias o concelho no centro da promoção e valorização deste património sonoro e cultural nacional e mundial.

Os destaques vão para as noites de 20 e 21 de julho, com os concertos no palco principal de Marco Rodrigues, também curador do festival, e Sara Correia, apostas seguras e absolutas referências da nova geração de fadistas nacionais. Mas o evento conta ainda com atuações de guitarra portuguesa, apresentação de livros, fado universitário e de nomes locais e da região, não esquecendo um inovador e surpreendente momento de “Fado Dj”, ligando a música eletrónica e a tradição a cargo do arcuense FreakJ.

Mas o “Arcos Fado Fest” será também espaço de fruição dos melhores vinhos verdes do concelho e da região, uma vez que a edição deste ano do “Festivinhão”, festival enoturístico de Arcos de Valdevez, será integrado no evento, ligando assim de forma sublime dois elementos nucleares de celebração cultural: o fado e o vinho. 

Programa

Dia 19 (sexta)

18h00 – Abertura do Arcos Fado Fest e Festivinhão

local: Palco 2 - Espaço Festivinhão / Street Food Tour

18h30 – “Guitarras ao Vez”

concerto de guitarra portuguesa

com Francisco Moreira e Mike Martins.

22h00 – “Fado DJ”J

música eletrónica e fado com FreakJ

24h00 – Fecho

Dia 20 (sábado)

09h30 – Visita guiada às Vinhas Muros de Grade e Quinta da Torre de Aguiã

(inscrição prévia pelo 934901967 ou 258247323)

11h00 – Abertura

11h30 – “Fado na Vila”

show-case de fado na zona urbana

local: Largo da Lapa e Trasladário

12h30 – “Fado DJ”

local: Palco 2 - Espaço Festivinhão / Street Food Tour

15h00 – apresentação do livro “Ó gentes da minha terra” da autoria de Marta Alves

15h30 – “Fado Estudante”

fado estudantil e universitário

com Grupo de Fados de Medicina do Porto

16h30 – “Vozes do Vez”

espetáculo de fadistas de várias gerações com Milay Lagarto

17h30 – “Fado DJ”

21h30 – Concerto de Marco Rodrigues

local: Palco1

24h00 – Fecho

Dia 21 (domingo)

11h00 – Abertura

11h30 – “Vozes do Vez”

espetáculo de fadistas de várias gerações com Ana Rita Prada, Francisco Moreira e Mike Martins

local: Palco 2 - Espaço Festivinhão / Street Food Tour

12h30 – “Fado DJ”

15h30 – “Vozes do Vez”

espetáculo de fadistas de várias gerações com grupo Vez do Fado e Tânia Gomes

17h30 – “Fado DJ”

21h30 – Concerto de Sara Correia

local: Palco1

24h00 – Encerramento do Arcos Fado Fest

*todos os eventos são de entrada gratuita

ARCOS FADO 2024 - JULHO- MUPI - Cópia.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ COMEMORA DIA DO CONCELHO

Dia do Concelho_nota de imprensa.JPG

“Em Arcos de Valdevez temos avançado na construção de um concelho mais justo, mais próspero, mais sustentável e para todos”, Presidente da Câmara Municipal

Arcos de Valdevez celebrou o Dia do Concelho com grande alegria e entusiasmo, tendo as comemorações começado no dia 11 e sido prolongadas até aos dias 12 e 13 de julho, com a realização da Recriação Histórica do Recontro de Valdevez, no Paço de Giela.

Da programação fez parte, no dia 11 de julho, o hastear das Bandeiras, com a participação dos Bombeiros Voluntários, Corpo Nacional de Escutas e Banda da Sociedade Musical de Arcos de Valdevez, na Praça Municipal, seguindo-se a sessão Solene de Comemoração do Dia do Concelho.

Neste momento, o Presidente da Câmara Municipal destacou o trabalho realizado pela autarquia no último ano, afirmando que a Câmara Municipal executou mais de 31 milhões de euros, um aumento de 3,2 milhões de euros face ao ano anterior”, adiantando também que foi a “maior execução do Orçamento desta última década.” João Esteves revelou ainda que de acordo com o “Anuário Financeiros dos Municípios, Arcos de Valdevez está no top dos municípios do Alto Minho com “Melhor Eficiência Financeira”.”

O autarca destacou também que o Município está a reforçar o apoio às pessoas, às empresas, às instituições e às associações, referindo que a “Câmara Municipal tem uma política de incentivos económicos e fiscais amiga das pessoas e das empresas, com vários programas de apoio ao investimento e às atividades das entidades e das empresas”. Aproveitando para revelar o reforço do investimento público em áreas como a Educação, a habitação e o apoio à atividade empresarial.

Relativamente à EDUCAÇÃO lembrou que o Município, no último ano, investiu “mais de 1,6 milhões de euros no reforço da ação social aos alunos” e foi apresentada uma candidatura para uma nova Escola para Ensino Artístico, de Música, Dança e Teatro.

Na HABITAÇÃO destacou que “foi adjudicada a construção de 8 habitações sociais em Guilhadeses e está em fase de adjudicação o Loteamento em Souto, para mais 8 habitações”, revelando ainda que “está também prevista a construção de um prédio em Parada, para 10 fogos. Obras que têm o valor global de cerca de 3 milhões de euros. Estão para concurso duas obras de reabilitação, uma do Bairro da Quinta da Capela a realizar pelo Município e outra para o Bairro do Sobreiro, a realizar pelo IHRU.” A Câmara Municipal também recebeu o protocolo com o IHRU para o Loteamento em Casal Soeiro, em Vila Fonche, destinado à construção de 60 habitações para renda acessível, um investimento de mais de 10 milhões de euros.

Na SAÚDE a Câmara Municipal assinou o contrato de financiamento e vai abrir o concurso para as obras de requalificação do Centro de Saúde, tendo realizado as obras na Extensão do Centro de Saúde de Soajo, que já reabriu.

Na BENEFICIAÇÃO DA REDE VIÁRIA E REFORÇO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA foram concluídas obras de 5 Milhões de euros e estão em curso ou em concurso mais 4 Milhões de euros de obras em 34 freguesias do concelho.

João Esteves disse ainda que teve uma reunião com o Ministro das Infraestruturas e Habitação sobre a “execução da ligação à fronteira da Madalena/Ourense e das melhorias da EN 202 até Jolda Madalena, da EN 101 (Monção e Braga) e da EN até Soajo, e vai haver novidades.”

Para manter a atual rede de transportes públicos no concelho, 12 linhas de autocarro, a Câmara Municipal está a pagar 600 mil euros aos operadores e está a estudar a implementação do transporte flexível em determinadas zonas do concelho, que não são servidas por transporte público regular.

No âmbito do PATRIMÓNIO E CULTURA referiu que foram investidos mais de 1,7 milhões de euros. “Temos uma rede de 8 equipamentos culturais e uma agenda cultural de referência nacional”, atestou.

No DESPORTO E LAZER a Câmara Municipal investiu cerca de 1,4 milhões de euros e “irá avançar com a 3ª fase da Zona Desportiva, e está a ser reforçado o apoio às associações culturais e desportivas.”

Na VALORIZAÇÃO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL, destacou a conclusão do Eco Parque do Vez, assim como avançou que no último ano “concluímos, estão a decorrer ou em concurso obras em 12 freguesias no valor de cerca de 3 milhões euros.” De igual modo afirmou que a autarquia está “a promover, em articulação com o Ministério do Ambiente e a CCDR-N, a valorização do PNPG, o projeto da Branda Científica de S. Bento do Cando e a Quinta Ciência Viva, no antigo centro de formação em Monte Redondo.”

No DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E INOVAÇÃO disse que foram executados “mais de 1,6 milhões de euros. Foi concluída a expansão do Parque Empresarial de Paçô e o Parque Empresarial de Álvora, na Zona Norte e vai ser criado o quinto Parque Empresarial, na Prova, onde estão previstos mais 17 lotes.”

Ao nível do COMÉRCIO adiantou que a Câmara Municipal implementou o PROCOM e em três edições “já apoiou 55 comércios locais, no valor de mais de 500 mil euros”.

 Naquilo que toca à DINAMIZAÇÃO E PROMOÇÃO DO MUNDO RURAL,foram concedidos apoios num valor superior a 180 mil euros.”

João Esteves também revelou que está em fase de conclusão a revisão do PDM e que a Câmara Municipal tem pugnado “junto da Administração Central por uma revisão que permita criar condições para uma efetiva política de uso de solos que contribua para a fixação e atração de pessoas e investimentos.”

Mais referiu que “Está também em curso a elaboração do Plano Estratégico Arcos de Valdevez 2030”.

Na PROTEÇÃO CIVIL E SEGURANÇA foram feitos vários investimentos em recursos humanos, infraestruturas e equipamentos para a proteção civil, e seriam inauguradas as obras de ampliação do Centro de Meios Aéreos/Heliporto de Arcos de Valdevez.

Por fim, o autarca agradeceu “o envolvimento, o contributo e o entusiasmo dos colaboradores da Câmara Municipal, das Juntas de Freguesia e da Assembleia Municipal, das associações e instituições, das empresas e dos arcuenses, residente e emigrantes”, afirmando ainda que “Contamos com todos na construção de um Futuro cada vez mais solidário, mais inovador, mais atrativo, mais sustentável e com mais oportunidades em Arcos de Valdevez onde Portugal se Fez, Faz e Fará com TODOS e para TODOS.”

VIANA DO CASTELO: S. BARTOLOMEU DOS MÁRTIRES FALECEU HÁ 434 ANOS – CELEBRA-SE HOJE A SUA FESTA LITÚRGICA

22124551_wmWMp.jpeg

Passam 434 anos da morte de S. Bartolomeu dos Mártires. Para além da imagem que retrata a estátua em sua memória erigida no largo de S. Domingos em Viana do Castelo, bem na frente do convento com o mesmo nome que lhe era tão querido, recordamos a sua vida com duas imagens do livro de Assentos de Casamentos (misto: 1553 a 1583) da paróquia de Monte Redondo no concelho de Arcos de Valdevez.

Foi lançado neste livro, a 8 de outubro de 1564, a ata da execução do decreto do Concílio de Trento, proibindo os casamentos clandestinos. Como participante no Concílio de Trento, Bartolomeu dos Mártires causou admiração, inclusive no Papa, pela sua ação empolgante durante o mesmo. No mesmo livro também se encontra registada a visitação feita por Dom Bartolomeu, enquanto Arcebispo de Braga, à referida paróquia.

Fonte: Arquivo Distrital de Viana do Castelo

216543126_342073870897400_2257154646579385577_n.jp

217733776_342073784230742_5678869040451625407_n.jp

Dom Frei Bartolomeu nasceu em Lisboa, em 1514, na freguesia de Nossa Senhora dos Mártires, e entrou na Ordem Dominicana em 1528. Foi professor nos Conventos de S. Domingos de Benfica, Batalha e Évora. Foi depois também Prior do Convento de Benfica e finalmente Arcebispo de Braga (1559 1582). Encontra-se sepultado em Viana do Castelo no Convento de S. Domingos que ele próprio mandou construir e onde se recolheu até à sua morte em 16 de julho de 1590.

Foi decisiva a sua contribuição, na última sessão do Concílio de Trento (1561 1563), para reformas na Igreja que, no seu dizer, «estava para cair». Entre as Petições que apresentou neste Concílio, destacam-se duas, pela sua atualidade: a obrigação dos Pastores permanecerem próximos dos fiéis que lhes estão confiados, um dever para o qual o Papa Francisco repetidamente tem chamado a atenção; a criação de seminários, como obrigatórios para a formação humana e espiritual, teológica e pastoral dos sacerdotes, tão urgente naquela época e necessária nos dias de hoje.

O próprio Papa Pio IV, que ele visitou pessoalmente em Roma durante uma interrupção da sessão conciliar, qualificou assim, em carta enviada ao Cardeal Dom Henrique, a sua participação no Concílio: «Tal satisfação nos deu, no tempo em que participou, com a sua bondade, religião e devoção, que o ficámos tendo em grande conta, com tamanho conceito da sua honra e virtude que não poderão alterá-lo queixumes de ninguém».

Regressado à sua Arquidiocese, prosseguiu com reformas já antes iniciadas e, pelo menos algumas delas, confirmadas e oficializadas por decisões conciliares:

– Fundou o Seminário, o primeiro em toda a cristandade, para a formação dos presbíteros, uma novidade que o Papa S. João Paulo II fez questão de mencionar na celebração da sua beatificação.

– Para formação e uso dos sacerdotes, designadamente no seu ministério de instruir os fiéis e os consolidar na fé e prática de vida, escreveu o «Catecismo ou Doutrina Cristã e Práticas Espirituais», dois anos antes de ter sido publicado o Catecismo do Concílio de Trento pelo Papa S. Pio V.

– Promoveu e impôs uma rigorosa administração dos bens eclesiásticos, para os repartir equitativamente, «sem entesourar nada», como ele escreveu, fomentando e pondo em prática uma especial solicitude para com os mais pobres e desprotegidos. Costumava dizer que «em sua casa só ele era o estranho e os pobres eram os verdadeiros e naturais senhores dela».

– A sua proximidade ao povo que lhe estava confiado levou-o a calcorrear repetidamente toda a Arquidiocese de Braga, em periódicas visitas pastorais, percorrendo, com os limitados meios de então, um território cuja extensão compreendia também a atual Diocese de Viana do Castelo e partes das atuais Dioceses de Vila Real e Bragança-Miranda.

– Primariamente para sua própria orientação espiritual e pastoral, escreveu o famoso «Estímulo dos Pastores» que viria a ser editado por S. Carlos Borromeu, seu discípulo e apreciado amigo, e que, séculos mais tarde, iria ser oferecido pelo Papa Paulo VI a cada um dos bispos no encerramento do II Concílio do Vaticano.

Em todas estas e outras iniciativas e atividades mostrou a audácia, o ardor apostólico, a generosidade, a simplicidade e a santidade que fizeram dele um pastor exemplar para todos os tempos, incluindo os nossos. Assim o reconheceu explicitamente o Papa S. João Paulo II, ao beatificá-lo, a 4 de novembro de 2001, isto é, poucos dias depois de terminar o Sínodo dos Bispos que se dedicou à reflexão sobre a vivência do ministério episcopal, e ao referir-se às visitas pastorais do Beato Bartolomeu na Exortação Apostólica Pós-sinodal Pastores Gregis (n.º 46).

A sua vida e obra transpiram aquele dinamismo missionário sem fronteiras, aquela profunda convicção cristã que nascem da «Alegria do Evangelho» e são muito acentuadas pelo Papa Francisco: «O entusiasmo na Evangelização funda-se nesta convicção. Temos à disposição um tesouro de vida e de amor que não pode enganar, a mensagem que não pode manipular nem desiludir. É uma resposta que desce ao mais fundo do ser humano e pode sustentá-lo e elevá-lo. É a verdade que não passa de moda, porque é capaz de penetrar onde nada mais pode chegar. A nossa tristeza infinita só se cura com um amor infinito» (Evangelii Gaudium, n.º 265).

Nota Pastoral da CEP sobre “Bartolomeu dos Mártires, Modelo para a renovação da Igreja”. 1 DE Maio de 2014. Por ocasião das comemorações dos 500 anos do seu nascimento.

16916881_22kld.jpeg

BARCELOS APRESENTA TRÊS NOVAS EXPOSIÇÕES EM QUATRO ESPAÇOS MUNICIPAIS

Lisa Barbosa.jpg

Museu de Olaria, Torre Medieval, Posto de Turismo e Espaço Cultura

Três novas exposições vão ocupar quatro espaços municipais - Museu de Olaria, Torre Medieval, Posto de Turismo e Espaço Cultura. 

A primeira a abrir ao público é uma coletiva sob o tema “O Galo de Barcelos - um produto de tradição, no caminho da inovação” e vai ser inaugurada às 17h do dia 19 de julho na Torre Medieval e Posto de Turismo.

No mesmo dia, mas às 21h30, abre ao público “Um só caminho, múltiplos olhares”, de António Miranda, no Espaço Cultura - Galeria de Exposições Temporárias.

Uma semana depois, sábado, dia 27 de julho, no Museu de Olaria é inaugurada a exposição “Lavar o Barro - Da Memória Individual à História Coletiva”, da jovem artesã, Lisa Barbosa, e que estará patente até 29 de setembro.

 O Galo de Barcelos - um produto de tradição, no caminho da inovação” | Torre Medieval e Posto de Turismo

A figura maior do Figurado de Barcelos - o Galo - transformou-se numa peça de autor e num produto cultural de excelência, sem prejuízo da sua dimensão identitária que está no imaginário turístico daqueles que nos procuram. O Galo aparece em novos estilos e formas e cada artesão tem uma visão e expressão própria para este ícone, seja produzido no usual barro, na madeira ou em metais e derivados. O Galo recupera formas, reinventa colorações, mistura pinturas e reflete outros símbolos da identidade nacional, como o fado, os lenços de namorados do Minho, entre outros. E também assume as cores, as tendências, os gostos da sociedade atual e transforma-se num símbolo que ultrapassa a sua própria origem identitária.

Um só caminho, múltiplos olhares”, de António Miranda I Espaço Cultura - Galeria de Exposições Temporárias.

António Miranda, pintor barcelense, é, segundo Arturo Diaz, um “Artista paisagista, a Paisagem figurativa é a matriz da sua arte! Nela começou o seu percurso e a ela se mantém fiel, explorando outras possibilidades e virtualidades percetivas. Neste sentido, Miranda é esse experimentador que tem evoluído no seu percurso artístico rumo a outras figuras de um paisagismo que toca às margens do abstrato e do surreal! Desde a sua primeira Exposição na Biblioteca Municipal de Barcelos (2014) até hoje, o seu talento e engenho artísticos têm evoluído, não só no plano do domínio das técnicas, mas sobretudo no apuramento da sua perceção do mundo”.

Lavar o Barro - Da Memória Individual à História Coletiva, de Lisa Barbosa | Sala da Capela do Museu de Olaria

No sábado, dia 27 de julho, o Museu de Olaria inaugura a exposição “Lavar o Barro - Da Memória Individual à História Coletiva, da jovem artesã, Lisa Barbosa” e que estará patente até 29 de setembro.

Lisa Barbosa (1998) estudou Artes Plásticas - Escultura na Faculdade de Belas Artes do Porto e complementou a sua formação em Cerâmica no Curso de Cerâmica Criativa no Centro de Formação Profissional para a Indústria Cerâmica, nas Caldas da Rainha. Crescida no campo em terras barcelenses desde cedo tem contacto com os barros da família e é com esta especial ancestralidade da matéria que brotou uma paixão que se torna real fundamentalmente através da Escultura, Instalação, Desenho e Têxtil.

"Nesta exposição, quebra-se a parede que separa o público do doméstico, confrontando os dois até que se diluem. O conforto expectável do lar e o desconforto dos seus segredos. O poder paternal e a fragilidade aparente das amantes de flores. A morte e o Erotismo. A procura recorrente e redundante de desatar o nó que foi inconscientemente desenvolvido ou mais acertadamente, herdado. Lavar o Barro é uma tentativa irónica, pesada e sensível de representações que ressaltam os comportamentos humanos e seus instintos mais brutos. Uma fábula que cria contacto profundo com as nossas sensações individuais que estão inevitavelmente conectadas com os nossos antecedentes. Um pouco de mim, de vocês, e de nós."

galo_barcelos_.png

António Miranda_exposição.jpg

FESTA BRANCA 2024 EM FAFE COM PROGRAMA VARIADO

A Festa Branca está de regresso a Fafe com um programa que conta com atuações de Nenny e Drenchill.

A Festa Branca está de volta a Fafe este fim de semana do dia 19 ao 21 de julho, onde, além dos concertos e animação de rua é promovido um vasto programa de performances, instalações e exposições. Os espaços culturais e turísticos de Fafe estarão abertos ao público em horário alargado e com entrada gratuita.

Na praça Mártires do Fascismo (Feira Velha) será instalado o Palco Fafe onde se realizarão os concertos de Nenny e Drenchill, os cabeças de cartaz desta Festa Branca 2024.

Nenny, jovem cantora, compositora e rapper portuguesa irá atuar pelas 23h00 num concerto que promete ser imperdível, logo seguida por Drenchill, o artista português mais ouvido no Spotify em todo o mundo, que estará em Fafe pela primeira vez, iniciando a sua atuação às 00h30.

Na Praça 25 de Abril atuarão os DJ’s Kyd3n às 22h00, Chinelos com Vida às 00h00, DJ Nino às 1h30 e Jimmy, que terminará a noite de festa a partir das 3h00, numa proposta do Club Fafense, precursor da Festa Branca em Fafe.

A Banda Faz de Conta junta-se à Festa Branca e fará animação itinerante, pelas ruas da cidade, a partir das 21h00.

Inspirada nos movimentos do Norte da Europa em que se faz a celebração do crepúsculo (que dura toda a noite) e que se destacam pela programação cultural naquela que se designa por «noite branca», a Festa Branca mantém o seu formato.

A Biblioteca Municipal, Arquivo Municipal e os espaços de exposição estarão abertos entre as 14h00 e as 22h00.

A Festa Branca é organizada pelo Município de Fafe com a participação do Club Fafense. Nesta edição da Festa Branca irá decorrer, do dia 19 ao dia 21 de julho, a 1ª Edição em Fafe da Street Food Tour, onde os visitantes poderão vivenciar uma experiência gastronómica única, nos locais de venda expostos na Praça 25 de Abril, junto ao Memorial dos Presidentes da República. Haverá bares e pontos de street food noutras localizações da cidade.

Arquivo Municipal

No Arquivo Municipal será possível visitar a exposição histórico-documental evocativa do centenário do Teatro Cinema de Fafe «100 anos de História, 100 anos de Memórias». Esta exposição, patente até dia 31 de outubro, passa em revista o percurso histórico da mais emblemática sala de espetáculos do concelho.

Teatro Cinema

O Teatro Cinema receberá a peça de teatro cipriota “The River”, no dia 20 de julho, pelas 21h30, com entrada livre. Esta peça de teatro incide sobre duas pessoas que se encontram junto ao rio, vivendo cada uma delas de um e outro lado do mesmo. Mas que não têm uma boa relação, mantendo assim, uma constante tensão. Chega um estranho à terra que se apresenta como construtor de pontes e propõe construir a paz construindo uma ponte. Mas, apesar de todos os esforços, não conseguem mudar a situação. Tudo o que acontece entre estas duas pessoas representa afinal o que se passa atualmente na ilha de Chipre. A ilha de Chipre foi dividida em 1974 – faz 50 anos em julho – após uma invasão da Turquia em resposta a um golpe de Estado de uma junta militar apoiada pela Grécia.

Este peça de teatro insere-se no MIT24, uma parceria entre a Companhia de Teatro de Braga e a Eurásia Theater Association, estrutura que integra teatros, companhias e festivais de 30 países da Europa e da Ásia com o objetivo de promover a paz e a interculturalidade através do teatro.

Este ano o Município de Fafe associa-se a este Festival, integrando a atividade nas comemorações do Centenário do Teatro Cinema. Na edição deste ano da Mostra Internacional de Teatro participam 70 artistas de nove países - Uzbequistão, Itália, Espanha, Chipre Norte e Chipre Sul, Turquia, Azerbaijão, Sérvia e Portugal, num total de oito criações e 15 apresentações. Nos próximos dias 22 e 24 de julho, o Teatro Cinema de Fafe irá receber mais duas peças de teatro, “As if we wouldn’t”, da Sérvia; e SUSN, da Itália.

Estão previstas visitas encenadas ao Teatro Cinema intituladas de “A minha casa é o Teatro Cinema”. Em que os visitantes são conduzidos, em grupo, pela história e memórias do Teatro Cinema visitando espaços mais e menos conhecidos da sala de espetáculos na companhia de uma atriz que viaja no tempo. No dia 20 de julho esta visita terá lugar às 16h00, mediante inscrição na Biblioteca Municipal.

Biblioteca Municipal

No dia 20 de julho, às 18h30, na Biblioteca Municipal decorrerá um espetáculo intitulado “O Homem-Banda”, que irá interagir com o público a partir de histórias e emissões sonoras provenientes de instrumentos tradicionais, traquitanas e objetos do quotidiano. As surpresas, o humor e o jogo entre som e movimento guiam as relações que se dão entre o artista e os espetadores.

Às 20h30 decorrerão ainda, com a “Tia Paula das Histórias”, a hora do conto “O Coelhinho Branco”, de António Torrado e um atelier criativo “E a noite ficou branca”.

No exterior da Biblioteca Municipal, a Orquestra Orff, do Grupo Nun’Álvares, irá atuar, às 21h30.

Palcos e horários:

Teatro Cinema – Visita encenada ““A minha casa é o Teatro Cinema”” [16h00] e Teatro “The river” [21h30]

Arcada – Clube Fafense – música ambiente, DJ’s – [18h00 às 6h00]

Programação Praça 25 de Abril – Junto ao Memorial dos Presidentes da República

Kyd3n - 22h00

Chinelos com Vida - 00h00

DJ Nino - 1h30

Jimmy – 3h00

Palco Fafe (Praça Mártires do Fascismo – Feira Velha)

Concertos de Nenny e Drenchill [23h00 e 00h30]

Ruas da Cidade – música Itinerante

Banda Faz de Conta [a partir das 21h00]

AF2-CARTAZ-FESTA-BRANCA-2024-01.jpg

"UM LIVRO, UMA CONVERSA E ÀS VEZES UM FILME" APRESENTA LIVRO D. DINIS NO DIA EM QUE SE ASSINALAM OS 740 ANOS DA OUTORGA DO FORAL A CAMINHA

José Augusto Pereira Sotto Mayor Pizarro.JPG

Sessão terá lugar dia 24 de julho, pelas 18H00

No dia 24 de julho, dia em que se assinalam os 740 anos da Outorga do Foral a Caminha concedido pelo Rei D. Dinis, "Um livro, uma Conversa e às vezes um filme" traz à nossa vila José Augusto Pereira de Sotto Mayor Pizarro para apresentar o livro D. Dinis. A sessão apresentada por Paulo Torres Bento, conta com a presença do autor e terá lugar pelas 18H00, na Biblioteca Municipal de Caminha. Esta iniciativa está integrada na programação da Caminha Medieval que decorrerá de 24 a 28 de julho.

José Augusto de Sotto Mayor Pizarro nasceu na cidade do Porto, em 1958. Doutor em História Medieval pela Universidade do Porto (1998), especializou-se em História da Nobreza Medieval Portuguesa. Professor na Faculdade de Letras da Universidade do Porto desde 1984, é responsável pelas cadeiras de História Política na Época Medieval, História Medieval Peninsular e Genealogia e Heráldica, e de um seminário de pós-graduação sobre Nobreza Medieval Portuguesa. Entre 1999 e 2002 foi responsável pela Cátedra Sánchez Albornoz de História Medieval de Espanha, sediada na Faculdade de Letras da Universidade do Porto ao abrigo de protocolo de colaboração com a Universidade Autónoma de Madrid.

Membro do Instituto de Documentação Histórica da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, é sócio efetivo-fundador da Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais, sócio de número do Instituto Português de Heráldica e académico correspondente no Porto da Real Academia Matritense de Heráldica y Genealogía.

A par da atividade docente e de investigação tem publicados cerca de 140 títulos, entre os quais se destacam: Os Patronos do Mosteiro de Grijó. Evolução e Estrutura da Família Nobre (Séculos XI a XIV) [1987], Ponte de Lima, 1995; Linhagens Medievais Portuguesas. Genealogias e Estratégias (1279-1325), 3 volumes, Porto, 1999; D. Dinis (1261-1325), Lisboa, 2005 (2.ª ed. 2008); Inquirições Gerais de D. Dinis - 1284, Lisboa, Academia das Ciências, 2007; Inquirições Gerais de D. Dinis – 1288/1290, 2 vols., Lisboa, Academia das Ciências, 2012-2015; Aristocracia e Mosteiros na Rota do Românico. A senhorialização dos vales do Sousa, do Tâmega e do Douro (séculos XI a XIII), Lousada, Rota do Românico, 2014;  e Inquirições Gerais de D. Dinis – 1301, 1303-1304 e 1307-1315, Lisboa, Academia das Ciências, 2020-2021.

Quanto ao livro D. Dinis, na sua sinopse lê-se: “Filho de D. Afonso III e de D. Beatriz de Castela, D. Dinis foi o sexto monarca português. Nasceu em Lisboa, a 9 de Outubro de 1261, e iniciou em 1279 um longo reinado de quase 46 anos, vindo a falecer em Santarém, a 7 de Janeiro de 1325.

Os primeiros anos do reinado ficaram marcados pela vontade do jovem monarca em se afirmar, quer no plano externo, onde se destaca a aliança com o reino de Aragão, selada em 1281 com o casamento de D. Dinis com D. Isabel de Aragão, a Rainha Santa, quer no plano interno, recusando a interferência da sua mãe na governação, reprimindo as exaltações e desmandos do seu irmão D. Afonso, e dando os primeiros passos na orientação política que norteou todo o seu reinado: a afirmação do poder régio. 

Na verdade, a maior parte dos seus actos governativos foi dirigida para reforçar o poder do rei face aos poderes privados, pela reorganização do exército e da marinha de guerra, pela libertação das ordens militares de tutelas exteriores ao reino, pela adopção da língua portuguesa nos documentos oficiais e pela fundação da universidade. 

Vencedor em Alcañices, onde se definiu a fronteira política mais antiga e estável da Europa, e prestigiado internacionalmente, os últimos anos de reinado ficaram ensombrados pela guerra civil que opôs o monarca ao seu filho e herdeiro, mas parece que as cedências então obtidas pelo futuro D. Afonso IV não chegaram para empalidecer o impacto das medidas políticas levadas a cabo por D. Dinis, um dos monarcas que mais influenciou toda a história de Portugal”.

D. Dinis.jpg

VIANA DO CASTELO: CONSTRUÇÃO DA NOVA PONTE SOBRE O RIO LIMA ESTÁ EM TRIBUNAL

Nova ponte de Viana do Castelo em tribunal, investimento em risco

O processo de adjudicação e construção da nova ponte sobre o rio Lima está em tribunal e o investimento, financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), "pode cair", disse hoje o presidente da Câmara de Viana do Castelo.

"Podemos ficar sem capacidade temporal para executar a obra e pode cair o investimento", afirmou Luís Nobre (PS), em declarações aos jornalistas à margem de uma reunião extraordinária do executivo.

A empreitada da quarta travessia sobre o rio Lima, de mais de 20,6 milhões de euros e um prazo de execução de 510 dias (cerca de um ano e meio) "tem de ficar concluída até dezembro de 2025", avisou o autarca, explicando que a decisão de adjudicar foi contestada em tribunal por um concorrente.

Fonte: RTP

01_virt_0142.jpg

O executivo da Câmara Municipal de Viana do Castelo aprovou no passado dia 4 de Junho, em reunião extraordinária, a adjudicação e aprovação da minuta de contrato para execução da empreitada de “Construção da Nova Travessia do Rio Lima entre E.N.203 – Deocriste e a E.N. 202 – Nogueira” por um valor que ascende a 19.490.000 euros, financiada pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

A obra conta com um prazo de execução de 510 dias e será suportada pelos orçamentos de 2024 e 2025.

A nova Travessia sobre o rio Lima entre a Estrada Nacional (EN)203 – Deocriste e a EN 202 – Nogueira inicia junto ao campo de futebol da Torre, com a reformulação da interceção giratória de acesso à área de localização empresarial de Nogueira e à autoestrada A27, no sentido Viana do Castelo-Ponte de Lima. A travessia desenvolve-se na maior parte do percurso em tabuleiro de betão pré-esforçado, numa estrutura que permite minimizar os impactos na galeria ripícola e habitats incluídos na Rede Natura 2000.

A via termina na interceção giratória da EN 203, zona industrial de Deocriste, junto à empresa de produção de papel DS Smith (antiga Portucel), permitindo desviar o tráfego de viaturas pesadas da estrada nacional que tem sofrido com o aumento de tráfego provocado pela crescente atividade industrial deste complexo. Esta nova via permitirá sobretudo que as empresas situadas nas áreas de localização empresarial abrangidas pela nova travessia possam aumentar a sua capacidade expansionista com os novos investimentos previstos, apoiando particularmente a DS Smith, empresa britânica do setor da embalagem à base de fibra de papel.

O PRR vai ainda financiar a empreitada de Construção do Acesso Rodoviário da Zona Industrial do Vale do Neiva ao Nó da A28, também chamada de Nova Via do Vale do Neiva.  Este acesso rodoviário corresponde a uma nova ligação entre o Vale do Neiva e a A28, com uma extensão de 5,2 quilómetros, tendo as duas faixas de rodagem uma largura de sete metros. A rodovia terá início no nó da A28, junto à rotunda da EN 13, na Zona Industrial do Neiva.

A nova via irá dotar de segurança rodoviária e fomentar a competitividade empresarial das cinco freguesias do Vale do Neiva, composto por Alvarães, Vila de Punhe, Mujães, Barroselas e Carvoeiro, que representam 30% do tecido empresarial do concelho e permitirá uma ligação rodoviária rápida e segura que fomentará o desenvolvimento socioeconómico da região e acrescenta o seu contributo no panorama nacional, melhorando também os indicadores ambientais.

A via rodoviária pretende eliminar pontos negros e a circulação condicionada para veículos pesados de logística no interior da freguesia de Alvarães, melhorando a segurança rodoviária em todo o Vale do Neiva. Nas freguesias de Vila de Punhe e Barroselas, os novos troços rodoviários propostos, para além de uma ligação mais fluída e segura à A28, vão melhorar, através dos seus    nós de ligação, a mobilidade interna intrafreguesias, ligando estradas nacionais a vias municipais através de um novo corredor rodoviário.

Estas empreitadas são, para o concelho vianense, investimentos cirúrgicos em fatores de competitividade que vão permitir desenvolver a atividade económica de Viana do Castelo, apoiar as empresas locais e facilitar a mobilidade de todos os vianenses.

04a_virt_0157.jpg

05_virt_0165.jpg